Você está na página 1de 26

GUIA DOS MÉTODOS DE

REFERÊNCIA

MICROBIOLOGIA PARA ÁGUA

GUIA DOS MÉTODOS DE REFERÊNCIA MICROBIOLOGIA PARA ÁGUA *Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

BIOKAR Diagnóstico coloca o seu conhecimento à sua disposição para fornecer soluções simples e rápidas para atender suas necessidades.

Os laboratórios de microbiologia devem obedecer os critérios regulamentares que estão em constante evolução, e é por isso que nós oferecemos este guia de métodos de referência para ajudá-lo diariamente na aplicação das normas às suas atividades.”

na aplicação das normas às suas atividades.” SUMÁRIO: C: Coliformes e coliformes termorresistentes

SUMÁRIO:

na aplicação das normas às suas atividades.” SUMÁRIO: C: Coliformes e coliformes termorresistentes Pesquisa e

C:

Coliformes e coliformes termorresistentes

Pesquisa e Contagem

Página 3

(Semeadura em meio líquido – NPP)

E:

Enterococcus intestinais

Pesquisa e Contagem

Página 4

(Semeadura em meio líquido – NPP)

Enterococcus intestinais

Pesquisa e Contagem

Página 4

(Filtração por membrana)

Escherichia coli e coliformes

Pesquisa e Contagem

Página 5

(Filtração por membrana)

Escherichia coli e coliformes

Pesquisa e Contagem

Página 6

(Semeadura em meio líquido – NPP)

L:

Legionella spp. e Legionella pneumophila

Pesquisa e Contagem

Página 7

(Semeadura direta depois de concentração por centrifugação ou filtração por membrana)

Legionella

Pesquisa e Contagem

Página 8

(Filtração direta por membrana)

M:

Microrganismos viáveis

Contagem

Página 8

P:

Pseudomonas aeruginosa

Pesquisa e Contagem

Página 9

(Filtração direta por membrana)

Página 8 P: Pseudomonas aeruginosa Pesquisa e Contagem Página 9 (Filtração direta por membrana)

S:

Salmonella spp.

Pesquisa

Página 10-11

Esporos de bactérias anaeróbicas sulfito- redutase e Clostridium sulfito-redutase

Pesquisa e Contagem

Página 12

Esporos de microrganimos anaeróbicos sulfito-redutase (Clostridia) (Enriquecimento em meio líquido)

Pesquisa e Contagem

Página 13

Esporos de microrganimos anaeróbicos sulfito-redutase (Clostridia) (Filtração por membrana)

Pesquisa e Contagem

Página 13

Staphylococcus patogênico

Pesquisa e Contagem

Página 14-15

(Filtração direta por membrana)

ANEXOS:

Página 14-15 (Filtração direta por membrana) ANEXOS: Anexo A: Outras normas de microbiologia para água. Anexo

Anexo A: Outras normas de microbiologia para água.

Anexo B: Testes para água.

Anexo C: Métodos alternativos rápidos para a microbiologia da água.

Para maiores informações, entre em contato com a gente.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

da água. Para maiores informações, entre em contato com a gente. *Disponíveis no Brasil os meios

NF T 90-413

T90-413

Pesquisa e Contagem de Coliformes e Coliformes Termorresistentes Métodos gerais para semeadura em meio líquido

(Outubro 1985) Princípios: - Semeadura da amostra para ensaio recolhida em tubos de meio presuntivo. - Incubação à 30,0 ± 1ºC por 24 à 48 horas. - Repique dos tubos que apresentam um aspecto turvo e presença de gás nos tubos de confirmação. - Incubação à 37,0 ± 1ºC por 48 horas para coliformes e 44,0 ± 0,5ºC para coliformes termorresistentes.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Solução de Ringer

Diluente

 

Água destilada

 

Caldo Lactose

Meios

presuntivos

Caldo Lauril Sulfato de Sódio

(1)

Meios de

confirmação

Caldo

Bile

Lactose

ou

(1)

Brilhante

Verde

Solução de RINGER à 1/4 BR00108 – 100 tablets

Total

Água destilada estéril BM11508 – 50 tubos de 18 mL

Total

Caldo Lactose ou BCP BK119HA – frasco 500g

Total (2)

Caldo Lauril-Sulfato Triptose BK010HA – frasco 500g BM09708 – 50 tubos 10 mL, com Duhran (concentração simples) BM09808 – 50 tubos 10 mL, com Duhran (concentração dupla)

Total

Caldo Bile Lactose ou Verde Brilhante (BLBVB) BK002HA – frasco 500g BM01108 – 50 tubos 10 mL, com Duhran

Total

Meio de Schubert (modificado por Fennel) (3) (1) Ou à escolha do microbiologista. (2) A triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína. (3) Para a pesquisa dos coliformes termorresistentes.

-

-

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

da caseína. (3) Para a pesquisa dos coliformes termorresistentes. - - *Disponíveis no Brasil os meios

NF EN ISO 7899-1

T90-432

Pesquisa e Contagem de Enterococcus Intestinais das águas de superfície e residuais Parte 1: Método resumido (NPP) para semeadura em meio líquido

(Março 1999)

Princípios: - Semeadura da amostra diluída em microplaca contendo o meio de cultura desidratado.

- Incubação à 44,0 ± 0,5ºC por 36 à 72 horas.

- Análise sob radiação UV em 366 ηm.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Diluente especial (DS)

Diluente

Meio de

cultura

(MUD/SF)

Água destilada

Solução A

Solução B

Solução C

Solução D

Sal marinho sintético BR00308 – frasco 100g BM08808 – 50 tubos 18 mL

Água destilada estéril BM11508 – 50 tubos de 18 mL

Microplaca MUG/SF BT00308 – 25 placas opacas

Total

Total

Total

NF EN ISO 7899-1

T90-416

Pesquisa e Contagem de Enterococcus Intestinais Parte 2: Método de filtração por membrana

(Agosto 2000)

Princípios: - Filtração da amostra por membrana e transferência desta membrana para o meio seletivo.

- Incubação à 36,0 ± 2ºC por 44 ± 4 horas. - Confirmação das colônias características por transferência da membrana para um ágar pré-aquecido à 44ºC e incubação à 44,0 ± 0,5ºC por 2 horas.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Diluente

Meio seletivo

Meio de

confirmação

Água destilada

Água destilada estéril BM11508 – 50 tubos de 18 mL

Total

Meio de base – Meio de Slanetz e Bartley

Ágar de SLANETZ e BARTLEY (base) BK129HA – frasco 500g

Total

Solução TTC

Suplemento TTC 12,5 mg BS02608 – 10 flaconetes Suplemento TTC 50 mg BS02708 – 10 flaconetes

Total

Meio completo

Ágar de SLANETZ e BARTLEY BK037HA – frasco 500g BM14608 – 20 placas de Ø 55 mm BM09408 – 120 placas de Ø 55 mm

Total

Ágar bile esculina e azida

Ágar BEA BM10408 – 10 flaconetes 100 mL

Total

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

NF EN ISO 9308-1

T90-414

(Setembro 2000)

Pesquisa e Contagem de Escherichia coli e coliformes Parte 1: Método de filtração por membrana

Princípios: - Filtração da amostra por membrana. - Para a amostra padrão, transferir a membrana para o ágar lactose ou TTC com heptadecil sulfato de sódio - Incubação à 36,0 ± 2ºC por 21 ± 3 horas. - Para o ensaio rápido, transferir a membrana para o ágar caseína de soja e incubar à 36,0 ± 2ºC por 4 à 5 horas, em seguida transferir a membrana para o meio TSA e incubar à 44,0 ± 0,5ºC por 19 à 20 horas. - Confirmação das colônias características por pesquisa de oxidase e produção

de indol.

(1) A triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

A triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína. *Disponíveis no Brasil os meios

NF EN ISO 9308-3

T90-433

Pesquisa e Contagem de Escherichia coli e de coliformes das águas de superfície e residuais Parte 2: Método resumido (NPP) para semeadura em meio líquido

(Março 1999)

Princípios: - Semeadura da amostra diluída em microplaca contendo o meio de cultura desidratado. - Incubação à 44,0 ± 0,5ºC por 36 à 72 horas. - Análise sob radiação UV em 366 ηm.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Diluente especial (DS)

Diluente

Meio de

cultura

(MUD/EC)

Água destilada

Meio MUG/EC

Sal marinho sintético BR00308 – frasco 100g BM08808 – 50 tubos 18 mL

Água destilada estéril BM11508 – 50 tubos de 18 mL

Microplaca MUG/EC BT00108 – 25 placas opacas

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

de 18 mL Microplaca MUG/EC BT00108 – 25 placas opacas *Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

Total

Total

Total

NF T 90-431

T90-431

Pesquisa e Contagem de Legionella spp. e de Legionella pneumophila Método para semeadura direta e depois concentração por filtração por membrana ou centrifugação

(Setembro 2003)

Princípios: - Semeadura da amostra direta em meio seletivo. - Em paralelo, preparação de um concentrado por filtração por membrana com ressuspensão por raspagem ou por ultrassom, ou por centrifugação com a recuperação do pelete num volume pequeno.

- Descontaminação do concentrado, uma parte por tratamento térmico e a outra por tratamento ácido (1).

- Semeadura e depois descontaminação do concentrado por meio seletivo.

- Incubação por 8 à 10 dias à 36,0 ± 2ºC.

