Você está na página 1de 14

ATUALIZAÇÃO DE FERIDAS

EM

ATUALIZAÇÃO DE FERIDAS EM TRATAMENTO 2. PELE: MAIOR CORPO ÓRGÃO DO  APRESENTAÇÃO  Definição: A

TRATAMENTO

2.

PELE:

MAIOR

CORPO

ÓRGÃO

DO

APRESENTAÇÃO

Definição: A pele ou cútis é o manto de revestimento do organismo, indispensável à vida e que isola os componentes orgânicos do meio externo. A pele apresenta grandes variações ao longo de sua extensão, sendo ora mais elástica e flexível, ora mais rígida. Anatomia e Fisiologia: A transição da vida embrionária para a vida fetal ocorre no final do segundo mês do primeiro trimestre. Este ponto é definido pelo início do funcionamento da medula óssea e da estratificação da epiderme, que deixa de possuir apenas duas camadas (basal e epiderme), para apresentar também camadas intermediárias. Camadas da pele:

O tratamento de feridas é um assunto

importante no cotidiano da enfermagem. À

medida que a medicina avança os cuidados

no tratamento das feridas também evoluem.

Portanto, faze-se necessário a compreensão

do processo de cicatrização visto à vasta

gama de opções disponíveis para o tratamento das feridas.  1.2. Objetivos Atualizar o profissional
gama de opções disponíveis para o
tratamento das feridas.
1.2.
Objetivos
Atualizar o profissional de enfermagem
acerca do tratamento de feridas.
Explicar a fisiologia normal permitindo que
a (o) enfermeira (o) reconheça o anômalo.
Favorecer o reconhecimento dos estágios da
cicatrização permitindo selecionar o curativo
adequado.
Esclarecer dúvidas a cerca dos produtos mais
utilizado no tratamento de feridas.
• Epiderme:
é
um
epitélio
1.3.
Premissas
estratificado pavimentoso
queratinizado de origem ectodérmica.
Composta por cinco camadas:
-

Cada conduta é específica para cada cliente no tratamento de feridas. Devemos sempre fazer, juntamente com o médico, um estudo das causas da lesão. Quem cicatriza uma ferida é o organismo, uma lesão irrigada, sem infecção e sem edema cura-se naturalmente. Depois de cicatrizada uma lesão, o paciente necessita continuar o tratamento daquilo que levou àquela lesão. Sempre devemos pensar no lado estético da cicatrização

Camada Basal: É também chamada germinativa, apresenta intensa atividade mitótica, sendo responsável pela constante renovação da epiderme. Forma uma membrana que separa a epiderme da derme.

- Camada Espinhosa: Suas células possuem ramificações que saem do citoplasma. Possui tonofibrilas e desmossomas que tem função de na manutenção da coesão das células da epiderme e consequentemente na sua resistência ao atrito. Quanto maior a exposição ao atrito maior será esta camada.

1

resistência ao atrito. Quanto maior a exposição ao atrito maior será esta camada. www.enfermagemadistancia.com.br 1
- Camada granulosa: Célula em cujo citoplasma são observados os grânulos grosseiros e basófilos (grânulos

- Camada granulosa: Célula em cujo citoplasma são observados os grânulos grosseiros e basófilos (grânulos de querato-hialina que vão contribuir para a constituição do material interfilamento da camada córnea.

- Camada Lúcida: Células achatadas, hialinas e eosinófilos, cujo núcleo e organelas desapareceram. O citoplasma consiste em numerosos filamentos compactados e envolvidos por material elétron denso. Ainda se podem ver desmossomas entre as células. Camada Córnea: Constituída por células achatadas mortas e sem núcleo. Citoplasma com grande quantidade de substancias córnea, uma escleroproteína chamada queratina.

derme aos órgãos subjacentes. A hipoderme poderá ter uma camada variável de tecido adiposo, dependendo da região e nutrição, formando uma camada chamada Panículo Adiposo o mesmo proporciona isolamento térmico, com isso confere proteção contra o frio.

Funções Vitais da pele

Proteção: barreira Proteção: frio, calor, radiação Proteção: pressão, fricção e traumas. Proteção: contra
Proteção: barreira
Proteção: frio, calor, radiação
Proteção: pressão, fricção e traumas.
Proteção: contra substâncias químicas.
Proteção: contra penetração de germes,
sobremodo a formação do manto ácido
protetor.
Proteção: contra a perda de calor.
A importância da preservação da pele:
• Derme: É o tecido conjuntivo sobre o
qual se apóia a epiderme. Espessura
máxima de 3 mm na região plantar.
Preservar a integridade da pele é um fator
importante para a enfermagem ao longo da
estadia do paciente, sendo ainda mais
significativo, pois está é uma barreira natural
contra a entrada de microorganismos. O
• Camada Papilar: Delgada, constituída profissional deve está atento aos riscos de
desenvolvimento de traumas e rupturas da
barreira da pele, decorrentes de cuidados
rotineiros como banho, desinfecção da pele e
remoção de adesivos.
3.
CARACTERIZAÇÃO
DAS

por tecido conjuntivo frouxo, ela penetra nas papilas dérmicas. Nesta camada foram descritas fibrilas especiais de colágeno, que se inserem na membrana basal e penetra profundamente na derme com a função de prender a derme a epiderme.

