Você está na página 1de 42

Sumário

01. Perfil: Pecuária ..................................................... pág.04

02. Empregos .................................................................. pág.08
2.1 Quantificação da cadeia

03. A pecuária do Brasil ........................................ pág.12
3.1 Perfil 2014
3.2 Rebanho bovino brasileiro
3.3 Custo de produção
3.4 Mapas da pecuária mundial

04. Indústria ..................................................................... pág.26

05. Retrospectiva e
projeções da pecuária ................................... pág.32

06. Sustentabilidade ................................................ pág.34
6.1 Código Florestal
6.2 Desmatamento e monitoramento
6.3 GTPS – Round Table
6.4 Programa municípios verdes (PMV)
6.5 Plano ABC
6.6 Programa ABC
6.7 Plano ABC (Plano para agricultura de baixo carbono)

Palavra do presidente

O mundo recupera-se economicamente e o Brasil continua
abrindo novos mercados e evoluindo em sua condição sanitá-
ria. Face aos concorrentes, o país ainda tem invejáveis van-
tagens comparativas que lhe garantem uma vocação natural
para a produção pecuária.

Em 2014, completamos 100 anos da primeira exportação de
carne feita pelo Brasil. Em 1914, carne congelada já saía de
Barretos, interior de São Paulo, em direção ao Reino Unido.

Em 2014 também, a Abiec completou 35 anos como enti-
dade representativa da indústria da carne brasileira. Criada
para abrir mercados e alavancar a exportação, ainda hoje
a nossa entidade interage em várias frentes em defesa do
setor, tanto internamente como nos mercados de nosso in-
teresse. Com 25 indústrias associadas, representamos 70%
dos abates com inspeção federal no país e 90% de toda a
exportação do setor.
Em 2009, a crise financeira internacional
Muito do nosso trabalho demanda de uma base sólida e confi-
causada pela explosão da bolha do sub-
ável de informações de inteligência comercial. Desde o início,
-prime americano interrompeu momen-
temos envidado esforços para reunir dados mais confiáveis
taneamente uma década de crescimento
disponíveis, em um setor onde tradicionalmente as fontes são
constante das exportações brasileiras de
dispersas e por vezes divergentes.
carne bovina.
Esta publicação, a segunda do gênero, desenvolvida pela
Quando assumimos a gestão da Abiec, em
Abiec em parceria com os melhores do ramo, tem por objetivo
2010, as exportações do setor da carne
compartilhar parte das informações que reunimos.
bovina haviam voltado a contribuir de
forma consistente com a balança comercial Esperamos aprimorar cada vez mais nossas fontes e continuar
brasileira, confirmando uma tendência de este trabalho para que seja útil a todos que, de alguma forma,
longo prazo que continua a ser positiva colaboram com a pujança do nosso setor.
para todo o sistema agroindustrial da carne
brasileira. Em 2013 e 2014 batemos recor-
des sucessivos no faturamento das nossas
exportações, com US$ 6,6 e US$ 7,2 bilhões
respectivamente. Em 2015, esperamos
Antônio Jorge Camardelli
manter o ritmo de crescimento. Presidente da ABIEC

01.
Perfil:
Pecuária

Somente o agronegócio gerou um saldo positivo na balança comercial de US$80.959 bilhões negati- vos. A cadeia produtiva da pecuária em todo o país movimentou mais de R$380 bilhões. gerando riqueza de R$332 bilhões. “A CADEIA PRODUTIVA DA Além disso.09 bilhões negativos.2 bilhões. sendo que somente a pecuária. registrando um TODO O PAÍS crescimento extraordinário 958% nos últimos MOVIMENTOU quinze anos. registrando um cresci- MAIS DE R$380 mento ainda maior.7 bilhões. as exportações chega- ram a US$ 7.“ Perfil: Pecuária 5 . que PECUÁRIA EM atingiram US$ 6. sendo que o saldo dos outros setores ficou em US$ 84. foi responsável por cerca de 30% do PIB do agronegócio brasileiro. BILHÕES.O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro representou 22% no PIB total do Brasil em 2013. Também foi graças ao agronegócio que o saldo da balança comercial do Brasil em 2014 ficou em “apenas” US$3. 2013 também foi marcado pelo recorde nas exportações de carne bovina.13 bilhões. Em 2014.

PIB Agronegócio 22% PIB Outros setores 78% 2013 R$ x milhões PIB outros setores 3.2015 Gráfico 1 Representatividade do PIB do agronegócio no PIB brasileiro em 2013.620 PIB pecuária 332. Relatório Anual .Elaboração ABIEC Gráfico 2 Representatividade do PIB pecuário no PIB do agronegócio brasileiro.238 Perfil: Pecuária Fonte: IBGE / Cepea .092.238 PIB total Brasil 4.577 PIB Agronegócio 1.618 PIB total agronegócio brasileiro 1.815 Fonte: IBGE / Cepea .844.092. PIB Pecuária 30% PIB Agronegócio exceto pecuária 70% 2013 R$ x milhões PIB agronegócio exceto pecuária 759.Elaboração ABIEC 6 .752.

000 -40.000 0.000 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Saldo do Saldo dos Saldo total Agronegócio outros produtos do Brasil Perfil: Pecuária Fonte: Agrostat .000 20.5% PIB da pecuária 332. 100.000 -80.815.0 6.092.000 60.SECEX/MDIC.Elaboração ABIEC Gráfico 3 Saldo da balança comercial do Brasil e a importância do agronegócio em bilhões de dólares. 2013 R$ .618.000 -20.Milhões Porcentagem do PIB total PIB total 4.9% Fonte: IBGE / Cepea .000 -100.4 - PIB do agronegócio 1.238. Perfil da Pecuária no Brasil Tabela 1 PIB total. PIB do agronegócio e PIB da pecuária do Brasil em 2013.000 -60. Elaboração ABIEC 7 .000 80.000 40.844.0 22.

Empregos .02.

“ 9 . investi- carne bovina no Brasil foi recalculado pela mentos e faturamento na pecuária de Agroconsult. a partir do conceito elaborado por e já havia sido aplicada à cadeia produtiva da Najberg e Pereira (2003). quantificação do mais de R$380 bilhões em 2013.5% NA MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA DESTA CADEIA Empregos PRODUTIVA. distribuindo carne bovina em 2010. definição da com.1 Quantificação da cadeia A cadeia produtiva da pecuária no Brasil gerou e nível tecnológico. pelo professor Marcos Fava Neves. 2. volume de recursos destinados por cabeça e por hectare. a Agroconsult aplicou as por efeito renda. informações de sua base de dados para dimen- sionar o volume de recursos circulados em 2013.Os salários e encargos dos funcionários diretamente envolvidos no setor (fazendas e indústrias) movimentaram mais de R$9. 2013 HOUVE UM posição dos custos médios para cada atividade AUMENTO DE 10. A corte. quantificação O dimensionamento da cadeia produtiva de dos custos. indiretos e Seguindo a metodologia. considerando o nível tecnológico e distribuição “ENTRE 2010 E das atividades das fazendas. reinvestimentos. com dados referentes à 2013. estimativa dos custos com mão metodologia adotada foi a desenvolvida no de obra.77 bilhões em 2013. na indústria e em serviços PENSA/USP. de empregos em diretos. em estudo encomenda- e quantificando por setor a geração do pela ABIEC.