- Realçar a Legionella por repique para pesquisa de bactérias que requerem

L-cisteína.

- Realização de testes imunológicos para pesquisa de Legionella pneumophila.

(1) para água suja, a combinação dos dois tratamentos. (2) A triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

A triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína. *Disponíveis no Brasil os meios

NF EN ISO 11731-2

T90-430

Pesquisa e Contagem de Legionella Parte 2: Método de filtração direta por membrana para águas com baixa carga bacteriana

(Julho 2008)

Princípios: - Filtração da amostra por membrana e tratamento do filtro com tampão ácido. - Transferência do filtro para meio seletivo e incubação à 36,0 ± 2ºC por pelo menos 10 dias. - Confirmação por repique para a pesquisa de bactérias exigentes de L-cisteína

e ferro.

Reativo

Meio GVPC

Meios

BCYE α

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Tampão ácido

-

-

Meio completo

Ágar

seletivo

GVPC

para

Total

Legionella BM07108 – 20 placas de Ø 90 mm

Meio BCYE α sem L-cisteína

Ágar BCYE α sem L-cisteína BM07308 – 20 placas de Ø 90 mm

Total

Meio BCYE α sem antibiótico

Ágar BCYE α com L-cisteína BM07208 – 20 placas de Ø 90 mm

Total

NF EN ISO 6222

T90-401

Contagem de microrganismos viáveis Contagem de colônias por semeadura em ágar nutritivo

(Julho 1999)

Princípios: - Semeadura em profundidade em meio não seletivo. - Incubação à 36,0ºC por 44 horas e paralelamente à 22,0ºC por 68 horas.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Diluente

Meio de

cultura

Se refere à norma NF EN ISO 8199

Ágar com extrato de levedura

Ágar Contagem de Placa (PCA) sem glicose BK153HA – frasco 500g BM06808 – 10 flaconetes 200 mL

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

sem glicose BK153HA – frasco 500g BM06808 – 10 flaconetes 200 mL *Disponíveis no Brasil os

Total

NF EN ISO 16266

T90-419

Detecção e Contagem de Pseudomonas aeruginosa Método de filtração por membrana

(Agosto 2008)

Princípios: - Filtração da amostra por membrana ou de uma diluição da amostra. - Transferência da membrana para meio seletivo e i ncubação à 36,0 ± 2ºC e leitura em 22 ± 2 horas e 44 ± 4 horas - Confirmação das colônias suspeitas por pesquisa de oxidase e teste de

fluorescência.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Meio

de

cultura

Meios e

reagente de

confirmação

Ágar

base

para

Pseudomonas

Ágar CN para Pseudomonas

(Ágar CN)

 

BK165HA – frasco 500g (1) BM14508 – 20 placas de Ø 55 mm

Total

Meio de King B

Ágar KING B BM10508 – 7 tubos 7 mL

Total

Caldo de Acetamida

 

Caldo de Acetamida BM09508 – 7 tubos 5 mL

Total

Ágar Nutritivo

Ágar Nutritivo à 2,5% BM12508 – 50 tubos 18 mL

Total (2)

Reagente para a pesquisa de oxidade

-

-

Reagente de Nessler

-

-

(1) O meio desidratado necessita da adição de 10 mL de glicerol por litro de meio ágar base. (2) A triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

A triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína. *Disponíveis no Brasil os meios

NF ISO 19250

T90-435

Pesquisa de Salmonella spp.

(Outubro 2010)

Princípios:

- Enriquecimento em caldo Rappaport-Vassiliadis com soja à 41,5 ± 1ºC e caldo Müller-Kauffmann tetrationato-novobiocina à 37,0 ± 1ºC por 24 ± 3 horas. - Para a detecção de Salmonella com crescimento lento, incubação do caldo

Rappaport-Vassiliadis com soja por 24 ± 3 horas adicionais. - Isolamento em meio XLD à 36,0 ± 2ºC por 24 ± 3 horas e em um segundo meio à escolha do laboratório. - Confirmação por testes bioquímicos e sorológicos apropriados.

