Você está na página 1de 10
MONOGRAFIA OFICIAL SECAO DE NEOFITO eee pee sees ee NO ene ne an ee ere ree ORDEM ROSACRUZ~ Miete GRANDE LOJA DO BRASIL PRIMEIRO PRIMETRO GRAU GRAU MONOGRAFIA MONOGRAFIA poze DOZE Ragineado ya Depaeimenta de Parentes Exes ita Amance do Nore spottla cent conide ¢ otciatrieite cpiigo g.sgbate aes que fo! rapotod 10 xofiamen= cory 0" onda’ de prover toch 0 misters ‘lag fl ce tlonoratag prunes 6 ron ose Leeblicoe, estudoe aeadtimices. diseramen. str HOR fond 0 eomtede desta vanomtone % 3 Memb tues rece © ors bechum lado Hs Gocicie ekaro ano a entice ao orn sy ah fects, rode Gf Pevilégion do Membre e cena Uma violocdo doe Eucrutoe desta Ofte ALM.O.R.C, € a die Orachizacin autorizeda a usar n rian © sienbolo wegetrauos « ‘apénor 9 lepersion, vchasimamente, tam dieive de permite seu van) a outeos Ceaunenrees SE inoeitaenti seacs” Ta CONCORDANCIA ConsideracGo semanal de uma OpiniGo Famosa Miltos dos sistemas Orientals de filosofia < pensa- mento, do Mundo Antigo, nos séio ainda benéfiees porque eram gxates, titeis e baseades em leis materiais ¢ espi tuais de tal natureza qué ndo. podemos deixar de reconhe- cero seu mérito. Por outro lado, admite-se que rruites dos sistemas e ensinamentos pessoolmente difundides no Oriente sto, agora, obsoletos porque nao foram projetados para resistir cos séculos ¢, sin, pars atender Gs or digdes existentes apenas no época, A citagio absixo, de Budha, sdbre a concentroc&o, & muito inspisadora e eplicdyel na atualidede. Q vocdbulo sacerdote € ai empregade no sen- tide de mistico ¢ c'palayra transe como significando um estado ou grau no processo de con- centracéo, As duas palavras, sacerdote e franse nda clove ser interpretadas no sentido ge- ralmente aceito hoje em dia. “E qual, 0! Sacerdotes, é o sistema da concentracio subtime? Sempre, O° Sucerdotes, que wm sacerdote, tendo se isolado dos prazeres sensuais, tendo se isclazo dos maneirismos indignos ¢ fazendo, ainda, uso do raciocinio e da reflexdo, entre no primeiro transe, que é produzido pelo isolumento e caracterizado pela ale- gria e felicidade; que, pelo domtnio do raciocinio ¢ da reflexdo e, vando a alegria e felicidade, entre no segundo transe, que feriza pela iranquilidade interior e clareza de pensamen- tose é produzido pela concentracdc; que, pelo desvanecitmento da alegria, indiferenie, conleniplativo, consciente e gozando felivi- adde corporal — ésse estado que os homens eminenies descrevert guarido dizem “Indiferente, conlemplativo e vivendo felicmente” — entre no tercéira transe; que, pelo abandono da Felicidade, pelo abandono da miséria, pelo desaparecim nto de t6de @ alegria an- terior, entre no quarto transe gue nio encerra miséria nen feli- cidade e é apenas contemplacdo purificada pela indiferenga, Este, O? Sacerdotes, é chamado 0 sistema da conceniracdo sublime. — GAUTAMA BUDHA, 563(2)-483(?) AC. WMenografia: Semanal SAMORG Oyen Rosacraz MONOGRAFIA DE NEOFITO PRIMEIRO GRAU NUMERO DOZE PAGINA UM 4os meus Fratres e Sorores: Saudagdes! Teremos esta noite, nossa ultima monografia déste Grau. 0 as- sunto versa sObre "0 Segrédo da Concentracao". Ena verdade opor- tuno, que o assunto para esta noite seja éste porque, nos recentes experimentos das poucas licdes passadas, alguns Estudantes acharam dificil obter resultados perfeitos e nos escreveram solicitando maiores informagées a respeito. Dar-lhe-ei agora, e aos outros todos, os pontos que lhes auxiliarao a dominar esta arte incomum da concen- tragao perfeita. A ARTE DA Deve ter em mente que a arte da concentragao nao é f4- CONCENTRACAO cil ou simples. Homens de negécios e educadores tém verificado que apenas uma pessoa, em dez, tem a faculdade de se con- centrar. Das pessoas que tém a faculdade de se concentrar fisica ou mentalmente, apenas