Você está na página 1de 38
iN a irl: i al éne o o lo poder investido a mim pelo estado de Massachusetts como AL” juize de paze, acima de tudo, pelo poder do seu préprio amon, ‘vos declaro casadas seguncio as leis de Massachusetts” entoou a juica Ge paz Margaret Drury povco depois das 9 da manha de 17 de riaio de 2004. “Podem selar este riattimOnio com te bei casl se abracou, Marsh Kadish, que havia se casado com sua parceita de 16'anos, estava extasiade “sato men corpo todo formigando, émaravilhoto; disse la. “Tanto amor. Voct ndo véexplodindo em mim?” Sua Parceira disse que ers como "ganhar na loteria’, Ainda assim, o casamento ceusau muita controvérsia nos Estados Unidas. “Os documentos emitidos em Mas. sachusetts podem até dizer ‘certidéo de casamento’ no cabecalh, mas eles na verdatle eto atestados de ébito pare trimonic’ disse Jaries Dobsun, chefs do grupo «rist#u “ amily A era com outra muther ~ Tanya McCloskey. 0 2 insti paraa controvérsia foi que a parceria de tanto tempo de Massha K- ‘americana de Mas- ‘asal estd entre os primeiros cassis do mesmo sexo a se casar pelas novas leis do estedo nort Sachusetts. No decorrer do dia, um casel gay ap6s 0 outro safa da prefeira local earregando os récéin-émitidos documentos que permitiram que ees ee casassem, Do lado de for, milhares de pessoas se reuniamm para aplaudir 08 casais, e para comemorar um direito que muitos consideravamn evidente, BS somany Giadens ! O estado de Massachusetts costume estar na venguarda de reformat liberais nos Estados Unidos. Em mato de 2004, depois de meses de disputas dentro «fora da Supreme Co te ¢ do legislativo extadusl, Massachusees se tomnou 0 pri mp estado legalizar 0 casamento gay. Embore némeros ‘ads vez maiores de pessoas nos Estados Unidos acetem que fs casamentos entre homossexuals devern ser reconhecidos coro vélidos pele lei, a maioria (55% em maio de 2004) se mantém contra (Gallup, 2004) « uma maioria evassaladora Se estados tem lei on emendas constitucionais que impedem 0 “easamento gay” Massachusetts univ-se a Holanda, Béigica Canada como alguns dos poucas locais ao mando onde os casamentos gays sdolepalmente reconhecidos. 'A simples posssilidade do casamente gay legal demons: tracomo foram radicas as mudangas nas idclas elacionadas com a sexualidade nas tities décadas. Afinal, foi apenas ‘em 1967 que + homossexualidade masculina fo! legalizada ‘no Reisio Unido. O casamnento gay também levanta questées sobre a orientagio sexeal: até que panto @ orientagto sexual knata até que ponto € aprendida? Muitos dos temas que aanalisamor neste capitulo se sobrepéem as quest6es levan. tadas no Capitulo 9, “Familias erelacionamentos intimes’ A senualidede humana etd ligada i nossas ideias sobre o amor e Aquestto do que torna usp celacionamento bor. Ceda vez rtis, as pessoas argumentam que um: bom relacionsanenta deve ger entre iguais. O casamento gey somente se vornoa ppossivel por meio de uma batstha contra diseriminarso ©2 desigualdade, que ainda continu. Comegamos este capitulo discutindo a sexuslidade hu- mana ¢ analisemos como o comportamente sexual esté mu- dando na tociedade Ociden‘al. A seguir, examinamos mais sespeciicamente a orientagio sexual, ¢particularmente ques wes eavolvendo 2 homarsexsalidade no ocidente Isso nos leva’ questo mais ampla do género,e suscita questoes sobre ‘9 que significa ser homem oo mullher ne sociedade moderna, ‘Conciuimas com uma discusiao sobre « desigualdade de p8- nero ¢ enalisames como a igualdade das mulheres cada vez ‘mais encoatra sua exprestéo global. Sexuelidade humana As ideies sobre a sexualidade tm passado por mudangas cematicas, Nas tltimas décadas, nos paises ocidentais, vi- Hor aspectos importantes da vida sexs] das pessoas foram alterscn= fe maneira fundamen. des tra sais, a exualidade ertava insimamente ligada aa pracesso de reproducio, mas, em nossa era atual, elas foram desconec- tadas. A sexualidade se tornou uma dimenséo da vida para cada indiviiuo explorar moldar. Sea sexualidade antes era “definida" em termos de heterossexualidede e monogamia.n0 contexto de relagdes maritals,atualmete, existe uma aceite- ‘cho cada ver malor de formas diversas de comportarnentos € lorientagbes sexuais em uma ample variedade de