Camada Reticular: Mais espessa constituída por tecido conjuntivo denso. Apresenta menos células e fibras colágenas mais abundantes e espessas do que a camada papilar.

FERIDAS

Definição de Ferida

Toda e qualquer ruptura da integridade de

um tecido ou órgão, podendo atingir desde a

epiderme até estruturas mais profundas como fáscias, músculos e órgãos cavitários.

Hipoderme (camada subcutánea): É formada por tecido conjuntivo frouxo que une de maneira pouco firme a

2

subcutánea): É formada por tecido conjuntivo frouxo que une de maneira pouco firme a 2 www.enfermagemadistancia.com.br
 Classificação de Feridas de acordo com a Etiologia • Agudas: incisões cirúrgicas, traumas, térmicas

Classificação de Feridas de acordo com a Etiologia

Agudas: incisões cirúrgicas, traumas, térmicas e infecciosas.

Crônicas:

- Feridas ulcerativas (úlcera por pressão)

- Enfermidades dermatológicas (psoríase)

Drenantes: fístulas, drenos e estomas.

- Granulada: formação de tecido novo (angiogênese) e matriz do colágeno.

- Epitelizada: formação e migração de células epiteliais sobre a superfície durante o processo de cicatrização.

Classificação de Feridas: Presença ou Ausência do Exsudato (Aspecto)

Exsudato fibrinoso: passagem de proteínas plasmática pela parede do vaso.

 Classificação de Feridas quanto ao rompimento das Estruturas • Abertas: sem aproximação de bordas.
 Classificação de Feridas quanto ao
rompimento das Estruturas
• Abertas: sem aproximação de
bordas.
 Fibrina: é uma proteína insolúvel, que
se forma durante o processo de
coagulação. Na ferida se apresenta
aderida aos tecidos e tem cor
esbranquiçada ou amarelada.
• Fechadas: com aproximação e sutura
de bordas
 Padrões Mistos: serosanguinolento,
seropurulento, serofibrinoso e
fibrinopurulento.
 Classificação
de
Feridas
 Coloração: Esbranquiçada, amarelada
e esverdeada.
quanto
à
Profundidade:
 Odor: Inodoro, fétido e pútrido.
Comprometimento Estrutural
 Derivados de fístulas: biliar, entérica,
urinária, pancreática e fecalóide.
• Superficial: até a derme
• Profunda Superficial: até o
subcutâneo
 Formato e Tamanho da Ferida
• Profunda Total: músculo e
estruturas adjacentes
 Classificação geral de Feridas

Feridas Abertas que cicatrizam por 2ª intenção, são classificadas segundo aparência em:

- Necrótica: presença de placa necrótica dura (escara) ou tecida necrosado.

- Infectada: presença de processo inflamatório e exsudação supurativa

- Com crosta: exsudação que solidificou.

O formato e tamanho da ferida podem mudar durante o processo de cicatrização. No início quando retiram os tecidos necróticos e/ou desvitalizado, a ferida parece aumentar de tamanho. Isso ocorre porque a dimensão real da ferida era mascarada pelo tecido necrótico. É importante realizar a monitorização do formato e tamanho da ferida para definir o curativo ideal.

Localização da Ferida

No exame físico do paciente se identifica a localização da ferida e evidenciam-se áreas

3

exame físico do paciente se identifica a localização da ferida e evidenciam-se áreas 3 www.enfermagemadistancia.com.br
com grandes possibilidades para contaminação, por exemplo, em região sacra.  Aparência da Ferida A

com grandes possibilidades para contaminação, por exemplo, em região sacra.

Aparência da Ferida

A aparência da ferida está relacionada com a etapa de cicatrização ou com uma complicação. As feridas abertas podem ser classificadas como: necróticas, infectadas, com crosta, granuladas e epitelizadas. Ressalta-se que algumas feridas podem pertencer a mais de uma categoria denominada ferida mista.

Epitelização: Trata-se da fase em que a ferida é coberta por células epiteliais. Nas feridas fechadas essa fase começa logo no segundo dia. No entanto, nas feridas abertas, é necessário que a cavidade da ferida seja preenchida com tecido de granulação antes da epitelização poder começar.

