Você está na página 1de 35

Forças Internas

Forças Internas – Esforços Solicitantes Mecânica dos sólidos Thiago Castro Freitas thiago.freitas@ufsj.edu.br

Esforços Solicitantes

Mecânica dos sólidos

Thiago Castro Freitas thiago.freitas@ufsj.edu.br

24/01/2017

2
2

Introdução

Até o momento o curso esteve voltado para o equilíbrio externo dos corpos, considerando os mesmos como

sendo rígidos, sem a possibilidade de deformação.

Resistência dos Materiais é um ramo da mecânica que estuda as relações entre cargas externas aplicadas a um corpo deformável e a intensidade das forças internas que atuam dentro do corpo.

24/01/201

7 12:12

3
3

Introdução

No projeto de qualquer estrutura ou máquina é fundamental que sejam estudadas não somente as forças atuantes, mas também o comportamento do material diante das situações de carregamento.

Essa conjuntura é essencial para a escolha do material mais adequado para uma determinada situação de projeto.

Determinação das forças atuantes (Princípio da Estática).

Comportamento do material (deformação, estabilidade e dimensões da peça)

24/01/201

7 12:12

(Princípio da Estática). Comportamento do material (deformação, estabilidade e dimensões da peça) 24/01/201 7 12:12
4
4

Forças internas ou esforços

solicitantes

A atuação de forças externas sobre um corpo gera em toda a sua estrutura ou secção forças internas.

de forças externas sobre um corpo gera em toda a sua estrutura ou secção forças internas.
de forças externas sobre um corpo gera em toda a sua estrutura ou secção forças internas.

24/01/201

7 12:12

5
5

Esforços normais

Os esforços normais são assim chamados, pois atuam perpendicular à superfície da secção da peça. Em outras palavras, a resultante desta força forma um

ângulo de 90º com a superfície.

da peça. Em outras palavras, a resultante desta força forma um ângulo de 90º com a
da peça. Em outras palavras, a resultante desta força forma um ângulo de 90º com a

24/01/201

7 12:12

6
6

Esforços Normais

Existem dois tipos de esforços.

São eles os esforços de compressão e tração.

Normais  Existem dois tipos de esforços.  São eles os esforços de compressão e tração.
Normais  Existem dois tipos de esforços.  São eles os esforços de compressão e tração.

24/01/201

7 12:12

7
7

Esforços Normais

Em posse da ideia de Esforço Normal, pode-se agora, analisar a ação do mesmo em um exemplo de aplicação. Imagina-se, então, uma viga de

comprimento L engastada e sendo solicitada por

uma força de intensidade F:

então, uma viga de comprimento L engastada e sendo solicitada por uma força de intensidade F:

24/01/201

7 12:12

então, uma viga de comprimento L engastada e sendo solicitada por uma força de intensidade F:
8
8
8 24/01/201 7 12:12
8 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

9
9

Esforços de flexão

(Momento fletor)

A flexão é um esforço onde a deformação ocorre perpendicularmente ao eixo do corpo.

Os dois corpos estão sofrendo a ação de uma força F,

que age na direção perpendicular ao eixo dos corpos.

24/01/201 7 12:12
24/01/201
7 12:12
10
10

Esforços de flexão

(Momento fletor)

Em posse da ideia de Momento Fletor, pode-se agora, analisar a ação do mesmo em um exemplo de aplicação. Imagina-se, então, uma viga de

comprimento L engastada e sendo solicitada por um

momento de intensidade MF.

então, uma viga de comprimento L engastada e sendo solicitada por um momento de intensidade MF.

24/01/201

7 12:12

11
11

Esforços de flexão

(Momento fletor)

11 Esforços de flexão (Momento fletor) 24/01/201 7 12:12
11 Esforços de flexão (Momento fletor) 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

12
12

Esforço de cisalhamento

(cortante)

No esforço de cisalhamento as forças atuantes tendem a produzir um efeito de corte, ou seja, um deslocamento linear entre seções transversais.

Para que o esforço tenha efeito de corte, as forças devem agir perpendicularmente ao eixo do elemento.

Para que o esforço tenha efeito de corte, as forças devem agir perpendicularmente ao eixo do
Para que o esforço tenha efeito de corte, as forças devem agir perpendicularmente ao eixo do

24/01/201

7 12:12

13
13

Esforço de cisalhamento

(cortante)

Em posse da ideia de Esforço Cortante, pode-se

agora, analisar a ação do mesmo em um exemplo de aplicação. Imagina-se, então, uma viga de

comprimento L engastada e sendo solicitada por

uma força de intensidade P:

então, uma viga de comprimento L engastada e sendo solicitada por uma força de intensidade P:

24/01/201

7 12:12

14
14

Esforço de cisalhamento

(cortante)

14 Esforço de cisalhamento (cortante) 24/01/201 7 12:12
14 Esforço de cisalhamento (cortante) 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

15 N
15
N

Convenção de sinais

A convenção dos sinais é um conceito de extrema

importância para o estudo dos esforços solicitantes, pois é a partir da referência destes dados que se

inicia todo o processo de cálculo.

