Você está na página 1de 100
Professor pen hae ed dar NP) O1OboeJ01 0 aI Lo \G Tene) ones IC COM 0S GRANDES NOMES DA EDUCAGAO CRISTA NACIONAL E INTERNACIONAL: A) @l.e.e.3a.4 Mi AS Ee f AS INFORMACOES E INSCRICOES (21) 2406-7352 / 2406-7400 eer LIGOES BIBLICAS (Emre eat Sumario PROFESSOR er ‘As Obras da Carne e o Fruto do Espirito Como crente pode vencer a verdadeira batalha espiritual travada diariamente Lighoa ‘As Obras da Carne e o Fruto do Espirito Ligdo 2 0 Propésito do Fruto do Espirito igao3 -0 Perigo das Obras da Carne Ligd0 4 ‘Alegria, Fruto do Espirito; Inveja, Habito da Velha Natureza, Ligdo 5 Paz de Deus: Antidoto contra as Inimizades Ligdo 6 Paciéncia: Evitando as Dissensdes Ligso 7 Benignidade: um Escudo Protetar contra as Porfias, Ligao 8 A Bondade que Confere Vida Ligso9 Fidelidade, Firmes na Fé Liggo0 Mansid3o: Torna 0 Crente Apto para Evitar Pelejas Ligéo 13 Vivendo de Forma Moderada Ligéo 12 ‘Quem Ama Cumpre plenamente a Lei Divina Liggo 13 Uma Vida de Frutificag3o Ligdes Biblicas /Professor 2 19 26 33 40 48 55 2 6 76 83, 90 1 ~ Antonio Glberto e Cladlonor de Andrade ates sse) 9 Prezado professor, Com a graga do Senhor, estamos iniciando um novo ano e um novo trimestre. Vamos tratar a respeito do fruto do Espirito e das obras da came. E tempo de frutificar! Jesus afirmou quem est em mim, eeu nele, este Paes reeeerat a _ assim, toda drvore boa produz que entram por ela; ‘bons frutos, e toda drvore md produz 14 -E porque estreita é a porta, € | frutos maus. apertado, o caminho que leva a vida, eee re aercaien. 18 -Nao pode a drvore boa darmaus {rutos, nem a drvore md dar futos bons. 15 - Acautelai-vos, porém, dos falsos is profetas, que vém até vés vestidos | 19 -Toda drvore quendo dé bom fruto como ovelhas, mas interiormente sao corta-se e lanca-se no fogo. epee eerelagores 20 -Portanto, pelos seus frutos os 16 -Por seus frutos os conhecereis. conhecereis. HINOS SUGERIDOS: 83, 203, 252 da Harpa Crista OBJETIVO GERAL Compreender o real significado da frutificacao espiritual. OBJETIVOS ESPECIFICOS ‘Abaixo, 0s objetivos espectficos referem-se ao que o professor deve atingir em cada ‘Opico. Por exemplo, o objetivo | refere-se a0 t6pico com os seus respectivos subt6picos. ‘Mostrar que uma vida controlada pelo Espirito requer de nés um viver santo e uma verdadeira comunhao com Deus; © Ssber que o Espirito Santo molda o nosso caréter para sermos como Cristo; Apresentar o propésito do fruto e a necessidade de se ter uma vida produtiva, 017 -janelro/Fevere 0° s /Professor 13 + INTERAGINDO COM O PROFESSOR: Professor, na ligao de hoje estudaremos 0 propésito do fruto do Espirito. Este assunto € tao importante que o proprio Jesus reservou um tempo para ensinara respeito da drvore e seus frutos, ou seja, cada drvore deve produzir ‘rutos condizentes com sua espécie. Claramente Jesus buscava ensinar seus Seguidores a terem cuidado com os ensinamentos que divergiam do seu: pe- los frutos conhecemos aqueles que falam a verdade de Deus e aqueles falsos ‘mestres enganadores. Hoje ndo é diferente. Devemos examinar ndo s6 as palavras dos mestres, mas também as suas atitudes. Da mesma maneira que existe uma relacao entre as drvores e o tipo de fruto que produzem, aqueles que ensinam 0 que é correto tém um bom comportamento e um cardter ele- vvado; procuram viver de acordo com as verdades das Escrituras. Cuide para que seus frutos sejam condizentes com seu ensino. COMENTARIO _ INTRODUCAO, Na ligo de hoje, estudaremos 0 propésito do fruto do Espirito. Nas Es- crituras Sagradas, 0 vocébulo de modo que a pessoa nao tem mats vontade propria. Quando somos con- trolados pelo Espirito Santo, osnossos pensamentos, acdes e vontades passam a ser conduzidos por Sruto tem muitos significados _« PONTR, Ele. E lamentével, mas in- jue podem ser utilizados para ie 3 one Le Glorificamos a felizmente muitos crentes designar nossasagSesemott — peus quando pro» no buscam mais o poder vos.Veremosquelesus,nosso duzimas frutos do Espirito Santo, pois esto Salvador, morreueressuscitou Paranos ensinar ovalor de uma vida frtifera (Jo 12.24).Nés somos fruto do sacrificio de Cristo na cruz do Calvério, logo temos a responsabilidade de frutificer para. gléria de Deus. ~AVIDA CONTROLADA PELO ESPIRITO 4. O que significa ser controlado pelo Espirito? Significa ser cheio do Espi- rito Santo diariamente, nao somente aos domingos (Ef 5.18).Se quisermos viver de modo a agradar a Deus e produzir frutos para a sua gloria, precisamos ‘cumprir 0 imperativo biblico registrado em Efésios 5,18: "I... Mas enchel-vos do Espirito”. O verbo encher aqui remete também a ser controlado, dominado, 4 fesso condizentes com ‘a vida evista. mais preocupados com os bens desse mundo. Jesus nos advertiu a respeito de juntar te- souros na terra engo no céu (Mt 6.19,20). 2. Um viver santo. 0 Espirito Santo nos ajuda a ter uma compreensaome- thor de Deus e do seu Reino. Ele deseja nos ensinar a viver em novidede de vida, ‘em santidade, mesmo habitando em um mundo corrompido pelo pecado e dominado peto inimigo (1 Co 2.10-15), Para que uma planta produza frutos ela precisa alcancar um determinado nivel de maturacéo; isso também ocorre com o crente (Ef 4.13). Esse nivel de crescimento e maturagio s6 pode ser alcangado com a ajuda e 2 aco do Espfrito Santo. A vida frutifera é para ‘05 "maduros”. Quando os anos passam eo crente nao alcanca a maturidade espiritual, ele se torna vulnerével a0 pecado ea todo vento de doutrina, sendo enganado pela asticia dos que alegam falar em nome de Deus (EF 4.14). 3. Avverdadeira comunhdo. Vocé deseja ter uma vida de comunh3o com Deus? Entéo invista tempo no seu rela cionamento com Ele (0s 6.3). Ore, jejuee adore ao Senhor. A comunhio com Deus vai gerar emnés frutos excelentes que evidenciardo que o Pai habita em nos. Je- sus ordenou que seus discipulos fossem para Jerusalém para serem revestidos de poder (At 2.8). Ele sabia que, para dar continuidade a sua obra e produzir bons frutos, os discipulos precisariam desse revestimento de poder. SINTESE DO TOPICOT ‘Uma vida controtada pelo Espirito produzem nés um viver santo e uma verdadeira comunhdo com Deus. SUBSIDIO TEOLOGICO “Em Efésios 4.17—5.20, Paulo estabeleceu o contraste entre o 'an- "0 termo ‘fruto’é frequentemente usado de forma tes’ € 0 ‘depois’ da vida dos crentes. Embriagar-se com vinho era associedo com o antigo modo de vida e seus de- sejos egofstas, terminando, por fim, em contends, Isto ndo tem lugar na vida dos rentes. Além do mais, de acordo com Paulo, nés nao precisamos do alcool, pois podemos nos encher do Espirito, deixando que Ele nos controle. Paulo comparou a atitude de se embriagar ‘com vinho, que faz com que uma pessoa desfrute um éxtase temporério, com ser cheio do Espirito, que produz uma alegria permanente. O foco das palavras de Paulo aqui nao ¢ tanto a proibicao contra a embriaguez, pois 05 ctentes provavelmente jé o haviam entendido, mas incité-los a estarem continuamente cheios do Espirito e a viverem nEle, Todo mundo pode dizer quando uma pessoa est embriagada, Suas.agbes tornam isso dbvio, De manei- rasemelhante, a nossa vida deve estar 80 completamente sob o controle do Espirito, que as nossas palavras e ages mostrem, sem qualquer duvida, que ‘estamos cheios da presenca do Espirito Santo de Deus" (Comentario do Novo Testamento:Aplicacdo pessoal. 1.ed. Vol.2, Rio de Janeiro: CPAD, 2010, p.345) CONHECA MAIS *Fruto simbélica. As criancas s20 mencionadas como frutos (Ex 21.22; SL21.10) em frases como 'o fruto do ventre' (St 127.3; Dt 7.13; Le 1.42} e 0 “fruto do corpo’ (St 132.11; Mq ‘611.0 louvor époeticamente deserizo como fro dor {abios (ls 579; Hb 15.15), eas palavras de um homem ‘so chamadas de ‘fruto da boca’ (Pv 12.14; 18.20). O ermo truto'éaplicado 3s consequencias das nos- ‘sas ages e motivos: ‘Comerdo do fruto do seu caminho (ouprocedimento(Pv 1.5115 3.10) Para conhecer mais, lelaDiciond: |» rio Biblico Wycliffe, CPAD, \ P.824, ' ae 1017 -Janero/Feve Lids arblicas 1-0 FRUTO DO ESPIRITO EVIDENCIA O CARATER DE CRISTO EM NOS 1, 0 que é carster? Segundo 0 Diciondrio Houaiss, 6 a "qualidade inerente a um individuo, desde o nasci mento; temperamento, indole.” Nossas ages e frutos identificam o carater de Cristo em nés. Quem pela fé recebea ‘Jesus Cristo como Salvador passa por uma transformacgo interior, receben- do uma nova vida, ou seja, uma nova maneira de pensar e agir (2 Co 5.17). O carater de Cristo é evidenciado em nossas vidas por nossas acdes. 2. Cardter gerado pelo Espirito Santo. 0 Senhor Jesus afirmou que 0 Espirito Santo habitaria em nds (Jo 14.17). Ele, em nés, faz com que anossa natureza adamica seja destronada. 0 velho “eu” morte, por isso, temos con- digo de negarmos a nds mesmos (Mt 16.24). Precisamos ter consciéncia de que o Espirito Santo trabatha em nés, ‘no somente para nos conceder dons ¢ talentos, mas para nos transformar. Infelizmente, muitos no dao lugar 20 Espfrito, impedindo que Ele os trans- forme. 0 Consolador trabatha em nés ‘4 medida que the permitirmos. Deine o Consolador transformar todo o seu ser. 3.Um novo estilo de vida. Viver ‘em novidade de vida nao é facil, pois ‘© caminho que conduz a Jesus Cristo 6 apertado e exige renincia (Mt7.14). Infelizmente, muitos esto pregendo um pseudoevangelho que nao exige mais renincia e nem mudanga de vida, Nao podemos concordar com os falsos ensinos € 0s falsos discursos que tm sido disseminados, em especial nas redes sociais. Jesus disse que 0s falsos profetas tém roupas de ovelhas, mas so harpagés, isto é, sio como aves de rapina, logo precisamos ter cuidado (Mt 23.25). O alvo deles é destruir o reba- 16 Licdes Biblicas / rnho do Senhor e impedir que venhamos alcangar a vida eterna. Muitos, sob a influéncia de Satands, esto operando sinais e prodigios, imitando as obras de Cristo, porém seus frutos revelam que nao pertencem a Jesus Cristo. Como identificar 0 crente autén- tico? Ele pode ser identificado nao por aquilo que possui, mas por aquilo que 6.Suas acdes precisam revelar que ele esté em Jesus Cristo (Jo 15.4). Lembre- -se: no se conhece uma arvore pelas folhas, mas sim pelos frutos. ‘SUBSIDIO DEVOCIONAL “Por seus frutos os conhecereis’ (mt 7.15223) Ao longo das Escrituras,o frutoé um simbolo da obra transformadora de Deus nos crentes (cf. Is 5.1-7; Jo 15.4-11; GL 5.22,23).mbora o nosso relacionamento com Deus sea 'secreto’,o produto desse relacionamento é altamente vistvel! Mas aqui Jesus falou de reconhecer 05 falsos profetas pelo fruto amargo, Ele no sugeriu que comecéssemos a apertar ofruto dos crentes para ver se cera bom! Talvez a raz50 seja 0 fato de que o bom fruto precisa de tempo para ~amadurecer. A vida crsta produziré bons frutos—mas levaré algum tempo para ue esses frutos amadurecam. Devemos dar 20s outros —e anés mesmos —o tempo necessério para que 0 fruto de Deus amadureca, em vez de exigir evidéncias imediatas de sua obra em nossa vida" (RICHARDS, Lawrence 0. Comentario devocional da Biblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 561). Ill ~ TESTEMUNHANDO AS VIRTUDES DO REINO DE DEUS 1.0 prop6sito do fruto. Vocé nao foi salvo para somente frequentar a igreja, mas para revelar Cristo 0 mundo por intermédio de um viver santo, justo, em meio a uma sociedade comprometida pelo pecado (Fp 2.15}. Fomos “retirados” do mundo para que sejamos testemunhas (Is 43.10). Voc foi chamado para ser “luz” do mundo e "sal" da terra (Mt 5.14,15). Porém, n8o adianta pregar o Evangelho de Cristo endo viver segundo os principios do Reino (Mt 5. 1-12). Vocé precisa viver aquilo que prega e ensina se deseja uma vida e ministério frutiferos. 