Maturação: Durante a fase da

maturação, a ferida se torna menos vascularizada. As fibras de colágeno são reorganizadas de forma que formam ângulos com as margens da ferida. O tecido da cicatriz presente é remodelado e lentamente fica igual

4. FISIOLOGIA DA CICATRIZAÇÃO ao tecido normal. O processo de cicatrização de feridas é composto
4.
FISIOLOGIA
DA
CICATRIZAÇÃO
ao tecido normal.
O processo de cicatrização de feridas é
composto por várias etapas tais como:
 Tipos de Cicatrização
inflamação, reconstrução, epitelização e
maturação.
• Inflação: A reação inflamatória é uma
reação local não-especificada a danos
no tecido e/ou invasão bacteriana. Ela
é uma parte importante dos
mecanismos de defesa do corpo e é a
parte fundamental no processo de
cicatrização. Os sinais de infamação
são: dor, rubor, calor e edema. Esta
etapa dura de quatro a cinco dias e
requer recursos energéticos e
nutricionais.
Dependendo da maneira com foi produzida a
lesão, podemos classificar o processo
cicatricial em:
• Cicatrização por primeira intenção:
Ocorre quando há perda mínima de
tecido e as bordas são passiveis de
ajuste por sutura. Neste tipo de lesão
o curativo e utilizado apenas para
proteção não havendo necessidade de
manutenção do meio úmido. O
curativo pode ser removido ate apos
48 horas.

Reconstrução: Nesta fase o oxigênio tecidual estimula os macrófagos para criar fatores de angiogênese que instiga o processo de angiogênese. Os capilares não danificados estimulam a germinação de células que crescem na direção da superfície formando uma rede dentro da ferida fornecendo nutrientes e oxigênio (tecido de granulação).

Cicatrização por segunda intenção:

Ocorre quando há perda acentuada do tecido e não há possibilidade de

fechamento dos bordos. O tempo de cicatrização será invariavelmente superior e o curativo deve ser

utilizado com tratamento da lesão, havendo necessidade de manutenção

do meio úmido.

Cicatrização por terceira intenção ou mista: Ocorre quando há fatores que

4

• Cicatrização por terceira intenção ou mista: Ocorre quando há fatores que 4 www.enfermagemadistancia.com.br
retardam o processo cicatricial por primeira intenção e há necessidade de deixar a lesão aberta

retardam o processo cicatricial por primeira intenção e há necessidade de deixar a lesão aberta para drenagem ou para debelar uma Infecção. Posterior ao tratamento a lesão poderá ser fechada por primeira intenção.

TRATAMENTO DE PACIENTES COM FERIDAS

6.

O

CICATRIZAÇÃO

AMBIENTE

IDEAL

PARA

Atualmente, há uma vasta gama de curativos utilizados no tratamento de feridas no mercado. Esses curativos foram elaborados para ter um efeito funcional possuindo algumas características tais como: manter a alta umidade da interface ferida/curativo, permitir trocas gasosas, remover o excesso de exsudato, impermeável a bactéria, fornecer isolamento pérvio, ser isento de partículas e tóxicos contaminadores das feridas e permitir sua remoção sem causar trauma na ferida.

5.

Na assistência ao paciente portador de feridas se faz necessário uma abordagem holística, com um
Na assistência ao paciente portador de
feridas se faz necessário uma abordagem
holística, com um levantamento do histórico
do paciente e a avaliação das condições
atuais, incluindo o físico, psicológico e o
espiritual.
 Dentre os cuidados físicos estão
• Idade
• Estado Nutricional
• Patologias de base: diabetes,
hipertensão arterial, dislipidemia
Manter a umidade da ferida: Deve-se
manter o leito da ferida úmido,
permitindo assim que as células
epiteliais deslizem pela superfície da
ferida. Portanto na limpeza das
feridas abertas, não há a necessidade
de secar a superfície da ferida. Deve-
se
secar a pela ao redor da ferida para
• Infecções
• Mobilidade no leito
• Duração da internação hospitalar
• Incontinência urinária
• Higiene
 Dentre os cuidados psicológicos estão
• Medo
• Estresse
• Impotência
ajudar manter o novo curativo fixado.
Retirar o excesso de exsudato: O
curativo deve ter um pouco de
absorvência. Em algumas situações
serão necessários a utilização de
curativo secundário.
Permitir trocas gasosas: A hipóxia do
tecido é fundamental para estimular a
angiogênese na ferida em processo de
cicatrização. Pois, a falta de oxigênio
estimula o crescimento de arcos
capilares na ferida que trazem

Cuidados espirituais

A espiritualidade tem conceitos divergentes no campo da saúde. Todavia ela pode ser compreendida com um sentido dentro de nós que responde a realidades infinitas da vida.

oxigênio com eles.

Isolamento térmico: Pesquisas

evidenciaram que leva três horas para

a atividade mitótica retornar a sua velocidade normal. Portanto, as feridas não devem ser limpas com soluções frias e sim mornas.

