Você está na página 1de 16

QUÍMICA

PRÉ-VESTIBULAR

LIVRO DO PROFESSOR

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

© 2006-2008 – IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, sem autorização por escrito dos autores e do detentor dos direitos autorais.

I229 IESDE Brasil S.A. / Pré-vestibular / IESDE Brasil S.A. — Curitiba : IESDE Brasil S.A., 2008. [Livro do Professor] 832 p.

ISBN: 978-85-387-0577-2

1. Pré-vestibular. 2. Educação. 3. Estudo e Ensino. I. Título.

CDD 370.71

Disciplinas

Autores

Língua Portuguesa

Francis Madeira da S. Sales

Literatura

Márcio F. Santiago Calixto Rita de Fátima Bezerra Fábio D’Ávila

Matemática

Danton Pedro dos Santos Feres Fares

Física

Haroldo Costa Silva Filho Jayme Andrade Neto Renato Caldas Madeira Rodrigo Piracicaba Costa Cleber Ribeiro

Química

Marco Antonio Noronha Vitor M. Saquette Edson Costa P. da Cruz

Biologia

Fernanda Barbosa Fernando Pimentel

História

Hélio Apostolo Rogério Fernandes Jefferson dos Santos da Silva

Geografia

Marcelo Piccinini Rafael F. de Menezes Rogério de Sousa Gonçalves Vanessa Silva Duarte A. R. Vieira Enilson F. Venâncio Felipe Silveira de Souza Fernando Mousquer

Produção

Felipe Silveira de Souza Fernando Mousquer Produção Projeto e Desenvolvimento Pedagógico Esse material é parte
Felipe Silveira de Souza Fernando Mousquer Produção Projeto e Desenvolvimento Pedagógico Esse material é parte
Felipe Silveira de Souza Fernando Mousquer Produção Projeto e Desenvolvimento Pedagógico Esse material é parte

Projeto e Desenvolvimento Pedagógico

Mousquer Produção Projeto e Desenvolvimento Pedagógico Esse material é parte integrante do Aulas Particulares

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

Estequiometria 1 mol de átomos corresponde à massa atômica expressa em gramas, um número igual
Estequiometria 1 mol de átomos corresponde à massa atômica expressa em gramas, um número igual
Estequiometria
1
mol de átomos corresponde à massa atômica
expressa em gramas, um número igual a 6,02 . 10 23
átomos, que se forem de um gás e estiverem nas
CNTP, ocuparão um volume de 22,4L.
O
cálculo estequiométrico, ou cálculo das medi-
das apropriadas, é o cerne da Química quantitativa.
Lavoisier (1743-1794), o pai da Química moderna,
foi capaz de associar todos os conhecimentos qualita-
tivos da sua época à exatidão da matemática.
Para tanto, desenvolveu vários equipamentos
de medição, entre eles a balança analítica de labo-
ratório, permitindo ao químico medir ou calcular as
massas dos reagentes e produtos envolvidos em uma
reação química.
Atualmente, o cálculo estequiométrico é utiliza-
do em várias atividades, tais como: pela indústria que
deseja saber quanto de matéria-prima (reagentes)
deve utilizar para obter uma determinada quantidade
de produtos, pelo médico que quer calcular quanto
de determinada substância deve ministrar para cada
paciente, entre inúmeras outras.
Substâncias
pesa
contém
(gás) ocupa
1 mol de moléculas ⇒ (MM) g ⇒ 6,02 . 10 23 átomos ⇒ 22,4L
volume
CNTP
1
mol de moléculas corresponde à massa mole-
cular expressa em gramas, um número igual a 6,02 .
10 23 moléculas, que, se forem de um gás e estiverem
nas CNTP, ocuparão um volume de 22,4L.
Cálculo estequiométrico
Para efetuarmos o cálculo estequiométrico, va-
mos obedecer a seguinte sequência:
Estequiometria é a parte da Química que en-
volve os cálculos das quantidades de reagentes e
produtos nas reações químicas.
• escrever a equação envolvida;
A
palavra estequiometria é de origem grega e
significa medida de uma substância.
Estéquio: do grego stoikheion (elemento ou
substância); metria: do grego metron (medida).
• acertar os coeficientes da equação (ou equa-
ções) – (uma equação química só estará
corretamente escrita após o acerto dos coefi-
cientes, sendo que, após o acerto, apresenta
significado quantitativo);
O
cálculo estequiométrico não pode ser dis-
pensado por nenhum processo químico (laboratório
ou indústria), porque é através de sua aplicação,
envolvendo as leis ponderais e volumétricas, que
se sabe:
• relacionar os coeficientes com mols. Tendo,
assim, uma proporção inicial em mols;
o rendimento de processos industriais;
o grau de pureza de uma amostra.
• estabelecer entre o dado e a pergunta do pro-
blema uma regra de três, que deve obedecer
aos coeficientes da equação química. Poden-
do ser estabelecida a partir da proporção em
mols, em função da massa, em volume, em
número de moléculas, entre outros, conforme
dados do problema.
Relações básicas para o
cálculo estequiométrico
`
Exemplo:
Elementos
Podemos citar a reação de combustão do álcool etílico:
C
2 H 6 O + O 2 → CO 2 + H 2 O
pesa
contém
(gás) ocupa
balanceando a equação, ficamos com:
1 mol de átomos ⇒ (MA) ⇒ 6,02 . 10 23 átomos ⇒ 22,4 L
volume
EM_V_QUI_015