2. Uma vida produtiva, O crente precisa ter uma vida espiritual frutifera para que n3o seja arrancado, ceifado (J0 15.2). Quando um gatho é cortado endo é imediatamente enxertado, ou replantado, seca e morre. Vocé tem produzido frutos ou sua vida esta ‘como um galho seco? Nossos frutos revelam que pertencemos a Cristo e ‘© quanto aprendemos com o Ele (Le 6.40; Jo 15.8) 3.0 que fazer para manter a produtividade? Um bom agricultor se preocupa com o plantio, com 0 cultivo € com a produgao de fruto. Para que a lavoura tenha um bom desenvolvi- mento, o agricultor precisa adubar a terra, regar as sementes e retirar as ervas daninhas. € preciso inves- timento financeiro e muito trabalho. Nés também temos um Pai que cuida de nds para que venhamos a frutificar (Jo 15.1-5). sso significa que algumas vezes somos "podados”, ou seja, pas- samos por aflicoes e dificuldades. As afligGes nao sa0 para nos destruir, mas contribuem para que venhamos nos ‘tornar pessoas mais fortes, capazes de produzir frutos em abundancia. SINTESE DO TOPICO It O cristao deve frutificar sempre «fim de ter uma vida que a aDeus. __ SUBSIDIO TEOLOGICO “A frutificacdo espiritual segue o mesmo principio da frutificag3o que est revelado no primeiro capitulo de Génesis (Gn 1.11). "Joao Batista, precursor do Messias, exigiu dos seus convertidos: ‘Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento’ (Mt 3.8). Em Jo30 15.1-16, Jesus enfatizou este principio deixando claro aos seus seguidores ‘que para darem fruto exuberante para Deus, necessério & que antes crescam ‘em Cristo e nisso perseverem seguindo ‘05 ensinos da Palavra de Deus. Boas condigdes de crescimento e desenvolvi- mento da planta no reino vegetal, sem ‘esquecer da boa satide da semente e do meio ambiente ideal e da limpeza, sfo elementos indispensaveis para a boa frutificacao. £ também o que ocorre no reino espiritual, na vida do crente, na Igreja, para que haja em todos nos fruto abundante para Deus" (GILBERTO, Antonio. 0 Fruto do Espirito: A plenitude de Cristo na vida do crente. 1.¢¢,Rio de Janeiro: CPAD, 2004, p. 17) CONCLUSAO Precisamos ter uma vida frutifera € para isso precisamos estar ligados a Videira. 0 propésito dos frutos é glorificar ao Pai: “Nisto é glorificado meu Pai; que deis muito fruto; e assim seteis meus discipulos"(Jo 15.8). Bus- que ter um relacionamento pessoal com Cristo, seja cheio do Espirito Santo e produza muitos frutos para a gloria de Deus. Ligdes Biblicas /P EON lees PARA REFLETIR Arespeito do propésito do fruto do Espirito, responda: + 0 que significa ser controtado pelo Espirito Santo? Significa ser cheio do Espirito Santo diariamente. + Segundo a ligo, o que é necessério para que a planta produza frutos? Para que uma planta produza frutos ela precisa alcancar um determinado nivel de maturacao. =O que os discipulos precisavam para produzir bons frutos e dar con- tinuidade a obra de Jesus? Os discipulos precisariam ser revestidos de poder. + Como podemos identificar uma arvore? Através dos seus frutos. +O que é carter? ‘Segundo o Dicionério Houaiss, é @ “qualidade inerente a um individuo, desde o nascimento; temperamento, indole.” RSE Revista Ensinador Cristo - CPAD, n° 69, p. 37. Vocé encontrara mais subsidios. para enriquecer a ligo. So artigos que buscam expandir certos assuntos. SUGESTAO DE LEITURA Teologia doNovo Testamento Esta obreoferace uma nave | Paraseestudarumo lingua__| Umguia cominformactes Dercepeioecompreenssads | cemaneiracrieae fioisgica | eanalise de cada capiulo Eiscipinateologic, Seve-sesegulrateleteriade | dasibs ‘uma palavra ee i aaa ___TentoAureo—VerdadePrética “Vigil e ora para que nao entreis em ' viens garage Oremosevigiemos para que no ponies ceaee aie sejamos surpreendidos pelas obras oie da carne. s LEITURA DIARIA a 0 perigo da prostituicao, da O perigo da inveja, dos hor : impureza e da lasctvia das bebedices e das glutonarias O perigo da idolatria, das perigo fatal das feiticarias e das inimizades obras da carne 0 perigo das contendas, das Comovencer as disputas e das iras obras da carne LEITURA BIBLICA EM CLASSE Lucas 6.39-49 39 -E disse-thes uma pardbola: Pode, | 45 - 0 homem bom, do bom tesouro porventura, um cego guiar outro cego? do seu coragao, tira o bem, eo homem ‘Nao cairdo ambos na cova? mau, do mau tesouro do seu coracao, 40 - Odiscipulo ndo é superior a seu | "a @ mal, porque da abundancia do ‘mestre, mas todo 0 que for perfeito Seu coracao fala a boca, sserd como o seu mestre. 46 - Epor que me chamais Senhor, 41 -Eporqueatentas tuno argueiro que | Senor. e nao fazels o que eu digo? estd no olho do teu irmao endo reparas | 47 - Qualquer que vem a mim, e ouve nna trave que esté no teu préprio olho? | qs minhas palavras, e as observa, eu 42 - Ou como podes dizer a teu irmao: | OS mostrarei a quem é semelhante. Irmdo, deixa-me tirar 0 argueiro que | 4% - £ semethante ao homem que estd no teu olho, ndo atentando tu edificou uma casa, ecavou,e abr ‘mesmo na trave que estd no teu olho? bem fundo, e pds os alicerces sobre Hipécrita, tira primeiro a trave do teu rocha; e, vindo a enchente, bateu com olho e, entdo, verds bem para tirar 0 impeto.a corrente naquela casa endo argueiro que esté no olho deteu inmdo. | ¢ pede abalar porque estava fundada 43 -Porquendo hdboa vorequedémau sobre rocha fruto, nem md drvore que dé bom fruto. | 49 - Mas o que ouve e ndo praticaé 44 - Porque cada rvore se conhece | semelhante aohomem que edficou uma pelo seu proprio fruto; pois ndo se | casa sobre terra, sem alicerces, na qual colhem figos dos espinheiros, nem se | bateu com impeto a corrente, e logo vindimam uvas dos abrothos. cai; €foi grande a ruina daquela casa, HINOS SUGERIDOS: 419, 491, 530 da Harpa Crista _ OBJETIVO GERAL Explicar 0 perigo das obras da carne OBJETIVOS ESPECIFICOS _ AAbsino, os objetivos espectficos referem:se 20 que o professor deve atingir em cada topi- ‘o,Por enemplo, o objetivo | refere-se 20 pica com os seus respectivos sUbtOpices. Identificar o que é concupiscén- ia da carne; @ Mostrar o que € um caréter mot dado pelo Espirito; ‘Saber que uma vida que nao agrada a Deus vive segundo a camee éinfrutifera. 20 Licdes Biblicas /Professor janeiro/Feverelro/Mar + INTERAGINDO COM O PROFESSOR Professor, todo ensino deve provocar uma mudanca. Se ndo hé mudanca, 1ndo hd aprendizado. Seus alunos devem entender o perigo das obras dacarne erepudiarisso de suas vidas. Todos estdo sujettos a cairem nesse mal, masa partir do momento que o Espirito Santo tem o total controle sobre o crente, dificilmente as obras da carne terdo chance de se sobressair. A oracao ea vi- 4ilancia sao elementos fundamentais para a luta contra uma vida de pecado, considerando que para Deus nao hd tamanho de pecado. Pecado € pecadoe onto! O crente deve ouvir a Palavra e ser semelhante ao homem prudente: colocando em pratica tudo 0 que ouvir. Fazendo assim, permaneceremos irmes quaisquer que sejam as tempestades que possam assolar a nossa vida. COMENTARIO INTRODUCAO. Alico deste domingo é um alerta para os que querem agradar a Deus e ter uma vida frutifera. Estudaremos 0 perigo das obras da carne. Precisamos ter cuidado, pois dentro de todo algreja, explicando que, quem semeia nna carne, ou seja, vive segundo a velha nnatureza, da carne ceifaré corrupgao (Gl 6.8).Nossos desejos e vontades devem ser controlados pelo Espfrito Santo, pois os desejos da velha natureza crente habita duas naturezas: PONTO 580 impuros e nos conduzem anatureza adamica,a qual foi CENTRAL —_ para a morte espiritual. Coreompide na Quede,esnove | Ammreza 2. A vida guiada pela natureza, que é resultado da Sercontrolada _concupiscéncia da carne. regeneracdo, do novo nasci- pelo Espirito, _ Quem controla seus dese- mento (Jo 3.3). Veremos que a natureza adamica, se nao for controlads pelo Espirito, produz frutos que levam o crente& morte espiritual. 1~AVIDA CONDUZIDA PELA CONCUPISCENCIA DA CARNE 1. Aconcupiscéncia da carne. Vocé sabe o significado da palavra concupis- ‘Encia? Segundo o Dicionério Wycliffe, este é um “termo usado teologicamente para expressar 0s desejos malignos e lascivos que assediam os homens caidos” (Rm 7.8). A velha natureza, se nao for controlada pelo Espirito, leva-nos a cometer as piores agoes e abominagdes. Por isso, precisamos vi- giare viver constantemente chefos do Espfrito Santo (EF 5.18). Paulo advertiu jos? Temos anseios, mas es- tes precisam ser controlados Por Deus. Devernos submeter nossos pensamentos ¢ desejos ao controle di vino. O crente que nao tem uma mente conduzida pelo Espirito Santo torna-se ‘uma pessoa sem controle, sem qualquer deferéncia.A Palavra de Deus nos en- sina que precisamos mortificar nossa natureza (CL3.5). Mortificar é permitir que Deus controle nossos pensamentos, vontades ¢ acdes. Vivemos em uma sociedade hedonista, onde a busca pelo prazer tem feito com que muitos sejam dominados por desejos malignos, praticando, sem qualquer pudor, toda a sorte de impureza, e tudo em nome do prazer e da liberdade, Diante desse triste quadro, ¢Igreja no pode se ca- 21 Profes: lar, mas deve expressar suas virtudes ~anunciando a mensagem da salvacéo. 3. Avvida conduzida pela concu- piscéncia dos olhos. Longe de Deus sem o controle do Espfrito Santo, 0 homem manifesta seus desejos mais perversos, trazendo sérios prejuizos para os relacionamentos na igreja.e fora dela. Quando o homem se torna insen- sivel vor de Deus e a0 Espirito, sendo governado apenas por seus instintos, torna-se semelhante aos animais. Uma vvida conduzida pela vethanatureza leva as pessoas a olharem apenas para os prazeres momentaneos que o mundo oferece, nao atentando para o que é etemo. Davi vie desejou a mulher de Urias, ¢ 0 seu desejo descontrotado 0 levou a cometer um adultério e um ho- micidio (2 Sm 11.1-4). Ele nao atentou paraas consequéncias dos seus atos. 0 crente nao pode se deixar seduzir pelos prazeres deste mundo (1 Jo 2.15-17) SINTESE DO TOPICO! A.concupiscéncia da carne ea con- cupiscéncia dos olhos levam apessoaa viver uma vida fora dos padroesdivinos. “Algumas pessoas pensam que ‘© mundanismo esta limitado 20 com- portamento exterior — as pessoas ‘com quem nos associamos, 05 lugares que frequentamos, as atividades que apreciamos. O mundanismo é também interior, porque comeca no coragao, e€ caracterizado por trés atitudes: (1) a co- bica pelo prazer fisico—a preocupagso ‘com a satisfaco dos desejos fisicos; (2) a cobica por tudo 0 que vemos —almejar eacumular coisas, curvando-se ao deus do materialismo; ¢(3) 0 orgutho das nos- sas posses — obsessao pela condicSo, posig80 ou por ser importante. Quando a serpente tentou Eva (Gn3.6),tentou-2 nestes aspectos. Semelhantemente, quando o Diabo tentou Jesus no deserto, estas foramas trés reas de ataque (ver Mt 42-11). Em contraste, Deus estima o auto- controle, um espirito de generosidade, € co compromisso de servir com humildade. E possivel dar a impressio de evitar os prazeres mundanos e a0 mesmo tempo abrigar atitudes mundanas no coracéo. E também possivel, como Jesus, amar os pecadores e dedicar-lhe tempo, en- CONHECA MAIS: eer *Carnal Esta palavra aparece somente no Novo Testamento, embora 0 termo 'carnalmente’ seja encontrado trés ve~ :ze5 no Antigo Testamento, ‘Carnal’ aparece no Novo Tes- ‘tamento onze vezes,e ‘carnalmente" uma vez. ‘Carnal’ significa 'pertinente & carne’. O substantivo sarxsignifica basicamente o corpo de um animal ou de uma pessoa, ov, carne de um animal. No entanto, no Novo Testamento, ‘o termo ‘carnal’ algumas vezes esta literalmente relaci nado & carne, e algumas vezes & antiga natureza humana ‘corrompida por Adao, que é encontrada em todos 0s, omens.” Para conhecer mais, tia Dicionério Biblico Wycliffe, ‘CPAD, p.379. quanto mantemos um forte compromisso com os valores do Reino de Deus. Quais $80.05 valores mais importantes para voce? Suas ages refletem os valores de Deus ou 0s valores do mundo?” (Biblia de Estudo Aplicacao Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p. 1783-84). I-A DEGRADACAO DO CCARATER CRISTAO 1, O caréter. No grego, cardter é charaktére significa “estampa’,“impres- 50” e "marca". Contudo, é importante ressaltar que esta palavra tem diferentes significados em distintas ciéncias, como a sociologia e a psicologia. Segundo o Dicionério Houaiss é “um conjunto de tragos psicol6gicos e, ou morais, que caracterizam um individuo". O caréter 130 & inato e pode ser mudado. 2. Ocardter moldado pelo Espirito. Quando aceitamos Jesus e experi- mentamos 0 novo nascimento, nosso caréter passa por uma transformacéo. 0 Espirito Santo trabalha em nésa‘fim de que sejamos semethantes aesus. Mas para que essa transformacao aconteca precisamos nos submeter inteiramente a Deus, Se quisermos uma vida espiritual frutifera, precisamos dar oportunidade 20 Espirito Santo para que Ele trabalhe ‘em nossas vidas produzindo o fruto do Espirito (GLS. 22). N3o adianta apenas dizer que é crente, é preciso evidenciar © nosso caréter cristo mediante as rnossas ages (Mt 5.16). Muitos se dizem crentes, mas suas ages demonstram ue nunca tiveram um encontro real como Salvador. Muitos estao na igrela, mas ainda no foram realmente trans- formados por Jesus, pois quem esta em Cristo é uma nova criatura e como tal procure andar em novidade de vida, pois jé se despiu do velho homem, da natureza adamica (2 Co 5.17). Crentes que vivern causando escandalos, divi- 2017 s6es, rebeldias, jamais experimentaram e nove nascimento. 