Você está na página 1de 250

Cid Roberto

Cid Roberto Q UESTÕES G ABARITADAS CAIXA E CONÔMICA F EDERAL Brasília / 2014
Cid Roberto Q UESTÕES G ABARITADAS CAIXA E CONÔMICA F EDERAL Brasília / 2014

QUESTÕES GABARITADAS

Cid Roberto Q UESTÕES G ABARITADAS CAIXA E CONÔMICA F EDERAL Brasília / 2014
CAIXA
CAIXA

ECONÔMICA

Cid Roberto Q UESTÕES G ABARITADAS CAIXA E CONÔMICA F EDERAL Brasília / 2014
Cid Roberto Q UESTÕES G ABARITADAS CAIXA E CONÔMICA F EDERAL Brasília / 2014

FEDERAL

Cid Roberto Q UESTÕES G ABARITADAS CAIXA E CONÔMICA F EDERAL Brasília / 2014
Cid Roberto Q UESTÕES G ABARITADAS CAIXA E CONÔMICA F EDERAL Brasília / 2014

Brasília / 2014

1. (Basa/Cesgranrio/2013) O Sistema Financeiro Nacional, em todas as partes que o compõem, foi estruturado

1. (Basa/Cesgranrio/2013) O Sistema Financeiro Nacional, em todas as partes que o compõem, foi estruturado de forma a promover o desen- volvimento equilibrado do país e a servir aos interesses da coletivi- dade. Em relação à sua composição, o Sistema Financeiro Nacional pode ser dividido em:

a. órgãos normativos, entidades supervisoras e operadores.

b. organizações governamentais, instituições públicas e instituições

c. - radoras.

d. - vernamentais.

e. instituições públicas, organizações não governamentais e institui- ções privadas.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

2. (BNDES/Cesgranrio/técnico administrativo/2013) O Sistema Finan- ceiro Nacional (SFN), estruturado e regulado pela Lei n. 4.595, de 31/12/1964, é composto por algumas instituições. NÃO faz(em) parte do SFN o(a):

a. Banco Central do Brasil (Bacen).

b. Conselho Monetário Nacional (CMN).

c. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BN- DES).

d. públicas e privadas.

e. Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

3. (BNDES/Cesgranrio/técnico administrativo/2013) A Lei n. 4.595, de 31/12/1964, dispõe sobre a política e as instituições monetárias, ban- cárias e creditícias e dá outras providências. À luz dessa Lei, consi-

-

diante autorização prévia do Banco Central do Brasil (Bacen) ou II – - - ras não se equiparam a elas.

III – - das, cujas atividades principais ou acessórias são a coleta, inter-

I –

3
3
ras não se equiparam a elas. III – - das, cujas atividades principais ou acessórias são

CID ROBERTO

CID ROBERTO - ceiros, em moeda nacional ou estrangeira, e a custódia de valor de propriedade

- ceiros, em moeda nacional ou estrangeira, e a custódia de valor de propriedade de terceiros. IV – - guladas pelo Bacen, que lhes coibirá os abusos com aplicação de pena nos termos da lei.

a. I e II, apenas.

b. III e IV, apenas.

c. II e IV, apenas.

I,

d. III e IV, apenas.

I,

e. II, III e IV.

I,

4. (BB/FCC/2013) O Sistema Financeiro Nacional tem como entidades supervisoras:

a. FEBRABAN e Superintendência Nacional de Previdência Com- plementar.

b. Receita Federal do Brasil e Resseguradores.

c. Comissão de Valores Mobiliários e Bolsas de Mercadorias e fu- turos.

d. Banco Central do Brasil e Superintendência de Seguros Privados.

e. Banco do Brasil e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico

e Social.

5. (BB/PCR/2013) O Sistema Financeiro Nacional tem na sua composi- ção, como entidade supervisora,

a. BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Fe- deral.

o

b. Banco Central do Brasil.

c. Banco do Brasil.

d. Conselho Monetário Nacional.

e. COPOM - Comitê de Política Monetária.

o

o

o

o

6. -

ceiro Nacional (SFN), assinale a opção correta.

a.

4
4

A supervisão dos consórcios, sociedades de capitalização e bol-

sa de valores está a cargo da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

b. - mas da política governamental relativa aos seguros privados e à capitalização. c. Regular,

b. - mas da política governamental relativa aos seguros privados e à capitalização.

c. Regular, normatizar e coordenar as atividades das entidades fe- chadas de previdência complementar são funções privativas da Superintendência de Seguros Privados.

d. está a cargo do BACEN.

e. - zes para a aplicação das reservas técnicas das sociedades segu- radoras, entidades abertas e fechadas de previdência privada e

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

7. (Banestes/Idecan/2012) O Sistema Financeiro Nacional é formado pelo subsistema normativo e pelo subsistema de intermediação. Compõem o subsistema normativo:

a.

b.

c. Conselho Monetário Nacional, Banco Central e Banco do Brasil.

d. Conselho Monetário Nacional, Banco Central e Comissão de Va- lores Mobiliários.

e. BancoCentral,ComissãodeValoresMobiliárioseBM&FBOVESPA.

8. normas da política de seguros privados. Dentre suas funções estão:

seguro, previdência privada aberta, capitalização e resseguro; pres- crevendo os critérios de constituição das Sociedades Seguradoras, de Capitalização, Entidades de Previdência Privada Aberta e Resse- operações. As características descritas se referem à seguinte insti- tuição

a. Conselho Monetário Nacional – CMN.

b. Conselho Nacional de Seguros Privados – CNSP.

c. Conselho Nacional de Previdência Complementar – CNPC.

5
5
CMN. b. Conselho Nacional de Seguros Privados – CNSP. c. Conselho Nacional de Previdência Complementar –

CID ROBERTO

CID ROBERTO d. Banco Central do Brasil – BACEN. e. Comissão de Valores Mobiliários – CVM.

d. Banco Central do Brasil – BACEN.

e. Comissão de Valores Mobiliários – CVM.

9. a opção correta.

a. O controle do patrimônio da União é de responsabilidade da Co- missão de Valores Mobiliários.

b. As Bolsas de Mercadorias e Futuros estão vinculadas às suas - nanceira, patrimonial e administrativa.

c. A Superintendência Nacional de Previdência Complementar é a

d. Fundos de pensão são entidades fechadas de previdência com- - ção ou sociedade civil.

e. BACEN, não fazem parte do SFN.

10. (Casa da Moeda/Cesgranrio/2012) São entidades supervisoras do Sistema Financeiro Nacional:

a. Conselho Monetário Nacional e Comissão de Valores Mobiliários.

b. Banco Central do Brasil e Comissão de Valores Mobiliários.

c. Banco Central do Brasil e Conselho Nacional de Seguros Priva- dos.

d. Superintendência Nacional de Previdência Complementar e Con- selho Monetário Nacional.

e. Conselho Nacional de Seguros Privados e Conselho Monetário Nacional.

11. (BNDES/Cesgranrio/2011/técnico de arquivo) Integram o Sistema Fi- nanceiro Nacional:

a. Conselho da República e Conselho Monetário Nacional.

b. Banco do Brasil e Receita Federal.

c. Conselho da República e Banco do Brasil.

d. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e Re- ceita Federal.

e. Banco Central do Brasil e Banco do Brasil.

6
6
12. (BB/FCC/2011) O Sistema Financeiro Nacional é integrado por: a. Ministérios da Fazenda e do

12. (BB/FCC/2011) O Sistema Financeiro Nacional é integrado por:

a. Ministérios da Fazenda e do Planejamento, Orçamento e Gestão.

b. Secretaria do Tesouro Nacional e Conselho Monetário Nacional.

c. Órgãos Normativos, Entidades Supervisoras E Operadores.

d. Receita Federal do Brasil e Comissão de Valores Mobiliários.

e. Secretarias Estaduais da Fazenda e Ministério da Fazenda.

13. I, II ou III de acordo com as funções de cada. I – Órgãos Normativos II – Entidades Supervisoras III – Operadores

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

(

) CVM – Comissão de Valores Mobiliários

(

) Instituições Financeiras

(

) Susep – Superintendência de Seguros Privados

(

) CMN - Conselho Monetário Nacional

(

) Bolsas de Valores

( ) CNSP – Conselho Nacional de Seguros Privados ( ) Banco Central do Brasil

Marque a opção CORRETA

a) II, II, III, I, I, III, I.

b) II, III, II, I, III, I, II.

c) I, I, II, III, I, II, III.

d) III, III, I, I, II, II, I.

14. (BDMG/Fumarc/2011) O Sistema Financeiro Nacional é composto de

distribuição e circulação de valores e pela regulação deste processo.

a. autorizar as emissões de papel-moeda.

b. encaminhar os orçamentos monetários preparados pelo BACEN para aprovação do Ministério da Fazenda.

c. disciplinar o crédito em suas modalidades e as formas das ope- rações creditícias.

d. estabelecer limites para a remuneração das operações e serviços

7
7
e as formas das ope- rações creditícias. d. estabelecer limites para a remuneração das operações e

CID ROBERTO

CID ROBERTO 15. (BB/FCC/2011) O Sistema Financeiro Nacional tem na sua composi- ção, como entidade supervisora,

15. (BB/FCC/2011) O Sistema Financeiro Nacional tem na sua composi- ção, como entidade supervisora,

a.

b. o Banco Central do Brasil.

c. o Banco da Amazônia.

d. o Banco do Nordeste.

e. o Banco do Brasil.

16. são consideradas:

a. governos.

b. federal.

c.

d. entidades prestadoras de serviços do BACEN.

e. - ral.

(BB/Cespe/2008) O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composto públicas e privadas, que atuam na intermediação de recursos dos agentes econômicos (pessoas, empresas, governo). Com relação ao SFN, julgue os itens seguintes.

17. - cas ou privadas, que tenham como atividade principal ou acessória - prios ou de terceiros, em moeda nacional ou estrangeira, e a custó- dia de valor de propriedade de terceiros.

18. Os pagamentos sem utilização de papel-moeda (non-cash) são efe- tuados principalmente por meio de cheques, transferências de cré- dito, cartões de crédito e de débito e, também por débitos diretos. Todas essas movimentações, quando cursadas no SFN, podem ser realizadas em moeda nacional, em dólares norte-americanos ou em euros.

8
8
(BB/Cespe/2008) O Sistema Financeiro Nacional é composto por públicas e privadas, que atuam na intermediação

(BB/Cespe/2008) O Sistema Financeiro Nacional é composto por públicas e privadas, que atuam na intermediação de recursos dos agentes econômicos (pessoas, empresas, governo). Com relação ao SFN, julgue os itens a seguir.

19. agentes que estão superavitários, com sobra de dinheiro, transferem dinheiro.

20. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social é uma das principais entidades supervisoras do SFN.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

21. Há dois grandes grupos de entidades no SFN: o subsistema nor- operativo, que trata da intermediação, do suporte operacional e da administração.

22. (Estilo Cespe) O Sistema Financeiro pode ser entendido como ele- mento dinâmico no processo de crescimento econômico pelo fato de

23. (Estilo Cespe) As instituições que compõem o Sistema Financeiro Nacional (SFN) devem permitir, dentro das melhores condições pos- - dores de recursos para a economia.

24. (Estilo Cespe) O Sistema Financeiro é formado pelos intermediários recursos.

25. (Estilo Cespe) O Sistema Financeiro pode ser entendido como o con- junto de instituições que asseguram a liquidez do mercado de forma a facilitar a tomada de recursos do governo por meio da colocação de seus títulos.

26. (Estilo Cespe) O Sistema Financeiro pode ser entendido como o con- junto de instituições que propiciam condições favoráveis para manter

9
9
Financeiro pode ser entendido como o con- junto de instituições que propiciam condições favoráveis para manter

CID ROBERTO

CID ROBERTO 27. (Estilo Cespe) O Sistema Financeiro pode ser entendido como o maior gerador de

27. (Estilo Cespe) O Sistema Financeiro pode ser entendido como o maior gerador de PIB da nação.

28. (Estilo Cespe) O Sistema Financeiro pode ser entendido como um sistema que é responsável pela balança de pagamentos e criação de moeda.

29. necessidades de bens e serviços da sociedade e também a atingir determinados objetivos sociais e macroeconômicos, tais como pleno emprego, distribuição de riqueza e estabilidade de preços. Para que isso ocorra, o governo atua por meio de:

a.

b. ações monetárias.

c. políticas econômicas.

d. políticas de relações internacionais.

e.

30. governo relacionadas à economia, o Estado, ao aumentar o gasto público em consumo e investimentos, visando aumentar os níveis de emprego e de renda, utiliza uma típica medida de política:

a. monetária.

b.

c. compulsória.

d. gerencial.

e. bancária.

(BCB/Cespe/2013) No que se refere ao plano real e à economia bra-

31. referido período de tempo, caso valor do IPCA acumulado nos últi- mos dozes meses superasse o teto da meta o presidente do BACEN descumprimento bem como apresentando as providências a ser to-

10
10
32. A operação de mercado aberto é um instrumento ágil e dinâmico de política monetária,

32. A operação de mercado aberto é um instrumento ágil e dinâmico de política monetária, visto que permite ao BACEN administrar a estabi- de juros e de câmbio, com o intuito de garantir o controle da oferta monetária.

33. Os recolhimentos obrigatórios de recursos denominados depósitos BACEN, incluem o recolhimento compulsório sobre as operações de crédito direto ao consumidor.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

34. (BNDES/Cesgranrio/2013) Uma operação de mercado aberto do

Banco Central, na qual títulos da dívida pública do Governo Federal são comprados e sequentemente aposentados, tem como objetivo:

a. diminuir a demanda por moeda estrangeira.

b.

c. aumentar a oferta monetária.

d. aumentar o volume de depósitos bancários.

e. aumentar a liquidez dos títulos públicos federais.

efeitos da política monetária, julgue os itens a seguir.

35. instrumento de política monetária do BACEN, uma vez que seus efei- tos sobre a liquidez da economia são instantâneos.

36. -

-

37. ao Sistema Financeiro Nacional e à economia brasileira, analise as I – - tirem condições para um ambiente de estabilidade econômica, reforçaram as tendências delineadas em anos anteriores no sis-

11
11
para um ambiente de estabilidade econômica, reforçaram as tendências delineadas em anos anteriores no sis- 11

CID ROBERTO

CID ROBERTO procuram compensar perda de receitas, agora não mais decor- II – Diante das transformações

procuram compensar perda de receitas, agora não mais decor- II – Diante das transformações no Sistema Financeiro Nacional, uma tendência que também já se consolida é a segmentação dos por- do cliente. III – Diante das transformações no Sistema Financeiro Nacional, a - racional - redução de custos e aumento da produtividade - às ins- tituições pela maior especialização de sua estrutura, segundo pa- nichos de mercado em que atuam. IV – Diante das transformações no Sistema Financeiro Nacional, as presente, de forma a desenvolver produtos com características as estratégias do concorrente.

a. I

b. I, II, III

c. II, III, IV

d. I, II, III, IV

e. III, IV

38.

a. - - cos quando há escassez de liquidez.

b. Central reduz o percentual do recolhimento compulsório.

c. O contingenciamento do crédito é compatível com uma política

d. As operações de mercado aberto representam o instrumento mais impactar a liquidez da economia no curtíssimo prazo.

12
12
e. O Banco Central não utiliza as operações de Open Market como instrumento de política

e. O Banco Central não utiliza as operações de Open Market como instrumento de política monetária.

39. -

ria, assinale a opção correta.

a. Contradiz a teoria quantitativa da moeda o argumento de que, no - cam as variáveis reais da economia.

b. -

c. Quando o governo compra títulos públicos nas operações de mer-

d. de juros e elevam a demanda agregada.

e. A maior vantagem das políticas monetárias advém do fato de que essas políticas não alteram os gastos de investimento.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

40.

a. reduz os meios de pagamento, retraindo o consumo e a atividade econômica.

b. mantém todas as condições macroeconômicas estáveis por longo período.

c. -

d. de recursos e, por consequência, os meios de recebimento.

e. eleva a liquidez da economia, injetando maior volume de recursos nos mercados, elevando, em consequência, os meios de pagamentos.

41. (Banese/FCC/2012) O Banco Central do Brasil adota como instru- mento de política monetária:

a.

b. a garantia de liquidez dos títulos de emissão do Tesouro Nacional.

c.

d.

e. o recolhimento compulsório sobre depósitos a prazo em moeda estrangeira.

13
13
de emissão do Tesouro Nacional. c. d. e. o recolhimento compulsório sobre depósitos a prazo em

CID ROBERTO

CID ROBERTO - ria, julgue os itens a seguir. 42. A venda de títulos públicos federais

- ria, julgue os itens a seguir.

42. A venda de títulos públicos federais emitidos pelo Tesouro Nacional, -

43. Entre os instrumentos de política monetária, as mudanças nas alí- quotas de reservas compulsórias, por reduzirem substancialmente a incerteza, são o instrumento mais utilizado para garantir a estabilida- de macroeconômica.

44. do mercado interbancário, em que bancos comerciais superavitários - interbancários.

45. - -

46. política econômica, assinale a opção correta.

a. restritiva.

b. -

c.

d. se elevarão, e o consumo, consequentemente, diminuirá.

e.

14
14
47. (Pref. Londrina - PR/Consulplan/2011) Para reduzir o crescimento econômico, o Governo pode tomar as

47. (Pref. Londrina - PR/Consulplan/2011) Para reduzir o crescimento econômico, o Governo pode tomar as seguintes medidas monetá-

a. Aumento dos depósitos compulsórios e venda de títulos do go- verno.

b. Aumento dos depósitos compulsórios e compra de títulos do go- verno.

c. - pulsórios.

d.

e.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

48. área econômica. I – Os objetivos principais da política econômica são promover o desenvolvimento e o crescimento econômico; garantir o pleno riqueza e das rendas, com vistas a reduzir as desigualdades so- ciais e propiciar melhor condição econômica para mais pessoas. II – - quado da liquidez em cada momento econômico.

III – A política monetária tem como objetivo aumentar a arrecadação de tributos junto à sociedade para fazer frente às despesas go- vernamentais.

IV – como objetivo adequar as despesas efetuadas pelo governo ao volume de receitas arrecadadas.

V – via balanço de pagamentos, com as necessidades internas da economia, e a paridade da moeda do país em relação às moedas estrangeiras.

Estão certos os itens:

a. I, II, III e IV.

b. I, II, III e V.

c. I, II, IV e V.

15
15
relação às moedas estrangeiras. Estão certos os itens: a. I, II, III e IV. b. I,

CID ROBERTO

CID ROBERTO d. I, III, IV e V. e. II, III, IV e V. 49. -

d. I, III, IV e V.

e. II, III, IV e V.

49. -

(extraído do Portal Exame, publicado em 10/03/2010 - http://portalexame.abril.

correta :

a. Manifestação do dirigente da Fiesp está associada a uma medida -

b. O Banco Central não tem competência para interferir na política monetária, salvo se por orientação do Congresso Nacional.

c. consumo e consequente crescimento desordenado de preços, in-

d.

e. A crítica do dirigente da Fiesp diz respeito a uma iminente medi-

50. o objetivo de evitar que a economia brasileira entrasse em recessão. Nessa situação, assinale a opção que apresenta a medida de política monetária que atende ao objetivo pretendido pelo BACEN.

a.

b.

c.

d. compra de títulos da dívida pública federal.

e. - ras.

