XXVI Simpósio de Geologia do Nordeste - 05 a 08 de Novembro de 2015 - Natal/RN Sessão

Temática - Geotectônica, Geologia Estrutural, Neotectônica e Cartografia Geológica 185

EFEITO TÉRMICO NAS ROCHAS DA FORMAÇÃO JUCURUTU NO ENTORNO DA SUÍTE
UMARIZAL, SUL DE UMARIZAL (RN)
Autor(es):

Filipe Ezequiel da Silva, André Sarmento de Sousa Lima, Matheus Lisboa Nobre, Tarsila Barbosa
Dantas, Vanessa Costa Fontes, Pablo do Nascimento Diniz, Renato Galdino de Souza, William
Cavalieri Batista e Silva, Zorano Sérgio de Souza, Laécio Cunha de Souza
Departamento e Curso de Geologia da UFRN

O trabalho se desenvolveu no extremo oeste do estado do Rio Grande do Norte, numa área com
aproximadamente 60 km² a sul do município de Umarizal, contribuindo com um mapa geológico
na escala 1:30.000. A metodologia deste trabalho consistiu em: (i) revisão bibliográfica,
interpretação e processamento digital de imagens, integração de dados e elaboração de mapas
prévios; (ii) execução de caminhamentos ao longo da área com estudo de afloramentos
envolvendo petrografia, caracterização de estruturas, processos metamórficos, interpretações
litoestratigráficas e coletas de amostras; (iii) petrografia a luz da microscopia polarizante,
refinamento dos dados adquiridos, integração dos dados de campo com elaboração de mapa
final e perfis geológicos da área. Os resultados desse mapeamento indicam que área de estudo
é constituída por ortognaisse augen, migmatitos e anfibolitos do Complexo Caicó (embasamento
paleoproterozoico), paragnaisses e mármores da Formação Jucurutu, além da suíte intrusiva
ediacarana Umarizal. Este é representado por monzogranitos, quartzo-sienitos, quartzo-dioritos
e gabro-noritos, sendo os primeiros as fácies dominantes, geralmente grossos, cinza a
avermelhados e por vezes porfiríticos. A intrusão se deu sincrônica ou tardia ao evento D2/M2
das supracrustais, sendo sua borda SW controlada e/ou reativada pela zona de cisalhamento
Portalegre. O alojamento da suíte Umarizal gerou uma auréola térmica, de espessura
hectométrica, afetando principalmente paragnaisses e mármores. Blastese de agregados
granoblásticos de silimanita, por vezes fibrolita, cordierita e andalusita é observada nos
paragnaisses, comumente associada a feições de hornfels. Esses paragnaisses também sofrem
fusão parcial, com geração de líquido granítico com granada. O efeito térmico também é
observado nos mármores pela recristalização de calcita formando megablastos centimétricos
com textura granoblástica em mosaico com ponto triplo. Rochas calciossilicáticas também
registram o efeito termal com blastese de escapolita. Portanto, associações mineralógicas
contendo cordierita, almandina, silimanita em paragnaisses, além de escapolita em
calciossilicáticas apontam que o calor dissipado com temperaturas entorno de 700ºC e pressões
baixas. As associações minerais, presença de hornfels e ausência de estruturas dúcteis
demonstram que a intrusão se deu em crosta já completamente estabilizada em fria.

Palavras-chave: Mapeamento Geológico; Plutonismo; Metamorfismo de Contato; Neoproterozoico.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful