Você está na página 1de 7
Historias de Lord Dunsany, retiradas do livro Cinquenta e Um Contos ‘Traducdo: M.R.M.Ribeiro O encontro Cantando pela estrada, e gracejando 4 medida que cantava, com s6rdidos aventureiros, a Fama passou pelo poeta. E ainda que o poeta tenha feito para ela pequenas coroas de canticos, para cobrir sua testa nos tribunais do tempo: grinaldas sem valor, feitas de coisas pereciveis, que intiteis cidadaos arremessavam para ela no caminho. E apés um tempo, quando essas grinaldas morriam, o poeta vinha a ela com suas coroas de canticos; e embora ela risse para ele e usasse as despreziveis coroas, elas sempre morriam a noite. E, um dia, em sua amargura, 0 poeta censurou-a, e disse-lh “Amavel Fama, mesmo nas estradas ou nos atalhos vocé nao nasceu ainda assim ela usava para rir, e gritar e galhofar com homens inuteis, e eu tenho me esforgado por vocé e sonhado com vocé e vocé zomba de mim e me deixa.” Ea Fama voltou-se para ele e foi embora, mas em sua partida ela olhou sobre seus ombros e sorriu para ele como nunca havia sorrido antes, € quase falando em sussurro, diss "Eu o encontrarei no cemitério por tras de todo seu esforgo daqui ha cem anos.” Apés 0 fogo Quando aquilo aconteceu, a coliséo do mundo com uma negra e desconhecida estrela ha muito tempo atrds, certas criaturas enormes de algum outro mundo exterior vieram espreitar entre as cinzas para ver se havia algo de valor para ser lembrado. Elas falaram das grandes coisas pelas quais 0 mundo fora conhecido por ter possuido; elas mencionaram o mamute. E, naquele mesmo instante, elas viram os templos dos homens, silenciosos e sem janelas, encarando-as como caveiras vazias, “Algo grande esteve aqui,” Disse um, “nesses lugares enormes.” “Foi o mamute.” Disse mais um. “Algo maior que ele.” Disse outro. E, ento, elas perceberam que a maior coisa no mundo haviam sido os sonhos dos homens. Os Imortais solitarios Eu ouvi dizer que muito longe daqui, no lado impréprio dos desertos de Cathay, em um pais aplicado ao inverno, encontram- que estéo mortos. E ha um certo vale que os cerca e esconde-os, como boatos provenientes do mundo, ¢ nao da contemplagio da visio da lua, nem daqueles que sonham em sob os raios dela. se todos os anos E eu disse: eu partirei daqui por caminhos oniricos, chegarei aquele vale, entrarei e léirei chorar pelos bons anos que esto mortos. E eu disse: eu levarei uma coroa de flores, uma coroa de luto, e a colocarei aos pés deles em sinal de minha tristeza por suas desgracas . E quando eu procurei por entre as flores, entre as flores da minha coroa de luto, 0 lirio parecia muito grande e 0 louro formal demais, e nao encontrei nada fragil o suficiente nem delicado para servir como uma oferenda para os anos que estavam mortos. E, finalmente, eu fiz uma fina coroa de margaridas da maneira como as tinha visto serem feitas para um dos anos, que esta morto. "Isto", disse eu, "é suficientemente fragil ou fraco como um daqueles lelicados anos esquecido. " Entao eu tomei minha coroa de flores na mao e parti daqui. E quando eu cheguei, pelas veredas de mistério, aquela romantica terra onde o dito de mentira encerra-se proximo 4 lua montanhosa, eu procurei entre a grama por aqueles pobres pequenos anos para quem eu pechinchei minha tristeza e minha coroa de flores. E quando lé, eu nao encontrei nada na grama, eu disse: "O tempo destruiu-os, varreu-os e nao deixou sequer ligeiros resquicios.” Mas olhando para cima no brilho da lua, de repente, eu vi estétuas gigantes proximas, elevando-se, tapando as estrelas e enchendo a noite com a escuridao; e aos pés daqueles idolos eu vi oragdes e reveréncias reais, e os dias que sao, todas as épocas, todas as cidades, todas as nagées e todos os seus deuses. Nem a fumaca do incenso nem da queima sacrificial atingiam aquelas cabegas colossais, elas foram colocadas | para nao serem medidas, para nao serem derrubadas e para ndo serem desgastadas. Eu disse: "Quem sao aqueles?" Um