A

a e Química
Físic
11.º an o
Física

Noémia
Maciel
M. Céu
Marque
Carlos s
Azeved
Alice C o
ação
Andreia
Magalh
ães

À Prova
de Exa
me

A cópia ilegal viola os direitos dos autores.
Os prejudicados somos todos nós.
Oo
EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.indd 1 17/3/16 9:53 AM

Introdução

À Prova de Exame é constituído por uma seleção de questões
de exames nacionais, desde 2006 até 2015.

Esta seleção foi concebida com dois objetivos fundamentais:
• orientar o aluno no seu estudo de forma autónoma,
convidando-o a trabalhar com o manual para dar resposta
às questões colocadas e familiarizar-se com a tipologia
das questões de exame;
• permitir ao professor a sua utilização nos mais diversos
contextos, nomeadamente: como questão de aula,
complemento do Verifique o que aprendeu e Aplique o que
aprendeu; trabalho de casa...

Bom trabalho!
Os autores

2

EF11CAPEEP_20151046_P097_144_CImg.indd 2 18/3/16 2:15 PM

Domínio 1  Mecânica

1. Quando, nos anos 60 do século XX, os satélites geostacionários se tornaram uma realidade, foi possível
utilizá-los para as comunicações a longa distância e outros fins, que têm vindo a modificar a forma como
vivemos, trabalhamos e passamos os tempos livres.

1.1. Mencione duas outras utilizações claramente positivas do uso de satélites geostacionários.

1.2. Dois astronautas com massas diferentes encontram-se no interior de um satélite geostacionário, em
repouso em relação às paredes do satélite.
Selecione a alternativa CORRETA.
1A2 As forças gravíticas que atuam nos dois astronautas, resultantes da interação com a Terra, são
nulas.
1B2 As forças gravíticas que atuam nos dois astronautas, resultantes da interação com a Terra, são
diferentes de zero e iguais em módulo.
1C2 Ambos os astronautas possuem aceleração nula, em relação a um sistema de referência com
origem no centro da Terra.
1D2 Os valores absolutos das acelerações dos astronautas, em relação a um sistema de referência
com origem no centro da Terra, são iguais.

1.3. Selecione a 4 que permite escrever uma afirmação CORRETA.
A altitude de um satélite geostacionário terrestre depende…
1A2 … da massa do satélite.
1B2 … do módulo da velocidade linear do satélite.
1C2 … da massa da Terra.
1D2 … da velocidade de lançamento do satélite.

1.4. Um satélite geostacionário de massa m = 5,0 × 103 kg encontra-se num ponto situado na vertical do
equador, movendo-se com velocidade de módulo, v, a uma distância, r, do centro da Terra.

O módulo da força centrípeta que atua no satélite é Fc = m
v2
.
r
Calcule, apresentando todas as etapas de resolução:
1.4.1. o módulo da velocidade angular do satélite em relação ao centro da Terra;
1.4.2. o módulo da força gravítica que atua no satélite, devido à interação com a Terra.

1.5. Um objeto é lançado de um balão de observação para o mar. Selecione a afirmação CORRETA.
1A2 A energia cinética do objeto ao atingir o mar é a mesma, quer se despreze, ou não, a resistência
do ar.
1B2 A energia mecânica do sistema objeto + Terra, no instante em que o objeto atinge o mar, é maior
quando se despreza a resistência do ar do que quando não se despreza essa resistência.
1C2 A energia potencial do sistema objeto + Terra, no instante em que o objeto atinge o mar, é menor
EF11CAPE © Porto Editora

quando se despreza a resistência do ar do que quando não se despreza essa resistência.
1D2 A energia mecânica do sistema objeto + Terra, no instante em que o objeto atinge o mar, é a
mesma, quer se despreze ou não a resistência do ar.

3

EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.indd 3 17/3/16 9:53 AM

Questões de exame nacional

2. A queda de um corpo abandonado, próximo da superfície terrestre, foi um dos primeiros movimentos que

EF11CAPE © Porto Editora
os sábios da Antiguidade tentaram explicar. Mas só Galileu, já no séc. XVII, estudou experimentalmente o
movimento de queda dos graves e o lançamento de projéteis.
Observe com atenção a figura, que mostra
uma esfera a cair em duas situações.
Na situação I, a esfera, inicialmente em
repouso, é colocada no ponto A, deslizando
sem atrito sobre a calha, até ao ponto B.
No ponto B, abandona a calha, descrevendo
um arco de parábola até ao ponto C.
Na situação II, a esfera é abandonada no
ponto E, caindo na vertical da mesma
altura, h.
Em qualquer das situações, considere o sistema de eixos de referência representado na figura, com
origem no solo, desprezando o efeito da resistência do ar.

2.1. Considere a situação II representada na figura.
2.1.1. Selecione a alternativa que permite calcular o módulo da velocidade com que a esfera atinge o solo.
"2g h
1A2 2g"h 1B2 "2g h 1C2 2 "g h 1D2
2
2.1.2. Selecione a alternativa que apresenta os gráficos que traduzem corretamente a variação dos
valores da velocidade, v, e da aceleração, a, em função do tempo, t, durante o movimento de
queda da esfera.
1A2 1C2

1B2 1D2

4

EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.indd 4 17/3/16 9:53 AM

F .2. Um satélite artificial descreve com velocidade de módulo. considerando que o módulo da aceleração centrípeta do satélite é ac = .3. em função do tempo. → 1A2 1C2 1B2 1D2 3. do satélite e da força. igual a 8. Considere os tempos de permanência da esfera no ar. 3. Selecione a alternativa que apresenta os gráficos que traduzem corretamente a variação dos módulos da velocidade. v . durante o movimento do satélite em torno da Terra. Selecione a alternativa que estabelece a relação correta entre esses tempos. 1A2 t1 = 2 t2 1B2 t1 = 1 t2 1C2 t1 = t2 1D2 t2 = 10 t1 2 3. estando sujeito apenas à força gravítica exercida pela Terra. respetivamente. F. 1A2 1B2 1C2 1D2 3.2. do satélite. exercida pela Terra (T) sobre o satélite → (S) e a velocidade. Um satélite descreve periodicamente uma órbita circular em torno da Terra. v. 5 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. v2 r Apresente todas as etapas de resolução.1. r.4 * 106 m. nas situações I e II. Domínio 1 Mecânica 2. Selecione o diagrama que representa corretamente a força. v. uma órbita circular de raio. em torno da Terra. t. t1 e t2.indd 5 17/3/16 9:53 AM . durante o seu movimento em torno da Terra. EF11CAPE © Porto Editora Calcule o módulo da velocidade orbital do satélite. que atua sobre este.

1. inicialmente em repouso. representado na figura. Calcule a distância a que o ponto B se encontra do solo. até à posição B. Quando se estudam muitos dos movimentos que ocorrem perto da superfície EF11CAPE © Porto Editora terrestre. em queda vertical.3 m s. é igual a 20 m s. t1 ] s. desde zero até um valor igual ao do peso do conjunto paraquedista / paraquedas.2. contudo. y (t) e v (t). 4. no caso das torres de queda livre existentes em alguns parques de diversão.indd 6 17/3/16 9:53 AM . por exemplo. 1D2 No intervalo de tempo [0. há conservação da energia mecânica do sistema paraquedista / paraquedas + Terra. Quando atinge a posição B. Questões de exame nacional 4. como tem uma importância fundamental no movimento. chegando ao solo com velocidade nula. O gráfico da figura abaixo representa o módulo da velocidade de um paraquedista. sabendo que o módulo da aceleração do elevador. a resultante das forças que atuam no paraquedista é nula. t1 ] s.1. 1A2 No intervalo de tempo [0. considera-se desprezável a resistência do ar. com origem no solo. 1B2 No intervalo de tempo [t1. A figura representa uma torre de queda livre que dispõe de um elevador. 1E2 No intervalo de tempo [t2. o módulo da aceleração do paraquedista é igual a 10 m s . 1C2 No intervalo de tempo [t2. cai livremente a partir da posição A. É o que acontece. Um exemplo de movimento em que a resistência do ar não é desprezável é o movimento de queda de um paraquedista. 1F2 No intervalo de tempo [t1. onde os passageiros se sentam. situada a uma altura h em relação ao solo. Considere que o movimento se inicia no instante t = 0 s e que o paraquedas é aberto no instante t2. a energia cinética do conjunto paraquedista / paraquedas mantém-se constante. O elevador foi dimensionado de modo a atingir a posição B com velocidade de módulo igual a 30. entre essas posições.2. a resultante das forças que atuam no conjunto paraquedista / paraquedas tem sentido contrário ao do movimento do paraquedista. 4. t4 ] s. t3 ] s. 6 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. t1 ] s. a resistência do ar não só não é desprezável. a intensidade da resistência do ar aumenta. Considere desprezáveis a resistência do ar e todos os atritos entre a posição A e o solo. Considere o referencial de eixo vertical. E. 1H2 No intervalo de tempo [t3.2. Noutros casos. t3 ] s. o módulo da aceleração do paraquedista é constante. passa também a ser atuado por uma força de travagem constante. t2 ] s. O elevador. firmemente amarrados. 1G2 No intervalo de tempo [0. Classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações seguintes. t2 ] s. e recorra exclusivamente às equações que traduzem o movimento. Apresente todas as etapas de resolução. o paraquedista encontra-se parado. em função do tempo.

A atmosfera de Vénus é constituída por cerca de 97% de dióxido de carbono e por uma pequena percentagem de azoto. Domínio 1 Mecânica 5. Com base na informação apresentada no texto. A maior parte da luz do Sol que incide na superfície lunar é absorvida. porque o dióxido de carbono e o vapor de água atmosféricos se deixam atravessar pela luz visível do Sol. vLua . nuvens. sendo o albedo médio da Lua de apenas 11%. entrou num mundo estranho e desolado. Nas análises laboratoriais de rochas e solo trazidos da Lua não foram encontrados água. Depois da Lua. fósseis nem organismos de qualquer espécie. a 20 de julho de 1969. O silêncio é total. hélio e outros gases. e próximo da superfície da Terra.2. selecione o gráfico que traduz o modo como variam os módulos da velocidade de um corpo em movimento de queda livre vertical. próximo da superfície da Lua. Terra Lua = 1 1A2 Fg Fg Terra Å6 Lua 1B2 Fg Terra = "6 Fg Lua = 1 1C2 Fg F Terra 6 g Lua 1D2 Fg Terra = 6 FgLua 5. uma vez que a espessa camada de nuvens que o envolve reflete grande quantidade da luz proveniente do Sol. nem fenómenos meteorológicos de espécie alguma.indd 7 17/3/16 9:53 AM . Dinah Moché. porque ali não existe atmosfera apreciável. Gradiva. Vénus é o astro mais brilhante no céu noturno. Com base na informação apresentada no texto. A temperatura à superfície chega a atingir 482 ºC. em função do tempo de queda. com vestígios de vapor de água. A aceleração da gravidade à superfície da Lua é cerca de 1/6 da que se verifica à superfície da Terra. quando colocado à superfície da Terra Fg . Fg . vTerra . Toda a superfície da Lua está coberta por um manto de solo poeirento. selecione a alternativa que compara corretamente a intensidade da força gravítica que atua sobre um mesmo corpo. 2002 (adaptado) 5. e à superfície da Lua.1. 1A2 1C2 1B2 1D2 EF11CAPE © Porto Editora 7 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. Astronomia. Quando o astronauta Neil Armstrong pisou pela primeira vez o solo lunar. Leia atentamente o seguinte texto. mas não deixam escapar a radiação infravermelha emitida pelas rochas da sua superfície. Não há céu azul.

1H2 O valor da energia cinética do MC variou ao longo da órbita. Aldrin. 1A2 1C2 1B2 1 D2 6. selecione o diagrama que representa corretamente as forças de interação entre o Módulo de Comando e a Lua.0 h ⇔ T = 7.4 rad s. da missão Apollo 11.1. T = 2. o seu colega M. Armstrong e E. classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações seguintes. diversas órbitas circulares. 1F2 O módulo da velocidade linear do MC depende da sua massa. sujeito apenas à força gravítica exercida pela Lua. 1G2 O módulo da velocidade angular do MC foi 8. Considere que o Módulo de Comando (MC) descreveu. 1E2 O produto do módulo da velocidade angular do MC pelo período do seu movimento é independente do raio da órbita. em órbita à volta da Lua (L).1. de raio 1. 6.2 * 103 s 8 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.2 * 103 s.9 * 106 m. 1A2 O MC descreveu cada volta completa em 7. Questões de exame nacional 6. 1D2 O trabalho realizado pela resultante das forças aplicadas no MC foi nulo. 1B2 A velocidade linear do MC manteve-se constante.0 h. recolhiam amostras na superfície EF11CAPE © Porto Editora lunar. Collins permanecia no Módulo de Comando (MC). Enquanto os astronautas N. 1C2 Em 2.indd 8 17/3/16 9:53 AM .9 * 106 m. Tendo em conta a situação descrita.2. com um período de 2. como representado na figura (a figura não está representada à escala).0 h o MC percorreu uma distância de 1.7 * 10 . Relativamente à situação descrita.

latitude e altitude. Os dados são depois enviados para uma Estação de Controlo. o número de voltas em torno da Terra que um satélite do sistema GPS efetua durante um dia. em Colorado Springs. 1A2 1C2 1B2 1D2 7. é utilizado um sinal de um quarto satélite para sincronizar o relógio do recetor com os dos satélites. A componente espacial é constituída por 24 satélites com relógios atómicos. Selecione o esquema que pode representar estas grandezas quando o satélite passa no ponto P da trajetória descrita. Indique. velocidade e aceleração associadas a esse movimento. latitude e altitude. distribuídos em 6 planos orbitais. 9 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. na superfície da Terra. Por isso. A componente de controlo é constituída por um conjunto de estações terrestres que recebem continuamente informação dos satélites. EF11CAPE © Porto Editora 1B2 Pode localizar-se uma cidade conhecendo apenas a sua longitude. 1A2 Cada local. em volta da Terra. a finalidade do GPS é determinar a posição de um objeto à superfície da Terra dando as três dimensões: longitude.fc. selecione a alternativa correta. que descrevem órbitas circulares em torno da Terra. Leia atentamente o seguinte texto. com velocidade de módulo constante e as grandezas vetoriais força. com base na informação contida no texto. 1D2 A latitude é medida em relação ao semimeridiano de Greenwich. que analisa a posição relativa de cada satélite e projeta as suas trajetórias e o comportamento dos relógios para as horas seguintes. O recetor está localizado num ponto de interseção de três superfícies esféricas centradas em cada satélite.pt/crawford/artigos 7. Domínio 1 Mecânica 7.indd 9 17/3/16 9:53 AM . O sistema GPS pode ser descrito em termos de três componentes: a espacial. 7. O recetor GPS utilizado nos carros é uma parte do chamado sistema GPS (Global Positioning System) que foi criado e é controlado pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América. a de controlo e a do utilizador.ul.3. Tendo em conta a natureza destas dimensões. A posição de um objeto à superfície da Terra é fornecida pelos sinais eletromagnéticos provenientes de três satélites.1.2. cujo raio corresponde à distância entre o recetor e o satélite. O relógio do recetor GPS não é tão preciso como os relógios atómicos dos satélites. Considere um satélite que descreve uma trajetória circular. De acordo com o texto. Adaptado do sítio Cosmo. A componente do utilizador é constituída pelo recetor que se encontra na superfície da Terra. com um período orbital de 12 h. 1C2 A latitude é medida em relação ao equador da Terra. A finalidade do GPS é determinar a posição de um objeto localizado na superfície da Terra dando as três dimensões: longitude. O recetor GPS regista o instante da receção de cada sinal e calcula a distância a que se encontra o satélite. Cada satélite envia um sinal codificado com a sua localização e o instante de emissão do sinal. está a uma latitude diferente.fis.

3.0.2.0] s.0 t + 15. Calcule a massa do sistema carro e ocupantes. x = .2. 1F2 A distância que separa o carro do marco quilométrico é máxima no intervalo de tempo [1.0] s.1. 1.1.0.5 * 104 J. é maior do que no intervalo de tempo [3. Um carro move-se horizontalmente ao longo de uma estrada com EF11CAPE © Porto Editora velocidade de módulo variável e descreve uma trajetória retilínea. se utilizar a máquina.0. 3. em função do tempo. no intervalo de tempo [2.2.3.2.0] s.0 (SI).0] s. 1B2 O carro moveu-se no sentido positivo da trajetória no intervalo de tempo [2. 1.0] s. 8. Apresente todas as etapas de resolução. 3. Calcule o módulo da velocidade do carro no instante 0.indd 10 17/3/16 9:53 AM . 1A2 A velocidade do carro variou no intervalo de tempo [0.0. 25% é aproveitada para o movimento do carro e a restante é dissipada nos atritos. Apresente todas as etapas de resolução.0] s. 4.0.0. no intervalo de tempo [0.0. é maior do que no intervalo de tempo [2. 1. 1C2 O movimento do carro foi uniformemente retardado no intervalo de tempo [3. Considere o intervalo de tempo [2.0.0. Apresente todas as etapas de resolução. A resolução pode ser efetuada por cálculos numéricos ou utilizando a máquina de calcular gráfica. no intervalo de tempo [0.1.0 t + 15. 1D2 O movimento do carro foi uniforme no intervalo de tempo [1. Questões de exame nacional 8. Admita que 60% da energia do combustível do carro é consumida nos sistemas de arrefecimento e no escape.4 s e indique a direção e o sentido da velocidade nesse instante.3.0] s. 2. 8.0] s. 3. 1. A energia cinética do sistema carro e ocupantes nesse intervalo de tempo é 7. 8.0] s.2. a lei do movimento do carro é: x = . em função do tempo.2. 8. Classifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmações seguintes. 1H2 O módulo da velocidade do carro. refira os procedimentos efetuados. 1A2 1B2 1C2 1D2 10 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. Selecione o gráfico que melhor traduz a força aplicada no carro. 4.0] s.3.0] s do gráfico da figura.0 (m) 8.0.0. no intervalo [0. 8. 4. 8.0.0] s. Admita que.0.0 t 2 + 12. 1G2 A distância percorrida pelo carro. ou. Determine o valor da energia dissipada nos atritos.0] s. O gráfico da figura representa a sua posição relativamente a um marco quilométrico.0 t 2 + 12.2. 1E2 O valor da velocidade do carro é negativo no intervalo de tempo [3. 2.

e observar que chegam ao fundo do tubo exatamente ao mesmo tempo. no qual caracterize o movimento de queda desse objeto. Somos. Domínio 1 Mecânica 9. • Identificação dos dois tipos de movimento que ele adquire durante a queda. x. 1B2 … da sua massa. a pedra grande e a pedra pequena cairiam ao mesmo tempo. fundamentada. da mesma altura. da variação do módulo da sua aceleração durante a queda. cai verticalmente até ao solo. Se se “desligasse” a resistência do ar.1. Se fizermos a experiência na Terra. levados pela intuição a concluir que devia cair primeiro a pedra grande. O esboço abaixo representa uma imagem estroboscópica do movimento de um barco. 10. verificou que ambas chegavam ao chão. 1A2 1B2 1C2 1D2 EF11CAPE © Porto Editora 11 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. se se ignorar a resistência do ar? A pedra grande ou a pedra pequena? Ignorar a resistência do ar significa que se imagina que não há atmosfera. de facto. Considere um objeto que. No chamado “tubo de Newton” (um tubo de vidro onde se faz o vácuo) pode-se deixar cair. o tempo de queda de um objeto depende… 1A2 … da sua forma. constatamos que cai primeiro o objeto maior. a hipotética experiência de Galileu na torre de Pisa. do barco. em relação ao referencial representado. cair primeiro. 9. em função do tempo decorrido. Numa imagem estroboscópica. Conta a lenda que no século XVII o italiano Galileu Galilei. tendo deixado cair uma pedra grande e uma pedra pequena do cimo da torre de Pisa.1. um muito grande e outro muito pequeno. Esse instrumento permite efetuar. deixando cair dois objetos do mesmo material. aproximadamente. Com base na informação apresentada no texto. objetos diferentes. descrevendo o modo como variam as intensidades dessas forças. Qual é a pedra que deve. abordando os seguintes tópicos: • Identificação das forças que sobre ele atuam. após ter sido abandonado do cimo da torre de Pisa. Os sistemas de navegação modernos recorrem a recetores GPS. 1C2 … da sua densidade. Gradiva. Carlos Fiolhais. de acordo com as nossas intuições mais imediatas. em alto mar. Adaptado de Física Divertida. entre os pontos A e B. as posições de um objeto são representadas a intervalos de tempo iguais. durante a queda.indd 11 17/3/16 9:53 AM . selecione a alternativa que completa corretamente a frase seguinte. A Natureza nem sempre está. 1D2 … da altura de queda. ao mesmo tempo. 10. Leia atentamente o seguinte texto. que recebem. porém. em condições ideais. Sendo apreciável o efeito da resistência do ar sobre esse objeto. mesmo que se “desligasse” a resistência do ar. Na ausência de resistência do ar.2. sinais eletromagnéticos de um conjunto de satélites. por exemplo. Escreva um texto. Selecione o único gráfico que pode traduzir a posição. uma chave e uma pena. • Descrição. 1991 9. ele acaba por atingir a velocidade terminal. então.

em função da sua massa.4 * 106 m 11.2. com um EF11CAPE © Porto Editora período de 12 horas. 11.1. durante a ascensão e a queda da bola.1 1C2 2p * 3600 rad s.1 rad s. Na situação II. Na situação I.2.1 12 2p * 12 2p rad s. em função do tempo. atingindo o solo com velocidade de módulo 4. o módulo da velocidade angular de um satélite GPS. Os satélites do sistema GPS deslocam-se a uma velocidade de módulo 3. 11.2.0 m s. Considere que o sentido do eixo Oy é de baixo para cima.2.0 m 1B2 W = . 10. Questões de exame nacional 10.2. Cada um dos satélites do sistema GPS descreve órbitas aproximadamente circulares. 1A2 2p * 12 * 3600 rad s. 11. ay.1. e que nas duas situações é desprezável o efeito da resistência do ar.1. enviado por um desses satélites. sem velocidade inicial.1. em relação ao nível do lançamento.8.0 m 1C2 W = 10 m 1D2 W = .2.3. a bola é lançada verticalmente para cima.0 m s.1. Selecione a única alternativa que contém a expressão do trabalho realizado pela resultante das forças que atuam na bola. em rad s.1.87 * 103 m s.10 m 12 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. em duas situações diferentes. e da aceleração. t.2. 1A2 1B2 1C2 1 D2 vy vy vy vy t t t t ay ay ay ay t t t t 11. Selecione a única alternativa que permite calcular. utilizou-se uma pequena bola de massa m. de uma determinada altura. 10. Indique. Determine a altura máxima atingida pela bola.1. até esta atingir o solo. Apresente todas as etapas de resolução. Num estudo de movimentos verticais.1. I e II.1 12 * 3600 1B2 1D2 3600 10. m. com velocidade inicial de módulo 5.indd 12 17/3/16 9:53 AM . justificando. vy. Apresente todas as etapas de resolução. raio da Terra = 6. 1A2 W = 8. a bola é largada.1. Determine o tempo que um sinal eletromagnético. leva a chegar ao recetor se o satélite e o recetor se encontrarem numa mesma vertical de lugar. se os satélites do sistema GPS são geostacionários. Selecione a única alternativa que apresenta os gráficos que melhor traduzem as componentes escalares da velocidade.

. 10] s. Os satélites artificiais da Terra estão também sujeitos à força da gravidade. t. vx. com movimento uniformemente acelerado.. num eixo Ox.2. quadruplica. 94-95 12.. Indique a relação entre as direções da força que conserva a Lua na sua órbita e da velocidade da Lua..0 .0. A intensidade da força que atua sobre esses satélites quando a sua distância ao centro da Terra . A velocidade do homem muda de sentido no instante. duplica. da velocidade.1. Indique entre que instantes o homem se desloca no sentido negativo do eixo Ox. 13. 13. O gráfico da figura representa a componente. 1979... duplica. com movimento circular uniforme.1t 1B2 vx = .indd 13 17/3/16 9:53 AM . Selecione a alternativa que contém a expressão da lei das velocidades. em função do tempo. 1D2 .. se reduz a metade. o nosso satélite natural. de modo a obter uma afirmação correta... se reduz a metade. para o intervalo de tempo [0. formulando leis que estão referidas na sua obra Principia. 1A2 . quadruplica. pp.1. Leia com atenção o pequeno texto atribuído a Newton. Domínio 1 Mecânica 12. os espaços seguintes. 1C2 .. 1C2 … t = 35 s. Fundação Calouste Gulbenkian. 1B2 . de um homem que se desloca numa trajetória retilínea horizontal.0 + 0.1t 1C2 vx = . Selecione a alternativa que contém os termos que preenchem. descreve uma órbita praticamente circular em torno da Terra.0. 1A2 … t = 20 s. Newton também contribuiu para o estudo do movimento dos corpos na Terra.1t EF11CAPE © Porto Editora 13. 13... deduzi que as forças que conservam os planetas nas suas órbitas devem ser inversamente proporcionais aos quadrados das suas distâncias aos centros em torno dos quais revolucionam: e assim comparei a força necessária para conservar a Lua na sua órbita com a força da gravidade à superfície da Terra. 12..1.2. 13 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. Selecione a alternativa que permite obter uma afirmação correta. duplica. A Lua.1. 1D2 … t = 40 s.1t 1D2 vx = .. “Comecei a pensar que a gravidade se estendia até à órbita da Lua e...” In Projecto Física Unidade 2. duplica... 1A2 vx = 0.. 1B2 … t = 25 s.. sequencialmente.3.

