Você está na página 1de 4

Pós-Graduação – EAD Uninter

Técnicas Avançadas de Conteúdo: Estrutura e


Produção Lean & Seis Sigma Métricas Seis Sigma
Ao final desta aula o aluno deverá
ser capaz de:
Aula 2
 entender a pirâmide
organizacional do Seis Sigma
Prof. Osny Augusto Jr.
 conhecer e interpretar o método
DMAIC
Engenharia da Produção  aplicar as Métricas Seis Sigma

A Pirâmide Organizacional O Método DMAIC


do Seis Sigma Contrato do projeto
(project charter), Métricas
Selecionar as Seis Sigma, gráfico
Deve liderar a oportunidades de sequencial, análise de
D
ALTA
DIREÇÃO Define Definir
mudança cultural melhoria mais séries temporais, análise
importantes econômica, estatística
CHAMPIONS
descritiva, QFD e mapas
de fluxo do processo
1:30 MASTER
BLACK BELTS
Avaliação do sistema de
Medir o
medição (MSA), box plot,
1:100 desempenho
folha de verificação,
BLACK BELTS

atual dos
estratificação, diagrama
1:30 M Measure Medir desvios
de Pareto, histograma,
relacionados às
GREEN BELTS
índices de capacidade,
oportunidades
FMEA, FTA e Métricas Seis
MEMBROS DE EQUIPE,
de melhoria
WHITE BELTS OU YELLOW BELTS Sigma

Gráfico para controle,


Análise do tempo de Implantar gráficos de controle para
ciclo, intervalos de ferramentas de pequenos lotes, índices de
confiança, testes de controle para capacidade, indicadores,
Analisar quais
hipótese, análise de
C
variáveis de garantir a Métricas Seis Sigma,
Control Controlar
A
variância (ANOVA), manutenção das Poka-Yoke, On the job
Analyze Analisar entrada afetam o
multi-variáveis, análise melhorias training (OJT), auditorias,
desempenho
de correlação, análise de introduzidas a padronização, planos de
atual
regressão e longo prazo controle e relatórios de
planejamento de anomalias
experimentos

Procurar e
planejar soluções Matriz de priorização,
para eliminar ou superfície de resposta,
minimizar as simulação, 5w2h,
I Improve Melhorar fontes de variação diagrama de árvore,
para as variáveis diagrama de Gantt, PERT
de entrada afetam - CPM, lean, simulação e
o desempenho testes de mercado
atual

Núcleo de Materiais Didáticos 1


Pós-Graduação – EAD Uninter

Os Passos da Metodologia Rota DMAIC – Road Map


DMAIC
Qual é a expectativa do cliente?
Define Quais são os CTQ’s?
Qual o processo que deve ser melhorado?
Quais as fontes potenciais de variação?
Measure Qual a capacidade do processo?
Qual é a frequência de defeitos?
Analyze Por que, quando e onde os defeitos ocorrem?
Quais são as principais fontes de variação?

Improve Como o processo pode ser melhorado?


Como aumentar a capacidade do processo?
Control Como controlar as fontes de variação mais
importantes para manter o processo sob
controle?

Métricas Seis Sigma  Oportunidades (O): formas


Definições que o processo têm de se
desviar do que é especificado
 Defeituoso: unidade que para cada unidade, gerando
apresenta um ou mais defeitos não-conformidade
Defeito (D): qualquer não
Rendimento (Y): rendimento

conformidade às especificações

do processo
 Unidade (U): saída do processo
que será avaliado segundo a  Número de etapas (m): número
presença de defeitos de etapas/passos de um processo

Métricas Seis Sigma Métrica Definição Fórmula Exemplo


Métrica Definição Fórmula Exemplo É o índice que 5 defeitos em 125
Expressa o número 100 unidades com 3 mede a peças avaliadas com 3
DPO = DPU / O
total de oportunidades de quantidade de oportunidades de
Total de TOP= (U x O)
oportunidades e defeitos: Defeitos por defeitos em defeito (riscos, trincas
Oportunidades
erros que podem Oportunidade relação às e rebarbas):
TOP = 125 x 3 = 375
(TOP
TOP) ser cometidos em (DPO) oportunidades
uma determinada de erros de 
DPU

0,04
 0 , 013
amostra
DPO
cada amostra
O 3

5 defeitos em 125 É o índice que 5 defeitos em 125


peças avaliadas: mede a peças avaliadas com 3
É a fração de DPU = D / U Defeitos por DPMO = DPO x
amostras que quantidade de oportunidades de
Milhão de 106
defeitos, em defeito (riscos, trincas
Defeitos por contém defeitos Oportunidade
DPU 
D 5
 0,04 milhões, em e rebarbas):
Unidade em relação à
(DPMO
DPMO)) relação às
quantidade total
U 125
(DPU
DPU) DPMO = 0,013 x
oportunidades
de amostras em 1.000.000 = 13.000
um determinado de erros de
ppm
cada amostra
ponto de avaliação

