Você está na página 1de 8

30/01/2017

www.fiscosoft.com.br/main_artigos_index.php?PID=278142&printpage=_

Imprimir EnviarporE­mail Curtir 0 Compartilhe:

Imprimir

Imprimir EnviarporE­mail Curtir 0 Compartilhe:
Curtir 0
Curtir
0

Compartilhe:

Imprimir EnviarporE­mail Curtir 0 Compartilhe: RobertoRodriguesdeMorais
Imprimir EnviarporE­mail Curtir 0 Compartilhe: RobertoRodriguesdeMorais

RobertoRodriguesdeMorais EspecialistaemDireitoTributário.AutordoLivroonlineREDUZADÍVIDASPREVIDENCIÁRIAS.

Artigo­Federal­2012/3267

ComorecuperarcréditosdaCOFINSedoPISnossupermercados

RobertoRodriguesdeMorais*

Avalieesteartigo

Elaboradoem10/2012

I­Introdução

ExistenosgovernantesqueassumiramoPoderemBrasíliaapós01/01/2003oDNAdedesrespeitoaosPrincípios

Constitucionais,umavezqueoprincipalpartidoquecomandaanaçãoobrigouseusdeputados,naépoca,aNÃO

ASSSINARaCF/1988.Portanto,pelosdesrespeitosaosprincípiosConstituicionaisTributárioscontidosnaCartaMagna

emvigor,ascontribuiçõesàCOFINSeaoPISsãocomo"umapedrinhanosapato"paraosprofissionaisobrigadosa

cumprirafarta,desorganizada,desrespeitosaeconfusalegislaçãoque,aolongodosanos,regeamatériaquesempre

primoupelaeficácianoaumentodaarrecadação,masfalhounoretornoprometidoaoscidadãoscontribuintes.

OPIS­criadonoregimedaDitaduraMilitarcomafinalidadedesero14ºsalárioparaaclassetrabalhadora­veiopor

LeiComplementar(1)justamentenacomemoraçãodo7desetembrodaqueleano­porém,nãoconseguindoseus

objetivostantopelostranstornosjurídicoscausadosporsuasalteraçõesviaDecreto­lei(desrespeitandoaconstituição,

gerandograndenúmerodeaçõesjudiciais,comvitóriadoscontribuinteseasrespectivasrestituições/compensações)

comotambémpelainflaçãomensaldedoisdígitosqueengoliuofundooriginal,principalmentepelosexpurgos

inflacionárioscriadospelos"brilhantes"ex­ministrosdafazenda,aolongodoséculopassado.

ACOFINStambémnãofoidiferente.CriadacomoFinsocialpeloGovernoMilitar,viaDecreto­lei(2)ecomafinalidade

desocorrer,emergencialmente,apopulaçãodesabrigadapelasenchentesnoSul/SudesteepelaSecanoNordeste.Ao

verqueosistemaerabomparaaarrecadaçãotributária,foialterado(3)paracontribuição"destinadaacustear

investimentosdecaráterassistencialemalimentação,habitaçãopopular,saúde,educação,justiçaeamparoao

pequenoagricultor."(3),tevesuaalíquotainicialde0,5%alteradapara1%,1.2%efinalmentepara2%,deforma

desrespeitosaaosprincípiosconstitucionais,tambémsendoobjetodeváriasaçõesjudiciais,culminadocomaDecisão

(6x5)doSTF,em19/12/1991,nosentidodesereminconstitucionaisosaumentosdasalíquotas.

Emprazorecorde(finalde1991)oCongressoNacional(quandoédointeressedoGovernovotarápido)aprovouviaLei

ComplementaracriaçãodaCOFINS,comaalíquotade2%sobreofaturamentodasempresas,emsubstituiçãoao

FINSOCIAL(4):

"Destinadasexclusivamenteàsdespesascomatividades­finsdasáreasdesaúde,previdênciaeassistênciasocial".

Boaparaarrecadarenãotendoquedividi­lacomosEstadoseMunicípios(comooIPI,porexemplo),tevesuaalíquota

aumentadaem50%em1998,passandopara3%dareceitabruta(5).Maisumaenxurradadeaçõesjudiciaiscontrao

alargamentodabasedecálculo,eoSTFasjulgoufavoravelmenteaoscontribuintes.

Retornoparaoscontribuintes:

a)Nosúltimos7anosforamfechados42milvagas(leitos)noSUS­ferindoodireitoConstitucionalàsaúde,garantido

pelaCF/1988.

b)NoBrasil,paracada1policialexistentehá5segurançasparticulares­mostrandofalhadoGovernoemgarantira

segurançadoscidadãos.

c)OPaíséosegundomaiorconsumidordeDrogasdomundoeoprimeironoconsumodoCRAK.

Seem198920%doPIBeramparatributos,em2012maisde36%doPIBvãoparaoscofrespúblicos.Bastaconferir

comoeraasaúde,educaçãoesegurançaem1989ecomoestáem2012paraconstatarqueNÃOFALTAMrecursos

30/01/2017

www.fiscosoft.com.br/main_artigos_index.php?PID=278142&printpage=_

públicosparaprestaçãodeserviçosàsociedadecujagarantiaestánaCF/1988;Faltaseriedadedosgovernantese

capacidadedegestãoparadaroretornoequivalenteaoquesetributanoPaís.

