Você está na página 1de 35
Contabilidade aplicada às instituições públicas PROF: JOÃO ESTEVÃO BARBOSA NETO JOAOESTEVAOBN@FACE.UFMG.BR
Contabilidade aplicada às instituições públicas PROF: JOÃO ESTEVÃO BARBOSA NETO JOAOESTEVAOBN@FACE.UFMG.BR
Contabilidade aplicada às instituições públicas PROF: JOÃO ESTEVÃO BARBOSA NETO JOAOESTEVAOBN@FACE.UFMG.BR

Contabilidade aplicada às

instituições públicas

PROF: JOÃO ESTEVÃO BARBOSA NETO JOAOESTEVAOBN@FACE.UFMG.BR

Contabilidade aplicada ao setor público - CASP PROF: JOÃO ESTEVÃO BARBOSA NETO JOAOESTEVAOBN@FACE.UFMG.BR
Contabilidade aplicada ao setor público - CASP PROF: JOÃO ESTEVÃO BARBOSA NETO JOAOESTEVAOBN@FACE.UFMG.BR
Contabilidade aplicada ao setor público - CASP PROF: JOÃO ESTEVÃO BARBOSA NETO JOAOESTEVAOBN@FACE.UFMG.BR

Contabilidade aplicada ao

setor público - CASP

PROF: JOÃO ESTEVÃO BARBOSA NETO JOAOESTEVAOBN@FACE.UFMG.BR

CONCEITO Contabilidade Aplicada ao Setor Público é o ramo da ciência contábil que aplica, no
CONCEITO Contabilidade Aplicada ao Setor Público é o ramo da ciência contábil que aplica, no
CONCEITO Contabilidade Aplicada ao Setor Público é o ramo da ciência contábil que aplica, no

CONCEITO

Contabilidade Aplicada ao Setor Público é o ramo da

ciência contábil que aplica, no processo gerador de

informações, os Princípios de Contabilidade e as normas contábeis direcionados ao controle patrimonial de

entidade do setor público.

OBJETIVO DA CASP Fornecer informações sobre os resultados alcançados e os aspectos de natureza orçamentária,
OBJETIVO DA CASP Fornecer informações sobre os resultados alcançados e os aspectos de natureza orçamentária,

OBJETIVO DA CASP

OBJETIVO DA CASP Fornecer informações sobre os resultados alcançados e os aspectos de natureza orçamentária,

Fornecer informações sobre os resultados alcançados e

os aspectos de natureza orçamentária, econômica,

financeira e física do patrimônio da entidade do setor

público e suas mutações.

PAPÉIS DESEMPENHADOS PELA CASP Fornecer aos usuários informações sobre Os resultados alcançados e os aspectos
PAPÉIS DESEMPENHADOS PELA CASP Fornecer aos usuários informações sobre Os resultados alcançados e os aspectos
PAPÉIS DESEMPENHADOS PELA CASP Fornecer aos usuários informações sobre Os resultados alcançados e os aspectos

PAPÉIS DESEMPENHADOS PELA CASP

Fornecer aos usuários informações sobre
Fornecer aos usuários
informações sobre

Os resultados alcançados e os aspectos de natureza

orçamentária, econômica, financeira e física do

patrimônio da entidade do setor público e suas mutações em apoio ao processo de tomada de decisão.

A adequada prestação de contas.

O

controle social.

necessário

suporte

para

a

instrumentalização

do

HISTÓRICO DA CASP Lei 4320 de 1964 IPSAS/IFAC LC 101/200 LRF Plano de Contas Único
HISTÓRICO DA CASP Lei 4320 de 1964 IPSAS/IFAC LC 101/200 LRF Plano de Contas Único

HISTÓRICO DA CASP

HISTÓRICO DA CASP Lei 4320 de 1964 IPSAS/IFAC LC 101/200 LRF Plano de Contas Único Federal
HISTÓRICO DA CASP Lei 4320 de 1964 IPSAS/IFAC LC 101/200 LRF Plano de Contas Único Federal
HISTÓRICO DA CASP Lei 4320 de 1964 IPSAS/IFAC LC 101/200 LRF Plano de Contas Único Federal
HISTÓRICO DA CASP Lei 4320 de 1964 IPSAS/IFAC LC 101/200 LRF Plano de Contas Único Federal
HISTÓRICO DA CASP Lei 4320 de 1964 IPSAS/IFAC LC 101/200 LRF Plano de Contas Único Federal
HISTÓRICO DA CASP Lei 4320 de 1964 IPSAS/IFAC LC 101/200 LRF Plano de Contas Único Federal
Lei 4320 de 1964 IPSAS/IFAC LC 101/200 LRF
Lei 4320
de 1964
IPSAS/IFAC
LC 101/200
LRF
Plano de Contas Único Federal
Plano de Contas
Único Federal
HISTÓRICO DA CASP Portaria LC 131/2009 IPSAS IPCs MF 184/08 Traduzidas Dec PCASP obrigatório p/toda
HISTÓRICO DA CASP Portaria LC 131/2009 IPSAS IPCs MF 184/08 Traduzidas Dec PCASP obrigatório p/toda

HISTÓRICO DA CASP

HISTÓRICO DA CASP Portaria LC 131/2009 IPSAS IPCs MF 184/08 Traduzidas Dec PCASP obrigatório p/toda a
HISTÓRICO DA CASP Portaria LC 131/2009 IPSAS IPCs MF 184/08 Traduzidas Dec PCASP obrigatório p/toda a
HISTÓRICO DA CASP Portaria LC 131/2009 IPSAS IPCs MF 184/08 Traduzidas Dec PCASP obrigatório p/toda a
HISTÓRICO DA CASP Portaria LC 131/2009 IPSAS IPCs MF 184/08 Traduzidas Dec PCASP obrigatório p/toda a
HISTÓRICO DA CASP Portaria LC 131/2009 IPSAS IPCs MF 184/08 Traduzidas Dec PCASP obrigatório p/toda a
HISTÓRICO DA CASP Portaria LC 131/2009 IPSAS IPCs MF 184/08 Traduzidas Dec PCASP obrigatório p/toda a
Portaria LC 131/2009 IPSAS IPCs MF 184/08 Traduzidas Dec PCASP obrigatório p/toda a 6.976/2009 Federação
Portaria
LC 131/2009
IPSAS
IPCs
MF 184/08
Traduzidas
Dec
PCASP
obrigatório
p/toda a
6.976/2009
Federação
NBC T SP
SICONFI
PCASP obrigatório p/toda a 6.976/2009 Federação NBC T SP SICONFI CONSOLIDAÇÃO SOB UM NOVO PADRÃO CONTÁBIL
CONSOLIDAÇÃO SOB UM NOVO PADRÃO CONTÁBIL
CONSOLIDAÇÃO
SOB UM
NOVO PADRÃO
CONTÁBIL

ATORES

ATORES CFC - Gestão do Processo de Tradução e Convergência aos padrões internacionais. Instrumento: NBC T

CFC - Gestão do Processo de Tradução e Convergência aos padrões internacionais. Instrumento: NBC T SP (NBC T 16)

padrões internacionais. Instrumento: NBC T SP (NBC T 16) STN – Gestão da execução do processo.

STN Gestão da execução do processo. Instrumentos: MCASP, IPCs, capacitação e disseminação.

Instrumentos: MCASP, IPCs, capacitação e disseminação. GTCON – Grupo Técnico de Procedimentos Contábeis.

GTCON Grupo Técnico de Procedimentos Contábeis. Instrumento:

Participação da Federação na elaboração das Normas.

ATORES

ATORES GTCONT – Grupo Técnico de Padronização de Procedimentos Contábeis e Custos da União. Tribunal de

GTCONT Grupo Técnico de Padronização de Procedimentos Contábeis e Custos da União.

de Procedimentos Contábeis e Custos da União. Tribunal de Contas da União – Fiscalização dos

Tribunal de Contas da União Fiscalização dos gestores federais no que se refere aos novos padrões contábeis.

federais no que se refere aos novos padrões contábeis. Gestores Públicos – Responsabilidade de utilização

Gestores Públicos Responsabilidade de utilização efetiva das novas

regras contábeis.

