Você está na página 1de 1

Estudo para Grupos Familiares

Tema: O PODER TRANSFORMADOR DO EVANGELHO (ATOS 16.10-34) (Parte I)


O apstolo Paulo, por direo divina, chega a Europa e desembarca em Filipos, famosa colnia
romana. Ali, ele, Silas, Timteo e Lucas tm o propsito de plantar uma igreja. Deus abre o
caminho para Paulo para entrar na Europa e no na sia como ele queria. Isso mudou a histria
do ocidente. Nesta cidade vemos como o poder do Evangelho transforma vidas. H o registro de
trs converses. Cada uma diferente da outra. Cada uma ensinando uma lio diferente, para nos
mostrar como Deus trabalha.
1.
O EVANGELHO E A GRAA SOBERANA DE DEUS
Deus quem produz as converses em Filipos: a) Ldia (vs. 13, 14): Deus quem toma a
iniciativa na converso de Ldia. Deus quem abre o corao. b) A Jovem Possessa (vs. 16-18):
Era escrava tanto do diabo como dos homens. Deus tambm quem toma a iniciativa na sua
libertao e converso. c) O Carcereiro (vs. 27, 34): Trs milagres aconteceram na converso
desse oficial romano: 1 Milagre Fsico: Terremoto; 2 Milagre Moral: Todos ns estamos
aqui; 3 Milagre Espiritual: Deus mudou a vida dele.
2. O EVANGELHO A TODAS AS PESSOAS
Deus salva na cidade de Filipos trs raas diferentes: a) Ldia: sia; b) Escrava: Grega; c)
Carcereiro: Romano. A igreja de Filipos era multicultural e multiracial. Deus salvou em Filipos
trs classes sociais: a) Uma empresria; b) Uma escrava; c) Um funcionrio pblico. Deus salvou
em Filipos trs pessoas de culturas religiosas diferentes: a) Ldia era proslita, uma gentia que
vivia a cultura religiosa piedosa dos judeus; b) A Escrava vivia no misticismo mais tosco,
comprometida com os demnios, possessa; c) O Carcereiro acreditava que Csar era o senhor.
A salvao alcana todos os tipos de pessoas. Deus salva pessoas de lugares diferentes, de raas
diferentes, de culturas diferentes e religies diferentes.
3. O EVANGELHO E AS EXPERINCIAS TRANSFORMADORAS
a) Ldia: O evangelho a alcana de forma calma e serena. Enquanto ela estava numa reunio de
orao e ouviu a Palavra de Deus, Deus abriu o seu corao. b) A Escrava: O evangelho a
alcanou enquanto ela estava nas garras do diabo. Ela era um capacho nas mos dos demnios.
Foi uma experincia dramtica, bombstica. c) O Carcereiro: O evangelho o alcanou no meio de
um terremoto, beira de um suicdio. Deus nos salva de formas diferentes. Por isso, no
podemos transformar a nossa experincia em modelo para os outros. Embora todas essas trs
pessoas tivessem experincias genunas, cada uma delas teve uma experincia distinta. Todas
elas foram transformadas.

Hernandes Dias Lopes


So Paulo, 13/03/09

Você também pode gostar