Você está na página 1de 16
DY CN) LTA, i) / senai-sp ‘Série Metédica Ocupacional 4 Mecanico Geral | Placa limada Sumario Introdugao FIT 002 Aco-carbono (nogdes preliminares) FIT 005 Mesa de tragagem e controle FIT 026 Esquadro de precisdo FO 08-A Tragar com graminho FO 09-A Limar superficie plana paralela FO 10-A Limar superffcies planas em angulo FT O4-A Placa limada Plano de trabalho Questiondrio Registro de tempo pégina 12 15 7 19 2 senai-sp cBs FIT 002 1/2 Informagdo Tecnolégica Aco - Carbono (Nogoes Preliminares) Material E tudo 0 que se emprega na construgao de objetos. Classificagao (Os materiais se classifica em: ferrosos feo vanes 4% fundido Materiais no ferrosos een sintéticos do metdlicos 4 Sintétic Metais ‘Sao materiais dotados de brilho. Em geral, séo bons condutores de calor e eletricidade. Os materiais metélicos podem ser: = ferrosos ~ no ferrosos Metais ferrosos Sao 0s que contém ferro. Dentro desse grupo temos 0 ago. Aco E uma liga metdlica composta de ferro e carbono, Ferro Metal encontrado na natureza em forma de minério. Carbono Elemento também encontrado em grandes quantidades na natureza Aco-carbono E resultante da combinagao de ferro e carbono. A percentagem de carbono pode variar de 0,05% 4 1,5%, aproximadamente, Formacao ‘A combinagdo de ferro e carbono se obtém derretendo-se o minério de ferro juntamente com um funden- te (pedras calcdreas) em fornos apropriados, usando-se 0 coque (carvao) como combustivel. Dessa primeira fusio, obtém-se a gusa, que é levada a outros tipos de fornos para ser transformada em aco-carbono, de cor acinzentada. Propriedades mecénicas Pode ser soldado. Pode ser curvado. 3- 2/2 FIT 002 CBS senai-sp Informaggo Tecnolégica Ago - Carbono (Nocoes Preliminares) Pode ser forjado. Pode ser dobrado. Pode ser trabalhado por ferramentas de corte. Pode ser trefilado. Pode ser laminado. senai-sp CBS FIT 005 1/1 Informagao Tecnolégica Mesa de Tragagem e Controle E um bloco robusto, retangular ou quadrado, cons- truido de ferro fundido ou granito, A face superior é rigorosamente plana (figs. 1 2). plano de referéncia serve para tragado com gra minho, ou para o controle de superficies planas. Moss Bloco de ferro fundido Construgao ‘As mesas de tragagem e controle so tecnicamente Projetadas e cuidadosamente constru(das; 0 ferro fundido ¢ de qualidade especial. As nervuras (fig. 3) séo estudadas e dispostas de modo que nao permi- tam deformagées, mantendo bem plana a face de controle. com Face de controle (plano retificado) rivelador Nervuras _— Pés com niveladores Fig. 2 Mesa de tragagem portétil ou de bancada| 3 Vista inferior da mesa de tracagem portdtil ‘As dimens®es mais comuns das mesas aparecem na tabela abaixo: Dimensées (mm) 150 x 10] 400 x 300] | 500 x 500] 1200 x 800 200 x 200| 400 x 400] | 600 x 500] 1000 x 1000 300 x 200/500 x 140] | 800 x 500] 1500 x 1000 300 x 300/500 x 400] |1000 x 750| 2000 x 1000 Condigdes de uso Maneje as mesas de tragagem com 0 maximo cui dado; mantenha-as bem niveladas, utilizando, para isso, os pés niveladores (fig. 4) Conservago Mantenha a mesa limpa, engraxada e protegida \n com um tampo de madeira, a fim de no receber svar pancadas. Fig. 4 Resumo ‘Mesa de tracagem e controle: instrumento de preciso, portatil ou néo, Bloco robusto ae fundido especial, isento de tensdes granito Retangular ou quadrado. Possui nervuras, para evitar deformagdes. Possui face de referéncia para tracado e controle de superficie plana, Deve ser conservada limpa e protegida. Vocabulério técnico Mesa de tracagem e controle: desempeno de preciso. senai p CBS FIT 026 1/2 Informagéo Tecnolégica Esquadro de Precisao So instrumentos de preciso em forma de angulo reto, construfdos de aco-carbono retificado ou ras: ado e, as vezes, temperado. Emprego Usa-se para verificacgo de superficies em angulo de 90° (fig. 1). Classificam-se 0s esquadros quanto a forma e ao tamanho. Forma Esquadro simples ou de uma s6 pega (fig. 2) Esquadro de base com lémina lisa, utilizado tam- bém para tragar (fig. 3) pea desempeno Fig.1 esquadro Fig. 2 Fig. 3 base Esquadro com lamina biselada, utilizado para se obter melhor preciséo, em virtude da pequena su- = 150mm rFici fig. 4). perficie de contato (fig. 4) ke + Tamanho 0s tamanhos sd dados pelo comprimento da lémi- E naeda base - |, e |, (fig. 4) s Exemplo: esquadro de 150 x 100mm (fig. 4). timing biseteda i" Fig. 4 ~ Tabela - Dimensdes em mm (de acordo com as normas da ABNT) ~1, + 1] 80 | 75 | 100 | 150 | 200 | 250 | 300 | 500 | 750 | 1000 | 1500 i, +1] 40} 50 | 70 | 100 | 130] 165 | 200 | 330 | 500 | 600 | 1000 Conservacio Mantenha os esquadros isentos de golpes. Conserve-os sem rebarbas, limpos e no angulo correto. Lubrifique-os e guarde-os em lugar onde nao haja atrito com outras ferramentas. 2/2 FIT 026 CBS senai-sp Informago Tecnolégica Esquadro de Precisao Cilindro-padréo E um esquadro de preciso, de forma cilindrica, fabricado de ago-carbono temperado e retificado. Emprego Use-se para verificagdo de superficies em angulo de 90°, quando a face de referéncia ¢ suficientemente ampla para oferecer bom apoio. © cilindro-padrao (fig. 5) tem suas duas bases rigorosamente perpendiculares a qualquer geratriz da sua superficie cilindrica. Também a coluna-padro (fig. 6) possui as duas bases rigorosamente perpen: diculares a qualquer dos quatro planos estreitos talhados nas suas arestas longitudinais e cuidadosamente retificados. A fig. 7 indica o modo de se proceder ao controle. Fig, 5 Cilindro-padréo | | Fig. 6 Coluna-padréo A. 3 cilindro-padréo desempeno de preci Fig. 7 Desempeno de preciso Conservaao Mantenha o cilindro-padrao isento de golpes. Limpe.o, lubrifique-o e guarde-o em lugar onde néo haja atrito ou contato com outras ferramentas. senai-sp CBS FO 08-A_ 1/4 Operagao Tragar com Graminho € @ operacdo que consiste em tracar linhas para- lelas a um plano de referéncia, sobre o qual desliza ‘© graminho (fig. 1). Executa-se essa operaco, principalmente, na deter- minacdo de centros de pecas, na tragagem de ra- nhuras, rebaixos e furos. Trata-se de um trabalho importante, pois dele de- pende, em muito, o éxito da execucdo de varias operagdes de usinagem. [Fig 1 Processo de execugio Caso | - Tragado de paralelas a uma superficie de referéncia 19 Passo Pinte as faces que serdo tracadas. 29 Passo Posicione a pera Observagses 1 Posicionase diretamente sobre a mesa de tragar, quando existe uma superficie de referéncia na peca (fig. 2). 2 Prende-se em uma cantoneira, quando a superficie de referéncia da peca nao atende as necessidades do tragado (fig. 3) — | cm al | Linn oe referencia | a J | ecm de fart i . 5 0 0 W000 |p [Fie em 3. Utilizamse calgos e/ou macacos, quando ngo existe, na pega, superficie de referéncia (fig. 4). 32 Passo Prepare o graminho. Precaucio Cuidado para nio se ferir com a ponta da agulha do graminho. 2/4_FO 08-A_ CBS Operagso senai-sp Tragar com Graminho @ Tome a altura da ponta do riscador na dimenséo determinada (fig. 5) ou com o ponto de referéncia (fig. 6). Fig. 5 Fig. 6 Observacdo Em caso de dimensées com maior preciséo, utilize graminho com escala e vernier (fig. 7). 49 Passo Trace. @ Coloque o graminho em posigdo de uso. Observacdo A agulha do graminho deve ser inclinada no sentido do traco (fig. 8). b Apéie sobre o plano de referéncia e trace. Fig. 7 Fig. 8 Sentido do tra¢o ‘Agulha.do graminho senai-sp_ CBS FO 08-A 3/4 Operagaio Tragar com Graminho Observagio Dependendo das necessidades do tracado, o plano de referéncia pode ser horizontal, vertical ou inclinado (figs. 9 e 10) | Fig. 9 Fig. 10 __ Caso II - Determinar centro de pecas cilindricas 19 Passo Posicione a peca sobre 0 bloco em V (fig. 11) Bioeo em V [Fig 11 20 Passo Regule a aguiha do graminho em uma altura acima do centro e mais ou menos na metade do raio (fig. 12). 39 Passo Fara o primeiro traco (fig. 13). Peo Ro 10 4/4 FO 08-A CBS senai-sp Operagao Tragar com Graminho 49 Passo Gire a pea em 90° e faca novo trago (figs. 14 @ 15). 28 TRAGO. ~ ve TRAGo Fig. 14 Fig. 15 52 Passo Gire em 90° e trace (fig. 16). rRago Fig. 16 69 Passo. Gire em 90° e trace (fig. 17) Fig. 17 79 Passo. Regule 0 graminho, de modo que passe pelos pontos A e B, e trace (fig. 18). Fig. 18 89 Passo Gire a 90° e trace|(fig. 19). Fig. 19 senai-sp CBS FO 09-A 1/1 Operagdo Limar Superficie Plana Paralela £ 2 operacdo manual realizada com lima, para se obter superticies planas e paralelas, utilizando-se, como Elemento de controle, © graminho, 0 paquimetro, o micrémetro ou o comparador, dependendo da pre- cisdo requerida. Geralmente, esta operagio é empregada na confecgdo de matrizes, montagens e ajustes diversos, Proceso de execugso 19 Passo Lime uma face, até que fique plana, para servir de referéncia ao limado da outra face. Observagao Deve-se retirar 0 minimo possivel de material. Lina deroferéncia 29 Passo Trace a pera. Precaugao Mesa de Cuidado para nio se ferir com a ponta da aguiha do arsecoom graminho. / a Coloque a superficie limada da pega sobre a mesa de tragar. b Trace com graminho todo 0 seu contorno, para obter uma linha de referéncia (fig. 1). 30 Passo Lime o material em excesso, observan- do a linha de referéncia. 49 Passo Retire as rebarbas e limpe a pera. 59 Passo Verifique 0 paralelismo e a dimenséo, usando paquimetro (fig. 2) Observacéo Para as pecas de maior precisio, use o relégio com- parador (fig. 3) ou o micrémetro (fig. 4). Fig. 2 Fig. 3 Fig. 4 senai-sp Operagao CBS FO 10-A 1/2 Limar Superficies Planas em Angulo E uma operagao de limar plano, por meio da qual se obtém superficies em angulos reto, agudo ou obtuso. Suas aplicagdes so inimeras, como, por exemplo: guias em diversos dngulos, “‘rabos-de-andorinha”, ga- baritos, cunhas e pecas de méquinas em geral. Prodesso de execugéo 19 Passo Prenda a pera e lime a face de referéncia. 29 Passo Trace o Angulo previsto (figs. 1 2). Observacéo -— a = Fig. 1 Tragado com esquadro. Fig. 2 Tragado com suta. 39 Passo Lime o material em excesso, observando o tracado. Quando 0 excesso de material é muito grande, deve-se cortar antes de limar. 49 Passo Termine de limar, verificando a planeza da face limada e o dngulo (figs. 3 € 4) Fig. 3 _Verificagéo de superficies em esquadro. Verificacéo de superficies com Fig. 4 ~ transferidor. Observagdes 1A verificacdo de superficies internas em éngulo Pode ser feita com esquadro ou gabaritos (figs. 5 ¢ 6). U YY Verificagéo com esquadro, [Fig. 6 Verificacéo com gabarito 13 2/2_ FO 10-A_ CBS senai-sp Operagao Limar Superficies Planas em Angulo 2 Quando as pegas so espessas e o angulo é reto, a perpendicularidade das faces limadas pode ser com- Provada com esquadro ou com um cilindro de preciso sobre o desempeno (figs. 7 e 8). Fig. 7 Fig. 8 14 gator No | _ Ordem de Execugdo Ferramentas 1 | Lime uma face da peca. LLimas chatas (bastarda e Precaugdo: A pega deve estar bem presa na morsa. mune Réqua de controle Observac’o: Retire o minimo possivel de material. Esquadro 2 | Lime uma borda em esquadro. earns Escala Veja FO 10-A e FIT 026 Riscador Observagéo: Retire o minimo possivel de material. Paquimetro 3. | Lime um topo, em esquadro, com a face e com a borda, Observacdo: Retire o minimo possivel de material. 4 | Trace e lime a face oposta, na medida Veja FO 08 -A e 09-A e FIT 002, 004 e 005. 5 _| Trace e lime a borda oposta, na medida. 6 | Trace e lime o topo oposto, na medida. 1 | 1 [Placa (Para FT 05 - A) ‘Aco ABNT 1010 - 1020 (1/2"x2"x87 NO. [Quant. : Denominagées e observagdes Material © dimensdes [Pega j FT 04 - A | Folha 1/1 senai-sp Ajustador Placa Limada | Mecanico Escala 1:1 | 1982 QUESTIONARIO FT O4-A er FIT FO - No aco 20 carbono, a porcentagem de carbono tem uma variagao d alternativa correta. Nas questées de 1 a 6, assinale .. 0.290 20 carbono é uma liga metélica. Seus dois principais componentes so: () Carbono e aluminio (0. Ferro e carbono () Carbono ¢ cobre () Ferroe cobre () 03 215% () 0,05 a 1,5% () 05 a 15% () 0,05 a 2,0% ‘Aluminio ou ago Ago ou bronze Ago ou ferro fundido Bronze ou latéo |. As réguas de controle slo fabricadas de: ’ ’ ) ) © comprimento da régua de controle deveré ser: () Menor que a superticie a ser verificada. () Igual a superficie a ser verificada. (-.) Maior que a superficie a ser verificada. ( ) Duas vezes maior que a superficie a ser verificada. A operacdo de limar superficie plana paralela, geralmente emprega se na confeceo dk () Maneais, potias e eixos. (1 Matrizes, montagens e ajustes diversos. (. ). Ajustes de pecas sem preciso. () Matrizes, mancais e pol Um paralelismo de precisio é veriticado com: () Paquimetro ou escala. () Relégio comparador ou micrémetro. () Graminho ou relégio comparador. () Escala ou micrémetro. 19