Você está na página 1de 11
William J. Stevenson Instituto Rochester de Tecnologia ESTATISTICA APLICADA A ADMINISTRAGAO Traducao Alfredo Alves de Farias Profesor Adium do Istinto de Universidade Federal de Minas Gerais editora HARBRA Itda. pr agiasConssiaf6 eras GUE PEM mare coco ue MEDIDAS DE TENDENCIA CENTRAL ‘As medidas de tendéncia central sfo usadas para indicar um valor que tende a tipificar, ou a representar melhor, um conjunto de nimeros. As trés medidas mais usadas sfo a média, a mediana e a moda, A Média ‘A. média aritmética & a id6ia que ocorre 4 maioria das pessoas quando se fala em “média”. E como ela possui certas propriedades matemiticas convenientes, & a mais importante das trés ‘medidas que estudaremos. Calcula-se a média aritmética determinando-se a soma dos valores do conjunto e dividindo-se esta soma pelo nimero de valores no conjunto. Assim, a média dos valores 70, 80 ¢ 1206 70 + 80 + 120 3 Se um estudante fez quatro provas obteve as notas 83, 94, 95 e 86, sua nota média é 83 + 94 + 95 + 86 = 895 5 89,5 A média de uma amostra* 6 representada pelo simbolo ¥ (leia-se “x barra”), e seu cileulo pode expressar-se em notagdo sigma como segue. ‘ou mais simplesmente como 0 proceso de célculo da média aritmética é 0 mesmo, quer se trate de um conjunto de valores que traduzam representacOes amostrais, quer se trate de todos os valores de uma populagéo. Nao obstante, utiliza-se o simbolo y para a média de uma populacdo, e N’ para o niimero de itens da populagdo: * A Gnfase deste capitulo e dos seguintesé sobre a andlise de dados amostras. 20. ESTATISTICA APUCADA A ADMINISTRACKO. Sx wes A média tem certas propriedades interessan de tendéncia central mais usada: es e liteis, que explicam por que é ela a medida ‘A média de um conjunto de niimeros pode sempre ser calculada, Para um dado conjunto de niimeros, a média é tnica, A média é sensivel a (ou afetada por) todos os valores do conjunto, Assim, se um valor se ‘modifica, a média também se modifica, 4. Somando-se uma constante a cada valor do conjunto, a média ficard aumentada do valor dessa constante. Assim, somando-se 4,5 a cada valor de um conjunto, a média ficard aumentada de 4,5. Analogamente, subtraindo-se de cada valor do conjunto uma constante, ou multiplicando-se ou dividindose por ela cada valor do conjunto, a média fica reduzida dessa constante, ov multiplicada ou dividida por ela, 5. soma dos desvios dos niimeros de um conjunto a contar da média é zero: Yei-3) =0 Por exemplo, a 1 ia dos némeros 2, 4 ¢ 6 é 4; 24446 Subtraindo 4 de cada um dos nimeros, obtemos Tem-se uma representacio fisica da média imaginando uma viga com pesos iguais colocados fos pontos correspondentes aos valores de um conjunto. A média dos niimeros 2, 4 e 6 pode ser ilustrada conforme a Figura 2.1 Figura 2.1. A média 6 0 ponto de equilbri para a vgs; as dferencas postivase negativas se cancelam, ‘A Média Pondorada A frmula anterior para calcular a média aritmética supe que cada observago tenha a mesma importincia, Conquanto este caso seja o mais geral, hd excegdes. Consideremos, por exemplo, situago em que um professor informe & classe que haverd dois exames de uma hora, valen- do cada um 30% do. total de pontos do curso, e um exame final valendo 40%. O cilculo da ‘média deve levar em conta os pesos desiguais dos exames. A formula para 0 caleulo 6: média ponderada conde Ww; € 0 peso da observagdo de ordemi. Assim, um estudante que obtém 80 no primero exame, 90 no segundo, e 96 no exame final, teré uma média final de 89,4: BR BE > atta pondeade = 2208924 020(90 + 04006) 40 = 64 Suponhamos que; em outro curso, haja um exame de meio de periodo e um exame final, este lltimo com o dobro do peso daquele. Um estudante com 95 no primeiro ¢ 89 no final, tera uma média de 91,0. Exame Nota Peso meio do periodo 9S. 1 910 final 9 2 5 2 ‘A Mediana Uma segunda medida do meio de um conjunto de niimeros é@ mediana. Sua caracteristica principal 6 dividir um conjunto ordenado de dados em dois grupos igus; a metade teré valores, inferiores & mediana, a outra metade teri valores superiores &.mediana. Para calcular a mediana, & necessirio primeiro ordenar os valores (comumente) do mais baixo ao mais alto. Em seguida, contase até a metade dos valores para achar a mediana Por exemplo, a mediana do conjunto 5, 6, 8€ 6; 6 esti:no meio. Em geral, mediana:ocupa a posiglo (n + 1)/2. Logo, para txés niimeros, a posiglo & (3 + 1)/2 = 2, ou ej, a segunda posigo. Consideremos outro exemplo: Determinar a mediana dos valores 7, 8, 9, 10. De acordo com nossa formula, a posigdo da mediana é (4 + 1)/2 = 2,5, que esta a meio caminho dos dois valores médios, ou seja, 8,5, neste caso, Este valor deixa dois valores acima e dois abaixo. STATISTICA APLICADA A ADMINSTRACKO processo para determinar a mediana é o seguinte: 1. Ordenar 0s valores. 