ArrecadaçãoTributáriadeprimeiromundoeprestaçãodeserviçosaoscontribuintes,deterceiro.

II­Opesodosistemacumulativo

ComopassardosanosoGovernoconcluiuqueosistemaoneravaasexportações(nãoseexportatributos)umavez

queaCOFINSeoPISeramcumulativos.

Veja­secomooregimecumulativopesavanacadeiaprodutiva,umavezqueoaumentodaalíquotavinhacausadodano

àeconomia.Dos0,5%iniciaisatéaos3%,tentaremosdemonstrarcomoocontribuinteveiopagandoaconta.Numa

análisesobreafabricaçãodeveículo,porexemplo,comoficavaaCOFINSparaoconsumidor?

Vamossuporque,setivéssemosR$1.000,00emminériodeferrocontidonumveículo,nomomentodacomprapelo

consumidorqualopesotributáriodaCOFINS?

a)R$1.000,00­MINÉRIODEFERRO COFINSde3%

R$30,00

Compra­seominérioparafabricaroferrogusa:

b)R$1.030,00­FERROGUSA

mais3%

R$60,90

Ferrogusaéumdosinsumosparaoaço:

c)R$1.060,90AÇO

mais3%

R$92,72

Açocomomatériaprimaparapeçasdoveículo:

d)R$1.092,72­PEÇASVEÍCULOS

mais3¨%

R$125,51

Peçavaiparaamontadoradeveículos:

e)R$1.125,51­MONTADORADOVEÍCULO

Veículovaipararevendedora:

mais3%

R$159,27

f)R$1.159,27­CONCESSIONÁRIAVENDEVEÍCULO R$194,05

PodemosconcluirquedosR$1.000,00iniciaisdeminériodeferrocontidonoprocessoprodutivo,quandoaquelechega

aoconsumidor,emformadeveículo,aalíquotaatingiaumpercentualde19,40%.

Cada"pedaço"doveículo,entretanto,temalíquotadeCOFINSdiferente,dependendodequalfaseprodutivafoi

inserido.Deveconsiderarqueacadeiaprodutivadifereporsetor,nemsemprechegaa6etapasaquiexemplificadas.

PorissoqueobrasileiroquesonharcomprarumCorolla,porexemplo,temquetrabalharparaganharR$100.000,00.

Pagar27,5%deImpostodeRendanaFonte(nãoconsiderandoINSS,etc )sobrariamR$72.500,00paracompraro veículo,modelomaissimples.NosEstadosUnidosdaAméricaomesmoveículopodeseradquiridoporcercade

12.000dólares.Emreportagemrecentealgunseconomistasnoschamaramde"otários"porpagartantopelosveículos

fabricadosnoPaís,emrelaçãoaopreçopagopelosamericanospelosmesmosprodutoslánoEUA.

ÉquenoBrasilpode­selistaraté87tributosecontribuições,muitosdelesincidindoumsobreooutro.Essaaberração

demonstradanaexemplificaçãoacimafoiqueinspirouaCOFINSnãocumulativa.

III­Acriaçãodosistemanão­cumulativo

ComapromessadequeNÃOHAVERIAAUMENTONATRIBUTAÇÃOevisandodesonerarasexportaçõesfoicriado

entãooregimedeincidêncianão­cumulativa(6),comvigênciaapartirdefevereirode2004.Aolongodadécadade

funcionamentoficouprovadooaumentorealdatributaçãopelonovosistema.

Antes,porém,fizeramaalteraçãodoPISparaoregimenão­cumulativo(7)como"balãodeensaio"paravercomo

funcionaria.

ComoconseqüênciatemosaregulamentaçãodaCOFINSedoPIScom1.246pgs;Maisde4.720soluçõesde

alémdas

incontáveisdecisõesdoCARFedoJudiciáriosobreotema,quesetornoucampeãodedemandasjudiciaisemnosso

tãocongestionadoJudiciárioFederal.Quemtrabalhacomosistemadeveteremmãosmaisde5.000páginaspara

consultaracadamomento.Simplesmenteinacreditável!Beiraaloucura.

consultascatalogadas;ComoalgumassãoconflitantesaindaexistemasSOLUÇÕESDEDIVERGÊNCIA

30/01/2017

www.fiscosoft.com.br/main_artigos_index.php?PID=278142&printpage=_

Comoafirmamosemartigoanterior,ogênesisdaproblemáticadaCOFINSedoPISnão­cumulativoestánométodo diferentedeapuraçãoadotadopelolegislador.EnquantonoIPIeICMSaplica­seométodo"impostocontraimposto", nascontribuiçõesPIS/COFINSnão­cumulativosaplica­seométodo"basecontrabase",que"nãoprevêemaconcessão decréditodetributo,porforçadasoperaçõesanteriores,masaDEDUÇÃODABASEDECÁLCULOEVALORES

REFERENTESÀSOPERAÇÕESANTERIORES"(8).ConformeaspalavrasdePauloHenriqueTeixeira,emsuaobra

on­lineCRÉDITOSDOPISECOFINS,inPortalTributárioEditora,pg.11.

