Você está na página 1de 11
APOSTILA DE FUTSAL

APOSTILA DE FUTSAL

APOSTILA DE FUTSAL

FUTEBOL DE SALÃO OU FUTSAL

Existem duas versões sobre o seu surgimento. A primeira é que surgiu em 1940 no Estado de São Paulo, na Associação Cristã de Moços. Os jovens enfrentaram dificuldades em encontrar campos de futebol disponíveis para jogarem, então, improvisaram as partidas nas quadras de basquete, hóquei, ginásios e etc. No início, jogavam-se com cinco, seis ou sete jogadores em cada equipe, mas logo definiram o número de cinco jogadores para cada equipe. As bolas usadas eram de serragem, crina vegetal, ou de cortiça granulada, mas apresentavam o problema de saltarem muito e frequentemente saiam da quadra de jogo, então tiveram seu tamanho diminuído e seu peso aumentado, por este fato o futebol de salão foi chamado de “Esporte da bola pesada“. Há também a versão, tida como a mais provável, de que o futebol de salão foi inventado em 1934 na Associação Cristã de Moços de Montevidéu, Uruguai, pelo professor Juan Carlos Ceriani, que chamou este novo esporte de “Indoor-foot-ball“.

Juan Carlos Ceriani

Juan Carlos Ceriani

Charles Miller (Pai do futebol no Brasil)

Charles Miller (Pai do futebol no Brasil)

PRIMEIRAS ENTIDADES OFICIAIS

Habib Maphuz é um dos nomes que mais se destaca nos primórdios do futebol de salão. Maphuz era professor da ACM de São Paulo e no início dos anos cinquenta participou da elaboração das normas para a prática de várias modalidades esportivas, sendo uma delas o futebol jogado em quadras, tudo isto no âmbito interno da ACM paulista, este mesmo salonista fundou a primeira liga de futebol de salão, a Liga de Futebol de Salão da Associação Cristã de Moços. Mais tarde o professor se tornou o primeiro presidente da Federação Paulista de Futebol de Salão. Em 28 de Julho de 1954 foi fundada a Federação Metropolitana de Futebol de Salão, atual Federação de Futebol de Salão do Estado do Rio de Janeiro, a primeira federação estadual do Brasil, sendo Ammy de Moraes seu primeiro presidente. Neste mesmo ano foi fundada a Federação Mineira de Futebol de Salão. Em 1955 foi fundada a Federação Paulista de Futebol de Salão. O que se viu a partir de então foi o desencadeamento da origem de federações estaduais por todo o Brasil. Em 1956 as Federações cearense, paranaense, gaúcha e baiana. Em 1957 a catarinense e a norte-rio-grandense, em 1959 a sergipana. Na década de 60 foram fundadas as Federações de Pernambuco, do Distrito Federal, da Paraíba, enquanto na década de 70 tiveram origem as federações acreanas, a do Mato Grosso do Sul, a goiana, a piauiense, a mato-grossense, e a maranhense. Nos anos 80 foram fundadas as federações amazonenses, a de Rondônia, a do Pará, a Alagoana, a do Espírito Santo e a Amapaense. E, finalmente, na década de 90 vieram as mais novas: Roraimense e a Tocantinense.

QUADRA

QUADRA A quadra de futsal tem no máximo 42 metros de comprimento e 25 metros de

A quadra de futsal tem no máximo 42 metros de comprimento e 25 metros de largura.

BOLA

42 metros de comprimento e 25 metros de largura. BOLA A bola será esférica. O invólucro

A bola será esférica. O invólucro será de couro macio ou de outro material aprovado sendo separados de acordo com a circunferência da bola; principal, juvenil e infanto-juvenil; infantil e feminino; mirim; iniciantes. Nas categorias Adulto, Sub 20 e Sub 17, as bolas em sua circunferência terão no mínimo 62 cm e no máximo de 64 centímetros. Seu peso será de mínimo 400 gramas e no máximo 440 gramas Nas categorias Sub 15 e feminino, as bolas em sua circunferência terão no máximo 59 centímetros e no mínimo 55 centímetros. Seu peso será de mínimo 350 gramas e no máximo 380 gramas

Nas categorias Sub 13, Sub 11 e Sub 9, as bolas em sua circunferência terão no máximo 55 centímetros e no mínimo 50 centímetros. Seu peso será de mínimo 300 gramas e no máximo 330 gramas

Nas categorias com faixa de idade inferior ao Sub 9, as bolas em sua circunferência terão no máximo 43 centímetros e no mínimo 40 centímetros. Seu peso será de mínimo 250 gramas e no máximo 280 gramas.

