Você está na página 1de 27
steer Y ees) =Portugués BY Feicdp area er-] *Ciéncias Naturais Baal ket «Historia e Geografia de Portugal Baltora INDICE ‘Ao Aluno Ags Pais e Professores PORTUGUES FICHA 1 O texto escrito FICHA 2 Pontuagdo | Acentuacio FICHA 3 ‘A rase simples FICHA 4 Onome FICHA 5 O determinante | quantificador. FICHA 6 O adietivo FICHA 7 O verbo FICHA 8 O pronome. FICHA 9 Oadvérbio FICHA 10 A preposigio. FICHA 11 Relagdes entre palavras FICHA 12 Formacio de palavras MATEMATICA FICHA 1 Fragbes FICHA 2 ‘Adicio, subtracio, muliplicacao e dviso de nimeros racionals ndo negativos FICHA 3 ‘Maximo divisor comum € minime miitiplo comum de dois nimeros I Citrios de divsbiidade FICHA 4 ‘Maximo divisor comum e minim miitiplo comum de dois nimeros I FICHA 5 Angulos FICHA 6 Triangulos FICHA7 Medio de éreas FICHA 8 Expressbes algébicas . FICHA 9 Expressoes numéricas FICHA 10 Graficos cartesianos FICHA 11 Representagao e tratamento de dados CIENCIAS NATURAIS FICHA1 Terra, um planeta especial FICHA 2 Solo, material suporte de vida FICHA 3 Inmportancia da Agua para os seres vivos 1SBN 974.972-0-01686-1 FRAGAO O quociente exato a:b de dois ntimeros naturais 2 e b pode ser | | representado pela fracéo - | Ey Uma fracao é constituida por dois termos: 0 numerador que esta escrito por cima do traco da fracio e o denominador que esta escrito por baixo do traco da fracao. Naressorarclt b —Denominador Exemplos: . 4 € lé-se “quatro quintos” + Z ele-se “sete doze avos” V Qualquer fragdo cujo numerador é maior do que o denominador pode escrever-se sob a forma de numeral misto. 17 _5 454542 | Fragdes que representam o mesmo néimero denominam-se fragdes equivalentes. Nota: Obtém-se fragdes equivalentes multiplicando ou dividindo pelo mesmo nimero o numerador e 0 denominador da fracao. xs 22.95 ee Bxemplos: $= 55 8 © © Faz de detetiver Identifica o intruso em cada uma das situagdes matematicas. A a c . i eee 70 57 2k Be n 20 00, 30 94 cr 700 5 01 20 ae Bingo das fracoes equivalentes! Observa os cartes que fazem parte do jogo. BO es BaP hpaes eee Bo 3897) 4 BienB glo iBeape 2512) Fo. Um jari retira, de uma caixa, cartas onde esto inscritas fragdes. Cada jogador tem de verificar se tem aquela fracdo ou equivalente no seu car- tao e marcé-la. Ganha este jogo o primeiro que conseguir preen- cher uma linha do seu cartao (na horizontal, ver- tical ou diagonal) e exclamar “Bingol”. A ordem de saida das fragées foi a seguinte: #414 carta: seis dezoito avos = 2.2 carta: cineo décimos 3. carta: quatro quintos + 4. carta: oito sextos + 5.4 carta: vinte doze avos #6.‘ carta: quatro vinte avos carta: dezoito quartos E jd temos vencedor! Assinala nos cartes as fragdes que sairam e descobre afinal quem ganhou 0 jogo. Completa a seguinte tabela: Diviséo_ 21: 100 05 6.1. 6.2, 6.3. 6.4. Observa a figura e completa as afirmagoes. ; da figura esta pintado de e 6 WIN als Bl da figura esta pintado de da figura esta pintado de da figura estao pintados de © fim de semana da Sara foi ocupado da seguinte forma EB i do tempo foi passado a ler; 0,4 do tempo foi passado a dormir, *0,3 do tempo foi passado aestudar; # o restante do tempo a ver televisdo e a brincar com os amigos. AA Sara passou mais tempo a dormir ou a estudar? Representa na forma de fracdo irredutivel a parte do tempo que passou a estudar. Indica a fragao correspondente ao tempo que a Sara ocupou a ver televiséo e a brincar com os amigos. i Ordena os tempos referidos por ordem decres- cente. Depois de resolveres esta ficha, 29J consulta as solugdes na pag. 120. Adicao, subtracio, multiplicacao e divisao de nam ADIGAO E SUBTRACAO DE NUMEROS RACIONAIS v Para adicionar (ou subtrair) fragdes com o mesmo denominador, mantém- -se 0 denominador e somam-se (ou subtraem-se) os numeradores. Para adicionar (ou subtrair) fragGes com denominadores diferentes, reduzer- -se as fragbes ao mesmo denominador e adicionam-se (ou subtraem-se) as fragdes. Serio tole Exemplos: $+ 545-5 Tage eae 6 papaeeion 63)6.2) MULTIPLICAGAO E DIVISAO DE NUMEROS RACIONAIS V Multiplicagao de dois niimeros racionals nao negativos representados na forma de fracdo é uma fragdo em que o numerador é o produto dos numeradores e 0 denominador € 0 produto dos denomina- dores. Exemplo: 2 V Divisao de dois ntimeros racionais nao negativos representados na forma de fracao é uma fragéo em que se multiplica 0 dividendo pelo inverso do divisor (que tem de ser diferente de zero). sonar ee Exemplo: ©: 3 = = 5'4°5°3 15 @ Nos sacos A, B & C estéo berindes. Cada saco tem um peso diferente, como podes ver na figura. 