NaexposiçãodemotivosdaMP135­queintroduziuonovosistema­emseuitem7,temososeguinteesclarecimento:

"Porseadotado,emrelaçãoanão­cumulatividade,ométodoindiretosubtrativo,otextoestabeleceassituaçõesemque

ocontribuintepoderádescontar,dovalordacontribuiçãodevida,créditosapuradosemrelaçãoaosbenseserviços

adquiridos,custos,despesaseencargosmenciona."

Nasleisdenºs.10.637/2002e10.833/2003optaram­sepeloMétodoIndiretoSubtrativo(quedeterminaovalordevido

pormeiodadiferençaentreaalíquotaaplicadasobreasvendas(r)eaalíquotaaplicadasobreascompras(c),istoé,T =(axr)­(axc),comoformadegarantiraneutralidadedaincidênciadaCOFINSedoPISsobretodososagentesda

cadeiacomercial,cf.op.CitadadePauloHenriqueTeixeira,pg.9.

DurantequaseumadécadadegestãofiscaldaCOFINSedoPISnão­cumulativosnasempresasoqueseviufoium

esforçodeHérculesdosresponsáveispelaapuraçãomensaldoscontribuintes(tantodiretamentepelasempresas

quantopelosEscritóriosdeContabilidade)paratentarcumprirasobrigaçõesquelhesforamimpostaspelacolchade

retalhosquesetornoualegislaçãotributárianacional,tendoquedigitalizarDCTF,DACON,sem,contudosevalerde

umaescrituraçãofiscalbásicacomofonteseguraparaopreparodaquelasobrigaçõesacessóriasaseremenviadasde

formavirtualàRFB.AcriaçãodaEFD­PIS/COFINSveiocomumadécadadeatraso.

IV­Comoaveriguarfalhasnaapuraçãodosistemanossupermercados

Portercriadoumsistema"novo"ecomplexoparaosoperadoresdosistema,tantonosescritóriosdecontabilidades,

nossetoresfiscaisdasempresaseaténaRFB,sem,contudocriartantoparaoPIS(2003)comoparaaCOFINS(2004)

livrosprópriosparaseescrituraroscréditoseosdébitos,culminandocomaapuração,certamentequeerrose/oufalhas

naapuraçãoaconteceramaolongodosanosdevigênciadoatualsistema.

Istotudonoslevaaasseverarque,semler,entender,compreenderefiltrarmaisde5.000páginasosoperadoresdo

sistemaPIS/COFINS(contabilistas,advogados,administradores,chefedossetoresfiscais,eosprópriostécnicosda

RFBesuaPGFN)nãoconsegueestarsegurosdequeestãoaplicandocorretamentealegislaçãotributáriaconcernente

àespécie.

Datavênia,osistemaCOFINS/PISsetornouumaloucuraeasimplificação,prometidaparameadosde2013,vemcom

umadécadaatraso.

Abaixolistamosalgumashipóteses,extraídosdobelotrabalhadoelaboradoporumdosmaisilustresconhecedoresdo

assunto(9),emformadecursoapostilado,quefornecedicasdeONDEpoderãoterocorridoproblemasnaapuraçãoda

COFINSedoPISaolongodosanos,quepodemserreparadosmedianteumminuciosolevantamentonaescritadas

indústriasnosúltimos5anos:

"a)Sistemáticadenão­cumulativadadedoPISeCOFINS­métodosubtrativoindireto:totalmentediferenteda sistemáticadenão­cumulatividadedoICMSeIPIeseusreflexoscomrelaçãoaoscréditos b)Interpretaçãoeaplicaçãodanormadenão­cumulatividadedoPISeCOFINS c)AproveitamentodeCréditosrelativosainsumos(queijos,farinhas,mão­de­obra,limpeza,etc.)utilizadosnafabricação depães,rotisseria;bolos,salgadoseoutros d)Créditosrelativosainsumosligadosaoaçougue

e)ComominimizaroaumentodocustodoPISeCOFINSemfunçãodasLeis12.059/2009e12.350/2010­relativoa

comercializaçãodecarnesdeaves,suínosebovinos(créditopresumido)atravésdoPlanejamentoTributário f)AproveitamentodeCréditosprovenientesasacolas,vasilhames,fretes,combustívelepeçasutilizadosnoserviçode entregademercadorias g)AproveitamentodeCréditosrelacionadosaosCentrosdeDistribuiçõeseLogística h)Créditosrelacionadosaofornecimentoderefeiçõeserestaurante(alimentosinnatura,hortifruti,etc.) i)Comoaveriguar/conferirsemercadoriasàalíquotazeronãoestãosendotributadasindevidamente,jáquemaisde

50%(quantitativaenãovalorativa)dosprodutoscomercializadosemSuper/Hipertêmalíquotazero

j)Aplicaçãoextensivanainterpretaçãodeprodutostributadosàalíquotazero

l)PrincipaisprodutosàalíquotazerocomercializadosemSupermercadoseHipermercados

m)InfluênciadaContabilidadedeCustos,quandosegregadasatividades,paraoaproveitamentodecréditostributários

n)CréditosadmitidosnacompradeinsumosisentosesempagamentodoPISeCOFINS

o)Créditosadmitidosnacompradeinsumosdestinadosavendasisentas,comsuspensão,nãoincidênciaenão

tributados

p)Créditosnarevendademercadoriasdeincidênciamonofásicaousubstituiçãotributária

q)Créditosdeoptantesdosimplesnacional."

