Você está na página 1de 2

QUIROMANCIA

grego quiro = mão e logia = estudo, ou seja, o estudo ou conhecimento adquirido através das mãos, pouco tendo a ver com a popular Quiromancia - do grego quiro

= mão e mancia = adivinhação, portanto, adivinhação através das mãos.

A explicação do parágrafo acima já deu o que falar, principalmente por pessoas

que se limitam a consultar um dicionário da língua portuguesa e encontram apenas o quiromancia, fazendo questão de parar por aí e muitas vezes discutindo

a respeito, simplesmente por não entenderem que o termo correto é técnico e,

portanto, não costuma aparecer em dicionários comuns (a exemplo da palavras navegar que para a Internet significa uma coisa, e nos dicionários comuns, temos outra). Esse mesmo equívoco é ainda tomado, infelizmente, por profissionais da própria área. O esclarecimento tem sido dado desde o início do século, mas até

hoje poucos entenderam

Abordei a questão apenas porque isso acaba confundindo quem quer iniciar, e por estar sendo mais uma porta a se abrir, pode acabar desistindo (pela confusão gerada), sem mesmo tentar ir adiante, apenas porque não entendeu algo simples logo no início.

Como se percebe ao longo do Site, a linha de pensamento aqui é o estudo, e não

a intuição (nada contra, muito pelo contrário), apenas por uma questão de

abordagem. Os vestígios ligados aos estudos das mãos remetem a 3.000 a.C., e as referências iniciais vêm da China, Índia, e Egito, até a Europa (em especial a Alemanha e Espanha), e América do Sul (um pouco mais na Argentina). Aqui no Brasil há ainda muita incredulidade, como em toda a área Alternativa, ficando seus estudos deixados para o entendimento mais místico que real. Aos poucos essa visão vai sendo alterada, mesmo pelos mais duros, principalmente porque até mesmo médicos tem usado suas informações, tendo a Quirologia contribuído em vários diagnóstico de doenças e até largamente aproveitada na área

psicoterapêutica.

Essa pergunta sempre surge, e minha costumeira resposta é: somente a Quem deu a Vida cabe o conhecimento de quando deverá tirá-la, e a ninguém mais. Por essa razão sempre insisto em mencionar que se por algum meio alguém consegue esse tipo de visão, deve procurar transformá-la em uma vibração de Luz, pois afinal se viemos até a Luz (a mãe traz uma criança à Luz) por que é que alguém ainda insiste em permitir que esse tipo de idéia tenha seu lugar entre nós?

Não se faz uma leitura da mão, mas sim das mãos, pois ambas irão dar, complementarmente, informações sobre a pessoa. E importante: inúmeros profissionais e autores afirmam sobre uma das mãos (sempre a mesma) conter aspectos hereditários enquanto a outra trazer os dados do caráter (ou características adquiridas com a vivência), e que ao encontrar-se um canhoto inverte-se a interpretação. Penso que no entendimento do Conhecimento Alternativo, as afirmações categóricas devem ser vista com desconfiança, pois o

Homem, na sua Grandeza, não pode ser visto através de uma ótica tão lógicas. Existem

Homem, na sua Grandeza, não pode ser visto através de uma ótica tão lógicas. Existem casos em que essa regra não se aplica, ensinando que sempre se deve estar atento antes de se concluir interpretações.

A análise é feita na mão como um todo, e não apenas nas chamadas linhas, ou seja, se vê o tamanho e formato da mão, dos dedos, das unhas, temperatura e textura da pele, sua cor, a parte carnuda da mão (os chamados

montes), etc., etc

transmitido de uma forma bem prática já que tudo está interligado, e uma coisa

invariavelmente levará a outra.

Apesar de muita coisa (parece, né ?) o assunto pode ser

Como são vários elementos de informação, pode-se ter uns afirmando ou mesmo contradizendo outros, por essa razão a Quirologia exige certo jogo de cintura por parte de quem a está aplicando e, claro, muita prática, exatamente por isso qualquer pessoa pode aprendê-la. Com toda certeza, a Quirologia é uma fonte segura de informação acerca de inúmeras características de uma pessoa, daí sua importância (semelhante às citadas na Numerologia) em aprender para melhorar o próprio caminho e auxiliar aquele que ainda está em busca do seu.

Como todo instrumento de apoio a Quirologia tem seus limites, aliado principalmente aos limites que tem está empregando a técnica. O bom senso pede que os casos específicos de orientação, em especial aqueles que exijam cuidados diferenciados recebam atenção psicoterápica, pedagógica, médica, ou a mais indicada no momento. Seja cauteloso(a) ao oferecer apoio ao próprio bem estar