Você está na página 1de 175

CENTRO DE INFORMÁTICA

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO

FERNANDO ESTRELA VAZ

Buscando a proposição de uma forma de configuração e
comercialização de computação em nuvem com alto nível de
abstração com base no mapeamento sitemático da literatura
sobre serviço medido.

DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Recife
10 de Março de 2017
FERNANDO ESTRELA VAZ

Buscando a proposição de uma forma de configuração e
comercialização de computação em nuvem com alto nível de
abstração com base no mapeamento sitemático da literatura
sobre serviço medido.

Trabalho apresentado ao Programa de Pós-
gradução em Ciências da Computação do
Centro de Informática da Universidadse Fe-
deral de Pernambuco como requisito parcial
para obtenção do grau de Mestre Profissio-
nal em Ciências da Computação.

Orientador: Vinicius Cardoso Garcia

Recife
10 de Março de 2017
Fernando Estrela Vaz
Buscando a proposição de uma forma de configuração e comercialização de computação
em nuvem com alto nível de abstração com base no mapeamento sitemático da literatura sobre
serviço medido./ Fernando Estrela Vaz. – Recife, 10 de Março de 2017-
174 p. : il. (algumas color.) ; 30 cm.

Orientador: Vinicius Cardoso Garcia

Dissertação de Mestrado – CENTRO DE INFORMÁTICA
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO , 10 de Março de
2017.
IMPORTANTE: ESSE É APENAS UM TEXTO DE EXEMPLO DE FICHA CATALOGRÁFICA.
VOCÊ DEVERÁ SOLICITAR UMA FICHA CATALOGRÁFICA PARA SEU TRABALHO NA
BILBIOTECA DA SUA INSTITUIÇÃO (OU DEPARTAMENTO).
Fernando Estrela Vaz

Buscando a proposição de uma forma de configuração e comercialização de
computação em nuvem com alto nível de abstração com base no mapeamento
sitemático da literatura sobre serviço medido.

IMPORTANTE: ESSE É APENAS UM
TEXTO DE EXEMPLO DE FOLHA DE
APROVAÇÃO. VOCÊ DEVERÁ SOLICITAR
UMA FOLHA DE APROVAÇÃO PARA SEU
TRABALHO NA SECRETARIA DO SEU
CURSO (OU DEPARTAMENTO).

Trabalho aprovado. Recife, DATA DA APROVAÇÃO:

Vinicius Cardoso Garcia
Orientador

Professor
Convidado 1

Professor
Convidado 2

Recife
10 de Março de 2017
Dedicatória. . .
Agradecimentos
Alguns homens vêem as coisas como são, e
dizem Por quê? Eu sonho com as coisas que
nunca foram e digo Por que não?
George Bernard Shaw
Resumo

A computação em nuvem é um dos temas da tecnologia da informação mais discuti-
dos atualmente. Pesquisas relacionadas à segurança e elasticidade têm contribuído
substancialmente na evolução do modelo. Nesse estudo, é realizado um mapeamento
sistemático da literatura em busca de experimentos que explicitem as linhas de pes-
quisas que estão sendo trabalhadas atualmente sobre outra característica básica do
modelo de computação em nuvem, trata-se do serviço medido. A pesquisa apontou
que o serviço medido ainda é um campo pouco explorado cientificamente mesmo já
possuindo um modelo de configuração e comercialização consolidado no mercado
atual. A configuração e comercialização do modelo de computação em nuvem por meio
de instâncias proporciona aos usuários do serviço uma experiência próxima à aquisição
de uma máquina física com a possibilidade de escolha de máquinas virtuais (VMs)
pré-configuradas e customizadas mas apesar de existirem estudos e experimentos que
buscam evoluir esse modelo de comercialização e configuração não foi encontrado
nenhum estudo que busque comprovar o poder de processamento real do conjunto
provido pela instância de máquina virtual, frente às garantias de SLA atuais, que bus-
cam comprovar apenas as grandezas unitárias de cada item que compõem a VM como
processador, memória ram, discos de armazenamento e largura de banda, e, também,
não foi encontrado nenhum experimento que buscasse calcular de forma precisa a de-
manda computacional de cada projeto de migração para o modelo de computação em
nuvem com o objetivo de oportunizar o cálculo do investimento financeiro necessário
com um projeto de migração e ou adoção ao modelo de computação em nuvem. Frente
a esse cenário esse estudo encaminha a construção de um modelo de processamento
por porta que busca abstrair ao máximo o conceito de instância de máquina virtual,
extraindo desse conceito apenas o coeficiente de processamento dos itens que com-
põem o conjunto da VM os comercializando por meio de uma porta com largura de
processamento possível de ser facilmente gerida, medida e regulamentada via SLA. O
modelo proposto confronta algumas características do modelo de instâncias e projeta
ganhos ao modelo de computação em nuvem com a sua adoção tomando como base
outros modelos de prestação de serviço de alto nível de abstração e configuração aos
usuários finais.

Palavras-Chave: Computação em Nuvem, Serviço Medido, PaaS, IaaS, Modelo de
Configuração, Modelo de Comercialização, Instâncias, Porta de Processamento
Abstract

Cloud computing is one of the most discussed topics of information technology today.
Surveys related to safety and elasticity have contributed substantially to the evolution of
the model. In this study, a systematic mapping of the literature is carried out in search
of experiments that explain the lines of research that are currently being worked on
another basic feature of the cloud computing model, which is the measured service.
The survey pointed out that the service measured is still a field not explored scientifically
even though it already has a consolidated configuration and commercialization model
in the current market. The configuration and commercialization of the cloud computing
model through instances provides service users with an experience close to acquiring a
physical machine with the possibility of choosing preconfigured and customized virtual
machines (VMs) but despite the existence of studies and experiments that seek to
evolve this model of commercialization and configuration, it was not found any study
that seeks to prove the real processing power of the set provided by the virtual machine
instance, against the current SLA guarantees, that seek to prove only the unit quantities
of each item that Compose the VM as a processor, ram, storage disks and bandwidth,
and also, no experiment was found that sought to accurately calculate the computational
demand of each migration project for the cloud computing model with the objective of
opportunizing the calculation of the necessary financial investment with a project of
migration and or adoption to the model of cloud computing. In a scenario viewing, this
study proposes the construction of a per-port processing model that seeks to abstract
as far as possible the concept of a virtual machine instance, extracting from this concept
only the processing coefficient of the items that make up the VM group, marketing
them through A port with processing breadth possible to be easily managed, measured
and regulated via SLA. The proposed model confronts some features of the instance
model and projects gains to the cloud computing model with its adoption based on other
models of high level abstraction and configuration service delivery to end users.

Keywords: Cloud Computing, Measured Service, PaaS, IaaS, Configuration Model,
Marketing Model, Instances, Processing Port.
Lista de ilustrações

Figura 1 –Modelo de Computação em Nuvem . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
Figura 2 –Modelos de Serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
Figura 3 – Simplificação do Diagrama dos Mecanismos de QoS . . . . . . . . 27
Figura 4 –Conjunto de Solucões
Fonte: (WUERGES; BORBA, 2010) . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
Figura 5 – Ciclo geral da pesquisa de mestrado apresentando suas etapas e
atividades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
Figura 6 – Metodologia planejada para a realização do mapeamento sistemático 40
Figura 7 – Formato de execução do mapeamento sistemático da literatura -
primeira fase . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
Figura 8 – Formato de execução do mapeamento sistemático da literatura -
segunda fase . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
Figura 9 – Correlação de estudos aprovados e reprovados
na segunda fase por base de dados. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51
Figura 10 – Eficiência das bases de pesquisa quanto a classificação dos estudos
frente aos procedimentos de mapeamento sistemático da literatura
adotados neste estudo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52
Figura 11 – Relação de estudos encontrados na fase incial da pesquisa e total
de estudos finais classificados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Figura 12 – Análise de custo computacional , estudos por área . . . . . . . . . . 55
Figura 13 – Custo computacional, relação cronológica de estudos . . . . . . . . 56
Figura 14 – Área “Aval. multicritérios serv. redes fed.” avaliação cronológica . . . 57
Figura 15 – Análise pré-adoção, relação de estudos por área . . . . . . . . . . . 60
Figura 16 – Análise pré-adoção, relação cronológica dos estudos . . . . . . . . 61
Figura 17 – Esquema de Disponibilização de VMs por meio de Instâncias . . . . 67
Figura 18 – Esquema de disponibilização de Computação em Nuvem por meio
de Portas de Processamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 68
Figura 19 – Atores da Análise . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69
Figura 20 – Contextualização da análise para composição demanda de uma
porta de processamento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 70
Figura 21 – Formato de análise . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71
Figura 22 – Análise de consumo individual de recursos de hardware emulado
Nível de Stress dos itens de hardware emulados considerando cada
formato de configuração proposto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73
Figura 23 – Computação em Nuvem
Modelo de Porta de Processamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . 74
Figura 24 – Protótipo de interface para comercialização de porta computacional 75
Lista de quadros

Quadro 1 – Classificação da metodologia científica . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Lista de tabelas

Tabela 1 – Classificação geral da pesquisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
Tabela 2 – Taxonomia para classificação dos estudos secundários segundo
Cooper . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Tabela 3 – Resultado da aplicação da taxonomia de Cooper para a classificação
do mapeamento sistemático . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Tabela 4 – String de busca utilizada na pesquisa automatizada dos estudos . . 42
Tabela 5 – Lista dos critérios de exclusão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
Tabela 6 – Relação total de estudos candidatos localizados apresentados por
fonte de dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
Tabela 7 – Relação de grupos e categorias quanto a classificação dos estudos
utilizados na pesquisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54
Tabela 8 – Estudos Selecionados na Segunda Rodada . . . . . . . . . . . . . . 96
Tabela 9 – Estudos Excluídos na Segunda Rodada . . . . . . . . . . . . . . . . 99
Tabela 10 – Estudos Selecionados na Primeira Rodada . . . . . . . . . . . . . . 101
Tabela 11 – Estudos Excluídos na Primeira Rodada . . . . . . . . . . . . . . . . 105
Tabela 12 – Síntese dos Estudos Classificados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 162
Lista de abreviaturas e siglas

Capex Capital Expenditure

IaaS Infrastructure as a Service (Infraestrutura como Serviço)

Opex Operational Expenditure

PaaS Platform as a Service (Plataforma como Serviço)

VM Virtual Machine (Máquina Virtual)
Sumário

1 Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
1.1 Motivação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
1.2 Objetivos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
1.2.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
1.2.2 Específicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
1.3 Estrutura da Dissertação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20

2 Referencial Teórico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
2.1 Computação em Nuvem e Tecnologias Correlatas . . . . . . . . . . . 22
2.2 Computação em Nuvem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
2.2.1 Características Essenciais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
2.2.2 Modelos de Serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
2.2.3 Formas de Distribuição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
2.2.4 Acordo de Nível de Serviço (ANS) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
2.2.5 Qualidade de Serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
2.2.6 Nuvens Federadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28
2.2.7 Algoritmos genéticos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28
2.2.8 Virtualização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
2.2.9 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29

3 Método . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
3.1 Classificação geral da pesquisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31
3.2 Classificação do estudo sistemático segundo cooper . . . . . . . . . 33
3.3 Ciclo da pesquisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
3.3.1 Etapa de definição da pesquisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
3.3.1.1 Revisão informal da literatura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
3.3.1.2 Definição do tema, objetivo e escopo . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
3.3.1.3 Definição da metodologia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39
3.3.2 Etapa de planejamento do mapeamento sistemático . . . . . . . 39
3.3.2.1 Definição do protocolo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
3.3.2.1.1 Questões de pesquisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
3.3.2.1.2 Estratégia de busca dos estudos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41
3.3.2.1.3 Estratégia de seleção dos estudos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42
3.3.2.1.4 Avaliação da qualidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
3.3.2.1.5 Estratégia de extração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
3.3.2.1.6 Revisão do protocolo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
3.3.3 Etapa de execução da pesquisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
3.3.4 Etapa de divulgação dos resultados . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
3.3.5 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45

4 Resultados do mapeamento sistemático da literatura . . . . . . . 46
4.1 Execução do mapeamento sistemático . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
4.1.1 Busca dos estudos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
4.1.2 Seleção dos estudos primários . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
4.1.3 Segunda fase de análise dos estudos . . . . . . . . . . . . . . . . 49
4.2 Análise geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52
4.2.1 Redução do custo monetário com base na análise do custo com-
putacional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
4.2.1.1 Modelagem e teste . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
4.2.1.2 Avaliação multicritério para serviços de nuvem em redes federadas . 57
4.2.1.3 Transferência de clusters de VM em redes federadas . . . . . . . . . 58
4.2.1.4 Gestão de IaaS e usuários do serviço por meio de uma camada de
domínio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
4.2.1.5 Execução de lotes de processamento de dados em redes híbridas . 59
4.2.2 Levantamento de custos em análises pré-adoção para computa-
ção em nuvem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
4.2.2.1 Análise de desempenho de serviços de computação em nuvem . . . 61
4.2.2.2 Revisão sistemática da literatura quanto a análise de pré-adoção de
computação em nuvem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62
4.2.2.3 Centro de custos voltado ao consumidor . . . . . . . . . . . . . . . . 62
4.3 Discussão dos resultados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62
4.4 Discussão das Evidências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
4.5 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64

5 A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por
meio de portas deprocessamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65
5.1 Proposição do modelo de porta de processamento . . . . . . . . . . 65
5.2 Caracterização da proposta de disponibilização de computação em
nuvem através de porta de processamento . . . . . . . . . . . . . . . 66
5.3 Etapas de análise da construção do modelo de porta de processamento. 68
5.3.1 Atores da Análise . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 68
5.3.2 Estratégia de determinação do poder computacional do conjunto
de hardware emulado. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71
5.3.3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 74
5.3.4 Interface com a porta de processamento. . . . . . . . . . . . . . . 74
5.3.5 Estratégia de aquisição do modelo de porta de processamento. 74
5.4 Expectativa de aplicação de porta de processamento quanto a hard-
ware, software e técnicas de compressão e criptografia de dados . . 77
5.4.1 Cenário esperado quanto aos itens de hardware . . . . . . . . . 77
5.4.1.1 Requisitos de elasticidade do modelo . . . . . . . . . . . . . . . . . . 78
5.4.2 Contribuições esperadas com relação a área de softwares . . . 80
5.4.2.1 Eficiência quanto ao consumo de recursos computacionais como um
dos fatores decisivos na escolha de soluções de softwares . . . . . . 81
5.4.3 Melhorias na compressão de dados e criptografia como diferen-
cial mercadológico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83
5.5 Acordo de nível de serviço para processamento de dados por porta . 84
5.6 Unidades de medida e ambiente de testes para a proposta de porta
de processamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85
5.6.1 Ambiente de teste para concepção do modelo de porta de pro-
cessamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 86
5.7 Resumo do Capítulo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88

6 Considerações Finais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 89
6.1 Conclusão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 89
6.2 Limitações da Pesquisa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 90
6.3 Trabalhos Futuros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91

Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 92

APÊNDICES 95

APÊNDICE A – Estudos Classificados na Fase Final do Mapea-
mento Sistemático da Literatura . . . . . . . . . . 96

APÊNDICE B – Estudos Excluídos na Fase Final do Mapeamento
Sistemático da Literatura . . . . . . . . . . . . . . 99

APÊNDICE C – Estudos Primários Aprovados na Primeira Fase
do Mapeamento Sistemático da Literatura . . . . 101

APÊNDICE D – Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase
do Mapeamento Sistemático da Literatura . . . . 105
ANEXOS 161

ANEXO A – Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Ma-
peamento Sistemático da Literatura . . . . . . . . . 162
18

1 Introdução

A computação em nuvem vem sofrendo um processo contínuo de crescimento e
popularização sob a premissa de ser comercializada em um formato de serviço de TI.
Várias são as afirmações que comparam esse formato, a prestação de serviços
consolidados, exemplificando o fornecimento de energia elétrica e banda larga de
comunicação (BARANWAL; VIDYARTHI, 2015).
A computação em nuvem pode ser definida a partir da observação de cinco
características essenciais: alocação de recursos sob demanda, amplo acesso à rede,
pool de recursos, rápida elasticidade e serviço medido e dividida em três modelos de
prestação de serviço sendo estes IaaS, PaaS e SaaS (MELL; GRANCE, 2011).
Essas características tornaram a computação em nuvem muito popular.
Alguns pesquisadores acreditam que a computação em nuvem ainda se encontra
num estágio inicial de evolução e que o modelo utilizado atualmente é na verdade
um apanhado de tecnologias que evoluíram ao longo de tempo e que estão sendo
aplicadas em sua sustentação.
Dentre essas tecnologias se destacam a virtualização, computação distribuída,
computação utilitária, arquitetura orientada a serviços, rede, armazenamento dentre
outras (BARANWAL; VIDYARTHI, 2015).
Sendo necessário ainda grandes esforços pela busca de identidade ao modelo
de serviço de computação em nuvem através de pesquisas que levem a definição de
padrões de projetos arquitetados especificamente para dar sustentação as caracte-
rísticas do modelo, permitindo sua evolução como de fato prestação de serviço de
TI.
Atualmente a computação em nuvem se caracteriza como um modelo distribuído
de serviço voltado à TI, disponibilizando um vasto portfólio de negócios que oferece uma
grande quantidade de formatação de tributação buscando atrair clientes de diversos
nichos de mercado (COSTA; SANTANA; TRIGO, 2015).
Mecanismos destinados à alocação de serviços distribuídos de tecnologia da
informação com foco na redução econômica têm sido perseguidos ao longo do tempo
em diferentes cenários como computação distribuída (AUYOUNG et al., 2004), compu-
tação em grade (BARANWAL; VIDYARTHI, 2015) e computação em nuvem (XU et al.,
2011).
Fixação de preços, negociação, leilão e justiça distributiva são algumas aborda-
gens econômicas famosas para a determinação de preços e alocação de recursos.
Capítulo 1. Introdução 19

Esquemas de preços estáticos têm sido amplamente utilizados para a alocação
e precificação dos recursos por causa de sua simplicidade, fenômeno que pode ser
observado quanto a oferta de serviço por meio do modelo de configuração de nuvem
SaaS.
Uma desvantagem na fixação de preços estáticos é que os preços dos recursos
de computação não podem ser aumentados ou diminuídos para a subtilização e
sobreutilização dos recursos.
O que caracteriza uma grande perca econômica ao usuário do serviço que deixa
de utilizar uma das características básicas do modelo, a elasticidade de recursos.
Isto incentivou os prestadores de serviços a oferecerem os esquemas de preços
dinâmicos aos seus clientes.
Em preços dinâmicos, os preços dos recursos variam e dependem da usabili-
dade e disponibilidade dos recursos. Isso resulta na melhoria da utilização dos recursos
e das receitas.

1.1 Motivação

Este estudo irá realizar uma consulta de mercado e um mapeamento sistemático
da literatura voltado a característica básica do modelo de computação em nuvem serviço
medido.
O foco é encontrar ferramentas e ou técnicas que subsidiem a decisão de forma
prévia de adoção do modelo de computação em nuvem considerando os modelos de
serviço IaaS e ou PaaS, num formato de contração dedicado, com base no levantamento
preciso dos valores financeiros implícitos à ação.

1.2 Objetivos

1.2.1 Geral

Avaliar o cenário atual de ferramentas dispostas ao usuário para tomada de
decisão quanto a adoção do modelo de computação em nuvem frente a utilização do
Capítulo 1. Introdução 20

modelo tradicional de computação, tendo como premissa de análise o invesvimento
financeiro.

1.2.2 Específicos

• Elencar e discutir as técnicas encontradas por meio da revisão sistemática da
literatura e consulta ao mercado consolidado de computação em nuvem;

• Visualizar oportunidades de melhoria;

• Propor modelos e ou ferramentas com base no estado da arte levantado pelo
estudo observando também as abordagens atuais do mercado constituído de
computação em nuvem.

1.3 Estrutura da Dissertação

A dissertação está organizada da seguinte forma.

Capítulo 2 - Referencial Teórico: Este capítulo trata de toda a fundamentação
teórica para o entendimento do trabalho. São apresentados conceitos sobre computa-
ção em nuvem detalhando suas características essenciais, modelos de serviço, formas
de distribuição dentre outros assuntos relevantes ao estudo.

Capítulo 3 - Metodologia: O capítulo detalha toda a abordagem metodológica e
métodos empregados na pesquisa. São discutidos aspectos relacionados à classifica-
ção, ciclo da pesquisa, a utilização do método de pesquisa de mapeamento sistemático
da literatura e as peculiaridades de sua instanciação.

Capítulo 4 - Execução e Resultados: apresenta e discute os resultados obtidos
nesta pesquisa por meio de uma análise geral dos estudos selecionados.

