Você está na página 1de 3

INFORMATICA E APRENDIZAGEM: conflitos e controvérsias

Patrícia M.R.Silveira
Karina Góes de Assis
Pedagogia-UNICENTRO

Introdução

Com o desenvolvimento acelerado das novas tecnologias que estão modificando o


mundo no qual vivemos e o nosso estilo de vida, os profissionais da área de educação também
estão passando por transformações na educação com as novas tecnologias e sendo assim eles
precisam se adaptar a essas novas mudanças. A partir dai nascem os críticos que são
favoráveis a essas alterações e os que não são favoráveis.
Por isso este trabalho tem como objetivo demonstrar alguns dos pontos positivos e
negativos na visão de alguns críticos do uso dos computadores com relação à aprendizagem
na educação em sala de aula e na escola.

Desenvolvimento

O computador é um recurso que foi inserido no ambiente escolar com o objetivo de


auxiliar o professor em sua metodologia e ao aluno proporcionar melhor aprendizagem com
acesso a informações e ferramentas que antes não conhecia. Em termos políticos foi proposta
na educação como forma de diminuir a evasão e a repetência escolar.
Existem posicionamentos favoráveis e contrários ao seu uso no ambiente escolar, pois
acham que os computadores no futuro irão tomar o lugar dos professores e, que falta infra-
estrutura nas escolas.
Há alguns autores que são contra o uso de computadores no ensino admitindo que as
crianças não aprendem e que sua inserção na escola não parece de acordo com a realidade
uma vez que não são dadas as escolas os recursos necessários para manter em pleno
funcionamento o laboratório de informática. (SANTOS, 2002)
Para outros autores “a informática na educação não passa de um instrumento auxiliar
para o ensino.” (HERRERA, 1993), ou ainda que “vê no computador uma maquina que torna
semelhante os comportamentos dos alunos e ele recomenda ainda a informática apenas como
ferramenta de ensino. (SETZER, 1988)
Afirmam que, com a facilidade do computador, os alunos vão deixando de procurar
livros, jornais, e outros textos impressos, eles não se esforçam como deveriam já que
encontram tudo quase pronto por meio da internet.
Os defensores acham que são importantes sim as necessidades básicas, mas que a
informática na aprendizagem vai preparar os alunos para viver e atuar profissionalmente no
futuro, já que a informática vem crescendo a cada dia mais e para tudo necessita se dela. Com
isso os alunos das escolas públicas poderão ter acesso a maquina e assim ser preparado para
viver numa sociedade cada vez mais exigente e informatizada e assim terem contato
moderado e determinado das crianças com a máquina e que vai proporcionar a ela um bom
desenvolvimento mental e emocional.
As crianças vão conseguir maior desenvolvimento mental, pois poderão inventar e
encontrar soluções de problemas, desenharem, criar texto, pesquisar, brincar através de jogos
educativos, etc.
A alguns autores que são favoráveis ao ensino informatizado esses defendem o ensino
com computadores sendo que esse facilita o processo de ensino e auxilia o raciocínio do aluno
(PAPERT, VALENTE E CHAVES) e assim acredita se que os alunos vão aumentar a
capacidade de pensar e encontrar soluções de problemas. (CHAVES, 1998) e mais ainda que
as novas tecnologias vão ampliar mais o conhecimento de professores e alunos, além de
proporcionar mais qualidade de ensino. (MORAIS, 2000) essa tecnologia é favorável, mas
deve se analisar o ponto de vista do aluno que não vai vir a sofrer com problemas emocionais,
pois dessa forma não provoca constrangimento ou castigo durante as tarefas, e que o aluno
pode errar o quanto puder por que vai poder avaliar e corrigir seus próprios erros,
conseguindo assim um conhecimento mais rápido e eficiente. (LELLINI, 1991).
A prova desse tipo de ensino é que ele vem para promover a aprendizagem e trazer
modificações do professor e aluno em toda a escola. (VALENTE, 1998) principalmente com o
uso de multimídias interativas que são adequadas para o uso nas escolas, pois eles iram
explorar mais as matérias e permanecerem por mais tempo com que aprenderam. (LEVY,
1990) e assim da por certo que é um meio de obter conhecimentos não são durante as aulas,
mas fora delas e aproveitar para buscar mais novidades e mais sobre os assuntos estudados em
sala de aula. (MASETTO, 2001) mais ainda deve se dar importância para que o professor se
atualize para que possa possuir mais conhecimento e saber como faze lo pra passa lo aos
alunos e aproveitar melhor as aulas. (OLIVEIRA, 2001), pois o uso da informática em sala de
aula representa uma inovação pedagógica e seu uso nas escolas públicas trás a visão de um
processo mais democrático. (ALMEIDA, 1997).
Mas em primeiro lugar deve se amenizar as desigualdades sociais, pois essa sim é a
melhor maneira de melhorar a escola publica. (CYSNEIRO, 2002)

Conclusão

Muitas são as criticas em relação ao uso do computador no ensino, porém há que se


pensar em termos de acesso, quantidade de recursos, informações e conteúdos que podem ser
úteis para ampliar o conhecimento e desenvolver habilidades nos alunos.
Por outro lado, há que se rever as metodologias de ensino a serem utilizadas com o
computador, uma vez que se, utilizado da mesma forma que a outros recursos existentes na
escola, em nada acrescentará à educação.

Referências.

BOEHME. O Uso do Computador na Educação, 2003


Disponível em http://www.tede.udesc.br\tde_busca\arquivo.php?codArquivo=112 acesso em
19 de abril de 2010
MORAES. A.R. Uma Filosofia da Educação para a Universidade Virtual, Nov\2000
Disponível em http://www.revistaconecta.com\conectados\rachel-uma-filosofia-htm acesso
em 16 de abril de 2010.
VEIGA. S.M. Computador e Educação? Uma Ótima Combinação, Petrópolis-RJ. 2001
Disponível em http:\\www.pedagogiaemfoco.pro.br\inedu01.htm Acesso em 16 de abril de
2010.