Você está na página 1de 7

Educação de Jovens e Adultos

Aula 1

Processo Histórico e Político de Educação de Jovens e Adultos no Brasil

Profª. Jackeline R. G. Guerreiro

Mestre em Metodologias Para o Ensino de Linguagens e Suas Tecnologias Especialista em Gestão Escolar Pedagoga

Convite

Convite Fonte: http://tirasarmandinho.tumblr.com/

Fonte: http://tirasarmandinho.tumblr.com/

Profª. Taísa Grasiela Gomes Liduenha Gonçalves

Doutora em Educação Especial Mestre em Educação Pedagoga

Educação de Jovens e Adultos (EJA)

Educação de Jovens e Adultos (EJA) Objetivo: Compreender os aspectos históricos e políticos da Educação de

Objetivo:

Compreender os aspectos históricos e políticos da Educação de Jovens e Adultos no Brasil.

Atividade Qual é a visão preliminar que você tem sobre o analfabetismo? Por que existem

Atividade

Qual é a visão preliminar que você tem sobre o analfabetismo? analfabetismo?

Por que existem tantas pessoas que foram excluídas do processo de alfabetização? excluídas do processo de alfabetização?

que você tem sobre o analfabetismo? Por que existem tantas pessoas que foram excluídas do processo

O que é o analfabetismo?

O que é o analfabetismo? A pessoa analfabeta é o indivíduo que não sabe ler e

A

pessoa analfabeta é o indivíduo que não sabe ler

e

escrever um bilhete simples no idioma que

conhece (IBGE).

escrever um bilhete simples no idioma que conhece (IBGE). o analfabetismo não é nem uma ‘chaga’,
escrever um bilhete simples no idioma que conhece (IBGE). o analfabetismo não é nem uma ‘chaga’,

o analfabetismo não é nem uma ‘chaga’, nem uma ‘erva daninha a ser erradicada’, nem tão pouco uma enfermidade, mas uma das expressões concretas de uma situação social injusta” (FREIRE, 2001, p.59).

Taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais de idade no Brasil

1970

1980

1991

2000

33,60%

25,50%

20,10%

13,60%

Fonte: Síntese de Indicadores Sociais 2000.

Fonte: Síntese de Indicadores Sociais 2000.

Disponível em: http://teen.ibge.gov.br/biblioteca/274-teen/mao-na-

roda/1721-educacao-no-brasil

Período colonial (até 1822)

Período colonial (até 1822) Os padres jesuítas podem ser considerados os primeiros educadores no período Colonial

Os padres jesuítas podem ser considerados os primeiros educadores no período Colonial (MESGRAVIS, 2015).

educadores no período Colonial (MESGRAVIS, 2015). Fonte:

Fonte:

http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/iconograficos/Jesuitas_catequi

zando_indios.html

Vídeo

O analfabetismo X alfabetização no Brasil

Vídeo O analfabetismo X alfabetização no Brasil Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=Mzmh0wR4bGA

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=Mzmh0wR4bGA

 

Quem são os (as) alunos (as) da educação de jovens e adultos?

Trabalhadores;

Trabalhadores;

Aposentados;

Aposentados;

Jovens e adolescentes empregados ou em busca de emprego;

Jovens e adolescentes empregados ou em busca de emprego;

Pessoas com necessidades educacionais especiais (SOUZA, 2012, p.20).

Pessoas com necessidades educacionais especiais (SOUZA, 2012, p.20).

 

Período imperial (1822- 1889)

1824 – Primeira Constituição brasileira: "instrução

1824

– Primeira Constituição brasileira: "instrução

primária e gratuita para todos os cidadãos”.

1872 – 82,3% da população brasileira era

1872

– 82,3% da população brasileira era

analfabeta (FERRARO, 2004).

Até 1888- “predomínio das relações escravocratas no campo” (SOUZA, 2012, p.35).

Até 1888- “predomínio das relações escravocratas no campo” (SOUZA, 2012, p.35).

Pobreza X concentração de renda- jovens inseridos no mundo do trabalho (SOUZA, 2012).

Pobreza X concentração de renda- jovens inseridos no mundo do trabalho (SOUZA, 2012).

 

Período republicano (1889-)

Em 1881, a Lei Saraiva proibiu o voto dos analfabetos, pois estes sujeitos representavam uma

Em 1881, a Lei Saraiva proibiu o voto dos analfabetos, pois estes sujeitos representavam uma ameaça para o governo e elites (FERRARO,

 

2004).

1891- Constituição Brasileira: laicização do ensino em estabelecimentos públicos (VAGULA,2009).

1891- Constituição Brasileira: laicização do ensino em estabelecimentos públicos (VAGULA,2009).

Até meados do século XX- grande parcela da população vivia na zona rural.

Até meados do século XX- grande parcela da população vivia na zona rural.