Capítulo 5 – Proposição de um formato alternativo de disposição de compu-
tação em nuvem: Propõe um formato alternativo de configuração e comercialização
Capítulo 1. Introdução 21

para o modelo de computação em nuvem, com maior nível de abstração, focado no
desempenho dos recursos computacionais e de simples conferência quanto as SLAs
pelo contratante do serviço.

Capítulo 6 – Considerações Finais: Será apresentada a conclusão do trabalho,
limitações da Pesquisa e trabalhos futuros.
22

2 Referencial Teórico

Neste cápitulo serão tratados os principais conceitos teóricos utilizados nas
diversas etapas de concepção deste estudo.

2.1 Computação em Nuvem e Tecnologias Correlatas

A computação em nuvem é o resultado da união de diversas tecnologidas
voltadas para ambientes distribuídos de processamento de dados . (GARTNER, 2016)
Web 2.0: A Web evoluiu de uma simples coleção de páginas com hiperlinks
para uma plataforma que promove a colaboração humana e o desenvolvimento e
fornecimento de sistemas.
Virtualização: É a abstração de recursos de TI que oculta a natureza física e
seus limites dos usuários de recursos. Um recurso pode ser um servidor, um sistema
de armazenamento, redes de comunicação, aplicativos ou sistemas operacionais.
Computação em grade: É utilizada para prover grandes conjuntos de recursos.
Geralmente grandes capacidade de processamento são destinadas a execução de
uma única tarefa.
A grade é um conjunto de recursos coordenados para resolver um problema
comum. São usados vários computadores que podem prover de vários proprietários,
domínios a fim de resolver um problema que exige um maior poder de processamento.

2.2 Computação em Nuvem

Sua concepção teve inicio em 1960, por pesquisadores como Douglas Parkhill
e John McCarthy com o desenvolvimento de um modelo computacional chamado
de Computação Utilitária, durante um pronunciamento em 1961 onde estava sendo
celebrado o centenário do MIT, propuseram publicamente que recursos computacionais
fossem providos sob demanda e bilhetados por meio de um modelo de negócio utilitário
como energia, água e telefonia (BEZERRA, 2016).
O modelo foi aceito por vários paradigmas de computação (GIRASE et al.,
2013) e também conseguiu manter-se vivo mesmo em cenários prejudiciais (CAMPBELL-
Capítulo 2. Referencial Teórico 23

KELLY, 2009) como o movimento de descentralização promovido pela utilização de
computadores pessoais na década de 1980.
Todavia, por volta do ano 2000, graças ao rápido avanço de tecnologias de
comunicação como a internet o conceito volta a tomar força mundialmente e ações de
implantação e comercialização são iniciadas. Desde então a Computação em nuvem
em seu conceito de computação utilitária proposto por McCarthy, ganha cada vez
mais espaço nas ações comerciais dos grandes nomes mundiais em tecnologia da
informação.
Organizações como a Amazon, Google, Salesforce, Microsoft, IBM, HP, entre
outros têm ofertado atualmente serviços como Amazon EC21 , Google App Engine2 ,
Salesforce3 , Windows Azure4 , Dropbox5 , dentre outros, que oferecem soluções tidas
como seguras e de baixo custo, através das quais seus usuários podem ter acesso aos
serviços de maneira distribuída.
Segundo o National Institute of Standards and Technology (MELL; GRANCE, 2011) a
Computação em Nuvem pode ser definida como um modelo do tipo “pague pelo uso” dis-
ponibilizando acesso por meio de rede de dados a um pool compartilhado de recursos
computacionais configuráveis (por exemplo: servidores, recursos de armazenamento, in-
terfaces de redes, sistemas operacionais, ambientes de desenvolvimento e aplicações)
que, conforme demanda do usuário, podem ser rapidamente adquiridos e liberados
com o mínimo esforço gerencial ou de interação de provedor de serviços.
Em geral, como pode ser visto na Figura 1, a infraestrutura da nuvem é composta
por uma grande quantidade de dispositivos, centros de processamento de dados ou
nós físicos conectados em rede.
Cada uma das máquinas ou centros de processamento de dados podem ter diferentes
configurações de ambiente no que tange a hardware, software e variar em termos de
capacidade de processamento, memória e armazenamento em disco (SOROR et al.,
2010).
1
http://aws.amazon.com/pt/ec2/
2
https://appengine.google.com
3
http://www.salesforce.com/br/
4
http://www.windowsazure.com/pt-br/
5
http://www.dropbox.com/
Capítulo 2. Referencial Teórico 24

Figura 1 – Modelo de Computação em Nuvem

http://zeendo.com/info/what-cloud-computing-means/

A Computação em Nuvem possibilita que o usuário tenha acesso a arquivos
e possa executar diferentes tarefas com um baixo custo de processamento local,
sendo que as aplicações e seus processos são executados na infraestrutura da nuvem,
distribuída, podendo ser utilizada em desktops ou em outros tipos de dispositivos
conectados em rede.
Nas próximas sub-seções serão apresentados, de maneira rápida e objetiva, aspectos
e termos importantes relacionados à computação em nuvem que são importantes para
o entendimento desta pesquisa.

2.2.1 Características Essenciais

Representam as vantagens oferecidas pelas soluções da computação em nuvem
e a distingue de outros paradigmas computacionais, suas principais características são
(MELL; GRANCE, 2011):
Alocação de serviços sob demanda: O usuário pode dimensionar a infra-
estrutura dos recursos computacionais, tais como armazenamento, processamento
e alocação de memória sem nenhum tipo de interação humana. Esses recursos são alto
configuráveis e escalonáveis de acordo com a demanda de cada usuário ou sistema.
Capítulo 2. Referencial Teórico 25

Amplo acesso à rede: Recursos estão disponíveis através da rede de dados e
podem ser acessado por vários dispositivos (por exemplo, celulares, tablets, notebooks,
smartphones e etc).
Pool de recursos: Utilizando um modelo multi-tennant (MT), os recursos com-
putacionais do provedor são estruturados para trabalhar em modo multiusuário dispo-
nibilizando de maneira dinâmica diferentes recursos físicos e virtuais a cada usuário
conforme sua demanda, essa característica possibilita uma experiência privativa, stand
alone, de recursos mesmo sendo o modelo de computação em nuvem implantado
sobre uma plataforma de comunicação distribuída.
Rápida elasticidade: Recursos podem ser elasticamente provisionados e li-
berados, em alguns casos até mesmo de forma automática, dimensionando automa-
ticamente as configurações de ambiente buscando ampliar ou reduzir os recursos
computacionais conforme variação da demanda. Para o consumidor, usuário e ou
serviço, os recursos disponíveis para realizar o provisionamento muitas vezes parecem
ser ilimitados e podem ser apropriados em qualquer quantidade e a qualquer momento.
Serviço medido: Sistemas em nuvem controlam e otimizam a utilização de
recursos, aproveitando a capacidade de medição em um nível de abstração adequado
para cada tipo de serviço (por exemplo, armazenamento, processamento, largura de
banda e contas de usuários ativos). O uso de recursos pode ser monitorado, controlado
e reportado, oferecendo transparência tanto para o provedor quanto para o consumidor
do serviço utilizado quanto a sua tarifação.

2.2.2 Modelos de Serviço

Os serviços em nuvem são classificados em três modelos (Figura 2), sendo
apresentados a seguir: (GIRASE et al., 2013)
1. Software Como Serviço (SaaS) - Por meio deste modelo soluções de soft-
ware de propósitos específicos são ofertados aos clientes. Os recursos em sua maioria
são disponibilizados para acesso através de navegadores de internet e as configurações
disponibilizadas aos usuários são restritas às aplicações contratadas.
2. Plataforma Como Serviço (PaaS) - Esse formato de serviço fornece ao
usuário um ambiente contendo sistema operacional, plataformas de desenvolvimento
de softwares dentre outras aplicações. Podendo, o usuário, interagir com o ambiente
disponibilizado e controlar plenamente as aplicações por ele desenvolvidas.
3. Infraestrutura Como Serviço (IaaS) - São ofertados aos clientes recursos
básicos de infraestrutura de computação como processamento, armazenamento é
comunicação em rede. O usuário é responsável pela instalação, atualização e ma-
nutenção de sistemas operacionais e aplicações por ele contratadas. O usuário não
Capítulo 2. Referencial Teórico 26

administra os recursos de infraestrutura contratados e estes podem ser tarifados por
tempo de uso ou volume processado.

Figura 2 – Modelos de Serviço

http://www.redcentricplc.com/resources/articles/what-is-paas/

2.2.3 Formas de Distribuição

O conceito de computação em nuvem é dividido em quatro formas: nuvem
privada, nuvem pública, comunitária e híbrida , todas as quatro têm características
significativas. No entanto, a escolha depende das necessidades do ambiente de negó-
cio. (GIRASE et al., 2013)
1. Nuvem Privada: Modelo no qual uma organização dispõem de uma infraes-
trutura em nuvem exclusiva, disponibilizada de forma local ou remota e administrada
pela própria organização ou através de terceiros.
2. Nuvem Pública: Neste modelo de serviço os dados são armazenados em
um servidor remoto e acessados por meio de redes públicas, como a internet. Ele
permite aos usuários compartilhar e acessar dados de qualquer lugar simultaneamente.
Isto significa que a nuvem pública promove um ambiente compartilhado, servindo a
variados tipos de usuários e propósitos. Embora um pouco arriscado em termos de
segurança de dados, por utilizar em suas operações de negócios acessos por meio de
rede pública de comunicação de dados, Internet, esse modelo oferece um ambiente
altamente escalável.
3. Nuvem Comunitária: a infraestrutura é compartilhada por uma comunidade
de organizações com interesses em comum e pode ser gerida pelas próprias organiza-
ções ou ter seus serviços subsidiados à terceiros.
4. Nuvem Híbrida: Uma nuvem híbrida é uma combinação entre duas ou mais
formas de distribuição do modelo de computação em nuvem. Essas infraestruturas se
Capítulo 2. Referencial Teórico 27

conectam para permitir a portabilidade de dados e aplicações.

2.2.4 Acordo de Nível de Serviço (ANS)

A sigla Service Level Agreement (SLA), ou ANS representa um contrato que
cuida das garantias entre o cliente ou serviço, usuário, e o provedor de serviço. Nele são
especificados os atributos de qualidade e seus respectivos valores aceitáveis. Como
exemplo podemos citar que em um SLA pode se especificar que a disponibilidade
de um determinado serviço não deve ser inferior a 98%, dado um certo intervalo, e
que a elasticidade de um recurso seja superior a 85% do valor do plano inicialmente
contratado, por exemplo.

2.2.5 Qualidade de Serviço

Quality of Service (QoS), Figura 3, é a capacidade de melhorar os serviços
trafegados na rede sobre tecnologias de comunicação de redes de dados, como, Frame
Relay, MPLS, Ethernet, ATM (Asynchronous Tranfer Mode, também é um protocolo
de comunicação entre redes WAN), e qualquer outra que se utilize do protocolo IP.
Tem como suas principais características, dar prioridade, reserva de banda, controle
de jitter (variação de atraso) e latência, garantindo um bom desempenho das aplica-
ções.(CISCO, 2016).

Figura 3 – Simplificação do Diagrama dos Mecanismos de QoS

http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialqosotm/pagina_3.asp
Capítulo 2. Referencial Teórico 28

2.2.6 Nuvens Federadas

Nuvens Federadas ocorrem quando um provedor de Computação na Nuvem
terceiriza recursos dinamicamente para outros provedores em resposta à variação da
demanda que seguem o modelo de infraestrutura como serviço (IaaS). Desta forma
ocorre um aglomerado de nuvens, porém seus recursos são heterogêneos, acarretando
num maior esforço para gerenciar os recursos distribuídos e por consequência para a
Tarifação.

2.2.7 Algoritmos genéticos

Na década de 1970 o funcionamento básico de um AG foi descrito, por John
Holland, e suas primeiras aplicações, surgiram na área de Engenharia.
Para uma solução eficiente, os AGs geram primeiramente um conjunto de
soluções aleatórias para o problema para, então, calcularem (utilizando uma função de
avaliação) a qualidade de cada uma destas soluções. Depois, através de mecanismos
de reprodução, combinam as melhores soluções, formando novas soluções que serão,
possivelmente, mais adequadas do que aquelas que lhe deram origem.
O novo conjunto de soluções é avaliados posteriormente. A reprodução e a
avaliação são repetidas até que o conjunto de soluções não possa mais ser melhorado.
Este processo é esquematizado na Figura 3, que representa todas as soluções
possíveis para um problema (no eixo horizontal) e a qualidade de cada uma destas
soluções (no eixo vertical).
Um conjunto inicial de soluções é gerado e, através de um AG, espera-se que
algumas destas soluções evoluam progressivamente em direção ao ponto A, chamado
de máximo global. As soluções se concentrarem no ponto B, que é o mínimo local.
Este risco, porém, pode ser diminuído com a adoção de estratégias que garantam a
heterogeneidade do conjunto de soluções.
Capítulo 2. Referencial Teórico 29

Figura 4 – Conjunto de Solucões
Fonte: (WUERGES; BORBA, 2010)

Seu funcionamento, faz com que os AGs sejam adequados para analisar um
amplo espaço de soluções (através das amostras presentes na população inicial, gerada
aleatoriamente), concentrando-se posteriormente nas áreas que mostram resultados
mais promissores (WUERGES; BORBA, 2010)

2.2.8 Virtualização

Virtualização é uma tecnologia chave para a computação em nuvem. Máquinas
virtuais oferecem isolamento e recursos computacionais de acordo com a demanda do
usuário.
Oferecem a possibilidade das aplicações estarem próximas dos dispositivos
controlados, reduzindo o atraso inerente que degrada a operação dos dispositivos. O
Serviço de Gerência de VMs permite aos administradores atribuir VMs aos usuários ou
grupo de usuários, bem como permite aos usuários acessar (mediante credenciais) e
controlar suas VMs (CARISSIMI, 2008).

2.2.9 Resumo

Este capítulo descreveu todo o referencial teórico utilizado durante o desen-
volvimento desta pesquisa. Foram discorridos os principais conceitos e definições da
computação em nuvem. No próximo capítulo será apresentado o método utilizado para
Capítulo 2. Referencial Teórico 30

o desenvolvimento da pesquisa e detalhes relacionados à sua classificação, ciclo de
desenvolvimento e detalhes do planejamento do mapeamento sistemático.
31

3 Método

O objetivo do capítulo é detalhar a abordagem metodológica utilizada na pes-
quisa por meio de três seções: Classificação Geral da Pesquisa, Classificação do
Estudo Sistemático Segundo Cooper e Ciclo da Pesquisa.
Na seção 3.1 a pesquisa é posicionada conforme 5 aspectos. A seção 3.2 faz
uso de uma taxonomia amplamente utilizada em estudos sistemáticos para classificar
o mapeamento sistemático conduzido na pesquisa em questão. A seção 3.3 descreve
o planejamento metodológico da pesquisa, suas etapas e atividades.

3.1 Classificação geral da pesquisa

A pesquisa realizada foi classificada conforme cinco aspectos: método de abor-
dagem, método de procedimento, objetivo, natureza dos dados e posicionamento
filosófico.
Através da Tabela 1 é possível observar o quadro metodológico que resume estes
elementos.

Tabela 1 – Classificação geral da pesquisa

Quadro Metodológico
Método de Abordagem Indutivo
Método de Procedimento Mapeamento Sistemático da Literatura
Quanto ao Objetivo Pesquisa Descritiva
Natureza dos Dados Qualitativa
Posicionamento Filosófico Pragmático

O método utilizado nessa dissertação é de caráter indutivo, uma vez que baseia-
se em estudos primários particulares para delinear o cenário geral do tema em discus-
são. As conclusões são concebidas por meio de uma cadeia de raciocínio ascendente
onde se permite, através dos dados obtidos, realizar inferências de uma verdade geral
sobre o tema estudado (LEITÃO, 2013).
Dada a necessidade de buscar respostas no cenário científico atual às perguntas
que deram origem a este trabalho o método de procedimento adotado foi o mapeamento
sistemático da literatura (MSL), um tipo de revisão sistemática da literatura (RSL).
Capítulo 3. Método 32

É utilizado em extensas pesquisas e que permite avaliar de forma mais ampla uma
determinada área sob investigação (GALVÃO; PEREIRA, ) .
A pesquisa descritiva tem como foco principal a descrição das características
de determinada população ou fenômeno, ou o estabelecimento de relações entre
variáveis. Conforme o apresenta o Quadro 1 são inúmeros os estudos que podem ser
classificados sob este título e uma de suas características mais significativas aparece
na utilização de técnicas padronizadas de coleta de dados (OLIVEIRA, 2011).

Quadro 1 – Classificação da metodologia científica

OLIVEIRA, 2011

Em relação aos dados obtidos e das análises adotadas, a pesquisa caracteriza-
se como qualitativa, apresentando aspectos mais profundos através da análise deta-
lhada, classificação e interpretação do contexto do objeto de pesquisa, uma vez que
todos os estudos foram analisados e classificados com o intuito de elucidar o cenário
atual quanto ao serviço medido na computação em nuvem, dentro de um foco mais
objetivo voltado ao modelo de comercialização e tributação do conceito (CRESWELL,
2013) . Alguns itens estatísticos também estão presentes neste trabalho representando
os dados da pesquisa o que remete ao uso de conceitos quantitativos no estudo.
O pragmatismo é uma doutrina filosófica que se baseia na verdade do valor
prático, ou seja, é aquilo que contem considerações de ordem prática, realista, sem
rodeios, com alvo bem definido, sem subterfúgios. (CRESWELL, 2013)
Capítulo 3. Método 33

3.2 Classificação do estudo sistemático segundo cooper

Proposta para classificar revisões sistemáticas da literatura a taxonomia de
Cooper (TC) é bastante aplicada a estudos sistemáticos em áreas da educação e
psicologia, dentre outras áreas de pesquisa em geral (COOPER, 1988) . A Tabela 2
apresenta a classificação da taxonomia segundo seis características, podendo alguma
delas, assumir mais de um valor.
* Características que podem assumir valores multivalorados.

Tabela 2 – Taxonomia para classificação dos estudos secundários segundo Cooper

Característica Categoria
Resultados de pesquisa [ou] Métodos de pesquisa [ou] Teorias [ou] Práticas e
Foco*
aplicações
[Integração (Generalização: Resolução de conflito: Construção de ponte
Objetivo*
linguística)] [Crítica] [Identificação de questões centrais]
Perspectiva [Representação neutra] [Exposição de posição]
Cobertura [Exaustiva] [Exaustiva com seleção seletiva] [Representativa] [Central ou pivô]
Organização* [Histórica] [Conceitual] [Metodológica]
Público-Alvo* [Estudiosos especializados] [Estudiosos gerais] [Profissionais] [Público geral]

A utilização desta descrição taxonômica auxilia a comunidade em três pontos
específicos: (i) avaliação da qualidade do trabalho, (ii) divulgação à comunidade através
de um conjunto de termos bem definidos e, (iii) facilitar a pedagogia em cursos de gra-
duação (COOPER, 1988). Na Tabela 3 é possível observar o resultado da classificação
do estudo de mapeamento sistemático desta dissertação mediante a taxonomia de
Cooper.

Tabela 3 – Resultado da aplicação da taxonomia de Cooper para a classificação do
mapeamento sistemático

Características Classificação
Foco [Resultado de Pesquisa] [Práticas ou aplicações]
Objetivo [Integração (Generalização)] [Identificação de Problemas Centrais]
Capítulo 3. Método 34

Características Classificação
Perspectiva [Representação Neutra]
Cobertura [Exaustiva com Citação Seletiva]
Organização [Metodológica]
Audiência [Acadêmicos Especializados] [Praticantes]

Focando os resultados desta pesquisa na busca por relatos de experimentos
ou modelos voltados à comercialização e precificação de projetos de adoção para
computação em nuvem na forma de estimativa de custos prévia a adoção do modelo,
espera-se contribuir para o entendimento sobre uma das características essenciais
desse serviço, o serviço medido, levando em consideração uma quantidade significativa
de trabalhos publicados.
A busca por práticas e experimentos nessa área visa elucidar a tendência
mercadológica e as diretrizes que vem sendo aplicadas quanto aos modelos de comer-
cialização e precificação tomando como base uma quantidade significativa de trabalhos
publicados.
Os objetivo deste são: integração/generalização e identificação de problemas
centrais. Espera-se com este trabalho acrescentar, organizar e sintetizar o conheci-
mento por meio da consolidação dos trabalhos publicados na literatura e identificar as
falhas para que possam ser melhoradas a partir da área de pesquisa estudada.
A perspectiva será discutida de forma neutra, com o intuito de dissertar de forma
pacifica para evitar a má compreensão por partes distintas. Estando a dissertação
isenta de pontos de vista do autor, apontando pontos positivos e negativos quanto as
linhas de pesquisa trabalhada.
Apesar das fontes de pesquisa e período considerado de produção serem
limitados foram utilizadas as principais bases bibliográficas da computação por meio de
pesquisas automáticas e manuais.
A citação seletiva foi utilizada, tentando selecionar boa parte da literatura relaci-
onada com o tema em questão.
A organização da dissertação está disposta de maneira metodológica, visto que
os resultados estão agrupados em ideias simples e similares para facilitar a discussão
e interpretação dos resultados de acordo com o foco da pesquisa.
Em relação à audiência a dissertação está direcionada aos pesquisadores
especializados para computação em nuvem que desejem conhecer o atual estado da
prática do conceito de serviço medido.
Capítulo 3. Método 35

3.3 Ciclo da pesquisa

Nesta seção é apresento o planejamento da metodologia empregada nesta
pesquisa elucidando suas etapas e atividades.
A Figura 5 apresenta todas as etapas e as atividades planejadas desde a
definição da pesquisa até a divulgação de seus resultados. Posteriormente serão
detalhadas as etapas de definição e planejamento da pesquisa. Os resultados obtidos
serão expostos no Capítulo 4. A seguir será apresentado o planejamento das atividades,
decisões de pesquisa e suas particularidades. Quanto a ordem, a execução das
atividades é sequencial e é definida pelo fluxo das setas e suas direções.

