Você está na página 1de 86
OM. Fanajanento ¢ Control aa Wanutengto > Definirointerolacionamento das tarefas visando esta- beleer relagto de dopendéneia (ede PERT) entre as ta- refas de uma ender, fazendo eam que o nila de uma at- vided dependa da conclusto de outra. Bate item ¢ fun- damental para o nivelamento de recursos (calculo de locagte das expeinlidades), > ecuar ajustes para corrigir wventuais erro, bem como mothorte « perfarmanes de exeexgao do edeule de ‘Alocagfo, O eflela considers a capacidade dn Eapecili ‘ade lou Teenic, An eadastrar esta copacidade existe 8 possiblidade do informar excegoes para detcrminadas ‘tas el perio, devende ser poasvel informa o n- ‘mer de homens dispontves, Possbiitar parametriar 0 intervalo para defiira carga da especialidade; atvalmen- twestésendo cosideredo ointervalo de 16 minutos, Hate Intervslo poder er: 15 miata, 30 mingtoe ef hora Nos pblanos de manutengéo deverd ser possivel parametrizar ‘urgéncia, eas verebesuateriore eta informagho cons: tava no eadastro de tipo de manutengso. > Possbilitar © agrupamento de Ordena de Manutengso. ‘Para efetuar este agrupamento deverd ser poesvel infor mar ane parimetros, «onto cles esto agrupamento ‘onsiderandho estrutura do equipamento, bem com po- ‘demos eftuar cote agrupamente por TAG. Decta forma ‘ossibilitard ao usuario srupar as OMs da mancira que ‘esojar. Numa etapa anterior #necosséroo eadastro das fondens para or oqulpamentos, pssbilitande qu mum #e- srundomomento je poasvel suimarflas para que see teuma OM seja tratada. Com relagao Rede PERT deve ‘4 ents uma forma de agrapemento para que todas as torefas seam atendidas. Ongrupiimento de OMs servi também para efetuar 0 tratamenta de interdependinela ‘entre OM. ‘As realidad poleon difrir um pouco wma das otras, falamnoa em manutengao diane dsto us recemondaghs idem eet perinentes oa no para oma determinada PCM, De forma geralo ques» dove (ster 6 extudar a valida ‘manitangdo fsrendo um paralelo com suas necoseWades, da PCM Prnetamento e controle da Manutencso ima de manutengdo, pois esta opgHo enseja uma base de hardware bem mais poderotn, ecaso contririo teremos tos problemas de performance, dai a necessidade de um sis- toma que rode em rede; Relagio Amigaivel-» 0 sistama deve tor como ops 0 o- ma portugués,além de vor bastante racional na aun navega ‘Ho, permitindo links entre rotnas interdependentes, aber turn de mais de uma janela an mesrie tempo, bem como et intercambivel com programas que possibiitom a utlizgio de figuras, desenhoe, planithas, ee Integragao com Outros Médulos > 0 ideal seria exeo- Tha de um sistema BRP, polasrazdos ja expliendas;noentan- ‘tm, caso iso nfo sejapossivel, ou dosejado, co deve garantie ‘a0 menos a integragao dos banens de dads da mamutengéo, toque o msprimentos; Performance -» Velocidade inferior oito segundos para ‘qualquer consulta, aberturn de tla ou processamento; Rastreabilidade -> Pormitiro scesso imediato as informa hes registra no sistema: Interface com Materials > Permitir a reserva e a requis ‘lo de materiais vinculados a Ordeng de Manutengdo, bom ‘como a suspensio ¢liberagaedesias Ordens quando da falta fu chegada dos ites, rspectivamente, ‘Assistencia Téenien > 0 fornocedor dispontbilzard apoio ‘do alta qualidade na reaolugho de problemas, implantagio ‘de melhorias no sistema, Rotinas Basicas -» Oferscor as soguintes rotinan bésicas para manutengao? ‘sstomas > rmatizacos Cadastros de equipementos, Tags, Ba des, técnico,ferramental, EPI, ete; Rede de Togs: Goragdo manual de Orem de Manutengdo Goragdo automatiea de OM a partir de uma SS. elatérios consolidados dos indies do mamutendo com, -opgo grafica; Registro anélise do hitirico dos equipamentose grupos de Tag, permitindo andlise de tendénciae, indicagto de vida stil te; Registro das earacteristcas téenicas dos equipamenton ¢ sua perfeitae répida consulta, Inversao © gro perfeito de planas de manutengto, send seradas automaticamente Ordens de Manutengao} ‘Permitir ao usuro informa hitércpindependente do an tado da OM; Constar conceito para tratartarefas obrigaérins ou file) de uma manutengio. As demais tarefas serdo tea ‘somo apoio. Este tratamentsindicart sea OM poder ‘encerrada caso as arofascbrigatriae steam ou nto; {ncluir a posebilidade de medifiearmosinformagie (tome po, numero de homcns, ete.) das tarofas do wn plano, no ‘momento do relacionament desse plano ao equipamen- ‘bem como determinarmes s priridade que este plano ‘teria par este equipamento.O objetivo desta implemen: {agi €diminuir onimero de planos eadastradon corn je quenasalteragies, ecto para visualiar alas dow plasoe de many tengo dos equipamentos, com um comparative entre 6 lanejade © 0 exzeutado num determinade tempo, 10 cM. Pianejamento Controle da Manutenca0 ‘A.importancis de um sistema de manutengto recai na nsces- sidade de um controle efetivo das agdes mantonedras, desde os seus cadastros, até sua andlise ioe. Atualmente no mer ado tinds cbvervamos a presenga de especficos para o geren- tamento da manutengte, sem integragio eficiente eom outros istemas de informagio, como ode costos ¢ suprimentos. No en- tanto, esta abordayem tende a eaduear, pois estamos na era dos sistema ERP, Enterprise Resource Planning, que surgiram da nnecessidade de um tratamento intogrando as informagtes de uma empresa, Podemoe definilos como uma arquitetura de sofware ‘gue facilita 0 xe de Informagaes entre todas as a ‘Um eoftware ERP 6 um sistema amplo de solugdes «in-forma- set, com um baneo de dadostnico, onde as informagies alimen- tadas om um médulo ete imediatamente disponibilizadas para ot ddemais méduloe que delas dopendam, operanéo.om uma platafor: ‘ma eonvarn que internge com im conjunto itegrado de aplicasdes, ‘onsolidando todas as operagbos do negscio em urn simples am. biente computacional, |Asigla ERP foi cscalbida com a intengio de definir tai sistomas fntegrados come uma evlucdo dos sistemas MRP IT Manufacturing Resource Phaning). 