CNTP

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

{
{

{
{

{

{

{

{

EM_V_QUI_015

{ { { { { { { { EM_V_QUI_015 1C 2 H 6 O +3O 2
{ { { { { { { { EM_V_QUI_015 1C 2 H 6 O +3O 2
{ { { { { { { { EM_V_QUI_015 1C 2 H 6 O +3O 2
{ { { { { { { { EM_V_QUI_015 1C 2 H 6 O +3O 2
{ { { { { { { { EM_V_QUI_015 1C 2 H 6 O +3O 2
{ { { { { { { { EM_V_QUI_015 1C 2 H 6 O +3O 2

1C 2 H 6 O +3O 2 → 2CO 2 +3H 2

3 mols

2 mols

O (proporção em mols)

1 mol

3 mols

Estabelecida a proporção em mols, podemos fazer inúmeros cálculos, envolvendo os reagentes e/ou pro- dutos dessa reação, combinando as relações de várias maneiras.

Tipo de

 


+ 3 O 2 (g)



CO 2 (g)

 


relação

1

C 2 H 6 O

+ 3 H 2 O

   

1 mol de moléculas

3

mols de

2 mols de moléculas

3 mols de moléculas

Proporção

moléculas

em mols

 

 

Proporção

 

1x 46g

 

3x 32g

 

2x 44g

3x 18g

em massa

Proporção

 

6 . 10 23

3

x 6 . 10 23

2x 6 . 10 23

3x 6 . 10 23

em molé-

   

culas

 

 

 

Proporção

       

em volume

 

é líquido

3x 22,4L

2x 22,4L

é líquido

(CNTP)

 

Alguns tipos de cálculos estequiométricos

Relação quantidade em mols — quantidade em mols

Os dados do problema e as quantidades incóg- nitas pedidas são expressas em termos de quanti- dade em mols.

` Exemplo:

Na reação N 2 + H 2 NH 3 , quantos mols de moléculas de NH 3 são obtidos quando reagem totalmente 5 mols de moléculas de H 2 ?

Resolução:

1N 2 + 3H 2 2NH 3





3 mols - 2 mols

equação

balanceada

proporção em

mols obtida

dos coeficientes

5 mols -

proporção em mols obtida dos coeficientes 5 mols - ⇒ dado e pergunta do problema =

dado e pergunta

do problema

dos coeficientes 5 mols - ⇒ dado e pergunta do problema = 5 . 3 2

= 5 .

3

2 = 3,3 de mols de NH 3

2

Relação entre quantidade em mols e massa

Os dados do problema são expressos em termos de quantidade em mols (ou massa) e a quantidade in- cógnita é pedida em massa (ou quantidade em mols).

` Exemplo:

Na reação N 2 + H 2 NH 3 , qual é a massa de H 2 que

reage, quando são obtidos 3 mols de NH 3 ?

Resolução:

1N 2 + 3H 2

2NH 3

eq. balanceada

3 mols -

2 mols proporção em mols

3 . 2g - 2 mols relação do problema

em mols 3 . 2g - 2 mols → relação do problema - 3 mols →

- 3 mols dado e pergunta

→ relação do problema - 3 mols → dado e pergunta 3 = 9g de H

3 = 9g de H 2

= 6 .

2

Relação entre massa e massa

Os dados do problema e as quantidades incóg- nitas pedidas são expressas em termos de massa.

` Exemplo:

Na reação N 2 (g) + H 2 (g) , qual a massa de NH 3 obtida, quando se reagem totalmente 5,6g de N 2 ?

3 obtida, quando se reagem totalmente 5,6g de N 2 ? Resolução: 1N 2 + 3H

Resolução:

1N 2 + 3H 2 2NH 3 -

1 mol

2 mols proporção em mols

28g

5,6g -

- 2 . 17g relação do problema

em mols 28g 5,6g - - 2 . 17g → relação do problema → dado e

dado e pergunta

2 . 17g → relação do problema → dado e pergunta = 5,6 . 28 3

= 5,6 .

28

34 = 6,8g de NH 3

Relação massa (n.º de mols) para volume nas CNTP

Os dados do problema são expressos em termos de quantidade em mols (ou massa) ou volume (CNTP) e a quantidade incógnita é pedida em massa (ou quantidade em mols) ou volume (CNTP).