Figura 5 – Ciclo geral da pesquisa de mestrado apresentando suas etapas e atividades

3.3.1 Etapa de definição da pesquisa

Esta etapa foi fundamental para todo o delineamento da pesquisa e teve como
principais objetivos: (i) identificação das oportunidades de pesquisa, (ii) definição do
tema a ser trabalhado, (iii) escopo, (iv) perguntas de pesquisa e (v) definição da
metodologia e do método a ser utilizado. Nas demais sub-seções a seguir, todas as
definições da pesquisa serão detalhadas seguindo a ordem de acontecimentos.

3.3.1.1 Revisão informal da literatura

É comum a afirmação no meio da tecnologia da informação que a adoção
do modelo de computação em nuvem trás significativa redução de custas no que
Capítulo 3. Método 36

tange ao investimento inicial em processos de informatização por sua priorização
em Opex (Operational Expenditure) e não em Capex (Capital Expenditure)(PRADO,
2010) , focando a entrega de serviço prioritariamente e deixando os investimentos com
ambiente operacional, hardware e grande parte dos softwares a serem utilizados, a
cargo de empresas especializadas.
Diferentemente do modelo tradicional de computação, onde, os investimentos
iniciais precisam ser feitos em Capex para subsidiar posteriormente a entrega de
serviços operacionais, Opex.
Com base nessa máxima, a redução de custos com a adoção do modelo de
computação em nuvem, uma revisão informal da literatura em busca das oportunidades
de pesquisa focando uma das características básicas desse modelo, o serviço medido,
foi iniciada.
Por se tratar de um modelo de computação já em fase comercial soluções de
gigantes na área de computação em nuvem foram sondadas por intermédio de seus
representantes comerciais.
A estes representantes foi dirigida a questão que motivou a condução inicial
desta pesquisa. “Que ferramentas são disponibilizadas ou que meios são utilizados para
que um usuário possa mensurar o aporte financeiro necessário à adoção do modelo
de computação em nuvem em seu projeto? Confrontando o cenário obtido, frente a
adoção, permanência no modelo de computação tradicional, visando subsidiar tal
decisão com relação ao aporte financeiro necessário à migração para computação em
nuvem”.
A resposta deixou uma indagação sobre o real estado de maturidade dessa
característica básica do modelo de computação em nuvem, o serviço medido.
Às empresas indagadas obtivemos a mesma resposta, até então, nenhuma pos-
suía uma ferramenta própria que permitisse ao interessado na adoção de computação
em nuvem mensurar da forma mais precisa possível sua real demanda computacional
e com base nesta, precisar suas custas com a adoção do modelo.
Informação crucial para tomada de decisão, tão importante quanto decisões
relacionada a segurança de dados, área esta, que diferentemente dos serviços medidos
é amplamente discutida e estuda pela comunidade que trabalha computação em nuvem.
Foi proposto pelos fornecedores do serviço de computação em nuvem que
em um processo de adoção sejam deslocados analistas ao ambiente operacional do
interessado na aquisição do serviço para que estes, utilizando ferramentas de terceiros,
algumas, soluções de software live, e com base no fluxo de dados lido por alguns
dias in-loco simulem a necessidade computacional do ambiente em estudo e gerem
um orçamento aproximado da adoção com base em seu catalogo de serviços de
Capítulo 3. Método 37

computação em nuvem disponível.
Também não encontramos um padrão entre as ações das empresas que ofe-
recem o serviço de computação em nuvem, o que leva a crer que esse processo
precisará se repetir a cada empresa procurada dado o portfólio de serviços entre elas
ser diferente.
Em comum, foram apresentadas algumas calculadoras com funcionamento
parecido a lojas virtuas, onde são listadas as soluções que cada empresa de compu-
tação em nuvem oferece e seu valor unitário, podendo assim o usuário chegar a um
valor aproximado, isso, caso este conheça sua real necessidade de processamento
computacional, considerando os servidores físicos que já possua, e consiga converter
esse valor para os padrões de processamento apresentados pelos itens presentes
nestas calculadoras.
Os itens virtualizados, são ofertados utilizando parâmetros de mercado bem
semelhantes aos trabalhados para classificar e comercializar máquinas físicas, como
valores padrões de processadores, hds e memória ram.
Exemplificando o funcionamento deste modelo de ferramenta podemos citar as
calculadoras da Amazon1 e Google2 .
Algumas incursões manuais em ferramentas de busca também foram realizadas
sobre o tema serviço medido e confirmaram o baixo retorno de estudos sobre a área
se comparada a outras características básicas do modelo de computação em nuvem
como o amplo acesso a rede que implica sobre discussões quanto a segurança do
serviço e elasticidade.
A dificuldade em encontrar ou até mesmo a não existência de ferramentas desti-
nadas ao trabalho de mensuração de adoção de computação em nuvem, considerando
a utilização de IaaS ou PaaS em formato dedicado.
Considerando ainda a real necessidade de se projetar previamente o impacto
financeiro com a adoção de computação em nuvem levantando a necessidade compu-
tacional, demanda de processamento de dados, do projeto em questão para conversão
em investimento monetário.
Aliados ao baixo retorno em pesquisas exploratórias inicias de estudos envol-
vendo a característica básica do modelo de computação em nuvem, serviço medido,
motivaram realização desse estudo.

1
http://calculator.s3.amazonaws.com/index.html
2
https://cloud.google.com/products/calculator/
Capítulo 3. Método 38

3.3.1.2 Definição do tema, objetivo e escopo

Para um maior embasamento teórico sobre o assunto e definir o tema, objetivo
e escopo da pesquisa foi realizada uma revisão bibliográfica nos temas relacionados
ao assunto: computação em nuvem, quanto a existência de relatos, experimentos
ou frameworks voltados a trabalhar com uma das característica básica do modelo,
o serviço medido.
As pesquisas iniciais que envolveram sondagens a soluções comerciais e pu-
blicações acadêmicas não retornaram ferramentas voltadas a auxiliar o usuário a
mensurar, converter e precificar projetos de adoção do modelo de computação em
nuvem.
Contudo, contribuíram para elucidar o cenário de comercialização mais comum
do modelo, utilizando algumas ferramentas já existentes no mercado (Seção 3.3.1.1) e
com base no conteúdo apresentado em alguns dos estudos sobre a área encontrados
nas pesquisas a bases acadêmicas e informações contidas em sites comerciais, foi
possível concluir que o mercado de computação em nuvem trabalha com uma linha co-
mercial bem definida, trata-se da comercialização e estruturação dos seus recursos no
formato de instâncias de VM (Máquinas Virtuais).
Assim concluímos a relevância do trabalho em investigar e entender de forma
mais profunda como a comunidade acadêmica vem tratando esse assunto, se de fato
as instâncias de máquinas virtuais são o modelo comercial mais aplicado e estudado e
se existem ferramentas voltadas aos usuários que permitam mensurar sua demanda
computacional, quanto ao volume de processamento de dados e com base nessa
informação precificar uma hipotética adoção de computação em nuvem.
Neste estudo utilizaremos prioritariamente informações contidas em bases
acadêmicas, apesar de inicialmente contatos comerciais terem sido iniciados e de
entendermos sua relevância ao tema, a natureza do trabalho e o tempo para sua
execução incitam a utilização de bases de pesquisa melhor estruturadas e que retornem
valores que subsidiem o trabalho de forma mais rápida e eficaz.
Com o intuito de realizar uma análise inicial mais profunda e obter uma con-
tribuição mais relevante no estudo da característica serviços medidos do modelo de
computação em nuvem priorizaremos nossas pesquisas em estudos que apresentem
relatos de experimentos quanto a área em questão. Experimentos são um método
empírico bem representativo quanto as características de pesquisas realizadas na área
de computação em nuvem.
Diante destes fatos a pesquisa foi direcionada a compreender o estado da
prática quanto ao estudo da caraterística básica do modelo de computação em nuvem,
serviço medido, procurando entender seu formato de comercialização e ferramentas
Capítulo 3. Método 39

disponíveis aos usuários com o intuito de identificar oportunidades de melhorias na
área.

3.3.1.3 Definição da metodologia

Uma vez definido o tema, objetivo e escopo da pesquisa o próximo passo foi
definir qual seria o método a ser utilizado (Seção 3.1), o método considerado mais
adequado foi o Mapeamento Sistemático da Literatura, tomando como base o objetivo
e a natureza exploratória das questões de pesquisa e apresentação dos resultados
pretendidos.
O mapeamento sistemática da literatura tem por objetivo a realização de análises
temáticas mais amplas, ferramenta que entendemos melhor se adequar a esse estudo
visto que inicialmente não pretendemos comparar ferramentas existentes mais sim
procurar por sua existência e classificá-las quanto a funcionalidades.
O mapeamento sistemático também vem de encontro a questão central do
estudo que consideramos ser de amplo aspecto exploratório: Com base nos modelos
de comercialização de computação em nuvem, atuais, quais experimentos já estão
disponíveis aos usuários para mensurar sua demanda computacional e precificar o
investimento o auxiliando na tomada de decisão para migração para computação em
nuvem?.
Outro fator está relacionado à forma de apresentação dos resultados, pois em
um estudo de mapeamento sistemático eles são apresentados de forma categorizada
e proporcionam uma visão sumária que permite a melhor visualização dos dados em
forma de gráficos e mapas (PETERSEN et al., 2008).
Nas sub-seções a seguir todo o planejamento do mapeamento sistemático será
detalhado seguindo através da definição do protocolo da pesquisa.

3.3.2 Etapa de planejamento do mapeamento sistemático

Na fase de planejamento do mapeamento sistemática foi definido e revisado o
protocolo de mapeamento sistemática da literatura utilizado nesta pesquisa.
Esse tipo de ferramenta tem como principio padronizar e reduzir o tempo de
trabalho do pesquisador por meio da utilização de uma sequência precisa e rigorosa
de passos metodológicos.
A Figura 6 ilustra as três fases planejadas para a metodologia de mapeamento
sistemático utilizada nesta pesquisa.
Capítulo 3. Método 40

Figura 6 – Metodologia planejada para a realização do mapeamento sistemático

A seguir serão apresentados os detalhes de planejamento do mapeamento e
todas as decisões e informações necessários para a compreensão da pesquisa.

3.3.2.1 Definição do protocolo

O protocolo tem por objetivo padronizar o trabalho do pesquisador reduzindo o
tempo de conclusão do trabalho, minimizando erros construindo caminhos precisos e
eficazes para o mapeamento e reprodução da pesquisa. (MIGUEL, 2007).
Na construção deste protocolo foram referenciadas as práticas contidas em
guias existentes na literatura que tratam sobre a questão (KITCHENHAM et al., 2008;
KEELE, 2007; PETERSEN et al., 2008).
Na sequencia serão apresentados os elementos relacionados ao planejamento
do mapeamento. Como pode ser visto na Figura 6 o planejamento compreende a
definição dos seguintes pontos: questões de pesquisa, estratégia de busca dos estudos,
estratégia de seleção dos estudos, avaliação da qualidade e estratégia de extração.

3.3.2.1.1 Questões de pesquisa

A formulação das questões de pesquisa é crucial e direciona todas as atividades
de busca, seleção, extração dos dados e análise dos estudos (LIRA et al., 2008).
Capítulo 3. Método 41

O objetivo desta pesquisa é realizar um diagnostico do nível de aprofundamento
prioritariamente acadêmico quanto ao estudo de propostas e soluções de ferramen-
tas que envolvam uma das características básicas do modelo de computação em
nuvem, o serviço medido.
É interesse do autor verificar a existência de experimentos voltados a auxiliar o
usuário na tomada de decisão quanto a adoção de computação em nuvem analisando o
aporte financeiro, avaliando os modelos comerciais ofertados e as ferramentas voltadas
aos usuários que tenham como principio a mensuração da necessidade computacional
do projeto e sua precificação.
Com este objetivo e tomando como base as orientações feitas por(OLIVEIRA,
2011) , que orienta os pesquisadores a relatar o resultado de experimentos com base
em um conjunto de informações essenciais para seu entendimento foi criado o conjunto
de questionamentos abaixo:

• Questão Principal (QP) Existe algum estudo que proponha ou implemente
um experimento visando conceber uma ferramenta e ou framework que permita
mensurar projetos de computação em nuvem, considerando a demanda de pro-
cessamento de dados, necessidade computacional do projeto, e com base nesta
projetar o aporte financeiro necessário?

• Sub Questão Principal 1 (SQP1) O estudo trata sobre computação em nuvem?

• SQP2 - O estudo trata sobre a característica básica de computação em nuvem,
serviço medido?

• SQP3 - O estudo propõem algum tipo de experimento envolvendo serviço medido?

• SQP4 - O experimento é capaz de mensurar a demanda de processamento
de dados de projetos de adoção, migração para computação em nuvem com a
possibilidade de precificação precisa do projeto?

3.3.2.1.2 Estratégia de busca dos estudos

Para esta pesquisa o autor utilizou a estratégia de busca automática na seleção
dos estudos e os resultados obtidos foram exportados para uma ferramenta gratuita de
gestão de referencias on-line.
As bibliotecas de busca selecionadas para utilização neste estudos são am-
plamente utilizadas na área de tecnologia da informação sendo elas: Association for
Computing Machinery Digital Library (ACM - Digital Library)3 , Institute of Electrical and
3
http://dl.acm.org/
Capítulo 3. Método 42

Electronic Engineers Xplore Digital Library (IEEE - Xplore Digital Library)4 , Scopus5 ,
Science Direct6 , Springer Link7 .

Abaixo é apresentado a formatação da string de busca utilizada neste estudo.
Em sua composição foram utilizados termos que identificam o modelo de computação
em nuvem e seus modelos de serviço.
Conforme orientação de (DIESTE; PADUA, 2007) os termos referentes a experi-
mentos foram utilizados na tentativa de obter retorno de estudos que de fato contenham
relatos de experimentações.
Para direcionar a busca à área a ser investigada dentro das características
básicas do modelo de computação em nuvem o termo, serviço medido, também
compõem a string. Conforme apresentado na Tabela 4.

Tabela 4 – String de busca utilizada na pesquisa automatizada dos estudos

“Cloud Computing”, “Platform as a Service”, “Infrastructure as a Service”,
<OR> “Software as a Service”
<AND>
“Measured Service”
<AND>
Experiment, Evaluate, Evaluation, Evaluating, Benchmark, Framework,
<OR> Guideline
Intervalo de Busca: 2010 a 2016

3.3.2.1.3 Estratégia de seleção dos estudos

A seleção dos estudos foi planejada em duas etapas, a primeira consiste na
leitura do título e resumo de todos os estudos pelo autor da pesquisa, os trabalhos
considerados fora do escopo da pesquisa, duplicados dentre outros critérios de exclusão
pré-determinados, conforme mostra a Tabela 5 foram excluídos.
Foram clássificados para a segunda etapa de análise todos os estudos que
mostraram conformidade com o protocolo de seleção estabelecido e os estudos que de
alguma forma demonstraram algum potêncial à pesquisa, mesmo estes apresentando
poucas informações quanto ao seu conteúdo na análise do título e resumo.
4
http://ieeexplore.ieee.org
5
https://www.scopus.com
6
http://www.sciencedirect.com/
7
http://link.springer.com/
Capítulo 3. Método 43

Na segunda etapa os estudos classificados foram analisados de forma mais
detalhada. Gerando uma lista final, presente nos Anexos desta pesquisa, de estudos
aprovados e excluídos quanto a utilização neste estudo.
Os critérios de exclusão foram definidos com objetivo de identificar apenas
os experimentos que avaliaram especificamente uma das caraterísticas básicas da
computação em nuvem, o serviço medido.
Os estudos que não satisfizeram essa propriedade foram inclusos a lista de
estudos não aproveitados. Os critérios foram criados com o objetivo de realizar uma
análise com granularidade fina a fim de facilitar futuros estudos com os resultados das
seleções de estudos realizada nesta revisão.
No Apêndice deste trabalho estão relacionados todos os estudos retornados
pelas ferramentas de busca com amplitude delimitada pela string de busca também,
neste trabalho, já discutida (Seção 3.3.2.1.2).
Os estudos selecionados para a pesquisa estão dispostos no formato de tabela
com as seguintes características:

• Código que identifica se o estudo foi aproveitado ou não na pesquisa;

• Seu título;

• Ano de publicação;

• Base de pesquisa a qual pertence o estudo;

• Autores;

• Sua classificação conforme os critérios de exclusão.

Tabela 5 – Lista dos critérios de exclusão

Critérios de Exclusão
C1 O arquivo não corresponde ao Estudo;
C2 O aquivo não é um Estudo;
Capítulo 3. Método 44

Critérios de Exclusão
C3 O Estudo é duplicado;
C4 O Estudo é um slideshow ou resmumo expandido;
C5 O Estudo está fora do intervalo de avaliação;
C6 O Estudo está relacionado à Computação em Nuvem mas não a Serviço Medido;
C7 O Estudo está relacionado à Serviço Medido mas não contem um experimento;
C8 O Estudo não está disponível;
C9 O Estudo não está em Inglês;
C10 O Estudo não está relacionado à Computação em Nuvem;
C11 O Estudo não está relacionado à Serviço Medido na Computação em Nuvem;
C12 O Estudo pesquisado é um livro ou parte de;

3.3.2.1.4 Avaliação da qualidade

Não foi realizado nenhum tipo de processo para avaliar o nível de qualidade dos
estudos classificados para a pesquisa, com o intuito de conseguir a maior amplitude
possível sobre o tema, experimentos voltados à serviços medidos em computação em
nuvem, todos os estudos classificados na primeira fase de avaliação dos estudos foram
inclusos à segunda fase e analisados conforme o enfoque desse estudo.
A intenção foi conseguir representar da forma mais ampla possível as ações
voltadas a essa área no meio acadêmico.

3.3.2.1.5 Estratégia de extração

Na primeira fase foram extraídas informações, metadados dos estudos, como
título, autores, instituições, países, fonte e ano das publicações das bases de busca
e importadas para a ferramenta de gestão de referências on-line utiliza neste estudo.
Na segunda fase a base de dados foi utilizada para análise dos estudos conforme
apresentado na Seção 3.3.2.1.3.

3.3.2.1.6 Revisão do protocolo

Definido o protocolo, conforme orientação dos guias sobre a prática. Alguns
testes foram realizados e a versão final foi estabelecida dando início assim a fase de
revisão sistemática dos estudos utilizada nesta pesquisa.
Vale ressaltar que durante os testes a string de busca foi testada e ajustada em
todas as bases cientificas utilizadas. O baixo retorno de estudos pelas ferramentas de
busca leva a crer, ser de fato, essa uma característica da área estudada.
Capítulo 3. Método 45

3.3.3 Etapa de execução da pesquisa

Os resultados obtidos com a execução do protocolo descrito serão apresentados
e discutidos no Capítulo 4 deste estudo.

3.3.4 Etapa de divulgação dos resultados

Esta fase é dividida entre a Escrita da Dissertação e Submissão a revistas
e periódicos. A escrita da dissertação não segue uma ordem preestabelecida, ela
evolui conforme os resultados da pesquisa vão se concretizando e apresentando
possibilidades de propostas quanto a melhorias e avanços na área de estudo.
A execução e os resultados obtidos com esse estudo são apresentados na
dissertação com um alto grau de detalhamento visando dar uma melhor visualização e
credibilidade ao trabalho.
Após a apresentação desta e correção conforme preposições apresentados
pelos avaliadores tem início a segunda fase de divulgação do estudo à comunidade
acadêmica para utilização em pesquisas posteriores.