umas poucas podem de- senvolver a arte da concentracado de ma- neira a torna-la um ato Util. Todavia, fa- dlar-lhe-ei, agora, das coisas que tornaw as leis claras. Assim, ter& pouca difi- culdade, apés alguma pratica, em dominar esta arte. A concentragdo 6 a arte do mis- tico. Pela concentragio Sle realiza quase que todos os seus aparentes milagres pelo seu uso, os maiores poderes do mundo tor- nam-se seus auxiliares. Esta ¢ a razao pela qual milhares de livros e panfletos tém sido escritos sébre o assunto da concen- tragado, e porque muitos professores, e ou— tros, tém feito conferéneias sébre ela. A concentragaéo é de grande ajuda em todos 0S assuntos da vida, e também um auxilio para manter a satide, alcangar sucesso e trazer felicidade. Portanto, permita-me indicar as normas que devem ser seguidas tédas as vézes que tiver necessidade de se concentrar, nao importa com que propésito. Primeiro: 0 DESEJO. Pergunte, a si mesmo, porque deseja se con- centrar. Devera ter um objetivo definido em mente, e apenas, um. Isto é, deverd ter em mente uma razdo para se ‘concentrar fazendo-o apenas sobre um objetivo, uma coisa, uma causa, un resultado ou uma inten- co. Nao poderd combinar varios desejos, varios objetivos numa unica concentracao, Este é um dos mais graves érros que as pessoas cometem. Elas acreditam que desde que devotem meia hora 4 meditagao, é possivel combinar varios objetivos e, assim, poupar tempo. Porém, essa combinagao de pensamentos, por si sé, impede a concentragdo, porque deverd haver UM pensamento em mente du- rante o periodo de concentragao. Monografia Semenal____AMORC. Order Rosacruz MONOGRAFIA DE NEOFITO PRIMEIRO GRAU NOMERO DOZE PAGINA DOIS Segundo: 0 OBJETIVO. Considere qual o seu objetivo ao buscar a coisa sébre a qual deseja se concentrar. Esta buscando alguma coisa, apenas, para SI MESMO? Se assim fdr, seu propésito falharaé — nao ha- vera resposta. 0 grande Césmico néo tem poderes ou fortunas para dar Aqueles que os buscam, tinicamente, com espirito egoistico, e, por- tanto, seu motivo deve incluir algum beneficio para os outros como para si préprio. Se seu desejo for totalmente egoistico nao tente a concentracao. Talvez seja conveniente definir, aqui, o que queremos dizer por desejo egoista conforme mencionado no paragrafo anterior: Desejar eriar, produzir, possuir ou concluir uma coisa ou condigao que quando recebida, lhe seja de beneficio exclusivo e que ninguém mais possa partilhar seu g6z0 e uso de uma ou outra maneira, é um desejo pura- mente egoistico. N&o 6 errado ou condendvel desejar alguma coisa de beneficio pessoal desde que se pretenda ou espere usar tal dddiva em beneficio de alguém mais. Por exemplo, desejar uma nova casa, um automdvel ou algum outro bem material nfo é improprio se se permitir que outros compartilhem do conférto que proporcionam. Desejar uma coisa que nao traraé sucesso apenas para a pessoa, porém, de algum modo, sucesso aos membros da familia, conférto aos amigos, ou beneficio a alguem mais além da prépria pessoa — mesmo que indiretamente — é um desejo que nao 6 puramente egoistico. Terceiro: © MERECIMENTO. Apés considerar os outros pontos, como sugerido acima, pense se as coisas que busca ou deseja alcangar pela meditagao sao merecidas. Lembre-se de que o "Homem poe e Deus dispde" e nao tente mudar as leis infinitas de Deus, ou colocar seu raciocinio e planos acima dos de Deus. Por designios de Deus quere- mos dizer, as leis e ordemdo sistema que constitui o Césmico. Podemos ndo saber porque Deus — ou a Natureza — nega algumas de suas béngaos, porém, isto ndo nos autoriza dizer: Deus nfo me deu o que eu poderia ter. Portanto, me concentrarei e alcangarei o que desejo!" Nao, de modo algum. Mui frequentemente, noventa vézes em cem, na verdade, ve— rificamos, mais tarde na vida, que as coisas que pensamos uma vez e deveriamos conseguir para ser felizes, nao fizeram grande falta, no final de contas. Téda crianca acredita que as coisas que seus pais The negam sao as coisas que realmente deveria ter. Hla nao pode com— preender o propésito de seus pais ao negarem-nas. Ela pensa, na oca- siao, que seu coragdo se parte e que nao h4 felicidade no mundo para ela. Dias, semanas ou meses mais tarde, a crianga esquece algumas dagquelas coisas que desejou e é mais feliz, ou tao feliz, sem elas. 0 mesmo se da conosco em nossas vidas. Frequentemente, buscamos e desejamos as coisas que nao nos ‘Monografia: Semanal AMORG = tes Reocre MONOGRAFIA DE NEOFITO PRIMEIRO GRAU NOMERO DOZE PAGINA TRES pertencem — de acérdo com a inteligéncia e grandes designios de Deus. Isto se aplica mui fortemente ao nosso desejo de auxiliar os outros. Com muita frequéncia, tentamos nos concentrar’sébre alguma coisa para alguém, de maneira maravilhosa e impessoal e, nao obstan- te, ndo pensamos que estamos rogando ao grande Cosmico para destruir seu proprio trabalho, para substituir nossos planos pelos seus pré- prios, e transformar seus decretos a nosso pedido. Pode haver uma boa raz&o para nado termos muitas das coisas que outros tém, e outros po- dem sofrer pelas coisas que desejamos que tenham. HA contudo, um plano Divino por tras de tudo e ésse plano deve ser tomado em con- sideracéo e colocado sempre acima da nossa compreensao humilde e finita. Quarto: A HARMONIZACAO. Quando tiver de fazer sua concentra- ¢&0, se, apos considerar os trés pontos acima, acreditar, real e sin- ceramente que estd certo ao se concentrar sdbre o que deseja, hd entao Ométodo @ ser considerado. Se me pudesse explicar claramente, diria a0 iniciante que o melhor método 6 o mais simples. Explicarei o que quero dizer com isto: Tenho visto em alguns livros, métodos sébre concentragao, e se alguém seguisse as formulas ficaria tao ocupado na concentragaéo sébre as normas da formula que ndo haveria concen- tragao sdbre qualquer outra coisa. Ha uma lei da mente subconsciente que diz que quanto mais se pensa sébre o que se est& tentando reali_ Zar no mundo Césmico, mais se interfere com as leis que tornam pos- siveis os resultados. Hm outras palavras, quanto mais preocupada estiver nossa mente objetiva com os planos e detalhes da concentra gao, menor probabilidade ter4 de entrar em contato com o Césmico. Entrar em contato com o Césmico, chama-se Harmonizagao. A HARMONIZAGAO © método apropriado de harmonizagéo é o seguinte: Pare de pensar objetivamente. Esta é a coisa mais dificil de fazer para o iniciante. J4 tentou alguma vez parar de pensar? A probabi- lidade é que depois de ter tentado durante meio segundo, comece a pensar se parou realmente de pensar; sua mente se torna analitica e Comega a ponderar se estaé obtendo sucesso, e assim por diante. Tédas estas coisas séo interferéncias e devem cessar antes que possa al- cancar a harmonizacéo apropriada. DeverA, mesmo, esquecer quem é, onde esta ou porque existe ou, mesmo, que existe. Deverd perder o conhecimento consciente de sua prépria existéncia; deverd manter apenas Ul UNICO PENSAMENTO, que deverd ser o pensamento sébre o qual esta se concentrando. EXPERIMENTO NOMERO OITO Como proceder; Apés ler téda a licdo, esquega as nor- mas ¢ siga suas proprias inclinacdes, lembrando-se que pen- Monografia Semanal AMORE. Ordem Rosacruz MONOGRAFIA DE NEOFITO. PRIMEIRO GRAU NOMERO DOZE PAGINA QUATRO gar nas normas e leis impedira o seu sucesso. Logo que tenha esco- Jhido a idéia UNICA sébre a qual se concentrara — e tenha verificado que 6 boa, impessoal, de auxilio ou peneficio para outros, ou para ° desenvolvimento de sua Personalidade-Alma, e tenha também, se con- vencido de