- Pré-enriquecimento à 36,0 ± 2ºC por 18 ± 2 horas. (1)

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Meio de pré-

enriqueci-

mento

Primeiro

meio de

enriqueci-

mento

Segundo

meio de

enriqueci-

mento

Água peptonada tamponada (EPT)

EPT (20g/L) (2) BK131HA – frasco 500g BK131GC – embalagem 5 Kg EPT (25,5g/L) (3) BK018HA – frasco 500g BK018GC – embalagem 5 Kg BM01008 – 10 flaconetes 225 mL BM05608 – 50 tubos 9 mL BM05708 – 10 flaconetes 90 mL BM13108 – 3 embalagens 3 L BM13208 – 2 embalagens 5 L

Total

Meio base – Caldo Rappaport- Vassiliadis de soja (RVS)

-

-

Solução B

-

-

Solução C

-

-

Meio completo

Caldo RAPPAPORT-VASSILIADIS Soja (RVS) BK148HA – frasco 500g BM07408 – 50 tubos 10 mL

Total (4)

Caldo Muller-Kauffamann tetrationato novobiocina (MKTTn) (base)

Caldo MULLER-KAUFFMANN tetrationato novobiocina (base MKTTn sem iodo, novobiocina) BK169HA – frasco 500g Caldo MULLER-KAUFFMANN tetrationato novobiocina (base MKTTn sem iodo) BK208HA – frasco 500g

Total (5)

Solução iodo-iodeto

-

-

Solução de novobiocina

Suplemento Seletivo

Novobiocina 10 mg BS03308 – 10 flaconetes qsp 250

mL

Suplemento Seletivo Novobiocina 40 mg BS05608 – 8 flaconetes qsp 1 L

Total

 

Meio completo

Caldo MULLER-KAUFFMANN

Ágar XLD (ISO 6579)

Meio de

Ágar Xilose Lisina Desoxicolato

tetrationato novobiocina (pronto para uso) BM07808 – 50 tubos 10 mL

Total

isolamento

(Ágar XLD)

BK168HA – frasco 500g

 

BM08708 – 20 placas de Ø 90 mm

Total

 

(6)

Ágar Nutritivo

Ágar Nutritivo à 2%

 

BK185HA – frasco 500g BM11808 – 50 tubos 18 mL Ágar Nutritivo à 2,5% BM12508 – 50 tubos 18 mL

Equivalente

Total

Reagente de

Ágar férrico com três açúcares (TSI)

Ágar TSI BK059HA – frasco 500g

(5) (7)

confirmação

Meio base – Ágar com uréia (Christensen)

-

-

Solução de uréia

-

-

Meio de descarboxilação da L- lisina

-

-

Caldo Selenito Cistina

-

-

(1) volumes maiores podem ser concentrados através de filtração por membrana, depois esta membrana é transferida para a água peptonada tamponada. (2) fórmula incluindo 90,0 g/L de fosfato dissódico (dodecaidratado) (massa molar 358,14) (3) fórmula incluindo 3,56 g/L de fosfato dissódico anidro (massa molar 141,96) (4) fórmula incluindo cloreto de magnésio anidro em vez da forma hexaidratada descrita. (5) a triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína. (6) suas qualidades intrínsecas serão complementares às do ágar XLD e permitirem a detecção de Salmonella lactose + (que compreende typhi e paratyphi). (7) taxa de triptona de 14,0 g/L, ao invés de peptona (20) descrita.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

). (7) taxa de triptona de 14,0 g/L, ao invés de peptona (20) descrita. *Disponíveis no

NF T90-415

T90-415

Pesquisa e Contagem dos esporos de bactérias anaeróbicas sulfito- redutase e de Clostridium sulfito-redutase Método geral para incorporação em ágar em tubos profundos

(Outubro 1985)

Princípios: - Destruição das formas vegetativas por aquecimento adequado da amostra. - Semeadura em meio seletivo e incubação sob anaerobiose à 37,0 ± 1ºC por 24 e/ou 48 horas. - Caracterização do Clostridium a partir das colônias isoladas.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Diluente

Meios e

reagentes

para a

detecção de

esporos de

bactérias

anaeróbicas

sulfito-

redutase

Meios e

reagentes

para a

identificação

dos esporos

de

Clostridium

sulfito-

redutase

Solução de Ringer

Água destilada

Ágar glicose carne de fígado

Sulfito de sódio

Sais de ferro

Meio base – Ágar Triptose-Sulfito D-cicloserina

Solução de D-cicloserina

Solução de RINGER à 1/4 BR00108 – 100 tablets

Total

Água destilada estéril BM11508 – 50 tubos de 18 mL

Total

Ágar glicose carne de fígado BK157HA – frasco 500g

Total

Ágar TSC (base) BK031HA – frasco 500g BM03908 – 50 tubos 20 mL BM07708 – 10 frascos 200 mL

Suplemento Seletivo D- cicloserina 200 mg

BS00608 – 10 flaconetes qsp 500

mL

Total (1)

Total

Caldo glicose carne de fígado

-

-

Peróxido de hidrogênio

-

-

(1) o texto normativo contem um erro de composição (ausência de ágar): presença de triptona no lugar da Triptose preconizada.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

de ágar): presença de triptona no lugar da Triptose preconizada. *Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

NF EN 26461-1/ ISO 6461-1

T90-434

Pesquisa e Contagem dos esporos de microorganismos anaeróbicos sulfito- redutase (Clostridia) Parte 1: Método para enriquecimento em meio líquido

(Julho 1993)

Princípios: - Inoculação em meio líquido de enriquecimento. - Incubação sob anaerobiose à 37,0 ± 1ºC por 44 ± 4 horas.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Diluente

Meio

reforçado

especial para

clostridia

(DRCM)

Se refere à norma NF EN ISO 8199

Meio de base concentração simples

-

-

Meio de base concentração dupla

-

-

Sulfito de sódio, solução à 4% (m/m)

-

-

Citrato e ferro III, solução à 7% (m/m)

-

-

NF EN 26461-2/ ISO 6461-2

T90-417

Pesquisa e Contagem dos esporos de microorganismos anaeróbicos sulfito- redutase (Clostridia) Parte 1: Método por filtração por membrana

(Julho 1993)

Princípios: - Filtração da amostra por membrana e transferência para meio seletivo. - Incubação à 37,0 ± 1ºC e por 20 ± 2 horas e 44 ± 4 horas.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

 

Meio base – Ágar Nutritivo

Ágar Nutritivo à 2%

Ágar

ferro

BK185HA – frasco 500g

sulfito (1)

BM11808 – 50 tubos 18 mL Ágar Nutritivo à 2,5% BM12508 – 50 tubos 18 mL

 

Sulfito de sódio, solução

-

Sulfito de ferro III, solução

-

Outro meio

Ágar Sulfito-triptose

Ágar TSC (base)

seletivo (1)

BK031HA – frasco 500g BM03908 – 50 tubos 20 mL BM07708 – 10 frascos 200 mL

Equivalente

Total (2)

(1) à escolha do laboratório (2) o texto normativo contém um erro de composição (ausência de ágar): presença de triptona no lugar da Triptose preconizada.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

XP T 90-412

T90-412

Pesquisa e Contagem de Staphylococcus patogênicos Método de filtração por membrana

(Junho 2006)

Princípios: - Filtração da amostra por membrana e transferência da mesma para meio seletivo.

- Incubação à 36,0 ± 2ºC e por 44 ± 4 horas. - Confirmação pelo teste da coagulase ou pelo teste da aglutinação em latex ou por exame microbiológico.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Meio de Chapman com manitol

Ágar CHAPMAN com manitol BK030HA -frasco 500g BM14808 – 20 placas de Ø 55 mm

Total (1)

Meio base – Ágar Baird Parker

Ágar BAIRD-PARKER (base) BK055HA – frasco 500g BK055GC – embalagem 5 Kg

Total (1)

Meio

de

cultura

Meio de

cultura e/ou

confirmação

(3)

Meio de

confirmação

Solução de telurito de potássio Emulsão de gema de ovo

Meio completo

Solução de sulfametazina (2)

Meio base – Ágar com plasma de coelho e fibrinogênio (RPF)

Solução de telurito de potássio

Emulsão de gema de ovo e telurito de potássio BS06008 – 10 fraconetes 50 mL

Ágar BAIRD-PARKER gema de ovo telurito BM01808 – 20 placas de Ø 90 mm BM09108 – 120 placas de Ø 90 mm

Suplemento Seletivo Sulfametazina 25 mg

BS02808 – 10 flaconetes qsp 500

mL

Ágar BAIRD-PARKER (base) BK055HA – frasco 500g BK055GC – embalagem 5 Kg

Total

Total (1)

Total

Total (2)

Solução de fibrinogênio bovino Solução de plasma de coelho e

Suplemento Seletivo Coelho Fibrinogênio

inibidor de tripsina

BS03408 – 8 flaconetes qsp 100

Total

mL

BS03808 – flaconete qsp 500 mL

Meio completo

Ágar BAIRD-PARKER

BM06708 - 20 placas de Ø 90 mm

Total

BM15908 - 20 placas de Ø 55 mm Ágar BAIRD-PARKER (KIT) BT00508 – 6 flaconetes 90 mL base + 6 flaconetes adicionais BT01008 – 6 flaconetes 190 mL base + 6 flaconetes adicionais

Total

Caldo cérebro coração (BCC)

Caldo Cérebro Coração BK015HA – frasco 500g

Total

Plasma de coelho

Plasma de coelho liofilizado

BR00208 – 10 flaconetes para 20

Total

reações

Reagente de

confirmação

Reagente para teste de aglutinação com latex

-

-

(1) a triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína. (2) adição facultativa, justificada pela suspeita da presença de Proteus. (3) ambiente favorável às águas susceptíveis a serem contaminadas por uma outra flora que possa mascarar as colônias pesquisadas.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

por uma outra flora que possa mascarar as colônias pesquisadas. *Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

ANEXO A: outras normas de referência em microbiologia da água

Enterovírus (concentração por lã de vidro e detecção por cultura celular)

Pesquisa

XP T 90-451

T

90-451

Março 1996

Enterovírus humano (cultura celular pelo método das placas)

Pesquisa

NF EN 14486

T

90-452

Janeiro 2005

Detecção e contagem de bacteriófagos – Parte 1:

Contagem

NF EN ISO 10705-1

T

90-440-1

Outubro 2001

Contagem dos bacteriófagos ARN F específicos.