CAMPO DE ATUAÇÃO DA CASP

Administração Direta

Administração Indireta

Órgãos do Poder Executivo

Autarquias

Órgãos do Poder Legislativo

Fundações Públicas

Órgãos do Poder Judiciário

Empresas Públicas

• Sociedade de Economia Mistas

Sociedade de Economia Mistas

sejam

Empresas Estatais Dependentes (EED)

Desde

que

EED: participam do Orçamento Fiscal e Seguridade Social. Uma EED é uma empresa controlada que recebe

do ente controlador recursos financeiros para pagamento de despesas com pessoal ou de custeio em geral

ou de capital, excluídos, no último caso, aqueles provenientes de aumento de participação acionária.

CAMPO DE ATUAÇÃO DA CASP

Empresas estatais federais acompanhadas pelo DEST dependentes do Tesouro Nacional

CAMPO DE ATUAÇÃO DA CASP Empresas estatais federais acompanhadas pelo DEST dependentes do Tesouro Nacional

CAMPO DE ATUAÇÃO DA CASP

Empresas estatais federais acompanhadas pelo DEST com Orçamento de Investimento

CAMPO DE ATUAÇÃO DA CASP Empresas estatais federais acompanhadas pelo DEST com Orçamento de Investimento

CAMPO DE ATUAÇÃO DA CASP

CAMPO DE ATUAÇÃO DA CASP De acordo com a NBCT
CAMPO DE ATUAÇÃO DA CASP De acordo com a NBCT

De

acordo

com a

NBCT

CAMPO DE ATUAÇÃO DA CASP

CAMPO DE ATUAÇÃO DA CASP

OBJETO DA CASP

Patrimônio Público

O Patrimônio Público é o conjunto de direitos e bens , tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, adquiridos, formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas entidades do setor público, que seja portador ou represente um fluxo de benefícios,

presente ou futuro, inerente à prestação de serviços públicos ou à

exploração econômica por entidades do setor público e suas obrigações.

OBJETO DA CASP

Bens Públicos

Os de uso comum do povo , tais como rios, mares, estradas , ruas e praças;

Os de uso especial , tais como edifícios ou terrenos destinados a

serviço ou estabelecimento da administração federal, estadual, territorial ou municipal, inclusive os de suas autarquias;

Os dominicais , que constituem o patrimônio das pessoas jurídicas de

direito público, como objeto de direito pessoal, ou real, de cada uma dessas entidades.

PROCESSO DE CONVERGÊNCIA

Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CASP) está passando por um processo de convergência às normas internacionais.

Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CASP) está passando por um processo de convergência às normas internacionais.

PROCESSO DE CONVERGÊNCIA

Processo de adoção de regras e procedimentos

contábeis sob uma mesma base conceitual, visando

a comparabilidade da situação econômico- financeira de vários países ou de entidades do setor público nacionais e/ou internacionais.

da situação econômico- financeira de vários países ou de entidades do setor público nacionais e/ou internacionais.

PARÂMETROS DO PROCESSO DE CONVERGÊNCIA

- Registro integral do patrimônio público (bens, direitos e obrigações);

- Normas Internacionais de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (IPSAS/IFAC);

- Normas Brasileiras de Contabilidade do Setor Público (NBC T SP 16);

- Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público (MCASP).

de Contabilidade do Setor Público (NBC T SP 16); - Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor

VANTAGENS DA CONVERGÊNCIA

Registros mais abrangentes dos fenômenos econômicos;

Informação útil para a tomada de decisão => Dados mais próximos da realidade para a tomada de decisão, permitindo projeções mais seguras;

Comparabilidade => Consolidação das contas dos entes da Federação, sob a mesma base conceitual;

VANTAGENS DA CONVERGÊNCIA

Registro e acompanhamento tempestivo do patrimônio público =>

Mensuração e controle efetivo do patrimônio;

Melhoria no processo de prestação de contas => Transparência;

Gestão de custos no Setor Público => Melhoria da qualidade do gasto público; e

Racionalização e melhor gestão dos recursos públicos.

Projeto Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - PCASP IPSAS NBC T SP MCASP

Projeto

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - PCASP

IPSAS NBC T SP MCASP IPC’s
IPSAS
NBC T SP
MCASP
IPC’s

Diretrizes

2014 Implantação
2014
Implantação

PLANO DE CONTAS

Responsabilidades de Gestores Públicos

RESPONSABILIDADE DOS GESTORES PÚBLICOS

Regularização patrimonial:

- Onde estão os bens a serem registrados?

