Você está na página 1de 8

HQ Mix 2016 - Questionário Não Oficial - Formu

133 respostas

Visualizar todas as respostas

https://docs.google.com/forms/d/1IUNwCq-wP6l

Resumo

[Imagem]

Sobre você

Qual seu estado?

53,4% 9%
53,4%
9%

# Moro fora do Brasil

0

0%

Acre

1

0.8%

 

Alagoas

1

0.8%

Amapá

0

0%

Amazonas

1

0.8%

 

2

1.5%

Bahia

5

3.8%

 

Ceará

7

5.3%

Distrito Federal Espírito Santo

1

0.8%

 

Goiás

2

1.5%

   

0

0%

Maranhão

0

0%

Mato Grosso Mato Grosso do Sul

0

0%

 

Minas Gerais

14

10.5%

 

0

0%

 

Pará

2

1.5%

Paraíba

5

3.8%

Paraná

0

0%

Pernambuco Piauí

0

0%

 

Rio de Janeiro

12

9%

0

0%

Rio Grande do Norte

8

6%

Rio Grande do Sul

0

0%

Rondônia

0

0%

Roraima Santa Catarina

1

0.8%

 

São Paulo

71

53.4%

Sergipe

0

0%

Tocantins

0

0%

Há quantos anos você conhece o Troféu HQ Mix?

33,1% 30,1% 27,8%
33,1%
30,1%
27,8%

Menos de 1 ano

3

2.3%

1

~ 2 anos

9

6.8%

3

~ 5 anos

37

27.8%

6

~ 9 anos

40

30.1%

Mais de 10 anos

44

33.1%

Você já participou da cerimônia de premiação?

68,4% 31,6%
68,4%
31,6%

Você costuma ir ao evento de entrega dos troféus?

39,1% 15,8% 18%
39,1%
15,8%
18%

Sobre as categorias

Sim

Não

42

91

31.6%

68.4%

Sim, todos os anos desde que conheci o evento Sim, sempre quando posso ou consigo Não, iria apenas se eu ganhasse em alguma categoria Não, mas já fui uma ou mais vezes Não, nunca fui, mas pretendo ir Não, nunca fui e nunca pretendo ir

8

21

24

13

52

15

6%

15.8%

18%

9.8%

39.1%

11.3%

Marque as categorias que você considera desnecessárias (Opcional)

Desenhis… Roteirista… Novo Tal… Novo Tal… Colorista/… Publicaçã… Publicaçã… Publicaçã…
Desenhis…
Roteirista…
Novo Tal…
Novo Tal…
Colorista/…
Publicaçã…
Publicaçã…
Publicaçã…
Publicaçã…
Publicaçã…
Publicaçã…
Publicaçã…
Edição E…
Edição E…
Minissérie
Publicaçã…
Publicaçã…
Publicaçã…
Publicaçã…
Especial…
Livro Teó…
Publicaçã…
Projeto E…
Evento
Exposição
Adaptaçã…
Adaptaçã…
Destaque…
Editora d…
Web Tiras
Web Qua…
0
10
20
30
40

Desenhista Nacional Roteirista Nacional Novo Talento Desenhista Novo Talento Roteirista Colorista/Arte-Finalista Publicação Infantil Publicação Juvenil Publicação de Clássico Publicação de Humor Publicação de Humor Gráfico Publicação Mix Publicação de Aventura, Terror e Fantasia Edição Especial Nacional Edição Especial Estrangeira Minissérie Publicação Independente de Autor Publicação Independente Edição Única Publicação Independente de Grupo Publicação Erótica Especial Manga Livro Teórico Publicação de Tiras Projeto Editorial Evento Exposição Adaptação para outra Linguagem Adaptação para os Quadrinhos Destaque Internacional Editora do Ano Web Tiras Web Quadrinhos

4

3

4

5

10

7

14

26

8

39

23

16

18

51

23

11

30

10

13

40

23

9

7

15

16

38

9

43

7

16

12

4%

3%

4%

5%

9.9%

6.9%

13.9%

25.7%

7.9%

38.6%

22.8%

15.8%

17.8%

50.5%

22.8%

10.9%

29.7%

9.9%

12.9%

39.6%

22.8%

8.9%

6.9%

14.9%

15.8%

37.6%

8.9%

42.6%

6.9%

15.8%

11.9%

HQ Mix 2016 - Questionário Não Oficial - Formu

https://docs.google.com/forms/d/1IUNwCq-wP6l

Por que você considera estas categorias desnecessárias?

Precisa ter um direcionamento melhor.

Acredito que a premiação deveria focar mais no mercado nacional.

Afinal "Mangá" é quadrinhos. Ele pode ser "Humor", pode ser "Erótico", pode ser "Aventura, Terror e Fantasia". Desnecessário uma categoria própria.

Redundante

Uma é redundante (independente edição única) e a outra é irrelevante no mercado nacional (minissérie)

Arte-finalista e colorista são trabalhos totalmente diferentes e não sei se é justo premiar isso misturado. Minissérie é algo tão raro nas HQs brasileiras que não faz sentido. A publicação edição única e publicação de autor/grupo já não dariam conta disso?

Porque polinizam demais o prêmio. Elas devem ser repensadas em minha opinião, condensadas e retribuídas. A maioria deve mesmo ser eliminada.

Acho os materiais estrangeiros não deveriam entrar na lista pois a qualidade deles é infinitamente maior. Não tem porque ficar premiando isso.

Poderia se focar numa quantidade menor de categorias, pois nuitas delas não fazem sentido ou abrem margem para que alguem se inscreve em categorias com menor procura apenas para ter mais chances de levar o premio.

Não vejo muito sentido em premiar material estrangeiro e não entendo a separação entre as duas premiações de humor.

Colorista/arte-finalista: são duas coisas diferentes que não deveriam estar contempladas numa única categoria. Publicação de Humor Gráfico: pode ser contemplada dentro de publicação de humor. Publicação de Aventura, Terror e Fantasia: mesma coisa de colorista/arte-finalista. São coisas diferentes. Minissérie: desnecessária. Especial Mangá: mangá é quadrinho. Destaque Internacional: curadoria é sempre falha nesta categoria. Eles não sabem quem foi destaque e nem porque, então é melhor extinguir. Web Tiras e Web Quadrinhos: transforma em uma categoria só.

acho que deve priorizar o que é produzido aqui na terrinha e humor gráfico não cai no quesito HUMOR?

Porque ela requer ter contato e entender uma outra mídia além dos quadrinhos.

São redundantes.

Algumas são redundantes e de definição ampla, fazendo com que publicações muito díspares concorram entre si. Algumas premiações (como destaques internacionais e edição especial estrangeira) não fazem sentido, dividindo o mercado, os leitores etc. Por outro lado "Especial Manga" é uma premiação igualmente equivocada, pois trata mangá como um elemento a parte do quadrinhos, uma curiosidade. Mangás deveriam ser considerados como parte dos quadrinhos, concorrendo em melhor roteiro, melhor desenhista etc. independente de ser feito no estilo mangá.

Porque muitas podiam ser mescladas, como as diversas categorias independentes. As publicações estrangeiras poderiam simplesmente limadas, uma vez que não refletem a produção que é feita no país.

Abre demais o leque, fugindo da produção nacional.

Pq nao interessa nem a eles nem a nos

premio nacional de quadrinhos

são categorias pra encher linguiça

Acho repetitivas.

Porque podem ser acopladas à categorias-mãe. Webtiras, por exemplo, pode entrar junto de web quadrinhos. Tiras e Humor Gráfico podem entrar junto do guarda-chuva da categoria Humor, etc.

Na verdade eu acho desnecessário colocar os internacionais para concorrer com os Nacionais. Partindo desse pressuposto, retirando os internacionais das categorias gerais, deixando-os só em categorias bem específicas do gênero "melhor edição especial internacional", daria pra juntar

categoria de independentes, por exemplo.

Por fazerem um recorte abrangente dos autores e publicações.

A primeira: colocar na competicao batman, superman, homem aranha etc acho extremamente errado Segunda: se na tem Publicaçao Independente em Serie, porque ter em Edicao Unica? Terceira: mesma coisa da primeira

Poucos lançamentos no formato

Publicação aventura, terror e fantasia não faz sentido como categoria única, ou divide e cria mais categorias segmentadas ou acaba com ela. Edição especial não ficou bem claro do que se trata. Especial mangá também também não está bem claro do que se trata e por que os mangás concorrem separados de outras HQs. Eventos acho desnecessário pois existem alguns no Brasil e um ou dois que se destacam devido ao tamanho.

O prêmio tem que prestigiar o quadrinho nacional que deve concorrer com ele mesmo

Porque o prêmio é brasileiro e já temos uma produção grande para focar apenas no que é nacional.