2. Verificar se hé um niimero impar ou par de valores. 3. Para um niimero impar de valores, a mediana é o valor do meio. Para um niimero par de valores, a mediana é a média dos dois valores do meio. Eis alguns exemplos, Timper 1, 2,3,3,3,4,7 3 . 9, 40, 80, 81, 100 80 9a, 104A, 15,5 © 37,92, 10.1, 11,8, 128 10, A mediana de um conjunto de nimeros ¢ maior que uma metade dos valores ¢ ‘menor que a outra metade Uma medida estreitamente relacionada com a mediana é 0 quartil. Os quartis dividem con- Juntos ordenados em 4 partes iguais: 25% dos valores sero inferiores ao primeiro quartil (Q,), 50% serfo inferiores a0 segundo quartil (Q,=mediana), 75% serfo inferiotes ao terceiro quart (Qs), © 25% serdo superiores ao terceiro quartil Exemplo 3 Determine, por inspeeo, os quartis dos seguintes conjuntos de dados: Costuma-se arredondar quando um quartil nfo 6 nimero inteiro nem um nimero como 2,5, 7,5, ete. Os percentis dividem os dados em 100 subgrupos iguais. Por exemplo, 76% dos valores ‘num (grande) conjunto de dados serdo inferiores a 769 percenti Os percentis ¢ 0s quartis si mais usados em relacdo a distribuig6es de frequéncia, que estudaremos logo mais Comparacéo entre Média © Mediana Acescolha da média, ou da mediana, como medida de tendéncia central de um conjunto, depende de diversos fatores. A média é sensivel a (ou influenciada por) cada valor do conjunto, inclusive os extremos, Por outro lado, a mediana é relativamente insensivel aos valores ex tremos. (ranizacb,resumo @spresentaeSo de dados estatisticos 23 bogey 9f Mediana Média Figura 2.2 A médiaé afetada pelos valores extrem. Consideremos 0 conjunto de dados exibido na Figura 2.2. Notem como a média é influen- siada por um valor extremo, enquanto que a mediana nfo é. Assim, os dados sobre renda pessoal, 1 valor de casas de residéncia, tém na mediana uma medida descrtiva mais adequada; isso porque bastam alguns valores muito grandes para inflacionar a média aritmética, De modo geral, a média possui certas propriedades matemticas que a tomam atraente, Além disso, a ordenagao dos dados para determinar a mediana pode ser enfadonha, ¢ o eéleulo da ‘mediana ndo pode ser feito com maquina de calcular, ao contrério do que ocorre com a média, ‘A Moda A moda é 0 valor que ocorre com maior frequéneia num conjunto. Por exemplo, dados os tatimeros 10, 10, 8, 6, 10, hé trés 10's e um de cada um dos outros niimeros. O valor mais fre. lente —a moda —é 10. A moda funciona como medida descritiva quando se trata de contar ados, ¢ serd estudada em maior detalhe mais adiante neste capitulo, Comparada com a média e com a mediana, a moda é a menos dtil das medidas para pro- blemas estatisticos, porque nfo se presta a anilise matemética, a0 contrério do que ocorre com & outras duas medidas (ver a Tabela 2.2), Todavia, de um ponto de vista puramente descitivo, a moda indica 0 valor “tipico” em termos da maior ocorréncia. A utilidade da moda se acentua quando um ou dois valores, ou um grupo de valores, ocorrem com muito maior freqiéncia que Outros. Inversamente, quando todos ou quase todos os valores ocorrem aproximadamente com a ‘mesma freqiéncia, a moda-nada acrescenta em termos de descrig0 dos dados. A moda 6 o valor que ocotre com maior freqiéncia. Tabela 2.2. Compuragio entre Média, Mediana e Moda Definigio Vantagens Limitagdes 1. reflete cada valor 1. 6 influenciada por 2. possui propriedades valores extremes ‘matematcasatraentes smetade dos valores sio 1. menos sensvela valores dtc de determina maiores, metade menores extremos do que a média pra grande quantidade 4 dadox valor mais fequente valor “tipico”: maior fo so posta a andlise ‘quantidade de valores smatemética ‘oncentrados neste ponto 2. pade nlo ser moda para ‘ertos conjuntos de dados nto, 0s eros se medida Imente igo da nto de Estu- wuanto so se telras, 2s dos Desvio Médio Absoluto © desvio médio absoluto (DMA) mede o desvio médio dos valores em relagio & média do grupo, ‘gnorando o sinal do desvi. Calculase subtraindo a média de cada valor do grupo e desprezando © sinal (+ ow -) do desvio, e tomando a média em seguida. Ao calcular 0 desvio médio, é necessério levar em conta o fato de que a soma dos desvios positivos e negativos a contar’ da ‘média seré sempre (por definigéo) igual a zero. A conversSo das diferengas a valores absolutos (todos 0s valores sf0 considerados como desvios positivos) antes de se proceder & soma resolve 0 problema. Calcula-se ento o desvio médio absoluto pela formula seguinte ma = 20H=41 ‘onde m é 0 mimero de observagdes no conjunto. Exemplo 4 Determine 0 desvio médio para 0 seguinte conjunto de némeros: 2,4,6,8, 10 Solugdo: Determinemos a médis Orgarizaeso, resume soresentacko de dedosestatsicos 27 Em seguida, determinemos as diferencas entre a média e cada valor: Desvio médio: Exemplo $ Determine o desvio médio para o conjunto de valores: 1,2,3,4,5 Solusio: 142434445 média = ; Desvio médio: 6 Saye © desvio médio absoluto de um conjunto de nimeros ¢ a média dos desvios dos valores a contar da média, ignorando-se o sinal de diferenga. Conquanto 0 desvio médio absoluto seja relativamente fécil de entender, nfo é muito usado como medida de dispersio, porque outras medidas apresentam propriedades matemiticas mais interessantes. O DMA tem algumas aplicag6es no controle de inventarios. 28 ESTATISTICA APLICADA A ADMINISTRAGAO A Varincia Calcula-se a variineia de uma amostra quase da mesma forma que o desvio médio, com duas pe- quenas exceg6es: (1) 0s desvios sfo elevados ao quadrado antes da soma, ¢ (2) toma-se a média dividindo porn - 1 em lugar de n, porque isso dé uma melhor estimativa da varidncia populacional Pode-se calcular a variincia amostral pela formula abaixo. r a ae | ‘Se um conjunto de nimeros constitui uma populago, ou se a finalidade de somar os dados & apenas descrevélos, e n&o fazer inferéncias sobre uma populagio, ento deve-se usar ‘em lugar de (1 1) no denominador. Exemplo 6 Calcule a variancia da amostra: 2, 4, 6, 8, 10 Solusio: Jé vimos que @ média desse conjunto é 6. Eis os cilculos necessirios: B adsopito (ONG 16 406 2 4 6 6 0 0 raars 2 4 m6 4 16 Somas 0 0 Se esses valores representassem foda uma populagdo, a variancia seria 4 A variéncia de uma amostra 6 a média dos quadrados dos desvios dos valores a contar da média, calculada usando-se n - 1 em lugar de m. ‘| iE 2 pio de chserrncties oo somunto,: = fe Em resumo, 0s estigios do eéleulo da variéncia sio: 1. Calcular a média. 2. Subtrair a média a cada valor do conjunto. 3. Elevar ao quadrado cada desvio. 4, Somar os quadrados dos desvios. 5. Dividir a soma por (t~ 1) se se trata de dados amostrais, ou simplesmente por n para somar 0 conjunto ou se os dados representam todos os valores de uma populaao. Uma formula alternativa, bastante usada para o céleulo da varidncia, 6 Dei =(Exatin n=l COrgarizacto,resumo e apresentacto de dedor exteetoos 29 (Novamente, substituise -1 por m no denominador para a variincia da populaglo.) Esta for- ula é asvezes mais fécil de utilizar, porque ndo exige o célculo da média, e também porque no hé necessidade de determinar cada um dos desvios. Para uma média igual a 3,33333333 o processo de c:ilculo anterior acarreta erros devidos ao arredondamento. ‘Usando os dados anteriores, podemos observar que a variéncia calculada por esta dltima formula é idéntica a obtida anteriormente. 220 — (30/5) _ 220 ~ 180 bai 4 = 100 © Dewio Padrio desvio padrao é simplesmente a raiz quadrada positiva da variincia. Assim, se a variincia & 81, 0 desvio padrio ¢ 9; se a variincia ¢ 10, 0 desvio padrio é V'10 = 3,16. Para determinar 0 desvio ppadrlo, calcula-se a varidncia e toma-se a raiz quadrada positiva do resultado.” As frmulas para o desvio padrio so {Como anteriormente, a substituigo de (n - 1) por m produz as formulas do desvio padrio da populagdo.] Exemplo 7 Calcule 0 desvio padrio da amostra: 20, 5, 10, 15, 25. Solugso: Usando a formula abreviada, caleulamos Y°x; 20454 10+ 15 +25 =75 Calculemos agora s,? 400 +25 + 100+ = V5 =791 Hi uma tabela de quadrados © rafzes quadradas no ApEndice, sii para este cileulo 30, ESTATISTICA APLICADA A ADMINISTRACKO. » desvio padrio 6 uma das medidas mais comumente usadas para distribuigdes, ¢ desem- penha papel relevante em toda a estatistica. Cabe notar que a unidade do desvio padrio é a ‘mesma da média. Por exemplo, se a média é em cruzeiros, o desvio padréo também se exprime em ‘cuzeiros. A variincia, por outro lado, se exprime em quadrados de unidades (p.ex.,eruzeiros’, ‘metros?). 0 desvio padrdo de um conjunto de nimeros é a raiz quadrada positiva da variancia,