que n&o ha razdo, a seu ver, para nao receber do Cosmico aquilo que deseja — sente-se num lugar calmo olhando fixamente para @ vela acesa; apés alguma pratica podera se concentrar no escuro Sem que tenha qualquer coisa para fixar seus olhos. Entaéo, sente-se cal- mamente, em siléncio e crie uma imagem mental da coisa que deseja obter pela concentragao. Em outras palavras, visualize o que deseja- Togo cue tenha criado, claramente, para si mesmo, a imagem do que de- seja, deixe de pensar nela. Ao criar a imagem mental, imagine ser um artista diante de uma tela em branco — que esta pronto para desenhar sdbre ela a coise que deseja, seja literal ou simbélicamente. Faga comque a imagem se de- senvolva vagarosamente e com realidade, na tela. Veja-a! Sinta-a! Torne-a tao real quanto possa, seaelhante a um ideal. Entao, logo que téda a coisa esteja completamente clara — PARE! PARE! Esse é0 momento critico. & muito dificil parar, porém, devemos parar de modo que amente possa enviar a imagem ao Cosmico, o que nao podera fazer enquanto estivermos trabalhando na imagem. Assim, logo que a imagem estiver pronta, terminada, perfeita, abandone-a, feche os olhos, NAO DENSE EM NADA, nem mesmo em si proprio, na pessoa que devera ser be— neficiada, no Césmico, no mundo, no compartimento ou em qualquer outra coisa. Mui frequentemente, se manifestara uma sonoléncia enquanto estiver conservando sua mente inativa podera adormecer enquanto es- tiver nesse estado. Isto é bom;ma verdade, sera de grande valor s& puder adormecer; todavia, assim que deixar de pensar e eliminar de sua mente os pensamentos, faga-o com a certeza de que “tudo esta bem e se Deus quiser, meus dese jos serao realizados". PRATICA DA Serd necesséria a pratica para adquirir o habito de se CONCENTRACAO concentrar desta forma. Tera de eliminar o habito de demorar muito tempo sébre o pensamento em que esta se concentrando. No caso de olhar para a chama da yela, olhe apenas o tempo suficiente para formar em sua mente a imagem daquilo que deseja ver na chama da vela; depois, pare de pensar nela e olhe para a vela yagamente, sel analisar ou inquirir. Gradualmente, vera o que 0 Cosmico deseja que veja. Se desejar noticias de algum amigo, satde, um favor de alguém ou alguma coisa mais, faga a visualizagio; depois, elimine a imagem de sua mente, e sente-se sem pensar em nada por um momento, preferi- velmente cérca de cinco minutos; todavia, um tmico minuto, seré o suficiente para a mente transferir seu pensamento, sua imagem, ao Césmico. ntao, abandone sua concentragao, nao pense mais no assunto, porém, tenha confianca em que 0 jireito e a justiga serao feitos. Manter pensamentos de Monografia Semanal________AMORC_________Ordem Rosacruz MONOGRAFIA DE NEOFITO PRIMEIRO GRAU NOMERO DOZE PAGINA. CINCO davida ou descrenga, durante ou apés a concentragdo, significa en- viar ao Césmico davidas de que aquilo que deseja lhe sera concedido e 0 Césmico nao atende a u'a mente que duvida. Ficarei muito satisfeito se meus Fratres e Sorores tentarem es- tas sugestdes, de mitas maneiras, ¢ me comunicarem, posteriormente o sucesso que obtiveram. Se verificar, pelas cartas que escreverem, que h& algum ponto que eu possa esclarecer, escreverei uma carta, porém, se as suas cartas demonstrarem que estao aprendendo e obterao sucesso com maior pratica, entao néo escreverei porque estou sempre ocupado tentando auxiliar muitos outros. Com os melhores votos, Fratres e Sorores, ao encerrar éste Grau, sou Fraternalmente, 0 MESTRE DE SUA CLASSE EXAME DO PRIMEIRO GRAU Instrugoes: Leia éste exame completamente. Ent&o, apanhe uma félha de papel, ponha seunome, nimerode inscricao, enderéco e data, na parte superior e comece a responder as perguntas. Nao necessita es- crever as perguntas; comece simplesmente a resposta com o nimero da quest4o, como por exemplo, 1, 2, 3. PROPOSITO Lembre-se de que a finalidade déste exame é capacitar-nos DOEXAME a determinar como est& progredindo em determinados graus de compreensdo, de maneira que possamos valer-nos désse conhecimen- to, como referéncia, ao responder suas futuras perguntas e ao prepa- rar qualquer informagao especial que possamos achar necessaria lhe enviar durante o Segundo Grau. A sua admissa@o ao Segundo Grau nao depende das suas respostas a estas perguntas. 