A maioria das publicações independentes são de edição única, o que faz com que a categoria "Publicação Independente Edição Única" acabe se confundindo com as outras e sendo redundante. Já o manga, não o considero um gênero; se não há uma categoria para cada país (quadrinhos

portugueses, americanos, argentinos, italianos

As duas cabem dentro da mesma categoria de Webcomic

Não creio que seja relevante

É uma categoria redundante, cujos indicados poderiam ser absorvidos por publicação independente de autor ou de grupo.

Nada tem a ver com o Brasil.

Publicação independente deveria ser mesclada nas outras. Juvenil é desnecessário com o infantil. Mangá é quadrinho, deveria ser incorporado no resto também. Clássico não faz sentido ganhar prêmio.

Pra quê premiar uma publicação estrangeira?já tem premiações internacionais que cumprem este papel.

Algumas porque são muito categorizadas, outras porque eu acho que já existem premiações que atendem a propostas similares.

Não representam o cenário atual e/ou não representam as publicações nacionais, que deveriam ser prioridade.

Porque podem ser aglutinadas em outras ou não refletem o Mercado.

Estão pouco ligadas ao mercado nacional de quadrinhos

Considero Web Tiras desnecessário porque elas podem ser englobadas na categoria de Web Quadrinhos. Um critério parecido se aplica às categorias Publicação de Tiras, Publicação Erótica, Especial Mangá e Publicação Humor Gráfico: todas essas categorias podem ser inclusas nas demais categorias, ao meu modo de ver. A categoria Publicação Independente Edição Única pode ser englobada nas categorias Independente de Autor e Independente de Grupo, de acordo com o caso.

Não vejo necessidade de premiações estrangeiras já que o foco do prêmio é a produção nacional. Também acho que adaptações para outras linguagens fogem do foco.

A minha questão não são as categorias em si, só acho que deveriam focar em publicações nacionais No caso das publicações internacionais o enfoque deveria ser no trabalho dos editores, tradutores e afins na transposição da obra para o mercado nacional

São redundantes.

São categorias redundantes, os quadrinistas independentes podem concorrer nas outras categorias junto com as editoras, não precisam de um "gueto" só pra eles.

São irrelevantes quanto a apresentação de novos trabalhos em quadrinhos no ano.

Poderiam ser integradas em outras categorias ou não representam o mercado nacional

Não faz sentido premiar coisas estrangeiras. sendo que o concurso é nacional. E mangá não deveria ser separado de outros quadrinhos.

"Especial mangá" ou qualquer prêmio para autores estrangeiros acho desnecessário; este troféu poderia ir em outra categoria que não está incluída, como fanzine (ou ceder mais de um troféu para novo talento). Em "evento", são raras as vezes que sairá o prêmio das mão do FIQ (em Belo Horizonte-MG) ou da Gibicon (Curitiba-PR); talvez devesse colocar os dois eventos como "Hors concours". Acho que o problema desta categoria, "exposição" está não no tema em si mas na montagem das exposições, que são apenas apresentação de páginas ou ilustrações feitas por quadrinistas. Pelo mesmo motivo acho irrelevante a adaptação para os quadrinhos (são poucos que conseguem explorar a mídia tão bem; as vezes empobrece muito na adaptação).

Temas muito abrangentes, difíceis de serem apurados adequadamente

São muito abrangentes/genéricas

Juvenil é desnecessária, já que muitos dos outros quadrinhos competidores também se enquadram lá; "Aventura, Terror e Fantasia" soa como algo desnecessário; Publicação Independente poderia ser resumida em uma só categoria e não em três.

não acrescentam ao mercado

Publicação de Clássico: não acho que seja relevante e em quantidade ao ponto de merecer prêmio; Humor Gráfico: repetido de Humor; Mix: melhor se tivesse de Grupo e Ind. de Grupo; Edição Especial: não relevante; Ind. Edição Única: repetido de Ind. de Autor; Mangá: mangá é quadrinho igual; ventura/Erótica: não acho que premiar publicação por assunto tenha relevância; Outra Linguagem: não relevante; Destaque Internacional: talvez se for um artista destaque do ano.

Focada num item muito específico.

não acho que deveriam ser incluídos nas indicações obras e autores estrangeiros, a menos que a obra seja original do Brasil.

Publicação Mix por ser um catadão. Poderia ser mais específica ou dividir em outras categorias. Exposição e evento considero algo semelhante. Adaptação para outra linguagem é inútil, principalmente enquanto tiver filmes de Hollywood no meio. Pode ser algo específico para produções menores. Edição especial precisa deixar mais claro o que quer. Para mim, bate com projeto editorial, pois levam em consideração a qualidade do livro.

Não há razão para premiar revistas estrangeiras, ao menos não na cerimônia, que todos sabem ser muito longa.

A premiação deveria focar em quadrinhos, mais destaque ainda para publicações nacionais.

Desnecessárias, podem concorrer em outras categorias.

Devido a falta de critérios mais claros, essas categorias ficam repetitivas ou desnecessárias na prática.

não faz sentido premiar coisa de fora. e o de humor que tirei acredito que uma categoria já basta.

São redundantes, podem ser integradas.

iguai

Principalmente a catgoria livro teorico pois acho que o Brasil no estado que está estamos precisando de mais livros práticos.

redundantes

)

não vejo motivos para ter um do Japão.

na

sua maioria são redundantes ou já não fazem mas sentido EX. minissérie

As

editoras não concorrem nos mesmos segmentos, elas não competem entre si.

Publicação de Clássico só se fosse Clássico Nacional

Não selecionei nenhuma pois não acho que sejam desnecessárias, apenas mal utilizadas. Acho uma besteira o prêmio nacional ficar premiando coisas estrangeiras e de grande público, como Marvel e DC, apenas dispersa a força da premiação.

Acho que talvez seja uma forma de fomentar a produção nacional e contemplar um maior número de candidatos.

Muitas das categorias podem ser fundidas em uma só, como por exemplo Publicação Independente de Autor / Edição Única, Humor/Humor Gráfico, Web Tiras/ Web Quadrinhos

Marque as categorias que você considera mal aplicadas ou mal explicadas devido aos concorrentes selecionados (Opcional)

Desenhista Nacional 11 12.8%

 

Roteirista Nacional

15 17.4%

Novo Talento Desenhista

22 25.6%

Novo Talento Roteirista

26 30.2%

Desenhis…

Colorista/Arte-Finalista 33 38.4%

Roteirista…

Publicação Infantil

19 22.1%

Novo Tal…

Publicação Juvenil 21 24.4%

Novo Tal…

Publicação de Clássico

15 17.4%

Colorista/…

Publicação de Humor

Publicação de Humor Gráfico

Publicação Mix

Publicação de Aventura, Terror e Fantasia

19 22.1%

39 45.3%

Publicaçã…

26

30.2%

Publicaçã…

33 38.4%

Publicaçã…

Edição Especial Nacional

16 18.6%

Publicaçã…

Edição Especial Estrangeira

20 23.3%

Publicaçã…

Minissérie

20

23.3%

Publicaçã…

Publicação Independente de Autor

23 26.7%

Publicaçã…

Publicação Independente Edição Única

25 29.1%

Edição E…

Publicação Independente de Grupo

18 20.9%

Edição E…

Publicação Erótica 9

10.5%

Minissérie

Especial Manga

26

30.2%

HQ Mix 2016 - Questionário Não Oficial - Formu

Livro Teórico

11

12.8%

Publicação de Tiras

9

10.5%

Projeto Editorial

16

18.6%

Evento

8

9.3%

Exposição

5

5.8%

Adaptação para outra Linguagem

18

20.9%

Adaptação para os Quadrinhos

9

10.5%

Destaque Internacional

14

16.3%

Editora do Ano

7

8.1%

Web Tiras

11

12.8%

Web Quadrinhos

10

11.6%

https://docs.google.com/forms/d/1IUNwCq-wP6l

Por que você considera estas categorias mal aplicadas ou mal explicadas?

Não há motivo para essas categorias estarem juntas, não tem sentido.

As categorias em que roteiristas concorrem deveriam ser exclusivamente só para roteiristas. Quem desenha e escreve sua HQ deveria ter uma categoria a parte. A categoria de aventura, terror e fantasia é muito abrangente e deveria ser desmembrada em três categorias.

Acho essa categoria estranha, pois "colorista" e "artefinalista" são duas coisas bem diferentes.

Redundante

Todas as categorias marcadas a cima possuem nomes de quadrinhistas ou títulos de quadrinhos incoerentes para tal. Ex: Artistas que concorreram a Desenhista Nacional ano passado, aparecerem como NOVO TALENTO este ano. Outro "erro", dos mais graves nessa falta de organização é comparar COLORIZAÇÃO com ARTE-FINAL, colocando os dois tipos de profissionais na MESMA categoria.

Repetitiva.