4.1. Quanto pesam ao todo os berlindes que esto nas trés bolsas? 4.2. Qual a bolsa que pesa mais? E menos? A 8 iS 4.3. Quanto pesa a mais a bolsa mais pesada em relacdo & bolsa mais leve? © calcula e apresenta a resposta na forma irredutivel 440243 21" 10 2.4. win x 27: x Niw NIo vIn NIB AL WAV GeN © completa o quadro efetuando os célculos na GB) AD. Margarida comprou vertical e na horizontal, apresentando o resul- 5 kg de marmelo para tado na forma de fra¢ao irredutivel. fazer marmelada. Por cada quilograma de marmelo gasta 2kg de agiicar. Relativamente a esta situacdo, diz o que repre- senta a expresso 3x 5 Seer ad, 8 8 8 @© As seguintes expressdes: 2x135000 e 2x 125000 representam a quantia em euros que os pais da Cristina e os pais do Vitor jé pagaram pelo empréstimo que fizeram ao banco para comprar os seus apartamentos. ‘A qual dos pais (da Cristina ou do Vitor) falta pagar mais? Faz a comespondéncia entre cada expressao numérica e a sua leitura, A diferenca entre 0 quociente de um meio por dois tergos € ‘o produto de cinco sextos por um meio. (© produto de um meio pela soma de dois tercos com cinco sextos. © quociente da soma cde um meio com dois tergos por cinco sextos. @. D. Mara foi ao mercado e comprou 500 g de bananas, dois quilos e meio de was, 2kg de mangas e kg de macas. seré que uma nota de 5 euros e trés moedas de 2 euros chegaram para pagar a despesa? | Fruta Bananas | Uvas | Mangas | Macas Preco/kg (em euros) 20 230 1.56 0,80 Depa de toca ioe faa Serra ee auc fale MULTIPLOS E DIVISORES DE UM NUMERO V O miltiplo de um niimero natural é todo o niimero que se obtém multipli- cando 0 ntimero dado por um qualquer numero natural ou por zero. Exemplo: M,={0, 5, 10, 15, ...) V O divisor de um niimero é qualquer numero que o divide um numero exato de vezes. Exemplo: Dj, miltiplo de 1,2, 4,7, 14, 28}e diz-se que, por exemplo, 28 é } 2 Edivisor de 28 ou 28 é divisivel por 2 MAXIMO DIVISOR COMUM E MiNIMO MULTIPLO COMUM DE NUMEROS © minimo mailtiplo comum (m.m.c.) de dois ou mais nimeros é 0 menor | dos seus miltiplos comuns diferente de zero. (© maximo divisor comum (m.d.c.) de dois ou mais nmeros é 0 maior dos | seus divisores comuns. | V ALGORITMO DE EUCLIDES Determinar m.d.c. (850, 126). Cilculos auxiliares eee 5 z 55 350 [126 126 [98 eens nema Peale 350 | 126 98 28 14 98 [28 28 [14 Resto | 98 28 ae | a ert Roa Resposta: m.d.c. (350 , 126) = 14 v CRITERIOS DE DIVISIBILIDADE a) por 2: umntimero natural é divisivel por 2 quando o algarismo das unidades é 0, 2, 4, 6 ou 8 b)por 3: um némero natural é divisivel por 3 se a soma dos seus algarismos for divisivel por 3 ©) por 4: umnéimero natural € divisivel por 4 se terminar em 00 ou 0 niimero formado pelos seus dois tltimos algarismos for multiplo de 4 d)por 5 : umniimero natural é divisivel por 5 quando o algarismo das unidades € 0 ou 5. e) por 9: umnimero natural é divisivel por 9 se a soma dos seus algarismos € divisivel por 9 . f) por 10 : um ntimero natural é divisivel por 10 se 0 seu algarismo das unidades € 0 @ Escreve nos baldes os niimeros da lista, ndicando destes os que sao miltiplos de 5 miltiplos de 7 Ve ( t 4 Miltiplos de 5 ~~ i fie ‘Miltiplos de 7 See Observa a seguinte lista de nuimeros e assinala 05 que séo miltiplos de 3 Calcula mentalmente. mam.c. (2, 3) -m.m.c. (4, 12) mad.c. (10 , 30) Usa 0 algoritmo de Euclides para determinares: -m.d.c. (129 , 251) 129 mad.c. (306, 170) 43. m.d.c. (330, 240) © o Nuno tem entre 300 € 350 cromos. Se os contar de 2 em 2,de 3 em 3 oude 5 em 5 , nao Ihe sobra nenhum. ‘Quantos cromos tem o Nuno? © Excreve todos os ntimeros entre 200 e 230 que sejam 6.1. divisiveis por 3: 6.2. divisiveis por 4: 6.3. divisiveis por 9: RB.CRS-08 @ Eietua as operacées e simplifica as expressdes. 