`

Qual o volume de hidrogênio liberado, nas CNTP, quando

27g de alumínio reagem completamente com o ácido sulfúrico?

Exemplo:

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

Resolução: 2 Al + 3 H 2 SO 4 → Al 2 (SO 4 )
Resolução: 2 Al + 3 H 2 SO 4 → Al 2 (SO 4 )
Resolução:
2 Al
+
3 H 2 SO 4 →
Al 2 (SO 4 ) 3
+
3 H 2
27g
xl
54g
3 x 22,4l
x = 27 . 3 .
22,4 = 33,6 litros
54
Relação de volume para
volume
Os dados do problema e as quantidades incóg-
nitas pedidas são expressas em termos de volume.
` Exemplo:
Calcule os volumes de N 2 e H 2 necessários para obter
600L de NH 3 , a uma determinada temperatura e pres-
são.
Resolução:
.
.
Massas em excesso: deve-se retirar o excesso
para poder trabalhar com a proporção exata.
` Exemplo:
Faz-se reagir 160g de ácido sulfúrico com 150g de hidró-
xido de sódio. Calcular a massa do reagente em excesso
e a massa de sulfato de sódio formada.
EM_V_QUI_015
Resolução: H 2 SO 4 NaOH 160 . 80 = 12 800 150 . 98
Resolução:
H 2 SO 4
NaOH
160 . 80 = 12 800
150 . 98 = 14 700
160 . 80
98
160 . 142
.
98
• rendimento de processos industriais;
• grau de pureza de uma amostra.

3

O cálculo estequiométrico não pode ser dispensa- do por nenhum processo químico (laboratório ou indús- tria), porque é por meio de sua aplicação envolvendo as leis ponderais e volumétricas que se obtêm:

Cálculo do rendimento de uma reação

Até o momento, estamos estudando as reações químicas como processos cujas massas dos reagen- tes, desde que misturadas na proporção correta, se transformam totalmente em produtos. Frequentemente o rendimento não é igual a

100%.

Rendimento de uma reação é o quociente entre a quantidade de produto realmente obtida e a quan- tidade de produto que seria teoricamente obtida pela equação química correspondente.

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

Valor teórico = massa teórica Valor real = massa real 100% R % ` Exemplo:
Valor teórico = massa teórica Valor real = massa real 100% R % ` Exemplo:
Valor teórico = massa teórica Valor real = massa real 100% R % ` Exemplo:
Valor teórico = massa teórica Valor real = massa real 100% R % ` Exemplo:
Valor teórico = massa teórica Valor real = massa real 100% R % ` Exemplo:
Valor teórico = massa teórica Valor real = massa real 100% R % ` Exemplo:
Valor teórico = massa teórica Valor real = massa real 100% R % ` Exemplo:
Valor teórico = massa teórica
Valor real = massa real
100%
R %
`
Exemplo:
Queimando 30g de grafite pura com rendimento de 90%,
que massa de dióxido de carbono será produzida?
Resolução:
C
+
CO 2
O 2
x =
30 . 44 . 0,9
= 99g de CO 2 .
Cálculo do grau de pureza
É comum o uso de reagentes impuros, princi-
palmente em reações industriais, ou porque são mais
baratos ou porque já são encontrados na natureza
acompanhados de impurezas (o que ocorre, por
exemplo, com os minérios).
Grau de pureza: é o quociente entre a massa
da substância principal e a massa total da amostra
(ou massa do material bruto).
Quando for preciso calcular a massa de produto
obtido a partir de uma amostra impura, devemos ini-
cialmente calcular qual é a parte pura desta amostra
e efetuar os cálculos com o valor obtido.
Massa total com impurezas
Massa pura
100%
P%
`
Exemplos:
1.
O minério de sulfeto de zinco denominado Blenda, é
encontrado na natureza com pureza máxima de 82%.
Qual é a massa de sulfeto de zinco puro existente em
105t de minério?
4
100% 105t 82% m m = 86,1t 2. Calcular o volume de anidrido sulfuroso obtido,
100%
105t
82%
m
m
= 86,1t
2.
Calcular o volume de anidrido sulfuroso obtido, nas
CNTP, pela ustulação completa de 6,0kg de pirita (FeS 2 )
de 80% de pureza.
x = 6 000 . 0,8 . 4 . 22,4 = 17 920 litros de
1.
Quantos mols de clorato de potássio são necessários
para a produção de 33,6 litros de oxigênio (CNTP) na
decomposição térmica do clorato de potássio?
`
Solução:
A
reação é: 2 KClO 3 →
2 KCl
+
3 O 2
mols
volume (CNTP)
2 mols
3 . 22,4l
x mols
33,6l
x = 1 mol de KClO3
Curiosidades:
O Dr. Thomas W. Evans, de Filadélfia, que emigrou para
a França em 1847 e era o dentista de Luís Napoleão, foi
responsável pela popularização do óxido nitroso como
anestésico nas salas de operações europeias.
Em 1868, foi para a Inglaterra, dando conferências por
toda ilha.
Entretanto, a classe médica inglesa, altamente conser-
vadora, fez várias tentativas para desacreditar a nova
anestesia.
EM_V_QUI_015