Em minissérie tem muita HQ que não é minissérie efetivamente; e em projeto editorial, claramente não existe um critério real sobre como se deve julgar um projeto editorial pois tem HQs que são "normais".

porque não fica claro o que é considerado uma adaptação pra outra linguagem. Uma peça inspirada num roteiro de HQ vale tanto quanto um comercial que use personagens licenciados de quadrinhos em animação? Na minha opinião, deveria valer. Os Skrotinhos fazendo comercial de cerveja foi a coisa mais legal daquele ano.

A publicação edição única parece não fazer sentido enquanto tem categorias que se parecem com ela (publicação de autor, de grupo, etc. Sendo que não separa independente de editora). Explicar melhor o que é publicação de humor e de humor gráfico (e tira, tbm, seriabom).

Durante os anos, invariavelmente, todas elas tiveram problemas com indicações injustificadas (ou exclusão de indicações injustificáveis). Um problema crônico do hq mix. Algumas categorias, com as web, ainda hoje são incompreendidas.

Devera ficar mais claro qual a diferença entre essas duas caregorias. Existem publicações independentes desenhada por varios artistas mas apenas de um autor roteirista. Onde essas publicações entram?

Publicação de humor e publicação de humor gráfico como duas categorias diferentes parece redundante, enquanto publicação de fantasia, terror e aventura agrupa 3 gêneros super diferentes e amplos numa categoria só. Sei lá o que é publicação Mix. Também temos tiras concorrendo em web quadrinhos e mangás nacionais concorrendo em web quadrinhos enquanto já existe uma categoria só pra mangás.

Nas categorias INDEPENDENTE

exemplo. É como ter uma categoria pra desenho animado e melhor seriado

Creio que as categorias colorista/ arte-finalista devem ser separadas

colorista é uma coisa. artefinalista, outra.

Não faz sentido colocar um concorrente nacional entre mangás do Japão. è, no mínimo, desleal.

Pois é muito confuso entender o que se classifica como adaptação

Novamente, algumas são redundantes e de definição ampla (como Terror, fantasia e ficção), fazendo com que publicações muito díspares concorram entre si. A diferenciação de Humor e Humor Gráfico é tênue e, em algumas premiações, foram intercambiadas. E como julgar "adaptação para outra linguagem" quando se compara filmes, peças de teatro e outras mídias absolutamente diferente?

Pelos mesmos motivos da questão anterior. Humor gráfico e humor, por exemplo. Humor gráfico sequer deveria existir nessa premiação de quadrinhos, uma vez que existem vários salões de humor que já contemplam a categoria.

sempre os mesmos

Muitas categorias que no fundo são a mesmíssima coisa. A indicação em determinadas categorias misturando concorrentes nacionais com estrangeiros (Ex: na boa categoria de adaptação para outras linguagens temos Cena HQ competindo com Marvel Studios). A ideia pra mim é priorizar

a produção local, os estrangeiros deveriam concorrer em suas categorias próprias.

Pessoas concorrendo em categorias erradas este ano.

Tem gente antiga do mercado e que já foi indicada em outras edições como "Novo Talento", que deveriam ser categorias para ESTREANTES. Minissérie também é confuso, pois o critério em si é confuso hoje em dia. Publicação Infantil e Juvenil não tem muito critério de separação, pelo o que vi.

As categorias independentes são legais, porém cria-se muita confusão na classificação. Adaptação para outra linguagem fica completamente dispensável qdo se colocam blockbusters do gênero "vingadores". Adaptação para os quadrinhos todos os anos possuem HQs que não são

adaptações e sim quadrinhos históricos, talvez pudesse chamar "melhor adaptação para os quadrinhos ou HQ histórica". Destaque internacional foi criado para premiar desenhistas que desenham para os grandes mercados e no fim tem premiado praticamente os autores que publicam esporadicamente alguma obra autoral na europa (o que é fantástico, mas perde um pouco a função do troféu). Mini-série com concorrentes internacionais é algo sem sentido. Publicação erótica costuma ter coisas que não são de fato eróticas, só tem alguma cena de nudez ou sexo. Especial Mangá eu achei que fosse para premiar apenas quadrinhos japoneses, mas entrou mangá nacional, daí acho que não faz tanto sentido. Projeto editorial tem ficado meio confuso.

Web tiras entra junto com Web quadrinhos. Publicação mix já indica ser uma publicação de terror, aventura e ficção. Não vejo distinção entre "humor" e "humor gráfico".

Sao mal aplicadas por colocarem hqs grandes internacionais competindo com as independentes e de editoras pequenas em quase todas as categorias, ter hqs disputando em categorias completamente erradas e titulos repetidos em varias, mesmo na final.

Muitas vezes artistas veteranos estão listados no novos talentos

Algumas HQs não condizem com a categoria alocada

Novo Talento nunca foi explicado se é o trabalho de estréia ou idade. Já vi muita gente concorrendo (e ganhando!!!) pelo seu terceiro trabalho por exemplo. Já a categoria Edição Única parece ocupar a mesma função da Edição de Autor ou Grupo, ou até Mini-Série. Meio estranho

Fantasia e Aventura são gêneros bem diferentes entre si, meio bizarro colocar tudo numa categoria só. E publicação mix deveria se chamar Antologias (se é que é isso mesmo que a categoria representa, parece que sim). E pelo amor né, juntar colorista com arte-final na mesma categoria foi

de doer.

Gosto da categoria para novos talentos, mas deveria ficar claro o que é considerado um "novo talento", já que muitas vezes são indicados artistas que trabalham há anos no mercado. Acho estranho colocar coloristas e arte-finalistas numa mesma categoria. Da mesma forma não concordo em aglutinar os gêneros aventura, terror e fantasia como uma coisa só. Considero a categoria de Humor Gráfico muito importante, mas muitas vezes os indicados, na minha opinião, não se enquadram.

Colorir e arte-finalizar uma HQ são duas tarefas completamente distintas. Se for pra premiar, separa em duas categorias.

Na verdade acho que exposições, por exemplo, poderiam focar também em exposições de personagens independentes.

é um premio nacional, mas na mesma categoria tem quadrinistas brasileiros e estrangeiros

Não sei ao certo como são definidos quem são os concorrentes.

Qual a diferença entre Publicação de Humor Gráfico e Publicação de Humor? Se se trata de um prêmio de quadrinhos, não pressupõe-se que a premiação de Humor prestigia justamente o humor gráfico, ou seja, o humor em quadrinhos?

Qualquer livro que envolva autores fazendo mais de uma coisa tipo (os dois escrevem e os dois desenham), a não ser que sejam autores famosos, geralmente tem as indicações dadas erroneamente. Com correções sendo pedidos todos os anos. Qual a diferença de humor pra humor

gráfico?

Vago,pode ser teatro,cinema

Falta definir melhor o que é cada uma, pois se misturam muita coisa nelas.

Alguns concorrentes não publicaram neste ano

Colorista e Arte-Finalista são funções completamente diferentes no processo de produção de quadrinhos e não faz sentido que esses profissionais compitam entre si. Deveriam ser criadas categorias específicas para essas premiações.

Acho que as categorias colorista/finalista e terror, aventura, terror e fantasia poderiam ser desmembradas. Infantil e juvenil precisam ter um critério de divisão mais claro ou se fundirem em infanto-juvenil. Humor e humor gráfico também sofrem do mesmo problema.

Colocação igual ao da questão anterior

São dois profissionais com funções completamente diferentes concorrendo entre si, quando deveriam cada um ter sua categoria própria.

Colorista e arte-finalista são funções distintas.

Falta de definição de perfil

No caso da categoria "arte-finalista/colorista" podem ser dois profissionais diferentes.

Algumas publicações foram incluídas nessas categorias indevidamente.

Porque com a quantidade de indicados (praticamente todos que publicaram algo minimamente profissional no país no ano) fica difícil acreditar que este prêmio é sério e comprometido com inovação

Não entendo a necessidade da categoria Clássicos, nem os conceitos de Mix e Humor Gráfico.

nem sempre são 'novos", e é confuso os criterios para projeto editorial, sendo que alguns projetos possuem apenas 1 ano de vida ou 1 edicão, enqto projetos mais consolidados nunca sequer aparecem ali

Porque misturam obras e artistas diferentes, gerando confusão ou duplicidade.

Todas as citadas tem problemas sérios nas indicações iniciais.

Só pelo título não dá pra saber do que se trata.

algumas obras não correspondem a categoria/muitos indicados tem listada mais de 1 obra por categoria

Roteiristas está muito abrangente. Há poucos roteiristas e muitos autores em ambas as categorias. Colorista e Arte-Finalista precisa deixar mais claro o que quer. Algo mais especializado ou geral? Prefiro que seja especializado, mas não é o que temos esse ano. As outras são mais por ter diversos concorrentes que não pertencem, ou ficaram de fora.

Deveria ser criada uma categoria para "autor", onde concorreriam aqueles que escrevem e desenham uma hq. Roteirista deveria ser apenas para roteiristas.

Não parecem ser muito categóricas, como um contínuo improviso na seleção e contextualização do que deve ser premiado.

