Você está na página 1de 11
Protecao contra sobretensao de origem atmosférica 0 Comentarios 2 Edigdo 101 -Junho de 2014 Aula pritica — SPDA Por Andrea Maria de Lima* Como realizar a devida protegao com a ajuda de equipamentos e dispositivos instalados na parte intema ou extema das edificagdes. py Coma constanteevotusio das insaladeseltricas desde o deseobrimento da |) cletricidade, a complexidade das instalagdes aumentou exponencialmente e, com isso, a necessidade da realizagao de um maior niimero de fungdes, controle de processos ¢ os aspectos relacionados as edificagdes ficaram mais complexos, exigindo equipamentos cada vez mais caros, sendo necessério prover uma protego completa para as instalagdes elétricas, Pensando nas protegdes, foram criados os, dispositivos para proteger os equipamentos/pessoaslinstalagdes contra distirbios ‘que possam aparecer na rede, Sao eles: - Disjuntores para protecao contra sobrecarga e curtos-cireuitos; - Interruptores diferenciais residuais (DR) para protegao contra choques elétricos & incéndios; - Dispositivos de protegdo contra surtos (DPS) para protesao contra sobretensées. Este artigo ser dedicado a prot dispositivo de protegdo contra surtos (DPS), contra sobretensio de origem atmosférica, enfatizando, entio, a utilizagio do Constantemente so formadas milhares de tempestades ao redor do mundo, as quai descargas atmosféricas (raios). A descarga atmosférica um fenémeno natural que gera sobretensbes transitérias com consequéncias destrutivas, resultando em vitimas fatais e em bilhOes de gastos coma reparagio dos danos causados pelas descargas atmosféricas jo acompanhadas por Raios também causam um grande nimero de incéndios, geralmente em areas agricolas (destruindo casas ou tomando-as inabitaveis). Edificios altos so especialmente propensos a descargas atmosféricas. A sobretensio nada mais & do que um pulso ou uma onda de tensdo que se sobrepde & tensio nominal da rede. A sobretensdo perturba os equipamentos e produz radiagio eletromagnética. Além disso, a duragio da sobretensio provoca um pico de energia nos circuitos elétricos, 0 qual pode destruir equipamentos. Quatro tipos de sobretensdo podem perturbar as instalagdes elétricas e cargas: Sobretensdes de manobra: sobretensdes de alta frequéncia ou causadas por uma alteragdo no regime estabelecido de uma rede elétrica (durante a manobra de um equipamento); Sobretensdes de frequéncia industrial: sobretensdes da mesma frequéncia da rede (50 Hz, 60 Hz ou 400 Hz) causadas por uma alteragdo permanente do estado da rede (segundo uma falha: filha de isolamento, falha de um condutorneutro, ete); Sobretensdes causadas por descarga eletrostatica: sobretensdes de durago muito curta (alguns nanossegundos) de frequéncias muito altas, causadas por descarga de cargas elétricas acumuladas (por exemplo, uma pessoa caminhando sobre um carpete com um sapato isolado esti cartegada eletricamente com uma tensio de diversos quilovolts); Sobretensdes de origem atmosfirica: raios produzem uma energia elétrica impulsional extremamente importante, de mithares de amperes (¢ milhares de volts), de alta frequéncia (aproximadamente um megahertz), de curta duragio (de um microssegundo a um milissegundo). Es s sobretensdes possuem diferentes modos de propagagio: “Modo comum: aparecem entre os condutores vivos ¢ a tera: fase-terra ou neutro-terra; Modo diferencial: aparecem entre condutores vivos: fase-fase on fase-neutro Impacto do raio nas instalaces elétricas Descargas atmosféricas daniticam sistemas elétticos ¢ eletronicos (transformadores, medidores e eletrodomésticos) em instalagdes elétricas residenciais ¢ industriais. E muito elevado o custo dos reparos com os danos causados pelas descargas atmosférieas como também é dificil estimaras eonsequéncias de: Perturbagdes causadas a computadores ¢ redes de telecomunicagdes; Falhas geradas no funcionamento dos programas dos controladores l6gicos programéveis e sistemas de controle, Além disso, o custo das perdas operacionais pode ser muito maior do que o valor do equipamento destruido. As sobretensdes de origem atmosférica sto eliminadas com a ajuda de alguns dispositivos de protegdo especificos, Asrredes de sinais sdo afetadas da mesma maneira que as instalagdes elétricas de baixa tensio. Descargas atmosfiricas podem afetar as instalagdes elétricas (e/ou comunicagées) de uma edificagdo de duas maneiras: Impacto direto da descanga atmosférica na edificago, o que chamamos de descarga direta; Impacto inditeto da descarga atmosférica na edificagdo, o que chamamos de descargas indiretas: ‘Uma descarga atmostérica pode atingir a rede elétrica aérea de alimentago de uma edificagdo. A sobretensdo pode se propagar por varios quilémetros a partir do ponto de impacto; Uma descarga atmosfirica pode cair préxima a uma linha de energia elétrica ¢ a radiagdo eletromagnética da conente da descarga atmosférica induz uma corrente elevada e uma sobretensio na rede de alimentago de energia eléttica. \Nos tiltimos dois casos, as correntes e as tenses perigosas sto transmitidas pela rede de alimentagdo de energia elétrica, Uma descarga atmosférica também pode cair préxima a uma edificagao, fazendo que o potencial de terra ao redor do ponto de impacto aumente perigosamente. escarga strate sobre tna nea fetes ou tetbwead (obretendo por wradaclocevomagndtia) __(sunerta do potential de tra) Figura | - Tipos de descargas atmosféricas. Caracteristicas da onda da descarga atmosférica Analisando os tipos de ondas de cortente ¢ tensio das descargas atmosféricas, temos: Onda de 10/350 ys: caracterizam ondas de corrente de uma descarga atmosférica direta; Onda de 8/20 ps: caracterizam ondas de corrente de uma descarge atmosférica indireta. Figura 2 ~ Tipos de ondas de corrente das descargas atmosféricas. Estes dois tipos de onda de comente de descarga atmosférica séo utilizados para os testes dos DPSs (norma ABNT NBR IEC 61643-1) ¢ imunidade de equipamentos a comrentes de descarga atmosférica. O valor da crista de onda de comrente caracteriza a intensidade da descarga atmosférica, As sobretensdes geradas por descargas atmosfiricas so caracterizadas por uma onda de tensio de 1,2/50 ys. Este tipo de onda de tensio é utilizado para verificar a suportabilidade de equipamentos a sobretensdes de origem atmosférica (tensdes de impulso de acordo coma norma IEC 610004-5). Figura 3 - Onda de tensdo 1,2/50 ps. Como realizar a protecio contra as descargas atmosféricas? Para responder ds diferentes necessidades nas instalagdes elétricas, a protegdo contra os efeitos diretos ¢ indiretos das descargas atmosféricas pode ser ealizada coma ajuda de equipamentos/dispositivos a serem instalados na parte extema ow intema das edificagdes ‘Na parte extema pode scr adotado um Sistema de Protegio contra Descargas Atmosféricas (SPDA), que é utilizado para evitar 05 incéndios e as degradages que poderdo ser ocasionadas por um impacto direto da descarga, atmosférica sobre a edificagao (para-raio, gaiola de Faraday), (a) Figura 4 ~ (a) Para-raio simples e (b) Gaiola em malha (gaiola de Faraday). 