Você está na página 1de 23
} £Vangels aed 3.11 3.11 3.112 3.113 3.114 3.115 3.116 ENGENHARIA DE FABRICA LAMINADOR SCHMITZ Instrucdes de Servico: Condicdes pravias e ligactes preparatérias fendicdes prévias e ligagdes preparatérias (Estado inicial: instalagdo desligada) Verificar que estejam ligados todos os seccionadores de carga, cha ves de protecdo de motor e circuitos de seguranga. Com botdo 015 b41 no arnrio L 13, ligar a tens&o 380 V, 60 Hz para toda a instalago. i Junto ao aparelho medidor 015g no armario L14, controlar a tensio 380, 60 Hz. a A tensa de comando para os acionamentos CC deve, entéo, estar pre sente também. Controle por Tampada de aviso 091 h 51, armario L 14, Ligar acionamentos auxiliares, conforme ‘instrugdes dos. fabricantes, (Atender 3 sequncia).. © > Com botdo 149 b 41 no painel L 26, Tigar abastecimento de corrente de regulagem. Com botdes 623 b 12, 123 b 12, 323 b 12, 423 b 12, no painel, ligar | funcionamentos auxiliares para acionamentos principais. Condicdes ‘de’ Tigagao: os funcionamentos auxiliares se deixam ligar somente se estéo corretos 0 abastecimento de corrente de regulagem _ oO abastecimento de corrente de impulsos, 0 abastecimento de corrente para transformadores de tens&o continua, os fustveis de alimentacao, a tensdo de sincronizagdo e se est& ligada a chave de protecao de campo e ndo esta atuando o “Desligamento de Emergéncia”. 3.117 3.118 3.119 ENGENHARIA DE FABRICA LAMINADOR SCHMITZ Com botdes 123 b 14, 223 b 14, 323 b 14, 423 b 14, 523 b 14,.no painel, ligar chaves de poténcia CA para acionamentos principais. tondicgdes de As chaves de poténcia CA deixam-se ligar Somente se estiverem ligados os funcionamentos auxiliares como ventiladores de tiristores, ventiladores de motor e alimentacdo de canpo e ndo estiver solicitado aviso de trafo e protecdo de sobrétensio, a ‘A chave de potncia CA cai automatics e imediatamente, quando de interferéncias de tensdo de regulagem e sincronizacdo, abasteci mento de corrente de impulsos e fusiveis de alimentagio, e automi- tico e retardadamente, quando caTdos os fusTveis de tiristores. Com botdes 123 b 16, 223 b 16, 423 b 16, 523 b 16 no painel ligar as chaves de armadura. Com botéo 323 b 16 chave rapida “ligada" e com botdo 322 6 31 contator No-Load “1igado", por em regime cincuito de armadura do motor laminador. Condigées de ligagéo: As chaves de armadura deixam-se ligar so- mente ‘se estiverem ligadas as chaves de poténcia CA, em ordem os fusiveis de tiristores e presente a excitacdo. A chave de armadura cai automaticamente. sempre quando de queda de chave de poténcia CA e, além disso, quando interferida a excitacéo, acionada a Para~ da de Energncia, inadnissivelmente grande a corrente de armadura ausente U; real, Us> Uy -max e caTdos os fustveis de tiristores. A Tampada no respective bot&o luminoso sinaliza o aviso do estado Tigado de todas as manobras acabadas de enumerar sob 3.115 a 3.118. EMangels 3.120 = ENGENHARIA DE FABRICA LAMINADOR SCHMITZ Instalagio de sinalizag A tensao de sinalizacio & Tigada em conjunto.com a tensio de conan 0. Diodos Tuminosos junto ao mecanismo de comando de Tigacdo sina lizam os avisos mais importantes referentes ao acionamento. Os avisos so: - vigia, chave de alimentacds desligada; - trafo de sobrecorrente; - vigia, ventilador de motors = sobrecorrente de motor - ventilagdo de tiristores interferida; ~ campo de motor interferidos - fusiveis de tiristores interrompidoss - fusiveis de alimentacio interrompidos; - abastecimento de corrente de regulagem catdos * - protecio de