Você está na página 1de 78
ico-Quimica Ano de Escolaridade rae RCC LT Propostas de solugao inseridas nas fichas (Edigao do Professor) Deore Caress I Movimentos e Forgas Fichat Ficha2 Ficha3 Ficha 4 Ficha5 Ficha 6 Ficha7 Ficha8 +Posico, tempo e distancia percorrida .... + Rapidez média e velocidade. Classificacdo de movimentos + Raceleracio ea classificacao dos movimento .. + Velocidade em movimentos retilineos uniformemente variacios euniformes . + Forcas e alei da aco-reacdo. Resultante de a + Lei fundamental da dinémica e lei da inércia + Forca, pressio ea seguranca rodovisria = Forcas de atrito e de resisténcia do ar ae ” Ficha9_ + Energia cinética e potenclal / Transformacao e transferencla deenergia : a asseee 3D) Ficha 10 + impulséo ; ; 37 II Eletricidade Fichat Ficha 12 Ficha13 Ficha 4 Ficha 15 Ficha 16 + + Corrente elétrica: 0 que ée como se utiliza .. + Grandezas fisicas: tensao elétrica e corrente elétrica + Associagao de recetores e de pilhas +Resisténcia elétrica 5 + As transformacbes da energia eletrica . Utlizagao dos circuitos elétricos em seguranca. TIT ciassiticagio dos Materiais Ficha 17 *Modelo atémico 61 Ficha 18 + Atomos, ides ea nuvem eletronica : 65 Ficha 19» Organizago da Tabela Periédica ..... ; 69 Ficha 20 + Substancias elementares e Tabela Periédica ove Ficha 21 Tipos de ligac3o quimica / Compostos de carbono 16 beet este) Penne 11 Posicao, tempo e distancia percorrid '* Posicao e referencial ‘ Movimento erepouso * Trajetéria * instante eintervalo de tempo * Distancia percorrida * Movimento retllineo:referencial adequado * Graficos posicao-tempo Parte A. 1. Preenche o crucigrama com as palavras cujo significado se i breada completa corretamente a frase que se he segue. fica. Depois, com a palavra som— 11~ Estado de um corpo cujas posicdes nao varlam como tempo. 1[R[E]P[O[o]S[o) 2 Grandeza cujaunidade Si¢ o segundo, TEM 3-Conjuntodeelementosemrelacoa0 43 at ‘qual se indicamas posicBes de um corpo. ‘4—Mediacle todo 0 percurso efetuado por um corpo num certo jntervalo de tempo '5~ Linha definida pelas sucessivas posicBes do centro de massa de um corpo em movimento. 7 6 ~ Correspondea sessenta segundos. a[M[E 7~ Estado de um corpo cujas posicées variam como tempo. 8—Unidade Side distancia, 9-H 3600 em cadahora. = o BFE 4[D, wn[or)s| 2 [Elel=|~ Sc) PEE 2 5 a[zlele[ol=|~ e/alolele|s. DSRS 5 2 2 = S ° Repouso e movimento séo conceltos| relalivos 2. Associa a trajetoria evidenciada em cada figura a designacéo retilinea ou curvilinea e escreve-a no respetivo retangulo. retilfnea PRs etc Cea Parte B 1. OAnténio salu da escola as 1225 mine, seguindo sempre emlinharetano sentido este-oeste, chegou a paragem do autocarro, depois de percorrer 600 m, as 12h 37 min, Na paragem aguar- dou sem mudar de posicao 2min 30 s pela chegada do autocarro. 11 Indica os instantes inicial e final do percurso efetuado pelo Anténio, t= 12h 25 min; t= 12h97 min 12 Calcula o intervalo de tempo necessério para 0 percurso, apresentando-o na unidade SI, At = 1237 min~ 1225 min At = 12 x 60 At= 12 min At= 720s 1.3 Completa a frase que se segue, substituindo os nuimeros pelas designaces corretas. (Os2min30sfinaiscorrespondemaum(1) intervalo de tempo durante o quale Antonio. esteveem(2) repouso _relativamente a paragem, mas relativamente aos automévels —~ que passavamesteve em(3) movimento . 14 Indica em km o valor da distancia percorrida pelo Antonio. s= 0,600 km. 2. A figura mostraos pontos marcados numa fita com um marcador eletromagnético de posicdes. CO intervalo de tempo que decorre entre quaisquer duas posicies consecutivas é de 0,02s. Primero pont x - Uti ponte mercado i i marcato 46m — 21 Considerando que o primeiro ponto fol marcado no instante 0 s, indica: 2.11 em que instante foimarcadoopontoA; 0,0 2.12 emqueinstantefolmarcadoopontoB; 0,18 2.13 ointervalo de tempo que decorreu entreas posicbes A eB. a At=0,18-0,10 At=0,08s 2.2 Escreve o significado do valor escrito na figura. 0 valor 2 em corresponde & distdncia percorrida no intervato de tempo [0,10 ; 0,181 s 3, A figura mostra os ponteiros de um relégio e as linhas vermelhas correspondem ass trajetérias dos extremos dos dois ponteiros. : 3.1 Escreve o significado de trajetoria, Linha descrita por um ponto de um corpo durante o seu movimento, 13.2 Indica que ha de comum eo quehé de diferente nas duas trajet ‘As duas trajet6rias sGo circulares, mas 0 comprimento das duas trajetérias é diferente, ‘ee 3.3 Considerando que o comprimento do ponteiro dos minutos é 4 cm, calcula, na unidade Sl, a distancia percorrida por este ponteiro quando efetua uma volta completa. Raio = 0,04 m ‘s = perimetro da circunferéncia; s = 2.7% 0,04 = 0,25 m PONG N isis cei! 4.Considera 0 grafico posicdo-tempo para um corpo que descreve uma trajetéria retilinea. x/m Cs eC TY 4,1 Indica as abcissas correspondentes as posicdes inicial e final do corpo. X(EX%20m — %=X5=80m Indica em que instante a abcissa da posico do corpoé 36m. t= 3s 4.3 Classifica a afirmacao que se segue em verdadeira ou falsa e justifica. A posicao inicial do corpo coincide com a origem do referencial. A gfirmaedo é verdadeira porque, de acordo com o gréfico, a abeissa correspondente & posi¢do do corpo no instante 0s €0 m. 4.4 Calculaa distancia total percorrida pelo corpo. =X%-%) $= 80-0 0m 45 Indica, justificando com célculos, em qual dos intervalos de tempo [0;4[s ou[4;8[ so corpo percorreu uma distancia maior. [0:4[s:s=x,-x 4:88: $=%-X, a s=48-0 $= 80-48 s=48m s=32m 0 corpo percorreu uma distancia maior no intervato de tempo [0 ; 4/ s. 5. Efetua todas as assoclacbes corretas entre as situacdes de um corpo referidas na colunale os _graficos posi¢go-tempo da coluna I, ‘A—Corpoem movimento a partir da origem do referencia, B ~Corpo emmovimento a partir de uma posicio diferente da origem do referencia. €—Corpoemrepouso. Peg eae) Pee ad 1.2 Rapidez média e velocidade. Cla cao de movimentos ++ Rapidezmédia + Velocidade erapidez '* Movimento retilineo uniforme ‘+ Movimentos retilineos aceleradose retardados Parte A 1. Completa os diagramas le ll escrevendo nos espacos as designacGes corretas. RAPIDEZ MEDIA ‘grandeza fisica cujo valor se escalar calcula ls cujaunidade pb sieo uociente t y FE re or ccunta SRavaceetenne: | & simbolo mis i sgrandezafisica y ae vetorial caracteriza-se por pponto de ovo] B= | BZ) = cujaunidade quese siéo | metro por ee mede T simbolo + : Pee cruciate Parte B 1. Arapidezmeédia, grandeza que se relaciona coma distancia percorrida eo intervalo de tempo gasto no percurso, indica se um movimento é muito ou pouco rapido, num certo intervalo de tempo. 41 Completaa tabela que se segue calculando os valores correspondentes as letras A, B eC. 360 km 30min A. 720 km/h B. 420 km 240min 105km/h 9km © 900 s om/s =720kmih Bi: 105=-$- ;8=420km 12 Consideraa seguinte situaca Um veiculo desloca~se numa estrada durante 2,5 horas. Na primeira hora percorre 60 km, na Segunda hora percorre 80 km ena titima meia-hora percorre 45 km. 1.21 Calcula a rapidez media de todo 0 percurso. s 185 ae Poa 0+ 80 + 45 = 185 km rq = 74 keh, 11.2.2 Justifica, com calculos, a seguinte afirmacao verdadeira. ‘Omovimento do veiculo fol mais répido na ultima meia-hora do percurso. 1." hora: r, = 60 km/h 2. hora: fq = BO KmUR ys | Ultima meia-hora: ry =F i Tm = 90 kmih 2. A Marta observa o grafico posicéo-tempo —<, tracado pelo Rulparaum velculoquedescreve 99 uma trajetéria retilinea durante 2 min, 2.1 A Marta fez imediatamente a seguinte afirmacao: “0 grafico nao pode referir-se a um vei- culo cuja trajetéria ¢retilinea.” Indica, justificando, se a Marta pode tirer i esta conclusio a partir do grafico. a ‘A Marta nada pode concluir sobre a trajet6ria do corpo, uma vez que a linha correspondente ‘@.um gréfico posicéo-tempo néo contém qualquer informagdo sobre a trajetéria. 500 400 00 200 1 Tq =5 mis 2.3 Indica, justificando, sem efetuar calculos, em qual dos intervalos de tempo [0 ; 20[ s ou [100 ; 120] s o movimento do veiculo foi mais rapido. De {0 ; 20{ s, 0 vetcuto percorreu. 200 m em 20 s ¢ de [100 ; 120{ s percorreu 100 m em 20s. Assim, durante 20 s percorreu uma disténcia maior no primeiro caso. O movimento foi mais rdpido no intervato de tempo [0 ; 201 s. 3. Avelocidade é uma grandeza fisica caracterizada por direcao, sentido, ponto de aplicacaoe valor. Consideraas situacées |, [hl eIV. 1— Autocarro num troco retilineo da estrada, cujo velocimetro indica sempre o mesmo valor. 7 I Vaso que cai da janela verticalmente com movimento acelerado. Ul— Carrinho numa pista circular com movimento uniforme. IV — Bola de basquete que é atirada ao cesto com movimento retardado. 3.1 Para cada uma das situacées, representana respetiva figura os vetores velocidadenos pon- tos indicados. = as x = 3.2 Classifica a afirmacdo seguinte em verdadelra ou falsa e justifica. Das situacées referidas ha duas em que a velocidade é sempre igual. A qfirmagao é Jalsa. A velocidade é sempre igual apenas na situaedo 1, pois $6 neste caso tem sempre a mesma diregdo, o mesmo sentido eo mesmo valor, 4. Observa o grafico velocidacle-tempo de um corpo que segue numa trajetoriaretilinea. 4,1Justificaa seguinte afirmacdo verdadelra. corpo parte do repouso e ao fim de 1 minuto fica de novo emrepouso. Nos instantes 0 s ¢ 60 s (1 min} a velocidade do corpo € nula, 0 que corresponde a repouso, 4.2 Indica em que intervalos de tempo o corpo tem movimento retlineo: 42Aacelerado; (0; 10|s¢[20;30[s 4.23uniforme. |10; 20s ¢ (90; 401 s 4.2.2retardado; [40 ; 60) s tis ow ao > US eres cue azote Veena) 1.3 Aaceleracao ea class ‘* Oque éaaceleracdo '* Valor da aceleracao média + Vetor aceleragao media + Aceleracao Parte A 1. Para cada um dos trés esquemas que se seguem: = comeca por completar a classificacdo do movimento, tendo em conta a representacao da ve- locidade na respetiva imagem; + escreve nos trés retangulos seguintes as designacdes corretas, usando a chave: .— wa 2 oo oo co POEs LOE a uniforme retardado t ‘acelerado [ I I 1 [ees ee volorda —varlaglodo_valorda valorda —veriagdodo_vaorda valorda —veriag3odo valor da velociisle “‘vaorda aceleragde-—=«elacidade valorda aceeracto—-—welocidade- valor daaceeracao ae “ae [ae eat ys ata Hotm ELturenta z z Esai] Eno Ey esate | 2. Completa diagrama escrevendo nos espacos as designagées corretas. CeO grandezafisica vetorial ‘ajo valor ‘temcomounidade SI BAY ictro por segundo EE catcuta ‘ao quadrado simbolo . 1 pelo quociente variagio da velocidade “nieroalo de tempo — Peete ceuar ied ParteB 4. Hamovimentos em que a velocidade varia e outros em que é constante. 11 Indica em que situagbes ocorre variacao de velocidade nos movimentos retilineos. Ocorre variagdo de velocidade quando o valor da velocidade aumenta ou diminui 1.2 Explica porque se pode afirmar que nos movimentos curvilineos ha sempre variacao de ve- locidade. Nos movimentos curvilineos a direcdo da velocidade varia sempre, uma vez que ela é tangente A trajetéria e para haver variagdo de velocidade basta que uma das suas caracteristicas varie. 13. Nos movimentos retilineos em que a velocidade varia é possivel falar de aceleracaio mé« 1.3.1 Calcula o valor daaceleracaomédia do movimento retilineo de um corpo cuja velocidade aumentou de 10 m/s para 18 m/s durante 25, 8-10 2 4 mist 1.3.2 Tendo em conta o valor anteriormente obtido, classifica o movimento emacelerado ou retardado durante os 2 s.Justifica, Durante os 2 s 0 movimento é acelerado porque o valor da aceleragdo média é positivo. 2. Os valores indicados na tabela, que esta incompleta, referem-se a trés movimentos retilineos diferentes, Corpoquesobeumarampa 6 9 2 A Corpo que se move horizontalmente et = 4 4 Corpo que desce uma rampa « 28 5 4 2.1 Atendendo apenas aos valores da tabela, explica como classificas os movimentos do corpo ‘que sobe arampaedo corpo que se move horizontalmente, nos correspondentesinter valos de tempo. Durante os 2 s 0 movimento do corpo que sobe a rampa é retardado porque o valor da veloci- dade diminui. Durante os 4 s 0 movimento do corpo que se move horizontalmente é retardado porque 0 valor da aceleragéo média é negativo, 2.2 Indica o significado dos valores: 2.2.1 -3m/s* para o corpo que se move horizontalmente; 0 valor -3 mis? significa que no intervato de tempo de 4 s a velocidade do corpo diminui em média 3 mis em cada segundo de movimento. 2.2.24 m/s" para o corpo que desce uma rampa, 0 valor 4 mis* significa que no intervalo de tempo de 5 s « velocidade do corpo aumenta. em média 4 mis em cada segundo de movimento, R 2.3 Completa a tabela calculando os valores correspondentes as letras A, Be C. -3,5 mis, 12; y=0ms 20 = 28-v,; v,= 28-20; v,=8 mis 3. Observao grafico velocidade-tempo para um corpo com movimento retilineo. 3.1 Indica os valores da velocidade iniciale final do corpo. v= 25 mis; v= 3 mis vi Be 3.2 Classifica o movimento retilineo deste corpo. Movimento retardado, a 3.3 Calcula o valor da aceleracio média do corpo. 4. Os movimentos retilineos em que o valor da aceleracdo é constante num certo intervalo de ‘tempo chamam-se uniformemente variados. 4.1 Completa frase que se segue substituindo os nlimeros pelas designacoes corretas. Um movimento retiineo é uniformemente acelerado num certo intervalo de tempo seo valor daaceleracéo€(1) —constante —e(2)_— positive —_, sendo igual ao valor da (3) aceleragéo média 4.2 Um veiculo que seguia a velocidade de 5 m/s aumenta a velocidad para 33 m/s, com ace- leracao constante, durante7 s. De seguida reduzlu este valor da velocidade para 9 m/s, tam- bem com aceleracio constante, durante 6 s. a Representa na figura que se segue: () possiveis vetores velocidade nos instantes 05,75 ¢135; (i) possivels vetores aceleraco nos instantes 5 se 10s. [os 85 7s Os Ws 43 Observa atentamente os graficos que se seguem, correspondentes a movimentos numa trajetéria retlinea. te . Th fs ~ ims] 7s Seleciona os graficos que correspondem a movimento retilineo: 43.1uniforme, 4.3.3 uniformemente acelerado. BB 4.3.2uniformementeretardado, B Ben et a od Teena) 14 Velocidade em movimentos retilir euniformes ‘= A velocidade nos movimentos retiineos uniformemente varlados * Graficos velocidade-tempo ea distancia percorrida * A velocidade dos veiculos ea seguranca rodoviaria * Distancia de seguranca rodoviaria e os graficos velocidade-tempo Parte A 1. Completa os diagramas |e Il escrevendo nos espacos as designacées corretas. esis ne nese es ra constante 7 casas oeaae vor de aeleao ¥ 7 Baa) ;— wegatto —] “| — rd cade — = ' ‘aumenta regularmente diminui = comotempo comotempo ‘grafico velocidade-tempo grafico: ne ‘omovimento é ‘omovinentod 1 retllineo retilineo uniformemente acelerado uniformemente retardado Pree cen elias valor da aceleraca ==, valor da velocidade Eh oonstante maar tempo 2. Pinta com uma cor a escolha as areas que correspondem a distancia percorrida pelo corpo que realiza cada movimento durante 5 s. a Parte B 1. Os movimentos retilineos em que o valor da velocidade varia regularmente com 0 tempo sao uniformemente variados. 1.1 Considera as tabelas de valores de velocidade e tempo para dois corpos, Ae B, em movi- mento retilineo. Corpo A aA ° 1 2 3 [4 5 cre) 6 wo | uw | w | 2 | 2% CorpoB t/s 0 1 2 3 a [5 ume = | > | 2 |v [a 1.1.1 Comprovaa partir dos valores da tabela que o movimento do corpo A é uniformemente acelerado, ‘De acordo com a tabela, durante os 5 s a velocidade do corpo A aumentou 4 mis, em cada segundo: ~de0sa1s,qumentou 10-6=4 mis -de 1425, aumentou 14-10= -de2sa3 5s, aumentou 18-14 ~deS sa4's,aumentou 22-18 = ~de4sa5s, aumentou 26-22 111.2 Atendendo aos valores da tabela, classifica o movimento do corpo A em uniforme, uni- formemente acelerado ou uniformemente retardado, 0 movimento é uniformemente retardado porque a velocidade diminui tegularmente com 0 tempo: diminui 6 mis durante cada segundo. 112 Observa os graficos velocidade-tempo que se seguem, correspondentes a movimentos numa trajetéria retilinea, vi vi vi vi vi) ims) (mys (mvs) (oysy (mys) oo” oa” ts a ts o @ ss 11.2.1 Classifica a afirmacso que se segue em verdadeira ou falsae justifica, Omovimento A éacelerado mas nao ¢ uniformemente acelerado. A afirmagdo é verdadeira. 0 movimento é acelerado porque @ velocidade aumenta & medida que 0 tempo decorre, mas como a linha do gréfico ndo é uma semirreta, a velo- cidade nao aumenta reqularmente como tempo. pelo que néo é uniformemente acelerado, 1.2.2Seleciona os graficos que correspondem a: (movimento retiiineo uniformementeacelerado; EF (movimento retilineo uniforme; B (Wi) movimento retilineo uniformemente retardado. C 2. Considera os gréficos velocidade-tempo para dois automévels, x e y, numa trajetéria retilinea, the 2.1 Efetua todas as associacdes corretas entre as colunast ell 8 2 eater men) 1 Esteve em repouso 2~Tevemavimento retilineo uniforme 3~Teve aceleracao postiva 4—Teve aceleracao negativa 5—Teve aceleracdo nula 66 Travou com aceeracdo constante 7—Desceuuma ampa se A= Automovel x B~ Automévely 2.2 Prova que distancia percorrida pelo automével x durante trés segundos é metade da dis~ ‘tancia percorrida pelo automsvel y, calculando as reas subjacentes aos respetivos graficos velocidade-tempo. pas iene ae 58x18 mis = 54m Aq ¢ metade da Am, por isso s(x) é metade de s(y). 6 3. O condutor de um veiculo que circulava 4 velocidade de + 72km/h apercebeu-se de um obstaculo na estrada epouco “/""| depois travou fortemente o veiculo. 0 grafico ao lado representa o valor da velocidade do vetculo ‘em funcao do tempo desde o instante em que o condutor se apercebeu do obstaculo. 3.1 Deacordo como gréficoindicaem queit 3.1 se apercebeu do obsticulo; BilZiniciouatravagem; 1s BAB parou. 4s aT aes 3.2 Calcula em m/s 0 valor da velocidade do veiculo no instante em que o condutor efetuou atravagem. 72.000 m v= 72kmihs v= eae v= 20 mis 3.3 Indica, com base no gréfico, os intervalos de tempo correspondentes: 3.3.10 tempo dereaciodocondutor, 1s. 3.3.2.a0 tempo de travagem do veiculo. 35 3.4 Refere duas causas do aumento do tempo de reacao de um mesmo condutor. Por exemplo: ingestdo de dlcool; falar ao telemével. 3.5 Calcula, atraves do grafico, a distancia total percorrida pelo velculo desde o instante em que ‘© condutor se apercebeu do obsticulo, Indica a designago habitualmente usada para essa distancia. Sagio = 20% 1 3 Spogan = 20m 20x38 Srenagen = — 5 — i Stange Distéincia total = 20 + 30= 50 m Distdincia de seguranca rodovidria =30m 3.6 Sabendo que o veiculo parou 3 mantes do obstaculo, Indica a que distancia do obstaculo se encontrava 0 veiculo no instante em que o condutor se apercebeu dele. | s=504+3=53m 3:7 Seleciona entre os seguintes fatores os que podem aumentar a distancia de seguranca rodoviaria. (\a-Estrada seca. (X] B ~ Grande velocidad, (J) c—Pneus novos. [X] D —Pavimento molhado. (J E-Baixa velocidace. 7 2.1 Forcase lel * Resresertagio,coacerzae ernedko de fogas + Paracio-reacio + Aresultante de forcas Parte A 1. Completa o diagrama escrevendo nos sgrandezatisica espacos as designacées corretas. vetorial cal valor ‘temparaunidade S! <émetido com - Ey evtn [Gl airansmeiros simbolo a 2. Completa o esquema a partir da obser vagio da figura inicial. tae z [if p= acdo-reacao conjunto de duas Sorgas ‘acéo Fy, ——» reacio Fy, <— apleada na aplicada na mio de B mao de A tem ddrecdo sentidos Intensidades a | igual ‘opostos iguais 1B Pees sa Cee} Parte B 1. Considera os seguintes vetores, que representam forcas. os 114. Indica um par de forcas com: 1:11 amesma direco € mesmo sentid. 