deixar cair o martelo.nasa. mas é independente da sua massa. caem com acelerações diferentes. num dado percurso.indd 14 17/3/16 9:53 AM . devemo-lo. 16. Scott exclama: “Isto mostra que Galileu tinha razão!” http://history. aproximadamente.clsout3. Os dois objetos caem lado a lado e chegam ao chão praticamente ao mesmo tempo. O martelo e a pena caem lado a lado e chegam ao chão praticamente ao mesmo tempo.3. é possível ouvir as palavras de Scott: “Se estamos aqui hoje. 15. e espero que cheguem ao chão ao mesmo tempo.32 kg) e uma pena de falcão (de massa 0. Na figura encontra-se representado o gráfico da distância percorrida pelo jipe. porque. é arrastado ao longo de uma superfície horizontal rugosa EF11CAPE © Porto Editora por uma força horizontal constante com intensidade 40 N. o módulo da sua velocidade era 3.html#1670255 (adaptado) 15. Durante a queda da pena manteve-se constante. 1D2 … diferentes. 1D2 … é independente da forma e da massa do objeto. 1C2 … iguais. o astronauta David Scott. Questões de exame nacional 14. para o sistema pena + Lua. na queda livre de um objeto.0 m s. a. que fez uma descoberta muito importante acerca da queda dos corpos em campos gravíticos. 1D2 … diferença entre as energias cinética e potencial gravítica. e a largá-los em simultâneo.” Nas imagens registadas.03 kg).1. e a pena. Calcule a intensidade da força de atrito. comandante da missão Apollo 15.1. No filme que registou essa experiência. em função do tempo. ao fim de 3.2. os astronautas da Apollo 15 usaram um veículo conhecido como jipe lunar. A 2 de agosto de 1971.. 1B2 … iguais. 1C2 … energia potencial gravítica. à mesma altura. que tenho na mão esquerda. caem com acelerações iguais. estando sujeitos a forças gravíticas… 1A2 … diferentes.. caem com acelerações iguais. Um corpo de massa 5. Para aumentar a área de superfície lunar suscetível de ser explorada. 1A2 … energia cinética. Apresente todas as etapas de resolução. a Galileu. 15. caem com acelerações diferentes. partindo do repouso. por isso. 1B2 … soma das energias cinética e potencial gravítica. Considere que o jipe pode ser representado pelo seu centro de massa (modelo da partícula material). Vou. 14 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. 1B2 … depende da forma do objeto.0 kg. realizou na Lua (onde a atmosfera é praticamente inexistente) uma pequena experiência com um martelo geológico (de massa 1. Leia o seguinte texto. suposta constante. 1C2 … é independente da forma do objeto. Galileu previu que.0 s.1. 16. Verificou-se que. Considero que não há melhor lugar para confirmar as suas descobertas do que a Lua. o tempo de queda… 1A2 … depende da forma e da massa do objeto. que tenho na mão direita. mas depende da sua massa. 15.gov/alsj/a15/a15. vê-se Scott a segurar no martelo e na pena. entre outros.

quadruplicaria. t2 ]..76 * 103 2p * 5. 17. t4 ]. com movimento circular uniforme. 18. A figura representa um esboço de um gráfico que traduz o modo como varia o módulo da velocidade.indd 15 17/3/16 9:53 AM .. de modo a obter uma afirmação correta. a energia cinética da gota de água. 1C2 … [t2.3. 1B2 … [t1. no intervalo de tempo [0.. 1C2 duplicasse. os espaços seguintes. v. • identificação das forças que atuam sobre a gota de água. 1A2 se reduzisse a metade. t1 ]. t. o jipe se afastou do ponto de partida. A figura representa um satélite. Se a distância de um satélite ao centro da Terra . Selecione a única opção que permite obter uma afirmação correta. o jipe descreveu uma trajetória curvilínea. e a energia mecânica do sistema gota + Terra aumenta. fundamentada.1 1D2 m s. 18. 1D2 … [t3. 1D2 se reduzisse a metade. fundamentada no gráfico apresentado. Os satélites artificiais da Terra podem ter órbitas praticamente circulares ou órbitas elípticas. quadruplicaria.1.0 * 106 m. nesse intervalo de tempo.2. e a energia mecânica do sistema gota + Terra aumenta. levando cerca de 5. e a energia mecânica do sistema gota + Terra diminui.2. consoante a aplicação a que se destinam. 1C2 … mantém-se. e indicação do modo como variam as intensidades dessas forças.1 7. e a energia mecânica do sistema gota + Terra diminui. Escreva um texto no qual aborde os seguintes tópicos: v • identificação. duplicaria.. EF11CAPE © Porto Editora 1B2 … varia. Selecione a única opção que contém os termos que preenchem. 17. 7. sequencialmente. • caracterização.76 * 103 s a completar uma volta em torno da Terra. no intervalo de tempo… 1A2 … [0. Domínio 1 Mecânica Selecione a única opção que permite obter uma afirmação correta.76 * 10 3 17. o módulo da velocidade desse satélite.. duplicaria.. O gráfico permite concluir que. 15 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. No intervalo de tempo [t1.0 * 106 * 5. t1 ]. 1B2 duplicasse.1 2p * 5. 1D2 … mantém-se. a intensidade da força que a Terra exerce sobre ele .0 * 106 5. da resultante das forças 0 t1 t2 t que atuam sobre a gota de água. em m s.1 1C2 2p * 7.76 * 103 2p * 7. 17.. de raio 7. o jipe esteve parado..0 * 106 1B2 m s. em órbita à volta da Terra.. Selecione a única opção que permite calcular. 18.1. Trace os vetores que representam a velocidade do satélite e a força que o mantém em órbita à volta da Terra. t1 ]. t2 ]. de uma gota de água da chuva que cai verticalmente.. 1A2 … varia.0 * 106 1A2 m s. dos tipos de movimento da gota de água.1. o jipe inverteu o sentido do movimento. em função do tempo. t3 ]. O telescópio espacial Hubble descreve órbitas praticamente circulares.76 * 103 m s. no intervalo de tempo [0.

são forças com intensidades… 1A2 … iguais.3. que se moveria perpetuamente.3. Utilize a calculadora gráfica. visto ser impossível eliminar o atrito. 18. Infeld. Tempo/s Posição/m 0.indd 16 18/3/16 1:10 PM . Na tabela seguinte encontram-se registadas as posições de uma gota de água. subitamente. 19. na situação descrita no texto. L. 16 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_CImg. que se moveria perpetuamente. Isto já é uma interpretação teórica da evidência observável. EF11CAPE © Porto Editora Considere um referencial unidimensional.3. Determine a componente escalar da velocidade com que a gota chegou ao solo. por exemplo. Apresente o valor obtido com dois algarismos significativos.70 m . idealizando uma experiência que não pode ter realidade.” Qual seria o tipo de movimento do carrinho na situação descrita? 19. 18. FN . após ter atingido a velocidade terminal. Livros do Brasil (adaptado) 19.00 1. 19.20 0. a partir da equação da reta que melhor se ajusta ao conjunto de valores experimentais. A.10 1. Numa outra experiência.09 Questões de exame nacional 18. de uma altura de 1. tanto no contacto do eixo com as rodas como no das rodas com a estrada. deixou-se cair uma gota de água. Suponhamos que alguém vai a empurrar um carrinho por uma estrada retilínea e horizontal e que. maior será a distância percorrida. Quanto mais lisa for a estrada e mais facilmente girarem as rodas. o larga. o carrinho ainda percorrerá uma curta distância.1.30 0. exercida pela estrada. em laboratório. O que acontece em consequência da lubrificação do eixo e do alisamento da estrada? Apenas isto: o efeito do que chamamos atrito diminui.21 0. a força → → gravítica. o movimento de queda de diversas gotas de água. Antes de se imobilizar. EF11CAPE . mas que nos permite compreender melhor a relação entre forças e movimento. Recorra exclusivamente às equações que traduzem o movimento. Surge a pergunta: como será possível aumentar essa distância? Há vários meios. em vários instantes do seu movimento de queda.1. Das forças que atuam sobre o carrinho em movimento sobre uma superfície horizontal. que constituem um par ação-reação. Fg.3. y (t) e v (t). que constituem um par ação-reação. Formulamos esta conclusão unicamente por força do pensamento. que não constituem um par ação-reação.2.18 Obtenha a componente escalar da velocidade terminal da gota. Admita que se estudou. e a força normal. olear o eixo e tornar a estrada mais lisa.63 0. 1B2 … diferentes. Einstein.2. Fundamente a afirmação de Einstein e Infeld segundo a qual se pode aumentar a distância percorrida pelo carrinho. 1C2 … diferentes. tornando a estrada mais lisa. Apresente todas as etapas de resolução. nada interferiria no carrinho. Imaginemos uma estrada perfeitamente lisa e um sistema de eixos e rodas em que não houvesse atrito. nada interferiria no carrinho. como. que não constituem um par ação-reação. 1D2 … iguais. A Evolução da Física.69 0. com origem no solo e sentido positivo de baixo para cima. Neste caso. no interior de uma coluna onde se fez previamente o vácuo. “Neste caso.

8.indd 17 17/3/16 9:53 AM .0 5.0 4. v . 1. 3. Domínio 1 Mecânica 20. segundo esse eixo. v / m s-1 0. Em qual dos seguintes esquemas se encontram corretamente representados os vetores velocidade. da velocidade.0 . obtido em laboratório com um sistema de aquisição de dados. a . t.1.0] s 20. encontra-se representado o gráfico da componente escalar. e aceleração. Considere um carrinho que se move segundo uma trajetória retilínea.2. do carrinho em função do tempo.6. → 20.0.2] s 1B2 [3.4] s.6. 2. Houve inversão do sentido do movimento do carrinho no intervalo de tempo: 1A2 [1.0.8] s 1D2 [5.60 0.3.4.0 3. 6.0.0 6. no instante t = 3.0 2.40 0. Apresente todas as etapas de resolução.4 s? → 1A2 1B2 1C2 EF11CAPE © Porto Editora 1D2 17 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.40 20.20 0 t/s 1.0] s 1C2 [4. coincidente com o eixo Ox de um referencial unidimensional. Calcule a distância percorrida pelo carrinho no intervalo de tempo [0.80 0. 5. v. Na figura.20 .

Na figura encontra-se representado o gráfico da componente escalar da posição.0.0] s? 1A2 1B2 1 C2 1 D2 18 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. Qual das seguintes figuras pode ser uma representação estroboscópica do movimento do carrinho no intervalo de tempo [0. em função do tempo. desse carrinho. segundo esse eixo.1.indd 18 17/3/16 9:53 AM . coincidente com o eixo EF11CAPE © Porto Editora Ox de um referencial unidimensional. Questões de exame nacional 21. 2. Considere um carrinho que se move segundo uma trajetória retilínea e horizontal.1. 2. Admita que no intervalo de tempo [0.0] s a curva representada é um ramo de parábola. decorrido desde que se iniciou o estudo do movimento. t.0.1. 21. 21. x.

0 m s. porque o peso 1A2 … tem direção perpendicular ao deslocamento do carrinho. Qual dos esboços seguintes pode representar a componente escalar da aceleração.0] s . 1D2 … tem intensidade constante. uma órbita praticamente circular. 22. com velocidade de valor constante. Calcule a intensidade da resultante das forças não conservativas aplicadas no carrinho. No movimento considerado. do carrinho. no intervalo de tempo [0. mT (massa da Terra) = 5. em função do tempo.9 * 102 km.indd 19 17/3/16 9:53 AM .2. 22.1. em torno da Terra. ax .1. é 3. a uma altitude de cerca de 5.1. t. se a aceleração do telescópio Hubble é nula. Considere que no instante inicial o valor da velocidade do carrinho. 1C2 … é anulado pela força de reação normal exercida pelo plano. 1B2 … é uma força conservativa.1. v. Domínio 1 Mecânica 21. Conclua.2.4 * 103 km 19 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.4. Admita que a resultante das forças não conservativas tem a direção do movimento. justificando.0.1. Calcule o tempo que o telescópio Hubble demora a descrever uma órbita completa. o trabalho realizado pelo peso do carrinho é nulo.0. Apresente todas as etapas de resolução. Considere v = G mT  .3. de massa 400 g. no intervalo de tempo [0.98 * 1024 kg rT (raio da Terra) = 6. 21. 2.0] s? 1A2 1C2 1B2 1D2 21. 22. Å rórbita EF11CAPE © Porto Editora Apresente todas as etapas de resolução. O telescópio espacial Hubble descreve. 2.

num mesmo plano horizontal.2. Um carrinho de brincar desloca-se sobre uma pista que pode ser montada com diferentes formatos. F. 23. relativamente à trajetória descrita. que se situa num EF11CAPE © Porto Editora mesmo plano horizontal.1. 1A2 1B2 1C2 1D2 F F F F 0 0 0 0 t t t t 23. em qual dos troços.1 → 0→v 0 = 22. é maior a aceleração do automóvel.1 23. em função do tempo.2. Apresente todas as etapas de resolução. Que conclusão.1. A figura representa.1. esquematicamente. Considere o troço entre os pontos A e B. Questões de exame nacional 23. BC ou DE. Determine o tempo que o automóvel demora a percorrer esse troço. representados na figura. Considere que a pista é montada de modo que o carrinho descreva sobre ela uma trajetória circular.2.1. 24.1.0 km A 23.2. uma ligação rodoviária entre os pontos A e E. nesse troço? 23. Conclua. com velocidade de módulo constante. Caracterize os vetores velocidade e aceleração do carrinho quanto à sua direção e quanto ao seu sentido. 23. 24. Considere que os troços entre os pontos B e C e entre os pontos D e E. correspondem a arcos de circunferência. pode retirar-se acerca da resultante das forças que atuam no automóvel. t. ao longo de todo o percurso entre aqueles pontos.1. 0 v 0 = 80 km h. 20 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. fundamentada na 2. ao longo do troço BC.indd 20 17/3/16 9:53 AM . 24. verificando-se que o velocímetro de um automóvel marca sempre 80 km h. justificando. Selecione a única opção que apresenta o esboço correto do gráfico da intensidade da resultante das forças aplicadas no automóvel.ª Lei de Newton.1. C E B D 3.1.2 m s.1.2.