5

normal. Portanto, as feridas não devem ser limpas com soluções frias e sim mornas. www.enfermagemadistancia.com.br 5
 Impermeável à bactéria: um dos objetivos do curativo é criar uma barreira entre a

Impermeável à bactéria: um dos objetivos do curativo é criar uma barreira entre a ferida e o ambiente.
Isento de partículas e tóxicos contaminadores de feridas: AS partículas prolongam a reação inflamatória afetando a velocidade da cicatrização.
Retirar sem traumas: a utilização de curativos secos diretamente na superfície da ferida é a causa principal de trauma.

Atualmente, a solução mais utilizada para limpeza da ferida é o soro fisiológico 0,9%.

Alginatos

São sais de polímero natural acido algínico derivado de algas marinhas marrons. Estes curativos apresentam-se em embalagens individuais estéreis.

7. CURATIVOS Por definição, curativo é todo material colocado diretamente por sobre uma ferida, cujos
7. CURATIVOS
Por definição, curativo é todo material
colocado diretamente por sobre uma ferida,
cujos objetivos são: evitar a contaminação de
feridas limpas; facilitar a cicatrização;
reduzir a infecção nas lesões contaminadas;
absorver secreções, facilitar a drenagem de
secreções, promoverem a hemostasia com os
curativos compressivos, manter o contato de
medicamentos junto à ferida e promover
conforto ao paciente.
Os curativos podem ser abertos ou fechados,
sendo que os fechados ou oclusivos são
subdivididos em úmidos e secos. Os
curativos úmidos têm por finalidade: reduzir
• Mecanismo de ação: o sódio presente
no exsudato e no sangue interage
com o cálcio presente no curativo
promovendo uma troca iônica que
auxilia no desbridamento autolítico,
tem alta capacidade de absorção e
resulta na formação de um gel que
mantêm o meio úmido para
cicatrização.
• Indicações: feridas abertas altamente
exsudativas com ou sem infecção e
lesões cavitárias com necessidade de
estimulo rápido de do tecido de
granulação.
• Contra-indicações: lesões por
queimaduras ou lesões superficiais e
feridas sem ou com pouca exsudação.
o processo inflamatório por vaso-
 Papaína
constricção; limpar a pele dos exsudatos,
crostas e escamas; manter a drenagem das
áreas infectadas e promover a cicatrização
É uma enzima proteolítica extraída do látex
da caricapapaya.

pela facilitação do movimento das células.

8. PRODUTOS MAIS UTILIZADOS NO TRATAMENTO DAS FERIDAS

As

soluções

curativos são:

mais

utilizadas

nos

Soro fisiológico para limpeza e como emoliente;

Indicação: em todo tecido necrótico, particularmente naqueles com crosta.

Mecanismo de ação: ação antiinflamatória, bactericida e cicatricial; atua como desbridante.

Modo de usar: preparar a solução em frasco de vidro, irrigar a lesão e deixar gaze embebida na solução.

Observações: a diluição é feita de acordo com a ferida: 10% em tecido

6

• Observações: a diluição é feita de acordo com a ferida: 10% em tecido 6 www.enfermagemadistancia.com.br
necrosado, 6% nas com exsudato purulento e 2% naquelas com pouco exsudato.  Hidrocolóide possui

necrosado, 6% nas com exsudato purulento e 2% naquelas com pouco exsudato.

Hidrocolóide

possui capacidade de modificar reações inflamatórias e imunológicas, alterando funções leucocitárias e acelerando o processo de granulação tecidual.

Partículas hidroativas em polímero inerte

Ácidos

graxos

essenciais,

lipídios

impermeável.

insaturados ricos em ácido linoléico

Indicação: lesões não infectadas com

ou sem exsudato, áreas doadoras e

Indicação: todos os tipos de lesões,

incisões cirúrgicas.

infectadas

ou

não,

desde

que

• Mecanismo de ação: promove desbridadas previamente. barreira protetora, isolamento térmico, meio úmido,
• Mecanismo de ação: promove
desbridadas previamente.
barreira protetora, isolamento
térmico, meio úmido, prevenindo o
ressecamento, desbridamento
autolítico, granulação e epitelização.
Mecanismo
de
ação:
promove
• Modo de usar: irrigar a lesão com
soro fisiológico, secar as bordas e
aplicar hidrocolóide e fixar o curativo
à pele.
quimiotaxia para leucócitos, facilita a
entrada de fatores de crescimento nas
células, promove proliferação e
mitose celular, acelerando as fases da
cicatrização.
• Observações: não deve ser utilizado
para feridas infectadas.
Modo de usar: irrigar a lesão com
soro fisiológico, aplicar AGE por
toda a área da ferida e cobrir.
Observações: não é agente
desbridante,
porém
estimula
o
 Ácidos Graxos Essenciais (AGEs)
desbridamento autolítico.
São óleos derivados dos vegetais poli-
insaturados. A composição do produto
comercializado para o tratamento de feridas
e: Acido Linoléico, Acido Caprilíco, Ácido
Capríco, Vitaminas 'A' e 'E' e Lecitina de
Soja.
Curativo de Carvão Ativado
Uma cobertura estéril para ferimentos, de
baixa aderência, envolto por uma camada de
tecido selado em toda sua extensão, com uma
almofada impregnada por carvão ativado e
prata a 0,15%.