Detecção e contagem de bacteriófagos – Parte 2:

Contagem

NF EN ISO 10705-2

T

90-440-2

Outubro 2001

Contagem dos colifagos somáticos.

Pesquisa e contagem dos oocistos de Cryptosporidium e de cistos de Giardia.

Pesquisa e

NF T90-455

T

90-455

Julho 2001

Contagem

 

Legionella e/ou Legionella pneumophila (PCR)

Detecção e

NF T 90-471

T

90-471

Abril 2010

quantificação

 
Legionella pneumophila (PCR) Detecção e NF T 90-471 T 90-471 Abril 2010 quantificação  

ANEXO B: testes para água.

Diretrizes gerais para a contagem de microrganismos por meio de cultura

NF EN ISO 8199

T

90-400

Dezembro 2007

Medida do índice de substâncias ativas com azul de metileno (SABM) – método para análise em fluxo contínuo (CFA)

NF EN ISO 16265

T

90-410

Maio 2012

Determinação de pH

NF EN ISO 10523

T 90-418

Maio 2012

Exames bacteriológicos dos recipientes e sistemas de armazenamento destinados ao acondicionamento da água

PR NF T 90-425

T

90-425

Fevereiro 1992

Exame bacteriológico das águas de piscina

NF T 90-421

T 90-421

Julho 2006

Guia de amostragem para análise da qualidade da água do meio ambiente – Parte 1: amostragem de águas superficiais.

FD T 90-523-1

T

90-523-1

Fevereiro 2008

Guia de amostragem para análise da qualidade da água do meio ambiente – Parte 2: amostragem de água residual.

FD T 90-523-2

T

90-523-2

Fevereiro 2008

Guia de amostragem para análise da qualidade da água do meio ambiente – Parte 3: amostragem de águas subterrâneas.

FD T 90-523-3

T

90-523-3

Janeiro 2008

Diretrizes para a validação dos métodos microbiológicos.

FD ENV ISO 13843

T

90-460

Outubro 2001

Controle de qualidade dos meios de cultura Emenda A1 Emenda A2

NF T 90-461 NF T 90-461/A1 NF T 90-461/A2

T

90-461

Julho 2001

T

90-461/A1

Junho 2005

T

90-461/A2

Maio 2007

Critérios para estabelecer equivalência entre os métodos microbiológicos.

NF EN ISO 17994

T

90-462

Dezembro 2004

Amostragem para análises microbiológicas.

NF EN ISO 19458

T 90-480

Outubro 2006

90-462 Dezembro 2004 Amostragem para análises microbiológicas. NF EN ISO 19458 T 90-480 Outubro 2006

NF EN ISO 8199

T90-400

Diretrizes gerais para a contagem de microrganismos por meio de cultura

(Janeiro 2008)

Princípio: semeadura de um volume comum de amostra de água, em concordância com o protocolo da metodologia escolhida em função da origem da água e do microrganismo pesquisado.

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Diluente

Solução salina

Água peptonada

Solução peptonada salina

Solução

concentração

de

Ringer,

¼

Solução tampão fosfato

-

-

Água peptonada BM16408 – 2 embalagens 5 L

Total (1)

Sal-triptona BK014HA – frasco 500g BM00808 – 50 tubos 9 mL BM11408 – 10 frascos 90 mL BM13508 – 3 embalagens 3 L

Total (1)

de

Solução de RINGER à 1/4

Total

BR00108 – 100 tablets Água destilada estéril BM11508 – 50 tubos 18 mL

Total

-

-

(1) a triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

a triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína. *Disponíveis no Brasil os meios

PR NF T 90-425

T90-425

(Fevereiro 1992)

Exames bacteriológicos dos recipientes e sistemas de armazenamento destinado ao acondicionamento da água

Princípios: - Enxaguar com um diluente, então cultivar a suspensão obtida após a filtração por membrana, ou para os recipientes transparentes incorporar diretamente os microrganismos viáveis.

- Enxaguar com um diluente, então cultivar a suspensão obtida após a filtração por membrana. - Incubação: 20,0 ± 2ºC por 5 dias para contagem de microrganismos viáveis. 37,0 ± 1ºC por 24 e 48 horas para contagem de coliformes (1). 44,0 ± 0,5ºC por 24 e 48 horas para contagem de coliformes

termorresistentes (2).

