Você está na página 1de 4

EDUCAÇÃO Á DISTÂNCIA: UMA MODALIDADE DA EDUCAÇÃO

CONTEMPORÂNEA

Ana Paula de Oliveira


Elem Lustosa
Pedagogia - UNICENTRO

Introdução
O desenvolvimento tecnológico gera várias vertentes na educação, uma delas
bastante difundida hoje, é a Educação à Distância – EaD, uma modalidade de ensino
não presencial e considerada e reconhecida como um caminho para alcançar a
escolaridade. Na sociedade contemporânea, inúmeros são os contextos nos quais a
EaD se apresenta como uma modalidade importante e necessária, seja para a
democratização da educação, seja como alternativa de inserção social e de
propagação do conhecimento do indivíduo. Devido ao seu crescimemnto nos últimos
anos esse texto procura conhecer e discutir sobre a EaD e seus desafio para a
educação.

Origem do Ensino à Distância


As origens da Educação à Distância – EaD, têm seu início nos cursos por
correspondência, cujo primeiro registro ocorreu no Reino Unido, em meados do
século XIX. Em 1856, foi fundada em Berlim a primeira escola por correspondência
destinada ao ensino de línguas e posteriormente o curso sobre medidas de segurança
no trabalho de mineração.
Através do desenvolvimento tecnológico, os meios de transporte contribuíram
para o aperfeiçoamento dos serviços de correio. Assim, o campo da informação, bem
como da comunicação fluíram de forma decisiva para os destinos da educação à
distância.
Em meados de 1992, a antiga União Soviética organizou o primeiro ensino
por correspondência em dois anos, a França criou o ensino via postal, e a partir daí,
começou a utilização de um novo meio de comunicação, o rádio. O rádio alcançou
com eficiencia o território nacional e internacional.
A educação à distância, com muita rapidez, atingiu as redes nacionais e
internacionais. Após as décadas de 1960 e 1970, ela passou a incorporar
integradamente o áudio, o videocassete, transmissões de rádio, televisão, videotexto,
computador e, atualmente, a tecnologia de multimeios que combina textos, sons e
imagens.

Hoje as tecnologias utilizadas na EaD, não só representam um meio de


comunicação, como também é um meio colaborativo para pesquisa ciêntífica.
Almeida (2002), levanta essa questão quando aponta que:

“A disseminação do uso das tecnologias de informação e comunicação em diferentes ramos


da atividade humana, bem como sua integração às facilidades da telecomunicações,
evidenciou possibilidades de ampliar o acesso à formação e o desenvolvimento colaborativo
de pesquisas científicas. Mais importante do que a ampliação de possibilidades, a
incorporação à EaD de diferentes recursos tecnológicos, e, especialmente das tecnologias de
informação e comunicação (…)”.

Nesse sentido, o desenvolvimento tecnológico estimula a Educação na


pesquisa, possibilitando a troca de saberes e o desenvolvimento de estratégias
educacionais na modalidade.
No Brasil a Educação à Distância mistura dois mundos: Tecnologias de
ultima geração que trabalham em sinergia com modelos antigos na construção de um
novo conceito educacional. Um paradigma apontado por muitos como o que
prevalecerá sobre todos os outros no futuro, onde essas modernas ferramentas
multimídia ocupam um espaço antes dominado pela simplicidade.

Ambientes Virtuais de Aprendizagem


O ensino por multimeios desenvolveu-se como um modelo predominante na
maioria das experiências de EaD, onde as comunidade virtuais de aprendizagem tem
objetivos educacionais, através de novos softwares de discussões pedagógicas de
fácil manuseio e controle de aulas, discussões e outras atividades virtuais.
Associar as tecnologias digitais ao processo de ensino aprendizado ilustram
algumas das formas do mundo globalizado, que passam a ser incorporadas à
educação, “permitindo a construção de ambientes de aprendizagem do modo mais
pedagógico” (SILVA, 2009).
A EaD tem como característica a afinidade de interesses entre os
participantes, proporcionando a interação de pessoas com entendimentos, pontos de
vista e habilidades diferentes. Nestas comunidades tem-se a oportunidade de buscar
em conjunto e com criatividade, soluções dos problemas, levando-se em conta as
idéias e referências do conjunto.

Conclusão
A EaD é uma das formas de representação dos fenômenos tecnológicos que
tem sido amplamente difundido e perfaz o processo de inovação educacional mais
amplo, o qual integra as novas Tecnologias de Informação e Comunicação nos
processos educacionais.
Apesar das ações na modalidade a distância estarem presentes, no Brasil,
desde fins do século XIX e de existirem diversas iniciativas durante o século XX,
apenas no final deste, em 1996, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) passa
a tratar da EaD, possibilitando-a de existir em todos os níveis de educação. A
presença da EaD na legislação favoreceu a ampliação de cursos nessa modalidade em
instituições públicas e privadas. Começa a haver oferta de cursos de graduação em
todo o país, com ênfase em cursos de licenciatura. Além disso, surgem os cursos de
especialização a distância pela internet como resultado das parcerias entre empresas e
universidades.
Hoje, as políticas de EaD são regulamentadas pelo Ministério da Educação
(MEC) que iniciaram no final da década de 1980. A partir dessa década ocorre à
disseminação das Tecnologias de Informação, na modalidade à distância, associadas
aos meios de veiculação já existentes.
Esse breve percurso histórico da EaD, no Brasil, possibilita a percepção de
que o ensino por correspondência, multimeios e uso de Tecnologia de Informação e
Comunicação que marcaram o seu desenvolvimento. Porém, ainda um pouco distante
das necessidades do mercado de trabalho, do processo de globalização e das
dinâmicas da produção mundial.
O Brasil caminha para uma flexibilização forte de cursos, tempos, espaços,
gerenciamento, interação, metodologias, tecnologias e avaliação, exigindo uma
grande responsabilidade para a educação.
Referências
ALMEIDA, M. E. B. Incorporação da tecnologia de informação na escola:
vencendo desafios, articulando saberes, tecendo a rede. In Moraes, M. C. (org.).
Educação a distância: fundamentos e práticas. Campinas, SP: NIED/Unicamp,
2002.

BRASIL. Lei nº 9394/96, de 7 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e


bases da educação nacional. Disponível em: <
http://www.scribd.com/doc/19690886/LDB ATUALIZADA>. Acesso em 04 abr.
2010.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Proposta Para o Programa de


Formação Continuada Na Educação à Distância. Versão preliminar 2009.
Disponível em: < http://www.e-escola.pr.gov.br/mod/resource/view.php?
id=253478&subdir=/Biblioteca_Unidade_2> Acesso em: 05 abr. 2010.
de 2009.

SILVA, João. WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: ferramentas para ambientes


colaborativos. Pedagogia – Unicentro, 2009.

EaD no Brasil Hoje I


http://pt.wikipedia.org/wiki/Educa%C3%A7%C3%A3o_a_dist%C3%A2ncia
Acesso em 05 abr. 2010.