Você está na página 1de 3

cipa odontologia do trabalho

Saúde Oral

cipa odontologia do trabalho Saúde Oral João Rodolfo Hopp Cirurgião-Dentista do Trabalho Diretor Científico do Departamentoothopp@hopp.odo.br " id="pdf-obj-0-7" src="pdf-obj-0-7.jpg">

João Rodolfo Hopp

Cirurgião-Dentista do Trabalho Diretor Científico do Departamento de Odontologia do Trabalho da APCD-ABCD

FATOR INDISPENSÁVEL NA SAÚDE HUMANA

As

estruturas

funcionais contidas e anexas

à Cavidade

Oral são

partes

integrantes do corpo

humano! Nada

poderia

ser

mais óbvio e

elementar do

que esta afirmação, ao

iniciar um debate

sobre

a

mesmo

Saúde Oral. Todavia,

diante

de

evidência

tão

básica, não é incomum

ouvirmos

de

autoridades

(científicas

e

leigas

em

saúde) expressarem opiniões nas quais, no mínimo,

consideram como

meros

coadjuvantes

os

papéis

desempenhados

por

estas

estruturas

existentes

no

corpo humano. Por vezes, a

eloqüência desses discursos é

tamanha, que chegamos mesmo a nos questionar se a

sábia natureza não

teria se

equivocado

ao

desenvolvê-

las,

a

partir

dos

folhetos

embrionários.

 

Este

descaso

 

para

com estas estruturas naturais

do

nosso

organismo

é

tão

corrente, ao

ponto de suas

mazelas serem discutidas e

mostradas em qualquer ambiente, no elevador, nos

corredores

e

quando

não,

viram

peças

tragicômicas

exibidas

pelas

inúmeras

mídias.

 

e totalmente separado do restante do corpo humano. É como se as funções fisiológicas desempenhadas por essas estruturas e órgãos (Sim! O Conjunto do dente e estruturas periodontais é órgão!) não tivessem a mínima influência sobre os vários outros processos metabólicos em nosso (complexo) organismo, e as sequelas decorrentes de suas mutilações (extrações), fosse algo tão irrelevante para o todo, que já houve na história (não tão remota assim!) quem preconizasse a amputação de muitas destas estruturas, como a única forma de prevenirem-se as doenças (infecciosas) orais. Obviamente que nos dias atuais, não se espera que removam estruturas sadias para prevenir doenças, como no passado, no entanto, para um grupo

considerável

de

profissionais, ainda hoje, as doenças oro-dentais, são diagnosticas e tratadas como se estivessem restritas ao ambiente da cavidade oral. Entendimentos como este, induzem muitos a crer (e propagar) idéias, no mínimo, infundadas sobre saúde oral. Seria como se acreditar que

uma mesma bactéria patogênica, dependendo do local infectado, geraria ou não doenças em outras partes do organismo.

Para

exemplificar,

seria uma crença tão equivocada, quanto ainda se acreditar que um mesmo

Mesmo entre os
estudiosos da saúde humana, incluindo-se entre estes, os

Cirurgiões-Dentistas, equivo- cadamente, interpretam-nas como se elas possuíssem um sistema sanguíneo, linfático e neurológico independente

CORRESPONDÊNCIA PARA A SEÇÃO

ODONTOLOGIA DO TRABALHO

cipa odontologia do trabalho

tipo de estreptococo tivesse

articulação dos fonemas dos

Sem

a intenção

de

sua capacidade de provocar

vocábulos,

estudados

pela

ser alarmista, podemos

danos

sistêmicos

(Febre

ciência

 

fonoaudiológica,

e

observar que mesmo as

reumática

e

Endocardite

que fazem parte do

campanhas preventivas das

bacteriana)

diferentes,

de

conteúdo

 

programático

na

DSTs-SIDA dedicam pouca

acordo com o local

do foco

formação

dos

profissionais

(ou nenhuma) ênfase ao

de proliferação inicial.

 

educadores, são capazes de

risco de contaminação

Partindo-se

do

provocar

 

um

efetivo

através dos vasos sanguíneos

exemplo

anterior,

notamos

sinergismo capaz de elevar

da cavidade oral, mesmo que

que os resultados do

ao

(devido)

patamar

de

esta possua um dos mais

movimento

valorizador

do

reconhecimento

funcional

profusos plexos vasculares.

conhecimento

especializado

estas

estruturas

(orais)

Na prática, ignora-

em

saúde humana, não

pertencentes

 

ao

corpo

se o fato de que, em razão

demonstra

incapacidade

humano.

 

dos traumas e agressões

para solucionar as

 

Constata-se

que

é

provocadas pelas doenças

divergências

 

causadas

por

como

se

fosse um senso

inflamatórias, comumente

interpretações

dicotômicas,

(culturalmente) cristalizado,

encontradas nas estruturas

como também nota-se o

segundo o qual, nos

da cavidade oral, injúrias

fomento

à

segmentação

conformamos com a idéia de

estas, transformam-na em

(compartimentação”)

dos

que,

mais

dia

menos

dia,

uma porta de contato entre

saberes, na lide com a saúde

com

o

avanço

da

idade,

o meio externo e o interior

humana.

estas estruturas tenham de

do organismo humano.