24 3) © considera a seguinte tabela de ntimeros. Circunda aqueles que sao divisiveis simultaneamente por 2 epor 3 46 | 27 | 12 | 21 | 28 72 | 45 | 13 | 90 | 93 28 | 66 | 70| 1 | 108 39 | 100] 41 | 126) 0 45 | 2 |ieag <3.) 50 @© dois nimeros dizem-se primos entre si se © s6 se 0 maximo divisor comum entre eles é igual a1. Dosniimeros 40, 55 € 63, indica: 9.1. dois que sejam primos entre si: 9.2. dois que nao sejam primos entre si: ® Responde “sim” ou “Nao” e justifica. 10.1. E possivel distribuir 50 bombons em caixas de 4 cada uma sem sobrar nenhum? 10.2. E possivel presentear igualmente 9 amigos, distribuindo 62 chocolates inteiros, sem que sobre algum? 10.3. possivel arrumar 236 cadernos em caixas iguais de 4 cadernos cada? Depois de resolveres esta ficha cate te clench nla Tb. Maximo divisor comum e minimo m TUTTI exe OSM Para resolver problemas que envolvam m.m.c. ou m.d.c. de némeros: + comeca por interpretar bem o que é pedido; * questiona-te: “Estamos a dividir ou a multiplicar?”; * infere qual dos nimeros (m.m.c. ou m.d.c.) importa determinar. Exemplos: 1..No alto de uma torre, duas luzes piscam com frequéncias diferentes. Uma luz vermelha pisca de 5 em 5 minutos € uma luz azul pisca de 12 em 12 minutos. Se, num dado instante, as duas luzes piscam em simultaneo, determina quanto tempo depois isto voltara a acontecer. Resolucao: Luz vermelha: 5 min , 10 min, 15 min, .. Luz azul: 12 min , 24 min , 36 min, . Determinemos os miltiplos de 5 e 12 e procuremos 0 m.m.c. (5, 12) M, ={0, 5, 10, 15, 20, 25, 30, 35, 40, 45, 50, 55, 60, 65, 70, 75, ...} Mz = {0, 12, 36, 48, 60, 72, ...} mm.c. (5, 12)=60 As luzes vermelha e azul voltardo a piscar em simultneo daqui a 60 minutos , ou seja, daqui a exata- mente uma hora. 2. Uma editora tem um stock de livros para oferecer a algumas escolas. De Matematica tem 1780 exemplares e de Ciéncias Naturais tem 1400 exemplares. Pretende embalar em caixas com a mesma quantidade de livros de cada uma das disciplinas. Determina quantas caixas podem ser embaladas de forma a enviar a cada estabelecimento o maior nimero possivel de livros. Resolucao: © stock de livros de Matematica, e também o de Ciéncias Naturais, terdo de ser divididos em partes iguais para que possam colocar-se nas caixas. Determine-se ento, 0 m.d.c. (1780, 1400) . Usando 0 Algoritmo de Euclides: 1 3 1 2 6 | Aeditora podera enviar 20 caixas com igual Gan P a4 | ae0 | 260) 120) 20 | quantidade de livros de cada uma das obras. ~ Matematica: 1780 : 20 = 89 380_| 260 | 120 | 20 0 _| Ciencias Naturais: 1400 : 20=70 @ ce uma central de camionagem, saem autocarros de 18 em 18 minutos e comboios de 24 em 24 minutos, com o mesmo destino. As 8 horas da manha partem um comboio e um autocarro, simultaneamente. 4.4. Determina as horas em que voltam a partir ao mesmo tempo o comboio € 0 autocarro. 4.2. Se um utilizador de transportes pablicos partir da central pelas 10:00 , qual o meio de transporte que utilizou? = = 2 Na quinta do Sr. Morgado ha trés mochos, que hoje piaram juntos & meia-noite. Mas + 0 primeiro mocho sé pia de 3 em 3 horas; * 0 segundo mocho s6 piade 8 em 8 horas; * 0 terceiro mocho s6 pia de 12 em 12 horas. Quantas vezes vao tornar a piar os trés juntos durante a proxima semana? Na quinta do Sr. Morgado ha um terreno retangular murado, com 204m de com- primento por 120 m de largura, onde ele pretende plantar drvores de fruto. O Sr. Morgado quer plantar as arvores de tal forma que a distancia entre elas, bem como entre as arvores € os muros, seja maxima e sempre a mesma. A que distancia (4) umas das outras devem ser plantadas as arvores? - Quantas arvores é possivel plantar no terreno? © Joao vai fazer pacotes de guloseimas para oferecer aos seus amigos na sua festa de aniversdrio. Para isso, comprou 45 chocolates, 20 gomas e 50 rebucados. Quantos saquinhos pode fazer de forma a garantir que todos fiquem com o mesmo contetido? Os alunos de trés turmas vao participar no sarau da escola. O professor de Educacao Fisica pretende disp6-los em filas com 0 mesmo némero de alunos mas verifica que: ‘se dispuser os alunos em filas de 2 ou de 4, sobra sempre um aluno; ‘+ se dispuser os alunos em filas de 3 ou de 5, sobram sempre dois alunos; +o ndimero total de alunos é inferior a 100. 4, Quantos so os alunos que vao participar no sarau? E possivel dispor os alunos tal como pretende 0 professor? Em caso afirmativo, identifica a disposicao. §© Na quinta do Sr. Morgado produziram-se 850 litros de azeite no ano passado. O sr. Morgado pretende engarrafé-los em garrafas de 75 cl e de 1 litro e em garrafdes de 5 litros, de tal forma que fique com o ntimero mais aproximado possivel de recipientes de cada tipo. Como € que o Sr. Morgado deverd proceder? Depois de resolveres esta. fiche 85 J consulta as solugdes na pag. 121. Angulo: € cada uma das regides do plano limitada por duas semirretas com a mesma origem designada por vértice do angulo. As semirretas sao os lados do angulo. Na figura ao lado estao representados os angulos AOB (regido a vermetho) e BOA (regiao a verde). Em qualquer angulo, a medida pode ser traduzida / em graus (°) designa-se por amplitude. Vertice CLASSIFICACAO DE ANGULOS ‘Agudo Reto Obtuso Raso Giro. or Depois de resolveres esta ficha ‘consulta as solugdes na pg. 121. CLASSIFICACAO DE TRIANGULOS CLASSIFICACAO DOS TRIANGULOS QUANTO AOS ANGULOS. Trlangulos acutangulos Triangulos retangulos Triangulos obtusangulos Triangulos que tém os trés Teénguloscamum anguloreto. Triéngulos com um angulo angulos agudos, obtuso. CLASSIFICAGAO DOS TRIANGULOS QUANTO AOS LADOS Triangulos escalenos Triangulos Isésceles ‘Trigngulos equiléteros hee | dae | AA Triangulos em que todos os Tridngulos em que dois lados_Triéngulos em que todos os Jados tém comprimentos dife- témomesmo comprimentoeo _lados tém © mesmo compri- rentes. terceiro comprimento diferente. mento. CRITERIOS DE IGUALDADE DE TRIANGULOS. Critério LLL CCritério LAL. Critério ALA ois triéngulos sao geometricamente Dols triangulos so geometricamente _Dois triangulos sio geometricamente iguais se, de um para 0 outro, tém os iguals se, de um para o outro, tm dois iguals se, de um para o outro, tém um 1u@s lados geometricamente iguais. laos geometricamenteiguaiséongula lado geometricamente igual e os dois por eles formado de igual amplitude. _angulos adjacentes de igual amplitude. V Propriedades dos triangulos + A lados geometricamente iguais opdem-se angulos geometricamente iguais * Ao menor lado opde-se 0 menor Angulo. * Ao maior lado opde-se o maior angulo. V Angulos internos e externos de um triangulo Na figura ao lado: * a, B e y sao angulos externos; ie © a, b e c sao Angulos internos. ‘A soma das amplitudes dos angulos internos de um triangulo é igual a 180°, ouseja, 2+6 +€ = 180° A soma das amplitudes dos angulos externos de um triangulo ¢ igual a 360°, ouseja, d +f +7 = 360°. Classifica os seguintes triangulos quanto 20s ~@) Representa por ordem crescente as medidas dos lados e quanto aos angulos. comprimentos dos lados do seguinte triangulo: 100° © cual a amplitude do angulo extemo 2 e dos Angulos internos b e c do seguinte triangulo? a 435° © Assinala os casos em que se pode concluir que 0 tri&ngulos sao geometricamente iguais 8 bs Ds et Determina o valor das incégnitas nos seguintes triangulos: © a > 2 gen FO\ gen De ae Be ro © constrsi o tiéngulo: 6.1. [ABC] sabendo que: AB=3cm; BC=6cm; AC=5cm. 6.2. [DEF] sabendo que: DE=5cm DF=4cm; EbF=45°. 6.3. [GHI] sabendo que: GH=7 cm; HGI=53°; Gh = 65°. Depois de resoheres esta fcha, 89 J consulta as solugdes na pag, 121. , AREAS Recorda as férmulas para calcular a medida da area de alguns poligonos (triangulos e quadriléteros) Paralelogramo Retangulo Quadrado SS =a — | Perimetro Area | | | 4.1. Completa o quadro usando [7] como unidade de medida de rea e — como unidade de medida de comprimento. 