16
16
51. - ria, o governo utiliza-se de instrumentos que afetam diretamente a - 52. dos

51. - ria, o governo utiliza-se de instrumentos que afetam diretamente a

-

52. dos gastos públicos.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

53. - nanceira desenvolve-se de forma segmentada, com base em quatro subdivisões: mercados monetário, cambial, de crédito e de capitais. O mercado de crédito visa, fundamentalmente, a:

a.

b. controlar a liquidez da economia com operações de curto e cur- tíssimo prazos.

c. realizar as operações de compra e venda de moedas internacio- nais conversíveis.

d. suprir as necessidades de investimentos dos agentes econômi- cos a médio e longo prazos.

e. agentes econômicos, sejam eles pessoas físicas ou jurídicas.

54. opção correta.

a. O mercado monetário, estruturado para conferir liquidez à eco- nomia, caracteriza-se por operações de longo prazo que utilizam

b. O CMN pode limitar, sempre que necessário, a remuneração de

c. O desconto de títulos é uma operação típica do mercado de cré- dito por meio da qual o cliente adianta recursos ao banco, que, em contrapartida, assume a responsabilidade pelo pagamento da duplicata ou da nota promissória no seu vencimento.

17
17
em contrapartida, assume a responsabilidade pelo pagamento da duplicata ou da nota promissória no seu vencimento.

CID ROBERTO

CID ROBERTO d. De acordo com a legislação vigente, compete ao BACEN intervir no mercado monetário

d. De acordo com a legislação vigente, compete ao BACEN intervir no mercado monetário por meio da negociação de títulos próprios no mercado aberto e da concessão de empréstimos ao Tesouro Nacional.

e. Cabe ao BACEN e à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) es- tabelecer normas que disciplinem as atividades das bolsas de va- lores e dos corretores de fundos públicos.

55.

I – - ções.

III – Quando considerados os tipos de ativos negociados, os merca- - tais, cambial e monetário.

II –

Quais estão corretas?

a. Apenas a I.

b. Apenas a I e a II.

c. Apenas a I e a III.

d. Apenas a II e a III.

e.

56. de forma segmentada, com base em quatro subdivisões estabele- depósitos bancários (CDB) e as debêntures são negociados no mer- cado:

18
18

a. de crédito.

b. de capitais.

c. de ações.

d. cambial.

e. monetário.

57. - pessoas físicas e capital de giro para pessoas jurídicas, através de a. de

57. - pessoas físicas e capital de giro para pessoas jurídicas, através de

a. de ações.

b. de capitais.

c. de câmbio.

d. de crédito.

e. monetário.

58. - do de acordo com o momento da negociação do título. Quando, por no mercado:

a. cambial.

b. futuro.

c. monetário.

d. primário.

e. secundário.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

59. (Banese/FCC/2012) Na distribuição pública de ações no mercado primário, os recursos captados são destinados para

a. os acionistas controladores da empresa.

b. os bancos líderes da operação.

c. a Comissão de Valores Mobiliários.

d. a companhia emissora.

e. as corretoras que negociam as ações em bolsa.

60. e de mercado secundário, julgue os itens que se seguem. I – - dário. II – vez, com a obtenção de recursos pelo emissor do título. III – emitidos anteriormente no mercado, que têm a sua propriedade transferida entre os participantes. IV – A principal função do mercado secundário é proporcionar liquidez

19
19
transferida entre os participantes. IV – A principal função do mercado secundário é proporcionar liquidez 19

CID ROBERTO

CID ROBERTO V – A emissão de títulos ou valores mobiliários para se capitalizar ou -

V – A emissão de títulos ou valores mobiliários para se capitalizar ou - vestimentos, é efetuada no mercado primário.

a. I, II, III e IV

b. I, II, III e V

c. I, II, IV e V

d. I, III, IV e V

e. II, III, IV e V

61. muitas empresas abrem seu capital e emitem ações para serem ne- gociadas no mercado primário ou secundário, dependendo da oca- sião da emissão das ações. A emissão de ações no mercado primá- rio ocorre quando a:

a. negociação é realizada no pregão da Bolsa de Valores.

b. negociação das ações não se concretizou no mercado secundá- rio.

c. empresa emite ações para negociação somente com empresas do setor primário.

d. empresa emite pela primeira vez ações para serem negociadas no mercado.

e. rentabilidade das ações não atingiu o patamar desejado.

62. e Secundário.

I Negociação direta entre o emitente dos títulos e seus adquirentes. II – As colocações dos títulos públicos costumam desenvolver-se por meio de leilões periódicos coordenados pelo banco Central.

III – Transferência para terceiros dos títulos adquiridos em leilão.

IV –

Mercado Primário

Mercado Secundário

a. IV

II

I

III

b. I

II

III

IV

c. I

III

III

IV

d. II

III

I

IV

e. I

IV

II

III

20
20
63. (CVM/FCC/2003) O Mercado Secundário é importante porque: a. o valor transacionado é canalizado para

63. (CVM/FCC/2003) O Mercado Secundário é importante porque:

a.

o

valor transacionado é canalizado para a empresa emitente do

 

título.

b.

- mentos.

c.

proporciona liquidez aos ativos, viabilizando o mercado primário.

d.

aumenta o lucro das companhias com ações negociadas no mer- cado.

e.

diminui o risco de mercado para os investidores detentores de ações.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

64. (CVM/FCC/2003) No mercado primário, a negociação do ativo ocorre

a. entre os investidores na bolsa de valores.

b. entre os investidores no mercado de balcão.

c. pela primeira vez, quando de sua emissão.

d. após o lançamento público de ações.

e. após o lançamento privado de ações.

65. (CVM/FCC/2003) Com respeito à organização dos mercados primá- rio e secundário de títulos, pode-se dizer que

a. -

ção de operações no mercado primário, viabilizando-se, portanto,

a atividade de investimento na economia.

b. as empresas obtêm recursos para os seus investimentos produti- vos no mercado secundário.

c. mercado secundário é aquele em que se negocia a colocação inicial de um título.

d. no mercado primário não podemos analisar operações relaciona- das com projetos de capitalização ou investimentos.

e.

66. (CVM/Esaf/2001) Correlacionando-se os conceitos de mercado pri- mário e secundário de valores mobiliários com os de mercado de

a. as emissões novas de valores mobiliários emitidos por compa- nhias abertas somente podem ser colocadas no mercado pelas Bolsas de Valores.

21
21
valores mobiliários emitidos por compa- nhias abertas somente podem ser colocadas no mercado pelas Bolsas de

CID ROBERTO

CID ROBERTO b. as emissões novas de valores mobiliários emitidos por compa- nhias abertas somente podem

b. as emissões novas de valores mobiliários emitidos por compa- nhias abertas somente podem ser colocadas no mercado por meio do Mercado de Balcão Organizado.

c. o mercado primário é formado pela negociação de novos valores mobiliários, nele colocados por entidades autorizadas pela Co- missão de Valores Mobiliários, após o registro da emissão.

d. no mercado secundário podem ser colocados também títulos de companhias fechadas, desde que seja utilizado o Mercado de Balcão Organizado.

e. as companhias abertas podem colocar valores mobiliários de sua emissão diretamente no Mercado de Balcão Organizado.

67. (BCB/Cespe/2013) Em conformidade com a lei que o instituiu, o Con- selho Monetário Nacional será presidido pelo ministro da Fazenda

e as suas deliberações terão de ocorrer por maioria de votos, com

a presença de, no mínimo, seis membros cabendo ao presidente o voto de qualidade.

68. Ministro da Fazenda, no mês de junho do ano anterior.

69. relação ao SFN.

a. O BACEN é um dos operadores do SFN juntamente com as bol- sas de valores.

b. O CMN é presidido pelo presidente do BACEN.

c. Cabe ao CMN coordenar as políticas monetária e orçamentária,

d. O equilíbrio da balança comercial é atribuição do Ministério do Desenvolvimento da Indústria e do Comércio, que também é in- tegrante do CMN.

e. O Conselho Nacional de Seguros Privados compõe o SFN como órgão normativo.

70.

a. Comércio e Indústria.

b. Serviços Financeiros.

c. Mercado de Títulos e Valores Mobiliários.

22
22

d. Cooperativas de Crédito.

e. Mercado de Capitais.

d. Cooperativas de Crédito. e. Mercado de Capitais. 71. - vas de: a. política internacional. b.

71. - vas de:

a. política internacional.

b. assuntos tributários.

c. mercado futuro.

d. seguros privados.

e. crédito rural e de endividamento público.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

72. - do diretrizes estabelecidas pelo presidente da República, é compe- tência do CMN:

a. colaborar com a Câmara dos Deputados na instrução dos proces- dos municípios.

b. determinar a porcentagem mínima dos recursos que as institui- de empresas.

c. -

d.

e. aprovar o regimento interno e as contas do Conselho Federal de Contabilidade e decidir sobre seu orçamento e sobre seus siste- mas de contabilidade.

73. 6.045/1974, dispõe sobre as competências do CMN. De acordo com essa lei, compete ao CMN:

a. autorizar as emissões de papel moeda.

b. disciplinar o crédito em determinadas modalidades.

c.

d. e dos tributos.

e. coordenar sua própria política com a de investimentos dos gover- nos federal, estadual e municipal.

23
23
tributos. e. coordenar sua própria política com a de investimentos dos gover- nos federal, estadual e

CID ROBERTO

CID ROBERTO (BB/Cespe/2008) O BACEN, criado pela Lei n. 4.595/1964, é uma autarquia federal vinculada ao

(BB/Cespe/2008) O BACEN, criado pela Lei n. 4.595/1964, é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Fazenda, com sede e foro na capital da República e atuação em todo o território nacional. Com relação ao BACEN, julgue os seguintes itens.

74. Entre as atribuições do BACEN estão a de estabelecer as condições - nanceiras, a de vigiar a interferência de outras empresas nos mer- estrangeiros no país.

75. O BACEN tem competência para regulamentar, autorizar o funciona- mento e supervisionar os sistemas de compensação e de liquidação, atividades que, no caso de sistemas de liquidação de operações com bancos, são compartilhadas com a Comissão de Valores Mobiliários.

76. - serviços do meio circulante.

(BB/Cespe/2008) O Conselho Monetário Nacional (CMN), instituído pela Lei n. 4.595/1964, é um órgão normativo, responsável pelas po- líticas e diretrizes monetárias para a economia do país. Acerca do CMN, julgue os itens que se seguem.

77. normas a serem observadas pelo CMN.

78. Entre as funções do CMN, estão a de adaptar o volume dos meios de pagamento às reais necessidades da economia e a de regular o valor

(BB/Cespe/2008) O Conselho Monetário Nacional (CMN) é um órgão normativo, responsável pelas políticas e diretrizes monetárias para a

24
24
79. Na sua mais recente composição, o CMN passou a ser integrado pelo ministro da

79. Na sua mais recente composição, o CMN passou a ser integrado pelo ministro da Fazenda, como presidente do conselho, pelo mi- nistro do Planejamento, Orçamento e Gestão e pelo presidente do Banco do Brasil.

80. inclusive quanto a compra e venda de ouro e quaisquer operações em direitos especiais de saque e em moeda estrangeira.

81. São regulamentadas por meio de resoluções as matérias aprovadas pelo CMN, normativo de caráter público, sempre divulgado no Diário do Brasil (BACEN).

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

82. Apenas a partir de reuniões consideradas não-sigilosas do CMN são

(Basa/Cespe/2004) O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é compos- - respeito do SFN, julgue os seguintes itens, considerando a reforma bancária instituída pela Lei n. 4.595/1964.

83. O Conselho Monetário Nacional (CMN) foi criado pela mencionada lei em substituição à Casa da Moeda do Brasil.

84. deu origem ao Banco Central da República do Brasil.

85. - dicas públicas ou privadas que tenham como atividade principal ou - ceiros próprios ou de terceiros, em moeda nacional ou estrangeira, e a custódia de valor de propriedade de terceiros.

86. - te poderão funcionar no país mediante prévia autorização do CMN - geiras.

25
25
de propriedade de terceiros. 86. - te poderão funcionar no país mediante prévia autorização do CMN

CID ROBERTO

CID ROBERTO normas do SFN. Segundo a Lei n. 4.595/1964, constitui objetivo do CMN: 87. regular

normas do SFN. Segundo a Lei n. 4.595/1964, constitui objetivo do

CMN:

87. regular os valores internos da moeda, prevenindo ou corrigindo sur-

88. zelar pela liquidez e insolvência das instituições do SFN.

(BB/Cespe/2003) O Conselho Monetário Nacional é a entidade supe- rior do Sistema Financeiro Nacional, tendo por competência:

89. tros papéis.

-

90. - mentos do país.

91.

92.

93. adaptar o volume dos meios de pagamento às reais necessidades da economia nacional e ao seu processo de desenvolvimento.

-

forma bancária realizada por meio da Lei n. 4.595/1964. À época,

o CMN era integrado pelo ministro da Fazenda, que o presidia; pelo

presidente do BB; pelo presidente do Banco Nacional de Desenvolvi- mento Econômico; por seis membros nomeados pelo presidente da República e aprovados pelo Senado Federal, escolhidos entre brasi- leiros de ilibada reputação e notória capacidade em assuntos econô- -

zidos. Podiam, ainda, participar das reuniões o ministro da Indústria

e Comércio e o ministro para Assuntos de Planejamento e Economia.

em 1995. Dos seus integrantes originais, ainda permanece(m) como membro(s) componente(s):

26
26

94. ministro da Fazenda.

o

95. presidente do BB.

o

94. ministro da Fazenda. o 95. presidente do BB. o 96. o presidente do Banco Nacional

96. o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico, hoje denominado Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico

e Social.

97. seis membros nomeados pelo presidente da República, após apro- vação pelo Senado Federal, escolhidos entre brasileiros de ilibada atualmente com mandato de quatro anos.

98. ministro da Indústria e Comércio, hoje denominado ministro do De- senvolvimento, Indústria e Comércio.

o

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

99. (BCB/Cespe/2013) Entre as funções do BACEN, o monopólio de emissão envolve o meio circulante destina-se a satisfazer a deman- da de dinheiro necessária para atender à atividade econômica. Nes- se sentido, a emissão de moeda ocorre quando a Casa da Moeda do Brasil entrega papel-moeda para o BACEN.

nanceiro nacional, julgue os itens que se seguem.

-

100. - mediante decreto.

101. - tos monetários são atribuições do Conselho Monetário Nacional.

102. (BCB/Cespe/2013) A função reguladora da atividade econômica

103. moeda e aos agregados monetários, assinale a opção correta.

27
27
reguladora da atividade econômica 103. moeda e aos agregados monetários, assinale a opção correta. 27

CID ROBERTO

CID ROBERTO a. em ouro armazenado no BACEN. b. A moeda pode ser utilizada como meio

a. em ouro armazenado no BACEN.

b. A moeda pode ser utilizada como meio de troca entre os indiví- duos e como unidade de conta, mas não como reserva de valor.

c. pelos bancos comerciais no BACEN.

d. Os títulos públicos federais e as cotas de fundos de investimen- tos, dada sua alta liquidez, fazem parte do agregado monetário

M2.

e. Os meios de pagamento de uma economia, que correspondem ao papel-moeda em poder do público e aos depósitos à vista nos bancos, possuem liquidez imediata.

104. pelo BACEN consiste:

a. juros e prazo determinados.

b. na compra de títulos públicos.

c. na venda de títulos públicos.

d. na custódia de parte dos depósitos à vista realizados pelos ban- cos comerciais.

e. no recebimento de dinheiro dos bancos comerciais, sem paga- mento de juros.

105. - compra da moeda, assinale a opção correta.

a. pela produção das cédulas de dinheiro e a cunhagem de moedas metálicas no país.

b. Para atingir o objetivo de estabilidade da moeda, o BACEN utili- za os seguintes instrumentos de política monetária: recolhimento compulsório, operações de mercado aberto e operações de re- desconto.

c. Entre as competências privativas do BACEN, entendidas como aquelas que não podem ser delegadas para qualquer outra insti-

28
28
d. O BACEN, embora seja denominado de o banco dos bancos, delega os serviços de

d. O BACEN, embora seja denominado de o banco dos bancos, delega os serviços de transferências de fundos e liquidações de operações entre bancos para instituições denominadas de clea- rings.

e.

(Basa/Cespe/2012) O SFN tem como objetivo a intermediação de recursos entre os agentes econômicos (pessoas, empresas e go- verno). Compõem esse sistema instituições, órgãos e entidades em - zação, a supervisão e a operacionalização. Com referência a esse assunto, julgue os itens seguintes.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

106. que se destinem a promover, entre outros, investimentos indispensá- veis às atividades agropecuárias.

107. - cutar os serviços de compensação de cheques e outros papéis, com- petência esta delegada por carta-circular ao Banco do Brasil S. A. em 1986.

108. Segundo a lei pertinente, quando ocorrer grave desequilíbrio no ba- lanço de pagamentos, o CMN determinará o monopólio das opera- ções de câmbio ao BACEN.

109. O Bacen poderá comprar e vender títulos públicos com o objetivo de intermédio das operações de redesconto de liquidez.

110. formular a política da moeda e do crédito, com o objetivo de estabili- zar a moeda e o desenvolvimento econômico e social do país.

111. Poderão assistir as reuniões do CMN convidados do presidente des- se conselho e assessores credenciados individualmente pelos con- selheiros.

29
29
do CMN convidados do presidente des- se conselho e assessores credenciados individualmente pelos con- selheiros. 29

CID ROBERTO

CID ROBERTO 112. - netária, o BACEN: a. controla os meios de pagamento e o orçamento

112. - netária, o BACEN:

a. controla os meios de pagamento e o orçamento monetário da economia.

b.

c.

d. - nais.

e. emite papel-moeda e moeda metálica nas condições estipuladas pelo CMN.

113. - - tema Financeiro Nacional. Entre essas entidades inclui-se o Banco Central do Brasil (BACEN), que:

a. não é mais vinculado ao Ministério da Fazenda.

b. - tações.

c. atua como agente de fomento das atividades produtivas.

d.

e.

114.

a. Ao realizar operações de redesconto e empréstimos às institui-

b. o saneamento do meio circulante incluem-se entre as competên- cias do BACEN.

c. Como depositário de reservas internacionais, o BACEN supervi- - ções e realiza inspeções regulares em instituições bancárias e garantir a solvência das instituições.

d.

- nanceiro Nacional (SFN), julgue os itens a seguir:

30
30
115. - tema monetário. 116. No intuito de assegurar o poder de compra da moeda,

115. - tema monetário.

116. No intuito de assegurar o poder de compra da moeda, o BACEN es- tabelece as diretrizes gerais das políticas monetária, cambial e credi-

117. contribuiu para a redução do multiplicador monetário da economia brasileira.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

118. Quando a proporção dos meios de pagamento detidos pelo públi- co sob a forma de depósitos à vista nos bancos comerciais diminui, observa-se um aumento do multiplicador monetário.

