Você está na página 1de 157
Através de uma análise tanto do desenvolvimento da Astrologia ao longo da História, com a

Através de uma análise tanto do desenvolvimento da Astrologia ao longo da História, com a apresentação das definições dadas a ela pelos povos da Antiguidade, quanto da Maçonaria Moderna e a sua evolução desde as corporações de ofício da Idade Média, o autor pretende apresentar a correlação entre estas duas instituições. Procura traçar a aplicação da Astrologia, em todos os seus ramos dentro da simbologia, das lendas e da estrutura moderna da Maçonaria, visando apresentar uma visão do papel desta Ciência Antiga na formação dos maçons.

JOSÉCASTELLANI

(29DEMAIODE1937-21DENOVEMBRODE2004)

José Castellani, médico, escritor e historiador, autor de mais de sessenta livros sobre a cultura maçônica, sendo considerado assim, um

fenômenonaamplaliteraturadaFraternidadeMaçônica,nasceuem29de

maiode1937,emAraraquara,SP,temexercidocargosnadocênciamédica,

tendoseespecializadoemoftalmologia. Iniciado em 9 de novembro de 1965, logo em 1973, teve seu primeirolivromaçônicopublicadopelaeditoraAGazetaMaçônica,sobo título‘OsMaçonsquefizeramaHistóriadoBrasil’.Alémdestaimportante obra,JoséCastellanitambéméautordoslivros‘ShemáIsrael’,‘ACiência MaçônicaeasAntigasCivilizações’,‘AMaçonarianaDécadadaAboliçãoe daRepública’,entreoutros. Portador de várias condecorações por sua contribuição à cultura maçônica,destacam-seaOrdreMilitaireetHospitallierdeSaintLazarede Jerusalém(França)eaOrdoSanctiGeorgi(Itália). Somou ainda mais de sessenta títulos culturais maçônicos, tendo sempreno‘forno’,novostítulosaserempublicados.JoséCastellanieraum incansávelcolaboradordeinúmeraspublicações,entreelas,oresponsável pelaConsultoriaMaçônicadositeLojasMaçônicas. IncansáveltrabalhadoremproldaEducaçãoedaCulturaMaçônicas ocupouosmaisaltospostosdaOrdem,nestaárea,naMaçonariadeSão Paulo e no governo da Instituição no Brasil, criando e reformulando o pensamentoeasatitudesdeumaépocaeinfluenciandotodaumageração comsuaformadeagirepensar.

FaleceuemSãoPaulo,SP,em21denovembrode2004.

INTRODUÇÃO

No final da Pré-História, antecedendo a Idade dos Metais, que se

iniciariaporvoltade6.000anosa.C.,oHomemcomeçavaadesenvolver

padrõesmetafísicosereligiososeapraticarrituais–comoosfúnebres,por exemplo – onde a materialidade de sua vida pregressa cedia espaço à interrogaçãodosmistériosdaNatureza,aoimpactoemocionaldasforças cósmicas,àinfluênciadoscorposcelestesvisíveissobreociclodevidado Homemeàespeculaçãosobreaexistênciadedivindadesorientadorasda vidahumanaedosfenômenosnaturais. Raios,trovões,temporais,cheiasderios,eclipseseramtodosparao Homem, de então, isentos de casualidade, pois, certamente, entidades superiores eram as responsáveis por eles. Os astros visíveis, por sua aparente superioridade – era necessário olhar para cima, para vê-los – atraiam,cadavezmais,aatençãodoshumanos.Posteriormente,jánaIdade dosMetais,ossumériostinham,comosímbolodadivindade,umaestrela. OpapelfundamentaldoSoledaLuajáhaviamsidopercebidos:o astrodaluzcomooresponsávelportodaavidadaTerra,atuandosobreo ciclodosvegetais, amadurecendoos frutos, dandoocalornecessárioao desenvolvimentohumano;eaLua,atuandosobreaságuasdomar.Tudo issodefiniaomistériodavida,docrescimentoedodefinhamento,fazendo com que o Homem primitivo se prendesse a uma explicação física do Universo. Sobreofundoestrelado,aparentementefixo,via,ele,giraremtorno daTerra,tambémaparentemente,setecorposcelestes:oSol,aLuaeos cincoplanetasvisíveisdoSistemaSolar,ouseja,Mercúrio,Vênus,Marte, JúpitereSaturno,que,porteremummovimentomaispalpáveldoqueas estrelas,eramchamadosde“estrelaserrantes”. Jánoperíodohistóricodahumanidade,apartirdossumérios,quese estabeleceramnaMesopotâmia,noVMilênioa.C.,estavapresenteaideia dequeessessetecorposcelesteseramdivindades,comopoderdedirigira vida na Terra, intervindo nas atividades humanas. Estabelecia-se, aí, o conceitodos“seteplanetas”,criandoamísticadonúmerosete,edefinia-se o panteão dos deuses do mundo antigo, cada um com as suas características,deacordocomoquecadaplanetadespertassenamente doshomens.Assim,porexemplo,Marteeraoregentedaguerraedaforça física;Júpitereraoreidosdeusesesenhordetodososhomens;Saturno, tomado como um Sol no exílio, por ser frio e distante, era associado à

crueldadeeàintolerância. Iniciava-se, aí, a base do conhecimento astrológico, quando a antropomorfização dos deuses-planetas e a associação destes com os elementos da Natureza, começava a tomar feição de uma estrutura organizada. E, a partir daí, a astrologia iria crescer em importância no interesse dos homens, sem embargo de períodos de decadência, principalmente na Idade Média, em função do combate que a Igreja lhe movia.

A Maçonaria moderna, que evoluiu a partir das organizações medievais de ofício, embora tivesse, no seu início, apenas um certo misticismo religioso, já que essas organizações haviam surgido e se desenvolvido à sombra da Igreja medieval, começou, a partir do século XVIII, a desenvolver conceitos e símbolos de instituições místicas, que haviamflorescidomaisapartirdofinaldaIdadeMédia,comoéocasoda astrologia,dorosacrucianismoedaalquimiaoculta. AMaçonariaéumainstituiçãouniversaleiniciática,essencialmente filosófica,filantrópicaeprogressista,quelutapeloaperfeiçoamentomoral eintelectualdossereshumanos.Suafinalidadeprincipaléauniãofraternal detodaahumanidadeeoimpériodaPazUniversal,pelapráticadajustiça edavirtude,pelacooperaçãosocialepelorespeitoàdignidadehumana. Impõe,aosseusfiliados,oestudodanaturezaeainvestigaçãoconstanteda Verdade,comofontesdoconhecimentoedoprogressoculturaldonosso mundo. Assim, ela é uma instituição exotérica e operativa, esotérica e especulativa,emboraosentidodapalavraesoterismotenhasidoalterado, atravésdostempos. Na Antiguidade, esoterismo não designava nada mais do que a doutrinaensinadaaosMistos–iniciadosnos“MistériosdeElêusis”,culto da deusa grega Deméter – pelos hierofantes, sendo o oposto do termo exoterismo.Tantoumcomooutrotermoserviram,primordialmente,para designarnãoumensinamentoiniciáticocerimonial,mas,sim,aobrados grandes filósofos. Algumas delas tornaram-se reservadas, formando os tratados esotéricos, ou seja, destinados, apenas, aos adeptos; outros, todavia,eramdestinadosaopúblico,daíasuadenominaçãodeexotéricos. Desta maneira, entende-se por esoterismo a antiga denominação que se dava ao estudo dos Mistérios, guardados, com zelo, nas Antigas Escolas, comoasíntesedasverdadesocultas,dainvestigaçãodaorigemdomundoe dahumanidade,dabuscadaverdadeedarealidadedascoisas. Ainiciaçãomaçônicaprocededeumailuminaçãointerior,daqualos

símbolosmaçônicossãoosveículos.Oesoterismo,aí,nãoéterapossede algunssegredosreservados,mas,sim,aartedeverascoisas,dointerior,do âmago do próprio ser, espiritualmente. Ele começa na iniciação e se estende por toda a doutrina, que prossegue até que o maçom atinja a plenitudedesuaescaladainiciática.Nemtodos,porém,diga-seabemda verdade,conseguemteressavisãointerior,quelhespermitaoacessoaos grandestesourosdoespíritohumano,reservados,essessim,apenasaos verdadeirosiniciados. Assim,oestudodasimplicaçõesastrológicasnaslendas,símbolose alegoriasmaçônicasnãoéesotérico,namedidaemquenãoabordatemas restritos aos iniciados. Mas é esotérico, quando propõe, às pessoas, em geral,umavisãovindado“Eu”interior,umavisãoespiritualdadoutrina maçônica, em relação a um ramo do conhecimento humano, existente desde os primórdios da civilização e que, independentemente da exploração que tem sofrido por parte de aproveitadores, como se fosse obra de saltimbancos, tem tido, desde a Idade Média, a consideração de muitascomunidadescientíficas. Abordar alguns conceitos da Astrologia e da Maçonaria, com sua História e suas peculiaridades, mostrando a presença da primeira nos trabalhos maçônicos, muitas vezes ignorada pelos próprios maçons, é a finalidade primordial deste trabalho, que pretende, apenas, mostrar a realidade dos fatos e as conclusões em torno deles, sem qualquer proselitismoemfavordequalquerumadasduasinstituições.

AASTROLOGIA

HISTÓRIA

NAMESOPOTÂMIA,OINÍCIO

JásetemcomocertoquenofinaldoperíodoPaleolítico,hácercade 30.000 anos, de acordo com achados arqueológicos daquela época, os homensjátinhamconhecimento,porobservação,daperiodicidadelunar, ou seja, das fases da Lua. Outros achados mostram, também, que a importânciadoSolsobreociclodosvegetais–queéabasedavidaanimal – também era conhecida, embora esse conhecimento fosse apenas empírico. SomentenaIdadedosMetaiséqueaobservaçãodosastros,omaior conhecimento científico e a evolução do misticismo tornaram possível o iníciodeumaorganizaçãodosconhecimentosastrológicos.Eissosedeu, inicialmente,naMesopotâmia,atravésdossumérios. AMesopotâmia-“terraentrerios”–éaregiãodaÁsia,localizada entreosriosTigreeEufrates,limitada,aosul,pelogolfoPérsicoe,aonorte, pelasmontanhasdaArmênia.Elaabrigou,aoladodovaledorioNilo,as mais antigas civilizações organizadas da Terra, as quais surgiram, inicialmente, no sul, junto ao golfo Pérsico, caminhando, depois, para o norte.

As mais remotas civilizações mesopotâmicas só chegaram ao conhecimentodomundoatualatravésdaarqueologia.DuranteoIVmilênio antesdaeracristã,distinguiam-setrêsprincipais:El-Obeid,Djendet-Nache eUruc,baseadas,inicialmente,notrabalhosobrepedra,ossoeterracota, própriodoperíodoNeolíticodaPré-História,e,posteriormente,nocobre, cerâmicaeglíptica,doiníciodaEradosMetais.Essasnãoforam,porém,as principaiscivilizaçõesdaregião,jáqueessetítuloéaplicadoàsdeSumer, AcadeSubarru(Assíria),estabelecidas,emordem,dosulparaonorte.

OHOMEMAPRENDEUADISTINGUIRADIFERENÇAENTREDUASÉPOCAS:

OHOMEMAPRENDEUADISTINGUIRADIFERENÇAENTREDUASÉPOCAS:

Umacaracterizadapelocaloreoutrapelofrio,oque,noinício

NametadedoIVmilênioa.C.–ouseja,porvoltade3.500a.C.–

começava a florescer, junto ao golfo Pérsico, a organização urbana dos sumérios,povodeorigemprovavelmenteiraniana.Aíeramencontradasas grandes cidades-estado de Ur, Lagash e Uma, cada uma delas sob o comando absoluto de um chefe, chamado Ensag, ou Patesi (vigário do deus),ou,ainda,Lugal(ogrande).Sobadireçãodeumdeles,Zaguisi,ensag deUma,équefoifundadooprimeiroimpériomesopotâmico.

Porvoltade2.350a.C.,odomíniodaregiãopassariadossumérios

para os acadianos, que eram de origem semita e cuja supremacia era resultadodeumalentaeprogressivainfiltraçãonasregiõessumériasedo usodearmamentoleve,maismanejáveldoqueoequipamentopesadodos sumérios. Seu chefe, Charruquim (ou Sargão), apoderou-se de toda a região, até ao golfo Pérsico, e, também, do Elam, situado fora da Mesopotâmia e do país dos amorritas, tendo a sua obra de conquista completada por seu descendente, Naransin, que se apoderou da Assíria (Subarru). Apartirdaí,todavia,foipreparadalentarestauraçãosuméria,cujo

apogeuaconteceuduranteaIIIdinastiadeUr,entre2.150e2.050a.C.,e

cuja queda ocorreu devido às revoltas dos elamitas – que originaram a migração do clã de Abrahão, originário de Ur – e dos amorritas. Estes últimos, de origem semita, fundaram a dinastia dos reis de Isin e estabeleceram-senacidadedeBabel(Babilônia)–quesignifica“aporta

dosdeuses”–aqual,posteriormente,porvoltade1.950a.C.,iriadarnome

atodaaregião.Osextoreidessadinastiaamorrita,foiograndeHamurábi, famosopeloseucódigodejurisprudência,economiaereligião,gravadoem placadediorito,que,hoje,seencontranomuseudoLouvre,emParis.O império de Hamurábi iria abranger toda a Mesopotâmia, desde o golfo Pérsico,comaregiõesdeSumereAcad,reunidassobonomedeBabilônia, atéàsregiõesquelimitavam,aonorte,aAssíriae,anoroeste,aAltaSíria. No início do último milênio antes da Era Cristã, os caldeus, povo originário do litoral norte do golfo Pérsico, estabeleceu-se aos sul da BabilôniaesuaaculturaçãoparecetersidocompletadanoséculoVIII. A partir de 859 a. C., com Salmanasar III, começava o domínio

assírio,queseestenderiaaté612a.C.,comAssurbanipal.Algunsnotáveis

soberanosreinaramduranteessesdoisséculos,tendo,porcapital,Nínive, Calac,ou,então,acidadecriadaporSargãoII,Dur-Charruquin(Corsabad). Com Sargão II, fundador do império assírio, o domínio desse povo se estendiaatodaaMesopotâmia,apartirde722a.C Apartirdaquedados

assírios,houveumrenascimentodaBabilônia,comainstalaçãodoreino neo-babilônico, através de Nabopolassar, o destruidor de Nínive, e, principalmente,deseufilhoNabucodonosor.Soboreinadodesteéquese dariaatomadadeJudá,comadestruiçãodoTemplodeJerusalém,seguida doexíliodoshebreusnaBabilônia.Essereinoneobabilônicoexistiuatéao

anode539a.C.,quandoseiniciariaodomíniopersanaregião,marcandoo

fimdasgrandescivilizaçõesmesopotâmicas.

NARELIGIÃO,ASDIVINDADESCÓSMICAS

Todasessascivilizaçõesmesopotâmicasinfluíram,profundamente, sobre a formação cultural e mística dos demais povos asiáticos e mediterrâneos. Hoje, não restam mais dúvidas de que a escrita – cuneiforme–foiinvençãodossumérios.Alémdisso,écertoterem,eles, tudocriado:formaspolíticasdegoverno,quevãodesdeascidades-estado atéaoImpério;administraçãoejustiçafundadasemcódigos,queserviam depadrão;instrumentosdetrocaedeprodução;formasdopensamento religioso,quedominaramtodoomundoantigo;técnicasdeconstruçãode templosreligiososedecasasdedoisandares,àvoltadeumpátiocentral, comprovadas,pelaarqueologia,comoprotótiposdasfuturascasasgregase romanas. Masareligião,narealidade,équefoiomotor,abaseeocentrode toda a vida da Mesopotâmia, sendo, toda ela, originária dos padrões religiosos dos sumérios, os quais remontam à época neolítica da Pré- Históriaeeramtodosbaseadosnasdivindadescósmicas,comoogerme dosmitossolares.Assim,ostrêsdeusesprincipaiseram:Anu,reidoCéu; Enlil,reidaTerra;eEa,reidoOceano.Essesdeusesprimordiaiscriaramos deuses astrais, que se ocupavam, diretamente, dos homens: Shamash, o deus-Sol;Sin,odeus-Lua;Ichtar,adeusacorrespondenteaoplanetaVênus; eDumuzi,odeusagráriodasmorteseressurreiçõesanuaisdosvegetais. Pode-se perceber, aí, a base de toda a religiosidade cósmica do mundo antigo, inclusive da mitologia greco-romana, onde os deuses cósmicos representam as forças naturais e os astros visíveis e possuem representação antropomórfica, ou seja, com forma humana. Muitas das narrativas religiosas dos sumérios envolviam lendas poéticas sobre os grandesdeuses,asquaislembram,bastante,certasfigurasmitológicasdos gregos,comoHéracles(Hércules,paraosromanos),Odisseu(Ulisses,para osromanos)eÍcaro,alémdenarrativassobreoDilúvio(grandecheiados riosTigreeEufrates),queforamaproveitadas,atravésdoshebreus,pela

Bíblia e que, hoje, fazem parte do patrimônio místico de toda a Humanidade. Acivilizaçãobabilônicapossuiaumareligiãoaindamaisforte,mas osdeuseseramosmesmosdossumérios,acrescidosdeMarduc,odeus supremo dos babilônios. O grande Templo religioso da Babilônia – de Marduc–eradenominadoEsaguil(“casadotetoalto”)eeraflanqueado,ao norte,pelatorreemdegraus,ozigurate,chamadoEtemenanqui(“Templo dosfundamentosdosCéusedaTerra),conhecidopelonomedeTorrede Babel, cuja base era um quadrado de 91 metros de lado e cuja altura

tambémerade91metros.Ozigurateera,assim,umaimensapirâmidecom

andares,deondeosobservadorestinhamumaamplavisãodohorizonte,a

quallhespermitiadeterminar,combastanteprecisão,osmovimentosdos

corposcelestes.

ASSIMSURGIAAASTROLOGIA

AAstrologiaseria,então,criadanaMesopotâmiapelossumérios– emboraseusrudimentosjáexistissemdesdeoperíodoNeolítico–comoa arte,ouciência,queestudaasinfluênciasdoscorposcelestessobreavidae ocomportamentodoshomens,bemcomotentapredizeracontecimentos humanos,pelaposiçãodessescorposcelestes. Ospovosmesopotâmicoserambonsobservadorese,assim,notaram queosacontecimentos,nocéu,seguiamumdeterminadopadrão,comas estrelasmovendo-senumaordemfixa,atravésdofirmamento,enquanto queosplanetasvagavam,excentricamente,masnomesmoplano.Oque elesverificavameraomovimentorígido,contraocéuestrelado,desete corposcelestesprincipais:oSol,aLua,Mercúrio,Vênus,Marte,Júpitere Saturno.Ficoupatentequeosplanetastambémtinhamumcomportamento regular, o que proporcionou, a partir do século VII a. C., época do rei Assurbanipal, o surgimento das primeiras tábuas de movimentos planetários,ouefemérides. Apesar dos estudos cósmicos, o fato de as civilizações mesopotâmicasseremtodasteocráticas,gerouaevoluçãodaantigaideia dequetodosessesastrosrepresentavamdeuses,comopoderdedirigira vidadoshomens,intervindonela,acadainstante.Naépocababilônica,em quejá iam adiantadasas observaçõesastronômicas, opanteãodivinojá estava totalmente estabelecido, cabendo, a cada deus-astro, um poder particularsobrealgumaáreadavidaedaexperiênciahumana.Alémdos

deusessumérios,alusivosaoSol(Shamash),àLua(Sin)eaVênus(Ichtar), os outros planetas conhecidos só iriam ter os seus padrões divinos estabelecidos a partir dos babilônios e através da astrologia. Assim, Mercúrio, um deus veloz e astuto, era o senhor da sabedoria calculista; Marte era o senhor da guerra; Júpiter era o régio senhor dos homens, embora suplantado pelo deus-Sol; e Saturno era um deus frio, cruel e irascível. E a astrologia, na Babilônia e na Assíria, era, oficialmente, considerada um dos meios de que dispunham os sacerdotes, para interpretaravontadedosdeuses. Essasassociaçõesacabaramformandoabasedosaberastrológico, comosastrosatuandosobreoshomens,emboranãomaiscomodeuses venerados. Grandes matemáticos, os mesopotâmios – principalmente os sumérios,osbabilônioseoscaldeus–chegaram,atravésdaastrologia,a adquirirgrandesconhecimentosdeastronomia,aprendendoadistinguiros planetas das estrelas e a prever os eclipses lunares e solares. Também aprenderamaplantardeacordocomasfasesdaLua,dividiramoanoem dozemeseslunares,osmesesemsemanas,asemanaemsetedias(cadaum consagradoaumdos“seteplanetas”),odiaemvinteequatrohoras,ahora emsessentaminutoseominutoemsessentasegundos. Quandoelaboraramoseusistemacosmológico,fizeramusodasdoze constelações principais, através das quais o Sol e a Lua passavam, regularmente,equeforamasprecursorasdoZodíaco.Notaram,também, que, a cada duas horas, as constelações se deslocavam 30 graus no firmamento, ou seja, a duodécima parte do círculo completo. Um outro sistemadedozedivisões,semligaçãocomoprimeiro,tinhasuasdozecasas numeradasapartirdainclinaçãoorientalsobohorizonteerepresentavam áreasdaexistência,deacordocomoseguintepadrão:

1.vida–2.pobreza/riqueza–3.irmãos–4.pais–5.filhos–6.doença/

saúde–7.esposa/marido(cônjuge)–8.morte–9.religião–10.honrarias–

11.amizade–12.inimizade.

Desta maneira, os planetas eram descritos de acordo com a casa ocupada e também com a relação dos ângulos entre eles, o que podia revelarotipodeinfluênciaquepoderiamexercersobreoshomens.

NOANTIGOEGITO

Apenascomeçamosaconhecer,realmente,oEgito,apartirde3.200

a. C., não havendo, porém, qualquer solução de continuidade entre o períodoneolíticoeafasehistórica,poisopaísmostra-se,aomesmotempo, antigoecontínuo. FoiantesdoIVmilênioa.C.,quehomensvindosdoSaara,região que,rapidamente,seressecava,estabeleceram-seemtornodorioNilo,um verdadeiro oásis em pleno clima saariano, bastante fértil e cultivável, graças às inundações do rio, regulares e extraordinariamente ricas em húmus.Aconfiguraçãodaregião,todavia,tornavaprecáriaumaunidade nacional,oquepropiciouumadivisãonaturalentreoAltoEgito,cercado pelosrebordosdosdesertosdaLíbiaedaArábia,eoBaixoEgito,formado pelodeltadorioNilo. Após um curto período proto-histórico, assinalado pela predominância de povos asiáticos, vindos pelo istmo de Pelúsio, uma revoluçãonacionalrealizouaunificaçãodoEgito,fundindo,emumasó,as duascoroas:avermelha,doBaixoEgitoeabranca,doAlto.Iniciava-se, então, a primeira dinastia do Antigo Império, com a capital situada em Tinis.

ApartirdaIIIdinastia,acapitalfoitransferidaparaMênfis,juntoao delta do Nilo. E foi durante os reinados da III, da IV e da V dinastias – contemporâneos do período acadiano da Mesopotâmia – que o Antigo Impérioatingiuseumáximoapogeu.NaIIIdinastia,omaiorreifoiDjeser, assessoradopeloseuministroImotep,quemaistardeseriadivinizadoe assimilado a Esculápio, na Grécia arcaica; na IV dinastia estavam os construtores de pirâmides: Khufu, Khafra e Menkhaura, chamados pelos gregos, respectivamente, de Quéops, Quéfren e Miquerinos. A V dinastia marcaria o início da decadência do Antigo Império, com o início da teocracia, implantada pelos sacerdotes de Heliópolis (nome dado pelos gregosequesignifica“cidadedoSol”),seguidoresfanáticosdodeusRá(o Sol),quesuplantaria,politicamente,odeusPhtá,deMênfis.

Essadecadênciaestendeu-seatéàXdinastia(cercade2.250a.C.),

quandohouveoesfacelamentodoEgitoe,emfaseposterior,asupremacia dacidadedeTebas,iniciando-se,então,oMédioImpério,sobadireçãodos faraós tebanos, dos quais os maiores foram os da XII dinastia, a dos Amenemat e dos Senusret. O fim do Médio Império é assinalado pela invasãodoshicsos,povodeorigemsemita,queteriasidooresponsável pelaidadoshebreusparaoEgito. Ao fim do domínio dos hicsos, iniciava-se o Novo Império, cujos principais soberanos foram Tutmés III, Ramsés II e Amenófis IV. Este

último,quereinoude1370a1352a.C.,passouàHistóriacomoosoberano

que ousou quebrar o poderio dos sacerdotes de Ámon, tornando-se um místicodoSol,simbolizadopelodiscosolar(Áton);mudouseunomepara AquenátonemudouasededoreinodeTebasparaAquetáton(ohorizonte dodiscosolar)–conhecidapelonomedeTel-el-Amarna–tentandotornar universalasuareligiãosolarmonoteísta.Seusucessor,porém,ummenino, pressionado pelo poderoso clero egípcio, voltou a Tebas e mudou o seu próprio nome, de Tutancáton para Tutancámon, restaurando o culto de Ámon.

Posteriormente,opaísseriaesfacelado,emdecorrênciadasgrandes

invasõesdeseuterritóriopelosassírios,persas,macedôniose,finalmente,

pelosromanos,quandodeixariadeexistircomounidadenacional.

ARELIGIÃOCOMMITOSSOLARES,DOMINAVAOPOVOEGÍPCIO

OfortecaráterreligiosoquedominouoEgito,jásefaziapresentee erabemdefinidonopoderreal,desdeoseuinício:ofaraó(“senhordacasa grande”)eraconsideradoumdeus,filhodeHórus,amadodeÁmonefilho deRá.Nasuapessoadivinizada,juntavam-seascontribuiçõesdosantigos reinosdonorteedosul,simbolizadaspelasduascoroas–avermelha,do BaixoEgitoeabranca,doAltoEgito–epeloentrelaçamento,emtornodo pilarsagrado,dasduasplantassagradasdoantigoEgito,olótuseopapiro, edosdoisemblemas,ocaniçoeaabelha. Na religião egípcia, podiam-se distinguir duas linhas distintas: a popular e a sacerdotal; esta última era representada pelas doutrinas esotéricas dos sacerdotes, inacessíveis ao povo. A religião popular reconheciainúmerosdeusesesuacaracterísticaeraoregionalismo,pois cadaunidadeterritorialdoimpériopossuíaoseudeus-rei.Osdeuseslocais seguiamodestinopolíticodoseulugardeorigem,demodoquehouve,a partirdaVdinastia,asupremaciadeRá,deHeliópolis,damesmamaneira que, na XII dinastia, Ámon, de Tebas, tornou-se o deus supremo, propiciando,posteriormente,umsincretismo,sobaformadeÁmon-Rá.Já asdoutrinasesotéricasdossacerdotes,originaramcosmogoniascomplexas e muitas vezes confusas. O traço marcante e comum da vida religiosa, porém,eraapreocupaçãocomoalém,comodestinodoHomemdepoisda morte física, pois acreditavam, os egípcios, que a vida continuava num outro mundo, desde que houvesse a necessária conservação do corpo, como moradia da alma, daí tendo surgido o hábito de embalsamar e mumificaroscorposdosmortos.

Emborafossemuitoconfusooconceitododeus-Sol,tendo,oastro, diversasrepresentações(Ámon,Rá,Hórus),eleera,numcertodesviopara omonoteísmo,odeusdoimpériounificadoeosenhordocéuedosdeuses. Havia, entretanto, somente um deus egípcio cuja importância era semelhanteàdodeus-Sol:Osíris,deusdafertilidadeedoreinodosmortos, cujalenda,baseadanosmitossolares,tinhagrandesucessoentreopovo preocupado com o além, pois ela mostrava os mistérios da morte e da ressurreição.

AASTROLOGIANALENDADEOSÍRIS

FoiPlutarcoquemdeu,noséculoIdaeracristã,amelhorversãoda

lendadeOsíris,confirmada,depois,pelatraduçãodostextoshieroglíficos:

Osírisfoiumgrandereiegípcio,muitosábioebondoso,cujapreocupaçãoera

civilizaropovoetirá-lodeseuprimitivobarbarismo.Ensinouele,portanto,

aoshomens,ocultivodaterra,ocultodosdeuseseosfundamentosdalei.

DepoisdeconcluirasuaobranoEgito,foitransmitirosmesmos

ensinamentosaoutrospovos,enquantoque,emsuaausência,opaísera

governadoporIsis,suaesposa,queenfrentavaainvejaeosinstintos

malévolosdeSet,ouTifão,irmãodeOsírisepersonificaçãodomal.

QuandoOsírisregressouaoEgito,Settramouumaconspiraçãocontraele,

conseguindoconvenceroutraspessoasaauxiliá-lo.Tendoconseguidotomar

asmedidasdocorpodeOsíris,mandouconstruir,secretamente,umcaixão

comessasmedidas;e,duranteumafestividade,trouxeocaixãoatéaocentro

deseusalãodebanquetes,onde,entreoutrosconvivas,estavaOsíris,e,em

tomdebrincadeira,prometeudá-lodepresenteàquelecujocorpose

ajustasseaocaixão.Todososconvidadosatenderamàbrincadeiraefizeram

aexperiência,semquenenhumdelestivessecorrespondidoàsmedidas.

ChegadaavezdeOsíris,estesedeitounocaixãoe,imediatamente,Seteseus

sequazesfecharam,firmemente,suatampa,soldando-acomchumbo,apóso

queojogaramnaságuasdoNilo.

Isis,tomandoconhecimentodofato,vestiu-sedelutoesaiuàprocurado

corpodeOsíris,poissouberaqueocaixãohaviasidocarregadoatéaBiblos,

nodeltadoNilo,ondeseenroscaranumatamareira,quecrescera,

enormemente,emtornodele,ocultando-o;devidoaograndetamanhoda

árvore,oreidaquelaregiãoahaviacortadoeatransformaranumacoluna,

parasustentaropesodoseupalácio.

Assim,foi,Isis,paraBibloseempregou-secomoamadeumdosfilhosdorei;

e,emtodasasnoites,elacolocavaacriançanofogo,paraconsumirsuas

partesmortais,enquantosetransformavanumaandorinha,paralamentara

mortedomarido.Emcertaocasião,porém,arainhaviuseufilhoemchamas

egritou,angustiada,privando-o,assim,daimortalidadequelheseria

concedidaporIsis.Adeusa,então,revelou-seàrainhaesolicitouqueestalhe

desseacolunaquesustentavaotetodopalácio.Atendida,elaretornouao

Egito,levandoocaixãocomocorpodeOsíriseocultando-oemlocalsecreto,

enquantoprocuravaseufilhoHórus.

Todavia,certanoite,enquantocaçava,Set,casualmente,encontrouocaixão

e,reconhecendoocorpodeOsíris,cortou-oemquatorzepedaçoseespalhou-

osportodooEgito.Aotomarconhecimentodisso,Isisconstruiuumbarcode

papiroetratoudeprocurarejuntartodosospedaçosdocorpo.Osíris,com

seucorporeconstituído,voltoudoalémeordenouaoseufilho,Hórus,que

lutassecontraSet.Obedecendo,Hóruslutoucomoassassinodeseupai,

duranteváriosdias,atévencê-lo.Osíris,então,tornou-seodeuseojuizdo

reinodosmortos.

Essalendaé,indisfarçavelmente,decalcadanosmitossolares,jáque,

segundoela,Osirisfoiassassinadono17o.diadomêsdeHator,dataque

marcavaocomeçodoinverno.Assim,elamostraoSol(Osíris),mortopelas forças das trevas (Set), para renascer, posteriormente, completando um novo ciclo, que é, também, representado pelas sucessivas mortes e renascimentosdosvegetais,deacordocomainfluênciasolar,asquaissão mostradasnasequênciadossignoszodiacais.

UMAEVOLUÇÃO,AINDAEMPÍRICA

Isso mostra que a astrologia era muito praticada no antigo Egito, trazendo,comoconsequência,grandesconhecimentosastronômicos.Jáno terceiromilênioa.C.,osegípcioselaboraramumcalendáriosolar,queerao maisperfeitodaAntiguidade,permitindo-lhes,inclusive,preverascheias do rio Nilo. Desde essa época, no Egito, praticava-se uma forma muito místicadeastrologia,totalmentedependentedoeixoeconômicoereligioso de sua civilização, ou seja, o Nilo. O rio era a fonte de toda a vida e os egípciosacreditavamqueascheias,quetraziamfertilidadeaumaregião queseriaestérilsemele,eramativadaspelaaçãocombinadadoSolede Sirius,tendo,estaestrela,emrazãodisso,assumidograndeimportância.As pirâmides, construídas durante a III Dinastia do Antigo Império, tinham

duplafinalidade:monumentofunerárioecalculadoresastrológicos.

AofaraóRamsésII [1] ,umdosmaioresdoNovoImpério,éatribuída a responsabilidade pelo estabelecimento dos quatro signos cardeais do zodíaco:Áries,Libra,CâncereCapricórnio.Eragrandeointeressedesse soberanopelaastrologiae,emdecorrênciadisso,fezdecoraroseutúmulo

commotivosesímbolosastrológicos(1236a.C.).RamsésVIfoi,também,

umnomeimportantenaastrologiaegípciae,emsuatumba,apareceum

notávelmapaestelar,confeccionadonaformadeumhomemsentado.

NAGRÉCIAANTIGA

AGréciaantigaabrangianãosóapartecontinental,mas,também, ilhasdomarEgeu,doMediterrâneoedoAdriático,alémdeumaestreita faixa de terra na Ásia Menor. A Grécia continental não evoluiu tão

rapidamentequantoailhadeCretae,atécercade1900a.C.,apartenorte,

constituída pela Tessália e pela Macedônia, continuava no período neolítico,enquantoqueosul,juntoaomar,jáconheciaobronze.Apartir daí,invasoresindo-europeus,osjôniominianos,começaramaseinfiltrarna

região;issofezcomque,porvoltade1600a.C.,estivessejáconstituídaa

civilização da Argólida, região bastante favorecida, não só pela grande fertilidadedesuasplanícies,mas,também,pelassuasrelaçõescomCretae comasilhasdomarEgeu. Esseperíodoécaracterizadopela presença deum novogrupode indo-europeus, osaqueus, quese localizam noPeloponesoeentram em contato com os cretenses, fazendo surgir a civilização conhecida como micênica,porterMicenascomoprincipalcentro.Osaqueus,juntamente comosjôniominianosforamosprimeirosgregosdaHistória,tendosido civilizados por Creta, surgindo, daí, uma combinação de influências mediterrâneasenórdicas. Éessaaépocaarcaicadacivilizaçãohelênica,correspondenteaos chamados “tempos heroicos”, descritos por Homero, na “Ilíada” e na “Odisseia”, cujas narrativas são, hoje, comprovadas pelas escavações arqueológicasrealizadasemMicenaseTirinto,alémdoreconhecimento, pela arqueologia, de sítios como a gruta de Calipso, a região de Circe, CaribdeeCila,eetc EntreosséculosXIIeXa.C.,aconteceriaainstalaçãodosdóriosna Grécia, firmando, então, a civilização grega; nessa ocasião, os centros micênicosforamsubstituídosporoutros:Amicleia,porEsparta,Micenase

Tirinto, por Argos, e Orcômeno, por Tebas. A partir daí começava a expansão e a colonização grega, que atingiria a Sicília, o sul da Itália, o Mediterrâneoocidentaleoriental(CalcídicaeTrácia),aPropôntida(mar deMármara)eosEstreitos,oPontoEuxino(marNegro)eatéaáridacosta africana,aoestedoEgito.OnomemaisantigodaGréciafoiPelasgia,ou seja, a terra dos pelasgos; depois veio o nome de Acaia, tirado da designaçãodeumadastribosdosaqueus;e,finalmente,Hélade,derivado deHelen,filhodeDeucaliãoePirra.Opatronímico“gregos”,foiintroduzido pelosromanos(dolatim“graeci”).

Em146a.C.,aGréciaerafeitaprovínciaromana,comonomede

Acaia,exercendo,apartirdaí,umanotávelinfluênciamoral,intelectuale artísticasobreaculturaromana.Esseprestígioculturalsódeclinariaapósa fundaçãodeConstantinopla,quandoestapassouaexercerahegemoniana Europaoriental.DuranteaIdadeMédia,osimperadorescristãosbizantinos nãoviamcomsimpatiaoclimapagãodaGréciaeJustiniano,finalmente, numadasviolênciasdareligiãocontraacultura,mandoufecharasescolas deAtenas,tidascomopropagadorasdopaganismo.Acivilizaçãogrega,sem forças para manter a antiga pujança, foi arruinada pela invasão dos

bárbarose,aotérminodoperíodomedieval,em1453,ficousobodomínio

turco,sóterminadojánaIdadeContemporânea. Operíodomaisimportantedaevoluçãogregafoiodosprimeiros séculosdesuahistória,quandohouveoflorescimentodesuasartes,desua filosofiaedesuareligião,quetantoinfluenciaramomundoantigoeatual, através dos ensinamentos de produtos brilhantes da cultura grega: na Filosofia,Sócrates,PlatãoeaAcademia,AristóteleseoLiceu,Demócrito, Anaxágoras,FédoneaEscoladeÉlis,AntísteneseaEscolaCínica,etc.;na Geometria,EuclideseArquimedes,jánoperíodohelenísticodaexpansão; na História, Heródoto, Xenofonte e Tucídides; na Filologia, Aristarco, Calímaco e Zenódoto; e os pensadores jônicos, como Tales de Mileto, PitágorasdeSamoseHeráclitodeÉfeso.

NARELIGIÃO,OSASTROSEASFORÇASNATURAIS

Apesar da religião grega ter surgido desde a antiga civilização aqueia,ocertoéquejamaishouve,entreosgregos,umateocraciacomoa existentenoEgitoenaMesopotâmia,oquepermitiuodesenvolvimentodo pensamentoeacriaçãodaciênciapura,teóricaedesinteressada,semo primitivismo e o empirismo das demais civilizações subjugadas pelas classessacerdotais.

