Você está na página 1de 21
Profa. Maryualê Malvessi Mittmann Centro Universitário FACVSET Mestrado em Práticas Transculturais
Profa. Maryualê Malvessi Mittmann Centro Universitário FACVSET Mestrado em Práticas Transculturais
Profa. Maryualê Malvessi Mittmann Centro Universitário FACVSET Mestrado em Práticas Transculturais
Profa. Maryualê Malvessi Mittmann Centro Universitário FACVSET Mestrado em Práticas Transculturais
Profa. Maryualê Malvessi Mittmann Centro Universitário FACVSET Mestrado em Práticas Transculturais

Profa. Maryualê Malvessi Mittmann Centro Universitário FACVSET

Mestrado em Práticas Transculturais

▪ Línguas mudam ▪ Línguas variam

Línguas mudam

Línguas variam

▪ Línguas mudam ▪ Línguas variam
▪ No tempo ▪ No espaço ▪ Em grupos sociais ▪ Em situações

No tempo No espaço Em grupos sociais Em situações

▪ No tempo ▪ No espaço ▪ Em grupos sociais ▪ Em situações
▪ Língua oficial? ▪ Português ▪ LIBRAS ▪ De acordo com o Censo 2010: ▪

Língua oficial?

Português

LIBRAS

De acordo com o Censo 2010:

274 línguas indígenas

▪ Língua oficial? ▪ Português ▪ LIBRAS ▪ De acordo com o Censo 2010: ▪ 274
▪ Além disso: ▪ Línguas afro-brasileiras ▪ Línguas de imigração ▪ Línguas crioulas

Além disso:

Línguas afro-brasileiras Línguas de imigração Línguas crioulas

▪ Além disso: ▪ Línguas afro-brasileiras ▪ Línguas de imigração ▪ Línguas crioulas
▪ Além disso: ▪ Variedades regionais ▪ Variedades padrão e variedades não padrão

Além disso:

Variedades regionais Variedades padrão e variedades não padrão

▪ Além disso: ▪ Variedades regionais ▪ Variedades padrão e variedades não padrão
▪ Nossa língua expressa nossa identidade, indica quem somos, de onde viemos e como queremos

Nossa língua expressa nossa identidade, indica quem somos, de onde viemos e como queremos ser vistos pelos outros

▪ Nossa língua expressa nossa identidade, indica quem somos, de onde viemos e como queremos ser
▪ O timbre e o tom da voz ▪ A forma de pronunciar certos sons

O timbre e o tom da voz A forma de pronunciar certos sons A melodia e o ritmo da fala O uso de certas palavras ao invés de outras Certas formas de tratamento Certas formas de realizar concordâncias

uso de certas palavras ao invés de outras ▪ Certas formas de tratamento ▪ Certas formas
▪ Associamos essas características a identidades sociais ▪ Tais identidades são, por sua vez, sujeitas

Associamos essas características a identidades sociais

Tais identidades são, por sua vez, sujeitas a julgamentos de valores culturalmente

adquiridos.

a identidades sociais ▪ Tais identidades são, por sua vez, sujeitas a julgamentos de valores culturalmente
▪ É estreita a relação entre como falamos e os julgamentos aos quais somos submetidos,

É estreita a relação entre como falamos e os julgamentos aos quais somos submetidos, e aos quais também submetemos os outros.

a relação entre como falamos e os julgamentos aos quais somos submetidos, e aos quais também
▪ Esse julgamento não é, de fato, sobre a correção da língua, mas sobre a

Esse julgamento não é, de fato, sobre a correção da língua, mas sobre a identidade social marcada na língua.

▪ Esse julgamento não é, de fato, sobre a correção da língua, mas sobre a identidade
▪ Uma variedade linguística é considerada a mais correta, a mais bela, não por sua

Uma variedade linguística é considerada a mais correta, a mais bela, não por sua gramática, mas porque essa variedade é aquela falada pelo grupo que possui maior prestígio social, que domina os meios de comunicação.

essa variedade é aquela falada pelo grupo que possui maior prestígio social, que domina os meios
▪ Logo, o “falar certo” é o falar daquele que tem prestígio social, e o

Logo, o “falar certo” é o falar daquele que tem prestígio social, e o “falar errado” é o daquele que não o tem.

o “falar certo” é o falar daquele que tem prestígio social, e o “falar errado” é

“Assim, da mesma forma como existem milhões

de brasileiros sem terra, sem escola, sem teto,

sem trabalho, sem saúde, também existem milhões de brasileiros sem língua. Afinal, se

formos acreditar no mito da língua única, existem milhões de pessoas neste país que não

têm acesso a essa língua, que é a norma

literária, culta, empregada pelos escritores e jornalistas, pelas instituições oficiais, pelos

órgãos do poder são os sem-língua.”

instituições oficiais, pelos órgãos do poder — são os sem-língua .” MARCOS BAGNO, Preconceito linguístico.
instituições oficiais, pelos órgãos do poder — são os sem-língua .” MARCOS BAGNO, Preconceito linguístico.
instituições oficiais, pelos órgãos do poder — são os sem-língua .” MARCOS BAGNO, Preconceito linguístico.

MARCOS

BAGNO,

Preconceito

linguístico.

instituições oficiais, pelos órgãos do poder — são os sem-língua .” MARCOS BAGNO, Preconceito linguístico.
▪ Naturalmente, cabe a nós fazer com que os alunos dominem, também, a variedade de

Naturalmente, cabe a nós fazer com que os alunos dominem, também, a variedade de prestígio, especialmente na modalidade escrita,

nas situações em que tal é exigido.

dominem, também, a variedade de prestígio, especialmente na modalidade escrita, nas situações em que tal é
▪ O desafio é fazê-lo sem sem promover a segregação, a humilhação da identidade de

O desafio é fazê-lo sem sem promover a segregação, a humilhação da identidade de nossos pupilos, e frequentemente da nossa

própria.

sem sem promover a segregação, a humilhação da identidade de nossos pupilos, e frequentemente da nossa
Debater o preconceito linguístico nos espaços de ensino é uma forma de levar os alunos

Debater o preconceito linguístico nos espaços de ensino é uma forma de levar os alunos a reflexão sobre a validade de ideias preestabelecidas, que se refletem não apenas sobre a linguagem, na busca de compreender de onde elas vêm e para onde elas podem nos levar.

que se refletem não apenas sobre a linguagem, na busca de compreender de onde elas vêm