Porque premiam artistas já consagrados, que não tem nada de jovens.

mesma coisa da anterior

Criam categorias que me parecem redundantes, poderiam ser condensadas

Não entendo diferença de publicação de Humor e humor gráfico Não entendo porque colorista e arte são uma coisa só Não entendo tantas premiações focadas em publicações estrangeiras. Se quiser publicar o editor, cria algo nesse sentido. Não entendo especial mangá. Se briga tanto pra falar que tudo é quadrinho, porque ter isso? Não sei a diferença de edição independente publicação única e de autor

os GLS estão por toda a parte, meu. oxe, deixem pelo meno um prêmio sem troféu GLS por favor.

Edições "especiais" desqualificam qualquer obra como qualidade ou não mais especial que outra; Edições Especiais podem se resumir em uma única categoria. Única e grupo não faz sentido, se está julgando uma "edição". Portanto é redundante; Mangá é QUADRINHO!!! Não faz sentido

separar. Senão teria que ter categoria Comics, Fumetti, BD, etc

deveriam ser classificados os autores e as obras que fizeram algo SEM uma editora por trás! E na categoria EVENTOS, não vejo por quê um ANIMEFRIENDS - onde o publico é outro - estar fazendo parte da mesma categoria de uma FEST COMIX por

Terra,

até jogo?

essa pergunta ficou meio repetitiva e desnecessária

Acho extremamente desnecessário essa classificação como se Mangá fosse outra linguagem; Se julgamos todo material do ano, desnecessário Editora "do ano". Só Editora.

Fica vago quais tem sido os critérios de avaliação, talvez considerar a inovação no uso do digital enquanto tecnologia pudesse trazer à tona trabalhos mais diferenciados. Outra coisa é que a divisão entre Tiras e Quadrinhos não funciona com todos os autores. E também talvez certas indicações que não se limitam ao impresso, como roteirista, desenhista e humor pudessem contemplar autores digitais também, porque não há tanto porque ter esta exclusão, apenas necessita uma forma eficiente de classificação.

Também não consigo localizar o problema em apenas uma categoria, é comum haver elementos estranhos nelas (tanto os mainstream competindo com independentes, quanto artistas que não são exatamente da categoria X).

No meu entender sempre pareceu estranho a forma de ser das indicações. Acho que precisam ser mais transparentes. Sempre fica no ar o termo "panelinha". Acredito que as votações deveriam ser mais transparentes, o método mais aberto e bem explicado de como se valorar essa votação. E tenho para mim que a coisa toda deveria ser mais democrática e que contemplasse autores e obras produzidas e publicadas no ano corrente do prêmio.

Você gostaria de sugerir uma ou mais categorias a serem adicionadas/modificadas?

HQ Mix 2016 - Questionário Não Oficial - Formu

https://docs.google.com/forms/d/1IUNwCq-wP6l

Não.

Capista, Letrista

separem arte-final e cor

Desmembrar a de Aventura, Terror e Fantasia em três categorias.

Melhor Letrista e Capa

Acredito que deveria haver uma diferença de categoria para artistas-roteiristas e APENAS roteiristas. O processo de trabalho é diferente e cada um merece ser reconhecido por seu devido esforço, dando espaço para os poucos roteiristas profissionais que temos no mercado atual.

Mídia sobre quadrinhos precisava voltar.

Melhor Capa (só para nacionais). Separar categoria Autor (escreve E desenha), Desenhista (só desenhou) e Roteirista (só escreveu). E consequentemente, Autor, desenhista e roteirista revelação.

Sim. A que valoriza a imprensa especializada.

Sim. Midia sobre Quadrinhos, por exemplo Podcasts, sites especializados em quadrinhos.

Mangá Nacional, porque tem muita gente que faz e se recusa de chamar de outra coisa que não "mangá". Talvez também uma divisão para Web Quadrinhos longos e curtos.

Melhor canal do Youtube e Melhor Podcast

A separação de COLORISTA e de ARTE FINALISTA E um prêmio especial de incentivo aos que não conseguiram entrar na lista final. Não um prêmio de consolo, mas algo que fale "Você está no caminho certo! Continue, estude e se esforce, porque no ano que vem, você poderá estar

aqui!"

letrista, melhor capa

por hora, não.

Não.

Mangá deveria ser considerado quadrinhos, não uma aberração diferente de tudo. Terror, Fantasia e Ficção não deveriam estar numa mesma premiação. Seria muito interessante ter uma menção aos canais de youtube (ou similares) que divulgam e tratam de quadrinhos, que possuem um alcance muito maior atualmente do que sites de notícias relacionados a quadrinhos. Se o prêmio contemplou, por anos seguidos, sites de quadrinhos e jornalistas de quadrinhos, nada mais justo que canais de youtube (e similares) também recebam a devida atenção.

Dividam colorista e arte finalista, são duas coisas completamente diferentes. Unifiquem os independentes e web. Ou unifiquem tiras e mantenham web quadrinhos.

trofeu Vitor caffagi de melhor Vitor Caffagi do ano, premio laudo ferreira de maior número de hqmix ganhos por ser brother do cara do hqmix e premio melhor livro msp. já que saem uns 30 por ano.

Divisão da categoria fantasia/terror/aventura em categorias distintas: Terror, Ficção e Fantasia. Além do fato de que material estrangeiro não deveria concorrer, a ideia é a competição do mercado interno de forma que essas categorias abordem a nossa produção em cada sub-gênero.

melhor editor,

Melhor álbum,

Adicionadas: Melhor site de notícias/resenhas e Melhor loja especializada

Minha sugestão era retirar os internacionais das categorias gerais. Fazer três categorias separadas: Melhor comic, melhor mangá, melhor quadrinho europeu ou latino americano. Ou apenas "melhor edição especial estrangeira" e "melhor série estrangeira". E deixar as coisas de gêneros ou faixa etária (terror, aventura, humor, juvenil, infantil, etc) só com brasileiros. Dessa forma talvez pudesse ter apenas UMA ou DUAS categorias de independentes e os brasileiros se diluiriam por diversas categorias.

Nao

Dividir Coloristas de Arte-Finalistas, ter categorias de gêneros bem definidas e esclarecer o que seria um Novo Talento.

Considerando que as publicações nacionais (independentes e por editoras) tem crescido cada vez mais, acho que seria interessante criar categorias baseadas em gêneros: Ação, Aventura, Terror, Comédia, Romance, etc~ Sempre acho estranho colocar entre os indicados quadrinhos estrangeiros; fica com uma carinha de "o prêmio de 2016 foi para um quadrinho lançado originalmente em 1987 e que está sendo publicado aqui só agora". Se o que está sendo premiado é a edição nacional, então poderia ser criada a categoria para premiar as publicações estrangeiras (além ou não da especial).

Seria bom criar uma categoria bem demarcada de "autor", ou seja quem escreve e desenha o proprio trabalho, para que nas categorias de roteirista, desenhista, arte-finalista, etc. concorram os que se ESPECIALIZAM nessas categorias.

Categoria Reconhecimento (editores, autores e pessoas em geral que contribuíram ao longo do tempo para o fortalecimento do setor de quadrinhos)

A criação da categoria Roteirista/Artista Nacional, deixando a categoria Roteirista Nacional apenas para quem escreve, como acontece em prêmios como o Eisner.

Melhor antologia, Melhor publicação seriada e Melhor capa

Deveriam se espelhar nos prêmios Eisner e Harvey para enxugar categorias ao máximo, focar nas que sobrarem e encaixar os indicados de acordo.

Não

A categoria "Publicação de Aventura, Terror e Fantasia" poderia ser desmembrada em três, "Publicação de Aventura", "Publicação de Terror" e "Publicação de Fantasia e Sci-Fi".

seria legal a categoria só com quadrinistas hibridos ( roteiro e arte)

Novas categorias: "capista" (desenhista de capa), dividir "arte-finalista/colorista" em "colorista" e "finalista", incluir "projeto gráfico", trocar "editora do ano" por "catalogo de quadrinhos", algum prêmio de reconhecimento de grupos de quadrinhos que findaram que não foram contemplados com prêmios (isto é, desde que merecessem) , como para o pessoal da "Samba" (Brasília-DF), ou Prego (Vitória-ES) ou Picabú (Porto Alegre-RS).

Categoria de melhor publicação independente podia ser resumida numa só.

O formato do Eisner Awards é perfeito, acata o mercado muito bem, apesar de algumas categorias também serem repetidas em relação ao nosso mercado. Segue: Melhor Roteirista; Melhor Roteirista e Artista; Melhor Artista / Desenhista / Inker; Melhor Colorista; Melhor Artista de Capa;

Melhor Edição Única (+ Independente); Melhor Coletânea / Publicação de Grupo (+Independente); Melhor História Curta; Melhor Quadrinho Digital; Melhor Publicação Infantil; Melhor Publicação Juvenil; Melhor Publicação de Humor; Melhor Livro Teórico / Trabalho Acadêmico; Melhor Projeto Editorial; Melhor Adaptação para Quadrinhos; Hall da Fama; e ainda: Melhor Editor; Melhor Evento; Melhor Editora;

Não

Gostaria que fizessem a subdivisão entre categorias artistas, roteiristas/artistas e roteiristas.