0 mero fato de que es- tas doze monografias lhe foram enviadas indica que acreditamos que esteja seguindo devidamente o curso das ligdes. Unicamente devido a isso sera admitido no Segundo Grau. Suas respostas a estas pergun- tas, contudo, serao cuidadosamente lidas e se forem consideradas sa- tisfatorias, ser-lhe-4 dado o crédito de haver compreendido o Pri- meiro Grau. Se, contudo, verificarmos que esta completamente enganado em qualquer das suas respostas, ou que sua compreensao esta abaixo da média geral, avis4—lo-emos. Mostrar-lhe-emos onde se enganou em suas respostas e instrui—lo-emos como conseguir a devida compreen- s&0 do ponto em que tiver falhado. Remeta suas respostas do Departamento de Instrucao, logo que lhe for possivel, apés receber esta monografia. Lembre-se de que, esta- mos enviando, juntamente, a Ceriménia de iniciacdo do Segun- do Grau para ser realizada em sua noite regular de estudo, © que estaremos aguardando o relatério da Iniciacdo assim como 0 exame do Primeiro Grau, a despeito da percentagem que possa alcancar com relagado &s suas respostas a ésse exame. Monografia Semanal____AMORC_____Ordem Rosecruz MONOGRAFIA DE NEOFITO: PRIMEIRO GRAU NUMERO DOZE PAGINA SEIS Se verificarmos, contudo, apds sua entrada no Segundo Grau, que ne- cessita maiores instrucées com respeito as ligdes do Primeiro Grau, esta instruc&o adicional serd incorporada em cartas que lhe serao enviadas enquanto estiver se ocupando com as ligdes do Segundo Grau. Era usual terem todos os Membros de pagar uma taxa de Inicia- gao nos varios Graus, como em outras organizacées fraternais, porénm, eliminamos essa taxa como coisa compulséria e pensamos que se nos- sos estudantes estiverem profundamente interessados no movimento demonstrem a sua apreciagao pelo seu progresso falando com os ami- gos a respeito da Ordem e auxiliema trazer outros para a luz; isto sera de maior auxilio & Organizacgao do que qualquer taxa de Inicia- ¢&0. Isto nao significa que as doacées voluntarias, muitas vézes feitas para auxiliar a expans&o do trabalho, nao sejam apreciadas, pois tais doagdes nos possibilitam entrar em contato com pessoas que néo poderiam, de outro modo, ser beneficiadas pela nossa propaganda. Achara facil responder as seguintes perguntas reportando-se as suas monografias ou notas que tenha tomado. 0 propésito das pergun- tas € refrescar sua mente com os importantes principios dados no PRI- MEIRO GRAU, e verificar se pode expressar suas impressdes de maneira breve. Portanto, faga suas respostas t&o-breves quanto possivel. GRANDE SECRETARIO 0900000 1. Qual o significado dos mumeros 1, 2,5,4e 5? 2. Qual a grande férea que opera na adesdo, coesao, etc? 3. De que grande energia procedem tédas as vibragdes? 4. Qual a diferenga fundamental entre tédas as manifestagdes da matéria? 5. Qual o simbolo da manifestagdo perfeita? 6. Que é mais importante para nds — a realidade da existéncia ou a realizacgao que dela temos? 7. Qual a sua compreensao da diferenca entre Espirito e Alma? &. Qual a energia que emana do corpo e da mente humana? 9. Qual o principio que é representado pelo foge? 10. Que mais, além da leitura, énecessdrio para a evolucdo psiquica. 