3.3.5 Resumo

Neste capítulo foi descrita a metodologia utilizada nesta pesquisa, sua classifi-
cação, estruturação, planejamento, condução e as razões de uso dos procedimentos
ou métodos.
Também foi apresentada a estratégia planejada para a divulgação dos resultados
obtidos na pesquisa. No próximo capítulo são apresentados todos os detalhes de
execução do mapeamento sistemático e uma análise dos resultados obtidos.
46

4 Resultados do mapeamento sistemático da literatura

O objetivo deste capitulo é descrever a execução da etapa de mapeamento sis-
temático da literatura e apresentar os resultados em suas análises.
Quanto ao mapeamento sistemático da literatura serão apresentados detalhes
de sua execução compreendendo as atividades de busca, seleção, extração dos dados
e sintetização dos resultados.
A análise e discussão dos resultados obtidos deste trabalho serão apresentados
em três Seções distintas: Análise Geral, Discussão das Evidências e Discussão dos
Resultados.
A análise e discussão dos resultados obtidos alicercearão a proposição de
um formato alternativo de configuração e comercialização de computação em nuvem
presente no Capítulo 5 deste estudo.

4.1 Execução do mapeamento sistemático

Nesta seção será apresentado os detalhes da etapa de execução do mapea-
mento sistemático que se inicia com a seleção dos estudos e resulta na sintetização da
informação.
O intuito desta seção é discorrer sobre os detalhes de execução do mapeamento
sistemático, desde a etapa de seleção dos estudos até a sintetização das informações
compiladas.
Todo o detalhamento das atividades que compreendem as etapas executa-
das nesta seção e as informações necessárias ao seu entendimento quanto ao contexto
e interpretação da pesquisa serão apresentados nas próximas sub-seções.

4.1.1 Busca dos estudos

A atividade de busca foi dirigida pelo planejamento realizado e executada em
dois momentos: busca manual e busca automática.
Vale ressaltar que as buscas manuais em caráter exploratório subsidiaram a
motivação da pesquisa, contudo, não serão representadas de forma isolada uma vez
que os estudos encontrados em pesquisa manual também foram capturados pelo
método automatizado de busca.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 47

Também foram utilizados estudos, encontrados por meio de busca exploratória
manual, que não estavam diretamente ligados ao objeto de pesquisa mas sim a assun-
tos correlatos como a estruturação do formato de dissertação, método de pesquisa
utilizado e referencial teórico, estes são referenciados no decorrer deste estudo.
Devido a particularidades encontradas em cada engenho de busca utilizado foi
necessário realizar modificações na string de busca automática, contudo toda a lógica
definida na sintaxe de busca foi inteiramente mantida.
Todo o resultado das buscas foi importado para um software gratuito de gestão
de referências on-line. Vale ressaltar, para essa etapa, que um dos engenhos de busca,
Springer Link, apesar de possuir opções de exportação do resultado das buscas, para
determinados formatos utiliza políticas diferenciadas, o que no caso desse estudo
constituiu na necessidade exportar cada estudo encontrado de forma unitária e não em
lote.
Nessa etapa todos os estudos retornados são classificados e conforme descrito
na seção 3.3.2.1.3, todos foram avaliados, sendo remetidos à segunda fase de análise
os estudos que passaram pelos critérios de exclusão e ou não conseguiram ser
classificados somente com a análise da primeira fase, sendo classificados para a
segunda fase onde foram submetidos a uma análise mais detalhada.
É importante ressaltar que esta atividade é conhecidamente laborosa e exige
do pesquisador um certo volume de trabalho manual e repetitivo na montagem e
organização das informações que são apreciadas na atividade de seleção dos estudos
primários.
Os detalhes dos resultados das buscas estão descritos na Tabela 6.

Tabela 6 – Relação total de estudos candidatos localizados apresentados por fonte de dados

Estratégia de Resultados
Fontes de Pesquisa Utilizadas
Busca Obtidos
Association for Computing Machinery Digital Library (ACM
Automática 071
- Digital Libray)
Institute of Electrical and Electronic Engineers Xplore Digital
Automática 003
Libray (IEEE - Xplore Digital Library)
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 48

Estratégia de Resultados
Fontes de Pesquisa Utilizadas
Busca Obtidos
Scopus Elsevier Automática 015
Science Direct Elsevier Automática 124
Springer Link Automática 312
Total de Estudos Candidatos Encontrados: 525

4.1.2 Seleção dos estudos primários

Nesta etapa foi realizada a leitura e catalogação de todos os estudos primários
retornados pela string de busca. Os 525 estudos primários encontrados tiveram seus
respectivos títulos e resumos lidos, em alguns casos a introdução e até mesmo conclu-
são também foram analizadas visando uma classificação mais precisa do estudo tanto
para seu aproveitamento nessa pesquisa quanto para a sua classificação mais precisa
conforme os critérios de exclusão.
Conforme ilustra a Figura 7 para a segunda rodada de análise foram classificados
26 estudos que foram lidos e analisados na integra.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 49

Figura 7 – Formato de execução do mapeamento sistemático da literatura - primeira fase

No Apêndice C desta pesquisa encontram-se todos os os estudos classificados
na primeira fase de avaliação, os mesmos estão dispostos por meio de tabela contendo:
código, título, ano, origem e autores.
Os estudos excluídos na primeira rodada de análise constam no Apêndice D
desta pesquisa e estão dispostos por meio de tabela contendo: código, título, ano,
origem, autores e critério de exclusão, este último segundo definições presentes na
Seção 3.3.2.1.3, deste estudo.

4.1.3 Segunda fase de análise dos estudos

Para a segunda rodada de análise dos estudos, como presente na Figura 7,
foram classificados 26 estudos, destes 14 foram aprovados e utilizados nesta pesquisa.
Na segunda fase os estudos foram analisados na integra e os classificados
foram submetidos a um processo de sintetização de informações, presente no Anexo
A, deste trabalho.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 50

Na sintetização, os estudos classificados foram agrupados conforme área de
atuação e estes estão dispostos em tabela contendo também as seguintes informações:
código do estudo, ano de publicação, questão de pesquisa, solução proposta, principais
técnicas abordadas no estudo e resultado proposto.
A Figura 8, ilustra o processo de classificação dos estudos utilizado na segunda
fase de análise.

Figura 8 – Formato de execução do mapeamento sistemático da literatura - segunda fase

No Apêndice A desta pesquisa encontram-se todos os os estudos classificados
na segunda fase de avaliação, estudos aproveitados para a pesquisa, os mesmos estão
dispostos por meio de tabela contendo: código, título, ano, origem e autores.
Os estudos excluídos na segunda rodada de análise constam no Apêndice B
desta pesquisa e estão dispostos por meio de tabela contendo: código, título, ano,
origem, autores e critério de exclusão, este último segundo definições presentes na
Seção 3.3.2.1.3, deste estudo.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 51

O gráfico presente na Figura 9 correlaciona a quantidade de estudos classifica-
dos e aprovados na rodada final de análise os categorizando por base de dados.

Figura 9 – Correlação de estudos aprovados e reprovados
na segunda fase por base de dados.

O gráfico presente na Figura 10 trás uma visão quanto a eficiência de cada base
pesquisada em relação, somente a classificação dos estudos, conforme os critérios de
mapeamento sistemático da literatura adotados por esse estudo.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 52

Figura 10 – Eficiência das bases de pesquisa quanto a classificação dos estudos
frente aos procedimentos de mapeamento sistemático da literatura adotados neste
estudo.

4.2 Análise geral

O total de estudos encontrados neste trabalho confirmou o cenário que foi
evidenciado pelas pesquisas exploratórias inicias que motivaram esse estudo, consta-
tando de fato a baixa produção cientifica referente a computação em nuvem focada na
característica básica do modelo, serviço medido.
Também durante as pesquisas exploratórias inicias ficou evidente a disparidade
entre a quantidade de trabalhos relacionados a questões como segurança e elasticidade
em computação em nuvem frente a área estudada nesta pesquisa, serviço medido.
O gráfico presente na Figura 11 faz uma análise entre a quantidade de estu-
dos encontrados durante a fase inicial de mapeamento sistemático da literatura e a
quantidade total de estudos classificados na fase final desta mesma etapa.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 53

Figura 11 – Relação de estudos encontrados na fase incial da pesquisa e total
de estudos finais classificados

De um total de 525 estudos encontrados apenas 3% deste montante, 14 estudos,
foram classificados como relevantes às questões sendo investigadas neste trabalho.
Os estudos foram classificados conforme área de atuação, ao todo foram encon-
tradas 8 áreas de atuação que foram classificadas após análise de suas características
em dois grupos quanto ao tratamento dos custos para computação em nuvem.
O processo de análise dos resultados revelou uma situação importante quanto
a terminologia custo para computação em nuvem.
Existe uma corrente de pesquisadores que trabalham a questão do custo para
computação em nuvem, dá ótica do custo computacional, ou seja, a quantidade de
recursos físicos ou lógicos envolvidos na resolução de um dado problema.
Nesta relação, quanto menor o custo computacional empregado menor o mon-
tante financeiro a ser investido.
Essa linha de pesquisa busca analisar o desempenho dos serviços de nuvem
constituídos, buscando oportunidades mais rentáveis de negócio.
Dado o alto nível de complexidade empregado nessas análises esses estudos
são voltados em sua maioria a redes de colaborados, redes federadas.
Uma outra vertente trata do custo da perspectiva da adoção do modelo de
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 54

computação em nuvem.
Trata-se de ações que objetivam mensurar de forma prévia o investimento
financeiro continuado necessário para adoção do modelo.
Levantando a demanda computacional do projeto e a contrapondo aos produtos
ofertados pelos catálogos de serviços das prestadoras de computação em nuvem.
Sendo está, a linha que de fato é objetivada por esta pesquisa.
Para melhor condução da análise das evidências deste trabalho a descrição das
categorias encontradas foram abreviadas em áreas e agrupadas conforme sua atuação
quanto ao tratamento do custo para serviço medido, como se segue na Tabela 7.

Tabela 7 – Relação de grupos e categorias quanto a classificação dos estudos utilizados na
pesquisa

Áreas de Atuação
Grupos Áreas Descrição Área
Análise Ambientes de Modelagem e Testes para
Modelagem e Teste
de Computação em Nuvem.
Avaliação multicritério para escolha e ou
Custo Aval. Multicritério Serv.
agregação de serviço de nuvem (redes
Com- Redes Fed.
federadas).
puta-
Transf. Cluster VM Distribuição e ou incorporação de Clusters de
cional
Redes Fed. VM em Redes Federadas
Introduz uma camada de gestão entre os
Gestão IaaS recursos de IaaS e os Usuários, chamado
domínio.
Trata sobre as políticas de priorização de lotes
Exec. Lotes Dados
de dados que precisam ser terceirizados,
Redes Híbridas
executados em estruturas híbridas.
Análise Análise de Análise de Desempenho de serviços de
Pré- Desempenho Serviços computação em nuvem.
Apresenta uma revisão da literatura afirmando o
adoção Revisão Sist. Lit. Custo
problema em se conseguir estimar previamente o
Adoção
custo da adoção de computação em nuvem.
Introduz o conceito de centro de custos centrado
Custos Adoção no consumidor para pagamento de serviços de
nuvem.

O Anexo A deste estudo dispõe uma síntese dos 14 estudos classificados na
fase final de mapeamento sistemático da literatura.
Estes estão dispostos, em tabela, classificados por área de abrangência con-
tendo ainda informações sobre: código, ano de publicação, questão de pesquisa,
solução proposta, técnicas utilizadas e resultados obtidos.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 55

4.2.1 Redução do custo monetário com base na análise do custo computacio-
nal

Como já discutido, essa categoria objetiva a redução dos custos realizando
análises nos servidores de computação em nuvem em redes de colaboradores, redes
federadas, e categorizando esses serviços quanto aos seus respectivos desempenhos.
Em suas transações comerciais, basicamente, são ponderados os SLAs atribuí-
das aos lotes de trabalho e os serviços de nuvem capazes de atender tais requisitos de
execução quanto ao custo computacional requerido, níveis de QoS atingidos.
O cumprimento das SLAs propostas irá gerar os custos monetários esperados
aumentando assim o nível de credibilidade do provedor de serviço de computação em
nuvem.
Quanto melhor a reputação do provedor mais oportunidades de negócio serão
apresentadas em seu ambiente de colaboração comercial.
Inversamente, aos provedores que não alcançarem os níveis de QoS determina-
dos pelas SLAs são aplicadas punições que vão de ressarcimento financeiro a seus
clientes a desqualificação no ranking de prestadores de serviço.
O gráfico presente na Figura 12, ilustra a quantidade de estudos por área de
concentração classificados no grupo análise de custo computacional.

Figura 12 – Análise de custo computacional , estudos por área
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 56

Dos 14 estudos selecionados 11 pertencem a este grupo distribuídos por 05
áreas de concentração.
Dentre estas destaca-se a área “Aval. Multicritério Serv. Redes Fed.” que é
representada por 07 estudos, os demais grupos são representados por 01 estudo cada.
O próximo gráfico, Figura 13, realiza uma comparação cronológica das áreas
representadas por apenas 01 estudo cada.

Figura 13 – Custo computacional, relação cronológica de estudos

Já o gráfico da Figura 14, trata de forma cronológico todos os estudos que
compõem a área “Aval. Multicritério Serv. Redes Fed.”
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 57

Figura 14 – Área “Aval. multicritérios serv. redes fed.” avaliação cronológica

A seguir discutiremos cada uma das áreas que compõem o grupo “Análise de
Custo Computacional”.

4.2.1.1 Modelagem e teste

Essa área é representada pelo estudo EFFS8, o estudo apresenta o ambiente
para testes voltado para computação em nuvem CloudExp.
O CloudExp é um toolkit que expande as funcionalidades do CloudSim, um dos
primeiros ambientes de testes voltados para computação em grid e computação em
nuvem.
O ambiente é utilizado para representar um servidor de computação em nuvem
onde podem ser executados testes buscando por melhores ajustes de configuração
de ambiente o que poderá resultar em ganhos quanto ao custo computacional e
consequentemente custo de investimento financeiro.

4.2.1.2 Avaliação multicritério para serviços de nuvem em redes federadas

Representam esta área os estudos EFFS1, EFFS2, EFFS3, EFFS5, EFFS6,
EFFS9 e EFFS11, de forma resumida estes trabalhos apresentam várias versões de
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 58

algoritmos voltados a análise de serviços de nuvem que fazem parte de redes de
colaboradores, redes federadas.
Trata-se da área mais explorada atualmente no meio cientifico voltado a estudar
o serviço medido para computação em nuvem.
É a categoria que possui a maior quantidade de estudos e os de publicação
mais recente, dos setes estudos catalogados quatro são de 2016, conforme ilustrado
pelas Figuras 12 e 14.
As várias versões de algoritmos presentes nestes estudos buscam a analisar
os servidores de nuvem federados quanto aos índices de QoS atingidos em suas
operações.
Cada algoritmo tem uma estratégia de análise, classificação e divulgação destes
resultados, que são utilizados na definição de contratação de serviços de nuvem
terceirizados e ou leilão de lotes de processamento, SPOT.
Durante essas negociações são implementados interlocutores automatizados
de negócio que analisam os dados levantados pelos algoritmos e os contrapõem as
SLAs definidas pelos usuários, escolhendo assim com que empresas se relacionar em
cada cenário de negociação proposto.

4.2.1.3 Transferência de clusters de VM em redes federadas

Nessa área temos o estudo EFFS4, trata-se de um estudo recente, publicado em
2016 que apresenta um algoritmo voltado a qualidade de transferência e comunicação
entre VMs dentro de uma rede de colaboradores.
Trata-se de uma ação comum, que geralmente objetiva expandir o raio de ação
geográfica de aplicações garantindo um melhor nível de QoS entre os servidores,
serviços e usuários envolvidos (ARAL; OVATMAN, 2016.).
A estratégia e encontrar a melhor forma de disseminar os serviços geografica-
mente garantindo a qualidade de tráfego de rede.
Nesse estudo também foi apresentado um simulador para computação em
nuvem, trata-se do RalloCloud que assim como o CloudExp, já apresentado, também é
uma extensão do CloudSim mas com funcionalidades voltadas a simular ambientes de
nuvem de colaboradores, redes federadas.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 59

4.2.1.4 Gestão de IaaS e usuários do serviço por meio de uma camada de domínio

O estudo EFFS13 propõe a maior flexibilidade no trato com os recursos de IaaS
assim como as permissões e restrições a usuários por meio da aplicação de uma
camada de domínio, que concentrará os recursos de IaaS e os seus usuários.
Segundo o estudo essa camada de gestão irá flexibilizar o serviço e permitirá
uma melhor gestão dos recursos, minimizando também as custas com investimento
financeiro.

4.2.1.5 Execução de lotes de processamento de dados em redes híbridas

Área representada pelo estudo EFFS10, discorre sobre a implementação de um
algoritmo voltado à priorização de lotes de dados que serão processados fora dos seus
domínios, terceirizados.
O algoritmo apresenta soluções para filas de processamento, considerando
ordem da fila, qualidade do serviço, QoS, e restrições de SLA, visando diminuir o
investimento financeiro com o processamento de dados em redes hibridas.

4.2.2 Levantamento de custos em análises pré-adoção para computação em
nuvem

Esse grupo de estudos busca implementar técnicas que permitam ao usuário
mensurar de forma prévia o investimento financeiro necessário com a adoção de
computação em nuvem.
Trata-se do grupo diretamente relacionado ao objeto dessa pesquisa.
O gráfico presente na Figura 15 relaciona a quantidade de estudos as áreas de
pesquisa relacionadas a este grupo.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 60

Figura 15 – Análise pré-adoção, relação de estudos por área

Apenas 03 dos 14 estudos encontrados são dirigidos a essa área de atuação,
coincidentemente cada um destes propõem uma técnica diferente para solução do
problema, dando origem assim a três áreas de concentração como representado na
Figura 15.
A Figura 16, demonstra por meio de gráfico a ordem cronológica das publicações
pertencentes a esse grupo.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 61

Figura 16 – Análise pré-adoção, relação cronológica dos estudos

A seguir discutiremos cada uma das áreas que compõem o grupo “Análise
Pré-adoção”.

4.2.2.1 Análise de desempenho de serviços de computação em nuvem

O estudo EFFS7 relata a inconstância de desempenho presente nos serviços
de nuvem como um dos fatores de maior dificuldade em se calcular de forma prévia as
custas com a adoção do modelo.
Propondo como possível solução um algoritmo capaz de colher informações
quanto a QoS de vários serviços de nuvem frente a execução de diversos tipos de
aplicações sujeitas a cargas variadas de processamento.
Essas informações irão compor um banco de dados de benchmarking onde os
usuários poderão fazer consultas e tentar calcular médias confrontando as caracterís-
ticas da aplicação que pretende hospedar na nuvem as cargas de processamento a
qual ser exposta com as informações correlatas a sua necessidade presente no banco
de dados de benchmarking.
Escolhendo assim o serviço que apresentar o melhor custo beneficio quanto a
essa análise.
Como repositórios de benchmarking já existente cita os domínios CloudHar-
mony.com e CloudSleuth.com.
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 62

4.2.2.2 Revisão sistemática da literatura quanto a análise de pré-adoção de computa-
ção em nuvem

O estudo EFFS12 coloca em dúvida a afirmação tão comum da área de compu-
tação em nuvem quanto a sua maior viabilidade econômica frente a adoção do modelo
de comutação tradicional, devido à falta de evidências cientificas que comprovem essa
característica (LEWIS, 2012.).
Afirma ainda a dificuldade em mensurar projetos de adoção ao modelo devido a
sua intransparência.
Como solução do problema o estudo propõe que seja utilizado o alto nível de
detalhamento das faturas do serviço de computação em nuvem para se criar um banco
de dados de características quanto a consumo de recursos e custos relacionados.
Tal base de dados será utilizada pelos usuários buscando correlacionar suas
demandas computacionais a históricos existentes, compatíveis a sua demanda, possi-
bilitando assim com base nessas informações levantar de forma prévia o custo com a
adoção do modelo.

4.2.2.3 Centro de custos voltado ao consumidor

É preconizado pelo estudo EFFS14 que seja aplicado ao detalhamento do
consumo de recursos de nuvem o conceito de centro de custos voltado ao consumidor.
Tal conceito incita que todas as informações referentes ao cálculo das custas
com o consumo de recursos computacionais estejam disponíveis ao contratante do
serviço. Possibilitando assim que o próprio usuário possa fazer o cálculo dos valores
referentes ao seu consumo.
O estudo aplica o conceito sobre alguns serviços de nuvem já postos e apresenta
pontos a serem melhorados.