t.0 cm de diâmetro e que o carrinho demora.60 0. está representado o gráfico da componente escalar.80 1. Determine o módulo da aceleração do carrinho. Considere que a trajetória circular descrita pelo carrinho tem 50.20 1. que o objeto de papel cai no ar. 1.6 s a descrever 5 voltas completas.20 0. Na figura.1.00 y/m 0.00 0.20 0.2. Considere. segundo o eixo Oy. Domínio 1 Mecânica 24. daqueles conjuntos? 1A2 1B2 1C2 1 D2 a a a a 0 0 0 0 m m m m F F F F 0 0 0 0 m m m m 25.1. abandonado de uma certa altura. 24. segundo uma trajetória retilínea.60 1. 47. da posição.3. F.40 EF11CAPE © Porto Editora 0. dos conjuntos carrinho + sobrecarga e a intensidade da resultante das forças neles aplicadas.60 0. m. coincidente com o eixo Oy de um referencial unidimensional. a. cai verticalmente até ao solo.40 1.80 t/s 21 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.20 1.00 0. Admita que se colocaram sobrecargas de massa sucessivamente maior no carrinho e que os conjuntos carrinho + sobrecarga se deslocaram sobre a pista demorando o mesmo tempo a descrever uma volta completa. Qual das opções seguintes apresenta os esboços dos gráficos que podem representar corretamente o módulo da aceleração.indd 21 17/3/16 9:53 AM . numa primeira situação.00 1. 25. Apresente todas as etapas de resolução.40 1. em média.80 0. y. do objeto de papel em função do tempo.1. Admita que o objeto de papel pode ser representado pelo seu centro de massa (modelo da partícula material). em função da massa. Os dados registados foram adquiridos com um sensor de movimento.40 0. Um pequeno objeto de papel.

desde o instante em que é abandonado até chegar ao solo. 25. da posição. Apresente todas as etapas de resolução. as forças que atuam no objeto de papel? 1A2 1C2 F»resistência do ar F»resistência do ar F»gravítica F»gravítica 1B2 1D2 F»resistência do ar = 0» F»resistência do ar F»gravítica F»gravítica 25. Admita que o eixo Oy do referencial tem origem no solo e sentido positivo de baixo para cima. 1. do objeto de papel em função do tempo.2. para o intervalo de tempo [0.30] s.30] s. Apresente o esboço do gráfico da componente escalar. numa segunda situação. t. Questões de exame nacional 25. Calcule a energia dissipada pelo sistema objeto de papel + Terra no intervalo de tempo [0.2. 1.90 .3. y. segundo o eixo Oy.1. tem um movimento de queda livre.indd 22 17/3/16 9:53 AM . abandonado da mesma altura.23 g.90 .1.1. Em qual dos esquemas seguintes estão corretamente representadas.2.1. Considere agora.1. 22 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. Qual é o esboço do gráfico que pode representar a distância percorrida pelo objeto de papel EF11CAPE © Porto Editora durante o intervalo de tempo em que os dados foram registados? 1A2 1C2 Distância percorrida Distância percorrida 0 0 Tempo Tempo 1B2 1D2 Distância percorrida Distância percorrida 0 Tempo 0 Tempo 25. que o objeto de papel. Admita que a massa do objeto de papel é 0. 25.

00 * 108 3. Como a Terra também dá uma volta completa em torno do seu eixo nesse intervalo de tempo. Verifique.00 * 108 3.6 * 108 1B2 s 1D2 s 3. Clarke: da órbita ao elevador espacial”. que um satélite a 3. Um satélite geostacionário devia situar-se numa órbita especial.os 3-4 .20 1.00 * 108 1A2 s 1C2 s 3.4 * 106 m massa da Terra = 5. Arthur C. se abandona da mesma altura uma esfera metálica de maior massa.20 + 10t 25.20 2 1A2 1C2 g ã g 1. avançou com uma das maiores ideias das ciências espaciais: o satélite geostacionário. está hoje povoada de satélites. em simultâneo com o objeto de papel.2. em segundos(s). Gazeta de Física.10t 1D2 vy = 1. como de meteorologia.20 1B2 1D2 Å 2g Å g 25.6 * 104 km de altitude demora um dia a dar a volta à Terra. um satélite geostacionário é visto do equador da Terra como estando permanentemente parado. a esfera chegará ao solo com velocidade de: 1A2 igual módulo e energia cinética maior. que um sinal eletromagnético enviado por esse satélite demora a chegar àquele local? 3. 2007 (adaptado) 26.indd 23 17/3/16 9:53 AM .° ano que um satélite a essa altitude demora um dia a dar a volta à Terra.6 * 104 km de altitude. não só de comunicações.6 * 104 * 103 26. numa revista de eletrónica amadora. 1C2 maior módulo e energia cinética igual. vol. Domínio 1 Mecânica 25. Em 1945.6 * 104 km? É só fazer as contas. Carlos Fiolhais. da velocidade.2. vy.1. 1D2 maior módulo e energia cinética maior. segundo o eixo Oy . A equação v (t) da componente escalar.2. “Arthur C.20 "2 * 1. que o objeto de papel demorará a chegar ao solo se a altura da qual é abandonado se reduzir a metade? 1. Qual das expressões seguintes permite calcular o tempo.2. Essa órbita. 26. 30. n. raio da Terra = 6. Se o objeto de papel e a esfera metálica caírem livremente. partindo da segunda Lei de Newton e da lei da gravitação universal. Qual das expressões seguintes permite calcular o tempo. do objeto de papel é: 1A2 vy = 10t 1B2 vy = 10t 1C2 vy = 1.4. Porquê 3. EF11CAPE © Porto Editora Apresente todas as etapas de resolução.6 * 104 * 103 3. Aprende-se na Física do 11.2. O artigo especulava sobre a possibilidade de uma rede de satélites fornecer uma cobertura radiofónica à escala mundial.98 * 1024 kg 23 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.6 * 104 km de um satélite geostacionário. Clarke.6 * 104 3.3. em segundos (s). Admita que. Considere um local à superfície da Terra situado a 3.20 .6 * 104 3. 1B2 igual módulo e energia cinética igual. sobre o equador da Terra e a cerca de 3. a chamada órbita de Clarke. usando a Segunda Lei de Newton e a Lei da Gravitação Universal.

0 2.0 g.5 0.0 2.5 0. 29. que cai verticalmente. acabando por atingir uma velocidade terminal.0 0. a . Em qual dos seguintes esquemas se encontram corretamente representados os vetores velocidade. cai em queda livre. Questões de exame nacional 27. no instante t = 0.5 0. 0 S x/m → 29. de massa 4. A figura representa um plano inclinado. t = 0.4 s.0 2.0 s.1.0 1.0 cm com velocidade terminal.0 s. Calcule a energia dissipada pelo sistema bola + Terra quando a bola percorre 50. Admita que a bola pode ser representada pelo seu centro de massa (modelo da partícula material). Considere uma bola que.0 1. no topo do qual se colocou um sensor de movimento.0 0.5 1.5 1. segundo uma trajetória retilínea com a direção do eixo Ox do referencial unidimensional representado na figura.5 2. Admita que a bola pode ser representada pelo seu centro de massa (modelo da partícula material).0 y/m y/m y/m y/m 28. em relação ao referencial unidimensional representado? 1A2 1B2 1C2 1D2 0. num instante em que a bola se encontra a subir o plano? 1A2 1C2 v» v» a» a» 1B2 1D2 a» v» a» v» 24 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. Considere agora uma bola. Em qual dos seguintes diagramas se encontram corretamente marcadas as posições da bola nos instantes t = 0. S. tendo sido abandonada.0 1.0 1.indd 24 17/3/16 9:53 AM . Apresente todas as etapas de resolução. v .5 1.2 s e t = 0. Uma pequena bola foi lançada de modo a subir o plano.0 0.5 1. de uma determinada altura em EF11CAPE © Porto Editora relação ao solo. → e aceleração.0 0.

1B2 … diretamente proporcional a d.0 (SI) Apresente o gráfico da componente escalar da posição. a bola inverteu o sentido do movimento. um fruto cai da árvore porque é atraído para a Terra.. resultante da interação entre cada um desses corpos e a Terra.30 m. Plátano Edições Técnicas. a componente escalar. Admita que a bola descreve cada uma das circunferências em 1. 1D2 … diretamente proporcional ao quadrado do módulo da velocidade de lançamento.4t + 2. de acordo com a equação: x = 1. G. 1D2 … inversamente proporcional a d2. com velocidade de módulo constante.1. x. editada pela primeira vez em 1687. a altura máxima atingida pela bola sobre o plano será… 1A2 … diretamente proporcional ao módulo da velocidade de lançamento.ª ed. Introdução à Astronomia e às Observações Astronómicas.4t + 2. Se as forças dissipativas forem desprezáveis. 1B2 … inversamente proporcional ao quadrado do módulo da velocidade de lançamento. Apresente todas as etapas de resolução. também o fruto atrai a Terra.indd 25 17/3/16 9:53 AM . Determine a intensidade da resultante das forças que atuam na bola. 31. M.0 g. Utilize a calculadora gráfica. sobre o plano. indicando no gráfico: • as grandezas representadas e as respetivas unidades. Considere que m representa a massa de um fruto que se encontra acima da superfície da Terra e que EF11CAPE © Porto Editora d representa a distância entre o centro de massa do fruto e o centro de massa da Terra. Essa força depende das massas dos dois corpos que interatuam e da distância entre os seus centros de massa. foi atada a uma corda e posta a rodar. desde o instante em que a bola foi lançada (t = 0 s) até ao instante em que.2. • as coordenadas dos pontos que correspondem ao instante em que a bola foi lançada e ao instante em que. segundo o eixo Ox. deve reproduzir o gráfico obtido com a calculadora.5t 2 . Mas. Na sua resposta. 29. Considere o trabalho realizado pela força gravítica que atua na bola. a energia potencial gravítica do sistema bola + Terra… 1A2 … não se mantém constante e W = 0 J → F 1B2 … não se mantém constante e W ≠ 0 J g → F 1C2 … mantém-se constante e W = 0 J g → F 1D2 … mantém-se constante e W ≠ 0 J g → F g 30.2.2. a bola inverteu o sentido do movimento. Ferreira. concluiu-se que. a queda de um fruto da árvore para o solo) como o movimento da Lua na sua órbita podem ser explicados pela existência de uma força.5t 2 .0 (SI) 30.3. no intervalo de tempo considerado.2. WF . 2001 (adaptado) 31. A partir dos dados adquiridos com o sensor de movimento. t. Na sua obra Princípios Matemáticos de Filosofia Natural. Uma bola. x = 1. da bola sobre o plano variava com o tempo. de massa 57. t. num mesmo plano horizontal.1. embora tendo uma massa muito inferior à da Terra. da bola em função do tempo. A intensidade da força com que a Terra atrai esse fruto é… 1A2 … inversamente proporcional a m. Almeida. Newton estabeleceu as três leis da Dinâmica e mostrou que tanto a queda de um corpo à superfície da Terra (por exemplo. 1C2 … inversamente proporcional ao módulo da velocidade de lançamento. 6. 25 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. Assim. durante a subida. x. da posição. 30. sobre o plano. Domínio 1 Mecânica 29.0 s. 1C2 … diretamente proporcional a m2. Quando a bola descreve → g metade de uma circunferência. descrevendo circunferências de raio 0.

