Você está na página 1de 1

AMANHECEU EM MEU CORAO.

Solstcio de inverno em minha alma. Os raios de sol derramam esperana e expectativa com o
novo dia. Samambaias florescem em xaxins secos enquanto busco cruzar a tnue nvoa que
separa o sonho da realidade. Os sons dos gravetos partidos sob meus ps me remetem a um
mundo de alegorias plenas. So querubins, colombinas, gondoleiros do amor, agentes de
viagens intergalcticas e faxineiros de almas e mentes que desfilam com a impreciso das
retinas reticentes, recm despertas. H gotas de orvalho escorrendo dos grossos caules de um
passado ainda adormecido. Descem sonolentas, caem e se espatifam sobre insetos
metamorfoseados em pssaros ciganos. O doce aroma da seiva dos pinheiros rasga todas as
ltimas suspeitas da madrugada perdida. Canta o galo garnis o hino da ressurreio.
Amanheceu em meu corao...

Betusko- 15.07.09