119. - cária no Brasil visa coibir práticas irregulares, implementar medidas de natureza educativa e enfrentar situações que coloquem em risco a estabilidade do SFN. Assinale a opção correta com relação ao pro- cesso administrativo punitivo no âmbito do SFN.

a. É prevista a aplicação de penalidades a empresas de auditoria que tenham cometido infrações na auditoria de instituições não supervisionadas.

b. Em caso de irregularidade na contratação de operações de câm- -

c. Não é passível de punição a administração de consórcio, ainda - nanceira.

d. Uma das penalidades previstas pelo processo administrativo pu- nitivo consiste na prestação de serviços comunitários.

e. Uma das penalidades previstas consiste na proibição temporária de um auditor independente realizar auditoria em instituição su- pervisionada.

120. - tos empregados pelo BACEN para a condução da política monetária.

31
31
em instituição su- pervisionada. 120. - tos empregados pelo BACEN para a condução da política monetária.

CID ROBERTO

CID ROBERTO a. - lhimentos não afetam os meios de pagamento nem o multiplica- dor bancário.

a. - lhimentos não afetam os meios de pagamento nem o multiplica- dor bancário.

b.

e o controle diário da oferta de moeda são efeitos da utilização de operações de mercado aberto.

c. - souro Nacional, é vedado ao BACEN efetuar operações de com- pra e venda de títulos públicos federais no mercado secundário.

d. - conto do BACEN.

e. É vedado ao BACEN conceder empréstimos em moeda estran- geira.

121. no Brasil, assinale a opção correta.

a. - vem efetuar no BACEN é limitado, por lei, a 80% dos títulos con- tábeis distintos de depósitos à vista.

b. cada trimestre civil, deve abordar o desempenho do regime de

c. - surte efeitos sobre o nível de liquidez monetária da economia.

d. A compra de moeda estrangeira pelo BACEN no mercado inter- bancário de câmbio provoca elevação das reservas internacionais

e redução equivalente da base monetária.

e. - cido como M2 compreende a soma do papel-moeda em poder do - ceiras.

122. podem funcionar no país mediante prévia autorização formalizada em:

32
32

a.

b. normativo da CVM. c. resolução do Conselho Federal de Contabilidade. d. portaria da Superintendência

b. normativo da CVM.

c. resolução do Conselho Federal de Contabilidade.

d. portaria da Superintendência de Seguros Privados.

e. normativo do BACEN.

123. do governo federal, assim como de interesse de suas autarquias, cabe, principalmente,

a.

ao Banco Nacional do Desenvolvimento Tributário e Financeiro.

b.

à

CVM.

c.

aos bancos cooperativos.

d.

ao BACEN.

e.

ao Banco do Brasil S.A.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

124.

a.

- tudo, aplicar-lhes penalidades.

b.

-

varem os seus estatutos na junta comercial.

c.

realização de operações de redesconto e empréstimos a insti-

a

d.

a

emissão de debêntures conversíveis em ações.

e.

125. monetária.

I – O BACEN, ao efetuar o recolhimento compulsório sobre os de- pósitos e outros recursos de terceiros, tem como objetivo reduzir que captam depósitos. II – - me dos meios de pagamentos à efetiva necessidade dos agentes econômicos, mediante a utilização de determinados instrumentos de política monetária. III –

a liquidez do mercado.

IV – As operações de mercado aberto (open market) consistem na atuação do BACEN para aumentar ou diminuir a liquidez na eco- nomia, mediante a compra ou venda de títulos.

33
33
na atuação do BACEN para aumentar ou diminuir a liquidez na eco- nomia, mediante a compra

CID ROBERTO

CID ROBERTO V – Os instrumentos clássicos de política monetária são as opera- ções de redesconto

V – Os instrumentos clássicos de política monetária são as opera- ções de redesconto ou de assistência de liquidez, o recolhimento compulsório e as operações de mercado aberto (open market).

Estão certos apenas os itens:

a. I, II, III e IV.

b. I, II, III e V.

c. I, II, IV e V.

d. I, III, IV e v

e. II, III, IV e V.

126. mais ágil instrumento de política monetária utilizado pelo BACEN, pois permitem o imediato e permanente ajuste da liquidez monetária e do custo primário do dinheiro na economia. A respeito dessas ope- rações, assinale a opção correta.

a. Operação compromissada ocorre quando o título é adquirido sem assunção de qualquer compromisso de revendê-lo no futuro, pas- sando a compor a carteira da instituição adquirente de forma de-

b. As operações de mercado aberto são realizadas com os títulos

c. Nos leilões informais (go around), participam as pessoas físicas e

d. - promisso de recomprá-lo, enquanto o adquirente assume o com- promisso de revendê-lo.

e. para fomentar a liquidez e a competitividade do mercado aberto com consequências positivas para os preços dos títulos e para o

127. opção correta.

a. A receita decorrente de resultados operacionais positivos do BA- CEN, quando ocorrer, deve ser transferida ao Tesouro Nacional após a aprovação dos balanços semestrais.

34
34
b. Ao BACEN cabe cumprir as normas e determinações relativas à c. A produção e

b. Ao BACEN cabe cumprir as normas e determinações relativas à

c. A produção e a emissão das cédulas de dinheiro e a cunhagem de moedas metálicas são realizadas pelo BACEN.

d. Nos termos da legislação vigente, a concessão de empréstimos -

e. - que seja autorizado pelo Senado Federal.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

(BB/Cespe/2009) O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composto públicas e privadas, que atuam na intermediação de recursos dos agentes econômicos (pessoas, empresas, governo). Com relação ao SFN, julgue os itens que se seguem.

128. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social é uma das principais entidades supervisoras do SFN.

129. qual os agentes que estão superavitários, com sobra de dinheiro, com falta de dinheiro.

130. - cas ou privadas, que tenham como atividade principal ou acessória - prios ou de terceiros, em moeda nacional ou estrangeira, e a custó- dia de valor de propriedade de terceiros.

131. do Brasil (BACEN).

(BB/Cespe/2009) O Conselho Monetário Nacional (CMN), instituído pela Lei n° 4.595/1964, é um órgão normativo, responsável pelas políticas e diretrizes monetárias para a economia do país. No que concerne ao CMN, julgue os itens seguintes.

35
35
pelas políticas e diretrizes monetárias para a economia do país. No que concerne ao CMN, julgue

CID ROBERTO

CID ROBERTO 132. normas a serem observadas pelo CMN. 133. As funções do CMN incluem: adaptar

132. normas a serem observadas pelo CMN.

133. As funções do CMN incluem: adaptar o volume dos meios de paga- mento às reais necessidades da economia e regular o valor interno e

134. reservas vinculadas.

135. O CMN é o órgão formulador da política da moeda e do crédito, de- vendo atuar até mesmo no sentido de promover o aperfeiçoamento

(BB/Cespe/2009) O BACEN, criado pela Lei n. 4.595/1964, é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Fazenda, com sede e foro na capital da República e atuação em todo o território nacional.

136. O BACEN tem competência para regulamentar, autorizar o funciona- mento e supervisionar os sistemas de compensação e de liquidação, atividades que, no caso de sistemas de liquidação de operações com por bancos, são compartilhadas com a Comissão de Valores Mobili- ários (CVM).

137. - cheques e outros papéis são as atribuições do BACEN.

138. - culante, compete também ao BACEN traçar as políticas econômicas,

-

139. As atribuições do BACEN incluem: estabelecer as condições para o - -

36
36
(BB/Cespe/2008) O Conselho Monetário Nacional (CMN), instituído pela Lei n. 4.595/1964, é um órgão normativo,

(BB/Cespe/2008) O Conselho Monetário Nacional (CMN), instituído pela Lei n. 4.595/1964, é um órgão normativo, responsável pelas po- líticas e diretrizes monetárias para a economia do país. Com relação ao CMN, julgue os itens que se seguem.

140. O CMN é o órgão formulador da política da moeda e do crédito, de- vendo atuar, inclusive, no sentido de promover o aperfeiçoamento

141. - tações do CMN.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

142. como o Banco do Brasil administrará as reservas vinculadas.

(BB/Cespe/2008) O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é compos- públicas e privadas, que atuam na intermediação de recursos dos agentes econômicos (pessoas, empresas, governo). Com relação ao SFN, julgue os itens a seguir.

143. -

144. do Brasil (BACEN).

(BB/Cespe/2008) O BACEN, criado pela Lei n. 4.595/1964, é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Fazenda e tem atuação em todo o território nacional. No que se refere ao BACEN, julgue os itens subsequentes.

145. - ções em Brasília, capital do país, e nas capitais dos estados do Rio Grande do Sul, do Paraná, de São Paulo, de Minas Gerais, da Bahia, de Pernambuco, do Ceará e do Pará.

37
37
do Rio Grande do Sul, do Paraná, de São Paulo, de Minas Gerais, da Bahia, de

CID ROBERTO

CID ROBERTO 146. Entre as atribuições do BACEN, estão a de realizar as operações de (BB/Cespe/2008)

146. Entre as atribuições do BACEN, estão a de realizar as operações de

(BB/Cespe/2008) O BACEN, criado pela Lei n° 4.595/1964, é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Fazenda, com sede e foro na capital da República e atuação em todo o território nacional. Com relação ao BACEN, julgue os seguintes itens.

147. - mente mediante prévia autorização do Bacen ou decreto do Poder

148. nistradoras de cartão de crédito.

-

149. - nejamento, Orçamento e Gestão, regulamentando o mercado de câmbio e autorizando as instituições que nele operam.

(Basa/Cespe/2004) Com relação às características e competências do Banco Central do Brasil (BACEN), ao qual compete cumprir e fazer cumprir as disposições que lhe são atribuídas pela legislação - sequentes.

150. Compete ao BACEN a emissão de moeda-papel e moeda metálica, nas condições e limites autorizados pelo Banco do Brasil S.A.

151. - instalar ou transferir suas sedes ou dependências e alterar seus es- tatutos, entre outras atribuições.