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

EM_V_QUI_015

EM_V_QUI_015 Durante os primeiros dias da anestesia, alguns médicos decidiram que poderiam ser administradas quantidades
Durante os primeiros dias da anestesia, alguns médicos decidiram que poderiam ser administradas quantidades menores
Durante os primeiros dias da anestesia, alguns médicos
decidiram que poderiam ser administradas quantidades
menores (e mais seguras) de óxido nitroso ao paciente,
caso o gás fosse administrado sob pressão.
Para isso, desenharam complicadas câmaras hiperbáricas,
como essa Cloche mobile, invenção do Dr. Fontaine, de
Paris, em 1880, que podia ser levada de um hospital para
outro, e era suficientemente espaçosa para administração
de gás a dez pacientes.
2.
O óxido nitroso, N 2 O, é conhecido como “gás hila-
riante” e foi um dos primeiros anestésicos a ser des-
coberto. Esse gás pode ser obtido pelo aquecimento
de nitrato de amônio sólido.
a) Escreva a equação da decomposição por aque-
cimento do nitrato de amônio em óxido nitroso
e água.
b) Calcule a massa do nitrato de amônio necessá-
ria para se obter 880g de óxido nitroso.
`
Solução:
D
a) NH 4 NO 3 (s)
N 2 O(g) + 2 H 2 O(g).
b) xg -------------- 880g
80g
44g
x =
1 600g.

3. O nitrogênio pode ser obtido pela decomposição térmica do nitrito de amônio.

a) Escreva a equação de decomposição do nitrito de amônio.

b) Calcule o volume de nitrogênio obtido, nas condi- ções normais de pressão e de
b) Calcule o volume de nitrogênio obtido, nas condi-
ções normais de pressão e de temperatura, pela
decomposição de 12,8g de nitrito de amônio, su-
pondo que o rendimento da reação seja de 80%
(em massa).
`
Solução:
a) A equação de decomposição do nitrito de amônio
é:
N 2 + 2 H 2 O.
NH 4 NO 2
b) Cálculo do volume de nitrogênio:
NH 4 NO 2
64g
N 2 + 2 H 2 O
22,4l (CNTP)
12,8g
xl
x
=
4,48l
100%
4,48l
80%
xl
x
=
3,58l.
4.
Na década de 1960 o grau de desenvolvimento in-
dustrial de um país era avaliado pela quantidade de
ácido sulfúrico que ele produzia e consumia.
O ácido sulfúrico é obtido pela reação
SO 3 + H 2 O → H 2 SO 4 .
Reagimos 80g de trióxido de enxofre (SO 3 ) com
água em excesso e condições necessárias. Qual a
massa de ácido sulfúrico obtida nessa reação que
tem rendimento igual a 75%?
`
Solução:
SO 3 + H 2 O → H 2 SO 4
80g
98g
como o rendimento é de 75% : 98 . 0,75 = 73,5g.
1.
(Fuvest) O alumínio é obtido pela eletrólise da bauxita.
Nessa eletrólise, ocorre a formação de oxigênio que
reage com um dos eletrodos de carbono utilizados no
processo. A equação não balanceada que representa
o processo global é:
A 2 O 3 + C  CO 2 + A

5

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

EM_V_QUI_015

EM_V_QUI_015 Para dois mols de A l 2 O 3 , quantos mols de CO 2
EM_V_QUI_015 Para dois mols de A l 2 O 3 , quantos mols de CO 2
EM_V_QUI_015 Para dois mols de A l 2 O 3 , quantos mols de CO 2
EM_V_QUI_015 Para dois mols de A l 2 O 3 , quantos mols de CO 2
EM_V_QUI_015 Para dois mols de A l 2 O 3 , quantos mols de CO 2

Para dois mols de Al 2 O 3 , quantos mols de CO 2 e de Al, respectivamente, são produzidos nesse processo?

a) 3 e 2.

b) 1 e 4.

são produzidos nesse processo? a) 3 e 2. b) 1 e 4. 6 c) 2 e

6

c) 2 e 3.

d) 2 e 1.

e) 3 e 4.

2. (FURG) A quantidade de água produzida quando rea- gem 3 mols de hidróxido de alumínio com ácido sulfúrico em quantidade suficiente para completar a reação é:

a) 6 mols.

b) 7 mols.

c) 8 mols.

d) 9 mols.

e) 10 mols.

3. (UEL) Uma das reações que podem ocorrer entre Fe 2 O 3 e CO é representada pela equação: Fe 2 O 3 + 3 CO 2 Fe + 3 CO 2 .

