Você está na página 1de 30

Reunião Pública - Apimec

17 de Junho de 2010
Profarma Overview
Profarma: Overview da Companhia

Desde 1961, a Profarma distribui produtos farmacêuticos, higiene pessoal e cosméticos para farmácias e hospitais no
Brasil;

Única empresa de capital aberto no setor;

Profarma está entre as distribuidoras líderes no Brasil;

Market Share de 11% nas vendas de produtos farmacêuticos no 1T10 (IMS Health);

Distribui nos estados que representam aproximadamente 93,5% do mercado consumidor de produtos farmacêuticos no
Brasil em março de 2010 com doze Centros de Distribuição: RJ, MG, ES, SP (capital e interior), PR, BA, PE, CE, RS, GO
e DF;

Cerca de 18,0 milhões de unidades vendidas por mês para 31.000 pontos de venda, num total de 55.500 pontos de
venda no Brasil;

Crescimento Médio Anual da Receita Bruta de 16% (CAGR 2004-2009), enquanto o mercado apresentou neste mesmo
período um CAGR de 13%.
Profarma: Principais Eventos

Timeline
Mercado CAGR (97-00) = 11,7% Mercado CAGR (04-09) = 12,6%

5,2%
0) = 2 = 16,1%
GR (97-0 R (04-09)
rm a CA Profarm a
CAG
Profa

Aquisição do GO
CD da Dimper
Aquisição (RS)
da K+F Hospitais Hospitais
Minas em SP
São Paulo CE
Gerais DF no RJ
Espírito IPO
Santo Bahia PE
Paraná Vacinas

1996 1998 1999 2001 2003 2004 2005 2006 2007 2009
3,6% 4,7% 5,9% 4,5% 8,4% 9,3% 9,6% 9,6% 11,5% 10,9%*

Ano Market share (%)


* Excluindo o efeito dos similares.
Diferencial Profarma

Distribuição Especialidades Serviços

Farmácias Clínicas Varejo


- 49 anos de atuação; - 5 anos de atuação; - Auditoria dos Pontos de Vendas;
- 2.000 colaboradores; - Vacinas, dermatológicos e oncológico; - Cartão Private Label;
- Mix de 8.500 itens; - Programa de Prevenção de Perdas.
- Sistema (cotação) e equipes exclusivas;
- 31.000 clientes.
- 500 clientes (clínicas e consultórios);
Hospitalar - Gerenciamento cadeia de frio Indústria
- 5 anos de atuação; (WHO/ANVISA); - Auditoria dos Pontos de Vendas;
- 100 colaboradores; - Logística de entrega com controle de lote, - Expertise nos Pontos de Vendas;
- Mix de 1.500 itens; temperatura e seviço . - Equipe de vendas terceirizadas.
- 700 clientes.
Fundamentos Favoráveis do Setor
Fundamentos Favoráveis do Setor

O mercado farmacêutico vai quebrar a barreira de US$ 1 trilhão até 2014.

Vendas Globais e Crescimento 2005 - 2014

- 8%
14 = 5
(e) 2 0 10 – 20
= 6,7% CAGR
1200 2005 – 2009 9%
CAGR
1100
8%

Crescimento constante US$


1000
7%
900
800 6%
Vendas US$ bi

700
5%
600
4%
500
400 3%
300
2%
200
1%
100
0 0%
2005 2006 2007 2008 2009 2010 (e) 2011 (e) 2012 (e) 2013 (e) 2014 (e)

Total global Crescimento (%)


Fonte: IMS Health, 2010
Fundamentos Favoráveis do Setor

Pharmerging continua em evidência – geografia de crescimento de mercado será diferente da visão de 2009 nos
próximos 5 anos.

