Você está na página 1de 9

1.

OBJETIVOS
Verificar por meio de métodos da Química Analítica Quantitativa a hidratação
de sólidos e efetuar a aferição de vidrarias volumétricas.

2. Materiais e Reagentes.
2.1. Materiais





2.1.1. Determinação de Água em Sólidos
Balança Analítica (Marca: Nova, modelo: AY220, 0,001g-220g, e: 0,001)
Dessecador
Estufa de secagem.
Pesa filtro
Espátula de metal
Pinça metálica

2.1.2. Aferição de materiais volumétricos.
Balança analítica (Marca: Nova, modelo: AY220, 0,001g-220g, erro: 0,001)
Pipeta volumétrica 10 mL
Pipeta volumétrica 20 mL
Balão volumétrico 100 mL
Béquer 100 mL
Termômetro
 Espátula





2.2. Reagentes
2.1.1. Determinação de Água em Sólidos.

Sulfato de cobre penta hidratado (CuSO4.5H2O)
2.1.2. Aferição de Materiais Volumétricos

Água destilada (H2O)

1

em ambos os volumes de pipetas.Secou-se em estufa a 105-110ºC por 1 hora. que estava a 22ºC. . Aferição de Materiais Volumétricos . .3. Só não observou-se o tempo de escoamento da água do balão volumétrico. por 1 hora.Resfriou-se em um dessecador até temperatura ambiente. .Pesou-se o pesa filtro e anotou-se a massa (m 1). Procedimento 3.Tarou-se a massa de um béquer de 100 mL vazio em uma balança analítica .Adicionou-se aproximadamente 1 g de CuSO 4. a 105-110ºC. . . A secagem foi feita em estufa.O mesmo procedimento também foi feito em triplicata para um balão volumétrico de 100mL.Pipetou-se no béquer o volume da pipeta volumétrica de 10 mL e verificou-se a massa de água pipetada.Lavou-se as pipetas volumétricas de 10 mL e 20 mL . Determinação de Água em Sólidos .Lavou-se e secou-se o pesa filtro (com a tampa). .5H2O no pesa filtro (m2). 3. até que o mesmo obtivesse temperatura ambiente.Verificou-se o tempo de escoamento da água. 2 .Resfriou-se o pesa filtro em dessecador por 30 min. . . Repetiu-se o procedimento mais 2 vezes para a pipeta de 10mL e fez-se o procedimento por três vezes também para a pipeta volumétrica de 20mL.2.Pesou-se o mesmo e anotou-se a massa final (m3).1.

0412 0.0006 A partir desses dados é possível encontrar o número de mols de sulfato de cobre (II) penta hidratado.0495 0.7141 0. Para encontrar a hidratação do sulfato de cobre penta hidratado (II) é necessário dividir a quantidade de número de mols de água por número de mols de sulfato de cobre (II) penta hidratado.0554 0.7310 0.1.7493 0.5 H O= 4 2 Massa da amostra Massa Molar CuSO .2950 Desvio Padrão 0.0242 Variância 0.mol−1 Nº de molsCuSO .3017 8 1.3065 6 0. 0682 g 249.0171 mol de água.8404 0. Procedimento 1: Determinação de Água em Sólidos.3083 5 1.2601 2 1.0255 0.0043mol 4 2 O mesmo foi feito para água e encontrou-se o valor de 0.0039 0. Verificou-se os seguintes valores de massa: Grupos Massa da amostra (g) Massa final (g) Massa de água (g) 1 0.3002 3 1.68 g .7318 0.0682 0.2874 4* 1.0175 0.7347 0. RESULTADOS E DISCUSSÕES 4.2407 7 1. Cálculo do número de mols de CuSO4.0063 *Valores referente à nossa análise.7599 0.5 H O=0.5 H O= 4 2 2 O 1.5 H 4 Nº de molsCuSO .7301 0.4.9085 0.6484 0.0031 0.0335 0.5H2O: Nº de molCuSO .5997 0.2898 Média 1. 3 .0792 0. 0.

0043 mol Hidratação=4.Hidratação= nº de mols de H 2 O nº de mols de CuSO4 .0160 3.0000 28.0034 0.0003 0.0040 0.0041 0.0036 0.5H2O n de H2O Hidratação % H2O 1 0.0042 0.3083 1.: Utilizou-se todos os números após a virgula para os cálculos.9695 28.1382 4 .0042 0.0000 *Valores referente à nossa análise.8616 **Obs.5 H 2 O Hidratação= 0.4372 6 0.0167 3.6411 7 0.9643 28.6296 2 0.9679 28.0458 29. A partir dos dados de outros grupos montou-se a seguinte tabela: Grupos n de CuSO4.0041 0.0013 0.0144 3.0171 4.0171 mol 0.5 H 2 O H 2 O=100 X 0.0161 4.7514 Desvio Padrão 0.3717 Variância 0.0134 3. 0.0043 0.1921 8 0.6041 3 0.9848 28.0170 4.0000 0.0798 29.8616 5 0.0164 3.9147 28.0008 28.0041 0.0027 0.000 0 Cálculo do percentual de água: H 2 O=100 X massa de H 2 O evaporada massa de CuSO 4 .8674 Média 0.0515 0.2457 4* 0.0682 H 2 O=28.0167 4.

