Você está na página 1de 27

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

LOURENT DE SOUSA FREIRE

PROJETO DE RADIO ENLACE ENTRE A MATERNIDADE BÁRBARA HELIODORA E O HOSPITAL SANTA JULIANA PARA A APLICAÇÃO DE TELEMEDICINA EM RIO BRANCO-AC.

Rio Branco

2016

LOURENT DE SOUSA FREIRE

PROJETO DE RADIO ENLACE ENTRE A MATERNIDADE BÁRBARA HELIODORA E O HOSPITAL SANTA JULIANA PARA A APLICAÇÃO DE TELEMEDICINA EM RIO BRANCO-AC.

Trabalho apresentado como requisito de avaliação na disciplina de Ondas e Antenas do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Acre.

Rio Branco

2016

Professor:

Roger Fredy Larico Chavez

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO, 4

1.1 MOTIVAÇÃO, 5

1.2 OBJETIVO, 6

1.3 JUSTIFICATIVA, 7

1.4 RESULTADOS ESPERADOS, 8

2 MARCO TEÓRICO, 9

2.1 APLICAÇÕES, 12

2.2 ZONA DE FRESNEL, 12

3 PLANO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO, 14

3.1 AQUISIÇÃO DE DADOS, 14

3.2 REQUERIMENTOS DE SISTEMA, 19

3.3 PROPOSTAS DE PROJETOS, 20

3.4 PROPOSTA RECOMENDADA, 24

3.5 CONSIDERAÇÕES, 25

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS, 26

5 REFERÊNCIAS, 27

1 INTRODUÇÃO

A transmissão de sinal através de enlaces de rádio é fundamental no atendimento

de uma localidade em específico ou em uma estação de uma operadora de telecomunicações, sendo a capacidade de transmissão a sua maior limitação. Os enlaces de micro-ondas possui inúmeras vantagens, sendo o prazo de implantação e o custo são mais favoráveis em relação a fibra óptica, pois essa última necessita que o atendimento seja em pequenas distâncias para

que não haja uma oneração do projeto de atendimento. Atualmente, os centros urbanos são incorporados cada vez mais a sistemas de atendimento através de rádio, devido à dificuldade de operação e manutenção encontrado em sistemas por fibra óptica.

O link de rádio é proveniente de equipamentos indoor e outdoor, o qual transmitam

e captam os sinais de rádio provenientes das antenas transmissoras e receptoras que operam

com ondas eletromagnéticas. De acordo com a frequência configurada no enlace de rádio e através de softwares precisos, o engenheiro responsável poderá realizar um projeto de dimensionamento de rádio sem a necessidade de participar de vistoria em campo. Durante muitos anos, os médicos têm utilizado essas tecnologia de comunicações, como o telefone e o fax, em benefício de seus pacientes. Constantemente se desenvolvem novas técnicas de informação e comunicação que facilitam o intercâmbio de informação entre médicos e também entre médicos e pacientes. A Telemedicina é o exercício da Medicina à distância, cujas intervenções, diagnósticos, decisões de tratamentos e recomendações estão baseadas em dados, documentos e outra informação transmitida através de sistemas de telecomunicação. Telemedicina é um termo amplamente utilizados para representar o uso de tecnologias de telecomunicação e de informação para suportar serviços, treinamento e informação em saúde para provedores de assistência médica e pacientes.

A essência dessas áreas é a oferta de serviços e informação médicos para indivíduos

em suas próprias comunidades excluindo a necessidade de locomoção para os centros de referência. O seguinte trabalho apresenta em sua introdução a motivação, objetivo e justificativa e resultados esperados, onde são mencionados quais os aspectos que impulsionaram à realização deste, bem como quais objetivos a serem atingidos ao final deste. Em seguida, é feita uma breve explanação sobre conceitos de telecomunicação necessários para compreensão e aplicação de um rádio enlace. Nos tópicos seguintes são discutidas as

características específicas para implementação neste caso e como se deu a concepção do projeto bem como sugeridas três propostas de projeto com seus respectivos orçamentos. Por fim, é sugerida uma destas e são feitas algumas considerações finais apresentando as referências utilizadas na confecção do trabalho.