3, Ataques ao seu caréter. Em sua vida crista, vocé teré que lutar com tr8s inimigos que fardo de tudo para macular 0 seu cardter: a carne, o Diabo € omundo. Muitos acabam sendo ven- ‘idos por eles. Para enfrentare vencer ‘esses inimigos ¢ preciso ter uma vida de comunhao com o Pai. Enecessario rar, ler a Palavra de Deus e jejuar. Sem aleitura da Biblia, a oragao e o jejum nfo conseguiremos vencer e ter uma vida frutifera. SUBSIDIO TEOLOGICO "Eo Espirito Santo que produzfruto espiritual em nés quando nos rendemos sem reservas a Ele. Isso abrange nosso ‘spirit, alma e corpo e todasas faculda- des que os constitu. O crente que quiser manda na sua vida e fazer a sua vontade para agradara si proprio pode continuar como cristo, mas nunca seré vitorioso no seu viver em geral, enem ter8 jamais o testemunho do Espiritona sua consciéncia cristd de que est em tudo agradando a Cristo e fazendo o seu querer. O fruto do Espirito 60 caréter de Cristo produzido em 1s para quem nosso viver o demonstre- mos ao mundo. Caréter este sem jaca,como revelado nos tipos,sfmbolos,figurasee nas indimeras profecias messignicas do Antigo Testamento,enas diversas passagens do Novo Testamento que tratam do assunto, acomecar pelos Evangethos” (GILBERTO, Antonio. 0 Fruto do Espirito: A plenitude de Cristo na vida do crente.2.ed.Rio de Janeiro: CPAD, 2004, p.15-16). ides Biblicas /Professor 23 IN| UMA VIDA QUE NAO AGRADA A DEUS 1. Viver segundo a carne. Se 0 crente vive dominado pelos desejos carnais, ele ndo pode agradar a Deus (Rm 8.8). Fomos criados para glorificar a Deus e produzir o fruto do Espirito. Viver segundo a carne causa males e danos & nossa vida e para 0 nosso proximo, Paulo exorta os crentes da igreja de Corinto para que vivam no Espirito, pois alguns estavam vivendo segundo a carne, de modo que suas agoes eram evidentes: inveja, con- tendas e dissensdes (1 Co 3.3). Paulo deina claro que os que assim estavam vivendo nao poderiam agradar a Deus e ter uma vida de comunh3ono Espirito Santo. 2. Vivendo como espinheiro. Sa- bemos que a arvore ¢ identificada no por suas flores ou folhas, mas por seus frutos. Jamais vamos colher laranja de uma macieira, pots cada érvore produz © seu fruto segundo sua espécie (Gn 1.11). Logo, € impossivel um cristo dominado pelo Espirito Santo produzir as obras da carne. O homem bom tira de seu intimo, do seu coracéo trans- formado, coisas boas, mas 0 homem ‘mau tira do seu mau coracao pelejas, dissensdes, prostituigao, iras, etc. (Mt 7.18-22). Jotdo apresenta algumas arvores ‘em uma parabola para 0 seu povo (Jz 9.7-21).As arvores representam 0 povo de Siquem que desejavam um rel. Es- sas &rvores eram boas: uma produzia azeite que era utilizado na uncdo dos sacerdotes e iluminagao; outra pro- duzia figos que alimentava 0 povo: a videira produzia vinho, que era usado nos sacrificios de libacdes. Porém 0 espinheiro, arbusto indtil, representava Abimeleque. Muitos atualmente esto como Abimeleque, nao produzem nada 24 Ligdes Biblicas /Profe de Gtil para Deus ou para a proximoe ainda ferem as pessoas com seus es- pinhos. Quem vive segundo a carne se torna um espinheiro, indtil para Deus e para a lgreja. 3. Uma vida infrutifera. Certa vez, Jesus contou uma parabola a respeito de uma érvore estéril, uma figueira (Le 13.6-9). A figueira sem frutos refere- se primeiramente a Israel, porém ela ‘também pode ser aplicada aos crentes que professam a Jesus e, no entanto, insistem em viver uma vida carnal, pecaminosa. Na parabola, o agricuttor investe na figueira, adubando, regan- do, podando, ou seja, dando todas as condigBes para que produza fruto. Mas caso ela nao viesse a frutificar seria cortada. Deus esté investindo em sua vida e dando todas as condigoes para que voce produza bons frutos, aproveite a oportunidade. SINTESE DOTOPICO IM 0 propésito do cristo deve ser viver uma vida que agrada a Deus, ‘caso contrario, nao tem valor algum Professarafécrista. = - BSIDIO BIBLICO-TEOLOGICO Era um costume na Palestina anti- 8, assim como hoje, plantar figueiras e ‘ultras arvores nas vinhas. Era um meio de utilizar cada pedaco disponivel de boa terra. A figueira aqui, como em todoo simbotismo biblico,refere-se a Israel. [.JE{oi procurar nela fruto, néo ‘o.achando. Embora afigueira estivesse ra vinha, ela ndo tinha outro propésito a ngo ser dar fruto. Da mesma forma, Israel sé tinha uma razao para ocupar © primeiro ou qualquer outro lugar: cumprir a missao que the fora dada Janeiro /FevereirMarco 2017 por Deus. Visto que a figueira era in- frutffera, ndo teria o direito de existir; e visto que Israel se recusava a cumprir sua miso determinada por Deus, n3o tinha o direito de continuar” (Comen- CONCLUSAO ‘Quem vive segundo a carne no pode agrader a Deus. Ea vida sem Deus torna-se infrutifera. Longe do Senhor nos tornamos espinheiros, nos ferimos tério Biblico Beacon. 1.ed. Vol. 6. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 437-38). e ferimos ao proximo. Busque 8 Deus eseja uma arvore frutifera. PARA REFLETIR Arespeito do perigo das obras da carne, responda: + Qualo significado da palavra concupiscéncia? E um “termo usado teologicamente para expressar 05 desejos malignos € lascivos que assediam os homens cafdos.” + Para onde nossos desejos impuros nos conduzem? Nos conduzem para a morte espiritual. + O que acontece quando o homem deixa de ouvir a voz de Deus e passa aser guiado pelos seus desejos? (0 crente que nao tem uma mente conduzida pelo Espirito Santo torna-se ‘uma pessoa sem controle, sem qualquer deferéncia. + O que significa carater no grego? No grego, caréter é charaktére significa “estampa",“ +0 que é caréter? Segundo o Diciondrio Houaissé “um conjunto de tracos psicolégicos e, ou ‘morais, que caracterizam um individuo". “impressio” e "marca". CG Revista Ensinador Cristo -CPAD, n® 69, p.37. Vocé encontraré mais subsidios para enriquecer a licgo. S80 artigos que buscam expandircertos assuntos. SUGESTAO DE LEITURA Dicionsrio Horas Teologia fe Vine dare Sistemética eFinney Umesudoprofindo dos | Asverdadeiras historias de, | As comvczesteoleleso Drneipaistermos bibleas ‘ecu tolaeico. Slpuns dos matores vultos da rmoior evangelists desde os igraje de cristo fempos aposteios Texto Aureo _Verdade Pratica “Regozijai-vos, sempre, no Senhor; ‘uta ver doe: regres” Alegria foro sponta fependede crcunstancis. (Fp 4.4) LEITURA DIARIA i Segunda - Pv 14.30 Quinta—Rm 13.13 A inveja faz a alma adoecer Nao ande em dissolugdes, nem ‘fget Sos contendas e inveja ‘Ainveja gera rivalidades e Sexta—1.Co3.3 Prejudica 0s relacionamentos Nao seja um crente invejoso Quarta -Pv 3.31 Sabado -Tg 3.14 Nao tenhas inveja do Nao de Lugar inveja homem violento em seu coracao 26 Licdes 8: ___LEITURA BIBLICA EM CLASSE Jo50 16.20-24 20 - Na verdade, na verdade vos digo que v6s chorastes e vos lamentareis, eo mundo se alegraré, e vés estareis | tristes: mas a vossa tristeza se con- verterd em alegria. 21 -Amuther, quando esta para dar 4G luz, sente tristeza, porque é chegada | ‘a sua hora; mas, depois de ter dado | @luza crianca, jé se ndo lembra da | ‘fligao, pelo prazer de haver nascido | um homem no mundo, 22 - Assim também vés, agora, na verdad, tendes tristeza: mas outra vez vos vere.e 0 voss0 coragao se alegrard, | eavossa alegria, ninguém vo-la tirard. 23 -E, naquele dia, nada me pergun- tareis. Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, ele vo-lo hd de dar. 24 = Até agora, nada pedistes em meu nome; pedi e receberefs, para quea | vossa alegria se cumpra. HINOS SUGERIDOS: 188, 351, 400 da Harpa Crista OBJETIVO GERAL Explicar a alegria como fruto do Espirito e a inveja como obra da carne. _OBJETIVOS ESPECIFICOS ‘Abaino, 05 objetivos especificos referem-se ao que o professor deve atingir em cada ‘6pico. Por exempio,o objetivo |refere-se.ao t6pico | com os seus respectivos subt6picos. @ Mostrar que Deus é fonte da nossa alegri @ Entender que a inveja traz muitos males para o invejoso; (Saber que o crente tem alegria do Espirito apesar des circunstancias. 2017 -Janeio/Fevereio Marco Lg6es Biblicas /Professor 27 + INTERAGINDO COM O PROFESSOR: Professor, na lctio de hoje veremos a oposigdo entre um aspecto do fruto do Espirito euma das obras da carne: alegria xinveja. A alegria do crente existe ape- sar das citcunstancias. Paulo, mesmo aprisionado eacorrentado, estava cheio de ‘alegria porque, independente do que the acontecesse, Jesus estava com ele. Jd a inveja eo desejo de querer possuir 0 que o outro tem, pode levar a outros pecados como adultério e cssassinato;e difcilmente apessoa admitird o seu pecado. Acabe foi um exemplo. Além de invejar e desejar a propriedade de outra pessoa, ele se Tecusou a admitir o seu pecado contra Deus pois estava cego pela inveja e pelo 6dio, Orel acabou cometendo um assassinato contra Nabote. Que a alegria seja evidenciada em sua vida ea inveja ndo encontre oportunidade em seu coragéo. COMENTARIO INTRODUCAO Na ligdo de hoje, estudaremos a alegria, como fruto do Espirito, ea inveja, como obra da carne. Veremos que a alegria que sentimos, e que é resultado do fruto do Espirito, do Espirito nao tem espaco parao deséni- mo, melancolia ea inveja, Deus deseja que todos os seus servos sejam cheios de alegria, "pois. alegria do Senhor éa nossa forca" (Ne 8.10), Zacariasprofetizou acerca da entrada triunfalde Jesus, no depende das circunstan- cena em Jerusalém, dizendo que tal cias.Mesmo enfrentando gaewerema _ 2totrariaalegria(Zc 9.9}; Paulo dificuldades e tribulacées, alegria do Espi-_incitavaos crentes aserem ale- podemos ter alegria em "t@apesar das gres em todo 0 tempo (Fp 4.4) ‘eneunstan- nosso coracao. Estudaremos também a respeito da inveja, um sentimento terrivel que faz parte da natureza adamica. Veremos que tal sentimento no agrada a Deus e prejudica 0 proximo. I-ALEGRIA, FELICIDADE INTERIOR 4. Aalegria do Senhor. A alegria, como fruto do Espirito, ndo esté relacio- nada as circunstancias e ndo depende dos bens materiais. No texto de Joo 16.20-24, Jesus afirma que daria uma alegria permanente para os seus servos ‘de maneira que nada, nesse mundo, con- seguiria tiré-la, nem mesmo a morte. A alegria do Espirito é um estado de graca ede bem-estar espiritual que resulta da ‘comunho com Deus, Quem tema alegria 28 es Biblicas /Professor clas 0 salmista incentiva 0 povo a servira Deus com alegria(Sl100.2). Amaior alegria do crente est no fato de que seu nome jé foi escrito no Livro da Vida e que Jesus em breve voltaré. 2. Afonte da nossa alegria. Deus a fonte da nossa alegria e de todas as dédivas que recebemos (Tg 1.17). 0 methor presente que o Senhor ja nos concedeu foi a vinda de Jesus a este mundo € o seu sacrificio, na cruz, para perdao dos nossos pecados (Jo 3.16) Talvez vocé esteja enfrentando uma situagio diffcil e, por isso, est com © seu coragao triste e pesaroso. Mas creia que 0 Deus que néo poupou oseu réprio Filho daré a voce todas as coisas ‘que necesita para sua completa alegria no Espirito Santo (Rim 8.32). Os irmaos Janeito/Fevereito/Margo - 2017 do primeiro século, mesmo sofrendo, alegravam-se em Deus, e essa alegria deu-thes forcas para enfrentar toda a sorte de perseguigao. Paulo eSilas, depois de serem agoitados e presos, cantavam hhinos de louvor a Deus, mostrando que no estavam tristes ou amargurados pelo sofrimento (At 16.24,25). 3. AbéngSo da alegria. Diante dos embates e confitos da vida, ocrente em Jesus Cristonao perdea paz nema alegria, pois 0 seu regozijo vem da comunhao ‘como Pai. Essa comunhao éestabelecida mediante a oragéo, a leitura da Palavra eojejum, O crente vive por fé endo por circunstancias. O profeta Habacuque declarou que ainda que no houvesse provisao, ele se alegraria no Senhor e © exaltaria (Hb 3.17.18). Pertencer a0 Senhor e receber da sua alegria é um grande privilégio que nos leva aexaltar ‘eadorar ao Senhor em todo o tempo. _Aategra resulta de ter o Espirito ar ee SUBSIDIO TEOLOGICO. “0 fruto do Espirito é a obra es- ponténea do Espirito Santo em nés. 0 Espirito produz esses tracos de caréter {Que S80 encontrados em Cristo, e que so © resultado do controle de Cristo — no demos obté-los tentando consegui-los sem a Su ajuda, Se quisermos que 0 {rato do Espirito cresea em nés, devemos Unira nossa vida a déle (veja Jo 15.4.5). Devemios conhecé-lo, amé-lo, lembré-lo €imité-lo. Como resultado, cumpriremos ‘opropésito da lei —amar a Deus e aos homens. Quais dessas qualidades vocé quer que o Espirito produza em voce: (Manual da Biblia de Apticacao Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, p.41,42). 