Indicações: Prevenção e tratamento de ulceras de pressão e tratamento de lesões abertas com ou sem infecção.

Contra-Indicações: Lesões com necrose tecidual sem desbridamento.

Mecanismo de ação: Os AGEs possuem ação quimiotática. São precursores de substancias farmacologicamente ativas envolvidas no processo de divisão celular e diferenciação epidérmica (tromboxanes e prostaglandinas- e

Mecanismo de Ação: o carvão

ativado adsorve o exsudato e filtra o odor enquanto a prata exerce poder bactericida local pela liberação de prata.

Contra-Indicações: Não deve ser utilizado em queimaduras, pois a prata pode provocar dor. O curativo não deve ser cortado para não ocorrer liberação do carvão ativado na lesão.

7

não deve ser cortado para não ocorrer liberação do carvão ativado na lesão. 7 www.enfermagemadistancia.com.br
 Sulfadiazina de Prata É um composto solúvel e com ação adstringente derivado de sais

Sulfadiazina de Prata

É um composto solúvel e com ação adstringente derivado de sais de prata com propriedades anti-séptica local.

Mecanismo de ação: o íon prata causa precipitação de proteínas e age diretamente na parede celular e membrana citoplasmática da célula bacteriana, exercendo ação bactericida imediata e ação bacteriostática residual pela liberação de pequenas quantidades de prata iônica.

incisões cirúrgicas limpas com pouco ou nenhum exsudato; cobertura de queimaduras de 1 e 2 grau; cobertura de áreas doadoras de enxerto.

Contra indicações: Feridas com muito exsudato; Feridas infectadas. Trocar quando perder a transparência.

Hidrogel

É um composto de água, carboximetil- celulose (CMC- e propileno-glicol (PPG- que forma um hidrogel transparente e incolor com função de remover tecidos necróticos através do desbridamento autolítico.

• Indicações: prevenção de colonização e tratamento de queimaduras.  Membranas ou Filmes Semipermeáveis
• Indicações: prevenção de colonização
e tratamento de queimaduras.
 Membranas
ou
Filmes
Semipermeáveis
É um material estéril com possibilidade de
uso como cobertura primaria ou secundaria
indicado principalmente para oclusão de
lesões planas pouco exsudativas. São
transparentes, facilitando a visualização das
características da lesão e permitindo maior
mobilidade ao paciente.
• Mecanismo de ação: a água (77,7%)-
mantém o meio úmido, a CMC
(2,3%)- facilita as propriedades
reidratantes e de desbridamento e o
PPG (20%)- estimula a liberação do
exsudato.
• Indicação: remoção de tecido
necrótico em lesões cavitárias.
 Protetores Cutâneos para Ostomias
• Composição:
filme
de
poliuretano,
transparente, elástico,
semipermeável, aderente a superfícies
secas.
Descrição: São compostos de gelatina,
pectina, carboximentilcelulose sódica e
polisobutileno de uso tópico com a mesma
função de proteger e regenerar a epiderme
Peri - ostomias e Peri - fístulas.
Apresentações:

Mecanismo de ação: Proporciona

a

cicatrização permeabilidade seletiva,

permitindo a difusão gasosa e

de

água. Impermeável a fluidos e microorganismos.

Indicação: Fixação de cateteres vasculares; proteção de pele integra e escoriações; prevenção de ulceras de pressão por fricção, cobertura de

ambiente úmido, favorável

evaporação

- indicado em lesões úmidas e escoriadas da pele Peri-ostomal. Sua função é secar e forma uma película protetora para fixação da placa.

Pasta - indicada para correção de imperfeições do estoma. Sua função é de selante da pele com o estoma através da formação de um anel ao redor do estoma.

8

é de selante da pele com o estoma através da formação de um anel ao redor
• Placa - indicada para a proteção e facilitador do processo de granulação. Este regeneração

Placa - indicada para a proteção e facilitador do processo de granulação. Este

regeneração da pele Peri-ostomal e

curativo é mais aderente devido à presença

fixação

da

bolsa.

de uma camada de hidropolímero com

Indicações:

Peri-fístulas

ou

Peri-

capacidade de expansão e manutenção da

ostomias.

adesão do curativo a lesão.