- 05 jogadores titulares;

- 09 jogadores reservas (até);

- 01 técnico;

- 01 assistente técnico;

- 01 fisioterapeuta;

- 01 médico;

- 01 preparador físico.

EQUIPE

TEMPO DE JOGO

Para categoria Adulto, Sub-20 e Sub-17, serão de 20 minutos no primeiro tempo, um intervalo de 10 minutos e o segundo tempo com mais 20 minutos de jogo.

Para categoria Sub-15, será de 15 minutos no primeiro tempo, um intervalo de 10 minutos e o segundo tempo com mais 15 minutos de jogo.

JOGADORES

Goleiro

As últimas regras

lhe dão a possibilidade de lançar a bola com as mãos diretamente para o outro lado da quadra. ( ) observa-se que o goleiro de futsal deverá possuir também as mesmas qualidades técnicas dos demais jogadores de linha".

"Este é o responsável por defender e impedir que a bola ultrapasse a linha de gol. (

)

Fixo "Sua função básica é defensiva, porém deve saber o momento exato participar de algumas manobras ofensivas, como organizador, abrindo espaços para os companheiros e chegando como homem surpresa para o arremate a gol. Este jogador deverá também orientar os colegas durante a marcação e ter um bom senso de cobertura".

Alas (direito e esquerdo) "São os responsáveis pela construção das jogadas e tem a tarefa de marcar e atacar".

Pivô "Este é o responsável pela distribuição das jogadas e, quando acionado, exerce as ações de finalização e de abrir espaços na área adversária para a penetração de seus companheiros. A sua característica básica é saber jogar de costas para o gol".

SUBSTITUIÇÕES

Poderá fazer inúmeras substituições, desde que feita pela zona de substituição. Respeitando a saída do jogador a ser substituído.

IMPEDIMENTO

No futsal não existe impedimento.

BOLA DE SAÍDA

A equipe vencedora do sorteio escolherá a meia quadra onde irá iniciar a partida e a equipe perdedora terá o direito de iniciar a partida. Será válido o tento consignado de bola de saída, sendo que, não poderá demorar mais de 4 segundos para fazê-lo. Caso o executor da bola de saída toque na bola pela segunda vez antes que outro atleta toque será concedido um tiro livre indireto em favor da equipe adversária, com a bola sendo colocada no local onde ocorreu o toque. Para qualquer outra incorreção será repetido a bola de saída de posse da mesma equipe.

BOLA EM JOGO E FORA DE JOGO

A bola estará fora de jogo quando:

- Atravessar completamente quer pelo solo, quer pelo alto, as linhas laterais ou de fundo;

- A partida for interrompida pelo árbitro

- Jogada em local coberto, a bola tocar no teto.

- A bola estará em jogo em todas as outras ocasiões, desde o começo até o término da partida não tendo nenhuma infração no jogo.

FALTAS E INCORREÇÕES

FALTAS TÉCNICAS – Aquela que o atleta comete, intencionalmente, uma das infrações: dar ou tentar dar pontapé; calçar o adversário, trancar o adversário de maneira violenta ou perigosa; bater ou tentar

bater, lançar cusparada em adversário ou companheiro de equipe; trancar o adversário por trás; empurrar

o adversário com o auxílio das mãos segurar o adversário, projetar-se no solo e tentar tirar a bola de posse

do adversário, segurar ou desviar a bola intencionalmente

ocorreu a infração. Se dentro da área de meta será assinalada uma penalidade máxima.