 

Período republicano (1889-)

1940- Discurso ideológico: “O trabalhador rural não precisava de estudos para pegar na enxada” (SOUZA,

1940- Discurso ideológico: “O trabalhador rural não precisava de estudos para pegar na enxada” (SOUZA, 2012, p.17)

A Organização das Nações Unidas para a

A

Organização das Nações Unidas para a

Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) -1945:

educação para a paz dos povos;para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) -1945: educação de adultos - desenvolvimento das

educação de adultos - desenvolvimento das nações "atrasadas“ (VAGULA, 2009). nações "atrasadas“ (VAGULA, 2009).

Década de 1950

Missão rural: Campanha Nacional de Educação Rural (CNER);

Missão rural: Campanha Nacional de Educação Rural (CNER);

1957- Sistema de Rádio Educativo Nacional (SIRENA);

1957- Sistema de Rádio Educativo Nacional (SIRENA);

II Congresso Nacional de Educação de Adultos

II

Congresso Nacional de Educação de Adultos

(1958)- Novas diretrizes e perspectivas teóricas

para a Educação de Adultos- Paulo Freire.

A Campanha Nacional de

A

Campanha Nacional de

Erradicação do Analfabetismo

(CNEA) -1958 (SOUZA, 2012).

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/politicas- publicas/modalidades/erradicar-analfabetismo-velha-promessa-eja-

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/politicas-

publicas/modalidades/erradicar-analfabetismo-velha-promessa-eja-

629512.shtml

Década de 1940

Década de 1940 Iniciaram as campanhas de alfabetização: Curta duração, descontínuas, sem grande sistematização.

Iniciaram as campanhas de alfabetização:

Curta duração, descontínuas, sem grande sistematização.

apoio e a parceria das diferentes instâncias da sociedade civil (VAGULA, 2009) sociedade civil (VAGULA, 2009)

Campanha de Educação de Adolescentes e Adultos – CEAA (1947)- qualificação para mão de obra; – CEAA (1947)- qualificação para mão de obra;

Congresso Nacional de Educação de Adultos (1947): “ser brasileiro de Adultos (1947): “ser brasileiro

é ser alfabetizado” (SOUZA, 2012).

Década de 1960

“De Pé no Chão Também se Aprende a Ler”- Natal.

“De Pé no Chão Também se Aprende a Ler”- Natal.

Os movimentos de educação e cultura popular foram conduzidos pelas ideias de Paulo Freire, vinculados

Os movimentos de educação e cultura popular foram conduzidos pelas ideias de Paulo Freire, vinculados a organizações sociais, igreja católica e a governos (DI PIERRO,2005):

1961-Movimento de Cultura Popular (MCP)- Recife; Movimento de Educação de Base (MEB); (SOUZA, 2012).
1961-Movimento de Cultura Popular (MCP)- Recife;
Movimento de Educação de Base (MEB);
(SOUZA, 2012).

Fonte: http://forumeja.org.br/book/export/html/1422

Período militar (1964-1985)

Movimentos de alfabetização e seus integrantes foram perseguidos e reprimidos pelos órgãos do governo federal. integrantes foram perseguidos e reprimidos pelos órgãos do governo federal.

MOBRAL – Movimento Brasileiro de Alfabetização (1967) iniciou em Recife, Paraíba, Sergipe. (SOUZA, 2012). Recife, Paraíba, Sergipe. (SOUZA, 2012).

iniciou em Recife, Paraíba, Sergipe. (SOUZA, 2012). Fonte:

Fonte: http://novaescola.org.br/formacao/ditadura-militar-aulas-trabalho-

770442.shtml#ad-image-0

Movimento Brasileiro de Alfabetização- MOBRAL (1967- 1985)

Objetivo: “erradicar” o analfabetismo em um curto período, e, principalmente, preparar mão de obra necessária aos fins e smo em um curto período, e, principalmente, preparar mão de obra necessária aos fins e interesses capitalistas do Estado (HADDAD, DI PIERRO, 2000).

Programa territorial difuso. Extinto em 1985- Fundação Educar vinculada ao MEC (SOUZA, 2012).necessária aos fins e interesses capitalistas do Estado (HADDAD, DI PIERRO, 2000). Fonte: http://acervo.oglobo.globo.com

difuso. Extinto em 1985- Fundação Educar vinculada ao MEC (SOUZA, 2012). Fonte: http://acervo.oglobo.globo.com

Fonte: http://acervo.oglobo.globo.com

Fonte: http://www.filologia.org.br/revista/57supl/34.pdf

Fonte: http://www.filologia.org.br/revista/57supl/34.pdf

Vídeo

Alegria, alegria- Caetano Veloso

Vídeo Alegria, alegria- Caetano Veloso Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=wWhnq5YcBfk

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=wWhnq5YcBfk

Supletivo

Lei nº 5.692/71: “suprir a escolarização regular para adolescentes e adultos, que não a tinham seguido ou concluído na idade própria”. para adolescentes e adultos, que não a tinham seguido ou concluído na idade própria”.