 Pomadas Enzimáticas • São compostos de enzimas especificas para determinados substratos com o objetivo
 Pomadas Enzimáticas
São compostos de enzimas especificas para
determinados substratos com o objetivo de
auxiliar no desbridamento da lesão,
entretanto não ha dados conclusivos sobre
sua ação como estimulador do processo
cicatricial.
Mecanismo de ação: Proporciona um
ambiente úmido e estimula o
desbridamento autolítico. Absorve o
exsudato e expande-se delicadamente
à
medida que absorve o exsudato.
Indicações: Tratamento de feridas
abertas não infectadas.
Composição:
colagenase
lostridiopeptidase
A
e
enzimas
Contra-indicações: Queimadura de 3º
grau; lesões com vasculite ativa;
Feridas colonizadas e infectadas, com
tecido desvitalizado.
proteolíticas.
Mecanismo
de
ação:
age
9.
seletivamente degradando o colágeno
nativo da ferida.
OXIGENOTERAPIA
HIPERBÁRICA NO
TRATAMENTO DE FERIDAS
Indicação: desbridamento enzimático
suave e não invasivo de lesões.
Contra-Indicação: Feridas com
cicatrização por primeira intenção.
Não utilizar por mais de 15 dias.
A medicina hiperbárica possui dois grandes
ramos de atividade:
Trocar o curativo a cada 8 horas.
Observações: há controvérsias quanto
à eficácia das pomadas enzimáticas
como estimulador da granulação e
epitelização, visto que com o
aumento dos níveis de ação das
proteinases, temos a degradação dos
fatores de crescimento e dos
receptores de membrana celular, que
são importantes para o processo de
cicatrização.
Dedicado à atividade profissional de
mergulhadores, aeronautas e
trabalhadores sob ar-comprimido,
prevalecendo uma abordagem voltada
à
saúde ocupacional;
Curativo
Adesivo
com
Hidropolimeros
É um curativo altamente absorvente para
feridas com baixa a moderada exsudação e
que proporciona um ambiente úmido
Referente às aplicações clinicas da
oxigenoterapia hiperbárica (OHB). O
tratamento é efetuado em varias
sessões, cujo nível de pressão,
duração, intervalos e numero total de
aplicações são variáveis de acordo
com as enfermidades. A OHB
consiste na inalação de oxigênio puro
com a pressão do ambiente
aumentada de duas a três vezes acima
de seu valor normal, estando o cliente
no interior de uma câmara
hiperbárica. Durante as sessões
ocorre um aumento de 10 a 20 vezes

9

de uma câmara hiperbárica. Durante as sessões ocorre um aumento de 10 a 20 vezes www.enfermagemadistancia.com.br
na quantidade de oxigênio dissolvido nos tecidos. 10. ATENÇÃO DO ENFERMEIRO AO PACIENTE COM VITILIGO

na quantidade de oxigênio dissolvido nos tecidos.

10. ATENÇÃO

DO

ENFERMEIRO

AO PACIENTE COM VITILIGO

Aplicações Clínicas

Inúmeras são as indicações da OHB determinadas por vários protocolos aceitos internacionalmente:

Embolias gasosas.

Doença descompressiva.

A assistência de enfermagem ao paciente com vitiligo incluem alguns cuidados tais como:

-

É fundamental o atendimento ao cliente portador de vitiligo com a maior brevidade possível, avaliando com a equipe do serviço a aplicação de protocolos de atendimento, buscando reduzir e recuperar a cor da pele nas regiões detectadas.

• Embolia traumática pelo ar. • Envenenamento por monóxido de carbono ou intoxicação por fumaça.
Embolia traumática pelo ar.
Envenenamento por monóxido de
carbono ou intoxicação por fumaça.
Envenenamento por cianeto ou
derivados cianídricos.
-
Gangrena gasosa clostridiana.
Doença de Fournier.
Outras infecções necrotizantes de
tecidos moles: celulites, fasciíte e
miosites, deiscência de sutura.
Isquemias agudas traumáticas: lesão
por esmagamento, síndrome
compartimental, re-implante de
extremidades amputadas e outras.
Conhecer as condições
socioeconômicas e culturais em que
vive o paciente observando para as
condições físicas, de sustento
financeiro da família, suas crenças,
seus hábitos culturais e valores
associados aos fatores afetivos-
culturais e sociais.
-
Retalhos ou enxertos comprometidos
ou de risco.
Ter na família os elementos
facilitadores do processo de cuidar do
paciente, por isso envolvê-lo na
consulta favorecendo a promoção da
saúde ao paciente.
Vasculites agudas de etiologia
alérgica, medicamentosa ou por
toxinas biológicas (aracnídeos,
ofídios e insetos.
-
Queimadura complexa.

Lesões refratárias: úlceras de pressão, vasculogênica, neuropática (pé diabético e outras).

Lesões por radiação: radiodermite, osteorradionecrose e lesões actínicas de mucosas.

Osteomielite crônica.

Hipoacusia por ototoxidade a agentes quimioterápicos.

Anemia aguda nos casos de impossibilidade de transfusão sanguínea.

Uma vez diagnosticado vitiligo, (busque manter os pressupostos teóricos, metodológicos e filosófico que fundamentaram sua prática) oferecendo suporte que garanta a família e ao paciente, o atendimento, acesso ao serviço de saúde, com um sistema de referência que dê respostas eficazes e eficientes à família e ao paciente.