sobretensio solicitada; = disjuntores caTdoss - sobretensio motor dianteiro; - sobretenséo motor traseiro; ~ chave de protecao caTda. Os avisos so Iiberados. sonente depois que a respectiva chave de - potncia CA tenha sido ligada (ver 3.117). ‘Aparecendo junto ab mecanismo do comando de 1igagio im ou mais dos avisos acabados de relacionar, e estando ligada a chave de potén- cia CA, 0 indicador Tuminoso miiltipto (no painel de comando) acusa ra que ha interferéncia no mecanismo de comands e, ao mesmo tempo soaré a buzina. A buzina pode ser apagada mediante botdo 051 b 51 no painel de comando. Ademais, todas.as chaves de protecio, que se encontram instaladas num armario 1200, séo vigiadas e sinalizadas Por Témpads de aviso quando de queda de chave. [Mangels ENGENHARIA DE FABRICA LAMINADOR: SCHMITZ . 3.121 3.122 Des ligamento da_instalacio: No desligamento, € preciso atender a sequéncia seguinte: 1) ponto 3.118 2) ponto 3.117 3) ponto 3.116 4) ponto 3.115 5) ponto 3.114 6) ponto 3.112 Os aparethos relacionados sob 3.111 no deveriam ser desligados en casos normais, para néo prolongar os tempos de ligamento e interfe réncia. Por em marcha da instalacio: 1) Em principio, valem os dados do fabricante das miquinas, Nos- 805 dados referen-se somente 5 possibilidades do comando © re gulagem elétricos dos acionanentos CC, assim cono aos componen tes de nosso fornecimento. ¥ Estando executados todos os trabalhos preparatérios (como sob 3.11 ~ 3.118) e ligando, éntdo para prontidio a chave de fecha dura_057.b 24 no ‘paine de comando Ti, deveria acender a 1émpa dz de aviso “pronto para regime" (091 h 32 091 h 33) 2) Ligar sentido da marcha com chave comutadora 051 b 33, respecti, vamente 051 b 34, lampadas de aviso 091 h 26 ou 091 h 27, res- pectivanente 031 h 28 ou 091 h 29 indicam o predeterminaco sen tido da marcha. No di ‘to ou perds de tensio dé com: colhido sentido de marcha cai outra vez. Bteng: Nyando do sentido d> marcha T (FRI), trabatha o desenroledar auxiliar ou a bobinssira I desenrolando, quando do sect ie marcha II (FRII), a bobinadeira IT desenrolando. [EVangels 3) 4) ENGENHARIA DE_FABRICA LAMINADOR SCHMITZ Pré-determinacio do valor tedrico: ateeeterminasag do valor tebr ico: Através das chaves de décadas no painel de comando II, sio pré- ~determinados os valores tedricos para o passe corrente e 0 pas So sequente, Com 042 b 11, b 12, respectivamente, 042 b 13, b14, € pré-de- terminada, em %, a traco da bobinadeira 1; com 042 b 111 - b 114, respectivamente, 042 115 - b 118, & pré-determinado, em pm, 0 valor tedrico de espessura para o medidor de espessura Volimer 1; com 042 b 51, b 52, respectivanente, 042 b 53, b 54, & pré-determinada, em %, a velocidade de Jaminagéo; com 042 b 91 - b 94, respectivanente, 042 b 95 - b 98, & pré-deter- minady, em pm .10!, 0 valor tedrico de posicionamento; com 042 b.131,* b 134, respectivamente, 042 b 135 - b 198, & pré- ~determinado, em jm, 0 valor tedrico de éspessura para o medi- dor deespessura Vollmer II, com chaves de décadas 042 b 31, b32 respectivamente, 042-b 33, b 34, @ pré- determinada, em %, a tra $0 da bobinadeira IT. Os valores tedricos séo liberados median te operacdo dos botdes 051 b 61 ou 051 b 62; 0 aviso de acusa- g80 @ dado pela Vampada no respectivo botdo pulsador 1uminoso. 8) Com botdo 046 b 21, respectivamente, 046 b 23, € ligada a pa rada ‘automatica, significando que se deseja um regime de la- minagao com*parada a partir do 20 passe. >) Com chave comutadora 051 b 51 & selecionado o regime “Desen rolador auxiliar" ou "bobinadeira" (o desenrolador auxiliar deve operar sob regulagem somente durante o 19 passe). ¢) Com chave comutadora 226 b11, respectivamente, 525 bI1, se- lecionar gama de tracéo, isto &, determinar se a respectiva bobinadeira deve trabathar como motor simples ou como motor duplo. 0 valor tedrico da tracdo de 99% corresponde a 4.000 kp pa- ra motor simples, a 8.000 Kp para motor duplo. ENGENHARIA DE FABRICA | fEVangels LANINADOR. SCHMITZ 5) 6) 7) Quando a bobina estiver pronta no desenrolador: en Senin estiver pronta no desenroladon: a) Coma chave de décadas 153 b 31 b 33, ajustar a Targura de fita. b) Ajustar didmetro inicial nas chaves de décadas 152 b.91 - b 93 ou 152 b 94 - b.96, conforme selecio da bobinadeira (chaves de décadas encontram-se no painel, de comando II,” L 210), € nas chaves de décadas 452 b 71 - 73 do painel de comando III, L 220, Ajustar didmetro de bobina no respectivo desenrolador e dig metro de tambor no respectivo enrolador (o ajuste de diame- tro & necessario somente no primeiro passe). Quando, por ‘exemplo, 0 desentolador auxiliar. @ operado como des bobinadeira no 19 passe: com chaves comutadoras 143 b11 “manual. bobinadeira" @ rolos endireitadores-puxadores “manual” 753 b23 trazer em regime manual a ponta da fita-até a abertura posicio- nada dos cilindros (liga regulagem de posicionamento com botdo 374 b 11, respectivamente, 374 b 12). Agarrada a fita na’ abertura dos ilindros, ligase com botdo 051 b 52, uma pequena’ retrotracéo no’ desenrolador auxiliar. 0 valor tedrico da tracio @ indicado por 042 g 81 e 042 g 82. Bloqueios para traco “ligan": a) = Alojanento dos ciTindros de apoio Tigado para conpensacio. b) Ambas as guilhotinas travadas. ~~ c) Respectiva mesa de passagem abaixada. d) Respectivo tambor expandido. ENGENHARIA DE FABRICA fVangels « _ LAMINADOR SCHMITZ 8) Mediante colocagdo da chave comutadora 051 b 31, respectivamente » 32 para “introduzir", leva-se a fita, com velocidade constante até a fenda da bobinadeira II, 0 mesmo pode ser conseguido com - “manual-notor laminador", 343 bII, respectivamente, 343 b 12. De pois, expande-se o tambor e prende-se a fita, 9) Presa a fita no enrolador, so enroladas ainda duas ou trés es- Piras sobre o tambor , como sob 8, 10) Com botdo 051 b 53, € ligada, agora, a tracdo no enrolador; si- multaneamente, determina-se com isso o ponto de frenagem para a Parada autondtica Pela ‘colocagao da chave.comutadora 051 b 31, - respectivamente, 051 b 32 para “laminar”, a instalacdo entra en integracdo ao valor tedrico da velocidade pre-determinado, em tempo fixado. A indicacao @ feita por 042 g 83 e 042 g 84, Bloqueios para instalacgo "integrar a) 0 sentido da laminagao deve estar selecionado. b) Devem estar presentes "pronto para regime hidrSulico" e | “pronto para regine elétrico"; isto 8, deve estar acesa én pada de aviso 091 i 22, h 33. ¢) 0s botdes "parada*, “parada répida" e "parada de energéncia" nao devem estar acionados. €). No regime com parada autonatica, dave estar efetuedo "libe- ragdo-integracéo", indicador luminoso miltiplo 091 h 6) e O91 h 82 “liberacio integragao" deve estar aceso. ] +) Para bloqueios do hidrdulica, ver descrig3o acionamentos au-. xilvares 9.2 € 9.3. Linpada de aviso "interferdacis hideduli | ca" 791 h 48 € 49 ndo deve estar acesa. f [ovangels ipaniekanbiesdennabesass——— reer LAMINADOR SCHMITZ oe 3.123 3.124 3.125 Parada para reversio do sentido de lamina Quando a fita néo @ desengatada para fazer a reversio: 1) No laminar com parada automatica deve acender o indicador 1u- minoso “automitica conduz", e no acender do “automitica freia® no inTcio da frenagem, sucede automaticamente o por em parada. 2) Néo estando em regime a parada automdtica, reduzir “velocidade de leminacaq" com botdo 042 b 78, respectivamente, 042 b 80 - até V-0,-nio podendo, nisso, ser desengatada a fita. 3) Com chave comutadora "sentido de laminagdo" 051 b 33, respects vanente, 051 b 34, ligar 0 novo sentido de laminacao. 4) Acionar bot&o Iuminoso para o seguinte passe; os valores ted- ricos ajustados nas chaves de décadas se tornam ativos. 5) A instalacao esta pronta para o passe sequinte. Parada de_instalacio: 1) Acionar 0 boto pulsador 051 b 21 - b 23 “parada". A instalacdo se pée em parada sem interrupcio, com trades de fita controla- das e num tempo jgual ao da ihtegracio. Na velocidade de fita zero, depois de certa demora (ajustavel no 153/453 £ 35/1, de 10 a 150s), @ instalacao passa para tracdo minima. AW oyreesinnag & onera am mawady came inatesty enh 3.122 (1 ott 2) 3.2 -Regulagem : 3.21 ‘Dados e construcio do sistema: A regulagen & constituida segundo 0 princYpio da matha de regulzgen. 2 : A subdivisdo da regulagen em circuitos individuais com tarefas par~ S ciais estritamente delimitadas, além de proporcionar disposigio cla~ }- 7 ta do conceito, facilita-o-por'em regime e a mianutengao, A tensao de abastecinento & de +/- 24 V estabilizadas. A tensio esta fo © bilizada assegura regine correto mesmo em oscilacies de tensio ca re de ‘de até + 10% e - 10x, ee Os sinais padres para valor tedrico.e valor real so de +/- 10. A temperatura ambiente pode variar entre - 200C e +.659C. Todos os reguladores so guarviecidos com transistores planar de silf | Gioy respectivamente, com amplificadores integradoS. ou médulos. | : Todos os reguiadores sao’ unidades encaixaveis de funcio compacta; os Z Pinos e buchas tém douragio dura.Pontos de. medig&o dao acesso as - grandezas importantes da reguiagem. Anplificacdo e tempo de integra- i do podem ser ajustados mediante potencidnetros hermeticamente blin- Jie Yo dados. # 0s-reguladores individuais.alojan em placas de circuito ‘impresso. As‘placas de circuito impresso séo agrupadas em "racks" sistenatiza dos. ition oy he Sinais de entrada e saTda de outras partes da instalagdo chegam 3s “placas agrupadas via acoplamento seguro {valores reais de corrente ou rotacé6, ou pré-determinacao & prova de-interferéncia). a AS condigies secundirias da regulagem (como,’ por exenplo, as pare 0° "= !* por em parada) so realizadas pelos componentes’ de estado so1ido do sistema SIMATIC-N. SAGEIMARIA UC FABRICA ps LAMINADOR SCHMITZ EVangels 3.22 Regulagem do motor do Laminador: Regulagen do motor do Laminador: Indi cagdes gerais:E preciso distinguir entre transmissio dupla, isto 8, transmissdo em comum para cilindro superior e inferior, e transeis sdo geminada, onde o acionamento do cilindro superior @ separado - do cilindro inferior, 5 ; No Ultimo caso, tornam-se necessarios alimentagio e regulagen de g rotacio separadas para cada acionamento. Uma regulagem de compensa, 40 de carga cuida para que haja uma mais uniforme possivel divi- sdo de carga sobre o cilindro superior e inferior (A atuacio desta ~ Compensacdo,-na maioria dos. casos, no deve ser denasiadamente -- “severa", porque fatores tecnoldgicos, como, por exemplo, uma Tudri_ ficagdo divergente podem exigir uma carga diferenciada entre cilin dro superior e inferior), < En ambos 08 casos faz-se necessrio ima regulagem-de rotaso do actonanento dos cilindros ¢, quase sempre, uma regulagen de entra quecimento de campo. ° Spee See Nisto, 2 regulagem trabalha de tal modo, que se regula a fluxo cons tante (max. campo). até alcangar a rotaco basica do motor,e se en- fraquece o campo sé depois de ultrapassar a rotagdo basica. A faixa do enfraquecimento de campo varia, conforme a execugdo, de . 1.5 a 2.5, ee : : + “+. Isto significa que tanbén a constante de tenpo mecdnica do. actona~ mento se modifica na mesma razio, Se este fato nio &,levado em con " sideragio na regulagem, entio a regulagem de rotacio do acionanerto pode sr otimizada corretamente sonente para campo maximo (menor consta te de tenpo mecinica). Nestas circunstancias, o tenpo de su bida 0 cila, em casos. desfavordveis, entre 100.¢.400ns. Este fato ngo ter vaior importancia para 0 acionamento dos cilindros em lari nadores le cadeira finica; todavia traz consideraveis desvantagens para a requlagem das bobinadeiras: uma boa constante de tragio des bobinadeiras depende nao s6 de com que exatidio € computado 0 con tingente para o momento de aceleracdo, como também -e isso@es- . sencial ~ de com que exatidio & possfvel determinar estatica © di- namicamente a aceleragio ( dv ) at cra LAMINADOR SCHMITZ eae . 77 O método, muitas vezes aplicado, de diferenciar o valor real da ro- tagdo do taco do motor laminador, ou do tacd junto 20 rolo de desvio . apresenta varias desvantagens: 1) 0 contingente de aceleracdo chega demasiadamente tarde em todos os casos. 2) 0 valor diferenciado esta sempre fortemente carregado de ond:s harmonicas, quer dizer, ele deve ser adicionalmente amortecida ou filtrado © que implica em outro retardamento da’ aceleracéo. Estas desvantagens podem ser evitadas se, em vez de diferenciar 0 valor real, se partir diretamente do valor tedrico Para o motor do Jaminador. Nisso, ao. se eripregar a tensio, de entrada no integrador,: - Pode-se evitar também a propria diferenciacio, Essa grandeza rece- be entao um amortecimento que corresponde ao‘tempo de subida da re- gulagem de rotacdo para 0 acionamento dos cilindros. Condicao’ prévia bara este procedinento &, contudo, um tempo de subida constante ¢a regulagem de rotago do motor do laminador. 0 tempo de subida constante conseguido através de uma adaptacio da regulagem de rotac&o @ divergente constante de tempo mecinica. Para tanto, multiplica-se a saTda do regulador de rotacio (2 qual corresponde ao exigido valor teBrico. do momento. torcor) com a ro- tagdo a partir da Fotacdo basica. A regulagem de corrente recebe este valor como valor tedrico, Mais uma vantagem deste processo consiste em que’ ~ por exemplo, pa ra as andlises estticas - o momento de laminacdo esti @ disposi- do: direta, sem outias operacdes de computacao. Como ja descrito sob a alimentagio de tiristores, se no mencionedo diferente, esta previsto uma ligagdo assimétrica antiparalela ou - cruzada (para a consecugio dos exigidos tempos de frenagem, respecti, vamente, frenagem rapida). Nos laminadores reversiveis, 0 campo do motor laminador @ comuta, do eletronicamente entre dois passos. & EiViangels LAMINADOR SCHMITZ Para rendimentos menores a médios, preve-se, preferencialmente, uma ligacdo antiparalela isenta de corrente de circulacio na armaduras para rendientos maiores, uma ligacdo cruzada portadora de corrente de circulago com supressio de corrente de circulagio (desligamento seletivo de um curto-circuito externo mediante chave de acio répida Sem destruicao dos fustveis do ramo de tiristores, necessarios para curto-circuitos internos). “Nas Tinhas de Taminagdo de varias’ cadetres, convén ter, em todos os casos, un tempo de subida constante dos acionamentos, para mininizar as oscilagées da tracio da fita durante os periodos de aceleraczo retardenento, Além disso, 0 componente de aceleracio na regulagea de momento. € uma grandeza que independe do enfraquecimento do czxpo. Descricdo das individuais fungdes parciais: °°, + Regulagem de rotagio. com regulagem de corrente ‘secundaria (portan- +.d0. corrente de circulatao): a) Requlagem de rotagao: 0 regulador de rotagio fornece na saTda 6 valor tedrico do no- menito para o acionamento. 0 valor tedrico da Corrente para a ma Tha de regulagem de corrente secundaria se forma’ segundo a rela + gio: i* = valor tedrico da corrente valor tedrico do momento Ng). Este tipo de regulagem proporciona as vantagens sequintes: 1)_ A gama do enfraquecimento de campo para o motor bobinadeira po de ser seledonada independente da relagio dos didnetros (sobre modo importante quando a relagio dos diatietros for maior. que = 1:3). 2 2) Em velocidade de fita reduzida, o Valor miximo da corrente @ atingido somente no maximo diametro de bobina (poupanga dz né- quina, perdas menores. Em tempos de passe menores, por exempla 19 passe, hd a possibilidade de admitir tragdes de fita naiores ao utilizar o valor r.m.s.). 3) Nenores correntes, reativas na partida da Instatacio,, porqvanto se parte sempre com canipo maximo. ~ = 4) Melhor cos @ , porquanto se marcha sempre com tensdo maxima possivel,. 5) Nenhum acoplamento entre circuito de regulagem de corrente ¢ circuito de campo. : t ENGENHARIA DE FABRICA [Mangels LAMINADOR SCHMITZ Regulagem de_momento/rotacao: K regulagem de momento e corrente esta geralmente sobrepcsta uma regulagem de rotacdo (velocidade). A regulagen de rotaco @ necessaria para o regime manual, para o engate voador da’ fita no caso dos enroladores de cinto atrzgador, assim como para a limitago de velocidade da bobinadeira quando de rupturas de fita, A transiglo de regime regulado a rotacdo pa ra regime regulado a momento-corrente, ou vice versa, sucede au tomaticamente. Assim. & que para a bobinadeira a tracionar, por . exemplo, preseleciona-se um valor tedrico de veldcidade alco - maior do que correspondente @ velocidade da fita. Tendo, por exemplo, o enrolador de cinto abracador “agarreco", a regulagem da rota¢fo no pode mais cunprir o-exigido valor tedri_ co: a saTda do regulador se encontra na.limitacio. A limita¢io do valor tedrico de momento @ déterminada pelas grandezas compu- tadas para o momento de tracdo e aceleragio: 0 valor tedrico da corrente para a secundaria regulagen de corren. te & formado segundo a relacdo: ies kK. Men oe para, n> ng E = significam: i* =. valor tedrico da corrente N* “= valor tedrico do momento n= .rotagio do motor bobinadeira = rotacio basica do motor ENGENHARIA DE FABRICA car ‘ 18 LAMINADOR SCHMITZ a |e : 2.8 Descrigao das fungdes parciais: Deteccdo do diametro‘da bobina: o diametro da bobina @ determinada | segundo o principio da integracio. Durante um certo Angulo de ciro | no tambor da bobinadeira mede-se 0 correspondente comprinento ca fi ta. z | Vale para tanto: 24, 79-2 oO. H 2 d= 2k a significan: y=. Angulo no tambor (medida ciclonétrica) D diametro da bobina Cass L comprfnento da fita, medido para od, A ligacio & reaTizada conforme o diagrama de blocos anexo. Num contador so contados impulsos que estéo proporcionais @ ro:a~ ¢do da bobinadeira; com o contador cheio, est@ alcangado o anguloc’, Num outro contador so contados, ao mesmo tempo, impulsos que esto Proporcionais & velocidade. Ao Ser alcangado o nguloy, 0 segundo contador & parado ‘nomentaneamenté e seu ‘contelido, entio proporcio- nal ao comprimento da fita € , & transferido a una mendria. En se- Guida, o contador de conpr'imento € Timpo'e novamente 1iberado contagen; inicia-se um novo ciclo de medicao. Acha-se na memoria um valor qué esta proporcional ao compriments da fita e, com isso, proporcional ao diametro. Apos cada passagem éo Angulo ¢,, (aprox. 1 rotagio), um conversor digital/analogo (CDs) transforma este valor num sinal an@logo. Através da entrada da ten So de referéncia do COR, & possivel, nisso, levar em considera:io 0 diametro do rolo medidor junto ao qual @ detectada a‘velocidace. A indicacdo do diametro pode-se dar através de um medidor de tersdo~ aferido de acordo, ou também digitalmente, segundo o principio ce um voltimetro digital. sea LAMINADOR SCHMITZ _ me =, “mente .através de um comando dé programa). aS Nas instalagdes comandadas por computador, a deteccao do didnetro @ efetuada, conforme o mesmo princTpio, no computador de condo, e ele estabelece as indicacdes de forma multiplex. 0 computador assume também a determinacdo dos momentos de aceleracZo e tragio. CAlculo do momento de tracio 0 momento para a tracdo da fita & formado por um multiplicader: Significam: M, = momento de tracio F = tracio de fita 0 valor teSrico para a tracdo da fita pode ser preselecionad, con, forme as exigéncias, através de um potenciémetro hermeticamente blindado ou de chaves de décadas (esta Gitima opcHo & mais reco- mendavel, se, se visa preselecionar os valores tedricos eventual- GEleulo do momento_de aceleracio: 4 s 0 momento de aceleracao se’ compe. de um contingente fixo, que esta em dependéncia do momento de inércia do motor; inclusive transmis- 80 e tambor vazio, assim como de um contingente variavel, que € a bobina. foie A fOrmula completa reza: 4 2 [4- SP sect Q) AR VE PARI LA [Mangels q) obtem-se: . . LANINADOR ScHHITZ om . es yp + Significam: momento de aceleracio (mkp) womente nominal do motor — (mkp) - D = diametro da bobina (m) D, = didmetro do tambor vazio (m) } b. = droura ‘da fita (m) eee i= relag&o da transmissao = N= aceleracio co Z min. s My peso espectfico (Kg_) | | | ae i momento de inéreia do motor (yon2) | fixo.. + transmissdo + tambor vazio m, = grandeza normalizada para aceleragao | 6 Ao introduzir as abreviacées seguintes: 5 2 2 ‘ Were it k i, él Prost “ 0 i = 315i. M a ¢. (2) pt a ~ 375 +i. M t vii | Bree [a3 ene cm . . Ls 21 LAMINADOR SCHMITZ FS an ear 3] As grandezas © D” sao reproduzidas mediante multiplicadores is vde alta precisa Os fatores Ki, K2, K3 sio fixamente estabelecidos junto a potencid metros quando do comissionamento: da instalagio. A aceleracao (dv) i dt eed & tirada no integrador} somente em casos excepcionais & ela obtida é por derivagao (matematica) da velocidade real (de um-rolo ou de desvio, por exemplo). " A largura da fita (b) eo diametro da bobina (D) para uma bobina Nova so ajustados através de ‘chaves de décadas. A DADS, GERAIS pile simbiea gelatin Ee vl. 0a daglames de. cittiide ead. dlemars chtumenslecsey lam elebsiacley Aepenila 22 selma DN cotntyps thins, Oe. iittio € athlete cle lilo initindoa! re nefoten & amiral SnepTie (ov, pitlaciel '1), blo guer 1 alee, probed, pice opitatidentts-ae tm pinal 7 unt, € dade, pot trenph: > panel telete/e anita’ Gaanite faim shee stamoieel abe o. LAY Dua nag Yoel ot) ‘ yo (, clontho te pauper pandora," 82.0 aimbeh ob allo (ge € a: Mlxgnac® oo arrel a imvtrite mum ciecle) e entoihe piljeb 9 ou 8, pot ocho Lacb, 0 piinbel ob oll pe euande zob_ i S 0k tuilis ole 0 6, hesleae' ole. un Bi jal ale 1 Bee iT i i