'Na parte intema da edificagdo sto utilizados Dispositivos de Protegao contra Surtos (DPS) para proteger as instalagdes elétricas e os equipamentos eletroeletrSnicos. Vale lembrar que o DPS no protege contra sobretensées ‘temporiias, somente transitérias. A fungdo do DPS é escoar a sobretensdo causada pela descarga atmosfirica e limitar a sobretensdo a um valor que nao seja perigoso para a instalagdo elétrica e equipamentos. Conforme o item 5.4.2 da ABNT NBR 5410, “Protegao contra sobretensdes transitérias”, a protegiio com DPS deve ser realizada em alguns casos: Instalagao alimentada por linha aérea (total ou parcialmente) situada em regido de influéncias externas AQ2 (mais de 25 dias de trovoadas por ano — tabela 15 da ABNT NBR 5410), sujcita aos efeitos das descargas indiretas; Instalacdo em regido de influéncias extemas AQ3 (tiscos pela exposigdo dos componentes da instalago), sujeita aos efeitos das descargas diretas. ‘Nota: a protego contra sobretensdes pode ser omitida se as consequéncias forem calculadas ¢ assumidas, pensando na parte material, mas, caso as consequéncias resultem em risco direto ou inditeto para a seguranca & saiide das pessoas, esta protegdo ndo devert ser omitida. Componentes de um DPS Os dispositivos de protegdo de surto (DPS) usam diferentes tecnologias adaptadas para cada efeito de descarga atmosférica, O DPS ¢ basicamente constituido por: ‘um ou mais componentes nao lineares: a parte viva (varistor, centelhador, ete. . um dispositivo de protegdo térmica (desconector intemo) que protege o DPS ao final da vida itil (DPS com varistor); . uum indicador que sinaliza o fim da vida dtil do DPS. Alguns DPS permitem a sinalizagao remota do fim da vida util; |. um dispositivo de protegdo contra curto-cireuito (DPC) extemo, que asseguta sua protegao contra os curtos- citeuitos (este dispositivo pode ser integrado no DPS). Spark gap Tipo chaveamento de tensio: dispositivo spark gap (centelhador) é principalmente usado contra efeito de descarga direta: Possui uma alta impedancia quando nao tem presenga de sobretensio, mas altera rapidamente para um valor de impedancia muito baixo em resposta a uma sobretensio elevada; E principalmente usado contra descargas atmosféricas diretas; £ apto a chavear uma alta corrente para a terra (equivalente a um curto-circuito). Varistor Tipo limite de tensio: varistor ou diodo ceifador (semicondutor) principalmente usado contra efeito de descanga indireta: ‘Tom uma alta impedncia quando nao tem presenga de sobretensio, contudo, possui relagdo inversa com a comtente ¢ tensdo (redugdio da impedancia com o aumento da comrente e tenso); Limita a tensdo para um valor padrio miximo (Up) para qualquer corrente < ao valor de descarga nominal (In). Tane.a I — TARELA DE DESEMPENHO RESUMIDA DO DPS. © DPS pode ser construido utilizando uma ou mais tecnologias: Figura 5 ~ DPS integrando as duas funcées da Classe 1 @ Classe Il (Classe I+ I!) ¢ as duas tecnologias no mesmo produto. Os DPS so instalados em tritho DIN eno mercado podemos encontrar nas versbes: - IP, IP-N, 2P, 3P, 3P+N € 4P; Classe I, Classe I, Classe [+11 em um iinico dispositivo e Classe Il Existem és classes de DPS: - Classe I - destinado a protegdo contra sobretensdes causadas por descargas atmosféricas diretas, com uma grande capacidade de escoamento, recomendado para instalagdes em locais de alta exposigdo a descargas atmosféricas na entrada da distribuigdo elétrica das edificagdes com SPDA. O DPS Classe I ¢ caracterizado por uma onda de comrente 10/350 ps; - Classe I — com uma capacidade de escoamento menor que o da Classe I, é recomendado pata protegdo das instalagGes elétricas e equipamentos eletroeletrénicos em edificagdes sem SPDA, mas que podem sofier os efeitos indiretos das descargas atmosféricas, O DPS Classe Il ¢ caracterizado por uma onda de corrente 8/20 j1s; - Classe IIT — os DPSs desta classe sdo destinados & protegdo fina dos receptores sensiveis (computadores, ete.) possuem uma capacidade baixa de escoamento ¢ devem ser instalados a jusante de um DPS Classe II, © DPS Classe 1 6 caracterizado por uma onda de conente combinada 1,2/50 ps ¢ 8/20 ps. Caracteristicas comuns A norma ABNT NBR IEC 61643-1 define as caracteristicas e os testes para DPS conectados a redes de distribuigdo de