Meio de Cultura

BIOKAR Diagnóstico

Conformidade

Diluente (3)

Meio

de

Cultura

Água destilada

 

Água destilada estéril BM11508 – 50 tubos 18 mL

Total

Solução

de

Ringer,

¼

de

Solução de RINGER à 1/4

concentração

 

BR00108 – 100 tablets

Total

Ágar para

a

contagem

de

Ágar Contagem de Placa (PCA)

microrganismos viáveis (4)

 

BK144HA – frasco 500g

 

BK144GC – embalagem 5 Kg BM01508 – 10 flaconetes 100 mL BM03308 – 10 flaconetes 200 mL

Total (5)

Ágar Lactose BCP

 

Ágar Lactose BCP BK023HA – frasco 500g

Total (5)

(1) se refere à norma NF T 90-414. (2) se refere à norma NF T 90-413. (3) no caso de análise frascos lavados, para inibir a influência de desinfetantes halogenados, adicionar 0,16g de tiossulfato de sódio por litro de diluente. (4) no caso de análise frascos lavados, para inibir a influência de desinfetantes halogenados, adicionar 1g de tiossulfato de sódio por litro de ágar. (5) a triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

a triptona é uma peptona obtida por digestão pancreática da caseína. *Disponíveis no Brasil os meios

ANEXO C: Método rápido alternativo em microbiologia da água.

Método COMPASS ® Ecc Ágar:

Método de referência: NF EN ISO 9308-1, página 6.

Método de contagem de Escherichia coli e coliformes através de filtração por membrana das águas de consumo humano.

Princípios: - filtração por membrana de um volume de amostra. - transferência da membrana para o COMPASS ® Ecc Ágar e incubar à 36 ± 2ºC por 24 ± 3 horas.

cor rosa.
cor rosa.

Colônias características: de azul à púrpura que pode ser rodeada por um halo rosa.

Colônias características:

Meio Seletivo

COMPASS ® Ecc Ágar – frasco 500g – BK202HA COMPASS ® Ecc Ágar – 20 placas de Ø 90 mm – BM15308

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

BK202HA COMPASS ® Ecc Ágar – 20 placas de Ø 90 mm – BM15308 *Disponíveis no

ANEXO D: Lista dos principais meios de cultura para a microbiologia da água.

PRODUTO

APRESENTAÇÃO

Ágar Seletivo Legionella segundo NEN

BM08108 – 20 placas de Ø 90 mm

Ágar extrato de levedura carvão tamponado (BCYE) segundo NEN

BM11208 – 20 placas de Ø 90 mm

Ágar extrato de levedura carvão tamponado sem L-cisteína (BCYE) segundo NEN

BM11308 – 20 placas de Ø 90 mm

Ágar Bismuto Sulfito

BK004HA – frasco 500g

Caldo Selenito-Cistina

BK009HA – frasco 500g

Ágar Púrpura Bromocresol Lactose

BK023HA – frasco 500g

Ágar Triptona Sulfito Cicloserina (TSC)

BM07708 – 10 flaconetes 200 mL BM03908 – 50 tubos 20 mL Meio base desidratado (s/ D-cicloserina) BK031HA – frasco 500g Suplemento Seletivo D-cicloserina 200 mg BS00608 – kit com 10 frascos Emulsão gema de ovo BS06608 – 10 frascos 50 mL

Ágar SLANETZ e BARTLEY

Meio completo pré-envazado BM14608 - 20 placas de Ø 55 mm BM09408 - 120 placas de Ø 55 mm Meio desidratado (completo) BK037HA – frasco 500g Meio desidratado (base, s/ TTC) BK129HA – frasco 500g Suplemento Seletivo TTC 50 mg BS02708 – 10 frascos qsp 500 mL

Ágar EMB (Levine)

BK056HA – frasco 500g

Ágar XLD (Xilose Lisina Desoxicolato)

BK058HA – frasco 500g

Ágar Hektoen Entérico

BK067HA – frasco 500g BM02708 – 20 unidades Ø 90 mm

Caldo Lactose

BK082HA – frasco 500g

Ágar Verde Brilhante

BK091HA – frasco 500g

Ágar Tergitol 7

Meio completo pré-envazado BM14708 - 20 placas de Ø 55 mm BM09308 - 120 placas de Ø 55 mm Meio base desidratado (s/ TTC) BK123HA – frasco 500g Suplemento Seletivo TTC 12,5 mg BS02608 – embalagem com 10 frascos

Caldo Peptona tamponada com NaCl pH

BK128HA – frasco 500g

Caldo Müller-Kauffmann

Meio pronto para uso (completo, c/ iodo e novobiocina BM10608 – 50 tubos 10 mL Meio base desidratado (s/iodo nem novobiocina) BK10608 – frasco 500g Suplemento Seletivo Novobiocina 10 mg BS03308 – embalagem com 10 frascos Suplemento Seletivo Novobiocina 40 mg BS05608 – embalagem com 8 frascos