"Aventura, terror e fantasia" é muito vaga. Não pelo seu título em si, mas pelos indicados todos os anos.

Prêmio para novatos, para uma melhor ingressão, e uma não repetição de figurinhas.

Melhor cartunista, melhor caricaturista, melhor chargista.

acho que faltam algumas categorias mais técnicas, como: melhor editor, melhor republicação, separar arte-finalista de colorista, melhor autor completo, melhor periódico e separar categorias nacionais de estrangeiras.

Com relação as publicações clássicos e projeto editorial, poderiam ser tornar apenas projeto editorial lançamento/clássicos. Quando a subdivisão terror, erotico, aventur, poderiam se tornar apenas publicação adulta. Assim a competição se daria no direcionamento ao público.

Crônicas Ilustradas, como por exemplo pros homem que ilustram cronicas e texto de Rodrigo Constantivo, Olavo Bilau, etc.

Arte de Capa (que não tem a ver com projeto gráfico, seria só mesmo a arte da capa);

Acho que tudo o que não é brasileiro deveria estar separado, em outra categoria; nem me importa quantas são pois, no fim, acho que não importa muito para essa premiação dar destaque a obras estrangeiras (a não ser que em categorias pontuais e específicas).

Sobre o HQ Mix em geral

Considero o prêmio mais relevante da área

14,3% 19,5% 66,2%
14,3%
19,5%
66,2%

Sim

Não

Neutro

88

19

26

66.2%

14.3%

19.5%

Considero que o prêmio representa bem atual o cenário/mercado de quadrinhos brasileiros

24,8% 57,1% 18%
24,8%
57,1%
18%

Sim

Não

Neutro

24

76

33

18%

57.1%

24.8%

Considero importante para a divulgação do atual cenário/mercado brasileiro de quadrinhos

12,8% 14,3% 72,9%
12,8%
14,3%
72,9%

Sim

Não

Neutro

97

17

19

72.9%

12.8%

14.3%

Considero importante para que a mídia faça coberturas e fale mais sobre quadrinhos

83,5%
83,5%

Sim

Não

Neutro

111

17

5

83.5%

12.8%

3.8%

Considero importante para formação de mais leitores de quadrinhos brasileiros

28,6% 15% 56,4%
28,6%
15%
56,4%

Sim

Não

Neutro

75

38

20

56.4%

28.6%

15%

Considero importante para a divulgação de bons títulos de quadrinhos

18,8%
18,8%

Sim

Não

Neutro

90

25

18

67.7%

18.8%

13.5%

HQ Mix 2016 - Questionário Não Oficial - Formu

Considero que a organização escute os artistas da área

21,1% 41,4% 37,6%
21,1%
41,4%
37,6%

Sim

Não

Neutro

50

55

28

37.6%

41.4%

21.1%

Considero que as listas gerais de cada categoria são suficientemente tratadas e revisadas

15,8% 75,9%
15,8%
75,9%

Sim

Não

Neutro

11

101

21

8.3%

75.9%

15.8%

Considero que as características de cada categoria são claras e específicas

 

Sim

13

9.8%

Não

104

78.2%

Neutro

16

12%

12% 78,2%
12%
78,2%

Considero que a organização tem uma boa comunicação via internet

 

Sim

8

6%

Não

105

78.9%

Neutro

20

15%

15% 78,9%
15%
78,9%

Considero o prêmio no geral suficientemente profissional

 
31,6% 49,6% 18,8%
31,6%
49,6%
18,8%

Sim

25

18.8%

Não

66

49.6%

Neutro

42

31.6%

https://docs.google.com/forms/d/1IUNwCq-wP6l

O que você considera mais interessante/importante no HQ Mix?

Nada

Legado

A premiação de hq´s nacionais. Reconhecimento.

É um prêmio que conseguiu construir um "nome" no mercado. A gente fala no Troféu HQMix e as pessoas da área sabem o que é. As pessoas da área acompanham quem são os indicados e quem são os vencedores.

A visibilidade para os ganhadores

A oportunidade de formalizar o reconhecimento de artistas que trabalham (de todas as formas) com quadrinhos.

Relevância no mercado e mídia.

A relevância dele em termos de ser divulgado fortemente na mídia não especializada.

A relevância.

A tradição, por ainda gerar algum interesse midiático. Mas isso é pouco.

O renome

O prêmio coloca o quadrinho nacional em evidência para a mídia

A longevidade

a exposição da premiação na mídia.

A história, são quase 30 anos de premiação.

Tradição, relevância

É a premiação mais tradicional do país, com um histórico que precisa ser mantido e levado em consideração.

Seria o prestígio em se ganhar o prêmio, mas isso é bastante relativo já que é o único (o outro é um desaforo sem credibilidade alguma)

É um premio que existe

longevidade!

serginho groisman

Curadoria

Seus muitos anos de trabalho feito em prol do mercado. O recorte do que de melhor se produz na cena de forma a orientar os artistas em busca de excelência e os leitores em busca de material de qualidade, além de ter um bom cartaz com a mídia. Esse ano não está contando, é uma desconstrução de tudo o que tem de bom do prêmio, um suicídio.

A

sua história, ser um prêmio tradicional.

O

HQ Mix já representou muito o mercado. Mas nos últimos anos ele não conseguiu acompanhar o crescimento vertiginoso do nosso mercado. Mas ainda acredito que isso possa ser superado e as coisas voltem aos trilhos.

A

história do prêmio.

Valorizaçao dos profissionais da area

Destacar as melhores HQs e profissionais

A

história e tradição

Longevidade

A divulgação da produção nacional graças as indicações.

As revelações e os novos trabalhos.

Seu longo histórico e ser o único na categoria junto com o Angelo Agostini.

O reconhecimento do trabalho feito.

Relevância do prêmio para as gerações.

A

tradição e a confraternização, além de realmente ainda - como maior prêmio da área - ajudar a divulgar mais a produção para a grande massa de fora do nicho. Mais do que os próprios autores, quem fica encantado pelas indicações são amigos, familiares e leitores casuais.

A

abrangência nacional

A

relevância do prêmio para o cenário de quadrinhos.

O

modo como o prêmio se modifica todo ano para tentar acompanhar as mudanças no cenário de quadrinhos nacional ainda que não seja completamente bem sucedido.

O

respaldo que o prêmio oferece para o crescimento do mercado

o

fato de obras desconhecidas poderem ser conhecidas.

Inrteresse de outras mídias sobre o quadrinho.

O nome que ele tem. E só. Não é um prêmio de relevância pra quem faz quadrinhos independentes de verdade (e não quadrinhos de super herói que são independentes mas estariam ótimos se publicados em alguma editora qualquer tipo marvel

Sua relevância, carga e histórico.

a boa intenção em valorizar as hqs

A indicação costumava ser já uma vitória, pois havia curadoria.

A tradição, a estrutura e a relevância na mídia conquista em todos os anos

Não sei opinar

Ser um premio de quadrinhos

É

um prêmio feito por amantes de quadrinhos, uma grande festa.

a

divulgação do quadrinho nacional

A

longevidade da premiação

a

tradição.

o

reconhecimento e divulgação das obras premiadas e indicadas

descobrir novos quadrinhos e artistas

A clareza da proposta de quem pode competir e em que areas, e quem pode votar. A premiacao tambem é maçante, poderia ser mais dinamica e organizada.

Acho que é uma premiacao ainda relevante que tem tempo para se reorganizar e melhot sua situacao com o meio

Os quadrinhos indicados

HQ Mix 2016 - Questionário Não Oficial - Formu

Nome

reconhecimento

gosto muito de que cada ano tem um trofeu diferente como nos tempos haureleos do trofeu Mtv Brasil de musica (VMB)

A visibilidade a novos artistas

Respaldo

sua historia

Reconhecer o cenário nacional

Sua existência. Um prêmio de nome ajuda a dar credibilidade para a área, mesmo com todas as falhas possíveis, ainda é melhor que ele exista.

https://docs.google.com/forms/d/1IUNwCq-wP6l

A

tradição e história.

O

fato de ele ter um potencial enorme para crescer, se firmar, e talvez se tornar um prêmio realmente relevante nacional e internacionalmente. Hoje em dia parece mais um encontro de compadres. Nem mesmo os sites especializados dão uma atenção muito grande para as premiações, a

não ser que algum "nome carimbado" ganhe seu mais novo prêmio.

O que você considera mais confuso/prejudicial no HQ Mix?

Falta de Organização

Escolha dos candidatos

Algumas categorias ficaram confusas, como apontei anteriormente.

A falta de maior diversidade e representatividade.