1.1 MOTIVAÇÃO

A Telemedicina trata do uso das modernas tecnologias da

informação e telecomunicações para o fornecimento de informação e atenção médica à pacientes e outros profissionais de saúde localizados à distância. Tais serviços são fornecidos por profissionais da área da saúde, usando tecnologias de informação e de comunicação para

o

intercâmbio de informações válidas para promoção, proteção, redução do risco da doença

e

outros agravos e recuperação. Além de possibilitar uma educação continuada em saúde de

profissionais, cuidadores e pessoas, assim como, facilitar pesquisas, avaliações e gestão da saúde. A utilização de um sistema de comunicação para este fim, traria todos os estes benefícios às instituições integrantes e comunidade em geral.

1.2 OBJETIVO

O projeto tem como objetivo a construção de um sistema de Rádio Enlace.

1.2.1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Construção de um sistema de Rádio Enlace para interligação de duas

instituições de saúde localizadas no centro da cidade de Rio Branco.

Selecionar o melhor alternativa para a elaboração do projeto;

Diminuir o máximo possível os custos para o projeto;

1.3

JUSTIFICATIVA

Através da implementação de um sistema de rádio enlace para fins de telemedicina entre a Maternidade Bárbara Heliodora e o Hospital Santa Juliana seria possível obter acesso rápido a especialistas em casos de acidentes e emergências; Fazer o uso mais eficiente de recursos, através da centralização de especialistas e da descentralização da assistência, alcançando um número maior de pessoas além de possibilitar a cooperação e integração de pesquisadores com o compartilhamento de registros clínicos; Há ainda a possibilidade de conectar, posteriormente, outras unidades de saúde, levando as aplicações desta técnica a outras comunidades. Os enlaces de rádio apresentam vantagens de implantação devido ao curto prazo de tempo regiões densamente povoadas como em centros urbanos das cidades metropolitanas,

o qual a implantação, manutenção e operação da fibra óptica é inviável como meio de

transmissão. De acordo com a frequência configurada no enlace de rádio, o engenheiro responsável poderá realizar um projeto sem a necessidade de participar da vistoria em campo.

2

MARCO TEÓRICO

2.1

RÁDIO ENLACE

A transmissão será realizada utilizando uma estrutura de um rádio enlace, o objetivo

é garantir que a onda portadora do sinal que está sendo transmitido seja transportada com

uma taxa de erro aceitável, que permita que na recepção o sinal transmitido seja decodificado

e entendido pelo receptor. Este erro aceitável, deve variar de acordo com o método de modulação e de codificação utilizados pelo rádio enlace.

O dimensionamento da antena e do transmissor, será efetuada de acordo com a distância entre os pontos no qual a transmissão será realizada e com os possíveis obstáculos. Para lidar com possíveis obstáculos, usaremos a teoria vista em sala de aula, modelaremos os obstáculos como gumes de faca e utilizaremos a teoria de Fresnel para observar a altura

requerida por uma determinada antena e qual a interferência que este obstáculo venha a ter sob o sinal transmitido.

A tabela a seguir apresenta as frequências disponíveis no Brasil para implantação de enlaces rádio digitais ponto a ponto, juntamente com as capacidades permitidas e regulamentação aplicável.

com as capacidades permitidas e regulamentação aplicável. Tabela 1: frequências disponíveis no Brasil para rádio

Tabela 1: frequências disponíveis no Brasil para rádio enlace

2.2 ANTENA PARABÓLICA DE DUPLA POLARIDADE

Esta antena pode ser utilizadas para diversas situações, dentre estas estão as aplicações em rádio enlace. Este tipo de antena suporta polarização horizontal e vertical, além disso também podemos destacar como suas características a alta largura de banda, alto ganho, baixo arraste de vento, além da alta diretividade, que é essencial em aplicações de rádio enlace.