1.2. Se a unidade de medida de area for|\. , qual é a medida de rea de cada uma das figuras A, B, C, B,Fer? 4.3. Indica as figuras equivalentes que encontraste. © observa a figura e considera como unidade de medida de comprimento a distancia entre dois pontos consecutivos. Determina a medida da area de cada uma das figuras A figura representa parte de um desenho feito pela Patricia. Calcula a area do desenho atendendo a escala indicada. Determina a area e o perimetro de cada uma das seguintes figuras planas: 42. 120m 5 cm cat ism 125m 10cm bem 44. 400 em ——5on——+ © na praca principal da Cidade da Alegria existe um jardim com a configuracio indicada na figura, onde se produzem diferen- tes tipos de flores. Atendendo as dimens6es indicadas na figura, calcula: 5.1.0 perimetro do jardim; 5.2. a érea destinada a amores-perfeitos; 5,3, a area do paralelogramo destinado a tulipas; $5.4. a area total do jardim. Depois de resolveres esta ficha, ‘consulta as solugdes na pg, 121. VO que é uma variavel? € uma letra que representa um nlimero. V Quando utilizo uma variavel? Quando quero representar um némero desconhecido. V Expresso algébrica: £ uma expressdo que envolve ntimeros e letras rela~ cionados por operacées aritméticas. Exemplo: x +9 Traduzir linguagem natural para linguagem matematica Exemplo: Linguagem matematica Linguagem natural © dobro de um numero. 2 ‘Asoma de um nimero com 2 . y+2 © cubo de um niimero. Substituem-se as variéveis por ntimeros. V Calculo do valor de expresses com variavei: Exemplo: 22 +6t Se t=9 e z=3,, aexpressao toma o valor: 2x3+6X9=6454=60 @ considera as figuras seguintes, onde algumas dimensdes estao representadas por varidvels. Escreve as igualdades sugeridas por cada uma delas. 4.1. Area = 1.2. Perimetro = 13. 41.4.m+ = eee A seguir est representada parte da planta do 1.° andar da casa da Sofia. 2.1. Usando varidveis, indica uma expresso que tra- duza a érea do hall dos quartos. 2.2, Calcula a area do hall dos quartos. 2.3. Calcula o valor da expressio a+b. © Traduz para linguagem matematica (ou simbé- lica) as seguintes afirmagbes. 3.1. O cubo de um numero. 3.2. O dobro de um numero. 3.3. A diferenga entre 0 cubo de um ntimero e 2. 3.4. A raiz quadrada de um nimero ao cubo. © sabendo que uma caneta custa x euros, diz 0 que representam as seguintes expressdes: 4.4.3x 4.2.4K45: nix © Relembra as propriedades da adicéo e multip cacao e completa as expressdes seguintes, de forma a obteres afirmagGes verdadeiras. 5.1, Propriedade comutativa da multiplicagao axb= 5.2. Propriedade associativa da adicao a+(b+0= 5.3. A adigdo tem um elemento neutro at = 5.4. A multiplicacao goza da propriedade distributiva em relagao a adigao ax(b+0= @ calcula 0 valor de cada uma das seguintes express6es, considerando os valores indicados para as varidveis: 6.1. 3a+4 se a=2: 62.2b+3 se b= Sr 63,5-c¢se c= 3: 1 1 6.4..4+2d se d=5 212d se @ 06 hiugo tinha uma carteira com x cromos Ofereceu um terco deles ao seu primo Tiago. No Dia da Crianga, a Lara deu-lhe mais 5 cro- mos, mas ele acabou por perder 12 no regresso casa. Escreve uma expressdo, usando a variavel_ x , que indique: 7.1.0 ndimero de cromos com que ficou 0 Hugo depois de oferecer um tergo deles ao primo; 7.2.0 nimero de cromos que o Hugo tinha quando chegou a casa no Dia da Crianga. Depois de resolveres esta ficha, ‘consulta as solugées na pag. 121. @ considera as expresses numéricas seguintes: @) sto precisos 153 lépis para os (A)2x543x6 (B)3 x (17-9) (€)10- (5 +2) (D)20 : (6-1) No célculo do valor de uma expressdo numérica, tens de respeitar as seguin- tes regras de prioridade: 4.° Os paréntesis indicam as operagbes que tens de efetuar em primeiro lugar. 2.° Quando nao ha paréntesis as multiplicagoes e divisdes tém prioridade, devendo efetuar-se pela ordem em que aparecem. 3.° As Ultimas operagées a efetuar so as adigGes e subtracdo, igualmente pela ordem em que aparecem. Exemplo: 2 fate 2-©21+4) 2-17) 2+17 ie alunos de duas turmas de uma - escola. Os lapis que decidiram - comprar vendem-se em emba- : lagens de 10 , sendo o custo = de cada embalagem de 1,50 € —— 2.1. Quantas embalagens é preciso comprar? 1.4. Escreve a leitura das expressdes. (a) (B) (c) (D) 2.2. Qual 0 custo que a escola teré com a compra destes lapis? 2.3. Sabendo que cada aluno receberd 3 lépis, deter- mina 0 ndimero total de alunos nas duas turmas. @ Escreve as expressdes numéricas traduzidas pelas leituras que se apresentam e, de seguida, calcula o seu valor. 3.1. O triplo do quociente de dezoito por trés. 4.2. Calcula o valor das expresses. (A) (B) (c) (D) era aa 3.2. A soma de onze com o produto entre sete e dez. 3.3. Metade da diferenca entre vinte e trés e onze. © 0 sr. auintino comprou 13 kg de adubo para colo- car nas floreiras que tem nna sua quinta. Deitou 50 g em cada uma das floreiras e sobrou-lhe 100 g. 4.1. Indica, no contexto do problema, o que repre- senta a expressdo: 13 000 — 100 . 4.2. Calcula o némero de floreiras que 0 St. Quintino tem na sua quinta. © completa os espacos. 51.7% +10=31 52. x(5+4)-1=26 53.5+(13-2x )=8 5.4.40+5- x5=10 © odbserva 0 poligono seguinte 5m 2m] 7m 2m “am Escreve uma expressao e calcula 0 seu valor: 6.1. do perimetro do poligono; .2. da rea do poligono. @ carcula o valor das seguintes expressdes numé- ricas. Une, por meio de setas, cada expresso ao respetivo resultado. (19-0,2x5):6 . “1 (0,5 -0,4) : (1,3 -0,3x4) # °34 24+67+4403):5 ¢ +0 25+[18-(5-2)x3]* +10 56:8+1-8 . °3 8x7440:5 . ° 64 O5x(4+2%5):0,7 © o4 © oAkexandre tinha 5,00€. Armée deu-lhe quatro moe- das de 0,20 € e trés moe- das de 0,50 € . Ele correu para a loja e comprou duas j cademnetas de cromos a 0,75 € cada uma 8.1, Indica o que representa a express: 4x0,20+3 x 0,50 8.2. Escreve uma express4o que represente a quantia de dinheiro com que ficou o Alexandre depois de comprar as cadernetas. 8.3. Determina a quantia de dinheiro com que ficou 0 Alexandre. © descobre o erro nas igualdades seguintes e, de seguida, calcula o valor da expressio numérica inicial. 9.1.73 +5~-(7=10:2)=7x8-(7-5) 9.2.20 +2 (5-3) +15:5=20410-3+3 3 ane 93.3+05x3-(axo. +2)- 4 eo 3+}x2-(@xo) Depois de resolveres esta ficha EF ccdiits cilintiininitn Ce REFERENCIAL CARTESIANO Um referencial cartesiano é um par de retas numéricas nao coincidentes que se intersetam num ponto a que se chama origem do referencial, sendo fixados sentidos e escalas nas duas retas, a que se chamam eixos ‘coordenados. Quando o referencial cartesiano tem os eixos perpendiculares chama-se referencial ortogonal. Quando a unidade das escalas em cada reta é igual, chama-se referencial monométrico. © eixo coordenado que toma a posi- 0 horizontal diz-se eixo das abcissas e aquele que toma a posi¢ao vertical diz-se eixo das ordenadas. V Qualquer ponto marcado num referencial cartesiano tem duas coordenadas. A primeira chama-se abcissa e a segunda ordenada. P V Quando, num referencial cartesiano, € marcado um conjunto —43 | de pares ordenados obtém-se um grafico cartesiano. anlar Exemplos: 34 O ponto A tem de abcissa 0 e ordenada 13, entéoassuas 5 | coordenadas s4o: (0, 13). Os restantes pontos tém as seguintes coordenadas: BQ, 12);C(4, 9); DG, 6); EB, 3); FIO, 0). Sa @ considera o referencial cartesiano ao lado 4-1. Assinala, no referencial, os pontos: AGS; 0); B45; 11); C9, 9); DO, 1); EO, 1) e FO, 9) 1.2. Traga os segmentos de reta [AB], [CE] e [DFA SEEDS Eee Op 234567 8910) meee Gs No seguinte referencial cartesiano marcaram-se varios pontos. 10-42 2.1. Indica as coordenadas dos pontos: M, N, O, P,Q, R,S,T,U,V,W,X, YeZ. 2.2. Na frase que se segue risca palavra(s) de forma a transforma-la numa afirmacao verdadeira. Oreferencial cartesiano nao é ortogonal e nao é monométrico. © 0 sxético cartesiano que se segue indica as temperaturas registadas num determinado dia na cidade de Guimaraes. 3.1. Pela andlise do grafico, parece-te que as temperaturas foram registadas num dia de vero ou de inverno? Justifica. 3.2. Como se designa o eixo onde esto representad: 3.2.1. a hora do dia? 3.2.2. as temperaturas? 