A maneira de escolha dos indicados e premiados. Eu não acredito na imparcialidade dos votantes. Esse método de “votação popular” (mesmo que sendo só entre pessoas da área) é viciado, pois os votos acabam sendo mais “nos amigos” ou “naquela obra que a pessoa conhece” em

detrimento um voto técnico e racional de quem leu todas as obras concorrentes e escolheu o que era melhor. Sempre acho que um juri técnico imparcial passa mais credibilidade.

a forma de votação

A dificuldade da comissão do Prêmio em se modificar, ceder, escutar ao mercado em prol de evoluir.

Categorias, falta de transparência (juri), não há participação do público.

As decisões unilaterais e, claramente, sem planejamento.

Os critérios para se tornar votante.

Hoje, a eliminação da curadoria. Mas o prêmio é problemático na essência, pois foi desenhado para um mercado de décadas atrás e não evoluiu com o mercado.

Quem vota? Qualquer pessoa que se cadastrei pode votar. Acho isso ruim.

A

votação pode não ser imparcial, pois dependerá do discernimento e bom senso dos votantes. Nem sempre o melhor poderá ser votado, mas aquele que tem mais amigos votantes. A famosa panela, que ocorre em qualquer meio.

O

modo como as listas vêm sendo elaboradas

A

organização parece não conseguir acompanhar e avaliar bem a quantidade de títulos inscritos

Caduquice

Pro ano que vem, formular uma votação que agrade à todos, pedindo exemplos, opniões, fazendo uma pré-lista (sem nomes), apenas pra exemplificar e mostrar o que acrescentar e tirar

teve um ano que fizeram umas piadas sexistas, achei péssimo.

Esse sistema de votação de listão que não permite que os eleitores conheçam todos os candidatos.

Ausência de inscrição, ausência de critérios

A organização não se atualiza ou se moderniza de forma suficiente para representar o mercado atual. Certos vícios e conceitos desatualizados são perpetrados e, em mais de um caso, a organização do evento usou a própria tradição do prêmio para não responder quaisquer erros ou

problemas que tiveram, ficando surdos para quem quisesse apontar os problemas do prêmio, chegando ao cúmulo de expulsar integrantes da comissão que encontrassem problemas na premiação.

A quantidade de categorias e a votação.

A total confusão e falta de apuro. Antes, era claro a panela e a entrega de prêmios para um grupo específico, hoje em dia, qualquer coisa entra, boa ou ruim. A linha de corte está abaixo do que deveria ser.

Nao existe premiação mas nem pagam passagem aos artistas para receber o premio, muito menos um premio monetario

conchavismo mercadologico x qualidade da produção

a premiação.

Votação aberta

A fórmula utilizada esse ano, por mais que pareça democrática altera demais a relevância da lista final, além de colocar toda a produção nacional como indicada, o que é uma mentira e uma falácia. Esse ano deixou muito a desejar em tantos sentidos que fica difícil fazer uma lista.

Parece que a equipe está desatualizada, sem noção do mercado atual.

O Prêmio está enferrujado. É tanto medo de se tornar obsoleto e de ser criticado que é exatamente essas coisas que estão acontecendo.

A comunicação com a imprensa e com os próprios artistas. Daí vai também de uma via dupla, vejo também muitos autores que só falam mal e não tentam se informar um mínimo, para saber do que estão falando. Mas parte da culpa disso é do próprio troféu que não tem se comunicado tão

bem com os profissionais.

O tipo de critério de relevância usado para a seleção não é claro. Este ano foi confuso com muitas publicações.

Estão desatualizados do mercado atual nacional

O

processo de eleiçao

A

organizacao

o

serginho groisman

O

amadorismo que cerca o prêmio. Se é o principal prêmio brasileiro de quadrinhos, a organização precisa refletir isso.

A

curadoria não conseguir controlar/ter noção de tudo o que está sendo publicado no país.

Maior destaque para grandes editoras/autores e repetição dos premiados.

A resistência da organização quanto às mudanças quanto ao sistema de votação.

Premiar profissionais que já estão há tempos no mercado ou que já ganharam o troféu.

A

falta de revisão e abertura para modificações.

A

organização jurássica.

O

que eu acho confuso é quem concorre, como concorrer acho que poderia ter uma área para os iniciantes explicando tudo.

Sistema de votação e como, mesmo tendo centenas de lançamentos no ano, os votantes possam escolher seus preferidos sem ter lido todos. Ganha-se obviamente quem tem mais exposição.

O excesso de categorias, as categorias desnecessárias, a falta de surpresa na revelação dos premiados (feita semanas antes da entrega), a divulgação que poderia ser maior.

A falta de critério nas indicações

Categorias que se confundem

A falta de patrocínio e investimento financeiro no prêmio o prejudica pois sem dinheiro os organizadores são obrigados a organizar o Troféu HQMix em condições precárias.

Falta de critérios para categorias, falta de transparência, divulgação ruim

o fato de muita coisa ser levada ao prêmio só pela hype, e nem tanto pela qualidade em si.

As regras e estrutura da prêmiação.

A falta de direção. Os vencedores consistentemente alienados de inovação, ganhadores de importância ínfima na cena, insistência nos super heróis, insistência nos padrões estéticos importados das grandes editoras comerciais

Sua falta de representatividade. A falta de um corpo de jurados competentes e que conheçam, de fato, os concorrentes.

o evidente puxassaquismo a grupos Mauricio de Souza e gdes nomes que sempre estão ali

A comunicação.

A falta de questionários como esse buscando entender melhor quem são os artistas e o que eles estão achando do prêmio

Falta de merchandising

Forma de votação muito ampla, torna seleção dos vencedores uma especie de campanha por votos.

Não acho que exista uma coisa maior, mas são várias coisas pequenas que diminuem o prêmio. Precisam se repensar e reencontrar o lugar de prestígio, para que os quadrinhos se tornem relevantes.

a pouca divulgação de material independente

Os critérios e comissão para seleção, deixando sempre quadrinhos ganharem por popularidade e não relevância ou critérios críticos.

Categorias vagas.

a falta de critérios nas categorias, a falta de conhecimento do juri do total de publicações e a falta de algumas categorias técnicas relevantes.

divulgação e transparencia( metodologia etc)

Os processos para participar e votar, o conteudo virtual e a medicao da premicao. Dado o volume de material recebido, um portal do hqmix seria um importante veiculo de divulgacao e acervo sobre a producao de quadrinhos nacionais

A sensacao de que o Brasil como um todo não é representado. Muito centrado no eixo sul-sudeste

Clubismo e favorecimento dos grandes e hors concours

artistas da área não sentirem legitimidade no prêmio

nao gosto muito da quantidade de publicação lesbicas. eu entendo que é uma questao de liberdade e que cada um tem sua opiniao, mas ha muitas lesbicas inclusive nos estudio mauricio de souza.

Ser sempre os mesmos, e ficar muito no cenário Rio-São Paulo

A falta de discussão do que é qualidade no quadrinho nacional, o que gera a seleção de dezenas de títulos sem profissionalismo e revisões para a concorrência.

toda a organização que parece alheia aos novos tempos do mercado

Comunicação

Não entendo os critérios de escolha, por mais que hajam tentativas de explica-los

A falta de conexão com o momento atual do cenário/mercado.

Acho o prêmio um tanto amador e, como dito antes, sempre me parece que há algo de panelinha nas indicações e premiações. Mas talvez isso seja um mau de todo o mercado editorial e artístico brasileiro no geral. Penso que isso mina a produção autoral, que desestimula uma maior e mais diversificada produção de quadrinhos. Acho até que muito autor prefere seguir por um caminho já certo - talvez emulando alguns dos já amplamente premiados - em vez de inovar e produzir algo de realmente diferente, que é no cerne o esperado para um artista.

Informe qual o formato de votação que você considera melhor

45,9% 15% 23,3% 15,8%
45,9%
15%
23,3%
15,8%

2015: Os indicados são primeiramente escolhidos por um júri interno. Após isso são divulgados e reavaliados pelos artistas antes das cédulas finais de votação serem enviadas. Após a votação são divulgados os vencedores.

31 23.3%

2017: Primeiramente uma grande lista de todas as publicações coletadas é divulgada e reavaliada pelos artistas antes das cédulas de votação do 1º turno serem enviadas. Então são indicados os 10 mais votados no 1º turno e ocorre um 2º turno de votação de onde saem os vencedores.

21 15.8%

(Possível proposta dada pelo JAL recentemente) Semelhante à 2016, mas todos os interessados em concorrer deverão cadastrar seus trabalhos por conta própria.

61

45.9%

Outro: Informe na caixa de texto logo abaixo

20

15%

HQ Mix 2016 - Questionário Não Oficial - Formu

https://docs.google.com/forms/d/1IUNwCq-wP6l

Tem alguma sugestão de alteração no formato de votação, seja parcial ou completo? Descreva.

Acredito deve haver um júri e se abrir para votação popular, acho que esse voto deveria somar com o júri.