7 10. EPIs.838. Exportações Energia elétrica gado em pé 148. diesel.1 vel pela movimentação de mais de R$76. Os dados foram atualizados ora por indicadores da economia (IGP-DI) e au- Nutrição Gado abatido mento da produção. energia elétrica. 3. Já a produção dos animais propria. Manutenções.547.6 Fêmeas R$ milhões 20.707.5 R$ milhões bilhões.369. energia elétrica.1 R$ milhões Já o varejo foi responsável pela movi- mentação de mais de R$139. entre 9. R$ milhões R$ milhões Entre 2010 e 2013 houve um aumento de Protocolos e sêmen Machos 365.24 Diesel 2.3 R$ milhões R$ milhões etc – movimentaram R$7.9 bi.6 Os insumos utilizados nas fazendas de Sanidade animal R$ milhões 1. P&D e Insumos e serviços Fazendas de Pecuária fretes pela pesquisa original realizada em 40.9 produção de gado (nutrição. Insumos agrícolas 6.718. genética.959.6 R$ milhões outros) movimentaram cerca de R$40. R$ milhões Machos dade animal.462.5% na movimentação financeira desta R$ milhões R$ milhões Animais cadeia produtiva. SISTEMA AGROINDUSTRIAL DA CARNE BOVINA mento e atualização dos faturamentos de Movimento do agronegócio da Pecuária em 2013 alguns dados relacionados a outros insu- mos da indústria.2 restante veio das exportações e venda no R$ milhões mercado interno de couro e demais subpro- dutos bovinos. serviços e peças As indústrias movimentaram R$101.8 R$ milhões 10 . 1.244.4 própria indústria.961. O 7. rastreabilidade.2 62. de reposição 12.49 bilhões.8 bilhões ao Empregos Reinvestimentos longo de 2013.334. R$ milhões 2.798. sani. sendo que a venda de carne no mer- cado interno foi responsável cerca de 70% Funcionários e encargos deste total e as exportações.2015 Esquema 1 Mapeamento da cadeia Em seguida foi realizado o redimensiona.733. Os insumos para as indústrias – sendo eles embalagem.24 76.331. produtos de limpeza. 7. ora por indicadores da 8. por 14%.0 equipamentos. Despesas administrativas 733.616.0 mente dita (incluindo venda de gado para o R$ milhões abate e animais de reposição) foi responsá.8 Fêmeas bilhões.59 R$ bilhões R$ bilhões 2010.4 42. Relatório Anual .3 R$ milhões lhões.

6 R$ milhões R$ milhões Varejo de outros produtos 17.0 R$ milhões Embalagem Carne mercado interno 2.100.5 R$ milhões Frete e diesel interno 5. manut.684.029.443.7 Energia Elétrica Exportações de carne R$ milhões 2.593.83 R$ bilhões R$ bilhões R$ bilhões Carnes no varejo 121.0 R$ milhões R$ milhões Filtros de água 93.3 5.8 R$ milhões R$ milhões Óleo para caldeiras Couro no mercado interno 210.2 Empregos Salários e encargos P&D 58.6 R$ milhões R$ milhões Peças.7 1.5 Rastreabilidade 58.0 2.49 101.029.5 9.956.161.0 Óleos e graxas lubrificantes 22.0 R$ milhões Transporte exportação 150. do mercado e Markestrat/PENSA .6 R$ milhões Agentes facilitadores R$ milhões EPIs 69.2 Serviços terceiros 8.9 68.11 R$ bilhões Insumos e serviços indústria Faturamento Frigoríficos Varejo Total 7.Elaboração ABIEC 11 . equip. Exportações de couro 381.3 R$ milhões R$ milhões Produtos de limpeza Sebo no mercado interno 105. usando dados do IBGE.90 139.9 14.3 2. Perfil da Pecuária no Brasil 380.985.878.609.7 R$ milhões Fonte: Agroconsult.110.442.2 R$ milhões R$ milhões Gases refrigerantes Demais Subprodutos 104.

03. A Pecuária do Brasil .

3%.9 milhões TEC 2.77%) Produção de carne 7. 3. o rebanho bovino total de carne bovina no Brasil cresceu brasileiro cresceu 1. produzindo 10. Desse total.312 cabeças Peso Médio de Carcaça: 239.11% Abate Confinamentos: Rendimento Médio 42.1 Perfil 2014 167 milhões de hectares de pasto Taxa de Lotação: 1.07 milhões TEC Consumo per capita: 39.77% foi exportado e 79.3 milhões de cabeças 681.07 milhões de toneladas equivalente carcaça./ha Importação Exportação animais vivos Rebanho de animais vivos 273 cabeças 208.5kg Desfrute: 20. 13 .23 cab.3%-55% Mercado Interno (79.07 milhões de cabeças 4.22%) EXPORTAÇÃO (20.09 milhões TEC 10.66 milhões de cabeças Carcaça: (Zebu) (11% do abate total) 52.22% foi absorvido no mercado interno.4% Miúdos e outros 1. representando um crescimento de carne aumentou 18. 20.62 milhões TEC 257 mil TEC 215 mil TEC 93 países 91 países 72 países Rússia: 26% UE-27: 48% Hong Kong: 46% Hong Kong: 21% EUA: 21% Angola: 6% Venezuela: 14% Outros: 13% Outros: 10% A Pecuuária do Brasil Egito: 12% Outros: 28% Em 10 anos.2%.2kg/ano 80% In Natura 12% Industrializada 8.07 milhões de cabeças em 2014.O Brasil abateu 42. O consumo no consumo per capita de 7.9% e a produção 18%.

56 milhões de cabeças a cada ano.00 100.2 Rebanho Bovino Brasileiro Gráfico 4 Rebanho bovino do Brasil. em milhões de cabeças.7% em dez anos. cerca de 2. por região.00 1974 1975 1976 1977 1978 1979 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Fonte: IBGE / Agroconsult .00 A Pecuuária do Brasil 0.Elaboração ABIEC 14 . 200.00 50.00 150.Elaboração ABIEC Foi na região Norte o maior crescimento registrado no rebanho brasileiro. Relatório Anual . em milhões de cabeças 230 210 190 170 150 130 110 90 1974 1976 1978 1980 1982 1984 1986 1988 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 2014 Fonte: IBGE / Agroconsult . Houve aumento de 141. Gráfico 5 Evolução do rebanho bovino brasileiro.2015 3.