Esforço Normal: É positivo quando de tração (distendendo a barra) ou negativo quando de compressão (comprimindo a barra).

Esforço Cortante: É positivo quando as projeções se orientam nos sentidos dos eixos (sentido horário), ou negativo, caso contrário.

as projeções se orientam nos sentidos dos eixos (sentido horário), ou negativo, caso contrário. N 24/01/201
as projeções se orientam nos sentidos dos eixos (sentido horário), ou negativo, caso contrário. N 24/01/201
N
N

24/01/201

7 12:12

16
16

Convenção de sinais

Momento Fletor: É positivo se tracionar as fibras inferiores da barra ou negativo, caso contrário.

Momento Fletor: É positivo se tracionar as fibras inferiores da barra ou negativo, caso contrário. 24/01/201
Momento Fletor: É positivo se tracionar as fibras inferiores da barra ou negativo, caso contrário. 24/01/201

24/01/201

7 12:12

17
17

Cálculo das solicitações

internas

Para se efetuar o Cálculo das Solicitações Internas, torna-se conveniente utilizar o Método das Seções.

Cortar a peça na seção desejada e isolar um dos

lados do corte( qualquer um), com todos os esforços externos atuando. Dependendo do tipo de carregamento, uma barra pode necessitar de mais de um corte para se efetuarem os cálculos.

24/01/201

7 12:12

18
18
18 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

19
19
19 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

20
20

Exercício Resolvido 1

Por hora, será analisada uma viga biapoiada com carregamento uniformemente distribuído:

1  Por hora, será analisada uma viga biapoiada com carregamento uniformemente distribuído: 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

21
21

Exercício Resolvido 1

21 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12
21 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

22
22

Exercício Resolvido 1

22 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12
22 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12
22 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

23
23

Exercício Resolvido 1

23 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12
23 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

24
24

Exercício Resolvido 1

24 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12
24/01/201 7 12:12
24/01/201
7 12:12
25
25

Exercício Resolvido 1

25 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12
25 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12
25 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

26
26

Exercício Resolvido 1

26 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12
26 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12
26 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12
26 Exercício Resolvido 1 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

27
27

Exercício Resolvido 2

A viga está sofrendo um carregamento uniformemente distribuído de 25 KN/m. Calcular o momento fletor na seção “c” indicada na viga.

distribuído de 25 KN/m. Calcular o momento fletor na seção “c” indicada na viga. Mf =

Mf =

distribuído de 25 KN/m. Calcular o momento fletor na seção “c” indicada na viga. Mf =

24/01/201

7 12:12

28
28

Exercício Resolvido 2

28 Exercício Resolvido 2 24/01/201 7 12:12
28 Exercício Resolvido 2 24/01/201 7 12:12
24/01/201 7 12:12
24/01/201
7 12:12
29
29

Exercício Resolvido 2

29 Exercício Resolvido 2 24/01/201 7 12:12
29 Exercício Resolvido 2 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

29 Exercício Resolvido 2 24/01/201 7 12:12
30
30

Exercício Resolvido 2

Mf
Mf
30 Exercício Resolvido 2 Mf 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

31
31

Exercício Resolvido 2

31 Exercício Resolvido 2 24/01/201 7 12:12
31 Exercício Resolvido 2 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

32
32

Exercícios propostos

32 Exercícios propostos 24/01/201 7 12:12
32 Exercícios propostos 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

33
33

Exercícios propostos

2 - Calcular as reações de apoio e o momento fletor no ponto “c” indicado na viga metálica ao lado,

sujeita a dois carregamentos distribuídos de diferentes

intensidades.

na viga metálica ao lado, sujeita a dois carregamentos distribuídos de diferentes intensidades. 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

34
34

Exercícios propostos

34 Exercícios propostos 24/01/201 7 12:12
34 Exercícios propostos 24/01/201 7 12:12
34 Exercícios propostos 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12

34 Exercícios propostos 24/01/201 7 12:12
35
35

Exercícios propostos

35 Exercícios propostos 24/01/201 7 12:12
35 Exercícios propostos 24/01/201 7 12:12

24/01/201

7 12:12