Eu acredito na forma como são feitos os Salões de Humor e Salões de Arte no mundo todo. Juris técnicos que escolhem os trabalhos. Às vezes acontece de ter dois júris diferentes, um que escolhe quais obras vão para o salão (os indicados) e outro que escolhe, entre os indicados, os

vencedores. Essa coisa de "votação popular" é legal que gera mais engajamento e publicidade gratuita para o evento, mas, no final, sempre fica a sensação de que não venceu o melhor, mas o que tinha mais amigos dispostos a votar.

Manter a escolha de jurados, mas com a existência de inscrição prévia e explicação sobre os critérios de cada categoria.

O HQ Mix tem de encontrar sua evolução sem trair seus ideais originais. Novas formas de escolha talvez se encaixem melhor numa nova premiação.

Deveriam acrescentar um categoria de voto popular.

A votação poderia ser a proposta pelo Jal, mas com critérios e pontuações que avaliariam alguns critérios especificos de cada categoria. Esses criterios poderiam ser objetivos ou subjetivos e avaliados de 1 a 5, por exemplo. Vou dar um exemplo para webtiras: assiduidade, arte, criatividade,

etc. depois esses pontos seriam somados.

Pro ano que vem, formular uma cédula de votação que agrade à todos, pedindo exemplos, opniões, fazendo uma pré-lista (sem nomes), apenas pra exemplificar e mostrar o que acrescentar e tirar

Acredito que um sistema de inscrição funcionaria melhor, como ocorre no Jabuti.

Inscrição é essencial, bem como júri, para evitar virar um prêmio de popularidade.

Votação pela comissão em todas as etapas. As comissões seriam anuais e formadas pelos ganhadores do ano anterior, que indicariam os concorrentes e divulgariam o resultado apenas na cerimônia. Outra opção é que a comissão escolha é abra votação apenas para ganhadores de anos anteriores. Obviamente, membros da comissão daquele ano não concorrem ao premio. Um prêmio especial de público pode ser criado, com votação aberta.

Um juri diverso e especializado

Poderia haver o juri normal, e um voto popular que valeria como um jurado. Assim, permite a possibilidade do público aberto ser ouvido, mas sem cair no erro de pessoas com muitos amigos ganharem (por exemplo, num jure de 10, ser 9 pessoas escolhidas e 1 ser o voto popular).

Para mim, a melhor proposta foi a do Guilherme Kroll, de simular o modelo do Jabuti: com inscrições pagas, mesmo que valor simbólico (R$10 por categoria, digamos), para que esse valor seja revertido em manutenção decente das redes sociais e outras mídias. Essas inscrições seriam checadas por comitê para ver se "cabem" nas categorias em que foram inscritas (exemplo: veterano não pode se inscrever em Novo Talento, os Infantojuvenis devem obedecer determinadas diretrizes de "material apropriado", etc). Essa lista vai, então, para votação por membros do meio. Mas para que isso funcione, é necessário delimitar cada categoria adequadamente.

Acima foi mal explicado. Não foi explicado que no formato até 2015 a votação era feita pelos profissionais da área. Acho que uma mescla do que vinha sendo feito até 2015, mas com inscrição para algumas das categorias. E vai crescendo essas inscrições até ter inscrição pra todas.

A pré-indicação de um juri é importante para valorizar os indicados. Deixar na mão dos votantes para a pré-seleção, vai para o 2º turno aqueles que fizerem mais campanha pedindo voto, algo semelhante ao Angelo Agostini e que acaba por desmerecer um pouco o prêmio.

Juri qualificado, voto popular vira campanha e ganha quem tem mais amigos

Só concorre quem se inscreve nas devidas categorias e o primeiro turno de votação deve ser de uma banca especializada e montada ano a ano. É importantíssimo que não se repitam jurados em anos seguidos para trazer maior diversidade.

A proposta do Jal é interessante

A formação de um juri a cada edição do prêmio com pessoas ligadas a área e que possam eleger uma gama diversificada de indicados e vencedores.

Mantém igual o de 2015, porém com um juri bem mais diversificado.

Que como no Jabuti, por exemplo, quem vá participar, faça sua inscrição e envie os exemplares para o julgamento. Assim os jurados podem ter contato com todas obras que disputarem. Na atual forma, boa parte das HQs listadas sequer foram vistas pelos jurados, que não iriam corres atrás de 200 títulos, mas sim irão votar nos que eles já conheceram, através de indicações ou que compraram. O prêmio dessa forma atual, prioriza quem está mais divulgado (sejam as editoras grandes que podem financiar publicidades maiores, sejam grupos do meio que se fecham por afinidades). Será mais democrático o envio de alguns exemplares por pate dos concorrentes (que se inscreveriam no prêmio) e se necessário, o rodizio desses exemplares entre os jurados (caso o número de jurados seja muito grande, impossibilitando o envio de um exemplar para cada jurado).

1- Concorrentes, editoras e autores, inscrevem sua obra e pagam por isso; 2- Um corpo de jurados grande e especializado (além de pago com o dinheiro da inscrição, além de recursos de Proac para eventos, por exemplo) lê todas as obras inscritas, sem deixar escapar uma que seja

(abrangência de leitura nível Sidney Gusman); 3- Juri escolhe os indicados; 4- Profissionais do meio já cadastrados fazem a votação final; 5- Premiados são anunciados apenas na cerimônia, de forma surpresa.

Pode ser utilizado o formato clássico (usado até 2015), mas com inscritos no lugar da grande lista.

Mais transparência no processo de seleção dos indicados

seria legal abrir um corpo de júri interno que tivesse acesso a cena atual de maneira mais abrangente.

Minha sugestão: no fim de uma premiação é escolhido o próximo júri (poderia ser indicação dos antigos juízes, ou votação virtual [facebook ou site, desde que pudesse ser uma voto por IP] ou candidatura), assim teria 1 ano para conhecer quem são os juízes. Para concorrer ao prêmio todos autores que enviar duas cópias para analise (sendo que após a eleição elas fariam parte de alguma biblioteca ou gibiteca), indicando qual(s) categoria(s) gostaria de concorrer. Mensalmente seria informado quais os títulos foram recebidos (e já poderiam ser lido pelos juízes neste tempo) e três meses antes da festa de premiação poderia ser feita uma indicação para a 1° fase por pessoas da área e consumidores de quadrinhos e s juízes, ao mesmo tempo, poderiam acrescentar outros títulos; na 2°fase teriam cortes feito pelos juízes para chegar em 8 a 7 concorrentes em cada categoria para na 3° fase ser escolhidos os vencedores.

Todos os interessados em concorrer deverão cadastrar seus trabalhos por conta própria. Deve ter um corpo de jurados especialistas na área que leia, pelo menos, TODOS os finalistas.

nunca será possivel agradar a todos, fato. mas é necessário pensar uma forma de evitar repetições consecutivas nos premios

Um júri responsável por apenas uma ou algumas poucas categorias na quais tem conhecimento e consegue avaliar. Não tenho opinião formada sobre a leitura de tudo lançado mesmo que com inscrições, já que é quase impossível.

Não

Deveria seguir o modelo de festivais, em que artistas/editoras/profissionais inscrevem suas hqs, enviando exemplares para uma comissão especializada escolher os indicados. Criar uma categoria eleita pelo juri e outra por profissionais.

Gosto bastante da versão anterior, só acredito que o júri deve ser renovado de tempos em tempos.

Cada autor cadastra sua obra que e os votantes atribuem uma nota durante todo o ano (como no skoob ou no guia HQ) só que as notas separadas por categoria. Os mais relevantes em cada categoria seriam lidos e avaliados por uma comissão julgadora que premiaria os melhores!

tenho não

não sei ainda

Cada pessoa escolhe a revistinha que mais gostou e escreve (secretamente) em uma celula de papel e depois todos poe os papeis em uma urna eletronica que contabiliza os votos e decide quem ganhou. Seria mais justo assim.

Um Juri me passa mais credibilidade sobre os selecionados para outra etapa do prêmio; deixar uma votação aberta, como no Ângelo Agostini, tem o caráter do mais votado, isso é, do mais popular, e não necessariamente do melhor. Talvez tentar mesclar isso, tendo uma fase de mais

votados, chegando em 20 candidatos, filtrados pelo juri e sobrando 5, e depois uma última rodada de votos acontecer uma eleição do juri de cada ano também

Primeiro uma lista escolhida por um juri interno que represente as forças atuais do mercado. Essa primeira lista seria maior que a de 2015 e bem menor que a de 2016. Depois uma votação que classificaria os finalistas e então a votação final.

Acho que nesse caso de uma grande lista, esta deveria ficar aberta para algum tipo de alteração e/ou complemento de alguma obra esquecida e que possa vir a concorrer. E a partir dai ser votada por uma comissão, sendo que seria legal ter algum tipo de explicação para os prováveis escolhidos, para que a escolha ficasse mais transparente.