30/01/2017

www.fiscosoft.com.br/main_artigos_index.php?PID=278142&printpage=_

Evidentementequecadaempresadosetorsupermercadista,comsuasatividadesespecíficastemsuaspeculiaridades

funcionaisquepodemaumentaroudiminuirostópicoscitadosem"a"a"q"retro,sejaporestaremenquadradasno

sistemaLucroPresumidoouobrigadasàapuraçãodoIRPJpelosistemaLUCROREAL,quecertamentemudaráa

dinâmicadecomoverificarasituaçãoatualepretéritadetodososCNPJ'semrelaçãoàapuraçãomensaldaCOFINSe

doPIS.

V­Asdiferentescorrentesdoutrinárias

Todamatériatributáriaéobjetodeformaçãodecorrentesdepensamentosdiferentes.DeumladooFisco(RFBFGFN),

naânsiadeaumentarconstantementeaarrecadaçãoeseorgulhardequebraderecordesacadaano,seapegaaos

MANUAIStaiscomoPortariasouInstruçõesNormativasRegulamentadoras.QualqueralteraçãonaLegislaçãoouem

Jurisprudênciadefinitiva,comoSúmulaVinculantedoSTF,somentesãoaplicadasquandoinseridasnosrespectivos

Manuais:SãocomoaBíbliadaTributaçãoparaosTécnicoseAuditoresFiscaisassimcomoparaosmembrosda

PGFN.

FabioRodriguesdeOliveira,possuidordeamplocurriculumacadêmicotantonoDireitocomonaContabilidade,alémde vastaexperiêncianoscargosdesempenhadosaolongodabelíssimacarreira,inclusivenaSYSTAXinteligênciafiscal,

emseuartigoPISeCOFINS.Hácréditossobreinsumosnaatividadecomercial?(12)nosapresentaduascorrentesde

pensamentoemrelaçãoanão­cumulatividadedaCOFINSedoPIS,Acreditamosqueincluindoseupensamento

expressadonotexto,publicadoemváriasmídiaseletrônicas,daráaoleitordestetextoumaidéiadequãoconflitanteéo

sistemanãocumulativovigenteháumadécada,verbis:

"Correnteconstitucionalista Paraosjuristasdacorrenteconstitucionalista,anãocumulatividadeéumprincípioconstitucional,oqualdeveser observadopelostributosqueadotemessasistemática.Paraessesjuristas,olegisladornãoélivrepararelacionarquais

sãooscréditosadmitidosounão.Comisso,arelaçãodecréditosprevistanoartigo3ºdasLeisnºs10.637/2002e

10.833/2003seriameramenteEXEMPLIFICATIVA(ou,ainda,inconstitucional!).

Fazpartedestegrupo,porexemplo,JoséEduardoSoaresdeMelo(2009,p.273),paraoqual"aestruturadeumregime

nãocumulativopressupõe­demodológico,natural,ejurídico­aadoçãodecritériosconsistentesemdeterminadas posturasqueobjetivemevitaracumulaçãodascargastributárias,emecanismoshábeiseeficazesparaasuaplena

operacionalidade".EstaposiçãotambéméadotadaporFátimaFernandesRodriguesdeSouza(2004)eSachaCalmon

NavarroCoêlho(2009).

Seguindoestalinhadeinterpretação,etendoemvistaqueascontribuiçõesincidemsobreasreceitas,todososcustos edespesasnecessáriosàgeraçãodereceitasdeveriampermitiraapropriaçãodecréditos.Despesascompropaganda oucomissõesdevenda,porexemplo,estariamenquadradosnestacategoriaepermitiriamoaproveitamentodecréditos. Vejaqueparaestacorrentenãosediscuteoqueéounãoinsumos.Issopoucoimporta.Ocritérioidentificadordoque permiteaapropriaçãodecréditoésaberseocustoouadespesasãonecessáriosparaageraçãodareceita. Destaca­se,todavia,quedespesascommãodeobra,aindaqueimprescindíveisàgeraçãodareceita,continuariamde fora,umavezquepagamentosapessoafísica,pelasregrasgeraisdanãocumulatividadedascontribuições,impedem oaproveitamentodecréditos. Correntelegalista Doladoopostoaosautoresquevêemanãocumulatividadecomoumprincípioquenãocomportarestrições,háaqueles queencaramanãocumulatividadedascontribuiçõessociaiscomosimplesfavoresfiscais.Partindodessapremissa,o legisladorestarialivrepararelacionaroscréditosquepodemserapropriados.Nestesentido,CarlosCésarSousaCintra

(2009),paraoqual,tendoemvistaqueaConstituiçãonãotrazumdetalhamentoacercadecomosedeve

operacionalizaranãocumulatividade,nãohaveria,aprincípio,vícioalgumnomodoescolhidopelolegisladorpara operacionalizá­la.

Paraestacorrente,aqualéseguidapelaadministraçãotributária,arelaçãodecréditosprevistanoartigo3ºdasLeis

nºs10.637/2002e10.833/2003éTAXATIVA.Comisso,paraaproveitamentodecréditos,nãobastaqueocustooua

despesasejamnecessáriosàgeraçãodareceita,éprecisoqueelesestejamprevistosnalegislação.

