Você está na página 1de 5

Padrão de Formatação das Monografias

1. Informações Gerais

 Papel formato A4 (21,0cm X 29,7 cm), digitado ou datilografado


somente no anverso da folha;

 Letra do texto n. 12 (Times New Roman ou Arial; letra do rodapé ou


de citações extensas n. 10, este último, opcional);

 Espaço 1.5 entre linhas;

 Alinhamento: justificado;

 6 pt. entre parágrafos;

 2 cm. de recuo na primeira linha de cada parágrafo, (recuo esquerdo:


2cm, recuo direito: nenhum);

 Margem direita e inferior: 2 cm;

 Margem superior e esquerda: 3cm;

 Numeração de páginas em algarismos romanos contadas desde a


folha de rosto e expressas (a partir da primeira folha após a folha de
rosto, até a última página antes da Introdução) no canto inferior direito
da folha (I, II, III...);

 Indicação de paginação do corpo do trabalho (a partir da Introdução):


embaixo à direita, em algarismos arábicos (1,2,3...);

2. A abertura da monografia1

 Capa: Nome da Instituição (parte superior), nome do autor


(centralizado), Título do trabalho (centrados, no meio da folha), local e
ano (na base da folha, centralizado);
 Folha de rosto: indicar o tipo de trabalho (monografia, dissertação ou
tese), objetivo (grau a ser obtido), nome completo do orientador
 Folha de aprovação
 Dedicatória, agradecimentos e epígrafe (apenas os agradecimentos
são obrigatórios): logo após a folha de aprovação

1
Ver exemplo no arquivo: “Modelo de apresentação MONOGRAFIAS FAAP 2007”.
 Resumo (abstract)

3. A estrutura geral do texto da monografia

Sumário
Introdução
Capítulo(s)
Conclusão(ões)
Referências Bibliográficas
Anexos
Figuras e tabelas (estes podem estar ao longo do texto e não
necessariamente reunidas no final)

4. Como deve ser feita a numeração dos capítulos

CAPÍTULO 1 – (dar um nome ao capítulo / LETRAS MAÍÚSCULAS)


1. 1.
1. 1.1.
1. 1.1.1.
1. 1.1.2.
CAPÍTULO 2 – (dar um nome ao capítulo / LETRAS MAÍÚSCULAS)
2.1.
2.1.1.
2.1.1.1.
2. 1.1.2.
Identificação de valores contidos nas normas referidas no presente
trabalho (após o último capítulo e antes da Conclusão, deverá ser feita
a identificação de valores que podem ser encontrados nas normas
jurídicas que tenham sido mencionadas no trabalho, a fim de aproximá-
lo da linha de pesquisa adotada pela Faculdade de Direito, conforme
orientação em link do Vídeo Blog sobre Ética).

5. Como devem ser feitas as citações

 A citação pode ser direta (ou textual), quando consiste na


transcrição textual de parte da obra do autor consultado;

 A citação pode ser indireta (ou livre), quando se compõe de um texto


baseado na obra do autor consultado;
 A citação direta curta (até três linhas) permanece no texto, entre
aspas e com nota de rodapé;

 O espaçamento da citação direta longa é simples e não 1,5. Deve


ser feito um recuo de 4cm à esquerda;

 O símbolo [...] indica que foi suprimida uma parte do texto;

 Caso seja feito um destaque no texto, pelo escritor do trabalho,


deverá ser registrado grifo nosso;

 Caso seja uma tradução, indicar a expressão tradução nossa (A


ABNT recomenda incluir, na nota, o texto original);

 A letra a ser utilizada para a citação longa pode ser número 10;

 Não misturar critérios. Utilize a mesma forma de fazer referências


em todo o trabalho;

 Fazer nota de rodapé para a citação, com a referência bibliográfica,


indicando a página de onde se extraiu o texto, no caso do sistema
não ser AUTOR, data (veja, a seguir, os sistemas).

6. Ao fazer a monografia é preciso escolher um dos sistemas de


referência bibliográfica reconhecidos pela ABNT:

 Sistema n. 1 (SISTEMA AUTOR-DATA): nesse sistema, a


referência da fonte da citação aparece logo após a citação, no
próprio texto do trabalho. Utilizado este sistema, a referência
completa da obra aparecerá na lista de referências bibliográficas,
ao final do trabalho.

EXEMPLO:

A chamada “[...] pandectística havia sido a forma particular pela qual o


direito romano fora integrado no século XIX na Alemanha em particular”
(LOPES, 2000, p.225)

Na lista de referências bibliográficas, ao final do trabalho, aparece a


referência completa:

LOPES, José Reinaldo de Lima. O Direito na História. São Paulo: Max


Limonad, 2000.
 Sistema n. 2 (SISTEMA NUMÉRICO): a indicação é feita por uma
numeração única e consecutiva, em algarismos arábicos,
remetendo à lista de referências ao final do trabalho, do capítulo
ou da parte, na mesma ordem em que aparecem no texto (não é
muito bom para trabalhos acadêmicos, porque as referências
apenas aparecem no final e fazem com que o leitor tenha, a todo
momento, que buscar no final do capítulo ou do texto)

EXEMPLO:

Segundo Habermas, a sociedade civil:


[...]compreende aquelas conexões não governamentais e não-
econômicas e as ações.... [1]

[1] HABERMAS, Jürgen.Between facts and norms:contributions to a


Discourse Theory os Law and Democracy. Cambridge: Massachussets,
p.70, tradução nossa.

FORMATO: Número da referência feito logo após a citação e nota de


referência na mesma página. Numeração única e consecutiva para cada
capítulo ou parte. Na primeira vez que uma obra for citada, fazer referência
completa e depois, pode-se utilizar, por exemplo: HABERMAS, 1996, p.98,
tradução nossa – ou – caso tenha sido inserido apenas um livro do autor na
Bibliografia: HABERMAS, Jürgen. Op.Cit., p. 70, tradução nossa.

7. OBSERVAÇÃO FUNDAMENTAL: Escolhido UM dos sistemas de


referência, este deve ser utilizado do princípio ao final do trabalho
como único. Não é admissível utilizar DOIS sistemas de referência no
mesmo trabalho. A monografia pode ter apenas um único padrão.

Orientação produzida pela Profa. Márcia Carneiro Leão, utilizando


parte dos materiais de apoio previamente desenvolvidos para a FAAP.

Outras fontes:

• GUSTIN, Miracy Barbosa de Sousa; DIAS, Maria Tereza Fonseca.


(Re)pensando a pesquisa jurídica: teoria e prática. 2a. ed, rev.,
ampl. e atual. pelo BBR 14.724 e atual. pela ABNT 30/12/05. Belo
Horizonte: Del Rey, 2006. 268p.
• BASTOS, Lília da Rocha; DELUIZ, Neise et.al. Manual para a
elaboração de projetos e relatórios de pesquisas, teses, dissertações
e monografias. 6a. Ed. Rio de Janeiro: LTC, 2004. 222p.