contexios, ‘como vimos na discussas anterior sobre o casamento gy. [Nests secio, examinamos slgamas das questdes envol- vyides a0 comportamento cemusl bursano: a importéncia de indluéncias biolégicas ou socies, como a sociedade determi: 1a a atividade seal ea influéncia da tecnologia reproduti ve. Depois, analisamos algumas das tendéncias veventes emi comporsamento sexsal humano n2 sociedade ocident Biologia ¢ comportamento sexual [A seruidade hd muito ¢ considerada um assunto slamente ‘pessoal, Por esta rand, ela € uma area dificil paraos socicla 08 esnudarem, Até recentemente, grande parte do que sabi mos sobte a semuslidade vinha dos bislagos, pesquisacares ‘médicos esexélogos. Os especialistas também olhavam oat fo mundo animal na tentativa de entender mels sobre 0 cor portamento sexs) humano. ‘Existe tm claro componente bioldgico na sexualidade ‘pois a anstomi feminina difere da macculina. Tambérn exis, teo imperativa biolégico de reprodusir; de outrs for ‘espécie humana teria sido extinta. Alguns sociobidlogos, como David Baresh (1979), argumentem que bd amz ex plicasdo evolacionista pare fato de as homens tenderers 2 Set mais promiteuas sexcalmente de que’as mulheres. Se, argumento diz que os homens produzer milhées de espex ‘matozoides durante a vida e, prtanto, podem ser consiers dos biologicamente dispostss a engravidar tantes mulheres ‘quantas for possivl. Todavia, as mulheres produzem apenas algamas centenas de 6vulos durante 2 vida, e devem cxr (0 feto dentro de seus corpos por nove meses, 0 que, segundo Barash, explica por que se concentram mais no compromet: ‘mento emocional endo #40 t#o promiscuas sexualmente. C niileo biolégico de homens e mulheres move o comporta ‘mento sexual na sociedade. Oargumento de Barash encontrs ‘amparo emn outros cetudos sobre o comportamento sex animals, que mostram que os machos no romiscuos do que s fémeas da mesma espécie. “Maitos especialistaszejeitam essa abordagem evolucio lata. Steven Rose, por exemplo, argument que, a0 cont-irio da maiocia dos animmas, 0 comportameato kemano € mais ‘moldado pelo ambiente do que determinado por instintos _geneticamente programados:“ Deb? humano nssce com re Ietivamente pouces de suas vias aeuraisjé cormprometds" (Rose eal, 1984). Rose diz que os seres burnanos tém ama infincia excepcionslmente longa em telagio cos outros 20H sais, o que Ihes dé muito mais tempo do que és outras espé ‘des para aprende; com suas experigncias ‘As alegagdes de sociobidiogos como Barash sio vigoro: samente contestadas, especialmente em relagdo a qualque implicagdo para 0 comportamento sexusl hurmano. Tadavia, uma coisa dstngus claramente os huunanos dos animais. ‘comportementa sexual humane é significativo ~ ou se, 05 seres humanos usam e expressam sua sexunlidade em ume vrariedace de maneirss, Para os humanos, a atividade sexual muito mais que bioldgica. Ela € simbélica, refletindo quem: somos e as emogées que estamos sentindo, Come veremos a semuslidede é complicada demais para ser totalmente 2 Dalda a tracos bioldgicos, levendo ser compreendida sn =r sos dos significades socials que os humanos aribuem:a x Formas de sexualidade “A maloria daz pessoss, em todas as sociedades, ¢ heterosi= sual - eas procuram o outro sezo em busca de envolvirsexte Bieaeeereenccoe mee tn SURES IE TEI Steen | | | | | erocionle pases sox) Hitorieamente, a hetotte- Ine, em eh sociedad, tm sides an do caverns te fanfia Alndh asim, cso mus gore etendence ‘Salsa. dh Lorber O98 dingue te 10 Idesidades sealife mer mane etrostonid homens teerotexil, mulher lis, homem gay mules Brood, homem bisecslmuler rave Cae Saher gute eae Jegerment de homes), homem teva (am tomer que tcrate Bpuarments de mulher), mulher weneenal Con omem quese trae mia) ehomem tase (ama son Ther qu tons homens As pata ema cmelte sods ayes xlstem cite prvcas seruais posieia. Por exem- plo.um harem os una she podem ter lade sxtas {om mulheres, or homens ou fom tabor Pde set con tm de cadaver ou com ues ou al parcputes Pode oc sexe contigo mes (crstarbao) a com ningadoa eibato): Podowe ter rege serunb com tence ob com petoar que streveren croucamente tan portage oa nperelaos sexsi, praia sudomasoyeino (0 uo St co de ubmito «dor se sexo Som snmats