Naépocadacivilizaçãoaqueia,cujareligiãoeramuitopróximada doscretenses,surgemgrandesdeuses,comoZeus,Atená,Hera,Possêidone adeusaDeméter,osquaisviriamaseradotadospelosromanos,comos nomes de Júpiter, Minerva, Juno, Netuno e Ceres, respectivamente. Posteriormente, foram acrescentadas as influências orientais e as contribuições indo-europeias, tendo havido dois ordenadores, que lançaramospadrõesreligiosos:Homero,criadordeumasociedadedivinaà imagemdahumana,eHesíodo,quecrioutodaumateogoniaeabordouo problema das forças misteriosas, que regem o destino do homem. Ao mesmotempo,areligiãopopular,baseadanorespeitoàsforçasnaturais antropomorfizadasenosimutáveisciclosdavegetação,dassementeirase dascolheitas,adquiriaseustraçosfundamentaisemaisduradouros. Todososprincipaisdeusesgregoseramassimiladosaumdosastros visíveis, ou aos fenômenos naturais, que, desde tempos mais remotos, semprefascinaramoshomens:

Zeus,oJúpiterromano,filhodeCronosedeReia,omaiordosdeuses(como

Júpiter,omaiordosplanetas),quereinavanomonteOlimpo,eraosenhordos

fenômenosatmosféricos;

Hera,aJunoromana,esposadeZeus,eraadeusadocasamento,doslares,da

maternidadeedascrianças;

Apolo,ouFebo–queconservouonome,entreosromanos–filhodeZeus,era

odeusdoSol,criadordapoesiaedamúsica,docantoedalira,dasprofecias

edasartes;

Hermes,oMercúrioromano,filhodeZeus,eraomensageirodosdeuses-

movia-serapidamente,comooplanetaMercúrio–alémdedeusdospastores,

doscomerciantes,dosviajantes,dosatletasedosoradores;

Possêidon,oNetunoromano,irmãodeZeus,eraodeusdomar,aquemos

navegantestemiameimploravamproteção;

Héstia,aVestaromana,filhadeZeus,zelavapelachamasagrada,quedevia

arderemtodasascasas;

Hades,oPlutãoromano,senhorabsolutoesempreinvisíveldasprofundezas

daterra,eraodeusdoreinodosmortos;

Ares,oMarteromano,eraodeusdaagriculturaedaguerra;

Afrodite,aVênusromana,tambémfilhadeZeus,eraadeusadoamoreda

beleza;

Deméter,aCeresromana,irmãdeZeus,eraadeusaprotetorados

agricultores,doscamposedascolheitasdecereaisedefrutas;

Atená,aMinervaromana,nascidadacabeçadeZeus,eraadeusadarazão,

dainteligência,dasabedoriaedapaz;

Hefesto,oVulcanoromano,filhodeZeus,eraodeusdofogo,daforjaedos

ferreiros;

Dionísio,oBacoromano,filhodeZeus,eraoprotetordavegetaçãoedas

vinhase,também,odeusdosmortos,atravésdaspromessasderessurreição.

InteressanteéalendadeDeméter,incluídanoschamados“Mistérios

deElêusis”,jáqueomaisantigotelesterion(Templo)dadeusaencontrava-

senacidadedeElêusis.OsmistériosdeElêusisjustapõeocultodeDeméter ao de sua filha, Perséfone (Prosérpina, para os romanos), cujo estágio hibernal nos infernos simbolizaria o ciclo do nascimento e morte dos vegetais.Ealendaéaseguinte:

Deméteramavaintensamente,suafilhaPerséfone.Esta,certodia,enquanto

colhiafloresnocampo,foiraptadaporHades,deusdosinfernos.Deméter

procurou-apelomundointeiro,diaenoite,atéqueseencontroucomApolo,

queainformousobreoraptodafilha;tomadadecóleracontraaterra,elase

negaapermitirque,nela,cresçamosgrãoseosfrutos.Diantedisso,Zeus

resolveinterferirjuntoaHades,paraqueestedevolvaPerséfone,

estabelecendo,contudo,umacondição:adequeelasópoderiavoltarao

Olimpo,senãohouvesseingeridonenhumalimento.Como,porém,elahavia

ingeridoalgunsgrãosderomã,nãopôdevoltar,sendo-lhepermitido,apenas,

passarseismesesdoanocomsuamãeeosoutrosseismesesnoinferno.

Graçasàlenda,Perséfonesimbolizaassementes,quepermanecem sob a terra, durante meio ano e, depois, frutificam sobre ela. Esotericamente,esseciclodenascimentoemortedosvegetais–presente na sequência dos signos zodiacais – representa a eternidade e a imortalidade.

ECOMEÇAVAORACIONALISMONAASTROLOGIA

EmboratenhachegadoàGréciaumpoucotardiamente,foiaíquea

Astrologiaadquiriuosseusaspectosfundamentaisemaisduradouros.A partir do terceiro século a. C., os gregos empenharam-se em adaptar a Astrologiababilônicaàssuasprópriastradições,tornando-acadavezmais complexa. Datam dessa época os laços maiores entre a medicina e a astrologia, já entrevisto nos escritos de Hermes Trimegisto, nome dado pelos gregos ao deus egípcio Toth, o qual formulava a ideia de que o homem reproduzia, em si, em miniatura – microcosmo – a estrutura do Universo, o macrocosmo; e afirmava, também, que as diversas indisposiçõeseramespecíficasdosdiferentesdecanatos,ouseja,decada

divisãodossignos.OmédicoefilósofoHipócrates [2] ,o“paidaMedicina”

(nascidoporvoltade460a.C.),quesugeriuqueocaráterdohomemera

resultadodoequilíbriodequatro“humores”–sangue,fleuma,bilenegrae bileamarela–afirmavaque“ummédicosemoconhecimentodaastrologia, nãotemodireitodeproclamar-semédico”. Foramosgregososresponsáveispelapopularizaçãodeumsistema, que, anteriormente, só era acessível aos reis: o método de calcular os destinos individuais, com base no momento do nascimento. O primeiro livroastrológicomoderno,jáfugindo,umpouco,aoempirismodominante, atéentão,foioTetrabiblos,atribuidoaomatemático,astrônomoegeógrafo

CláudioPtolomeu [3] ,nascidoemAlexandria,cujotrabalhodesenvolveu-se

duranteoséculoIIdaeraatual,entreosanos150e180,estabelecendoos

princípiosdainfluênciacósmica,osquaisconstituemocernedamoderna astrologia. Ptolomeu ainda catalogou trezentas estrelas e explicou a refraçãodaluz;noTetrabiblos,expunhaasuacrençanosefeitosfísicosdos planetas, afirmando que eles “causam calores, ventos e tempestades, à influênciadosquaisascoisasterrestresestãoconformementesujeitas”.

ventos e tempestades, à influênciadosquaisascoisasterrestresestãoconformementesujeitas”. OUNIVERSO,SEGUNDOPTOLOMEU

OUNIVERSO,SEGUNDOPTOLOMEU

ATerraestánocentrodoUniverso,emrepouso.Emtornodela,movem-se:

Lua(A),Mercúrio(B),Vênus(C),Marte(E),Júpiter(F),Saturno(G)eoSol

(D).Note-sequefoiconferidaacadaumdeles,umaórbitaconstante.

O trabalho de Ptolomeu formulou o primeiro plano a respeito da física do universo, a qual era amplamente desconhecida pelo homem antigo.Masasuateoria,hoje,pareceabsurda,emborativesse,paraaépoca, servido como baliza dos estudos cósmicos. Para ele, a Terra ocupava o centrodouniversoe,emtornodela,moviam-seosplanetas,cadaumnum círculoperfeito,dentrodeumaesferaexteriorsólida,àqualsefixavamas estrelas.Assim,emtornodaTerra,emrepouso,moviam-se,emcírculos concêntricos,emordem,docentroparaaperiferia:aLua,Mercúrio,Vênus, oSol,Marte,JúpitereSaturno;alémdeSaturno,ficavamasestrelasfixas.A fimdequeosmovimentosobservadosepredeterminados,emrelaçãoaos planetas, concordassem, foi conferida, a cada um deles, uma órbita constante,sendooepiciclocentralizadosobreodeferente. A teoria ptolomaica perdurou até ao século XVI, quando foi

derrubadaporNicolauCopérnico,que,em1543,horrorizavaoacanhado

mundodaépoca,aosustentarqueocentrodonossosistemaplanetárionão

eraaTerra,mas,sim,oSol.

eraaTerra,mas,sim,oSol. OSISTEMADECOPÉRNICO

OSISTEMADECOPÉRNICO

NoséculoXVI,Copérnicoderrubouateoriaptolomáica,surpreendendoo

acanhadomundodaépoca,aocolocaroSolcomoocentrodoSistemaSolar,

comosplanetas,inclusiveaTerra,girndoemtornodele:Mercúrio(A),Vênus

(B),Terra(C),Marte(E),Júpiter(F)eSaturno(G).SomenteaLua(D)gira

emtornodaTerra.

Sobainfluênciadaculturagrega,osplanetas,ascasaseossignosdo zodíaco foram racionalizados, tendo sido, as suas funções, plenamente determinadas,detalmaneiraque,atéhoje,houvepouquíssimasalterações.

Sobainfluênciagrega,graçasàfundaçãodeAlexandria,em322a.C.,os

egípcios criaram, no segundo século a. C., a mais antiga representação pictóricaconhecidadozodíaco,queseencontraemrelevoemumTemplo deDenderáequedemonstraaprecessãodosequinócios.

NAROMAIMPERIAL,OPRESTÍGIODOSASTRÓLOGOS

Entre os romanos, sujeitos à influência grega, os astrólogos eram considerados,tendo,noperíododealgunsdosimperadores,umprestígio incomum,jáqueaastrologiadesfrutavadegrandeposiçãosocial.Juvenal, noprimeiroséculodaeraatual,destacava,emseusescritos,queexistiam pessoasquenãoapareciamempúblico,nemjantavamoutomavambanho, sem,antes,consultarasefemérides. Nem todos os imperadores, todavia, estimavam os astrólogos:

enquantoque,porexemplo,Tibériosecercavadeles,porquetiveraoseu destino previsto no momento do nascimento, Cláudio os baniu, porque dava preferência aos augúrios. Com a decadência do império, eles desapareceram.

DEPOISDAASCENSÃO,UMAGRANDEQUEDA

Na Europa,a tradiçãoclássica iria morrercom Ptolomeu,em 180 d.C., enquanto a astrologia também começava a entrar em declínio, principalmente porque, nessa época, se perdeu a habilidade para fazer observaçõesecálculos.ComaquedadoImpérioRomanodoOcidente,a astrologia foi relegada, temporariamente, à condição de deturpada superstição. Esse estado de decadência foi uma das razões das quais a Igreja ocidental valeu-se, para atacar as práticas astrológicas, embora existam muitasreferênciasastrológicasnoNovoTestamento,como,porexemplo, osmagosdoEvangelhodeSãoLucasemuitaspassagensdoApocalipse;o maiorcríticoda prática astrológica, nessa época,foiSantoAgostinhode

Hipona(354-430),queproclamavaqueaastrologiaeraumafraudeeque,

sealgumasvezes,osastrólogosacertavam,emsuaspredições,sópodiater sido através da invocação de espíritos malignos e satânicos, os quais sempre procuraram possuir a mente humana. A Igreja oriental, porém,

conservoualgunsconhecimentosdaastrologiacientífica.

Apesardisso,aindanaIdadeMédia,osprincipaisfundamentosda

modernaastrologiaseriamlançadospordoisgrandesteólogosdaIgreja:

SantoAlbertoMagnoeSãoTomásdeAquino.

COMOSÁRABESECOMOSTEÓLOGOSDAIGREJA,AREDENÇÃO

Nessaépocadedecadênciadetodasasciências,surgiriam,então,os

árabesconquistadores,insufladospelaforçadesuanovareligião,oIslã.É

inegávelqueumadascausasprincipaisdasobrevivênciadaciênciaeda

filosofia clássicas foi a sua preservação e uso pelas avançadas culturas árabes,nonortedaÁfricaenoMediterrâneooriental,apartirdoséculo

VIII.

Muitohábeisnamedicinaenaastronomia,osárabesdesenvolveram

grandes estudos astronômicos, os quais tiveram uma indisfarçável

orientaçãoastrológica.EmDamascoeemBagdáforamcriadosnúcleosde

aprendizadoeocalifaAl-Mansur,filhodofamosoHarunAl-Rachid,criou,

emBagdá,umobservatórioeumabiblioteca,fazendocomqueacidadese

tornasseoprincipalcentroastronômico.AbuMaachar–ouAlbumansur,

paraosocidentais–comoseutratadoIntroductoriuminAstronomiam,de nítida influência aristotélica, foi o maior dos astrólogos árabes; o seu

tratadofoiumdosprimeiroslivrosasertraduzidonaEuropa,noinícioda

IdadeMédia,influindo,nitidamente,sobreoprocessoderenascimentoede

revitalizaçãodaastrologiaedaastronomia.Emsuaobra,arespeitodos

sete“planetas”daAntiguidade–Sol,Lua,Mercúrio,Vênus,Marte,Júpitere

Saturno–eleafirma:

Assimcomoosmovimentosdessasestrelaserrantesnuncaseinterrompem, asgeraçõesealteraçõesdascoisasterrenasnuncatêmfim;apenaspela observaçãodagrandediversidadedemovimentosplanetárioséquepodemos compreenderasinúmerasdiversidadesdemudançanestemundo. Os árabes criaram uma nova forma de astrologia prática, a qual, emboradúbia,erautilizada,largamente,paratodosostiposdeprediçãona vidadiária,como,porexemplo:omelhormomentopararealizarviagens,

fecharnegócios,assumircompromissos,etc Esseempenhoemindicações favoráveis,oudesfavoráveis,emlugardeprediçõesdeeventos,acabaria servindo de grande auxílio à astrologia, quando ela foi reabilitada, no Ocidente, pouco antes da Renascença, graças ao trabalho de alguns

teólogosimportantes.

NestaAntigagravura,astrólogosárabesusaminstrumentosastronômicos paraassuaspredições. Se, no início do período

NestaAntigagravura,astrólogosárabesusaminstrumentosastronômicos

paraassuaspredições.

Se, no início do período medieval, os teólogos enfrentavam o problemadeclassificaraastrologiacomociêncialegítima,oucomouma simplesartedivinatóriaproibida,caberia,séculosdepois,aSantoAlberto Magno (1200-1280), separar a astrologia de suas associações pagãs, divisandoovalorteológicodaciênciaedafilosofiadosárabesedosgregos e afirmando que, embora não pudessem, as estrelas, influenciar a alma humana,elaspoderiam,certamente,influenciarocorpoeavontadedos homens. Sua grande realização foi tornar o conhecimento dos gregos e árabesacessívelàcivilizaçãoocidental,especialmenteosensinamentosde Aristóteles;nestes,erafundamentaladoutrinadequeoseventosterrenos eramgovernadospelasesferasestelares.

São Tomás de Aquino [4] , considerado o maior teólogo cristão, consolidouaobradeSantoAlbertoMagno,tornando-aaceitávelcomotema dignodeestudoeestabelecendoque,nasuavisãodouniverso,aastrologia podia ser tomada como uma complementação da doutrina cristã. E foi graçasaessamaneirapeculiardeencararascoisas,quenenhumastrólogo foi punido pelos tribunais do Santo – da inquisição europeia – como aconteceu com alquimistas, templários, rosacruzes, etc. Ganhou, então, a astrologia,respeitabilidadeacadêmica,passandoafazerpartedocurrículo dediversasuniversidadeseuropeias,comoaUniversidadedeBolonha,em

1125,nãoexperimentando,praticamente,nenhumdeclíniocomoadvento

daRenascençaeobtendo,inclusive,oapoiodopapado(SistoIV,noséculo

XV,foioprimeiropapaafazereinterpretarumhoróscopo;eJúlioII,do

iníciodaRenascença,éconhecidoporterconsultadoumastrólogo,para

ajudá-loaescolherodiamaispropícioparaasuacoroação).

FUNDAMENTOSCIENTÍFICOS,COMAQUEDADATEORIAPTOLOMAICA

NoiníciodoséculoXVI,começavaademoliçãodosistemaidealizado

por Ptolomeu, através de Nicolau Copérnico [5] , que introduziu a teoria heliocêntrica. O sistema elaborado por Copérnico , mostrava o Sol, no centro, com os planetas girando em torno dele, na seguinte ordem, do centroparaaperiferia:Mercúrio,Vênus,Terra,Marte,JúpitereSaturno; apenasaLuapermaneciaemórbitaaoredordaTerra,que,atéentão,de acordocomateoriaptolomaica,haviasidoocentrodetodaaatividade cósmica, com os planetas orbitando em torno dela. Essa teoria, embora correta,eraumaheresia,paraadominadoraeretrógradaIgrejadaépoca,a qual,logo,condenouostrabalhosdocientista. Depois de Copérnico, o próximo pesquisador de destaque, de

orientação astrológica, foi Tycho Brahe [6] , que não conseguia aceitar o ponto básico da teoria de Copérnico, segundo o qual a Terra não era o centrodetodasascoisas;comomuitagente,eleacreditavaqueissoera umaheresia.

Todavia, um discípulo de Tycho, Johannes Kepler [7] , iria se encarregar de sepultar, definitivamente, o sistema ptolomaico, reconhecendooerrodeTycho,aoconsideraraTerracomoocentrofixodo sistema,mastomandocomobase,emgrandeescala,oscálculoselaborados pelomestre,quandoesteformulouassuasleisdomovimentoplanetário, asquaisexplicamavelocidadedosplanetaseanaturezadasuaórbitaem tornodoSol.

tornodoSol. OUNIVERSOSEGUNDOTYCHOBRACHE

OUNIVERSOSEGUNDOTYCHOBRACHE

SegundoaTeoriadeTychoBrache,osplanetasgiravamemtornodoSol-

Mercúrio(A),Vênus(B),Marte(D),Júpiter(E),Saturno(F)-maseste

descreviaumaórbitaemtornodaTerra,sendoqueaLua(C)giravaemtorno

desseúltimo.

AprimeiraleideKeplerinformaqueumplanetamove-seatravésdo espaço, descrevendo uma elipse, com o Sol ocupando um dos focos. A segundaleiafirmaqueoraiovetorvarreáreasiguaisemtemposidênticos. A terceira lei estabelece uma relação entre os períodos planetários e a distânciadoSol. A Igreja da época, porém, não se rendeu à evidência dos fatos científicos e continuou a considerar herética a teoria heliocêntrica, colocandotodaaobradeKeplerentreaquelasqueelacondenava.Esóse

rendeuàevidência,jáemplenoséculoXIX,em1835,retirando,então,a

obradeKeplerdeseuindex,duzentosanosdepois,portanto,delatersido

publicada.

EATÉNAAMÉRICAPRÉ-COLOMBIANA,AASTROLOGIA

Emboraseparada–edesconhecida–dascivilizaçõesdaÁsiaMenor, do Norte da África e da Europa Ocidental, as civilizações do continente americano,ditaspré-colombianas,mostram,atravésdaarqueologia,queo calendárioeotempoeramdefundamentalimportânciaparaelas. Asprincipaisdessascivilizaçõeseramasdosmaias,dosastecasedo

impériodosincas.Osmaiashabitavamaregiãoonde,atualmente,situam-

seoMéxico,aGuatemala,SanSalvadoreHonduras;formaramamaisculta civilizaçãoamericana,destacando-senaAstronomia,naArquiteturaena Escultura; os astecas ocuparam a região do México atual, a qual dominavam, quando os espanhóis conquistadores ali chegaram; e o impérioinca,ocupandoaregiãodoatualPeru,eraformadopelastribos quíchua,aimaráejunca(adesignaçãodeimpériodosincasfoidadapelos espanhóis,emhomenagemàfamíliaInca,quedominavaastrêstribos). Dentreessascivilizações,destaca-se,então,adosmaias–e,depois,a dos astecas, que copiaram os maias – que possuíam dois calendários

principais:umdeles,querepresentavaoanosolarde365dias,regulava,

principalmente,oplantioagrícola,enquantoqueooutro,de260dias,tinha

usoritualístico,nosserviçosreligiosos. Ambososcalendáriosestavamligadosasistemasastrológicos,que abordavam todas as particularidades da vida humana. Indissociáveis da religião, proporcionaram o surgimento de uma casta sacerdotal poderosíssima, composta pelos sacerdotes-interpretadores. Esses

sacerdotesresolviam,aplicando,indevidamente,ateoriaceleste,odestino de cada pessoa, já quase após o nascimento; no quinto dia depois do nascimento de um menino, o sacerdote-interpretador traçava o seu horóscopoedecidiaqualaprofissãoqueeleiriater:soldado,trabalhador braçal,funcionáriopúblico,sacerdotee,até,vítimadoscultossacrificais. Apesardoenvolvimentocomessateocracia–que,comonoEgito, subjugavaarazão,embenefíciodoempirismoedoprimitivismo–osmaias deixaramobrasapreciáveis,comooobservatórioemcaracol,nacidadede ChichénItzá,ondeumaescadariainterioremespiral,lembrandoaconcha de um caracol, conduz a janelas que correspondem às posições dos planetas,comoeleseramvistospelosobservadores,emdiversasépocasdo ano.

MAS,AFINAL,SEMESQUECERSTONEHENGE

Stonehenge,apesardesuaimportância,que,aospoucos,vaisendo desvendada, não pode ser analisado no contexto histórico da astrologia, porque ainda intriga os pesquisadores, por ter sido construído numa região, que, na época, era, pelo menos à luz dos atuais conhecimentos, desprovidadecivilizaçãotecnologicamenteavançada. O monumento de Stonehenge é um conjunto circular de enormes pedras, situado na planície de Salisbury, no Wiltshire, Inglaterra; sua origemédesconhecida,masmuitospesquisadoresacreditamqueelaseja obradosdruidas,antigossacerdotesbretãesegauleses,queacreditavam naimortalidadedaalmaenãopossuiamtemplos,reunindo-se,paraoseu culto,nasflorestas. Stonehenge é o principal dos grandes monumentos megalíticos, espalhadosportodaaEuropaocidentaleque,segundoevidências,quevão se acumulando, através das pesquisas, tinham, como função principal, computar os movimentos anuais dos corpos celestes. O exame das datações,realizadasporcarbonoradioativo,mostraqueasuaconstrução pode ter sido iniciada cerca de dois milênios a. C., quando a civilização micênica,daGréciaarcaica,malcomeçava,equandooantigoEgitoiniciava oseuMédioImpério. Oqueintrigaéque,nessaépoca,aregiãodaEuropaocidentalera primitivíssima,sendohabitadaporumpovo–chamado,pelosarqueólogos, depovobeaker– queaindaestava noiníciodaIdadedosMetaiseque aindanãotinhanemmeiosderegistraroseuconhecimento.Apesardisso,

ele desenvolveu um sofisticado método de calcular um calendário de precisão surpreendente, predizendo eclipses e assinalando solstícios, do qualosmenireseuropeuse,principalmente,omonumentodeStonehenge, sãoprovasirrefutáveis. Asimensaspedras,comcincotoneladascadauma,deStonehenge foram extraídas dos montes Prescelly, em Gales, e transportadas até à planície de Salisbury, a 380 quilômetros de distância. Constituído por diversosblocos,formandosemicírculos,efechadoporumaneldepedras, com distâncias regulares entre elas, o monumento foi submetido, pelo professorG.S.Hawkins,aanálisescomputadorizadas,querevelaramuma grandevariaçãodealinhamentos,mostrandoqueeleé,narealidade,um grandecomputadorastrológico.Porforadaspedrasexternas,háumanel com cinquenta e seis orifícios – chamados “buracos de Aubrey” – redescobertospeloantiquárioJohnAubrey,noséculoXVII;Hawkins,em épocarecente,demonstrouque,utilizandoumsistemadequatropedras móveis,paramarcação,oseventuaiserrospoderiamsercorrigidosetodos oseclipsesdoSoledaLuapoderiamserprevistos.

oseclipsesdoSoledaLuapoderiamserprevistos.

Stonehengerevelaumaextraordináriavariaçãodealinhamentos,mostrando

queomonumentonarealidadeéumcomputadorastrológicomegalítico.

A-NascerdoSol,solstíciodeinverno;B-Luadeinverno:baixa;C-Nascerdo

Sol,solstíciodeverão;D-Luadeinverno:alta;E-Pôr-do-Sol:verão;F-Pôr-

do-Sol:inverno.

OSINSTRUMENTOSDAASTROLOGIA

OSDEZPLANETAS

OSistemaSolarpossuinoveplanetasconhecidos,incluindoaTerra. Para a astrologia, porém, não contando a Terra, são dez os “planetas”, incluídos,aí,comoerafeitonomundoantigo,oSoleaLua. Para o homem antigo, a esfera celeste parecia girar em torno da Terra,quando,hoje,sesabequequemgiraéaTerra.Isso,todavia,podeser totalmenteignoradopelaastrologia,pois,paraela,oqueimportasãoas posiçõesqueosplanetasparecemtomarnocéu.Considerando,comoela considera, que os planetas agem sobre a vida terrestre, a partir dessas posições, estas são, então, tomadas como reais. Assim sendo, apenas astrologicamente, a esfera celeste mostra, em seu centro, a Terra, circundadapelaeclíptica.

mostra, em seu centro, a Terra, circundadapelaeclíptica. AÓRBITADATERRA

AÓRBITADATERRA

OPontoAassinalaoverãonohemisférioNorte:quandoopólonortefica

inclinadonadireçãodoSol.OPontoBmarcaoverãonohemisférioSul:

quandoopólosulseinclinanadireçãodoSol.

AeclípticaéatrajetóriaaparentequeoSoldescreve,anualmente,no céu,oupodeserconsideradacomoaprojeçãodoplanodaórbitaterrestre

sobreaesferaceleste.ComoaTerrapossuiumainclinaçãode23grause

meio,oânguloentreaeclípticaeoequadorcelestetambémcorrespondea 23 graus e meio; ambos se cruzam no equinócio de primavera e no equinócio de outono (zero grau de Áries e zero grau de Libra, respectivamente,nohemisférionorte,invertendo-separaohemisfériosul). A maioria dos planetas do sistema solar possui órbitas que se colocam, praticamente, no mesmo plano da órbita terrestre, com leves

variações;aexceçãoéPlutão,cujaórbitatemumainclinaçãode17graus

em relação à Terra. Devido a essa coincidência em plano, os planetas movem-senumafaixadefinidadocéu,aqualcobretodoocaminho.Essa faixaéconhecidacomozodíacoeécentradanaeclíptica. NaAntiguidade,eramapenasseteosplanetasconhecidos,incluídos oSoleaLua.Segundoavisãotradicional,osseteplanetascorrespondiamà ideia dos sete céus planetários, os quais, por sua vez, estão ligados às doutrinascosmológicasecosmogônicassetenárias:ossetediasdaCriação, ossetevéusdeIsis,ossetechacras,etc Nessesistemaastrológico,aTerra éocentroeasrelaçõesdosseteplanetascomossetepontosnoespaçosão asseguintes:Sol,ozênite;Lua,onadir;Mercúrio,ocentro;Vênus,ooeste; Marte,osul;Júpiter,oleste;eSaturno,onorte.

Marte,osul;Júpiter,oleste;eSaturno,onorte. OUNIVERSOASTROLÓGICO

OUNIVERSOASTROLÓGICO

OsplanetasemsuasrespectivasórbitasdomodocomosãovistosdaTerra.

Comadescoberta,emépocasrecentesdostrêsúltimosplanetas– Urano, Netuno e Plutão – não houve muita modificação do sistema, permanecendooenfoquesetenário,jáqueosnovosplanetasdescobertos sãoentendidoscomo“oitavassuperiores”deplanetasjáconhecidos. Cadaplanetatemumasimbologiaextremamenterica,abrangendo

áreasdainterpretaçãoastrológica,esotérica,psicológica,mítica,etc

As

figuras importantes de quase todas as mitologias estão associadas aos planetas;emuitosdelesdevemosseusnomesaosdeusesaosquaisestão

associados. Mas é em sua relação com o zodíaco que o seu simbolismo atingeumaltoíndicedecomplexidade,pois,enquantoozodíacosimboliza asfasesdeumdeterminadociclodacriação,osplanetasexpressammaisos arquétiposdomundomoral.Cadaumdelesapresentaumduploaspectode qualidadesmorais–umpositivoeoutronegativo–eestádivididoemduas

áreasopostasecomplementares,umaluminosaeaoutraescura,ambas necessárias ao ciclo da existência, pois o universo é formado e mantido atravésdasvariaçõesdeduasforçasopostas. Sãoosseguintes,osdezplanetas,comsuasimbologia:

OSoléomaispoderosocorpodosistemasolareabasedetodaa vidadaTerra,aqualnãoexistiriasemele.Desdeosmaisremotostempos, eleéosímbolodaluzeatraiohomem,exatamente,porsualuzeseucalor, fontes de sua força no psiquismo humano, tendo, por isso, gerado os diversos cultos solares, onde é sempre assimilado a um dos principais deuses: Shamash, dos sumérios, Osíris, dos egípcios, Mitra, dos persas,

Apolo, da mitologia greco-romana,

astrologia, com o poder, a energia, a autoexpressão. Todos os tipos humanossãoamplamentedeterminadosporsuascaracterísticassolares. Esotericamente, o Sol é o emblema do espírito, do Eu Superior; é representadopelafiguradoarcanjoMiguel,quederrotaasforçassatânicas, representadasporumacabeçadeserpente,símbolodastrevas,comsua espada flamejante, símbolo da luz e da força solar. Simboliza, assim, as forçaspositivasedominadorasdocosmos.

No terreno da astrologia psicológica ele representa, em seus aspectospositivos,qualidadesmoraiscomoafirmeza,aconsciênciaalerta, opoderdavontade,anobrezadesentimentos,alealdadeeaautoridade. Em seus aspectos negativos, representa o orgulho, a arrogância, o autoritarismo,aambição. Está identificado com o princípio masculino, positivo, regendo o signodeLeãoesendorepresentadopelometalouro;seuemblemaéum círculo–símbolodoespaçoedotempoinfinito–comumpontonocentro– símbolodoespírito. Para as ordens iniciáticas, a luz que o Sol representa é a do conhecimento, do esclarecimento mental e intelectual e não aquela emanadadoscorposmateriais.Esseconceitotem,emgrandeescala,base naalquimia,quemuitoinfluencioutaisordens.AGrandeObra,ouObrado Sol,era,paraaalquimiaprática,atransmutaçãodosmetaisinferioresem ouro;entretanto,paraaalquimiaoculta,quedesprezaoouromaterial,a Obra do Sol consistia no constante renascer, para que o iniciado percorresseocaminhodoaperfeiçoamentoedoconhecimento,atéchegar à comunhão com a divindade, conceito muito parecido com os do hinduismo e os da doutrina de revelação do mitraismo persa. Assim, os

O Sol é ativo e associado, em

metaisinferioressimbolizamaspaixõeshumanaseosvícios,quedevem sercombatidosetransformadosemourodoespírito,queéoobjetivoda ObradoSol. A Lua, sendo parte integrante do sistema terrestre, participa do centrocomumdegravidade,localizadonointeriordaTerra–obaricentro –tendoefeitofísicosobreosfluidosterrestres,comoaprincipalforçada ativação das marés. Passiva, ela controla o comportamento rítmico de muitascriaturasdaTerra.Cultuadacomoamãeuniversal,aLuarepresenta oprincípiofemininoquefertilizatodasascoisas. Esotericamente,representaaalma,assimcomooSolrepresentao espírito e é assimilada à deusa Isis, a grande iniciadora da alma nos mistérios do espírito. Suas forças são de caráter magnético e, portanto, opostasàsdoSol,asquaispossuemcaráterelétrico. EmborasejaapenasumsatélitedaTerra,vemlogodepoisdoSolem importância astrológica. Na astrologia psicológica, representa o inconsciente,ouseja,aspaixõeseemoções,aimaginação,asensibilidadee todososdemaisaspectosfemininosdavida. ALuaédepolaridadefeminina,aquática,negativa,regendoosigno deCânceretendo,comometal,aprata;érepresentadaporumcrescente emformadecopa,simbolizandoafacereceptivadanaturezahumana. MercúrioéoplanetamaispróximodoSol;eleestásituadonacoroa externa solar, onde a matéria é sujeita a frequentes e irregulares flutuações;é,também,omaisvelozdosplanetas–oquemaisrapidamente circulaemtornodoSol–efazrápidasmudançasdedeclinaçãonocéu.Em astrologia,éoplanetadamentalidadeedareaçãonervosa. Regendoointelectohumano,elerepresentaaforçaativadoEu,a consciênciadahumanidadeeasfaculdadesdever,percebereraciocinar. Emseusaspectospositivos,confereaaptidãointelectualparaaliteratura,a diplomacia,ocomércio,ojornalismoeasciênciasanalíticasededutivas; em seus aspectos negativos, produz desequilíbrio mental, nervosismo, hipocrisia,desonestidade. Comorepresentantedointelecto,Mercúrioédenaturezaandrógina; emsuamanifestaçãomasculina,regeosignodeGêmeose,nafeminina, regeosignodeVirgem.Érepresentadoporumcírculo,comumacruzna parteinferioreumsemicírculonasuperior(símboloandrógino).Seumetal éomercúrio. Vênus tem a sua rotação axial ligada à da Terra e é um planeta

quenteeenvoltoemdensasnuvens,poisoaltoteordedióxidodecarbono, presente em sua atmosfera, tende a se condensar ao calor do Sol. É associadocomaharmoniaeouníssono,graçasàsuaconstânciafísica,já queasuaexcentricidadeorbitaléamaisbaixaentretodososplanetasea suadistânciadoSolpermanecequaseconstante,emtornodecentoesete milhõesdequilômetros.DesdeamaisremotaAntiguidadeoplanetatem sido assimilado a divindades femininas, como é o caso de Ichtar, dos sumérios,edeAfrodite,dosgregos(aVênusromana). Noplanoesotérico,osimbolismodeVênustemdoisaspectos:um ligadoaoamorespiritualeoutrorelacionadocomsimplesaatraçãosexual. No primeiro caso, em seu aspecto positivo, é a representação do amor comoforçadecoesão,deharmoniaedebeleza,conferindocapacidadepara asbelas-artes;nosegundo,malconfiguradoastrologicamente,apresenta, comoaspectosnegativos,aimpulsividade,astendênciaspassionais,adébil moralidade,aatraçãopeloluxoepelasensualidade. Planeta de natureza feminina, Vênus rege Touro e Libra, sendo representadoporumcírculocomumacruznaparteinferior(símbolodo sexofeminino),significandooespírito,emseuesforçoparaselibertarda matéria.Seumetaléocobre. Marteéumplanetacomatmosferararefeitaequeapresentauma cor avermelhada, graças à oxidação. Em decorrência disso, ele foi associado, astrologicamente, ao calor físico – embora sua superfície seja fria–aovigor,àenergia,àvivacidade,fazendocomque,namitologiados povosantigos,elefosseassimiladoaosdeusesviriseguerreiros. Na psicologia astrológica, Marte representa o espírito empreendedor, enérgico e cheio de ânimo; em seus aspectos negativos, retrataacrueldadeeodesejodedestruição.Aspessoasquetêmoplaneta malconfigurado,astrologicamente,têmimpulsosdebelicosidade,violência erudeza. Marte é representado por um círculo com uma seta na parte superiordireita(símbolodosexomasculino),significandoaforçacriadora doespírito.Éplanetamasculino,seuelementoéofogoeregeossignosde ÁrieseEscorpião.Seumetaléoferro. JúpiteréomaiorplanetadoSistemaSolareatéjásepensouqueele fosseumSolemminiatura,comcalorpróprio,oquesecomprovounãoser real,poiseletemmuitopoucomaterialsólido,parapossibilitarasreações nucleares, que pudessem gerar energia. Importante fonte de emanações

radioativas,suaproeminênciaastrológicasedeveàsuaforçaexpansiva. Graçasaoseutamanho,muitosuperioraodetodososdemaisplanetas,foi assimilado,nateocosmogoniadomundoantigo,àdivindade-chefedetodos osdeusese,também,àsfigurassimbólicasdopai,dopatriarcaedorei. Éumsímbolo,emseusaspectospositivos,dagrandezadeespírito, dasabedoriaegenerosidade,dosentidodejustiçaedaalegriaespiritual; emseusaspectosnegativos,representaodesejodeostentação,oorgulho,a faltadesinceridade,apaixãopelojogo,oamoràvidafácil. Júpiter é representado por uma meia-lua crescente (símbolo da consciênciadaalma)unidaaumacruz(amatéria).Planetadenatureza masculina,positiva,regeSagitárioePeixeseseumetaléoestanho. Saturnoéobeloplanetacircundadoporanéis,formadosporrochas e calhaus que circulam em torno do planeta, em órbita constante. Foi associadoàlimitação,comatendênciaasemanterdentrodecertoslimites, mesmo antes que Galileu Galilei descobrisse os seus anéis. Simboliza o tempo,quedevoratodasassuascriações,sejamelasseres,ideias,coisas, ousentimentos. Astrologicamente, é considerado o planeta mais poderoso e malévolo, pela maneira sutil, lenta e gradual com que mina a vitalidade física;seMarte,emseuaspectodestruidor,manifesta-sedemaneirarápida, Saturnoéocontrário,poissuanaturezaélenta,pacienteevelada. Emseusaspectospositivos,conferemétodo,prudência,sobriedadee sentidododever;negativamente,produzhipocrisia,intolerância,avarezae teimosia. Representado, simbolicamente, por uma cruz surgindo de uma meia-lua–significandoamanifestaçãodaconsciência–Saturnoéplaneta masculino, positivo, que rege Capricórnio e Aquário e cujo metal é o chumbo.

Urano,oplanetadaexcentricidade,sófoidescobertoem1781;até

essaépocasóeramconhecidosossete“planetas”daAntiguidade.Difere dosdemaisplanetas,fisicamente,porterumainclinaçãoaxialmaiordoque um ângulo reto, o que faz com que as condições atmosféricas de sua superfíciesejamextraordinárias;osseuspólostêm,umdecadavez,uma “noite”,queduravinteeumanosterrestres.Graçasaisso,aastrologiao consideracomoumplanetacommaispoderessobregeraçõeshumanasdo quesobreindivíduos. SuanaturezaéamesmadeMercúrio,porémnumaoitavasuperior. Simboliza, também, o intelecto, mas já ligado aos planos da intuição

superior e da iluminação interna. Assim, rege os sentimentos ideais e a imaginação criadora. É planeta de caráter revolucionário, original, progressistaeimprevisível. Urano é representado por dois pilares – emblema das naturezas divinaehumana–unidospormeiodeumacruzdaqualpendeumcírculo. ComSaturno,regeosignodeAquárioeoseumetaléoalumínio.