Calcule a massa de CO consumida na obtenção de 37g de Fe.

4. (UFMG) Calcular a massa de CO 2 necessária para reagir

4 mols de moléculas de CaO.

5. (PUC) Calcular a massa de CaO necessária para neu- tralizar completamente 9,8g de H 2 SO 4 .

6. (UFF) Calcular o volume de CO 2 nas CNTP, produzido pela decomposição de 250g de CaCO 3 .

7. (UFRG) Calcular a massa de oxigênio necessária para reagir com 2,4 . 10 24 moléculas de hidrogênio na obten- ção da água. A massa de O 2 é 32g/mol.

8. (UFF) Calcule o volume de CO 2 , nas CNTP, produzido pela decomposição térmica de 300g de carbonato de cálcio, de acordo com o processo CaCO 3 CaO + CO 2 .

9. (Cesgranrio) O H 2 S reage com o SO 2 segundo a reação:

H 2 S + SO 2 S + H 2 O.

Qual o número máximo de mols de enxofre que pode ser formado quando se faz reagir 5 mols de H 2 S com

2 mols de SO 2 ?

10. (PUC) A nave estelar Enterprise, de Jornada nas Estrelas, usou B 5 H 9 e O 2 como mistura combustível. As duas subs- tâncias reagem de acordo com a seguinte equação:

B 5 H 9 + O 2 B 2 O 3 + H 2 O. Se um tanque contém 126kg de B 5 H 9 e o outro 240kg de O 2 , qual tanque esvaziará primeiro? Mostre com cálculos. Quanta água terá sido formada (em kg) quando um dos reagentes tiver sido completamente consumido?

11. (UFRN) O gás hilariante (N 2 O) pode ser obtido pela decomposição térmica do nitrato de amônio (NH 4 NO 3 ). Se de 4,0g do sal obtivermos 2,0g do gás hilariante, podemos prever que a pureza do sal é da ordem de:

a) 100%.

b) 75%.

c) 20%.

d) 90%.

e) 50%.

12. (PUC) Em um tubo, 16,8g de bicarbonato de sódio são decompostos, pela ação do calor, em carbonato de sódio sólido, gás carbônico e água (vapor). O volume de CO 2 , em litros, obtido nas CNTP, supondo o rendimento da reação igual a 90%, é igual a:

a) 2,02.

b) 2,48.

c) 4,48.

d) 4,03.

e) 8,96.

13. (UFRN) Uma amostra de calcita, contendo 80% de car- bonato de cálcio (CaCO 3 ), sofre decomposição quando submetida a aquecimento, segundo a reação:

CaCO 3 CaO + CO 2 . Qual a massa de óxido de cálcio obtida a partir da queima de 800g de calcita?

14. (PUC) A equação de ustulação da pirita (FeS) é:

FeS + O 2 -------SO 2 + Fe 2 O 3 . Qual a massa de óxido de ferro III obtida, em kg, a partir de 300kg de pirita, que apresenta 20% de impurezas?

15. (UEL) 32,70g de zinco metálico (Zn) reagem com uma solução concentrada de hidróxido de sódio (NaOH), produzindo 64,53g de zincato de sódio (Na 2 ZnO 2 ). Qual

o rendimento dessa reação?

16. (UFGO) Para a produção de soda cáustica (NaOH), uma indústria reage carbonato de sódio com hidróxido de cálcio segundo a equação:

Na 2 CO 3 + Ca(OH) 2 CaCO 3 + NaOH. Ao reagirmos 265g de carbonato de sódio com 80% de pureza, devemos obter que massa, em gramas, de soda cáustica?

17. (UFRN) Qual a quantidade de água formada a partir de 10g de gás hidrogênio, sabendo-se que o rendimento da reação é de 80%?

18. (PUC) Ao reagirmos propeno com ácido clorídrico, ob- temos 2-cloro-propano, segundo a reação que segue.

C 3 H 6 + HCl C 3 H 7 Cl.