seis gor diate (Lorn 1998) en todas at sociedades,extem normas seria qué sprovam cers prstinsenquantodesertnlam ou cond ta utes Os membros de uma soctdade aprenden cess Toraas com ssociliurt, Nat ns Gécaan por eae fl, norma emus en cular cients ene gad "iss de amerromntion elaconarencos mde, Bates ormes, porém, vam anplamente ene cultura die, CG. A benosecvaldade& tm exemple Aguas cltcas tr tlerada ou incentvado a horontencande avant tx certs conteron. Entre os egos ation por exemple O amor de homens por rapes ea elend corso mais riperor de aor sna (Os tipos sects de somportamento seu también va- sium ete astra, que € una manele de tabeonen que *maioca du sexponts texas €apredida emverdc noe, erdo al ampo sobre otra fol ead ace 60 anos por Cll ford «Franck Beach (1951) que real lam evidences antopolipics demas de 200 soieeades Forum encontedasvariages novels eal que Cconde, tudo comperamestosexal natal eassaoonasdebaoss feral Por exempta er algunas cultura, seria soe prliminares demoradas tes durando boas a desis {toes necesere antes de penetra, en tea et, Camere ato existe peliinarcs, tin cata sociededee, scrediace que relies snus caren bequentel Bere lever dceiitacto fice ea downges Ear os nang do Bacio Sul, os oos da ld do conconwbrew ace cesidade de tempo ente at races veruas* eredtano tani que una peioa com cabelos rans pod copay todas notes maori das cultures, a4 normas de bles genus! (edotdas or mulheres homens) coneeararyae mas na ‘panda fice paza a enlheee Go que prs omean tong Stugio qu parece ear msdendo fredoulmente no Och deat, medld qu a mlheres ends vee alse tena Aas em ener fora do ls, Cont. os wag cas Sosioiog os mais importantes na belezaferinina diferesa muito, No Ocidente moderno, admieaete um corpo pequeno e magre, enquanto, em outras culturss, ame forma muito mais gene, 108 ¢ considerads atraente. As vezes, 0s seios nfo #80 cei. que apencs ge nes em comum: eles tlvez também compartiliem ema pro pporcio maior deexperitncias de socilizagao cerethantes, Sexuaiidade, religias e movalidade ‘As posturas para com 0 comportamenio sexual ndo sto uni formes entre as sociedades do mundo e, mesma de tom metmo pais, eles passam por mudancas sgnificativas © i | ern smo sneer aap bide, rtm ite cas ead far auc ny enn Se ceripsonchnat cts es at © Ta gaia Aart ined Ceca Soh Gages cn agallted gives, cure comienae Saigios Goa tpl gor wheonlprscost omelet nanan Sonjechamneinpaena mec Tok nary. wee ogra in sano cemabepeenice ease Genes atl eoceiantipensaaibr yee ecert Se epoecrmir ent alieeg aonb? catego anata fase leh anions a ear ye i ‘ind dil ettertidetik eco po uis oy peaapceerseagpeeabenatess Sialetteusellndis ot pecger eiastins bo tudo, a sraior parte dos primeiros escritos de médicos sobre | ee Fics epceengh eclgeepe eee G Sintaeoounhan dosencntscrete pts Bien of E fo. Diese ques masturbecdo chusava cegucia, insanidade, Serge modimrresion tinea Ie olde meg oo i £ i i : sil abundava, Acreditava-se gue as mulheres virtuosss eras Indiferentes & sexualidade, aceitando as atengbes de seus ma- ridos apenas coma um dever, Ainda assim, nas cidades cada vez maiores, onde reinava a prostituiggo, sendo abertamente tolerada, as routheres ‘vres” eram consideredas ume catego rlatotalmente diferente de suas inmés reepeitaves. Muitos homens vitoriancs que, publicamente, ecam ci= = sérios e bem comportados, dedicados is suas espo- ss, vistevam prostitutes regularmente oo tinham amantes. Esse comportamento era tratado de maneirs leniente, ¢0 [Passo que as molheres "respeitéveis” que tinhem amantes eram consideradas escandalotas ¢ eran repreendicas na so. iedade se seu comportamento viesce 3 tona, AS diferentes posturas pera com as atividades sexuais de homens ¢ mu. theres representavam um padrio duplo, que existe hé mi to tempo ¢ cujos residuos ainda permanecem stualmente (Barret Ducrocg, 1982). Na época anual, xs posturas tridicionais coexistem com pposturas mals liberais em relagio & sexualidade, que se tor~ sneram particulacmente fortes nz década de 1960. Em filmes pegas teatrais,sio mostradas cenas que antes teriam sido totalmente inaceitaveis, © existe material pornografico di Ponivel pare a maioria dos adultos que desejarer. Algumas pessoas, peticularmente