4.3 Discussão dos resultados

Com base na análise dos dados coletados pelo mapeamento sistemático da
literatura é possível discorrer sobre alguns cenários referentes a computação em nuvem
quanto a característica básica do modelo, serviço medido.
Reiterando a evidência, serviço medido é uma área da computação em nuvem
que ainda carece de intensa investigação cientifica.
A pequena gama de estudos retornados apontaram como tendência nos últimos
anos o estudo e proposição de soluções voltadas para IaaS e PaaS no contexto de
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 63

redes de colaboradores, redes federadas.
A concepção dessas redes indica que plataformas muito grandes de processa-
mento de dados tem se unido visando alcançar maiores amplitudes de fornecimento de
serviços de computação em nuvem.
E que entre suas concepções de negócio se faz necessário medições recorren-
tes de QoS visando garantir as SLAs imputadas as suas negociações.
Trata-se de um mercado, provavelmente, tomado por empresas de alto valor de
capital ofertando serviços com alta margem de lucratividade.
Pois mesmo nesse nicho tão restrito e complexo não foram apontados estudos
que consigam predizer com exatidão o investimento necessário em se processar dados
em estruturas de nuvem.
As soluções propostas realizam medições recorrentes e trabalham com concei-
tos como de reputação e confiabilidade.
Resultado que não deixa claro um alto nível de preocupação entre os federados
a rede quanto as custas do negócio.
Contudo há de se observar que o mercado de computação em nuvem vem
crescendo constantemente.
Os 03 estudos que buscaram propor soluções para a adoção de IaaS e PaaS cal-
culando de forma prévia as custas financeiras desse investimento além de inconclusivos
tiveram suas publicações entre 2011 e 2014.
Essas informações levam a crer que o crescimento da computação em nuvem
quanto a utilização da tecnologia por pequenas e médias empresas assim como por
usuários comuns com necessidades diversas vem sendo impulsionado pela oferta de
SaaS.
Nessa modalidade o usuário, geralmente, não pega por quantidade de dados
processados, mas sim pela quantidade de conexões a solução utilizadas e uma das
principais SLAs imputadas a esse tipo de contrato é a disponibilidade do serviço.

4.4 Discussão das Evidências

Quanto a questão de pesquisa, presente na Seção 3.3.2.1.1 o presente estudo,
com base no mapeamento sistemático da literatura, não apontou uma solução capaz
de calcular a necessidade computacional de um projeto de adoção de computação
em nuvem voltado para o fornecimento de serviço de IaaS e PaaS apresentado um
relatório de custa financeira da ação de forma prévia.
Os estudos analisados apontaram soluções inconclusivas e altamente custosas
Capítulo 4. Resultados do mapeamento sistemático da literatura 64

a sua utilização.
Existe uma possível inversão de valores quanto a esse sentido, pois todos os
estudos propõem soluções onde o contratante do serviço de computação em nuvem
tem que utilizar técnicas e ferramentas complexas para estimar as custas com a adoção
da tecnologia.
Por se tratar de um conceito baseado na prestação de serviço, o usuário deveria
apenas consultar as ferramentas dispostas pela empresa prestadora do serviço e não
o contrário.

4.5 Resumo

Neste capítulo foram apresentados os resultados o mapeamento sistemático da
literatura, realizada uma análise geral, discutidos os resultados e respondida a questão
de pesquisa na discussão das evidência.
No próximo capítulo é proposto um modelo alternativo de configuração e co-
mercialização de IaaS e PaaS com alto nível de abstração, focado no desempenho e
simples gestão por parte do contratante do serviço.
65

5 A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por
meio de portas deprocessamento

Esse capítulo tem o objetivo de propor outra perspectiva aoconceito de configu-
ração e comercialização de computação em nuvem voltado para os modelos de serviço
IaaS e PaaS. Trata-se de uma proposição que visa abstrair ao contratante do serviço, de
forma ampla, as decisões e detalhes técnicos inerentes à configuração das máquinas
virtuais, comercializadas, atualmente, sob o conceito de Instâncias, deixando para o
usuário apenas a decisão quanto ao poder de processamento da porta computacional a
ser contratada. A proposta de utilização de portas de processamento, quanto à configu-
ração,traçaumparalelismoaomodelodeinstânciasdemáquinavirtualutilizado atualmente,
onde o usuário pode escolher itens de configuração como processador, quantidade
de memória ram, discos de armazenamento e largura debanda. Quanto ao conceito
de comercialização, a proposição tratada, neste trabalho, abrange, prioritariamente,
apenas o formato de contratação de máquinas virtuais dedicadas, instâncias de VM
dedicadas.

5.1 Proposição do modelo de porta de processamento

A proposta de um formato de configuração e comercialização de computação
em nuvem por meio de portas de processamento nasce da análise dos resultados do
mapeamento sistemático da literatura realizado nesse trabalho e da observação dos
modelos de negócio voltados à computação em nuvem praticados por empresas como
Amazon1 , Google2 eMicrosoft3 .
Tal análise apontou iniciativas de pesquisadores, quanto ao uso de algoritmos
voltados à inspeção de desempenho das instâncias de máquinas virtuais, em redes
de colaboradores ou redes federadas, pois, mesmo entre as empresas prestadoras de
serviço de computação em nuvem, há divergências em relação à qualidade do serviço
prestado.
Essa preocupação, quanto ao desempenho das instâncias de máquinas virtuais,
mesmo entre redes federadas, chama a atenção para a discussão no que diz respeito
às configurações de ambientes dos data centers, mesmo entre as empresas espe-
cializadas nesse ramo de atividades, há discordância e a necessidade de aferições
recorrentes ao desempenho da solução de processamentocontratada.
1
https://aws.amazon.com/pt/ec2/instance-types/
2
https://cloud.google.com/compute/pricing
3
https://azure.microsoft.com/pt-br/pricing/details/virtual-machines/linux/
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 66

Ao ampliarmos esta gama de usuários para além das redes federadas, incluindo
organizações de capital privado, instituições públicas e usuários comuns em geral,
deparamo-nos com clientes que não vendem tecnologia, mas que fazem uso dessa
como ferramenta meio para a concepção dos seus negócios, sendo assim,encontramos
uma fragilidade ainda maior em aferir com exatidão se o produto inerente ao modelo de
computação em nuvem contratado está trabalhando com o desempenho adequado e se
frente ao mesmo tipo de produto ofertado por outras empresas da área de computação
em nuvem, em uma análise de desempenho os resultados obtidos pelo menos se
equivalem.
A comercialização do modelo de computação em nuvem por meio de instâncias
familiariza os usuários, pois essa se assemelha ao modelo de venda de máquinas
físicas, mas não revela a real capacidade de processamento da solução adquirida
como um todo. Portanto, o emprego de portas de processamento poderá abstrair todas
asinformações referentes à configuração da máquina virtual. Espera-se com a utilização
do modelo que se confirme o seu poder de explicitação e fácil mensuração de potência
de processamento do conjunto, contribuindo na decisão sobre a escolha de aquisição
do produto ofertado por empresasconcorrentes. Contando com uma descrição mais
simples, de representatividade fiel e objetiva do serviço, o cliente poderá optar pela
opção que melhor lhe convier tecnologicamente e ou monetariamente.
Em um modelo de computação, onde se paga por tempo de uso, quantidade
de informações processadas ou por tipo de máquina virtual utilizada, a eficiência, ou
as informações relevantes a ela são fundamentais para a redução econômica. As
soluções melhor configuradas, que contém itens de hardware de melhor desempenho
e estratégias mais inteligentes de processamento de dados terão melhor performance
e vão se sobressair no mercado frente às suasconcorrentes.

5.2 Caracterização da proposta de disponibilização de computação em nuvem através
de porta de processamento

O modelo proposto é a abstração de uma situação de alta complexidade, que
carece de ainda mais esforços de aprofundamento quanto ao tema, pesquisa e valida-
ções. A proposição de portas de processamento para computação em nuvem faz uso
de boa parte da tecnologia de emulação empregada atualmente na sustentação das
instâncias de VM.
Conforme apresentado na Figura 8, o formato de emulação utilizado para dis-
ponibilização das instâncias, sendo abordado de forma bem sucinta, recria de forma
lógica os recursos disponibilizados pelas máquinas físicas. Esses recursos são geridos
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 67

e ofertados para os usuários por meio de uma interface lógica capaz de disponibilizar
todos os itens de hardware físicos com suas potências individuais de forma plena ou
segmentadas, podendo estas ser ajustadas para mais ou para menos a se avaliar a
dimensão de potência livre nos servidores físicos.

Figura 17 – Esquema de Disponibilização de VMs por meio de Instâncias

A proposição de disponibilização de computação em nuvem, por meio de porta
de processamento, altera a forma de gestão e disponibilização dos recursos compu-
tacionais emulados. Essa mudança se dá no software de emulação física. Uma vez
representados de forma lógica, todos os recursos computacionais dos servidores não
mais serão ofertados como réplicas de tamanho real ou segmentadas da máquina
primária virtualizada.
É proposto que a essa instância primária ou primeiro nível de representação
lógica do hardware, sejam aplicadas técnicas que consigam extrair do conjunto de
hardware como um todo, sua capacidade total de processamento de dados. Possibili-
tando que os softwares de emulação disponibilizem não só interfaces que representam
visões da máquina primária emulada, instâncias, mas também, a partir desta proposta,
que sejam disponibilizadas portas que trabalhem com o poder de processamento da
instância base em sua totalidade ou fracionada.
Nessa abordagem, todos os itens de hardware emulados como processador,
memória ram, largura de banda e discos de armazenamento são abstraídos, conforme
ilustra a Figura 9. Ao usuário será disponibilizada uma porta de processamento de
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 68

dados com valor absoluto.

Figura 18 – Esquema de disponibilização de Computação em Nuvem por meio de Portas de
Processamento

Elevar o nível de abstração do formato de emulação dos recursos computacio-
nais irá desonerar o contratante de várias decisões técnicas, restará ao mesmo apenas
observar o desempenho da porta contratada. Disponibilizar portas de processamento
exigirá a concepção de um métodoque consiga estabelecer uma relação entre as gran-
dezas de potência de cada item de hardware emulado e ainda seja capaz de exprimir
por meio de uma unidade de medida a performance contínua de processamento de
dados de um conjunto computacional.

5.3 Etapas de análise da construção do modelo de porta de processamento.

5.3.1 Atores da Análise

Extrair o poder de processamento de dados do conjunto computacional emulado
irá demandar uma série de análises envolvendo atores variados conforme é ilustrado
pela Figura 10.
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 69

Figura 19 – Atores da Análise

Hardware – É necessário considerar, como variáveis inerentes a esse grupo, a
imensidade de tecnologias envolvidas em cada item de hardware que compõem um
conjunto físico computacional.
A simples troca de um item que compõem o conjunto por outro da mesma
categoria poderá influenciar no resultado do desempenho computacional. Trata-se de
uma situação comum, encontrar no mercado itens de hardware de mesmo fabricante,
destinados a mesma área de aplicação, mas com características diferentes.
Emulação e Configuração de Ambiente – O software de emulação é o responsá-
vel de forma direta pelo acesso e gestão dos recursos físicos do conjunto computacio-
nal.
É nessa categoria que se encontra a expertise do negócio de computação em
nuvem. A escolha pelo software de emulação a ser utilizado assim como as técnicas
de configuração de ambiente utilizadas por cada empresa prestadora do serviço de
computação em nuvem pode significar perdas ou ganhos quanto à performance final
do conjunto.
Sistemas Operacionais – No processo de determinação do poder de processa-
mento do conjunto computacional o desempenho dos sistemas operacionais precisa
ser medido.
É necessário dimensionar cada porta de processamento ao sistema operacional
que irá compor a oferta de computação em nuvem por meio de PaaS.
Tipos de Dados – Agrupar as aplicações utilizadas pelos usuários de computa-
ção em nuvem e as categorizar conforme área de atuação.
A cada grupo de aplicações definido teremos um tipo de porta de processamento
correspondente. Ao grupo de aplicações dirigido, por exemplo, há pequenos escritórios
e usuários comuns poderemos ter serviços como editor de texto, planilha eletrônica,
editor de apresentações, agenda, mensageiros, serviço de e-mail e editor básico de
imagens.
A demanda computacional deste grupo resultará em uma porta de processa-
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 70

mento voltada à manutenção de serviços básicos de TI.
Um usuário que trabalhe com desenvolvimento ou editoração gráfica terá que
fazer uso de portas com desempenho computacional superior à de serviços básicos de
TI. A estratégia de aquisição da-se-á mediante o perfil de uso de cada contratante.
Número de Acessos – Após a definição do grupo de aplicações, que caracteri-
zará o perfil da porta computacional, será estabelecido o tipo de requisição que está
receberá.
As requisições, conforme perfil de porta podem originar de usuários comuns ou
entre sistemas. A intenção nesse estágio da análise é definir a menor unidade a que
se destinam os recursos computacionais da porta de processamento.
Na Figura 11 temos uma porta computacional básica com largura de processa-
mento suficiente para atender uma empresa que possua 20 colaboradores trabalhando
de forma simultânea.

Figura 20 – Contextualização da análise para composição demanda de uma porta de
processamento.
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 71

Uma vez conhecida a necessidade computacional de uma requisição à porta de
processamento basta o sistema evoluir a partir desta rumo à demanda que se objetiva
equacionar.

5.3.2 Estratégia de determinação do poder computacional do conjunto de hard-
ware emulado.

Trata-se de uma análise cíclica, que deverá ser refeita a cada mudança, inclusão
ou exclusão das variáveis pertencentes ao conjunto sendo avaliado. A intenção da
análise é determinar, quanto do hardware, emulado num esquema de disponibilização
de computação em nuvem será comprometido com o processamento de dados de
um grupo predefinido de aplicações considerando perfil de uso de cada aplicação e
quantidade de acessos simultâneos. O resultado representará uma porta computacional
capaz de atender a demanda testada.
A Figura 12 contextualiza o esquema enfatizando a necessidade de se conhecer
o seu resultado para cada configuração proposta.

Figura 21 – Formato de análise

Para a formalização do teste, além da definição dos grupos, é necessário
entender as suas principais variáveis, a relação entre estas, e o perfil que esperasse
atender. Dentre as variáveis, destacam-se as características vinculadas a cada item de
hardware, que compõem o conjunto computacional a ser testado. Tais características
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 72

podem, ou não, possuir representação lógica após a emulação dos itens de hardware.
É por meio da camada de software, responsável pela emulação, que todos os itens de
hardware irão interagir. Partindo do princípio que os testes serão efetuados em uma
infraestrutura física já adquirida, os ajustes em busca de melhorias de performance
dar-se-ão praticamente na camada de emulação. O conjunto teste proposto é composto
por sistema operacional e pacote de aplicações básicas, voltadas para usuários comuns
ou pequenos escritórios.
Contudo, o mesmo conceito de teste poderá ser aplicado a outros tipos de
demanda computacional, como banco de dados, por exemplo. A intenção é determinar
um tipo de prestação de serviço, informática básica, e a largura da prestação de serviço,
empresas até 20 usuários. E determinar a quantidade de hardware emulado que deverá
ser posto para equalizar tal demanda. O resultado, quantidade de hardware emulado,
passa a ser reservado, garantindo o poder de processamento da porta.
É necessário realizar o teste de performance para cada aplicação que caracte-
rize a porta em construção, determinando para cada software um perfil de utilização,
como recursos básicos, intermediários e avançados, estes se disponibilizados pela
aplicação. A aplicação que demandar maior necessidade de recursos computacionais
na sua execução será a aplicação teto do pacote e a sua necessidade computacional
versus a quantidade de requisições a serem atendidas irá determinar, de forma inicial,
a largura de processamento da porta. A Figura 13 retrata um cenário de definição de
largura de portas de processamento de dados.
No primeiro caso, informática básica, após ajustes na configuração de hardware
físico e ou emulado, os testes determinaram o teto do grupo na segunda análise. Todas
as demais aplicações que compõem o grupo demandaram valores de processamento
de dados menores do que a alcançada pelo teto. O segundo caso trata de um único tipo
de transação computacional e o seu melhor ajuste também foi alcançado na segunda
rodada de teste.
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 73

Figura 22 – Análise de consumo individual de recursos de hardware emulado
Nível de Stress dos itens de hardware emulados considerando cada formato de
configuração proposto.

Uma vez conhecidas as variáveis possíveis de configuração, quanto ao conjunto
testado, é esperado que o algoritmo de testes evolua em busca dos seus melhores
ajustes reconhecendo e determinando relações entre as variáveis que de fato impactam
quanto a melhoria do desempenho do conjunto computacional. Esses ciclos automa-
tizados de análise cessam quando o algoritmo não mais conseguir evoluir em seus
resultados. Sendo o conjunto solução representado pelo ajuste de configuração que
conseguir processar a demanda computacional proposta utilizando a menor quantidade
de recursos computacionais possíveis.
Esse tipo de abordagem é comumente tratado na área da ciência da computação
por meio da aplicação de algoritmos genéticos. Os AGs são empregados em situações
que objetivem a otimização e a busca. Características presentes no modelo proposto. O
resultado apresentado pelo algoritmo determinará a largura de processamento da porta
a ser comercializada. Esta velocidade de processamento é de fato a única informação
relevante ao usuário do serviço de computação em nuvem. Ter a informação que está
contratando uma porta que possui velocidade de processamento de XY Dados/s e que
está velocidade é suficiente para atender a demandas de informática básica de até 20
conexões simultâneas. Trata-se de uma informação de caráter real de desempenho,
como apresenta a Figura 14, passível de simples mensuração e que abstrai decisões
como escolha por processadores, quantidade de memória ram, largura de rede e
persistência de dados. Como representado na Figura abaixo, indiferente à quantidade
de recursos utilizados por cada item de hardware, o esperado é que o trabalho realizado
pelo conjunto estabeleça uma velocidade permanente de processamento de dados.
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 74

Figura 23 – Computação em Nuvem
Modelo de Porta de Processamento

5.3.3

5.3.4 Interface com a porta de processamento.

A intenção do modelo é tratar a computação em nuvem de fato como um serviço,
abstraindo toda a parte operacional que dá sustentação ao negócio. É esperado que
o software de emulação física, conforme já representado pela Figura 9, também se
torne um software de emulação de desempenho computacional e dê garantias de
sustentação ao ambiente operacional do modelo de porta. Resguardando e verificando
de forma contínua os requisitos de hardware destinados a cada porta de processamento.
Fornecendo uma interface limpa ao usuário. Onde, sustentado pelo sistema operacional
para o qual a porta foi dimensionada seja possível instalar, criar e remover aplicações,
ter acesso a um repositório de arquivos e que a largura de processamento da porta,
em execução, seja de simples verificação.

5.3.5 Estratégia de aquisição do modelo de porta de processamento.

Como já discutido nesse trabalho, na Seção 3.3.1.1, os provedores atuais de
computação em nuvem disponibilizam calculadoras onde os usuários podem escolher
VMs pré-configuradas ou customizadas e a esses itens são atribuídos valores conforme
a escolha de utilização. Para o modelo proposto, a disponibilização de calculadoras por
meio de aplicações WEB também parece ser uma boa alternativa.
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 75

Disponibilizada de uma forma mais amigável, conforme proposto pela Figura 14,
nessa abordagem não existem informações de cunho técnico, as diretrizes quanto às
configurações do ambiente computacional já foram todas tomadas pelo provedor de
serviço de computação em nuvem. É posto ao usuário um catálogo de serviços pré-
definidos com a descrição do produto, sua destinação, velocidade de processamento
garantida e valor de investimento para sua contratação de forma dedicada.

