Você está na página 1de 2

12.

ANO | PORTUGUS
FICHA DE TRABALHO N. 04 | FERNANDO PESSOA: ORTNIMO E HETERNIMOS
EXERCCIOS DE PORTUGUS, PORTUGUS 12. ANO, PORTO EDITORA

sino da minha aldeia


sino da minha aldeia,
Dolente na tarde calma,
Cada tua badalada
Soa dentro da minha alma.
E to lento o teu soar,
To como triste da vida,
Que j a primeira pancada
Tem o som de repetida.
Por mais que me tanjas perto
Quando passo, sempre errante,
s para mim como um sonho.
Soas-me na alma distante.
A cada pancada tua
Vibrante no cu aberto,
Sinto mais longe o passado,
Sinto a saudade mais perto.
[1913]
Fernando Pessoa, In Poesia (Ortnimo),
Col. Mundo das letras, Porto editora, 2007

1. A musicalidade e o ritmo do texto obtm-se, sobretudo, pela existncia de certas


particularidades a nvel fnico.
1.1. Completa o quadro com exemplos retirados do texto e de acordo com as indicaes.
a. Alternncia
sons
abertos/sons
fechados
b. Sons nasais
c. Predominncia
de
consoantes
surdas

Academia EduScience, Lda.


Av. Jos Jlio, n 63 CV 4560-547 Penafiel

Pgina 1

academiaeduscience@gmail.com
Telef.: 255 713 714 - Telem.: 924 274 220

d.
e.
f.
g.
h.

Repeties anafricas
Aliterao
Nmero de slabas mtricas
Rima
Tipo de estrofe

2. Atenta no segmento: To como triste da vida (v. 6).


Sintaticamente, este verso apresenta uma estrutura agramatical.
2.1. Justifica a afirmao.
2.2. Comenta o efeito potico dessa estrutura.
3. Repara no verso: Quando passo, sempre errante (v. 10).
3.1. Relaciona o sentido do verso citado com a temtica desenvolvida no poema.
3.2. Identifica a funo sinttica da expresso sempre errante.
4. Num texto de 80 a 120 palavras, explicita a importncia da temtica da infncia perdida,
para Fernando Pessoa Ortnimo.
Fundamenta a tua posio, tendo em conta os poemas mencionados nas notas de leitura
ao lado do texto.

Academia EduScience, Lda.


Av. Jos Jlio, n 63 CV 4560-547 Penafiel

Pgina 2

academiaeduscience@gmail.com
Telef.: 255 713 714 - Telem.: 924 274 220