Punição: tiro livre direto no local onde

FALTAS PESSOAIS – Aquela que o atleta comete, intencionalmente, uma das infrações: jogar perigosamente, sem posse de bola obstruir o adversário, trancar o goleiro, tocar na bola o atleta não

equipado, usar expressão verbal ou vocal para enganar o adversário, ficar parado na frente do goleiro obstruindo sua visão, imobilizar a bola por mais de quatro segundos, tentar bicicleta e sendo o goleiro:

controla a bola com as mãos por mais de 4 segundos dentro de sua área de meta; tocar ou controlar a bola com suas mãos, dentro da área de penal, depois que um seu companheiro tenha passado deliberadamente com o pé; fica de posse da bola por mais de 4 segundos, em sua meia quadra de jogo; Após haver tocado

a bola ou arremessando-a com as mãos ou movimentando a mesma com os pés volta a recebê-la de um

companheiro de equipe, dentro ou fora de sua área penal, mesmo involuntariamente, sem que a bola tenha antes ultrapassado a linha demarcatória do meio da quadra ou tenha sido jogada ou tocada, pro um

adversário

Punição: tiro livre indireto no local onde ocorreu a infração. Se dentro da área penal do

infrator, o tiro livre indireto deverá ser executado sobre a linha da área penal e o mais próximo do local

onde ocorreu a infração.

FALTAS DISCIPLINARES – Consideram-se faltas disciplinares, com a cobrança dos jogadores titulares e reservas, qualquer das seguintes infrações: entrar em quadra antes de decorridos 2 minutos (expulsão temporária) ou de sua equipe ter sofrido um tento; demonstrar por palavras ou atos de divergência do árbitro, trocar de número sem avisar o árbitro; entrar na quadra de jogo para atrapalhar ou impedir a tentativa ou a marcação de um tento contra sua equipe; toda simulação na superfície do jogo, que tenha a finalidade de ludibriar os árbitros deverá ser penalizada como conduta anti-desportiva; retira- se da quadra de jogo sem autorização dos árbitros; para comemorar um gol, colocar a camisa na cabeça

Punição: Se a

ou retirá-la do corpo ou ainda, faz gestos provocadores aos adversários ou torcedores

partida for interrompida para aplicação de pena disciplinar prevista nesta regra, o reinício da mesma dar- se-á com a cobrança de um tiro livre indireto no local onde se encontrava a bola no momento da paralisação, salvo se esta se encontrava dentro da área de penal da equipe infratora, quando a bola deverá

ser colocada sobre a linha da área para pena disciplinar de advertência. O jogador que cometer alguma destas infrações deverá ser nal e no local mais próximo de onde ocorreu a paralisação. A interrupção da partida em hipótese alguma poderá beneficiar a equipe infratora, devendo o árbitro deixar prosseguir a jogada e, na conclusão do lance, adotar as medidas disciplinares necessárias, salvo se a bola, quando da infração, estiver de posse do jogador da equipe infratora. Se na ocorrência da infração a partida estiver paralisada, o árbitro aplicará, ao infrator, punido com cartão amarelo.

DAS APENAÇÕES

Um jogador será expulso da quadra de jogo se, na opinião do árbitro:

- For culpado de conduta violenta;

- For culpado de jogo brusco grave;

- Empregar linguagem ofensiva, grosseira ou obscena, gesticular de maneira ofensiva;

- Praticar pela segunda vez infração punível com cartão amarelo de advertência na mesma partida;

- Impedir a marcação de um gol contra sua equipe com meios ilegais;

- Lançar uma cusparada em qualquer pessoa;

TIROS LIVRES

São chutes deferidos, quando da posição de bola em jogo, em razão da paralisação partida por assinalação de alguma infração. Tiros livres divididos em duas categorias: (a) tiro livre direto e (b) tiro livre indireto. Antes da execução de um tiro livre nenhum jogador da equipe adversária poderá aproximar-se a menos de 5 metros da bola até que a mesma esteja em jogo. Se um jogador que for executar o tiro livre demorar mais de 4 segundos para movimentar a bola, sua equipe será punida com a marcação de um tiro indireto contra a mesma.

FALTAS ACUMULATIVAS

Serão consideradas como Faltas Acumulativas todas as faltas sancionadas com um tiro livre

direto.

As equipes poderão cometer até 5 faltas acumulativas em cada período de jogo, com direito a formação de barreira.

A partir da sexta (6) falta acumulativa de cada equipe, em cada período de jogo, é vedada a

formação de barreira de jogadores. Quando os árbitros derem a lei da vantagem, logo após a paralisação devem mandar o anotador registrar uma falta individual e uma coletiva. Quando ocorrer a quinta (5) falta acumulativa, de qualquer das equipes, o anotador avisará um dos árbitros e colocará sobre a mesa, do lado da defesa da equipe uma bandeirinha indicativa da situação. Em caso de prorrogação, as faltas acumulativas das equipes, praticadas no segundo período da partida, terão sequência na prorrogação.

PENALIDADE MÁXIMA

Será concedido um tiro de penalidade máxima contra a equipe que comete uma das infrações

sancionadas com um tiro livre direto, dentro de sua área penal quando a bola está em jogo.

A penalidade máxima é um tiro livre direto, do qual se pode marcar um gol diretamente e cuja

cobrança é feita na marca correspondente e, nesse momento, todos os jogadores, com exceção do goleiro e do jogador indicado para a cobrança, deverão estar dentro da quadra de jogo, mas numa distância de 5

metros da bola e atrás da linha imaginária da bola.

O goleiro deverá postar-se sobre a linha de meta e entre os postes de meta até que o chute seja

executado, podendo movimentar-se, exclusivamente sobre a linha de fundo. Se o jogador executante do tiro livre de penalidade máxima tocar na bola uma segunda vez antes que outro jogador o faça ou demorar mais de 4 segundos para executar o tiro, conceder-se-á um tiro livre indireto a favor da equipe adversária. Se for cometido o bi-toque, a bola será colocada no lugar onde o jogador tocou na bola e se for pela demora de mais de 4 segundos, a bola será colocada na marca da penalidade máxima.

TIRO LATERAL

O arremesso lateral será cobrado sempre que a bola atravessar inteiramente as linhas laterais, quer

pelo solo, quer pelo alto.

O retorno da bola a quadra de jogo dar-se-á com a movimentação da mesma com os pés no exato

local onde saiu a bola.

O atleta que executa o arremesso deverá fazê-lo voltado de frente para a quadra de jogo com uma

parte do pé apoiada no solo, podendo pisar em parte da linha ou do lado de fora da mesma.

A bola entrará em jogo assim que for movimentada.

Se um atleta executar o tiro lateral contra a sua própria meta ou a meta adversária e a bola penetrar

na mesma diretamente, o tento não será válido. O árbitro determinará que a partida seja reiniciada com cobrança de tiro de canto a favor da equipe adversária se o jogador cobrou contra sua própria meta e,

arremesso de meta se cobrou contra a meta adversária. Se um jogador executar o tiro lateral contra a sua própria meta, e o goleiro tentar agarrar a bola tocando com suas mãos, e a mesma penetrar no gol, o tento será válido.

Se um jogador executar o tiro lateral contra a meta adversária a bola penetrar na mesma, tocando o

goleiro ou em qualquer outro atleta, o tento será válido. Quando da realização de tiro lateral, os jogadores adversários deverão respeitar a distância mínima de 5 metros da bola. Na execução do arremesso lateral a bola deverá ser apoiada no solo sobre a linha demarcatória da lateral, podendo mover-se levemente.

O jogador que for executar o tiro lateral deverá fazê-lo nos 4 segundos posteriores ao recebimento

da bola.

ARREMESSO DE META

Dar-se-á arremesso de meta sempre que a bola atravessar inteiramente a linha de meta pelo alto ou pelo solo, excluída a parte compreendida entre as metas, após ter sido tocada ou jogada pela última vez por atleta da equipe atacante, executada exclusivamente pelo goleiro com ouso das mãos, podendo ultrapassar a linha central de jogo.

A execução de um arremesso de meta será considerado efetivado quando a bola ultrapassar a linha

demarcatória da área penal Quando da execução de um arremesso de meta os jogadores da equipe adversária deverão estar colocados fora da área penal do goleiro executor. Se o goleiro demora mais de 4 segundos para executar o arremesso de meta, um tiro livre indireto será concedido em favor da equipe adversária, com a bola colocada sobre a linha da área e no ponto mais próximo de onde ocorreu a infração.