Netuno,emborasósetornasseconhecidoapartirde1846,játem

completastodasasinformaçõesreferentesàsuainfluênciaastrológica,que jáerapercebidaatéantesdesuadescoberta.Planetanebuloso,composto de metano, hidrogênio e, provavelmente, água, só foi pressentido, de maneiraindireta,pelaatraçãoqueexerciasobreUrano,desviando-odesua órbitanormal.Seutamanhoesuacomposiçãosugerem,astrologicamente, umaforçaindefinível,masconstanteeinsidiosa. EleéconsideradoaoitavasuperiordeVênuse,assim,representaas mais elevadas tendências sentimentais e afetuosas, embora o amor netuniano seja mais platônico e idealista. Confere uma poderosa imaginação e predispõe ao misticismo, à clarividência, à mediunidade, sendoconsideradooplanetadosgrandesartistas,devidoàsuanatureza aquáticaemocional(paraosgregos,eraodeusdomar,eseusimbolismo, de natureza psíquica, induz ao sentido da beleza na arte). Quando mal configurado,astrologicamente,provocaenfermidadesmentaisenervosa. Representado por uma lua crescente em posição horizontal, atravessadaporumalinhavertical(oespírito),daqualpendeumacruz(a matéria),Netunorege,comJúpiter,osignodePeixes.

Plutão, só descoberto em 1930, é o mais distante planeta [8] do SistemaSolarepodetersidoumsatélitedeNetuno.Eleestátãoafastado daTerra,queasuainfluênciaétomadacomoessencialmenteimpessoale dotada,principalmente,deumefeitodemassa,coletivo,anãosernoscasos emqueocupeumaposiçãodedestaquenacartanataldeumindivíduo. Plutão aparece como oitava superior de Marte, dividindo a sua influênciaemduasáreas:naprimeira,espiritual,elerepresentaavontade criadora,avivificação,atransformação;nasegunda,material,representaa decomposição,aviolênciaeamorte. Nosentidogeral,simbolizaasmutaçõesprofundas,tantonohomem quantonanatureza.AeleéatribuídaacorregênciadosignodeEscorpião.

ASSOCIADAAOSPLANETAS,AMITOLOGIAGRECO-ROMANA

Apolo, ou Febo, filho de Zeus (Júpiter, para os romanos), foi, no séculoVa.C.,associadocomaforça,aluzeapurezadoSol;aserpente,que, segundo a lenda, ele teria esmagado, simboliza o inverno e as trevas, subjugadospelasualuzepeloseucalor.Alemdedeusdaluz,docanto,da lira,dasartes,governavaasestaçõeseeraoguardiãodosrebanhosedas manadas. Diana–Ártemisparaosgregos–filhadeZeusedeHera(Juno,para os romanos) era a deusa da Lua, da caça e das flores, e protetora das florestas. De maneira geral, a Lua sempre foi associada com figuras femininas, embora os sumérios a considerassem masculina, através do deus-LuaConsu,assimcomoosfrígios.Associadaàvirgindadeeàpureza,a Luatambémfoi,emalgumascivilizações,ligadaàgravideze,porisso,eram dedicadossacrifíciosaela,porumbomparto. Mercúrio–Hermes,paraosgregos–filhodeZeus,foiassociadoao comércio e aos mercadores; como mensageiro dos deuses, era representadocomasasnospés,numaassociaçãocomofatodoplanetaa ele assimilado ser o mais rápido do Sistema Solar. Era o protetor dos pastores,doscomerciantes,dosviajantes,dosatletasedosoradores. Vênus–Afrodite,paraosromanos–filhadeZeus,eraadeusado amoredocasamento;regiaasexualidade,afertilidadeeavidadefamília; entreossumérios,eraadeusaIshtar,representadapeloplanetaVênus. Marte–Ares,paraosgregos–eraodeusdaguerra,daforça,dos feitosmarciais;foimaiscultuadoentreosromanosconquistadoresdoque entreosgregos,paraosquaisera,também,odeusdaagricultura. Júpiter – Zeus, para os gregos – filho de Cronos e de Reia, e o principaldosdeuses,era,tradicionalmente,osenhordetodososlugares atingidos pelo raio; os raios e trovões chegavam à terra, vindos diretamentedele,eeramusadoscomosímbolosdeseupodermajestático. Figuraarquetípicadopai,cuidavadascolheitasdavinha,dostratadose juramentosedascerimôniasdecasamento. Saturno – Cronos, para os gregos – filho de Urano, era o deus da semeadura,oudassementes;depoisdecastrarseupai,Urano,tornou-seo senhorsupremodaTerra,governandoduranteumaépocaáureadeamore deinocência. Urano é um dos deuses primordiais: no início de todas as coisas, Geia, a mãe Terra, deu à luz Urano (o Céu), o qual se tornaria, incestuosamente,opaidetodaahumanidade.Seusfilhos,ostitãs,incluíam

Cronos(Saturno,otempo),quefoiincitadoporGeiaacastraropai,como vingançaporeletersacrificadoosoutrosfilhos,osciclopes. Netuno–Possêidon,paraosgregos–erairmãodeZeuse,comoeste, filhodeCronosedeReia,osquais,porsuavez,eramfilhosdeGeia,aTerra, e de Urano, o Céu. Era o deus do mar, a quem os navegantes temiam e imploravamproteção,poisele,comoseutridente,podiaergueromarem fúria,causandotempestadesemaremotos. Plutão – Hades, para os gregos – filho de Cronos, era o senhor absolutoesempreinvisíveldasprofundezasdaterra,ondesesituavamos infernos;tambémeraodeusdomisteriosoreinodosmortos.Sendofilho deCronos(Saturno),quedominavaaterra,participoudeumsorteiopara divisãodomundoentreseusirmãos;elhecoubeapartepior,ouseja,adas profundezasdaterra. Muitos estudiosos importantes analisaram os planetas em seu simbolismo ligado à teogonia (origem dos deuses), a partir dos mais distantes, que seriam considerados os mais velhos, ou primitivos dos deuses. Assim, Urano gerou Saturno (ou seja: o céu, ou espaço celestial, gerouotempo);oreinodeSaturnofoisucedidopelaordemconstrutivado deseufilhoJúpiter;emseguidanascemosfilhosdeJúpiter:primeiroMarte (princípio ativo, ou masculino), depois, Vênus (princípio passivo, ou feminino)e,finalmente,Mercúrio(princípioneutro,ouandrógino).

OPANTHEONGRECO-ROMANO Acivilizaçãogreco-romanaatribuiuascaracterísticasdeseusdeusesaos

OPANTHEONGRECO-ROMANO

Acivilizaçãogreco-romanaatribuiuascaracterísticasdeseusdeusesaos

astros,possibilitandoacorrelaçãodosmesmoscomodestinodaHumanidade

EAANATOMIAHUMANA

Durante a Idade Média, tinha-se como certo que cada um dos planetas, então conhecidos – na época, eram desconhecidos os três planetasexternos:Netuno,UranoePlutão–estavarelacionadocomuma parte específica do corpo humano. Posteriormente, a Medicina foi descobrindo as funções de várias glândulas endócrinas, de vital importância, pelos hormônios que lançam na corrente sanguínea. A

Astrologia,então,estabeleceurelaçõesentreessasglândulaseosplanetas

isolados:

O Sol, tradicionalmente, rege o coração e a coluna vertebral; atualmente,é,também,relacionadoaotimo,queéumaglândulaendócrina localizada atrás da parte superior do externo e que é importante no mecanismoimunológico. A Lua está relacionada às mamas e a todo o aparelho digestivo:

esôfago, estômago, intestinos, fígado, vesícula biliar, vias biliares e pâncreas. Mercúrioestáligadoaosistemanervosocentral–principalmenteo cérebro–eàrespiração. Vênus, tradicionalmente, rege garganta, rins e região lombar; atualmente, é, também, relacionado às glândulas paratireoides, cujo importantepapelnoorganismoéregularosníveisdecálcio. Marteestáassociadoaosistemamusculareàsgônadas(ováriose testículos),oquerepresentaumaextensãodarelaçãodoplanetacoma sexualidade. Júpiter está relacionado, tradicionalmente, à maior glândula do corpo–ofígado–eàsuaatividadepurificadoradoorganismo;atualmente, reconhece-se sua ação sobre a pituitária, que regula a produção de hormônios,atuandosobreocrescimentofísico. Saturnoéassociadoàvesículabiliar,aobaço,aosossos,aosdentese

àpele.

Netuno atua sobre o sistema nervoso, de maneira geral, principalmentesobreotálamo,localizadonocérebro. Uranoestáligadoàsgônadas,aoaparelhocirculatórioeàglândula pineal,queàsvezesécitadacomovestígiodeumterceiroolho,masque aindatemsignificaçãoobscura. Plutão junta-se a Marte, em sua ação preponderante sobre as gônadas,atuandonaformaçãodascélulasreprodutoras.

OSSIGNOSZODIACAIS

A faixa do zodíaco é puramente simbólica, mostrando as constelaçõesqueoSolatravessa,emsuaeclíptica,ouseja,emsuaórbita aparente;aocontráriodasconstelaçõescelestes,cadasignozodiacalocupa

umsegmentofixode30grausdocírculocompleto(quecorrespondea360

graus). O zodíaco é dividido, assim, em doze constelações, que são, aparentemente,percorridaspeloSol,umavezporano:

Áries,ouCarneiro:21demarçoa20deabril

Touro:21deabrila20demaio

Gêmeos:21demaioa20dejunho

CâncerouCaranguejo:21dejunhoa21dejulho

Leão:22dejulhoa22deagosto

Virgem:23deagostoa22desetembro

LibraouBalança:23desetembroa22deoutubro

Escorpião:23deoutubroa21denovembro

SagitárioouArqueiro:22denovembroa21dedezembro

Capricórnio:22dedezembroa20dejaneiro

Aquário:21dejaneiroa19defevereiro

Peixes:20defevereiroa20demarço

Na verdade, existem duas constelações, oficialmente não classificadas como zodiacais, mas que entram na faixa zodiacal. Uma é Ofiúco (Serpentário), que tem uma grande parte introduzida entre EscorpiãoeSagitário;outraéCetus(Baleia),quetambémseaproximada eclíptica,demaneiraqueosprincipaisplanetaspodempassarporela.O conhecimento dessas duas constelações é antigo, pois elas já foram

relacionadasporPtolomeu,noseucatálogodeestrelas(cercade150d.C.).

De maneira geral, os astrólogos não as consideram significativas, embora uma minoria sustente que o zodíaco astrológico deveria ser aumentado para 14 signos, para conter essas duas constelações. Esse ponto,todavia,éirrelevante,pois,astrologicamente,asconstelaçõesnão têm importância primária, servindo como nomes para os signos

astrológicosfixos,cadaumdosquaisocupaumaáreaigualde30grausna

eclíptica,compoderessimbólicos.

OSMITOSEMTORNODOSSIGNOS

Demaneirageral,todosossignos,ouasconstelaçõesrepresentadas,

sempretiveram,aseurespeito,umalenda,ouummito,criadopelasantigas

civilizaçõesemaistrabalhadopelosgregos:

Áries:Frixos,filhodeNepele,acusado,injustamente,deterviolado Biadice, foi condenado à morte, sendo, todavia, salvo por um carneiro dourado, em cujo dorso escapou, juntamente com sua irmã Hele. Esta,

todavia,atingidaporumavertigem,caiu,enquantoqueFrixosmanteve-se firme e alcançou a segurança, imolando o carneiro a Zeus; este, então, colocouaimagemdoanimalnocéu. Touro:TauruseraotourobrancoquecortejouEuropa,carregando-a emseudorso.Eleera,narealidade,Zeusdisfarçado;este,aoreassumira suaformanormal,colocouaimagemdotouronocéu. Gêmeos: Embora não exista, aparentemente, nenhum mito particular,emrelaçãoaGêmeos,elejáeraconhecido,noEgitoantigocomo “asduasestrelas”,nomequelhefoidadograçasàsestrelasCastorePólux, que são as mais brilhantes da constelação e que também ficaram conhecidascomoHérculeseApolo. Câncer:Comocaranguejo,aorigemdeCâncerébabilônica,pois,no Egito,aconstelaçãoera,muitasvezes,representadaporduastartarugas, conhecidascomoasEstrelasdaÁgua,oucomoAlul,umacriaturaaquática indefinida. Embora não haja, em relação a ela, um mito particular, sua associaçãocomaáguaébemantiga. Leão:Oleãoalusivoaessaconstelaçãoé,tradicionalmente,oleãode Nemeia, de pele à prova de ferro, bronze e pedra. Ele foi morto por Hércules–Héracles,paraosgregos–oqual,naluta,perdeuumdedoe demonstrougrandebravura.Emhomenagemaofeito,afiguradoleãofoi colocadanocéu. Virgem:Virgem,tambémchamadaAstreia,erafilhadeJúpiter(Zeus) eTêmis.CultuadacomoadeusadaJustiça,quandoaidadeáureaterminou eohomemdesafiouoseupodereasuaregência,ela,desgostosa,retornou aocéu.

Libra:NaBabilônia,aconstelaçãoeraassociadaaojulgamentodos vivos e dos mortos, quando Zibanitu, a Balança, pesava as almas, para aquilatar o seu merecimento. No antigo Egito, por outro lado, ela era associadacomascolheitas,jáqueestaserampesadasquandoaLuaestava cheiaemLibra.Nãoháummitoparticularemtornodela. Escorpião: Atendendo a uma ordem de Hera (Juno), o Escorpião levantou-sedaterraparaatacarÓrion;etambémfezcomqueoscavalosdo Sol disparassem, quando eram conduzidos por Faetonte. Zeus (Júpiter), diantedisso,puniu-o,atingindo-ocomumdeseusraios;e,emmemóriado feito,colocouaimagemdoEscorpiãonocéu. Sagitário: Sagitário, o arqueiro, com suas duas facetas, animal e humana,eraocentauroQuíron,profeta,médicoeestudioso,queeducoue

adestrouAquiles,EneiaseJasão.ErafilhodeCronos–tambempaideZeus – e de Filira. Cronos, surpreendido no ato gerador, transformou-se num garanhão, e fugiu a galope, abandonando Filira; esta, desgostosa com o filho,metadehomememetadecavalo,transformou-senumatília. Capricórnio:Asassociaçãolendárias,oumitológicas,emrelaçãoa Capricórnio são incertas. O deus sumério Ea – rei dos oceanos – era conhecidocomoo“antílopedooceanosubterrâneo”,umbodecomcauda depeixe,tambémchamadode“kusarikku”,obode-peixe.Há,também,uma referência a Pã, cuja mãe saiu correndo ao ver-lhe a feiura, mas cujo sucessocomasninfaserapatente. Aquário:EmboranãohajamitorelacionadocomAquário,podemser citadas algumas associações. O deus sumério Ea – rei dos oceanos – algumasvezeserachamado(alémde“antílopedooceanosubterrâneo”)de “deuscomjatosd’água”;odeusHapi,vertendoáguadedoisjarros,eraum antigo símbolo do rio Nilo. O nome babilônico de Aquário, Gula, foi, inicialmente,associadocomadeusadopartoedacura. Peixes:AtormentadospelogiganteTifão,Vênus(Afrodite)eCupido (Eros,paraosgregos),atiraram-senorioEufratesesetransformaramem peixes;Minerva(Atená,paraosgregos),emmemóriadofato,colocouos peixesnocéu.Entreosbabilônios,aconstelaçãoeraconhecidacomoKhun, ouasCaudas;tambémaconheciamcomoaCorreia,aqualestavamatadas asduasdeusas-peixe,SimmaheAnunitum.

OSQUATROELEMENTOS

OsquatroelementosconhecidosnaAntiguidadeeram:oar,ofogo,a águaeaterra. Emtodasasteoriascosmogônicasdomundoantigo,existeaideiade umelementoprimordial,doqualderivariamtodososdemaiselementos.O maisantigoconceitorelativoaessaideiaéaqueleassociadoaostrabalhos dosábiogregoThales,deMileto,queconsideravaaáguacomoelemento fundamental. Na Grécia mesmo, todavia, muitos filósofos defenderam ideiasdiferentes. Anaxímenesafirmavaqueoelementoprimordialeraoar,jáqueele podiasercondensado,formandonuvensechuvas,cujaságuas,evaporando, formavam,novamente,oar,deixandoumresíduosólidodeterra.Heráclito, combasenomitraismopersa,queviaamanifestaçãodopoderdivinono fogo,defendiaateoriadesseelemento,afirmandoquetudo,nomundo,está

emconstantetransformaçãoequeoelementoquepodeprovocarasmais intensastransformaçõeséofogo.Feresidesescolheu,comofundamental,o elementoterra,pois,afirmavaele,aosequeimarumcorposólido,obtém-se água e ar. Aristóteles, finalmente, defendendo uma concepção de Empédocles, afirmava que esses quatro elementos eram fundamentais e quetodososcorposeramformadosporcombinaçõesdeles. Todavia, assim como os antigos discípulos de Zoroastro, ou Zaratustra,naantigaPérsia,oshermetistas,osalquimistaseosrosacruzes consideravamofogocomoosímbolodadivindade,jáque,esotericamente, eleéoúnicoelementocósmico,daíasdenominaçõesdefogofluídico(oar), fogolíquido(aágua),fogosólido(aterra),efogosideral(oprópriofogo), dadas aos quatro elementos. A Cabala hebraica aplica a expressão fogo brancoaoInfinitoIncognoscíveldeDeus(oEinSoph)eaexpressãofogo negroàsabedoriaeàluzabsoluta(acornegraéoresultadodaabsorçãode todaaluz).Osantigosrosacruzespossuíamumacerimôniachamadafogo novo, que era celebrada no sábado de aleluia, em homenagem à ressurreiçãodeJesus.Tudooqueexisteéfilhodofogoeéatravésdeleque tudoserenova;daíamáximaherméticaIgneNaturaRenovaturIntegra(o fogorenovatodaaNatureza),cujasiniciais,I.N.R.I.,jáforamusadascom diferentessentidos,inclusivepelocristianismo.

As ideias de Aristóteles [9] , básicas para a alquimia e úteis na astrologia, eram ensinadas nas escolas de pensadores de Alexandria, no Egito.Nela,sedeuafusãoentreaspráticasegípciaseasteoriasgregas,

maistardedesenvolvidaspelosárabes.Estes,aoconquistar,em642a.C.,o

Egito,trouxeram,paraoOcidente,anovacontribuiçãoàculturadaépoca.

RELAÇÃOENTREPLANETAS,ELEMENTOSESIGNOS

Na Antiguidade, a cada planeta movente eram associados signos fixosdozodíaco:oSoleaLuaregiamumsignocadaum,enquantoqueos outrosplanetasregiamdoissignoscada. Os planetas podem estar em exaltação (ascensão), em queda (descenso), ou em detrimento, se ocorrer estarem colocados dentro dos signos que, tradicionalmente, lhes dão tais qualidades. Um planeta em exaltaçãoestábemsituado,geralmenteépositivoedeveatuarbempela pessoa;umplanetaemdetrimento,ouemqueda,está,tradicionalmente, mal situado e tende a perder uma parte do seu poder. Pode acontecer, todavia,quenenhumplaneta,numacarta,entreemqualquerumadessas

categorias. Um planeta também pode estar em recepção mútua com outro, quandocadaumdelesentranosignoregidoporoutro,casoemqueambos trarãobenefíciosàpessoa.Comoexemplo:quandoMercúrioestáemLibra, tradicionalmenteregidoporVênus,eleestáemrecepçãomútuacomVênus. Considerandoaregência,odetrimentoeaqueda,tem-se:

OSolregeLeão,éexaltadoemÁries,temseudetrimentoemAquário eaquedaemLibra. A Lua rege Câncer, é exaltada em Touro, tem o detrimento em CapricórnioeaquedaemEscorpião. Mercúrio rege Gêmeos e Virgem, é exaltado em Virgem, tem o detrimentoemSagitárioeaquedaemPeixes. VênusregeTouroeLibra,éexaltadoemPeixes,temseudetrimento emÁriesequedaemVirgem. MarteregeÁriese,portradição,Escorpião–regência,hoje,atribuída aPlutão–éexaltadoemCapricórnio,temodetrimentoemLibraeaqueda emCâncer. Júpiter rege Sagitário e, por tradição, Peixes – regência, hoje, atribuídaaNetuno–éexaltadoemCâncer,temodetrimentoemGêmeose aquedaemCapricórnio. SaturnoregeCapricórnioe,portradição,Aquário–regência,hoje, atribuídaaUrano–éexaltadoemLibra,temdetrimentoemCâncerea quedaemÁries. UranoregeAquário,éexaltadoemEscorpião,temdetrimentoem LeãoeaquedaemTouro. NetunoregePeixes,éexaltadoemLeão,temdetrimentoemVirgem equedaemAquário. Plutão rege Escorpião e tem detrimento em Touro (exaltação e quedaindeterminadas). Cadasignozodiacal,alémdoplanetaregente,éassociadoaumdos quatroelementosfundamentaisdateoriadeAristóteles:

Áries,masculino,regidoporMarte,ésignodofogo.

Touro,feminino,regidoporVênus,ésignodaterra.

Gêmeos,masculino,regidoporMercúrio,ésignodoar.

Câncer,feminino,regidopelaLua,ésignodaágua.

Leão,masculino,regidopeloSol,ésignodofogo.

Virgem,feminino,regidoporMercúrio,ésignodaterra.

Libra,masculino,regidoporVênus,ésignodoar.

Escorpião,feminino,regidoporPlutão(tradicionalmente,porMarte),ésigno

daágua.

Sagitário,masculino,regidoporJúpiter,ésignodofogo.

Capricórnio,feminino,regidoporSaturno,ésignodaterra.

Aquário,masculino,regidoporUrano(tradicionalmente,porSaturno),é

signodoar.

Peixes,feminino,regidoporNetuno(tradicionalmente,porJúpiter),ésigno

daágua.

daágua. OSSIGNOSEOSPLANETAS

OSSIGNOSEOSPLANETAS

Tradicionalmente,cadaplanetaregepelosmenosumsignozodiacal.Na

figura,osplanetasregentesestãosobrefundobrancoeossignosregidos

sobrefundonegro:Sol-Leão;Lua-Câncer;Mercúrio-GêmeoseVirgem;Vênus-

TouroeLibra;Marte-Áries;Júpiter-Sagitário;Saturno-Capricórnio;Urano-

Aquário;Netuno-Peixes;Plutão-Escorpião.

OSSIGNOSEASMUTAÇÕESDANATUREZA

Os signos zodiacais representam um ciclo vital, com as alterações cíclicas e regulares do fenômeno das estações, ou seja, das sucessivas morteseressurreiçõesdanatureza,atravésdocicloimutáveldosvegetais. Assim:

Áries,cujoelementoéofogo,simbolizaoprincípioativo,instintivoe inteligente da natureza, o fogo construtivo interior, que estimula todo o crescimentoeodesenvolvimento.Entorpecidonoinverno,eledesperta comaprimavera,fazgerminarassementeseprovocaoaparecimentodos rebentosvegetais. Touro, cujo elemento é a terra, simboliza a matéria receptiva, na qualseefetuaafecundação,ouseja,aforçacriativadeÁries,transformada nospoderesdefecundaçãoeprocriaçãodanatureza. Gêmeos, cujo elemento é o ar, simboliza os filhos da Terra, fecundadapelofogo,omomentoemqueaforçacriativadeÁrieseTourose divideemduascorrentes:umaascensional,espiritual;eoutradescendente, nosentidodamultiplicidadedasformas. Câncer, cujo elemento é a água, simboliza a seiva que vitaliza os vegetais,asforçasdecoesãodanatureza,quemantêmasformascriadas.A vegetação é luxuriante, plena de folhagens, mas os frutos permanecem verdes. Leão,cujoelementoéofogo,simbolizaofogoexterior,que,depois decompletadaatarefaconstrutivadofogointeriordeÁries,intervém,para ressecaraconstituiçãoaquosa,amadurecendoosfrutos. Virgem,cujoelementoéaterra,simbolizaaesposavirginaldofogo fecundador:acolheitaestámadura. Balança,ouLibra,cujoelementoéoar,simbolizaoequilíbrioentre as forças construtoras e as destrutivas, ou seja, entre o viço e o apodrecimento: os frutos estão totalmente maduros e em seu máximo sabor.

Escorpião, cujo elemento é a água, simboliza a massa aquosa que fermenta,amortecomomomentodecrisenecessáriaàtransformação;os elementosdaconstruçãovitaldesorganizam-se;osfrutosdeterioram-se;o Solprecipitaasuaquedaparaooutrohemisfério. Sagitário, cujo elemento é o fogo, simboliza o espírito que se desprende da matéria e paira nas alturas; a natureza toma um aspecto desolador. Capricórnio,cujoelementoéaterra,simbolizaanaturezamorta;a

substânciaterrestreestáinerte,passiva,masaindaéfecundável.

Aquário,cujoelementoéoar,simbolizaoselementosconstrutivos,

quesereconstituemnaterra;estaaindaestáadormecida,masseprepara

paraumnovoesforçogerador.

Peixes,cujoelementoéaágua,simbolizaanevequesederrete,o

geloquesequebra,impregnandoosolodeseivaprontaparaservitalizada,

àesperadofogoconstrutivointerior;aduraçãodosdiasaumentaealuz

retorna.

ASERASDAASTROLOGIA

GrandeAno,emAstrologia,éoperíodode25.858anosqueaTerra

levaparapercorrertodosossignosdozodíaco.Esseperíodoéconstituído pordozeGrandesMeses,cadaumdosquaiscomumaduraçãoaproximada de 2.000 anos. Um Grande Mês, assim, corresponde a uma Era, sendo governado por um signo zodiacal, que lhe dá as características. Desta

maneira,cadaperíodode2.000anoséregidoporumdosdozesignos,que

seseguem, em sentidodecrescente. Portanto, a partirda época atingida peloconhecimentohumanoatual,temos:

ERADELEÃO(de10000a.C.a8000a.C.)

EstaéaEramaisantigadaqualépossívelterconhecimento.Elafoi governada pelo signo de Leão, cujo astro regente é o Sol, e marcou um período dominado pela criatividade: o homem começou a cultivar as plantas,acriarosanimaiseapolirapedra,modificando,destamaneira,as suascondiçõesdevidaeadquirindoosmeiosparaumrápidoprogresso. Iniciava-se,aíoPeríodoNeolíticodaPré-História,oqualantecedeuodo iníciodacivilizaçãoestratificada.

ERADECÂNCER(de8000a6000a.C.)

ComotérminodaIdadedoGelo,porvoltade9000a.C.,ohomem

deixouascavernasecomeçouaconstruirassuashabitações,abandonando onomadismoetornando-sesedentário.SobogovernodeCâncer,signoda maternidade e do lar – regido pela Lua, a “mãe universal”, o princípio feminino,quefertilizatodasascoisas–ahumanidadefoiseafastandoda hordapromíscuaecomeçandoaseestruturar,socialmente,pormeioda família.

ERADEGÊMEOS(de6000a.C.a4000a.C.)

Esta era foi caracterizada pelo dinamismo e pela elaboração dos grandesprojetoshumanos.GovernadaporGêmeos–regidoporMercúrio, o representante do intelecto – foi uma era de grande efervescência intelectual e de muita curiosidade, a qual legaria, à humanidade, um de seus mais valiosos tesouros: a escrita. Foi com esta descoberta que o homemcomeçouafixarassuasideiasearegistrarasuaprópriamemória. Começava,aí,aHistória.

ERADETOURO(de4000a.C.a2000a.C.)

RepresentandoaforçacriativadeÁries,transformadanospoderes defecundaçãoeprocriaçãodanatureza,osigno,atravésdesuainfluência naTerra,comsuasolidezeriqueza,significouoflorescimentodegrandes civilizações, como a suméria – a mais antiga civilização humana – e a egípcia.Períododegrandesprogressosmateriais,aEradeTourolegou,à humanidade,cidadesimponentes,como,porexemplo,TebaseMênfis,no Egito,ondeeracultuadoÁpis,otourosagrado.

ERADEÁRIES(de2000a.C.a0)

SendoregidaporMarte,deusdaguerra,namitologiaromana,erra erafoicaracterizadaporgrandeatividadebélica,commuitasinvasõese muitaslutasentreospovos.UmexemploéoterritórioantigodaGrécia, quesofreu,duranteesseperíodo,diversasinvasões;asmaisprodutivas delas, foram as dos dórios e dos jônios, já que, dessa miscigenação de povos, surgiu a magnífica cultura grega, que tanta influência teve nos destinosdahumanidade.

ERADEPEIXES(de0a2000d.C.)

RegidoporPeixes,signodafé,dapiedade,dacompaixão,doespírito de sacrifício e do misticismo, este período viu surgir o seu fato mais marcante: o cristianismo, que, como religião, é o típico exemplo da mentalidadedePeixes.Osignoinfluencioutantoesteperíodo,queoseu símbolo – dois peixes, dispostos lado a lado, mas em sentido inverso, simbolizando o momento final da liberação do espírito das malhas materiais–acabousetornandoosinalsecretodosqueaderiamàfécristã. Esteéoperíododos“pescadoresdehomens”.

ERADEAQUÁRIO(de2000d.C.a4000d.C.)

AEradeAquário,aseiniciarnoano2000,terá,comomensagem

especial,ohumanitarismo.Nelaocorreráumareconciliaçãoentreaciência eohomem,entreasmaisfantásticasdescobertasdamentecientíficaeas verdades eternas, que têm sido motor e dínamo da humanidade. As característicasdoperíodo,regidoporAquário–signodaoriginalidade,da independência,dalealdade,daação–serãoaaudácia,avontadedemudar edecriar,alémdeumagrandepreocupaçãocomofuturodahumanidade. Nesseperíodo,oshomensterãoaoportunidadedetransformaromundo,

tornando-ofelizepróspero.Maspoderão,também,destruí-lo,mesmoque

aprudênciasejaumacaracterísticadeAquário.

AMAÇONARIA

HISTÓRIA

ORGANIZAÇÕESDEOFÍCIO,ASPRECURSORAS

Desde que o homem deixou as cavernas e as suas vivendas de nômade, sedentarizando-se e formando uma sociedade estratificada, surgiramosprofissionaisdedicadosàartedaconstrução,osquaisforamse aperfeiçoando,nãosónaereçãodecasasderesidência,mas,também,nade templos, de obras públicas e obras de arte. Embora tivessem, esses profissionais, desde os seus primeiros tempos, mantido, entre si, certa camaradagemeumsentimentodeagregação,nãohavia,narealidade,uma organizaçãoqueosreunisse,queregulasseasuaatividadeequelhesdesse ummaiorsentidoderesponsabilidadeprofissional. FoinoImpérioRomanodoOcidente,daRomaconquistadora,que, emfunçãodaprópriaatividadebélica,surgiu,noséculoVIa.C.,aprimeira associação organizada de construtores, os Collegia Fabrorum. Como a conquistadasvastasregiõesdaEuropa,daÁsiaedonortedaÁfrica,levava à destruição, os collegiati acompanhavam as legiões romanas, para reconstruir o que fosse sendo destruído pela guerra. Dotada de forte caráterreligioso,essaorganizaçãodava,aotrabalho,ocunhosagradode umcultoàsdivindades.Deiníciopoliteísta,tornou-se,comaexpansãodo cristianismo,monoteista,entrando,porém,emdecadência,apósaquedado

ImpérioRomanodoOcidente,ocorridaem476d.C.,emborapersistissem

pequenosgruposdaassociaçãonoImpérioRomanodoOriente,cujocentro eraConstantinopla. Na Idade Média é que iria florescer, através do grande poder da época, a Igreja, a hoje chamada Maçonaria Operativa, ou Maçonaria de Ofício,paraapreservaçãodaArteRealentreosmestresconstrutoresda Europa.Assim,apartirdoséculoVI,asAssociaçõesMonásticas,formadas, principalmente,porclérigos,dominavamosegredodaartedeconstruir, queficourestritaaosconventos,jáque,naquelaépocadebarbárie,quando aEuropaestavaemruínas,graçasàssucessivasinvasõesdosbárbaros,e quandoasguerras,osrouboseossaqueseramfrequenteseatéencarados comofatosnormais,osartistasearquitetosencontraramrefúgioseguro nos conventos. Posteriormente, pela necessidade de expansão, os frades construtorescomeçaramapreparareaadestrarleigos,proporcionando,a partir do século X, a organização das Confrarias Leigas, que, embora formadas por leigos, recebiam forte influência do clero, do qual haviam

aprendidoaartedeconstruireocunhoreligiosodadoaotrabalho. É dessa época aquela que é considerada a primeira reunião organizadadeoperáriosconstrutores:aConvençãodeYork,ocorridaem 926 e convocada por Edwin, filho do rei Athelstan, para reparar os prejuizos que as associações haviam tido com as sucessivas guerras e invasões.Nessareunião,foiapresentada,paraapreciaçãoeaprovação,um estatuto,que,daliemdiantedeveriaservircomoleisupremadaconfrariae queé,geralmente,chamadodeCartadeYork. Quase na mesma época, surgiriam associações simplesmente religiosas, que, a partir do século XII, formaram corpos profissionais: as Guildas. A elas se deve o primeiro documento em que é mencionada a palavra“Loja”,paradesignarumacorporaçãoeoseulocaldetrabalho.As Guildasesuacontemporânea,aorganizaçãodosOfíciosFrancos,foramas principais precursoras da moderna Maçonaria. O seu nome “Gild”, de origemteutônica,derivadotítulodado,naantigaregiãodaEscandinávia,a um ágape religioso, durante o qual, numa cerimônia especial, eram despejados três copos de chifre (chavelhos), conforme o uso da época, cheios de cerveja, sendo um em homenagem aos deuses, outro, pelos antigosheróis,eoúltimoemhomenagemaosparenteseemmemóriados amigos mortos; ao final da cerimônia, todos os participantes juravam defender uns aos outros, como irmãos, socorrendo-se mutuamente nos momentos difíceis. As Guildas caracterizavam-se por três finalidades principais:auxíliomútuo,reuniõesembanqueteseatuaçãoporreformas políticasesociais.IntroduzidasnaInglaterra,porreissaxões,elasforam modificadasporinfluênciadocristianismo,mas,mesmoassim,nãoeram bemaceitaspelaIgreja,quenãoviacombonsolhosapráticadobanquete, porsuasorigenspagãs,eapretensãodereformaspolíticasesociais,que pudessem,eventualmente,contribuirparadiminuirosseusprivilégioseos privilégios das corporações sob a sua proteção. Assim, para evitar a hostilidade da Igreja, cada guilda era organizada sob a égide de um monarca,ousobonomedeumsantoprotetor. No século XII, associada às guildas, surgia uma organização de

operáriosalemães,osSteinmetzen,ouseja,canteiros [10] ,talhadores,ou esquadrejadoresdepedra,osquais,sobadireçãodeErwindeSteinbach, alcançariam notoriedade, quando Erwin conseguiu a aprovação de seus planos para a construção da catedral de Estrasburgo e deu um aperfeiçoadosentidodeorganizaçãoaosseusobreiros.

SURGEMOSOFÍCIOSFRANCOS,OUAFRANCO-MAÇONARIA

NoséculoXII,também,iriafloresceraassociaçãoconsideradaamais importante desse período operativo: os Ofícios Francos (ou Franco- Maçonaria), formados por artesãos privilegiados, com liberdade de locomoção e isentos das obrigações e impostos reais, feudais e eclesiásticos. Tratava-se, portanto, de uma organização de construtores categorizados,diferentesdosoperáriosservos,queficavampresosauma mesmaregião,aummesmofeudo,àdisposiçãodeseusamos.NaIdade Média,apalavrafrancodesignavanãosóoqueeralivre,emoposiçãoao que era servil, mas, também, todos os indivíduos e todos os bens que escapavam às servidões e aos direitos senhoriais; esses artesãos privilegiados eram, então, os pedreiros-livres, franc-maçons, para os franceses,oufree-masons,paraosingleses.Taisobreiros,evidentemente, tinham esses privilégios concedidos pela Igreja, que era o maior poder políticodaépoca,comgrandeascendênciasobreosgovernantes.

Apalavrafrancesa“maçon”,correspondenteapedreiro,converteu-

seem“maison”(casa)e,também,emborasórelativamente,em“masse” (maça, clava). Essa maça, ou clava, habilitava o porteiro a afastar os indesejáveis intrusos e curiosos. O pesquisador alemão Lessing, um dos clássicos da literatura alemã, atribui a palavra inglesa “masonry” (Maçonaria)aumatransmissãoincorreta.Originalmente,aideiateriasido dada pelo velho termo inglês “mase” (missa, reunião à mesa). Uma tal sociedadedemesa,oureuniãodecomensais,deacordocomaalegoriada Távola Redonda, do rei Arthur, poderia, segundo Lessing, ainda ser encontradaemLondres,noséculoXVII.Elasereunianasproximidadesda famosacatedraldeSãoPauloe,quandosirChristopherWren,oconstrutor dacatedral,tornou-semembrodessecírculo,julgou-sequesetratavade uma cabana dos construtores, que estabelecia uma ligação de mestres construtoreseobreiros;daí,então,ouseja,dessasuposiçãoerrada,éque teria se originado o termo “masonry”, para designar a sociedade dos construtores. Uma explicação para o termo inglês “freemason” (pedreiro livre) estáligadaaotermo“freestone”,queéapedradecantaria,ouseja,apedra própria para ser esquadrejada, para que nela sejam feitos cantos, que a transformem numa pedra cúbica, a ser usada nas construções. As expressões “freestone mason” e “freestone masonry”, daí surgidas, acabaram sendo simplificadas para “freemason” (o obreiro) e

“freemasonry”(aatividade).Estaéumahipótesemaisplausíveldoqueade Lessing,quesóconsiderouocasoparticulardaInglaterra,quandosesabe quenãofoisóaíqueexistiuumaíntimaligaçãocomotrabalhodosartífices daconstrução. Nessafaseprimitiva,porém,antesde,propriamente,seteriniciadoa formaçãodeLojas,quasequenãosepodefalaremMaçonarianosentido que ela adquiriu na fase moderna, pois, sobretudo, naquele tempo não podiaserconsideradacomoumasociedadesecreta.Osegredonãoera,a princípio,maisdoqueoprocessopeloqualumdosmembrosdairmandade reconhecia o outro. Diga-se a bem da verdade, que, na época atual, a Maçonariajánãopodemaisserconsideradasecreta,masapenasdiscreta. Ossegredosmaisguardadosequepersistemsão,obviamente,apenasos meios de reconhecimento, reservados só aos iniciados, já que, de posse deles, um não iniciado poderia ter acesso aos templos maçônicos e às sessõesdasLojas.

