Você está na página 1de 14

Darwinismo Social

portanto.  Spencer foi capaz de representar as aspirações da Burguesia Industrial inglesa. e não Darwin. justificando e incentivando a concorrência entre os homens.  Foi Spencer. quem cunhou a expressão "sobrevivência dos mais aptos". . passível de evolução. Hebert Spencer  Organicista: Afirmou uma visão da sociedade como um organismo e.

Morgan Eles defendiam que as sociedades passavam de estágios de menos para mais evoluído. Logicamente. as sociedades mais primitivas eram as tribais. . tal como africanas e asiáticas As sociedades mais evoluídas eram as Europeia e Norte Americana. Tylor Lewis H. onde a tecnologia e a “civilidade” eram mais desenvolvidas. selvageria até chegar à civilização. passando pela barbárie. Antropólogos Evolucionistas Edward B.

o racismo. Também no Brasil durante o século XIX e início do século XX a ideia de branqueamento do povo brasileiro mostra o pensamento de superioridade dos brancos . o nacionalismo e o militarismo.A aplicação da biologia de Darwin às teorias sociais fortalecia o imperialismo.

Pensadores Brasileiros tinham a ideia que se trouxesse mais brancos para o Brasil. . o país seria portanto mais desenvolvido. Tal pensamento influenciou as imigrações de europeus ao nosso país.

percebe-se que a teoria de Darwin acabou por ser convertida em um pensamento que reforçava os ideais da classe burguesa da época. vindo a justificar. O darwinista social William Graham Summer afirmava: Ou seja. a lei do mais forte e a superioridade da elite. . ao final das contas.

. a teoria da seleção natural é adotada para tratar das sociedades.Num total equívoco. onde os mais fortes prevalecem e devem sujeitar os mais fracos para garantir a "seleção natural" dos seres humanos. ou oportunismo.

afinal. empreendeu diversas políticas eugênicas priorizando o bom nascimento por meio de programas educacionais de casamento entre pessoas saudáveis. América do Norte e mesmo no Brasil houveram diversas políticas higienistas e eugênicas que pregavam a criminalização e marginalização do pobre em detrimento da valorização do rico. com seus estudos sobre as populações. Thomas Matlhus. saudável. apenas sobrevivem os mais fortes. .. miseráveis. bonito e forte O primo de Charles Darwin. também era simpatizante destas ideias. Francis Galton..Na Europa. doentes e analfabetos. pregando nenhuma tipo de assistência social por parte do Estado para com os pobres.

A defesa da tese de que existiam raças superiores e inferiores foram amplamente utilizadas por governos europeus no século XIX e parte do XX Eles usavam esta justificativa para dominar países da Ásia e África durante o período do Imperialismo Assim. . criavam-se condições para o aumento do preconceito contra os povos desses continentes. vistos como inferiores.

.

Os Arianos: “Médicos eram motivados pela ideologia nazista e por interesses pessoais. Em 1935 um boletim médico. Eles também eram apresentados como se fossem uma gangrena que.Podemos encontrar reflexos disso na Eugenia Nazista do século XX. comparava os judeus ao bacilo de Koch. Por meio dessa visão de mundo a Alemanha deveria ser tratada como um corpo doente. onde testes mortais eram realizados com judeus e outros indivíduos para “provar” a superioridade da “raça” alemã. deveria ser extirpada. enraizada no corpo da nação. cuja cura implicava no extermínio das bactérias que estavam infectando seu organismo como um todo. de forma a garantir a revitalização da raça ariana e da cultura alemã. acreditando que o assassinato em massa dos judeus tinha uma função terapêutica: a de curar a Alemanha de um grande mal (os judeus)." . amplamente divulgado pela imprensa nazista.

.

.

Prontos para o debate? .