112 sentidos opostos; F, eF, (ouF, eF,) 14.3 amesmaintensidade; F, e7', 14 direqdes diferentes. F, eF, (ouF, eF, ouF, eF.) 1.2 Identifica a dire¢do, o sentido ea intensidade de F;. Diregdo - vertical; sentido ~ de cima para baixo; intensidade - 30 N. seguintes. * Forca F, de 100 N que se exerce numa parede vertical ao pregar tum prego,na escala 1cm: 20N. '* Forca F, que um corpo de peso 15 N exerce na superficie hori- zontal em que se apoia, na escala 1cm:5N. £ 2. Considera as forcas descritas em cada um dos enunciados e ‘*Forca F, vertical e de 200 N que se exerce numa mala para a transportar horizontaimente, na escala I cm:50N. 2.1 Representa cada uma das forcas por meio de vetores. 2.2 Para medir a intensidade da forca F; utilizou-se um dinamémetro cuja escala se presenta na figura. 2.2.1 Indica os valores correspondentes ao alcance e menor divi- so da escala deste dinamémetro. Alcance - 18 N ‘Menor divisdo da escata - 0,4 N (18 N/45 div.) 2.2.2Indica em qual das posicoes da figura, A, B,C ou D, parou 0 indice do dinamémetro quando sujelto &forca F. [C oT) Fears cece 3. Aiinteracao entre dois quaisquer corpos A eB ¢ descrita por duas forcas, 3.1 Seleciona a op¢ao que completa corretamente a frase seguinte. As forcas que constituem um par acao-reacao.. _] A-...tém diregbes diferentes. [x] B—... estao aplicadas umano corpo A e outrano corpo B. C—..,tém sentidos iguais, D—... tem intensidades diferentes. 3.2 Explica porque se pode dizer que as forcas que constituem um par a¢ao-reagao sao simé- tricas, Sao simétricas porque tém a mesma intensidade e se opdem uma @ outra. 3.3 Na figura esta representada a aco do corpo x sobre o corpo y. Seleciona a opcéo correta para completar a figura coma reaco do corpo y sobre o corpo x. x x x x 3.4 Newton traduziu a interacao entre os corpos na lei da agao-reacao. 3.41 Indica outro nome atribuido a estalei. Terceira let de Newton, 3.4.2Enunciaalei da acéo-reacdo. Quando dois corpos interatuam, & agdio de um corpo sobre outro corresponde sempre uma reagaio igual e oposta, que o segundo corpo exerce sobre o primeiro, 4, Observa atentamente a figura. ‘4,1 Identificaas forcas que representam pares acdo-reaco e escreve o significado de cada uma das forcas. FeF,:FeF, F, ~forga exercida pela corda na méo do menino F, -forea exercida pela méo do menino na corda F,~forea exercicia peta corda na mao da menina F,~forca exercida pela méo da menina na corda 5. Observaatentamente a figura. Identifica os vetores que representam: 5.1 as forcas aplicadasno veiculo; Fe 5.2. as forcas que constituem um par ac3o-reacao, 20 6. Quatro forcas, F, 7, Peo ea ceacs :, F, e F,, tem a mesma intensidade de 10 N. + Fre F,sao horizontais e tém sentidos opostos, * F,e F,témomesmo sentido. * F, tem diregao vertical e sentido ascendente. 6:1 Representa na mesma escala as quatro forcas. ——- ——. E 6.2 Determina a intensidade da resultante dos seguintes pares de forcas quando atuam num mesmo corpo: 6.2.1F,eF, F,(deF, eF,)-10N-10N=0N 6.22F,eF, F,(deF,eF)-10N+10N=20N 623F,eF, Fa(deF, eF,)-/10+ 10 = 14,1 6.3 Seleciona a op¢ao correta para a resultante do sistema de forcas F,, F, e F, quando atuam num mesmo corpo. A-Enula, x] C—Elguala F,. B—Temdeintensidade 40N. D—Eiguala F,. Duas forcas, uma de intensidade 15 Ne outra de 8 N, esto aplicadas em trés corpos, A, Be C. No corpo A, as forcas tem a mesma direcao e sentido; no corpo B, tém sentidos opostos; e,no corpo C, as diregies das forcas sao perpendiculares entre si Indica, justificando, em qual dos corpos a resultante dos pares de forcas aplicadas tem menor intensidade e em qual tem malor intensidade. Corpo A: Fy= 15 +8; F,=23N Corpo B: Fy= 15-8; F,= 7 Corpo CF, = (15+ 8; Fa= 178 ‘No corpo B - como as foreas nele aplicadas tém sentidas opostos, as suas intensidades subtraem-se ea resultante tem 0 valor ménimo, \No corpo A ~ como as foreas nele aplicadas tém o mesmo sentido, as suas intensidades somam-se ea resultante tem o valor maximo, Escala Determina geometricamente a resultante das trés forcas = que atuam no corpo A da figura. (Sugestao: comeca por determinar a resultante das forcas Fe F, e depois a daresultante obtida e da forca F;,) Panera Peete 2.2 Lel fundamental da dainercla * Aresultante das forcas ea aceleracdo de um corpo. * Aresultante das forcas e os movimentos retllineos uniformemente variados e uniformes ® Inercia de um corpo + Peso, massa e aceleracéo gravitica Parte A 4. Completa o esquema que relaciona a resultante das forcas aplicadas num corpo com o estado de repouso ou de movimento, Ee QteeLcincaed Feeonstante velocidade varidvel cequiltorio estatico \ ers opments velocidade | mula | constante en | BY reno Troan —ranco | [Elfovinento rien cots | tee ne | BU cetera | ff estorenereretertao 2. Preenche ocrucigrama, eserevendo nahorizontalas designacdes adequadlas asdescricbesque se apresentam. Depols, descobre, na coluna vertical sombreada, o nome de um fisico. 1--Designacdo atribuida & oposicéo que qualquer corpo aferece alteracao da sua velocidade. oie a aborts SUAS 1 a[TIN[E|RIC|IIA tae tlc eam ee ae a a[rjelsiole[rla[wi tle ‘3 — Designacao atribuida a situacao de equilibrio de 3|E/S|T/AlT|I|C\o um corpo em repouso. 4|M/A|S|S|A 4 Grandezaisica cuja unidade SI qulograma. ie 5—Unidade Ide peso io 6 ~ Grandeza vetrial,coma mesmacirecao.esen- 5|N|E|W| TON tido da forgaresultante, que stu num corpo. s(alclettlelelalclao 7—Designacio atrbuida aceleraciodeum corpo a ‘quecalivremente paraa Tera. 7 8 — Valor da resultante das forcas que atuam num 7[e[Rfalv is rie la corpo emrepouso. 8|Z/E|R|O 9 ~ Designacdo atribuida situacao de equilbrio de 3 [p[T|N[a[m]t [clo uum corpo commovimentoretiineouniforme. : [_Isaae Newton T- MOVIMENTOS E FORCAS - Fi Parte B 1. Aresultante das forcas que atuam num corpo relaciona-se com a sua aceleracao. 141. Completa as frases que se seguem substituindo os ntimeros pelas designacdes corretas. Sempre quea resultante das forcas aplicadas num corponao é nula,a velocidade (1) _ varia eexiste(2) aceleragdo . 112. Seleciona a opcao correta para o grafico que representa os valores da resultante das forcas aplicadas num corpo e da aceleracao correspondente, F, 13 Consideraas situacbes A, B eC da figura. o-6mis Calcula: 13:1 paraa situagao A, o valor da resultante das forgas que atuam no corpo; m=30kg a=6 mis? Fy =mxa;Fy=30X6; Fy=180N 113.2 0 valor da aceleracao do movimento do corpo na situacso B; m=20kg F,=160N 1.3.3 amassa do corpona situacao C. F,=420N a= 10 mis? 420 10 Fy=mxa;420=mx10;m=—~;m=42kg 14 Calcula o valor da aceleraco do corpo que se mostrana figura. P eN anulam-se, por isso: Fp=F,-F 12-9; F_23N mxa 10 mis* 23 Pee erie 2. O mesmo corpo foi sujeito a duas forcas, uma de 10 N Gore eoutrade 6N, em situagbes diferentes, lel 2.1 Indica em qual das situagSes 0 valor da aceleracao do corpo é maior. Justifica, A aceleragdo é maior na situagéo Ml. A intensidade da resultante das forgas em I é de 10 - 6 = 4 N, porque tem sentidos opostos, em 116 de 10 + 6= 16 N, porque tém sentidos iguais, Quanto maior é a intensidade da resultante das forcas aplicadas num corpo, maior 0 valor da aceleracéo, 2.2 Indica, ustificando, qual ¢ 0 sentido da aceleragao do corpo em cada situacao. Em, 0 sentido da aceleragdo ¢ da direita para a esquerda, porque o sentido da resultante das duas Jorgas aplicadas no corpo é também da direita para a esquerda, que é o da forga mais intensa, Emil, sentido da aceleragao é da esquerda para a direita, porque esse é também o sentido da resultante das duas forgas aplicadas no corpo. 3. Observaatentamenteas figuras, que representam corpos emmovimento sujeltos forcas cuja resultante é constante em A eB, sendonula em C, nul sentido eieatif = movimento mono seo 3.1 Efetua todas as associacées corretas entre as colunas lel. a— Tem valor variavel 1 —Aceleracdodo movimento —__b— Tem valor constante positivo HL: | e-Ezero 2-Aceleracdo.domovimentoB 4 _ tem valor constantenegativo 3~Aceleracdo do movimento fem sentido igual ao da forca resultante fem sentido igual ao da velocidade i 3.2 Classifica cada um dos movimentos e justifica. ‘A~ Movimento retilineo uniformemente retardado, porque a resultante das forgas apli- ‘eadias no corpo é constante e tem sentido oposto ao do movimento. B~ Movimento retilineo uniformemente acelerado, porque a resultante das forgas apli- cadas no corpo é constante e tem o sentido do movimento. C- Movimento retilineo uniforme, porque a resultante das foreas aplicadas no corpo em movimento é nula. 4, Um corpo demassa 3 kg que parte do repouso aumenta uniformemente a sua velocidade, atin- gindo o valor de 10 m/s ao fim de 2,5 s de movimento numa trajetéria retllinea. 4.1 Indica o valor da velocidade inicial do corpo. v= 0 mis 4.2 Classifica o movimento do corpo. Movimento retilineo uniformemente acelerado. PENCE Seu) 4.3 Calcula a aceleraco do movimento do corpo. a=a, mist 4.4 Calcula a intensidade da resultante das forcas, responsavel pelo movimento do corpo. Fy=mxa Fy= 3x45 R= 12 . Omesmo conjunto de forcas fol aplicado em trés corpos com massas diferentes. 5.1 Completa a frase seguinte com a designacao correta. Quando a mesma resultante de forcas atua em corpos de massa sucessivamente maior, aaceleracdo €sucessivamente menor. 5.2 Indica os trés corpos da figura seguinte por ordem crescente da sua massa. Fe A O peso dos corpos éa forca com quea Terra os atrai: forca gravitica. 