aquelas influencindas pelos ensine ‘menos cristios, acreditamn que 6 sexo antes do casemento é cerrado, ¢ geralmente repreendem todas as formas de com portamento sexual, com excegio da atividade heterossexel dentro dos limites do casement ~ embora seja cada vez mais aceito que prazer sexual é uma caracteristica desejével e im. pportante. Outros, em comparacao, perdoam os eprovesn a. vamente o sexs antes do casementa ¢tém postures toleractes para com diferentes prétieas sexta, ‘Sem civida, as posturas sexuais se tornaram mais per- imissivas 90s tltimos 30 anos na miaioris das paises ociden: tis, embore, como demonstram os estudos epresentados na Figura 14:4, existem diferencas signifieativas 20 redor do planeta. Por exeruplo, na Repiblice da Idanda e nos Estados ‘Unidos, por volts de um tergo da smostra ainda pensava gue DYrENOR DE UM BOREEL De Zoi OBaTE De LOSDAES “coriéna, um Nomen podls ter ume amante ou vister prostitutes com impunidade, Porem, a serualidade Cas “respeitéveis" era rigidamente contida denuo co casamente heterassemual vue Anthony Giddens 0 sexo antes do casamento era “sempre errado" e, nat Fil pina, 0% pensevam o mesmo, Poréim, na Suéeis, e598 pro redo é de apenas 4% ¢, na Republica Teheca, de 5% (Wid. ‘mer et al, 1998). Essas diferengas culturals mostram que as crengas rligiosa: e norma tredicionais relacionadas com 2 sexualidade nao foram simplesmente deiradas de lado na era ‘moderna, mas cnatinvem a exercer uma influlncia sobre as ‘postaras e valores das pessoas REFLEKAO CRITICA ‘Seas posturas en elago ao sexo @& sezulidads edo diforen 1 das de cous pai ¢porentes mats vena? Qual e elacio ‘ore earns postuase es crenges rellgisas? As novas posta~ das goragdoo mas jovans sao ovidéncias a socuarizacio, (uenistem ouzas mancires da orpicar eevas mudangas? Homossexualidade Kenuseth Plarmmer (1975), em um estudo dlissico,ditinguis ‘quatro tipos de homostexualidade dentro da culture ociden tal moderna. A homossexualidade earual éwm encontro inci- ‘dental gue no extrutura a vida sexual geral da pessoa de ne ahuza modo substancial. Paixdes escolares ¢ a masturbacéo| situa sf0 exemplos. As dtvidades localizadas referem-se @ cizcunstdncias em que atos homosseruais ocorrem regular~ ‘meste, mas nao se tornam a principal preferéncia do inlivi- duo, Em ambieates como prisdes @ acamparnentos militares, ‘cade os homens vivem sem mulheres, ese tipo de cormpor- tamento sexual £comuta, considerado um sabstituto para 0 comportamento sexual, im vez de ser uima preferéncia A homossexualidadepersonalizada referese aindividucs que tha preferéocis por sividades homossexaais, mas que “Nao vamos comertorar 0 Dia do orgulho Gay asta ana. Estamos au, amor gays, extemorccntimadas com 10 igolados de grupos onde isso ¢ aceito com faclidade. a homossexualidade, aqui, € uma atividade furtiva, ocuka de amigos ¢ coleges. A homossexualidade como mado de vido refere-sea individuos que “assumem ¢ se associam a outras pessoas com gostos sexuais semelhantes como parte de suas ‘das, Eseas pessoas geralment= pertencem 2 subealturas _goys na quals 2s stividades homossexuaissio integrades.em ‘um estilo de vida distinte. Essas comunidades proporcionam «possiildade de agio politica coletiva para promover os di rites einteresses de homossexuas. E provével que 2 proporsio da populagio (miscolina ¢ feminina) que jd teve experiéncies homostexueis ou fortes tendéncias para 0 sexo homossexualseja muito maior do que a dagueles que seguem wo estilo de vida abertamente gay. terme "poy" era usado principalmente pera se refer a ho- ostexais do sexo asculino, coma na expressao carmum “pessoas gays eIdsbicasembora também esteja sendo cade ‘yee meis urada para descreverlésbicas. ‘A homostexualidade masculina geralmente recebe mais do que olestianisic> viacains ov “fridades bo riossextaisentze mulheres. Os grapes de Iésbicas tender = sermenos organizados do que as subcalturas gays masculinas, ‘tim ua proparyio menor de telacionamentos casvals. Em ‘campanher por direitos homosseuas, os grupos atvista de lisbicas costamam ser tratados como se seus interesses fossert idénticos aos das orgenizagSee ssasculinas. Porém, embora hnsja uma cooperaio intima entre gays e lésbices, também cexistem