Núcleo de Materiais Didáticos 2


Pós-Graduação – EAD Uninter

Exemplo
Métrica Definição Fórmula Exemplo

ó
É o índice que Qual é o nível sigma
mede o nível de para um processo
qualidade do ó  0,8406  onde DPMO = 13.000
Nível de
processo para ppm?
Qualidade
dados discretos  29,37  2,221 ln DPMO
já considerando ó  0,8406 
Onde ln = 2,718282
o deslocamento
 29,37  2,221 ln 13.000
de ±1,5ó
  3,73
(Schimidt e Launsby,1997)

Atenção!
Observe o efeito do
número de oportunidades
no valor do sigma
do processo

O que você não vê no


Relações de Rendimento - Y
processo
 Y - é o rendimento de uma cadeia
sem levar em consideração o Y=
rendimento individual de cada
Y=
Input = 1000
Processo Output = 965
96,5% 96,5%

etapa Retrabalhado = 40
Para retrabalho = 75

Entrada Saída PERDAS Sucata =35

Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3

1.000
35 peças refugadas 965 O processo
unidades
unidades escondido!

 965 
Y   0,965
 1000  Rendimento = 96,5%

Relações de rendimento - Exemplo de Aplicação das


RTY Métricas Y e Rty
 YRT - é o rendimento total de uma
cadeia levando em consideração o
rendimento individual de cada uma das
etapas
Retrabalho Retrabalho Retrabalho
Entrada 10 unidades 8 unidades 22 unidades Saída
Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3
1.000 965
Refugo Refugo Refugo
unidades unidades
5 unidades 20 unidades 10 unidades
 35  40 
RTY  1 -    0,925
Total de refugo = 35 unidades  1000 
Total de retrabalho = 40 unidades Rendimento final = 92,5%

Núcleo de Materiais Didáticos 3


Pós-Graduação – EAD Uninter

 No gráfico abaixo é possível observar que Normalizando Resultados para


apesar de cada operação possuir um alto Efetuar Benchmarking
rendimento individual, o resultado final
do processo (YRT) é péssimo  O que é Benchmarking?
 Benchmarking é o processo ou
método de examinar em detalhe
algum processo da organização e

Perda
compará-lo com um processo similar
que esteja sendo executado de
maneira mais eficaz (Benchmark),
na própria empresa ou em outra
organização, visando implementação
de melhorias significativas

 Por que normalizar? O que Métricas Utilizadas para


significa isso? Benchmarking
Métrica Definição Fórmula

 Normalizar significa trazer os


Representa o rendimento médio de uma
Y normal cadeia de atividades dentro de um Y normal =

valores de rendimento e de sigma


processo
Representa a quantidade média de

para uma mesma base de cálculo


defeitos gerada em cada etapa de uma
DPU DPU = - ln (Y normal)
normal
cadeia de atividades dentro de um normal

(valor médio), na qual eles


processo
Z equivalente é aproximadamente igual ao

possam ser comparados em curto


Z e valor do Z padronizado (obtido na tabela Z e ≈ Z ~ N(0;1)
de distribuição padronizada)

e em longo prazo com outros ZLT Representa a capacidade de longo prazo ZLT = Ze

processos internos e com


Representa a capacidade de curto prazo e
ZST leva em consideração o deslocamento de ZST = ZLT + 1,5

processos externos (dos


1,5ó
É o indicador de referência para

concorrentes)
comparação entre processos internos e Z =Z +
Z Benchmark Y normal
Benchmark
externos. Como o próprio nome já diz é o 1,5
valor para Benchmarking

Exemplo de Cálculo para Benchmarking


 Utilizando os resultados do exemplo anterior, no qual
temos um processo com 3 etapas (m =3) com
rendimento total de 92,5%: Para efeito de
Benchmarking
este processo
 35  40 
RTY  1 -    0,925
 1000 
possui
rendimento de
Passo 1: Y normal = = 0,9743 97,435 e nível
onde Z = 1,95 (tabela) sigma de 3,45
Passo 2: DPU normal = - ln 0,9743 então: DPU normal = 0,0260
defeitos por unidade.
Isso significa que a cada 1000 unidades produzidas o processo gera
26 unidades defeituosas
Passo 3: como Z ≈ Ze temos que Ze= 1,95 e então ZLT = 1,95 e
ZST= 1,95 + 1,5 = 3,45
Analogamente ZBenchmark = Z Y normal + 1,5 então ZBenchmark = 1,95 +
1,5 = 3,45

Núcleo de Materiais Didáticos 4