6.1 Num lugar da Terra onde aceleragao gravitica ¢ 9,8 m/s?, calcula: 6.1.10 peso de um corpo cujamassa ¢ 500 ¢]-[4]-B] P=mxg 300 g = 0,5 kg P=0,5X9,8;P=49N 6.1.2 a massa de um corpo como peso de 19,6 N. Pamxg 196, 19,6 = mx9,8;m=—Fe =2kg 62 Selecionaa afirmacao correta para corpos no mesmo lugar de Terra. ‘A —O valor da forca gravitica que atua nos corpos depende do seu volume. B — O valor da forca gravitica ¢ igual para todos os corpos. C—O valor da aceleracgo gravitica é tanto maior quanto maior for a massa dos corpos. X] D —O valor daaceleracao gravitica ¢ igual para todos os corpos. Observa a figura. Na esfera A atua um conjunto de forcas cuja re- Eas sultante ndo énula, A resultante das forcas que atuam em B énula, 7.1 Indica qual das duas estera: 7.1. pode ter movimento retilineo uniforme; Esfera B 7:12 podeestar em repouso. Esfera B O a 7.2 Dizonomee enuncia alei de Newton em que te baseaste pararesponderes 8 questo 7.1, Lei da inércia - qualquer corpo permanece no estado de repouso ou em movimento retilineo uniforme se 0 conjunto de forgas que atuam no corpo tem resultante nuta. 25 Pee CNet Pee 2.3 Forca, pressdo e a seguranca rodoviarl + Forcade colisdo + As colisbes ea seguranca dos passagelros * Pressio + Dispositivos de segurenca rodovidriae apresso Parte A 1. Observaa figurae o conjunto de vetores a seguir apresentados. Seleciona, no conjunto de vetores, os que representam: ~ alnteracdo entre o veiculo e a estrada; eF AeD ~ ainteragio entre o veiculo e aparede; e desenha-os na figura, dentro dos respetivos retangulos. \Veloulo que colide com uma parede. Vetoula Estrada Vetcuto 2. Completa o diagrama escrevendo nos espacos as designacées corretas. oon i sgrandeza isica culo valor se escalar ealeula. cujaunidade iS pelo ms quociente ¥ intensidade da forea ‘rea onde se exerce __ 26 Pee OLN Secures Parte B 1. O valor da forca exercida sobre um veiculo durante uma coliséo depende da massa e da veloci- dade do veiculo e do tempo da colisio. 14. Seleciona a opcao que completa corretamente a frase seguinte. O valor da forca de coliséo exercida sobre o veiculo é tanto menor... ()a--.. quanto maior for 0 tempo da colisao e amassa do veiculo. {] 8 —...quanto menor for a velocidade do veiculo ¢ 0 tempo da colisao. C—... quanto menor for a massa do veiculo e 0 tempo da colisao. [3] D—... quanto menor for a velocidade do veiculo e maior o tempo de colisao. 12 Um veiculo de 940 kg colidiu com um obstaculo durante 0,2:s & velocidade de 72 km/h. . 1.2.1 Calcula o valor da forca de coliso exercida sobre o veiculo. 72 kmh = 20 mis F,= 940% # : ; Reem F,= 94 000N 1.2.2 Relacionao valor da forca de coliséo sobre o obstaculo com o obtido em1.2.1. Justifica atua resposta. Os valores sao iguais porque as forgas exercidas no veiculo e no obstdicuto formam um par acdo-reagao. 2. Duas esferas, x e y, de massas 500 g e200 g respetivamente, que se movem numa calha como mostra figura, colidem frontalmente. st y Movimento” “Movimento dex dey 2.1 Seleciona a op¢ao correta para as intensidades das forcas que resultam da interagdo entre, as duas esferas durante a colisao. (A Aintensidade da forca que atuana esfera x é maior. B — Aintensidade da forca que atua na esfera y é menor. [3] ¢ — As forcas que atuam nas duas esferas tem igual intensidade. D — Aintensidade da forca que atuana esfera y émaior. 22 Caracteriza pela direcao, sentido e ponto de aplicaco a forca de coliso exercida em cada esfera, Em x:forea com ditegdo horizontal, sentido da direita para a esquerda e ponto de aplicacéio na esfera.x. Em y:Jorea com direpdo horizontal, sentido da esquerda para a direita e ponto de aplicagdo naesfera y. 27 28 3. Quando numa viagem se faz uma travagem brusca atua no veiculo uma forca com sentido oposto 20 do movimento, forca de travagem. Os ocupantes do veiculo so sempre projetados para a frente. 3.1 Seleciona a opcao correta para a forca de travagem. [-] A— Atua sobre o veiculo e sobre os ocupantes. B—Nao atua sobre os ocupantes do veiculo. (J c~Atua sobre o veiculo e sobre toda a bagagem. (_] D-E tanto mais intensa quanto menos bagagem for transportada. 3.2 Explica por que motivo numa travagem os ocupantes so projetados paraa frente, Antes da travagem, a velocidade dos ocupantes € igual d do veiculo. A forga de travagem origina no veiculo uma aceleragdo negativa e a sua velocidade diminui. Mas, como aforca de travagem nao atua sobre os ocupantes, a sua velocidade néo é reduzida, Assim, a velocidade dos ocupantes passa.a ser maior do que a do veiculo, adiantando-se em relacdo a ele, 3.3 Indica o nome e enuncia allel da dinamica em que te baseaste para explicar a projecio dos ocupantes paraa frente. 1é lei de Newton ou lei da inéreia. Se nenhuma Jorea atua sobre um corpo ou se atua um conjunto de foreas cuja resultante é nula, a sua velocidade néo varia. 4, Cintos de seguranca e apoios de cabeca sao dispositivos de seguranca dos ocupantes de veiculos. 4,1 Efetua as associacdes corretas entre as colunas |e. 1— Sao importantes quando ha choque na traseira dos veiculos 2 Exercem nos passagelros uma forca cujo sentido é da frente A~Cintos de seguranca paratras B— Apolos de cabeca 3 Emcornos passages ura foreeafo snttn ede tras para afrente 320 importantes em todas as situacdes de travagem brusca 42 Indica o nome do dispositivo de seguranca que impede a projecdo dos ocupantes e explica de que modo atua. Cintos de seguranca. Este dispositivo prende os ocupantes ao veiculo e exerce neles uma forea que contraria 0 seu movimento para a frente porque reduz a velocidade dos ocupantes numa coliséo, 4.3 Apresenta uma explicacao para o seguinte facto, ‘Numa colisio, 0 valor da forca que os cintos de seguranca exercem sobre os ocupantes do ‘veiculo é inferior ao valor da forca que neles seria exercida se, sem cinto de seguranca, ba- tessem em qualquer parte do veiculo. 0 facto de serem feitos de um material mole e deformdvel aumenta. 0 intervalo de tempo necessério para.a.velocidade dos ocupantes se anular, o que reduz a aceleracéo e, consequen- temente.o valor da forga de acordo com a expressdo da 2 lei de Newton: F= mx-Se fa. PeaNut cel icha 7 5. Apressao é uma grandeza fisica que se relaciona com a intensidade da forca e com a area em que se exerce. 5:1 Completa frase substituindo os numeros pelas designacdes corretas. ‘A pressso 6 maior quando a intensidade da forca (1) aumenta ea area da superficie em que seexerce(2) diminui . 5.2 Na coliséo de um veiculo com um obstaculo, 0 cinto de seguranca exerceu num passageiro a forca de 25 O00 N, sendo a sua area de contacto com o passageiro de 360 cr’, 5.2.1 Calculaa pressao resultante da forca exercida pelo cinto, 360 cm? = 0,0360 m* p= 694 444 Pa, ou seja, ~ 7x 10° Pa 5.2.2 Explica 0 que aconteceria ao valor da pressio exercida pelo cinto no passagelro se 0 valor da velocidade do veiculo no momento da colisdo fosse menor, Se a vetocidade do veiculo no momento da colisdo fosse menor, a velocidade do passa- geiro seria também menor, « forca exercida peto cinto de seguranga teria menor inten- sidade e a pressdo seria menor, 5.2.3 Indica o que aconteceria ao valor da pressio se o cinto de seguranca estivesse mal posto, tendo uma dobra que diminuisse a area de contacto como passageiro, Se a drea de contacto fosse menor, a pressdo seria maior, 5.3 lustifica os seguintes factos, _ ‘A—Os pregos so pontiagudos. RT BE facil destizar na neve de esquis, NK C—E dificil andar na areia de saltos altos, A~A pequena drea de contacto do prego com a madeira aumenta o efeito da forca que exerce na superficie de contacto ao ser batido pelo martelo: a pressdo é grande, B-A grande superficie de contacto do esqui com a neve permite que a mesma force, exercida ‘pela pessoa (de valor igual ao peso), sefa distribulda por uma drea maior produzindo um efeito menor: a pressdo é pequena. C-A menor superficie de contacto do sapato de salto alto com a areia.faz com que a mesma forea exercida peta pessoa na areia seja distribufda por uma drea menor, produsindo um efeito. maior: a pressdo é grande, 6. Explica de que modo a protecio devido ao uso do cinto de seguranca, ao airbag e ao uso do capacete também se basela no conceito de pressao. uma colisdo, a forea exercida nos ocupantes pelo interior do veiculo é distribuida por uma drea maior quando se usa cinto de seguranca, ou ainda maior se existe airbag. Por isso, 0 efelto da forea de colisdo sobre o passageiro é muito reduzido, Na colisdo de um motocictista com o pavimento ou uma parede, a drea de contacto com o capacete é maior do que com a eabeca. O efeito da forea de colistio ¢, por isso, menor. 29 Perea Neel Deed 2.4 Forcas de atrito e d cladoar * Como éaforcade atrito + De que depende a intensidace da forca de atrito + Apllcagbes praticas do atrito » Forca de resistencia doar * Aplicagdes praticas da forca deresisténcia Parte A 1. Completa os diagramas | ell escrevendo nos espacos as designacbes corretas. |. Reais 0, PRRet een EX svn depende do depende da a : valor da fo texercida pel corpo fa suparicte que €igualaodo peso socorpo, tipo de superficies | [BJ forma do corpo velocidade em contacto do corpo 2. Observaas situacdes A aH e preenche os quadros, $66 possivel folhear Para ser mais facil Na queda paraosolo Paraaumentaro umivro seo dedo nao fechar os portoes usa-separequedaspara_ —_comprimento do salto ‘deslizar na flha, oleiam-seasdobradices. —recuziravelocdade, -—_asesquiadores dobramse paraafrente. Perapatinarno Paraconsequirmosendar Os carras decor Um fésforoséacende solo usam-sepatins as oles os sepatos ‘tem formas me ‘aommovimentar-senuma ‘com rlamentos. ever serrugosas. ponteagudas para ‘supericierugosa como aumentar avelocidade, ‘adeuma lina. Cher Oatrito ¢ prejudicial BE fee Tc DC 30 Parte B 1. Oatrito de deslizamento surge nas superficies de contacto entre um corpo que se move ou tenta mover-se e aquele em relaco 2o qual se move ou tentamover. 11 Completa as frases substituindo os numeros pelas designagées corretas. ‘A—Oaparecimento da(1) fora deatrito estarelacionado com 0 (2) movimento ou atentativa de(3) movimento de um corpo em relagao a outro. —Oseu(4) sentido ¢da esquerda para a direita se o corpo se move da(5) _direita paraa(6) esquerda . 112 Justifica os seguintes factos com base no que aprendeste sobre o atrito. ‘A—Emais dificliniciar 0 deslizamento de um fardo do que continuar a fazé-lo deslizar. B —E mals facil fazer desiizar um mével num pavimento de madeira encerada do que se o pavimento for de cimento, A= 0 valor da forga de atrito é maior antes de o deslizamento se iniciar do que durante 0 destizamento, sendo necessdrio antes do destizamento exercer no fardo uma. forga de maior valor para a contrariar. B-A superficie de madeira encerada é mats potida do que a de cimento, por isso 0 valor da ‘orga de atrito é menor na madeira encerada e o movimento é facilitado. 2. A figura mostra um corpo que sobe uma rampa por aco da forca representada. 2:1 Relaciona, para esta situacao, a direcao e o sentido da forca de atrito coma direcdoeo sen tido do movimento. A diregéo de F, e do movimento é igual: reta AB. Sentido de F, é de B para A, oposto ao do movimento, que é de A para B. 2.2 Considera os vetores |, I. llle IV e seleciona, para esta situaco, o que pode representar: 221aforcadeatrito; Il 222opesodocorpo. I o— o| o- o- 2.3 Na frase que se segue seleciona, das opgdes destacadas, a correta, Para facilitar 0 deslizamento de um corpo em relacdoa outro deve-se aumentar/diminuira rugosidade das superficies de contacto, o que se pode conseguir colocando leo/areiaentre esas superficies. a1 3. Classifica cada uma das afirmagdes que se seguem em verdadeira ou falsa. Justifica. 'V] A~A intensidade da forca de atrito que existe durante omovi- mento de um camiso muito carregado ¢ maior do que se 0 camiéo no trensportar carga. B—Aintensidade da forca de atrito que existe durante o movi- mento de uma bicicleta na mesma pista diminul quando a sua velocidade ¢ maior. V] C—Aintensidade da forca de atrito ¢ igual quando fazemos des~ lizar trés blocos empilhados ou quando estao distribuidos emfila. ‘A 0 valor do peso do camido carregado é maior, a aderéncia do solo é por isso maior e 0 valor da forea de atrito aumenta, B~A intensidade da forca de atrito é igual pois néo depende da velocidade do corpo, CA forea de atrito no depende da drea da superficie de contacto entre os blocas € o chéo, 4. Duranteo movimento deum automévelexistem, [~ Sento dormavimento ical além de outras forcas, forca de atrito e forca de de Siperiiesobre resisténcia doar. Forcaque prodsz ‘omen 4.1 Relaciona os sentidos da forca de atrito e da forca de resisténcia do ar. ‘As duas forgas tém sentidos iguais: opdem-se Peso do corpo Forgade trite Foreade esisténcia ao movimento, doar 4.2 Representa a partir do centro de massa todas as forcas que atuam no automével da figura eidentifica-as. 4.3 Justifica a seguinte afirmacao verdadeira. Paraamesma velocidade, a forga de resisténcia do ar é menor na situacdo da figura do que quando o automével anda de marcha atras. ‘A forma da frente do automével, convexa e pontiaguda, é mais aerodinémica do que a forma da traseira, que é mais alta e céncava, 5. Observaa figura, que representa a queda de um paraquedista, 5. Indica, justificando, em qual das situacdes, A ouB: 5.11 émalor a velocidade do paraquedista; B, porque o movimento de queda livre dos corpos é acelerado, 5.1.2 émalor a forca de resistencia do ar. B, porque a velocidade em B é maior do que em A. 5.2 Explica o que acontece a forca de resistencia do ar quando o paraquedas abre. 0 valor da forea de resisténcia do ar aumenta muito, porque a superficie do paraquedas é muito grande e tem forma céncava. Poaceae} fies Seer 3.1 Energia cinética e potencial 3,2 Transformacao e transferéncia de energia ‘+ Energia cinética de um corpo + Energia deum corpo em queda sem resisténcia do ar ‘Energia potencial de um corpo + Energia de um corpo lancado verticalmente para cima ‘ Energia potencial graviticade um corpo * Trabalho: transferéndia de energla + Designacoes atrbuidas a energia + Forcas quenao realizam trabalho Parte A 1. Completa corretamente o diagrama que se segue. ‘grandezafisica é de dos tipos i Y fundamentals E_ eccatar nee cujaunidade Sié i erersia cinética Pi ereria potenciat ! I J queesta joule ‘ simbolo FE arnasenaaa T eéassociada a Y ee 2. Completa o quadro escrevendo nos retangulos dos esquemas o tipo de energia, cin potencial, para cada transformacéo. - la ames i ees war | Bf energia potenciat] S22, BY energia cinética OP seen ee Quer develo, | enersia ciation] UES, Ey energie potencal] Moa ser mola a ehergiapotenclal pete carga cnion | EO, BY ener 3. Escreve nos quadrados a letra correspondente a legenda ‘adequada as duas posic6es do skater. ‘A Maior energia potencial gravitica. B—Maior energia cinética. ‘C—Menor energia potencial gravitica, D—Menor energlacinética. 33 Pine e ne eet cece) ParteB 4. Osrelégios de corda ja foram muito utilizados. Estes relégios tém uma mola que fica totalmente enrolada depois de se hes dar corda, Classifica em cinética ou potencial a energia: 11 associada a mola enrolada; Energia potencial. 12 associada aos ponteiros do relogio em funcionamento. Energia cinética, 2. A figura mostra uma mola em hélice comprimida que, quando se descomprime, faz mover o carrinho 20 longo da calha com velocidade sucessivamente menor, 2.1 Classifica afirmacao seguinte em verdadeira ou falsa e justifica, ‘Amola comprimida possullenergia cinética. A afirmagéo é falsa porque a mola comprimida est em repouso, a velocidade é nula e a cenergia cinética é nula, 2.2 Justifica a seguinte afirmacao verdadeira. A energia potencial gravitica do carrinho ¢ maior quando atinge o topo da calha do que ‘quando inicia a subida, A energia potencial gravitica é maior no topo da calha porque a altura a que 0 carrinho se encontra é maior. 2.3 Considera que a energia cinética do carrinho noinstante em que se inicia a subida da rampa ergs. Nas questées que se seguem seleciona a opcao que completa corretamente a respetiva frase. 2.3.1 A energia cinética de um carrinho com 0 dobro da massa que iniclasse a subida com igual velocidade seria... a-..iguat x] C—..2 vezes maior. ()B-..2vezesmenor. D—..4vezes maior. 2.3.2A energia cinética do mesmo carrinho, se iniciasse a subida da rampa com 0 dabro da velocidade, seria. Da-..o94 Oc-..0,451, (Js-..361. [x] p- 7,21. 3, Trés corredores movem-se numa pista retilinea com velocidade constante, como mostra a fens 6okg S0kg6kg 3.1 Indica qual dos corredores tem maior energia cinetica "5 am aie durante a corrida. Justifica, J 0 Miguel, pois é 0 que tem maior velocidade e maior massa. a 3.2 Calculaa energia cinética do Anténio durante acorrida. “Anténio Augusto Miguel Peers ceaens 4. Um automével de 1,1 toneladas que estava parado efetuou um percurso numa estrada plana e horizontal em linha reta, com a aceleragio constante de 1m/s?, durante 30s. 41 Seleciona a afirmacao verdadeira para este automovel. (_JA-~ Aenergia cinética é constante durante o percurso. oo: [3] B — A energia cinética é maior no fim do percurso. C— Aenergia potencial gravitica é maior no fim do percurso. D—Aenergia cinética e a energia potencial gravitica ndo varlam durante o percurso. 4.2 Calculao valor da velocidade do automévelno fim dos 30s. a=a, 1220; y=50mis 4.3 Seleciona a opcao correta para a energla cinética do automével ao fim dos 30s. A-495) B-16500) [X]c-495000) [| p—990000) 5. Os graficos A e B referem-se a um corpo que sobe uma rampa com movimento uniforme. Indica, justificando, qual dos graficos corresponde @ ener— gia cinética e qual pode corresponder a energiapotencial gravitica do corpo. oO a A-Corresponde & energia cinética. Como o movimento é uniforme, o vator da velocidade é cons- tante e a energia cinética tem sempre 0 mesmo vator. B ~ Corresponde @t energia potencial gravitica. Como 0 corpo sobe, a altura é sucessivamente maior e @ energia potencial gravitica aumenta, ~ 6, Observa as situacées A e B da figura, nas quals um tipo de energia se converte noutro tipo de energia. Considera-se desprezavel a resisténcia do ar. 61 Sabendo que em A a bola inicia a queda a partir do re- pouso e que @ sua energia potenclal gravitica é de 300 J, responde as questdes seguintes. 6.11 Selecionaa opcao que contém, respetivamente, os valores da energia cinetica e mecanica da bola no inicio da quede. [_) a-3004;300) -3004;0) B-1504;150) >] p-04,300) 6.1.2 Justifica a seguinte afirmacao correta, valor da energia cinética da bola imediatamente antes de tocar no solo é 300 J. Se nao hd resisténcia do ar e se 0 solo é a superficie de referéncia, toda a energia potencial gravitica se transforma em energia cinética, pelo que, imediatamente antes vator da energia cinética é igual ao da energia potencial gravitica de chegar ao solo, 0 no inicio da queda, 35 36 6.2 Representa esquematicamente a transformacao de energia que ocorre na situacao B. { Bnergia cinética Bola | Energia potenciat grantica | 6.3 Comparaos valores da energia potencial gravitacional da mesma bola ao nivel da janela nas situagbes Ae B.Justifica, A energia potencial gravitica ¢ igual nas duas situagdes porque a bola é a mesma, logo a massa é a mesma, o local é 0 mesmo. Deste modo, a aceterapdo gravitica tem o mesmo valor e a altura éa mesma. ‘Quando se atira uma bola ao ar, amao exerce uma forca na bola que se encon- trava em repouso e ela move-se. Supe que a energiarecebida pela bola enquanto atuoua forcaF exercida pela mao foide 20J. = 7/1 Na frase que se segue seleciona, das opcdes destacadas, as que permitem obter uma afir~ macao verdadeira Amao transformou/transferiu energia da/para a bola através do trabalho/da presséo da forca F. 7.2 Nesta situacao houve realizacao de trabalho. 7.2.1 Seleciona a opco correta para o significado de trabalho em fisica. A~—Eaenergia de um corpo em movimento, B-Eaenergia armazenada num corpo. [X] C—Ea variacao de energia de um corpo devido a atuacao de forcas. _| D—Ea variagao de energia de um corpo devido a diferenca de temperatura. 