Acompanhandoesseraciocínio,daleituradoartigo3ºdasreferidasLeisépossívelconcluirquenaatividadecomercial

serápossível,basicamente,oaproveitamentodecréditosemrelaçãoa:

a)bensadquiridospararevenda(incisoI);

b)energiaelétricaeenergiatérmica,inclusivesobaformadevapor(incisoIII);

c)aluguéisdeprédios,máquinaseequipamentos(incisoIV);

d)valordascontraprestaçõesdeoperaçõesdearrendamentomercantil(incisoV);

e)depreciaçãoeamortizaçãodeedificaçõesebenfeitoriasemimóveisprópriosoudeterceiros(incisoVII);

f)bensrecebidosemdevoluçãocujareceitadevendatenhaintegradofaturamentodomêsoudemêsanterior,e

tributadanaformanãocumulativa(incisoVIII);

g)armazenagemdemercadoriaefretenaoperaçãodevenda,quandooônusforsuportadopelovendedor(incisoIX).

Destaca­sequetaiscréditosnãoestãorestritosàatividadeindustrialouàprestaçãodeserviços,aocontráriodoque

ocorrecomadepreciaçãode"máquinas,equipamentoseoutrosbensincorporadosaoativoimobilizado",quegeram

créditosapenasquando"adquiridosoufabricadosparalocaçãoaterceiros,ouparautilizaçãonaproduçãodebens

destinadosàvendaounaprestaçãodeserviços"(incisoVI).

Acadaincisoaseranalisado,portanto,énecessárioverificarasuaextensão,ouseja,seeleabrangetodasas

atividadesdaempresaouseélimitadoàproduçãodebensouserviços.Aslimitaçõesgeraiscontidasnalegislação,

comopagamentosapessoasfísicas,tambémdevemserobservadasporestacorrente."

30/01/2017

www.fiscosoft.com.br/main_artigos_index.php?PID=278142&printpage=_

LogicamentequeoFISCOeasAUDITORIASsealinhamcomacorrenteLEGALISTAenquantoosoperadoresdodireito

que,porformação,primapelozeloemmanteroEstadoDemocráticodeDireito(Democracia)comungamdopensamento

Constitucionalista.DiantedasaberraçõescometidaspeloselaboraresdasNormasTributárias­imbuídasapenasno

interessedearrecadarcadavezmaisemais­areaçãodestesúltimoséorecursoaoúnicopoderqueaindaoferta

esperançaquevivenciaremosumEstadodeDireito,ouseja,oPoderJudiciário.Conseqüentementeforamexaradas

váriasdecisõesfavoráveisaoscontribuintes.

VI­Asrecentesdecisõesjudiciais

ParaacirraraindamaisasrelaçõesFisco/contribuintes,envolvendoaCOFINSeoPIS,algumasdecisõesrecentesdo

judiciáriocertamenteaumentarãoonúmerodedemandasnaJustiçaFederal,tantopelabuscadecréditoscomopara

correçãodedébitosindevidamentelançadospelaRFB.

ImportantedecisãodoTRFda4ªRegiãoiráREVOLUCIONARotemaapartirdeagora,aoafirmaque"Orolde

despesasquepodemserconsideradasinsumos,ecreditadasdePISeCOFINS,descritonalegislaçãoquetratado tema,éindicativa,enãoexaustiva.Dessaforma,asvedaçõesàcompensaçãodessestributosficamrestritasàquelas

expressamenteprevistasnasLeis10.637/02e10.833/03.Comessainterpretação,a1ªTurmadoTribunalRegional

Federalda4ªRegiãoconsiderouinsumosbenefíciosdadosafuncionáriosporumaempresaprestadoradeserviçosde

limpeza"( ).Paramelhorentendimentodoleitor,inserimosaEMENTAdojulgado:

"APELAÇÃOCÍVELNº0000007­25.2010.404.7200/SC

RELATOR: JuizFederalLeandroPaulsen

APELANTE BACKSERVICOSESPECIALIZADOSLTDA/

ADVOGADO LuizFernandoBidartedaSilva

APELADO

UNIÃOFEDERAL(FAZENDANACIONAL)

ADVOGADO Procuradoria­RegionaldaFazendaNacional

EMENTA:TRIBUTÁRIO.PIS.COFINS.REGIMENÃOCUMULATIVO.DISTINÇÃO.CONTEÚDO.LEISNº10.637/2002

E10.833/2003,ART.3º,INCISOII.LISTAEXEMPLIFICATIVA.

1.AtécnicaempregadaparaconcretizaranãocumulatividadedePISeCOFINSsedápormeiodaapuraçãodeuma

sériedecréditospeloprópriocontribuinte,paradeduçãodovaloraserrecolhidoatítulodePISedeCOFINS.

2.Acoerênciadeumsistemadenãocumulatividadedetributodiretosobreareceitaexigequeseconsidereouniverso

dereceitaseouniversodedespesasnecessáriasparaobtê­las,consideradosàluzdafinalidadedeevitarsobreposição dascontribuiçõese,portanto,deeventuaisônusqueataltítulojátenhamsidosuportadospelasempresascomquem secontratou.

3.Tratando­sedetributodiretoqueincidesobreatotalidadedasreceitasauferidaspelaempresa,digamounãorespeito

àatividadequeconstituiseuobjetosocial,oscréditosdevemserapuradosrelativamenteatodasasdespesas realizadasjuntoapessoasjurídicassujeitasàcontribuição,necessáriasàobtençãodareceita.