Admita que a resistência do ar é desprezável e que o fruto pode ser representado pelo seu centro de massa (modelo da partícula material).60 m acima do solo. Massa da Lua = 7.70 m do solo? 1A2 v = 5. Ec. a Lua descreve uma órbita circular.1 1D2 v = 2. 1B2 … iguais e determinam acelerações de módulos iguais em cada um desses corpos. Considere um fruto que cai de uma árvore. no movimento de translação referido.3.1 1C2 v = 3.1 31. durante a queda? 1A2 1C2 Ec Ec 0 t 0 t 1B2 1D2 Ec Ec 0 t 0 t 31. Admita que.2 m s.35 * 1022 kg Massa da Terra = 5. 31. 4. Questões de exame nacional 31. t. e o módulo da aceleração do fruto.1.3. x Admita que a criança pode ser representada pelo seu centro de massa (modelo da partícula material). 31. A figura (que não está à escala) representa uma criança a descer um 0 escorrega cuja secção inclinada tem um comprimento de 4.indd 26 17/3/16 9:53 AM . 1D2 … diferentes e determinam acelerações de módulos iguais em cada um desses corpos. e que a sua aceleração se mantém constante durante a descida.3. Qual é o módulo da velocidade com que o fruto passa na posição situada a 0.7 m s.2.1 1B2 v = 4. Qual é o esboço do gráfico que pode representar o modo como varia a energia cinética.3. 1C2 … diferentes e determinam acelerações de módulos diferentes em cada um desses corpos.2. Apresente todas as etapas de resolução.0 m 26 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.0 m. Determine o quociente entre o módulo da aceleração da Lua.84 * 105 km. do fruto em função do tempo. no seu movimento de translação em torno da Terra.6 m s. de raio 3.98 * 1024 kg 32.3.6 m s. A força com que a Terra atrai um fruto e a força com que esse fruto atrai a Terra têm intensidades… EF11CAPE © Porto Editora 1A2 … iguais e determinam acelerações de módulos diferentes em cada um desses corpos. Considere que a criança desce o escorrega partindo do repouso. abandonado de uma posição situada a 1. no movimento de queda considerado.

de massa 30 kg. o vetor aI representa a aceleração da criança na situação I. a». . tem maior aceleração. 1B2 1D2 a».1.1 15 2 1B2 8p rad s.. . a». Se um cavalinho efetuar quatro rotações por minuto. Na figura está representado um carrossel. .. na situação considerada.1 s a percorrer a secção inclinada do escorrega. . .indd 27 17/3/16 9:53 AM . . demora 2. 33. – Situação II: a resultante das forças dissipativas que atuam na criança não é desprezável.1 1D2 30p rad s. qual dos cavalinhos. Considere duas situações distintas: – Situação I: a resultante das forças dissipativas que atuam na criança é desprezável. os cavalinhos A e B descrevem circunferências de raios diferentes.1 EF11CAPE © Porto Editora 33. B A 33.. . Calcule a intensidade da resultante das forças que atuam na criança. cada um dos cavalinhos move-se com movimento circular uniforme.. Apresente todas as etapas de resolução. Domínio 1 Mecânica 32.1..2.2. justificando. → Em qual dos esquemas o vetor aII pode representar a aceleração da criança na situação II? 1A2 1C2 a». a».1 1A2 p rad s.. a». 27 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. o módulo da sua velocidade angular será: 2 1C2 1 p rad s. a». A ou B. .. Quando o carrossel está em movimento. a». Quando o carrossel está em movimento. 32. Conclua. Considere que a criança.. → Nos esquemas seguintes.

passa no ponto mais baixo dessa linha. 35. sendo ambos diferentes de zero. Einstein. efetua 50 rotações. Eis-nos diante desse divertimento popular chamado montanha-russa. atingir várias vezes cem metros de altura. Um carrinho. Vamos supor que alguém descobriu como eliminar totalmente as forças dissipativas e quer aplicar a sua descoberta à construção de uma montanha-russa. deve seguir uma regra muito simples: não deve haver pontos situados a uma altura superior à do ponto de partida. P e Q. em radianos por segundo. cai. Considere uma roda que.2. Questões de exame nacional 34. A. não será assim: depois de abandonado. Um carrinho. Nessa construção. no seu percurso. A Evolução da Física. Infeld. P Q O módulo da aceleração do ponto P.indd 28 17/3/16 9:53 AM . dando aos que vão dentro dele todas as sensações violentas das súbitas mudanças de velocidade… Partindo sempre do ponto mais alto. pode ser calculado pela expressão: 2p * 50 1A2 a b rad s. Nas montanhas-russas reais. pp. 1B2 … diretamente proporcional à altura do ponto de partida. 1C2 … igual ao módulo da aceleração do ponto Q.1 b rad s. o carrinho nunca atingirá a altura do ponto de partida. L. abandonado no ponto mais alto da linha de carris de uma montanha-russa em que as forças dissipativas tenham sido totalmente eliminadas. sendo ambos nulos.1 1C2 (2p * 50 * 60) rad s. é… 1A2 … superior ao módulo da aceleração do ponto Q. a cem metros do chão.1. de um dos seus raios. situado. O módulo da velocidade angular da roda. poderá. Livros do Brasil. devido à ação das forças dissipativas. levado ao ponto mais EF11CAPE © Porto Editora alto de uma linha de carris e aí abandonado à força da gravidade. 1D2 … igual ao módulo da aceleração do ponto Q. Qual é o nome da grandeza a que se refere a expressão em itálico? 34. Se o carrinho puder mover-se livremente até ao final da linha de carris. em cada minuto. durante um determinado intervalo de tempo. 43-45 (adaptado) 34. Na figura estão representados uma roda e dois pontos. 1B2 … inferior ao módulo da aceleração do ponto Q. no intervalo de tempo considerado. 1C2 … independente da massa do carrinho. Lisboa. No texto. são referidas “todas as sensações violentas das súbitas mudanças de velocidade”.2.1 50 * 60 1B2 a 1D2 a 50 35. por exemplo. tendo apenas movimento de rotação em torno do seu eixo. embora a linha de carris possa ter qualquer comprimento. situado ao nível do chão. subindo e descendo depois pela linha fantasticamente curva. no intervalo de tempo considerado. 28 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. 1D2 … independente do módulo da aceleração gravítica local. 35.1 60 2p 2p * 60 b rad s. em parte nenhuma do percurso alcança ponto mais alto do que aquele.1. mas nunca poderá ultrapassar esse valor. com uma velocidade cujo módulo é… 1A2 … diretamente proporcional à energia mecânica inicial do sistema carrinho + Terra.

36.indd 29 17/3/16 9:53 AM . 1B2 … negativa. uma vez que atuam no conjunto forças não conservativas. xC e xC . uma vez que atuam no conjunto forças não conservativas. pelo menos. Considere que cada um dos conjuntos pode ser representado pelo seu centro de massa (modelo da partícula material). Utilize as potencialidades gráficas da calculadora. respetivamente. as componentes escalares. Em qual dos esquemas seguintes se encontram corretamente representadas.030 t 2 (SI) I II 36. num mesmo sistema de eixos. segundo o eixo Ox. as componentes escalares das posições. CI e CII. C . num dado instante do → → intervalo de tempo considerado. 29 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. estão representados dois conjuntos ciclista + bicicleta. no intervalo de tempo considerado.1. variam com o I II tempo. coincidente com o eixo Ox de um referencial unidimensional. Admita que..2.3. 1C2 … nula. ao instante em que os conjuntos se cruzam.0t (SI) xC = 800 . uma vez que a energia cinética do conjunto diminui. que se movem ao longo de uma estrada retilínea e horizontal. v . xC e xC . é… EF11CAPE © Porto Editora 1A2 … nula. o conjunto CI passa na origem do referencial. a partir desse instante. C. a . t. Apresente.0. desde o I II instante t = 0 s até. A soma dos trabalhos realizados pelas forças que atuam no conjunto CI. uma vez que a energia cinética do conjunto se mantém constante. 0 x Considere que no instante t = 0 s o conjunto CII inicia o seu movimento e que. a velocidade. e durante um determinado intervalo de tempo. do conjunto CII? 1A2 1C2 v» a» v» a» 1B2 1D2 a» v» a» v» 36. 1D2 … negativa. em função do tempo. nesse instante. num deslocamento desse conjunto no intervalo de tempo considerado. Determine o instante em que os conjuntos CI e CII se cruzam e a componente escalar da posição daqueles conjuntos nesse instante. de acordo com as equações: xC = 7. das posições. os esboços dos gráficos que traduzem. Na figura (que não está à escala). Domínio 1 Mecânica 36. e a aceleração. dos conjuntos CI e CII.

Selecione a alternativa que completa corretamente a frase seguinte. B. Em alguns casos. onde eram recuperadas.0 e o índice de refração da água nágua = 1. dirigíveis ou aviões a altitudes muito inferiores às dos atuais satélites artificiais.0° 38. a informação é transmitida através de radiações eletromagnéticas que se propagam. 38. 1B2 … reflexão parcial da luz. Selecione o valor correto do ângulo b da figura. é detetado pelo observador. O índice de refração do ar é nar = 1. encontra-se sobre o mar.indd 30 17/3/16 9:53 AM . a observação da Terra era efetuada muitas vezes através da utilização da fotografia e outros meios. com origem no objeto submerso S.4° 1C2 22.1. 1D2 … reflexão total da luz.08 com a normal quando atinge a superfície de separação da água com o ar. no vazio.1. 1C2 … difração da luz. 38. O princípio de funcionamento das fibras óticas baseia-se no fenómeno da… 1A2 … refração da luz. no balão. Nas comunicações a longas distâncias. 30 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. EF11CAPE © Porto Editora Um balão de observação. as fotografias obtidas eram simplesmente lançadas em sacos para a Terra. faz um ângulo a = 20. Domínio 2  Ondas e eletromagnetismo 37.1° 1D2 20. Um feixe luminoso que.3. a partir de balões.3 a S 1A2 30.5° 1B2 26. Antes da existência de satélites geostacionários. à velocidade da luz.1.0 b x nágua = 1. B y nar = 1. Um dos suportes mais eficientes na transmissão de informação a longas distâncias é constituído pelas fibras óticas.

no máximo.48 sin q c 38. num texto.53 1B2 sin q c 1. gerando uma onda sonora. O sinal sonoro produzido pelo diapa- são propaga-se através de um determinado meio. uma vez que emite um som puro. 1B2 O período de vibração de uma partícula do ar é de 1. o sinal emitido percorre 1700 m em 5. sin q c 1. 10 nm em relação à sua posição de equilíbrio. Explique. em consequência do sinal sonoro emitido pelo diapasão. como se pode converter o sinal sonoro emitido pelo diapasão num sinal elétrico. 39.2.48.48 sin 908 = 1D2 sin 908 = 1.53 sin q c 1A2 = 1C2 = 1.1. 1E2 O produto do comprimento de onda pela frequência de vibração é constante e igual a 340 m s–1. Considere que a velocidade de propagação deste sinal no ar tem módulo igual a 340 m s–1. 39. 1C2 No ar. O diapasão é um pequeno instrumento metálico muito utilizado na afinação de instru- mentos musicais. A figura refere-se a uma onda sinusoidal e traduz a periodicidade temporal do movimento vibratório de uma partícula do ar.3 s. Selecione a alternativa que permite calcular o ângulo crítico. 1G2 A frequência de vibração de uma partícula do ar é de 425 Hz. 31 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. Relativamente à situação descrita.1.53 * 1. o núcleo tem um índice de refração de 1.2. EF11CAPE © Porto Editora 1H2 No ar. utilizando um microfone de indução.48 sin 908 1.2. 1D2 Uma partícula do ar afasta-se. a que corresponde uma determinada nota musical. e o revestimento possui um índice de refração de 1. Indique duas propriedades das micro-ondas que justificam a utilização deste tipo de radiação nas comunicações via satélite. Num determinado tipo de fibra ótica. para este tipo de fibra ótica. 39.indd 31 17/3/16 9:53 AM . com uma frequência bem definida. q c.0 s.0 * 10. As micro-ondas constituem um tipo de radiação eletromagnética muito utilizado nas telecomunicações. a onda sonora tem um comprimento de onda de 0. 1A2 A distância entre duas partículas do ar que se encontram no mesmo estado de vibração é de 10 nm. Domínio 2 Ondas e eletromagnetismo 38.53. 1F2 A velocidade de propagação do sinal aumenta se a amplitude da vibração diminuir. fazendo vibrar as partículas consti- tuintes desse meio em torno das suas posições de equilíbrio.48 sin 908 1.53 * 1.68 m. classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações seguintes.

Qualquer sinal sonoro. a 20 de julho de 1969. quase sem atenuação. nem fenómenos meteorológicos de espécie alguma. O silêncio é total. A luz incide numa extremidade da fibra. porque ali não existe atmosfera apreciável. 40. que se propaga no ar e incide na superfície de um vidro. 1B2 O ângulo de incidência é de 55°. selecione a alternativa correta.1. Nas comunicações por fibras óticas utiliza-se frequentemente luz laser. Uma vez que na Lua “o silêncio é total”. quase sem atenuação. 41. • as condições em que esse fenómeno ocorre. nuvens. O funcionamento do microfone de indução baseia-se no fenómeno da indução eletromagnética. por exemplo. descoberto por Faraday. Não há céu azul. 1A2 O ângulo de incidência é de 30°. Toda a superfície da Lua está coberta por um manto de solo poeirento. a um microfone de indução. Uma fibra ótica é constituída por um filamento de vidro ou de um material polimérico (núcleo). Escreva um texto no qual faça referência aos seguintes tópicos: • uma das propriedades do material do núcleo da fibra ótica. Quando o astronauta Neil Armstrong pisou pela primeira vez o solo lunar.2. por meio de ondas eletromagnéticas. até à outra extremidade. deve ser transformado num sinal elétrico. O desenvolvimento das fibras óticas. Este fenómeno pode ser evidenciado com um circuito constituído apenas por uma bobina ligada a um aparelho de medida adequado. revolucionou a tecnologia de EF11CAPE © Porto Editora transmissão de informação. EF11CAPE .08 Questões de exame nacional 40. 1D2 O ângulo de refração é de 35°. mesmo a pequena distância. antes de poder ser enviado sob a forma de uma onda eletromagnética. recorrendo. 30° ar 55° vidro Tendo em conta a situação descrita. coberto por um revestimento de índice de refração diferente. A figura representa um feixe de laser. Leia atentamente o seguinte texto. Bobina Íman 32 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_CImg. • o fenómeno em que se baseia a propagação da luz no interior da fibra ótica. 40. segundo um ângulo adequado. Verifica-se que esse aparelho de medida deteta a passagem de corrente no circuito quando se move um íman no interior da bobina. muito fino. os astronautas comunicavam entre si. que permite que a luz seja guiada no seu interior.indd 32 18/3/16 1:10 PM . e é guiada ao longo desta. 1C2 O ângulo de refração é de 60°. na segunda metade do século XX. entrou num mundo estranho e desolado.