ÉCRIADOOIMPORTANTEESTILOGÓTICO

Na metade do século XII, surgia o estilo arquitetônico gótico, ou germânico, primeiro no norte da França, espalhando-se, depois, pela Inglaterra,AlemanhaeoutrasregiõesdonortedaEuropaetendooseu

apogeunaAlemanha,durante300anos.Tãoimportantefoioestilogótico

para as confrarias de construtores, que as suas regras básicas eram ensinadas nas oficinas dos canteiros, ou talhadores de pedra; tão importantequeasuadecadência,noséculoXVI,decretouodeclíniodas corporações. No século XIII, em 1220, era fundada, na Inglaterra, durante o reinadodeHenriqueIII,umacorporaçãodospedreirosdeLondres,que tomouotítulodeTheHoleCraftandFellowshipofMasons(SantaArtee AssociaçãodosPedreiros)eque,segundoalgunsautores,seriaogermeda moderna Maçonaria. Pouco depois, em 1275, ocorria a Convenção de Estrasburgo, convocada pelo mestre dos canteiros e da catedral de Estrasburgo, Erwin de Steinbach, para terminar as obras do templo. A

construçãodacatedral,iniciadaem1015,estavapraticamenteterminada,

quandofoiresolvidoampliaroprojetooriginale,paraisso,foichamado Erwin A essa convenção acorreram os mais famosos arquitetos da Inglaterra, da Alemanha e da Itália, que criaram uma Loja, para as assembleiasediscussãosobreoandamentodostrabalhos,elegendoErwin comoMestredeCátedra(Meistervonsthul).

Esclareça-se que, na época, os obreiros criavam uma Loja, fundamentalmente,paratratardedeterminadaconstrução,comoéocaso dessacatedral.TaisLojasserviamparatratardosassuntosligadosapenas àconstruçãoprevista,jáque,paraoutrasreuniões,inclusivecomobreiros de outras corporações, eram utilizados os recintos de tabernas e hospedarias,principalmenteemsoloinglês.ApalavraLoja,porsinal,foi

mencionadapelaprimeiravezem1292,emdocumentodeumaguilda [11] . Próximodessetempo,ouseja,noséculoXIV,começava,também,a atuação do Compagnonnage (Companheirismo), criado pelos cavaleiros

templários [12] . Os membros dessa organização construíram, no Oriente Médio, formidáveis cidadelas, adquirindo certo número de métodos de trabalho herdados da Antiguidade e constituindo, durante as Cruzadas, verdadeiras oficinas itinerantes, para a construção de obras de defesa militar, pontes e santuários. Retornando à Europa, eles tiveram a oportunidadedeexerceroseuofício,construindocatedrais,igrejas,obras públicasemonumentoscivis.

NOSÉCULOXVI,ADECADÊNCIADASCORPORAÇÕESDEOFÍCIO

Já na primeira metade do século XVI, as corporações, diante das perseguiçõesquesofriam–principalmenteporpartedoclero–edianteda evolução social europeia, começavam a entrar em declínio. Em 1535, realizava-se,emColônia,umaconvenção,queforaconvocadapararefutar ascalúniasdirigidaspeloclerocontraosfranco-maçons.Emboraelanão tenhatidoobrilhoeafrequênciadeoutrasconvenções,consta,emboratal afirmativasejacontestada,porcarecerdecomprovação,que,naocasião, teriasidoredigidoummanifesto,ondeeraestabelecidooprincípiodealtos graus,queseriamintroduzidosporrazõespolíticas. Em 1539, o rei da França, Francisco I, revogava os privilégios concedidosaosfranco-maçons,abolindoasguildasedemaisfraternidades

eregulamentandoascorporaçõesdeartesãos.Emcontrapartida,em1548,

era concedido, aos operários construtores, de maneira geral, o livre exercíciodesuaprofissão,emtodaaInglaterra;umanodepois,todavia, porexigênciadeLondres,eracassadaaautorizaçãoconcedida,oquefazia comqueosfranco-maçonsficassemnacondiçãodeoperáriosordinários, como tais sendo tratados legalmente. Em 1558, ao assumir o trono da

Inglaterra,arainhaIsabelrenovavaumaordenaçãode1425,queproibia

qualquerassembleiailegal,sobpenadelaserconsideradaumarebelião.

Trêsanosdepois,emdezembrode1561,tendo,osfranco-maçonsingleses,

anunciadoarealizaçãodeumaconvençãoemYork,duranteafestividade de São João Evangelista, Isabel ordenou a dissolução da assembleia, decretando a prisão de todos os presentes a ela; a ordem só não foi confirmada,porquelordThomasSackville,adeptodaartedaconstrução, estandopresente,demoveuarainhadeseuintento,fazendocomque,em

1562,elarevogasseaordenaçãode1425.

Em1563,aConvençãodeBasileia,feitaporiniciativadaconfrariade

Estrasburgo,organizavaumcódigoparaosfranco-maçonsalemães,oqual serviria de regra à corporação dos canteiros, até que surgissem os primeirossindicatosdeoperários,noséculoXIX.Maserapatenteodeclínio das confrarias, no século XVI. A Renascença relegara o estilo gótico e a estrutura ogival das abóbadas – próprias da arte dos franco-maçons medievais – ao abandono, revivendo as características da arte greco- romana. Assim, embora ela tivesse atingido a todos os campos do conhecimento e a todas as corporações profissionais, foi a dos franco- maçons a mais afetada. No final do século, Ínigo Jones introduzia, na Inglaterra,oestilorenascentista,sepultandooestilogóticoeapressandoa decadênciadascorporaçõesdefranco-maçonsingleses.Estas,perdendoo seu objetivo inicial e transformando-se em sociedade de auxílio mútuo, resolveram, então, permitir a entrada de homens não ligados à arte de construir,nãoprofissionais,queeram,então,chamadosdemaçonsaceitos.

ESEINICIAVAATRANSFORMAÇÃONAMAÇONARIAATUAL:OS

“ACEITOS”

Ascorporações,evidentemente,começaramporadmitirpessoasem pequenonúmero e selecionadas entre os homens conhecidos pelos seus dotes culturais, pelo seu talento e pela sua condição aristocrática, que poderiam dar projeção a elas, submetendo-se, todavia, aos seus regulamentos.Eraatentativadesustarodeclínio. OprimeirocasoconhecidodeaceitaçãoéodeJohnBoswell,lordde Aushinleck – ou, segundo J. G. Findel, sir Thomas Rosswell, esquire de Aushinleck – que, a 8 de junho de 1600 foi recebido maçom – não profissional – na Saint Mary’s Chapell Lodge (Loja da Capela de Santa

Maria),emEdimburgo,naEscócia.EstaLojaforacriadaem1228,paraa

construçãodaCapeladeSantaMaria,destinando-se,comojáfoivisto,às

assembleiasdosobreirosediscussõessobreoandamentodasobras.

Depois disso, o processo de aceitação, iniciado na Escócia, iria se espalhareseacelerar,fazendocomque,aofinaldoséculo,onúmerode aceitos já ultrapassasse, largamente, o de franco-maçons operativos. Os mais famosos nomes de “aceitos”, na primeira metade do século XVII,

foram:WilliamWilson,aceitoem1622;RobertMurray,tenente-generaldo

exércitoescocês,recebido,em1641,naLojadaCapeladeSantaMariae

tornando-se,posteriormente,MestreGeraldetodasasLojasdoExército;o

coronelHenryMainwairing,recebido,em1646,numaLojadeWarrington,

no Lancashire; e o antiquário e alquimista Elias Ashmole , recebido na

mesmaLojaenomesmodia(16deoutubro)queocoronelHenry.

Em 1666, os franco-maçons iriam recuperar parte do antigo prestígio, diante do grande incêndio, que, a 2 de setembro daquele ano, aconteceuemLondres,destruindocercadequarentamilcasaseoitentae seisigrejas.Nessaocasião,osmaçonsacorreramparaparticipardoesforço dereconstrução,sobadireçãodorenomadomestrearquitetoCristopher

Wren,que,em1688,viuaprovadooseuplanoparareconstruçãodacidade,

sendonomeadoarquitetodoreiedacidadedeLondres.Aobraprincipal de Wren foi a reconstrução da igreja de S. Paulo, em cujo adro se desenvolveria e se estabeleceria, em 1691, uma Loja de fundamental importânciaparaaHistóriadaMaçonariamoderna:aLojaSãoPaulo(em alusãoàigreja),ouLojadataberna“OGansoeaGrelha”,emalusãoaolocal em que, como faziam outras Lojas, realizava suas reuniões de caráter informal e administrativo, como se verá adiante. A reconstrução de

Londressóiriaterminarem1710.

ENASCIAAPRIMEIRAGRANDELOJA

Como, na época, não existiam recintos específicos para Loja

maçônica–oprimeirosóseriainauguradoem1776–osmaçonsreuniam-

se em tabernas, ou nos adros das igrejas. As tabernas, cervejarias e hospedariasdessetempo,principalmentenaInglaterra,tinhamumafunção social muito grande, como local de reunião e de troca de ideias de intelectuais,artífices,obreirosdomesmoofício,etc ALojadaCervejaria “The Goose and Gridiron” (O Ganso e a Grelha), ou Loja São Paulo, inicialmente formada só pelos maçons de ofício que participaram da

reconstruçãodeLondres,resolvia,em1703,diantedonúmerocadavez

maiordemaçonsaceitos,emtodasasLojas,admitir,apartirdali,homens de todas as classes, sem qualquer restrição, promovendo, então, uma reforma estrutural, que iria dar o arcabouço da moderna Maçonaria. A

admissão,em1709,doreverendoJeanThéophileDésaguliers [13] , nessa Loja,emcerimôniarealizadanoadrodaigrejadeSãoPaulo,iriaapressaro processodetransformação,jáqueDésagulliersiriasetornarseulídere paladino.

A7defevereirode1717,DésagulliersconseguiareunirquatroLojas

metropolitanas, para traçar planos referentes à alteração da estrutura maçônica.Nessaocasião,foiconvocadaumareuniãogeraldessasquatro Lojas existentes em Londres, para o dia 24 de junho daquele ano. Essa reuniãofoirealizadanataberna“TheAppleTree”(AMacieira),easLojas presentesforam,alémda“OGansoeaGrelha”:adaCervejaria“TheCrown” (ACoroa),adaTaberna“RummerandGrappes”(OCopázioeasUvas)ea daTaberna“TheAppleTree”(AMacieira).

E,nodia24dejunhode1717,comoforamarcado,asquatroLojas

reuniam-seecriavamThePremierGrandLodge(aPrimeiraGrandeLoja), emLondres,implantandoosistemaobediencial,comLojassubordinadasa umpodercentral,sobadireçãodeumGrão-Mestre,jáque,antesdisso,as Lojaseramlivresdequalquersubordinaçãoexterna,concretizandoaideia do “maçom livre na Loja livre”. Isso era, portanto, um fato novo e uma grande alteração – uma verdadeira revolução – na estrutura maçônica tradicional, o que faz com que esse acontecimento seja tomado como o divisordeáguas,omarcohistóricoentreaantigaeamodernaMaçonaria, ouseja,entreaoperativaeadosaceitos,ouespeculativa. Aúnicareferênciaaessefato–importantíssimoparaaHistóriada moderna Maçonaria – está em um relatório do pastor James Anderson,

publicadonaediçãode1738daConstituiçãoqueeleelaborara:

A20desetembrode1714,oreiGeorgeIfez,emLondres,magníficaentrada.

Apósofimdarebelião,em1716,aspoucasLojasdeLondres,julgando-se

negligenciadasporsirCristopherWren [14] ,julgaramoportunofundirem-se sobaautoridadedeumGrão-Mestre,comocentrodeuniãoeharmonia.Eas Lojasqueassimseencontrarameram:

1.AdaCervejaria“TheGooseandGridiron”(OGansoeaGrelha),nopátioda

igrejadeSãoPaulo;

2.AdaCervejaria“TheCrown”(ACoroa),emParker’sLane,próximode

DruryLane;

Garden;

4.AdaTaberna“TheRummerandGrapes”(OCopázioeasUvas),emChanell

Row,noWestminster.

EssasLojas,assimcomoantigosirmãosreuniram-sena“AMacieira”,tendo,

emseguida,designado,comoVenerável,omaisantigomestre,constituíram-

seemumaGrandeLoja“protempore”,nadevidaformae,desdelogo,a

reuniãotrimestraldasoficinasdasLojasestavareconstituída.Depois,

decidiramrealizarumaassembleiaanualcomfestaeescolher,naquela

ocasião,entreeles,umGrão-Mestre,atéqueconseguissemahonradeser

dirigidosporumirmãonobre.

( )NodiadeSãoJoãoBatista,duranteoterceiroanodoreinadodeGeorgeI

(AnoDei1717),aAssembleiaeaFestadosMaçonsLivreseAceitos

realizaram-senaCervejaria“OGansoeaGrelha”.Antesdojantar,omais

antigomestre,quepresidia,propôsumalistadecandidatosconvenientes.Os

irmãospresentes,levantandoasmãos,designaramMr.AnthonySayer [15] , gentil-homem,Grão-MestredosFranco-Maçons–JacobLamball,carpinteiro, eJosephElliot,capitão,GrandesVigilantes–oqual,imediatamente,foi investido,pelocitadomaisantigomestre,comasinsígniasdoofícioedo poder,einstalado( )“.

UMACONSTITUIÇÃOPARAAPRIMEIRAGRANDELOJA

Fundada a Premier Grand Lodge – referida, por alguns

historiógrafos,comoGrandeLojadeLondres–foisolicitada,em1721,ao

pastor James Anderson [16] , uma compilação dos antigos preceitos, costumes e regulamentos gerais da Franco-Maçonaria, para a qual ele contoucomopreciosoauxíliodeDésagulierseGeorgePayne.Concluida

essacompilação,elafoisubmetidaaoexamedeumgrupode14estudiosos,

sendo,porestes,aprovada,comalgumasligeirasmodificações,epublicada em 1723, sob o título “As Constituições dos Franco-Maçons, contendo a História,Obrigações,Regulamentos,etc.,daMuitoAntiga,RetaeVenerável Fraternidade,paraousodasLojas”.

OLivrodasConstituiçõescontinhaasseguintespartes:1.Sínteseda

História da Maçonaria desde a criação do mundo [17] ; 2. Os Antigos Deveres, ou Leis Fundamentais; 3. As 39 Obrigações, ou Regulamentos

Gerais;4.CânticoseHinosMaçônicos.

Asduasprincipaispartesdessetexto,osRegulamentosGeraiseos AntigosDeveres,tornaram-seoinstrumentojurídicobásicodamoderna Maçonaria, ou seu suporte doutrinário, a guiar os maçons regulares do mundo,emboraalgumaspartestenhamsidomodificadas,posteriormente.

O segundo Grão-Mestre da Grande Loja, George Payne [18] , é que conseguira grande número de documentos sobre antigos estatutos e história da Franco-Maçonaria, para que fossem promulgados novos estatutos,sobaégidedaGrandeLoja.Efoielequeconvocou,paraoauxílio ao trabalho, Désaguliers e Anderson. Sucedido pelo próprio Désaguliers, Payne retornaria ao Grão-Mestrado em 1720, quando ocorreu a incineraçãodemuitosdosdocumentosqueelehaviacoletado,numatode vandalismo, cujos motivos permaneceram obscuros, embora alguns membros do clero católico, afoitamente, tenham afirmado que os documentos haviam sido queimados para ocultar a origem católica da Maçonaria. ComoduquedeMontague,quesucedeuaPayne,éque,afinal,em

setembrode1721,apósreuniãoderepresentantesde16Lojas,foidada,a

Anderson, a tarefa de examinar, compilar e redigir um novo e melhor roteiro da História e dos Regulamentos da antiga confraria dos Franco-

Maçons.Otexto,apresentadoa27dedezembrode1721,–foisubmetidoa

uma comissão de 14 membros, que o revisou, emendou e alterou,

apresentando,a25demarçode1722,umrelatóriofinal.Enviadoparaa

impressão,otextofoiaprovado,finalmente,a17dejaneirode1723,pelo

duquedeWarthon,onovoGrão-Mestre. Apesardapartefantasista,asConstituiçõesestabelecerampadrões paraacondutadosmaçonsemLojaorganizada,emreuniõesforadaLoja sem a presença de não maçons, na presença de não maçons, em suas residênciasenasvizinhanças,efrenteaIrmãosestrangeiros.Estabeleceu, também,oregulamentodacorporaçãoduranteostrabalhoseorganizouas atividadesdaLoja.Mas,acimadetudo,situouomaçomperanteDeusea religião,produzindoumtextocristalino,ondenãosevislumbraqualquer sectarismoreligioso,apesardaépoca.Narealidade,aprimeiraregradas Antigas Leis Fundamentais, sob o título “O que se refere a Deus e à religião”,mostra,claramente,essadisposição:

Omaçomestáobrigado,porseutítulo,apraticaramoral;esebementender

daarte,nuncaseconverteráemumestúpidoateunememumirreligioso

libertino.Apesarde,nostemposantigos,osmaçonsestaremobrigadosa

praticarareligiãoqueseobservavanospaísesemquehabitavam,hojecrê-se

maisconvenientenãoimpor-lhesoutrareligiãosenãoaquelaquetodosos

homensaceitam,edar-lhescompletaliberdadecomreferênciaàssuas

opiniõesparticulares.Essareligiãoconsisteemseremhomensbonseleais,

honradosejustos,sejaqualforadiferençadenomeoudeconvicções.Deste

modo,aMaçonariaseconverteráemumcentrodeuniãoenomeiode

estabelecerrelaçõesamistosasentrepessoasque,foradela,nãose

conheceriam.

UMANOVIDADENÃOMUITOBEMACEITA

Implantada a Primeira Grande Loja, que inaugurou o sistema obediencial,elanãocontavacomoapoiodetodososmaçonsinglesese,até pelocontráriosofriacríticaseataquesdapartedamaioriadeles,jáque tudooquerompeestruturasenraizadasécombatido. Os que eram contrários a ela, continuaram a pautar as suas atividades pelos antigos costumes das corporações, permanecendo nas Lojaslivres.Alémdisso,essaGrandeLoja-Mãeenfrentava,emseuinício, sérias dificuldades, devidas não só aos elementos iniciados de forma clandestina,masqueseapresentavamcomomaçonsregulares–depois, apanhados e excluídos – mas, também, à transposição dos meios de reconhecimento do primeiro e do segundo graus, a qual, embora útil e eficiente,foiumtantodrásticaeconfundiumuitosobreiros. Os que se mantiveram afastados da Grande Loja, alegando que seguiam os antigos costumes, adotaram o título de Maçons Antigos e Aceitos (Ancient and Accepted Masons), dando, aos da Grande Loja, a denominaçãodeModernos. Graçasadrásticasinovaçõeseaosfatoresjácitados,ascondições administrativasdaGrandeLoja,nametadedoséculoXVIIIeramprecárias– embora tivesse crescido o número de Lojas ligadas a ela – gerando um certo descontentamento, que faria com que um quarto de suas Lojas suspendessesuasreuniões.AsoutrasLojasdeLondresedasprovíncias, quehaviammantidovidaindependente,hesitavamemjuntar-seàGrande Loja e mantinham as suas práticas cerimoniais antigas, ignorando as mudançasintroduzidasporela. Isso provocou um movimento oposicionista, que contestava a autoridadedaPrimeiraGrandeLoja.DaíparaacriaçãodeumaGrandeLoja rival,quemantivesseosantigosprincípiosecostumesdafraternidade,foi

umpasso:a17dejulhode1751,umaassembleiademaçons,emTurk’s

Head,GreekStreet,noSoho,declaravaasuaintençãodereviveraAntiga

ArteReal,segundoosverdadeirosprincípiosmaçônicos.

EssaGrandeLojaautodenominou-se“dosAntigos”,aomesmotempo

emquerotulavaaPrimeiraGrandeLojacomoa“dosModernos”.Elaera

compostademaçonsirlandeses,temporariamenteresidentesemLondres,

osquais,obviamente,estabeleceram-nasegundooscostumesdaFranco-

Maçonaria,queeleshaviamaprendidoemsuaterranatal.Começandocom

apenas80obreiros,divididosemcincoLojas,aGrandeLoja“dosAntigos”

mostrava,apenasquatroanosapósasuacriação,aadesãode46Lojas,das

quais 37 eram de Londres, começando a firmar-se em bases sólidas e rivalizandocomaGrandeLoja“dosModernos”,apesardestajáostentar,na

época,umtotalde269Lojasfiliadasaela.

A situação de inferioridade da Grande Loja dos Antigos havia

começadoamudara5defevereirode1752,comaascensão,aocargode

GrandeSecretário,doirlandêsLaurenceDermott [19] ,que,atéàsuamorte,

em1791,foiograndenomedahistóriadosAntigos,comasualiderançaeo

seu livro Ahiman Rezon [20] , uma verdadeira Constituição, que regia as atividades dessa Grande Loja, assim como a de Anderson orientava os Modernos. Rígido disciplinador e capacitado administrador, Dermott era um defensorintransigentedosprincípiosecostumesdasantigascorporações daArteRealetrabalhounosentidodeconvencerosmaçonsdesiludidos com os Modernos a aderirem aos Antigos, incrementando, ao mesmo tempo, o descontentamento, ao divulgar que os Modernos haviam pervertido a pura Maçonaria. E os criticava em alguns pontos julgados fundamentais, como: a abreviação das cerimônias maçônicas; a omissão dasorações;aomissãodaspreleçõesedossermões;aomissãodaleitura das Antigas Obrigações aos iniciados; a descristianização dos rituais; a omissãodascomemoraçõesdosdiassantos,especialmenteodeSãoJoão

Batista(24dejunho)eodeSãoJoãoEvangelista(27dedezembro) [21] . Atravésdefirmepropaganda,clamandopelorespeitoàantiguidade eatéusandoortografiaantiga,logoos“Antigos”conseguiriamridicularizar aGrandeLojados“Modernos”,rotulando-acomo“umninhodeinovadores einventoresmaçônicos”.Issolhesrendeuumgrandeimpulso,queseria incrementado a partir de 1771, com a ascenção, ao Grão-Mestrado,

primeiramentedo3°.e,posteriormente,do4°duquedeAtholl,osquais

dirigiramaGrandeLojadosAntigosdurantetantotempo,queelaacabou ficandoconhecidacomo“TheAthollGrandLodge”. Alémdisso,parareforçarasuafamade“antiga”,osseusobreiros diziam-se“maçonsdeYork”,emalusãoàcidadedeYork,nocondadode Yorkshire,napartesuldeDurham,aqualconstacomoomaisantigocentro operativo comprovadamente organizado, tendo realizado a famosa Convenção de 926. Mas toda a propaganda, evidentemente, era desenvolvida em torno do Ahiman Rezon, que, também abordava as AntigasObrigaçõeseincluíaotextodaConstituiçãodeAnderson,ediçãode 1738, mas ressaltando o espírito teísta, em contraste com uma certa liberalidadecontidanesta,aotratardematériareligiosa. Organizada, a Grande Loja dos “Antigos”, em bases sólidas e eficientes, graças, principalmente, a Dermott, ao chegar o momento propício para a união com os “Modernos”, tornou-se possível, a ela, negociaremposiçãodeigualdade.

SURGEAPRIMEIRALOJAMAÇÔNICA

Em 1775, a Primeira Grande Loja, a dos “Modernos”, lançava as bases daquele que seria o primeiro recinto próprio para uma Loja, da História, pois, como já foi visto, os maçons, antes disso, reuniam-se nas

tabernas,ounosadrosdasigrejas [22] .

Assim, a 1 o de maio de 1775, era lançada, em Londres, a pedra fundamental do “Freemasons’ Hall”, a qual continha uma placa, com os seguintesdizeres:

ANNOREGNIGEORGIITERTIIQUINDECIMO,SALUTISHUMANAE,

MDCCLXXV,MENSISMAIIDIEPRIMO,HUNCPRIMUMLAPIDEM,AULAE

LATOMORUM(ANGLICEFREEANDACCEPTEDMASONS)POSUERIT

HONORATISSIMUSROB.EDV.DOM.PETRE,BAROPETRE,DEWRITTLE,

SUMMUSLATOMORUMANGLIAEMAGISTER;ASSIDENTIBUSVIRO

ORNATISSIMOROWLANDHOLT,ARMIGERO,SUMMIMAGISTRIDEPUTATO;

VIRISORNATISSIMISJOH.HATCHETHEN.DAGGE,SUMMIS

GUBERNATORIBUS;PLENOQUECORAMFRATRUMCONSCURSU;QUOETIAM

TEMPOREREGUM,PRINCIPIUMQUEVIRORUMFAVORE,STUDIOQUE

SUSTENTATUM–MAXIMUSPEREUROPAMHONORESOCCUPAVERAT

NOMEMLATOMORUM,CUIINSUPERNOMINISUMMUMANGLIAE

CONVENTUMPRAEESSEFECERATUNIVERSAFRATRUMPERORBEM

MULTITUDOECOELODESCENDIT.

Apósacerimôniadelançamentodapedrafundamental,acompanhia demaçonsseguiu,emcarruagens,atéao“Leatherfellers’Hall”,ondehouve festivareunião. Aconstruçãodoedifíciofoibastanterápida,sendo,ele,concluídoem pouco mais de um ano. A 23 de maio de 1776, ele era inaugurado e dedicadoàMaçonaria,àVirtude,àCaridadeUniversaleàBenevolência,na presençadeumabrilhanteassembleiademaçons.Umaode,escritaporum membro da “Alfred Lodge”, de Oxford, e musicada por um maçom conhecido como dr. Fisher, foi executada, na ocasião, perante muitas senhoras,que,nessedia,honraramaSociedadecomasuapresença.Uma instrutiva explicação sobre a Maçonaria foi transmitida pelo Grande Secretário,seguindo-seumamagníficaoração,desenvolvidapeloGrande Capelão. Em comemoração a esse acontecimento, tão importante e feliz para a Ordem maçônica, ficou resolvido que o aniversário da cerimônia deveriasersemprehomenageado. No prédio, localizado à Great Queen Street, passaram a ser realizadas as assembleias anuais e as comunicações trimestrais da fraternidade. E ele foi, também, liberalmente franqueado para o aperfeiçoamentodeLojasedeobreiros. Os Irmãos da “St. John’s Lodge”, de Newcastle, animados pelo exemplodadopelametrópole,abriramumasubscriçãoentreeles,como

propósitodeconstruir,nacidade,umaLojaparaosseustrabalhos.E,a23

desetembrode1776,eralançada,porFrancisPeacock,MasterdaLoja,a

pedra fundamental do Templo. Daí em diante, o exemplo frutificou e as Lojas passaram a fazer reuniões sempre nos templos. É importante esclarecer,todavia–paraafastarqualquerconotaçãoreligiosa–que,em Maçonaria, o vocábulo templo tem o significado de lugar respeitável, venerável,nãosedestinandoanenhumcultoreligioso,poisaMaçonaria, em respeito à liberdade de consciência dos seus membros, não faz distinçõesreligiosas,aceitando,comoválidas,todasasreligiõesembasadas namoralenaética. Para a construção da primeira Loja, que seria o arquétipo dos demais,osmaçonsinglesesbasearam-senosmodelosquemaisconheciam, básicosdaculturainglesa:asigrejaseoParlamentobritânico,queexiste desdeofinaldoséculoXIII.Aorientaçãoeadivisãodostemplostemcomo baseasigrejas,enquantoquealgunscompartimentoseadisposiçãodos

obreirosnorecintotomam,comomodelo,oParlamento. ÉevidentequeaLoja,comoéhojeconhecida,nãosurgiudeumasó vez, pois ela foi sofrendo influências de diversas correntes filosóficas e místicas – como a astrologia – que lhe acrescentaram, à decoração, símbolosdasantigascivilizaçõesedeagrupamentosesotéricosmedievais. Umconceitoimportante,quesurgiria,posteriormente,seriaodequeaLoja teria, como arquétipo, o primeiro Templo de Jerusalém, que teria sido construídoporordemdoreiSalomão,sendo,porisso,chamadodeTemplo

de Salomão [23] . Isso mostra, ainda, uma certa influência da Ordem dos Templários, cujos estatutos consideravam o Templo de Jerusalém como símbolodasobrasperfeitasdedicadasaDeus.

NAFUSÃODEANTIGOSEMODERNOS,AATUALMAÇONARIA

Em1813,superadastodasasvelhasrixas,os“Antigos”uniam-seaos

“Modernos”,constituindoaGrandeLojaUnidadaInglaterra(UnitedGrand LodgeofEngland),queresolveutrabalharsegundoasnormasritualísticas dos “Antigos”. Como consequência dessa união, houve necessidade de alterar a original Constituição de Anderson, principalmente no que se referiaàreligiãoeàsconcepçõesmetafísicas,paraacomodarasideiasmais radicalmentereligiosasdosautodenominados“Antigos”. Nessa ocasião, procedeu-se a uma revisão das Constituições de Anderson de 1723, para colocá-la de acordo com muitos dos pontos de vistadefendidospelos“Antigos”,comobasedotratadodeunificação.No terrenoreligiosoemetafísico,ondehouveamaissubstancialadaptação,a primeiradasAntigasLeisFundamentaispassouateraseguinteredação:

Ummaçoméobrigado,porseutítulo,aobedeceràleimorale,se

compreenderbemaArte,nuncaseráateuestúpidooulibertinoirreligioso.De

todososhomens,deveseroquemelhorcompreendequeDeusenxerga

diferentedohomem,poisohomemvêaaparênciaexterna,aopassoqueDeus

vêocoração.Sejaqualforareligiãodeumhomem,ousuaformadeadorar,

elenãoseráexcluídodaOrdem,seacreditarnogloriosoArquitetodoCéue

daTerraesepraticarossagradosdeveresdamoral

Nota-se,assim,que,aoliberalismoeàtolerânciareligiosadaoriginal compilação de Anderson, sucedia a crença impositiva e, aí sim, marcadamenteteísta,namedidaemque,alémdaexistênciadeDeus,já vislumbrada no texto original, estabelecia a sua ação providencial no

mundo.Essecaráterimpositivodacrença,desagradouamuitosmaçonsda época, livres pensadores, que preferiram ater-se ao texto de 1721, considerando que ele já era bastante claro em matéria religiosa e que mostravaumagrandetolerância,queéacaracterísticamáximadadoutrina maçônica. Essaexigênciairiaserreafirmadaemdiversasocasiões,pelaGrande

Lojainglesa,principalmentea4desetembrode1929,quandoelapublicou

umdocumento,onderelacionavaosoitoprincípiosderegularidade,sobo título de “Princípios Fundamentais para o Reconhecimento de Grandes Lojas”,cujosegundoitemafirma:

AcrençanoGrandeArquitetodoUniverso(Deus)eemsuavontaderevelada,

sãocondiçõesessenciaisparaaadmissãodenovosmembros.

NaépocadafusãodasduasGrandesLojas,osistemaobediencialjá havia se espalhado, dando a feição da Maçonaria atual, com Lojas subordinadas a uma Grande Loja – segundo o sistema inglês – ou a um

GrandeOriente–segundoosistemafrancês–sobadireçãodeumGrão-

Mestre e de uma administração obediencial; hoje, Lojas livres (ou

“descobertas”)sãoconsideradasirregulares.

ADOUTRINAMAÇÔNICA

OSNOVOSRUMOSNAERAMODERNA

Com a transformação da Maçonaria operativa em Maçonaria dos aceitos (ou especulativa), os maçons deixavam de ser construtores no sentidoliteraldapalavra,tornando-seconstrutoressociais,comoprestígio dadoporpessoasinfluentesnoPoderepelosintelectuais,que,vendo,nas Lojas, um centro de liberdade de pensamento e de expressão, nelas ingressavam,trazendoasuacontribuiçãocientífica. Alémdisso,comopartedesuafacetaesotérica–ouseja:aquiloqueé reservadoapenasaosiniciados–asLojasforamadmitindoascontribuições dediversascorrentesmísticas,ousistemasfilosóficos,trazidosporseus praticantes.Surgiram,assim,naMaçonariadosaceitos,apartirdasegunda metadedoséculoXVIII,conceitosmísticosemetafísicosdesconhecidosdos maçonsoperativos. Foi nessa época, portanto, que se fez sentir, na Maçonaria, a presençadeconceitosesímbolosdasantigascivilizações,daastrologia,da alquimia,dacabalahebraicaedorosacrucianismo.Todasessasinfluências contribuíramparaquefossearmadooconteúdomaçônico,dentrodeum continentejáexistentedesdeaépocadaFranco-Maçonariadeofício,nãosó no tocante à decoração dos templos, mas, também, no que se refere à linguagemfigurada,anagógica,simbólicacomqueaMaçonariamoderna transmiteosseusensinamentosmoraiseéticos.

DEFINIÇÃOEPRINCÍPIOS

AdefiniçãomaisaceitaemaisdivulgadadaMaçonaria–presente,

compequenasalterações,nasConstituiçõesdasObediências–éaseguinte:

AMaçonariaéumainstituiçãoessencialmenteiniciática,filosófica, filantrópica, progressista e evolucionista. Proclama a prevalência do espíritosobreamatéria.Pugnapeloaperfeiçoamentomoral,intelectuale socialdahumanidade,pormeiodocumprimentoinflexíveldodever,da prática desinteressada da beneficência e da investigação constante da verdade. Suas finalidades supremas são: Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Quantoaosprincípiosgeraisdainstituiçãomaçônica,elessealinham daseguintemaneira:

1.AMaçonariasustentaacrençanoGrandeArquitetodoUniverso;

2.Condenaaexploraçãodohomem,osprivilégioseasregalias,enaltecendo,

porém,oméritodainteligênciaedavirtude,bemcomoovalordemonstrado

naprestaçãodeserviçosàOrdem,àPátriaeàHumanidade;

3.Afirmaqueosectarismopolítico,religioso,ouracial,éincompatívelcoma

universalidadedoespíritomaçônico;

4.Combateasuperstição,aignorânciaeatirania;

5.Proclamaqueoshomenssãolivreseiguaisemdireitosequeatolerância

constituioprincípiomáximonasrelaçõeshumanas,paraquesejam

respeitadasasconvicçõeseadignidadedecadaum;

6.Defendeaplenaliberdadedeexpressãodopensamento,comodireito

fundamentaldoserhumano,admitidaacorrelataresponsabilidade;

7.Considerairmãostodososmaçons,quaisquerquesejamsuasraças,

nacionalidades,crençasouconvicções;

8.Reconheceotrabalhocomodeversocialedireitoinalienável;julga-o

dignificanteenobresobqualquerforma;

9.Sustentaqueosmaçonstêmosseguintesdeveresfundamentais:amorà

família,obediênciaàleiefidelidadeedevotamentoàPátria;

10.Recomendaadivulgaçãodesuadoutrinapeloexemploepelapalavra,

combatendo,terminantemente,qualquerrecursoàforçaeàviolência,para

conseguirqualquerdessesobjetivos.

Entretanto, sem prejuízo de suas finalidades educativas e filantrópicas,aMaçonariaé,narealidade,umainstituiçãopolítico-social, atuando dentro de padrões éticos, consubstanciados na essência sociológicadapolítica,nosentidodamanutençãodasgrandesconquistas sociaisdahumanidadeedadefesadasideiaslibertárias. Asgrandestransformaçõessociaisdahumanidade,desdeoséculo XVII, as quais, em maior ou menor escala, contaram com a participação subterrâneadaMaçonaria,demonstramasfinalidadespolítico-sociaisque determinaram a sua evolução e crescimento. Apesar disso, algumas Obediências maçônicas, negando, à política, um lugar de destaque na evoluçãosocialdospovos,rejeitamqualquerescopopolíticonasatividades

maçônicas,quandooquedeveserrejeitadoéosectarismopolítico,assim comooreligioso. Essa rejeição, anacrônica, ignora o progresso racional e nega o espíritocríticodohomem.APolítica,comoumramodasCiênciasSociais, estudaasdiversasformasdopoderpolítico,bemcomosuadinâmica,suas instituiçõeseseusobjetivos,mostrandoíntimarelaçãocomoutrosramos daciência,comoaHistória,aSociologia,aFilosofiaeaEconomia.Assim, nenhum homem esclarecido pode se mostrar indiferente à atividade política,assimcomonenhumainstituiçãodecunhosocialpodepretender proibirdebatesemtornodapolítica–emseusentidosocialamploenão sectário,oupartidário–jáquetodasasConstituições,queregemavidade povoslivres,consideramaliberdadedepensamentoedeexpressãocomo umdireitoinalienáveldocidadão.

RITOSMAÇÔNICOS

CONCEITUAÇÃODERITOERITUAL

Rito,demaneirageral,éocerimonialprópriodeumculto,oude umasociedade,determinadopelaautoridadecompetente;éaordenaçãode qualquercerimôniae,porextensão,designaoculto,aseita,areligião. Embora não existam, entre os diversos agrupamentos maçônicos, diferenças palpáveis em relação à doutrina, à simbologia, à filosofia e à ideologia,ocertoéque,emrelaçãoaritos,ocorremdiferençasflagrantes, motivadas por: interpretação diferente de fatos históricos; diferentes análises do esoterismo básico de muitas práticas maçônicas; influências religiosas,políticasesociais;eatéporsituaçãogeográfica. Assim,sempreexistiramdezenasderitosmaçônicos–muitosdeles jáextintos–oquenãodemonstra,comopretendemalgunscríticosdessa pluralidade, uma divisão, ou um enfraquecimento da união maçônica. Muitopelocontrário,issosugere,muitomais,agranderiquezaintelectual, moraleespiritualdaciênciamaçônica,quepossibilitadiversascorrentes de pensamento, as quais, muitas vezes díspares e aparentemente conflitantes,convergemsempre,semqualquerincoerência,paraumponto comumatodososagrupamentosmaçônicos. AIgreja,queétãociosadesuastradições,tambémpossuimaisde duasdezenasderitosdiferentes,dosquaisamaioria–dezenove–estána Igreja Oriental ; a Ocidental, com menor número, tem, como seus ritos principais, o Romano, o Ambrosiano e o Moçarábico. Isso, todavia, não interferenassuasdiretrizesdoutrinárias,quesãocomunsatodososritos. OmesmoocorrenaMaçonaria. Ritualétudooqueérelativoarito,ouquecontémritos.É,também, olivroquecontémaordemeaformadascerimônias,sejamreligiosas,ou não, com as palavras, ou, também, com as orações que as devem acompanhar.Porextensão,ovocábuloaplica-seaqualquercerimonial,oua umconjuntoderegrasaseguir;poressadefinição,atéatosdiáriosdavida deumasociedade,oudeumserhumanoespecífico,queserepetemsempre damesmamaneira,sãoformasdeumritual,poisformamumconjuntode regras,consagradaspelouso. EmMaçonaria,ocerimonialprópriodecadaritoéoseuritual.Este termo,naatualidade,designa,narealidade,olivroquecontémaordemea formadascerimônias;issonemsempreaconteceu,pois,primitivamente,o

conjunto de regras, que deviam ser seguidas durante os trabalhos maçônicos, era transmitido oralmente e devia ser totalmente decorado pelosobreiros.Essaprática,alémderesguardarosigilomaçônico–jáque umritualescritopodecairemmãosdenãoiniciados–aindacontribuía para que os rituais permanecessem imutáveis, sem as contribuições deletériasdefantasistaseinventores.

