Você está na página 1de 47

Contabilidade e Orçamento Público Tema 4: Regime de

adiantamento,

Patrimônio Público, Créditos adicionais e

Fundos especiais. Profª. Esp. Deisi

Lima Martins

Regime de Adiantamento É um processamento especial da despesa pública orçamentária, através do qual se

Regime de Adiantamento

É um processamento especial da despesa

pública orçamentária, através do qual se

coloca o numerário à disposição de um funcionário ou servidor, a fim de dar-lhe

condições de realizar

gastos que, por sua natureza não possam obedecer ou depender de trâmites normais.

Regime de Adiantamento A legislação federal pressupõe as seguintes condições para o regime de adiantamento:

Regime de Adiantamento

A legislação federal pressupõe as seguintes condições para o regime de adiantamento:

a) Deve realizar-se em casos excepcionais;

b) Deve ser aplicável aos casos de despesas expressamente definidos em lei;

c) Deve ser despesa que não

possa subordinar-se ao processo normal de aplicação;

d) Não pode ser feito a

servidor em alcance, nem

a responsável por dois

adiantamentos.

Operacionalização - Regime de Adiantamento O funcionamento e operacionalização do regime de adiantamento prevê o

Operacionalização - Regime de Adiantamento

O funcionamento e operacionalização do regime de adiantamento prevê o seu início através de requisição, onde conste:

1. Dispositivo legal em que se baseia ou a autorização

da autoridade competente;

2. Nome e cargo ou função

do responsável;

3. Código local e o item, ou

crédito por onde é classificada a despesa;

4. Prazo de aplicação.

Tipos de Adiantamento A legislação destaca dois tipos de adiantamento: • Base mensal; • Único.

Tipos de Adiantamento

A legislação destaca dois tipos de adiantamento:

Base mensal;

Único.

2.

Nome e cargo ou

função do responsável;

3.

Código local e o item, ou crédito por onde é

classificada a despesa;

4.

Prazo de aplicação.

Controle dos Adiantamentos É realizado pela unidade competente de tomada de contas do órgão a

Controle dos Adiantamentos

É realizado pela unidade competente de tomada de

contas do órgão a que esteja vinculado o responsável pelo adiantamento, e o julgamento de sua regularidade, pelo Egrégio Tribunal de Contas.

Tem por finalidade observar o cumprimento das formalidades legais de sua aplicação, das quais podemos destacar o exame sobre a

documentação para se verificar

efetivamente que o adiantamento não pode ser feito

para despesas já realizadas.

PATRIMÔNIO PÚBLICO

PATRIMÔNIO PÚBLICO

Patrimônio Público Compreende o conjunto de bens, direitos e obrigações avaliáveis em moeda corrente, das

Patrimônio Público

Compreende o conjunto de bens, direitos e obrigações avaliáveis em moeda corrente, das

entidades que compõem a Administração

Pública. Ou seja, o patrimônio público não é somente o relativo às entidades públicas, mas às entidades que compõem a Administração Pública.

Patrimônio Público Sendo assim, compreendem: • Patrimônio das instituições de direito público interno (União,

Patrimônio Público

Sendo assim, compreendem:

Patrimônio das instituições de direito público interno (União, Estados, DF, Municípios);

Patrimônio empresas públicas;

Fundações instituídas pelo poder público;

Capital das sociedades

de economia mista.

Patrimônio Público O Código Civil Brasileiro distingue os bens públicos dos bens particulares, descrevendo o

Patrimônio Público

O Código Civil Brasileiro distingue os bens públicos dos bens particulares, descrevendo o

seguinte:

São públicos os bens do domínio nacional pertencentes às pessoas jurídicas de direito público

interno, todos os outros

são particulares, seja qual for a pessoa a quem

pertencerem.”

Continuando

Tema 4: Regime de adiantamento, Patrimônio Público, Créditos adicionais e

Fundos especiais.

Patrimônio Público De acordo com o Código Civil Brasileiro, são considerados bens públicos: • De

Patrimônio Público

De acordo com o Código Civil Brasileiro, são considerados bens públicos:

De uso comum;

De uso especial;

Dominicais.

Patrimônio Público Direitos das Entidades Públicas , contabilmente, são os valores que representam créditos

Patrimônio Público

Direitos das Entidades Públicas,

contabilmente, são os valores que representam créditos realizáveis a curto ou

longo prazo, provenientes de depósitos

bancários de diversos credores e créditos relativos a fornecimentos e serviços prestados e inscrição da dívida ativa.