4.Ocrédito,emmatériadePISeCOFINS,nãoéumcréditomeramentefísico,quepressuponha,comonoIPI,a

integraçãodoinsumoaoprodutofinalouseuusoouexaurimentonoprocessoprodutivo.

5.Oroldedespesasqueensejacreditamento,nostermosdoart.3ºdasLeis10.637/02e10.833/03,possuicaráter

meramenteexemplicativo.Restritivassãoasvedaçõesexpressamenteestabelecidasporlei.

6.Oart.111doCTNnãoseaplicanocaso,porquantonãosetratadesuspensãoouexclusãodocréditotributário,

outorgadeisençãooudispensadocumprimentodeobrigaçõestributáriasacessórias. ACÓRDÃO

Vistoserelatadosestesautosemquesãopartesasacimaindicadas,decideaEgrégia1ªTurmadoTribunalRegional

Federalda4ªRegião,porunanimidade,darprovimentoàapelação,nostermosdorelatório,votosenotastaquigráficas

queficamfazendoparteintegrantedopresentejulgado.PortoAlegre,26dejunhode2012".(negrito,nosso).

EmseuvotooIlustreRelator,autordevárioslivrossobreaáreatributária,afirmouque:

"Anão­cumulatividadeconstituiumatécnicadetributaçãoquevisaaimpedirqueasincidênciassucessivasnas

diversasoperaçõesdacadeiaeconômicadeumprodutoimpliquemumônustributáriomuitoelevado,decorrenteda

múltiplatributaçãodamesmabaseeconômica,oracomoinsumo,oracomointegrantedeoutroinsumooudeum

produtofinal.Emoutraspalavras,consisteemfazercomqueaexaçãonãoonere,emcascata,ofluxonegocial.

Acercadotema,relevanteaadvertênciafeitaporJOSÉEDUARDOSOARESDEMELO:

"Constituindo­senumsistemaoperacionaldestinadoaminimizaroimpactodotributosobreopreçodosbense serviços,asuaeliminaçãoostornariamartificialmentemaisonerosos.Casofosseeliminada,acumulatividadegeraria umcustoartificialindesejávelaopreçodosprodutoscomercializados.Essespreçosestariamdesvinculadosda realidade,daproduçãoedacomercialização.Istoonerariaocustodevidadapopulaçãoeencareceriaoprocesso produtivoecomercialreduzindoosinvestimentosempresariais,emfacedoaumentodecustosocasionadosporesse artificialismotributáriooriundodacumulatividade."(MELO,JoséEduardoSoares.AimportaçãonoDireitoTributário.

SãoPaulo,RT,2003,p.97)(9).

30/01/2017

www.fiscosoft.com.br/main_artigos_index.php?PID=278142&printpage=_

ComooAcórdãoincomentoenvolveempresadosetordeserviços,quesãooscontribuintesmaispenalizadospelo

sistemaimplantadonoiníciodadécadapassada,certamenterecorrerãoaoPoderJudiciárioparaveremprevalecerseus

direitoseselivraremdainjustacargatributáriaquelheforaimpostapelanão­cumulatividade,principalmenteosetorde

serviçosdelimpezaeconservaçãocomotambémodetrabalhotemporário.Estãoobrigadosaoregimedanão­

cumulatividade,mesmocomoconhecimentodaRFBdequesãoossetoresmaisoneradospelosistema.

Outradecisãojudicialnoticiada,estada1ªSeçãodoSTJ,vemdemonstrarqueoJudiciáriotematendidoaosanseios

doscontribuintes,conformenotíciadivulgadarecentemente(11),verbis:

"Aproveitamentodecréditos OSuperiorTribunaldeJustiçareconheceuodireitodasconcessionáriasdeveículosdedescontaremoscréditosde ProgramadeIntegraçãoSocial(PIS)eContribuiçãoparaoFinanciamentodaSeguridadeSocial(COFINS)decorrentes

degastoscomfretesdosveículosadquiridosjuntoaofabricantepararevenda.Adecisãoda1ªSeçãodeveabrir

precedentesparadiversasempresas,especialmenteasrevendedoras,edarmaisforçaparaadiscussãosobreo

aproveitamentodoscréditos,reiteradamenterestritopelaReceitaFederal.AsinformaçõessãodojornalDCI."(11).

Veja­seaementadojulgadoretro:

"RECURSOESPECIALNº1.215.773­RS(2010/0189012­1)

RELATOR

R.P/ACÓRDÃO MINISTROCESARASFORROCHA

RECORRENTE SANMARINOVEÍCULOSLTDA

MINISTROBENEDITOGONÇALVES

ADVOGADO

CÉSARLOEFFLER

RECORRIDO

FAZENDANACIONAL

PROCURADOR PROCURADORIA­GERALDAFAZENDANACIONAL

EMENTA RECURSOESPECIAL.VALORDOPIS/COFINS.AQUISIÇÃODEVEÍCULOSPELACONCESSIONÁRIAPARA REVENDA.DESCONTOSDECRÉDITOSCALCULADOSEMRELAÇÃOAFRETENAOPERAÇÃODEVENDA.