Caldo Rappaport-VASSILIADIS

BK136HA – frasco 500g

Ágar Rose-Gal BCIG

BK142HM – frasco 100g BK142HA – frasco 500g

Caldo Rappaport-VASSILIADIS Soja (RVS)

Meio pronto para uso BM07408 – 50 tubos 10 mL Meio desidratado BK148HA – frasco 500g

Ágar Bile Vermelho Violeta (VRBL)

Meio pronto para uso BM03408 – 10 flaconetes 100 mL BM03508 – 10 flaconetes 200 mL Meio desidratado BK152HA – frasco 500g Suplemento Seletivo MUG 50 mg BS02408 – embalagem com 10 frascos

Caldo CN para Pseudomonas

Meio completo pré-envazado BM0708 - 10 placas de Ø 55 mm Meio base desidratado (s/ glicerina) BK165HA – frasco 500g

Ágar BAIRD-PARKER RPF – pronto para uso

BM06708 - 20 placas de Ø 90 mm

Caldo Acetamida

BM09508 – 7 tubos 5 mL

Ágar King B

BM10508 – 7 tubos 7 mL

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

Acetamida BM09508 – 7 tubos 5 mL Ágar King B BM10508 – 7 tubos 7 mL

Apresentações

A) Ágar:

PRONTO:

Apresentações A) Ágar: PRONTO: Placas de Petri (ainda não disponíveis no Brasil): - Pacote com 120

Placas de Petri (ainda não

disponíveis no Brasil):

- Pacote com 120 unidades de

Ø 55 e 90 mm;

- Pacote com 20 unidades de

Ø 55 e 90 mm;

- Pacote com 10 unidades de

Ø 55 e 90 mm.

PRONTO PARA SOLUBILIZAR:

com 10 unidades de Ø 55 e 90 mm. PRONTO PARA SOLUBILIZAR: Flaconetes (ainda não disponíveis

Flaconetes (ainda não

disponíveis no Brasil)::

- 10 flaconetes de 100 mL;

- 10 flaconetes de 200 mL;

- 10 flaconetes de 500 mL;

DESIDRATADO:

de 200 mL; - 10 flaconetes de 500 mL; DESIDRATADO: Frascos: - Embalagem de 500g; -

Frascos:

- Embalagem de 500g;

- Embalagem de 5 Kg.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

de 500 mL; DESIDRATADO: Frascos: - Embalagem de 500g; - Embalagem de 5 Kg. *Disponíveis no

Apresentações

B) Caldos:

PRONTO PARA USO:

Apresentações B) Caldos: PRONTO PARA USO: Frascos (ainda não disponíveis no Brasil): - 10 frascos de

Frascos (ainda não disponíveis no Brasil):

- 10 frascos de 90 mL;

- 10 frascos de 100 mL;

- 10 frascos de 200 mL.

Tubos (ainda não disponíveis no Brasil):

- 50 tubos de 9 mL; - 50 tubos de 10 mL; - 5 tubos de 5 e 7 mL.

Embalagens flexíveis

(ainda não disponíveis no Brasil):

- 3 embalagens de 3L;

- 2 embalagens de 5L.

DESIDRATADO:

- 3 embalagens de 3L; - 2 embalagens de 5L. DESIDRATADO: Frascos: - Embalagem de 500g;

Frascos:

- Embalagem de 500g;

- Embalagem de 5 Kg.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

de 5L. DESIDRATADO: Frascos: - Embalagem de 500g; - Embalagem de 5 Kg. *Disponíveis no Brasil

BIOKAR Diagnostics Qualidade

O Controle de Qualidade da Biokar Diagnostics certifica o desempenho de seus produtos em conformidade com os padrões ISO:

Testes de desempenho;

Condições de transporte;

Testes de esterilidade;

Testes de neutralização;

Análises das características físico-químicas (pH, aspecto

).

das características físico-químicas (pH, aspecto ). BIOKAR Diagnostics é certificada de acordo com as normas
das características físico-químicas (pH, aspecto ). BIOKAR Diagnostics é certificada de acordo com as normas

BIOKAR Diagnostics é certificada de acordo com as normas padrão de gerenciamento ISO 9001:2008.

A Biokar Diagnostics propõe um acesso direto à documentação técnica de seus produtos nos sites:

Ficha Técnica;

Ficha de Segurança;

Laudo de Análise.

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados.

Acesse nossos sites:

OU

*Disponíveis no Brasil os meios desidratados. Acesse nossos sites: www.biokar-diagnostics.com OU www.solabia.com.br