diferengas, peticularmente quando 3s lésbices extt0| ativamente envalvidas no feminism. Algumes lsbicas come ‘aram a sentir que 0 movimento de liberagio dos gays rile tia ot intereszes dos homens, enquanto as feministas liberals ce radicais xe preocupavem exclusivamente com os interesses dde mulheres beterossecusis de cleste média. Assim, susgiv (0 Vilage People faz ume parddia exveme de formas “macho” de iasculinidade. tum linha distnta de feminismo lésbica, que promoveu @ sissemina¢ao dos “raloresferaininos” ¢ desafiou 8 insiuigso dominante ¢ estabelecida da haterossexualidade masculina (Bich, 1982), Muitas muthores gays consideram o esbianisma menos como uma orientagio serial ¢ mis eonia um com- prometimento e uma forma de solideriedade para com outras mulheres ~ politica, cocial epesoskmente (Seidmen, 1997) Posturas em relagdo é homassexualidade As posturas de intolerincie com = homoesexuslidade eram ‘io acentuadas no passaco que foi somente durante os ulti ‘mos anos que elguns mitos em torno do tema foram desfei- tos. A homossexualidade ha muito ¢ estigmatisada no Rei- ‘uo Unido e ao redor do mundo. A homofobia, um termo cunhado no final da década de 1960, refere-se a averséo ou Odio dos homoscexuais e seus estilos de vida, juntamente cemeomportamentos baseados nessa averedo. A homofobia ¢ uma forma de preconceito que esté refletida nao apenas ex atos explicitos de hostlidade « violencia contra lésbicas goys, mas também em varias formas de abuso verbal Na Gra-Bretanhe, por exemplo, termds como fag ou quecr sia usados para insultar um homem heterossexual, assim como Aaony Giddens termos ofensivos rlacionedos com matheres, como sissy 01 pansy, Embora @ homassexualidade asteja se tornando mais aceite, homofobis permanec arraigida em muitos setores da sociedade ocidental, o antagonismo para com os homos- semasis persiste nas pastures emocionais de mites pessoss. (Os casos de agresséo violentae assasinato de homosseruais Algunstpos de compaytemento gay masclino podem ser vistos como tertativas dealteras as conexSes ussais en crea mazcalnidade eo poder ~ uma ra2to lve, porque 2 comunidad heterosexual multas vezes os considera amet- ‘adores. Os homens gays tendem a veetar a imagem éa efe- {nina asociada popularmente 4 cle, es afastem dela de - hore prieipetnene com seus unos matidos, Apoxuadatnen te 60% haviem se masturbate « « mesina percentage tine {do contata oa-gantl. O ssmco tambem moszounives mas slavados de bomossenualidade masralina do que so espersva, revelando que mule homens heterssemueis unham senamen- ros hommossexuals, 1 dsparads enue as atihdesacetas em pice wo cme portamento verdadeio que as obseragies de Kinsey demons- ‘evam ere especiaimente grande naqusle pefodo especiice, Jogo apo a Segunde Guoa Mundial. Uma fase de Mneratza~ (qe semual hava comeqaco ances, a aoada de 1920, quando Tuitos ovens Se sentian Ierados dos ngidas ciigns merais estar emergindo uma “nova fidelidade” (Leumann, 1994), talves eta parte como resultado de preocupacies cam os ris 0s associadas &transmissio do HIV/AIDS e outras doencas sexvalmente transmissiveis, Por exerplo, um levantamente realizado em 1998 sobre as posturas relacionadas com as re- lagdes sexuais em 24 paises (ver a Figura 14.4) mosta (com algaroas exceybes) que uma maloria avassaledora € contre 0 sexo extramarital, 0 sexo homossexual 20 sexo antes dos 16 anos de dade, OIevantamento também mostra gue somente uma minoria era contra 0 sexo antes do casamento (Widmer cal, 1998), sugerindo que 2 ligecio tradicional entre 0 ca- samento e as relagBes sexuais fol rompida, Nesse context, 2 peiqulsa socioldgics sobre a sexueiidade enfventa atvalmente ‘mesma problema de estados anceriores simplesmente, no sebernas0o quanto as pessoxs falar 3 verdade sobre suas vidas sexuais, quando entrevistadas por um pesquisador que no Alfred Kinsey descobre a diversidade de comportamentos sexuais igus haviam gotomada de coretbes anteriores. 0 sompartamenta al povaveimente muou bastante, mas as questee rela ‘lonadas com & sexusidade no eram discvidas aberamenia {de manera que hole se tomou familias AS pessoas que hat ativdades souais que ainda eram severamante dasspcoveces ‘ho nivel pico as ocalavem. sera entender que mulas ou ‘hia pratioas somelnantes Pontos de critica A pesquisa de Kinsey fol contoversa nos Estacs Unidos tacade por organizaodes conserveoras o religiosss, $0, un aspect doe estos analisou 3 sexvataede de changes fem menos da 16 anne, Multoecrdcos lvantarem objpize 20 fu uso como suenos oe pesquisa, Os eres seliiosos tember ‘argumenuaran que a discuss aberta de comporiaienio seria feraquscerta ox valves more’ onsi2es 0s crfens academia axguimeniaram que a abordagem psitvste de Kinsey cole sls dades bros, as nto consogite entender a complexe da do doooj semel por tds do camporiamenta verso que revs tou, ou oe sigmicedos que as pessaes auibulam a siasrelagtes seruas,Pesqulses posterores também ancontaram aleis 26 Dabo: de experenclas honoaseaiais do que Kinsey, sages do que sus amosts tales fosse menos represenatve-do qe = (eque acediova Relevancia contemporinea Xinsny 8 conhec como un dos fundedoes do estado cenii=> da sezualicede numine, » suas observaqies form memumentass para desaiy a visio comum de apoca, de que @ homesenuai- fade ara uma Jorma de doanga mental que exgia Uatament> Fol somante na era Mais peroissiva da década de 1900, que soase postwes aberanente deceredas # mais alinhadas 4 ralidades do comportement, que 0 t20r geral das dasoahertas de Kinsey ‘sso a ser considerado um. quadre reste do comportsmeno serval Kinsey morieu am 1686, max o ltt for Sax Research. (ques iia. continua suas pesquisas atualnents egerou mul- {hs informagies illas ste 0 companamesto Sexual cot paténe. Seu nome fl uonata pase Ainsey ints for eseact ln Sex Gender and Reprodusien em 1981, em borenagen & su ‘mtnbaiglo para a posuisacentiica neste campo conhecem a quem talver no queirem confiar suas infor: races mais pessoais, Todavia, levernos lembrar 2 Ji-to dos studs de Kinsey aqui: essas posturas declaradas em publico podem simplesmenterefletr a compreenséo das pessoas 50 ‘bre as norms piblicesexistentes, em verde descrever corré= tamante suas vistes e compartamentas sexuais privados, ‘A validade das pesquisas sobre o comportamanto sexual também foi foco de intenso debate (Lewontin, 1995). Os cr- ticos axgumentam que elas néo geram informagdes confiiveis sobre ex priticas seuss, Em um estudo norte-americeno (Ro in, 1990), os pesquisedores relataram que 45% dos homens entre 80 e 85 anos dizem que fazer sexo com sua parceit®. (Os erticoescreditam que sso obviamente é tio invericico qu celoca em divida os resultados de toda 2 pesquisa. Todavz. (gee essa critica pode 32 ‘os gecontologistas sociais sugese: ‘asess em esteredtipos negativos sobre o envelherimento, £2 ___seciotoata GAZE O sexo antes do casamanto ¢ ovrado? o% 20% 4m som at LOD Australia, 13 E} : Buigsra a 7 Canacé 1s T 63, Repdblica Teheca a ae ~~ Gra-Bretanha au te 70 Republice da Irtanda ms is 42 e080 Z a = Nova Zeléngia_ Ee 62 inlands do Norte 5 15 ra Fiipinas eae 3 Russie Espanna suacia Estados Unidos © Sempre i Guess sempre L} Apenas is vares — LINao 6 orraco aany Ghdens Sipire ERTS oe co Pesce Tensos orto gti FepabicsTeneca pb a are Sep Neve Zn poss con Uni Eras Figura 14.4 (Contnaagio, pablicedos ou inéditos. Esses métodos de pesquisa nfo slo mutuamente excladentes, ¢ claro, e podem ser combinados para prodizir uma narrativa mais rica das mudancas nas for~ mas de sexualidade nas socledades, ‘Um exemplo de um levantamento de grande escale 0 ‘eallcado por Lilfan Rubin (1990), que entrevistou mil norte -americanos entre as idades de 13 e8 anos pars descabsit as mudangas que haviam ocorride no comporsamento € pos sures sexuais Gestie os estudos de Kinsey. Seguado sues 00- servagbes, houve avangos significativos. A atvidade sexual stave comegendo antes do que era caracteristica na geraceo anterior, eas pritcas sexuais dos adolescentes tendiam a s2¢ er trometry anon REE REFLEXAO GRITICA Dievantamens apresentado na Figura 14-4 fi realizado bd ‘mais de une déceda. Quats paises parecem ter as postures mais “eral ante 9 comportement sexual? Quals parecom er mais conservadotes? Aum das resultados supreendiew ook? Voce azns qu, s@ as mesmas periniasfossem feltas hoje, os resultados eviam sign\eatvamente diferentes? No co poste, ce que maneiras elas poderiam tifri? do variedas ¢ emplas quanto as dos adultos. Ainda