Patrimônio Público Obrigações das Entidades Públicas referem-se a valores a receber registrados, quer por

Patrimônio Público

Obrigações das Entidades Públicas referem-se

a valores a receber registrados, quer por

fornecimentos feitos, quer por serviços prestados pelas entidades públicas, e ainda aqueles que,

provenientes da inscrição

da dívida ativa de origem

tributária ou de origem diversa, serão objeto de cobrança amigável ou

judicial, conforme o caso

requeira.

Quadro Demonstrativo Bens e Direitos Obrigações Bens Públicos Obrigações das Entidades Públicas Caixa

Quadro Demonstrativo

Bens e Direitos

Obrigações

Bens Públicos

Obrigações das Entidades Públicas

Caixa (Numerário)

Restituições a Pagar

Bens Móveis

Serviço da Dívida a Pagar

Bens Imóveis Bens de Natureza Industrial

Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais a Pagar

Fornecedores e Contas a Pagar

Valores

Consignações

Direitos das Entidades Públicas

Dívida Fundada Interna

Depósitos Bancários

Dívida Fundada Externa

Diversos Devedores

Débitos Diversos

Diversos Responsáveis

Créditos por Fornecimentos e Serviços Prestados

Créditos Fiscais Inscritos Créditos Diversos Inscritos

Patrimônio Público Variação Patrimonial é alteração de valor, de qualquer elemento do patrimônio público, por

Patrimônio Público

Variação Patrimonial é alteração de valor,

de qualquer elemento do patrimônio público, por alienação, aquisição, dívida contraída,

dívida liquidada, depreciação ou valorização,

amortização,

superveniência,

insubsistência,

efeitos da execução

orçamentária e resultado

do exercício financeiro.

Patrimônio Público As efetuadas por: • Incorporações; e • Desincorporações ou baixa . alterações patrimônio

Patrimônio Público

As

efetuadas por:

Incorporações; e

Desincorporações ou baixa.

alterações

patrimônio

no

público

são

Patrimônio Público Incorporação: ao patrimônio público e podem originar-se de forma ativa ou passiva. O

Patrimônio Público

Incorporação:

ao

patrimônio público e podem originar-se de forma ativa ou passiva. O manual de contabilidade aplicada ao setor público e

o plano de contas aplicado

ao setor público, denomina aumentativa ou diminutiva

É

agregação

de

elementos

a

novos

respectivamente.

Patrimônio Público Incorporação: Será aumentativa a incorporação de novos elementos que causem o aumento do

Patrimônio Público

Incorporação:

Será aumentativa a incorporação de novos elementos que causem o aumento do patrimônio

público, como por exemplo na aquisição de um bem,

quando a entrada é feita através da incorporação desse bem adquirido,

aumentando o valor da conta

de bens móveis e, em contrapartida, com a conta

Variações Aumentativas

correspondente, pelo aumento patrimonial.

Patrimônio Público Incorporação: Será diminutiva a incorporação de novos elementos que causem diminuição do

Patrimônio Público

Incorporação:

Será diminutiva a incorporação de novos elementos

que causem diminuição do patrimônio público, como

por exemplo na obtenção de empréstimos ou financiamentos, quando a incorporação dessa dívida

aumenta o valor da conta de

Dívida Fundada

e, em contrapartida, com a

conta Variações Diminutivas

correspondentes, pela diminuição que essa

passividade causa no

patrimônio.

Patrimônio Público Desincorporação ou baixa: É a expressão utilizada para excluir, retirar ou desagregar elementos

Patrimônio Público

Desincorporação ou baixa:

É a expressão utilizada para excluir, retirar ou

desagregar elementos constantes do patrimônio

público, e também pode originar-se de forma aumentativa ou diminutiva, respectivamente, conforme normas editadas pela Secretaria do Tesouro

Nacional (STN).

Patrimônio Público Desincorporação ou baixa: Será aumentativa a desincorporação ou baixa de elementos que causem

Patrimônio Público

Desincorporação ou baixa:

Será aumentativa a desincorporação ou baixa de

elementos que causem o aumento do patrimônio público, como por exemplo a amortização de uma

dívida, quando a sua desincorporação ou baixa

diminui o valor da conta Dívida Fundada, e em contrapartida com a conta

Variação Aumentativa

corresponde, pelo aumento causado no patrimônio.