3.3. Qual foi a temperatura mais baixa registada nesse dia? A que horas ocorreu? 3.4, Qual a temperatura registada ao meio-dia? 3.5. O que representa 0 ponto (21,, 20) assinalado no grafico? s a Serena de resolveres esta ficha, ‘consulta asso a Serena 12. V A frequéncia absoluta de uma categoria/classe de determinado conjunto de dados é 0 niimero de dados que pertencem a essa categoria ou classe. V A frequéncia relativa de uma categoria/classe de determinado conjunto de dados é o quociente entre a frequéncia absoluta dessa categoria/classe € ‘onuimero total de dados. Exemplo: © Alexandre perguntou aos seus 10 amigos o niimero de mensagens escri- tas (SMS) recebidas no dia anterior, tendo obtido os seguintes resultados: 2a NR B isAtA lg 5 eed ia Ged ON Tabela de frequéncias: Namero Frequéncia Frequéncia desms | Contagem relativa (%) ll 20% i 30% 30% 20% 100% APRESENTACAO DE DADOS: ‘Apés a recolha e a organizacao dos dados estatisticos, a sua apresentacdo pode ser sob a forma de grafico de barras, grafico de linhas ou diagrama de caule-e-folhas, entre outros. GRAFICO DE BARRAS ‘GRAFICO DE LINHAS venice Mn tauiillil “ose 1999200 2601 200220032004 2005 2006 20072008208 ae aos ww Soot Saad Sout Sb Sood Seos at oom ‘Taxa de Desemprego (Sere 1998-%), por Género Grupo Evolugio da taxa de desemprego em Portugal taro (25-34 anos), Portugal, 1998-2009 in vewerine pt DIAGRAMA DE CAULE-F-FOLHAS 78 Numero de bolos vendidos no bar da 0233446789 escola da Diana durante trés semanas: | 439 338 248 V Amoda de um conjunto de dados quantitativos/qualitativos discretos é a categoria/classe com maior frequéncia, V A média aritmética ou média de um conjunto de dados numéricos determina-se dividindo a soma de todos os valores pelo ntimero total dos mesmos. Pode representar-se por X Considera a seguinte tabela onde estdo registadas as temperaturas maximas, em graus Celsius, em Portugal continental durante uma semana do més de abril de 2010. 4. Em que dia da semana se registou a temperatura mais baixa? 2. Constréi o grafico de linhas e o de barras que traduzem esta situagio. 3. Explica, por palavras tuas, a variagéo da temperatura. - Determina a temperatura média em Portugal continental durante a semana. Ana registou no seu caderno as alturas, em centimetros, dos seus colegas de turma. 84 95105 81 75 7a g8 72 89 100 105 10997 9B..4195 BOs 115. > BOK, 94 290 2.1. Constréi o diagrama de caule-e-folhas representativo da situacao descrita. 2.2. Determina a altura média dos colegas de turma da Ana. © 0 grafico de linhas seguinte descreve a evolucéo do abandono escolar em Portugal, Espanha e nos 27 paises da Unido Europeia (UE 27). 3.1. Em que periodo de tempo foi realizado 0 estudo —_—_Abandono escolar (populacao entre 18 e 24 anos) apresentado no grafico? 3.2. Qual a zona que apresenta maior taxa de aban- dono escolar ao longo dos anos? E menor? 3.3. Indica em que ano foi ultrapassado os 45% de abandono escolar em Portugal. 3.4. Apresenta uma estimativa da taxa de abandono escolar nos anos 2000 e 2007 em Portugal, Espanha e UE 27. —Sspanha’ —Portugab? — = UEZ7 2000 010280007 1 cua se 2008 2 Quan dese 208 5 Dads pss 2006, 207 3.5. Descreve a evolugao da taxa de abandono escolar de Portugal entre os anos 2000 e 2007. poe ag J>eP0 de escveres esta che ‘consulta as solugdes na pag, 122. Matemitica FICHA 1 > Pip 28 tA: 2osdosqunas Lummi C: 2 ts qunts fl oa TA ee et 4 ay 100, 94 S 5 9 26 @ 5 3 7 3 2 cara rune Rita Foi a Rta que ganhow ojogo. “ aie eT a zt 8 a5 a Hi 2 729 2 2 a 7 2 aa 2 a +. +1 aa gees pine devemeta + atu pit de det date pido dt +2 dan te par de 1 c4o4>02>4>01 FICHA 2 > Pig. 30 4 11. Cerca de 917 g 1.2. Osaco 8.0 saco C 4 psa tmasowede 2g 4, Aexpressio representa a quantidade de agar, em quilogramas, necesséria para confecionar marmelada com 5 kg de marmelos. 5. Aos pais do Vitor (50 000 €). 120 © produto de um melo pela soma de dois eros com cinco sextos A diferenga entre 0 quociente d= ‘um meio por dois tegos e 0 pro- duto de cinco sextos por um meio. (© quociente da soma de um meio ‘cam do's tergos por cinco sextos. 