0 principio basco do MRP II ¢ 0 do levanta- mento de necesidades,permitindo assim oesleuo,viailizado por ‘computador, das quantidades e dos momentos em que so necessde flow o¢ recaraos de manufasara, para que haja 0 cumprimento dos programas de ontrega de produ com um migimo de formacao de ricursoa empresariais (recursos financeiros,vendae, distribuigt, ets) 0 ebjetive desto pequens capt 6 fornecer no eleitor uma vis dos requisite que um sistema de manutengto dove poesuir para a ‘sua utilizagdo a eontento do PCM, desta forma oriontando uma poe ‘sive escolha seme wets rr 18:2 ~ OBJETIVOS DE UM SISTEMA DE MANUTENCAO ‘As finalidades do um sistoma informatizads para manuteng so as sequintes 1D Organisar © padronizar o proceimentos ligados aos servis ‘onde manvtenghe tas omar soliitagao de oes, prorae magia do nervign nformagies prevaniontes de baneo de dat os 1D Paciltara obtengiodeinformagice da mantenso, por exon: plo, custo do equipamonto, performance, aractorstcas 46 1 Gorenciar @ estratégia de manutengao através dos planot preventivos, de forma a garantirque as tarefas plancjadas ‘Sejam automaticamente emitidas em forma de Ordem de Manutensao;, 1 Aumentar a produtividade da manatencao através de infor ‘magies, otiminugio de mlowde-obra low prorzagho doa ae vig: 1 Controlaro estado dos equipamentor; 4 1 Fornecer relatrios de histrica dos equipamentos, bem e inaices consaldados, como backlog, indice de MITTR, etc Listamos aqui os requisites necessarios para wm software dé ‘manatencho atender as neceaidades de um Plarejamento.e Comoe a Manutengao fiear: 2 Plataforma Operacional -» A indicagio ¢ que se utilise # plataforma Windows; quasetoros os sottwn Sistemas Informatizados para 0 Planejamento e Programacao da Manutencao 18 POM Planlamentoe Controle da Manutencto Este indicaor 6 extromamenta importante para a manttengt, ‘ois mensuraa ofciéncia das ngs em busca de um ambiente set 10 para.o trabalho; claro que por #26 ndo nos posilita tragar um plano de seguranea efiiente, max funciona como um limite, © 0 lua meta, quejuntamente com a Taxa de Gravidnde sinales a evo 2ugao dos resultados em seguranga,justiieando ou nfo as dirotr- 17.15 ~ TAXA DE GRAVIDADE DE ACIDENTES CConsistena total de homens hares perdido decorrente de aidente de trabalho, por mild de THI tzabalhado, igure 73 Tot de i perdido fens Boras Trabalho isa de Gravidade = 10 ‘Nosou documento nacional de 1099, ABRAMAN tambéenabor- dow este indice na manutencdo par setore da plage brasileira, ‘endo interessante a sua observancia, Figura 74 Bare | “oss de Gris ‘ates Rie [Bib Fe 3 ‘ire Cartrice 7800 Tee ERO as / ign Cert / Pr See Santo 3850 nose Ferric ae ewer ea Migaras Emre Mewio/ Maga sa Hasoore Facet Cevw Perens Pos Bore ‘aio = Tess | 156. PcA-Panejaento Controls ds Manuteneso ‘7.13 ~ TREINAMENTO NA MANUTENCAO Figura Tt 0 indice de Treinamento na Manutengsecorresponde a0 por- aero de Aes antual de HH dedicado a aperteica mento en rela a0 HT ia asa de regi = ee sts * "| talado om umn determinado peed ‘Nodocumento nacional de 1989, « ABRAMAN divulgouvaloras deste indice esirtitcadoe por diverwosvetaresproduivas, Figura 72 Figura 60 LH dead a einameiog cents a Mame =F ea 100% Tarihi Barca Ene aCe: Pr Se rear Enea sto indicador,sliado ao indies do preventive retrabalho, r= tiv, entre outro; nae mosteard« quanta repereatem os tna ‘entow na melhoria dos indices de manutengio, ‘A figura a seguir mostra ce valere histricon deste indica 00 aso pa Figura 70 ona ™ “Tenaners alarcngo gas Eqaponerst = = wae ew The Taree we) Ze Papo /couone EJ ae reo See Frases Pisce ae Pret ra “oomes ‘Trenament nm manna = Document cto ABRANAN ‘TAXA DE FREQUENCIA DE ACIDENTES ‘A taxa de freqncia de aidontes represents 9 ‘Gentes por mito de HH trabalho, come podermts Yor 1a eu Pansjamento «Control a Manutoncdo (Onde HMC igual horas de manutengto em sorretiva, © HMP horas de manutenglo em preventiva. Um patamae active de n= retivas dove esta abuso de 25% delta de horas de manutengho ‘na planta; sora imprevavel que wea ceo, visto a eisténcin do con [Poncatescuja oppo de manutencio ser de simples correla, 0 ‘cj, roca apents dep da uh, come, por exemplo, 0 pars bia de um trator de eters, que ser epenas eubatitdo aps ua qu ‘ra eatantrdion,provocando wan serviga corrlive ‘Normalmente um indice de corrtiva acim de 50% indica ocaas ‘na mantteneao, poi 9 PCM e as deeasexeratantes ab gereninm reclamapies, vate que sua programasio ser feqhentemente com Dromotida,dovide ao davies decorrentes de cormetivasccsiena. ‘Loge, o passive de manutongho tenders. a sementar, fend ems Ge ‘stenireno efit "hla dene? one tudo fuged as controle do PEM da gereneia da manutengo, ( {nde de carretiva alto necetaciomenteenscara um backlog alto, um custo de manutengo idem, « uma Dispontlidage Pr. ‘ica baa; enfin tudo ied mal nan principe pradutos de ma tenga 7.11 ~ INDICE DE PREVENTIVA (1P) © ince do proventiva &o posto do indice de corztiv; lgica- zmente ae temo im 1 igual a 30%, coreaponde a un IP de 70%, ‘Quanto maior valor dete indicador matbor para mansion; cae ‘osm chogara a 100%, pelaarceans rate de IC no haga zor, ‘as se traballerne em valares cima de 75%, estaromos cm nm {trangailidade no proceo, nos proporcionan uma rotina bem de finida,e consoqUentemente, uma lberngto de recuraos fare bus ada maloria eontinos. Figura 61 - TEN? Incies on uavteneto Seo eumento do 1C ones uma série de mpactoe negative qi tador or fice de manutenio,o aumento do TP provoea @ Contriri, vendo detnecesiro exper as ras, vist estarem bem iia 7.12 ~ ALOCAGAO DE HM EM OM (0 indicador de Homers Hora alecado em Orem de Manatee ‘0 noe informari percentual de hores da manuteneto ofiiali- ‘nda na broeracia do PCM, «sua necessidade reside nos seine tes ator = Verifcag do nivel de utilizngto do sistem do manutengta sulotado pla ompros; Inicagto do percentual de dedicagto a eerviges indies da ‘manutangio, emo tambem do nivel do oioidade ou sobre carrogamonto das equipes. Normalmento os softwares de manuteogo reaizam esse ele lo fazono a relago entre horas instaadas de wna oqulpe, 0 ‘soma do HH disponivel de wa equipe nn perio de wm mcm total de horas desta equipe totalizaas nas Ordens de Manuten- so daquele me. 182 PM Planelameonta Controle da Manutengao Considerandoo bx vertical coma sendo os valores dehacklog,¢ ‘ixo vertical os meses do ano, podemos afirmar que a curva A, es: {vel demonstra um eantrole do proccss, restando saber se 0 valor de backlog ced om um patamar acetavel og no. Caso a resposta seja nfo, 6 processo em questto sparenta ser suscoptivel poitiva- mente # ajbes simples como 0 aumento da produtividads da mo-de-obra, iguns servigos em horas extras, 0 [No caso B vemos um deeréacimo da demand de servios, 0 ie faz crex que chegard um momento em que estaremos com boa parte ddonasto pessoal uciowo, decorrente da queda das soliitagien de ser- ‘igo, diminuigto d passivo de manutencto, ow aumento da produ: tividade da manutengto, em aquisigo de novaeferramenta,trei- amentns te Aurea C constitu um quadro preseupante, pois o backlog tem ‘uma tendéncia do alta eonstante, «ito enagja posiveis problemas, ‘nme baixa qualidade na manutengio, descontole do PCM no calen- Airio de preventivas,deficéneia na sopervinko da execute de ger gos, ferramentalinsuficente ou aumenta da demanda de equipa- ‘mento, alm de expan da planta. [No grafico D verficamas uma subidahruses dem patamar Baixo ‘para um consideravelmente mais alte. Normslmente isto aconteco ‘quando da ccorréncia de uma coretiva coma tempo de exeep ber alto, como, por exerplo, a quobra de um relamento de giro de uma, Aragline. Eat E verfleamos 0 contrarie: uma queda repentina de um patamar para outro menor; neste caso pode tr ocrride w contrat ‘de uma equipe externa, ou uma mobilizacso interna para reduplo ‘do passivo de manutengin, través da reloeagto de eer de um ‘area para outa. Por iltimo temos a eurva F que demonstra, como ‘toda curva dente de serra, um deseantrole do proceso, ensanid problemas de PCM. ‘atees ca Manutengso _i 7.9~ INDICE DE RETRABALHO 0 indice de retrabalho represents o percentual de herastraba- Ihadas om Ordens de Manutengdo encerradas,rsabertas por quale ‘aver motivo, em elugSo ao total goral tabalhad ne perio, Figura 65, ie ra ee Tarte 10088 A obeervago dest indindor tom como objetivo verficar a quae lidade des services de manuteneio, seas intarvengtea vem send de {initivns, on paliativas gerando um eonstante retorno ao equipatien- ‘0. O ideal éque o valor do indice se nero, ou se, ape a interven ‘0 mantonedora nfo haja nerréncia de fla com mesma Origen 4a primeira OM. 7-10 ~ INDICE DE CORRETIVA (lc) 0 indice de corrotiva objtiva nos farnecer a rea stungte, dt ‘aco, planejamento e programagio, indicande o percentual das ho ‘rade manutengto que foram deicadas em corretiva. "tipo de ma- rmutengio” classificaré a Ordem de Manutengio quanto ao se tip corrotiva, preventiva ou preditiva, Figura 66 150 po tndjmentae contole da banutencso ‘equiped executantes: Hage HET inetalad deve lear om eons ‘eragdo uma cert perda, ple nenbium profesional estar todoo ‘eu tempo dedicado now arvigas de manutenedo, sendo necesst- ‘io eetimar ur percentual da sun carga herds, em que estar ‘ediado «otras tarefae, como wonites, einamentos,arruma~ ‘0 da fina, te: Normalimenteeonsideramos come senda 20% ‘ate valor; logo, caso tenhamos uma capacidadeinstalada de 100 HHH em um dia, devemea lovar em consieragio para o eéleule do dicador apenas 80 HH. ‘Se quisermoa un badd dado em meas, a capaci insala- ‘da om questan dh equip wera menaal emo wunidade deseada sia ‘ins, a divisto aera pelo HH insalnde diario da oquipe. Figura 63 SiH emeateira Bec ex int © Backlog poe sor estratificade por eepedialidade, deforma ‘sterman vlorea do tndies em nivel do mectncos, el iglos negatives; falta de HH em oma determinada espocialiday 4c, sobra em outa Dest forma teemos um excelente balizador, ‘definigao da composi das cquipes do mamutensio Outen eatratiiengo pertinente 6 por peoridade, ov sia, backlog de serve de peordade 100, 200, 300 até BOO. Carnes ‘ado a PCM podersfornecer o cliente a manutengeo aide de truando tr senda: por exemple, ramos diver que 0 backlog da ‘ips X de ordens de prioidade 10 sea igual a doie meres; ease hjas inclas de wm outro servic vel 100 nesta eartelea no dia de marge, esberemos ques sun previo de atendimento sed por volta de 2 de malo. a (notes sa manutencso ‘Pedemos em dado momento Rear diante de wn equipe en gue previa de rab fitaro nao we psavel, como Go eacede uma ‘ena de sinagem, onde a mairia des servigos€ equisitad ‘ovorrer das tara de outras equipee mantenedaras, come no caso ‘deume prevantva em una bombo, em que se verifeas ecessdae ‘ede ae Usnar um ange quando da mua desmontagem. Paras ter ‘ua Idea de demanda para uma equips cor esta careceristcn @ ecessriofarermos uso to Backlog Histrico, que consist mn cone “iderar 0 servis pasaudos requeridec; com Isso toremos uma previablidnds baseadn na histria de manutencde, das demanda fnorentes Agucas eapecialidades. ‘Tavares! nus ensina que é de fundamental importancia a ant lise do grafico do backlog, pis através dela as decites gerencal | serdo main precuas,Exitem basicarente nen ipe dn caren de ae Tore de backlog, ome podem ver na figura a seu Figura 64 us cn panaiamento control 3 an [Etrstficando cto indice por stores produtive da exnemia bra sili, observance o vague quadro nacional Figura st ioe Tea ade ‘Aina es Fm mH ‘Gren cma a0 arene Ere 1a? Engen Pr Se Sa 1 oo 00 Fecha 108 espa 3 ‘Wicore/ Encore 240) owners a7 Pat kone 38) he 333 S| Tesi Ba tron Bora a reas haere Bae) oo a) Sa os Tea ee Tense aa om a noes a8 Mon 7.7 ~ CUSTO DE MANUTENCAO POR VALOR DE REPOSICAO Hate indice consist na relaglo entre o custo ola de marten ‘ode um determina eqipamento com osu vale de compe. Dee ‘vem eleular cestode manutngo por valor de oposite, par ‘casipamenton de critcidnde lta, eqsipamentos Xda plant, vist de equipamentes em wa ins.laea industrial, ornade die ‘endiowe pouto pein © controle de non ole. Figura 2 Cael eae, CMY ar dad 100% Um valor oetéivel deste indendor seria aim CMPV < 0 no pes iodo de wm ano, dependendo é caro do retro fiancee «eet teeico dodo peo equipamento analiza, que pode via justifear um esto de martengio considera alto, / Backlog ¢0 “tempo nut uma equpe de manatee dev thar por cones tos os servis pendent, coma a de trabao, we no fore adionadas ovaspondfacns dana trexeusta doe rigs st cma retradse pendent pe An equip de Panejmento 6 Cortrae de Mantengsa Bat indice consist ns relago etre x demands de servign 08 Capacidede de atndt-lo, oss, 62 smn de todas ns horas pe ts en ocr ve aa oped ota ny | Shenk tir sas, ow: Panelomento control oa Manton (neces ea Manutengso we ‘advento do onceta de manutengo elasse mundial, foram inclu Figura 59 (dasa daprecingto ea perda de faturamento “Composigo dos Custos de Manstensl0,°e) 116.1 Pessoal Despessa com sari prtmio diretos) en- eco sar] kee oe ‘cargos sacais« benfilosconcedion pela empres (i= cones ‘ireton),egasto com aperieigoamento do ative aS a al a ‘TA2~ Materials» Cost de reposgto dos tens (direto) ener meee mel Ain. aa 108 1a elerca, consumo dag © capital imobilzado (ind we | we | me ast abs Flos), custo liga administrasdo do almaxarifado © ua [as [ee [nes] ae tor ds compra. 163~ Contratagao de Servigos Externos ~» Contratos om © custo de manutencho por faturamentoconsste na relagsoen- ‘emmproms extern para servis purmancatce eu cireans- {re os gastos totais com manutengao eo faturamento da erpanbi tm [Na mesma pesquis realizada em 1899, o ABRAMAN consatoa ‘teguinte quadro eral do custo de manulengie pr faturamentom 16A~ Deprecingio -+ Custos drat de repoigto au invest ore pa smentos do equipamentoc e ferramentas, custo indiretos de capital imobiiead, eeustosadministrativos com Figura 60 testoreontabil da empresa, (Casto Toal de Manutongo/ 74685~ Porda de Faturamento + Sto or custon ds pens de Fauromento Bro ‘reduce, © custo com deaperici de materia-pria, 7 356% | [No Beni, sinda ado temon una cultura de acreecentar och ponentet Depreciagdo « Perda de Paluramento na composigto 40 45% | ‘usle de manutengo, ae | demos cbserar essa tendéneia através de pesquisa real ela ABRAMAN, divalgada em seu documento aaconal de 1900, ‘Semonstra os eustoe com persoel material come sendo of Jmportantes na custo total de manuteneta contribuindo em crea ‘28 do seu valor. a cM lanjamants «controle ca Manutencio ‘A firmula de leat da diepnnibilidade varia do um vetor pro- tivo para outro, e até mesmo de uma empresa concorrente pera utes: De manera goral a disponibilidade flsica (DF) represents 0 ‘percentual de dedieago para operagdo de um equlpament, ou de {ima plana, em lags hara ote do period. Observando af ‘eguir podemoe visualizer melhor 0 conceit Fgura 56 Tero Na PEDO OER, { he i A partrda Sirs, podemos dizer que a disponibilidade 6. rla- oe as horas trabalhadae( HT) «as horas totais no period (HG). Figura 57 a DR = HE x 100% {rates oa Manutencio tr Pode ser defini também come sendo a rlagto enti o total de horas neamulade de operaco ¢o total deharas transcode, ou a Figura ‘Onde HO 6 tompo total de operagto, HM correspond ao tempo fe paralisasées, preventivas e carretivas. Aa perdas por ‘subvelaciade no afetam a disponiildade fica, recaindo na prom atividnde Kate indice 2 reveste de fundamental importineia pare mana tango, pois nso prinepal produto ¢ DF, ov sj, diaponbilizar ‘motor namero de horas para! do oquipemente pare a operagho meemotambim deve ser utiizado para vericaro comportamen- operaional da maguineri, desta forma ientieady “oquipamen- a", aqucles que rtiram mais DF da planta. 4 muito improvivel que uma empresa nto acompanhe tas ne 50 wtue de PCP na maria dow caro 60 response por 8m cago 0 PCM apenas o importard € care qu jo qualquer desvio no seu proceso de fechament 1g, caso'o pestoal da manutengto entrara apenas na fase de 0, procurande indiios que just ou até um proceso de lingo de deamobilizagsa do qk 1. POM. Panelamento e Control a Manutencha 7a - Ter © tempo méioentew falas 6 definido come a divisio da soma ‘das hore disponiveis da equipamento para s operagio (HD), polo ‘nine de itervengde coretivas neste equipamente ne perfodo arch, Figura 58 HD er NG: A sorventia deste fndica ade observar ocompartamenta da ms- ‘guinaria, dine das agbesmantenedoras, So o valor do MTBF com ‘cpasear de tempo for sumentand, eer am sinal postive para me fnutenglo, pis indica que omimero de intervengSescoretivas Yor, ‘iminuind, « coneegdentemente total de horas disponiveis para ‘2 operagio, aumentando. 7.3-MTTR © tempo médio de reparo ¢ dado como endow divi entre a soma das horas de indisponibilidade para aoperacio devido 4 mas ‘nutengio (HID pelo ndmero de intervenes corrativas no peri (NO, Figura st HIM (rales a nanuteneso a8 simples dedueir que, quanto menoro MTR no passer do t= ‘po, melhor oandamento da manuten¢& pisos reparos eorretivos demonstram serena vez meas impactantes na produto 7.4— TPF xiatom doterminados eamponentas que no sfrem reparos, ou so, ape fatharem ete deseartados, «subsites por novos, ten- ‘doento ur MTTR igual «zero. O tempo madio para fatha tem eomo tnlogue eae tipo do componente, coneatindo ne relagto entre ot ‘al de horas disponfvein do equipment para soperagio HD) dvi dido pelo nmere de falhas detectadas em componentes nao roparivels Figura. ‘Vale rescaltnr quo oTMPF oo MTBF sto distntosdevid ao ato Ae este lovar em conseragtofalhas em componenes repardvels, & ‘aquole nos no reparives 7.5 ~ DISPONIBILIDADE FISICA (OF! De scordo com a ABN, daponibilidade a capacidade de wm tem de star om eondiqbes de xceutar uma crt fungao om um dado ‘ou durante um interval de tempo determinado". 10 pou -naneamentoe cantrow da wanutendio (ndles da manstencso rn} ule que agra valor ad de deprender recurs para lve Figura 52 tare consliderdadow am wtiidadeslguma, n nto wer enfeitar squadron de “gortao a vit Nest capital reson apresentar op dine mais tizadoe na manutengao au signed enn aplicabilidde, de forma a po Jorcionr ao lfor sembasnmonieneesatrie par a eclha doqve ther he conve “siete ois indcadores camados de Indies de Classe Mun dink al denominngo eeatraontiicativanofato de que a main- ‘indo pated aidete ov wl; 9 ele: 1 MTBR-- Mean Time Botwoon Failures, no Brasil c>- ‘nheeido como TMEF - Tempo Médio Entre Falhas. Il ~ MITR-Mean Time To Repair, ov TMR-Tempo Mé- io de Repare. Ut — TMPF Tempo Médio Para Palha, IV ~ Disponibitidade Fisica da Maquinaria. V~ Custo de Manutengio por Faturamento, VI ~ Custo de Manutengio por Valor de Reposicha. Tox on aah Sato te Ce Depentdace Opens 7520 ‘Besson m7 og 107 ae a = ‘pena ABRANAN. Alf dos fndicos Classe Mundial, também explanaremos sobre ‘outro ito indicadores, visto sua impertinca, pendo os mesmo tomporem o controle dum PCM. I~ Backlog. TM —Retrabalho, Iremoseatudar primeiramente os indicadoresncima, definindo- ‘os caeeitualmente, ber como ae fms para obtt-los; em sepa ‘da abordaremor mas ito Indices, mas 6bom deixar claro que ead POM definird ev ballzadores numerics de ecordo com suas linridades, com cortoza alguns deles sero encontrados entre listadon neste ero. ‘De acordo coms ABRAMAN'*, no Brasil os indicadores mais lizador nan plantas industias so os seguints: IIL ~ indice de Corretive. IV - fndice de Preventiva. VY ~Alocagho de HH em OM. VI ~Treinamento na Manutengio. ‘VIL ~ Taxa de Freqiéneia de Acidentes. Spree meee mn. Nii ess da Oreste ce hehontor 138 POW Ponejamento-e controle ce Mantes ‘capitulo 7 : v9 a-0-6-0-L-m ‘duragto de onae das com flga total de seis dias. 29 A-C-1-5-Lom ‘Garaco do one dias com flea tatal de eee dine. Indices da Manutencao 99 4-B-D-E-F-G_H-1-w dhuragha de dezessct aa com folga total igual zero 9 A-n_p-e-w-1-3 Lt Aluragta de dessonote ds com fogs total gual a zero, 7.4 - wTRODUGKO Imagine um indisiduo rect ido dat bene universitirion; ele sooha com varias relizades, tanto no campo pessoal, como 00 p> fasonal, mas we porgunta como chegar WA? (Os navegudares ante © ecano prio se eertificavam da sue real locazago, para depos raga a trajetrin que o levaria a0 la- fel descjado, « & isso que nosso rectrn-formado deve fazer: se ‘ooscientizar da sua real itvapso defini suas meta € os