EXEGESEDOSARTIGOS2º,3º,INCISOSIEIX,E15,INCISOII,DALEIN.10.833/2003.

­NaapuraçãodovalordoPIS/COFINS,permite­seodescontodecréditoscalculadosemrelaçãoaofretetambém quandooveículoéadquiridodafábricaetransportadoparaaconcessionária­adquirente­comopropósitodeser posteriormenterevendido. Recursoespecialparcialmenteprovido. ACÓRDÃO Vistos,relatadosediscutidososautosemquesãopartesasacimaindicadas,acordamosMinistrosdaPrimeiraSeção doSuperiorTribunaldeJustiça,pormaioria,vencidooSr.MinistroRelator,darparcialprovimentoaorecursoespecial, nostermosdovotodoSr.MinistroCesarAsforRocha,quelavraráoacórdão.VotaramcomoSr.MinistroCesarAsfor RochaosSrs.MinistrosTeoriAlbinoZavascki,ArnaldoEstevesLima,HumbertoMartins,HermanBenjamin,Napoleão NunesMaiaFilhoeMauroCampbellMarques. NãoparticipoudojulgamentooSr.MinistroFranciscoFalcão.

Brasília,22deagostode2012"(datadojulgamento)(12)."

Valeasseverarque,apesardocrescimentodaarrecadaçãodaCOFINSedoPIS,aindacontinuamosproblemaspara

osquaiselasforamcriadasparasolucioná­los:SecanoNordeste;EnchentesnoSudesteeSuleo14ºsalárioainda

nãoérealidadeparatodosostrabalhadores.

VII­Comoapuraroscréditosnosetorsupermercadista

ConformecitadonoitemIVacima(9)algunsprocedimentossãonecessáriosàverificaçãodaexistênciadecréditosda

COFINSedoPISnãoapropriadonotempodevido,decorrentedavastaecomplicadalegislação,decisõesem

processosdeconsultas,decisõesdoCARFedoJudiciário.

SegundooAuditoreAdvogadoPAULOHENRIQUETEIXEIRA,umdosmaioresespecialistasnotemaCOFINS/PIS,

emseucursosobreotema:

"AtualmentemaisdametadedosprodutosvendidospelosSupermercados/Hipermercados(quantitativo)sãotributadosà

alíquotazero.Noentanto,porausênciaverificaçõesecontrolesinternosadequadosessesprodutosvêmsendo

tributadosindevidamente.

OsSupermercados/Hipermercadosvêmorganizandoseusistematributáriodeformaarcaicabaseadoapenasna

revendademercadoriasnãoaproveitandocréditostributáriosenãonavisãosistêmicadequesãoindustrializadores,

produtores,comercializadoreseprestadoresdeserviços,exercendováriasatividadesdistintas,quenasinalogia

30/01/2017

www.fiscosoft.com.br/main_artigos_index.php?PID=278142&printpage=_

tributáriarepresentaapotencializaçãodeaproveitamentodecréditos,desdequehajaumamudançacultural

tributária/contábil."(13);

Vejamosalgunsprocedimentospráticosquepoderãoseraplicadospelosoperadoresdodireitoegestorestributários,

nosempresasdosetorsupermercadista:

1)RecuperaçãoeCompensaçãodosCréditosdosúltimos05anossemutilizaraPER/DCompdiretamenteviam

DACON;

2)Aproveitamentodosúltimos05anosdecréditosdoscustoscomveículosdefrotaprópriarelacionadosàcomprae

entregademercadorias:combustívelepeçasutilizadosnoserviçodeentregademercadorias;

3)AproveitamentodeCréditosrelacionadosaosCentrosdeDistribuiçõeseLogísticadosúltimos05anos;

4)CréditosdeoptantesdoSimplesNacional;

5)ProcedimentospararecuperaçãoatravésdaDACON,semutilizaraPER/DCOMP;

6)Comisso,medianteoscréditoslegítimosdoúltimoquinquêniovisandominimizaroaumentodocustodoPISe

COFINS;

7)Organizaropresenteerecuperaropassado.

Notranscorrerdostrabalhosdeapuraçãoedadocadacasoconcreto(empresascomdébitosparcelados,oriundosde

levantamentosfiscaisoudeclaradosindevidamente),assimcomoempresasqueestãocomasobrigaçõesemdiacom

ofiscofederaleconstatacréditosnãoaproveitados,portanto,cadacasoconcretoexigirádosprofissionaisque

estiveremoperandoasverificaçõesaconselharemaosempresáriosdoramosindustriaisquaisasmedidasconcretase

imediatasquelhestrarãomelhoresresultados.

VIII­Conclusão

Concluindo,ainérciadoempresárioemrevisarseusistemadeapuraçãodaCOFINSedoPIScertamentevemlhe acarretandoprejuízos,nãosomentepelaprescriçãoacadamêsinerte,masaperdadopoderdecompradamoeda,

emborapequena,aindaestásendocorroídapelainflação.Édifíciloperarumsistemacompostodemaisde5mil

páginasentreregulamentação,respostadeconsultas,orientaçõesejurisprudência.