152. O BACEN é o representante do governo brasileiro perante as demais

153. É função do BACEN receber os recolhimentos compulsórios, bem

38
38
154. (Banese/Cespe/2004) É de competência do Banco Central do Brasil - 155. (Banese/Cespe/2004) Quando um

154. (Banese/Cespe/2004) É de competência do Banco Central do Brasil -

155. (Banese/Cespe/2004) Quando um banco não consegue suprir seu - aos demais bancos.

156. - da pelo BACEN, pela qual os bancos buscam recursos para atender a uma linha de crédito especial.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

157. (BB/FCC/2013) O Comitê de Política Monetária (COPOM), instituído pelo Banco Central do Brasil em 1996 e composto por membros da- quela instituição, toma decisões:

a.

b. a respeito dos depósitos compulsórios dos bancos comerciais.

c. de acordo com a maioria dos participantes nas reuniões periódi- cas de dois dias.

d.

e. conforme os votos da Diretoria Colegiada.

158. (BNDES/Cesgranrio/2013/Contador) O Comitê de Política Monetária (Copom) realiza, mensalmente, duas sessões distintas: na terça-fei- ra, a primeira, e, na quarta-feira, a segunda, com o objetivo formal de

a.

b. implementar a política monetária.

c. efetuar o controle dos capitais estrangeiros.

d. disciplinar a emissão e a distribuição de valores monetários.

e. determinar a metodologia aplicada nas avaliações atuariais.

159. (BB/PCR/2013) O CMN - Conselho Monetário Nacional e o COPOM - Comitê de Política Monetária são dois importantes órgãos integran- tes do Sistema Financeiro Nacional, possuindo as seguintes carac- terísticas:

I – Todos componentes do CMN também fazem parte do COPOM. II – O CMN realiza 12 reuniões ordinárias a cada ano, uma a cada mês.

39
39
do CMN também fazem parte do COPOM. II – O CMN realiza 12 reuniões ordinárias a

CID ROBERTO

CID ROBERTO III – IV – O COPOM reúne-se ordinariamente com a periodicidade em tor- no

III – IV – O COPOM reúne-se ordinariamente com a periodicidade em tor- no de 45 dias.

Estão corretas as alternativas:

a. I, somente.

b. I e II, somente.

c. I, II e III, somente.

d. II, III e IV, somente.

e. II e IV, somente.

160. - da função distributiva do governo de intervir na economia.

(BB/Cespe/2009) O Comitê de Política Monetária (COPOM) do BA- CEN foi instituído em 1996, com os objetivos de estabelecer as di- desse comitê buscou proporcionar maior transparência e ritual ade- quado ao processo decisório do BACEN. Acerca do COPOM, julgue

161. O COPOM, constituído no âmbito do BACEN, tem como objetivo im- plementar as políticas econômica e tributária do governo federal.

162. - triz de política monetária, as decisões do COPOM visam cumprir as atingidas, cabe ao presidente do BACEN divulgar, em carta aberta ao ministro da Fazenda, os motivos do descumprimento, as provi- - tabelecidos.

(BB/Cespe/2008) O Comitê de Política Monetária (COPOM) do BA- CEN tem como objetivos estabelecer as diretrizes da política mone- - cionar maior transparência e ritual adequado ao processo decisório

40
40
163. É objetivo do COPOM implementar as políticas econômica e tributá- ria do governo federal.

163. É objetivo do COPOM implementar as políticas econômica e tributá- ria do governo federal.

164. - retriz de política monetária, as decisões do COPOM passaram a ter Se as mesmas não forem atingidas, cabe ao presidente do BACEN divulgar em carta aberta ao ministro da Fazenda, os motivos do des- cumprimento, bem como as providências e o prazo para retorno da

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

(BB/Cespe/2008) O Comitê de Política Monetária (COPOM) do BA- CEN foi instituído em 20/6/1996, com o objetivo de estabelecer as - ção desse comitê buscou proporcionar maior transparência e ritual adequado ao processo decisório da instituição. Com relação ao CO- POM, julgue os itens seguintes.

165. As atas das reuniões do COPOM devem ser divulgadas no prazo de até quinze dias úteis após a data de sua realização.

166. federais, apurados no Sistema Especial de Liquidação e Custódia), a qual vigora por todo o período entre reuniões ordinárias do Comitê.

(BB/Cespe/2008) Comitê de Política Monetária (COPOM) do BACEN foi instituído em 1996, com o objetivo de estabelecer as diretrizes da buscou proporcionar maior transparência e ritual adequado ao pro- cesso decisório do BACEN. Com base nessas informações e acerca

167. As atas das reuniões do COPOM são divulgadas quinze dias úteis após a sua realização.

168. - dinariamente sempre que necessário, por convocação de seu presi- dente.

41
41
úteis após a sua realização. 168. - dinariamente sempre que necessário, por convocação de seu presi-

CID ROBERTO

CID ROBERTO 169. Compete ao COPOM avaliar o cenário macroeconômico e os prin- cipais riscos a

169. Compete ao COPOM avaliar o cenário macroeconômico e os prin- cipais riscos a ele associados, com base nos quais são tomadas as decisões de política monetária.

170. (BB/FCC/2011) O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Na- cional (CRSFN) é um órgão colegiado, integrante da estrutura do Ministério da Fazenda, que julga recursos:

I – Em segunda e última instância administrativa. II – Em primeira instância, de decisões do Banco Central do Brasil relativas a penalidades por infrações à legislação cambial. III – De decisões da Comissão de Valores Mobiliários relativas a pena- lidades por infrações à legislação de capitais estrangeiros.

Está correto o que consta em:

a. I, apenas.

b. II, apenas.

c. I e III, apenas.

d. II e III, apenas.

e. I, II e III.

(BB/Cespe/2009) O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional (CRSFN) é um órgão colegiado, de segundo grau, integran- te da estrutura do Ministério da Fazenda. Com relação ao CRSFN, julgue os itens a seguir.

171. De decisão em processo administrativo oriundo do BACEN, da CVM, - deral, cabe recurso ao CRSFN, no prazo estipulado na intimação, devendo o interessado entregá-lo mediante recibo ao respectivo ór- gão instaurador.

172. É atribuição do CRSFN julgar, em segunda e última instância ad- ministrativa, os recursos interpostos das decisões relativas às pe- nalidades administrativas aplicadas pelo BACEN quanto a matérias relativas à aplicação de penalidades por infração à legislação de con- sórcios.

173. É atribuição do CRSFN adaptar o volume dos meios de pagamento às reais necessidades da economia, bem como regular os valores

42
42
(BB/Cespe/2008) O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional (CRSFN) é um órgão colegiado, de

(BB/Cespe/2008) O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional (CRSFN) é um órgão colegiado, de segundo grau, integran- funciona no edifício sede do BACEN. Acerca do CRSFN julgue os itens que se seguem.

174. Ao receber intimação decisória de processo administrativo oriundo do BACEN, da CVM, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e da Fazenda-Secretaria da Receita Federal (SRF), o(s) interessado(s) poderá(ão) interpor recurso ao CRSFN, no prazo estipulado na inti- mação, devendo entregá-lo mediante recibo ao respectivo órgão ins- taurador.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

175. Constituem atribuições do CRSFN: adaptar o volume dos meios de pagamento às reais necessidades da economia; regular o valor in-

(BB/Cespe/2008) O CRSFN é um órgão colegiado, de segundo grau, integrante da estrutura do Ministério da Fazenda. Com relação ao CRSFN, julgue os itens a seguir.

176. Compete ao CRSFN apreciar os recursos de ofício, dos órgãos e entidades competentes, contra decisões de arquivamento de proces- sos que versem sobre penalidades por infrações à legislação cam- bial, de capitais estrangeiros e de crédito rural e industrial.

177. Não é atribuição do CRSFN julgar recursos interpostos das decisões relativas às penalidades administrativas aplicadas pela Secretaria de -

178. É atribuição do CRSFN julgar, em segunda e última instâncias admi- nistrativas, os recursos interpostos das decisões relativas às penali- dades administrativas aplicadas pelo BACEN e relativas a infração à legislação de consórcios.

179. (CVM/FCC/2003) Ao Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional cabe:

43
43
à legislação de consórcios. 179. (CVM/FCC/2003) Ao Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional cabe: 43

CID ROBERTO

CID ROBERTO a. julgar em segunda instância as decisões do Conselho Monetário Nacional. b. - terior.

a. julgar em segunda instância as decisões do Conselho Monetário Nacional.

b. - terior.

c. revisar todas as autorizações concedidas pela Comissão de Va- lores Mobiliários.

d. julgar em segunda e última instância sobre as penalidades apli- cadas pelos Bancos Comerciais.

e. julgar, em segunda e última instância, os recursos interpostos das decisões relativas à aplicação de penalidades administra- tivas pelo Banco Central do Brasil e pela Comissão de Valores Mobiliários.

(BB/Cespe/2002) Por unanimidade, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu habeas corpus a Abrahão Zarzur, Federal (MPF) em São Paulo a partir de uma autuação do BACEN, 1994. O julgamento de 12 de março, cujo acórdão ainda não foi publicado, abre um importante precedente sobre o trancamento de uma ação penal após um órgão administrativo – BACEN – concluir que originou a ação penal.

ha- beas corpus, o seu cliente estaria na iminência de ser submetido ao constrangimento do processo criminal em virtude de comportamen- Nacional (CRSFN). Para o advogado, se a independência entre as instâncias penal e administrativa for interpretada restritivamente, acaba por subordinar-se o julgador à autoridade administrativa, não - mete.

44
44
180. - ção que ampliou a competência do CRSFN, que recebeu igualmente do CMN a

180. - ção que ampliou a competência do CRSFN, que recebeu igualmente do CMN a responsabilidade de julgar os recursos interpostos contra as decisões do BACEN relativas à aplicação de penalidades por in- fração à legislação cambial, de capitais estrangeiros, de crédito rural e industrial.