Acredito que a formula antiga, adicionando as inscrições (e possibilitando aos jurados a leitura de todos os títulos) seja o ideal.

sei lá. O Juri, de qualquer forma, tem um peso muito grande em qualquer cenário em que ele participe, por isso é preciso ser muito bem selecionado também. Talvez pudesse

Qual sua opinião sobre o formato antigo de votação do HQ Mix?

18,8% 49,6% 18,8%
18,8%
49,6%
18,8%

Bom

17

12.8%

Ruim

25

18.8%

Médio

66

49.6%

Não posso opinar / Prefiro não opinar

25

18.8%

Qual sua opinião sobre o formato novo de votação do HQ Mix?

 
25,6% 18% 48,9%
25,6%
18%
48,9%

Bom

10

7.5%

Ruim

65

48.9%

Médio

34

25.6%

Não posso opinar / Prefiro não opinar

24

18%

Finalizando

Deseja deixar mais alguma mensagem para os organizadores do Troféu HQ Mix?

Continuem! O mercado precisa de vocês!

Continuem o trabalho, continuem fazendo ajustes e tentando melhorar. É assim que se chega a perfeição.

Sugiro que tenha primeiro, segundo e terceiro lugar

Os artistas e o mercado não querem fazer birra e mudar "PQ SIM" o HQMIX. Só queremos que a premiação esteja atualizada, organizada e que reflita a real cena atual de quadrinhos no brasil.

Não.

Transmissão ao vivo do evento via youtube (e manter no ar).

Torço por eles, mas a quantidade de equívocos tem se mostrado maior do que a de acertos.

Ouçam mais as redes sociais - filtrando claro, os "posts de ódio". A idéia de fazer uma cédula de votação pra exemplificar, seria uma boa! Com base em um modelo, pode-se chegar à um definitivo e de agrado para a grande maioria. De resto, só me resta parabenizá-los por lutar tanto e sobreviver nessa selva!

no.

Não se faz um prêmio jogando nas costas dos eleitores a responsabilidade total pelas indicações e contemplados. Há de se fazer, ao menos, uma revisão, uma apuração do que está sendo votado. Problemas financeiros podem ser contornados se o prêmio solicitar uma taxa de inscrição simbólica, pois, se a aderência for grande, ganha-se em quantidade.

O prêmio precisa manter sua lisura e transparência, sem justificações de declarações baseadas em paranoia e intrigas (imaginadas ou reais). Também seria muito bom que as decisões da comissão não fossem ignoradas por um ou outro integrante tradicional. Se existe uma comissão, é

para que ela decida sobre o prêmio, não ser ignorada por um outro nome da premiação

O prêmio é bom, no geral. Também acredito na idoneidade dos integrantes. Mas acredito que uma renovação é necessária, para a própria sobrevivência do prêmio.

As mesmas pessoas ganham em algumas categorias e o formato de votacao favorece quem tem comparsas

vida longa e prospera!

sejam melhores

Não sejam cabeças duras. Não banalizem as indicações, isso tira bastante o prestígio da indicação real. Não destruam o trabalho tão relevante que construíram por décadas.

Escutem as pessoas da área. Continuem evoluindo :)

Acredito no troféu, adoro o troféu, e a melhor característica historicamente dele era a mutação e seguir sempre perto dos profissionais da área. Isso se perdeu um pouco nos últimos anos. Deve ser retomado para o bem do troféu. Talvez buscando novos participantes para a organização.

O HQ Mix nunca reflete a cena de quadrinhos brasileira. Os artistas e as publicações mais falados não aparecem. E faltam mulheres

Traga novas cabeças para terem novas soluções criativas

Vcs fazem e os que fazem correm risco de errar mas continuem. O aprimoramento será constante. Conquistem os novos autores. Muitos nem conhecem a premiação.

O HQMIX é a nossa premiaçãomais importante e os pedidos de mudança não podem ser vistos como uma forma de diminui-lo, e sim adaptá-los a realidade atual.

Embora estou no mercado há mais de 20 anos e com publicações consideráveis, nunca fui indicado ou, ao menos, conversei com os organizadores. O que fazer para ser ouvido?

Não deixem o prêmio morrer, as regras do jogo mudam. Vamos adaptare manter firmes! Já li muita coisa legal por causa do prêmio, mas realmente precisa rever algumas questões.

Obrigado por seguirem fazendo o prêmio, apesar dos tropeços e problemas, e sigam por favor tentando mudar para melhorar quando podem nesses 30 anos. Parece que estão abertos a ouvir as pessoas e isso é muito importante.

Acho importante melhorar a curadoria sobre os inscritos/indicados para evitar as muitas distorções que tem ocorrido.

O problema do prêmio foi que geralmente são lembradas os produtos de editoras que tem melhor divulgação no mercado. Sei que é impossível tanto pra um Juri especializado quanto pro público em geral ler todos os lançamentos, por isso seria melhor que houvesse uma pré-seleção a

partir de indicações de editoras e artistas. E daí, que o Juri especializado lesse realmente todos os indicados - o que não é tarefa fácil ainda assim, mas provavelmente ajudaria bastante para que houvesse menos reclamações de profissionais.

seria uma forma legal de incentivar.

HQ Mix 2016 - Questionário Não Oficial - Formu

https://docs.google.com/forms/d/1IUNwCq-wP6l

tenho várias criticas nessas respostas, mas gostaria de deixar bem claro que gosto muito da iniciativa do projeto e de maneira nenhuma gostaria de desvalorizá-los, se eu critico é por que gostaria de ver tal projeto sempre melhor.

Sei que vocês tem um carinho e apego a premiação (foi feita com muito esforço e sacrifício), contudo a organização deveria ser mais aberta e pedir para mais pessoas interessadas no fomento do quadrinho a integrar na comissão, tanto para aconselhar e como para aproximar da nova geração de quadrinistas que surgiu e está surgindo. Acho que o prêmio isolou-se e não quis mais dialogar com os quadrinistas

Abram os olhos. Quadrinhos independente é independente conceitualmente, esteticamente. Reprodução de padrões - mesmo que de forma independente - não é progresso, não acrescenta em nada. Atentem aos reais criadores, aos inovadores, ao experimentalismo, ao que não está alinhado ao mercado.

MELHOREM O PREMIO. Ninguém quer que acabe, mas tomando medidas burras e com tantos furos (como fizeram esse ano) faz com que seja perdido o respeito e relevância pelo HQ MIX

acho um trabalho valente, importante, mas que precisa amadurecer e se profissionalizar internamente.

Espero que eles leiam com atenção as respostas desta pesquisa e consigam reformular o prêmio para 2017 atendendo da melhor forma possível essas reivindicações.

Tentem divulgar mais o trófeu HQ Mix

olhar com mais atenção o crescente mercado independente ao invés de premiar cada vez mais os medalhões conhecidos e diversas vezes premiados

Para quem quer criticar a desorganização e falta de esclarecimentos do troféu hq mix

não

Acompanhem mais o cenário de perto, e sejam mais próximos do meio com produções independentes ou de pequenas editoras que lutam para ter algum espaço com ótimas publicações e artistas talentosos que passam desapercebidos, pela promiação focar em obviedades, hors concours ou grandes editoras e títulos já obviamente conhecidos e previamente premiados. Que sejam uma curadoria do que tem de bom por aí que vale a pena as pessoas prestarem a atenção sem cair no óbvio.

Sim. No ano passado o microfone esteve com microfônia e cada vez que um dos irmãos cafagests agradecia a gente ouvia apenas uma guinchado muito agudo. Seria interesante contratar outra empresa para microfones?

pelo amor de deus criem um jure rotativo e plural e definitivamente larguem o osso.

Continuem trabalhando, esse prêmio é muito importante. Mas nunca deixem de ouvir os artistas da área.

Espero siceramente que o prêmio, por conta de sua importância, encontre soluções melhores para a próxima edição.

Que façam do prêmio algo mais transparente, profissional e comercial. E que, por favor, não se rebaixem a fazer "favores" para editoras nem ficar afagando ego de artistas e profissionais que são invariavelmente premiados. Existe uma gama enorme de artistas e obras sendo feitas e produzidas no Brasil que nem ao menos são lembradas. Eu não quero ficar, por exemplo, ouvindo um nome como o do Grampá - excelente artista, excelente profissional - sendo indicado sendo que ele não produz há anos e mesmo assim sempre é o "gênio", o "fodão", o "grampazão" seja, chega dessa coisa de "chegosfera", de ficar se autopremiando, de escolher obras por uma falsa "relevância midiática" em vez de uma obra pelo que ela é. Que o prêmio se torne um farol para novos e excelentes artistas e não uma camarilha de autopromoção entre amigos.

Ou

este questionário ficou bem mal explicado

algumas perguntas meio repetitivas e mal formuladas!

Número de respostas diárias 100 75 50 25 0
Número de respostas diárias
100
75
50
25
0