- Implementar Grupo Terapêuticos de Auto- ajuda, estimulando e incentivando o uso das terapêuticas alternativas junto com uma equipe multidisciplinar, para orientação e apoio ao paciente com vitiligo e o uso de fitoterapia, homeopatia,

10

para orientação e apoio ao paciente com vitiligo e o uso de fitoterapia, homeopatia, 10 www.enfermagemadistancia.com.br
pseudocatalase, helioterapia, UVB, extrato de placenta humana, kuva, fenilalanina tópica e sistêmicas e antioxidantes.

pseudocatalase, helioterapia, UVB, extrato de placenta humana, kuva, fenilalanina tópica e sistêmicas e antioxidantes.

11. ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO AO PACIENTE COM DOENÇA FALCIFORME E PORTADOR DE ÚLCERA DE PERNA

As úlceras de perna estão presentes em 8% a 10% das pessoas com Doença Falciforme (DF), principalmente nos adolescentes e nos adultos jovens.

-

- Ocorrem em geral no terço inferior da perna, sobre e ao redor dos maléolos
- Ocorrem em geral no terço inferior da
perna, sobre e ao redor dos maléolos
medial ou lateral e em algumas
ocasiões sobre a tíbia ou o dorso do
pé.
- Um percentual de 75% das pessoas
com úlcera de perna tem genótipo SS.
- Sua etiologia pode ser traumática, por
contusões ou picadas de inseto,
espontânea e por hipóxia tissular
devido a crise vaso-oclusiva crônicas.
- São lesões exsudativas, de tamanho
variável, com margem definida,
bordas em relevo, recoberta por
película amarela e susceptível a
infecção. São extremamente
dolorosas, de difícil tratamento e com
alto índice de recorrência.

- Deve-se fazer o diagnóstico diferencial com úlcera venosa, úlcera diabética, úlcera isquêmica, úlcera neuropática, úlcera por pressão e outras.

- O envolvimento da pessoa com o estímulo do autocuidado é de essencial importância, não somente na prevenção, como no sucesso do tratamento.

11

de essencial importância, não somente na prevenção, como no sucesso do tratamento. www.enfermagemadistancia.com.br 11
ATUALIZAÇÃO DE FERIDAS EM TRATAMENTO 4) O processo de cicatrização de feridas é composta por
ATUALIZAÇÃO DE FERIDAS EM TRATAMENTO 4) O processo de cicatrização de feridas é composta por
ATUALIZAÇÃO
DE FERIDAS
EM
TRATAMENTO
4)
O processo de cicatrização de feridas
é composta por várias etapas, assinale
a alternativa errada:
Avaliação
a)
Inflamação
1) A pele é composta por camadas.
Sobre essas estratificações assinale a
alternativa errada:
b)
Reconstrução
c)
Epiderme
d)
Maturação.
b)
a) A epiderme é composta por cinco
camadas denominadas: basal,
espinhosa, granulosa, lúcida e córnea.
A derme é um epitélio estratificado,
pavimentoso, queratinizado de
origem ectodérmica.
A derme é composta pela camada
papilar e reticular.
A hipoderme é formada por tecidos
conjuntivos pouco frouxos que une
de maneira pouco firme a derme aos
órgãos subjacentes.
5)
Dependendo da maneira com foi
produzida as lesões podem classificar
o
processo cicatricial. Assinale a
alternativa errada:
a)
Cicatrização por primeira intenção
c)
b)
Cicatrização por segunda intenção
c)
Cicatrização por terceira intenção ou
d)
mista
d)
Cicatrização por quarta intenção
6)
Sobre os tipos de cicatrização
assinale a alternativa verdadeira:
2)
As feridas podem ser classificadas de
acordo com sua etiologia em:
a)
Cicatrização por segunda intenção:
a)
Aberta
b)
Fechada
ocorre quando há perda mínima de
tecido e as bordas são passiveis de
ajuste por sutura.
c)
Superficial
b)
Na cicatrização por terceira intenção
d)
Crônicas
o
curativo e utilizado apenas para
3)
Quanto à presença de exsudato
assinale a alternativa errada:
proteção não havendo necessidade de
manutenção do meio úmido. O
curativo pode ser removido até após
48 horas.

a) Fibrina é a passagem de proteína plasmática pela parede do vaso.

b) Exsudato fibrinoso é a passagem da proteína plasmática pela parede do vaso.

c) A fibrina na ferida se apresenta aderida aos tecidos e tem cor esbranquiçada ou amarelada.

d) Os padrões mistos incluem:

serosanguinolenta, seropurulenta, serofibrinoso, fibrinopurulenta.

12

fibrinopurulenta. www.enfermagemadistancia.com.br 12 c) Cicatrização por segunda intenção: ocorre quando há

c) Cicatrização por segunda intenção:

ocorre quando há perda acentuada do tecido e não há possibilidade de fechamento dos bordos.

d) Cicatrização por primeira intenção:

ocorre quando há fatores que

retardam o processo cicatricial por primeira intenção e há necessidade de deixar a lesão aberta para drenagem

ou para debelar uma Infecção.