181. Ao CRSFN compete julgar, em primeira instância, os recursos das decisões proferidas pelo BACEN em processos administrativos membros de seus conselhos, em que, cautelarmente, se impuserem

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

182. O presidente e o vice-presidente do CRSFN são, respectivamente, o ministro da Fazenda e o presidente do BACEN.

183. (Estilo Cespe) Fortalecer o setor empresarial nacional é atribuição do CRSFN.

184. toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil. Trata-se da capacidade de direito ou de gozo. Ocorre que nem todos pos- atos da vida civil,

a. um jovem com dezesseis anos de idade que pretenda constituir uma pessoa jurídica para prestar serviços na área de tecnologia da informação.

b. um adulto que seja ébrio habitual e cujo contrato de trabalho te- nha sido rescindido por justa causa em razão de ele trabalhar sob o efeito de bebidas alcoólicas.

c. uma jovem com dezessete anos de idade, universitária e viciada

d. um maior de idade, trabalhador com carteira assinada, que, por prática dos atos da vida civil.

e. uma professora com trinta e dois anos de idade que, por causa trans

45
45
que, por prática dos atos da vida civil. e. uma professora com trinta e dois anos

CID ROBERTO

CID ROBERTO 185. assinale a opção correta. a. Para que se constitua uma pessoa jurídica fazem-se

185. assinale a opção correta.

a. Para que se constitua uma pessoa jurídica fazem-se necessários três pressupostos básicos: vontade humana criadora, observân- cia das condições legais para a sua instituição e licitude de seu objeto.

b. À luz da legislação vigente, para a pessoa jurídica ser validamen- te constituída basta a manifestação de vontade dos interessados, social.

c. O registro da pessoa jurídica não declarará as condições de sua - ratória.

d. Nas sociedades irregulares ou de fato, a responsabilidade dos sócios é limitada à cota-parte de cada sócio.

e. O condomínio, na condição de ente despersonalizado, deve ser

186. - cário, as pessoas devem comprovar o seu domicílio.

No caso das pessoas jurídicas de direito privado, o seu domicílio é o:

a. estabelecimento principal da empresa, ou matriz, desconsideran-

b. lugar onde funcionarem as respectivas diretorias e administra- ções, ou onde elegerem domicílio especial em seu estatuto ou atos constitutivos.

c. empresa, de acordo com sua personalidade jurídica.

d. local onde são realizadas as principais transações comerciais e a prestação de serviço com atendimento ao público.

e. local de residência dos sócios-fundadores da empresa ou dos membros do conselho de administração, em caso de companhias abertas.

e personalidade jurídica das pessoas naturais, pátrio poder, tutela e curatela, julgue os itens a seguir:

46
46
187. A personalidade civil é algo que os menores de idade adquirem quando completam dezoito

187. A personalidade civil é algo que os menores de idade adquirem quando completam dezoito anos de idade ou quando são emancipa- dos pelos pais.

188. considerados relativamente incapazes para a prática de certos atos quando, em função do vício, tenham discernimento reduzido.

189. Cessarão, para o menor com quatorze anos de idade completos, os efeitos da incapacidade, desde que ambos os pais assim o autorizem mediante a lavratura de instrumento público.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

190. - zados como pessoas jurídicas de direito privado inclui:

a. a União.

b. o estado de São Paulo.

c. um partido político brasileiro.

d.

e. o Instituto Nacional do Seguro Social.

191. Civil, a incapacidade civil do menor de idade cessará quando este:

a. for aprovado em vestibular de universidade pública.

b. passar a morar sozinho em imóvel alugado pelos pais.

c. registrar um imóvel em seu próprio nome.

d. casar-se.

e.

naturais e jurídicas e às suas formas de atuação nos negócios ban- cários, julgue os itens a seguir.

192. Aquele que, em instrumento particular de interdição assinado por - -corrente do interditado desde que compareça pessoalmente à agên- cia em que a conta é mantida.

47
47
- -corrente do interditado desde que compareça pessoalmente à agên- cia em que a conta é

CID ROBERTO

CID ROBERTO 193. A emancipação por outorga dos pais em instrumento particular que contenha a assinatura

193. A emancipação por outorga dos pais em instrumento particular que contenha a assinatura de duas testemunhas faz cessar a menori- dade do menor que tiver dezesseis anos completos, situação que o torna apto a praticar validamente todos os atos da vida civil.

194. O incapaz pode, por meio de representante, ou devidamente assis- por seus pais, havendo autorização judicial para tanto.

195. É facultado aos cônjuges casados sob quaisquer regimes de bens de casamento celebrado no regime da separação obrigatória de bens de que trata o Código Civil.

196. Qualquer que seja o regime de bens, o empresário casado não pode, sem autorização conjugal, alienar e gravar com ônus real os bens imóveis que pertençam à empresa.

197. legal da personalidade civil.

a. - torização de correntista, veicular o nome deste, a título ilustrativo

b. Considera-se incapaz relativamente a certos atos, ou à maneira - tos, tenha economia própria em razão de relação de emprego por

c. Presume-se a morte do ausente quando haja decorrido um ano a partir do trânsito em julgado da sentença que concedeu a abertu- ra de sucessão provisória.

d. Os atos constitutivos de pessoa jurídica privada podem eleger do- micílio especial.

e. Os partidos políticos são pessoas jurídicas de direito público in- terno.

198.

a. -

48
48
b. o lugar onde ela for encontrada, mesmo quando tiver residência habitual em outro lugar.

b. o lugar onde ela for encontrada, mesmo quando tiver residência habitual em outro lugar.

c. - tivo.

d. o seu lugar de nascimento, caso ela tenha diversas residências.

e. quando diferente do lugar onde estabeleça a sua residência.

199. - vil, trata da capacidade civil das pessoas naturais. De acordo com esse código, são incapazes, relativamente a certos atos, ou à manei- I – os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos de idade. II – - cia mental, tenham o discernimento reduzido.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

III –

IV – vontade.

V – os pródigos.

Estão certos apenas os itens:

a. I, II, III e IV.

b. I, II, III e V.

c. I, II, IV e V.

d. I, III, IV e V.

e. II, III, IV e V.

de articular os fatores de produção, que no sistema capitalista são quatro: capital, mão-de-obra, insumo e tecnologia. As organizações em que se produzem os bens e serviços necessários ou úteis à vida humana são resultado da ação de empresários, ou seja, nascem do aporte de capital – próprio ou alheio –, da compra de insumos, da contratação de mão-de-obra e do desenvolvimento ou da aquisição de tecnologia.

Fábio Ulhoa Coelho. Manual de direito comercial,

49
49
mão-de-obra e do desenvolvimento ou da aquisição de tecnologia. Fábio Ulhoa Coelho. Manual de direito comercial,

CID ROBERTO

CID ROBERTO As instituições bancárias têm muito interesse em ter sociedades e empresários como seus clientes.

As instituições bancárias têm muito interesse em ter sociedades e empresários como seus clientes. A respeito dos tipos societários e - ma como referência inicial.

200.

não tem personalidade jurídica.

201.

A

responsabilidade da sociedade limitada (LTDA.) restringe-se ao

seu capital social.

202.

Na sociedade em nome coletivo, a responsabilidade dos sócios é so- lidária e ilimitada, mas a regra é que os bens particulares dos sócios

203.

Na sociedade em nome coletivo, somente se admitem como sócios pessoas físicas, enquanto na companhia e na sociedade limitada, podem ser sócios pessoas físicas e pessoas jurídicas.

204.

A companhia, por ser uma sociedade anônima, não admite nome de sócio na composição de seu nome empresarial.

205.

como uma das mais importantes fontes de recursos as suas contas- -correntes. É, também, através das contas-correntes que os bancos mantêm seus contatos diretos com os clientes, analisa suas movi- mentações, providenciam seus cadastros, libera talões de cheques,

cartões magnéticos, dentre outras relações bancárias. Considerando

a importância das contas-correntes, sua abertura, movimentação,

documentos básicos necessários, a capacidade civil das pessoas que são alvo desse produto, bem como o domicílio, marque o item verdadeiro, dentre os que se apresentam a seguir:

a. Os maiores de 16 anos e menores de 18 anos poderão abrir con- tas bancárias, desde que devidamente representados por uma pessoa capaz.

50
50
b. A documentação obrigatória, prevista pelo Banco Central, a ser apresentada para abertura de conta-corrente

b. A documentação obrigatória, prevista pelo Banco Central, a ser apresentada para abertura de conta-corrente deverá ser a iden- tidade, o CPF - Cadastro de Pessoa Física e o comprovante de residência.

c. O domicílio da pessoa natural é o lugar onde ela estabelece a sua

d. - rios apenas o Ato Constitutivo, devidamente registrado no órgão

e. Os cegos não poderão abrir e movimentar contas-bancárias, se- não através de representantes legalmente constituídos.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

206. (Banese/Cespe/2006) O novo código civil, ora vigente, traz seis es- pécies de sociedades, a saber: sociedade em conta de participação, sociedade em nome coletivo, sociedade limitada, sociedade em co- mandita simples, sociedade em comandita por ações e a sociedade

são a sociedade limitada, a sociedade anônima e a sociedade em - presário individual. Esta última também faz parte do rol de clientes dos bancos. Acerca das três espécies societárias que mais negociam

a.

bancários, ela tem tratamento de pessoa jurídica.

b.

A responsabilidade da sociedade limitada é limitada ao valor de seu capital social.

c.

A

sociedade em nome coletivo pode ter como sócios tanto pesso-

as físicas, quanto pessoas jurídicas.

d.

A

sociedade anônima, também conhecida como companhia, tem

seu capital dividido em ações, e a responsabilidade dos acionis- tas será limitada somente ao preço das ações adquiridas.

o

e.

uma única pessoa.