baixa tensio, ‘Ue: tensio méxima em regime permanente Esta é a tenso CA ou CC acima da qual o DPS toma-se ativo, Este valor é escolhido segundo a tensio da rede ea disposigao do esquema de aterramento. Up: nivel de protegdo Esta é a tensdo maxima nos bomes do DPS, quando ativo. Esta tenséo ¢ atingida quando a corrente fluindo pelo DPS forigual a In. O nivel de protegao de tensio escolhido deve ser inferior a suportabilidade das cargas a sobretensio, Na ocorréncia de descargas atmosféricas, geralmente, a tensio nos bomes do DPS permanece menor do que Up. In: comente de des mga nominal Este é 0 valorde erista da corrente de descarga de forma de onda 8/20 1s que o DPS pode descaregar 15 vezes, DPS Classe I limp: corrente impulsional de descarga Equivale ao valor de crista da comente, de forma de onda de 10/350 js que o DPS pode escoar 5 vezes. Aplicavel somente d tecnologia spark gap. ponto da instalagao. sta comente deve ser sempre superior corrente presumida de curto-circuito no DPS Classe II Imax: corrente méxima da descarga Este é 0 valorde crista de uma corrente de forma de onda de 8/20 js que o DPS é capaz.de escoar uma ver. DPS Classe III Uoe: tensdo de curto-circuito aplicada durante testes de classe IIL Os trés tipos de classe nao so compariveis, cada uma possui sua particularidade. Onde instalar e como selecionar? A classe do DPS a ser instalada na origem da instalagdo depende da presenga ou nao de um sistema de protesao possuir um SPDA (conforme IEC 62305), um DPS Classe 1 contra descargas atmosféricas (SPDA). Se a edi deverd serinstalado, Conforme item 6.3.5.2.1 - “Uso ¢ localizagdo dos PSs”, da norma ABNT NBR 5410, existem alguns critérios a serem seguidos: a) quando 0 objetivo for a protegdo contra sobretensdes de origem atmosférica transmitidas pela linha externa de alimentagao, bem como a protecdo contra sobretensdes de manobra, os DPSs devem ser instalados com 0 ponto de entrada da linha na edificagao ou no quadro de distribuicao principal, localizado 0 mais préximo possivel do ponto de entrada; ou b) quando o objetivo for a protecdo contra sobretensées provocadas por descargas atmosféricas diretas sobre a edificagao ou em suas proximidades, os DPSs devem ser instalados no ponto de entrada da linha na edificagao.” - Quando existir SPDA na edificagao, deverdo ser instalados DPSs Classe I (efeitos diretos) e Classe Il (efeitos inditetos) no quadro principal e DPS Classe Il nos quadros terminais. = Quando nao existir SPDA na edificagio, deverd ser instalado o DPS Classe II nos quadros de distribuigio e se existir equipamentos sensiveis instalados a mais de 30 m do quadro que contém o DPS Classe I, deverd ser instalado um DPS Classe IIT 0 mais préximo possivel ao equipamento sensivel. © mimero de DPSs adicionais a serem instalados é determinado por: Tamanho do local e a dificuldade de assegurar a equipotencialidade, Fm locais grandes, 6 essencial instalar um DPS na entrada de cada quadro terminal; Distancia que separa cargas sensiveis a serem protegidas pelo dispositivo de protegdo de entrada. Quando as cargas estiverem situadas a mais de 30 m do dispositivo de protegdo de entrada Classe Il, serd necessério prover protegdes finas o mais proximo possivel das cargas sensiveis; Risco de exposi¢do, No caso de um local muito exposto, deve ser instalado um DPS Classe Ie um DPS Classe Il. Os DPSs devem estar em conformidade com a norma ABNT NBR IEC 6164: no item 6.3.5.2.4 “Selegdo dos DPS” da norma de instalagdes de baixa tensdo, que menciona as seguintes caracteristicas: -1 e selecionados conforme deserito Nivel de protesio Up A segio 5.4.2.3 da norma ABNT NBR 5410, “Selegao dos componentes da instalagao sob o critério de suportabilidade ds sobretensbes transitérias", auxilia na selego do nivel de proteso Up para