Patrimônio Público Desincorporação ou baixa: Será diminutiva a desincorporação ou baixa de elementos que causem

Patrimônio Público

Desincorporação ou baixa:

Será diminutiva a desincorporação ou baixa de elementos que causem a diminuição do patrimônio

público, como por exemplo a quebra de um bem

móvel, sem condições de uso, quando de sua desincorporação ou baixa diminui o valor da conta Bens

e Móveis e, em contrapartida

com a conta Variação Diminutiva correspondente, pela diminuição causada no patrimônio.

Patrimônio Público Portanto, as variações patrimoniais podem ser classificadas em Variações Aumentativas ou

Patrimônio Público

Portanto, as variações patrimoniais podem ser

classificadas em Variações Aumentativas ou

Diminutivas, quer sejam provenientes de incorporações de novos elementos ao

patrimônio, quer sejam

causadas por

desincorporações ou

baixas de elementos do patrimônio.

Agora é sua vez

Tema 4: Regime de adiantamento, Patrimônio Público, Créditos adicionais e Fundos especiais.

Pergunta:

Pergunta: Assinale os itens abaixo com (1) Despesa de Capital e (2) Despesa Corrente. ( )

Assinale os itens abaixo com (1) Despesa de

Capital e (2) Despesa Corrente.

(

) Pessoal e Encargos Sociais.

(

) Investimentos.

(

) Amortização da Dívida.

(

) Juros da Dívida Interna. A sequência correta dos

itens é?

Resposta:

a) 1, 2, 1, 2

b) 2, 1, 1, 2

Resposta: a) 1, 2, 1, 2 b) 2, 1, 1, 2 c) 1, 2, 2, 1

c) 1, 2, 2, 1

d) 1, 1, 2, 2

e) 2, 2, 1, 1 Alternativa correta:

B

Pergunta:

Pergunta: Quanto ao conceito de Restos a Pagar, assinale a opção CORRETA. a) Somente podem ser

Quanto ao conceito de Restos a Pagar, assinale a opção CORRETA.

a) Somente podem ser pagos com recursos do

próprio exercício financeiro em que foram inscritos. b) Poderão, no último ano

de mandato do titular do

Poder ou órgão, ser livremente inscritos em 31 de dezembro para pagamento pelo seu sucessor.

Continuando: c) Terão a importância anulada revertida como receita do exercício de efetiva inscrição quando

Continuando:

c) Terão a importância anulada revertida como receita do exercício de efetiva inscrição quando anulados no exercício seguinte ao que foram inscritos. d) Distinguem-se entre empenhados e não

empenhados.

e) Referem-se a despesas empenhadas,

liquidadas ou

não, e não pagas até 31 de dezembro.

Resposta:

e) Referem-se

a

Resposta: e) Referem-se a despesas empenhadas, liquidadas ou não, e não pagas até 31 de dezembro.

despesas

empenhadas,

liquidadas ou não, e não pagas até 31 de

dezembro.

Pergunta:

Pergunta: Restos a pagar processados são despesas: a) Liquidadas, mas ainda não empenhadas e pagas. b)

Restos a pagar processados são despesas:

a) Liquidadas, mas ainda não empenhadas e pagas.

b) Resultantes de

compromissos gerados em exercícios

anteriores que não

foram pagas e que são reconhecidas no

exercício corrente.

Continuando: Restos a pagar processados são despesas: c) Empenhadas e liquidadas, mas ainda não pagas.

Continuando:

Restos a pagar processados são despesas:

c) Empenhadas e liquidadas, mas ainda não

pagas.

d) Que deixaram de ser

pagas, em virtude de

não terem sido empenhadas e

liquidadas.

e) Empenhadas, mas não liquidadas e pagas.

Resposta: Restos a pagar processados são despesas: c) Empenhadas e liquidadas, mas ainda não pagas.

Resposta:

Restos a pagar processados são despesas:

c) Empenhadas e liquidadas, mas ainda não

pagas.

Pergunta:

Pergunta: O Código Civil Brasileiro distingue os bens públicos dos bens particulares, descrevendo o seguinte em

O Código Civil Brasileiro distingue os bens

públicos dos bens particulares, descrevendo o

seguinte em seu artigo 98:

São públicos os bens do domínio nacional

pertencentes às pessoa

jurídicas de direito público interno, todos os outros são particulares, seja qual for a

pessoa a que pertencerem.”

Pergunta:

Pergunta: São bens públicos, EXCETO: a) Os de uso comum do povo, como rios, estradas, ruas

São bens públicos, EXCETO:

a) Os de uso comum do povo, como rios, estradas, ruas e praças.

b) Os de uso comum do povo, os de uso

especial e os dominicais.

c) Os edifícios ou terrenos de empresas terceirizadas,contratad as regularmente por governos federal,

estadual ou municipal.