332 12.090.749 Ceará 2.248.83% 7.683 69.78% 22.198 -16.600 0.21% 10.139 75.928 39.928 94.867.718 -24.721 -2.177.469 90.790.35% 163.23% 9.425 95% 1. Perfil da Pecuária no Brasil Tabela 2 Informações dos maiores estados pecuários do Brasil.039.508 0.787.91% 20.764.841 97% 58.868 41.059 90% 29.270 83% 309.50% 800.270 3.162 5.002 13.05% 2.474.073 31.445.05% 104.10% 18.94% 29.60% 9.834 Bahia 10.960.026 -0.034 Tocantins 7.516 56.840.787 51.39% 3.062.456.707 87.646.907 93% 2.323 Acre 2.203 Espírito Santo 2.760.974.213.78% 3.055.835 1.764.819 21.768 Piauí 1.547.156 Sul Mato Grosso 23.07% 1.095.735.051.179 81.522 Rio Grande do 1.092 96% 95.387.454 91% 41.08% 22.87% 27.14% 345.338.642 98% 43.452.03% 992.388 53.576 Norte Paraíba 1.25% 512.677 -43.925 37.612 2.851 Paraná 9.886.27% 1.09% 493.28% 703.020 Distrito Federal 98.481 Rio de Janeiro 2.96% 1.313 44.07% 8.83% 1.641 76% 80.555 89% 134.66% 27.29% 521.050 Pernambuco 2.579.05% 117.484.37% 1.93% 423.076 52.573.21% 6.203.792 0.510 96% 111.88% 2.45% 976.410.062.740 0.188 A Pecuuária do Brasil Goiás 20.76% 337.358 0.919 98% 6.398.206.519 BRASIL 205.352.664.095.410 -22.880.147 9.324 7.620.883 -13.081 0.02% 1.271 -16.012.00% 208.51% 931.746 83% 125.982 44.27% 973.018 70.855. % de animais exclusivamente destinado a corte por Estado Número de propriedades Crescimento do rebanho Porcentagem de animais com aptidão para corte nos últimos 8 anos (%) rebanho do Estado no Rebanho com aptidão na produção leiteira genética para corte Rebanho envolvido Rebanho estimado Rebanho pela PPM em 2014 (cabeças) Porcentagem do em 2006 (Censo) total do Brasil com bovinos * (cabeças) (cabeças) (cabeças) Estados Rondônia 11.350 2.14% 2.764 3.378 0.65% 12.773 São Paulo 12.47% 2.243.637 7.678 8.002.98% 29.79% 15.306.21% 9.761 99% 49.669.098.66% 6.30% 1.643 5.549.07% 978.683 28% 1.341 59.64% 193.735 90% 171.029.121 99% 88.02% 2.067.027.448.705 Pará 17.58% 111.406.613.352 0.255 93% 19.359 Minas Gerais 22.632.820.59% 257.431 66.409 78.173 11.119.309 1.50% 1.129.560 10.60% 1.600 94.15% 64.89% 1.53% 612.74% 9.460.25% 717.092.915 1.75% 3.551 23.675 Sergipe 1.523 do Sul Mato Grosso 26.157.66% 1.053.905 93% 39.244 100.149.792.347 Maranhão 6.792 Amazonas 1.77% 9.980 98% 77.701 74.484 98% 14.590 3.360 Rio Grande do 13.209.827 6.111 87% 38.521 95% 77.798.14% 13.511.267 89% 336.555 6.726.070.185.992 Alagoas 1.437 93.00% 694.333.035 79.289 0.28% 4.238.52% 20.84% 28.501.407 96% 13.666 1.01% 6.286 Fonte: Agroconsult / IBGE .68% 4.236 87.337.312.383 6.323 66.154 10.290 11.947 Amapá 109.670 -42.543 Santa Catarina 3.838.424 11.864 79.944.819 73.870.539.166.53% 1.589 1.93% 50.Elaboração ABIEC * dados segundo último Censo – 2006 15 .177 80% 151.06% 12.782 1.07% 17.58% 12.738.996 Roraima 508.87% 3.870 92% 117.586.33% 1.50% 18.34% 1.593 54.52% 1.253.033 61.49% 1.03% 2.92% 1.366 -3.064.19% 1.184 1.953 53.545 4.03% 23.989 83.479 85% 76.857 5.

678.423 33.263 Piauí 2.877.348 Maranhão 6.856 12.145 84.771 49.108.122 113.384 63.167 9.079 9.782 Roraima 713.861 35.808 2.957.809 25.566.062 Espírito Santo 1.429 8.438.494 1.Censo 2006 Área de pastagens Menor Entre Entre 200 Entre 1000 Maior Total (hectares .590 133.422.436 243 123 18.418 48. Relatório Anual .981 14.172.840 37.835 683 314.243 Minas Gerais 19.338 Rio Grande 11.675 420 3.572.588 172.240 125.287 8.876 62.168 198 113 13.515 1.162 94.755 1.699.382 2.978 2.726 27.272 14.787 179 51 140.379 293 50 47.565 3.782.469 Ceará 2.853 2.510 4.802 1.464 São Paulo 8.389 11.010 435 329.564 10.223 159.048 3.559 17.273 29.901 do Sul A Pecuuária do Brasil Mato Grosso 24.174.417 12.456 Rio Grande 1.118.273 Acre 1.068 982 272 128.244 724 135 211.558 Goiás + DF 17.377 204.024 Pernambuco 2.653 7.647 12.392.626 Amazonas 791.290 18.533 110.663 Bahia 13.664.2015 Tabela 3 Número de estabelecimentos por área por Estado .615 118 16 30.498.713 22.978 775 267 63.076 2.016 1.546 432 127 124.347 221 50 147.847 1.473.391 4.934 267 34 92.165 1.436 54.399.936 12.119 27.303.768 569 199 75.480 9.936 2.103 922 62 12 40.669 858 43.557 29.480 do Norte Paraíba 1.546 69.329 748 354.227 82.950 14.515 4.Ano base 2006 Número de estabelecimentos por Área (ha) .571 3.601 do Sul Mato Grosso 27.580 80.584 39.939 8.392 Rondônia 6.684 12.704 1.ha) que 20 20 e 200 e 1000 e 2500 que 2500 Brasil 185.511 5.524 84 386 134 36 21 661 Tocantins 9.836 3.251 783 184 94 4.226 Alagoas 963.738 44.349 Amapá 381.542 43.135 Sergipe 1.009 418 93.376 166.326 1.407 2.064.463 107.239 2.072 15.213 1.531 55.778 29.077 104 31 45.350 170.246.238 Paraná 5.477.173 12.807 7.572 101 25 30.373 36.257 7.305.576 4.290 16 .909 24.808 14.075.732 Pará 14.355 1.206 18.945.227 16.338 50.013 66.653 2.650 1.935 Rio de Janeiro 1.936 Santa Catarina 1.754.

310 1.384 1.466 176.259 722.764 6.782.250 3.413 19.467 4.957.662 919.960 4.246.861 263.473.118.943 3.829 1.372 19.349 1.429 2.373 391.353 941.013 443.412 698.305.754 3.501 Rondônia 6.373 365.981.427 1.096.227 565.613.456 Ceará 2.463 723.449 20.837 16.778 219.003 108.634.843 Rio Grande 1.152.069 678.588 1.704 31.865 Sergipe 1.764.638 Roraima 713.298 Bahia 13.185 do Norte Paraíba 1. Perfil da Pecuária no Brasil Tabela 4 Rebanho por tamanho da propriedade por Estado .726 Acre 1.477.172.924.120.600 899.784.736.119 571.452 63.230.458 3.506.559 397.908 1.047.766 371.945 6.666.716 743.551 52.162 1.877.349.856 318.512 5.530 20.115 78.532 3.888 1.966 198.502.930.565 50.315.151 684.487.207 81.880 107.510 do Sul A Pecuuária do Brasil Mato Grosso 24.515.759 9.892.309 3.541 397.169 895.637.462. 2006) 17 .312.012.432 Alagoas 963.132 111.422.162.305.145 10.839 233.849 368.457 Pernambuco 2.807.173 330.407 341.832 3.118.874 862.155 163.904 2.975.126.112 1.702 50.396 Pará 14.945.240 127 6.639 8.420.654 34.100 Amazonas 791.675 14.620.754.613 242.224.969.808 332.588 4.092 3.677 3.Ano base 2006 Rebanho (em cabeças) por tamanho da propriedade (ha) .174.524 4.026.446 965.ha) que 20 20 e 200 e 1000 e 2500 que 2500 Brasil 185.451 20.354.742.815 Tocantins 9.542.332.223.377 1.723 1.672 242.303.565.438.587.521 269.336 18.328.376 2. IBGE (Censo.170.Censo 2006 Área de pastagens Menor Entre Entre 200 Entre 1000 Maior Total (hectares .052 443.071 347.147.002 Rio Grande 11.228.353.325 10.174 135.094 1.314 761.880.847 16.808 241.580 652.817 do Sul Mato Grosso 27.667.934 8.967 207.460 576.041.450 8.939 3.212 1.830.334.715 20.549 539.498.584 498.590 1.113 3.989 Fonte: Agroconsult .326 4.273 536.217 2.176 12.778.111 144.906 4.698 Amapá 381.240 10.248 453.595.126.064.519 2.184 52.282 4.137 397.432 1.622.118.345.892 1.147 Goiás + DF 17.681 1.077 1.853 222.557 277.258.129.217 São Paulo 8.430 Paraná 5.501 Rio de Janeiro 1.837 2.017 11.774 25.867 168.948.065 539.464 15.360.459 Minas Gerais 19.572.362.593 785.718 299.981 269.046.639 37.223 85.807 208.333 1.858 61.316 907.812. 2006 e PPM.634 4.194 2.395.399.392 818.664.013 98.335 Espírito Santo 1.229.941 1.566.108.920 75.164 Piauí 2.391 112.128 2.423 47.107 Santa Catarina 1.314 8.429 779.688 9.699.525 802.130 11.791.996 86.071 14.408.497 1.224 3.397 111.275.729 Maranhão 6.927 1.649.

151 726.00 1.00 4.00 confinamento) 90% A Pecuuária do Brasil 0.00 A produção de carne no Brasil é 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 majoritariamente a pasto.30% Vila Rica .964 934.13% Vila Bela da Santíssima Trindade .095 6.000 454.380.669.50 0.15% Cumaru do Norte .552 70.65% 661.38 terminados em 4.PA 22.75% Cáceres .529 -21.42 2.2015 Tabela 5 Rebanho dos maiores municípios pecuários do Brasil e crescimento nos últimos 10 e 20 anos.69% Aquidauana .06 4.RS 531.217 648.38 3.625 36.RO 46.44% 101.GO 400.20% Alegrete .20% Novo Progresso .889.Elaboração ABIEC terminados em confinamento em 2014.MT 319.051 767.051 -23.50 Abate total (exceto 1.96% Ribas do Rio Pardo .MS 1. 5.689 426.MT 295.54% Altamira .90 3.310 30.85 3.46 3.50 confinamento 4.079 889.MS 550.00 2.313 16.69% Corumbá .30% 710.PA 105.88% 3181.110 648.985 740.512 18.221 -5.83% Novo Repartimento .30% 25.08 3.03% 200.56 3.387 624.08 3. Rebanho Rebanho Rebanho Crescimento Crescimento Município/Estado em 1994 em 2004 em 2014 do rebanho em do rebanho em (cabeças) (cabeças) (cabeças) 20 anos (%) 10 anos (%) São Félix do Xingu .050.625 526.316 3.000 676.79% Alta Floresta .41% 96.000 688.PA 84.000 816.287 -1.340 787.246 723.872 19.840 1.MS 1.078.698 670.917 1.84% Água Clara .017 2.06 2.947 -21. Relatório Anual .MS 680.100 698.039 808. 18 .451 621.25% 17.400 1.02% Nova Crixás .143 611.573 666.99% 534.66 Abate de animais 4.53% Fonte: Agroconsult / IBGE .643 863.738 639.50 2.577 892.55% Sant’Ana do Livramento .MT 339.041 13.380.90 10% 4.MT 110.33% 18.09% 468.73% Juara .360 919.29% Marabá .Elaboração ABIEC Gráfico 6 Número de bovinos confinados no Brasil.553 1.594 943.378 689.930 1.698 -11.99% Porto Velho .000 378.96% -28.000 587.273 3.MS 726.MT 443.473.63% 192.371 1.264 75.64% 20.PA 72.36% 1456. Cerca 10% de todos os animais abatidos foram Fonte: Agroconsult / IBGE .00% Porto Murtinho .42% 142.000 314.05 2.86% 522.PA 80.11% 1.527.12% 2753.39% -6.871 821.456 635.PA 135. em milhões de cabeças.50 3.228 106. Porcentagem de animais terminados em confinamento no abate total do Brasil.479 726.737 69.RS 567.00 3.

A Pecuuária do Brasil Rebanho por município (2012) Densidade (cabeças/hectare) Estados Capitais Estados Fonte: Agrosatélite Fonte: Agrosatélite 19 . Perfil da Pecuária no Brasil Gráfico 7 Evolução da porcentagem de bois abatidos com mais de 36 meses entre o total de machos.84% 10.08% 50. Não inclui touros.60% 9.22% 11.48% 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Fonte: Agroconsult Mapa 1 Mapa 2 Efetivo de bovinos no Brasil Densidade de bovinos no Brasil.55% 21.52% 8.58% 16.98% 17.03% 24.73% 9.18% 36.57% 7. Porcentagem de bois (não inclui touros) terminados com mais de 36 meses no total de machos 52.72% 11.95% 16.56% 16.71% 29.47% 21.

35 11.85 29.84 6.55 Manutenções 14.3 Custo de Produção Gráfico 8 Custo de produção em fazendas considerando seis níveis diferentes de tecnologia .86 15.05 3.19 Depreciações 38.55 Energia elétrica 0.23 0.09 5.03 4.00 7.57 79.97 13.00 0.73 78.23 3.23 15.42 3.14 Funcionários 17.13 5.25 Administrativos 1.08 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% A Pecuuária do Brasil 0% 1-3@/ha 3-6@/ha 6-12@/ha 12-18@/ha 18-26@/ha 26-38@/ha Nutrição Defensivos Agrícolas Funcionários Energia Elétrica Programa Sanitário Combustíveis e Lubrificantes Manutenções Depreciações Corretivos e Fertilizantes Reprodução Administrativos Fonte: Agroconsult 20 .42 0.40 3.3 @/ha 3 .79 Reprodução 0.40 5.94 3.00 4.90 4.14 0.78 4.65 4.22 4.38 16.89 4.84 0.21 0.6@/ha 6-12@/ha 12-18@/ha 18-26@/ha 26-38@/ha Nutrição 10.13 Corretivos e fertilizantes 0.09 16.72 1.53 14.10 3.27 3.29 14.05 Custos operacionais totais 94.56 0.Ciclo Completo.10 3.69 80.71 0.59 15.53 1.05 4.41 7.25 0.14 8.40 79.87 Combustíveis e Lubrificantes 8.99 Programa sanitário 3.71 26.2015 3.68 4.51 6.58 Defensivos agrícolas 0.15 2. R$/@ Extrativista Baixa Tec Média Tec Adequada Alta Tec Intensivo Composição de Resultados 1 .20 0.98 77.39 6.56 33.45 8.25 20. Relatório Anual .98 1.70 6.

30 Funcionários 13.82 6. Perfil da Pecuária no Brasil Gráfico 9 Custo de produção em fazendas considerando seis níveis diferentes de tecnologia .23 5.57 9.27 4.54 1.33 Programa sanitário 2.09 109.22 0.47 3.17 7.82 0.32 0.04 Combustíveis e Lubrificantes 6.72 Energia elétrica 0.56 Reprodução 0.23 1.14 Custos operacionais totais 66.23 0.00 1.60 4.16 68.23 25.09 4.52 4.12 8.60 91.38 11.51 10.25 Manutenções 0.63 33.6@/ha 6-12@/ha 12-18@/ha 18-26@/ha 26-38@/ha Nutrição 9.3 @/ha 3 .17 4.71 1.69 45.34 Administrativos 1.14 15.04 17.87 4.84 55.23 10.07 Corretivos e fertilizantes 0.07 15.00 3.03 3.91 0.10 103.61 3.70 5.27 81.92 3.83 11.30 10.67 3.34 4.28 9.92 Defensivos agrícolas 0.29 17.Cria R$/@ Extrativista Baixa Tec Média Tec Adequada Alta Tec Intensivo Composição de Resultados 1 .50 4.39 10.23 Depreciações 33.22 0.47 4.23 0.91 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% A Pecuuária do Brasil 0% 1-3@/ha 3-6@/ha 6-12@/ha 12-18@/ha 18-26@/ha 26-38@/ha Nutrição Defensivos Agrícolas Funcionários Energia Elétrica Programa Sanitário Combustíveis e Lubrificantes Manutenções Depreciações Corretivos e Fertilizantes Reprodução Administrativos Fonte: Agroconsult 21 .72 13.09 3.00 6.00 6.35 4.22 7.13 0.31 1.

57 92.11 4.14 1.96 Reprodução 53.79 Custos operacionais totais 104.51 8.40 1.44 53.00 2.Recria e engorda.24 0.42 Combustíveis e Lubrificantes 4.09 1.67 1.90 6.56 2.44 53.77 0.75 1.35 0.62 3.13 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% A Pecuuária do Brasil 1-3@/ha 3-6@/ha 6-12@/ha 12-18@/ha 18-26@/ha 26-38@/ha Nutrição Defensivos Agrícolas Funcionários Energia Elétrica Programa Sanitário Combustíveis e Lubrificantes Manutenções Depreciações Corretivos e Fertilizantes Reprodução Administrativos Fonte: Agroconsult 22 .72 0.25 1.48 2.17 0.49 9.10 0.2015 Gráfico 10 Custo de produção em fazendas considerando seis níveis diferentes de tecnologia .47 0.17 6.26 0.23 0.41 Programa sanitário 1.3 @/ha 3 . Relatório Anual .75 7.36 1.79 2.28 Corretivos e fertilizantes 0.18 20.00 4.6@/ha 6-12@/ha 12-18@/ha 18-26@/ha 26-38@/ha Nutrição 4.69 2.44 53.76 3.51 89.88 92.93 Manutenções 8.19 Energia elétrica 0. R$/@ Extrativista Baixa Tec Média Tec Adequada Alta Tec Intensivo Composição de Resultados 1 .28 1.68 0.44 53.12 94.26 Defensivos agrícolas 0.45 2.40 3.39 1.87 1.14 0.44 Funcionários 7.44 53.93 7.29 1.49 2.24 15.35 Administrativos 0.61 1.27 13.74 2.10 0.54 22.10 Depreciações 24.53 17.13 5.10 2.27 103.

598.0 4.9% 4.6% Paquistão * 36.7% União Europeia 87.075.1 6.3 14.500 2.8% México 27.4 32.475.1% 11.0% Austrália 29.3 6.3 2.Elaboração ABIEC Gráfico 11 Evolução da produção de carne bovina entre 2004 e 2014.0 6.510.9% Brasil 208.0% 2.5% 1. em mil tec.2 2.0 4.0% 7.1 0.7 37.1% 947.0 3. Perfil da Pecuária no Brasil 3.0 2.7 14.0 3.820.9% Estados Unidos 88. Produção de carne País Cabeças (milhões) % mundial % mundial bovina .6 2. Índia Brasil Paquistão Paraguai Colombia Austrália China Usbequistão Uruguai México Ucrânia Estados Unidos A Pecuuária do Brasil Rússia EU-27 -1.6 5.7% 6.6 1.1 1.100.5% China 82.000 Fonte: Agroconsult / FAO / USDA / OCDE – Elaboração ABIEC 23 .000 -500 0 500 1.9% 1.126.0 10.8 3.0 16.525.2% Outros 541.7% Sudão 30.760.675. mas produção de carne inclui carne bubalina Fonte: Agroconsult /USDA/FAO .000 1.0% * rebanho apenas bovino.6 100.2% 19.455.0% 59.7% Argentina 52.6% 2.tec (mil) Índia* 216.0 12.0 18.405.6% Mundo 1.8% 441.9% Etiópia 54.4 Mapas da Pecuária Mundial Tabela 6 Maiores rebanhos e maiores produtores de carne do mundo em 2014.3% 10.0 100.

0 10.42% Japão 750.0 60.0 479.0 407.0 68.78% 10.5 1.8 31.5 67.2015 Tabela 7 Maiores exportadores de carne bovina em 2014.0 Índia * 1.0 3.0 80.0 70.0 67.0 .0 88.6 73.37% 645.0 .9 12.0 União Européia 255.1 0.79% China 460.0 0. % exportada sobre País Exportações .41% 7.760.00% Malásia 200.0 .0 México 180.7 90.3 4. 0.850.40% 59.0 45.0 6.0 Outros 557.075.0 16.47% Filipinas 155.0 34.0 73.0 7.0 .1 0.5 26.093.76% 1.18% 550.Elaboração ABIEC 24 .0 44.0 27.tec (mil) Produção tec (mil) o que produz Brasil 2.179.820.7 2.30% 16.03% Irã 180.218. 0.00% Mundo 7.00% União Europeia 360.775.03% Coréia do Sul 410.917.5 3.0 Estados Unidos 1.876.050. 0.0 54.510.83% Canadá 280.27% Arábia Saudita 195.45% Rússia 825.0 219.0 220.475.0 18.0 Canadá 365.31% Chile 235.0 216. Importações totais Importações do Brasil Países % BR em cada mercado Mil TEC Mil TEC EUA 1.0 Paraguai 375.87% Outros 783.54% 570.0 Mundo 9.23% 1.775.0 .598.6 22.74% 2.0 Austrália 1.00% Hong Kong 650.0 49.12% 4.21% Taiwan 140.0 0.72% 2.84% Venezuela 325.76% Egito 240.41% México 235.58% Fonte: FAO / USDA/ FMI / Agroconsult . Relatório Anual .0 Uruguai 385. 0.100.00% A Pecuuária do Brasil Argélia 120.0 Nova Zelândia 570.60% 11. 0.0 Argentina 190.5 20.7 49.126.0 2.093.3 42.0 * carnes bovina e bubalina Fonte: FAO/USDA/FAPRI/IBGE/Agroconsult / ABIEC Tabela 8 Maiores importadores de carne bovina do mundo e quanto o Brasil representou em cada um destes mercados em 2014.97% Angola 115.0 2.0 10.

0 15.0 8.2 203.4 2.8 Brasil 7.0 18.834.0 19.7 186.8 23. Índia Estados Unidos Brasil Paraguai México Austrália Belarus Uruguai Nicargua Paquistão Jordan Colombia China Nova Zelândia Ucrania UE .0 25.580.616.205.5 Venezuela 585.0 China + Hong Kong 7.4 Outros 6.7 Austrália 817.7 42.0 15.0 2.0 6.982. Consumo total de Consumo per capita Ranking População mi habitantes carne bovina (mil tec) (kg/hab/ano) Estados Unidos 11.200 1.1 7.118.374.0 Rússia 2.0 15.0 20.0 39.6 35.259.2 119.8 1.4 142.5 85.5 1.7 127.2 47.6 3.9 Mundo 57.815.3 México 1.0 62.0 54.Elaboração ABIEC Tabela 9 Maiores consumidores de carne bovina em 2014.0 15. Perfil da Pecuária no Brasil Gráfico 12 Evolução da exportação de carne bovina entre 2004 e 2014 – em mil tec.9 A Pecuuária do Brasil Nova Zelândia 93.2 318.6 Japão 1.0 9.5 Egito 560.7 30.0 34.7 África do Sul 850.250.235.6 Paraguai 177.9 Paquistão 1.7 Argentina 2.0 1.630.8 53.5 Uruguai 186.0 5.0 8.080.6 6.27 Canada Argentina -600 -400 -200 0 200 400 600 800 1.215.8 Colômbia 868.400 Fonte: Agroconsult / FAO / USDA / OCDE .9 Fonte: FAO / USDA/ FMI / Agroconsult .Elaboração ABIEC 25 .6 4.8 União Européia 7.0 27.2 30.514.0 35.8 Índia 2.630.000 1.0 507.1 Canadá 979.0 15.5 Uzbequistão 481.

Indústria .04.

70% 1.77% 5. ADAB. Roraima 400 .35% - 18. - 16. DIAGRO. Rio Grande do Sul 10.68% 4.95% 11. 78. Pará 9. ADAPEC. - 12.60% 13. Acre 1. Mato Grosso do Sul 23.43% 11.23% 10. SEAPA. Amazonas 1. Mato Grosso 35.89% . Espírito Santo 3.180 . considerando os Serviços de Inspeção Federal (SIF).620 39. CIDASC. SEAGRI.51% Fonte: Agroconsult / IBGE /Markestrat/ MAPA.529 76.22% 0. 43. CODESAV.61% 20. IAGRO/GIPOA. IMA.33% 0.16% 71. SEAPEC.32% 6.79% 3. Alagoas 680 .24% 5. Goiás 20. São Paulo 24. Tabela 10 Capacidade de abate dos Estados brasileiros.541 81.60% 5.600 . Tocantins 6. - 14.46% 55. Rondônia 13.233 .30% 8. . - TOTAL 198.35% 9.466 93.19% 10. IDARON. ESEB. ADAGRO. ADEAL.49% 61. Minas Gerais 15. Capacidade de abate Ranking Estado % abate SIF % abate SIE % abate SIM (cabeças por dia) 1.97% - 17. Sergipe 400 . Paraná 12.41% 3. ADAPI.17% 17. AGED. . AGRODEFESA. Bahia 9. Estadual (SIE) e Municipal (SIM). SISP.17% 12. Santa Catarina 4.424 97. Rio de Janeiro 3.03% 13.975 69.249 92.92% - 15. .64% .42% 3.87% 58.248 34.354 87. IDIARN.170 65.308 84.16% 8.09% 4. 94.026 .692 23.Mapa 3 Localização dos frigoríficos com Serviço de Inspeção federal (SIF).750 71. - 20.91% 26.51% 19.213 95.20% 6. INDEA Indústria 27 .69% .45% 0. - 7.36% 6. IDAF.31% 2. Maranhão 2. 38.

104 Outros agronegócio 11.990 Leite e Derivados 332.010.247 Papel e celulose 7. Agronegócio Carne (exceto carne Produto US$ Fob bovina bovina) 03% 38% Soja Açúcar 31.087. Relatório Anual .867.666.076 Outras carnes 9.998.201.407.224.772.796 Pescados 191.454 Mel 98.357.217.555. MAPA.242.2015 4.615. MAPA.322 10.999 59% Indústria TOTAL 236.355.621.976.559.970.45 -84. Balança comercial US$ bilhões Setores Exportações Importações Saldo Outros setores 128.642.131.384 Carne Bovina 7.887 Couro e calçados 4.75 16.801 Suco de Laranja 1.1 Exportações Tabela 11 Balanço das exportações.09 Agronegócio 96.583 Fumo 2.751 Fonte: Agroconsult.276 Cacau 337.13 Brasil total 225.10 229.920 Demais setores Outros setores 139.576.35 212.966.520.440.06 -3.057 Ovos e gemas 89.287.927.596 Café 6.450.419.501. Secex/MDIC 28 . Secex/MDIC Gráfico 13 Importância das exportações de carne bovina no total de exportações brasileiras e do agronegócio em 2014.076.430.424 Frutas 791.835 Madeiras 2.61 80. importações e saldo por setores.96 Fonte: Agroconsult.

50 3. Variação 2013 2014 Variação 2013 2014 Variação 2013 2014 CATEGORIA Preço Mil US$ Mil US$ US$ Toneladas Toneladas Toneladas US$/t US$/t Médio In natura 5.458.429.615.68% Total 6.49% 101.235.228.981.000 3.85 1.80% 1.81 4.14 102.726.515.000 0 0 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Faturamento (Mil US$) Toneladas PM (US$/Ton) Fonte: MDIC / SECEX / ABIEC Gráfico 15 Principais destinos da carne bovina exportada em 2014 – em faturamento Hong Kong .33% 5.62% 191.000 1.320.30 -0.80 -11.539.193.766.10% Chile .93 604.928.827.000 4.000 6.159.000 6. Perfil da Pecuária no Brasil Tabela 12 Exportações brasileiras de carne bovina.68 24.000.237.701.2% Venezuela .501.000 5.000. 8.52 5.000.13% Argélia .999.74% 5.64 4.735.20 102.00 4.33 8.83 1.371.131.167.50 186.189.80% 4.52% 2.57 7.18% Estados Unidos .711.79% 1.48% 4.8% Outros .07 -18.035.81% Industrializada 612.41% Tripas 127.09% 6.70 4.000 4.25 7.45 4.3% União Europeia .15 4.15 8.1% Indústria Egito .99 -19.79 26.38 1.4% Fonte: MDIC / SECEX / ABIEC 29 .18% Fonte: MDIC / SECEX / ABIEC Gráfico 14 Evolução das exportações brasileiras de carne bovina.000 2.40 3.4% Rússia .000 1.83 3.25 5.930.000.18% 24.57 7.29 -3.314.13% Angola .000.843.000.512.024.000.687.34% Miúdos 562.64% 5.268.565.127.695.246.000 2.000.807.000 5.81 10.000 7.97 5.866.286.224.308.77 -2.09 4.74 6.000 3.58% Salgadas 27.19 646.24% Irã .687.296.

2015 Gráfico 16 Principais destinos da carne bovina exportada em 2014 – em volume Hong Kong . Relatório Anual .1% União Europeia .300 .1% Outros .300 20 .4% Venezuela .20% Chile .20.392.26% Irã .600 1 .400 600 .12% Fonte: MDIC / SECEX / ABIEC Mapa 4 Exportações brasileiras de carne bovina em 2014.20 0 Indústria Fonte: Agrosatélite/Agroconsult /Secex/MDIC .8% Argelia .4% Rússia .2% Egito . Exportações 2014 (ton) 20.11% Estados Unidos .Elaboração ABIEC 30 .11% Angola .

000 ton carne 1.000 2011 5. 1. em faturamento . Maiores mercados da carne bovina brasileira. Perfil da Pecuária no Brasil Gráfico 17 Gráfico 18 Maiores mercados da carne bovina brasileira.porcentagem.200 2011 2010 1. em faturamento.400 2013 2012 1.000 2010 1. em volume – porcentagem.000 2004 2003 0 0% 20% 40% 60% 80% 100% 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 Outros Estados Unidos Irã Rússia Hong Kong Egito Itália Países Baixos Paises Baixos (Holanda) Itália Egito Hong Kong (Holanda) Rússia Irã Estados Unidos Reino Unido Chile Venezuela Venezuela Chile Reino Unido Outros Fonte: MDIC / SECEX / ABIEC Fonte: MDIC / SECEX / ABIEC Gráfico 19 Gráfico 20 Maiores mercados da carne bovina brasileira.000 2005 1. em volume.000 US$ 2009 4.000 2008 3.000 2013 2012 6. Maiores mercados da carne bovina brasileira. 8.000 2007 2006 2.600 2014 1.000 2009 800 2008 600 2007 2006 400 2005 200 2004 2003 0 0% 20% 40% 60% 80% 100% 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 Hong Kong Egito Itália Países Baixos Outros Estados Unidos Irã Rússia (Holanda) Rússia Irã Estados Unidos Paises Baixos (Holanda) Itália Egito Hong Kong Venezuela Chile Reino Unido Outros Reino Unido Chile Venezuela Indústria Fonte: MDIC / SECEX / ABIEC Fonte: MDIC / SECEX / ABIEC 31 .000 2014 7.

Retrospectiva e Projeções da Pecuária .05.

86 per capita Unidade 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Rebanho Mi cabeças 205.204.Elaboração ABIEC 33 .3 2.063 Líquidas Rebanho Total 1.227.93 39.7 Importação Mil tec n/i n/i n/i n/i 31.666.72% 23.749.672 42.131.000 158.414 8.20 1.9 Consumo Mil tec 7. Secex/MDIC .Tabela 13 Rebanho brasileiro.9 2.703.3 2.572 Abate cabeças 23.308 208.830 7.27 41.3 8.319.34 38.243 164.92 1.545.16 1.4 1.5 Importação Mil tec 41.202 221.405 28.070 47. exportação.75 202.79 39. importação.20 per capita Fonte: Agroconsult.86 46.028 6.1 8.963 9.4 de carne Exportação Mil tec 1.4 8.398 3.621 204.92% 18.2 10.075.722.05 44.5 9.28 210.703. produção de carne.39 Desfrute Porcentagem 16.25 41.7 10. IBGE. Variável Unidade 1994 1999 2004 2009 2014 2019 2024 1.0 1.277.000 tec Exportações .854 9.11% 22.490 Retrospectiva e Projetos da Pecuária Consumo 5. IBGE .970 hectares Produção 5.47 208.028 5.956.8 44.364.6 Consumo kg/ano 39.4 7.075 11.854. consumo e consumo per capita nos últimos 10 anos.982 8.9 1.652.767 2.613 158.3 9.427 Doméstico 1.Elaboração ABIEC Tabela 14 Informações históricas e projeções da pecuária até 2024.131 7.5 1.007.   Unidade 2004 2005 2006 2007 2008 Rebanho Mi cabeças 204.283 38.30% 20.2 8.0 Consumo kg/ano 38.000 163.16 205.15% 19.723 1.361 12.2 10.325.367.883 38.1 57.84 0.45% 20.907 Taxa de lotação cab/ha 0.341 179.8 60.1 75.989.0 1.079.11 41.7 10.524 176.767.2 9.51 207.31 209.033 171.54 212.709.513 205.093.495.34 Produção Mil tec 9.052 50.093 2.9 7.644.000 Área Pastagem 187.31 Produção Mil tec 8.701.7 2.86 39.8 7.3 Consumo Mil tec 7. Secex/MDIC.454 7.337 215.59% Fonte: Agroconsult.684.0 de carne Exportação Mil tec 1.340 167.23 1.32 1.3 7.982.102.89 199.180 10.0 9.0 7.3 9.324.180.82 211.3 40.454. 583 1.

Sustentabilidade .06.

72% Agricultura (anuais.8 19. Gerd Sparovek.27% Brasil 851. IBGE. Inpe.5 8. Evaristo de Miranda. estradas.1 0. estradas.8 2.87% Cidades.7 12. Funai.12% Pastagens em estágio avançado de degradação 0. Agrostálite.88% Floresta intacta 436.87% Cidades. Floresta intacta curso d’agua e outros usos 51.46% Regeneração da floresta nativa (Bioma Amazônia) 22. semi perenes e perenes) 8.72% Agricultura (anuais.6 51.68% 12. Agrosatélite.88% Área total Uso da terra no Brasil % (milhões ha) Pastagens em condições de uso 162.Gráfico 21 Uso da terra no Brasil.5 100. Pastagens em condição de uso 19.68% Reservas legais e APPs 109. Conab.27% 4. Icmbio/MMA Sustentabilidade 35 . Mapa.12% Pastagens em estágio avançado de degradação 6. florestas.46% Renegeração da floresta nativa (Bioma Amazônia) Reservas legais e APPs 2.00% Fonte: Agroconsult. florestas. semi perenes e perenes) 75. curso d´água e outros usos 38 4.

1 165. Bioma Amazônico ados em campos gerais. pode ser explorada com o manejo flores.6 187.0 3. em imóveis situados em área de Cerrado para o bioma em que está localizado.5 180. na Amazônia Legal.6 182. coberta por vegetação Amazônia Legal 80% da área da propriedade. na Amazônia Legal.0 4. 36 . em imóveis situ- ados em área de floresta. Amazônia Legal 20% da área da propriedade.0 2.5 2.0 3.0 0.5 1. na Amazônia Legal.1 Código Florestal Reserva Legal (RL) Área do imóvel rural que.1 172. em imóveis situ.5 4. em natural. IBGE 6. em imóveis situ. imóveis situados em área de floresta tal sustentável.0 167. 190.6 170.2015 Gráfico 22 Evolução da área de pastagens no Brasil e produtividade. nos limites estabelecidos em lei 35 % da área da propriedade. Outras Regiões 35% da área da propriedade.5 1. 20% da área da propriedade ados em área de Cerrado.1 185.1 177. 80% da área da propriedade. nas demais Pantanal regiões do país.6 175. Cerrado na Amazônia Legal Sustentabilidade Outros Biomas 20% da área da propriedade. Relatório Anual .6 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Área de Pastagens Milhões ha Produtividade @/ha/ano Fonte: Agroconsult.

6.0 5.0 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Fonte: PRODES/Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais 37 .000. Programa de Regularização Ambiental (PRA): conjunto de ações a serem desenvolvidas por proprietários e Proteção das margens dos rios ( 30 a 500 metros) posseiros rurais para adequar e promover a regulari- Proteção de lagoas (30 a 100 metros) zação ambiental.000. com delimitação Morros com mais de 45° de inclinação das APP.0 15. RL.000. com rígidos limites para (CAR) exploração.0 10. ou seja.000. não é permitida a exploração econômica direta.000.000.0 Sustentabilidade 0.0 25. remanescentes de vegetação nativa e outras com o objetivo de traçar um mapa digital a Outros partir do qual são calculados os valores das áreas para diagnóstico ambiental.0 20. Nascentes de água (50 metros) Cadastro Ambiental Rural (CAR): conjunto de informa- ções georreferenciadas do imóvel.2 Desmatamento e Monitoramento Gráfico 23 Taxas de desmatamento anuais da Amazônia Legal em km2 30. Perfil da Pecuária no Brasil Área de Preservação Programa de Regularização Permanente (APP) Ambiental (PRA) e Cadastro Ambiental Rural Áreas naturais intocáveis.

. Relatório Anual .2015 Mapa 5 Bioma Amazônia com detalhes das áreas protegidas e áreas indígenas As maiores indústrias do Brasil mantem acordos com . com a criação de condições Transparência e ética e maneiras de compensação para que esta Boas práticas na produção agrícola e pecuária prática se torne viável.fornecedores listados pelo Ministério do Trabalho gia moderna para garantir que o gado recebido não como associados a trabalho escravo seja proveniente de: 6.áreas protegidas como reservas indígenas e áreas o setor público e privado para o controle da sua rede de conservação de fornecedores. Empresas do setor de varejo e serviços drões e práticas comuns para o desenvol.br Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável Membros do GTPS (GTPS). Indústrias O Grupo debate e formula princípios. Instituições financeiras vimento da produção sustentável de carne ONG´s bovina.3 GTPS www. Conformidade legal 38 . Pilares do GTPS Sustentabilidade O GTPS está comprometido com o desma. pa. Melhoria contínua da sustentabilidade tamento zero.áreas com desmatamento ilegal Nosso sistema de monitoramento utiliza geotecnolo- .pecuariasustentavel. a mesa redonda brasileira para a car. Produtores ne sustentável foi criada no final de 2007.org.

atingiram o limite de desmatamento para o seu território. Tailândia e Ulianópolis – mais 98 municí- possuem o mínimo de estrutura necessária pios estão em processo para atingir os objetivos para implementar o gerenciamento ambiental Municípios que: municipal preencheram o pacto contra o desmatamento e/ou são a favor do desenvolvimento sustentável.4 Programa Municípios Verdes O Programa Municípios Verdes (PMV) é um programa no qual os municípios do estado do Pará se juntaram e traçaram uma série de objetivos comuns. observaram os pontos focais de desmatamento detectados pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) Limites dos estados Limites dos municípios Municípios verdes Municípios em processo para PMV Sustentabilidade Benefícios do Programa Municípios Verdes O comprometimento com os objetivos comuns traz benefícios tais como suspensão de embargos ambientais. Paragominas. Perfil da Pecuária no Brasil 6.0 % Participantes Municípios que: Além dos seis municípios considerados “Verdes”: fazem parte da lista dos municípios com maiores Brasil Novo. incluindo conseguir ter 80% do território apto para registro no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e redução do desmatamento. Objetivo Números do PMV Atual para 2015  PMV participantes (municípios) 100 104  Desmatamento (km2): 2.014  C AR (Cadastro Ambiental Rural) no estado (%): 61. incentivos fiscais e priorização na alocação de recursos públicos.8 % 80. 39 .346 2. Dom Eliseu. Araguaina. criação de um grupo de trabalho para controle do desmatamento e atingiram o objetivo. Santana do áreas de desmatamento na região Amazônica. incluindo 80% do território apto para registro no CAR.

Programa ABC Linhas de crédito para promover tecnologias e investimentos para a agricultura de baixo carbono. valor do investimento Marcação e construção de terraços e implantação Encargos: 5% ao ano de práticas conservacionistas do solo.6 Plano ABC (Plano para agricultura de baixo carbono) Governo Federal se comprometeu a reduzir a emissão de gases de efeito estufa na COP 15 Política Nacional de mudança climática Plano ABC Política Pública para incentivo da diminuição das mudanças climáticas e adoção de medidas para Sustentabilidade o setor da agricultura e pecuária. Relatório Anual . Promover a redução das emissões de Gases do Efeito Caderneta de Poupança Rural e Fundos constitu- Estufa (GEE) cionais.2015 6. 6.4 Plano ABC 6.5 Programa ABC O que é? O que é? Política pública que detalha as ações de mitigação e Linha de crédito rural que viabiliza a implementação adaptação às mudanças do clima para o setor agro. 40 . ABC Recuperação de Pastagens integração Lavoura-Pecuária-Floresta. transporte. do Plano ABC pecuário Quem financia? Objetivo Os recursos são provenientes do Sistema BNDES. aplicação e incorporação de por safra. Tecnologias voltadas à pecuária Projetos relacionados à pecuária Recuperação de Pastagens Degradadas. jurídicas e suas cooperativas Valor financiável: Até R$1 milhão por beneficiário Aquisição. pessoas físicas ou projetos financiados. ABC Integração Lavoura-Pecuária-Floresta Vigência: 2020 Principais itens financiáveis Abrangência: nacional Aquisição de insumos e pagamento de serviços destinados a implantação e manutenção dos Beneficiários: produtores rurais. Limite de financiamento: até 100% do corretivos agrícolas (calcário e outros).

6 Sanidade Febre Aftosa Mapa 6 Situação da febre aftosa na América do Sul.4 do Código Terrestre. Perfil da Pecuária no Brasil Investimentos financiados Fixação de nitrogênio biológica Recuperação de pastagens Plantio de florestas Sistemas de integração Lavoura-Pecuária-Floresta tratamento de resíduos animal Sistemas de plantio direto adaptação à mudanças climáticas 6. de acordo com a 82ª Sessão Geral da Organização Internacional de Epizootias (OIE) Países membros reconhecidos por terem risco negligenciável com relação à BSE de acordo com o Capítulo 11. Argentina Hungria Noruega Austrália Islândia Panamá Austria Índia Paraguai Bélgica Israel Peru Brasil Itália Portugal Bulgária Japão Romênia Chile Coreia Singapura Colômbia Letónia Eslováquia Sustentabilidade Croácia Luxemburgo Eslovênia Dinamarca Malta Suécia Estónia Países Baixos Estados Unidos Finlândia Nova Zelândia Uruguai Fonte: OIE (http://www.oie. Zona livre sem vacinação Zona livre com vacinação Zona não livre Zona de proteção Encefalopatia Espongiforme Bovina – BSE Tabela 15 Situação de risco com relação à Encefalopatia Espongiforme Bovina.int/?id=495) 41 .

br ABIEC .Associação Brasileira das @abiec_news fb.com.com/portalabiec Indústrias Exportadoras de Carne +55 11 3531.br unitri.com.br brazilianbeef.br apexbrasil.com.br . abiec.com.7888 Av. Brigadeiro Faria Lima.org. 1912 14º Andar | Conjunto J São Paulo | SP | 01451-000 abiec@abiec.