ALGUNSDOSPRINCIPAISRITOS

Detodososritosqueaindasãopraticados–algunsemáreastão restritas,quepodemserignorados–algunsmerecemumaabordagem,pela suaimportâncianaHistóriaenodesenvolvimentodaMaçonaria.Emborao ritomaispraticadonomundo–porqueéadotadopeloslocaiscommaior númerodeLojaseobreiros:InglaterraeEstadosUnidos–sejaoRitode Emulação,oudeYork,tambémchamadodeRitoInglês,omaisconhecido dopúblicoemgeral,ouseja,dosnãoiniciados,éoritoqueintroduziuos Altos Graus maçônicos, acima do de Mestre Maçom: o chamado Rito Escocês Antigo e Aceito, que, de escocês só tem o nome, pois não tem ligação com a Escócia, a não ser indiretamente. Quando se fala, por

exemplo,emgrau33,opúblicomaisilustradosabequeareferênciaéà

Maçonariaequeesseéoseumaisaltograu;eosistemados33grausé

típicodoRitoEscocêsAntigoeAceito,omaispraticadoemtodosospaíses latinos,inclusivenoBrasil. O Ritual de Emulação, ou conhecido no Brasil, Rito de York, considera-se o cultor da pura Maçonaria, pois não pratica Altos Graus, comoafirmaaGrandeLojaUnidadaInglaterra.Eletem,todavia,alémdos três graus simbólicos – comuns a todos os ritos – uma quarta etapa, denominada“HolyRoyalArch”(SantoArcoReal),queéconsiderada,pela GrandeLoja,“umaextensãodomestrado”.JánosEstadosUnidos,orito acabouadquirindooutrosgrausalémdesse.NascidosobaégidedaIgreja Anglicana, é considerado o mais teísta dos ritos maçônicos e ficou plenamenteestabelecidoapósafusãodasGrandesLojasdos“Modernos”e dos “Antigos”, em 1813, quando a Grande Loja Unida da Inglaterra, resultadodafusão,resolveutrabalhardeacordocomoritualdos“Antigos”. O Rito Escocês Antigo e Aceito, que teve os seus primórdios na

FrançaeasuamaioridadenosEstadosUnidos,éoritoque,apartirde31

demaiode1801,comacriaçãodeseuprimeiroSupremoConselho,em

Charleston,naCarolinadoSul(EUA),estabeleceuaescaladostrintaetrês graus. Mesmo nos locais onde o rito praticado é o de York – como nas

GrandesLojasnorte-americanas–oobreiro,depoisdosgraussimbólicos

doritodominante,podecursarosAltosGrausdoRitoEscocês,do4°ao33°

Dessamaneira,eleéoritomaisdifundidonomundo. Temotítulode“Escocês”,emboranascidonaFrança,porqueoseu sistema começou a surgir com os Stuarts ingleses, apeados do trono da InglaterraerefugiadosnaFrança,emduasoportunidades,duranteoséculo

XVII(1649e1688).Como“escocês”eraoepítetoaplicadoaospartidários

dosStuarts,origináriosdaEscócia,oritoacabouadquirindootítulo.Tendo origemstuartista,éumritodeinspiraçãocatólica–e,obviamente,também teísta–emboraaceitepessoasdequalquerreligião,desdequecreiaem Deus,oGrandeArquitetodoUniverso. ORitoFrancês,ouModerno,foireconhecidopeloGrandeOrienteda França, em 1773. A partir de 1786, quando um projeto de reforma, estabelecendoossetegrausdorito,emcontraposiçãoaoemaranhadode grausdaépoca,eletevegrandeimpulso.Issofezcomqueeleseespalhasse por toda a França, pela Bélgica, pelas colônias francesas e pelos países latino-americanossobinfluênciadaculturafrancesa.

Em1877,passouporgrandereformadoutrinária,quesuprimiua

obrigatoriedadedacrençaemDeusenaimortalidadedaalma,nãocomo afirmação de ateísmo, mas por respeito à liberdade religiosa e de consciência,considerandoqueasconcepçõesreligiosasdealguémsãode foro íntimo; isso foi causa de rompimento com a Grande Loja Unida da Inglaterra. Hoje em dia, porém, pelo menos na França, o rito tem abandonadoumpoucoessaposição. O Rito Sueco, praticado na Suécia, Alemanha e alguns países vizinhos,éumritodedozegrauseeminentementecristão,constandoque

tenhasidocriadopeloreiGustavoIII,queassumiuotrono,em1722,após

umgolpedeEstado.Em1777,oritojáestavaorganizadoedefinitivamente

constituído. Elesedistingueporterumcaráterreligiosomuitomarcante,oqual serefleteemtodososseusgraus,principalmentenosnoveAltosGraus.O 12o. grau do rito, Mestre Reinante, não é conferido a ninguém, sendo reservado,apenas,aoreidaSuécia. ORitoSchroeder,praticadonaAlemanha,nospaísesvizinhoseem algumas regiões da América do Sul, foi criado por Friedrich Ludwig Schroeder,que,aoladodeFessler,foiumdosreformadoresdaMaçonaria alemã.OritofoiintroduzidoporSchroeder,emsuaLoja,“Absalomzuden

dreiNesseln”,a20dejunhode1801e,desdelogo,conquistounumerosas

LojasemtodaaAlemanhaeemoutrospaíses,ondepassouaserpraticado,

principalmente,pormaçonsdeorigemalemã.

ORitoSchroederébeloesimples,trabalhandoapenasnachamada

“pura Maçonaria”, ou seja, a dos três graus simbólicos – Aprendiz, CompanheiroeMestre–jáquenãopossuiAltosGraus.

O RitoAdonhiramita surgiuem 1782, na França, efoiorganizado

através da publicação do “Recueil Précieux de la Maçonnerie Adonhiramite” (Compilação Preciosa da Maçonaria Adonhiramita), de Louis Guillemain de Saint-Victor. Essa compilação envolvia os quatro

primeiros graus e foi complementada, em 1785, por uma compilação complementardeAltosGraus,aqualdeuafeiçãodefinitivaaorito.

Orito,quetemumaescalatotaldetrezegraus,depoisdeumaépoca

degrandedifusão,acaboudesaparecendo,inclusiveemseupaísdeorigem, e, hoje, só é praticado no Brasil, onde tem sido bastante incrementado,

depoisdesofreralgumasalterações.

ORitoBrasileiro,surgidoepraticadonoBrasil,temsuaexistência

legalapartirde23dedezembrode1914,peloDecreton°500,doentão

Grão-MestredoGrandeOrientedoBrasil,senadorLauroSodré.Depoiso

ritodesapareceu,ressurgiuem1940evoltou,praticamente,adesaparecer

em1962,atéquefoireintroduzido,em1968,peloentãoGrão-Mestre,prof.

ÁlvaroPalmeira,atravésdoDecretoNo.2.080.

O Rito, amplamente decalcado no Rito Escocês Antigo e Aceito –

inclusivecomostrintaetrêsgrausdeste–tevegrandecrescimento,no

país,chegandoàcondiçãodesegundomaispraticado.

ORitoNacionalMexicanoépraticadonoMéxico,AméricaCentrale

sul dos Estados Unidos, nas áreas com forte presença de imigrantes

hispano-americanos.Elesurgiuparaporfimàdesordemquereinavanos RitosdeYorkeEscocês,noMéxico,tendosidoaprovadoeadotadopela Assembleia especificamente designada para organizar a reforma

ritualística,a22deagostode1825,sendo,emseguida,instaladaaprimeira

GrandeLojadorito.Alémdostrêsgraussimbólicos,oRitoMexicanopossui seisAltosGraus,numtotal,portanto,denove. O Rito de Memphis-Misraim, pouco difundido, é praticado em algumasregiõesdaEuropaedaAméricadoSul.Resultoudafusão,levadaa

efeitoem1881,porGaribaldi,dosritosdeMisraimedeMemphis.ORitode

Misraim foi constituído em Veneza, em 1788; o Rito de Memphis foi

constituídoemMontauban,em1815,pormaçonsquehaviamparticipado

damissãonoEgito,comNapoleãoBonaparte. Oritopossuinoventaecincograus,osquaisdevemserconsiderados como um repositório dos velhos graus maçônicos, pouco ou nada praticados, e não como uma escala de valores, tanto que poucos são

praticados–atéao33°–sendo,osmaisaltos,simplesmentehonoríficos.

OSINSTRUMENTOSDAMAÇONARIA

NAESCALADAINICIÁTICA,OAPERFEIÇOAMENTO

Estruturada, pelo menos esotericamente – tomado, o termo esotérico,nosentidodaquiloqueéreservadoapenasaosiniciados–com basenasantigasinstituiçõesiniciáticas,como,porexemplo,omitraismo persa e os chamados “mistérios de Elêusis” do culto grego da deusa

Demeter [24] , a Maçonaria moderna organiza a sua doutrina e os seus ensinamentos,emumaescalacrescente,atravésdosgraus. Emboraexistam,entreosmuitosritosmaçônicoshojepraticados, algunsquepossuamsistemasdeAltosGraus–omaisfamosoéodoRito Escocês Antigo e Aceito, com os seus trinta e três graus – a Maçonaria Simbólica, dita tradicional, ou “pura Maçonaria”, admite três graus:

AprendizMaçom,CompanheiroMaçomeMestreMaçom. Os três graus, ditos simbólicos, ou do simbolismo, representam a vindadoiniciadodastrevasdoOcidenteeasuacaminhadaemdireçãoao Oriente,ondeoSolnasceeaLuzreina,primeiramentecomoAprendiz,no Norte,depoiscomoCompanheiro,noSule,finalmente,comoMestre,no

Oriente [25] . Convém esclarecer que a Loja representa uma seção da superfície terrestre, estendendo-se, simbolicamente, do Oriente ao Ocidente, do Norte ao Sul e do Zênite ao Nadir; por isso o iniciado vai tomando, em Loja, lugares compatíveis com a sua colocação na escala. Convémesclarecer,também,que,paraaMaçonaria,essaLuznãoéaluz física, proveniente de corpos materiais, mas, sim, a Luz da Ciência, do ProgressoedoConhecimento. Aprendizéaqueleque,iniciadoemumaLojamaçônica,seencontra nafasedeaprendizado,inerenteaoprimeirograu;eleéoneófito,o“recém plantado”, segundo a etimologia da palavra. A iniciação maçônica, simbolicamente,mostraqueoneófito,vindodastrevas,caminhaembusca daluz;elarepresentaamortefísicadocandidatoeoseurenascimento numplanosuperior.Vindo,portanto,dastrevasdoOcidente,ele,emsua escalada, caminha, simbolicamente, para o Oriente, onde brilha a verdadeiraluz. Essesimbolismodacaminhadaemdireçãoàluztemsuaorigemnos mitos solares da antiguidade, presentes entre os sumérios (com o deus Shamash),osegípcios(comOsíris),ospersas(comMitra),osgregoseos

romanos(comApolo).Demaneirageral,essesmitosseriamassimilados, emmaioroumenorescala,pelasatuaisreligiões,inclusiveocristianismo, ao identificar sua festa maior com um costume do mitraismo. Como os adeptos do mitraismo cultuavam o deus da luz e do Sol (Mitra), eles promoviam, na noite de 24 para 25 de dezembro, a solenidade que, no mitraismoromano,erachamadade“NatalisInvictiSolis”(nascimentodo Solvitorioso);comoessaé,nohemisférionorte,anoitemaislongaefriado ano,eram,duranteela,oferecidossacrifíciospropiciatóriospelavoltada luz do Sol e do calor. O cristianismo, com base nessa prática, fixou,

simbolicamente,namadrugadade25dedezembro,onascimentodeJesus,

identificando-ocomaluzdomundo. Além disso, o sistema maçônico mostra outros pontos de contato comomisticismodasantigascivilizações,emrelaçãoaograudeAprendiz:

no mitraismo, existiam sete graus de aperfeiçoamento espiritual; e o primeiro, segundo o mitraismo romano, era o Corax (corvo), porque o corvoeraoservodoSoleporquepodeimitarafala,masnãocriarideias próprias,sendo,assim,maisumouvintedoqueumparticipanteativo;nos “MistériosdeElêusis”,osiniciadosqueseencontravamnoprimeirograu, osMistos,recebiamensinamentosrelativosàvidaapósamorte,nomundo astral–intermediárioentreomaterialeoespiritual–einstruçõessobrea evolução do homem na Terra e sobre a cosmogonia (formação do Universo), tanto do ponto de vista místico quanto do científico; no

pitagorismo–dasescolasfilosóficasdePitágoras [26] –queera,aomesmo tempo, filosófico, religioso e político, como movimento de reforma do orfismo, antiga religião grega, existiam três categorias de iniciado. A primeira,constituidapelosneófitos,eraadosOuvintes,queparticipavam dasreuniões,masguardavamabsolutosilêncio,numafaseemque,durante doisanos,limitavam-seaouvireaprender. Os pontos de contato são evidentes, já que, em Maçonaria, o Aprendiz,simbolicamente,éumacriança,quenãosabefalar,limitando-sea ouvir e aprender. Essa etapa tem uma duração variável, prevista nos estatutosdasObediênciasmaçônicas;normalmente,édeumano. O trabalho material simbólico do Aprendiz Maçom é desbastar a pedrabruta,informe,paratransformá-lanumapedrapolidacúbica–como faziam os canteiros medievais – já que o cubo é o sólido geométrico fundamentalparaasconstruções,poiséoúnicoque,comoutrosiguais,se encaixa,perfeitamente,semdeixarespaços,naereçãodasparedesdeum edifício.Dopontodevistamístico,todavia,essedesbastamentosimbolizao

aperfeiçoamentomaterial,intelectualeespiritualdoAprendiz. Companheiro é aquele que está colado no segundo grau da MaçonariaSimbólica.Históricaedoutrinariamente,ograudeCompanheiro

éomaisimportantedaMaçonaria,jáqueelerepresentavaopontomais alto da escalada profissional, nas organizações de ofício. Nestas – englobadas,comojáfoivisto,soborótulodeMaçonariaOperativa–assim comonoiníciodaMaçonariadosAceitos(ouEspeculativa),sóexistiamos Aprendizes e Companheiros. Mestre (Master) era o mestre-de-obras,

sempre escolhido entre

Historicamente,eleé,portanto,omaislegítimograumaçônico,pormostrar oobreirojáformadoprofissionalmente. Os“MistériosdeElêusis”possuiamumsegundograu,odosEpoptas, querecebiammaisprofundasinstruçõessobreaorigemdouniversoedo homem,sobreodomíniodamenteesobreaaltaespiritualidade;osímbolo dograueraumaespigadetrigo,que,alémderepresentarafartura,aludia, também,àrenovaçãosempreconstantedanatureza,atravésdasmortese das ressurreições, como no ciclo imutável dos vegetais. O grau de CompanheiroMaçom,evidentemente,nadatemavercomosEpoptas,mas existem algumas influências esotéricas, como a espiga de trigo, que tambéméumsímboloimportantedessegraumaçônico. Nasescolaspitagóricas,osegundograueraodosMatemáticos,que, saídos da condição de Ouvintes, já colocavam em prática o cerne da doutrinapitagórica,descobrindoascorrespondênciasentreasciências. ApalavraCompanheiroédeorigemlatina,derivadadaexpressão CUM PANIS, onde cum é a preposição com e panis é o substantivo masculino pão, significando, então, participantes do mesmo pão Nos idiomas originários do latim, a expressão deu origem aos vocábulos Compagnon(francês),Compagno(italiano),Compañero(espanhol),alem deCompanheiro,emportuguês.Noslugaresdefalainglesa,oCompanheiro éoFellowe,paraosalemães,éGesell. Se o trabalho do Aprendiz é o material, o Companheiro, mais aperfeiçoado,dedica-seaotrabalhointelectual,parachegaràrealizaçãoda PedraCúbica.Ograuéumaexaltaçãoaotrabalho,emtodasassuasformas. Mestre Maçom é aquele que atingiu o ponto máximo, o acme, da escaladainiciática.Essegraunãoexistiaentreascorporaçõesprofissionais (franco-maçons operativos) e nem no início da Maçonaria dos Aceitos;

emboratendosidocriadoem1724,sóseriaefetivamenteintroduzidoem

experientes.

os Companheiros mais

1738,maisdevinteanos,portanto,apósacriaçãodaprimeiraObediência

maçônica,aPremierGrandLodge,deLondres. Nopitagorismo,oterceirograueraodosFísicos,queseentregavam aoestudodosmistériosdanaturezaedavidainteriordohomem,jáque Física,naépoca,eraumaciênciaquetratavadafilosofianatural,doestudo danatureza. AoMestrecabeotrabalhoespiritual,determinado,comclareza,na missãoquelhecompetedeespalharaLuz,dereuniroqueestádisperso,de partirdosimplesparaocomposto,dacausaparaoefeito,doprincípiopara asconsequências.ConsagradoàfirmezadocarátereàMoralintransigente, o grau de Mestre liberta o iniciado das paixões, dos preconceitos e das convençõessociais,paraquepossa,complenaconsciênciadoseudever, pesquisareprocuraraVerdade.Morrendo,simbolicamente,paraosvícios, paraoserroseparaasfraquezashumanas,oMestrerenasce,comespírito limpoepuro,noAmor,quedáenergia,naVirtude,queengrandece,ena Verdade,quedignifica,paraquepossa,cumprindooseudeverdeiniciado, que conheceu a Verdadeira Luz, dar o seu quinhão de trabalho, em benefíciodahumanidadeemgeral. TodasasliçõesembutidasnograudeMestreconvergemparaum

pontocomum,atravésdeumalendadoterceirograu [27] ,aqualmostrao milagredaressurreição,comooSolquerenasce,todososdias,noOriente, como os vegetais, que, em seu ciclo eterno e imutável, renascem,

anualmente,ecomoalendáriaFênix [28] ,querenasciadasprópriascinzas.

NOSSÍMBOLOSEALEGORIAS,ALINGUAGEMCIFRADA

Paraconseguirosobjetivosdesuadoutrina,équeaMaçonariausa uma linguagem velada: a linguagem dos símbolos, dos emblemas, das alegoriasemetáforas,presentesemseustemploseemseusrituais. Alegoria(dogrego:allegoría)designaaexpressãodeumaideia,por umasucessãodeimagensdiferentesdaquiloquesequerexprimir.Alenda doterceirograu,porexemplo,éumaalegoriamoral.

Emblema (do grego: émblema = ornato em relevo, pelo latim:

emblema) é a figura simbólica, a insígnia, o símbolo, a alegoria. É um símbolo, ou uma alegoria, que se caracteriza por ser fixo e de fácil entendimento:apomba,comoemblemadapaz,araposa,daastúcia,oleão,

da nobreza, o coelho, da velocidade, a tartaruga, da lentidão,

Um

emblema maçônico muito conhecido e que, para o público, identifica a Maçonariaéoconjuntodeesquadroecompassoentrelaçados,comaletra “G”,deGeometria,noespaçoentreosdoisinstrumentos. Símbolo ( do grego: symbolon, pelo latim: symbolum) é a figura, marca,ouobjeto,quetenhasignificadoconvencional;éosinal,oindício,a divisa. Os símbolos maçônicos nada mais são, na realidade, do que a expressão da linguagem velada com que a Maçonaria transmite, aos iniciados,asliçõesdemoral,deéticaedealtaespiritualidade,quefazem partedesuadoutrina. Ossímbolosmaçônicos,demaneirageral,sãoosinstrumentos,ouas figuras,ligadosàartedaconstrução,mastambémexistemaquelesligados à natureza e ao cosmo, através de plantas, animais e corpos celestes; e tantopodemterumainterpretaçãoemblemática,maisfixaedemaisfácil entendimento, como uma interpretação mística e, portanto, hermética e esotérica.Osprincipaissímbolosmaçônicos,comosseussignificadosmais correntes,são:

Esquadro–éosímbolodaretidãodocaráter,daequidade;dopontodevista

místico,simbolizaamaterialidadehumana.

Compasso–éosímbolodaJustiça,pelaqualdevemsermedidostodososatos

doshomens;noterrenomístico,simbolizaaespiritualidadeeoconhecimento

doHomem.

Malho–éosímbolodaforçadocaráter,aserviçodarazãoedainteligência;

dopontodevistamístico,simbolizaoespíritoatuandosobreamatéria,para

aconcretizaçãodasgrandesobrasdoespíritohumano.

Cinzel–simbolizaarazãoeainteligência(servidaspelaforçadocaráter,

representadapelomalho);noterrenomístico,representaamatériasobrea

qualatuaoespírito(omalho),paraesquadrejarapedrabruta(queéo

aperfeiçoamentoespiritualdoHomem).

Alavanca–éosímbolodafirmezadocaráter;representa,também,oespírito

humano,quepromoveaascensãodoHomem.

Nível–simbolizaaigualdadequedeveexistirentretodososhomens,

principalmenteentreosmaçons;mostra,também,queoshomenssão

niveladospelamorteequeoespíritohumanonãoreconheceprivilégiosde

nascimento,oudeclassessociais.

PrumoouPerpendicular–éosímbolodaprofundidadedoconhecimento,do

equilíbrio,daestabilidade;simboliza,também,oespíritonaprofundidadeda

matéria.

Régua–simbolizaalei,aordemeainteligência,quedevemcomandaros

atosdoshomens;representa,também,alimitaçãomaterialdoHomem.

Cinzel+Malho–simbolizam,emconjunto,asabedoria.

Compasso+Régua–simbolizam,emconjunto,aleimoral.

Régua+Alavanca–simbolizam,emconjunto,orespeitoàlei.

Régua+Esquadro–simbolizam,emconjunto,acriaçãodeumaética.

PedraBruta–símbolodohomem(Aprendiz)imperfeito.

PedraCúbica(polida)–símbolodohomemaperfeiçoado,espiritualmente.

Trolha–simbolizaaconcórdia,auniãoeafraternidade [29] .

Círculo–éosímbolouniversaldatotalidade,daeternidade,daharmonia

universal;representaaperfeiçãodivinaeaperpetuidadedeDeus.

Avental–éosímbolodotrabalho,quehonraedignificaoHomem [30] .

Sol–éosímbolodaluzdarazão,dointelecto.

Lua–simbolizaaimaginação.

Olho–simbolizaoSol [31] .

EstrelaPentagonal–aestreladecincopontas,quandocomapontaisolada

paracima,simbolizaasqualidadesespirituaisdoHomem–nelaseinscrevea

figuradeumhomem–oFogo,ouniversointeligível.ÉchamadadeEstrela

Hominaldospitagóricos.Quandocomapontaisoladaparabaixo,simboliza

aanimalidadeematerialidadedoHomem–nelaseinscreveafiguradeum

bode,símbolodaanimalidade–aÁgua,ouniversosensível.

G(letra)–simbolizaaGeometria [32] .

Espadareta–simbolizaoraiodeluz,oinfluxoespiritual.

Luvasbrancas–simbolizamapurezadesentimentos,alealdade,a

franqueza.

Acácia–símbolodainiciaçãoedaimortalidadedaalma;representaabusca

incessanteparadescobriromistériodamorteeosegredodaimortalidade.

Chave–éosímbolodainiciaçãoedosaber;nasantigasiniciações,

recordava,aoscandidatos,aobrigaçãodosilêncio.

Delta–éotriânguloequiláteroquesimbolizaadivindade [34] .

Galo–simbolizaaatividadeeaconsciênciadevigíliaeestárelacionadocom

amorteearessurreição;tambémumdossímbolosdainiciação,oseucanto

saúdaanovaaurora,anovavida(deiniciado).

Leão–éosímbolodaforçaedoprincípiomasculino,dadivindadeedaforça

solar,estandoligadoaoelementoterra,assimcomooleãoaladoestáligado

aoelementofogo.

Águia–simbolizaaforça,opoder,oSol,acapacidadedeinvestigação,o

gênio.NaAntiguidade,foiusadapararepresentaraglóriaeamajestade

real;presenteemdiversasmitologias,é,nocristianismo,omensageiro

celeste,quesimbolizaasubidadasoraçõesaDeus.

Iôd(letrahebraica)–simbolizaoespírito,oprincípiofecundante.Éadécima

letradoalfabetohebraicoeaprimeiradotetragramaquecompõeonome

impronunciáveldeDeus–iôd,hé,vav,hé–sendo,portanto,uma

representaçãodeDeus.

AlfaeÔmega–primeiraeúltimaletradoalfabetogrego,respectivamente,

simbolizamoprincípioeofimdetodasascoisas.

Pãoeágua–simbolizam,respectivamente,desdeasremotascivilizações,o

alimentodocorpoeoalimentodoespírito;apresençadeumpedaçodepão

juntoaumjarrod’água,significaque,seoalimentodocorpoéimportante,

tãooumaisimportantedoqueeleéoalimentodoespírito.

Colunasdasordensjônica,dóricaecoríntia–simbolizam,respectivamente,a

Sabedoria,aForçaeaBeleza [35] .

Triânguloisósceles–éotriângulocomdoisladosiguais.Comoápicevoltado

paracima,simbolizaoternáriomasculino,evolutivo,erepresentaoanseio

doespíritoemselibertardamatéria.Comoápicevoltadoparabaixo,

representaoternárioinvolutivo,oufeminino;ouseja,oprincípioespiritual

penetrandoevivificandoamatéria.

Abelha–éosímbolodaobediênciaedadiligêncianotrabalho.

Candelabro–simbolizaaluzespiritual;ocandelabrodesetebraços,omais

importante,representaaluzdosseteplanetasdaantiguidade.

Crâniooucaveira–simbolizaocarátertransitórioeperecíveldavida

humana;mostraquetodososhomenssãoiguaisperanteamorteecomosão

vãsefúteisasconvençõessociais,asdistinçõesdecastaeasdiscriminações.

Escada–simbolizaaideiadeascensão,graduaçãoecomunicaçãoentre

diversosplanosdaconsciênciaouplanosexistenciais.

Lâmpada–símbolouniversaldoespíritoedainteligência.

Mel–simbolizaoprocessoderenascimentooudemudançada

personalidade,emconsequênciadeumainiciação.Passadonoslábios,em

certosrituais,significaqueabocasódevepronunciarpalavrasdoces,poisas

amargasferemeofendem.

Louro–simbolizaaglória,otriunfo,avitória;naGréciaantigaeraplanta

consagradaaApolo,odeusdaLuz.

Pelicano–éosímbolodaabnegaçãoedosacrifícioembenefíciodopróximo,

graçasàlendasegundoaqualessaavedilaceraoprópriopeito,para

alimentaraprole [36] .

Oliveira–éosímbolodapazedavitória;naGréciaantiga,eraárvore

consagradaaAtená(aMinervaromana)eaZeus(oJúpiterromano).

Serpente–éosímbolouniversaldaenergiaedaforça;tambémrepresentaa

sagacidade.

Cão–éosímbolouniversaldafidelidade.

Trono–ésímbolodeunidade,sínteseeestabilidade.

Velaoucírio–achamadavelaestáligadaàsimbologiageraldofogoeda

luz.Otocheiro,ligadoàmesmasimbologia,éemblemadaverdadeedopoder

solar,simbolizandoapurificaçãopelailuminação.

EstrelaHexagonal(deseispontas)–formadapelajunçãodedoistriângulos

equiláterosopostospelovértice,éumantigosímbolodomatrimônioperfeito:

duasfigurasdiferentes(osdoistriângulos),queseunemparaformaruma

terceirafigura(aestrela),semquecadaumpercaasuaindividualidade

(comoocorrenaprocriação).Noplanomístico,simbolizaoequilíbrioentreo

espíritoeamatéria,poisotriângulodeápicesuperiorrepresentaoespírito,

enquantoqueodeápiceinferiorsimbolizaamatéria.

Rosa–simbolizaodesenvolvimentodoespíritoeestáassociadaàideiae

regeneração,fecundidadeepureza.

Cruz–osignificadoarquetipaldacruzésempreodaconjunçãodosopostos:

oeixovertical(masculino)eoeixohorizontal(feminino);opositivoeo

negativo;odiaeanoite;avidaeamorte;oSoleaLua;eetc.Esse

antagonismoestánaraizdaexistência,jáquetudo,nouniverso,desenvolve-

seapartirdeforçasantagônicas.

Rosa+Cruz–esseconjuntoéosímbolodaregeneraçãouniversal [37] .

Romã–simbolizaauniãodetodososhomens,independentementedas

separaçõesporlimitesgeográficosoufronteiraspolíticas.EmMaçonaria,

especificamente,osgrãosdaromã,emgruposseparados,unsdosoutros,por

tênuepelícula,representamosmaçons,que,independentementeda

separaçãoporObediênciasepornações,encontram-seunidospeloslaçosda

fraternidade,nomundotodo,representadopelaromãinteira.

fraternidade,nomundotodo,representadopelaromãinteira. ASTRÊSORDENSARQUITETÔNICASGREGAS

ASTRÊSORDENSARQUITETÔNICASGREGAS

AMAÇONARIAEAASTROLOGIA

OTEMPLOMAÇÔNICO

NOTEMPLODEJERUSALÉM,UMARQUÉTIPOINDIRETO

Embora, como já foi esclarecido, a Loja tenha tomado, como modelos,asigrejaseoparlamentobritânico,surgiu,posteriormente,com basenadoutrinadostemplários,aqualconsideravaosantuáriohebraico comosímbolodasobrasperfeitasdedicadasaDeus,oconceitodequeele tomara,comoarquétipo,oprimeiroTemplodeJerusalém,odeSalomão. Alguns consideram as igrejas – como muitos outros templos religiosos–baseadas,emsuaorientaçãoedivisão,noTemplodeSalomão, oquefazcomqueoconceitopossaserparcialmenteverdadeiro,maspor via indireta. As igrejas, pelo menos até em épocas recentes, com o eixo Oriente-Ocidentecomooprincipaledivididaemtrêspartesprincipais– altar-mór, presbitério e nave – lembram a orientação do Templo de Jerusalémeasuadivisãoemtrêspartesprincipais:SantodosSantos,Santo epátioexterno. Essadivisãoeorientaçãojávinhamdesdeaépocadotabernáculo,o Templo móvel, que era armado no deserto, durante o êxodo, quando os hebreus,saídosdoEgito,dirigiam-seàPalestina.Eleshaviamseinstalado

noEgito,porvoltade1700a.C.,naépocaemqueopaísfoidominadopelos

hicsos,povodeorigemsemita,quealipermaneceude1750a.C.a1580a.

C., quando foi suplantado pelos faraós tebanos. Os hebreus, todavia, só

conseguiramsairdoEgitoporvoltade1300a.C.,quando,finalmente,sob

ocomandodeMoisés,auxiliadoporseuirmãoAarão,tomaramorumoda TerraSanta.Osrelatosbíblicosmostramtodasasperipéciasedificuldades que precederam o êxodo, a obstinação do faraó – Ramsés II – e a predestinaçãodeMoisés.

NOTABERNÁCULO,AORIGEM

Seguindoasinstruçõesdivinas,queteriarecebidonomonteHoreb,

napenínsuladoSinai,Moisésmandaraarmarotabernáculo(emhebraico:

suká=tenda),paraconteraArcadaAliança,comasTábuasdaLei,eparao cultoreligioso. Para isso, era delimitado, no solo desértico, um espaço de 100

côvadosdecomprimentopor50delargura,oquedá,aproximadamente50

metrospor25;esseespaçoeracercadoporsessentapostes,aosquaisse

prendiaumacortina,cujaaberturadeentradaeranosetororiental.Em terreno aberto, encontravam-se a mesa para os sacrifícios cruentos de

animaiseabaciadebronzeparaasabluçõessacerdotais [38] .Nofundo,na parteocidental,encontrava-seotabernáculo,atenda,compostaporquatro tendas sobrepostas – simbolizando os quatro elementos – e dividida, internamente, em duas partes. A parte anterior tinha dez metros de comprimento,porcincodelarguraecincodealtura;eaposterior,amais íntimadetodooTemplomóvel,eraumcubocomcincometrosdearesta, ouseja,cincodecomprimento,delarguraedealtura. A tenda maior era o Santo (em hebraico: kodesh) e, nela, encontravam-se: à entrada a mesa dos perfumes, onde eram queimadas ervas e resinas aromáticas (incenso, bálsamo, mirra), cuja fumaça, em ascenção, simbolizava, desde tempos mais remotos, o pensamento da comunidade,dirigidoaDeus,emsuaspreces;àdireita,ouseja,aoNorte,

encontrava-seamesadospãespropiciais,comdozepãesázimos [39] ,que simbolizavam, no plano físico, as doze tribos de Israel e os ventos setentrionais,que,trazendoaschuvas,vivificamasplantações,enquanto que,noplanomístico,simbolizavamosdozesignoszodiacais;àesquerda, ao Sul, estava o candelabro de sete braços (em hebraico: menorá), simbolizandoaluzdosastros,vindadosul,eosseteplanetasconhecidos naAntiguidade. A tenda menor era o Santo dos Santos (em hebraico: kodesh ha kodashim)econtinhaaArcadaAliança,aurnadomanáeavarafloridade

Aarão [40] .EstaeraapartemaisíntimaetranscendentaldoTemplo,àqual sótinhaacesso,umavezporano,noDiadaExpiação,ouDiadoPerdão(em hebraico: Ion Kipur), que ocorre dez dias após o primeiro dia do ano hebraico (em hebraico: Rosh Hashaná), o sumo sacerdote do culto (em hebraico:CohenGadol).

após o primeiro dia do ano hebraico (em hebraico: Rosh Hashaná), o sumo sacerdote do culto

OTABERNÁCULO

Construídopeloshebreus,porordemdeMoisés,segundoorientaçõesdo

próprioYHWH,oTabernáculofoiamoradadaArcadaAliançaatéa

construçãodefinitivadoTemploemJerusalém.

NOTEMPLO,ALGUMASDIFERENÇAS

OprimeiroTemplodeJerusalém,odeSalomão,concluídonofinaldo séculoXa.C.,tinhapoucasdiferençasemrelaçãoaotabernáculo:omarde bronze,bemmaiordoqueabaciaparaasabluçõessacerdotais,oaltardos holocaustosmaistrabalhado,dezcandelabros,aoinvésdeumsó,noSanto dosSantos,e,àentradadeste,nopórtico,duascolunas,degrandealturae, comoascolunasegípcias,semfunçãodesustentação:Jachin,adadireitae Boaz, a da esquerda, que imitavam asgrandescolunas, consagradasaos ventoseaofogo,daentradadoTemplodeMelkarth,emTiro. Aobra,porsinal,eraexclusivamentefenícia,poisnãohánenhum especialista que a considere um produto do estilo arquitetônico hebreu, que nunca existiu. Como nos mostra a arqueologia, os fenícios desenvolveram um modelo adequado para a construção de edifícios públicos,caracterizadoporumátriodegrandesdimensões,cercadopor colunas.Seoedifíciofossedestinadoafunçõesmundanas,seustrêslados restanteseramcercadosdeaposentos,aosquaissetinhaacessoatravésde umasalacentraldeaudiências,queformavaoenormeátriocaracterístico dessaobra.Seoprédiofizessepartedeumtemplo,oátriopassavaater apenasfunçõesdecorativaseeraatravésdelequesechegavaaumaporta intermediária,queconduziaàsalasagrada,divididaemtrêssetores.Foi este segundo modelo que foi aplicado na construção do Templo de Salomão. Salomão, que havia ficado impressionado com o aspecto arquitetônicodoTemplodeMelkhart,encarregouoreideTiro,Hiram,de construiroTemplodeJerusalémemlinhassemelhantes,inclusivecomas colunasdoátrio.HeródotocitaofatodequeoTemplodeMelkharttinha sido adornado com duas dessas colunas, “uma de puro ouro e outra de esmeralda, que brilhavam feericamente à noite”. Esse mesmo gênero de colunaéencontradonumtemplodedicadoaBaal,nailhadeChipre.Como o estilo arquitetônico fenício apresentava fortes influências egípcias, os ornamentos que cobriam as colunas tinham, provavelmente, origem no acervoarquitetônicodosegípcios.

Também em Megido, Hazor e outras localidades palestinas, que podemsersituadasnaépocadeSalomão,encontrou-se,nosmesmosníveis arqueológicos, uma decoração arquitetônica tipicamente fenícia, com pilastrasembutidas,coroadascomumaespéciedecapitelproto-eoliano, representando,provavelmente,cabeçasdecarneiroestilizadas.Essetipo de capitel seria, posteriormente, copiado dos fenícios, pelos gregos da Jônia,constituindoaorigemdaordemjônica. O estilo geral da construção apresentava, então, com certeza, influênciasfeníciaseegípcias.Épossívelimaginaroseuconjuntocomoo deumtemploegípcio,comopilonodeentradaladeadopordoisobeliscos– substituídos,aí,porcolunas–masconcebidoàmodadaarquiteturafenícia. OTemplotodo,queseencontravanointeriordocinturãoqueprotegiao paláciodeSalomão,erarodeadoporumgrandemuro,comtrêsfileirasde pedras, encimadas por vigas de cedro. Neste muro foram abertas duas portas, uma dando para a cidade, a oeste, e outra comunicando com o palácio,aosul.Eeledelimitavaumespaço,oátrio,ondeseencontravamo

altardosholocaustos [41] ,medindocercadedezmetrospordez,eomarde bronze,umagrandebaciacomcincometrosdediâmetro,feitos,comoas colunas,candelabroseoutrosobjetos,peloartíficefenícioHiram-Abi,hábil

entalhadordemetais [42] .OTemplo,propriamentedito,nãotinhagrandes

dimensões:30metrosdecomprimento,por10delargurae15dealtura,

com as mesmas divisões do tabernáculo. Situava-se, provavelmente, no monteMoriá,ondehojeficaaCúpuladoRochedo,damesquitadeOmar;o rochedosagrado,queemergenomeiodamesquita,deviaservirdealtar paraoTemplodeSalomão. Comonotabernáculo,astrêspartesdoTemplorepresentamastrês divisõesdouniverso:terra,marear.Acorrespondênciadastrêspartesdo santuáriocomasigrejaseostemplosmaçônicosseria:

SantodosSantos--->Altar-mór---->Altar

Santo---------------->Presbitério--->Oriente

Pátioexterno-------->Nave--------->Ocidente,SuleNorte

NOSANTUÁRIOENOSTRAJES,AMETAFÍSICAAPLICADAAOCOSMOS

Ametafísicaaplicadaaocosmosjásurgenosobjetosdotabernáculo,

comarepresentaçãodastrêspartesdouniverso,dosquatroelementos,

dos sete planetas, das doze constelações zodiacais e dos ventos setentrionais. Mas ela transparecia, também, nas vestes do supremo sacerdote, ocohengadol. Sua sobrepelizera azul edourada, guarnecida com flores, romãs e campainhas de ouro; no peito, trazia doze pedras preciosas;emcadaombro,umaesmeralda;e,nacabeça,amitra,naqual estava,gravadasasquatroletrasdonomehebraicodeDeus(iôd,hé,vav, hé).