2017 -Janeito/Feversir/Marco I1=INVEJA, © DESGOSTO PELA FELICIDADE ALHEIA 1. Definigéo. Segundo o Dicionério Biblico Wycliffe“a palavra grege phtho- nos, que designa inveja” é utilizada em todo. Novo Testamento. A inveja é uma dor intensa (interior), diante do sucesso do préximo. Dor diante daquilo que é bom para 0 outro, por isso, Provérbios 114,30 diz que “a inveja é a podridio dos 05505". O invejoso se amargura e adoece emocionalmente pelo fato de ele no ter 0 que a outra pessoa tem. A inveja faz com que as pessoas se utilizem de atitudes mesquinhas e malévolas para prejudicar 0 outro. Definitivamente, a inveja € um sentimento negativo que pertence 8 natureza adamica. Esse sen- ‘timento perverso tema sua origem em Satanés, pois ele tentou ser semelhante ‘Deus (Is 14.12-20). 2. Inveja, fruto da vetha natureza. Aprendemos em Galatas 5.21 que a in- veja € obra da carne. Uma pessoa domi- nada pela carne nao mede esforcos para degradar as qualidades boas existentes lem outras pessoas. nfelizmente, muitos crentes ainda se deixam dominar por esse sentimento e acabam prejudicando algreja do Senhor e impedindo até que algumas pessoas se convertam. Que o Senhor livre os nossos coracdes dessa motivacdo perversa 3. Os efeitos da inveja. Ainveja mais traré bons resultedos, pois € nociva € destruidora, Esse sentimento leva as pessoas a cometerem toda a sorte de . maldade. Tomemos como exemplo os itmaos de José. Foi por inveja que eles ‘ovenderam como escravo aos merca- dores (Gn 37. 28). Alguns dos conflitos existentes entre Raquel e Lia também surgiram por causa da inveje de Raquel (Gn 30.2). A inveja que Saul passou a alimentar em relagao a Davi levou-o a adoecer mental e espiritualmente sor 29 Lgées Biblicas /Prof (1 Sm 18.7.8). Fez também com que ele perseguisse e desejasse matar a Davi (1 Sm 18.10,11). Quantos nao esto sendo também perseguidos e até "mortos” pela inveja. Ela separa os irmaos, destroi as familias eigrejas. Em o Novo Testamento, vemos que o Fitho de Deus foi preso e tevado a Pilatos por inveja dos sacerdotes (Mt 27.18). Paulo alertou a Timéteo e a Tito a respeito desse sentimento nefasto (1 Tm6.4; 1¢3.3).A inveja é obradacarnee somente encontra guarida nos coracées daqueles que ainda sdo dominados pela vetha natureza e nao pelo Espirito Santo. SINTESE DO TOPICO Il A inveja pode facilmente lévar a ‘outros pecados e demonstra falta de confianca em Deus. _SUBSIDIO DIDATICO “Cobicar 6 desejar a propriedade de outras pessoas. N3o devemos fixar nossos desejos em nada que pertenca a outra pessoa. Nao apenas esses desejos ‘nos fariam infelizes, como também pode nos levar a cometer outros pecados, como adultério e roubo. Invejar os ou- tros € um exercicio instil, porque Deus pode propiciar tudo 0 que realmente necessitamos, mesmo se no nos der sempre tudo 0 que queremos. Para deixar de cobicar, precisamos praticar ‘© contentamento com 0 que temos. O apéstolo Paulo enfatiza a importancia do contentamento em Filipenses 4.11. € uma questo de perspectiva. Em vez de penser no que nao temos, devemos agradecera Deus pelo que Ele nos dev, e nos esforcar para ficar satisfeitos. Afinal, o nosso bem mais importante & gratuito e esté disponivel a todos—a vida eterna, que s6 € dada por Cristo” (Manual da Biblia de ApticacSo Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2033, p.462). I-A ALEGRIA DO ESPI E PARA SER VIVIDA 1. Aalegria no viver. Nao tenha medo de sorrir e de desfrutar da feli- Cidade que Cristo nos oferece. Nao se ‘esqueca de que Jesus veio a0 mundo para nos dar vida abundante, mesmo ITO CONHECA MAIS A palavra greg chara, que traduzimos por'goz0! ‘oualegria, inclu aideia de um delete ativo. Paulo fala emregozijar-se na verdade (1 Co 13.6).Otermo também estéestreitamenteligado&esperanca. Paulo fala em regoziar senna esperanca (Rm 12.12).6 ex ppectativa positiva de que Deus est3 operandona vida dos nossos rmios na f, uma celebragdo da nossa futuravitoria total em Cristo. Alegria 6 0mago da adoragio. Os deveres pesados 520 transformados em deleite,o ministerio éelevadoa um plano maisaltoe a operacao dos dons torna-secntilante com essa ale- ara Para conocer mas a Teta 30. Ligdes Biblicas /Professor *"Goz0 Janeiro/Fevereto/Marco 2017 enfrentando tribulagées (Jo 10.10). O Senhor Jesus disse que, no mundo, terfamos afligdes, mas Ele nos exortoua ter bom animo (Jo 16.33). Jesus deseja que tenhamos vit6ria sobre as afticbes etristezas. 2, Alegria no servir. Servir a Deus € 20 proximo é um privilégio, por isso, 0 fazemos com alegria ($1 100.2). Muitos querem ser servidos, mas precisamos seguir 0 exemplo do Mestre. Ele de- clarou que nao veio a0 mundo para ser servido, mas para servir (Mc 10.45). Jesus serviu aos seus discfpulos, aos pobres e necessitados. Sua alegriae desprendimento para o servico era resultado da sua comunhao como Pai. 0 Todo-Poderoso também se alegrou com as obras do Filho (Mt 3.16,17). 3. Alegria no contribuir. Vocé tem entregue seus dizimos e ofertas com alegria? Contribuir para a expansao do Reino de Deus é uma alegria e um privilégio. Pauto ensinou aos corintios a contribuirem no com tristeza ou por obrigacéo, mas com alegria, pois Deus ‘ama ao que oferta com contentamento (2.€09.7). 0 que agrada ao Pai no €0 valor da nossa contribuigao, mas a dis- posicao do nosso coragio (Lc 21. 1-4). Nossas ofertas e dizimos sao uma forma de louvor e gratid80 Deus por tudo que Ele fez, tem feito e fara em nosso favor. Nao entregue suas ofertas para ser visto pelos homens ou para barganhar com Deus, buscando ser abencoado de alguma forma. Entregue a Deus 0 seu methor com alegria, pois voce foi e é abencoado por Deus. 0 Senhor merece ‘nosso melhor. 66== Servir a Deus ea0 proximo & um privilégio, por isso, o fazemos com alegria. 4 = __ SUBSIDIO BIBLIOLOGICO 0 contentamento é um dom de Deus Voce estésatisfeito, adespeito das circunstancias que enfrente? Paulo sabia como ficar contente, quer tivesse abun- dancia ou estivesse em necessidade. O segredo era buscaraforcae a resisténcia no poder de Deus. Vocé tem grandes necessidades ou esté descontente por- que no tem o que deseja? Aprenda a confiar nas promessas de Deus e no poder de Cristo para ajudar vocé a ficar satisfeito e contente. Se vocé sempre quer mais, peca que Deus remova esse desejo e lhe ensine o contentamento em cada circunst8ncia. Ele supriré todas as suas necessidades, mas de ura maneira que Ete sabe que é methor para voce. [J] Paulo estava contente e satisfeito, porque podia ver a vida do ponto de vista de Deus. Ele se concentravano que deveria fazere nono que achava que deveria ter. Paulo tinhas as prioridades corretas eera grato por tudo o que Deus the dera. Ele havia se separado do que nao era essencial, para que pudesse se concentrar no que & eterno” (Manual da Biblia de Aplicacio Pessoal. 1.ed.Riode Janeiro: CPAD, 2013, pp.165,164). CONCLUSAO Que a alegria, como fruto do Espfri- to, eja derramada em nossos coracdes, mesmo enfrentando lutas etribulacdes que jamais venhamos permitir que a inveja tenha lugar em nossos coracées. Que amemos a Deus e ao proximo, ale- grando-nos com o seu sucesso. fessor 31 Ides Biblicas /Pr ANOTACOES DO PROFESSOR PARA REFLETIR Arespeito da alegria, fruto do Espirito e da inveja; habito da velha natureza, responda: + Segundo a licdo, o que é a alegria do Espirito? Alegria do Espirito é um estado de graca e de bem-estar espiritual que resulta da comunhSo com Deus. + Qualéa fonte de nossa real alegi Deus é a fonte da nossa alegria e de todas as dadivas que recebemos. + Defina inveja. . Ainveja é uma dor intensa (interior), diante do sucesso do proximo; “a inveja é a podridéo dos ossos". Definitivamente, a inveja é um sentimento negativo que pertence & natureza adamica. + Ainveja é resultado do qué? Ainveja é fruto da velha natureza. + Como deve ser a nossa contribuicao? Devemos contribuir nao com tristeza ou por obrigacéo, mas com alegria, pois Deus ama ao que oferta com contentamento. Revista Ensinador Cristéo - CPAD, n° 69, p.38. Vocé encontraré mais subsidios para enriquecer a lico. Sao artigos que buscam expandir certos assuntos. SUGESTAO DE LEITURA A ** seittien 1 Pa Hidade jsantidede | A%ACADO Abragado Billy 2 oa | i “Deixo-vos a paz, a minhe poz vos dou: ‘ndo vo-a dou como 6 mundo a dé. No seturbe 0 vosso coragao, nem se atemorize” (J0 14.27) Segunda-Sl 4.8 ‘paz de Deus nos faz repousar em seguranca Terca-Sl34.14 Aparte-se do mal e siga a paz Quarta~Sl119.165 Os que amam a lei de Deus tém paz 2017 -janeto/Feveceto/Mareo __Verdade Pratica ‘paz, como mute do Espirito, nao promove inmizadese dissensoes, j Quinta~ts 9.6 | 2s5us @o Principe de Paz | Sexta—10 16.33 Em Jesus Cristo encontramos | apaz verdadeira | S8bado~ Rm 12.18 ‘Se possivel, viva em paz | com todos Licdes Biblicas /Professor 33 LEITURA BIBLICA EM CLASSE Efésios 2.11-17 1) -Portanto, lembrai-vos de que v6s, noutro tempo, éreis gentios na carne e chamados incircuncisao pelos que, nna carne, se chamam circuncisao feita pela mao dos homens; 12 - que, naquele tempo, estaveis sem Gristo, separados da comunidade de Israel e estranhas aos concertos da promessa, ndo tendo esperanca esem Deus no mundo. 13 - Mas, agora, em Cristo Jesus, v6s, queantes estdvels longe, jd pelo sangue de Cristo chegastes perto, 14 - Porque ele éa nossa paz, o qual de’ ‘ambos os povos fez um;e, derribando a parede de separacdo que estava no meio, na sua carne, desfez a inimizade, isto 6, lei dos mandamentos, que consistia em ordenancas, para criarem simesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, 16 -e, pela cruz, reconciliar ambos ‘com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. 17 -E, vindo, ele evangelizou a paz a vés que estdveis longe e aos que estavam perto; HINOS SUGERIDOS: 178, 245, 474 da Harpa Crist OBJETIVO GERAL Compreender que a verdadelra paz s6 pode ser encontrada em Jesus. OBJETIVOS ESPECIFICOS [Abaino, 0s objetivos espectficos referem-se ao que o professor deve atingir em cada t6pico, Por exemplo, objetivo refere-se ao tépico coms seusrespectivos subtopicos. @ Mostrar que depois de receber a paz de Cristo, o crente deve transmiti- -laas outras pessoas; © Explicar que existem ers tipos de inimizade eo seu alvo é destruira unidade da lgreja de Cristo; (] Saber que temos a miss#o de anunciar o evangelho e para isso precis- amos ter paz com todos. 34 Licdes Biblicas /P * INTERAGINDO COM O PROFESSOR Professor, nesta ligao vocé terd a oportunidade de tratar com seus alunos a respeito da paz, fruto do Espirito, em oposi¢do a inimizade, como obra da carne. Sabe-se que paz é a auséncia de guerra. Vivemos tempos trabalhosos. Em muitos centros urbanos a violéncia s6 aumenta eas cidades do interior também tém experimentado este aumento. Na esfera mundial, temos ob- ‘servado muitas guerras (de cunho religioso) no Oriente Médio. Em Jesus, temos paz. Nao estamos falando da paz que o mundo ofe- rece. Estamos falando de uma paz que excede todo entendimento; uma paz com Deus que, mesmo em um mundo cheio de guerras e conflitos, podemos afirmar que vivemos em paz. A verdadeira paz resulta da fé em Deus, porque somente Ele incorpora todas as caracteristicas da paz. Para encontrar a paz de espirito e a paz com os outros, vocé precisa encontrar afé com Deus. INTRODUCAO Naligdo de hoje, estudaremosa paz como fruto do Espirito ea inimizade COMENTARIO adoegam. Ultimamente, temos visto ‘© aumento da chamada Sindrome do Panico, ou seja, um transtorno da como fruto da carne.Ohomem PONTO. : a Pe giniopdnnbwreann Cem onal nesnogeno ode sentir a paz que Jesus | oferecemgode . te, A pessoa acometida por Cristo nos oferece. Essa paz pendede siua- 2. 8 Pessoa acometida Ps circunst8ncias. Mesmo vivendo ‘emma sociedade violenta, pode- mos ter paz, pois aserenidade que temos lem nossos coragies € fruto do Espirito, ¢ no depende das circunstancias ou dos recursos financeiros (Gl 5.22). 1-APAZ QUE EXCEDE TODO ENTENDIMENTO 1. Paz. Podemos definir paz como um estado de tranquilidade e quietude interior que nao depende de circuns- ‘t8ncias externas. No grego, o vocdbulo paz é eirenee refere-se 8 unidade e harmonia. Vivemos em uma socieda- de onde a violéncia tem feito muitas vitimas e tirado a tranquilidade das pessoas, fazendo com que as pessoas 2017 lneir/Feverero/Marco acometido por esse mal precisa do acompanhamento de um psiquia- tra, terapia e 0 carinho ea compreensso dos familiares e da igreje. 