7.2.2 Explica porque se pode afirmar que nesta situacao a forca exercida pela mao realizou o trabalho de 204. Se a bola recebeu a energia de 20 J, a sua energia aumentou 20 J devido 4 atuagéo da Jorca. O aumento de energia da bola é igual ao trabalho da forea. Nas condicdes da figura nao existe forca de atrito e o trabalho da forca exercida pelo rapazno carrinho, durante um percurso retilineo de 10 m, foi de 500 J. 8.1 Para este percurso do carrinho selecionaa opcao correta, (1) A—Aenergiado carrinho nao variou. [X] B—A energia do carrinho aumentou 500 J. C—Aenergia do carrinho diminuilt 500 J. D—A energia do rapaz diminuiu 250 Je a energia do BBY carrinho aumentou 250. ashen 8.2 Supoe agora que existia forca de atrito. 8.2.1 Relaciona o sentido da forca de atrito como da forca F. 0 sentido é oposto. 8.2.2Seleciona a opcaio correta para os valores do trabalho da forca exercida pelo rapaz eda forca de atrito, se a forca de atrito fosse muito intensa e o carrinho néo se movesse. BJa-o40) [Je-04500) []e-o4250) — [_}p-250. peas a ees age) 0 Forgas e fluidos 4.1 Impulsao * Oqueéaimpulsao * Leide Arquimedes * Aplicacdes dalei de Arquimedes * Corpos que flutuam na agua e corpos que vdo a0 fundo * Dequedependea impulsao Parte A 1. Fazalegenda da figura usando a chave: esis] 2. Comeca por completar a frase que se segue de modo a constituir um enunciado da lei de ‘Arquimedes. Depois procura encontrar na sopa de letras as nove palavras que faltavamino enun- ciado da lei de Arquimedes. ss OLAS] FEL NMP] OTR] TALL] Qualquer [corpo] merguhado num[ fluido | [eT erere]s[wfalo| Tela] s] A) recebedaparte deste uma[ impulsdo|[ vertical \de [S|0|P A) Q| ale] |=) cli] 0) e balxo para[ cima |, de| valor | igual ao do The} etn] BS CB OU Raa | t[wfele| fof e| 1 [t} el ol ta ‘peso | do! volume | de fluido[ desfocado niolalo/o/rix/s/oli|plalr oft] tc ol F| Plol zim) cl H) a @/uR)elopR]Ppo| ufe| «pale T[Mp tlw) alt}r| [Molt] re PhE|S}O|F| *[a}olofe| «| xu a €/a/u] [cla] z[Plels|o]ol1 0} v|o)5/es|e}o|c| alo] oo s[a[ole Plo] s|c| fol c| alo 3. Amesma esfera foi colocada em liquidos diferentes com as seguintes massas volimicas: Agua—p=1g/cm*azeite— p=0,9 g/cm glicerina— p=1,3 g/cm*alcooletilico ~ p= 0,78 g/cm. (eH acim __é © Aeootetiico] PE azeite Glicerina 3.1 Escreve os nimeros das figuras por ordem crescente da impulsao que os liquidos exercem naesfera. 3.2 Escreve em cada retangulo 0 nome do liquide respetivo. 37 Pee ees ee 38 2. Umbiloco com 500 g de massa que se encontrava suspenso de Parte B 1. Umcorpoque ¢ introduzido num liquido pode ir ao fundo, manter-se em equilibriono interior do liquid ou subir até ficar a flutuar. 11 Indica que forcas atuam num corpo que é colocado no interior de um liquido e caracteriza~ -as pela direcdo e pelo sentido, Peso do corpo - diregdo vertical e sentido de cima para baixo. Impulsdo - diregdo vertical e sentido de baixo para cima, 12 Caracteriza pela direcdo e sentido a resultante das forcas que atuam num corpo que fol in- ‘troduzido num liquid: 1.2.1 quando 0 corpo vai ao fundo: A resultante tem direedo vertical e sentido de cima para baixo, 122quando o corpo sobe ats ficar a flutuar. A resultante tem direedo vertical e sentido de baixo para cima, 13 Caracteriza a resultante das forgas que atuam num corpo que flutua num liquido. A resultante das forgas é nula. 4 Classifica as afirmacdes seguintes em verdadelras ou falsas. Corrige as falsas. F] A—Se um corpo esta em equilbrio no interior de um liquido, 0 valor da impulsio é su- perior a0 do seu peso. 'V] B—Seum corpo esta flutuar a superficie de um liquid, 0 valor da impulsdo é igual ao do seu peso. F] C—Seum corpo colocad no interior de um liquido vat ao fundo é porque o valor da im= pulsdo é igual ao do seu peso. [V7] D—Seum corpo colocado no interior de um liquido se desloca para cima é porque o valor da impulsao ¢ superior ao do seu peso, ‘A~ Se um corpo est em equitibrio no interior de um tiquido, 0 valor da impulsao ¢ igual ao do seu peso, C= Se um corpo colocado no interior de um liquido vai ao fundo € porque 0 valor da impulsdo é inferior ao do seu peso. um dinamémetro fol mergulhade num liquido, como mostra a figura. Considera g=10m/s?, 21 Calcula o valor lido no dinamémetro antes de se introduzit obloco na agua e indica a que grandeza corresponde. P=mxg P=0,500x 10 P=5,0N Este valor corresponde ao peso do bloco. 2.2 Calcula o valor da impulsaio que o liquide exerce no bloco. I=P-P, 1250-35 [=15N 2.3 Representa, a partir de um mesmo ponto e na mesma escala, os vetores cor- respondentes a impulsdo, a0 peso do corpo e & resultante destas duas forcas. 2.4 Supde que no mesmo dinamémetro se suspendeu um corpo com o dobro da ‘massa e volume igual ao do bloco inicial. Este corpo fol depois colocado dentro domesmo liquido. Seleciona a opcao que contém, respetivamente, os valores da impulsao e do peso aparente deste corpo. (a-15:7,0N C-3,0N;7,0N X] B-15N:8,5N D-30N:15N . Um corpo de peso 8 N foi colocado em agua e ficou a flutuar, como mostra a figura (considera g= 10 m/S?€ Pjgu= 0 g/cm"). 3.1 Justifica a seguinte afirmacao verdadeira, © valor da impuisaio exercida no corpo, nas condicées da figura, ¢ tam- bemsn. ‘Quando um compo flutua, « resultante das foreas que nele atuam, que sdio o peso e a impulsdo, é nuila. Por isso 0 peso do corpo e a impulstio tém o mesmo valor, 3.2 Calcula o volume da parte imersa do corpo. ‘O volume da parte imersa é igual ao volume de égua deslocada pelo corpo. O peso do volume de dgua deslocada tem o mesmo valor que a impulsao. Prgua = Misia X95 = Megan X 10; Magan = 0,8 kg = 800.9 Migua = Vigua X Piguss «800 = Vega X 1; Vgua = 800 cm? parte meee = 800 cm? Observaa figura. Em|,0 corpo C, suspenso de um dinamémetro, encontra-se no ar. Em Il,o corpo C, suspenso do mesmo dinamémetro, encontra-se totalmente mergulhado em agua. O volume do corpo C 620 cm? (considera Pigye=18/er eg =9,8m/s"). en TON oO Agua (ee | tow [2 i. ‘4A Efetua todas as associacies corretas entre as colunas lel. ‘A—Peso aparente do corpo —Impulséo C—Peso do corpo D—Peso da aguarecolhidaemT 3-4N 39 Peete ee 4.2 Calcula o volume da agua recolhidano recipiente T em Il. m=Vxp 400 = 400 om? 5, Observa atentamente a figura ao lado. Os corpos x e y sdo feitos de materiais diferentes, mas apresentama mesma massa. O liquide que est nos gobelés ¢ dgua, 5.1 Indica o que mede o dinamémetro na situacao lena situacao ll Em Imede o peso do corpo x; em I mede 0 peso aparente do corpo x, na agua. 5.2 Calcula 0 valor da impulsao que a agua exerce no corpo x, I= -P, 1220-15 125N 5.3 Explica por que motivo o corpo x nao se encontraa flutuar na égua. O corpo x ndo flutua na dgua porque o valor da impulsdo, I, é inferior ao valor do peso, sendo a resultante das duas foreas,.,, uma forea com sentido descendente, 5.4 Justifica a seguinte afirmacao verdadeira, Quando ocorpo y écolocado no mesmo dinamémetro, no ar, 0 valor queele indica é também 20N. Se os dois corpos tém a mesma massa e estdo colocados no mesmo tugar da Terra, tém também o mesmo peso. 55.5 Seleciona o unico valor que pode ser lido no dinamémetro, na situacSo I Lja-5N [X]B-8Nn c-18N D-ON 5.6 Explica porque nao sao possiveis as restantes opcies consideradas em 5.5. © valor tido no dinamémetro néo pode ser igual ou superior a 15 N uma vez que, sendo o volume do corpo y maior, 0 valor da impulsdo é maior e 0 do peso aparente € menor. 0 valor néo pode ser nulo porque, de acordo com a figura, o corpo néo flutua na dgua, 40 pierre acoso ree Cy ‘A Corrente elétrica: o que ¢ e como se utiliza * Eletricidade eo ciaacia © Oqueéacorrenteeletrica ‘= Bons e maus condutores elétricos = Oqueéum circuito elétrico ‘= Como instalar circuitos elétricos simples * Sentidas real e convencional da corrente elétrica = Como se esquematiza um circuito elétrico Parte A 1. Completa corretamente o quadro. aeueaed ieee ed cod red Pitha 4 FB | Fornece energia elétrica Bateria Fornece energia elétrica ee Fornece energia elétrica | ® Caixa © de alimentagao Transforma energia Lampada <&- létrica em energia luminosa Transforma energia Resisténcia AW létrica em energia térmica cet) Transforma energia Motor (M)- elétrica em energia cinética Ligam os varios ccomponentes de um circuito Fios de tigagao —_ ro Ligam e destigam Interruptores ; Y 1s recetores elétricos 2. Escreve nos espacos as designacées corretas selecionadas entre: SS ES ss Os fios de ligacao sao constituidos interiormente por material[ bom condutorelétrico,geralmente| _cobre }envolvidopormateriall mau condutor elétrico, normalmente| plastica |, a Parte B 1. Acorrente elétrica é um movimento de cargas elétricas nos materiais bons condutores. 111 Seleciona a opgao que completa corretamentea frase de cada uma das seguintes questées. 1.1 A corrente elétrica num fio de cobre ¢. A—... um movimento orientado de i6es cobre ao longo do fio, B — ...um movimento dos eletrdes dos atomos nos mais variados sentidos. C—... um movimento orientado de atomos de cobre. | D—..um movimento orientado de eletrées de conducao. 11.2Numa solugo aquosa de cloreto de potassio a corrente elétrica um movimento orientado de ides K* e Cé em sentidos contrarios. X]A-. B—...um movimento orientado de ides K* e C¢-no mesmo sentido. C-—... um movimento orientado de ides Cé-. D—...um movimento orientado de eletrées. 112 Completa a frase que se segue substituindo os ntimeros pelas designacées corretas. Bons condutores elétricos so todos osmateriais que possuem(1) eletrdes ou(2) ides com(3) grande mobilidade. 