Aligeiramento do ensino (SOUZA, 2012).a escolarização regular para adolescentes e adultos, que não a tinham seguido ou concluído na idade

Atividade Baseando-se na charge discuta com seus colegas sobre a realidade educacional brasileira e, por

Atividade

Baseando-se na charge discuta com seus colegas sobre a realidade educacional brasileira e, por favor, envie as reflexões. sobre a realidade educacional brasileira e, por favor, envie as reflexões.

na charge discuta com seus colegas sobre a realidade educacional brasileira e, por favor, envie as

Redemocratização no Brasil (1980 - 1990)

Processo de reivindicação da sociedade civil, marcadas por pressões municipais, estaduais e nacionais na luta de serviços de atendimento para as jovens e pressões municipais, estaduais e nacionais na luta de serviços de atendimento para as jovens e adultos que não foram escolarizados, houve a necessidade de regulamentar a EJA (HADDAD, 2007).

escolarizados, houve a necessi dade de regulamentar a EJA (HADDAD, 2007). Fonte: <http://portal.tcu.gov.br>

Fonte: <http://portal.tcu.gov.br>

A EJA nas conferências internacionais

Conferência Mundial de Educação para Todos (1990) em Jontiem- Tailândia (FARIA, 2009). (1990) em Jontiem- Tailândia (FARIA, 2009).

Mudanças na legislação brasileira (SOUZA, 2012).para Todos (1990) em Jontiem- Tailândia (FARIA, 2009). Fonte:

2009). Mudanças na legislação brasileira (SOUZA, 2012). Fonte:

Fonte: http://gilmaronline.blogspot.com.br/2012/10/blog-post.html

Lei de diretrizes e bases da educação nacional (1996)

Art. 37. A educação de jovens e adultos será destinada àqueles que não tiveram acesso ou continuidade de estudos no ensino fundamental e médio na àqueles que não tiveram acesso ou continuidade de estudos no ensino fundamental e médio na idade própria.

acesso ou continuidade de estudos no ensino fundamental e médio na idade própria. Fonte: http://portal.mec.gov.br.

Fonte: http://portal.mec.gov.br.

Constituição federal (1988):

Art. 206:” O ensino será ministrado com base em princípios: I- igualdade de condições de acesso e permanência na escola”. princípios: I- igualdade de condições de acesso e permanência na escola”.

art. 208 : “O dever do Estado com a educação será efetivado mediante a garantia de: I- ensino fundamental obrigatório e gratuito, inclusive para os que efetivado mediante a garantia de: I- ensino fundamental obrigatório e gratuito, inclusive para os que a ele não tiveram acesso na idade própria”.

Conferências Internacionais de Educação de Adultos (Confinteas)

I CONFINTEA na Dinamarca (1949).Internacionais de Educação de Adultos (Confinteas) CONFINTEA VI em 2009 (Brasil). CONFINTEA Brasil + 6. Fonte:

CONFINTEA VI em 2009 (Brasil).de Adultos (Confinteas) I CONFINTEA na Dinamarca (1949). CONFINTEA Brasil + 6. Fonte: http://portal.mec.gov.br/

CONFINTEA Brasil + 6.I CONFINTEA na Dinamarca (1949). CONFINTEA VI em 2009 (Brasil). Fonte: http://portal.mec.gov.br/ (SOUZA, 2012, p.22)

(1949). CONFINTEA VI em 2009 (Brasil). CONFINTEA Brasil + 6. Fonte: http://portal.mec.gov.br/ (SOUZA, 2012, p.22)

Fonte: http://portal.mec.gov.br/

(SOUZA, 2012, p.22)

Lei de diretrizes e bases da educação nacional (1996)

§ 1º Os sistemas de ensino assegurarão gratuitamente aos jovens e aos adultos, que não puderam efetuar os estudos na idade regular, gratuitamente aos jovens e aos adultos, que não puderam efetuar os estudos na idade regular, oportunidades educacionais apropriadas, consideradas as características do alunado, seus interesses, condições de vida e de trabalho, mediante cursos e exames.

Lei de diretrizes e bases da educação nacional (1996)

§ 2º O Poder Público viabilizará e estimulará o acesso e a permanência do trabalhador na escola, mediante ações integradas e complementares entre si. acesso e a permanência do trabalhador na escola, mediante ações integradas e complementares entre si.

§ 3o A educação de jovens e adultos deverá articular-se, preferencialmente, com a educação profissional, na forma do regulamento. profissional, na forma do regulamento.

Vídeo

Educação de jovens e adultos na Grande São Paulo

Vídeo Educação de jovens e adultos na Grande São Paulo Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=epZ3M8ewC6w

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=epZ3M8ewC6w

Atividade “Na primeira semana de aula, eu estava muito assustada, não entendia nada, tudo era

Atividade

“Na primeira semana de aula, eu estava muito assustada, não entendia nada, tudo era diferente. Cheguei até a pensar em desistir, mas criei coragem e continuei, e hoje estou muito feliz” (NEUSA - pensar em desistir, mas criei coragem e continuei, e hoje estou muito feliz” (NEUSA - Aluna da EJA apud COSTA;ÁLVARES;BARRETO,2006) .

Converse com os seus colegas sobre o relato da aluna da EJA e envie as reflexões. da EJA e envie as reflexões.

apud COSTA;ÁLVARES;BARRETO,2006) . Converse com os seus colegas sobre o relato da aluna da EJA e
 

Lei de diretrizes e bases da educação nacional (1996)

Art. 38. Os sistemas de ensino manterão cursos e exames supletivos, que compreenderão a base

Art. 38. Os sistemas de ensino manterão cursos e exames supletivos, que compreenderão a base nacional comum do currículo, habilitando ao prosseguimento de estudos em caráter regular.

ao prosseguimento de estudos em caráter regular. Fonte: http://portal.mec.gov.br/   Lei de diretrizes e

Fonte: http://portal.mec.gov.br/

 

Lei de diretrizes e bases da educação nacional (1996)

§ 1º Os exames a que se refere este artigo realizar-se-

§

1º Os exames a que se refere este artigo realizar-se-

ão:

I
I

- no nível de conclusão do ensino fundamental, para os maiores de quinze anos;

- no nível de conclusão do ensino médio, para os maiores de dezoito anos. II

- no nível de conclusão do ensino médio, para os maiores de dezoito anos.

II

§ 2º Os conhecimentos e

§

2º Os conhecimentos e

habilidades adquiridos pelos educandos por meios informais serão aferidos e reconhecidos

mediante exames.

Fonte: http://tirasarmandinho.tumblr.com/

Fonte: http://tirasarmandinho.tumblr.com/

Referências

BRASIL. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece Estabelece

as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n. 248, 23 dez.

1996.

COSTA, E. ; ALVARES, S. C.; BARRETO, V. Trabalhando com a Educação de Jovens e Adultos : Alunos e alunas de EJA. 2006. Trabalhando com a Educação de Jovens e Adultos: Alunos e alunas de EJA. 2006. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Educação de Jovens e Adultos).

DI PIERRO, M.C. Notas sobre a redefinição da identidade e das políticas públicas de educação de jovens e adultos no Brasil. Educação e Sociedade . Campinas, políticas públicas de educação de jovens e adultos no Brasil. Educação e Sociedade. Campinas, v.26, n.92, p.1115-1139, Especial – Out. 2005.

Referências

HADDAD, S.; DI PIERRO, M. C. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação , São Paulo, n.14, p.108-130, 2000. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n.14, p.108-130, 2000.

IBGE. Censo Demográfico - 2010. Características da população e dos domicílios: resultados do universo. Disponível em: Características da população e dos domicílios: resultados do universo. Disponível em:

<http://brasilemsintese.ibge.gov.br/educacao/taxa-de-

analfabetismo-das-pessoas-de-15-anos-ou-mais.html> Acesso em:

18 jul. 2016.

MESGRAVES, L. História do Brasil Colônia . São Paulo: Contexto, 2015. História do Brasil Colônia. São Paulo: Contexto, 2015.

SOUZA, Maria Antônia de. Educação de jovens e adultos . Curitiba: Educação de jovens e adultos. Curitiba:

Intersaberes, 2012.

VAGULA, E. Educação de Jovens e Adultos . Material didático (Web aula), UNOPAR, 2009. Educação de Jovens e Adultos. Material didático (Web aula), UNOPAR, 2009.

Referências

FARIA, Wendell Fiori de. Educação de jovens e adultos. São Paulo: Educação de jovens e adultos. São Paulo:

Pearson Education do Brasil, 2009.

FERRARO, A. R. Analfabetismo no Brasil: desconceitos e políticas dee adultos. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009. Exclusão. Perspectiva , Florianópolis, v. 22, n.

Exclusão. Perspectiva, Florianópolis, v. 22, n. 1, p. 111-126, jan./jun.

2004.

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade e outros escritos . 9 ed. São Paulo: Paz e Ação cultural para a liberdade e outros escritos. 9 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra. 1987.e outros escritos . 9 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2001. HADDAD, S. A ação

HADDAD, S. A ação de governos locais na educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação. v. 12, n. 35, locais na educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação. v. 12, n. 35, p. 197-211, maio/ago. 2007.