2. Paz com Deus. Como podemos estar em paz com Deus? Sé existe uma maneira para estarmos em paz com 0 nosso Criador: mediante a nossa justifi- cacao. Ajustficagao ocorre quando nés, pela fé, recebemos Jesus como nosso tinico e suficiente Salvador. Ent8o, so- mos declarados justos diante de Deus (Rm 5.1). Quando recebemos Jesus, a inimizade que havia entre nés e Deus € desfeita, somos reconciliados como Pai e passamos a desfrutar de plena paz e comunhao com Ele (2 Co 5.18-20).A icées Biblcas /Professor 35 nossa justificacdo, e reconciliagao ea paz com Deus somente s30 possiveis por meio da morte e ressurreicdo de Jesus Cristo (Is 53.5; Ef 213-17). +3. Promotor dapaz. O crente quejé recebeu a paz de Deus, em seu coracdo precisa partilhar dessa paz com todos os {que estdo aftitos,tomendo-se um embai- xador da paz((2 Co 5.20). A paz concedida pelo Espiritonao¢ somente para onosso bem-estar, mas também para o bem do préximo. Nao podemos nos esquecer que ‘amar ao semelhante é um mandamento ddoPai(Mt22.39). Quem jé experimentou a justificagdo e a reconciliac3o com Deus toma-se um pacificador (Mt5.). Ele ndo ive em brigas e contendas, nao divide igrejas endo maltrata as pessoas. Isaque cera um erdadeiro pacificador, um homem de paz. Mesmo sendo prejudicado por ‘seus vizinhos que entulharam seus pocos, no brigou, mas procurou areconciliag3o (Gn26.19-25).0s confitos, sejanalgreja ou fora dela, séo resultado da natureza adamica, mas os que vivem segundo Espirito jé crucificaram a sua carne e, ‘agora, procuram viver pacificamente com todos (im 12.18). Paz CONHEGAMAIS SINTESE DO TOPICOI Ocrente deve buscar a verdadeira pazmediante a justificacdo, em Cristo, pelafé. _SUBSIDIO TEOLOGICO “Cristo, nossa paz, forma o novo homem Ao sintetizar tudo 0 que Deus fez na salvaco por intermédio de Cristo, Paulo diz que Cristo 6 a fonte da nossa paz (2.14-18). No contexto de Efésios, isso no quer dizer que Cristo sejaafonte da paz interior, mas que Ele 60 meio de reconciliagdo entre judeus e gentios e entre os membros da nova comunidade € Deus. 0 objetivo da salvacao nao é apenas fazer com que os individuos estejam corretos diante de Deus, mas também que estejam corretos uns com os outros. A medida que Deus, porinter- médio de Cristo, une judeuse gentios,a reconciliacéo opera de forma triangular entre os trés. deus e gentios, quando entram na nova comunidade, no deixam com Deus Ha uma transformagao na vida do pecador quan- ddo passa a ser um crente verdadeiro, nao importando ‘que tenha sido anteriormente, Sendo justificado pela fé, tem paz com Deus. 0 Deus santo e justo nao. pode estar em paz com um pecador enquanto este cestiver sob a culpa do pecado. Ajustificacao elimina a ‘culpa, e assim abre caminho para. paz Esta é conce- ddida por meio de nosso Senhor Jesus; por meio déle como 0 grande Pacificador, e Mediador entre Deus © 0 homem. 0 feliz estado dos santos ¢ o estado de grace, Somos levados a esta graca. Isto significa que nao nas ‘cemos neste estado." Para conhecer ‘mais, leia Comentério Biblico de Matthew Henry, 36 Ligdes Biblicas /P CPAD, p. 925. de ser quem eram; todavia, agora, eles podem atuar juntos, lado a lado, como evidéncia do amor transformador e concitiador de Deus (1.Co 7.17-24; Rm 14—15). Essa obra de reconciliagao é ‘fundamento para a nova comunidade ‘que Deus est edificando por intermédio de Cristo. Por isso, a0 longo de Efésios 2.11-22, 0 termo dominante e repetido 0 prefixo syn (‘juntos’). Deus formou tuma nova unidade, na quale diz que Ele de dois criou ‘um novo homem(ZUCK, Roy B. Teologia do Novo Testamento, :L.€d, Rio de Janeiro: CPAD, 2008, p.347). I~ INIMIZADES E CONTENDAS, ‘AUSENCIA DE PAZ 1. Trés tipos de inimizades. No grego, a palavra inimizade echthra, Esse vocdbulo serve para identificar trés tipos de inimizade. Vejamos: inimizade para com Deus (Rm 8.7),inimizade en- tre as pessoas (Lc 23.12) e hostilidade entre grupos e pessoas (EF2.14-16). Em Galatas, Paulo apresenta a inimizade, as contendas eas disputas como obras da carne (GL5.20). 2. nimizade e soberba. A inimize- de, em geral é resultado da soberba. Por isso, 0 Senhor abomina 0 coracéo altivo (Pv6.16,17). Quando o crente comeca acreditar que é superior aos outros, ele torna-se um “semeador” de inimizades e contendas. Na lgreja de Cristo, todos sBo servos, independente de seus dons e talentos. Paulo mostra que em Jesus Cristo todos s80 iguais: "Nisto nao hé judeu nem grego; nao ha servo nem livre; nao hé macho nem fémea; porque todos v6s sois um em Cristo Jesus” (Gl 3.28). As inimizades e segregacdes 580 um “produto” da carne, de uma natureza pecaminosa. Deus proibe a acepcao de pessoas e toda a sorte de inimizades. Logo, 0s que promovem tais ages ndo podem agradar a Deus 2017 -Janeiro/Fevereica/Marco (At10.34;Tg2.8,9).0 crente que assim age é carnal e precisa arrepender-se dos seus pecados (1 Co 3.3). 3. Inimizade e faccao. As inimiza~ des, muitas vezes, acabam gerando na igreja as faccoes e divisdes. Muitos, no se contentam em no se relacionar bem comas pessoas e acabam fazen- do com que os outros também nao tenham comunhao entre si. Na igreja de Corinto, os irmaos comecaram a se dividir e formar partidos em torno de Paulo, Apolo e Cefas. Uns diziam que ertenciam a Paulo, enquanto outros a Apolo (1 Co 1.12). Paulo dé fim a discussio e as inimizades perguntan- do 20s irmaos: “Esta Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por v6s?" (1 Co 1.13). 0 apéstolo exorta-os para o fato de que pertencemos unicamen- tea Cristo. Ese pertencemos a Ele no podemos aceitar as inimizades © 25 faccdes. A inimizade é obra da camnee seu alvo é destruir a unidade na Igteja do Senhor, mas o crente que tem 0 fruto do Espirito busca 0 bem de todos, procurando manter 0 vinculo da perfeig80, estendendo as mos para ajudar e tratando a todos com amor e respeito (CL3.13,14). Que vocé como Filho de Deus possa se revestir de entranhas de misericérdia e de benignidade como recomenda as Escrituras Sagradas (Cl 3.12). SUBSIDIO TEOLOGICO "Aunidade ao redor da pessoa de Jesus Cristo deve ser mantida Por que so to prejudiciais as ‘murmuracdese as contendas, as queinase Ligdes Biblicas /Professor 37 as discusses? Se tudo o que uma pessoa conhece arespeito de uma igrejaé fato cde que os seus membros discutem,recla- ‘mame fazem intrigas constantemente, ela teré uma falsa impressao do Evangelho de Cristo. Acrenga.em Cristo deve uniros ‘que confiam néle. Seas pessoasnanossa igreja esto sempre reclamando.e discu- tindo,elas no tém o poder unificador de Jesus Cristo. Deixe de discutir com outros ‘ristdos, ou de se queinar sobre as pessoas ‘eas condigies na igreja.e permita que o mundo veja Cristo” (Manual da Biblia de ‘Aplicacdo Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, p.260). |= VIVAMOS EM PAZ 1. 0 favor divino. Paulo exorta os gentios para que sejam sempre gratos a Deus, pois eram zambujeiros e foram enxertados na oliveira (Rm 11.17). Aos judeus, ele pede que ndo se esquecam de que foram colocados por Deus no mundo para abencoar as outras nacoes (Gn12.3).0 apéstolo estava mostrando que, em Cristo, gentios e judeus so ‘iguais, porisso, devem viver em paze unidade. Vivamos em paz com todos fe jamais venhamos a nos esquecer de que fomos alcancados pela graca divina, pois é esse favor divino que nos leva a amar o préximo e a viver ‘em paz e uniao (St 133.1). 2. A cruz de Cristo. A cruz é um dos simbolos mais conhecidos do cristianismo, pois, mediante a fé no sa- criffcio de Jesus, somos reconcitiados com Deus. Se Cristo ndo morresse na cruz pelos nossos pecados estariamos para sempre separados da presenca Deus; nao deixariamos de ser inimi- gos dEle. Jesus morreu na cruz por amor ands e mesmo diante de uma morte to cruel, Ele nao abriv a sua boca para reclamar ou dizer palavras ofensivas aos seus algozes (Is 53.7; 38 Licdes Biblicas /Professo: Jo 3.16). Jesus permaneceu quieto durante seu julgamento e castigo. Ele demonstrou ter paze equilibrio ‘emocional mesmo vivendo uma situa- (40 to terrivel. Ele sabia o porqué de sua misao e que 0 seu sacrificio era necessério para que pudéssemos nos reconciliar com Deus. 3. Anossa missao. Jesus veio 20 mundo com uma missao, morrer na cruz pelos nossos pecados. Ao ascender aos céus, Ele também nos deu uma missa0 (Mit28.19,20). Para darmos cumprimento a essa missao, precisamos viver em paz com todos. Anunciemos ao mun- do que somente Jesus pode nos dar a verdadeira paz, pois Ele € 0 Principe da Paz(Is9.6). SUBSIDIOTEOLOGICO “Salmos 133.1-3 Davi declarou que a unigo é agrads- vel e preciosa. Infelizmente, a unigo que deveria ser encontrada na lgreja nem sempre o 6. As pessoas discordam e causam divisdes por causa de assun- tos sem importancia. Alguns sentem prazer em causar tensa, depreciando e desacreditando os outros. Masa unio é importante porque: (1) faz da igreja um ‘exemplo para o mundo e ajuda a aproxi- rmaras pessoas do Senhor; (2) ajuda-nos a cooperar conforme a vontade de Deus, antecipando um pouco do gozo que teremos no céu; (5) renova e revigora o rministério, porque existe menos tens8o para extraira nossa energia. Viver em unio nao significa que concordaremos com tudo; havers Janiv/Feverer/Margo = 2017 muitas opinides, da mesma maneira CONCLUSAO ue existem muitas notas em um acorde musical. Mas devemos concordar em ___ Apazde que tratamos nesta licdo nosso propésito na vida: trabathar €fruto do Espirito. Mesmo em meio 8s. juntos para Deus. unio refiete anossa adversidades, podemos ter paz, pois € concordancia de propésitos” (Biblia uma quietude interior que vern de Deus. de Estudo Aplicacao Pessoal. Rio de Que vocé possa ser um pregoeiro da paz Janeiro: CPAD, 2003, p.822) de Cristo, seja na Igreja ou fora dela. PARA REFLETIR: Arespeito da paz de Deus, antidoto contra as inimizades, responda: + Defina paz. Um estado de tranquilidade e quietude interior que no depende de cir- cunstncias externas. + Como podemos estar em paz com Deus? Mediante a nossa justificacao. + Quando ocorre a justificaco? Quando nés, pela fé, recebemos Jesus como nosso dnico e suficiente Salvador. +O que torna a nossa justificacdo possfvel? Amorte e ressurteicao de Jesus Cristo. + De acordo com a licSo, quais s0 0s tipos de inimizades? Inimizade para com Deus (Rm 8.7), inimizade entre as pessoas (Lc 23.12) € hostitidade entre grupos e pessoas (Ef 2.14-16). Tay Revista EnsinadorCristao - CPAD, n® 69, p. 38. Voc8 encontraré mais subsfdios Para enriquecera liga. S80 artigos que buscam expandir ertos assuntos. SUGESTAO DE LEITURA ‘Abernadura antes que Douteinas Espriuat Noite Venha Biblicas Descudeaaspacerosas mas | ntenda através esta obra Estudos aprotundados sobre ‘dsetesos 620-28. 20s que aeslaahumanidode, tomas etevantes eindispen- ‘Svein creo, 39 40 Ligdo,6 . Parcs Paciéncia: Evitando as Texto Aureo Verdade Pratica ‘Alegrai-vas na esperanca, sede pa- __Apaciéncia, como fruto do Espirito, ‘lentes na tribulagao 1." éumantidoto contra a ansiedade (Rm 12.12) ‘20s dissensbes. LEITURA DIARIA Segunda ~ Rm 16.17 Quinta—Rm 13.13 Evitando as dissensoes Fugindo das contendas Terga—1Co 1.10 ae Evitando os que promovem Sexta=GL5.20 dissensoes [As dissensbes so obras da carne Quarta~1Co 11.18 Sabado~Gl5.26 Nao promover dissensdes Nao cobicosos de vangloria LEITURA BIBLICA EM CLASSE Tiago 5.7-41 - Sede, pois, irmaos, pacientes até avinda do Senhor. Eis que 0 lavra- dor espera o precioso fruto da terra, ‘aguardando-o com paciéncia, até que receba a chuva tempord e serédia, = Sede vés também pacientes, for- talecei o vosso coracao, porque jé a vinda do Senhor esta proxima. - Irmdos, ndo vos queixeis uns contra 05 outros, para que nao sejais con- denados. Eis que 0 julz estd a porta, Meus irmdos, tomai por exemplo de aflicao e paciéncia os profetas que {falaram em nome do Senhor. - Fis que temos por bem-aven- turados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciéncia de 16 e vistes 0 fim que 0 Senhor the deu; porque ‘0 Senhor & muito misericordioso piedoso, HINOS SUGERIDOS: 84, 193, 427 da Harpa Crista OBJETIVO GERAL Mostrar que a paciéncia deve ser praticade pelo crente nesses dias trabathosos OBJETIVOS ESPECIFICOS -Abalxo, 0s objetivos especificosreferem-se ao que o professor deve atingirem cada to- pico.Por exemplo, o objetivo I refere-se ao topico | com os seus respectivos subt6pics. @ Mostrar como 16 é um exemplo de paciéncia para o crente. © Entender que o crente deve abandonar toda dissensao. ) Saber que o crente deve demonstrar paciéncia até pela volta de Jesus. Ices Biblicas /Professor. 