A cor azul da sobrepeliz representa o ar; as romãs – pela grande

quantidade de suco – simbolizam a água; as flores representam a terra, ondeassementesgerminam,asplantascrescemeasfloresdesabrocham; as campainhas representam a harmonização entre os elementos água e terra,quesóemconjuntoenuncaisoladamentepodemgerarasplantas;as doze pedras preciosas representam os doze signos zodiacais; as duas esmeraldassimbolizamoSoleaLua,odiaeanoite,osdoishemisfériosda Terra;amitrarepresentaDeus,omacrocosmo,semoqualomicrocosmo,o homem,nãopoderiasobreviver.

homem,nãopoderiasobreviver. PLANOESQUEMÁTICODOTEMPLODESALOMÃO

PLANOESQUEMÁTICODOTEMPLODESALOMÃO

OcupandooMonteMoriáemJerusalém,oTemploeradivididoem:(a)o

SantodosSantos,ondelocalizava-seaArcadaAliança(1);(b)oSanto,como

CandelabroSagrado-Menorá(3),oAltardosPerfumes(6)eaMesadosPães

Propiciais(2);(c)oPátioExterno,comasColunasVestibularesJachin(J)e

Booz(B),oAltardosHolocaustos(5)eoMardeBronze(5)

NALOJA,AREPRESENTAÇÃOCÓSMICA

A Loja possui as três partes do universo – terra, mar e ar – e se

estende, simbolicamente, do Oriente ao Ocidente, do Norte ao Sul e do

Zênite ao Nadir [43] . Na parte denominada Oriente, sob um dossel, encontra-se o Altar, que corresponderia ao Santo dos Santos (mais propriamente,aoaltar-mór);orestantedoOriente,correspondeaoSantoe as outras partes – Ocidente, Sul e Norte – corresponderiam ao pátio da

mesadosholocaustosedomardebronze. Sobre o Altar, encontram-se as chamadas Três Grandes Luzes EmblemáticasdaMaçonaria:oLivrodaLei,oudasEscrituras,oEsquadroe oCompasso.OLivrodaLei,nascomunidadescristãséaBíblia;maspode seroCorão,aTorá,oLivrodosVedas,etc.,deacordocomacrençadecada um.Naparedeoriental,atrásdoAltar,estãorepresentadasasduasgrandes lumináriasterrestres:oSoleaLua,representandooativoeopassivo,aluz e o seu reflexo, a atividade voluntária e a imaginação. Entre as duas luminárias,oDelta,comonomehebraicodeDeus,oucomarepresentação de um olho esquerdo (onividente), símbolo máximo representativo da divindade.

OCOSMOSNAABÓBADAESTRELADAENOSOLO

Sendo a representação da Terra, as Lojas têm o seu teto simbolizandoaabóbadaceleste,podendo,ounãoserestrelado.Apresença do Sol, resplandecente de luz, no Oriente, e a Lua, em quarto crescente, entreastrevasdoOcidente,éobrigatória,paramostrarqueoiniciadovem das trevas e caminha em direção à luz. É comum, porém, a decoração estelardoteto,aexemplodoqueocorriacomostemplosegípcios,ondeas colunas,simbolizandoashastesdopapiro,elevam-seemdireçãoaocéu estrelado.Quandoéfeitaadecoraçãoestelar,elaabrange,alémdoSoleda Lua,noOrienteenoOcidente,respectivamente,mais:

AstrêsestrelasdaconstelaçãodeÓrion,nocentrodoteto;

JuntoaÓrion,maisparaNordeste,aestrelaAldebaran;

EntreAldebaraneaparteNordeste,asconstelaçõesdePlêiadeseHíadas;

EntreaconstelaçãodeÓrioneaparteNoroeste,estáaestrelaRégulus,da

constelaçãodeLeão;

AoNorte,encontra-seaconstelaçãodaUrsaMaior;

ANordeste,emvermelho,aestrelaArcturus;

EntreAldebaraneoSol,próximoaoOriente,aestrelaSpica,daconstelação

daVirgem;

AOeste,aestrelaAntares;

AoSul,aestrelaFomalhaut;

NoOriente,oplanetaJúpiter;

JuntoaoSol,oplanetaMercúrio;

NoOcidente,próximoaAntares,oplanetaVênus;

PróximoaÓrioneaFomalhaut,oplanetaSaturno,comosseussatélites;

AoSul,umaestreladecincopontas,pintada,emrelevo,oupendentedoteto. Emboraacolocaçãodessescorposcelestesesteja,emalgunscasos, errada,dopontodevistaastronômico,omaisprovável–jáqueaorigemse

perdeu–équeaabóbadaestreladarepresenteocéudodia21demarço,

quandooSol,nasuamarchaaparentenaeclípticacruzaalinhadoequador celeste.ÉoequinóciodeprimaveranohemisférioNorte.Eé,também,onde começaoanoreligiosohebraico,queteminícionaluanovaquesesegueao equinócio de março, no mês Nissan ; o ano civil começa com o Rosh Hashaná(emhebraico:cabeçadoano),primeirodiadomêsTishrei.nalua novaquesesegueaoequinóciodesetembro.Eissotemasuarazãodeser, pois o calendário maçônico mais usado é o equinocial, com base no

calendárioreligiosohebraico,começandooanonodia21demarço.

AABÓBADAESTRELADA Emboraaposiçãodosastrosestejaequivocadadopontodevista

AABÓBADAESTRELADA

Emboraaposiçãodosastrosestejaequivocadadopontodevista

astronômico,aAbóbadaEstreladarepresentaocéunodia21demarço,

duranteoequinóciodeprimaveranoHemisférioNorte.

AsEstrelasPrincipaissão:astrêsdeÓrion,ascincodeHíadaseas sete de Plêiades. As Estrelas Reais são: Aldebaran, Arcturus, Antares, Fomalhaut e Régulus. E tem que ser considerado, na abóbada, o grande triângulodaverdadecósmica,formado:emseuápice,pelaestrelaRégulus, aprincipaldaconstelaçãodeLeão,osignodeDeus;noângulodireitode sua base, pela estrela Spica, da constelação da Virgem ; e no ângulo esquerdodesuabase,pelaestrelaArcturus,daconstelaçãodeBootes,ou Boieiro(pastor,guia,guardaderebanho).Simbolizaapurezaeavirtude– atributosdeVirgem–engendradasporDeus–representadoporLeão– como uma verdade que o pastor deve transmitir ao seu rebanho. Esse simbolismoseráretomadonaexegesedoaventalmaçônico.

Aabóbadaestreladaseriaumsímboloeminentementeastrológico recordando,aomaçom,odeverdeevocaranoçãodemacrocosmoede microcosmo, as grandes leis universais de harmonia cósmica, que, pelas palavras de Hermes Trimegisto (três vezes grande), relembram a concordânciaentreoqueestánoaltoeoqueestáembaixo. Para os antigos alquimistas egípcios e gregos, Hermes Trimegisto eraconsideradoosenhordossegredosdouniverso.EleseriaodeusToth (Tzaut) dos egípcios, Hermes dos gregos, ou Mercúrio dos romanos, embora pudesse ter sido um rei ou um sábio, que acabasse sendo assimiladoàquelesdeuses.AeleéatribuídaafamosaTábuaEsmeraldina, ondeforamgravadaspalavrasdealtoconteúdomoraleiniciático,comoa doutrinabináriadosopostosiguaiseasíntesedastrêsverdades.Otexto recebeu o título de Tábua Esmeraldina, porque foi encontrado pelos soldados de Alexandre Magno, no Egito, gravado em uma grande esmeralda.Otextointegral,daversãofrancesadooriginal,emtradução livre,éoseguinte:

TÁBUAESMERALDINA

Istoécomplexo,maséverdadesemmentiras:

tudooqueestáaquiembaixotambémestánoalto;

tambémnoaltoestáoqueestáembaixo,

poistudoéobradeumasócoisa.

Todasascoisasvieramevêmdeuma,

daqualtudonasceueàqualtudoseajustou,

poistudoseadaptouaela,

ACausaÚnica.

OPaidetudo,queéarealidade,

queéoquererdouniverso,

aquiestá,comsuaforçatotalconvertidaemTerra.

Sequiserdessaberosegredodessaforçasuprema,

deveissepararaterradofogo,

ofinoesutildoespessoegrande,

suavementeecomtodoocuidado.

Sobedaterraaocéue,dali,volteàterra,

parareceberaforçadoqueestáemcimaedoqueestáembaixo.

Assim,receberásaluzdetodoomundo

eastrevasseafastarãodeti.

Estaéaforçadetodasasforças,

quevencerátudooqueésutil,

comovencerátudoquantoégrande,

equepenetraráemtudooqueésólidoepalpável.

Portanto,omundopequeno

estáfeitoàsemelhançadomundogrande.

Assimedessemodo,

ocorrerãomudançasprodigiosas.

PorissomechamamHermesTrimegisto,

poispossuoastrêspartesda

sabedoriadetodoomundo.

TerminadoestáoquedissesobreaObradoSol.

Essetextopermitealgumasinterpretações:

A igualdade dos opostos, do Alto e do Baixo; uma afirmação monoteista,nocontexto,comoUmeoTodo,aCausaÚnica;aprevisãoda análiseedasíntese;ainiciação(receberásaluzeastrevasseafastarãode ti);aforçadoespírito,forçadetodaforça;aObradoSol,ouGrandeObra, ouArteRealdaAlquimia;otriângulo,comosímbolodaperfeitasabedoria. São sete os princípios fundamentais do esoterismo hermético: 1. a

realidadeéimaterial;2.oprincípiodacorrespondência;3.oprincípiode

oscilação ou alternação; 4. o princípio de polaridade; 5. o princípio de

ritmo;6.oprincípiodecausaeefeito;7.oprincípiodegeração.Todosesses

princípiosestãorepresentadosnosrituaisenossímbolosmaçônicos. EvocarHermeséevocarohermetismo,que,nosentidoprofano,dos não iniciados, significa aquilo que é de difícil compreensão, que é intrincadoeobscuro.Paraoiniciado,HermeséMercúrio,omensageirodos deuses,porqueéoplanetaqueestámaispróximodoSol–inclusivenoteto dotemplomaçônico–equetemocursomaisrápido;éelequetransmite, comrapidez,amensagemdivina,quecumpreaohomemdecifrar. O solo da Loja, geralmente, é decorado com um pavimento quadriculado,compostodequadradosbrancosenegrosalternadoseque tambémédenominado“PavimentoMosaico”–ondemosaicoéumadjetivo relativoaMoisés–graçasàlendasegundoaqualMoisésteriaforradoo solo do tabernáculo com pequenas pedras coloridas. Esse pavimento, porém, tem origem suméria e é, também, um símbolo cósmico, pois representaaluzeastrevas,odiaeanoite,oSoleaLua,emboracomporte algumasinterpretaçõesdeordemmoral–obemeomal,aboaeamásorte, oespíritoeamatéria–dissociadasdosimbolismocósmicooriginal.

NASCOLUNASENACORDADENÓS

Àentrada,nopórtico,encontram-seduascolunasditasvestibulares –porqueseencontramnovestíbulo,ouátrio–semfunçãodesustentação, como as do templo de Jerusalém, e com as mesmas denominações

daquelas:Jachin,àdireitadaentrada,eBoazàesquerda [44] .Taiscolunas, porém,nãopossuemoestiloeadecoraçãodaquelasdotemplohebraico, descritasemReisI,poiselassãodeinspiraçãoegípcia. Segundo a descrição bíblica, as colunas de bronze do primeiro

Templopossuíamgrandealtura–9,45metros(18côvados)defustee2,62

metros (05 côvados) de capitel – tinham 6,30 metros (12 côvados) de

circunferênciae87milímetros(04dedos)deespessura,jáqueeramocas.

Oseufusteeraliso,masocapitelerabastantetrabalhado:emformade lírio,ornadoderedesdemalhaegrinaldasemformadecadeia,sendosete grinaldasparacadacapitel,ecomplementadoporduasfileirasderomãs, dispostasemcírculo,najunçãodocapitelcomofuste;alémdisso,havia rematesemformadelírio,compondoquatrofileirasverticais,nosquatro

pontoscardeais(ReisI,7-15a22).

AscolunasdaLoja,todavia,sãodeestiloegípcio,desproporcionais– mais grossas na base – e com a representação estilizada das folhas de papiro e das flores de lótus, as duas plantas sagradas do antigo Egito, adornadas com uma fileira de pequenas romãs, junto ao capitel, e complementadas,cadaumadelas,porumaesfera,colocadasobreocapitel, simbolizando, a da direita, a esfera celeste, e a da esquerda, a esfera terrestre. Também elas são, portanto, símbolos cósmicos, inclusive porque, como a Loja é a representação da Terra, elas marcam a passagem dos trópicosdeCâncer,aoNorte,edeCapricórnio,aoSul;assim,alinhaque passa, exatamente, no centro do espaço entre elas, estendendo-se do OcidenteaoOriente,simbolizaoequadorterrestre. NoaltodasparedesdaLoja,enquadrando-a,háumacordacomnós, cujaaberturaencontra-senaportadeentradadorecinto,ondeterminaem

duasborlas.Essacordapossui81(oitentaeum)nós,comumnócentral

sobreoAltarequarentaparacadaumdoslados.Trata-se,também,deum símbolo cósmico, ao abarcar o todo, ou seja, todos os maçons do globo terrestre, unidos pelos laços da fraternidade, os quais desconhecem fronteiras,oudiferençasderaçaedecredo.

Maselatem,também,umsignificadomístico,pelonúmerodenós,o

qualémúltiplode3ede9,númerosdealtoconteúdohermético:

Onúmero3(três)simbolizaasínteseespiritualeéafórmulaparaa

criaçãodecadaumdosmundos.Consideradoumnúmeroperfeito,dealto significadomístico,éumdosnúmerossagrados.Representaatríadedivina noprocessodesuamanifestação,aqualtemtrêsatributosbásicos:criação, conservação e destruição. Como número perfeito, ele aparece, diversas vezes,nostextosbíblicos:trêseramosfilhosdeNoé;trêsosvarõesque apareceramaAbrahão;trêsosamigosdeJob;trêsosdiasdejejumdos judeus desterrados. Graficamente, o número três pode ser representado porumtriângulo. O número 9 (nove) é o número simbólico da Humanidade, encerrandoasérienumérica,antesdoretornoàunidade;éonúmerode Adão. Nove meses leva o homem para nascer e seu corpo tem nove orifícios, através dos quais ele se comunica com o mundo. A soma dos

númeroquecompõemo81(08+01)é09.

Além dessa relação com o três e o nove, a corda pode ser considerada sob outro aspecto místico, com o seu nó central – simbolizando o número um – e os quarenta nós de cada lado dele. O número um é a unidade indivisível, é o símbolo de Deus, princípio e fundamentodoUniverso;é,portanto,umnúmerosagrado,querepresenta oprincípioativo,aprimeiramanifestaçãodaenergiacriadora;é,também,o símbolodoSol(oprimeirodosdeusesdahumanidade)echamadode“o paidosnúmeros”.Quarenta,umnúmerocomposto,simbolizaapenitência eaexpectativa:odilúviodurouquarentadias;quarentaforamosdiasque MoiséspassounomonteHoreb,noSinai;equarentaforamosanosdurante osquaisoshebreusvagarampelodeserto,quandosaíramdoEgito,para regressaràPalestina.

NOSSIGNOSZODIACAIS,OCÓSMICOEOASTROLÓGICO

Os signos, no misticismo maçônico, representam todo o caminho percorrido pelo iniciado, desde a sua iniciação até ao cume de sua trajetória, no grau de Mestre Maçom. E, ressalvando as diferenças existentes entre os templos dos diversos ritos, essa representação é mostrada,fisicamente,comossímbolosalusivosaossignos,presentesna Loja.

Essarepresentaçãopodeserfeitapormeiodossímbolosgráficos,ou

daconcepçãoartísticadecadaconstelação,pintadosouesculpidosnoteto, mostrando,narealidade,ocaminho–aparente–percorridopeloSol,ou podeserfeita,também,porintermédiodaschamadascolunaszodiacais. Noprimeirocaso,émaisrespeitadaaposiçãodecadaconstelação nofirmamento,dispondo-se,todaselas,no“céu”(teto)ocidental,noboreal enoaustral,jáque,nooriental,oSolreina. Todavia,aformamaisusadaéasegunda,atravésdepilastras,oude colunasdaordemjônica;pilastra(doitaliano:pilastro)é,emArquitetura,o pilarretangular,ouquadrado,comasmesmasproporçõeseornatosdas colunas,aderenteaumaparede.Ascolunas,oupilastras,sãoaplicadasàs paredes Norte e Sul da Loja, tendo, cada uma, sobre o seu capitel, o pentaclocorrespondente.Pentacloéarepresentaçãodecadasignocomo planetaeoelementoqueocaracterizam. As colunas podem ser inteiras, ou podem ser meias colunas – no sentidolongitudinal–juntoàsparedes,sendoseisaoNorteeseisaoSul.A sequênciadelasédeÁriesaPeixes,daseguintemaneira:aprimeira,ao Norte,próximaàparteocidental–ouNoroeste–éadeÁries;eaúltima,ao Sul,tambempróximaàparteocidental–ouSudoeste–éadePeixes.Isso, porquearepresentaçãodosignodeCâncerdeveráestarsempreaoNorte– correspondendoàcoluna“B”,quemarcaapassagemdotrópicodeCâncer– e a do signo de Capricórnio estará sempre ao Sul – correspondendo à coluna“J”,quemarcaapassagemdotrópicodeCapricórnio.Estaexigência, todavia,nãoautorizaoerro,cometidoemcertasLojas,comacolocaçãode apenasdezcolunas,oqueimplicaconsiderarasduascolunasvestibulares comoaszodiacaisdeCâncereCapricórnio,oqueéincorreto.

OSSIGNOSZODIACAISEAESCALAINICIÁTICA

ACÂMARADEREFLEXÃOEAMORTESIMBÓLICA

Umainiciaçãomaçônicaéumamortesimbólicaeumrenascimento, ou um novo nascimento. Por isso, o candidato – como em outras instituiçõesiniciáticasmuitoantigas,inclusivereligiosas–ficaencerrado, durantealgumtempo,numcompartimentoisolado,comoumacaverna,de ondeelesai,numdeterminadomomentodoritualiniciático,comosesaísse doúteroparaaluz. Em Maçonaria, esse compartimento é a chamada Câmara de Reflexão, onde o candidato permanece em meditação, antes de ser conduzidoaotemplo,paraacerimôniadeiniciação.Tudo,nessaCâmara, lembra a morte, a efemeridade da matéria e a eternidade do espírito. Assim,abstraídasaspequenasdiferençasdedecoração,entreosdiversos ritos,umaCâmaracontém:

ritos,umaCâmaracontém: Umesqueletohumano,amostrarquetodososhomensficamreduzidosà

Umesqueletohumano,amostrarquetodososhomensficamreduzidosà

mesmacondição,apósamorte,sendo,portanto,vãsefúteisasdistinções

feitasemvida;

Umaampulheta,ourelógiodeareia,que,porregistrarpequenosespaçosde

tempo,mostraqueavidaéefêmeraedeveserusadanaconcretizaçãodas

grandesobrasdoespíritohumano;

Sal,enxofreemercúrio,ostrêselementosnecessáriosàGrandeObrada

Alquimia [45] .

Umpedaçodepãodetrigo–simbolicamente,oalimentodocorpo,porqueéo

símbolodafertilidadedaterra,fecundadapeloSol–eumabilhacomágua–

simbolicamente,oalimentodoespírito,porserosímbolodapurificação–

mostrandoque,seéimportanteonutrimentodocorpo,odoespíritoétão

importantequantoele,ouatémais;

Ogalo,emposiçãodecanto,saudandoanovaaurora,orenascerdo

candidato,paraumanovaexistência;

Umataçadelíquidodoceeumadelíquidoamargo,amostrarqueavidaé

feitadealtosebaixos,debonsemausmomentosequeohomemdeveacatar

asuasorte,resignadamente;

ApalavraVITRIOL,queéasigladeumamáximaalquímica:VisitaInteriore

TerraeRectificandoqueInveniesOcultumLapidem(Visitaointeriordaterra

e,seguindoemlinhareta,encontrarásapedraoculta),aqualaludeà

procuradapedrafilosofaldaalquimia.ParaaAlquimiamística,porém,a

fraseéumconviteàintrospecção,àprocuradoeuinterior,comoaexpressão

inscritanofrontispíciodoTemplodeApolo,emDelfos:Nosceteipsum

(conhece-teatimesmo).

Esse renascer constante, a partir da morte simbólica, associado a todaaescaladainiciática,nocaminhoquevaidastrevasàluz,podeser assimilado às sucessivas mortes e ressurreições da natureza, mostrada pelocicloimutáveldosvegetais,emtodososanos.Eessecicloémostrado pelos signos zodiacais, que simbolizam todo o aperfeiçoamento do candidato,desdequeeleéencerradonaCâmaradeReflexão,atéque,como iniciado,elepercorreocaminhodoconhecimento,queolevaàvisãodaLuz total,simbolizadapeloSol,noOriente.

OSSIGNOS,DAINICIAÇÃOAOMESTRADO

Os signos zodiacais relacionados com o grau de Aprendiz Maçom são:Áries,Touro,Gêmeos,Câncer,LeãoeVirgem;relacionadocomograu deCompanheiroMaçom,estáosignodeLibra;eosinerentesaograude MestreMaçomsãoossignosdeEscorpião,Sagitário,Capricórnio,Aquárioe Peixes.Isso,deacordocomaanáliseexpostaaseguir:

ÁRIES-PorrepresentarofogoconstrutivointeriordoHomem,aforçaque

ÁRIES-PorrepresentarofogoconstrutivointeriordoHomem,aforçaque

estimulaocrescimentoeodesenvolvimento,Áriessimbolizaofogointerno,o

ardorincontidodocandidatoàiniciação,àprocuradaLuz;éopassoinicial

darenovaçãodanaturezapelofogo,queéoelementodeÁries.

darenovaçãodanaturezapelofogo,queéoelementodeÁries. TOURO-Porrepresentaranaturezaprontaparaafecundação,Touro

TOURO-Porrepresentaranaturezaprontaparaafecundação,Touro

mostra,simbolicamente,queocandidato,depoisdeconvenientemente

preparado,foiadmitidoàsprovasdainiciação.

preparado,foiadmitidoàsprovasdainiciação. GÊMEOS-Porrepresentaraterrajáfecundadapelofogo,avitalidade

GÊMEOS-Porrepresentaraterrajáfecundadapelofogo,avitalidade

criadora,simbolizaorecebimentodaLuzpelocandidato.

criadora,simbolizaorecebimentodaLuzpelocandidato.

CÂNCER-Porrepresentarorenascimentodavegetação,aseivaestuanteda

vida,simbolizaainstruçãodoiniciadoeaabsorção,porpartedele,dos

conhecimentosiniciáticosdaMaçonaria;éasabedoriarepresentadana

ressurreiçãodanatureza,ouseja,orenascimentodoespírito.

ressurreiçãodanatureza,ouseja,orenascimentodoespírito.

LEÃO-Porrepresentaraaçãodofogoexterno(oSol),queamadureceos

frutos,eoempregodarazãoaserviçodacrítica,simbolizaojuizocríticoe

racionalqueoiniciadofazdetodososconhecimentosqueadquiriu,

aprendendo,commétodo,aselecionartodosaquelesquelhepuderemser

úteis

úteis VIRGEM-Porrepresentaracolheitamadura,simbolizaoaperfeiçoamento

VIRGEM-Porrepresentaracolheitamadura,simbolizaoaperfeiçoamento

doiniciado,ouseja:depoisdeterjulgado,racionalmente,osensinamentos

querecebeu,oiniciadojápodesededicaraodesbastamentodapedrabruta,

queéoseupróprioaperfeiçoamentomaterialeespiritual.

queéoseupróprioaperfeiçoamentomaterialeespiritual.

LIBRA-Porrepresentaroequilíbrioentreasforçasconstrutivaseas

destrutivas–amaturidadetotaldofruto,oequilíbrioentreoviçoeo

apodrecimento–Librarelaciona-secomadualidadedosegundograu

simbólico,simbolizandooCompanheiro,naplenamaturidadedesua

ascensãonaescalainiciática,prontoadesenvolvertodooseupotencialde

trabalho.

trabalho.

ESCORPIÃO-Porrepresentarodesaparecimentodoselementos,aperdada luzdoSol,amorte,enfim,danatureza,simbolizaamortedoartíficeHiram Abi,morto,segundoalenda,portrêsCompanheiros–representandoainveja,

aignorânciaeaambição–deacordocomalendado3°grau,decalcadana

lendadamortedoSol,oulendadeOsiris.

lendadamortedoSol,oulendadeOsiris.

SAGITÁRIO-Porrepresentaranaturezamortaeoespíritoanimador,quese

destacadocorpo,simbolizaaprocuradocorpodomestreHirameolamento

detodososobreiros,pelaperdadoMestreedapalavraperdida.

CAPRICÓRNIO-Porrepresentaraterrainerte,masfecundável,ouseja,a

CAPRICÓRNIO-Porrepresentaraterrainerte,masfecundável,ouseja,a

esperançadenovaressurreição,simbolizaadescobertadolocalemquefoi

ocultadoocorpodeHiram.

ocultadoocorpodeHiram.

AQUÁRIO-Porrepresentarareconstituiçãodoselementosconstrutivos,

preparandoumanovageraçãodavida,naterraaindainerte,simbolizaa

cadeiaqueosobreirosfazem,paraqueocorpodeHiram,retiradodoseioda

terra,possaressuscitarnumplanoelevado,poisHiram,comoOsíris,

simbolizaaluzdoSol.

simbolizaaluzdoSol.

PEIXES-Porrepresentaratotalressurreiçãodanatureza,comavoltado

reinodaLuz,simbolizaorenascimentodoMestreHirameoreencontroda

palavraperdida;dopontodevistamístico,esterenascimentonãoénoplano

material,mas,sim,noespiritual:éavoltadoSoledavida,prontosparamais

umciclo.

OSCARGOSEMLOJAEOSSETESPLANETAS

ASLUZES,DIGNIDADESEOFICIAISDEUMALOJAMAÇÔNICA

AadministraçãodeumaLojaéformadaporDignidadeseOficiais.

Emboraexistamvariações,deacordocomoritoadotadopelaLoja,alguns

cargossão,geralmente,comunsatodososritos.Sãoeles:

DIGNIDADES:

UmVenerávelMestre [46] ,queéopresidentedaLoja;

Um1°Vigilante,queéoprimeirovice-presidente;

Um2°Vigilante,queéosegundovice-presidente [47] ;

UmOrador,queéorepresentantedoMinistérioPúblicomaçônicoemLoja,o

guardaedefensordalei;

UmSecretário,aquemcompetelavrarasatasdasreuniõeseorganizaro

expediente.

OVenerávelMestreeosVigilantessãotambémchamadosdeLuzes da Loja, porque, simbolicamente, deles emana a luz, como dirigentes da corporação.

OFICIAIS:

UmTesoureiro,quetratadasfinançasdaLoja;

UmChanceler,ouGuardadosSelos,quetimbraospapéisecontrolaolivrode

presençasdosobreiros;

UmMestredeCerimônias,aoqualcompetedirigirtodoocerimonialde

qualquersessãodaLoja;

UmHospitaleiro,ouEsmoler,quecuidadaparteassistencialaosIrmãose

demaispessoasnecessitadas;

DoisDiáconos,que,dependendodorito,auxiliamnasiniciaçõeseemoutras

práticasritualísticas;

DoisExpertos,queauxiliamnasiniciaçõesesubstituemosVigilantes,emseus

impedimentos;

UmGuardaInterno(ouCobridor),quecuidadasegurançainternadotemplo;

UmGuardaExterno(ouTelhador),quecuidadasegurançaexternado

templo;

UmMestredeHarmonia,queéresponsávelpelatrilhasonoradassessões

(músicadefundo,emcertaspassagensritualísticas);

UmPorta-Estandarte,quecuidadainsígniadacorporação;

UmPorta-Espada,queconduzaespadaflamejante,usadaemcertas

passagensritualísticas;

UmPorta-Bandeira,paraasreuniõesmagnas,públicasounão,emquea

bandeiranacionaltenhaqueserrecepcionada;

UmMestredeBanquetes,quecuidadosperiódicoságapesfraternais.

OSSETECARGOSPRINCIPAIS,ASSIMILADOSAOSSETEPLANETAS

Detodososcargosreferidos,podemserdestacadossete,que,pelas suascaracterísticas,sãoassimiladosaosseteplanetasdaAntiguidade,ou aos deuses do panteão greco-romano, também assimilados a esses planetas. Assim,temos:

OVenerávelMestreéassimiladoaoplanetaJúpitereaZeus(Júpiter, paraosromanos). Júpiteréomaiordosplanetas,representa,demaneiraunificada,as figurassimbólicasdopai,dopatriarcaedorei,eéosímbolodagrandeza deespírito,dasabedoriaegenerosidade,dosentidodejustiçaedaalegria espiritual. É representado por uma meia-lua crescente – símbolo da consciênciadaalma–unidaaumacruz–querepresentaamatéria. OVenerávelMestre,comooplanetaecomoZeus,éarepresentação simbólicadopatriarca,dopai,dorei,jáqueéomáximodirigenteespiritual dacomunidaderepresentadapelaLoja;eeledevedirigi-lacomasabedoria, odiscernimentoeagenerosidade,típicasdosimbolismodoplanetaeda personalidadecriadaparaoreidosdeuses.OVenerávelrepresentaedirige a chamada Coluna da Sabedoria, simbolizada pela ordem arquitetônica jônica.

O1°VigilanteéassimiladoaoplanetaMarteeaAres(Marte,paraos

romanos).

Marteéoplanetadaforçaviril,daatividadeecapacidadecriadoras,

emtodasassuasformas.Napsicologiaastrológica,oplanetarepresentao espíritoempreendedor,enérgicoecheiodeânimo.Érepresentadoporum círculo com uma flecha na parte superior direita, simbolizando a força criadoradoespírito.

O1°Vigilanteéresponsável,emLoja,pelachamadaColunadaForça

–queficanaparteNortedotemplo–simbolizadapelaordemarquitetônica dórica. Nessa parte Norte é que, em sessões festivas abertas ao público, sentam-se todos os homens, porque a força, para os antigos gregos, era

qualidadeexclusivamentemasculina.

O2°VigilanteéassociadoaoplanetaVênuseaAfrodite(Vênus,para

osromanos). Esotericamente, o simbolismo de Vênus tem dois aspectos diferentes:umérelacionadoaoamorespiritualeooutroéligadoàsimples atração sexual; no primeiro caso, é o emblema do amor, como força de coesão,deharmonia,dabelezaedorefinamento.Érepresentadoporum círculo com uma cruz na parte inferior, significando o espírito, em seu esforçodeselibertardamatéria.

O 2° Vigilante, em Loja, é o responsável pela chamada Coluna da

Beleza – que fica na parte Sul do templo [48] – simbolizada pela ordem arquitetônicacoríntia.Nessaparteéque,emsessõespúblicas,sentam-seas mulheres, porque a beleza, para os antigos gregos, era qualidade exclusivamentefeminina. OOradoréassimiladoaoSoleaApolo.

O Sol é o símbolo material-espiritual da divindade e sua luz é

consideradaamanifestaçãovisíveldeDeus,comoemblemadosprincípios degeração,conservaçãoesustentaçãodavida,emtodasassuasformas. Esotericamente, o Sol é o emblema do espírito, do Eu Superior; é representadopelafiguradoarcanjoMiguel,quederrotaSatanás–acabeça daserpente–símbolodastrevas,comsuaespadaflamejante,símboloda força solar. Na astrologia, constitui o Princípio Vital, centro de todas as coisas físicas; é representado por um círculo – símbolo do espaço e do tempoinfinitos–comumpontonomeio–símbolodoespírito.

DoOradoremanaaluzdoDireito,daLeiedaJustiça,emLoja,sendo

ele,portanto,aluzqueesclareceeorientaosobreiros.

OSecretárioéassimiladoàLuaeàdeusaÁrtemis(Diana,paraos

romanos).

A Lua sempre foi cultuada como a “Mãe Universal”, o princípio

feminino, que fertiliza todas as coisas; ela simboliza os poderes modeladoresdaLuzAstral,porserconsideradarepresentaçãodamatéria; suasforçassãodecarátermagnético,opostasàsdoSol,quetêmcaráter elétrico.Esotericamente,aLuaestáidentificadacomadeusaegípciaÍsis,a grandeiniciadoradaalmanosmistériosdoespírito.Érepresentadaporum crescenteem forma decopa, simbolizandooladoreceptivoda natureza humana.

O Secretário, com a redação da atas, a guarda de papéis legais e

livros da Loja, reflete a luz que emana da Oratória, pois os registros precisam ter o aval do Orador, para que funcionem como instrumentos

legais.

OMestredeCerimôniaséassimiladoaMercúrioeaodeusHermes

(Mercúrio,paraosromanos).

Personificandoo“mensageirodosdeuses”,comooplanetaquemais

rapidamente circula em torno do Sol, Mercúrio, por reger o intelecto humano,representaaforçaativadoEu,aconsciênciadahumanidadeeas faculdadesdever,perceber,raciocinareanalisarcomlógica.Mercúrioé representado

OMestredeCerimôniaséumOficialcirculante,aoqualcompetea

recepçãoeaconduçãodemaçonsvisitantes,aconduçãodemembrosdo quadroefetivo,quedevamserconduzidosdeumlocalaoutrodaLoja,eo atendimentoaosobreiros.Eleé,também,consideradoomensageirodas Dignidades da Loja, assim como Mercúrio – e o deus Hermes – é o mensageirodosdeuses.

OTesoureiroéassimiladoaSaturnoeaodeusCronos(Saturno,para

osromanos).

O planeta Saturno simboliza o tempo, que devora todas as suas

criações: seres, coisas, sentimentos, ideias. Astrologicamente, é considerado o mais poderoso e maléfico dos planetas, por sua natureza lentaepaciente,furtivaevelada.Elerepresentaomovimentodecontração, solidificação, cristalização, estabilidade e inflexibilidade; é representado, simbolicamente, por uma cruz , que surge de uma meia-lua crescente, simbolizandoamanifestaçãodaconsciência.

Aatividadedereceberosmetais [49] ,detê-lossobasuaguardaede

manterorganizadoomovimentofinanceirodaLoja,éconsiderada–por lidarcomafriezadosnúmeros–friaecalculista,alémdeinflexível.Assim, oTesoureiroéassimiladoaSaturnoporqueeste,oplanetamaisafastado doSol–entreossetedaAntiguidade–éfrioerepresentaastrevas.Ele tem, também, que ser paciente, porque a sua atividade demanda tempo paraserconcluída

MASHÁUMAVARIAÇÃO

Existe,todavia,umaoutrainterpretaçãoastrológica,envolvendoos sete planetas e os cargos em Loja, com alterações da assimilação e a substituiçãodoMestredeCerimôniaspeloHospitaleiro:

O Venerável Mestre é assimilado ao Sol, expressão do “Um”, da sabedoria,dasagacidade,doiniciado.Comomáximodirigenteespiritualda Loja, ele, com sua luz, ilumina a todos os obreiros; é, como o Sol, a representaçãodoouro,símbolodeDeus,oprincípiomasculinoativo,que caracterizaosmaçonscomos“FilhosdaLuz”.Nestecaso,aassimilaçãoéà luz da sabedoria e da sagacidade, representada pelo Sol, e não à figura arquetípicadopai,dorei,dopatriarca,simbolizadaporJúpiter.

O1°VigilanteéassimiladoàLua,refletindoasabedoriaemanadado

VenerávelMestre,oSol.SeoSoléaexpressãodo“Um”,dasabedoria,aLua

édo“todo”,damultidão,docoletivo,porquenãohánadamaismutávele

maisversátildoqueamultidão.Ambossecompletam,comooscargosaos

quaissãoassimilados,emboraopostos(masculino-feminino,ativo-passivo,

vida-morte);ostitularesdoscargosopõem-se,emsuaposição,notemplo:

oVenerávelMestreficanoOriente(ondeestáoSol)eo1o.Vigilanteficano

Ocidente(ondeestáaLua).Assim,sobessainterpretação,aassimilação nãoéàforça,simbolizadaporMarte,mas,sim,àexpressãodotodo,do coletivo,representadapelaLua.

