Você está na página 1de 3

BIBLIOTHÈQUE -APOSTILA DE ZOS-KIA

Página 1 de 3

BIBLIOTH È QUE -APOSTILA DE ZOS-KIA P á gina 1 de 3 . "Os Sigilos s

BIBLIOTH È QUE -APOSTILA DE ZOS-KIA P á gina 1 de 3 . "Os Sigilos s

.

"Os Sigilos são a arte de acreditar, minha invenção para tornar orgânica a crença, logo, crença verdadeira."

(‘O Livro do Prazer’, A. O. Spare)

verdadeira." (‘O Livro do Prazer’, A. O. Spare) Outros assuntos que podem ser do seu interesse

Outros assuntos que podem ser do seu interesse agora:

Spare) Outros assuntos que podem ser do seu interesse agora: Os Sigilos e o Alfabeto do

Os Sigilos e o Alfabeto do Desejo são utilizados especificamente para propiciar o acontecimento de duas coisas:

1. Comunhão efetiva com os elementares existentes nos níveis

subconscientes;

2. A colocação do desejo em tais níveis sem que a mente consciente

esteja alerta desta transação, pois "o desejo consciente não é

atrativo".

"Minha fórmula e Sigilos para a atividade subconsciente são os meios de inspiração, de capacitação e de genialidade, além de serem os meios para acelerar a evolução. São uma economia de energia e um método de aprendizado através do prazer. Pelos Sigilos e pela aquisição da vacuidade, qualquer encarnação ou experiência passada pode ser trazida à consciência."

Utiliza-se o alfabeto comum para a construção de sigilos. Spare nos dá como exemplo o desejo de uma força super-humana que ele formula da seguinte maneira: "eu desejo a força de meus tigres". De modo a sigilizar este desejo, coloque num pedaço de papel todas as letras que compõem a sentença, omitindo as repetições de letras. A seqüência resultante de letras é "EUDSJOA FRÇMTIG" que devem ser combinadas para formar um glifo único. O desejo, assim sigilizado, deve então ser esquecido; isto eqüivale a dizer que a mente deve desistir de pensar sobre ele em qualquer outro momento além do tempo do ritual mágico, pois "a crença se torna verdadeira e vital por sua retenção na consciência através da forma do sigilo e não pela retenção da fé. A crença se exaure pela não-resistência, isto é, pela consciência. Creia não acreditar e então você obterá a existência do seu desejo."

Através da virtude do Sigilo você será capaz de enviar o seu desejo ao

BIBLIOTHÈQUE -APOSTILA DE ZOS-KIA

Página 2 de 3

subconsciente (que contém toda a força); isto acontecendo, a realização do desejo ocorrerá pela manifestação do conhecimento ou do poder necessários."

"Todo desejo, quer de Prazer, Conhecimento ou Poder, que não consegue encontrar sua expressão natural, pode realizar-se através de Sigilos e sua fórmula no subconsciente. Os Sigilos são meios de se

dirigir e unir as crenças parcialmente livres a um desejo orgânico, que

é a sua carruagem até que sua finalidade seja atingida no Eu

subconsciente, bem como são também os meios de reencarnação no Ego. Todo pensamento pode ser expressado através de uma forma numa equivalência verdadeira. Os Sigilos são monogramas do pensamento para dirigir a energia relativa aos Karmas; um método matemático de simbolizar o desejo, dando-lhe uma forma que tem a virtude de impedir qualquer pensamento ou associação sobre este desejo particular (no momento mágico), escapando da percepção do Ego, de modo que este não retenha ou se apegue a este desejo para uso de suas próprias imagens, lembranças e preocupações transitórias, permitindo seu livre acesso ao subconsciente."