13 Um cristal sélido de cloreto de sédio néo conduz a corrente elétrica, mas uma solucao de cloreto de sédio ¢ boa condutora da corrente elétrica. Cristal de cloreto Solueao aquose de desédio cloreto desédio Selecionaa opcao que explica corretamente por que motivo isto acontece. "| A=No cloreto de sédio nao ha ides positivos e negativos. B —Haibes positivos enegativos no cloreto de sédio solide ena solucao aquosa de cloreto de sédio. C—S6 existem ides positivos e negativos na solucao aquosa de cloreto de sodio. D~Sé na solugao aquosa de cloreto de sédio os Ides positivos e negativos tem ‘grande mobilidade. a2 2. Considera os dispositivos elétricos.a seguir esquematizados. Ho oo o@- 8 2.1 Indica qual dos dispositivos é essencial para haver corrente elétrica em qualquer circuito. B- gerador 2.2 Seleciona os dispositivos necessarios para construlres o cir- cuito mats simples que permita acender e apagar uma lampada. Esquematiza esse citculto, 2.3 Indica, justificando, se no circuito esquematizado a lampada est acesa ou apagadia, Neste caso a lémpada est apagada, porque o interruptor estd aberto, 3. Observaatentamente os circuitos elétricos da figura. 4 Bite senaose rotor co ‘nator 3.1 Nos circultos elétricos fechados ocorre movimento orientadio de eletroeslivres quese des- locam poucos milimetros por segundo. 3.11 Indica, Justificando, qual das setas, 1 ou 2, do circuito I, se refere ao sentido do movi- mento dos eletroes, Seta 2, pois 0 sentido do movimento dos eletries no circuito é do terminal negativo da pilha para o terminal positivo, 3:12 Indica que designacdo se atribul ao sentido do movimento dos eletroes, Sentido real da corrente elétrica, 3.2 Descreve o que se observaria de diferente no circuito I se as ligacdes aos terminais da pliha fossem trocadas. 0 motor rodaria em sentido contrério, porque o sentido da corrente elétrica passaria a ser contrério, 3.3 Esquematiza o circulto elétrico |e desenha uma seta que indi- que o sentido convencional da corrente elétrica. 3.4 Explica por que motivo 0 motor no funciona no circuito I. (0 motor nao funciona porque no estd convenientemente insta- lado no circuito; apenas um dos terminais do motor esta ligado, 43 Peasant eer eter Cus 11.2 Grandezas fisicas: tensao elétrica e corrente elétrica * Tensio clétrica entre dols pontos de um circuito * Pita de Volta — primero geracior eletroquimico * Medico da tensio eletrica— voltimetros * Grandeza fisica corrente elétrica * Medicao da corrente elétrica— amperimetros Parte A 1. Completa os diagramas escrevendo nos espacos as designacées corretas. Frais kos en euaaeae grandeza fisica valor grandezafisica valor y | y y Dear) Bre oer] Gpmce representa-se por com representa-se por NV. y y Ge EE vottinetros Go: [il rperinetros aunidade sié simbolo aunidadeSté simbolo Y y y Volt & -O ampere a> simbolo ‘queseinstalam simbolo quese nstalam ¥ Y Ey er paraicto HL: E_emsare 44 Parte B 1L_ Para que haja corrente elétrica num circulto é necessario criar uma tensdo elétrica. 11 Indica o nome do dispositivo que cria tensao nos circuitos elétricos. Gerador, 1.2 Explica o significado de tensao entre os terminais de uma lampada num circuito elétrico. A tensdo entre os dois terminais de uma lampada relaciona-se com o trabalho da jorga que desloca a unidade de carga elétrica do terminal negativo da ampada para. terminal positivo. 1.3 Numcirculto elétrico substitulu-se a pilha de 4,5V por outra de1,5V. 13:1 Indica a que grandeza fisica se referem os valores referidos. Tensdo da pitha. 1.3.2 Classifica a afirmacao seguinte em verdadeira ou falsa e justifica. As duas pilhas fornecem a mesma energia as cargas elétricas do circuito. ~ A afirmagéo 6 falsa. A pilha de 4,5 V fornece mais energia, pois quanto maior éa tensdo de uma pitha mais energia fornece & unidadle de carga que atravessa o circuito. 2. As pilhas sao geradores elétricos muito utilizados. Tem na sua constituicao, essencialmente, dois condutores sélidos embebidos numa solugao condutora. 2.1 Indica como se designam os dois condutores sélidos e a soluc3o condutora de uma pilha. Os condutores chamam-se elétrodos, um positivo € outro negativo; a solugdo chama-se eletr6lito. 2.2 Explica o que acontece no interior das pilhas, entre as barras condutoras e a solucao. No interior das pithas ocorrem rea¢ées quimicas especificas que fazem com que uma das barras fique com excesso de eletrées - elétrodo negativo, e a outra com deficiéncia de eletrdes — elétrodo positive. 2.3 Classifica cada uma das afirmacGes seguintes em verdadelra ou falsa. F] A-Nointerior das pilhas ocorrem reacdes quimicas especificas mesmo quando nao se encontram instaladas em qualquer circuito, r~ ‘V |B — As pilhas provocam o movimento orientado de cargas elétricas nos circuitos ele- tricos. [F ] C—No interior das pilhas nao hd qualquer movimento de cargas elétricas. V | D—As pilhas chamam-se geradores eletroquimicos. 3. Exprime na unidade Sk: A-24kV B-0823kV C-200mV_ D700 mv A~2400¥; B~ 823 ¥; C-0,2V)D-L7V 4, Pretende-se medir a tensao entre os terminals da lampada do circulto da figura. 4.1 Faz 0 esquema deste circuito, acrescentando-the o vol- timetro que permite medi a tensao entre os terminals da lampada. | aaa Le 45 4.2 A figura mostra a escala do voltimetro utilizado. 4.2.1 Indica o valor da tenso entre os terminais da lmpada. ” Menor divisdo =0,05V U=1,45V 4.2.2 Justifica a seguinte afirmacao verdadeira, - Este voltimetro nao pode ser utiizado para medir uma tensdo de 3,2V. O valor méximo de tensdo que este voltimetro pode medir é 2 V - alcance do voltimetro. 5. Uma fonte de tensao origina num circuito elétrico corrente elétrica com um determinado valor. 5.1 Completa frase seguinte substituindo os nimeros pelas designacdes corretas. O valor da corrente elétricanum circuitorelaciona-secomo(1) ntimero de(2) eletries que atravessauma(3) seco reta deum condutor do circuito por unidadede(4) tempo 5.2 Observa atentamente a figura. 5.2.1 Seleciona a unica situacao em que o amperimetro esté corretamente instalado para medir o valor da corrente eletricanno circulto depois de se fechar o interruptor. ~ Situagdo MI. 5.2.2 Indica por que motivo as outras instalagBes nao esto corretas. Eme lV o amperimetro esté instalado em paratelo e a sua instalapao correta é em série Em Il 0s terminais positivos ¢ negativos do ampertmetro ndo estdo tigados, respetiva- mente, aes polos positivo ¢ negative da pilha, 5.2.3 Representa esquematicamente o circuito da figura com 0 amperimetro na posicso. correta, Peay 46 piel sos tu Cre Cee icy '* Associacdo de lsmpadas em serie * Associagio de lampadas em paralelo * Circuitos com os dois tipos de associago de lémpadas * Tensao em associacoes de lémpadas em série * Corrente elétrica em associagdes delampadas em série '» Tensao em associagoes de lampadas em paralela * Corrente elétrica em associagdes de ampadas em paralelo * Associagio de pitas em série Parte A 1. Comeca por escrever onome de cada uma das associacdes de lampadas e depois completa os dlagramas usando a cha\ 5 pe ere eee Cass ue eu Losran eae cle) em paratelo_| ‘quando uma limpada ¢igualem todas a ‘varia as lampadas quando umalampada igual em todas sta a lampacas 5 restantes acorrente as estantes cor aiensto ent apagam-se elétrica tinuam acesas as terminais 2. Desenha adequadamente os fios de ligagdo para obteres uma associagio das pilhas (1), (2), (3), (a)e(5)em série, @) 0 i 0 } 6) @ { ( 47 48 Parte B 1. Observa ocircuito, com trés limpadas, esquematizado na’ Emcadaumadas questoes 1.,12e1.3 queseseguem, sel petiva frase. uw 12 13 24 enters peer kK .. Considera o circuito com trés lmpadas esquematizado na figura. c — figura. leclona a opco que completa corretamente a res~ Para desligar as trés lampadas... A... necessério abrir 0s quatro interruptores. B —...énecessario abrir 0s interruptores K€ Ks. C—...énecessatio abrir ointerruptor K,. X] D —... basta abrir um dos quatro interruptores. Se alampada L, fundir, A~..apenas L, se apaga. B—.. apenas L,se apaga, X|C—..apagam-seL,eL, D—...asrestantes continuam acesas. ‘Se mais uma lémpada for instalada em série no circuito, a luminosidade de Ly Le L3 X] A—...diminui. B—..nao sealtera. C—..aumenta. D-..di inui apenas se a limpada for instalada entre Le K,. Completa corretamente o quadro que se segue. i T : u Ky ks Ky kek: | KyeK, | U4 | u Aes L,ely| LyeL) |Nenhuma| £, |Nenhuma| k, 22 23 — G Explica o que acontece se a lampada L, fundir, Sea lampada L, fundir, a ramificagdo desta lampada fica interrompida. A lampada L, deixa de funcionar mas as restantes, 1 € Ls, continuam acesas. : Indica o que se observa naluminosidade de L,€ L; Se a ramificagao de L, for retirada. A luminosidade das tampadas mantém-se pean oon seree ed 3. Comos elementos a seguir representados, esquematiza os circuitos elétricos A,B, CeD. aww wwe — i © 1.2.1 Descreve o que mostra cada figura. A-Mostra a combustéo do potdssio em contacto com o oxigénio, B - Mostra a reagdo com a dqua do produto resultante da combustéo do potdssio | A= Oxidos metalicos 1.2.2 Das formulas quimicas H,0, K,0, KH e KOH, seleciona a que corresponde: (i) a0 composto X, que resulta da combustao dopotassio; —K,0 (i) 20 composto Y, que resulta da reacdo de X com agua, KOH Pe 1.2.3 Escreve os nomes do composto X e do composto Y. X-~6xido de potdssio; Y - hidréxido de potdssio, 1.2.4 Escreve a equacdo quimica que representa a reagdo que ocorre em A. 4K(s} + 0,(g)—>2 1.2.5 Seadicionares & solucao final algumas gotas de solucao alcodlica de fenolftaleina surge uma cor rosa carmim. Indica 0 motivo desta observacao. A solugdo final, solugdo de hidréxido de potissio, tem propriedades bésicas ou alcalinas, porisso a fenolftaleina adquire cor rosa carmim. 4.3 Quando se queima enxofre sélido, S,, no oxigénio, 0,, forma-se um composto gasoso de formula quimica SO, 1.3.1 Escreve onome do composto formado. Didxido de enxofre 1.3.2 Selecionaa opcao corretaparao tipo de corptisculos que constituem o composto for- mado. C-Atomos. Joes positivos e negativos. (= Iaes poliatomicos. 