mes d= para atinglas, Basta? ‘Ainda resta um ponto a ser abordado, odo acompankament ‘exolugdo de desempento do jovam em dirego aos seus objet Neste momento aBo ineeridos 0 "Indices", ou “indicadores | ‘Desempenho" | [Na manutenpio o princpia ¢ 0 mesmo: definida sua real situae ae prope dosafios para a melhora, ae esoThe or meios, 6 98 | 9 acompankar s evolugie da ago hamans sant as indie de manutongdo. Cabe afirmar que os indieadox ‘ado io a6 aillzados no apompanhamento dos decafios da mie ‘mas tami no que tange a sua retina disria. ‘Coma vemos, 03% 64 pereursoe serio eamichosertieos, para o trabalho no seeadorroativo. O objetivo deste observacto 6 ident ‘ar tarefne que no possam strasar de forma alguma, bem como ‘isualizar oportnidaden de redugsa do prazo Final de entrega do trabalho, Os materiais necessérios, a demanda de especialidades ¢ 0 fercansontal poderso ser indicades rede, deforma a dfini rs. ‘onaablidades, melhor diviato doe mesmos eceala de eustos. Pars tanta devems incl-las atrav de cigos 20s bloeas (nétodo fan ‘ta), naz setae (métado americano), ou ao lado das barras (rdf ‘de Gantt), o que também vale pars os cust de cada atvidade, Lembramos que o trabalho com PERT-CPM rende ime infin ‘dae de faclidades, mas o dominio do método ni 6 t2o simples, tendo necossdto seu aprofundamenta wtilizande livres eapecties, ‘que abordam seus mais diferentes aspocts. Como nossa abordagem ‘to vis um delalhismo extremo da ténica,damos por sities ‘s ojetivon a aleangar com a explanagdo nese epi 8 PrM-Ranejamentoe controle da Manutenc39 Paneling eprograango a usnutencto a2 como estas depend também de F fazendo om que sue 10" dia, nto iro sfrer qualquer prejutz se Cfo niin ena sua UDI eto porto, poemos airmar que C postu uma flga livre din, visto quo sus primers dat de nico PDD &0 2 a, eau tima data de into (ODD 0 dia. Como a Fol Livre deC €igual [UDI PDI, chegamnoe ao valor citade. Chegariamon a0 moxino re- ‘sulted econsderdssemosapemeira daa de térmaino (PDT), 4a, ‘en ltima data de término (UDD, 10" de ‘Log, Polga Live €o tempo disponivel que ura tarefa tem para trac, deforma ano molifiear primeira data de inicio das atv: ‘dade de que ¢ prodeceasora. Jd PDI ¢m data mais codo que uma tarefa pode iia, a PDT 62 data mais cdo em que amesma pode ‘or fnalzada. A UDI es UDT aio an datas mais tare de inicio © ‘emino de uma taeta, reepectivamente, [No diagrama de fechas em etc nfo existr outras flgas,€ esta form a Folga Total de © igual «sua Folge Livre, poe ne ‘hums outra tarefa pssui qualquer spo de tempo, ave possi Iitea Ctr mais um valor de testo wscmslévsl na ta PDI; dat cone cluimas que Polga Total de ums atvidade consiate a wom da vu foign livre com as flgas de sun tarefassucessoras, que possi tem um ateaso na sas UDT, Fxados os eoncetos, devorse mantar a rede, peal utlizan: ‘doo métodio american, « lgo depois o frances Como} definimos ‘as ativdades, duraco ¢dependéneia no quadro de tarefas da mon- {ager do casco do socador rotative, basa agora procter 8 mig i das informagies para odoseno em rede, onde as fechas ‘teniardo as atvidades« ow ecules, o eventos, que sorte os, no sen preciso quo otamanito da seta sea proporional ag ‘se de nero de montage case do scar rota. 24 utiizandoo méted francis, onde a9 tetas indica intedepen- cia 0 blocos, as taretas, eremoeo sgulnte ‘ede serge ce mstagem de conc 8 ebro coe) {0 caminho critica do servico sera o percurse de maice duragto tree, ou aque que possi uma a2er com eral gn aig ee nme ow ot -Panetamentse Controle ca Manteno igure 46 OOO ae epreerighe deur rc peo mtodo american, [No métado francés a rede é composts por tetas, que indicam a dependancin entre a arn, eben que representa as otis ( tommpe de duragto de cada tarefs poe ser enloado sa eta, ov dentro do boo que a representa. =e ‘Repreventng ds wre pe ates neds ‘Vamos agora imaginar um daterminndoservigo, a montage de tum cascode seeder rotativo, em que primero deveros indiar tarefae com ua respactivas duragoes ¢relagio de dependéncia, Puanejango¢ Programando a Manutencto a8 Figura 48 ‘Noma shore inca, fumes so do diagrama de Mechas om ‘seals, no sentido de melhor fxarmos os conceitos de PDI ~ Prime ‘4 Dats de Inicio, PDT - Prieiea Data de Termino, UDT - Olina ‘Data de Término, UDI —Uitima Data de Inicio, olga Livre Folgn otal, ‘Vullzando actas vamos confecionar o diagram do sevigo de cs eM. Planelamanto contro ea wanuteneso ingjnd eProgramanco a munstares0 2 Organizagio (Cocslat na forma do plano, ou se, su programs onde figuram om passoe de exocugdo da pauta, as tarelas precedente, o BH pre- isto de cada erpecialidade, on matcraisnecessérics, ferramental tempo de daca de endo atvidade. Sera tambéry na fave de pl- ‘ave da MCC que etes dads srt revisados. Paistem duns formas de representacto de uma rede PERT. ‘CPM uma polo método amerieano, chamado de diagrame de Ne ‘chase otra polo método francts,conhecio também por dingea- sma de bcos. Figura 45 Comando [Neste panto falainas da execuso, que 60 trabalho de campo pro- ‘gramado, gerencindo por um supervisor de manutengte, ques blzar pel planeiament realizado Coordenagtio Em pres seria acompanhamento do andaminto das ative dade, com a tomada de ages que garentem a entzegs no prnzo € ‘nto previeto, Na manutengio 0 principio €0 mesmo, e-vale res: tar ques welocidade para correo de desvion deve ser bem mai- fr vite que @ lempo de umn stvidade mantenedara, nrmalmen: {te & menor em relagbo a tvidades de projet controle Consist na audio do PCM, verfennde straés do tacos die manutenetonefseaia Go planeamentoe exceuo da ao tantenedors data forma fc com realimntago [rowenta autertn gon possi a ier, revise Seton de larfo os prosentoa de am pla. primeira ago do planed er itar a reli de a relat co font lao de ante; astoaieament fa potn da fecha, oa; nso cel, represen ob ‘A pari deme pots 9 PCM pant vig ‘com bese nas nformagbs en seu poder, uilizandno métd 10 ‘eu Fanamentoe contol da Manteno 65.5 — PeRrcom (© ano era 19570 pal oe Estados Unidos A marinhs nortesame- ‘cana deciira construir um submarine oucear,capar de Innes texan sbmern exprocendo ino rte denne [io soria uma tarefa fi, por envolver cores de 250 ompreteiras £9,000 subempreltaias, Tamim era fenomenal a quantidade de Torneedores, bem como o ame de tens distnton a aerem fbr adam, que cigava henna do 10.000 ‘Aliado a taisparticwares do projelo Polaris, havia aa poca umn (ator preocupanto para a Marisha: a relazio de desvioentr o pli ‘elado ea realizado era nesuntaderammente sl, como mostrou wo tudo de Maer « Phillipa, que