DiantedaameaçadaRFBdeaplicarpesadasmultassobreusoindevidonocreditamentoviaPER/DCOMPsugerimos

aoscontribuintesqueprocurem,nadúvida,assessoriaespecializadaeterceirizadaparaumarevisãogeralemsua

escritacontábilefiscal,visandoacertarofocodascontribuiçõesrealmentedevidasaoCOFINSeaoPIS.

Entretanto,feitaarevisãonosistemadeapuraçãoCOFINS/PIS,seencontrardébitos,usa­seadenúnciaespontânea

comoformamenosonerosaderegularizarasituaçãoeseapurarcréditos,existemváriashipótesesdeserem

transformadosemmelhoradofluxodecaixaimediatamente.Éprecisofazerprevalecerosdireitosdoscontribuintes!

InterromperocírculoviciosodetributarparamaisaCOFINSeoPISjuntamentecomarecuperaçãodoquefoipago

indevidamenteeamaiornosúltimos5anos,comcompensaçãoimediatacertamentevaimelhoraracompetitividadeda

indústrianacionalfaceaomercadoglobal.Éprecisoagirimediatamente.

Bibliografia

A)DIVERSOSAUTORES,PISeCOFINSàluzdajurisprudênciadoCARF­ConselhoAdministrativodeRecursos

Fiscais,SP,APET,2012­10­02

B)HARADA,Kioshi,CódigoTributárioNacionalAnotado,6ªED.,iglu,2003.

C)MACHADO,HugodeBrito,CursodeDireitoTributário,23ªEd.,SP,MalheirosEditora,2003.

D)PAULSEN,Leandro,DireitoTributário:ConstituiçãoeCódigoTributárioàLuzdaDoutrinaeJurisprudência,6ªED.,

PortoAlegre,LivrariadoAdvogado,ESMAFE,2004

E)PEIXOTO,MARCELOMAGALHÃESeBERGAMINI,ADOLFO,PISeCOFINSnaTeoriaenaPrática,3ªEdição,SP,

APET,2012;

F)TEIXEIRA,PauloHenrique,CréditosdoPISeCOFINS,on­line,PortalTributário,2012.

G)TEXEITA,PauloHenrique,PlanejamentoTributário­PISeCOFINS­Supermercados,on­line,PortalTributário,2012.

30/01/2017

www.fiscosoft.com.br/main_artigos_index.php?PID=278142&printpage=_

Notas

(1)LEICOMPLEMENTARNº7,DE7DESETEMBRODE1970

(2)Decreto­leinº1.940,de25demaiode1982

(3)RedaçãodadapelaLeinº7.611,de1987

(4)LeiComplementarnº70de30.12.1991

(5)Lei9.718/1998,abasedecálculodacontribuiçãoéatotalidadedasreceitasauferidaspelapessoajurídica,

(6)Leinº10.833,paraasempresasoptantespelolucroreal,apartirde01.02.2004,comexceçõesespecíficas,acabaa

cumulatividadedaCOFINSsobreareceitabruta,descontando­secréditosdacontribuição.

(7)Leinº10.637,de2002

(8)PauloHenriqueTeixeira,emsuaobraon­lineCRÉDITOSDOPISECOFINS,inPortalTributárioEditora,pg.11.

(9)ExtraídasdoanúnciodoCursoApostilado­PlanejamentoTributário­PISeCOFINS­Supermercados­doPortalde

Auditoria.http://www.valortributario.com.br

(10)http://www.conjur.com.br/2012­jul­29/fimde­editada­trf­lista­insumos­creditaveis­pis­cofins­indicativa

(11)Conjur,notícias20/09/2012.­RecursoEspecialnºREsp1.215.773/RS­RelatorMinistroCesarAsforRocha­Data

doJulgamento22/08/2012­DatadaPublicação/FonteDJe18/09/2012).

(12)http://www.fiscosoft.com.br/a/5shm/pis­e­cofins­ha­creditos­sobre­insumos­na­atividade­comercial­fabio­rodrigues­

de­oliveira

(13)http://www.portaldeauditoria.com.br/paulo­henrique­teixeira.asp

RobertoRodriguesdeMorais*

RobertoRodriguesdeMorais*

3comentário(s)sobreesteartigo.

­PublicadopelaFISCOSoftem10/12/2012

­Publicadopela FISCOSoft em 10/12/2012 AcompanhepeloTwitter: ArtigosnaFISCOSoft
FISCOSoft em 10/12/2012 AcompanhepeloTwitter: ArtigosnaFISCOSoft

AFISCOSoftnãoéresponsávelpeloconteúdodostextosassinados.Asopiniõescontidasnosartigos

assinadosnãocorrespondemnecessariamenteaoposicionamentodoSite,esuapublicaçãonãorepresenta

endossodeseuconteúdo.Advertimos,ainda,queoleitordeveteremmentequeoconteúdopodenãoestar

atualizadocomlegislaçãoque,eventualmente,tenhasidoeditadaposteriormenteàdatadeelaboração

indicadanoArtigo.

Éproibidaareproduçãodostextospublicadosnestapáginasempermissãodoautorevedadaasua reutilizaçãoemoutraspublicaçõessempermissãodoSite.OsinfratoresestãosujeitosàspenasdaLeinº

9.610/98.

CitaçõesdetextosdevemseracompanhadasdaindicaçãodaFISCOSoftcomofonte,necessariamentecom

linkparawww.fiscosoft.com.br,nocasodemídiaeletrônica.