2009 Crescimento 2010-2014


Mercado Farmacêutico
Vendas US$ bi % Market Share Vendas US$ bi %
Mundo 837,0 100,0 297,0 100,0
EUA 301,3 36,0 71,3 24,0
Top 5 Europa + Japão 251,1 30,0 44,6 15,0
Resto do mundo 150,7 18,0 41,6 14,0
Outros Pharmerging 100,4 12,0 80,2 27,0
China 33,5 4,0 59,4 20,0
Fonte: IMS Health, 2010
Fundamentos Favoráveis do Setor

Pharmerging continua se destacando – apresentando também um forte crescimento econômico após a recessão.

Mercado Farmacêutico – CAGR 2010 ~ 2014 vs Crescimento do PIB em 2011

35%
Pharmerging markets
Venezuela Mercados Maduros
30% Crescimento Absoluto 2010-2014 (em US$ bilhões)
Mercado Farmacêutico – CAGR 2010 - 2014

ROW: US$ 31.8 bi China

25%

Argentina
20%

15% BRASIL
Índia
Indonésia
Coréia Rússia
10% 16.5 do Sul 126.5
Alemanha E.U.A
Espanha Turquia
5%
Japão
França
122.1 Reino Unido México 0.5
0%
-1% 0% 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9%

Crescimento do PIB em 2011


Fonte: IMS Health, 2010
Fundamentos Favoráveis do Setor

O Brasil é a mais importante economia política da América Latina e o maior mercado farmacêutico na América do
Sul.

Tamanho do Crescimento Mercado Taxa de


Mercado Farmacêutico PIB (taxa de Desemprego Taxa de
População Farmacêutico (CAGR IMS, Datado câmbio oficial, PIB per capita Oficial Inflação
País (2009, Mi) (2009e, US$ Mi) Set. 09) 2008-2013 2009e, US$ bi) (2009e, US$) (2009e) (2009e)

Brasil 194 18.332 9,4% 1.482 7.737 8,1% 5,7%


México 110 9.302 3,5% 866 8.040 6,8% 6,2%
Colômbia 46 1.814 5,9% 229 4.662 13,0% 7,7%
Argentina 40 3.567 13,6% 301 7.508 8,8% *6,2%
Peru 29 957 4,6% 127 4.377 8,3% in Lima 6,7%
Venezuela 29 6.596 28,5% 353 12.354 8,0% 31,0%
Chile 17 1.497 5,5% 150 8.853 9,8% 8,8%

Fonte: CIA, IMF, IMS, UM


* Baseado em estimativas oficiais. Estimativas não oficiais em 2008.
Fundamentos Favoráveis do Setor

O mercado farmacêutico brasileiro aumentou 14,9% em 2009, totalizando R$ 30,0 bilhões, mantendo o forte
crescimento dos anos anteriores, atingindo nos últimos quatro anos CAGR de 13,0%.

Evolução do Mercado Farmacêutico Brasileiro

Em R$ bilhões

%
~ 10
R+7
4,9% CAG
+1 34,3
3,0% 31,4
R+1
CAG
30,0
26,1
23,2
20,9
18,3
16,6
14,4

2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* 2011*

*Os números foram projetados pelo IMS em Dez/07, antes da inclusão da Abradilan.
Favorável Cenário Socioeconômico

A economia brasileira manteve a trajetória de crescimento após crise de 2008. A manutenção do crescimento vem
proporcionando um melhor poder de compra do mercado interno brasileiro.

5,0% Variação PIB Trimestral (%)


 Recuperação rápida do PIB após crise: crescimento da
economia brasileira após a crise mundial reforçou uma
visão otimista de crescimento do país, e influenciou
0,0%
positivamente as projeções do PIB para os próximos 5
anos.

1T08 3T08 1T09 3T09 1T10  Crescimento estimado para 2010 entre 6,5% ~ 7,5%.
-5,0%

800
Risco Brasil (Base Points)

600  Risco Brasil retoma patamares pré-crise.


482
 Ambiente volta a ser propício à atração de
400
investimentos estrangeiros.

178
200

0
abr-04 abr-05 abr-06 abr-07 abr-08 abr-09 abr-10 Fonte: IBGE e Banco Central do Brasil 2009
Favorável Cenário Socioeconômico

Aumento da massa de consumidores sustentou a expansão do mercado interno.