73 Lees eer ete) 113.3 Quando se adiciona agua ao composto formado ocorre uma reacao quimica da qual re sultaH,SO,. Escreve a equacao qui que representa esta reacao. ‘SO, (g) + H,0 (1) > H,SO, (aq) 13.4 Justifica a seguinte afirmacdo verdadeira, ‘SO, é um dxido acido, Dit-se que 0 SO, é um éxido dcido porque reage com a dgua originando uma substéncia que é um dcido, 2. Ha elementos e substancias elementares coma designacdo de metals alcalinoterrosos. 2.1 Seleciona a afirmacao verdadeira para os elementos designados por metais alcali- noterrosos. ‘A So elementos do grupo 12. [| B— Os atomos destes elementos tém dois eletroes de valencia [_]c~0s stomos destes elementos tém os eletrdes distribuidos por dois nivels de energi D—Osatomos destes elementos originam iées dinegativos, 2.2 Considera 0 esquema incompleto: Mg(s)+H,0 (I) ... (aq) +H, (g) 2.2.1 Das formulas quimicas MgO,, MgO, MgOH, Mg(OH),, seleciona a que corresponde ao produto da reacao do magnésio com a agua. ‘Mg(OH), 2.2.2 Completa oesquema de modo arepresentar corretamente areacio do magnésiocom adgua. ~ ‘Mg (s) + 2 H,0 (i) —* Mg(OH), (aq) + H, (g) 2.2.3 Classifica a afirmacao que se segue em verdadeira ou falsa e justifica. (© magnésio reage com a agua, originando uma substancia cuja solugao aquosa é alcalina. A afirmacao ¢ verdadeira, Da reagdo do magnésio com a dgua resulta hidréxido de ‘magnésio, cuja soluedo aquosa ¢ bésica ou alealina, 3. Adesignacao halogéneos aplica-se a elementos e substancias elementares e significa gerado- res de sais, 3.1 Das representacées F,, Cl, Br, ly € |, seleciona as que correspondem a substancias ele— mentares. Rel 3.2 Indica o grupo da Tabela Periddica a que pertencem os halogéneos. Grupo 17 4 freee enue eaee 3.3 Seleciona a opco que completa corretamente os espacos da frase seguinte. Os atomos dos halogeneos que tem eletroes de valencia, faciimente ele tro e transformam-se emides (3 a= sete; ibertam; monopositivos, (1) B~dezassete; captam; mononegativos (.c-sete; captam; monopositivos D — sete; captam; mononegativos 3.4 Quando as substancias sédio e fluor reagem, originam o sal fluoreto de sédio, NaF. Quando as substanclas magnésio e cloro reagem, originam o sal cloreto de magnésio, MgCl. 3.4.1 Seleciona a opco correta para os corpuisculos constituintes dos sais. (Ja-Wes positives. ae [X] B—1ees positivos enegativos. () c-Moléculas. (p-Atomos. 3.4.2 Efetua todas as associacdes cortetas entre as colunas |e II de modo a traduzirem 0 queacontece aos atomos quando originam os sais referidos. earn eam 1-Captameletrao 2—Libertam Teletrao, ‘A Atomos de séclo 3~Captam 2eletroes B~Atomosdemagnésio | 4~Libertam 2eletrées C~ Atomos de for 5 Originam ides monopositivos 6—Originam ides dipositivos i 7— Originam ides mononegativos 8 ~ Originam ides dinegativos D—Atomos de cloro 5 BT eM ao COA e eee 33.1 Tipos de ligacao quimica 3.2 Compostos de carbono * A ligacao covalente * Ocarbono eos seres vivos + RepresentaciodasligacSes covalentes __ Hidrocarbonetos * Substancias moleculares e covalentes * Algumas aplicagoes dos hidrocarbonetos * Ligacaotenica * Ligacao metalica Parte A 1. Observaosmodelosmoleculares e escreve nos retangulos quantas ligacdes hé em cada molé- ula ede que tipo sao as ligacoes, 4 ligagdes [covalentes simples} THigapao Tigao covalente tripla covatente simples Posie S igagdes covalentes simples covalentes simples] a 2ligagées © [eouatentes duplas 2. Descobre na sopadeletras osnomes dos cincoalca- [9] u]i]v]o|p)o|Flole nos mais simples e depois escreve as respetivasfor- [4 {WlelrlalWlalv}N|x mas moleculares por ordem crescente de ntimero de ol|rplaAlzlalr|s|HlalRr atomos. Ti{J|ULTIPIIJA|V/T]B A[ac(a ¢ fae [ele laa O|B\A|T|U;E|D|M|E|O RIE|O|N/A|PI|O/R/P|G A|X|P|RIM[E|T/A/|N|O TII/O|N|S|T|UlO;E|M cH, | [om] [ome] [eae] [eH] [olnle[t[t[z]4|r]e[o 76 Soe oes uaees Parte B 1. Aenorme diversidade de substncias naturais e produzidas artificialmente resulta da capact- dade que os atomos dos elementos quimicos tém para se ligarem Um dos modelos de ligacao entre atomos é a ligacdo covalente. 41 Apresenta o significado de ligacdo covalente, Ligagéo que resulta da partitha de pares de eletrées entre dois Gtomos. 1.2. Explica por que motivo os dtomos das moléculas partilham eletrdes. 0s eletrées partithados por dois dtomos passam a pertencer a cada um deles. Deste modo, cada um dos dtomos ligados fica com o mtimero de eletrées de valéncia que os torna muito estdveis: 8 eletrées de valéncia ou, no caso do hidrogénio, 2 eletrées de valéncia. 4.3 Selecionaa opcdo correta para o numero maximo de pares de eletroes que podem ser par- tilhados por dois atomos. ‘A—1par. () c-2pares. B-4 pares. X| D—3 pares, 1.4 Explica o que distingue a ligacdo covalente simples da ligacao covalente dupla. Na ligagdo covalente simples hé. um par de eletrées partithado entre os dois dtomos € na ligagao covalente dupla hd dois pares. 1. As moléculas de nitrogénio e de cloro podem ser representadas como se indica a seguir. ‘NEN: Ces CE: 2.1 Indica o que significam as cruzes e os pontos que aparecem nas duas representacoes. ‘As cruzes representam os eletrées de valéncia de um dtomo eos pontos os eletrdes de valéncia do outro dtomo, 2.2 Explica por que motivo ha cruzes e pontos que aparecem entre os simbolos quimicos € ou- tros que esto a volta de cada simbolo. As cruzes e os pontos que aparecem entre os simbolos quimicos representam os eletrées partilhados entre os dois dtomos, ou sefa, os eletrées que formam a ligagao, As cruzes e os pontos que estiio @ volta dos simbolos quimicos representam os eletrées de valéncia que nao sao partithados, ou sefa, os eletrées ndio ligantes. 2.3 Efetua todas as assoclacdes corretas entre as colunas ell. el crn) A—Eletrées de valencia de cada atomo de nitrogénio antes de formar amolécula + oto elt B— Eletrdes de valencia de cada étomo de coro antes er B- de formar amolecula | 2-Sete eletroes C—EletrBes de valencia de cada atomodenitrogénio | 3 —Selseletroes G2) namolécuia | 4—Cinco eletroes D-H oesde valencia deca tomo de cloro na Gg molécula Bo 1 7 pigeies eels nusretseaei ess 2.4 Indica: 2.4.1 quantos eletrdes so partithados entre os dois atmos de nitrogénionarespetivamo- lecula; 6 eletrdes 2.4.2 quantos eletroes nao partilhados ha em cada atomo de cloro na respetiva molécula; 6 eletrées 2.4.3 quantos eletrdes ndo partilhados ha em cada uma das moléculas. Motécula de nitrogénio ~ 4 eletrdes ndo partithados; Molécula de cloro - 12 eletrées néo partithados. 3, Observaosmodielosmoleculares dafigura, que permitem visualizar asligagBes entre os atomos, e tem em conta asinformagdes do quadro que se encontra ao lado. Gees ie oa haba Ca oe pores vam | elementos ee a 4 Vermelha Oxigenio ‘Azul Azoto 15 Preta_| _Carbono 4 ‘Amarela Enxofre 6 Branca | Hidrogenio 1 2a ==" 3:1 Indica quantos pares de eletrdes partilhados ha em cada molécula. A-dois pares; B ~ trés pares; C~ cinco pares; D - um par; E - quatro pares; F - dois pares. 3.2 Representa cada uma das moléculas usando a notacao de Lewis e tendo em conta a regra do octeto. 6:0 fen H-N-H H H—Cél 78 igo nse 4. Namolécula HF o fltior forma com o hidrogénio umaligacao covalente, mas, no fluoreto de s6dio, NaF, aligacao entre fluor e s6dio é iénica. 4.1 Diz, por palavras tuas, o que distingue aligacao covalente da ligagio iénica. Na tigagéo covalente hé partitha de eletrées entre dtomos de elementos que tém ambos tendéncia para captar eletrées. Na tigacdo iénica hd atragéo entre iGes positivos e negatives, resultantes da transferéncia de eletrées entre dtomos com tendéncia para libertar eletrées e dtomes com tendéncia para os captar. 4.2 Explica por que motivo a ligacao em NaF é iénica (consulta a Tabela Periédica). A ligagao é iénica porque os dtomos de sédio, que é um metal aleatino, tém tendéncia para ibertar um eletréo, transformando-se em ides Na’, enquanto os dtomos de fliior, que é um halogéneo, tém tendéncia para captar um eletréio, transformando-se em ides F 5, Seleciona, de entre as formulas quimicas seguintes, as que correspondem ahidrocarbonetos, EX] AGH [X]¢-CH» [XJE-CoHp G-H,CO, B-H,O {)p-c,H,0H F—NH, 6. Sabendo que 0 cloreto de calcio, CaCé, , € um sdlido idnico, seleciona, nas frases seguintes, as pes destacadas que permitem obter afirmacées verdadeiras. ‘A As forcasatrativas entreides positivos Cae negativos Cé-,no cloreto de calcio, sao muito, Jortes /fracas. B— Quando 0 cloreto de calcio ¢ colocado em agua, as forcas atrativas entre ides positivos e negativos aumentam/diminuem. (C—Na agua, 0s ides alispersam-se/continuam na rede iénica. 7. Efetua as assoclacbes corretas entre as substancias referidas na coluna | e as afirmacoes da coluna il. | 1— Sao constituidas por corpusculos neutros | 2 Sao constituidas por redes de corpiisculos positives enegativos | 3 Sao boas condutoras elétricas no estado solide, ‘A—Substanciasmolecuiares | | 4—Stomas condutoras elétricasno estado slide, mas boas B—Substancias lonicas condutoras quando dissolvidas em agua (C—Substancias metalicas | 5~ Sao durase quebradicas 6—Saomaleavels 7 — Sao constituidas por redes de étomos que partilham eletroes deslocalizados 1D —Substancias covalentes | 8 Sao consttuidas por redes de atomos Bo) eset ceaeess pr aemesriecs 8. Considera os compostos representados pelas seguintes formulas de estruturas. HOH OH 8.1 Indica a designacao comum aestes tres compostos. Hidrocarbonetos 8.2 Seleciona, de entre estes compostos: 8.21 umalcano; A 8.2.2 umhidrocarboneto saturado; A 823 umalceno; C 8.2.4 doishidrocarbonetos insaturados; Be C 825umakino, B 8.3 Indicao nome do alcano edo alceno. Propano ¢ eteno 9. Considera os nomes eas formulas moleculares de alguns hidrocarbonetos. Nomes | Fermussmotecutres 1-GiH 2-GHe 3-GH, AGH 5-CH. 6 Cyty E —Propino 7=CHp F—Buteno 8-CiHy 9-Cithy D—Propano 9:1 Associa corretamente a formula molecular a cada um dos nomes indicados, BS) Be) @4 Be) Be) 9.2 Representa os seguintes hidrocarbonetos usando a notacao de Lewis: 9.2.1 propano; 9.2.2 propeno; a 9.2.3 propino. 80