TIRO DE CANTO OU ESCANTEIO

O arremesso de canto dar-se-á sempre que a bola ultrapassar a linha de meta, excluindo a meta de

gol, quer pelo solo, quer pelo alto, após ter sido jogada pela última vez por um atleta que estiver na defensiva. O tiro de canto deverá ser executado sempre do canto mais próximo de onde saiu a bola pela linha de meta. Será executado com os pés exclusivamente e dele diretamente poderá ser marcado um tento. Um erro na cobrança do arremesso de canto será cobrado no mesmo local pela equipe adversária (no ângulo/vértice formado pela linha lateral e de meta, no ponto em que se juntam). Poderá ser feito um gol diretamente de um tiro de canto somente contra a meta da equipe adversária. Se um jogador chutar a bola contra sua própria meta e a bola penetrar na mesma diretamente, ou tocar em seu goleiro, dentro ou fora de sua área penal, o tento não será válido. O árbitro determinará que a partida seja reiniciada com a cobrança de arremesso de canto a favor da equipe adversária. Quando da cobrança de tiro de canto, os jogadores adversários deverão respeitar a distância mínima de 5 metros da bola.

LEI DA VANTAGEM

Os árbitros têm por dever prioritário facilitar às equipes disputantes a oportunidade de praticar um FUTSAL atrativo aos espectadores, exigindo dos atletas a obediência às regras. Contudo devem evitar interrupções da partida sob qualquer pretexto, apitando excessivamente, aborrecendo os atletas e assistência, comprometendo o brilho do espetáculo. A “Lei da Vantagem” assegura prerrogativas aos árbitros para deixar de assinalar faltas em que os infratores se beneficiem, com exceção dos casos em que se impõe a marcação para não malferir exigível disciplina ou observância das regras.

FUNDAMENTOS BÁSICOS

Chute = é o ato de enviar a bola para em direção ao gol.

Chute = é o ato de enviar a bola para em direção ao gol. Passe =

Passe = é o ato de enviar a bola ao companheiro da equipe.

Recepção= é o ato de receber a bola.

de enganar o

adversário quanto a real posição que

irá tomar com a posse da bola.

Drible =

é

o

ato

Finta =

adversário quanto a real posição que irá tomar sem a posse da bola.

ato

de enganar o

é

o

o ato Finta = adversário quanto a real posição que irá tomar sem a posse da
o ato Finta = adversário quanto a real posição que irá tomar sem a posse da
o ato Finta = adversário quanto a real posição que irá tomar sem a posse da
o ato Finta = adversário quanto a real posição que irá tomar sem a posse da

o controlar a bola com o seu corpo, exceto com as mãos e braços.

Domínio

de

de

Bola

=

é

ato

Condução = é o ato de deslocar-se pela quadra em direção a meta.

Cabeceio = é o ato de fazer um lance da bola com a cabeça.

Antecipação = é a tomada de bola e posicionamento à frente do adversário.

de fazer um lance da bola com a cabeça. Antecipação = é a tomada de bola
de fazer um lance da bola com a cabeça. Antecipação = é a tomada de bola
de fazer um lance da bola com a cabeça. Antecipação = é a tomada de bola
de fazer um lance da bola com a cabeça. Antecipação = é a tomada de bola

Marcação = o jogador que está em posse desta é marcado pelos adversários na tentativa de posse de bola ou drible.

SIGLAS

adversários na tentativa de posse de bola ou drible. SIGLAS F.I.F.U.S.A. = Federação Internacional de Futebol

F.I.F.U.S.A. = Federação Internacional de Futebol de Salão (extinta). C.B.F.S.= Confederação Brasileira de Futebol de Salão F.I.F.A.= Federação Internacional de Futebol (Fédération Internationale de Football Association ).

Fonte:

- Regras de Futsal 2015 :

http://www.cbfs.com.br/2009/cbfs/Livro_Nacional_de_Regras_2015

pdf,

17:50;

acessado em 18/07/2015 as

http://www.infoescola.com/esportes/federacao-internacional-de-futebol-fifa/, acessado em 18/07/2015 as

20:13;

http://www.fmfutsal.org.br/futsal/historia-do-futsal/, acessado em 18/07/2015 as 18:50.