apontava dovios de 60% no peo ‘ne de 100 a 200% nos easton, quando 0 empreendimento era co ‘sido pelo governo amorieano, e 40% no prazo de entragn © 70% ‘on uston na niativa piesa. ‘ais rates, magoitude do projets tendéncia de altos desi er page custon farram a Marina eri um grupo do peegvit, ‘ie objetivo ern elaborar um sistema de controle, que redusisso ao ‘minim posivel oe dewvios em tadas a tarefasexvol¥vidas im 1958, foidesenvolvida em conjunto plo stor de projetae cspaciais du Marin dos EUA a consultoria Boos Allen ¢ Hamil ton International Ine, e principal empreiteira co Polaris, a Lack heed, o sistema de nome PERT, Program Evaluation and Review "Teenique 0 sistema foi vin mesa, © Projto Polaris fi conctido em 3 ‘anos, sendo que a previse iniil era de 5 anos, endo houve disere= ‘pénci entre oorgamento previst realizado, ‘Na mesma década, om 1957, a empresa novte-americana Fl [Dupont de Nermours eviou, em parceria com a Remington Tag 7 A Pp ER, Pa! Menge th CPM and PNT. a iar ‘Ptangjando « Propramando a Manuten ao a Division do grupo Sperry Rend Corporation, o état conbeck ‘do como CPM ~Critical Path Mette. euj oetivo era realizar tt paradas de manutene30, no menor rasa, ¢ com wn wtiiza- ‘de recursos (HH, ferramental @ maieriie), em um pata? ‘constant. © CPM, metodo do caminbo ertio, ¢ bastante paracldo em 0 PBR; uma desu pours diferengasesruturais resice a0 fat de ‘ave este incorporn incerteza na ands da pret 0, bo ‘ara aquele onde iguram tarefon ounce antes realizdes,J¢0 CPM usume a experitacia de projets anteriros log, 0 pros j¢ 0 ‘onhecidesexitindo uma rlagsoclaradestes om a quantidade dd secure alocados. ‘Quando outrora exstiam no projtoaspectosprobabilistica, se ‘plicava PERT; no aun da eailenci de anpetoe determinstons, {0 aplicaya o Camino Critic; diane de um ompreendimento em Inmbas a cxractritins, reconiendado ora tiling do mtd PERT-CPM, 6 que comegiu a acontacer a partir do 1962 Gragas As suas vantagens em controle ¢avaliagdo do prazo @ tos, o PERT-CPM caiu no “gosto popular’, sendo aplieade nos in varindon ramon produtivos’ Indatrine de alimentos, Canes 0 Civil, Minerapho, ee. Devide a suas earacteristicas a uma excelente atratividade, para os homens e mulheres tenga, motive pelo qual é nermalmente utilizado ma De acordo com Fayol, i cinco fundamentos para uma Para manutengto, prever”édetor © conhecimento do que mer pata evtar a falha, ou sea, sto nossas putas ain com sims vériastarefas. A base da. previsdo ¢ 0 contenido dos ‘i remupie rvinade na fae de aplcng cod ct panesamentoecontrove oa Manutenc30 ( cancit de folga eer vita com malo datalhe no pris ite; neste momento nos eabe anaisa aferramenta criada por Gxntt, «| Spontarauasvastaganse desvantagens ‘Como vantagem podemoe iar fciidade de observagae do pro- oto; ao azsenta na comunieacio visual a maior qualidade de Gant. [Atrava do grfice posers acompanhar o passe do serig, elo indo de cor distintn aa trees realizadas, ou até mesmo rede eahande o diagrams, de acon com possiveis madancas de daa (ow arascn om tarefns. ojo, com oavento de softwares modernos, como o MS Projet co Primavera, odingrama de barras ganhes nerementoe, Visa de ‘suas deavantagens amenizadas com os programas de computador, {oie inexictencin de qualquer interligagto de tarfes no grafico, ae atualmente¢ realizado utliando stas, que indicam quem & prec aida de quem. Vale retaltar que o diagram de barra € utiizado mesmo em situagdes em que se meomends © uso de PERT.COM, 6 clare que ume Terremonta suse _Alguns panto destavordveis so observado no Gantt, como 80 ‘mostrar do forma precia a interdependéncia entre as tarefas, 14 fam que 2s modernoe softwares amenizam esta desvane ‘tegum mas 2 quando estamos dante de pero projet, pois parm trabaihor que envolvam muitas terefas, mais de trinta, vinulieago comegn a lar prejudicada, Outra desvantagem do grifico ¢ de nfo apresentar as datas mais codo de inicio, ea data sia tarde de tarmino, alm deo po ‘manejands eprogramarde smanviensso 2 Figura 44 ue ou. Panejamentoe contro ca aruteneso ‘De posse destas informssies,patsamor a indcarem ead tarefa sua, ou suas predecessor, de qual ou quai tarefas a mesma de Dende pa nice de exeeugha. Panel «Programandoa Menutencio wm” O diagrama debarras ou raion de Gant trs como bat eae informagies «0 seu objetivo ¢ dar una Vsuliaagh gricad pro ‘acide evi pntand anim sense aie Figura «2 Figura 4a _Descrig Taete * sar 0 Dior Gea pees oe : Dato dei 9. B | Evaira gain e waneponaa [= [enaragsen emote wnt oe * | heer rates | repesmar condor 8 D | hosing rome "Sacull nents = [ep cases sta twe id SSpencots e | er cota gee eae | scr ev le op | Smee ome [aie apr en a ‘Sebettso auc ect a 1 [tier ps rise wr aerate, SI Wadi es ere | ec contra cas mpc a 7 gang SE | Med conte do aor [ee (Gor! econance) E Fagekvatnas He | Passes opine aspear com aspracer 30 Feo =a 0 ingrama¢ simples do sr foto Barta stibuir uma bares 7 | eters co % tarefs,sendo que o tamanbi da mesma ser’ proporelondl po de duragao da ativdade. Ap ao, devemosloalisar as bar 7 | ect conte ore os trmins 5 de acordo com a Interdependénci,iniiando tne bart le eenaca ‘ que termina su predeeetora. 7 | anepariargaela deve demos natar que a previnso de trmino do servigo ¢ do 13:90 wecow 4 ‘rabalhande durante almore; ake disso verfcamen que pe duns tarefns psi ser realizadas em paralelo,« Cea D, mex. a % bit nam amas io pradecesoras da tare E. Logo, ces grafico ‘a sea, qualquer uma das aividades que 2 FoM-Paneamento e Controle da Mater Planejando eprogramando a Manvte 6.5 ~ GRAFICO DE GANTT E PERT-CPM. jtodeve 65.1 mtrodueso Segundo Fayol, "Um programa, por melhor gue tena sido es tudado, jaa we realinrd exatamente do acne com aa provisos feitas. As previsdes no abo profecas, tém por abjtives reuse 0 imprevist [No hi como sor infalivel;o que um sficiente PCM deve atingir ‘és redupio, a niveis aceitdven, dor eventos ispreviatos Que pers ‘carrer no transcorrer da execugan de ura programagio. [Na buses do dese minimo do plangjadoe programado,o ser u- mano deernvalvew & desenvalve varias ferrumentas gorencias do ‘mento do eave. qundro om esta informs ‘No mstado desenvalvde por Gant, «primeira agio.a ser exseu- tada ns elaboragsodo grafico do Gantt ¢olevantamento deta ws tnrfas necersrias para wreallzacho de trsbalh propesto;em con. jlaneiad>, pre ‘ocando a redugio do grifieo de Gant, a um grafce de compact estpulande ou tempo de duraelo. Ae final mortareros mh planejamento controle. No caso da manutengao, sera pertinente 0 Figure 4 ‘onhecimento de duas delas, que interager entre si, mas nasceramy fm pec dlatintas,« tornaram-oe bastantes populares no meld Beet Duro fndatrin, sia no gerenciamento de pojien «sbras ov no | Besa dares rt ‘aonb igerenciamento de tarefas e programas mantenedares; trats-se do a Samarmaett Ea (Grafico de Gantt « do PERT-CPM. Seen eae eee so | repens 7 65.2 créfico de cance | arco compere th | Meroconat Unpw seortos on rasta No inteo do século XX o norte-americano Henry Gantt, scp ‘Ste tds ct ech pana » lode Prederick Taylor, dealizon um sistema de planejamento e con aa a = {tole qual fain us de digramas de barras. No decoreer da Pr soira Guerra Mundial, fi aplieadoo sistema em vtice emproet ea rds rea conan) Alimentos do Beéreitoe da Marinla, ¢ atraves do suse da alion- Pas pa attr on oan en Tornousee © Graico de Gantt tim nétedo bastante popular io, ned Wat ro ato avo aE planejamento, programasio e controle de tarelas. Ne erudite er each “ares a pr eta rea reeitnne ean tert Alana : [a] meat |pomervmeroenonmns [moro faafa = =S See ee ee g| Jonat arose | orem ce aN erm | Gyn [wat | rao] He : ae ee el oe i SETS. | orwormncres [ow flea a] aeeaaeer | ss | comet eaten i 20 cH -pundaments e Controle da manutencto ‘6.4 ~ PRIORIZACAO DAS ORDENS DE SERVIC Como priorizar servicor? O que fazer primeiro? ‘Aresposta para etax ponguntas fl dada no Item 3.3. Nesta parte do ivr onsinamce como ercntarnossas mca, aseande-te ne ‘atria de peioridade. Come fl dio,» proridade ser sempre exe ‘sitar as OMe nel 100, e logs soe ae nivel 200, « assim por dian to, Deta forma o POM elaesicara run carair de vervgoe, de ma ‘ira tal que aa primeiras orden na liste serso o nivel 100, depoic 200, até nivel 900, send que as ordena de mesmo nivel ero wun pririzaco defini pela antigua de Mas, e eno tivermas condigaes de operacionalizar a matrie de rior? Talver pelo fato de a empresa ndo postuir um softwere ‘Que otimise»conctto, ou pela ftodaexatdaca de inimeroa Tags ‘posi nfve V, que proveque ua detnanda multo ala‘ ests ‘pera defini dow gras erticns X, Ye Z. Ante um quudro destes¢ necostri criar ume forma simples do priorizagdo de servigos, garantindo uma lige basica para laasifiacao da carters de servigos da cada planejader, de forma 8 orlents:lo no ae planejamento programagae. Una medi ‘ara aleancar este objetivo conaiste na definigte de rierioe para Drinrzagto de OMe cadastradar; podemoseatipaldsos da segue fo maneira: 1. = Todas as Ondons de Manutengtorecebero, no ato dose ‘eadastro, um eritério de peioridade: 8 dafinigho de qual Critério spear na ordem ers ruta do conaenso entre cliente wo planejador, TE ~ Op riterios postvois de pritidade sero: ‘Prioridade 0~ Ser dado aquelesserviga que vier slusionar ‘endncina de aeguranca, melo ambiente, qual ‘ae » prodgto, com tempo nocesirie para 8 ‘solugto menor que 14 diag, Panel eFrogramanao a er Prioridade 1 ~Serd dado aquelsservgos qua visu selusionar penddnelas de segaranga, mela ambiente, quali- dade © produgto, com tarapo nowemdrio para & solu maior que 1d diawe menor que dias, Prioridade 2 Sers dado aqucles servgos que vsem selueionar ‘pendéncins difereates das de sgurangs, meio ambiente, quslidad e produce, com tempe ne ‘eats para a olugio mecor que 20 das, eu ‘qualquer pendéneia que pasa sereliminada com tempo maior que a0 dias IIT ~ Para garantir wma josta enecessérin progres don ser- vias a arteira, a permanéncia por mais de 0 dias de urea (OM. um clupto fara com que ela salted uta prordade ‘menor para aimedatamente maior, Exomple: Ura servigo {i soletado no dia 01/1201, efi dado a0 meni a prior ‘dade 2; no dia 001/02 mesmo prograici paca a prior ade 1; se no solacionado, no dia SUOLU2 ee progradirs ‘para a prioridade 0, _ IV ~ As Ondens com mesma priridad terto sua clansifengo de Sinida pela antiguidade, da mesma forma que quando tre bathamaos com & matris de proridade [No setido de garantr uma flibildade necessria & manuten- programacto devers ser fechadaseranalmente, en unne reu em que devem estar presentesprofisstnais do PCM, operagio poupervisores de manutenelo; com lve as OMs a seremn relizades ‘setmana subseqdente wera frato do consenso dos iverson set Tormadores da plants ca Panclamento€ controle ds msnutencso A carte tem fundamental importincia para e PCM, pois e- presenta o universo de trablbo ser realizado pela manutencto; Fogo, o serigo que alo eetivercontido na earteia nfo existiré no ‘mundo de planejamento, ao sendo ento Toc» de mobiizagao pera ‘Corregta, Destas coasideragees podemos extra uma rogra basica pera PCM. cada pendncn de manutengio na maquinaria deve ne essariamente premuit tm registro, ou sa, deve Se contiuir em tama Ondem de Manutensae. Figura 88 6.2 - A DEMANDA DE ESPECIALIDADES Cada O3f dove ter sua previsio de HH hem definda: ito quer sizer que, ao gerarmos ma ordam,deveroos prover na meams quai ‘de eapoctaldades © quanta tempo das mosmas seré necessdrio para ‘efetiva rosaigus das servis Por exemplo, vamos imaginar um servigo simples: “troca do ro tameato do ize de aida do motor de 26 CV"; 2s especilidades pre- viata para 0 trabalho, ¢ saa demands, podem ser as sequintes: {L1H de Eletrcita 1, para dealiga ereigar o motor, 2 HH de Mecinca I, para desmontar trocar orolamento © mon: Panejindo Programando amanutencie x3 ‘A definigo dosts valores ¢importantisnns, pois «base para ccenlo do backlog, também para programacan sensnalelas eu pen de manatenglo, «dala neceasidade de re ter umn plansjador co Rheesdor da mauiagri de sua respoasabilkiade. 16.3 — MATERIAIS NECESSARIOS Come falamo« no Capital 3, para uma execu petit dos ser syigos de manutengto, alm de uma alta qualidade de mao de-cbrae Ferramental, oa materiais sao impresindives. ‘Da mesma forma que oplanejador, ao perar uma ordesn dma _nutengto, deve estipular a demana das expecaldades, ambem de aos itens necessdrios para exacugSo do servigo,cOm0, por “exemple, orolamento do servgo etd no em 82 ‘nig, efor veaso, rio pars execute da tare, sende feng do plansjadar ee a volciazdo de compra. Em amber as situnces,o plangjador ‘execulare que chamamon de ellow-up de compra, ou si, mestio acompantharé eada ctape da aquisigso do material, icjonando a propramacso da Ordem de Manutengio so sats compre, ‘O nicoseo destoacompantamenta depende muito da traca de i= entre 9 PCM Area de compras. As empresas que uili> Err cM Pansamento Controle da Manutencto Defeso em Lai Se existir algama nora de gos roguladores liga 40 Bata- da, que entre em divergénein com mindieacdo do trabalbo de MCC, evese seguir 0 disposto na norma ‘Capitulo 6 Planejando e Programando