Você está na página 1de 11

CADASTRO TÉCNICO E

PLANEJAMENTO URBANO

Profa. Dra. Maria Cecília Bonato Brandalize


2008

A Disciplina

PROGRAMA
1. Introdução
2. Legislação Cadastral
3. Metodologia do Cadastro Técnico (CT)
4. CT Multifinalitário para Planejamento Urbano
5. Noções de Planejamento Urbano

-2-

1
5. Noções de Planejamento Urbano

5.1. Cidade & Urbanização


Capítulos
5.2. Regiões, Regionalismos e Desenvolvimento Anteriores

5.3. População, Recursos, Meio Ambiente


5.4. Teorias de Planejamento Urbano e Regional Pular

5.5. Estruturação do Plano Diretor


5.6. Papel do Engenheiro Cartógrafo

-3-

5.5. Estruturação do Plano Diretor

O que é Plano Diretor?


Diretor?
O Plano Diretor é uma lei municipal que estabelece diretrizes para
a ocupação da cidade.
Deve identificar e analisar as características físicas, as atividades
predominantes e as vocações da cidade, os problemas e as
potencialidades.
É um conjunto de regras básicas que determinam o que pode e o que
não pode ser feito em cada parte de cidade.
É processo de discussão pública que analisa e avalia a cidade que temos
para depois podermos formular a cidade que queremos.
As prefeituras em conjunto com a sociedade, buscam direcionar a forma de
crescimento, conforme uma visão de cidade coletivamente construída
e tendo como princípios uma melhor qualidade de vida e a
preservação dos recursos naturais. -4-

2
5.5. Estruturação do Plano Diretor

O que é?
O Plano Diretor deve ser discutido e aprovado pela Câmara de
Vereadores e sancionado pelo prefeito do município.
O resultado, formalizado como Lei Municipal, é a expressão do pacto
firmado entre a sociedade e os poderes Executivo e Legislativo.

Quem participa de sua elaboração?


Prefeitura (Secretarias + Órgãos Municipais)
Estado (Setores de Serviço que extrapolam o âmbito municipal)
União (nas questões que lhe dizem respeito: áreas costeiras)
População: associações, sindicatos, conselhos comunitários, etc.
Empresários: comerciantes, incorporadores imobiliários, etc.
Técnicos: universidades, conselhos regionais, ONGs, etc. -5-

5.5. Estruturação do Plano Diretor

Para que planejar?


1. Para superar os problemas existentes, considerando os potenciais
sociais, econômicos e ambientais que o município oferece;
2. Para garantir, tanto no presente quanto no futuro, o uso democrático e
sustentável dos recursos disponíveis;
3. Para retornar à cidade um benefício coletivo capaz de melhorar a
qualidade de vida de moradores e usuários em geral;
4. Para que todos os habitantes do município assumam a tarefa de
construir um futuro melhor para a cidade promovendo assim os direitos
de cidadania.

-6-

3
5.5. Estruturação do Plano Diretor

Como se dá a sua estruturação?


Compreende seis etapas distintas:
1. Identificar bem a realidade da cidade e seus problemas;
2. Escolher os temas e os objetivos a serem trabalhados;
3. Escrever a proposta do Plano Diretor;
4. Enviar a proposta para a Câmara Municipal, para que os
vereadores posam discuti-la e aprová-la;
5. Estabelecer prazos e maneiras de colocar o plano em prática;
6. Revisar o Plano Diretor, pois a cidade sofre mudanças difíceis de prever
e a lei que orienta seu destino precisa acompanhar essas mudanças, por
esta razão o Plano Diretor deve ser revisto pelo menos a cada 10 anos.
-7-

5.5. Estruturação do Plano Diretor

Metodologia → Depende do Municí


Município
Metodologia
adotada em Diagnóstico da
Itajaí Cidade:
funcionamento,
potenciais e
precariedades.

33 reuniões
Orçamentos
Participativo

-8-

4
5.5. Estruturação do Plano Diretor

Metodologia → Leitura Té
Técnica
História de Itajaí
Expansão Urbana
Levantamento do Meio Físico e dos Recursos Naturais
Levantamento do Ambiente Geomorfológico e Climático
(Relevo, Vegetação, Geologia, Hipsometria, Solo, Clima, Hidrografia, MA)
Levantamento Arqueológico e do Patrimônio Histórico
Levantamento de Recursos Humanos e Econômicos
(Porto de Itajaí)
Levantamento Demográfico
Levantamento da Estrutura Física
(Transportes, Energia, Água, Lixo e Segurança)
Levantamento dos Aspectos Culturais e Estrutura Administrativa-9-

5.5. Estruturação do Plano Diretor

Metodologia → Leitura Té
Técnica → Mapas

Itajaí e Municípios Limítrofes


SPOT - 1997
Localização de Itajaí em Santa Catarina -10-

5
5.5. Estruturação do Plano Diretor

Metodologia → Leitura Té
Técnica → Mapas

Sesmarias de Dom Francisco de Souza Coutinho


-11-

5.5. Estruturação do Plano Diretor

Metodologia → Leitura Té
Técnica → Mapas

Centro de Itajaí ao final do século XIX


-12-

6
5.5. Estruturação do Plano Diretor

Metodologia → Leitura Té
Técnica → Mapas

Vista Aérea de Itajaí - Início do século XX


-13-

5.5. Estruturação do Plano Diretor

Metodologia → Leitura Té
Técnica → Mapas

Centro de Itajaí – Patrimônio Histórico


-14-

7
5.5. Estruturação do Plano Diretor

Metodologia → Leitura Té
Técnica → Mapas

Evolução Urbana -15-

5.5. Estruturação do Plano Diretor

Metodologia → Leitura Té
Técnica → Mapas

Vôo AGRITEC
2004 -16-

8
5.5. Estruturação do Plano Diretor

Metodologia → Leitura Té
Técnica → Mapas

Ver PDF!!!

Macrozoneamento
-17-

5.5. Estruturação do Plano Diretor

Outros Exemplos → Mapas de Plano Diretor

Muitos disponí
disponíveis na INTERNET.
Importante: o nú
número de mapas publicados não
representa 10% do nú
número de mapas gerados para
o estudo.

-18-

9
5.5. Estruturação do Plano Diretor

Panorama da Situaç
Situação em 2004

-19-

5.6. Papel do Engenheiro Cartógrafo

O engenheiro cartógrafo é o profissional responsável pelo planejamento,


organização, projeto, orientação, direção e fiscalização das diversas modalidades de
levantamento, pelo processamento e análise dos dados coletados, bem como pela
visualização e reprodução de informações geográficas.
Qualquer atividade de mapeamento exige que o engenheiro cartógrafo atue
em áreas como Topografia, Geodésia, Fotogrametria, Sensoriamento Remoto,
Cartografia e Sistema de Informação Geográfica (SIG).
O engenheiro cartógrafo está habilitado, portanto, a proceder o
georreferenciamento de imóveis rurais e a manutenção e constante atualização de
bases cartográficas, fundamentais à elaboração e execução de qualquer tipo de
projeto de engenharia.
Estas bases, aliadas ao cadastro técnico multifinalitário, são fundamentais
para as atividades de planejamento dos governos federal, estadual e municipal,
este último expresso pelo Plano Diretor e pelas diversas atividades por ele
compreendidas que vão desde a infra-estrutura até a arrecadação de impostos.-20-

10
5.6. Papel do Engenheiro Cartógrafo

O engenheiro cartógrafo vem atuando, junto aos


municípios, principalmente na elaboração dos Planos
Diretores de Geoprocessamento.

O Plano Diretor de Geoprocessamento constitui uma


importante ferramenta para implantação do Cadastro
Técnico Multifinalitário e para modernização da gestão
municipal.

-21-

11