4 11. Qual é 0 valor do sono? °12. Que é a Consciéncia Césmica? Monegratia ‘Semanal OR Cae Oriomn: Rosocrur - MONOGRAFIA DE NEOFITO PRIMEIRO GRAU NOMERO DOZE PAGINA SETE 15. Qual deve ser o método de harmonizac&o quando se deseja a comunh&o da Alma? 14. Quais dos pontos que assimilou nas ligées do Primeiro Grau julga ser mais importantes? NOTA: Uma cépia das respostas certas Ihe ser enviada quando suas respostas forem recebidas pelo Departamento de Instrugao IMPORTANTE: A Iniciag&o que realizaré na préxima semana requereré o uso de um triaéngulo equilateral de cartoline ou papel branco, medindo cada lado 50 ems. , duas velas e insenso em cubo ou em po. Sumésie. desta Monografia Abalxo esi um sumério dos importantes prinefpios desla monografia. fle contém os pon tos essencinis, que néo devem ser esquecldos, Apés ler, cuidadosamente, tada a monografia, ten » te recordar o miximo dos importantes ponter Iidos..Leia @ste sumdrlo, opos, e verifique se es queceu. algum. Releis-o, também, durante a proxinia semana, para refrescar sua memoria, * Néo se concentre em mais de uma coisa ao mesmo tempo. Nao poderd alcancar sucesta combinondo varios desejos ou propésitas numa metme concentracéo. * Néo se coneentre em alyuma coisa que traga hencficio apenas para xi mesmo 2 ninguém mais. Tal desejo, & puramonte egoistico e ndo se moterialixars. Considere se merece @ coisa em que ostd s¢ concentrands ¢ se © seu descjo ¢ razodvel, Para a harmonizagdo pare seu pentamento objetivo. Tente esquecer quem 6 roalmente ou 0 lugar onde esta. Mantenha, apenas, dnieo panzamento om gue esd ze concentrando. Faga uma imagem mental da coisa quo disoja resulte da concentragéo. Visvolize-0 oti quo seja perfeita, Entd®, PARE de pensar mela! Esqucco-e. Permite que, cla sejo irra diada de sus mente. Néo @ retenha mois fempo em sua mente, Revise, mui atentamente, as normar dadas nesta monografia s6bre concentzaedo. r Tudo que Aecidires jazer, reatiza-o tmeiiatarente. Né> dotzes pare @ tarde o gite pudercs realizar pela manh&, — “En Vos Conjio” Estamos anteciporido cigumos leis ¢ experimentes dos Graus futuros, ao the dar os fatos, que se seguem, porém éies Ihe serdo tau Gteis que estarnos justificedos em fazer esta e: cec&o, A concentracGo, como procedimento, € dual em natureta Sua fase positiva & de acdo €, 9 fase negativa, de passividade. Como. fei explicado nesta monogtatia, ad ras concen- trarmos devemos, primetramente, visualizat © objeto ou coisa em que noz estamos concen- trande. Para isso fazer, enipregamos nossas faculdades pensanies-e conservamos a conscién- cia objetiva ~— céretiro. — muito ativa. Ao fozer a necesséria imagem mental, podernos, mesmo, ollicr enn tomo ou ouvir sons que no: auxiliem, iniclalmente, a formar a imagen mental, Proccromos crior © ambiente adequado,. Esta atividade, todavia, € gerada e arma- zenede em nosso interior, ¢ desde que continuemos a estimular Hossos sentidas cam tal pen Samento € ago, 3 imagem ou mensagem criada ne mente é ali rei da. A fose passiva oune- gativa da concentracao requer o desprendimento, pela mente, da energia que foi gevada, Isto & conseguido ao liberar, 011 tentar fazé-lo, c imagem que criou permitindo que ela se trons- firg a consciéncia interior — subjetiva — para maior propagacéo no Césmico, Aquéles que Se toncentram pela mere focalizacGo.dos'sentidos sébre alguma coisa pelo uso da’ vontade estan usando, exclusivomente, a concen trag&o positiva ¢ os resultados estao limitados apenas @ sua conscléncia matericl e fora do campo. da consciéncia e realizagéo psiquica, Hé por exernplo, uma grande diferenca entre ¢ tenacidade de um “bull-dog” ¢ a visualizacdo de um poeta OU mistico, embora ambos empraquem a concentragtic em suas diferentes foses. O pii- meiro, inconscientemente, usa'a concentragdo positiva e, o Ultime a unido harmoniosa da po- sitiva e negative.