Deve-se seguir 4 orientago contida no item anterior, quando a erate Gao hei com in eu ir eee iad 6.1 ~ A CARTEIRA DE SERVICOS Imagine wn marcensio. Pst profisionl rab sob encomens Ao, om ae, deus cients acertam a fscagio de ura determinads ‘ees, cele providencin Ax diversns encomends que o arene ‘otom que entregareonstituem suacarteira de verviqos, Na mans: tengo ocaneeito ¢ 0 mesmo; um plnejedor possi uma eartira de tervigoe, onde estao contidas todns as pondinciasexistentes nos fequipamentaa de mun responsabilide Poiomos dizer que as fonte da carters no Ms preventivas, que so geradas dos planes de ‘manutonedo ligados ao cquipamentis 1 ~ Osta goradas a partir dar slcitagdes de servico aaoperagio;| IT ~ OMs manuals, abertas para atender carretivns, ‘doemengéncia ou nor OM provenientos de inspecbes de campo cou me Prat anjamentoe contro ca Manuteneo 57.6 - Dlagrama de Decisio (0 diagrams de decsio objetiva,a partir das caractoristicas dow ‘moos do falhas sae consnqoéncins so procs, defile as agbes ‘preventivasapictves& fala: podemos estiplar as saguinies ages ‘pasavee de serem apliendas MPT ~ Manutengio preventiva bascada no tempo ou uti- liege do componente: [MPC Manutengao preventiva baseada na condigio, com ‘o monitoramento preditive do componente; MC Manutengao corretiva, intervir apenas depois da ‘quebra; RP ~ Redefinicso do projeto. Seri neccansrin uma revista das flhas com indieeo de MC, pois com ino a equipe de MCC evita um julgamento equivocado ‘ometido, Smith no indica os critics para esta reavaliagao, © po- ‘demos elttles: fotividade Marginal corre quando nfo hi evidencins conclusivas de que 04 eiston| ‘da MC aejam bers menores do queda MPT. Recomendagdes do Fabricante Para nfo perder girantis do equipamento¢ preferive evita 0 confito entre an gies propastas da equips de MCC e as recomen: ‘dagea do fabricante. (Cultura Interna imentor de manttengio de um equipamento,¢ peeferivel ‘eavalingto, mesmo porque fea evidente que ax concise a (osPianes de wanutencao as Figura 37 mm cM. Paneamento eContole da Manutencho AMC é uma das téenicas surgidas na 9 geragao da manu- tenplo;ela 6 focada na ocorréacia da fale em nivel de componen: tere aceita os seis padroes de faba apresentados como possivess sem encontrados em uma planta industrial. Poderos citar fenma exemple para lustrar esta crenge da MCC um estado Tizado pela United Aisties, que indieava que a maioris das Thaw na frota de seus avides seguia o padrao F, diferentemente dove todos achavam entre fisal da Segunda Guerea Mundial e nico do anos 70, quan pdr gerl era a curva da baah Figura 95 Dit don pts cosa co thas lie heel ——-S Se Disrespect, 2.88.8.8 8% ‘Api este pequeno « importante “aposto" no decorrer deste Item 5.7.5, vamor retomiar nossa linha de raciacinio sobre 0 PMEA aplieado.20 MCC. Um concelia importante do FMEA {Ge indice de riso, ave podemos normalizar como IR. Para on livro, este indice ¢ 0 produto da gravidade (1G), oeareéneia (I ‘eda deteccto ID): =16x10x1 os ptanes de Manteno ms Pdemos hierarguiar a falas utilnando 0 TR, 0 se), definir ss eritciades para tanto @ nocssdrio daciicar para cbs fala evantada seu 1G, 10 e ID. A equips de MCC pode atiizer a tabela bana como sugestao. Figura 36 Traces lors Nomatndoe Tron de omens [nse oe Groace este Deteogde ence R= 16x0x19 Deore qs tah ai rive de ona sn soot cosine poate tuo MCC dota abe igen on price do FMEA, a rp sarpon ard a1 ob pdnloverpare ota : = cite modon de faba tm valor TR mater qo 0, cu de 0 cu Penejamento «controle daManutencto 0 metro de anlise de faba em questo, auxilinré a equipe de [MCC determina todo mode de falhas post ves, bem cone suns fonaeqOncia; de dato woquipechegara hindieago ds eiticidade ‘de eada fala, « dentfiagio dos componente que devem ser sub- tmetidoe a analise de MCC. De posse dstaferramenta« equine po fers responder as soguintos prsumtas: 1 ~ Quais sto or modos de falhas possiveis de ovorrer? shsitema, serao afe- 1 ~ Quais componentes do sistema, tad por eases modon de fathas? 11 ~ Quain 0 efeitos das fathas a0 sistema, on subsistema, {Srmos de dane fscoo,segurenga, pra fiancoira © que Iidade final do produto? |TV ~ Qual apo, ou agder, pode ser tomada para evtar a 0cor- ‘neha ata? ‘Torna-se interessante tocar no ponto “padrdes de filha". AUS a Segunda Guerra Mundial s indetria nde ert muito macanizada, com aso 0 tempo perdido devido w uma pane em urn equipamenta tra faclmenteseatmilado pelo proceaso logy, bastava ago corre: tive, para o prosseguimento sem traumas da produgdo, Na époen 0 ‘av de fala era considerado com sendo urs (padrao B), onde eassumia que um components trabalhava deforma satisfatsria die ‘ante um periodo, entrando depois de um certo tempo em van fas $a de dexynate onde a incdéncis de faba setarnava ata, Realmenta {ima parte dos slameotes de maquinas segue esta liga de perda ‘de Funcionalidade, no entanto apie a Segunda Grande Guerra oni Implantagae de ages preventivas nn maquinaria. Neste mi planejamento eeontrole da manutencto tim sew nascanento fee enttioo pro de fala da "curva da banheira”(Padrio A, (cs btancs ce manutoncto En] temp, que se sere que aumentaria com interveages preven tivas,entrand> em uma fase de dears sent ado (re da vida ti ‘partir dor anos 70, manotengie compa a ter uma nova bor dager, pois nto oo imitia tal poriodos de parada de nsgvina nao Drogramnadce, go, a disponibildade« a epeBabilidade passaram © fer os objetives fina éaspoitiens de manuten0, exoms-s6a isso 0 Gemonda surgida nos campos da seguranga do trabslho e meio em Donte, A rquesn de teniene de manttencao este periodo ¢impres- sionante, novas formas dese fazer manutengio foram aplicadas, {onto com abordayens tcnicas como administrativas. As Pesquisas fndicaram o padrto de fala da “curva da banbelra’, que nao era 9 finico« aearer na maquinaria, Se verificou que o padrio de falha wnt pode se encaiear em sei diferentes tos, ea origatoriedad dn andine male aprfundada para o trata de win conjunto de equipamentosdistintoe entre s ‘Alm doe dois padres sbordados, paddies A B, se verifcou ‘aeristéncia de mais quatro pxdries. 0 puro C indiea wn aumen- to gradativo da probablidade de fala, nao sendo possi a idnti- casio coreta da vida til do componente. O padrto D indies uma ertalidad infantil, cm urna rapida ceyada a am atvel eons te do probablidade de flha. O padrao ¥ tam uma probbilida- falls constante cm toda a vida atl do elemento, e, por timo, © oF indica uma alta probabilidade de falha no into da vida, ado um patamar constante dopa de um certo tempo. Pigurast