- Localização física, descrição e definição de valores dos bens; e

- Atribuição de responsabilidades aos gestores do patrimônio.

RESPONSABILIDADE DOS GESTORES PÚBLICOS

Inventário anual de bens móveis e imóveis:

- Levantamento físico e financeiro por comissão designada para este fim;

- Segregação das funções de responsável pelo inventário e pelo registro

contábil; e

- Suporte documental.

RESPONSABILIDADE DOS GESTORES PÚBLICOS

Acompanhamento dos valores dos bens:

-

Atualização conforme comportamento dos preços de mercado

(reavaliação);

-

Registro do desgaste por uso e obsolescência (depreciação); e

-

Redução ao valor recuperável.

RESPONSABILIDADE DOS GESTORES PÚBLICOS

Necessidade de fortalecimento da gestão contábil:

- Valorização do profissional de contabilidade;

- Criação e fortalecimento das setoriais e seccionais de contabilidade na estrutura da Administração Pública; e

- Criação de Grupos Técnicos que envolvam todas as áreas da organização participantes do processo.

RESPONSABILIDADE DOS GESTORES PÚBLICOS

Integração da Contabilidade com outros setores da Administração Pública:

- Setor de Arrecadação : para o registro dos créditos tributários e não-

tributários a receber;

- Setor de Patrimônio: para registro dos valores atualizados e ajustados dos

bens; e

- Setor de Pessoal : para registro das provisões de 13º e férias, salários e

encargos a pagar.

RESPONSABILIDADE DOS GESTORES PÚBLICOS

Utilização efetiva do Sistema de Informações de Custos do Governo Federal SIC:

- Instrumento

de

governamentais;

mensuração

da

eficiência

e

eficácia

das

ações

- Qual o montante de recursos públicos que foi consumido para produzir determinado bem ou serviço para a sociedade?

- Aprimoramento do processo de tomada de decisão por parte do gestor público.

RESPONSABILIDADE DOS CONTADORES PÚBLICOS

- Registrar os atos e fatos conforme as normas brasileiras de contabilidade aplicadas ao setor público;

- Atualização e capacitação permanente;

- Prestar efetivo apoio à gestão por meio do fornecimento das informações geradas

pela Contabilidade; e

- Desempenhar um papel de catalisador das informações contábeis e fiscais geradas

por outros setores da Administração Pública.

Formas de Disseminação da Informação

Formas de Disseminação da Informação

MCASP

5ª EDIÇÃO MCASP/STN Elaborada 2012

Válida a partir de

2013

EDIÇÃO MCASP/STN Elaborada 2012 Válida a partir de 2013 VOLUMES: Parte Geral - Introdução MCASP Parte

VOLUMES:

Parte Geral - Introdução MCASP

Parte I Procedimentos Contábeis

Orçamentários

Parte II Procedimentos Contábeis Patrimoniais

Parte III Procedimentos Contábeis Específicos Parte IV Plano de Contas Aplicado ao Setor

Público

Parte V Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público Parte VI Perguntas e Respostas Parte VII Exercício Prático

Parte VIII Demonstrativo de Estatísticas de

Finanças Públicas Volume de Anexos

VII – Exercício Prático Parte VIII – Demonstrativo de Estatísticas de Finanças Públicas Volume de Anexos

Manual

SIAFI WEB

Manual SIAFI WEB Em processo de definição de nova estrutura e de nova plataforma tecnológica

Em processo de definição de nova estrutura e de nova plataforma tecnológica

Manual SIAFI WEB Em processo de definição de nova estrutura e de nova plataforma tecnológica

STN

www.tesouro.fazenda.gov.br

STN • www.tesouro.fazenda.gov.br
STN • www.tesouro.fazenda.gov.br

DICAS PARA PESQUISA

- Estado atual da convergência contábil nos entes públicos;

- Percepção dos gestores e contadores públicos sobre o processo de convergência;

- Análise econômico-financeira dos entes públicos;

- Nível de adoção das normas pelos entes públicos;

- Nível de disclosure (evidenciação);

- Auditoria governamental;

- Eficiência dos gastos públicos;