5 H 2 O Massa de H 2 O Teórica= 1. cuja massa média esperada seria de 0.3854 g ao invés de 0.3083 g como foi obtido.015) 249. de acordo com a especificação encontrada no rotulo do reagente. podendo-se inferir que o erro sistemático ocorrido deve-se principalmente ao escasso tempo de secagem na estufa. Provavelmente.3 854 g Obteve-se o resultado de 4. não percebeu-se uma diferença significativa. seria possível encontrar as 5 águas de hidratação esperadas.68 Massa de H 2 O Teórica=0.O cálculo da massa teórica de água presente na amostra é dado por: Massa de H 2 O Teórica= massa de CuSO 4 . porém.0682 x (5 x 18.5 H 2 O x massa molar de 5 H 2 O massa molar de CuSO 4 .0000 águas de hidratação por moléculas de sulfato de cobre (II). Comparando-se esse resultado com o das demais equipes. 5 . se o procedimento de secagem fosse efetuado repetidas vezes até verificar-se que não há variação entre as pesagens. esperava-se encontrar o sulfato de cobre (II) penta hidratado.

41s Tais tempos de escoamento foram bem aceitos já que os mesmos não devem ultrapassar 10s e 20s.9685 mL ) 10 mL erro=0.4.2.9463(+/-0.997770 g.9326 g 9.9782 g 9. respectivamente.9685 mL A partir do volume real encontrado. Procedimento 2: Aferição de Materiais Volumétricos. Dados de aferição da pipeta volumétrica de 10mL: Massa encontrada na 1ª transferência Massa encontrada na 2ª transferência Massa encontrada na 3ª transferência Média das massas Volume real 9.95s 6.9280 g 9.cm-3 E encontrou-se os seguintes dados: Tempo de escoamento da pipeta volumétrica de 10mL Tempo de escoamento da pipeta volumétrica de 20mL 5.0278) g 9.32 6 . pode-se calcular o erro da pipeta da seguinte forma: erro=100 X (1− Valor real ) Valor teorico erro=100 X (1− 9. No procedimento de aferição de vidrarias volumétricas utilizou-se dos seguintes dados: Temperatura da água Densidade da água à 22ºC 22ºC 0.

0117 g 20.26 Dados de aferição do balão volumétrico de 100mL: Massa encontrada na 1ª transferência Massa encontrada na 2ª transferência Massa encontrada na 3ª transferência Média das massas Volume real 99.0045 g 20.0219 mL Calculo do erro do balão volumétrico: erro=100 X (1− 100.0219 mL ) 100 mL erro=0.Dados de aferição da pipeta volumétrica de 20mL: Massa encontrada na 1ª transferência Massa encontrada na 2ª transferência Massa encontrada na 3ª transferência Média das massas Volume real 20.7502 g 99. o que também influenciou no tempo de escoamento das pipetas 7 .7989(+/-0. é possível justificá-lo a partir da pequena dilatação das vidrarias devido à temperatura estar levemente menor do que a qual a vidraria fora calibrada (20ºC).0036) g 20.02 Apesar de o erro obtido na aferição ter sido consideravelmente insignificante para vidrarias volumétricas.8395 g 99.8069 g 99.0528 mL ) 20 mL erro=0. a ausência de um reagente ideal para limpeza de vidrarias volumétricas. Além disso. tornou a limpeza efetuada insuficiente para a eliminação de todas as impurezas.0082 g 20.0528 mL Calculo do erro: erro=100 X (1− 20.0081(+/-0.0452) g 100.

e no volume de água que foi pesada (pequenas quantidades de agua foram aderidas às paredes das pipetas). (HARRIS. 2003) 8 .

Já no caso da aferição. já que a metodologia utilizada não foi seguida a risco. 9 . D. CONCLUSÃO A partir do experimento realizado e do aprendizado adquirido com a elaboração do relatório percebeu-se que até mesmo os instrumentos de medição estão sujeitos a erros. mesmo os materiais em que há uma alta confiabilidade. 6. E não só há erros nos materiais. 40-42pp.5. C. 2003. não houve grandes surpresas. uma vez que os resultados estão dentro dos padrões encontrados na literatura. 53-55pp. Análise Química Quantitativa. Rio de Janeiro. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [1] HARRIS. 6ª edição. mas também em procedimentos. onde ocorreu uma grande diferença entre o valor rotulado no reagente (5 águas de hidratação no sulfato de cobre (II)) e o valor encontrado (apenas 3. LTC.9 em média). que foi o caso do primeiro experimento.