7) Na assistência ao paciente portador de feridas se faz necessário uma abordagem holística, com

7) Na assistência ao paciente portador de feridas se faz necessário uma abordagem holística, com um levantamento do histórico do paciente e a avaliação das condições atuais, incluindo o físico, psicológico e o espiritual. Sobre os cuidados psicológicos assinale a alternativa verdadeira:

com ou sem exsudato, áreas doadoras e incisões cirúrgicas.

d) Curativo de carvão ativado é uma cobertura estéril para ferimentos, de baixa aderência, envolto
d)
Curativo de carvão ativado é uma
cobertura estéril para ferimentos, de
baixa aderência, envolto por uma
camada de tecido selado em toda sua
extensão, com uma almofada
impregnada por carvão ativado e
prata a 0,15%.
10)
b)
c)
d)
a) Idade
Estresse
Estado nutricional
Patologia de base
Com relação à Sulfadiazina de prata,
assinale a alternativa verdadeira:
8)
Os curativos foram elaborados para
ter um efeito funcional possuindo
algumas características assinale a
alternativa verdadeira:
a)
Manter baixa umidade da interface
ferida/curativo,
a) Mecanismo de ação: o íon prata causa
precipitação de proteínas e age
diretamente na parede celular e
membrana citoplasmática da célula
bacteriana, exercendo ação
bactericida imediata e ação
bacteriostática residual pela liberação
de pequenas quantidades de prata
iônica.
b)
Não permitir trocas gasosas,
c)
Permeável a bactéria,
d)
Permitir sua remoção sem causar
trauma na ferida.
b) Contra- Indicações: prevenção de
colonização e tratamento de
queimaduras.
9)
Sobre os produtos mais utilizados no
tratamento das feridas, assinale a
alternativa errada:
c) É um composto insolúvel e com ação
adstringente derivado de sais de prata
com propriedades anti-séptica local.
a)
Membranas ou Filme semipermeável:
d) Mecanismo de Ação: o carvão
ativado adsorve o exsudato e filtra o
odor enquanto a prata exerce poder
bactericida local pela liberação de
prata.

são compostos de gelatina, pectina, carboximentilcelulose sódica e polisobutileno de uso tópico com a mesma função de proteger e regenerar a epiderme Peri-ostomias e Peri-fístulas.

b) Alginatos: são sais de polímero natural acido algínico derivado de algas marinhas marrons.

c) Hidrocolóides: Partículas hidroativas em polímero inerte impermeável. Indicado para lesões não infectadas

13

hidroativas em polímero inerte impermeável. Indicado para lesões não infectadas 13 www.enfermagemadistancia.com.br

Referências

Referências 1- BARROS, Alba Lucia Bottura Leite de e cols. Anamnese e exame físico : avaliação

1- BARROS, Alba Lucia Bottura Leite de e cols. Anamnese e exame físico:

avaliação diagnóstica de enefermagem no adulto. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. 2- BRUNNER/SUDDARTH. Tratado Médico-Cirúrgico. Rio de Janeiro:

Guanabara Koogan, 2010. 3- CARPENITO, Lynda Jual. Manual de Diagnósticos de Enfermagem. Porto Alegre: Artes Médicas Sul Ltda, 2010. 4- CIANCIARULLO, Tâmara Wanow. Instrumento Básicos para o cuidar:

Um desafio para a qualidade da assistência, São Paulo: Atheneu, 2006. 5- CINTRA, Eliane Araújo
Um desafio para a qualidade da
assistência, São Paulo: Atheneu,
2006.
5- CINTRA, Eliane Araújo e Cols.
Assistência de Enfermagem ao
paciente gravemente - enfermo. São
Paulo: Athneu, 2011.
6- DEALEY, Carol. Cuidando de
feridas: um guia para as enfermeiras.
Tradução: Eliane Kanner. São Paulo:
Atheneu Editora, 2006.
7- MALAGUTTI, William (org).
Curativo, estomias e dermatologia:
uma abordagem multiprofissional.
São Paulo: Martinari, 2010.
8- MOZACHI, N. O hospital: manual do
ambiente hospitalar. Curitiba:

Manual Real, 9ª Ed, 2007. 9- SILVA, R.C.L. da; FIGUEREDO, N.M.A. de; MEIRELLES, I.B. Feridas Fundamentos e Atualizações em Enfermagem. 2 ed. São Caetano do Sul: Yendis, 2007. 10- WALDOW, Vera Regina. Cuidado Humano: o resgate necessário. Porto Alegre: Sagra Luzzato, 2007.

14

Regina. Cuidado Humano: o resgate necessário . Porto Alegre: Sagra Luzzato, 2007. www.enfermagemadistancia.com.br 14