41 + INTERAGINDO COM O PROFESSOR Professor, a paciéncia é um fruto do Espirito inestimavel na vida e tra- batho do professor de Escola Dominical. € preciso paciéncia na preparacao —oracdo, estudo da Biblia, treinamento e desenvolvimento. Ela também énecessdria durante a ministracdo da sua aula. 0 apéstolo Paulo ensinou Timéteo sobre a necessidade de ministrar com paciéncia (2 Tm 4.4,2,5). Durante suas aulas, busque orar, ensinar, corrigit, incentivar e realizar todas as outras obrigacdes que compete ao professor, com toda longa- nimidade. A paciéncia nao é transferida de uma pessoa para outra. Ela é produzida em nés pelo Espirito Santo d medida que the permitimos que imagem de Cristo seja formada em nds. Toda prova, tentacao e demora em sua vida podem ser uma oportunidade para o Espirito Santo produzir em voc’ o fruto da paciéncia, COMENTARIO INTRODUGAO ‘A impaciéncia é uma das carac- terfsticas da vida moderna, As pes- s0as, a cada dia, esto mais ansiosas, (© que contribui para o aumento das. dissens6es. Basta ler 0s noticiarios para vermos casos de brigas mundo onde as pessoas esto a cada dia mais ansiosas, mas os que tém esse aspecto do fruto sabem esperar em Deus com tranquitidade (Sl 40.1). O nosso maior exemplo de paciéncia esta em Deus. Ele € longénimo para ‘com os homens, esperando que ninguém se perca (2 Pe 3.9). confusdes. Muitos desses | PONTO». “woisés, a0 ter um encontro casos acabam em tragédia CENTRAL com o Senhor no monte ¢ familias destruidas. Por A°M OES Sinai, declarou: “Jeova, 0 ‘sso, podemos deimediato Gumenta nossa Senhor, Deus misericordioso perceberarelevancia da iolendncia._e piedoso, tardio em iras e ligdo de hoje para os nossos dias. Estudaremos a respeito da paciéncia, como fruto do Espirito, eas dissensdes, como obra da carne. 1—PACIENCIA, ATO DE RESISTENCIA AANSIENDADE 1. A paciéncia como fruto do Espirito. O termo paciéncia no grego 6 makrothumia e significa tongani- midade, perseveranca e firmeza (Hb 12.1). A paciéncia, fruto do Espirito, nos habilita 2 suportar as provacées eos leva a ser complacentes com as falhas dos outros. Vivemos em um 2 licas /Profes grande em beneficéncia e verdade" (Ex 34.6). 2. Apaciéncia ea ansiedade. Muitos cristaos vivem sofrendo por antecipagao, pois se esquecem do que Jesus nos ordenou: “[..] N30 andeis cuidadosos quanto 3 vossa vida [..1” (Mt 6.25). A ansiedade é uma perturbacao interior causada pela incerteza, pelo medo. Ela gera angistia e sofrimento, porém Deus no quer que seus filhos vivam com © coracao perturbado, ansioso (Jo 14,1). A paciéncia, fruto do Espirito, nos ajuda a enfrentar as Lutas e 05 so- frimentos da vida sem desanimar. Os sofrimentos nao so para nos destruir, mas servem para nos lapidar, para nos tornar mais pacientes e perseverantes (Hb 12.7-11). Precisamos aprender a esperar com paciéncia e tranqui- lidade em Deus, tendo a certeza de que todas as coisas cooperam para ‘© nosso bem (Rm 8.28). Lancemos diante do Senhor tudo aquilo que nos aflige, pois Ele é bom e tem cuidado de nés (1 Pe 5.7). 3.16, exemplo de paciéncia em meio a dor. 16 é um exemplo de pa- ciéncia, fé e persisténcia diante das tribulagdes. Ele perdeu em um Gnico dia seus fithos, seus bens e sua saiide, mas no perdeu a sua fé em Deus. Em meio & dor de t8o grandes perdas, ele declarou: “Porque eu sei que 0 meu Redentor vive, e que por fim se levantaré sobre a terra” (16 19.25). A fé que J6 tinha em Deus 0 levou a esperar com paciéncia pelo socorro divino. Se vocé esté enfrentando alguma situacao adversa, tenha fé. Nao percaa sua paciéncia e em tudo dé gracas, pois neste mundo tudo é passageiro, até mesmo as aflicoes (1 Ts 5.18) 1m conduta dos outros contran ‘gana, Dentro em breve, os ci =... Precisamos aprender a es- perar com paciénciae tranquilidade « em Deus. SINTESE DO TOPICO! E possivel vencer a ansiedade através da paciéncia. Um exemplo disso € 6. SUBSIDIO TEOLOGICO _ “Tiago comega a carta encorajando ‘os leitoresa que aceitem com alegriaas provacdes que séo permitidas por Deus para dar-thes maturidade. A partir dat, passa a mencionar as fontes que nos permitem suportaras perseguigoes duras continuadas. Tiago adverte os ricos que oprimem os pobres. Os ricos, que hoje vivem na opuléncia, enfrentarso com certeza 0 juizo por maltratarem os inocentes(5.1-6). Nese clima, os cren- tes devem ser pacientes, mantendo-se firmes até a Volta do Senhor. Acerteza de que 0 uiz estas portas, nos confortae CONHECA MAIS *"Longanimidade Apalavra grega makrothumiarefere-se 3 paciéncia, {que temos com nosso préximo. Ser longanimo é tolerar 3 ‘sem nunca buscar vin- ios em Roma passariam or perseguicoes, Sob tensao e sofrimento, os cristaos podem vira termenos paciéncia uns com os outros. de ‘modo que Paulo conclama: Sede pacientes na tribulacao’ (Rm 12.22). Ao ensinar sobre os dons, Paulo inicia tratan- ‘do da paciancia com pessoas e termina coma paciéncia Ligdes Biblicas /Professor 43 6®, ‘Aimpaciéncia de Saulea sua desobediéncia 0 levaram a perder 0 trono ea alma. 59 cencoraja(vv7-9). Entrementes, os crentes podem encontrar conforto no exemplo de outros. Como em J6, que viveu no sofrimento e emergiu da experiéncia da misericordia de Deus (vv.10-14). Na medida em que perseveramos devemos permanecer inabalavelmente compro- rmetidos em falar eviver a verdade(v.12). Os crentes também dispdem do recurso da oragao. Quando oferecida por uma pessoa justa, produz efeito grande e poderoso sobre a nossa experiéncia aqui e agora (vv. 13-18). Finalmente, cada um de nés 6 um manancial para os outros. Quando uma pessoa se extravia devemos buscé-la e trazé-la de volta para uma vida em consonancia com a vverdade de Deus wv. 19-20)" (RICHARDS, Lawrence 0. Guia do leitor da Biblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p.875) I= DISSENSOES, RESULTADO DA IMPACIENCIA 1. Exemplos biblicos de impa: clencia. A falta de paciéncia sempre é perigosa, pois nos faz tomar atitudes erradas ¢ a falar 0 que no devemos. Na Biblia encontramos exemplos de pessoas que foram extremamente pacientes e impacientes. A primeira da lista 6 Sara. Devido a sua esterilidade ¢ idade avancada, ela é tomada pela impaciéncia e decide agir por conta propria, oferecendo sua escrava Agar a Abraao para que ele tivesse um filho com a escrava (Gn 16.1-4). Esperar com paciéncia até que as promessas de Deus se cumpram nao é facil. Por isso, precisamos estar cheios do Espi- 44 Lcbes Biblicas /Professor rito Santo a fim de que no venhamos a tomar decisdes por nossa conta (Ef 5.18). Outro episédio de impaciéncia e que serve de licdo parands é 0 caso de Saul. 0 Senhor havia ordenado que Ele ficasse em Gilgal até a chegada de Samuel (1 Sm 13.1-9). Saul esperou durante sete dias, mas depois perdeu a paciéncia e ofereceu ele mesmo 05 holocaustos. Essa era uma tarefa exclusiva dos sacerdotes (Hb 9.7). 0 texto biblico afirma que, acabando ele de oferecer sacrificio, Samuel chegou (4.5m 13.10). Aimpaciéncia de Saulea sua desobediéncia o levaram a perder otrono ea alma (1 Sm 13.11-14). 2. Deine de lado toda dissensio. ‘Se em uma igreja hd brigas e divisdes, isso mostra que os crentes so car- nais (1 Co 3.3). Quem € guiado pelo Espirito nao incentiva e nem faz parte de discussdes e contendas. Quantos ministérios ja foram despedacados e as ovelhas dispersadas por causa de contendas. Paulo, em Romanos 16.17, exorta os crentes a ficarem atentos aqueles que estavam promovendo dissensoes e escandalos a fim de se apartarem deles. Nao se associe com aqueles que promovem disputas. Siga a recomendacao de Paulo e fuja destes. Onde ha dissensdes nao existe vencedor, pois todos saem perdendo. Jesus disse que todo reino dividido no subsistira, por isso, tenhamos cuidado (Mt 12.25). Ser paciente e manso no é um sinal de fraqueza como alguns erro- neamente acreditam, mas paciéncia e mansidao so exemplos de forcae maturidade. 3. Evitando o partidarismo. Em toda a forma de partidarismo, existe sempre interesses que visam apenas © bem de alguns. 0 partidarismo quebraa unidade da igreja e impede Janelco/Fevereio/Marce - 2017 a presenca de Deus. Jesus no morreu nna cruz por uma igreja dividida, mas para formar um s6 corpo a fim de que 05 perdidos possam se voltar para o Pai (Jo 17.21). Que venhamos a fazer todo 0 possivel para manter o vinculo da paz, e nao deixar que as disputas € partidarismos venham macular a Igreja do Senhor. SUBSIDIO HISTORICO “Ainda sois carnais (Tg 3.3) Apalavra aqui é sarkitos, que sig- nifica ‘carnal’ ou ‘da carne’. Embora possuam o Espirito, 0s corintios néo viviam pelo Espirito; sua perspectiva e omportamento expressam a natureza pecaminosa da humanidade. Embora a traducao da NVI como ‘mundanos' seja inadequada, ela nos tembra uma verdade importante. As coisas mundanas no séo apenas aquelas que 0s cristaos ‘no devem fazer’ tais como fumar, beber, etc. as coisas mun- danas esto relacionadas com ‘agir como meros homens’ (3.3), movidos pelos impulsos egotstas que guiam a huma- nnidade perdida” (RICHARDS, Lawrence 0. Comentério Histérico-Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p.328). Ill PACIENCIA, PROVA DE ESPIRITUALIDADE E MATURIDADE CRISTA 1. Pacientes até a volta de Jesus. Tiago consolou os irmaos que estavam 2017 -Jancro/Fevereito/Marco 6 eae breve Jesus voltara e dara fim a toda 2 dor, sofrimento e injustica. 9 “ sofrendo com a opressao dos ricos injustos, afirmando que a vinda de Jesus estava préxima. Se voc8 esté so- frendo e enfrentando alguma situacdo de injustica, ndo se desespere, pois em breve Jesus voltara e dard fim a toda a dor, sofrimento ¢ injustica (Tg 5.7). Um dia todo sofrimento chegaré a0 fim, pois 0 Justo Juiz voltaré para julgar toda a injustica. Para fazer os irmaos crescerem em esperanca e longanimidade, Tiago utiliza tambem ‘0 exemplo do agricultor. O lavrador cultiva a terra e lanca nelaa semente, mas ele precisa esperar com paciéncia até que a semente germine, a érvore cresca e aparecam os frutos. 2. Quando a paciéncia é provada. Sabemos que existem momentos em ue a nossa paciénciae fé sao testadas, mas quem acredita e aguarda a vinda gloriosa de Cristo nao se exaspera. O Senhor prova a paciéncia e a fé dos seus filhos. Ele provou a paciéncia e a fé de seu amigo, Abraao. 0 patriarca teve que esperar muitos anos até que ’ promessa de ter um filho com Sara se cumprisse. Depois, ele foi novamente provado quando o Senhor pede que ele the oferega Isaque em holocausto (Gn 22.2.3). Se voce esté sendo provado, nao desanime, permaneca firme no Senhor (1 Pe 1.6,7). 3. Maturidade crist8. A paciéncia é tuma caracteristica da maturidade e do crescimento espiritual. Ocrente quenao ‘Fa, nao jejua e nao medita na Palavra de Deus no pode alcangar a maturidade crist3. Sem disciplina,o crente permanece Licées Biblicas /Professor 45 & a muito sofreu, mas permaneceu firme, ndo perdendo sua esperanca e crendo nas misericérdias ons 39 imaturo (Ef 4.14).Infelizmente, muitos estdo softendo de “raquitismo espirituat’. Estes, além de nao experimentarem um desenvolvimento espirital saudével, ‘esto sempre envolvidos em confuséo, pois sdo impacientes. O crente maduro permanece firme diante das persegui- Bes e aflicées. Tomemos como exem- plo 0s profetas do Antigo Testamento, pois alguns deles sofreram terriveis perseguicdes por causa do nome do Senhor. Jeremias muito sofreu, mas permaneceu firme, no perdendo sua esperanca e crendo nas misericérdias de Deus (Lm 3.21,26). SUBSIDIO TEOLOGICO “A *paciéncia’ (makrothumia) & seguramente o fruto que torna o ho- ‘mem semelhante a Deus. Como ocorre ‘em outros termos, esta é caracteris- tica de Deus; e do homem, segundo Deus quer que ele seja. Como Deus é paciente com os homens, entao eles ‘580 pacientes néle, tanto quanto em relago a seus semethantes; pois as 46. Licdes Biblicas /Professor circunstancias ¢ 0s acontecimentos esto nas mos de Deus. Esta virtude biblica vital nao deve ser confundida com mera disposic3o tranquila, que permanece impassivel diante de toda e qualquer perturbacao. Tal modo de vide é mais uma caracte- ristica nativa da personatidade do que uma qualidade do espfrito. Longani- midade é exatamente o que a palavra sugete: animo longo, firmeza de &nimo, constancia de 8nimo, alguém que permanece animado por muito tempo sem se deixar abater. Sua esséncia primaria é a perseveranca (Desistir? Nuncal), suportando as pessoas e as circunsténcias. Como Deus é tonganimo para conosco (cf. 1 Tm 1.12-16), assim devemos ser longanimos para com nossos semethantes (Ef 4.2), nunca admitindo a derrota por mais que os homens sejam irracionais e dificeis (cf. 1755.4). Eeste tipo de paciéncia que reflete verdadeiramente o amor cristao (agape; cf. Co 13.4). Tal amor paciente no é nossa realizacao. E 0 trabalho de Deus no coraco dos homens, pois € 0 fruto do Espirito” (Comentario Bibtico Beacon — Galatas a Filemom. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.75). CONCLUSAO ‘Que venhamos crescer em graca e sabedoria, buscando desenvolver 0 fruto do Espirito e deixando de lado toda discussao e partidarismo, pois em breve 0 Senhor Jesus voltaré. Os que primaram por uma vida cheia do Espirito Santo receberdo o seu galardao. Cultivemos o fruto do Espirito. Janeiro/Feverero/Marco - 2017 Nea easen PARA REFLETIR Arespeito da paciéncia, evitando as dissensGes, responda: +O que significa o termo paciéncia? Longanimidade, perseveranca e firmeza. * Segundo a licao, o que é ansiedade? Uma perturbagao interior causada pela incerteza, pelo medo. + Cite um exemplo biblico de homem paciente. 16 6 um exemplo de paciéncia, fé persisténcia diante das tribulacées. +O que a impaciéncia e desobediéncia de Saul the causaram? ‘A perda do trono e da alma. * Cite o exemplo de um profeta do Antigo Testamento que se manteve paciente e esperancoso mesmo diante da dor e do sofrimento. Jeremias. fee ai 3 Revista Ensinador Cristo - CPAD, n° 69, p.39. Vocé encontrar mais subsidios para enriquecer a ligao. Sao artigos que buscam expandir certos assuntos. SUGESTAO DE LEITURA a fs IucCiss AsNovas Espada OFspirito Fronteires Ccortantel- Santo Glo- > dottce | Nova Edi rifeando's AR crista | Cristo. boos it Nesta odrcorosa opator_ | Cootraesudosreviadas | Extnbraumacoletines Cisuthonore Andradeaberds | sobre Dana kpocoipe, ‘ommonsagenscepreetores Grernequestesdomogem | Mausemotees Svanne needs Conte dade que exigem da igrela tual ‘cis Muncil Pentecostal. ma resposta ao mesmo temo Bibles eroconal sabrecadatim estes eos Realzadaa cde tes anos em Aerents partes domundo rum come de eres das | Jeteaspentecostas. Ll 5 /Professor 47 pyeyaN eta cl Protetor Conéfa as Porfias Texto Aureo Verdade Pratica _ “Antes, sede uns para com 0s outros A benignidade na vido do cremte benignos, misercordiosos, perdoan- carers accltajenno rayon, |, peau ksteminln ay ‘Deus vos perdoou em Cristo.” fe Dens (64.32) LEITURA DIARIA Abenignidade confere vida longa, 0 benigno nao faz mal justiga e honra 30 proximo Benignidade entre os irmaos Deus é favoravel a0 benigno Revesti-vos de toda benignidade _ A benignidade ¢ fruto do Espirito 48 a LEITURA BIBLICA EM CLASSE Colossenses 3.12-17 - Revest-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericordia, de benignidade, hu- ‘mildade, mansiddo, longanimidade, suportando-vosuns aos outros eper- doando-vos uns aos outros, se algum fiver quetxa contra outro; assim como Cristo os perdoou, assim faze vés também. E sobre tudo isto, revest-vos de ‘amor, que é.o vinculo da perfeicao. Ea paz de Deus, para a qual tam- bem fostes chamados em um corpo, HINOS SUGERIDOS: 5, domine em vossos coracdes; ¢ sede agradecidos, = Apalavra de Cristo habite em vos abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos canticos espirituais; cantando ao Senhor com graca em vosso corasao, = E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele gracas a Deus Pai da Harpa C OBJETIVO GERAL Mostrar que a benignidade é um aspecto do fruto do Espirito e que a porfia é obra da carne. OBJETIVOS ESPECIFICOS [Abaino, 0s objetivos espectficos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tepico. Por exemplo, o objetivo refere-se.2o topico | comos seus respectivos subt6picos, { Reconhecer que a benignidade se fundamenta no amor; [Mostrar que a porfia se fundamenta na inveja e no orgulho: Explicar porque precisamos nos revestir de benignidade. 49 + INTERAGINDO COM O PROFESSOR Na licdo de hoje estudaremos a benignidade como um aspecto do fruto do Espirito. ivemos em uma sociedade onde temos visto o avanco da maldadee da vioténcia, O mundo, que jaz no Maligno, esta carente de pessoas benignas. Esse {ruto nos ajuda aidentificar aqueles que sao discfpulos de Cristo. Como saberse ‘estamos diante de um crente verdadeiro? Observe se sua fala eatitudes revelam bondade. Quem ja experimentou do amor de Cristo é benigno, pois a salvacaoé resultado da bondade e graca do Pai. Fomos salvos por sua graca, sua bondade. Incentive seus alunos a desenvolverem esse fruto, mesmo vivendo em um mundo hostile mau, pois somente sendo benignos poderemos revelar 0 amor do Pai ao mundo. Lembre-se que antes das pessoas olharem para Cristo, elas vvao olhar para voce, para suas atitudes e agoes. COMENTARIO INTRODUGAO: Na ligao de hoje estudaremos mais um aspecto do fruto do Espirito, a benignidade e mais um aspecto das obras da carne, a porfia. estudando vem de Deus, pos Ele é a fonte de toda benevoléncia e amor (1.30 4.8) Deus € amor, logo, a benignidade é uma das caracterfsticas do crente. 2. Jesus, exemplo de be- FONTS ae Veremos que ocrentechso, lemma gnisede- ens. como do Espirito tem um coragio Abenignidade "eM perfeito, € onosso maior benigno e procura terrelacio- namentos saudaveis, evitando discussbes, disputas e polémicas. O-consetho de Paulo a Timéteo foi para que ele fugisse das discussées, polémicas e debates acerca da lei, pois tais discussdes s30 indteis e nao acres- centam nada a fé dos irmaos (Tt 3.9). ~ ABENIGNIDADE FUNDAMENTA- ‘SENO AMOR 1.0 que é benignidade? Vocé conhe- ceo significado dessa palavra? Benigni- dade significa indole boa, bom cardter; benevoléncia, humanidade e bondade. No crente, essas caracteristicas nao so 0 resultado de uma boa formago académica ou de uma familia funcional Eo resultado do fruto do Espirito. Nao conseguimos ser bondosos pelo nosso préprio esforco. A bondade que estamos 50 Licées Biblicas /Prof um antidoto ‘contra a por- fra. cexemplo de benignidadee amor (Jo 3.16). Ele amou 0s ricos e 0s pobres e sempre ajudou a todos que foram até Ele, como por exemplo, a mulher cananeia cuja filha estava miseravelmente endemoninhada (Mt-15.21-28). A principio, parece que Jesus nao estava se importando com 0 clamor daquela mée. Porém, o Mestre estava testando a fé daquela muther. Jesus mesmo declarou: "0 mulher gran- de é a tua fé" (Mt 15.28). Jesus, em sua bondade, nao se prendeu a debates religiosos ou politicos, pois sabia que @ ‘ua miss&o era salvar e resgatar 0s que estavam petdidos (Lc 19.10) 3.A benignidade na pratica. 0 evangelista Billy Graham disse que é muito facil serindeticado e impaciente com os que erram e falham. € facil ser bondoso e gentil com quem nos trata ‘bem, mas precisamos ser benignos com aqueles que erram, tropecam e ainda ros tratam mal. Para isso, precisamos ser cheios do Espirito Santo (Ef 5.18). A Terceira Pessoa da Trindade, habi tando em nosso interior, nos tevaa ser bondosos em todas as circunstancias. Muitas pessoas rejeitam o cristianismo porque alguns crist3os nao amam como ‘oseu Mestre. Jesus foi gentil para com ‘05 publicanos e os pecadores. Ele se as~ sentava e comia com essas pessoas (Mt 9.11,12).0 Mestre também fez questao de pousarna casa do publicano Zaqueu (L¢19.1-10), 0s publicanos, por serem os cobradores de impostos, eram odiados pelo povo, pois em geral, cobravam mais do que as pessoas deviam. Na cruz, Jesus demonstrou benignidade ao atender 0 pedido de um salteador (Lc 23.42,43) SINTESE DO TOPICO| A benignidade, fruto do Espirito, std fundamentada no amor. SUBSIDIOTEOLOGICO “Apalavra benignidadeem Galatas 5.22 & tradugao do termo grego che- Testotes, que significa bondade como qualidade de pureza e também como disposicéo afével de cardter eatitudes. Abrange ternura, compaixo e brandura. Em Mateus 11.30, a palavra chres- totes é usada para descrever o jugo de Jesus. Ele disse: Porque o meu jugo suave [chrestos], 0 meu fardo é leve’.O jugo de Cristo fala do desenvolvimento de uma vida disciptinada através da ‘obediéncia, submisso, companheirismo, servico e cooperacio. € uma relacio cor. ‘és, gentil e aprazivel (benigna) porque esté baseada no compromisso e amor, ‘© nao na forca e servidao. Temos um Mestrea quem servir, porque oamamos, e também servimos uns 20s outros em raz80 de nosso amor por Ele. Servir sem ‘amor é intolervel —servir por amor é ‘omais alto privilégio. Apalavra chrestos também é usada em Lucas 5.39 para descrever 0 vinho velho, que é methor ou doce. Nao ha CONHECA MAIS ve *"Porfia Erithia denota ambicéo,egoismo, rvalidade, endo voluntariosidade a ideiasubjacente na pala- ‘a; por conseguinte, denota'fazedor de partidos de divisbes’E derivado, node éi,'discussa0' mas 4eerithos, mercenério, pessoa capaz de tudo por *Mansid3o “Este fruto é um dos mais dificeis de definr, princi- palmente porque é impossivel traduzir prautes (mansi- mancira como ‘omploxas da bla Joes vive cada dia, Professor 75 he ea Texto Aureo Verdade Pratica "Melhor é0 longdnimo do que o valente, eo que governa o seu espirito do queo {que toma uma cidade.” ‘Atemperanca ajuda o crente a ‘ser moderado em todas as dreas € circunstancias da vida. (Pv16.32) Bee __LEITURA DIARIA a Segunda—Rm 6.12 Quinta -Py 23.2 Temperanca sobre 0 corpo Temperanca na alimentacéo Terga-Tg3.2 Sexta-Tt2.2 Temperanca sobte a lingua Temperanca na terceita idade Quarta-2Pe 1.5,6 Sabado~ Gl 5.22 Temperancae dominio proprio | Temperanga, fruto do Espirito Professor Janeito/Fevereio/Marce - 2017 __LEITURA BIBLICA EM CLASSE 13030 2,12-17 12 - Filhinhos, escrevo-vos porque, pelo seu nome, vos sao perdoados os pecadios. 13 - Pais, escrevo-vos, porque conhe- cestes aquele que é desde o principio. Jovens, escrevo-vos, porque vencestes 0 maligno. Eu vos escrevi, filhos, Porque conhecestes 0 Pai. 1.4 = Eu vos escrevi, pais, porque Jd conhecestes aquele que é desde 0 principio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palayra de HINOS SUGERIDOS: 3, Deus estd em vés, e jd vencestes 0 maligno. 15 = No amets o mundo, nem queno mundo hd. Se alguém amao mundo, ‘o.amor do Pai ndo esta nele, 16 - Porque tudo 0 que hé no mundo, concupiscéncia da carne, a concupis- céncia dos olhos e.a soberba da vida, 1ndo é do Pai, mas do mundo, 17 - Eo mundo passa, ea sua concu- piscéncia; mas aquele que faz. vontade de Deus permanece para sempre. 8,97 da Harpa Crista OBJETIVO GERAL ‘Mostrar que a temperanca ajuda o crente a ser moderado em todas as circunstancias. OBJETIVOS ESPECIFICOS- Abaixo, 0s objetivos especificos referem-se ao queo professor deve atingirem cada t6- pico. Por exemplo, o objetivo | refere-se.ao t6pico com os seus respectivos subtpicos. Ee @ saber que a temperanca nos ajuda. ter 0 dominio das: inclinagoes carnais; @ Mostrar que a prostituigioe a glutonaria s8o um descontrole da natureza humana; @ Compreender que o crente precisa viver em santidade, deixando os excessos. 2017 -Janeto/Feverero/Margo Ligdes Biblicas /Professor 77 + INTERAGINDO COM O PROFESSOR: ‘Na ligdo de hoje estudaremos a temperanca, fruto do Espirito, em contrapo- a prostituicdo e a glutonaria, obras da came. Como crentes precisamos ter uma vida moderada, equilibrada e santa. A prostituicdo e a glutonaria sdo um pecado contra o nosso corpo, que é morada do Espirito Santo. Tudo que agride 0 ‘nosso corpo pecado, pois fere e macula a morada de Deus. Jamais podemos nos cesquecer que 0 nosso corpo ¢ habitagao do Espirito Santo, por isso, precisamos ‘cuidar bem dele evitando tudo que possa manchd-lo e fazé-lo adoecer. INTRODUGAO Nesta licdo, veremos que o crente deve ser livre de qualquer intemperar «a. Ele precisa ter o fruto do Espirit Santo, vivendo com equilforio, em tudo ‘sendo moderado a fim de que o nome do Senhor seja exaltado mediante suas aces. Estudaremos a temperanca como um dos aspectos do fru- to do Espfrito em oposigao & COMENTARIO da cane eavivermos de modo s6brio, justo e piedoso (Tt 2.11). No grego, a palavra temperancaé enkrdteia, que significa autocontrole, disciptina (2 Pe 1.6; Tt 1.8). Este vocé- buloé também utilizado por Paulo para tratar a respeito da pureza sexual (1 Co 79). 1 em 1 Corintios 9.25, ele €em- pregado para destacar a disciplina de um atleta. Paulo desejava que os crentes entendessem que 60 = CENTRAL F glutonaria ea prostituicd0. | Qerente pe. ESPIFto Santo que nos ajuda a Cha viverde se" disciplinados e comedidos. I~ TEMPERANCA, ‘modomode- Com a ajuda de Deus, Paulo © DOMINIO DAS ado. tinha suas vontades e desejos INCLINAGOES CARNAIS 1. Vivendo de modo s6brio. Po- demos comparar o crente que vive segundo a carne, dominado pela velha natureza, a um vulcéo ativo que esté sempre prestes a entrar em erupcao. 0 que o vuleso lanca de seu interior? Gases venenosos, lava incandescente e fogo. A erupco pode devastar cidades inteiras e fazer milhares de vitimas. Assim € 0 crente que nao tem 0 fruto do Espirito. Do seu interior, procede somente aquilo que é mau (Lc 6.45). Precisamos ser comedidos em nossas palavras e atitudes, procurando ser cheios do Espirito Santo diariamente (EF 55.18). Fomos salvos pela graca divinae ‘e559 graca nos ensina a rejeitar as obras 78 Licdes Biblicas em sujeigao (1.Co 9.27). Talvez voce pense que as palavras, ‘mansidao e temperanca sejam sindni- ‘mas, porém existe diferenca entre elas. Mansidao é saber se controlar em um momento de ra, ou irar-se no momento certo. 18a temperanca esté relacionada 8 questo do impulso sexual, glutonaria es questdes da carne. 2. Temperanga e qualidade de vida. Temperanca significa ter controle sobre seus desejos e atitudes. Quem tem temperanca tem qualidade de vida. Deus nao profbe vocé de comer, beber e ter uma vida de conforto e felicidade. Contudo, Ele deseja que vivamos de modo sébrio e equilibrado. Uma pessoa que tem dominio proprio Janeito/Fevereiro/Marco- 2 sabe se controlar em toda e qualquer situacao. Por néo terem a temperanca como fruto do Espirito, muitos est3o vivendo sem pudor, cometendo toda a sorte de excessos, envergonhando co nome de Cristo ea Igreja do Senhor. Sabemos que o que é nascido da car- ne € carne, mas 0 que é nascido do Espirito é espirito, logo vive de modo equilibrado e nao tem prazer nas con- cupiscéncias desse mundo (Jo 3.6). Precisamos diariamente nos encher do Espirito Santo para nao cumprir- mos 05 desejos da carne (GL 5.16). As obras da carne sao conhecidas, e sua mortificagdo 56 & possivel quando somos completamente dominados pelo poder do Espirito Santo. 3. A temperanca na vida de Cristo. Jesus se fez homem e habitou entre nds (00 1.14), mas Ele nao pecou e jamais experimentou as obras da carne, Jesus era cheio do Espirito Santo (Lc 4.18), raz8o pela qual péde venceras tenta- ‘ges da carne, do mundo e do Diabo (Hb 4,15). A vetha natureza deseja ‘apenas 0 que é desse mundo: comida, bebida e prazeres pecaminosos. Porém, quando vivemos orientados e guiados Pelo Espirito, somos equilibrados e 1nd defxamos que as paixdes carnais nos vencam. SUBSIDIO BIBLIOLOGICO “Apalavra grega egkratela significa "temperanga’ ou ‘dominio proprio’ até sobre paixdes sensuais. Inclui, portanto, a castidade. Essa énfase nao aparece nos textos de Romanos 12 e 1 Corintios 2017 -Janeiro/Feveriro/Marco 12—14. Por outro lado, o contexto an- terior oferece um tratamento completo do assunto, Em Efésios 4.17-22, a vida nova é contrastada nitidamente com a antiga. A imoralidade nao tem lugar nna vida de uma pessoa que procura ser vaso de béncaos nas maos de Deus. Se ‘oviver santo no acompanhar os dons, ‘o nome de Cristo é envergonhado. 0 ministério verdadeiramente eficaz perde seu impacto. Os milagres talvez continuem durante algum tempo, mas Deus nao recebe nenhuma gloria. Os milagres nao garentem a santidade, poréma santidade € vital para o verda- deiro ministério spiritual" (HORTON, Stanley H. Teologia Sistematica: Uma perspectiva pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p. 492). II=PROSTITUICAO E GLUTONARIA, (© DESCONTROLE DA NATUREZA HUMANA 1. Fugi da prostituicéo. 0 vocs- bulo prostituigio no grego porneiae significa imoralidade, relacdes sexuais ilfeitas. Como novas criaturas, precisa- mos abster-nos da prostituiggo e de todo 0 tipo de infidelidade conjugal. Vivernos em uma sociedade que aceita € propaga o sexo antibiblico e profano. Nao podemos nos conformar com esse mundo e n3o podemos jamais esquecer de que devemos ser “sal” e “luz” neste mundo (Mt 5.13-16; Rm 12.2). 2. Adisciplina em casos de pros- tituigdo, Paulo teve sérios problemas com a imoratidade na igreja em Corin- to (1 Co 5.1). Um dos crentes estava mantendo relacionamento sexual com sua madrasta. O apéstolo tratou esse caso de imoralidade com seriedade e temor. O pecado precisa de disciplina, pois, caso contrério, haverd a corrupc3o Beneralizada (vv. 6-8). 0 propésito da disciplina ngo é humithar ou ferir (Professor 79 aquele que pecou, mas preservar 3 pureza moral na igreja. A Palavra de Deus nos adverte a fugir da prostituicao: “Fugi da prostituicao [.1" (1 Co 6.18). Nosso corpo pertence a0 Senhor, pois Ele nos criou (1 Co 6.13). Que jamais venhamos a usar nossos membros para 2 prostituicéo, mas para manifestar a glria de Deus. 3. Aglutonaria e seus males. Glutéo € aquele que come em ex- cesso e com voracidade. Tal atitude revela falta de equilibrio espirituat e emocional. Até mesmo na hora de nos alimentarmos precisamos ter parciménia. Enquanto a prostituicso € um pecado como corpo, glutonaria é um pecado contra 0 corpo. Salomao: adverte aos que comem em excesso (Pv 23.2). Nosso corpo é templo do Espfrito Santo, por isso, precisamos cuidar bem dele, tendo uma alimentacao saudavel e equilibrada (1 Co 6.19). Muitos es- 180 enfrentando sérios problemas de sade porque nao foram equilibrados em sua alimentacdo. Sabemos que 2 gordura, o sale o acdicar em excesso trazem sérios prejuizos para a nossa satide, Porém, muitos continuam a ingerir tais alimentos, mesmo sabendo “Atemperanca nao é apenas moderacao. controle préprio. O verbo correspondente é usado para os atletas ue precisam se controlar em tudo p: {2.Corintios 9.25}, 0 Espirito nem sempre remove todos os desejos da carne, ¢, certamente, nem todos os impulsos ‘e tendéncias da carne. Mas parte do seu fruto é que Ele ros ajuda a desenvolver o autocontrale que domina esses desejos, impulsos, palxdes e apetites. O autocontrole ‘go aparece automaticamente. O que o Espirito faz6 ajudarnos a disciplinar ands mes- ‘mos’ Para conhecer mais leia, A Doutrina do Espirito San- 80 igées abl 5 /Professor _CONHECA MAIS que trardo sérios prejuizos a sade. Muitos maltratam 0 corpo e depois ficam a clamar a Deus por um milagre. Facamos a nossa parte. SINTESE DO TOPICO IL A prostituigao ea glutonaria, obras da velha natureza, sao um descontrole da natureza humana. SUBSIDIO TEOLOGICO Prostituigso *ABibliadefende consistentemente a pureza morale mantém uma posic3o firme contra a prostituicao de qual- quer tipo. Varias proibicdes podem ser encontradas na lei mosaica (Lv 19.28: 21,7,16;Dt22.21).O livro de Provérbios est repleto de adverténcias Squeles que desejam procurar prostitutas. Os mesmas riscos eram enfrentados pelos rentes do Novo Testamento, pois varios cultos da fertitidade ainda prevaleciam rno Império Romano e 0 aspecto geral da moralidade no primeiro século era bastante baixo. A proibigao contra 8 prostituigdo era include nas proibigées *Temperanca ‘seram vitoriosos ‘to, CPAD, p. 194. laneira/Fevereeo/Margo ~2017 ‘gerais sobre os relacionamentos sexu- ais ilfeitos, claramente expressas no Novo Testamento”(Dicionério Biblico Wycliffe. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p. 1254). Glutona “Truphe, "luxo, suntuosidade, afetacdo, diversio, festanca, folia’, € encontrada em 2 Pe 2.13 (‘deleites literalmente, ‘contando se divertir no dia do prazer’).Em Lucas 7.25, €usada com a preposi¢ao em, ‘em’, traduzido por’em delicias’ Komos, ‘divertimento, fotia, pan- dege, orgia’,a concomitancia e conse- quéncia da bebedeira, 6 traduzido no Plural em Romanos 13.13;GL5.21.e1Pe 4.3 (‘glutonarias’). : Gaster (glutdo) denota ‘barriga, ventre’. E usado em Tito 1.12, como adjetivo argos, ‘ocioso, preguicoso’, metaforicamente, para significarglutao; fem outro lugar, ocorre em Lucas 1.31” (Dicionsrio Vine: 0 significado enegético expositivo das palavras do Antigo edo Novo Testamento, 1.ed. Rio de Janel PAD, 2009, p. 676). Ill - VIVENDO EM SANTIFICACAO E DEIXANDO OS EXCESSOS +1. AgradandoaDeus em tudo. Pela raga de Jesus, somos salvos e jé expe- rimentamosa regeneracéo. Como novas criaturas, precisamos viver de modo a ‘agradar ao Senhor. Seja santo na sua maneira de vestir, falar, comer, em seus relacionamentos, etc. Quemnamaa Deus, deseja agradé-lo em tudo e tem prazer ‘em cumprira sua lei. A Biblia dizquenos Lltimos dias, por aumentarainiquidade, ‘amor de muitos esfriaria(Mt 24.12). £0 ue temos visto. Falta amor genuino para ‘como Paie, logo, também falta santidade, moderaggo e bom senso. 2, Santificacao. Que venhamos abandonaro pecado e buscar a santi- ficacdo, pois sem ela no poderemos ver a0 Senhor (Hb 12.14). Quando falamos em pecado, em geral, as pessoas pensam logo em adultério, homossexualismo e roubo. Mas peca- do significa tudo 0 que nao agrada a Deus. 0 Senhor deseja que tenhamos uma vida santa, produzindo o fruto do Espirito. Vida santa significa honrar © proprio corpo, evitando os pecados sexuais: "Que cada um de vos saiba Possuir 0 seu vaso em santificacao e honra” (1 Ts 4.4). £ importante ressaltar que "vaso" neste contexto significa 0 corpo do crente. 0 sexo entre os cénjuges nao é pecado, mas precisamos compreender que nossos Corpos so santos. Marido ea esposa precisam respeitar um ao outro e cuidar um do outro. 3. Deixando os excessos. Viver de maneira que agrade a Deus ¢ dificil, mas € possfvel. E possivel porque nao estamos sozinhos. O Espirito Santo, que habits em nés, deseja nos ajudar 4 abandonar todo excesso e todo 0 pecado. Ele nos ajuda a ter uma vida equilibrada, sadia e santa __SUBSIDIOTEOLOGICO "Embora vivessem numa sociedade onde 0 pecado sexual era comum e aceitével, 05 apéstolos nao transigiam com a verdade e a santidade de Deus. Nao rebaixaram os padres morais para acomodé-los as ideias e tendéncias daquela sociedade. Sempre que se deparavam com baixo padres morais em alguma igreja (cf. Ap 2.14,15,20), Liciias Btsicasi/profescor’ 81 repreendiam-na e procuravam corri- gi-la. Considerando padrées a baixa moralidade que prevalece em nossos dias, precisamos de dirigentes do tipo dos apéstolos, para conclamar aigrejaa ‘obedecer aos padrées divinos de retidao” (Biblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, p. 1847). CONCLUSAO A temperanga, como fruto do Es- pirito Santo, nos ajuda a ter uma vida disciplinada e feliz. Que venhamos ser cheios do Espirito, aprendendo com Ele a disciplina espiritual em todas as areas de nossa vida. POL ee led ae) gssseg PARA REFLETIR Arespeito de vivendo de forma moderada, responda: + De acordo com a ligdo, como devemos viver? Devemos viver de modo sébrio, santo. + Qual a palavra utilizada no grego para temperanca e qual o seu sig- nificado? Nogrego,apalavra temperanca é enkrdteia, que significa autocontrole, disciplina. + Qual a diferenca entre mansidao e temperanga? Mansidao é saber se controlar em um momento de ira, ou irar-se no momento certo. 34a temperanca esta relacionada 8 questo do impulso sexual, glutonaria eas questbes da carne. + Qual a recomendacao de Salomao para o glutio? “E poe uma faca a tua garganta, se és homem glutao” (Pv 23.2). + Relacione alguns males da glutonari £ obra da carne, pecado contra Deus. Pode causar obesidade, hipertens3o, diabetes, ete. Revista Ensinador Cristo - CPAD, n® 69, p. 42. Vocé encontraré mais subsidios para enriquecer a licSo. Sao artigos que buscam expandir certos assuntos. 82 Ligdes Bi Janeiro/Feverero/Margo 2017 Texto Aureo Verdade Pratica “Aninguém devais coisa alguma, a indo sero amor com que vas ameis ‘Amar a Deus e ao préximo uns aos outros: porque quem ama aos &cumprir plenamente ‘outros cumpriu a lei." aleidivina, (Rm 13.8) LEITURA DIARIA Segunda - Mt 22.39 0 amor altrufsta Quinta- 1153.12 ‘O.amor precisa ser abundante Sexta-1Pe 1.22 Terga Jo 13.35 amor é a prova do discipulado. | O.amor precisa ser fervoroso Quarta=Rm 12.9 Sébado-1015.9 O amor precisa ser sincero Permanecendo no amor do Pai 1017 Janeiro /Fevereiro/Margo 6es Biblicas /Professor 83 LEITURA BIBLICA EM CLASSE Romanos 12.8-14 8 - ovo que exorta, use esse dom em exortar; 0 que reparte, faca-o com liberalidade; 0 que preside, com cuidado; 0 que exercita misericdrdia, com alegria. 9 -O.amorseja nao fingide. Aborrecei ‘o male apegai-vos ao bem. 410 = Amai-vos cordialmente uns aos ‘outros com amor fraternal, preferindo- vos em honra uns aos outros. 11 = Nao sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espirito, servindo ao Senhor; 12 - alegrai-vos na esperanca, sede pa~ Gentes natribulagao, perseveraina oracdo: 13 - comunicai com os santos nas suas necessidades, sequi a hospitalidade; 114 = abencoai aos que ves perseguem; abencoai endo amaldicoels. HINOS SUGERIDOS: 145, 254, 363 da Harpa Crista OBJETIVO GERAL Explicar que amar Deus e ao préximo é cumprir plenamente a lei divina. 2 OBJETIVOS ESPECIFICOS |Abaivo, 0s objetivos especificosreferem-se ao que o professor deve atingirem cada té- pico, Por exemplo,o objetivo | refere-se ao t6pico Icom os seus respeectivos subtépicos. ¥ a’ © compreender a singularidade do amor agdpe: © Mostrar que precisamos amar a Deus e 20 proximo; © Bxpticar que sob a tutela do amor, devemos rejeitar as obras das trevas. 84 Ligdes Biblicas /Professo + INTERAGINDO COM O PROFESSOR Estamos nos aproximando do término do trimestre. Esperamos que vocé e seus alunos tenham produzido muitos frutos, nesse periodo, para gloria de Deus. O crente precisa ter uma vida frutifera, Na licdo de hoje estudaremos o amor como ‘rato do Espirito, Sem esse fruto é impossivel ser manso, paciente, longdnimo,