A velocidade de propagação do som no meio 2 é superior à velocidade de propagação do som no meio 1. 1C2 … maior é o módulo da força eletromotriz induzida. Na comunicação verbal a curtas distâncias. selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. devido à propagação dos sinais A e B. utilizando a expressão matemática adequada. 1D2 … menor é o módulo da força eletromotriz induzida. 1D2 … são uma sobreposição de sons harmónicos. em geral. sons complexos. 42. 1B2 … maior é o módulo da força eletromotriz induzida. Considere dois sinais sonoros.indd 33 17/3/16 9:53 AM . Quanto mais rápido é o movimento do íman no interior da bobina. Relativamente a este tipo de sons.… 1A2 … menor é o módulo da força eletromotriz induzida. sendo maior a energia que o circuito pode disponibilizar. Compare as frequências dos sinais A e B. Justifique a resposta. as cordas vocais vibram. produzindo. 1C2 … podem ser expressos pela função A sin (w t). no meio 1 e no meio 2. 33 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. Domínio 2 Ondas e eletromagnetismo Tendo em conta a situação descrita. que se propagam.1.2. respetivamente. sendo menor a energia que o circuito pode disponibilizar. Os sons produzidos pelas cordas vocais… EF11CAPE © Porto Editora 1A2 … provocam o movimento das partículas do ar na direção perpendicular à sua propagação. A e B. 42. 1B2 … têm uma frequência inferior à frequência de vibração dessas cordas vocais. em determinado instante. selecione a alternativa que completa corretamente a frase seguinte. Um sinal sonoro propaga-se no espaço permitindo a comunicação. 42. sendo maior a energia que o circuito pode disponibilizar. sendo menor a energia que o circuito pode disponibilizar. Nos gráficos da figura estão representadas as posições das partículas em cada um dos meios.

1B2 … está em repouso e a espira se desloca verticalmente para cima. no plano xOy. 1C2 … está em repouso e a espira se desloca horizontalmente para a direita. 43.2 V m. z 0 y E x Selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. 1C2 Se o módulo do campo em A for 3 * 10. a possibilidade de induzir corrente elétrica num circuito fechado não ligado a uma fonte de alimentação. Assim surgiu a teoria eletromagnética. com a mesma velocidade.1. E.1. Em 1820. no material constituinte do prisma. 1D2 Em A e em B o campo tem direção perpendicular ao plano xOy. EF11CAPE © Porto Editora Faraday evidenciou.indd 34 17/3/16 9:53 AM . a partir de um campo magnético que varia no tempo.2 V m. em B tem também o módulo de 5 * 10. Em 1831.2 V m. de fio de cobre colocada no plano xOy. em B pode ter o módulo de 5 * 10. A figura representa.1. Oersted verificou experimentalmente que a corrente elétrica produz efeitos magnéticos.1.1. 1B2 Em A o campo tem a direção e o sentido do eixo dos xx e em B o campo tem a direção e o sentido do eixo dos yy. 34 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. as linhas de um campo elétrico.2 V m. y B 0 x A Selecione a alternativa correta. o índice de refração da luz nesse material também irá depender da frequência da radiação. também experimentalmente. 44. Considere um íman paralelo ao eixo dos zz e uma espira. A luz proveniente das estrelas dispersa-se. cujo desenvolvimento se baseou no conceito de campo. ao entrar num prisma. devido ao facto de a velocidade de propagação da luz. em que numa delas se situam os pontos A e B. conforme ilustra a figura. Questões de exame nacional 43. A corrente elétrica que passa na espira é nula quando o íman… 1A2 … e a espira se deslocam verticalmente para cima com velocidades diferentes. 1D2 … e a espira se deslocam verticalmente para cima. Consequentemente. 43. 1A2 Se o módulo do campo em A for 5 * 10.2. depender da frequência da radiação.

1C2 … o período da oscilação aumenta.000 44. mas a frequência aumenta. a espira percorre uma distância de… 1A2 0. Indique. em função do comprimento de onda. mas a frequência diminui.04 m. 45. justificando. Selecione a única alternativa que permite obter uma afirmação correta. Numa oscilação completa. da luz no vazio. num vidro do tipo BK7. que incide sobre a superfície de um prisma de vidro vidro BK7.01 m. … 1A2 … o período e a frequência da oscilação aumentam. Indique.0° Determine o ângulo de refração correspondente a um ângulo de incidência de 50. se uma radiação de comprimento de onda 560 * 10.2. 50. 1D2 … o período da oscilação diminui.530 1.3 p t). de acordo com o representado na figura.3 m. 45.9 m sofre difração apreciável num obstáculo. A extremidade de uma mola é posta a oscilar horizontalmente. 45.505 0 200 * 10-9 400 * 10-9 600 * 10-9 800 * 10-9 1000 * 10-9 l/m Considere um feixe de luz monocromática.01 sin (3. Se o movimento da mão for mais rápido. 45. nar (índice de refração da luz no ar) = 1. 1C2 0. Apresente todas as etapas de resolução. conforme representado na figura.510 1. 1B2 0. y. justificando. Considere que o afastamento. Domínio 2 Ondas e eletromagnetismo 44.1. O gráfico da figura representa o índice de refração da luz. cujas dimensões sejam da ordem de grandeza de um metro.1.520 1.515 1. de comprimento de onda ar 560 * 10. se a onda que se propaga na mola é transversal ou longitudinal. n 1.525 1. de uma espira em relação à sua posição de equilíbrio é descrito pela função y = 0.indd 35 17/3/16 9:53 AM .9 m. no vazio.02 m. 35 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.535 1.0°. 1B2 … o período e a frequência da oscilação diminuem. 1D2 3. l. EF11CAPE © Porto Editora Selecione a única alternativa que permite obter uma afirmação correta.3.2. na qual as diversas grandezas estão expressas nas respetivas unidades SI.

com grande rigor. 47. Selecione a única opção que representa corretamente a situação descrita. 1A2 1B2 1C2 1D2 46. por reflexão de ondas eletromagnéticas em refletores colocados na superfície da Lua. • Relação entre a direção. Na figura estão representadas duas placas metálicas paralelas.2.1. Questões de exame nacional 46. uma com carga positiva e outra com carga EF11CAPE © Porto Editora negativa. sendo refletido por essa superfície. o sentido e a intensidade do vetor campo magnético e as linhas de campo magnético. Admita que no ponto P é colocada uma partícula com carga negativa. Considere um feixe laser. • Forma e posição relativa das linhas de campo num campo magnético uniforme. Os seres vivos evoluíram num mundo com campos elétricos e magnéticos naturais de baixa intensidade. muito fino. Selecione→o único esquema que representa corretamente o sentido da linha de campo e a força elétrica. abordando os tópicos seguintes: • Como são criados os campos magnéticos. 1A2 1C2 20° 20° 20° 20° 1B2 1 D2 20° 20° 20° 20° 36 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. A distância Terra-Lua foi determinada. que incide sobre uma superfície plana segundo um ângulo de incidência de 20°. mas as novas tecnologias multiplicaram os campos eletromagnéticos à nossa volta. que atua na partícula. + P• - 46. Elabore um texto.indd 36 17/3/16 9:53 AM . originando um campo elétrico uniforme. Fe .

1A2 1C2 1B2 1D2 EF11CAPE © Porto Editora 48. A figura representa linhas de campo magnético criadas por um íman em barra e por um íman em U.          Selecione a única opção que permite obter uma afirmação correta. colocada na proximidade do íman representado nos esquemas seguintes. 1C2 … maior em P2 do que em P1. Os ímanes têm. Selecione a única opção que apresenta corretamente a orientação de uma bússola. Refira o que se pode concluir deste resultado. cujo polo norte está assinalado a azul.indd 37 17/3/16 9:53 AM . 1D2 … igual em P2 e em P1. Oersted observou que uma agulha magnética. hoje em dia.3. 37 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. quando colocada na proximidade de um fio percorrido por uma corrente elétrica. diversas aplicações tecnológicas.2. Domínio 2 Ondas e eletromagnetismo 48. 48. 48. sofria um pequeno desvio. 1B2 … igual em P4 e em P3. O módulo do campo magnético é… 1A2 … maior em P4 do que em P3.1.

enviava sinais eletromagnéticos. Indique as duas condições que têm de se verificar para que ocorra a reflexão total da radiação. a velocidade do som. no intervalo de tempo considerado.1. O pH da água da chuva pode ser medido com sensores. 1C2 … o mesmo comprimento de onda e velocidades de propagação diferentes.4. 51.indd 38 17/3/16 9:53 AM . como os postos SOS e as escapatórias destinadas à imobilização de veículos com falhas no sistema de travagem. Questões de exame nacional 48. 49. de frequências 20 MHz e 40 MHz. esses dois sinais teriam… 1A2 … o mesmo comprimento de onda e a mesma velocidade de propagação. nesse meio. Na figura. Na figura está representado um gráfico que traduz a periodicidade temporal do movimento vibratório de uma partícula do ar situada a uma certa distância de uma fonte sonora. era 342 m s. No vácuo. Selecione a única opção que permite obter uma afirmação correta. y (unidades arbitrárias) 0 t / ms Determine o comprimento de onda do sinal sonoro.75 1B2 1.25 1D2 1. e a estação onde é feito o seu tratamento. Entre a estação em terra. 1A2 0. O primeiro satélite artificial da Terra.2. ao propagar-se no ar. por sucessivas reflexões totais. As autoestradas dispõem de diversos dispositivos de segurança. descreva como ocorre a propagação de um sinal sonoro no ar. Os dados recolhidos pelos sensores são enviados para uma estação em terra. 52. 51. instalados em balões meteorológicos que recolhem amostras de água na atmosfera. 3 A velocidade de propagação de uma radiação monocromática na água em fase líquida é cerca de da 4 velocidade de propagação dessa radiação no vácuo.33 1C2 2. Os ímanes são um dos constituintes dos microfones de indução. onde os dados são recebidos.20 50. para aquela radiação. A água é a única substância que coexiste na Terra nas três fases (sólida. Apresente todas as etapas de resolução. Em situações de emergência. 1D2 … comprimentos de onda e velocidades de propagação diferentes. origina uma onda sonora. o Sputnik 1. Identifique o fenómeno ondulatório esquematizado na figura. Selecione a única opção que apresenta um valor aproximado do índice de refração da água em fase líquida. as setas representam o sentido de propagação de uma onda que incide num obstáculo com um pequeno orifício. por meio de ondas rádio. 1B2 … comprimentos de onda diferentes e a mesma velocidade de propagação. 51. no ar. líquida e gasosa). que foram detetados por radioamadores de diversos países. 38 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. os automobilistas podem usar a buzina para emitir um sinal sonoro que. admitindo que. dispositivos que permitem converter EF11CAPE © Porto Editora um sinal sonoro num sinal elétrico.1. a informação é transportada através de fibra ótica. Sabendo que uma onda sonora é uma onda mecânica longitudinal.

Ao conjunto das ondas eletromagnéticas. II – água. tendo em conta os valores de índice de refração. 54. que seriam originadas por cargas elétricas em movimento acelerado. 1C2 I – ar.1. 1A2 Refração 1B2 Reflexão 1C2 Difração 1D2 Dispersão 39 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_CImg. 54. II – ar. Algumas contornam facilmente obstáculos. como edifícios e montanhas. Domínio 2 Ondas e eletromagnetismo 53. EF11CAPE © Porto Editora 1D2 … se propagariam no vácuo à velocidade da luz. Maxwell (1831-1879) previu a existência de ondas eletromagnéticas. Quando um feixe luminoso incide na superfície de separação de dois meios transparentes. Hertz conduziu uma série de experiências que lhe permitiram não só gerar e detetar ondas eletromagnéticas.50 1A2 I – óleo. 1B2 … poderiam ser usadas em sistemas de telecomunicações. 23° Selecione a única opção que identifica corretamente os meios I e II. 1B2 I – óleo. assim. I e II. Previu ainda que estas ondas deveriam propagar-se no vácuo à velocidade da luz. chama-se espetro eletromagnético. Leia o seguinte texto. que pode ser representado como mostra a figura. que incide na . listados na Tabela. De 1885 a 1889. as ondas eletromagnéticas… 1A2 … seriam originadas por cargas elétricas em movimento retilíneo uniforme. de acordo com o trabalho por ele desenvolvido. as previsões de Maxwell. ordenadas segundo as suas frequências. .33 vidro 1. n ar 1.28 água 1.indd 39 18/3/16 1:10 PM . Estes estudos abriram caminho ao desenvolvimento dos modernos sistemas de telecomunicações. confirmando. Selecione a única opção que permite obter uma afirmação correta. como medir a sua velocidade de propagação. muito fino.00 óleo 1. Selecione a única opção que identifica o fenómeno a que se refere a última frase do texto. fenómenos de reflexão e 30° de refração. entre outros. n. 1C2 … apresentariam comportamentos distintos na atmosfera. A figura representa um feixe luminoso.2. ocorrem. micro-ondas As ondas eletromagnéticas usadas em telecomunicações apresentam comportamentos distintos na atmosfera. 54. II – óleo. 1D2 I – ar. consoante a sua frequência. Meio Índice de refração. II – vidro. podendo ser usadas para comunicações fora da linha de vista. superfície de separação de dois meios.. Maxwell previu que as ondas luminosas seriam ondas eletromagnéticas porque.