Evolução do Perfil Socioeconômico* no Brasil Taxa de Desemprego


(% de famílias) (%)

 Crescimento da Classe Média: O crescimento bem como o  Desemprego em queda consistente nos últimos anos indica o
poder de compra induziram o mercado farmacêutico brasileiro aquecimento da economia e do consumo.
à expansão.

15,0
2005 3% 31% 38% 23% 5%

10,0 9,7 9,0


2007 2% 24% 42% 26% 6%
7,3

2009 2% 18% 48% 27% 5% 5,0

Classe E Classe D Classe C Classe B Classe A 0,0


jan-04 jan-05 jan-06 jan-07 jan-08 jan-09 jan-10 jan-11

* Utilizando o parâmetro de perfil de consumo das famílias para eliminar efeitos do emprego Fonte: IBGE e Banco Central do Brasil 2010
informal, inflação e diferenças regionais de custo de vida.
Fonte: Target Brasil
Fundamentos Favoráveis do Setor

A categoria Higiene Pessoal e Cosméticos cresce cerca de 20% a.a. se aproximando do crescimento da categoria
de Genéricos.

Representatividade dos Segmentos Evolução dos Mercados no


no Canal Farmácia Varejo Farmacêutico

1%
2

Variação Participação na Farmácia (p.p)


Genéricos
25%
Ético 1 Dermocosméticos
40% Genéricos HPC
HPC 0
410 Milhões MIP
unidades MIP
-1
Dermocosméticos

19% Éticos
-2

16%
-3
6 12 18 24 30 36
Cresc. Demanda em Unidades

Fonte: IMS Consultoria, MAT MAR/2010 Fonte: IMS Consultoria, MAT MAR/2010
Fundamentos Favoráveis do Setor

Tendências para os próximos anos


Crescimento composto de 7 - 10% ao ano para 2009 - 11
Manutenção de crescimento dos Genéricos:
Ranking de classes do mercado de genéricos pode mudar: cerca de 50 moléculas perderão a patente nos
próximos anos. Juntas, essas moléculas representam quase US$ 500 MM em valor de mercado.
Crescimento no consumo do medicamentos genéricos, devido a uma maior aceitação da classe médica,
podendo levar a uma penetração de 19% em 2015;

Mercado de Higiene Pessoal e Cosméticos (Perfumaria) :


3º mercado no mundo;
+ RDC 44 – OTC indo para trás do balcão
Nota Fiscal eletrônica programada para Junho de 2010;

Envelhecimento da população e impacto em doenças crônicas:


13,9 milhões de pessoas acima de 60 anos em 2000, comparado a expectativa de 28,3 milhões de pessoas em
2020.
Relevância

Medicamentos Similares:
Mercado na ordem de US$ 2 bilhões;
Em 2004, o governo instituiu programa de phase out que se encerra em 2014;

Renda per Capita:


15% da população tem sido responsável por 50% do consumo de medicamentos;
Não existe no Brasil reembolso de medicamentos por parte governo nem por parte dos planos de saúde;

Expansão de políticas públicas - Programa Farmácia Popular:


Através deste programa, criado em 2004, o governo subsidia até 90% do preço de tabela dos medicamentos;
Benefício para cerca de 3,5 milhões de pacientes que praticamente não tinham acesso aos medicamentos;
- Atualmente nas grandes redes, aproximadamente ¾ das vendas dos medicamentos nestas
categorias são realizadas dentro do Programa Farmácia Popular, tendo crescido mais de 50%.
Supply Chain
Supply Chain - Indústria

Brasil

Rk Vendas % Cresc.
Companhia
09 08 (US$ milhões)

1 1 EMS 1.393 20.6


2 2 Sanofi-Aventis 1.036 10.4
3 4 Ache 986 16.3
4 3 Medley 894 4.2
5 5 Novartis 757 10.5

6 7 Eurofarma 721 28.0

7 6 Bayer Corp. 632 4.3


8 8 Pfizer 499 5.6
9 9 Johnson & Johnson 465 7.0
10 10 GSK Corp. 435 13.0

Total $ 17.261 14.5


Fonte: IMS / PMB – MAT Dezembro 2009
Supply Chain - Distribuição

Significativa oportunidade de consolidação na distribuição – somente 38% das vendas estão concentradas nos
três maiores distribuidores.

Concentração de Vendas dos 3 Principais Distribuidores

99
93 93

72
64
61
58
55
50
40 39 38

21

Austrália França Estados México Alemanha Reino Japão Argentina Canadá Itália Espanha Brasil Coréia do
Unidos Unido Sul

Fonte: IMS Health Consulting & Services 2008, Rx Only.


Supply Chain - Distribuição

Estrutura de distribuição e varejo no Brasil ainda é muito fragmentada: ~ 60 mil farmácias e 400-500 distribuidores
e atacadistas.

Alto

Importância
das Redes de
Grau de Concentração na Distribuição

Farmácias

> 40%

30 - 40%

< 30%

Baixo

10 K 40 K
Número de Farmácias
Supply Chain - Varejo

Crescimento no número de pontos de venda em função de baixo número de fechamentos de loja.

Evolução da Quantidade de Pontos de Venda Evolução em Valor (R$)

Crescimento 2009 / 2008


Supermercados 26,6% 59.518
Redes 7,7%
0,9%
Independentes 12,0%
2% 2% 2% 3% 3%

45%
55.021
42%
0,8% 39%
53.660 8,3% 37%
52.959 0,6% 35%
0,5%
51.404 8,0%
0,4%
7,6%
7,4%
7,1% 63%
61%
59%
55%
92,5% 52%
92,1%
91,8%
91,2%
90,8%

2004 2005 2006 2007 2008 2004 2005 2006 2007 2008

Supermercados Redes Independentes


Fonte: IMS – Estudo de Distribuição
Performance Financeira
Destaques Financeiros 1T10

In R$ milhões 1T09 1T10 % 2008 2009 %


Receita Bruta 661,8 766,0 15,8 2,940.4 3,041.6 3,4
Receita Líquida 563,0 639,6 13,6 2,535.5 2,578.3 1,7
Lucro Bruto + 63,1 66,4 5,2 270,2 301,5 11,6
Receita de Serviços a Fornecedores
% Receita Líquida 11,2% 10,4% 10,7% 11,7%
EBITDA 17,1 17,9 4,6 78,7 110,7 40,7
% Margem EBITDA 3,0% 2,8% 3,1% 4,3%
Lucro Líquido 6,7 7,8 15,1 31,6 53,2 68,0
% Margem Líquida 1,2% 1,2% 1,2% 2,1%
Dívida Líquida 128,0 167,3 149,4 118,1
Dívida Líquida / Ebitda 1.6 1.5 1.9 1.1

Patrimônio Líquido 472,8 493,4 467,4 485,4


Total Ativo 886,6 997,5 922,1 951,3

Ciclo de Caixa (dias) 67,9 64,9


Destaques Financeiros

Em R$ MM
Em R$ MM e em % Receita Líquida

Receita Bruta EBITDA e Margem EBITDA

4,3

3,5
3.042 110,7
2.940 3,1 3,0
2,8
2.596

80,1 78,7

766
662
17,1 17,9

2007 2008 2009 1T09 1T10 2007 2008 2009 1T09 1T10
Ebitda

Margem Ebitda (%)


Destaques Financeiros

Em R$ MM Em R$ MM
e em % Receita Líquida e em % Receita Líquida

Lucro Bruto e
Lucro Líquido
Receita de Serviços a Fornecedores

11,7 2,1 2,1


1,2 1,2 1,2
11,2
11,0
53,2
10,7
10,4
49,5 47,0

32,8
8,0

31,6

220,7

217,0

159,3 7,8
6,7
5,9 20,0

57,8 46,5

2007 2008 2009 1T09 1T10 2007 2008 2009 1T09 1T10
Lucro Bruto Lucro Líquido
Receita de Serviços a Fornecedores Margem Líquida (%)
Margem Bruta (%)
Destaques Financeiros

Ciclo de Caixa e Capital de Giro

20,2 20,9
19,5
18,0 18,4 18,1 17,3
15,7 16,7
15,1 15,7 15,7 14,8 14,8 16,2

507,0 507,2 522,5 512,4 510,8


499,0 490,1
448,1 455,1 457,7 449,5
435,4
375,5
309,5
284,9

3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10

Ciclo de Caixa - Dias 49,3 53,4 62,5 69,6 67,8 64,3 68,8 67,2 61,8 65,8 67,9 58,7 51,6 52,7 64,9

Dias Contas a Receber 45,2 50,0 54,6 53,1 50,9 51,7 50,7 49,2 47,0 45,9 42,4 40,5 38,4 41,1 43,4
Dias Estoque 33,1 44,7 43,4 47,2 41,3 48,6 47,9 45,7 42,5 49,9 54,0 46,5 38,5 49,6 56,2
Dias Fornecedores 29,0 41,3 35,6 30,7 24,5 36,0 29,8 27,7 27,7 29,9 28,5 28,4 25,3 38,0 34,7

Capital de Giro % Capital de Giro (sobre Receita Bruta)


Endividamento

Dívida Líquida / Ebitda Perfil da Dívida 1T10

- Perfil da Dívida:

40%
1.9x 60%

Longo Prazo
1.5x 1.5x
Curto Prazo

1.0x 1.1x

- Indexador:
CDI

- Garantias:
98% Clean

Disponibilidade atual de R$ 362 milhões


de garantias em duplicatas.

(1)
Dez 06 Dez 07 Dez 08 Dez 09 Mar 10

(1) Posição de Caixa Líquido.


Indicadores Operacionais

Nível de Serviço (%) Erros por Milhão


(unidades servidas / unidades solicitadas) (erros por milhão de unidades expedidas)

92,5 210.0
92,3

91,7
91,3
145.0
90,7
115.0

95.0
91.0

2007 2008 2009 1T09 1T10 2007 2008 2009 1T09 1T10
Desempenho das Ações

Evolução Comparativa das Ações da Profarma Média Diária R$ - Volume Financeiro


(PFRM3 vs Ibovespa) PFRM3 - Primeiro Trimestre 2010

1.4

Ibovespa 24%
1.2

Preço da Ação 1.0


R$ 16,55 68.588
30/12/09
0.8

Milhões
Preço da Ação
R$ 18,60 70.371
31/03/10 0.6

Var. (%) 12,4% 2,6% 0.4

Nota: Evolução comparativa em pontos-base do Índice 0.2

0
1/4/2010 2/1/2010 3/1/2010 3/29/2010
Cobertura de Analistas

Companhia Analista

Javier Martinez de Olcoz Cerdan


Morgan Stanley Telefone: (1 212) 761-4542
E-mail: javier.martinez.olcoz@morganstanley.com

Alexandre Pizano
Merrill Lynch Telefone: (55 11) 2188-4024
E-mail: alexandre_pizano@ml.com

Marcel Moraes
Credit Suisse Telefone: (55 11) 3841-6302
E-mail: marcel.moraes@credit-suisse.com

Juliana Rozenbaum - Marcio Osako


Telefone: (55 11) 3073-3035 / (55 11) 3073-3040
Itaú BBA
E-mail: juliana.rozenbaum@itausecurities.com
E-mail: marcio.osako@itausecurities.com

Iago Whately
Banco Fator Telefone: (55 11) 3049-9480
E-mail: iwhately@bancofator.com.br

Guilherme Assis
Raymond James Telefone: (55 11) 3513-8706
E-mail: guilherme.assis@raymondjames.com
Contato Relações com Investidores

Max Fischer
Diretor Financeiro e de RI

Beatriz Diez
Gerente de RI

Telefone.: 55 (21) 4009 0276


E-mail: ri@profarma.com.br
www.profarma.com.br/ri