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

19. Se reagirmos 84g de propeno (C 3 H 6 ), qual a massa de
19. Se reagirmos 84g de propeno (C 3 H 6 ), qual a massa de
19.
Se reagirmos 84g de propeno (C 3 H 6 ), qual a massa de
2-cloro-propano obtida, se o rendimento da reação é
de 60%?
(FEI) Um dos processos de obtenção de éter hospita-
lar (C 4 H 10 O) consiste na desidratação de álcool etílico
(C 2 H 5 OH), conforme a reação: C 2 H 5 OH → C 4 H 10 O +
H
2 O. Pede-se para determinar o rendimento desse
processo, se quando desidratamos 184g de álcool,
obtêm-se 111g de éter.
20.
Em 200g de calcário encontramos 180g de CaCO 3 e 20g
de impurezas. Qual o grau de pureza do calcário?
1.
(UFSCar) Um homem exala cerca de 25mol de dióxido
de carbono por dia em sua respiração. O acúmulo de
dióxido de carbono em recintos fechados pode tornar
impossível a sobrevivência de seres vivos, tornando-se
necessário controlar seu nível no ambiente.
Durante a primeira viagem de balão sem escala ao
redor da Terra, realizada em 1999, o nível de dióxido de
carbono na cabina do balão foi controlado pelo uso de
hidróxido de lítio sólido. No processo ocorre reação entre
hidróxido de lítio e o dióxido de carbono, formando
carbonato de lítio sólido e água como produtos.
o
a)
Escreva a equação balanceada da reação entre hi-
dróxido de lítio e dióxido de carbono.
b)
Calcule a massa de hidróxido de lítio (massa mo-
lar = 24g/mol), necessária para reagir com todo o
dióxido de carbono exalado na respiração de um
homem durante um dia. Suponha que a reação de
absorção do dióxido de carbono ocorra com 100%
de rendimento.
2.
(UFMG) O estômago de um paciente humano, que
sofra de úlcera duodenal, pode receber, por meio de seu
suco gástrico, 0,24mol de HCl por dia. Suponha que
ele use um antiácido que contenha 26g de Al(OH) 3 por
1 000mL de medicamento.
O antiácido neutraliza o ácido clorídrico de acordo com
a
reação
A (OH) 3 + 3 HC  A C 3 + 3 H 2 O.
Determine o volume apropriado de antiácido que o
paciente deve consumir por dia, para que a neutralização
do ácido clorídrico seja completa.
3.
(PUC) Combustível é importante reagente na obtenção
de amônia e compostos orgânicos saturados, o hidro-
gênio pode ser obtido pela reação: NaH(s) + H 2 O
( )  NaOH(aq) + H 2 (g). Quantos litros do gás, nas
condições ambiente, podem ser obtidos pela hidrólise
de 60,0g de hidreto de sódio?
EM_V_QUI_015

[Dados: volume molar, nas condições ambiente = 24,5L/ mol; massa molar do NaH = 24g/mol]

a) 61,2.

b) 49,0.

c) 44,8.

d) 36,8.

e) 33,6.

4. (UFMG) Um ser humano adulto sedentário libera, ao respirar, em média 0,880mol de CO 2 por hora. A massa de CO 2 pode ser calculada, medindo-se a quantidade de BaCO 3 (s), produzida pela reação:

Ba(OH) 2 (aq) + CO 2 (g)  BaCO 3 (s) + H 2 O( ). Suponha que a liberação de CO 2 (g) seja uniforme nos

períodos de sono e de vigília. A alternativa que indica

a massa de carbonato de bário que seria formada pela

reação do hidróxido de bário com o CO 2 (g), produzindo

do hidróxido de bário com o CO 2 (g), produzindo durante 30 minutos, é aproximadamente: a)

durante 30 minutos, é aproximadamente:

a) 197g.

b) 173g.

c) 112g.

d) 86,7g.

e) 0,440g.

5. (Fuvest) Rodando a 60km/h, um automóvel faz cerca de 10km por litro de etanol (C 2 H 5 OH). Calcule o volume de gás carbônico (CO 2 ), em metros cúbicos, emitido pelo carro após cinco horas de viagem. Admita queima completa do combustível.

[Dados: densidade do etanol: 0,8kg/l; massa molar do etanol: 46g/mol; volume molar do CO 2 : 25mol/l]

a) 13.

b) 26.

c) 30.

d) 33.

e) 41.

6. (ITA) Calcule o máximo de massa de água que se pode obter partindo de 8,0g de hidrogênio e 32,0g de oxigênio. Indique qual o reagente em excesso e quanto sobra do mesmo.

7. (Fatec) Na reação de amônia (NH 3 ) com oxigênio (O 2 ) para formar NO e água, qual a massa de água formada a

partir de 160g de O 2 ? Quantos mols de NO são formados

a partir da mesma quantidade de O 2 ?

8. (Cesgranrio) Ao mergulharmos uma placa de prata metálica em uma solução de ácido nítrico (HNO 3 ), ocorrerá a reação:

Ag + HNO 3 AgNO 3 + NO + H 2 O.

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

EM_V_QUI_015

EM_V_QUI_015 Ajustando a reação química, calcule a massa de água produzida, em gramas, quando é consumido
EM_V_QUI_015 Ajustando a reação química, calcule a massa de água produzida, em gramas, quando é consumido
EM_V_QUI_015 Ajustando a reação química, calcule a massa de água produzida, em gramas, quando é consumido

Ajustando a reação química, calcule a massa de água produzida, em gramas, quando é consumido 1mol de prata metálica.

9. (Cesgranrio) Um funileiro usa um maçarico de acetileno para soldar uma panela. O gás acetileno (C 2 H 2 ) é obtido na hora, através da seguinte reação química: CaC 2 + H 2 O Ca(OH) 2 + C 2 H 2 . Qual a massa aproximada de carbureto de cálcio (CaC 2 ) que será necessária para se obter 50l de acetileno nas CNTP?

10. (UFF) O cloreto de alumínio é um reagente muito utili- zado em processos industriais que pode ser obtido por meio da reação entre alumínio metálico e cloro gasoso, conforme a seguinte reação química:

e cloro gasoso, conforme a seguinte reação química: A Se 2,70g de alumínio são misturados a

A

Se 2,70g de alumínio são misturados a 4,0g de cloro, qual a massa produzida em gramas, de cloreto de alumínio?

qual a massa produzida em gramas, de cloreto de alumínio? + C 2  A C
+ C 2  A C 3 .
+ C 2 
A C 3 .
Corel Image Bank.
Corel Image Bank.

11. (Fuvest) Uma instalação petrolífera produz 12,8kg de SO 2 por hora. A liberação desse gás poluente pode ser evitada usando-se calcário, o qual por decomposição fornece cal (CaO), que reage com o SO 2 formando CaSO 3 , de acordo com as equações:

CaCO 3 CaO + CaO + SO 2 CaSO 3

Qual a massa mínima de calcário (em kg), por dia, necessária para eliminar todo o SO 2 formado? Suponha 100% de rendimento para as reações. [Massas molares g/mol: CaCO 3 = 100; SO 2 = 64]

a) 128.

b) 240.

c) 480.

d) 720.

e) 1 200.

12. A obtenção de etanol, a partir de sacarose (açúcar) por fermentação, pode ser representada pela seguinte equação:

C 12 H 22 O 11 + H 2 O 4 C 2 H 5 OH + 4 CO 2 . Admitindo-se que o processo tenha rendimento de 100% e que o etanol seja anidro (puro), calcule a massa (em kg) de açúcar necessária para produzir um volume

CO 2

8

de 50 litros de etanol, suficiente para encher um tanque de um automóvel. [Dados: densidade do etanol = 0,8g/cm3; massa molar da sacarose = 342g/mol; massa molar do etanol = 46g/ mol]

13. (Cesgranrio) O gás hidrogênio pode ser obtido em laboratório a partir da reação de alumínio com ácido sulfúrico, cuja equação química não-ajustada é :

Al + H 2 SO 4 Al 2 (SO 4 ) 3 + H 2 .

Um analista utilizou uma quantidade suficiente de H 2 SO 4 para reagir com 5,4g do metal e obteve 5,71 litros do gás nas CNTP. Nesse processo, o analista obteve um rendimento aproximado de:

a) 75%.

b) 80%.

c) 85%.

d) 90%.

e) 95%.

14. (UFF) O nitrato de potássio (KNO 3 ) é conhecido pelas suas propriedades diuréticas. Uma das reações em que podemos obter este composto é dada a seguir:

AgNO 3 + KCl KNO 3 + AgCl. Dispondo de 425g de nitrato de prata com 80% de pureza, qual a massa de nitrato de potássio que obtemos se o rendimento da reação é de 60%?

15. (UFF) O acetileno, substância de grande aplicação, é um gás menos denso do que o ar, empregado especialmente como combustível, uma vez que, quando queima em atmosfera de oxigênio puro, fornece uma chama azul de elevada temperatura. O processo industrial de obtenção de acetileno pode ser demonstrado pela equação:

CaC 2 + 2 H 2 O C 2 H 2 + Ca(OH) 2 . Sabendo-se que 100g de carbeto de cálcio reagem com quantidade suficiente de água para a obtenção de 24,6g de acetileno, qual o rendimento porcentual dessa reação?

16. (PUC) Fazendo-se reagir 3,4g de NH 3 com quantidade suficiente de O 2 , segundo a reação

4 NH 3 + 3 O 2 2 N 2 + 6 H 2 O, obteve-se 2,1g de N 2 . O rendimento dessa reação foi aproximadamente:

a) 75%.

b) 70%.

c) 50%.

d) 25%.

e) 20%.

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

EM_V_QUI_015

EM_V_QUI_015 17. (UFRRJ) Uma amostra de 200kg de calcário (com teor de 80% de CaCO 3

17.

(UFRRJ) Uma amostra de 200kg de calcário (com

teor de 80% de CaCO 3 ) foi tratada com ácido fosfórico

-

H 3 PO 4 - conforme a equação química balanceada:

3 CaCO 3 + 2 H 3 PO 4 1 Ca 3 (PO 4 ) 2 + 3 H 2 O + 3 CO 2 .

Calcule a massa de Ca 3 (PO 4 ) 2 formado.

18.

(PUC) O salitre do Chile (NaNO 3 ) é utilizado como conservante em embutidos como o presunto, morta- dela etc. Esse composto pode ser obtido pela reação:

HNO 3 + NaOH NaNO 3 + H 2 O. Sendo a massa de ácido nítrico (HNO 3 ) utilizada igual a 126g, qual a massa de salitre do Chile que obtemos se o rendimento dessa reação é de 95%?

19.

(UFF) 11,2l de gás carbônico (CO 2 ), nas CNTP, reagem com hidróxido de sódio (NaOH), produzindo carbonato de sódio (Na 2 CO 3 ) e água. Qual a massa de carbonato de sódio obtida, sabendo-se que o rendimento da reação é de 90%?

20.

(UFF) Considere a obtenção do ferro, utilizando óxido férrico, conforme a reação:

Fe

2 O 3 + CO Fe + CO 2 .

Se utilizarmos 4,8kg de óxido férrico, quanto teremos de ferro, admitindo que a reação tenha um rendimento de 80%?

21.

(ITA) Qual o volume, em m 3 , de gás oxigênio, nas CNTP, necessário para queimar totalmente 1 200kg de carvão, com 90% de pureza, conforme a equação:

C

+ O 2

+ O 2

CO 2 .

22.

(Fuvest) Encontrou-se uma amostra de mármore (CaCO 3 ), cuja pureza era de 60%. Decompondo-se 50g dessa amostra, obteve-se cal virgem (CaO) e gás carbônico (CO 2 ). Admitindo-se um rendimento de 70%

para essa reação, quantos mols de gás carbônico foram

conseguidos?

 

23.

Inimigo do meu inimigo

Os insetos não vivem apenas na nossa casa – eles também são muito fãs de nossas plantações.

A descoberta do inseticida DDT, em 1939, fez muitos

acreditarem que os humanos tinham vencido de vez a batalha por suas lavouras. Mas a alegria durou pouco. Não apenas os insetos estavam desenvolvendo resistência ao pesticida, como o DDT estava atacando também insetos benéficos e animais que viviam nos arredores. Por isso, muitos lugares passaram a usar outros insetos para atacar as pragas.

Um deles é a mosca Coenosia humilis – ao lado, jantando

a amiga número um dos cientistas, a mosca-de-fruta Drosophila melanogaster.

Divulgação Galileu.
Divulgação Galileu.

O inseticida DDT (massa molar = 354,5g/mol) é fabricado a partir de clorobenzeno (massa molar = 112,5 g/mol) e cloral, de acordo com equação:

2 C 6 H 5 Cl

clorobenzeno

+

C 2 HCl 3 O

cloral

C 14 H 9 Cl 5

DDT

+

H 2 O.

Partindo-se de uma tonelada (1t) de clorobenzeno e admitindo-se rendimento de 80%, a massa de DDT produzida é igual a:

a) 1,575t.

b) 1,260t.

c) 800,0kg.

d) 354,5kg.

e) 160,0kg.

24. (FCC) Prevê-se que na Serra dos Carajás, no estado do Pará, haja 2 . 10 10 toneladas de minério com teor aproxi- mado de 60% de ferro. Sabendo que um prego grande contém cerca de 6g de ferro, quantos pregos poderiam ser fabricados com todo o minério de Carajás?

a) 2 . 10 10 .

b) 6 . 10 10 .

c) 2 . 10 15 .

d) 6 . 10 15 .

e) 2 . 10 20 .

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

EM_V_QUI_015

EM_V_QUI_015 1. E 2. D 3. 27,75g. 4. 176g. 5. 5,6g. 6. 56L. 7. 64g. 8.

1. E

2. D

3. 27,75g.

4. 176g.

5. 5,6g.

6. 56L.

7. 64g.

8. 67,2L.

9. 6 mols.

10. 135kg.

11. E

12. A

13. 358,4g.

14. 218,18kg.

15. 89,69%.

10

16. 160g.

17. 72g.

18. 94,2g.

19. 75%.

20. 90%.

10 16. 160g. 17. 72g. 18. 94,2g. 19. 75%. 20. 90%. 1.   a ) C

1.

 

a) CO 2(g) + 2 LiOH (s) Li 2 CO 3(s) + H 2 O (l) .

b) 1,2kg.

2.

240mL.

3.

A

4.

D

5.

B

6.

36g de água; excesso de 4g de H 2 .

7.

108g e 4 mols.

8.

12g.

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

EM_V_QUI_015

EM_V_QUI_015 9. 142,8g. 10. 5,01g. 11. C 12. 74,3kg de C 1 2 H 2 2

9. 142,8g.

10. 5,01g.

11. C

12. 74,3kg de C 12 H 22 O 11 .

13. C

14. 121,2.

15. 60%.

16. A

17. 165,33kg.

18. 161,5g.

19. 47,7g.

20. 2 688g.

21. 2 016m 3 .

22. 0,21 mols.

23. B

24. C

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

EM_V_QUI_015

EM_V_QUI_015 12 Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A ,
EM_V_QUI_015 12 Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A ,
EM_V_QUI_015 12 Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A ,

12

Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br