A energização deste Sigilo deve acontecer num momento especial,

conforme pode ser visto na fórmula de Spare. Ele a descreve em seu

"Grimório": "

adequadas para abrigar o ‘lingam’ utilizado, de modo que haja vácuo suficiente. No momento do orgasmo, o desejo deve ser formulado

imperativamente. Após a ejaculação, sele o vaso com o seu sigilo

contendo a fórmula secreta do seu desejo. Enterre-o à meia-noite com

a lua no quarto-crescente ou quarto-mingüante. Quando chegar a Lua

Nova, desenterre o vaso, derrame seu conteúdo em libação sobre a terra com o encantamento apropriado e, então, reenterre-o (o encantamento adequado consiste numa nova ejaculação sobre o

conteúdo da urna). Esta é a fórmula mais formidável já praticada, pois

nunca falha, embora seja perigosa

descrito deve ser imaginado. Desta fórmula é que se originou a lenda dos "gênios do vaso de latão" associada a Salomão!"

deve-se

usar uma urna de formato e dimensões

Portanto,

o que não está aqui

Não é necessário acrescentar que o poder não está verdadeiramente no sigilo em si, que é simplesmente o veículo do desejo, mas na intenção com que ele é despachado para o vazio no momento da exaustão. Qualquer glifo, pessoal ou tradicional, pode ser utilizado

como sigilo. Se for pessoal, ele deve ser o veículo específico do desejo

e desenhado com esta única intenção; se tradicional, ele deve ter

recebido uma nova direção capaz de consagrá-lo para seu objetivo

secreto.

"Não há nada mais simples que falar com o seu Ser interior, embora seja ao mesmo tempo muito complexo. A primeira condição é Segredo, Silêncio e Solidão. A seguir, um meio de comunicação. Eu criei meu próprio Alfabeto e Linguagem baseados na onomatopéia primal da língua que é agora uma qualidade subconsciente e que se expressa

apenas através de grande emoção

as imagens de pensamento são interiormente audíveis. A Alma responde apenas a esta linguagem básica. Finalmente, deve ser atingida uma calma de corpo e de consciência: a mente deve estar limpa de todos os conceitos não incluídos no desejo em si."

De fato, os elos ativos entre todas

BIBLIOTHÈQUE -APOSTILA DE ZOS-KIA

Página 3 de 3

O Alfabeto do Desejo consiste nos elementos de uma linguagem sutil que não pode ser ensinada nem aprendida, pois se trata duma linguagem de outro plano: ela é uma glifagem fluente do desejo num nível de intensa emoção sepultada profundamente nos planos subconscientes da psique.

Os gestos, atitudes ou mudras, a secreta linguagem de sinais do desejo, não são tradutíveis em termos intelectuais ou do pensamento discursivo. Eles só podem ser apreendidos pela compreensão da arte de Spare que é, de fato, a arte de Zos, "o corpo considerado como um todo".

Seria incorreto dizer que este alfabeto faz algum sentido na prática, pois ele não tem qualquer significado no plano lógico. O importante é que seu usuário crie dentro de si um novo sentido estético, de modo a ser guiado num labirinto onde ele penetrará nos mistérios dos ‘alinhamentos sagrados’. Isto proporcionar-lhe-á uma assimilação- relâmpago de sujeito e objeto num estado invisível e desconhecido de ‘nem isto, nem aquilo’, chamado simplesmente de ‘auto-amor’ (Self- love) apenas pela ausência de um termo plenamente capaz de explicá- lo.

O Alfabeto do Desejo pode, portanto, ser descrito como uma guirlanda

de letras místicas ao redor da garganta da Deusa. "Eu asseguro que este Auto-amor é um dos rituais mais secretos escondido por

ideogramas blasfemos; e, quem o invocar, pronunciando a palavra corajosamente, verá toda a criação das mulheres correr em sua direção". Em outras palavras, ele conhecerá os alinhamentos sagrados

e, tendo absorvido seus corpos femininos, que estão sempre se

projetando, "ele conseguirá atingir a verdadeira extensão de seu corpo", iniciando-se na Nova Sexualidade.

É por este motivo que o devoto da Deusa no Culto de Zos Kia utiliza o

Alfabeto Sagrado e, com as palavras de poder geradas por suas letras, ele evoca o Id primal.

Esta foi a Deusa celebrada por Spare em sua arte, e ele "caminhou com Ela pelo caminho correto".

(MSInc. | capítulo anterior | próximo capítulo | volta)

.

| cap ítulo anterior | próximo capítulo | volta ) . Morte Súbita Inc. | Seus

Morte Súbita Inc. | Seus Gritos - Nossa Gargalhada msinc@ifrance.com