Figura 24 – Protótipo de interface para comercialização de porta computacional

Com foco na simplicidade de contratação e utilização, aferição do serviço e
desempenho trata-se de uma boa alternativa também disponibilizar uma ferramenta
para qualificação do enlace de dados do cliente. Realizando testes de ponto a ponto
entre o cliente e a estrutura de computação em nuvem a ser contratada, verificando a
largura de banda necessária à manutenção da porta e sua latência, buscando informar
ao contratante os níveis suficientes de QoS para a perfeita utilização da porta contratada
ou até mesmo inviabilizando a aquisição do serviço, dadas características geográficas
que inviabilizem o acesso aos recursos do servidor com a qualidade necessária à sua
utilização.
A utilização da calculadora por meio de interface WEB é uma boa opção para os
pacotes de aplicações pré-definidos, com necessidades computacionais já conhecidas.
Contudo, ela não resolve situações onde o usuário queira migrar para a computação em
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 76

nuvem soluções proprietárias ou voltadas a nichos comerciais específicos. Para esses
casos, o usuário deverá testar a sua necessidade computacional sobre a infraestrutura
emulada posta pela empresa sendo orçada. Nesse cenário é esperado que a proposta,
de porta de processamento, evolua à disponibilização de versões lógicas, por parte
de seus fabricantes, de representação fiel tanto dos itens de hardware quanto do
software de emulação. Permitindo aos prestadores de serviço de computação em
nuvem disponibilizar aos seus usuários versões de teste dos seus servidores. Tais
versões seriam réplicas lógicas do pátio de recursos real (itens de hardware, software
de emulação e variáveis de ambiente), passiveis de atualização sempre que forem
feitas modificações na infraestrutura dos servidores aos quais estão atrelados.
A essa caixa preta, será embarcado o algoritmo genético que determinará
o melhor conjunto solução para o problema proposto, no caso, a determinação da
necessidade computacional de um projeto de migração ou adoção de computação
em nuvem. Ao usuário bastará realizar o download da máquina de testes, estanciar
o SO que irá utilizar e instalar sua aplicação. Criar o perfil de testes para a aplicação,
recursos básicos, normais ou avançados e determinar o teste de exaustão, definindo a
quantidade de acessos simultâneos.
Para essa etapa também será esperado que as próprias fábricas de software
também disponibilizem perfis de teste dos seus produtos, voltados a utilização nos
softwares de emulação, que possam ser incluídos como drivers e ou recursos extras a
serem estanciados. Após o software de teste estabelecer a necessidade computacional
do ambiente em análise, este, automaticamente, irá propor, dentre seu catálogo de
serviços, a melhor solução de porta computacional para a demanda em questão,
informando preço de aquisição e qualificando a conexão de rede para acesso ao
serviço.
É válido lembrar que como a proposição de porta de processamento visa
fornecer ao usuário um único valor que represente a sua velocidade de processamento
de dados a sua utilização ao longo do tempo irá permitir a visualização da estratégia
proposta de determinação de demanda pelo valor de teto de processamento do pacote
contratado versus a quantidade de usuários simultâneos. Podendo o usuário, por meio
de observação do seu consumo, ir adequando os valores de porta contratada e aplicar,
se necessário, o conceito de elasticidade. A proposição de disponibilização por parte
dos fabricantes de hardware, softwares de emulação e aplicações em geral de versões
de testes, além de estabelecer padrões para o modelo de computação em nuvem
também ajudará na busca por melhores performance dos serviços.
A determinação das portas de processamento postas nesse trabalho se dá
sobre arquiteturas já implementadas, com poucas opções de melhorias físicas. Com
a utilização de versões de teste os arquitetos de ambiente poderiam simular várias
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 77

versões de ambientes de computação em nuvem, alterando itens de hardware e
software de emulação optando pelas soluções lógicas que irão representar o melhor
custo benefício quando implementadas fisicamente.

5.4 Expectativa de aplicação de porta de processamento quanto a hardware, software
e técnicas de compressão e criptografia de dados

Nessa seção, serão descritas as expectativas com a disponibilização de compu-
tação em nuvem por meio de porta de processamento em relação a melhorias na área
de hardware, configuração de ambiente de data centers, software e contribuições no
avanço e criação de novos métodos e técnicas de criptografia e compressão de dados.

5.4.1 Cenário esperado quanto aos itens de hardware

O modelo propõe não mais tratar as características de cada item de hardware de
forma individual, mas sim, como parte de um todo, onde a simples reposição de um item
do conjunto com características diferentes as do item que o compunha, originalmente,
possa impactar na qualidade do serviço prestado. Disparando, em caso de perdas de
performance,os acordos de nível de serviço firmados entre o usuário e a fornecedora
contratada. Tal qual a troca de um componente veicular pode afetar todo um projeto
no que tange a desempenho, consumo, durabilidade e, principalmente, segurança,
a expectativa que o conceito de porta de processamento exijada configuração de
ambiente sempre o máximo de performance.
Essa característica pode alavancar um maior nível de concorrência entre os
ofertantes de computação em nuvem que consequentemente irão buscar soluções
junto aos desenvolvedores, fornecedores de hardware. Cenário que poderá impulsionar
as tecnologias que sustentam o serviço de computação em nuvem a um processo
evolutivo ainda mais rápidoque o atual, entregando aos seus usuários serviços com
cada vez mais performance por preços menores. Ofertar aos clientes portas de proces-
samento que consigam manter a SLA firmada, utilizando configurações de VM, melhor
dimensionadas que os concorrentes, com base nesse modelo, poderá ser um grande
diferencial de mercado.
As estratégias dos prestadores de serviço irão buscar com que suas infraestrutu-
ras consigam processar uma maior quantidade de informações utilizando configurações
mais modestas de hardware. A utilização de portas também remete a uma certa pa-
dronização, pelo menos da ótica do contratante pois uma porta que alcance o valor de
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 78

processamento de dados XYDados/s terá, teoricamente, o mesmo desempenho da
porta de outra empresa que também seja ofertada com o mesmo valor de processa-
mento.
As ferramentas e técnicas utilizadas por ambas para alcançar tal valor de pro-
cessamento constituem o diferencial mercadológico e determinarão, a um dado tempo,
quem se manterá no mercado. Pode–se constatar tal efeito, por exemplo, entre as
operadorasdetelecomunicação, onde algumas dessas necessitam disponibilizarvalores
de banda de internet superiores aos que realmente ofertam, prevendo perdas, em seus
meios de distribuição por motivos variados. Cenário, este, de evidente perda financeira
e que poderá motivar a migração dos usuários do serviço para outras empresas que
apresentem melhor desempenho.
Durante as pesquisas para proposição deste modelo, foi observado que alguns
ofertantes de serviços de computação em nuvem para IaaS e PaaS como Amazon e
Microsoft oferecem informações referentes ao processador utilizado pela VM como:
marca e modelo de referência. Já no catálogo de produtos do Google, essa informação
não estava relacionada, contudo, havia uma notificação afirmando que a vCPU, o pro-
cessador virtual, está dimensionado a extrair o máximo de performance da quantidade
de memória ram ofertada para cada conjunto.
Essa mudança de comportamento sugere o início da busca pela abstração dos
itens de uma VM, abstraindo do usuário informações sobre o processador utilizado.
Esse indíciopode indicar que a proposição deste estudo transita por caminhos que, de
alguma forma, já são considerados nomeio corporativo.

5.4.1.1 Requisitos de elasticidade do modelo

O conceito de porta de processamento não remete, necessariamente, à relação
de 1x1, onde teríamos para cada porta uma VM constituída. O valor determinado para
cada porta de processamento ficaria a critério de cada empresa prestadora de serviço.
Emboraas imposições de requisitos de processamento de softwares de utiliza-
ção de larga escala, provavelmente, acabariam por definir alguns valores de porta de
processamento padrão.
Contudo, nada impede que uma instância de máquina virtual, possa gerir mais
de uma porta de processamento. A elasticidade no modelo de computação em nuvem
leva à facilidade de expansão e retração dos recursos computacionais contratados,
permitindo inclusive a customização de instâncias de VM. A utilização do modelo de
portas de processamento, teoricamente, não implicara no comprometimento desta
característica, mas dada a premissa deste modelo em buscar sempre a melhor relação
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 79

entre os componentes responsáveis pela porta computacional, customizações poderão
acarretar no comprometimento do desempenho da porta, gerando a alocação de
recursos que nunca serão utilizados ou a redução de performance do modelo.
Contudo, a elasticidade por meio de valores múltiplos ou por agregação de
portas de menor ou maior poder de processamento, destinadas ao mesmo tipo de
dados, parece ser mais coerente ao modelo proposto.
Resta ainda enaltecer que como o modelo trabalha com apenas um valor ab-
soluto de performance de processamento de dados, a observação deste, permite ao
usuário, ao longo do tempo, estabelecer valores mais precisos de demanda computaci-
onal que aliado ao conceito de elasticidade podem resultar em um aporte financeiro
mais consciente com a adoção de computação em nuvem.

Características principais do modelo voltadas aos ambientes de hardware:

• Incentivar a busca por técnicas de transmissão e persistência de dados cada vez
mais eficientes que somem ao conjunto de hardware da VM e funcionem como
diferencial mercadológico a cada empresa de computação em nuvem;

• Possibilidade de segmentação de instâncias de VM em mais de uma porta de
processamento;

• Entrega de desempenho com as garantias referentes ao valor de processamento
contratado por porta;

• Maior transparência quanto a aquisição e consumo de recursos computacionais,
processamento;

• Abstração dos itens de configuração da instância de VM por meio da disponibili-
zação de portas de processamentocomputacional;

• Equilíbrio dos recursos computacionais buscando o máximo de eficiência entre
suas características;

• Busca continua por eficiência quanto a configuração do ambiente computacional
do serviço, data centers;

• Incentivar a concorrência quanto ao mercado de prestadores de serviço de
computação em nuvem, ofertando portas de processamento computacionais mais
eficientes e de menor custo;
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 80

• Mobilizar o mercado de hardware de grande porte, servidores, a avançar ainda
mais na especificação de produtos que possuam tecnologias que se comple-
tem, visandoodesempenhodoconjuntodehardwareenãodocomponentedeforma
individual;

• Se confirmando, necessidades especiais de tratamento, no processamento de
dados de cada área da informação. Criar itens de hardware que busquem por
essa eficiência de forma hibrida e ou específica para ambientes de computação
em nuvem.

• Disponibilização por parte dos fabricantes de hardware e softwares de drivers
que representem de forma fiel as características dos seus produtos. Esses drivers
seriam destinados a testes de eficiência em um ambiente de emulação, também
dirigido a testes de configuração.

5.4.2 Contribuições esperadas com relação a área de softwares

A busca por eficiência computacional é uma constante da área de engenharia
de software e o modelo de computação em nuvem torna essa necessidade ainda mais
evidente.
O modelo de computação em nuvem, sob instâncias, dispõe um servidor virtual
ao usuário que de forma parelha ao processo de escolha e aquisição de um servidor
físico irá optar por uma configuração que, provavelmente, supere as exigências mínimas
de recursos computacionais requeridos pelos softwares que serão utilizados.
Esse tipo de abordagem, muito comum, pode prejudicar uma forte característica
inerente ao processo de escolha de softwares no modelo de computação em nuvem,
sendo essa, a eficiência no consumo de recursos computacionais.
Uma vez que a instância de máquina virtual já foi adquirida com poder de
processamento superior aos requisitos mínimos requeridos pelas soluções de software,
basta que o comportamento do software, ou conjunto destes relativos ao consumo de
recursos computacionais esteja dentro do espectro funcional da máquina virtual para
que seu funcionamento seja considerado normal.
Esse cenário acaba desconsiderando uma grande informação gerencial que
pode apontar maiores gastos com a manutenção do funcionamento dessas aplicações
frente a soluções concorrentes que cumpram com os mesmos requisitos de software
da solução em uso, mas que apresentem melhores resultados quanto ao consumo de
recursos computacionais.
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 81

Essesvalores, referentes ao consumo de recursos, se convertidos monetari-
amente, e mensurados, podem se tornar vultuosos dada a quantidade de usuários
atendidos e tipos de processos realizados por essas aplicações.
As instâncias de VM,comoqualquer serviço remoto, estão sujeitas a oscilações
de desempenho por motivos diversos. Essas variações assim como o detalhamento
sobre o consumo computacional dos softwares podem passar despercebidas ao usuário
final, dada a configuração superlativado servidor contratado. Situações como essas,
em um contexto de computação, onde se paga pelo que se consome, podem denotar,
claramente, o desperdício de investimento financeiro.
Também é válido ressaltar, nesse trabalho, que as empresas prestadoras de
serviço de computação em nuvem, atualmente, disponibilizam outros formatos de
comercialização das instâncias que tentam minimizar cenários como o descrito: de
desperdício de recursos computacionais e, consequentemente, desperdício de investi-
mento.
Contudo, a compreensão de serviços como o de créditos de processamento,
por exemplo, precisa ser muito bem avaliada e dimensionada a cada tipo de serviço a
ser executado nesse formato de comercialização.

5.4.2.1 Eficiência quanto ao consumo de recursos computacionais como um dos
fatores decisivos na escolha de soluções de softwares

Espera-se que com o emprego de portas de processamento com intervalo de
largura de processamento bem definido fique evidente a eficiência computacional de
cada solução de software.
Num mercado cada vez mais repleto de soluções de softwares voltadas para
as mais variadas áreas de produção, acredita-se que com a adoção do modelo de
computação em nuvem, juntamente com seu formato de faturação por consumo ou
alocação de recursos, que decisões sobre a adoção de uma solução para determinada
área como por exemplo, um software de gestão acadêmica, seja tomada através de
análise de itens como:

• Funcionalidades, requisitos, presentes na aplicação;

• Segurança;

• Política de manutenção eatualizações;

• Formato de licenciamento;
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 82

• Contrato de utilização e pagamento;e

• Desempenho computacional, consumo de recursoscomputacionais;

Como sugere a figura 14, para um formato de configuração onde o intervalo
do poder de processamento computacional é bem definido, como o proposto para as
portasde processamento, fica muito clara a visualização do percentual de recursos
utilizados por cada aplicação dentro dotodo.
Essa informação de nota investimento financeiro em bancar o funcionamento de
uma solução de pior desempenho computacional frente a soluções correlatas, masque
possuem melhor eficiência quanto ao consumo de recursos computacionais.
Considerando que o modelo de configuração de porta de processamento expli-
cite, de fato, a diferença no trato quanto aos recursos computacionais entre soluções de
software concorrentes, sejam essas, sistemas operacionais, linguagens deprogramação
e aplicações.
É esperado que o próprio mercado consumidor exija das empresas de softwares
informações cada vez mais completas quanto ao consumo de recursos computacionais
de suas soluções.
O consumo de recursos computacionais passa a figurar de forma mais clara
entre os índices a serem considerados num processo de ranqueamento das soluções
de software aumentando ainda mais o nível de concorrência nesse mercado.
Assim como acontece no mercado nacional de eletrodomésticos que exige
do fabricante a descrição de consumo de potência energética em todos os produtos,
facilitando ao consumidor a escolha pelo de menor consumo.
Em um cenário onde todos os equipamentos concorrentes se equivalham em
recursos funcionais, o cliente, certamente, optará pelo de melhor eficiência energética,
o que lhe resultará em menor custo de manutenção.
A decisão de migração de todo um pátio computacional para um modelo de
computação de acesso remoto como o modelo de computação em nuvem pode parecer,
num primeiro momento, uma iniciativa assertiva objetivando a redução de custos
operacionais, atrativa do ponto de vista financeiro. Mas, se não for bem mensurada
e planejada, pode gerar um alto custo de investimento continuado. Assim, a eficácia
das soluções de software, quanto ao consumo de recursos computacionais, tem papel
relevante nesse tipo de decisão.

Características principais do modelo voltadas às soluções de software:
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 83

• Maior transparência evisibilidadequantoaoconsumoderecursoscomputacionais
porsoftwares;

• Tornar as informações referentes ao consumo de recursos computacionais em
mais um dos pontos determinantes na decisão de implantação de uma solução
desoftware;

• Incentivar a criação de um parâmetro, unidade de medida, de mensuração do
consumo computacional por soluções desoftwares;

• Incentivar a criação pelas empresas de software de ferramentas que permitam
a mensuração do impacto de implantação de suas soluções de uma ótica de
consumo de recursoscomputacionais distribuídos, como a empregada pela com-
putação em nuvem;

• Incentivar ainda mais a competitividade entre as soluções de software sejam
estes sistemas operacionais, linguagens de programação e aplicações quanto a
necessidade de aprimoramento do consumo de recursos computacionais para
soluções voltadas ao mercado de computação em nuvem;

5.4.3 Melhorias na compressão de dados e criptografia como diferencial mer-
cadológico

O modelo de computação em nuvem faz uso de técnicas avançadas de crip-
tografia de dados visando manter a segurança das informações de seus usuários.
Tais técnicas, fundamentais na utilização desse modelo, demandam uma considerável
largura de processamento de dados para se proverem. A intenção da proposta de porta
de processamento é incentivar as empresas prestadoras do serviço de computação em
nuvem a processarem volumes cada vez maiores de dados utilizando menor recurso
computacional.
E nesse contexto existe a expectativa do incentivo constante na melhoria das
técnicas de criptografia e compressão de dados para tráfego em rede e até mesmo
para persistência em unidades de armazenamento, o que se concretizando, pode
representar um grande diferencial mercadológico.
A utilização destas técnicas, associadas a outras ações como a de priorização
de tráfego de rede, QoS, trabalhando em conjunto com os itens de hardware podem
trazer grandes avanços ao modelo.
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 84

Esses aprimoramentos tecnológicos direcionados às técnicas de comunicação,
persistência, segurança e tratamento dos dados tornam-se mais um dos pilares, que
em conjunto com as estratégias de aquisição de hardware, software de emulação e
controle, comunicação em rede, distribuição geográfica e configuração de ambiente
serão responsáveis pelo desempenho do modelo de computação em nuvem em cada
uma das estratégias de configuração de ambiente adotadas pelas diferentes empresas
ofertantes do serviço.
Trata-se da busca por técnicas que auxiliem o hardware a alcançar índices
maiores de processamento por meio de uma ação constante de upgrade lógico em
várias vertentes.
Características principais do modelo voltadas a técnicas de comunicação, segu-
rança e compressão dedados:

• Incentivar as pesquisas na área de criptografia, compressão de dados e priori-
zação de tráfego de rede como forma de obtenção de diferencial mercadológico
quanto a prestação de serviço do modelo de computação emnuvem;

• Desenvolver técnicas que trabalhando em conjunto com a porta de processa-
mento consigam processar um volume maior de dados do que o resultado obtido
somente pelo esforço do conjunto de hardware, originalmente;

5.5 Acordo de nível de serviço para processamento de dados por porta

A adoção do processamento de dados por porta, comum intervalo de perfor-
mance de processamento bem definido torna as estratégias de contratação do serviço
de computação em nuvem bem mais claras e objetivas.
No modelo de instâncias, em geral, o usuário tem que verificar as estratégias de
SLA para cada um dos itens de configuração como processador, memória ram, discos
de armazenamento e largura debanda.
O modelo proposto tende a possibilitar seu monitoramento via SLA de forma mais
simples pois, possui um único valor possível de aferição, que representa a capacidade
total de processamento adquirida em uma proposição que se assemelha muito a
prestação de serviço de fornecimento de banda larga de comunicação.
Como representado na figura 14, basta o usuário aferir a performance de
processamento da porta. Verificando se a mesma operadentro do intervalo de valores
estabelecidos via SLA.
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 85

Quanto à definição da SLA para elasticidade do modelo de processamento por
porta, teoricamente, também mostra-se ser mais prático, uma vez que basta definir o
tamanho e tipo das portas a serem agregadas ao contrato original de forma sequencial
para que todos os itens de configuração da porta sejam escalonados da forma mais
eficiente possível.
Uma vez que a demanda momentânea por uma maior carga de processamento
tenha se satisfeito as portas extras são desvinculadas do contrato original.
Características Principais do Modelo voltadas à acordo de nível de serviço:

• Maior simplicidade de especificação e averiguação dos acordos de nível de
serviço;

• Possibilidade de delimitação do percentual da potência de processamento es-
perada da porta, estabelecendo uma faixa de valores aceitáveis e acumuláveis
dentro de um período preestabelecido de tempo;

• Maior facilidade e eficiência ao se estabelecer a SLA quanto os requisitos de
elasticidade da porta de processamento;

1) 5.6 Unidades de medida e ambiente de testes para a proposta de porta de
processamento

2)

Durante as pesquisas que subsidiaram a formatação do modelo proposto, al-
gumas incursões foram feitas em busca de uma definição bem clara que pudesse
representar de forma precisa a grandeza deprocessamento de uma máquina física,
como um todo, ou até mesmo de uma instância de VM.
Não foi possível concluir com exatidão um formato de medida de grandeza de
processamento quê se encaixe perfeitamente no modelo proposto, dadas às especifici-
dades de configuração e uso do modelo de computação em nuvem.
Trata-se de um modelo acessado de forma remota, gerido por várias camadas
de software destinado a processar dados de todas as áreas da computação. Algumas
unidades de medida computacional como:
Flops-FLoating-point Operations Per Second (Operações de ponto Flutuante por
Segundo), comumente utilizado pela comunidade acadêmica na medição de sistemas
computacionais quanto a cálculos de ponto flutuante ou instruções por segundo; e MIPS-
Millions of Instructions Per Second (Milhões de Instruções por Segundo), comumente
utilizada na avaliação de processadores.
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 86

Foram consultadas, mas ao que tudo indica trata-se de mais um tema a ser
aprofundado por meio de pesquisas que determinem uma provável correlação entre
potência que são os valores individuais de cada item de hardware, por exemplo, e
performance que é o valor de processamento atingido pelo conjunto. A unidade deverá
mensurar a performance computacional do conjunto em processar dados das diversas
áreas da computação.