1A2 superior… maior 1B2 inferior… menor 1C2 inferior… maior 1D2 superior… menor .indd 40 17/3/16 9:53 AM . I e II. B . O índice de refração do meio I é ao índice de refração do meio II.. muito fino. . sequencialmente. sendo a velocidade de propagação do feixe luminoso no meio I. A figura representa um feixe luminoso monocromático.3. que incide na superfície de EF11CAPE © Porto Editora separação de dois meios transparentes. Qual das figuras seguintes representa a situação em que é maior o módulo do fluxo magnético que atravessa a superfície delimitada pela espira? 1A2 1C2 » B » B 1B2 1 D2 » B » B 40 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. sofrendo refração. os espaços seguintes. Selecione a única opção que contém os termos que preenchem. Questões de exame nacional 54. de modo a obter uma afirmação correta. 55. Um eixo em rotação pode → fazer rodar uma espira condutora numa região do espaço onde exista um campo magnético uniforme.

para lá do violeta. fica uma parte do espetro chamada ultravioleta: uma espécie de luz. verde. fica a parte infravermelha do espetro.2. Carl Sagan. Admita que o índice de refração. do outro lado do vermelho. Pressão 0 1 2 3 4 5 t / ms 56. 57. temos uma espécie de preconceito a favor daquele pequeno segmento de arco-íris a que chamamos espetro da luz visível. Considere um sinal sonoro que se propaga no ar. compreende um pequeno segmento que corresponde a uma sequência de cores – violeta.1. Por leitura direta do gráfico da figura. 1B2 … o comprimento de onda aumentaria para o dobro. qual destas radiações se propaga com maior velocidade no interior do prisma. 1C2 … a velocidade de propagação aumentaria para o dobro.indd 41 17/3/16 9:53 AM . … 1A2 … o comprimento de onda. invisível aos nossos olhos. que… 1A2 … o comprimento de onda diminuiria para metade. 56. laranja e vermelho. amarelo. Domínio 2 Ondas e eletromagnetismo 56. Nas frequências mais baixas. Dos raios gama às ondas de rádio. O espetro da luz visível pode ser obtido fazendo incidir radiação solar num prisma de vidro. em virtude das limitações dos nossos olhos. t. que abrange uma enorme gama de frequências. Foi descoberta colocando um termómetro nessa zona do espetro: a temperatura subiu. justificando. O espetro da radiação eletromagnética. 1C2 … o período.1. o que significava que havia radiação a incidir no termómetro. 41 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. Para lá do ultravioleta fica a parte de raios X do espetro e para lá dos raios X ficam os raios gama. Nas frequências mais altas. Gradiva. num ponto onde o som foi detetado. Apresente um esquema que traduza a sequência dos vários tipos de radiação no espetro eletromagnético. 1D2 … a frequência. Na figura está representada graficamente a pressão do ar. no mesmo meio de propagação. é possível obter. todos são tipos respeitáveis de luz. verificar-se-ia. Se a frequência de vibração da fonte que origina o sinal sonoro aumentasse para o dobro. azul. Mas.53 para uma radiação violeta. Conclua. com base na informação dada no texto. Mas há muito mais luz do que aquela que vemos nesse pequeno segmento do espetro. Nas frequências ainda mais baixas. fica a vasta região espetral das ondas de rádio. mas perfeitamente real. 1984 (adaptado) 57.2. relativamente ao som detetado. Frequência aumenta EF11CAPE © Porto Editora 57. relativamente ao som detetado. Cosmos. 1D2 … a velocidade de propagação diminuiria para metade. em função do tempo. n. do vidro de que é constituído um prisma é 1. 1B2 … a velocidade de propagação.51 para uma radiação vermelha e 1.

0 ms 1C2 1.indd 42 17/3/16 9:53 AM .0 V.0 1A2 6. com o gerador de ondas ajustado para uma frequência de 6. Nas imagens obtidas com este dispositivo. Questões de exame nacional 57. A figura representa o sinal obtido no osciloscópio. Movendo um íman no interior de uma bobina integrada num circuito elétrico.0 Hz. 59. A B A figura representa ondas planas produzidas numa tina de ondas.3. Apresente todas as etapas de resolução.2. 59. Qual é o período do sinal obtido no osciloscópio? 1A2 0. Na experiência realizada. 42 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.1. Considere um feixe laser.5 ms 1B2 1.1. Em qual das figuras seguintes está representada parte de um trajeto possível desse feixe no interior do prisma? 1A2 1C2 1B2 1D2 58.0 "2 58.5 ms/divisão. muito fino. Utilizou-se um osciloscópio para medir a tensão nos terminais de uma lâmpada alimentada por uma fonte de corrente alternada. pode induzir-se uma corrente elétrica no circuito.0 V 1B2 V 1D2 V 6. 1C2 6. 58. Calcule o valor da velocidade de propagação das ondas na experiência descrita. com base na Lei de Faraday. Explique.5 ms 1D2 2. que se propaga no ar e que incide numa das faces de um prisma EF11CAPE © Porto Editora de vidro. a cristas.3. com a base de tempo regulada para 0.8 cm. Uma tina de ondas é um dispositivo que permite estudar algumas propriedades das ondas produzidas à superfície da água.0 * "2 V "2 6. representados na figura. for 6. medida com o osciloscópio.0 ms 58. Qual será o valor lido num voltímetro ligado aos terminais da lâmpada se a tensão máxima do sinal. era de 20. as zonas claras correspondem a vales dessas ondas e as zonas escuras. verificou-se que a distância entre os pontos A e B. por que motivo o movimento do íman em relação à bobina induz uma corrente elétrica no circuito.

.0° e 16. 61. A figura representa um feixe. Os ângulos de incidência e de refração são. 1C2 … harmónico. uma vez que nI > nII . 1B2 … intenso. respetivamente. que incide na superfície de separação de dois meios transparentes. Determine a velocidade de propagação do feixe de luz monocromática no interior do vidro Flint. 43 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg. 1C2 … maior do que o ângulo de incidência.1. respetivamente. nI e nII. resultando da sobreposição de várias frequências. 24. podendo ser descrito por uma função sinusoidal. 1B2 … menor do que o ângulo de incidência. Domínio 2 Ondas e eletromagnetismo 59. uma vez que nI < nII . 1D2 … complexo. resultando da sobreposição de vários harmónicos. 1D2 … menor do que o ângulo de incidência.. Se a luz se propagar com maior velocidade no meio II. de luz monocromática. I e II. uma vez que nI < nII . propagando-se depois no interior do vidro. cujos índices de refração são.indd 43 17/3/16 9:54 AM . A figura representa parte do trajeto de um feixe de luz monocromática que se propaga no ar e que incide numa face de um paralelepípedo de vidro Flint. de refração será… 1A2 … maior do que o ângulo de incidência. muito fino. o ângulo . uma vez que nI > nII . Amplitude relativa 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 3500 4000 4500 Frequência / Hz O espetro representado permite concluir que o som emitido pela buzina do carrinho é… 1A2 … puro.2. porque algumas das suas frequências são muito elevadas.0°. A figura representa o espetro do som emitido pela buzina de um carrinho. 60. Apresente todas as etapas de resolução. EF11CAPE © Porto Editora 61.

até uma posição final na qual a placa deslizante ficava completamente introduzida no espaço entre as duas placas de ferro. desde a posição inicial. com um ângulo de incidência inferior ao ângulo crítico. um grupo de alunos utilizou uma montagem semelhante à representada na figura. Placas de ferro Microvoltímetro Placa deslizante Ligações da espira Ímanes Espira  Os alunos começaram por colocar quatro pares de ímanes. um campo magnético que se pode considerar uniforme. uma espira sobre uma placa (deslizante) que. Com o objetivo de determinar o módulo do campo magnético produzido por um conjunto de ímanes. em seguida. Questões de exame nacional 61. 1D2 … menor índice de refração. Colocaram.indd 44 17/3/16 9:54 AM . entre elas. com um ângulo de incidência superior ao ângulo crítico. 44 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.2. com um ângulo de incidência superior ao ângulo crítico. entre duas placas de ferro. 63. em cada ensaio realizado. 1B2 … menor índice de refração. Qual dos esquemas seguintes pode representar o trajeto do feixe de luz monocromática ao EF11CAPE © Porto Editora propagar-se do interior do vidro Flint novamente para o ar? 1A2 1C2 1B2 1D2 62. fizeram deslizar entre as duas placas de ferro com velocidade de módulo constante. assim. com um ângulo de incidência inferior ao ângulo crítico. representada na figura. igualmente espaçados. estabelecendo-se. 1C2 … maior índice de refração. A reflexão total da luz ocorre quando esta incide na superfície de separação entre um meio e outro de… 1A2 … maior índice de refração.

Dt. Quanto mais rapidamente se movimentar a bobina. que a placa com a espira demorou a deslizar entre as duas placas de ferro. com um microvoltímetro. a partir do declive da reta que melhor se ajusta ao conjunto de valores apresentados na tabela (utilize a calculadora gráfica). na espira.1. 1 -1 0 ei 0 >mV >s Dt 0.12 2 6.2. desde a posição inicial até à posição final. Neste tipo de microfones. a força eletromotriz induzida.497 147 0. ei. 1B2 … a taxa de variação temporal do fluxo magnético através da bobina e menor será a força eletromotriz induzida na bobina. Os valores medidos encontram-se registados na tabela seguinte: Ensaio Δt/s 1 6. . apresentam-se os valores do inverso dos intervalos de tempo medidos. 45 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_CImg. Os alunos mediram com um cronómetro. em três ensaios.667 198 Determine o módulo do campo magnético produzido pelo conjunto de ímanes. Mediram também. admitindo que o ângulo entre a direção do campo e a direção perpendicular à superfície delimitada pela espira é 0°. e do Dt módulo da força eletromotriz induzida. a vibração da membrana provoca a oscilação de uma bobina imersa num campo magnético. 64.indd 45 18/3/16 1:10 PM .333 100 0. Comece por obter o módulo da variação do fluxo magnético que atravessa a superfície delimitada pela espira.164 45 0. maior será… 1A2 … o fluxo magnético através da bobina e menor será a força eletromotriz induzida na bobina. 1D2 … a taxa de variação temporal do fluxo magnético através da bobina e maior será a força eletromotriz induzida na bobina. e. Apresente todas as etapas de resolução. Seguidamente. desde a posição inicial até à posição final.06 Exprima o resultado da medição do intervalo de tempo em função do valor mais provável e da incerteza absoluta. procedendo de modo que a placa com a espira deslizasse entre as duas placas de ferro com velocidade de módulo sucessivamente maior. utilizando uma espira com uma área de 60 cm2. Dt. Os microfones de indução permitem converter sinais sonoros em sinais elétricos. entre as duas placas de ferro. em cada um daqueles ensaios. que a placa com a espira demorou a deslizar. EF11CAPE © Porto Editora 1C2 … o fluxo magnético através da bobina e maior será a força eletromotriz induzida na bobina. 63. os alunos realizaram cinco ensaios sucessivos. com velocidade de igual módulo. em cada um dos ensaios. Domínio 2 Ondas e eletromagnetismo 63. Mediram.12 3 6. o intervalo de tempo. o intervalo de tempo. 1 Na tabela seguinte. na espira.251 73 0.