havia um_ pedsio duplo, mas nio era tio forte quanto antes. ‘ima dae madanas mais importantes fol que as mulheres pussiicam a esperar, ¢ a buscar ativamente, prazer sexual em fous telacionamentos, Elae esperavara cectber, © ndo apens proporcione, stisfacao sexual Rubin observou que as mu Theres eram mais liberadas cexoalmente do que antes, mas 2 raioria dos homens na pesquisa considera essa assertivids Ge ferinina dificil de aceitar, dizendo que “se sentem inade- (quidae’ tém medo de “nunca fazer nada certo” ¢ consideram ‘ropoutvel etisazer as mulheres hoje em diz” (Rubin 1990), Essa observagio parece contcadizer ado que viemosa esperar sabre ar relagSes de género. Os homens coatinuam ¢ dominar ta materia das esferas e, de um modo geral, s40 muito mals violentos pars com ax mulheres do que a oposta. Essa vialen iavise controlar e master 2 subordinagio Gas roulberes. Ain. a assim, vires antares comeyam a dizer que a masculinida- de € um fardo, além de fonte de gratificazbese, se 0s homens perausein de user e senualidade como forma de controle, 20 Spenas 8 mulheres, mas eles mesmos ceriam beneficiados. (uso de materiais documentas pars estudar as mudan. {et nas formas de sexualidede ¢ demonstrado em Sex and Manneré do soci6loga dinamarqués Cas Wouters (2002), um ‘sudo comparativo sabre as madancas nas elaybes de gos. roe na sexualidade ns Inglaterra, Alemanha, Holanda e Bs- tados Unidos, Wouters estudou !*\70s sobre “boas mancires” do final do século XIX 20 final da século XX, particularme te no que dia respeita ts relacées eave homens e mulheres to “comportamento de cortejo” ~ as oportunidadese limits cies em encontros eno “namord” entre homens e mulheres Os manuais de boas maneiras trezem conselhos sobre como condazir esses encontros, cédigos de maneiras ao se combe’ ‘eve como agit em relacionamentos com “o sexo oposto” or exerapln, em rea publicacao inglesa de 1902, Pri- ‘nett for Women, oconselho dad é o seguinte:“élugas ua homem pagar pelos reltescos tomadas, se ar damas nfo inss- tirem em pagar por sua parte, ese ele convidar as damas pars ira algum lugar e tomar algo, o caso é simples. Porém, na década de 1980, a pritica “holendess” - dividiro custo de wma ‘encontro ~ jé esteva bem estabelecida. Um livro de etiquets 4 1969, refletinda a antige prética do homem sempre pagar para 2 mulher, observa que “alguns ainda fazem isso, mas as mulheres n4o pocem jantarinterminavelmente sem oferecer ada em retorao” (Wouters, 2004, p. 25-27), Esse exemplo parece bastante trivial, mas, de fto, mostra como 2¢ mudan- cut nas relagSes de género na sociedade mais ample, com ais mulheres ocupando trebelhos remunerados ¢ a esfera piblica mais geral (Walby, 1990), também estavam Jevando 4 mudangas nas normas de comportamento entre homens © ‘mulheres. A pesquisa de Wouters traz muitas exeruplos se selhantes em relagio a0 comportamento sexual e de cortejo. “Analisanda manuais de etiqueta de um periado de um sé Jo ¢xelacionando os conselhos dados com teorias sociolégi- cas sobre « mudanga tocial, Wouters arguments que todos ‘os quatro pafees apresentam uma tendéncis prolongada de afastamento de eddigos de etiquets muite formals e rigidos, voltando-se a uma variedade mais ampla de comportamentos accitéveis no corte. Assim, os criticas da “permissividede” ‘que ocorre desde década de 1960 nde compreendem que es- ses madangas fazem parte de um processo muito mais longa. ‘emais profuado de tensformacio social. (6 dois estudos discutidos aqui tém multas semelhan- {as Ambos estdo preocupados com mudangas nas relagdes de género, normas de comportamento sexual juntamente com pasturas privedas e pablicas para com a sexualidade Enquanto o estado de Rubin nosti algo sabre como as pes- 065 se sentem atualmente em relagio a estas mudangas ¢ 0 Impacta que elas estio tendo em nossos estilos de vida con- tempordnens, a andlise de Wouters de documentos primérios coloca essas visGes contemporiness em uma perspectiva his- teicae commparativa, A uniso dos resultados de estudos com _méiodos diferentes, que também se concenttem em diferen- tes sipectos das madangas no comportamenco sexual, pode dar maie confianca 20s socidlogos em sta¢ conclasbee nessa (bicil dea de pesquisa Prostituigdo e “trabato sexual” Prostituigao [A prostituigio pode ser definida como a prestagi de favares semuais por ganho monetirio. A palavra “prostituta” come- ou 4 entrar em uso comum no final do século XVINL No ‘mundo antigo, a malor parte daquelas que ofereciam a sexua- Ladade por gratifcacoes financeiras era formada por cortesss, ‘concubines (amantes que eram sustentadas) ou escravas. As cortesis eas concubines, muitas vezes;tinham uma posigao levada nse sociedades tradicionais. Um aspect fundamen- talda prostiruigto modems é que as mulheres e seus clientes geralmente no se conhecem. Embora as homens possam fe tornar “dientes regulares, relacao nao € estabelecida {inicialmente com base no conhetimento pessoal, lesa néo ocorria na maioria das formas de favores sexuais por geno material em épocas passadas. A prostituicdo est dirctamente conectada com 0 rompimento de pequenes comunidades, 0 desenvolvimento de grandes 4rezs urbanas impessoais ea ¢o- -mercializagao das relacoes socials. Em pequenas comunids- desradicionais, as relacées sexuaiseram controlades por sua visibilidade. Em aress urbanas dosenvoividas recentemente, é ‘ficl estabelecer conexbes sociais mais andnima, ‘Uma resolugio da Organizagio das Neg6es Unidas, apro- vada em 1951, condens aqueles que oegenizare a prostituiglo ‘ou lucram com as atividades de prostitutas, mas nzo bane a ‘Prosttuicio em si. Um total de 53 Estados-Membros aceitou { resolugio formalmente, embors sus lepilara0 sobre pros- tituigso varie amplarmente. Em slguns paises, a propria pros. situicdo € ilegal, Outros paises proibers apenas certos tipos, como o trabalho nas raas ow a prostituigzo infantil, Alguns governot nacionais ou locas licenciam hardéis ou saites de exo ceconbecicor oficialmente - como 0s “centros Eros” na ‘Alemanha ou as casas de saxo em Amsterdam outubro de 1999, o Parlamento Holandés transformou 2 prostituigio em ‘ums profssio oficial para o nimero estimado de 30 mil mu- theres que trabalham na indistria do sexs. Todos os locals onde se vende sexo podem ser reglamentados, licenciados ‘ inspecionados pelas auroricades locais Entretanto, apenas ‘guns putes licenciam homens prostitutes ‘A legislagto contra 2 prostituisao raramente pune os clientes. Aqueles que comprar servisoe sexutis nao sto pesos ou processados ¢, em procedimentos judicias, suas identidades podem ser mantidas era segredo. Existem mul to menos estudos sobre ot clientes da que sobre as pessoas (que vendem sexo, « éraro algvém sugerir- como se costuma dizer ou implicar sobre a3 prostitutas ~ que os clientes tem perturbacies psicoldgicas. O desequillbrio ne pesquisa cer tamente expressa uma aceitardo acritice de esteredtipas or- todoxos sobre a semalidade, egundo os quais € “normal” of homens procurarem ati. mente uma variedade de valvalas de escape temiais, embora aquelas que satisfezesn essas ne cessidedes sejam condenadas. ‘Trabalho sexual ‘Arualmente, 05 socidloges consideram 2 prosttuirge como apenas ume fotma de trabalho sexual, O trabalho sexual pode ser definide como a prestacio de servicos sexwsis emt lima traca Ananceira entre adultos conscientes, embors, & claro, as criangas (¢ adultos) historicamente eram ~ e sinda ‘0 ~ forgadas a teabalhar com 0 sexo em paises deserw0vi dos ¢em desenvolvimento. Os profissionais do sexo, como ‘s prosttutae, sio compastos principalmente por pessoas do sexo feminino, ¢ 0 trabalho sexual compreente no sninisno todos os seguintes: tates em filmes pornograticus, modelos nias, dangavinas que fazer #riptear,trabalhadores de hows de sexo explieito, mazragistas erétices,atendentes de linbes telefonices sexuais ede “sexo pela wobcem"na internet, gia" do envolve uma troca financeira (Weitzer, 2000). ( conceita original da profissional do sexo ds déceda de 1976 visava acabar cam oestigma das prétices de trabalho d® rostinutas ¢ outras mulheres que trebelhevam na industria <0 sexo. Como 0s servicos sexuais eram tcocados entre ed tos conscientes, argumentava-se que esse trabalho deveria se tratada como qualquer outrs forme de trabalho, « # prost shugo, em particular, deve siminalisads. Ata: mente, em todo o mundo, ax prostirecas vém prineipalniest= te origens socais pobres, como no passado, mas elas hojesio roe: t 9