Continuando: São bens públicos, EXCETO: d) Os bens dominicais são os que constituem o patrimônio

Continuando:

São bens públicos, EXCETO:

d) Os bens dominicais são os que constituem o patrimônio das pessoas jurídicas de direito

público, como objeto de direito pessoal, ou

real de cada uma dessas entidades.

e) O prédio da Prefeitura e da Câmara Municipal.

Resposta:

Resposta: São bens públicos, EXCETO: c) Os edifícios ou terrenos de empresas terceirizadas, contratadas regularmente

São bens públicos, EXCETO:

c) Os edifícios ou terrenos de empresas terceirizadas, contratadas regularmente por governos

federal, estadual ou municipal.

Finalizando

Tema 4: Regime de adiantamento, Patrimônio Público, Créditos adicionais e

Fundos especiais.

Créditos Adicionais Do ponto de vista legal: “ São autorizações de despesas não computadas ou

Créditos Adicionais

Do ponto de vista legal:

São autorizações de despesas não

computadas ou insuficientemente dotadas na Lei do Orçamento.

Classificam-se em:

Créditos Suplementares;

Créditos Especiais;

Créditos Extraordinários.

Fundos Especiais De acordo com o art. 71, da Lei n.° 4.320/64, o Fundo Especial

Fundos Especiais

De acordo com o art. 71, da Lei n.° 4.320/64, o Fundo Especial é constituído pelo produto de

receitas específicas que, por lei, vinculam-se à

realização de determinados objetivos ou serviços, facultada a

adoção de normas

peculiares de aplicação.

Fundos Especiais Classificam- se em: • Fundos especiais de Despesa; • Fundos Especiais de Financiamento;

Fundos Especiais

Classificam-se em:

Fundos especiais de Despesa;

Fundos Especiais de Financiamento;

Fundos de Natureza Contábil.

Fundos Especiais • Fundos especiais de Despesa: Constituem os Fundos Especiais de Despesa as receitas

Fundos Especiais

Fundos especiais de Despesa:

Constituem os Fundos Especiais de Despesa as receitas que se vinculam à realização de

objetivos ou serviços de órgãos ou unidades

administrativas, que possuem as

condições de execução

orçamentária e financeira.

Fundos Especiais • Fundos Especiais de Financiamento: Constituem Fundo Especial de Financiamento as receitas que

Fundos Especiais

Fundos Especiais de Financiamento:

Constituem Fundo Especial de Financiamento as

receitas que se vinculam à execução de

programas de empréstimos e financiamentos a entidades públicas ou privadas, sem personalidade jurídica que, geralmente, devem

ser administrados por

uma instituição financeira

oficial ou vinculada à

administração pública.

Fundos Especiais Fundos de Natureza Contábil: Constituem Fundos de Natureza Contábil o recolhimento, a movimentação

Fundos Especiais

Fundos de Natureza Contábil:

Constituem Fundos de Natureza Contábil o recolhimento, a movimentação e controle de

receitas e sua distribuição para a realização de

objetivos ou serviços

específicos, atendidas as

normas de captação e

utilização dos recursos que forem estabelecidas na lei

de instituição do fundo.

Fundos Especiais Observamos que a instituição de fundos especiais depende da existência de produto de

Fundos Especiais

Observamos que a instituição de fundos especiais depende da existência de produto

de receitas que têm condições de ser utilizada

para sua constituição, receitas essas que são classificáveis como

Receita Orçamentária.

Fundos Especiais Devemos mencionar que a instituição de fundos especiais deve provocar, nos órgãos onde

Fundos Especiais

Devemos mencionar que a instituição de fundos especiais deve provocar, nos órgãos onde são constituídos, uma adaptação, mas

não

uma

modificação

organizacional, para sua implementação, sendo

necessária,

eventualmente, uma revisão nos

procedimentos.

na

estrutura

Fundos Especiais Exemplo: Em razão de passar a arrecadar receita, precisamos providenciar formulários, como guias

Fundos Especiais

Exemplo:

Em razão de passar a arrecadar receita,

precisamos providenciar formulários, como guias de recolhimentos, preenchidos pelos interessados

em ter recolhido o valor em estabelecimento

bancário. Deverá haver alguém

encarregado de proceder ao

registro da receita orçamentária, via sistema

informatizado ou não.