Nem mesmo

nosso

padecer,

 

vitimadas

pela

Decorrente

disso,

ilustre

lexicólogo

Aurélio

"esfoliação",

 

como

se

sendo a saúde ocupacional

Buarque de Holanda Ferreira

passassem

a

ser

corpos

regulamentada um segmento

safou-se

desta

armadilha

estranhos,

vitimadas

por

especializado calcado nos

dicotômica

ao

definir,

em

patologias

inevitáveis

e

tratados de referência em

seu Novo Dicionário Aurélio -

irremediáveis. Muitas vezes,

saúde geral, compreende-se

Século

XXI,

o

termo "Bolo

a ocorrência destas doenças

porque ela não só relegou ao

Alimentar"; Isso mesmo! Sem

é (reduzida) às justificativas

segundo plano as questões

intenção

de

trocadilho,

o

centradas

 

nos

traços

relacionadas às condições

autor foi vítima dos tratados

hereditários

 

ou

como

das estruturas orais e

existentes,

porque,

ao

doenças

 

do

tipo

auto-

anexas, como também,

definir o

sentido

de

"Bolo

imunes,

 

o

que

mascara

o

justificou (e continuam

Alimentar",

como

sendo

enfrentamento

 

das

reais

justificando) a não inclusão

(Fisiol.)

a

"Massa de

causas.

 

do monitoramento e

alimentos

que

se

forma

Mesmo

 

que os

promoção da saúde dessas

desde o

início do processo

estudos

 

evidenciando

os

estruturas no contexto geral

digestivo, a partir, portanto,

fatores

 

etiológicos

das

da saúde dos trabalhadores;

da

orofaringe.",

retro-

doenças orais como sendo de

chega-se mesmo a

alimentou o equívoco

origens

bacterianas,

virais,

argumentar que as doenças

reinante. Ou seja, ao omitir

crônico-degenerativas

e

orais, decorrentes das

a participação das estruturas

neoplásicas, doenças como a

atividades laborais são em

bucais no

preparo

do

bolo

Cárie

Dental,

 

Doenças

do

número tão reduzido, que

alimentar, reforçou a idéia

Periodonto,

 

Candidíases,

não seria significativa no

(errônea) de que a

entre

outras,

 

sabidamente

universo dos riscos laborais.

participação das estruturas e

multifatoriais,

mas

sempre

Baseado

neste

anexos bucais é ínfima e/ou

condicionada

à

necessária

discurso, seus defensores

pouco contributiva, deixando

componente

microbiológica

“delegam” aos Planos de

subentendido

 

"boca"

é

causadora,

aos

olhos

de

Odontologia Assistencial a

apenas o orifício pelo qual os

muitos

 

profissionais,

pelo

responsabilidade deste

alimentos

são

no organismo.

introduzidos

fato de se manifestarem na cavidade oral, simplesmente

monitoramento e promoção, desconsiderando que, pela

Parece-me que nem

não

são

vistas

como

própria característica deste

mesmo

os

(valiosíssimos)

enfermidades

 

infecto-

(necessário) segmento

estudos voltados à

contagiosas.

 

odontológico, suas ações são

cipa odontologia do trabalho

concentradas na reatividade,

exigindo

por

parte

de

a

condicionada à demanda do

equipe

multiprofissional

o

beneficiário, além de pouco se alinhar aos aspectos

adentrar em novos territórios da reflexão sobre

ocupacionais, permanecendo

ocupacionais, permanecendo Esta “ausência” da
ocupacionais, permanecendo Esta “ausência” da

Esta “ausência” da

saúde

e

segurança

do

ser

totalmente desconectada da interface com os segmentos

humano e suas relações com o universo produtivo de bens

profissionais previstos na

e

serviços,

 

ainda

pouco

(regulamentação) da saúde

explorado

sob

o

ponto

de

ocupacional.

vista regulamentar e

de

Extrapolando o ambiente doméstico, nem

caráter facultativo. Por isso, dentro

mesmo as referências

deste

cenário,

 

surge

esta

internacionais (NIOSH) em

desafiadora oportunidade de

seus Guides sobre Programas

estabelecermos

 

a

pioneira

de Prevenção de Doenças

parceria, com a criação

de

Crônicas (PPDCs), fazem

um

espaço

editorial

neste

alusão à Saúde Oral, em suas

conceituado veículo da mídia

conceituado veículo da mídia

recomendações para adoção

preventivista

preventivista

[FTP2]

,

de programas preventivos das doenças não diretamente vinculadas ao trabalho, muito embora doenças, como Diabetes, Obesidade, enfermidades do trato

destinado às discussões sobre as lides e assuntos da saúde e segurança, pertinentes e sob a óptica da Odontologia do Trabalho. De maneira oportuna

gástrico e respiratório, entre outras, sofram influências das condições orais.

e periódica, discutiremos com nossos leitores, através deste fórum, os principais aspectos da Saúde Oral e

saúde oral especializada nos fóruns de debates e nos marcos regulatórios da saúde e segurança ocupacional

seus reflexos na Saúde e Segurança Ocupacional e Meio Ambiente. No nosso próximo

limita o “despertar” dos

encontro, trataremos, de

segmentos gestores de SSTMA [FTP1] para este tema,
segmentos
gestores
de
SSTMA [FTP1] para este tema,

nas corporações, perpetua- se no âmbito administrativo e de Recursos Humanos a preocupação assistencial dos benefícios vinculados aos “Planos Odontológicos”, sem que haja a otimização dos seus resultados. É evidente que a adoção de Programas de Monitoramento e Promoção da Saúde Oral nos ambientes de trabalho, revestindo-os de caráter ocupacional, requer certo arrojo por parte dos gestores da saúde e segurança ocupacional das corporações. Tal postura

implica na quebra de paradigmas preconizados,

maneira detalhada, os papéis

da saúde oral no processo

disgestor e suas relações na prevenção de distúrbios na saúde e segurança do trabalhador. Até lá!