Intervalo de frequência

5,1 a 5,9 GHz

Impedância

50

Ω

Potência Máxima

100 W

Ganho

28 a 30 dBi

Tabela 2: Características Gerais de uma antena parabólica de dupla polaridade

Gerais de uma antena parabólica de dupla polaridade Imagem 3: Antena parabólica de dupla polaridade 2.2

Imagem 3: Antena parabólica de dupla polaridade

2.2 ANTENA PARÁBOLA DE GRADE

As antenas parábolas de grade, podem ser utilizadas em frequências que vão de 2,4 a 2.5 GHz com ganho de 25dBi, e por isso podem ser utilizadas em projetos de rádio enlace. Esta antena apresenta baixo percentual de ruído e também suporta polarização vertical e horizontal.

Intervalo de frequência

2,4 a 2,5 GHz

Impedância

50

Ω

Potência Máxima

50 W

Ganho

25dBi

Tabela 3: Características Gerais de uma parábola de grade

Imagem 4: antena parábola de grade 2.3 PERDAS Em transmissão de sistemas de rádio enlace,

Imagem 4: antena parábola de grade

2.3 PERDAS

Em transmissão de sistemas de rádio enlace, existem inúmeros tipos de perdas devidos a diversas condições do meio que podem influenciar na qualidade do sinal recebido nos pontos de recepção.

2.4 ATENUAÇÃO NO ESPAÇO LIVRE

Segundo Friis, uma onda eletromagnética ao se propagar pelo espaço livre, sofre uma atenuação continua. A medida que uma onda eletromagnética se afasta de sua fonte de transmissão a energia é distribuída em uma área maior, diminuindo a densidade de potência transmitida. De acordo com Friis a atenuação em espaço livre é dada por:

A0 = 32,5 + 20 log(d) + 20 log (f)

onde d é a distância do enlace dada em km, e f a frequência em MHz é a atenuação em espaço livre dada em dB. Esta atenuação é um pouco maior em 5.8 GHz que em 2.4 GHz.

2.5

REFRAÇÃO ATMOSFÉRICA

O efeito da refratividade na atmosfera pode ser calculada utilizando o gradiente

médio de refratividade N, que é definido pela diferença entre o indicie de refração a uma

altura de 1km e a uma altura de 100 m acima do solo. Quando tivermos frequências menores que 100 GHz, a refratividade pode ser calculada com erro inferior a 0,5%, utilizando a equação abaixo.

= 77,6

( + 4,81

)

onde N é a refratividade em N, p a pressão atmosférica em hpa, p a pressão do vapor d’agua em hpa e t a temperatura em ºK.

2.6 ATENUAÇÃO POR ABSORÇÃO

A atenuação por absorção na superfície terrestre ocorrer devido os mais devido a

precipitações ou qualquer outra alteração no canal de transmissão, na Fig. 5 podemos observar que a absorção depende de vários fatores, entre estes estão o comprimento de onda

e o tipo de molécula que esteja presente no canal de transmissão do sinal.

que esteja presente no canal de transmissão do sinal. Fig. 5: Transmissão em relação ao comprimento

Fig. 5: Transmissão em relação ao comprimento de onda e os possíveis componentes do canal

2.7 DESVANECIMENTO

O desvanecimento pode ser causado por inúmeros fatores de acordo com o tipo de

canal que está sendo utilizado durante a transmissão, no caso do rádio enlace que iremos

construir o canal utilizado será a atmosfera terrestre, os principais causadores de desvanecimento são as precipitações, reflexões especulares, espalhamentos, entre outros fatores que podem ocasionar o desvanecimento. O desvanecimento pode ser classificado de acordo com a ocorrência ou ao espectro de frequência do sinal. O desvanecimento rápido

ocorre quando este ocorre de forma passageira e com um tempo de duração curto, já no lento temos uma prolongação do tempo no qual o desvanecimento ocorre e, portanto, o sinal pode ser comprometido devido a esse fator. Quando ao espectro de frequência, temos que quando

o desvanecimento afeta toda a faixa de frequência do sinal, o denominamos não-seletivo e quando afeta apenas algumas partes do espectro, seletivo.