O2°VigilanteéassimiladoaMarte,conhecidocomodeusdaguerra,

mas,também,comoosímbolodaenergiaedaação.Éao2°Vigilanteque

competeainstruçãoeaformaçãodosAprendizes,aosquaiseledeve,com todaaenergianecessária,transmitirosensinamentosqueosprepararão para as ações enérgicas e movidas pelo raciocínio lógico. Neste caso, a assimilaçãonãoéàbeleza,representadaporVênus,masàenergiaeàação, simbolizadasporMarte. OOradoréassimiladoaSaturno,cujosímboloessencialéatradição. AmissãomaiordoOradoré,justamente,adeseroguardafieldatradição

maçônica. Ele deve evocá-la, sempre que houver necessidade e o fará apoiadosobreumoutrovalorsimbólicodeSaturno:afidelidade,aliadaà perenidade. Assim, sob esse enfoque, a assimilação é feita a partir da tradição, representada por Saturno, e não pela luz do discernimento, simbolizadapeloSol. OSecretárioéassimiladoaMercúrio,omensageirodosdeuses,que governa as faculdades intelectuais. O Secretário deve aplicar toda a sua inteligênciaediscernimentonadescrição,comprecisão,dostrabalhosda Loja, em ata. Nesse caso, portanto, a assimilação é em função das faculdadesintelectuais,governadasporMercúrioenãodareflexãodaluz pelaLua. OTesoureiroéassociadoaJúpiter,que,ligadoàsfinançaseàlei,é padrão de honestidade e honradez. A lei e sua rigidez, a honestidade absoluta, são as qualidades necessárias a um bom Tesoureiro, que é, rigorosamente, o administrador das finanças da Loja. Sob essa interpretação,aassimilaçãoédevidaaopadrãodehonestidadeehonradez deJúpiterenãoàfriezacalculistaelentadeSaturno. O Hospitaleiro é associado a Vênus. Com o Hospitaleiro, as qualidades amáveis de Vênus encontram sua melhor expressão; representante do amor ao próximo, ele deve ajudar e assistir, inclusive financeiramente–easfinançasrepresentamoutraatribuiçãosimbólicade Vênus–osIrmãosnecessitados,ouaflitos.Nestecaso,Vênusdeixadeser assimilado por ser símbolo da beleza, mas, sim, por simbolizar as qualidadescordiais–ouseja,docoração–eoamoraopróximo. Ambasasinterpretaçõespodemseraceitas,oquemostracomoé ricaeabrangenteasimbologiamaçônica.Emborapareçaqueháumacerta oposição entre os dois conjuntos de assimilações aos cargos em Loja maçônica, a verdade é que não há, em nenhum dos casos, qualquer agressãoàlógicaenenhumadistorçãotendenciosa,paraadaptarcargosa planetas,ouvice-versa. Narealidade,élógicoeracionalassimilaroVenerávelMestretantoa Júpiter quanto ao Sol, porque, sendo a figura simbólica do pai e do patriarca,comodiscernimentosuficienteparainstruirosseusliderados, eleé,porissomesmo,aluzdasabedoria,dasagacidade,do“Um”.

Tambémélógicaaassimilaçãodo1°VigilantetantoaMartequanto

à Lua, porque, presidindo a Coluna da Força, apanágio de Marte, ele é, também, o responsável pelo “todo”, pelo coletivo, representado pelos

obreirosdaLojaesimbolizadopelaLua. A assimilação do 2° Vigilante tanto a Vênus quanto a Marte, é absolutamenteracional,porque,dirigindoaColunadaBeleza,elenecessita, todavia, da energia de Marte, para transmitir os ensinamentos aos Aprendizes. O Orador, assimilado tanto ao Sol quanto a Saturno, também representa um raciocínio coerente, porque ele, representando a luz do esclarecimentolegal,ouseja,aluzdaJustiça,é,aomesmotempo,oguarda datradição–porqueasleismaçônicaspossuemumpontocomumantigoe tradicional–àqualsededica,comfidelidade. AassimilaçãodoSecretáriotantoàLuaquantoaMercúrio,também é lógica, pois, mesmo refletindo a luz legal, que vem da Oratória, o Secretáriodeveusarasabedoria,governadaporMercúrio,pararedigiras atas,comabsolutaclareza. Élógica,também,aassimilaçãodoTesoureiroaSaturnoeaJúpiter, porque, se ele lida com a frieza dos metais, são fundamentais, para o exercício de suas funções, a honestidade e a honradez, regidas por Mercúrio.

OUSIMPLESMENTE,OSOL,PARAASTRÊSLUZES

JáfoidestacadoqueoVenerávelMestreé,também,arepresentação doSol,porque,sendo,oSol,osímbolodaluzdomundo,queégovernado, emsuasmudançasdetempoedeestações,peloSol,eleéassimiladoao Venerável, já que é este que governa a luz, controlando o tempo de aberturaedefechamentodostrabalhosquerealiza.Adefiniçãoheráldica doSoléamaisconvenienteparaexplicarasoberaniadoVenerávelMestre, jáqueoastrorepresentaasoberania,amajestadeedeleemanaabsoluta autoridade. Essesimbolismo,todavia,seestende,também,aosdoisVigilantes, quesãoasoutrasduasLuzesequeseencontram,hierarquicamente,logo abaixo do Venerável Mestre, substituindo-o, eventualmente, em seus impedimentos.Destamaneira,oVenerável,noOriente(Leste),éosímbolo

doSolnascente;o2o.Vigilante,noSul,ouMeio-Dia,éosímbolodoSol

meridiano;eo1o.Vigilante,noOcidente(Oeste),éosímbolodoSolpoente.

Esta disposição, por sinal, remonta ao hinduismo, onde os principais oficiantes colocavam-se no Leste, no Oeste e no Sul, para representar Brahma,queeraoSolnascente,Vishnu,queeraoSolpoente,eShiva,que

eraoSolmeridiano.

OSQUATROELEMENTOS

OQUATERNÁRIO

OsquatroelementosdaAntiguidade–ar,água,fogoeterra–estão tantonoterrenodaAlquimiaquantonodaAstrologia,ondeestãoligados aossignoszodiacais. Atravésdosquatroelementos,pode-seevocaroquaternário,queéo próprio sentido da criação. Deus, o espírito primordial, invisível, imperceptível,ilimitado,torna-seperceptívelaohomemlimitado,pormeio dacriação.Vistosobreozodíaco,essequaternárioéformadoporquatro triângulosentrecruzados,correspondentesaosquatroelementos.Aíestão implícitas as realidades materiais, que permitem chegar ao domínio do espírito, já que a terra e a água representam a expressão do material, enquantoqueoareofogosimbolizamoespírito.Naconstruçãozodiacal, esse caráter complementar dos quatro elementos, unindo o físico e o espiritual,comobasedavida,podeserbempercebido,poiscadasignoda terra faz frente a um signo da água, enquanto que cada signo do ar encontra-sediantedeumsignodofogo.

COMBINAÇÕESMATERIAIS

Os elementos combinam-se, não somente no plano dos valores simbólicos,mas,também,noplanoconcreto,material:

A terra, sem a água, é apenas pó. Sem a água não há vida, a reproduçãoéimpossível,tudoseresseca.Umanovavidapassapelamorte dealgumacoisa,sejadeumacivilização,deumanimal,deumaplanta;ea águafavoreceoapodrecimento,queproduzoselementosfertilizantes.A água da superfície terrestre foi o lugar onde se originou a vida. Ela é o pontodepartidadavida,e,também,omeiodesuaperpetuação,poiscerca desetentaporcentodoarqueascriaturasvivasrespiramprovémdaágua, pelavidaplanctônica.Assim,tantonoplanomaterial,quantonoespiritual, éencontradaaligaçãoentreoareaágua.Oaré,também,necessárioà vida, à respiração e às combustões e oxidações que ela provoca, mas também, com o auxílio do fogo, do calor, ele participa da evaporação, o mecanismoqueperpetuaociclodaságuas.Ofogo,tambémele,émuito necessário à vida: o homem se aquece junto a ele, utiliza-o em suas indústrias, com ele cozinha seus alimentos. A mitologia o elege como o elementoprincipal:Prometeuroubadosdeusesaquiloquelheparecesera

coisamaisútilparaahumanidade,ouseja,ofogo. Cada elemento comporta efeitos ditos “benéficos”, ou “maléficos”, quesãointerpretadoscomopositivos,ounegativos;omesmoocorrena Astrologiacom,porexemplo,aalternânciadosdozesignos:Áries,positivo, Touro,negativo;Gêmeos,positivo,Câncer,negativo;etc. Ofogodestróie,sobessepontodevista,éumelementomaléfico; mas, concomitantemente, ele é um elemento benéfico, que preside à destruiçãoeamortedequalquercoisa,tendoemvistaumareconstrução melhor,maisbelaemaisaperfeiçoada.Aáguaseopõeaofogo,nosentido delimitarosseusefeitos.E,seaáguasetornarumelementodestruidor,o fogo,oar,ouaterra,conjugarãoosseusesforçosparalimitarosefeitos dessadestruição.Oelementoterraéomaisduradouro,éoquemaisresiste às agressões; o simbolismo astrológico o toma como elemento de estabilidade,deduração,deconstruçãolenta,paulatinaemetódica.

NARITUALÍSTICAMAÇÔNICA,OSQUATROELEMENTOS

Aspráticasiniciáticasmaçônicas,dependendodoritopraticadopela

Loja,mostrampassagensassociadasaosquatroelementos,ouosabordam,

mesmoquedemaneiravelada,sempassagensespecíficasaelesreferentes.

Elesestão,todavia,presentesecomasmesmasinterpretaçõeseamesma

importânciasimbólicaadvindasderemotasépocasejátradicional.

Abordandoosquatroelementosempassagensespecíficas,existem

ritosqueosassociamacertasprovas–apenassimbólicas–pelasquaiso

candidatodevepassar:

Doelementosólido,aterra,aMaçonariafezoelementodereflexão, o tema da Câmara de Reflexão, onde o candidato à iniciação morre, simbolicamente,paraavidamaterial,parapoderascenderàvidaespiritual eternaepoderdizer,comconvicção:amortenãoéumfim. Assim, a sua permanência, em meditação, na Câmara de Reflexão, simbolizaa“provadaterra”,relembrandoasantigasiniciações,duranteas quais o candidato era encerrado em uma caverna, no âmago da crosta terrestre, no útero da Mãe-Terra, do qual ele nasce para uma nova existência.Aterra,elementopassivoefeminino,éoinícioeofim,oberçoe atumbadohomem;opóaelavoltaenelarenasce. Durante o desenvolvimento da cerimônia iniciática, o candidato passaporumasegundaprova,ligadaaosquatroelementos;éa“provado ar”, quando são ouvidos o rugir dos ventos e os trovões, no fragor das

tempestades,duranteaprimeira“viagem”simbólicaqueocandidatofaz. Emboraofogosejaconsideradoaorigemdetodasascoisas,oar,ativoe masculino,é,geralmente,tomadocomooprimeiroelemento,porqueoar comprimido,ouconcentrado,criaocaloreofogo,doqualderivamtodasas formasdevida. Oarestá,essencialmente,ligadoatrêsconjuntosdeideias:osopro criativo da vida, a palavra criadora; o vento – ar dinamizado, ar em movimento–ligadoàideiadacriação,emmuitasmitologias;eoespaço, comomeioondeocorremosmovimentoseondesurgemosprocessosde criaçãoededesenvolvimentodavida.Astempestadeseosventosmostram ainstabilidadedoar;eéessaaideiaquesepretendetransmitir,comos sons dos trovões e dos tornados: a instabilidade da existência, sujeita a percalços,àfelicidadeeàamargura,abonseamausmomentos,quedevem ser admitidos com alegria, ou com paciência e resignação. A primeira “viagem”, ligada, portanto, ao elemento ar, é cheia de dificuldades e de perigossimbólicos,mostrandoapenasumapreocupaçãomaterial. Naliteraturaesotérica,oarsimbolizaamente,porsuasqualidades desutileza,mobilidadeeindivisibilidade,demodoqueapurificaçãopeloar simbolizaodesenvolvimentoeaeducaçãodamente.Depoisdepurificadaa mente, ela está livre dos vícios do mundo profano – profano, aqui, é referênciaanãoiniciado–eaptaareceberosensinamentosdadoutrina maçônica.Amenteéumapoderosafontedeenergia,quepodeserusada paraobem,ouparaomal;empregando-adeformaconscienteecriadora, elapodebeneficiaravidaeinfluir,favoravelmente,nomeioambiente.O mundoprofanopreocupa-semaiscomosaspectosexternos,dosbensqueo mundopodeproporcionar;paraoiniciado,avidasignificaumprocesso interno,comodespertardo“eu”espiritual. Aterceiraprovaligadaaosquatroelementoséa“provadaágua”, quandoocandidatotemsuamãosmergulhadasnaáguaexistentenomar debronze,queéumpequenorecipientecomáguaequelembraomarde bronze do Templo de Jerusalém. A água, elemento passivo e feminino e símbolo universal das emoções e do inconsciente, simboliza a vida terrestreematerial,masnãoametafísica.É,também,umantigosímboloda purificação;porisso,mergulharasmãosdocandidatoemágua,significa livrá-lasdasimpurezaseconservá-lassemprepuras,“indenesdaságuas lodosasdovício”,comodestacammuitosrituaisemvoga. Essa purificação pela água ocorre após a segunda “viagem” simbólica,maissuavedoqueaprimeira,aqualevocaaimagemdohomem

duvidandodesimesmo,depoisdeseuserrospassados,masrecuperandoa plenaconfiançaparalutarnovamente,apósapurificaçãosimbólicapela água.Taissentimentoscontraditóriosrepresentamabasedosimbolismo daáguanainterpretaçãoastrológica,poisaáguanãotemformaprópria, tomandoaformadorecipientequeacontém. Asabedoriaantigasimbolizaosentimentoatravésdaágua,assim como as emoções e paixões e, de maneira geral, a vida afetiva da alma, devido à instabilidade dos estados afetivos, que se assemelham à mobilidadedaságuasdosoceanos.Afinalidadedapurificaçãopelaáguaéa deeducaredisciplinarosestadosafetivosdaalma. Aquartaeúltimaprova,conectadaaosquatroelementos,éa“prova dofogo”,duranteaqualocandidatopassa,simbolicamente,pelaschamas purificadoras, que tudo renovam. O fogo é o elemento que, com mais frequência, encontra-se associado às religiões, desde os tempos pré- históricos;símbolodoSoledadivindade,nascivilizaçõesmaisantigas,da Mesopotâmia, da Índia e do vale do Nilo, ele foi, posteriormente, transformadoemsímbolodaalmaevidahumanas.Elerepresentaavidae a morte, a origem e o fim de todas as coisas, sendo, portanto, nessa condição, um dos mais importantes símbolos de transformação e regeneração. Comosinônimodevida,ofogotemmuitosaspectos,podendoser encontradotantoaoníveldapaixãoanimal,quandoaodosmaisprofundos esforçosespirituais.Eletemafunçãodesupremopurificador,como,por exemplo,nascremaçõesritualísticasdosmortos,aqualéumatradiçãoda Índia;emmuitascivilizações,háapráticadeandarsobrebrasas,também comosentidodepurificaçãoedetranscendênciadacondiçãohumana.A “provadofogo”,emMaçonaria,simbolizaaretiradadasúltimasimpurezas “profanas” do candidato, que, então, totalmente renovado – Igne Natura RenovaturIntegra:OFogoRenovaTodaaNatureza–estáprontoparaa nova existência. Ela ocorre após a terceira “viagem” simbólica, que representa o homem confiante, que já encontrou o seu “eu”, sendo purificado pelo fogo, que destrói, para permitir uma nova construção espiritualmaisbelaemaisaperfeiçoada. Ofogoproduzcaloreluz;ealuzéoestadogeraldetudooque existe.Apurificaçãopelofogo,portanto,significaque,durantesuavida,o iniciadodevepurificaroseuespírito,oseu“eu”interior,porqueeledeve descobrirquenãoéapenasumcorpofísico,nemapenassentimentos,nem mente,mas,sim,almaeespírito;edeveentenderqueavidatem,como

finalidadeessencial,odesenvolvimentoeaevoluçãodesseespírito,quea

luzéaexpressãodavida,queavidaéaexpressãodoVerboequeoVerboé

oGrandeArquitetodoUniverso.

OSTRABALHOSEMLOJA

MEIO-DIAEMEIA-NOITE

OstrabalhosdeumaLojamaçônica,simbolicamente,iniciam-seao meio-diaeseencerramàmeia-noite. Historicamente, uma das origens dessa prática é encontrada no zoroastrismopersa:Zoroastroreuniaosseusdiscípulosaomeio-diaeos despediaàmeia-noite,depoisdorepastoemcomum.Existe,todavia,uma razãodeordeméticaemoralajustificaresseatosimbólico:meio-diaéa horadosolapino,quandoosobjetosnãofazemsombra;é,portanto,o momentodamaisabsolutaigualdade,poisninguémfazsombraaninguém, concretizando um dos pilares doutrinários da moderna Maçonaria (os outrossãoaLiberdadeeaFraternidade). Astrologicamente,omeio-diaéahorasimbólicaemqueoSolestána suaculminância,emtodooseuesplendor,comasuaatividadeconhecida de todos, aberta, transparente. À meia-noite, quando os trabalhos se encerram,aatividadeétodasecreta,écoberta,ignoradadetodos,quando oritualmaçônico,paraassinalarocarátersecreto,pede,aomaçom,que jureguardarsilênciosobretudooqueviuououviu. Omeio-diacelesteémarcadopeloastromaisvisívelaolhonu,ou seja,oSol,oastroprincipal,omaisluminoso,ocoraçãodosistemasolar,o símbolo de Deus. A meia-noite celeste é caracterizada pelo astro menos visívelaolhonu,oúltimo,omaisafastadodoSol,queéPlutão.Assim,oSol simbolizaomeio-dia,aluz,ePlutãosimbolizaameia-noite,astrevas. Plutãoéosímbolodoinvisívele,emseusbonsaspectos,significao acessoàsriquezasescondidas,comoadainiciação,dooculto,dacriaturase colocandomaislongedamatériaepertodaradiaçãoceleste,alémeforade toda a materialidade. Em seus maus aspectos, Plutão se torna a própria negação de Deus e a imagem de Satã, no sentido literal da palavra:

adversário, oponente. Ele relembra, ao maçom, que este, à meia-noite – simbolicamente–reingressanomundoprofanoequeguardarsigilosobre ostrabalhosefetuadosapartirdomeiodiaéumdeveréticoemoral,não podendo,ele,setransformarnoadversáriodosensinamentosmaçônicos, comoumvulgarperjuro. Doze horas existem entre o meio-dia e a meia-noite. Doze são os signoszodiacais,querepresentamumcírculoperfeitoequesimbolizamas periódicasmorteseressurreiçõesdanatureza.Deumlado,oSol,símbolo

espiritual do Eu Superior e representação material da vida e da luz; do outro,Plutão,símboloespiritualdavontadecriadora,datransformação,e representaçãomaterialdamorteedastrevas.Duranteosimbólicoperíodo dedozehorasdeduraçãodeumasessãomaçônica,oobreirovaidaluzàs trevas,davidaàmorte,comoanatureza,afimderenascerparaumanova vidaespiritualeaperfeiçoada.

O número doze, inclusive, tem um alto sentido místico, como

símbolo da ordem cósmica, e era a base da numeração entre os povos

antigos,sendobastanteencontradoemtextosantigosebíblicos:osdoze

signoszodiacais,asdozetribosdeIsrael,osdozepãespropiciais,osdoze

mesesdoano,asdozehorasdodia,asdozehorasdanoite.

ACIRCULAÇÃODESTROCÊNTRICA

Amovimentação,naLojaestácompostaeemfuncionamento,tanto

dosOficiaiscirculantes,comooMestredeCerimônias,porexemplo,quanto dosobreirosquedevam,eventualmente,circular,indodeumlocalaoutro, éfeitanosentidohorário–odosponteirosdorelógio–oudestrocêntrico– com o lado direito do corpo voltado para o centro. Esse, também, é o sentido da marcha do candidato à iniciação maçônica, durante as suas “viagens”simbólicas,querepresentamsuapassagempelosquatropontos cardeaisdaTerra.

Desderemotasépocas,osentidodestrocêntricosimbolizaasforças

evolutivasebenéficas,enquantoqueosinistrocêntrico-oladoesquerdo voltado para o centro – ou anti-horário é a representação das forças involutivas,oumaléficas.Issopodeservisto,porexemplo,numdosmais

antigos e importantes símbolos de toda a humanidade, o qual,

lamentavelmente, adquiriu má reputação no século XX, por ter sido

adotadopelosnazistasalemães,comosímbolodoseumovimentopolítico-

ideológico:asuástica,oucruzgamada,umsímbolocósmico.

A cruz gamada representa a energia criativa do cosmos em

movimento. Por isso, ela pode ter dois sentidos diferentes: destrógiro – quando os seus braços sugerem mover-se para a direita, ou no sentido

horário–ousinistrógiro–quandoosbraçossugeremmovimentoparaa esquerda.Nosentidodestrógiro,elaéoemblemadomovimentoevolutivo douniverso;nosentidosinistrógiro,elarepresentaadinâmicainvolutiva. Além do sentido de movimento evolutivo, existe outro, também cósmico,paraacirculaçãodestrocêntricanaLoja:

Ohomemcomeçaasuajornadadetrabalhoaoromperdaauroraea termina no crepúsculo, quando se recolhe para o repouso; isso é simbolizadopelomaçom,quepartedoOcidente(Oeste),escuro,aoiniciar asuajornada,passapeloNorte,maisclaro,depoispeloOriente(Leste),na culminância do sol a pino, em seguida, pelo Sul, ao meio da tarde, retornandoaoOcidente,quandocaianoite.Significa,também,amarchano sentidohorário,queoobreirorealizaoseutrabalhoseguindoajornadado Sol, desde que ele nasce até quando se põe. Aplicada ao ano todo, essa marcha se daria sobre a eclíptica, percorrendo, como o Sol, as doze constelaçõeszodiacais.

OAVENTAL

AORIGEMEAEVOLUÇÃO

Comojáfoiesclarecido,oaventaldosmembrosdasorganizaçõesde ofício – Maçonaria operativa – era uma vestimenta de proteção, principalmenteentreoscanteiros,parapreservarocorpodosestilhaços das pedras. Assim, ele era de couro e se estendia desde o pescoço até abaixodosjoelhos,compequenasvariações,deacordocomaprofissãodo obreiro. Se, para esses obreiros, o avental era uma necessidade, como proteção, para o maçom aceito ele tem uma finalidade muito diferente, servindocomosímbolodotrabalho,queénecessárioparaoêxitodesua vidadehomem,decidadãoedechefedefamília.Isso,noplanomaterial.Já noâmbitoespiritual,essetrabalhoéexercidoemdoisníveis:oindividual, queocorreemvistadaascensãodomaçom,atravésdoconhecimento,eo coletivo,queéaparticipaçãonaobracomum,ouseja,aparticipaçãode todososmaçons,simbolicamente,naconstruçãodeJerusalém,dotemplo espiritualquerecorda,especialmente,SãoJoão,emseuApocalipse,eda

novaJerusalém,àimagemdaJerusalémceleste [50] . Narealidade,aconstruçãodoTemplodeJerusaléméomotedostrês graus simbólicos – Aprendiz, Companheiro e Mestre – representando, evidentemente, a construção material, moral, intelectual e espiritual do maçom.Nãocustarecordarque,paraostemplários,oTemplodeJerusalém eraosímbolodasobrasperfeitasdedicadasaDeus. Os primeiros aventais maçônicos eram todos iguais, de couro de carneiro,totalmentebrancos,atéparaosmaisaltosdignitáriosdaOrdem maçônica.Posteriormente,jáapartirdasegundametadedoséculoXVIIIé quemuitosdelespassaramaserverdadeirasobrasdearte,compinturas realizadas por profissionais e envolvendo uma grande quantidade de símbolos maçônicos. Não havia nenhuma padronização e, portanto, os aventaisvariavamdeacordocomavontadeeaimaginaçãodosartistas.Até omaterialusadofoivariando,sendousados,emlugardocourocurtido, tecidos,comoolinho,aseda,ocetim. Com a regulamentação, por parte das Obediências, o avental de courodecarneiro,ou,posteriormente,decourosintético,oudematerial similar, tornou-se praticamente padronizado, nos dois primeiros graus,

havendo,paraoterceirograu,odeMestre,variaçãodedecoraçãoedecor, apenasemfunçãodoritoadotadopelaLoja.Eletemoformatoretangular, ouseja,deumparalelogramo–quadriláterocujosladosopostossãoiguais

eparalelos–medindocercade40centímetrosnosentidohorizontal,por

35,nosentidovertical,quandovestido;éatadoaocorpoporumaestreita

fita,oucordão,geralmentedomesmomaterialdoavental. Embora muitos aventais antigos não tivessem uma abeta, esta surgiu, posteriormente, na parte superior da peça, em formato arredondado,outriangular,sendousada,indiferentemente,levantada,ou abaixada.Comapadronização,osaventaisdeAprendizedeCompanheiro, geralmente semelhantes – de couro branco, sem nenhum ornamento – embora,emalgunsritos,oaventaldoCompanheirotenhaumaorladacor dorito,passaramaapresentarumadiferençabásica:oAprendizusaoseu comaabetalevantada,enquantoqueoCompanheiroousacomaabeta abaixada.NograudeMestre,éclaro,aabetaésempreabaixada,tendosido, exatamentenela,quecomeçouohábitodedecoraroavental. Oaventaléumapeçaobrigatórianaindumentáriadeummaçome elenãopodeseapresentarsemelaaumasessãodeLoja;semela,eleé consideradonu.Orestantedotrajeimportamuitopouco,desdequeseja uma roupa formal, embora em algunspaísesdeformaçãocatólica ainda persista a ideia do “traje de missa”, o que enseja o ranço de exigir, dos maçons, mesmo em lugares de clima equatorial, ou tropical, pesadas roupasdecorescura–algunsexigemtrajenegromesmo–maisprópriade umaconvençãodeagentesfunerários.Chega-se,até,aocúmulodediscutir seagravata–preta,éclaro–podeserhorizontal(borboleta),oudevesera vertical,maiscomum! Embora o avental, graças à sua origem, não seja mais do que o símbolodotrabalhomaçônico,eleacabousendoobjetodeexegesemística, principalmente no tocante à abeta, quando de forma triangular. Na realidade,comohaviaocostumedecruzar,nascostas,ocordãoqueatao avental, trazendo as pontas até à frente e ali dando um laço, muitos escondiam esse laço, baixando a abeta do avental sobre ele, fosse ela triangular,ouemsemicírculo.

OAVENTALCOMOSÍMBOLOMÍSTICO

AabetadoaventaldoAprendiz–levantada–edoCompanheiro– abaixada, ou dobrada sobre o corpo do avental, foi passível de várias

interpretaçõesmísticas,dasquaisasmaisconhecidassão:

Acreditava-se,antigamente,queasededasemoçõeshumanaserao

epigástrio,regiãovulgarmenteconhecidacomo“bocadoestômago”.

Simbolicamente,oAprendiz,aindaéinexperienteepoucoaperfeiçoado,não

sabendodominarassuasemoções;paraqueestasnãoperturbemos

trabalhos,oseuepigástrioécobertocomaabetalevantadadoavental.Como

oCompanheiro,maisaperfeiçoado,jásabedominarassuasemoções,não

necessitamaisdessaproteção,podendomanteraabetaabaixada.

Aabetalevantada–doAprendiz–formaumtriânguloisóscelespositivo,ou

seja,comovérticevoltadoparacima,simbolizandooternárioevolutivo,

masculino,erepresentandooanseiodoespíritoemselibertardamatéria.A

abetadobrada,ouabaixada–doCompanheiro–formaumtriângulo

isóscelesnegativo,ouseja,comoápicevoltadoparabaixo,representandoo

ternárioinvolutivo,feminino,esimbolizandooprincípioespiritual

penetrandoevivificandoamatéria.

OaventaldoAprendizécomparadoàpedracúbica,comumapirâmidesobre

ela.Isso,evidentemente,numavisãotridimensional,desólidosgeométricos,

pois,emduasdimensões,elecorresponderiaaumquadrado–narealidade,

nãoéumquadrado,dadasasdimensõesdesiguais–tendo,sobreele,um

triânguloequilátero–que,narealidade,éisósceles,comapenasdoislados

iguais.Oquadradocorresponde,nosentidohermético,àmatéria,enquanto

queotriângulosimbolizaoespírito.NoAprendiz,então,oespíritoestá

dissociadodamatéria,oquenãoacontececomoCompanheiro(ecomo

Mestre),noqualoespíritoestáincorporadoàmatéria.

EASTROLÓGICO

Astrologicamente, a abeta do avental seria a evocação do grande triângulo maçônico, representado, inclusive, no céu da Loja, como já foi visto, e cujas pontas estão na constelação de Leão, a do vértice, e nas constelações de Bootes (Boieiro) e da Virgem, as da base. As estrelas fundamentais, formadoras dos três ângulos, seriam Régulus, de Leão, Arcturus,deBootes,eSpica,daVirgem. ComosimbolismodossignosdeLeãoedeVirgem,Deusengendraa pureza, através da virgem. O signo de Virgem ocupa a base direita do triângulo,enquantoqueBootes,oboieiro,opastor,oguiadorebanho,éo terceiroângulo,àesquerda.Pastorderebanholembraopastordeovelhas,

ouporextensão,decarneiros,animalvestido,naturalmente,delãbranca, queéosímbolodapurezaedoamor,qualidadesbásicasdomaçomquefaz, dapeledocarneiro,oseuavental. Omaçomvai,também,àLoja,paradominarassuaspaixões;eamais evidentedelaséaqueresultadasexualidade.Oaventalbranco,então,por sua posição, no corpo, leva, naturalmente, a uma outra forma de simbolismodepureza,nosentidodedomíniodaspaixõesedosinstintos. Paradestacarocaráterdessesimbolismo,énecessáriorecorreràsimbólica astrológica,emespecialàdosignodeEscorpião,valorizada,demaneira surpreendente,emtodasastradições. OsignodeEscorpiãoé,portradição,osignodasexualidadeeda morte,quefazcomqueascoisasmorram,parachegaraumplanosuperior. Eleéooitavosignoeoseguinte,onono,éodeSagitário,governadopor Júpiterequecomandaasaltosplanosdoespírito,daféedacomunicação

comomundosuperior.Escorpião,o8o.signo,permite,pelatransmutação,

o acesso a 9, último número do Mestre, quando ele morre para a materialidadeeparaaspaixõeshumanas,parachegaraoconhecimento,ao

vérticedotriângulo,aocumedamontanha,no10o.signo,odeCapricórnio,

colocadonomeio-dia,nozênite.

ASFESTASMAÇÔNICAS

ASLOJASDESÃOJOÃOEOSSOLSTÍCIOS

Alémdegiraremtornodeseueixo,aTerradesloca-senoespaço, comummovimentodetranslaçãoemtornodoSol,quandodescreveuma elipse,deacordocomasleisdeKepler.ParaoobservadorsituadonaTerra, todavia, é como se esta fosse fixa e o Sol se movesse em torno dela, seguindoumcaminho,que,comojáfoivisto,échamadodeeclíptica.

seguindoumcaminho,que,comojáfoivisto,échamadodeeclíptica. OSSOLSTÍCIOS

OSSOLSTÍCIOS

Ossolstíciosseparamasduasgrandesestaçõesdoano-verãoeinverno-

épocasdesignificativasenotáveismudanças.

EmsuamarchaemtornodoSol,aTerra,descrevendoumaelipse, ficará mais próxima, ou mais afastada do astro da luz. O ponto mais

próximo–147milhõesdequilômetros–éoperiélio;omaisafastado–152

milhões de quilômetros – é o afélio. Se a Terra, no movimento de translação,girassesobreumeixoverticalemrelaçãoaoplanodaórbita,as suasdiferentesregiõesreceberiamiluminaçãosempresobomesmoângulo eatemperaturaseriasempreconstante,emcadaumadelas.Mas,comoo eixoéinclinado,emrelaçãoàórbita,essainclinaçãofazcomqueosraios solaresincidamsobreaTerrasegundoumângulodiferente,acadadiaque passa. E, assim, vão se sucedendo as estações: verão, outono, inverno e primavera. Comoosplanosdoequadorterrestreedaeclípticanãocoincidem,

tendoumainclinação,umemrelaçãoaooutro,de23grause27minutos,

elessecortamaolongodeumalinha,quetocaaeclípticaemdoispontos:

sãoosequinócios.OSol,emsuaórbitaaparente,cruzaessespontos,ao passardeumhemisfériocelesteparaoutro;apassagemdeSulaNorte, marcaoiníciodaprimaveranohemisférioNorteedooutononohemisfério Sul; a passagem do Norte para o Sul, marca o início do outono no hemisférioNorteedaprimaveranohemisférioSul.Essessãoosequinócios

deprimaveraedeoutono. Por outro lado, nos momentos em que o Sol atinge sua maior distânciaangulardoequadorterrestre,ouseja,quandoémáximoovalor

desuadeclinação,ocorremossolstícios.Osdoissolstíciosocorrema21de

junhoea21dedezembro;aprimeiradatamarcaapassagemdoSolpelo

primeiropontodotrópicodeCâncer,enquantoqueasegundaéapassagem doSolpeloprimeiropontodotrópicodeCapricórnio.Noprimeirocaso,o SolestáemafélioeésolstíciodeverãonohemisférioNorteedeinvernono hemisférioSul;nosegundo,oSolestáemperiélioeésolstíciodeinverno nohemisférioNorteedeverãonohemisférioSul.Portanto,osolstíciode verãonohemisférioNorteedeinvernonohemisférioSul,ocorrequandoo Solestáemsuaposiçãomaisboreal(Norte),enquantoqueosolstíciode verãonohemisférioSuledeinvernonohemisférioNorte,ocorrequandoo Solestáemsuaposiçãomaisaustral(Sul). Porherançarecebidadosmembrosdasorganizaçõesdeofício,que, tradicionalmente, costumavam comemorar os solstícios, essa prática chegouàMaçonariamoderna,masjátemperadapelainfluênciadaIgreja

sobreascorporaçõesoperativas.Comoasdatasdossolstíciossão21de

junhoe21dedezembro,muitopróximasdasdatascomemorativasdeSão

JoãoBatista–24dejunho–edeSãoJoãoEvangelista–27dedezembro–

elasacabaramporseconfundircomestas,entreosoperativos,chegandoà atualidade. Hoje, a posse dos Grão-Mestres das Obediências e dos Veneráveis Mestres das Lojas realiza-se a 24 de junho, ou em data bem próxima;enãosepodeesquecerqueaprimeiraObediênciamaçônicado

mundo,comojáfoivisto,foifundadaem1717,nodiadeSãoJoãoBatista.

Graças a isso, muitas corporações, embora houvesse um santo protetorparacadaumdessesgruposprofissionais,acabaramadotandoos dois São João como padroeiros, fazendo chegar esse hábito à moderna Maçonaria,ondeexistem,segundoamaioriadosritos,asLojasdeSãoJoão, queabremosseustrabalhos“àglóriadoGrandeArquitetodoUniverso (Deus) e em honra a S. João, nosso padroeiro”, englobando, aí, os dois santos. Na Loja, essas datas solsticiais estão representadas num símbolo, queéoCírculoentreParalelasVerticaiseTangenciais.Estesignificaqueo Solnãotranspõeostrópicos,oquesugere,aomaçom,queaconsciência religiosadoHomeméinviolável;asparalelasrepresentamostrópicosde CânceredeCapricórnioeosdoisSãoJoão.

ASTROLOGICAMENTE

Tradicionalmente, por meio da noção de porta estreita, como dificuldade de ingresso, o maçom evoca as portas solsticiais, estreitos meios de acesso ao conhecimento, simbolizados no círculo cósmico, no círculo da vida, no zodíaco, pelo eixo Capricórnio-Câncer, já que Capricórniocorresponde,aosolstíciodeinvernoeCânceraodeverão(no hemisférioNorte,cominversãoparaoSul).Aportacorrespondeaoinício, ouaopontoidealdepartida,naelípticadonossoplaneta,noscalendários gregorianos e também em alguns pré-colombianos, dentro do itinerário sideral. Ohomemprimitivodistinguiaadiferençaentreduasépocas,umade frio e uma de calor, conceito que, inicialmente, lhe serviu de base para organizar o trabalho agrícola. Graças a isso é que surgiram os cultos solares,comoSolsendoproclamado–comofontedecaloredeluz–orei doscéuseosoberanodomundo,cominfluênciamarcantesobretodasas religiõesecrençasposterioresdahumanidade.E,desdeaépocadasantigas civilizações,ohomemimaginouossolstícioscomoaberturasopostasdo céu,comoportas,porondeoSolentravaesaía,aoterminaroseucurso,em cadacírculotropical. A personificação de tal conceito, no panteão romano, foi o deus Janus,representadocomodivindadebifásica,graçasàsuamarchapendular entreostrópicos;oseupróprionomemostraessaimplicação,jáquederiva de janua, palavra latina que significa porta. Por isso, ele era, também, conhecido como Janitur, ou seja, porteiro, sendo representado com um molho de chaves na mão, como guardião das portas do céu. Posteriormente,essaalegoriapassaria,atravésdatradiçãopopularcristã, paraSãoPedro,massemqualquerrelaçãocomosolstício. Januseraumdeusbicéfalo,comduasfacessimetricamenteopostas, cujo significado simbolizava a tradição de olhar, uma das faces, constantemente,paraopassado,eaoutra,paraofuturo.OsCésaresda Romaimperial,emsuascelebraçõeseparadaringressoaoSolnosdois hemisférios celestes, antepunham o deus Janus, para presidir todos os começosdeiniciação,poratribuir-lheaguardadaschaves. Tradicionalmente, tanto para o mundo oriental, quanto para o ocidental,osolstíciodeCâncer,oudaEsperança,alusivoaSãoJoãoBatista (verãonohemisférioNorteeinvernonohemisférioSul),éaportacruzada pelasalmasmortaise,porisso,chamadadePortadosHomens,enquanto

queosolstíciodeCapricórnio,oudoReconhecimento,alusivoaSãoJoão Evangelista(invernonohemisférioNorteeverãonohemisférioSul),éa porta cruzada pelas almas imortais e, por isso, denominada Porta dos Deuses.Paraosantigosegípcios,osolstíciodeCâncer(PortadosHomens) eraconsagradoaodeusAnúbis;osantigosgregosoconsagravamaodeus Hermes. Anúbis e Hermes eram, na mitologia desses povos, os

encarregadosdeconduzirasalmasaomundoextraterreno [51] . Aimportânciadessarepresentaçãodasportassolsticiaispodeser encontradacomoauxíliodosimbolismocristão,pois,paraomaçom,as festasdossolstíciossão,emúltimaanálise,asfestasdeSãoJoãoBatistae deSãoJoãoEvangelista.SãodoisSãoJoãoehá,aí,umaevidenterelação comodeusromanoJanusesuasduasfaces:ofuturoeopassado,ofuturo quedeveserconstruídoàluzdopassado.Sobumavisãosimbólica,osdois encontram-senummomentodetransição,comofimdeumgrandeano cósmicoeocomeçodeumnovo,quemarcaonascimentodeJesus:um anuncia a sua vinda e o outro propaga a sua palavra. Foi a semelhança entreaspalavrasJanuseJoannes(João,que,emhebraicoéIeho-hannam= graçadeDeus)quefacilitouatrocadoJanuspagãopeloJoãocristão,coma finalidade de extirpar uma tradição “pagã”, que se chocava com o cristianismo.EfoidestamaneiraqueosdoisSãoJoãoforamassociadosaos solstíciosepresidemàsfestassolsticiais. Continua, aí, a dualidade, princípio da vida: diante de Câncer, Capricórnio;diantedosdiasmaislongos,doverão,osdiasmaiscurtos,do inverno;diantedeSãoJoão“doinverno”,comastrevas,Capricórnioea Porta de Deus, o São João “do verão”, com a luz, Câncer e a Porta dos Homens(valerecordarque,paraosmaçons,simbolicamente,ascondições geográficassão,sempre,asdohemisférioNorte). Dentro dessa mesma visão simbólica, podemos considerar a configuração da constelação de Câncer. Suas duas estrelas principais tomamonomedeAselos(dolatimAsellus,i=diminutivodeAsinus,ou seja: jumento, burrico). Na tradição hebraica, as duas estrelas são chamadas de Haiot Nakodish, ou seja, animais de santidade, designados pelas duas primeiras letras do alfabeto hebraico, Aleph e Beth, correspondentes ao asno e ao boi. Diante delas, há um pequeno conglomeradodeestrelas,denominado,emlatim,Praesepe,quesignifica presépio, estrebaria, curral, manjedoura, e que, em francês, é crèche, tambémcomosignificadodepresépio,manjedoura,berço.Essapalavra créchejáfoi,inclusive,incorporadaaidiomaslatinos,comosignificadode

localondecriançasnovassãoacolhidas,temporariamente.