1 e 3) FeO 7. Sim,aD. Maria tinha 11 € e gastou 8,67 €. FICHA 3 > Pig. 32 4, Mltiplos de 5: 10, 15, 55, 70, 105, 195 Maltiplos de 7:7, 14, 21, 63, 70, 105, 119 2.150, 981, 99, 810, 456, 486, 936, 207 2 34.6 32.12 33.10 4, 4A. mad.c. (129 ,251) =1 as [ax] rie eae wef sea [ere [oa S| sO. 42. mac. 06, 170) [see [70 T3634 cr ET 43, mad.c. (830 , 240) = 30 [eae oe] ez ax | 20 [30 | | 30 0 [ops Lo 5. © Nuno tem 330 cromos. 6. 6:.201, 204, 207, 210, 213, 216, 219, 222, 225, 228 62.204, 208, 212, 216, 220, 224, 228 63.207, 216, 225 a re cree "9 781236 3636-364 64) 6:2) 63) es) mme.(@, 12, 18)=36; mac. G6, 81) = ey eee eee) “4208 \18 4) 24 24 \36 36: ob cen Om or 1315 3930 2436272 oh a ea mo 3. 9.1. 40 ¢ 63 ou 55 © 63 92. 40 ¢ 55 2 10. 40.1. Nao, 50 nao é divisvel por 4 10.2. Nao. 62 ndo é divisvel por 9. 40.3. Sim. Cada caixa com 59 caderos. s/ol@l=* As 9h 12min. 4.2. Comboio 2. Sete vezes (sempre & meia-noite) 3 3A. d = ma.e. (120, 204) = 12 3.2. 144 drvores. 44, Cinco sacos, cada um com $ chocolates, 4 gomase 10 rebu- sades. 5. 5.4.77 alunos. 5.2. Sim: 7 filasde 11 alunos ou 11 fils de 7 alunos. 6.128 garrafas de 0,75 tro ; 129 garrafas de 1litro; 125 gar- rafoes de 65 itros FICHA 5 > Pig 36 3. Por exemplo: FICHA 6 > Pig 38 a Tena 2 24x 22.x=70° 23.x=90", y=60" 3. BC Pip. 40 1 44, eo a | mcs | Be - 2[e2 |e | wo |» | 2 a 3 | a ER Pale [ASE SRDS AK CHT RCD) f nee | | SE 4.3. Figuas A, De E DA=95; Ag=16; Ac=3,5; A Aa. A= 16cm; P=32.0m 5. 54A.30m —— 52.625mr —53.30m? — 5.4.54,25 mi? FICHA 8 > Pig «2 1 1a.d tnesrerter ABatbte — 1am+p+n=360" 21.222 aa. nasn 23.98m 3 a4? 32. 2y 3ad-2 34Ve 4 4.1, © prego de trés canetas. 4.2. A soma do prego de quatro canetas com 5 euros. 4.3, Metade do prego de uma caneta. By SA.axb=bxa 52.arb+o=(a+b)+e 53.a+0=a 5A.ax(b+o =axb+axc 121 FICHA 9 > Pag 44 na 1.1. (A) A soma do dobro de cinco com o trplo de ses. (B) 0 triplo da diferenca entre dezassete © nove. (©) A ciferenga entre dez e a soma de cinco com dois. (0) 0 quociente de vinte com a diferenca entre seis ¢ um. 12.(A) 28; (B) 24; (©) 3; (0) 4 Bs 2.16 embalagens. 2.2.24 2.3.51 alunos. 3. 34.3% (18:3)=18 32.1147 x10)=81 33. @3-11):2=6 4 4A. A quantidade de adubo, em gramas, que fol deitada nas floeiras 42. 258 floreias. 5. 54.3 6 6A.5+5424444444+2=26m 62.4x4 + (8x3):2=28 m? 52.3 53.5 54.7 7.(19-0.2%5):6 1 (5-04): (13-03«4) 34 246744403):5 ° 25+ (18-G-2)x3] 10 56:8+1-8 3 8x7 +40:5 oa 05x (4 +2x5):07 4 a 8.1. A quantia de dinheiro que a mae do Alexandre he deu. 82. 5,00 + 4x0,20 + 3x0,50-2%0,75 83.580€ 9% 94.73 + 5-(7-10:2)=7x@- 7-5) 7x3 +5-@-10:2)=7x3+5-@-5) =2145-2=26-2=24 92,20 + 2x (5-3) + 15:5=20+@0—B+3 20+ 2x (5-3) + 15:5=20+2x2+15:5= 20+4+3=27 2) 1 10; x34+5-2 : 40) td -(& 2) 2%5 \10" 10 1 1 5 3M, 70" 70 10 10 122 2 24. M6, 205 00, 9; 6; 55): 509, 0; UC6; 65); was; 45); ys, 3); Z@0, 3) 9. © referencial cartesiano & gonal endo é monométrics. 3.1. Foram registadas num dia de verdo, uma vez que se atingiram temperaturas na ordem dos 30°C 3.2.1. Elxo das abcissas. 3.2.2, Exo das ordenadas. 3.3. 2,5°C registada as 3 horas. 3.4, Ao melo-dia registou-se a temperatura de 27,5 °C 3.5, As 21 horas registou-se a temperatura de 20°C OHA 11> Pie 8 414.34ora cai renee ahi Sn tind Ds. Das. Bs. & s{—____— i i peas ovrdaias yeggdae | REGSGaR 41.3. Ao longo da semana a temperatura variou entre os 13 °C (na 3.“fera e 0s 18 °C (na 5.*feira e domingo); houve portanto uma amplitude de 5.° C durante a semana. 1.4, Aproximadamente, 163°C ay 2a. 7/125 al14899 alo045578 100559 nls 2.2.92,1 em & 31. Entre 2000 e 2007. 3.2, Maior taxa de abandono escolar: Portugal ‘Menor taxa de abandono escolar: UE 27 3.3. Ano 2002 3.4. Ano 2000 Portugal: 42,5% | Espanha: 29% © UE27: 17.5% ‘Ano 2007, Portugal: 37% Espanha: 32% © UE27: 15% 3.5. Entre os anos de 2000 e 2002 o abandono escolar em Portugal aumentou. A partir af, observa-se um decréscimo, apesar de fem 2006 ter sucedido uma tendéncia inversa, mas ligera