5.6.1 Ambiente de teste para concepção do modelo de porta de processamento

O processo de mapeamento sistemático da literatura, realizado nesse trabalho,
retornou estudos voltados à construção e disponibilização de ambientes de teste para
o formato de configuração de instâncias de VM para computação em nuvem.
Segundo os estudos, esses ambientes permitem a simulação de todos os com-
ponentes de uma infraestrutura de nuvem para que sejam feitos testes de configuração
e comunicação, buscando o melhor desempenho desses itens e, consequentemente,
a redução de custos. Também foram encontrados relatos sobre testes de algoritmos
de verificação de desempenho para o modelo de computação em nuvem voltados a
disponibilização de serviço por meio de instância.
A proposição de processamento por porta para computação em nuvem tem
como pilares a abstração de decisões técnicas ao usuário, a entrega de um valor
único que represente o poder de processamento de dados contratado e a busca por
performance.
Considerando esses requisitos e seguindo a mesma linha proposta no início
desse capítulo podemos considerar as ferramentas de teste encontradas por esse
estudo como ponto de partida à busca de concepção do modelo proposto.
Uma vez que já possuímos ferramentas capazes de simular todo o ambiente de
um Data Center voltado à disponibilização de computação em nuvem, teoricamente,
não existe a necessidade de se criar um novo ambiente de teste, mas tentar proceder
com as modificações necessárias ao estudo de viabilização de porta de processamento
nos ambientes existentes.
Dentre as macro ações estariam a criação de grupos de dados conforme área
da computação aplicada, observando se, de fato, seus requisitos computacionais de
processamento se assemelham.
Determinar um algoritmo genético capaz de trabalhar, avaliaras características
dos seguintes grupos:
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 87

• Características de hardware representado de forma emulada;

• Variáveis de ambiente presentes em um ambiente virtualizado;

• As necessidades computacionais do grupo de dados sendo trabalhado; e

• Estabelecer que técnicas, dentre as disponíveis para avaliação, de compressão
de dados, criptografia, comunicação e persistência trarão melhores ganhos no
processamento a cada grupo de informações avaliado;

Definindo assim o perfil de configuração da portas voltadas a trabalhar com
cada grupo de dados analisados.
Disponibilizar recursos ao ambiente de emulação que permita trabalhar com
multiconfigurações de ambiente, aplicadas a uma mesma plataforma de hardware, cada
qual maximizado ao tipo de porta de processamento proposto.
Buscar uma unidade de medida que consiga representar o poder de processa-
mento de dados das portas.
Estabelecer uma interface capaz de abstrair os atuais conceitos aplicados as
instancias de VM, onde o usuário tenha como única informação referente a estrutura
de processamento locada, um valor único que represente o poder de processamento
da porta contratada.
Como resultado, será esperado que o software de emulação de testes seja
capaz de determinar o melhor ajuste lógico da estrutura de hardware testada para cada
tipo de porta de processamento.
Que existam recursos capazes de entregar ao usuário uma velocidade constante
de processamento de dados.
E ainda a definição de técnicas que façam a telemetria dos itens de hardware
de forma constante, analisando se os mesmos mantém a performance desejada.
Se constatada, viabilidade econômica à proposição de porta de processamento à
computação em nuvem.
E também observada, de fato, a necessidade de ajustes diferentes para cada um
dos tipos de portas de processamento definidas, visando performance, esses cenários
podem influenciar na arquitetura de itens de hardware.
Onde, para ambiente de computação em nuvem, possam ser disponibilizados
itens de hardware híbridos, voltados a suportar especificações de portas de processa-
mento variadas.
Capítulo 5. A abstração do conceito de instâncias de máquinas virtuais por meio de portas
deprocessamento 88

Trata-se de um conceito comum em áreas onde se exigem máxima performance
de conjunto, facilmente observado em corridas automobilísticas, onde é empregado
altos níveis de complexidade tecnológica.

5.7 Resumo do Capítulo

Nesse capítulo foram apresentadas as motivações que levaram à proposição de
um modelo alternativo de configuração e comercialização de computação em nuvem.
Durante a conceitualização do modelo proposto, foram apresentadas suas
características, proposição de concepção, comportamentos esperados e formalização
de ambiente de testes.
Foram discutidos conceitos sobre hardware, configuração de ambiente de siste-
mas de emulação, elasticidade, software, técnicas de comunicação, segurança, classifi-
cação e compressão dos dados e acordos de nível de serviço.
Também foi apresentada uma breve análise de possíveis unidades de medidas
candidatas a serem utilizadas pelo modelo de processamento por porta e traçadas
estratégias de testes que busquem a viabilização do modelo proposto.
89

6 Considerações Finais

Este capítulo trata sobre as conclusões obtidas com o estudo, apresenta as
limitações das pesquisa e discorre sobre a oportunização de trabalhos futuros.

6.1 Conclusão

Os resultados da pesquisa indicam uma baixa atividade quanto a busca por
soluções de precificação de projetos de adoção de computação em nuvem em seu
estágio de pré-adoção voltados a atender pequenas e médias empresas assim como
usuários comuns disponibilizando os modelos de configuração de serviço de nuvem
IaaS e PaaS.
Essa característica aponta que o aquecimento do mercado de computação em
nuvem voltado a esses usuários se dá, atualmente, por meio da comercialização de
serviços em formato de SaaS.
Com precificação fixa, sem a intercorrência de elasticidade e tendo a disponibili-
dade do serviço como principal requisito de SLA.
Quanto as soluções encontradas, voltadas ao propósito de precificação em
estágio pré-adoção de computação em nuvem fica evidente a proposição de leitura e
acumulação de dados estatísticos referentes às QoS alcançadas por diversos servido-
res de nuvem para, com base nestes, estimar a precificação de projetos correlatos aos
dispostos nestes bancos de dados funcionais.
Essa situação é avaliada como uma inversão de valores, onde o usuário do
serviço busca por ferramentas e métodos que o permita aferir a qualidade do serviço
contratado.
Posto o atual cenário quanto ao estado da arte referente a serviços medidos para
computação em nuvem, conclui-se tratar de uma área que ainda pode ser maciçamente
investigada pela ciência.
Tomando como base a desoneração de decisões técnicas ao usuário do serviço,
a entrega de performance contínua e a simples aferição de SLAs firmadas, o estudo
encaminha a proposição de uma alternativa de configuração e comercialização de
computação em nuvem por meio de portas de processamento.
As portas de processamento se caracterizam por abstrair os itens de hardware
Capítulo 6. Considerações Finais 90

emulados como processador, memória ram, discos de armazenamento e largura de
banda.
É proposto que as potências de trabalho de cada item de hardware emulado
sejam convertidas a uma única unidade de medida que exprima o poder de processa-
mento do conjunto como um todo.
Ao valor total de processamento do conjunto será atribuído o nome de porta de
processamento que pode representar toda a potência de processamento do conjunto
ou ser disposta de forma fracionada.
Para a definição do poder de processamento os conjuntos de hardware emulados
serão submetidos a testes de stress processando diversos tipos de dados definidos em
grupos conforme área de atuação.
O desempenho do conjunto frente a cada uma das áreas de dados irá determinar
o poder computacional de cada porta de processamento.
Sendo este, o poder de processamento da porta, a única informação disposta
ao usuário e passível de definição de SLA e atribuição de elasticidade.
É proposto que sejam definidos perfis de usuários, a esses perfis, atrelados
valores fixos de porta de processamento conforme área de atuação e que estes perfis
sejam comercializados apresentando apenas uma descrição informando a que tipo de
aplicação computacional a porta se destina e o valor de processamento da mesma.
No trabalho também é proposto cenários de teste e a formatação de uma
ferramenta de precificação de projeto em fase de pré-adoção para o modelo de porta
de processamento.

6.2 Limitações da Pesquisa

Dado o propósito da pesquisa que possui escopo definido de tempo de execução
a mesma pode não ter consultado outras bases de dados relevantes a área estudada.
Por se tratar de uma investigação que envolveu mais de 520 artigos algumas
informações relevantes podem não ter sido citadas no escopo do estudo.
Outras limitações da pesquisa são relacionadas a implementação e validação
dos conceitos propostos em diversas áreas.
Dado o caráter inovador da proposição se faz necessário criar e adaptar várias
ferramentas que subsidiem os cenários de testes necessários.
Capítulo 6. Considerações Finais 91

6.3 Trabalhos Futuros

Estender a pesquisa a outras bases de dados cientificas não exploradas e
buscar a oportunizarão de testes do conceito criando e adaptando ferramentas:
Dentre estas podemos destacar:
Ambiente de emulação computacional;
Classificação dos dados computacionais conforme critérios de processamento,
demanda de recursos em sua execução;
Definição e testes de um algoritmo voltado a extrair o desempenho de proces-
samento de dados do conjunto de hardware emulado frente a cada grupo de dados
proposto.
Buscar a definição de uma unidade de medida voltada ao modelo proposto, com
base nas análises realizadas nos grupos de processamento de dados;
Definir a Interface do Usuário; e
Construir a ferramenta de testes conforme definição proposta.
92

Referências

ARAL, A.; OVATMAN, T. Network-aware embedding of virtual machine clusters
onto federated cloud infrastructure. Journal of Systems and Software, v. 120, p.
89 – 104, 2016. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/
S0164121216301078>. Citado na página 58.

AUYOUNG, A. et al. Resource allocation in fed- erated distributed computing
infrastructures. In: Proceedings of the 1st Workshop on Operating System and
Architectural Support for the On-demand IT InfraStruc-ture,. [S.l.: s.n.], 2004. v. 9.
Citado na página 18.

BARANWAL, G.; VIDYARTHI, D. P. A fair multi-attribute combinatorial double auction
model for resource allocation in cloud computing. Journal of Systems and Software,
v. 108, p. 60 – 76, 2015. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/
pii/S0164121215001272>. Citado na página 18.

BEZERRA, J. S. Uma revisão do estado da arte sobre os desafios e efeitos
do uso de software Definet Data Center (SDDC). 2016, Recife. Disponível em:
<https://pt.scribd.com/document/318948311/Uma-Revisao-do-Estado-da-Arte-Sobre-
os-Desafios-e-Efeitos-do-Uso-de-Software-Defined-Data-Center-SDDC>. Citado na
página 22.

CAMPBELL-KELLY, M. Historical reflections - The rise, fall, and resurrection of
software as a service. Commun. ACM, v. 52, n. 5, p. 28 – 30, 2009. Disponível em:
<db/journals/cacm/cacm52.html#Campbell-Kelly09>. Citado na página 23.

CARISSIMI, A. Virtualização: da teoria a soluções. In: Simpósio Brasileiro de Redes de
Computadores e Sistemas Distribuídos. [S.l.: s.n.], 2008. Citado na página 29.

CISCO. Cisco IOS and NX-OS Software End-of-Life Documentation Support. 2016.
Disponível em: <http://www.cisco.com/c/en/us/td/docs/ios/redirect/eol.html>. Acesso
em: 16/12/2016. Citado na página 27.

COOPER, H. M. Organizing knowledge syntheses: a taxonomy of literature reviews. .
Knowledge in Society, v. 1, n. 1, p. 104 – 126, 1988. Citado na página 33.

COSTA, A. S. C.; SANTANA, L. C.; TRIGO, A. C. QUALIDADE DO ATENDIMENTO AO
CLIENTE: UM GRANDE DIFERENCIAL COMPETITIVO PARA AS ORGANIZAÇÕES.
Revista de Iniciação Científica, v. 2, n. 2, p. 155 – 172, 2015. Citado na página 18.

CRESWELL, J. W. Research design: qualitative, quantitative, and mixed methods
approaches. . [S.l.: s.n.], 2013. Citado na página 32.

DIESTE, O.; PADUA, A. G. Developing search strategies for detecting relevant
experiments. Empirical Software Engineering, p. 215 – 224, 2007. Disponível em:
<http://ieeexplore.ieee.org/stamp/stamp.jsp?arnumber=4343749>. Citado na página
42.
Referências 93

GALVÃO, T.; PEREIRA, M. G. Systematic reviews of the literature: steps for preparation.
Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 23, n. 1, p. 183 – 184. Disponível em:
<http://www.scielo.br/pdf/ress/v23n1/2237-9622-ress-23-01-00183.pdf>. Citado na
página 32.
GARTNER. IT Glossary. 2016. Disponível em: <http://www.gartner.com/it-glossary/>.
Acesso em: 25/05/2016. Citado na página 22.
GIRASE, S. et al. Review on: Resource Provisioning in Cloud Computing Environment.
International Journal of Science and Research (IJSR), v. 2, n. 11, p. 337 – 341, 2013.
Citado 3 vezes nas páginas 22, 25 e 26.
KEELE, S. Guidelines for performing systematic literature reviews in software
engineering. In: Technical report, Ver. 2.3 EBSE Technical Report. EBSE. [S.l.: s.n.],
2007. Citado na página 40.
KITCHENHAM, B. et al. Evaluating guidelines for reporting empirical software
engineering studies. Empirical Software Engineering, v. 13, n. 1, p. 97 – 121, 2008.
Disponível em: <http://link.springer.com/article/10.1007/s10664-007-9053-5>. Citado
na página 40.
LEITÃO, D. S. MANUAL DE METODOLOGIA PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS
ACADÊMICOS DA FUNDAÇÃO VISCONDE DE CAIRU. [S.l.], 2013. Disponível em:
<http://www.cairu.br/portal/arquivos/biblioteca/Manual_de_Metodologia.pdf>. Citado
na página 31.
LEWIS, G. A. The Role of Standards in CloudComputing Interoperability. [s.n.], 2012.
Disponível em: <http://resources.sei.cmu.edu/asset_files/technicalnote/2012_004_001_
28143.pdf>. Citado na página 62.
LIRA, W. S. et al. The seeking and use of information in the organizations. .
Perspectivas em Ciência da Informação., v. 13, n. 1, p. 166 – 183, 2008. Disponível em:
<http://www.scielo.br/pdf/pci/v13n1/v13n1a11.pdf>. Citado na página 40.
MELL, P.; GRANCE, T. The NIST Definition of Cloud Computing. 2011. Disponível
em: <http://nvlpubs.nist.gov.sci-hub.bz/nistpubs/Legacy/SP/nistspecialpublication800-
145.pdf>. Acesso em: 26/10/2016. Citado 3 vezes nas páginas 18, 23 e 24.
MIGUEL, P. A. C. Estudo de caso na engenharia de produção: estruturação e
recomendações para sua condução. . Produção, v. 17, n. 1, p. 216 – 229, 2007.
Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/prod/v17n1/14.pdf>. Citado na página 40.
OLIVEIRA, M. F. Metodologia científica: um manual para a realização de pesquisas em
Administração/. 2011. 72 p. Monografia (Administração) — Universidade Federal de
Goiás,. Citado 2 vezes nas páginas 32 e 41.
PETERSEN, K. et al. Systematic Mapping Studies in Software Engineering. p. 1 –
10, 2008. Disponível em: <http://www.robertfeldt.net/publications/petersen_ease08_
sysmap_studies_in_se.pdf>. Citado 2 vezes nas páginas 39 e 40.
PRADO, R. L. R. A ampliação do valor de uma empresa através da adoção de um
novo modelo: O Cloud Computing. 2010. 54 p. Monografia (curso de pós-graduação
lato sensu MBIS - Master Business Information Systems) — Pontifícia Universidade
Católica de São Paulo. Citado na página 36.
Referências 94

SOROR, A. A. et al. Automatic virtual machine configuration for database workloads.
ACM Trans. Database Syst., v. 35, n. 1, 2010. Citado na página 23.

WUERGES, A. F. E.; BORBA, J. A. REDES NEURAIS, LÓGICA NEBULOSA E
ALGORITMOS GENÉTICOS: APLICAÇÕES E POSSIBILIDADES EM FINANÇAS E
CONTABILIDADE. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação, v. 7,
n. 1, p. 163 – 182, 2010. Citado 2 vezes nas páginas 9 e 29.

XU, B. et al. Job scheduling algorithm based on Berger model in cloud environment.
Advances in Engineering Software, v. 42, p. 419 – 425, 2011. Citado na página 18.
Apêndices
96

APÊNDICE A – Estudos Classificados na Fase Final do
Mapeamento Sistemático da Literatura

Relação de estudo aprovados na segunda e última fase de análise do mapea-
mento sistemático da literatura presente neste estudo.
*EFFSX - Estudo Fase Final Selecionado (X indicador do estudo)

Tabela 8 – Estudos Selecionados na Segunda Rodada

Código Título Ano Origem Autores
Lahouij, Aida
Hamel, Lazhar
A Global SLA-Aware Approach for
EFFS1 2016 SprigerLinks Graiet, Mohamed
Aggregating Services in the Cloud
Elkhalfa, Abir
Gaaloul, Walid
A Hybrid Multi-Criteria Decision-Making
Model for a Cloud Service Selection Lee, Sangwon
EFFS2 2016 SprigerLinks
Problem Using BSC, Fuzzy Delphi Seo, Kwang-Kyu
Method and Fuzzy AHP
Selvaraj,
Evidence-Based Trust Evaluation
Alagumani
EFFS3 System for Cloud Services Using Fuzzy 2016 SprigerLinks
Sundararajan,
Logic
Subashini
Network-aware embedding of virtual Science
Aral, Atakan;
EFFS4 machine clusters onto federated cloud 2016 Direct
Ovatman, Tolga
infrastructure Elsevier
Zeng, Zeng
Truong-Huu, Tram
Operational cost-aware resource
Veeravalli,
EFFS5 provisioning for continuous write 2016 SprigerLinks
Bharadwaj
applications in cloud-of-clouds
Tham,
Chen-Khong
APÊNDICE A. Estudos Classificados na Fase Final do Mapeamento Sistemático da Literatura 97

Código Título Ano Origem Autores
A fair multi-attribute combinatorial Science Baranwal,
EFFS6 double auction model for resource 2015 Direct Gaurav; Vidyarthi,
allocation in cloud computing Elsevier Deo Prakash
Kousiouris, G
Giammatteo, G
Evangelinou, A
Galante, N
Kevani, E
Stampoltas, C
A Multi-Cloud Framework for Measuring ACM Guide
Menychtas, A
and Describing Performance Aspects of to
EFFS7 2014 Kopaneli, A
Cloud Services Across Different Computing
Ramasamy Balraj,
Application Types Literature
K
Kyriazis, D
Varvarigou, T
Stuer, P
Orue-Echevarria
Arrieta, L
Jararweh, Yaser;
Jarrah, Moath;
Kharbutli, Mazen;
Science Alshara, Zakarea;
CloudExp: A comprehensive cloud
EFFS8 2014 Direct Alsaleh,
computing experimental framework
Elsevier Mohammed
Noraden;
Al-Ayyoub,
Mahmoud
Somasundaram,
Thamarai Selvi
Semantic-enabled CARE Resource
Govindarajan,
EFFS9 Broker (SeCRB) for managing grid and 2014 SprigerLinks
Kannan
cloud environment
Kiruthika, Usha
Buyya, Rajkumar
Van den Bossche,
Online cost-efficient scheduling of Science Ruben;
EFFS10 deadline-constrained workloads on 2013 Direct Vanmechelen,
hybrid clouds Elsevier Kurt;
Broeckhove, Jan
APÊNDICE A. Estudos Classificados na Fase Final do Mapeamento Sistemático da Literatura 98

Código Título Ano Origem Autores
Irfan, M
SLA (service level agreement) driven
Scopus Hong, Z
EFFS11 orchestration based new methodology 2013
Elsevier Aimaier, N
for cloud computing services
Zhuguo, L
EFFS12 Cloud Computing Costs and Benefits 2012 SprigerLinks Kratzke, Nane
Shin, Dongwan
Toward role-based provisioning and Akkan, Hakan
EFFS13 access control for infrastructure as a 2011 SprigerLinks Claycomb,
service (IaaS) William
Kim, Kwanjoong
Mihoob, Ahmed
ACM Guide
Molina-Jimenez,
A Case for Consumer-centric Resource to
EFFS14 2010 Carlos
Accounting Models Computing
Shrivastava,
Literature
Santosh
99

APÊNDICE B – Estudos Excluídos na Fase Final do Mapeamento
Sistemático da Literatura

Relação de estudo excluídos na segunda e última fase de análise do mapea-
mento sistemático da literatura presente neste estudo. A descrição que se segue conta
com o código de exclusão de cada estudo.
*EFFEX - Estudo Fase Final Excluído (X indicador do estudo)