Essesimbolismodásentidoàobservaçãomaterial:Jesusnasceua25

dedezembro,sobosignodeCapricórnio,duranteosolstíciodeinverno, sendocolocadoemumamanjedoura,entreumasnoeumboi. Essadatadenascimento,todavia,épuramentesimbólica.Paraos primeiroscristãos,Jesusnasceraemjulho,sobosignodeCâncer,quando osdiassãomaislongosnohemisférioNorte.Osentidocristão,noplano simbólico,abordaria,então,apenasaPortadosHomense,assim,sóhaveria acompreensãodeJesus,comoser,comohomem.MasJesuséoungido,o messias, o Cristo – segundo a teologia cristã – e o outro polo, obrigatoriamente complementar, é a Porta de Deus, sob o signo de Capricórnio,tornandoadualidadecompreensível. Dois elementos, entretanto, um material e um religioso, viriam a

influirnadeterminaçãodadatade25dedezembro.Omaterialrefere-se

aoshábitosdosantigoscristãoseoreligioso,aomitraismodaantigaPérsia,

adotadoporRoma:

Os primeiros cristãos do Império Romano, para escapar às perseguições,criaramohábitodefestejaronascimentodeJesusduranteas festas dedicadas ao deus Baco, quando os romanos, ocupados com os folguedoseorgias,osdeixavamempaz. Masaorigemmitraicaéaqueémaisplausívelparaexplicaressa datatotalmentefictícia:osadeptosdomitraismocostumavamsereunirna

noitede24para25dedezembro,amaislongaemaisfriadoano,numa

festividade chamada – no mitraismo romano – de Natalis Invicti Solis (nascimentodoSoltriunfante). Durante toda a fria noite, ficavam fazendo oferendas e preces propiciatórias,pelavoltadaluzedocalordoSol,assimiladoaodeusMitra. Ocristianismo,aofixaressadataparaonascimentodeJesus,identificou-o comaluzdomundo,aluzquesurgedepoisdasprolongadastrevas.

LIBERDADE,IGUALDADEEFRATERNIDADE

ORIGEMDOLEMA

As três palavras – Liberdade, Igualdade e Fraternidade – que se tornaram,praticamente,umlemadaMaçonariacontemporânea,nãotêm origem maçônica. Alguns autores, mais ufanos do que realistas e mais fantasistas do que científicos, afirmam que o lema é maçônico e foi

utilizadocomodivisadaRevoluçãoFrancesade1889.

Averdadehistórica,todavia,ébemoutra:

Em primeiro lugar, o lema da Revolução Francesa era “Liberté,

Égalité, ou la Mort” (Liberdade, Igualdade, ou a Morte). Só com a 2 a . República, em 1848, é que ele iria se transformar em “Liberté, Égalité,

Fraternité”(Liberdade,Igualdade,Fraternidade) [52] . Emsegundolugar,foiaMaçonariafrancesaque,nasegundametade

do século XIX, adotou o lema da 2 a . República, o qual acabaria se vulgarizandoentreosmaçonsquetrabalhavamsobinfluênciadacultura francesa,emtodoomundo,apontodechegaraserconsideradocomouma divisaexclusivamentemaçônica,oquenãoé. Emterceirolugar,aideiadeLiberdade,IgualdadeeFraternidadeé bemmaisantiga.Podemserencontradosvestígiosdela,quandodacriação

daprimeiraseitacomunista,dita“ComunismoCristão”,fundadaem1694,

porJohannKelperès.Paraosmembrosdessaseita,oMessiasaguardado não se apresenta como o pescador de almas, mas, sim, através de uma trilogia,ondeeleéo“distribuidordejustiça”(igualdade),o“grandeirmão” (fraternidade)eo“libertador”(liberdade). Aanálisedadivisa,oudatrilogia,podeserfeitaatravésdoprisma político-social, ou sob o ponto de vista exclusivamente iniciático. No primeirocaso,teríamos:

AIgualdadeconstituiumidealdaorganizaçãosocial,pelaquallutou ahumanidade,àmedidaqueiaavançandonocaminhodesuaevolução. Essalutaduraatéhoje,porqueadivisãodasnações,emsistemaspolíticos, das comunidades, em classes sociais, e dos indivíduos, em posições econômicas,moraiseintelectuais,prejudicamosesforçosembenefícioda igualdadeirrestrita. AFraternidadeéconsideradacomoacondutaquenorteiaavidade

umindivíduo.Elaédesejada,reclamadaefixadacomoobjetivodetodasas religiões, instituições sociais, partidos políticos, etc. , estabelecendo o altruísmo contra o egoísmo, a benevolência contra a malevolência, a tolerânciacontraaintolerância,oamorcontraoódio. ALiberdadenascecomoindivíduo,atingeoconscientecoletivodos povoseproduzfatosextraordinários.Osentimentodeliberdadeéobem maiscaroaocoraçãodeumhomem;enãohánadaqueodeprimatanto quanto a opressão da escravidão, o encarceramento da consciência e a privaçãodaliberdade. Do ponto de vista iniciático, todavia, o conceito é um pouco diferente:

A Igualdade repousa sobre a consciência da identidade básica de todososseresedetodasasmanifestaçõesdoespíritohumano,acimade todasasdistinçõesexternasdeposiçãosocialedegraudeconhecimentoe dedesenvolvimentointelectual.Essaigualdade,representadapeloNível,é queproporciona,atodos,umajustaeretamaneiradecondutacomtodos ossemelhantes. A Fraternidade é considerada o complemento da liberdade individualedaigualdadeespiritual,dasquaisrepresentaaadoçãoprática. Emsíntese,éatolerância,emrelaçãoàliberdade,eacompreensão,em relaçãoàigualdade. A Liberdade é definida como uma aquisição individual, íntima, fundamentalmente independente da liberdade externa, que pode ser outorgada pelas leis e pelas circunstâncias da vida. Em resumo, é a liberdadequeseadquirebuscandoaVerdadeerealizandoesforçospara trilharocaminhodavirtude,dominandoosvícios,oshábitosnegativoseas paixõesdestrutivas.

AINTERPRETAÇÃOASTROLÓGICA

AIgualdadeéosímbolodeLibra,ouBalança.Estesignoéosímbolo universaldoequilíbrio,dalegalidadeedajustiça,concretizadospelosenso dadiplomaciaedacortesia,queocaracterizam,assimcomoaaversãoà agressividadeeàviolênciadeÁries,queestádiantedele.Librasignifica,em última análise, um caráter afável, um sentido de justiça, harmonia e sociabilidade,quesão,todos,atributosdaigualdade. AFraternidadeéperfeitamenteilustradapelosignodeGêmeos,em suadualidade,representadopordoisgêmeos,quesãoosmíticosCastore

Pólux, cada um desempenhando seu papel, sem nenhuma proeminência sobreooutro.OsignodeGêmeosédual,porquesimbolizaomomentoem queaforçacriativadeÁrieseTourodivide-seemduascorrentes:umatem sentido ascensional, espiritual, e a outra é descendente, no sentido da multiplicidadedasformasedomundofenomênico.Considere-se,também, que,faceaGêmeos,estáSagitário,governadoporJúpiter,Zeus,Deus,do qualtodososhomensemanam,oqueosfazirmãosunsdosoutros,com cadaumprocurando-o,àsuamaneira. A Liberdade é apanágio de Aquário, simbolizado por Ganimedes, peloanjoderramando,sobreahumanidade,ocântarodosaber;saber,que, se for bem utilizado, pode ser um meio de acesso à liberdade, com a condiçãodequeaceiteasuperioridadedoiniciado.Sóoiniciado,osábio, poderáreconheceroslimitesalémdosquaisnãopoderáir,poisestaéa maneiradelechegaraoconhecimentodosmistériosdivinos.Essaligação com o divino, da qual Moisés é um símbolo, o respeito às leis divinas, fundamental para uma existência pacífica e harmoniosa, serão, também, assinaladospelosignofrontalaAquário:Leão,cujosímboloéoSol;oSol, símbolo do UM, símbolo de Deus. Esses três signos, Libra, Gêmeos e Aquário,sãoossignosdoardozodíaco.Eossignosdoarsãosímbolosdo espírito,sãosímbolosdocosmos,queoiniciadodeveprocurarconhecere compreender.

ALENDADOTERCEIROGRAU

ORIGEMEDESCRIÇÃO

Alendadoterceirograu,odeMestre,surgiunaMaçonariamoderna e é indisfarçavelmente decalcada na lenda de Osíris e em outros mitos solaresdaAntiguidade. Alenda–que,comolenda,nãotemqualquercompromissocoma realidade–giraemtornodeHiramAbi,consideradoomestreconstrutor do Templo, embora, na verdade, fosse, apenas, um hábil entalhador de metais.Emlinhasgerais,elapodeserassimdescrita:

Hiram-Abi,filhodeumaviuvadatribodeNeftali,foicontratadopor Salomão, para a construção do Templo, cuja finalidade era a união de esforçosparaumfimespiritual.EnviadoporHiram,reideTiro,Hiram-Abi foi, então, designado como chefe supremo da construção e, levando em consideraçãootalentoeasvirtudesdecadaobreiro,alémdeseugraude evoluçãoeconhecimento–osoperários,provenientesdeváriospaísesnão tinham, todos, o mesmo preparo – dividiu-os em três categorias:

aprendizes,companheirosemestres.Depois,transmitiu,acadaumdesses grupos,amaneiraparticulardesereconheceremedeterminou-lhesolocal detrabalhos:osaprendizesocupariamaprimeiracolunadeobreiros,ao Norte,oscompanheiros,asegunda,aoSul,eosmestres,omeiodeambas,a câmaradomeio,numlugarsecreto,queerainternoeporcimadosoutros dois, representando um estado de consciência superior ao dos outros grupos. A obra durou, aproximadamente, sete anos e, durante todo esse tempo, reinou a paz, a harmonia e a prosperidade, assinaladas pela Sabedoria (Salomão), a Força (Hiram, reideTiro)eBeleza (Hiram-Abi). Peladedicaçãoepeloesforço,podiam,osobreirosmaisdestacados,subir

decategoria,recebendoaumentodesalário;pretendiam,SalomãoeHiram-

Abi, ao término das obras, elevar ao mestrado os companheiros mais dedicados, aqueles que, realmente, merecessem, para que, quando retornassemàssuasrespectivaspátrias,tivessemmelhorescondiçõesde

ganharavida,comomestresconstrutores. Quase ao final da construção, porém, a harmonia foi quebrada, quando quinze companheiros, que ainda não haviam completado o seu tempodeestudosedeexperiência,masqueansiavamregressarlogoaos seuspaísesdeorigemcomomestres,combinaramarrancardeHiram-Abi,a

qualquer custo, a “palavra sagrada” e os meios de reconhecimento dos mestres, com a finalidade de frequentar a câmara do meio, embora indevidamente. Doze desses companheiros logo se arrependeram do ajuste e faltaramaoencontro.Osoutrostrês,porém,persistiramemseuintentoe escolheramomeio-dia,comoahoramaispropícia,poisHiram,nessahora, ficavasó,pararevisarostrabalhosefazerasorações,enquantoosdemais repousavam.PenetrandonoTemplo,cadaumocupouumadastrêsportas principaisdorecinto–aoSul,noOcidenteenoOriente–poisomestre Hiramdeveriasairporumadelas. QuandoHiram,terminadooseutrabalhoeassuaspreces,pretendeu sairpelaportadoSul,foiinterceptadopeloprimeirodoscompanheiros,

que,portandoumaréguade24polegadas,exigiu,dele,apalavrasagradae

os sinais de reconhecimento dos mestres. Diante disso, ele recusou, aconselhando:“trabalhaeserásrecompensado”.Frustradoemseuintento, ocompanheiro,então,tentougolpeá-locomarégua;Hiram,desviandoo rosto,foiatingidonagarganta. Emseguida,refazendo-sedogolpe,eletentouescaparpelaportado Ocidente,masaliseencontravaosegundocompanheiro,que,munidode um esquadro de ferro, repetiu a exigência já feita pelo primeiro. Hiram, novamente,negou,aconselhando:“trabalhaeobterás”,oquefezcomqueo companheiro,contrariado,oferissenopeito,comoesquadro. Atordoado e no fim de suas forças, ele tentou sair pela porta do Oriente,ondeestavaoterceirocompanheiro,que,munidodeummalho, repetiu a mesma exigência dos dois anteriores e que, diante da mesma negativa,golpeou-lheacabeça,mortalmente,comomalho.Depoisdisso, reuniram-se,ostrêscompanheiros,paraversealgumdeleshaviaobtidoo quequeriam.Diantedofracassodoempreendimento,ficaramhorrorizados etrataram,logo,deocultarocorpodomestreeapagarovestígiodocrime cometido.Ocorpofoi,então,levadonadireçãodoOcidenteeescondidono cumedeumacolina,pertodolocaldaconstruçãodoTemplo. No dia seguinte, foi notada a ausência do mestre Hiram aos trabalhos, assim como a dos três companheiros, o que fez com que os outrosdoze,quehaviamdesistidodaempreitada,revelassematramaaos seusmestres,que,porsuavez,levaramofatoaoconhecimentodeSalomão. Este,então,ordenouqueumgrupodemestresfosseàprocuradeHirame dostrêscompanheiros.Depoisdealgumtempoedeinúteisesforçospara cumpriramissão,umdosmestres,dirigindo-seaumacaverna,parapassar

a noite, ouviu uma série de vozes e comprovou que elas eram dos três malfeitores, arrependidos, falando do castigo que mereciam, pelo crime quehaviamcometido.Quandosepretendeudetê-los,todavia,elesfugiram edesapareceramparasempre(algumasversõesdalendadizemqueeles forampresoseexecutados). Quandoogruporegressava,umdosmestres,aodeitar-sesobreum montículo,pararepousarumpouco,notouqueaterraforaremexidapouco antes e percebeu odor de decomposição. Chamou os outros e, juntos, começaramacavar;como,todavia,começavaacairanoite,regressarame relataramoocorridoaSalomão.Antesdesairdolocal,porém,deixaram, sobre o montículo, um ramo de acácia, para marcá-lo . Outra versão da lenda diz que os três companheiros, quando foram presos, indicaram o localondeestavaocorpo,dizendoqueohaviamassinaladocomumramo de acácia; o que importa, todavia, é a presença da acácia, pelo seu alto

conteúdosimbólico [53] . Ciente do fato, Salomão enviou outro grupo de mestres, com a finalidadedereconhecerocorpodeHirameretirá-lodolocalondefora sepultado. Reconhecido e antes de ser retirado, os mestres circulam em

torno do local da inumação. Retirado o corpo da cova [54] , Hiram-Abi, reconstituído,revive,simbolicamente,numplanosuperior,enquantoquea primeiraexpressãoditapelosmestres,aoencontrarocorpo,tornou-sea novapalavrasagrada,queforaperdida.

ASLIÇÕESSOCIAISEMORAISDALENDA

Muitasliçõesmorais,éticasesociaispodemsertiradasdalenda(e

esseéoseuobjetivo).Asprincipais,são:

Dividindoosoperáriosdeacordocomasuaexperiênciaedando-lhesa

possibilidadedeprogredir,comoresultadodeseuaprendizadoedeseu

trabalho,Hiramexpõeduasliçõessociaiseéticas:acadaum,segundoassuas

aptidões;eacadaum,segundoosseusméritos.Issosignificaqueninguém

deveprocurarfazeralgoalémdesuacapacidade,deixandooqueestejanesse

casoacargodosmaishabilitados;equeohomemsópodeprogredir,com

dignidade,casotenhamerecimentoenãocomousoderecursosescusos,

ilegais,imoraiseantiéticos.

Hiram,símbolodasabedoria,émortopelostrêscompanheiros,que

simbolizamainveja,aambiçãoeaignorância–forçasdastrevas–mas

revivenaLuz.Issosignificaque,pormaisqueaambição,aignorânciaea

invejaqueiramdestruirosaber,entravandoaevoluçãoracionaldaespécie

humana,ele,mesmoparecendoacabadoemorto,revive,pararegerodestino

dohomem,nocaminhodoconstanteaperfeiçoamento.Eleécomoafé,que

nãosepodematarcomaviolência,ecomoaesperança,quesobrevivemesmo

quandotudopareceperdido.

EAINTERPRETAÇÃOASTROLÓGICA

Comojáfoidestacado,alendadoterceirograué,bastantecalcadana lenda de Osíris, do antigo Egito, e, por extensão, nos mitos solares da Antiguidade. Osíris, personificação do Sol, foi morto por seu irmão Set,

personificaçãodastrevas,no17°diadomêsHator,quemarcavaoiníciodo

inverno.E,depoisdereconstituídooseucorpo,ressuscitou,comooSolque retorna,completandoocicloanual.OmesmoocorrecomHiram,também personificação do Sol, como emblema do espírito, do Eu Superior, força positivaedominadoradocosmos,sendomortopelasforçasdastrevas–a ignorância, o fanatismo e a ambição – personificadas nos três companheiros.Erevivendo,depois,comooSol,ecompletandoumnovo ciclo,tambémrepresentadopelassucessivasmorteserenascimentosdos vegetais,deacordocomainfluênciasolar. Essaexegeseéconfirmadapelacirculaçãodosmestresemtornodo túmulodeHiram-Abi,marchaqueérelacionadacomarevoluçãoanualdo Sol, através dos signos zodiacais, ou seja, a eclíptica, e que é uma reminiscênciasimbólicadeantigasiniciações. OscincosignoszodiacaisrelacionadoscomograudeMestreMaçom, comojáfoivisto,prendem-se,todoseles,àlendadeHiram-Abi:

Escorpião, o signo da morte, que representa a desagregação dos elementos, a perda da luz do Sol e a morte da natureza, simboliza o assassíniodeHiram,pelostrêsCompanheiros. Sagitário,querepresentaanaturezamortaeoespíritoanimador, que se destaca do corpo, simboliza a procura do corpo de Hiram e o lamentodosobreiros,pelaperdadomestreedapalavrasagrada. Capricórnio,querepresentaaterrainerte,porémfecundável,coma esperança de nova ressurreição da natureza, simboliza a descoberta do localemqueocorpodeHiramfoisepultado.

a reconstituição dos elementos

Aquário, que representa

construtivos, preparando uma nova onda de vida, na terra ainda inerte, simbolizaauniãodetodososobreirosnosentidodefazercomqueocorpo deHiram,retiradodeseutúmulo,possaressurgirnumplanomaiselevado (comoHiramsimbolizaaluzdoSol,acerimôniatemsimilaridadecomo cultomitraicodo“NatalisInvictiSolis”). Peixes,querepresentaatotalressurreiçãodanatureza,comavolta daluz,simbolizaorenascimento–nãonoplanomaterial,masnoespiritual –domestreHiram-Abieoreencontrodapalavraperdida.

OSETENÁRIODOGRAUDEMESTRE

SeteéonúmerodoMestreMaçom;éasuaidadesimbólica.Epara justificarasuaidadeiniciática,elenãopodeesquecerasexplicaçõesqueos

antigosdavam,emtornodaspropriedadesintrínsecasdosnúmeros.O2°

Grau,odeCompanheiro,conduziu-oaolimiardosetenário,fazendo-osubir os sete degraus do templo, que represetnam as Sete Ciências, ou Artes Liberais da Antiguidade: Gramática, Retórica ou Dialética, Lógica, Aritmética, Geometria, Música e Astronomia. Compete-lhe, como Mestre, partirdoseteepercorrertodaasériedosnúmerossuperiores.

Onúmerosetesemprefoiconsideradoperfeito,ocupandoumlugar

de destaque em todas as culturas da Antiguidade. Os babilônios, por exemplo, ao construir sete recintos cúbicos na torre de Babel, os consideravamcomoumaobrasagrada,poisosetenáriodatorretinhaa finalidadedeligaraTerraaoCéu,jáqueadivindadesemanifestava,aos olhos dos magos ou sacerdotes, por meio de sete departamentos de um governouniversal.Essesdepartamentoscorrespondiamaosseteplanetas conhecidosnaAntiguidade.

Isso é simbolizado pelos três anéis entrelaçados que formam a trindade,ondeseencontraosetenário,correspondendoaosseteplanetas:

O1°CírculoéoCírculodeOuro,símbolodoSol,centroimutávelde

ondeirradiatodaaatividade;espíritoqueanimaamatéria;oenxofredos

alquimistas;ofogointeriorindividualeelementogeradordacorrubrado

sangue,daação,docaloredaluz.

O 2° Círculo é o Círculo de Prata, símbolo da Lua, astro mutável,

reflexoreceptivodasinfluências;substânciapassiva,esposadoespírito;o

mercúriodoshermetistas,veículodaatividadeespiritualquepenetraem

todasascoisas;espaço,corazul:ar,sentimento,sensibilidade.

O 3° Círculo é o Círculo de Bronze, ou de Chumbo, símbolo de

Saturno, deus precipitado do céu, que reina sobre o que é material, grosseiro;materialidade,positivismo,energiafísica;coramarela,passando aocinzaeaonegro:arcabouçoósseo;basesólidadetodaconstrução;rocha queforneceapedrabruta,pontodepartidadaGrandeObra.

AinterseçãodosCírculosdeOuroePratasimbolizaofilho,nascido

AinterseçãodosCírculosdeOuroePratasimbolizaofilho,nascido dauniãodospais;éJúpiter,correspondenteàespiritualidadequeseopõea Saturno,poreledestronado;éelequedecideeordena,projetandooseu raio,acentelhadavontade;corpúrpuraouvioleta:idealismo,consciência, responsabilidade,autossuficiência. AinterseçãodosCírculosdePrataeBronzeéodomíniodeVênus,a vitalidade, o orvalho gerador dos seres; cor verde: ternura, doçura, sensibilidadefísica. AinterseçãodosCírculosdeOuroeBronzecorrespondeaMarte,a atividadematerial, a necessidadede ação, a motricidadequeconsomea energiavital;fogodevorador;cordachama,amarelo-vermelho-escarlate:

instinto de conservação, egoísmo, ferocidade, mas também ânsia inquebrantávelderealização. Oespaçocentral,interseçãodostrêscírculos,domíniodeMercúrio, é onde as três cores primitivas sintetizam-se na luz branca; é a estrela flamejante, o mercúrio dos sábios, a quintessência; éter vivente sobre o qualageereflete;éoagentedomagnetismo,fluidodeatração.

[1] RamsésII(1301-1225a.C.),faraódaXIXDinastia,tambémconhecido

como“oGrande”,erafilhodeSetiIegovernouoEgitodurante67anos.Sob

asuadireção,opaísexperimentouumagrandeprosperidadeeconômicae umaeradepaz,depoisdadecisivavitóriasobreoshititas,nabatalhade Kadesh (1272 a. C.). Faraó da época do êxodo dos hebreus, foi o

responsávelpeladeterminaçãodossignosastrológicoscardeais.Construiu

Tebase,porordemsuaesobasuadireção,omajestosoTemplodeAbu-

Simbelfoiesculpidonarocha,apartirdeprincípiosastrológicos;tambémo

seuimponentehipostilonoTemplodeÁmon,emKarnak,foiidealizadoem

relaçãoaospontosfixosdaesferaceleste.

[2] Hipócrates (460-335 a. C., aproximadamente), considerado “o pai da Medicina”,foiumfisiologistagrego,nascidonailhadeCós,naÁsiaMenor. Foioprimeiroautilizarummétododeobservaçãoclínica,segundoasua teoriadoshumores.Osseustrabalhos,ouaquelesquelheforamatribuídos – sem comprovação da paternidade – foram reunidos na Coleção

Hipocrática,surgidaporvoltade300a.C.,emAlexandria.

[3] Claudius Ptolomaeus (120-180), astrônomo, astrólogo e geógrafo, é consideradooprimeirocientistaceleste,emborapoucosesaibasobresua vida.Duranteváriosséculos,aelefoicreditadaaautoriadoTetrabiblos; estudiososmodernos,porém,alegamqueoestilodaobrasugerequeela tenhasidobaseadaemdocumentosmaisantigos,dosbabilônioseegípcios. Mesmoassim,suasobservaçõesforamextremamenteimportantesparao desenvolvimentodaastronomiaedaastrologia.Eledescreveuummundo esférico, no centro do universo, cercado pelos corpos celestes, para, em seguida,estabelecersuasdimensões–geralmente,commuitaexatidão–e catalogoumaisdemilestrelasdiferentes,trezentasdasquaispelaprimeira vez.

[4] SãoTomásdeAquino(1225-1274),nasceunoburgodeAquino,Itália. Foi filósofo e teólogo cristão, declarado o Doctor Angelicus da Igreja

CatólicaecanonizadoporJoãoXXII,em1323.Suadoutrinacristianizavaas

ideias de Aristóteles, reunindo-as no mais poderoso sistema filosófico- teológicodaIdadeMédia,oqualfoi,emalusãoaele,chamadodetomismo. Suas principais obras, onde se encontra essa doutrina, são: Summa TheologiaeeSummaContraGentiles.

[5] NicolauCopérnico(1473-1543)foiumastrônomopolonês,nascidoem Torum, cujo principal trabalho foi a elaboração da teoria heliocêntrica.

Dedicado,alémdaastronomia,àmatemática,àsleiseàmedicina,publicou,

em1543,aobraDerevolutionibusorbiumcoelestium(DasRevoluçõesdo

OrbeCeleste),ondeexpôssuateoria,conformeoquejáforasugeridopor AristarcodeSamos,porvoltade270a.C Estaobratinhaumaintrodução de Raethius, dedicada ao papa Paulo III, interessado em astrologia, e dirigidaaoastrólogoSchoner.

[6] TychoBrahe(1546-1601)foiumastrônomodinamarquês,descobridor de uma desigualdade, denominada “variação”, do movimento lunar, com período igual ao da revolução sinódica. Filho do seu tempo, quando a ciênciamisturava-seàscrençastradicionais,Tycho,emboraliquidassecom anoçãodequeosplanetaseramfixosdentrodeesferascristalinas,não conseguia aceitar que a Terra pudesse se mover no espaço. Além de astrônomo,elefoiastrólogodacortedinamarquesa.

[7] JohannesKepler(1571-1630)foiummatemáticoastrônomoalemão, nascidoemWeil,Wurttemberg,oqualdescobriuastrêsleisfundamentais daMecânicaceleste,tendo,também,sededicadoàópticafísica.Depoisde

tertrabalhadonacervejariadeseupai–muitopobre–ingressou,aos17

anos, na universidade, sendo, posteriormente, nomeado professor de

astronomiaemGraz.Em1600,tornou-seassistentedeTychoBrahe,em

Praga,sucedendo-o,em1601,comomatemáticoimperialeastrônomoda

corte.Nofinaldavida,comoastrólogodacortedoduquedeWallenstein, eleescreviaque“acrençanoefeitodasconstelaçõesderiva,emprimeiro lugar,daexperiência,queétãoconvincente,quesópodesernegadapor quem não a tenha examinado”. Além de astrônomo e mestre em matemática, Kepler era um místico, que, inclusive, acreditava que os planetasemitiamnotasmusicais,nasuapassagempelocéu.

[8] Até2006,PlutãoeraconsideradoononoplanetadoSistemaSolar.No

finaldadécadade1970,comadescobertadeChironeoreconhecimento

dasuapequenamassa,suaclassificaçãocomoumplanetacomeçouaser questionada. No início do século XXI, vários outros objetos similares a PlutãoforamdescobertosnoSistemaSolarexterno,incluindoÉris,queé 27% mais massivo do que ele. Em 24 de agosto de 2006, a União Astronômica Internacional (UAI) criou uma definição de planeta formal, que fez com que Plutão deixasse de ser um planeta e ganhasse a nova classificação de planeta-anão, juntamente com Éris e Ceres. Depois da reclassificação,PlutãofoiadicionadoàlistadecorposmenoresdoSistema Solar.N.E.

[9] Aristóteles(384-322a.C.),nascidoemEstagira,naMacedônia,foium filósofogrego,discípulodePlatãodurantetrintaanos.Comeste,eleformou aalternativaessencialdopensamentohumanodurantemaisdedoismil anos,dominandotodaaestruturaculturalecientífica;sórecentementeé que várias de suas teorias tornaram-se superadas. Sua vastíssima obra engloba os terrenos da Moral, da Biologia, da Metafísica, da Crítica Literária,daPsicologia,daCiênciaPolíticaedaLógica(quefoiumacriação sua).

[10] Canteiro é o operário que trabalha em cantaria, que esquadreja e trabalhanaesculturadapedrabruta;cantaria(palavraderivadadecanto) designaapedralavradaparaasconstruções.

[11] Loja–dogermânico:leubja(pronúncia:lóibja)edofrâncico:laubja, através do francês: loge – designava o lar, a casa, o abrigo, o pátio, o alpendre; e, também, a entrada de edifício, ou galeria usada para exposições artísticas e venda de produtos artesanais. As guildas de mercadoresassimdesignavamseuslocaisdedepósitoevendadeprodutos manufaturados, enquanto as guildas artesanais adotaram o termo para designaroseulocaldetrabalho,ouseja,asoficinasdosartífices.

[12] A Ordem da Milícia do Templo, ou Ordem dos Templários, foi uma

ordemreligiosaemilitar,criadaem1118,comestatutosfeitospeloabade

de Clairvaux (São Bernardo). Adquirindo prestígio e riqueza, a ordem excitariaacobiçadoreifrancêsFilipeIV,cognominado“oBelo”,que,coma

conivênciadopapaClementeV,conseguiuasuaextinção,em1312,seguida

daexecução,nafogueira,deseuGrão-Mestre,JacquesdeMolay,em1314.

Antes da extinção, necessitando, em suas distantes comendadorias do Oriente, de trabalhadores cristãos, os templários organizaram o Compagnonnage,dando-lheumestatutochamadoSantoDever,deacordo comsuaprópriafilosofia.

[13] JeanThéophileDésaguliers(1683-1744)nasceuemLaRochelle,filho de um ministro huguenote, o qual emigrou para a Inglaterra depois da revogação do Édito de Nantes. Em Londres, graduou-se em Teologia e tornou-se membro da Real Sociedade e correspondente da Academia de

CiênciasdeParis.FoiiniciadonaLojaSãoPaulo,em1709.

[14] ChristopherWren(1632-1723)nasceuemEastKnoyleefaleceuem Londres.FoimatemáticoearquitetodeWestminster,reputadocomochefe dosmaçons.Dirigiu,comofoivisto,areconstruçãodasigrejaslondrinas.

[15] AnthonySayer(1672-1742)foioprimeiroGrão-MestredaPremier GrandLodge;morreuemextremapobreza,sendoobrigado,nofinaldesua existência,arecorreràcaridadedosIrmãosmaçons.

[16] OreverendoJamesAnderson(1680-1739),nasceuemAberdeen,na Escócia, e faleceu em Londres. Em 1910, tornou-se ministro da igreja presbiterianadeSwallowStreet,noPiccadilly,emLondres.Muitoligadoa

Désaguliers–eleitoGrão-MestredaPrimeiraGrandeLoja,em1719–foi

incumbido, por isso, do importante trabalho de elaborar a Constituição. AlémdaConstituição,publicououtrasobras–comoUnityinTrinity,sobre afécristã–eexerceucargos,comoodeVenerável(presidente)daLojaN°

17.

[17] O capítulo referente à História da Maçonaria “desde a criação do mundo”, é absolutamente fantasista – inclusive colocando as origens da Maçonaria no lendário paraíso terrestre – e, há muito tempo, perdeu o crédito . As lendas, algumas ingênuas, sem qualquer nexo histórico, já habitavamamentedosmaçonsoperativos;eacompilaçãodeAnderson nãocontribuiuparaextirparessasaberraçõeshistóricas,mesmoporque, no início do século XVIII, elas ainda estavam em voga, até que os intelectuais que fizeram, desse século, o século das luzes, derrubassem mitosecrendices,estabelecendooreinadodarazãoedalógica.Mas,na realidade,quemintroduziutaispatranhasnomeiomaçônicofoimesmoo imaginosoAnderson,quetomouaBíbliacomomodelo,considerandocomo maçonstodososquenelaapareciam;eatéhoje,lamentavelmente,aindahá osquefalamdeMaçonarianaPré-História,noantigoEgito,noParaísoe–o queédepasmar–atéantesdacriaçãodouniverso!!!

[18] GeorgePayne,nascidoemdataincertaefalecidoem1757foiGrão- Mestre da Premier Grand Lodge em duas ocasiões: 1718-1719 e 1720-

1721.FoioúltimoGrão-MestreplebeudaMaçonariainglesaeseutrabalho

foi importantíssimo na compilação e revisão dos antigos costumes da confraria.

[19] Laurence Dermott (1720-1791), pintor e decorador de edifícios, nasceu em Dublin, na Irlanda, e ali foi iniciado maçom, aos 20 anos de

idade,em1740.DepoisdetersidoMaster(Venerável,Presidente)desua

Loja,foi,em1748,paraaInglaterra,ondefoiumdosfundadoresdaGrande

Lojados“Antigos”.Osseusdireitosdeautorsobreo“AhimanRezon”foram

doadosàsobrassociaismaçônicas.

[20] AhimanRezon,dohebraico:ahim=irmãos,manah=escolhereratzon =lei.Afrase,porém,significa:“ConselhodadoaumIrmão”.

[21] Nãohámenção,entreoroldossantosprotetoresdosfranco-maçons operativos,doS.JoãoBatistaedoSãoJoãoEvangelista.Oquehavia,erao hábitodecomemorarossolstícios–deinvernoedeverão–comumágape fraternal.SolstícioéaépocadoanoemqueoSol,depoisdeseterafastado doequador,omaispossível,pareceestacionar,durantealgunsdias,antes de voltar a se aproximar daquela linha As organizações de ofício

costumavamcomemorarossolstíciosdeverão–21dejunho,nohemisfério

norte – e de inverno – 21 de dezembro, no mesmo hemisfério. Posteriormente,porinfluênciadaIgrejaegraçasàproximidadedessesdias

comasdatascomemorativasdeSãoJoãoBatista–24dejunho–edeSão

JoãoEvangelista–27dedezembro–osdiasdossolstíciosacabaramse

confundindocomasfestasdosdoissantos.Ocostumeacabouchegandoà Maçonaria dos Aceitos, fazendo com que, em vários ritos maçônicos, as Lojassejamintituladas“deSãoJoão”eosdoissantos,fundidosnumsó, constituamoS.JoãopadroeirodaMaçonaria.

[22] Os maçons ingleses dão, ao recinto das sessões, o título de Loja (Lodge), assim como a Maçonaria norte-americana e todas as demais Obediências maçônicas do mundo não latino. O mesmo título é dado à corporação.Jáoslatinos,influenciadospelaFrança,chamamorecintode templo e, embora, os franceses não façam tal diferenciação, reservam o termo Loja para a corporação. O vocábulo templo dá, ao não maçom desavisado,aideia,errada,dequeaMaçonariaéumareligião.

[23] Abstraindo que há de lendário, em torno do assunto, devem ter existidotrêsTemplosdeJerusalém,todosconstruídosnomesmolocal:no monteMoriá,nosetororientaldacidade,ondehojeseencontraamesquita deOmar.Segundoatradiçãohebraica,omonteMoriáéolocalondeAbraão

teriaido,parasacrificaroseufilho,Isaac(Gênese,cap.22).Oprimeirofoio

TemplodeSalomão,construídocercade968a.C.edestruídoem586a.C.,

quandoosbabilônios,sobocomandodeNabucodonosorII,tomaramJudá

elevaramopovoaoexílio.Em920a.C.,houveraumgrandecismaentreos

hebreus,quandoforamformadosdoisreinos:odeIsrael,cujacapitalera Samaria,eodeJudá,comcapitalemJerusalém.Arivalidadeentreosdois reinos é que causou um progressivo declínio e deterioração do poder, levando a um enfraquecimento, que ensejou o surgimento de

conquistadoresexternos;assim,osassíriostomaramIsrael,em721a.C.,e

osbabilôniostomaramJudáem586a.C OsegundoTemplofoiconstruído quando os hebreus, já se autodenominando judeus (yehudhin),

regressaramàPalestina,compermissãoconcedidaporCiro,reidaPérsia,

Retornando, os judeus

reconstruíramoTemplo,apartirde520a.C.;esteficouconhecidocomo

TemplodeZorobabel,jáqueestecomandaraasuareconstrução,comoum dos líderes do povo, ao lado de Nehemias, o Aterzata (governador). O TemplodeZorobabeleramenosimponentedoqueoanterioreoSantodos Santos, a parte mais íntima, o santuário, estava vazio, pois a Arca da Aliança, que fora colocada no mesmo local, no primeiro Templo, havia desaparecido, durante a ocupação de Jerusalém pelos babilônios. O

domíniopersasobreaPalestinadurouaté332a.C.,quandoseinicioua

ocupaçãogrega,comatomadadeJerusalémporAlexandredaMacedônia.

Estedomíniogregoiriaseestenderaté140a.C.,quandoIsraelvoltariaa

serumestadolivre,graçasàrevoltadosasmoneus,em167a.C Asnovas rivalidadesinternas,porém,levariamàguerraentreAristóbuloeHircano,

em67a.C.,oqueprovocariaaúltimaemaistraumáticaocupação,apartir