207. (Banese/Cespe/2006) De acordo com o novo código civil brasilei-

51
51
adquiridas. o e. uma única pessoa. 207. (Banese/Cespe/2006) De acordo com o novo código civil brasilei-

CID ROBERTO

CID ROBERTO agente seja capaz civilmente. Assim, o código delineou a capacidade civil, a personalidade civil,

agente seja capaz civilmente. Assim, o código delineou a capacidade civil, a personalidade civil, os absolutamente incapazes e os incapa- zes relativamente a certos atos, bem como previu os casos de cessa- ção da incapacidade aos menores. Diante disso, marque o item que se encontra correto:

a. A personalidade civil da pessoa começa do seu nascimento.

b. Para a emancipação do menor, pelos pais, é condição necessária que ele tenha dezesseis anos completos.

c. A posse em emprego público efetivo faz cessar a incapacidade dos menores.

d. O fato de o menor formar-se em curso de ensino superior faz ces- sar a sua incapacidade.

e. A menoridade cessa aos vinte e um anos completos, quando a

jurídicos, tutela, curatela e capacidade jurídica.

208.

Para a validade do negócio jurídico, são bastantes a capacidade do agente e o fato de o objeto ser lícito, possível, determinado ou de- terminável.

209.

Cessará para os menores de 18 anos e maiores de 16 anos de idade

incapacidade civil, quando tenham colado grau em curso de nível superior.

a

210.

Podem escusar-se da tutela os militares em serviço.

211.

A

validade da declaração de vontade, em regra, não dependerá de

forma especial.

212.

A

personalidade civil da pessoa começa do seu nascimento com vida.

213.

Para abrir uma conta-corrente, o jovem menor de 16 anos de idade (menor impúbere) precisa ser assistido pelo pai ou responsável legal. O maior de 16 anos e menor de 18 anos de idade (menor púbere) deve ser representado pelo pai ou responsável legal.

r pessoalmente os atos da vida civil, é absolutamente incapaz o(a):

52
52
214. menor de 17 anos de idade que curse o 1º ano de curso superior.

214. menor de 17 anos de idade que curse o 1º ano de curso superior.

215. mir a sua vontade.

-

216. pessoa ausente, assim declarada por ato de magistrado.

217. pessoa de 16 anos de idade que seja casada.

218. - tivo.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

219. os bancos devem apresentar aos clientes todas as condições bási- cas para movimentação e encerramento de conta.

Essas condições devem constar, obrigatoriamente, no(a):

a. folheto de propaganda do banco.

b. contrato de abertura de conta-corrente.

c. site do banco, para consulta de todos os interessados.

d. intranet do banco, para consulta dos funcionários.

e. proposta para cadastro no Banco Central.

220. (Banese/FCC/2012) Para abertura de conta bancária a pessoa jurí- dica deve apresentar:

I – II – Contrato social de constituição e suas atualizações.

III –

IV – legais.

a. I e II, apenas.

b. III e IV, apenas.

c. II e IV, apenas.

d. I e III, apenas.

e. I, II, III e IV.

53
53
legais. a. I e II, apenas. b. III e IV, apenas. c. II e IV, apenas.

CID ROBERTO

CID ROBERTO 221. e movimentação de contas de depósitos. a. conta de depósito, fornecer informações

221. e movimentação de contas de depósitos.

a. conta de depósito, fornecer informações verídicas, sob pena de - - mentação competente.

b. Admite-se a estipulação de limitações à sustação de pagamento - pressa sobre o assunto.

c. É vedado o fornecimento de talonário de cheques ao depositan- seu procurador.

d. - postas enquanto durar o relacionamento com o depositante, ad- dez anos após o encerramento da conta.

e. Admite-se a abertura de conta com a utilização de apelido do de- positante, desde que a documentação por ele apresentada de- monstre que tal apelido corresponde ao tratamento que usual- mente lhe é dispensado.

222. de depósitos, assinale a opção correta.

a. - tar a informação de que, na hipótese de encerramento da conta, cheques em seu poder ou deve apresentar uma declaração de que essas folhas foram inutilizadas.

b. - clarecimento ao depositante de que o pedido de encerramento sustados.

c. A possibilidade de cobrança pelo serviço de compensação de -

54
54
d. O contrato de abertura de conta de depósitos de poupança pode prever a cobrança

d. O contrato de abertura de conta de depósitos de poupança pode prever a cobrança de tarifa por consultas realizadas pelo corren-

e. A regulamentação determina que o correntista seja informado, efetivo encerramento da conta de depósitos à vista.

223. -

tas de depósitos, assinale a opção correta.

a. conta, dos procedimentos para encerramento da conta, da co- brança de tarifa por conta inativa e da possibilidade de cobrança pelos serviços considerados essenciais.

b. A obrigatoriedade de comunicação, pelo depositante, de altera- ção em seus dados cadastrais restringe-se às hipóteses de mu- dança de endereço ou de número de telefone.

c. -

a emissão de boletos de cobrança ou carnês, ainda que contratu-

almente previstas.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

d. É permitida a cobrança de tarifa de liquidação antecipada nas operações de crédito contratadas após janeiro de 2008, cabendo no momento da abertura da conta de depósitos.

e. Segundo normas vigentes, o oferecimento de um pacote padroni- zado de serviços prioritários às pessoas físicas situa-se no campo

224. -

nário de determinada agência bancária demandou a apresentação de em normas do Conselho Monetário Nacional (CMN). Nessa situação, de acordo com as normas do CMN, para a abertura, manutenção e movimentação de contas de depósitos, é necessário apresentar

o histórico dos últimos cinco anos das alterações no controle da empresa.

a.

55
55
depósitos, é necessário apresentar o histórico dos últimos cinco anos das alterações no controle da empresa.

CID ROBERTO

CID ROBERTO b. a prova documental do domicílio de advogado com poderes para receber citações e

b.

a

prova documental do domicílio de advogado com poderes para

receber citações e intimações em nome da empresa.

c.

mandatários ou prepostos da empresa a movimentar a conta.

d.

empresa mantém relacionamento na mesma localidade.

e.

- - ção no cadastro de pessoas físicas) de todos os integrantes do

225. - - I – -

e o número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). II – -

de dependentes; a renda mensal e a declaração de imposto de renda.

III – -

o faturamento e a declaração do imposto de renda de pessoa

jurídica.

IV – depositante: os documentos deverão conter as informações re- representantes, mandatários ou prepostos a movimentar a conta; registrados na forma da lei na autoridade competente.

V – Caso a conta de depósitos seja titulada por menor ou pessoa in-

capaz, somente deverá conter informações do responsável que o assistir ou o representar.

56
56

Estão certos apenas os itens:

a.

I e III.

b.

I e IV.

c.

II

e III.

d.

II

e V.

e.

IV e V.

c. II e III. d. II e V. e. IV e V. 226. - tral do

226. - tral do Brasil - Resoluções 2.025 e 2.747, assinale a opção correta quanto à abertura de contas de pessoas jurídicas:

a.

A

abertura de conta de pessoa jurídica deve ser comunicada, pelo

cliente, à autoridade responsável pelo registro dos documentos constitutivos.

b.

devidamente registrados pela autoridade competente, também do - quem e autorizem os representantes, mandatários ou prepostos

a

movimentar a conta.

c.

depósitos de livre movimentação.

d.

As pessoas jurídicas serão sempre representadas por, no míni- mo, duas pessoas.

e.

pessoa jurídica estiver inscrita no Cadastro de Emitentes de Che- ques sem Fundos – CCF.

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

227. - assinale a opção correta:

a. Se o nome do proponente está inscrito no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos - CCF.

b. Informação sobre o grau de instrução.

c. Cláusula sobre obrigatoriedade de comunicação, devidamente formalizada pelo depositante, sobre qualquer alteração nos da-

d. -

57
57
obrigatoriedade de comunicação, devidamente formalizada pelo depositante, sobre qualquer alteração nos da- d. - 57

CID ROBERTO

CID ROBERTO e. Que os cheques liquidados estarão à disposição do titular a qual- quer tempo

e. Que os cheques liquidados estarão à disposição do titular a qual- quer tempo e não serão destruídos antes de esgotados os prazos previstos em lei para eventuais contestações de pagamento.

228. - do órfã de pai, mora com a mãe. Desejando abrir conta corrente - para facilitar o recebimento da bolsa de estágio - procurou a agência bancária do seu bairro. Assinale a alternativa correta com base no fato descrito e nas normas vigentes.

a.

A abertura da conta deve ser recusada, considerando que Maria

é menor de idade e absolutamente incapaz.

b.

A conta não deve ser aberta, considerando que Maria não tem pai

vivo e, sendo menor de idade, não tem quem a represente.

c.

- que Maria é relativamente incapaz e deve ser assistida.

d.

A

abertura da conta deve ser aceita, considerando que Maria é

universitária e há necessidade para recebimento da bolsa-estágio.

e.

- mente por meio eletrônico, até que Maria tenha maioridade.

229. simultaneamente caracterizada pelos seus sujeitos e pelo seu obje- to. A esse respeito, assinale a opção incorreta.

a.

A

regulamentação do SFN depende da edição de lei complemen-

b.

Os maiores de 16 e menores de 18 anos de idade, emancipados pelos pais podem abrir conta corrente em uma instituição bancá- ria se preencherem os requisitos cadastrais solicitados pela insti- tuição e apresentarem a escritura de sua emancipação, registra- da no cartório de registro civil pertinente.

c.

Os menores de 18 anos de idade casados podem abrir conta cor- rente em uma instituição bancária, desde que sejam alunos ma- triculados em curso superior e atendam aos requisitos cadastrais solicitados pela instituição.

d.

As pessoas jurídicas de direito privado regularmente registradas

e as pessoas naturais maiores de 18 anos de idade podem abrir