DPS em fungo das cargas a serem protegidas, De acordo como item 6.3.5.2.4, “Selegio dos DPS”, da mesma norma, alinea 1) nivel de protecdo (Up) - O nivel de protecdo do DPS deve ser compativel com a categoria Il de suportabilidade a impulsos indicada na tabela 31. No caso de conexdes conforme 0 esquema 3, 0 nivel de protecdo exigido refere-se ao nivel global, isto é, entre fase e PE, Quando o nivel de protecdo exigido, qualquer que seja 0 esquema de conexdo, ndo puder ser atendido com um sé conjunto de DPS, devem ser providos DPSs suplementares, devidamente coordenados, de ‘modo que o nivel de protecdo requerido seja satisfeito” ‘Taneia 2 ~ SUPORTABILIDADE A IMPULSO EXIGIVEL DOS COMPONENTES DA INSTALAGAO raneia 31 os ABNT NBR 5410) Sed Cee ee ee eae Pee TS ae re eae Sistemas | Sistemas | Produtoaser | Produtoaser utilizado | Equipamentos | Produtos trifésicos | monofasices | utilizado na Coe Pet ee eos com neutro | entrada da | distribuigdo e circuitos ey instalagao ae Maxima tensio de operacao continua Uc ‘Dependendo da disposigo do esquema de aterramento, a tenso méxima de opera¢o continua Uc do DPS deve ser igual ou superior aos valores exibidos na tabela 49 da norma ABNT NBR 5410. Taneta 3 - Vaton minimo DE Uc exiciver Do DPS Em FUN¢AO DO ESQUEMA DE ATERRAMENTO (Taneis 49 04 ABNT NBR 5410) Dues eee IT com neutro | IT sem neutro distribuido | distribuido 4- Os valores adequados de U, podem ser signifcativamente superires aos valores minimos da tabela ‘Namero de polo: Dependendo do esquema de aterramento, é necessario prover uma arquitetura de DPS que garanta protegdo em ‘modo comum (MC) ¢ modo diferencial (MD). Tapes 4 ~ Anquierura be DPS em mono comum (MC) £ movo pirsrenciat (MD) Fase-neutro (MD) Recomendado 5 Recomendado Nao utilizado Fase-terra (PE ou PEN (MC) sim Sim Sim ‘sim Neutro a terra (PE) (MC) sim : Sim sim Figura 6 ~ DPSs 2P, 2P, 4P, IP+N e aP+N. Corrente nominal de descarga e corrente de impulso (limp) Segundo o item 6.3.5.24 da norma ABNT NBR 5410, corrente de impulso limp no deve ser inferior a 12,5 kA (forma de onda 10/35 ys) para cada modo de protegdo. Corrente nominal de descarga (In) Segundo o item 6.3.5.2.4 da ABNT NBR 5410, a corrente nominal de descarga In nao deve serinferiora S kA (8/20 41s) para cada modo de protegdo. Lembrando que, para determinara intensidade do DPS destinado a protegdo de uma instalagdo eléttica contra os efeitos das descargas atmostéricas (baixo risco, médio risco e alto risco), é necessério levar em conta os critérios proprios do local e as caracteristicas dos equipamentos a setem protegidos. Temos de avaliar: a probabilidade de queda de raios no local; a natureza da rede; a presenga de para-raio na instalacdo; © custo ea sensibilidade dos equipamentos; © custo da parada do equipamentos. Conexao Conexées de um DPS as cargas devem ser as mais curtas possiveis, de modo a reduzir o valor do nivel de protego (Up instalada) nos bomes do equipamento protegido. O comprimento total das conexdes do DPS a rede e 20 bloc de bomes de terra no deve exceder 50 em. ‘Uma das caracteristicas essenciais para protego do equipamento € 0 nivel de protesao maxima da tensdo (Up instalada) que 0 equipamento pode suportar nos seus bomes. Consequentemente, um DPS deve ser escolhido com ‘um nivel de protegao Up adaptado para protego do equipamento, O comprimento total dos condutores de conexdo é L= L1+L2+L3 (Figura 7). Para correntes de alta frequéncia, a impedancia por unidade de comprimento & de aproximadamente 1 jH/m. Portanto, aplicando a lei de Lenz a esta conexio: AU = L difdt. A corente de forma de onda 8/20 is normalizada, com uma amplitude de comrente de 8 kA, cria, consequentemente, um aumento de tensio de 1,000 V por metro de cabo. AU = 1x 10-6 x8 x 103 /8 x 10-6 = 1.000 V Letts l2+i3>