respondeu: "Os imortais solitarios" E eu perguntei-me com tristeza: "Nao vim para ver deuses terriveis, mas para derramar minhas lagrimas e depositar flores aos pés de certos anos pequenos que estéo mortos e nao podem voltar?" Ele me respondeu: "Estes so os anos que estéo mortos, os imortais solitarios, todos os anos foram feitos para serem Seus filhos. Eles talharam os sorrisos deles e suas risadas, todos os reis da terra Eles tm coroado, todos os deuses Eles tém criado; todos os eventos para serem escoados de seus pés, como um rio; os mundos sao seixos voadores que Eles ja langaram, o tempo e todos os seus séculos passados ajoelharam-se com cristas dobrados em sinal de vassalagem aos Seus pés poderosos.” E quando eu ouvi isso eu virei-me com a minha coroa de flores, e voltei 4 minha terra consolado. Um arquivo dos mistérios mais antigos E dito no Arquivo dos mistérios mais antigos da China, que um da casa de Tlang era habilidoso com ferro afiado e foi para as montanhas de jade verde e esculpiu um deus de jade verde. E isso ocorreu no ciclo do Dragio, o septuagésimo oitavo ano. Por quase cem anos, os homens duvidaram do deus de jade verde, e depois, eles 0 adoraram por mil anos, e depois eles duvidaram dele novamente, e 0 deus de jade verde fez um milagre e submergiu as montanhas de jade verde, afundando-as na terra, certa noite ao pér do sol, de modo que restou apenas um pantano no local onde as montanhas de jade verde ficavam. E 0 pantano esta cheio de flor de létus. Ao redor deste pantano de létus, assim que ele brilha ao anoitecer, caminha La Li Ting, a menina chinesa, guiando as vacas para casa; ela vai atrds delas, cantando a respeito do rio Lo Lang Ho. Portanto, ela canta do rio, do Lo Lang Ho: ela canta que, de fato, ele é de todos o maior, nascido das mais antigas montanhas que os sabios venham conhecer, mais veloz do que as lebres, mais profundo do que o mar, o mestre de outros rios, perfumado tanto quanto as rosas e mais justo do que as safiras ao redor do pescoco de um principe. Depois ela reza para o rio Lo Lang Ho, dono de rios e rival do céu ao amanhecer, para que ele traga para ela em um barco de bambu leve um amante, remando da terra desconhecida, em um vestido de seda amarela com turquesas em sua cintura, jovial, alegre e ocioso, com um rosto amarelo como ouro € um rubi em seu chapéu com lampiées brilhantes, a0 anoitecer. Sendo assim, ela orou certo anoitecer para o rio Lo Lang Ho, assim que ela foi atras das vacas a beira dos pantanos de Idtus e o Deus de jade verde sob os pantanos de l6tus ficou com citimes do amante pelo qual a donzela La Li Ting orava certo anoitecer para o rio lo Lang Ho, e amaldigoou o rio & maneira dos deuses e transformou-o em um riacho estreito e cheirando mal. E tudo isso aconteceu ha mil anos atras, e Lo Lang Ho é um oprébrio entre os viajantes ¢ a historia daquele grande rio foi esquecida, e 0 que aconteceu com a moca nenhum conto diz, embora todos os homens pensem que ela tornou-se uma deusa de jade para se assentar e sorrir para uma flor de létus, em uma flor de létus esculpida na pedra, ao lado do deus de jade verde distante sob os pantanos, em direcéo aos picos das montanhas, mas as mulheres sabem que seu fantasma ainda assombra os pantanos de tus em noites brilhantes, cantando sobre o Lo Lang Ho . A névoa ‘A névoa disse para a névoa: "Vamos até os Downs." Ea névoa subiu chorando. E a néyoa entrou em lugares altos e nas depressdes. E os aglomerados de drvores a distancia ficaram fantasmagéricos na bruma. Mas eu fui a um profeta, daqueles que amam os Downs, e disse-lhe: "Por que a névoa sobe chorando aos Downs, quando ela vai aos lugares altos e depressées?” E ele respondeu-me: "A névoa é companheira da multidéo de almas que nunca viu os Downs, que agora estao mortos. Por isso elas sobem chorando até os Downs, que estdo mortos e nunca foram vistos por elas." (nota de tradugao: Downs refere-se a uma regido da Irlanda do Norte)