  Previsão meteorológica. tornando-se nulo no instante em que o aumenta com o aumento do módulo de 3.  10.  As direções da força resultante 19. a resultante (C) Falsa.3.1 Entre os instantes t1 e t2.  (C).1 * 103 N peso. e a força de 3.  (C). 9.  18. 3.  A velocidade é um vetor mais lisa. mesma velocidade inicial). menor será a intensidade da força resultante (pois a força resultante é t = 0 s e t = 1 s. aumentar ao longo do tempo. GPS não são geostacionários uma vez ar aumenta. o movimento da forças que atuam sobre o objeto são o 1. 16.1. t1]. e a módulo de velocidade mantém­‑se resistência do ar.  (B). 11.  (C).1.  (B). satélite é um vetor com direção radial e (F) Verdadeira.1.1. 10.2.2.  w = 7. 8.1 (B) Falsa.  (A) Verdadeira.067 s 18. 6.  (B).3. que têm um período de 12 h e os atuam sobre a gota terá o sentido do 5.3. velocidade é horizontal e o sentido é módulo da sua velocidade está a estudos de ambiente… positivo. (C) Falsa. 19.  (D).  13.  10.50 * 103 kg 18. A força que atua no percorrida pelo carrinho até parar.  (A) Verdadeira. 8. 8.5. 12.  No intervalo de tempo entre 8. 10. 7. cuja intensidade 3.  7. Inicialmente. porque o cartografia.2. resistência do ar.  aumenta durante a queda.  Edissipada = 4. 5.1. atrito que atuam sobre o carrinho e.1.1. menor 17.2.3.2. movimento retilíneo e acelerado.  (D). 11. quando o módulo da das forças que atuam sobre a gota tem o aceleração é zero.5. a resultante das forças que (H) Falsa.2. carrinho. período igual ao período de rotação da Terra (24 h). porque o 1. será a intensidade das forças de atrito (H) Verdadeira. 5.3.1.3. a mesma direção e sentidos opostos. a intensidade da resultante das forças.  (A). menor a intensidade 13.2. 18.4 m s.1.3.  (C).  11.2.  W P = 8 m J → 19.  (A). 18. passando depois. constante durante a queda.1.1.4.  (D).1. (G) Falsa.  9.  (C).2.  (D).3.1.  19. 10. 13. satélites geostacionários têm de ter um movimento e intensidade decrescente. mas não 1. que a resistência do ar aumenta.  Os satélites do sistema opostos e a intensidade da resistência do (G) Falsa.  (A) Falsa. 12.2. 6. numa estrada (D) Falsa.1. A direção da → 1. o objeto adquiriu um aumenta e o declive da reta tangente em (B) Verdadeira. 8. cuja intensidade constante.Eci para a mesma em 12 horas. tangente à trajetória. (H) Falsa. Como durante a queda a força gravítica e (E) Falsa. que se mantém constante 2.3. 8.2.  0 v 0 = 10. gravítica.1. 15.3.2.  (A).1.1. Como neste intervalo 4.  (C).5. (F) Falsa.3. 1. as forças 2.  (B).2.  (D).  1. a gota de água move-se 46 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.1 m s.4. 15. da resultante das forças.27 * 10.  Fa = 35 N 15.  No seu movimento de queda.3.2.1. consequentemente. e da velocidade da Lua são menor será a intensidade das forças de (G) Verdadeira perpendiculares.  (B). 16.1 6. aumenta uniformemente (a resultante 1. (E) Verdadeira.25 m (C) Falsa.  Movimento retilíneo e 11.  (D).2.3.2.  (A).  (B).2. No intervalo de tempo [0. das forças que atuam na gota de chuva não é constante).1 módulo da resistência do ar iguala a velocidade da gota.  8.  12.1. (D) Verdadeira. 9.  15.2.3. de tempo o módulo de velocidade da gota 4.1. 14.indd 46 17/3/16 9:54 AM .1.2.  Quanto mais lisa for a estrada.1. cada ponto à curva diminui.  (B).  (D). 2. 17.1.2.2. 2.  hmáxima = 1.1.  vsolo = . 17. as 1.2.1.2.  (D).2.2.1.  (D). a força da resistência do ar têm sentidos (F) Verdadeira.  Fc = 1.  (D). com movimento acelerado.2.1.  (C). que atuam sobre o carrinho. 11.  m = 1. quanto menor 7.5 * 104 J Logo. Assim.  hB = 23 m intensidade do peso do objeto. Soluções Domínio 1 Mecânica EF11CAPE © Porto Editora 8. a mover-se com sentido do movimento.4.9 * 103 m s.83 m s.2. 17. 7. Entre t = 20 s e t = 25 s variação de energia cinética (para a 2 voltas em torno da Terra. (D) Verdadeira. 4. Ou: centrípeto.2. durante um dia o satélite dá 13. conclui-se que. vigilância de incêndios.  Dt = 0. uniforme. será maior a distância (E) Verdadeira.1. Como as forças que atuam no objeto têm que atuam na gota de chuva são a força 2. movimento retilíneo e uniforme.1.  (D). cuja intensidade se mantém gota de chuva é uniforme.2.1.  v = 6. maior será a distância percorrida pelo (B) Falsa. 18. Quanto mais lisa for a estrada.  Como o satélite descreve 1 volta Sabendo que: FR * d * cos q = Ecf . o módulo da aceleração diminui à medida durante todo o percurso. 10.5 rad s.  v = .

2.  (D).3.1. T verifica-se pela expressão (1) que. 22.1.  T = 5.1. trajetória. 20. 34. 31. pelo que a aceleração do no centro da Terra.  (C). a aceleração é r a c = w2 r r centrípeta e igual a: ac =   (1) v2 Assim.ª Lei de Newton. menor é o valor da aceleração circunferência descrita pelo cavalinho B.  (C).  (C). apresenta maior aceleração o cavalinho r Como o módulo da velocidade é que descreve a circunferência com maior Sendo v = 2p r constante e igual nos dois troços. → e de acordo com a 2.2.  Como o telescópio descreve 26. 27.67 * 10.  t = 84 s e xcI = xcII = 588 m Aceleração: vetor com direção radial.3.2. 28. 36.1. .3 J 29. tem-se: 24.28 m 20. A e B.2 J 25. 35. a direção da velocidade é diferente em cada ponto da descreve uma órbita circular com centro 31.2.  Ediss = 2.2.  (A). 32.  (B).1. Assim. 21.2. telescópio não é nula.67 N 31.  (A).1.1. Aceleração GM Ç GM raio. tempo.2.  24.1. tem-se: raio. 3 T= ⇒ Ç6. para a mesma velocidade angular.  FR = 54 N força que atua no satélite.2 3600 EF11CAPE © Porto Editora 24. a aceleração será maior nesse 34.  26.1. 25.  Edissipada = 1. Substituindo pelos valores.2.2.1. é: 31. 23. rórbita = rT + h ⇒ 31. 21.  (A).81 * 103 s rórbita = 6.2.  23.4. ⇒ T = 86 859.3. Ϭ ƚ 21. 25.2. automóvel move-se com movimento 33. T= ⇔ T ≈ 24 h centro da trajetória.  Dt = 8.3. 25.3.1.  Como nos dois troços.2. ac = .  (D). sentido centrípeto.5 * 107 ⇔ = 2.  (B). isto é. 47 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_3P_CImg.1 24.  (B). obtém-se: v2 Sendo ac = ev= v2 2p r 23. aponta para o 36.1. 25.1.1.  23.  (C).2.  0 FNC 0 = 0. 36.2.24 * 107 m afruto 23. BC ou DE.  (D).3. a aceleração do carrinho LJ džͬŵ Ϯ͕Ϭ será menor.2.2.3.1. como o troço DE apresenta menor 34.3. 23. a GMm Sendo w = e TA = TB ⇒ 2p resultante das forças que sobre ele r2 T atuam também é nula.2.1.1. entre o ponto A e B.1. 26.  (A).  25. 86859.  20. 29. Sabendo que a força gravítica é a única fornecidos.  (D).  (A).1.  (D).  (C).  Como os dois cavalinhos.0 * 10. quanto maior for o a pelo cavalinho A maior do que o raio da T r T2 r raio.  sobre o carrinho).  (C). Ϭ͕Ϭ Ϭ͕ϴ ƚͬƐ 21. 29.1. ⇔ T2 = ⇒ T= 4p2 r 3 4p2 r 3 Assim. a distância percorrida pelo carrinho até parar será maior.1.  ac = 0.3.1. têm a mesma velocidade angular.1.indd 47 17/3/16 9:54 AM .2.29 * 10. na sua órbita. para a mesma velocidade inicial.1 s 36.98 * 1024 direção tangente à trajetória e sentido a apontar para o lado do movimento. r .2 dão uma volta completa no mesmo Sendo a aceleração do automóvel nula.1. ϭ͕Ϭ 20. 30.  29.1.  Dx = 0. Como FR = m a.  (A).  (A).  (B). 30. 22. para a 2 Sendo o raio da circunferência descrita b = ⇔ = ⇔ 2p r GM 4p2 r 2 G M mesma velocidade.2.4 * 106 + 3.1.70 * 10.  (C).1.24 * 107) 35.2.ª Lei de Newton: FR = Fg ⇒ Fc = Fg 33.2.  21.4 aLua 31. 33.  (B). 31. Se a velocidade é constante ⇒ a = 0 m s.  (B). Soluções função das forças de atrito que atuam 25.90 N → 25.1.11 * 5. o 32.1. 30. 35.2.  FR = 0.26 min rórbita = 4.3. 25.1. 25. retilíneo e uniforme ( v  = constante).  21.  (A).2. troço.1.  Considerando que o satélite uma órbita circular.3. o cavalinho A terá maior aceleração.  De acordo com os dados 32.2.  Velocidade: vetor com 4p2 * (4.1.2. Sabendo que ⇒ wA = wB 23.4.  (B). pelo que. m ac = de acordo com a 2.  24.1.3.  (C).109 m s. obtém-se: r T o automóvel descreve movimento = 2 ⇒ v2 G M circular e uniforme.  22.2.1. ⇒ v2 = GM r . centrípeta.

A fibra ótica é um filamento constituído bobina provoca uma variação do fluxo por um núcleo de vidro ou de outros magnético que a atravessa.  l = 1. são as linhas de campo são retas paralelas e 57.1 revestimento e o ângulo segundo o qual a outras com menor (zonas de rarefação). equidistantes. 48.1 total.2.4 m magnético que atravessa a bobina induz eletromagnética. 42. 58. tem.  Correntes elétricas produzem com a Lei de Faraday. uma vez um campo magnético produzido por um íman. Dt = (6. apreciável.51.2. 57. Esse movimento 59.2. radiação (10- 6) e das dimensões do obstáculo (100) infravermelha.1.  Para que ocorra o fenómeno de 42. 63.10 ± 0.  Dt = (6.indd 48 18/3/16 1:10 PM . destas ondas são pouco absorvidas e refletidas pela atmosfera junto à 54.  B = 5.  (C).  Uma onda sonora resulta do indução de uma corrente elétrica no por sucessivas reflexões totais. 54.  Por análise da figura reflexão total.1. superfície da Terra. 38. radiação gama 39. velocidade do som do meio 2 superior à ao ângulo crítico. 58. radiação X.  (C). em cada ponto. conclui-se ângulo­‑limite. o que provoca 46.  (C).  (E) Verdadeira.04) s ou propagação do sinal sonoro. velocidade no vidro do que a radiação características do movimento da Num campo magnético uniforme. é dado por n = . movimento vibratório das partículas em circuito.  O movimento do íman em relação à 48.3.  (D).1.  O fenómeno é a difração.  (C).1. 61. B .2. vermelha.2. pode contornar obstáculos ou orifícios se 56. 60. a radiação uma variação de fluxo magnético. o índice 45.  (D).2.  40. (B) Falsa.  (A). 48. 40. proporcionais. isto é. 43. A luz propaga-se no interior da fibra 50.  (A). 42. de ser superior ao índice de refração do criem zonas com maior densidade de moléculas (zonas de compressão) e 61.2.  (A).  59. por sua vez. do comprimento de onda da radiação Ondas de rádio FM e AM.  (D). 56.  (D). cujo índice de refração é 1. força eletromotriz é responsável pela luz).  (B).1.3. são muito diferentes.  Uma onda sofre difração.  (B).  (C). 39. 52.2 T 51. 48. tem elevada uma força eletromotriz no circuito.  (D). 58. (C) Verdadeira.2. das duas ondas é igual. quanto menor for o índice de refração. 63.53 (que é o índice da elétrica no circuito do microfone. Sabendo que.1.1. 61. n. 57. as violeta. o índice de refração do núcleo terá vibratório das partículas faz com que se 59.1. propagação da onda.  (B). 56.1.1.3° 55. 51.  (B).  Quando o som atinge a membrana 57.4. 44. 45.3.1. e por se propagarem 43. radiação visível. propaga-se com maior A corrente induzida tem as mais densas forem as linhas de campo. membrana que.  q r = 30. esta vibra devido às esticada são ondas longitudinais pois a c variações de pressão provocadas pela perturbação dá-se na mesma direção de v onda sonora. 54. 39.  (D).1. 38.03) s 51. 40.  (C). 46. (A) Falsa. de ao índice de refração do material que 48 EF11CAPEEP_20151046_P097_144_CImg.2.3. 63.  (D).  (B).  (C). 54. esta oscila também. direção tangente às A variação de fluxo induz uma corrente linhas de campo.10 ± 0.0 * 10. bobina.1.07 Domínio 2 Ondas e eletromagnetismo EF11CAPE © Porto Editora 37.1.  (C). acordo com a equação f = vsom constitui o revestimento e o ângulo de . utilizam-se micro-ondas porque algumas 53. isto é. que são duas grandezas inversamente → 46.2.03 * 108 m s. 45. l incidência tem de ter um valor superior 38.  v = 0. c é a velocidade da luz no vácuo e v a 45. mesmas do som original.2.  O vetor campo magnético. as dimensões destes forem da ordem de (D) Verdadeira. 41.2. imersa numa região onde existe maior é a velocidade da luz. a variação do fluxo com capacidade de transmitir radiação campos magnéticos. 43. Assim.1. 48.2.  v = 2. o índice de refração do constata-se que o comprimento de onda material do núcleo tem de ser superior 64. Essa transparência (praticamente não absorve 49. n. sentido das linhas de menor que 1.  Nas comunicações via satélite que a frequência do som B é superior à do som (A).  A utilização das fibras óticas 47. luz incide na superfície de separação Estas compressões e rarefações núcleo-revestimento terá de ser superior ao ângulo crítico. campo e é tanto mais intenso quanto radiação violeta). grandeza do comprimento de onda. 38. 44.  (B). em que do microfone.1.  (D).  (D). propagam-se na mesma direção da 62.1.25 m s. também chamado velocidade do som no meio 1.  (B).  (D).1. radiação (H) Verdadeira. Ou seja. 58. Para que ocorra o fenómeno de reflexão redor da fonte sonora.  (D).2. De acordo materiais poliméricos transparentes. baseia-se em diversos princípios físicos. sendo a 38. ultravioleta.1.2.  (D).3. Portanto.2. esta radiação não sofre difração Frequência aumenta (F) Falsa.  (B).1. quase em linha reta.  As ondas produzidas na mola de refração.2. pois as ordens de grandeza ————————————→ (G) Falsa. v. 44. Soluções EF11CAPE . Como a membrana está ligada a uma velocidade da luz nesse meio.  Para um dado meio ótico.2.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful