Você está na página 1de 1

O gif imita o mundo ou o mundo imita o gif?

Nota sobre Joan Cornella:

O mundo do cartunista Joan Cornell um mundo colorido e movimentado,

povoado por gente feliz e sorridente que mata gente feliz e sorridente. Esses felizardos

esfaqueiam ou atiram em outros felizardos, que continuam sorrindo nesse mundo

colorido. Nem tudo o que parece: um nude pode ser um portador de necessidades

especiais fazendo pose, como se tudo nesse mundo fosse recalque das diferenas e

artifcio pela produo da imagem dita perfeita a nica que possui valor hoje em dia.

em busca de uma supremacia qualquer, como diz Schwarz, que os personagens posam

para suas selfies ao mesmo tempo que matam um ao outro. Alis, essa competio

pela melhor imagem que liga violncia e aparncia de felicidade, sustentando a eterna

repetio do embuste. Essa sucesso trapaas, mudanas e qiproqus presentes nas

peripcias absurdas e alucinantes, no entanto, no revelam nada alm da prpria

eternidade dessas mudanas e o mesmo mundo colorido e movimentado. O simulacro,

que j se fazia pressentir no exagero das cores e da felicidade, permanece tal e qual de

vez em quando o real toca superficialmente esses quadrinhos, como quando uma das

vtimas pintada de negro, expressando assim um dos reais critrios da violncia

contempornea. Depois do absurdo de tantas peripcias violentas, o mundo continua

apenas colorido e movimentado, povoado por gente feliz e sorridente que mata gente

feliz e sorridente.