2.8 ZONA DE FRESNEL

A Zona de Fresnel é usado em telecomunicação. Nomeado pelo físico Augustin-

Jean Fresnel, é uma das (teoricamente infinitos) elipsoides que define a forma ou padrão da irradiação do sinal sem fio.

Para o mundo wireless, a primeira zona de Fresnel é a importante. Especificamente

a Zona de Fresnel é a área ao redor da linha de visada que o sinal de rádio espalha após sair da antena.

É imprescindível que a linha de Fresnel esteja livre de obstáculos (morros, prédios,

árvores, carros, água, etc.). Vale ainda lembrar que o formato da zona de Fresnel é como uma bola de futebol-americano. Ou seja, deve estar livre a quantidade de metros descrito na fórmula abaixo para esquerda, direita, cima e para baixo.

Ou seja, deve estar livre a quantidade de metros descrito na fórmula abaixo para esquerda, direita,
Figura 6: Zona de Fresnel 3 PLANO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO 3.1 AQUISIÇÃO DE DADOS

Figura 6: Zona de Fresnel

3 PLANO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO

3.1 AQUISIÇÃO DE DADOS

Na aquisição de dados foi usado primeiramente o software Google Earth. Nele foram marcadas as localizações do Hospital Santa Juliana-provedor de internet (latitude 9°57'20.06"S e longitude 67°48'53.28"O) - e a Maternidade Barbara Heliodora-receptor (9°58'9.77"S, 67°48'47.11"O). Um ponto distante 120 m da maternidade foi escolhido com repetidor de sinal (9°58'14.08"S, 67°48'41.86"O). A justificativa é porque neste se encontra, a uma elevação um pouco maior, um edifício comercial de 3 andares com aproximadamente 11 metros. O trajeto entre o provedor e o repetidor tem 1,7 km.

metros. O trajeto entre o provedor e o repetidor tem 1,7 km. Figura 7: trajeto provedor-repetidor

Figura 7: trajeto provedor-repetidor (1,7 km) -Google Earth

A partir desde caminho, podemos com o software, obter informações sobre a elevação do terreno de acordo com a figura 5.

sobre a elevação do terreno de acordo com a figura 5. Figura 8: elevação do terreno

Figura 8: elevação do terreno Google Earth

O ponto de fornecimento (Hospital Santa Juliana) é um edifício de 5 m de altura e se encontra numa elevação de 160 m em relação ao nível do mar. A elevação do ponto repetidor é 167m. Como ponto de partida para concepção do projeto, serão utilizadas antenas a 10 m de altura da cobertura de cada edifício.

Utilizando agora o software LINKPlanner, é possível visualizar a Zona de Fresnel para este sistema. A figura 6 mostra o que foi obtido.

visualizar a Zona de Fresnel para este sistema. A figura 6 mostra o que foi obtido.

Figura 9: Zona de Fresnel- LINKPlanner

Por ser uma região central, há alguns edifícios situados no trajeto marcado que devem ser analisados quanto às suas interferências na comunicação entre esses dois pontos. Analisando o caminho no Google Earth foi verificada a existência de um edifício comercial de 4 andares situado a 1 km do ponto fornecedor (latitude 9°57'51.17"S, longitude 67°48'46.34"O) de internet que pode ser simulado no LINKPlanner como um obstáculo gume de faca. Sua altura é estimada em 10 m (Figura 8).

gume de faca. Sua altura é estimada em 10 m (Figura 8). Figura 10: Localização do

Figura 10: Localização do prédio obstáculo- Google Earth

Figura 10: Localização do prédio obstáculo- Google Earth Figura 11: Obstáculo Gume de faca O caminho

Figura 11: Obstáculo Gume de faca

O caminho entre o ponto receptor e o repetidor (120 m) é mostrado na figura 9. Entre eles não há quaisquer edificações que possam se comportar como obstáculos gume de faca.

Figura 12: trajeto entre o receptor e o repetidor- Google Earth 3.2 REQUISITOS DE SISTEMA

Figura 12: trajeto entre o receptor e o repetidor- Google Earth

3.2 REQUISITOS DE SISTEMA

As zonas de Fresnel serão importantes para determinar a altura das antenas que deverão ser utilizadas no projeto, observando sempre a dimensão dos gumes de faca que estão localizados entre o emissor e o receptor do sinal. Foi analisada esta característica para as frequências de 2.4 GHz e 5.8 GHz por serem frequências que não necessitam da regulamentações da Anatel.

3.2.1 EM 5.8 GHz

Quanto trajeto que liga o emissor à estação repetidora foram utilizados como proposta inicial do software, torres de 10 em cada ponto. O trajeto é mostrado na figura 13 Da fórmula da Zona de Fresnel temos para a primeira e segunda:

Zona de Fresnel

Raio

n=1

4,6 m

n=2

6,5 m

Tabela 4: Zonas de Fresnel para o trajeto emissor-repetidor em 5,8 GHz

Figura 13: Obstáculo Gume de faca no trajeto emissor-repetidor em 5.8 Ghz Observa-se que com

Figura 13: Obstáculo Gume de faca no trajeto emissor-repetidor em 5.8 Ghz

Observa-se que com a altura das antenas em 10 m, como pré-estabelecido, o obstáculo não causa nenhuma atenuação à transmissão do sinal.

No trecho repetidor-receptor não temos nenhum tipo de obstáculo gume-de-faca então será feito o cálculo dos raios das zonas de Fresnel apenas para estipular uma altura adequada às antenas. Repetindo o mesmo processo pro trecho anterior, temos:

Zona de Fresnel

Raio

n=1

1,2 m

n=2

1,7 m

Tabela 5: Zonas de Fresnel para o trajeto emissor-repetidor em 5,8 GHz

Como no trajeto entre esses dois pontos não há vegetação de grande porte, edificações ou qualquer outro objeto que possa se comportar como um gume-de-faca, a região onde acontece o raio máximo é de circulação predominante de pedestres, podemos utilizar a antena receptora numa torre de 7 m de altura.

podemos utilizar a antena receptora numa torre de 7 m de altura. Figura 14: Trajeto repetidor-receptor

Figura 14: Trajeto repetidor-receptor em 5.8 Ghz

3.2.2 EM 2.4 GHz

Foi repetido o mesmo processo anterior para cálculo dos raios das primeira e segunda zona de Fresnel, agora na frequência de 2.4 GHz:

No trecho emissor-repetidor temos:

Zona de Fresnel

Raio

n=1

7,1 m

n=2

9,3 m

Tabela 6: Zonas de Fresnel para o trajeto emissor-repetidor em 2,4 GHz

Zonas de Fresnel para o trajeto emissor-repetidor em 2,4 GHz Figura 15: Obstáculo Gume de faca

Figura 15: Obstáculo Gume de faca no trajeto emissor-repetidor em 2,4 Ghz

E agora no trecho repetidor-receptor:

Zona de Fresnel

Raio

n=1

1,9 m

n=2

2,7 m

Tabela 6: Zonas de Fresnel para o trajeto repetidor-receptor em 2,4 GHz

m Tabela 6: Zonas de Fresnel para o trajeto repetidor-receptor em 2,4 GHz Figura 14: Trajeto

Figura 14: Trajeto repetidor-receptor em 2.4 Ghz

Como é possível observar através do cálculo do raio das zonas de Fresnel e as imagens obtidas através do LinkPLANNER, podemos fazer as mesmas considerações que para a frequência de 5.8 GHz.

3.3 ATENUAÇÃO NO ESPAÇO LIVRE

A atenuação no espaço livre é dado pela seguinte relação:

A0 = 32,5 + 20 log(d) + 20 log (f)

onde d é a distância do enlace dada em km, e f a frequência em MHz e A 0 é a atenuação em espaço livre dada em dB. Agora utilizaremos a fórmula dada para calcular o valor da atenuação em espaço livre entre o emissor-repetidor e repetidor-receptor para cada uma das frequências.

Trecho

Frequência

2,4 GHz

5,8GHz

Atenuação no Emissor-repetidor

104,2 dB

112,3

Atenuação no Repetidor-receptor

81,6 dB

89,35

Tabela 7: Atenuações em espaço-livre nos trechos emissor-repetidor-receptor para cada frequência de projeto.

3

IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO

Após

os

cálculos

das

visadas o próximo passo a tomar foi construir a

estrutura física responsável pelo suporte das antenas. Foi seguindo o mesmo tamanho que foi dimensionado através das zonas de Fresnel que as torres foram dimensionadas. Tal qual foi proposto pelo professor, nos próximos parágrafos serão apresentadas 3 diferentes formas de realizar a conexão do rádio enlace.

Para a construção do rádio enlace, deverão ser utilizados diversos componentes para que a conexão se dê de forma satisfatória. Com o objetivo de gerar eficiência e baixo custo, serão apresentados kits para a maior frequência, capazes de realizar a conexão entre as

estruturas apresentadas. Os kits trazem diversas facilidades, e eliminam diversos problemas relacionados ao casamento de impedância.

3.1 PRIMEIRA PROPOSTA- RÁDIO ENLACE EM 2,4 GHz

Serão expostos aqui os aspectos técnicos e financeiros para implementação do sistema de rádio nessa frequência.

A primeira proposta consta de 1 antena AG-HP-2G20 2.4 Ghz 20 dbi no ponto emissor e outra no receptor. A estação repetidora conta com duas unidades desta para compor o redirecionamento do sinal.

duas unidades desta para compor o redirecionamento do sinal. Figura 14: Antenas AG-HP-2G20 Durante a instalação

Figura 14: Antenas AG-HP-2G20

Durante a instalação da antena deve-se direcioná-la para o local onde queremos enviar o sinal, haja visto que a diretividade é um fator importante e deve ser levado em consideração.

As características técnicas de cada elemento utilizado no sistema de rádio enlace está em anexo. O orçamento para estra proposta ficou da seguinte forma:

Quantidade

Item

Preço individual

Total

2

Kit 1- Air Grid M2 Hp 20 Dbi 2.4ghz Antena Integrada com Fonte Poe

R$ 965,00

R$ 1930,00

2

Torre de Telecomunicação estaiada de 10 metros com parafusos

R$ 1992,00

R$ 3984,00

1

Torre de telecomuniações estaiada de 7 m com parafusos

R$ 728,00

R$ 728,00

 

Total da proposta

R$ 6642,00

Característica dos equipamentos em Anexo.

 

Como mostra a figura 15, para esta proposta temos um desempenho de até 84 Mbps;

15, para esta proposta temos um desempenho de até 84 Mbps; Figura 15: desempenho. Fonte: LINKPlanner

Figura 15: desempenho. Fonte: LINKPlanner

3.2 SEGUNDA PROPOSTA- RÁDIO ENLACE EM 5,4 GHz

Para esta proposta foram usados 2 kits de rádio enlace na mesma configuração

utilizada na proposta anterior, com duas antenas na estação repetidora para fazer o

redirecionamento do sinal. O orçamento ficou da seguinte forma:

Quantidade

Item

Preço individual

Total

2

Kit 5 Ubiquiti Antena Airgride 5.8 M5 23dbi

R$ 1699,00

R$ 3398,00

2

Torre de Telecomunicação estaiada de 10 metros com parafusos

R$ 1992,00

R$ 3984,00

1

Torre de telecomuniações estaiada de 7 m com parafusos

R$ 728,00

R$ 728,00

 

Total da proposta

R$ 8110,00

E, segundo o LINKPlanner, com esta configuração, conseguimos uma taxa de

transmissão de até 84 Mbps.

conseguimos uma taxa de transmissão de até 84 Mbps. Figura 16: desempenho. Fonte: LINKPlanner 3.3 TERCEIRA

Figura 16: desempenho. Fonte: LINKPlanner

3.3 TERCEIRA PROPOSTA- RÁDIO ENLACE EM 5,4 GHz

Para a terceira proposta, foi selecionado um KIT alternativo de rádio enlace na

frequência de 5.8 GHz. O trajeto continua sendo emissor-repetidor-receptor, com duas

antenas a estação repetidora. O orçamento para esta proposta fica da seguinte forma:

Quantidade

Item

Preço individual

Total

2

Enlace Completo 5.8ghz Mikrotik Ac + Ant.30dbi Dupla Pol.

R$ 1800,00

R$ 3600,00

2

Torre de Telecomunicação estaiada de 10 metros com parafusos

R$ 1992,00

R$ 3984,00

1

Torre de telecomuniações estaiada de 7 m com parafusos

R$ 728,00

R$ 728,00

 

Total da proposta

R$ 8312,00

A capacidade de transmissão não se alterou significativamente para esta proposta,

segundo software utilizado para desenvolvimento do projeto.

3.4 PROPOSTA RECOMENDADA

A proposta a ser recomentada ao contratante é a primeira delas. Com a

performance das três estimada em taxas de transmissão bem aproximadas, o quesito levado

em consideração na escolha foi realmente o custo, já que cada unidade conectada ao sistema

deverá arcar com seus equipamentos. Por haver também instituições públicas ligadas a ele,

o fator custo se torna ainda mais relevante. Com uma performance de 84 Mbps consegue-se

estabelecer uma comunicação em um nível aceitável para os fins propostos.

4

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Durante a elaboração deste projeto de rádio enlace pode-se perceber que a elaboração de um sistema deste tipo não é tarefa simples. Apesar de termos trabalhado em um projeto para fins acadêmicos, algumas dificuldades foram encontradas como encontrar o preço de alguns equipamentos ou projetar o sistema utilizando um programa desconhecido até então. Para uma aplicação real, todos esses problemas são acentuados pois necessita-se de uma maior acurácia em todas as etapas de projeto. Em geral, o trabalho foi bem executado, respeitando todos os quesitos estabelecidos no roteiro. De acordo com as propostas, a implementação deste sistema de rádio enlace tem alto custo, contudo, este fato deve ser compensado pelas várias vantagens trazidas às instituições interligadas a ele.

5 REFERÊNCIAS

[1]

Sistemas

de

Rádio

Enlace.

Disponível

em

:<http://penta2.ufrgs.br/Eunice/r_enlac.html>. Acesso: 20 de Mar de 2016.

[2]

Rádio

Digital:

O

que

é?

Disponível

em:

<http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialrdig/pagina_1.asp>. Acesso: 22 de Mar de 2016.

em:

<http://www.novanetwork.com.br/suporte/calculos/fresnel.php>. Acesso em: 22 de Mar de

2016.

<http://www.vianet.com.br/telecom/radio-

enlace. Acesso em 22 de Mar de 2016.

(SUS)

Enlace

2016.

[7] Conselho brasileiro de Telemedicina Portal <http://www.cbtms.org.br/> Acesso em 22 de Mar de 2016.

[8] O que é telemedicina <http://www2.unifesp.br/set/o-que-eh-telemedicina> Acesso em 22 de Mar de 2016.

[9] [Wakefield, 2004] Wakefield, B.J., Holman, J.E., Ray, A., Morse, J., Kienzle, M.G. (2004), “Nurse and patient communication via low-Introduction and high-

bandwidth home telecare systems”, In: Jour-nal of Telemedicine and Telecare, v. 10, n. 3,

p.

156-159.

[3]

Zona

de

Fresnel.

Disponível

[4]

[5]

Rádio

Lei

Enlace.

8.080,

Disponível

de

em

19/09/1990:

Sistema

Único

de

Saúde

[6]

Radio

Digital:

o

[10] [Moser, 2004] Moser, P. L., Hauffe, H., Lorenz, I.H., Hager, M., Tiefenthaler, W., Lorenz, H.M., Mikuz, G., Soegner, P., Kolbitsch, C. (2004), “Publication output in telemedicine during the period January 1964 to July 2003”, In: Journal of Telemedicine

and Telecare,

7277.

v.

10,

n.

3,

p.

[11] [Youngberry, 2004] Youngberry K. (2004), “Letters to the Editor: Telemedicine

research and MEDLINE”, In: Journal of Telemedicine and Telecare , v. 10, n. 3, p. 121-

123.

5

ANEXOS

Característica dos equipamentos

1 Kit proposta 2.4 GHz

AG -HP- 2G20 : Ubiquiti AIRMAX AirGrid M- Series dupla polarização grade antena 20dBi 2.4GHz

-Apresenta Processador: Atheros MIPS 24KC , 400 MHz

- Memória: 32MB SDRAM , 8MB flash

Interface de Rede : 1 X 10/100 Base -TX (Cat. 5, RJ-45) Interface Ethernet

Wireless- Certificação: FCC Part 15.247 , IC RS210 , CE

- Certificacão ROHS : SIM

Tecnologia versátil da Ubiquiti permite alto desempenho, redes multi-ponto ao ar livre. airos fornece recursos como configurações sem fio, configuração de ponte ou roteamento e serviços de gerenciamento do sistema.

Descrição:

Specifications AG-HP-2G20 Dimensions 620 x 460 x 390 mm

Peso 2,603 g

Rede Interface (1) 10/100 Ethernet Porto recinto ao ar livre UV estabilizado plástico

Frequência 2412 - 2462 MHz Ganho 20 dBi Potência de saída 28 dBm Max.

Consumo de energia 3,0 W Fonte de alimentação 24V, 0.5A Adaptador PoE

Método de alimentação Passive Power over Ethernet

Taxa De Transferência: 100+ Mbps

Alcance: 20+ Km

2

Kit proposta 5.8 Ghz (I)

- CPU: Atheros 400MHZ

- Memórias: 32MB RAM / 8MB FLASH

- Padrão de Freqüência: 5GHz, 802.11a

- Divisão de Canais: 5/10/20/40MHz

- Ganho: 23dBi

Potencia : 320mw (25dBm)

- Polarização: Adaptive Vertical/Horizontal

- Throughtput: até 100Mbps TCP/IP

- Montagem: Fixação em haste de 1" (abraçadeiras incluídas)

- Medidas da Antena: 11 x 14" (aprox. 27,94x35,56cm)

- Peso: 3Kgs

- Método de Alimentação: Fonte POE (incluso)

3

Kit proposta 5.8 Ghz (II)

- Antenas Aquario 30dbi dupla polarização

- Mikrotik Routerboard 911g-5hpacd-n

- Pigtails

- PoE Gigabi

4

Torre para telecomunicações

Torre estaiada leve - Projeto Estrutural : Torre estaiada com altura de 10 metros para

receber antenas de internet com area de até 1.00 m2 V=5 KG, H=150 KG, VENTO VO=30

M/S = 108K/h. Perfis galvanizados. Pintura epoxi. Peso 305Kg. Estaios cabo de aço 7

arames 4mm .

ESTRUTURA Colunas: Em chapa galvanizada de 2mm. Diagonais: : Em chapa galvanizada de 2mm. Secção Transversal: Triangular.

MODULAÇÃO 2m em 2m, com módulos parafusados, unidos entre si por meio de parafusos e porcas.

BASE :

1m altura x 0,50m x 0.50 m , usando primeiro modulo para base de concreto.

ACABAMENTO Torre Galvanizada C / Pintura EPOXI : pintura com o revestimento em pó com aplicação em pistola eletrostatica a 220°C. são tintas de ótima resistência à umidade, imersão em água

.

doce

ou

salgada

NORMAS APLICADAS

Os projetos baseiam-se nas Normas: 14762, 6118, 6123 e 8681. Prática Telebrás 240-410-

600

MATERIAIS CONSTANTE NO ANUNCIO:

10 METROS DE TORRE ESTAIADA

180 PARAFUSOS DE AÇO INOX 304 COM PORCAS