Tabela 9 – Estudos Excluídos na Segunda Rodada

Critério
Código Título Ano Origem Autores de Ex-
clusão
Determinant factors of
Schneider,
cloud-sourcing decisions: reflecting Spriger-
EFFE1 2016 Stephan C6
on the IT outsourcing literature in Links
Sunyaev, Ali
the era of cloud computing
Choi, Cheol-Rim
Jeong,
Relative weight comparison
Hwa-Young
between virtual key factors of cloud Spriger-
EFFE2 2016 Park, Jong Hyuk C6
computing with analytic network Links
Jang, Haeng Jin
process
Jeong,
Young-Sik
Bósa, Károly
Holom,
A Formal Model of Client-Cloud Spriger-
EFFE3 2015 Roxana-Maria C6
Interaction Links
Vleju, Mircea
Boris
Duan, Yucong
Narendra,
Nanjangud C
A Survey on the Categories of
Spriger- Hu, Bo
EFFE4 Service Value/Quality/Satisfactory 2015 C10
Links Li, Donghong
Factors
Feng, Wenlong
Du, Wencai
Lu, Junxing
Johnson, Pontus
Ullberg, Johan
An architecture modeling
Spriger- Buschle, Markus
EFFE5 framework for probabilistic 2014 C10
Links Franke, Ulrik
prediction
Shahzad,
Khurram
APÊNDICE B. Estudos Excluídos na Fase Final do Mapeamento Sistemático da Literatura 100

Crité-
rio de
Código Título Ano Origem Autores
Exclu-
são
Tancock, David
A Privacy Impact Assessment Tool Spriger- Pearson, Siani
EFFE6 2013 C6
for Cloud Computing Links Charlesworth,
Andrew
Vianna, Emanuel
Comarela,
Giovanni
Pontes, Tatiana
Analytical Performance Models for Spriger- Almeida, Jussara
EFFE7 2013 C6
MapReduce Workloads Links Almeida, Virgílio
Wilkinson, Kevin
Kuno, Harumi
Dayal,
Umeshwar
Scopus
EFFE8 Cloud effectiveness model 2013 Feehs, R J C6
Elsevier
Taking value-networks to the cloud
services: security services, Spriger- Demirkan, Haluk
EFFE9 2013 C6
semantics and service level Links Goul, Michael
agreements
Cloud Computing Providers:
Spriger- Lecznar, Maciej
EFFE10 Characteristics and 2011 C1; C3
Links Patig, Susanne
Recommendations
The Enterprise IT Use Case Spriger- Nolan, Michael
EFFE11 2011 C6
Scenario Links Butler, Joe M
Security Issues to Cloud Spriger-
EFFE12 2010 Onwubiko, Cyril C6
Computing Links
101

APÊNDICE C – Estudos Primários Aprovados na Primeira Fase
do Mapeamento Sistemático da Literatura

Relação de estudo aprovados na primeira fase de análise do mapeamento
sistemático da literatura presente neste estudo.
*EPSX - Estudo Primário Selecionado (X indicador do estudo)

Tabela 10 – Estudos Selecionados na Primeira Rodada

Código Título Ano Origem Autores
Lahouij, Aida
Hamel, Lazhar
A Global SLA-Aware Approach for Graiet,
EPS1 2016 SprigerLinks
Aggregating Services in the Cloud Mohamed
Elkhalfa, Abir
Gaaloul, Walid
A Hybrid Multi-Criteria
Lee, Sangwon
Decision-Making Model for a Cloud
EPS2 2016 SprigerLinks Seo,
Service Selection Problem Using BSC,
Kwang-Kyu
Fuzzy Delphi Method and Fuzzy AHP
Determinant factors of cloud-sourcing
Schneider,
decisions: reflecting on the IT
EPS3 2016 SprigerLinks Stephan
outsourcing literature in the era of
Sunyaev, Ali
cloud computing
Selvaraj,
Evidence-Based Trust Evaluation
Alagumani
EPS4 System for Cloud Services Using 2016 SprigerLinks
Sundararajan,
Fuzzy Logic
Subashini
Network-aware embedding of virtual
Science Direct Aral, Atakan;
EPS5 machine clusters onto federated cloud 2016
Elsevier Ovatman, Tolga
infrastructure
Zeng, Zeng
Truong-Huu,
Operational cost-aware resource Tram
EPS6 provisioning for continuous write 2016 SprigerLinks Veeravalli,
applications in cloud-of-clouds Bharadwaj
Tham,
Chen-Khong
APÊNDICE C. Estudos Primários Aprovados na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da
Literatura 102

Código Título Ano Origem Autores
Choi,
Cheol-Rim
Jeong,
Relative weight comparison between Hwa-Young
EPS7 virtual key factors of cloud computing 2016 SprigerLinks Park, Jong
with analytic network process Hyuk
Jang, Haeng Jin
Jeong,
Young-Sik
Baranwal,
A fair multi-attribute combinatorial
Science Direct Gaurav;
EPS8 double auction model for resource 2015
Elsevier Vidyarthi, Deo
allocation in cloud computing
Prakash
Bósa, Károly
Holom,
A Formal Model of Client-Cloud
EPS9 2015 SprigerLinks Roxana-Maria
Interaction
Vleju, Mircea
Boris
Duan, Yucong
Narendra,
Nanjangud C
A Survey on the Categories of Service Hu, Bo
EPS10 2015 SprigerLinks
Value/Quality/Satisfactory Factors Li, Donghong
Feng, Wenlong
Du, Wencai
Lu, Junxing
Kousiouris, G
Giammatteo, G
Evangelinou, A
Galante, N
Kevani, E
Stampoltas, C
A Multi-Cloud Framework for
Menychtas, A
Measuring and Describing ACM Guide to
Kopaneli, A
EPS11 Performance Aspects of Cloud 2014 Computing
Ramasamy
Services Across Different Application Literature
Balraj, K
Types
Kyriazis, D
Varvarigou, T
Stuer, P
Orue-
Echevarria
Arrieta, L
APÊNDICE C. Estudos Primários Aprovados na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da
Literatura 103

Código Título Ano Origem Autores
Johnson,
Pontus
Ullberg, Johan
An architecture modeling framework for Buschle,
EPS12 2014 SprigerLinks
probabilistic prediction Markus
Franke, Ulrik
Shahzad,
Khurram
Jararweh,
Yaser; Jarrah,
Moath;
Kharbutli,
Mazen; Alshara,
CloudExp: A comprehensive cloud Science Direct
EPS13 2014 Zakarea;
computing experimental framework Elsevier
Alsaleh,
Mohammed
Noraden;
Al-Ayyoub,
Mahmoud
Somasunda-
ram, Thamarai
Selvi
Semantic-enabled CARE Resource
Govindarajan,
EPS14 Broker (SeCRB) for managing grid and 2014 SprigerLinks
Kannan
cloud environment
Kiruthika, Usha
Buyya,
Rajkumar
Tancock, David
A Privacy Impact Assessment Tool for Pearson, Siani
EPS15 2013 SprigerLinks
Cloud Computing Charlesworth,
Andrew
Vianna,
Emanuel
Comarela,
Giovanni
Pontes, Tatiana
Analytical Performance Models for Almeida,
EPS16 2013 SprigerLinks
MapReduce Workloads Jussara
Almeida, Virgílio
Wilkinson, Kevin
Kuno, Harumi
Dayal,
Umeshwar
APÊNDICE C. Estudos Primários Aprovados na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da
Literatura 104

Código Título Ano Origem Autores
Scopus
EPS17 Cloud effectiveness model 2013 Feehs, R J
Elsevier
Van den
Bossche,
Online cost-efficient scheduling of Ruben;
Science Direct
EPS18 deadline-constrained workloads on 2013 Vanmechelen,
Elsevier
hybrid clouds Kurt;
Broeckhove,
Jan
Irfan, M
SLA (service level agreement) driven
Scopus Hong, Z
EPS19 orchestration based new methodology 2013
Elsevier Aimaier, N
for cloud computing services
Zhuguo, L
Taking value-networks to the cloud Demirkan,
EPS20 services: security services, semantics 2013 SprigerLinks Haluk
and service level agreements Goul, Michael
EPS21 Cloud Computing Costs and Benefits 2012 SprigerLinks Kratzke, Nane
Cloud Computing Providers: Lecznar, Maciej
EPS22 2011 SprigerLinks
Characteristics and Recommendations Patig, Susanne
Nolan, Michael
EPS23 The Enterprise IT Use Case Scenario 2011 SprigerLinks
Butler, Joe M
Shin, Dongwan
Toward role-based provisioning and Akkan, Hakan
EPS24 access control for infrastructure as a 2011 SprigerLinks Claycomb,
service (IaaS) William
Kim, Kwanjoong
Mihoob, Ahmed
Molina-
ACM Guide to
A Case for Consumer-centric Resource Jimenez,
EPS25 2010 Computing
Accounting Models Carlos
Literature
Shrivastava,
Santosh
EPS26 Security Issues to Cloud Computing 2010 SprigerLinks Onwubiko, Cyril
105

APÊNDICE D – Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do
Mapeamento Sistemático da Literatura

Relação de estudo excluídos na primeira fase de análise do mapeamento sis-
temático da literatura presente neste estudo. A descrição que se segue conta com o
código de exclusão de cada estudo.
*EPEX - Estudo Primário Excluído (X indicador do estudo)

Tabela 11 – Estudos Excluídos na Primeira Rodada

Critério
Código Título Ano Origem Autores de Ex-
clusão
Teing, Yee-Yang
Dehghantanha, Ali
Choo, Kim-Kwang
A Closer Look at Syncany
Raymond
EPE1 Windows and Ubuntu Clients‘ 2016 SprigerLinks C12
Muda, Zaiton
Residual Artefacts
Abdullah, Mohd
Taufik
Chai, Wee-Chiat
A cloud-based system Chen, Hung-Ming;
Science
framework for performing online Chang,
EPE2 2016 Direct C6
viewing, storage, and analysis Kai-Chuan; Lin,
Elsevier
on big data of massive BIMs Tsung-Hsi
A comprehensive meta-analysis
of cryptographic security Kiraz, Mehmet
EPE3 2016 SprigerLinks C6
mechanisms for cloud Sab\ir
computing
A Confidence Indicator Model for
Bilecki, Luís Felipe
EPE4 Virtual Organization Creation in 2016 SprigerLinks C12
Fiorese, Adriano
Cloud Computing Environment
ACM Guide
Baresi, Luciano
A Distributed Architecture for to
EPE5 2016 Miraz, Matteo C5
Efficient Web Service Discovery Computing
Plebani, Pierluigi
Literature
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
106

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Alqahtany, Saad
A Forensic Acquisition and Scopus Clarke, Nathan
EPE6 2016 C6
Analysis System for IaaS Elsevier Furnell, Steven
Reich, Christoph
dos Santos,
Daniel Ricardo;
A framework and risk Marinho, Roberto;
Science
assessment approaches for Schmitt, Gustavo
EPE7 2016 Direct C6
risk-based access control in the Roecker;
Elsevier
cloud Westphall, Carla
Merkle; Westphall,
Carlos Becker
Cedillo, Priscila
A Monitoring Infrastructure for Gonzalez-Huerta,
EPE8 the Quality Assessment of 2016 SprigerLinks Javier C12
Cloud Services Abrahao, Silvia
Insfran, Emilio
Abdellaoui,
A Novel Strong Password Science Abderrahim;
EPE9 Generator for Improving Cloud 2016 Direct Khamlichi, Younes C6
Authentication Elsevier Idrissi; Chaoui,
Habiba
Aulkemeier,
Fabian
Paramartha,
Mohammad
A pluggable service platform
EPE10 2016 SprigerLinks Anggasta C6
architecture for e-commerce
Iacob,
Maria-Eugenia
van Hillegersberg,
Jos
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
107

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
A secure cloud storage system
El-Booz, Sheren A
combining time-based one-time
EPE11 2016 SprigerLinks Attiya, Gamal C6
password and automatic blocker
El-Fishawy, Nawal
protocol
A secure smart card Yang, Ta-Chih
authentication and authorization Lo, Nai-Wei
EPE12 2016 SprigerLinks C6
framework using in multimedia Liaw, Horng-Twu
cloud Wu, Wei Chen
Xue, Shan
A self-adaptive multi-view
Xiong, Li
EPE13 framework for multi-source 2016 SprigerLinks C6
Yang, Shufen
information service in cloud ITS
Zhao, Lu
A survey on cloud computing Science Singh, Saurabh;
EPE14 security: Issues, threats, and 2016 Direct Jeong, Young-Sik; C6
solutions Elsevier Park, Jong Hyuk;
A Systematic Review of Security Amoud, Mohamed
EPE15 2016 SprigerLinks C6
in Cloud Computing Roudiès, Ounsa
Battleson,
Douglas A
West, Barry C
Achieving dynamic capabilities
Kim, Jongwoo
EPE16 with cloud computing: an 2016 SprigerLinks C6
Ramesh,
empirical investigation
Balasubramaniam
Robinson, Pamela
S
EPE17 Advanced Solutions 2016 SprigerLinks Nicoletti, Bernardo C10
An Efficient Multi-keyword Saini, Vandana
Synonym-Based Fuzzy Ranked Challa, Rama
EPE18 2016 SprigerLinks C12
Search Over Outsourced Krishna
Encrypted Cloud Data Khan, Neelam S
An Enhanced Strategy to Sachdeva,
Minimize Makespan in Cloud Himanshu
EPE19 2016 SprigerLinks C12
Environment to Accelerate the Kaushal, Sakshi
Performance Verma, Amandeep
Alsowail, Saeed
Sqalli, Mohammed
An Experimental Evaluation of
H
the EDoS-Shield Mitigation
EPE20 2016 SprigerLinks Abu-Amara, C6
Technique for Securing the
Marwan
Cloud
Baig, Zubair
Salah, Khaled
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
108

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
An Improved Encryption and
Kaushik, Shweta
EPE21 Signature Verification ECC 2016 SprigerLinks C12
Gandhi, Charu
Scheme for Cloud Computing
An Intrusion Detection System
Sharma, Shalki
for Detecting Denial-of-Service
EPE22 2016 SprigerLinks Gupta, Anshul C12
Attack in Cloud Using Artificial
Agrawal, Sanjay
Bee Colony
An investigation of the
challenges and issues Science Ali, Omar; Soar,
EPE23 influencing the adoption of cloud 2016 Direct Jeffrey; Yong, C6
computing in Australian regional Elsevier Jianming
municipal governments
Dinsmore,
EPE24 Analytics in the Cloud 2016 SprigerLinks C12
Thomas W
Roussev, Vassil
API-Based Forensic Acquisition
EPE25 2016 SprigerLinks Barreto, Andres C12
of Cloud Drives
Ahmed, Irfan
Komarasamy,
Associate Scheduling of Mixed Dinesh
EPE26 2016 SprigerLinks C12
Jobs in Cloud Computing Muthuswamy,
Vijayalakshmi
Sookhak, Mehdi;
Attribute-based data access Yu, F Richard;
Science
control in mobile cloud Khan, Muhammad
EPE27 2016 Direct C6
computing: Taxonomy and open Khurram;
Elsevier
issues Xiang, Yang;
Buyya, Rajkumar;
Lins, Fernando
Automation of service-based Damasceno, Julio
EPE28 security-aware business 2016 SprigerLinks Medeiros, Robson C6
processes in the Cloud Sousa, Erica
Rosa, Nelson
Behavioural intention in Science Hew, Teck-Soon;
EPE29 cloud-based VLE: An extension 2016 Direct Syed Abdul Kadir, C6
to Channel Expansion Theory Elsevier Sharifah Latifah
Vallati, Carlo
Mingozzi, Enzo
Tanganelli,
Giacomo
Buonaccorsi,
Novella
Valdambrini,
Nicola
Zonidis, Nikolaos
BETaaS: A Platform for
Martínez, Belén
Development and Execution of
Mamelli,
EPE30 Machine-to-Machine 2016 SprigerLinks C6
Alessandro
Applications in the Internet of
Sommacampagna,
Things
Davide
Anggorojati, Bayu
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
109

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Calabrese,
Bioinformatics and Microarray
EPE31 2016 SprigerLinks Barbara C6
Data Analysis on the Cloud
Cannataro, Mario
Building an open source cloud Krieger, Michael T;
environment with auto-scaling Science Torreno, Oscar;
EPE32 resources for executing 2016 Direct Trelles, Oswaldo; C6
bioinformatics and biomedical Elsevier Kranzlmüller,
workflows Dieter
EPE33 C 2016 SprigerLinks Ayala, Luis C12
Chapter 1 - A Primer on Cloud
Science
Computing BT - Cloud
EPE34 2016 Direct Vance, T C C12
Computing in Ocean and
Elsevier
Atmospheric Sciences
Wu, C;
Chapter 1 - Big Data Analytics = Science
Buyya, R;
EPE35 Machine Learning + Cloud 2016 Direct C12
Ramamohanarao,
Computing BT - Big Data Elsevier
K
Chapter 13 - Hadoop in the Science
EPE36 Cloud to Analyze Climate 2016 Direct Sinha, A C12
Datasets A2 - Vance, Tiffany C. Elsevier
Chapter 2 - Introduction to Cloud Science Talia, Domenico;
EPE37 Computing BT - Data Analysis in 2016 Direct Trunfio, Paolo; C12
the Cloud Elsevier Marozzo, Fabrizio
Chapter 20 - Conclusion and the
Science
Road Ahead BT - Cloud
EPE38 2016 Direct Yuan, M C12
Computing in Ocean and
Elsevier
Atmospheric Sciences
Chapter 3 - Synergies: Service
Science
Science and the Information de Grandbois,
EPE39 2016 Direct C12
Sector BT - Service Science and Yvonne
Elsevier
the Information Professional
Cloud Computing as an
Maluleka, Simon
Alternative Solution for South
Motlatsi
EPE40 African Public Sector: A Case for 2016 SprigerLinks C12
Ruxwana,
Department of Social
Nkqubela
Development
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
110

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Cloud Computing for Supply Vemula, Ram
EPE41 2016 SprigerLinks C6
Chain Management Zsifkovits, Helmut
Science
Cloud Computing in Sustainable Nowicka,
EPE42 2016 Direct C6
Mobility Katarzyna
Elsevier
Wang, Nianxin;
Liang, Huigang;
Cloud computing research in the Science
Jia, Yu;
EPE43 IS discipline: A 2016 Direct C6
Ge, Shilun;
citation/co-citation analysis Elsevier
Xue, Yajiong;
Wang, Zhining
Cloud Computing: Models,
Nwobodo,
EPE44 Services, Utility, Advantages, 2016 SprigerLinks C6
Ikechukwu
Security Issues, and Prototype
Galibus, Tatiana
Krasnoproshin,
Viktor V
Cloud Environment Security
EPE45 2016 SprigerLinks de Oliveira C12
Landscape
Albuquerque,
Robson
de Freitas, Edison
Joshi, R C
EPE46 Cloud Forensics 2016 SprigerLinks C12
Pilli, Emmanuel S
Roussev, Vassil
Ahmed, Irfan
Cloud forensics–Tool Science
Barreto, Andres
EPE47 development studies &amp; 2016 Direct C6
McCulley, Shane
future outlook Elsevier
Shanmughan,
Vivek
Weng, Shao-Jen
Gotcher, Donald
Cloud Image Data Center for Wu, Hsin-Hung
EPE48 2016 SprigerLinks C6
Healthcare Network in Taiwan Xu, Yeong-Yuh
Yang, Ching-Wen
Lai, Lai-Shiun
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
111

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Shirazi, Farid
Cloud Security: A Virtualized
EPE49 2016 SprigerLinks Krasnov, C12
VLAN (V2LAN) Implementation
Alexander
Cloud Simulation Model Based Hannache,
on Large Numbers Law for Oussama
EPE50 2016 SprigerLinks C12
Evaluating Fault Tolerance Batouche,
Approaches Mohamed
Aziz, Mohd
Cloud-Based Mobile Learning
Norafizal Abd
EPE51 Adaptation in Nonformal 2016 SprigerLinks C12
Noor, Rafidah Md
Learning: A Review
Khamis, Norazlina
Missbach, Michael
Staerk, Thorsten
Gardiner,
Cameron
EPE52 Clouds Demystified 2016 SprigerLinks C12
McCloud, Joshua
Madl, Robert
Tempes, Mark
Anderson, George
Cloud-Servicemanagement und
Analytics: Nutzung von Business Pröhl, Thorsten
EPE53 Intelligence Technologien f{ü}r 2016 SprigerLinks Zarnekow, C8
das Service Management von Rüdiger
Cloud Computing Diensten
Delipetrev, Blagoj
Stojanova,
Collaborative Cloud Computing
Aleksandra
Application for Water Resources
EPE54 2016 SprigerLinks Ljubotenska, Ana C12
Based on Open Source
Kocaleva, Mirjana
Software
Delipetrev, Marjan
Manevski, Vladimir
Concepts for a Social Workflow Görg, M Sebastian
EPE55 2016 SprigerLinks C12
Platform EK
Conceptual Framework: The
Adaptive Biometrics Pukdesree,
EPE56 Authentication for Accessing 2016 SprigerLinks Sorapak C12
Cloud Computing Services Netinant, Paniti
Using iPhone
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
112

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Cooperative Device Cloud: A
Resource Management Kliem, Andreas
EPE57 2016 SprigerLinks C12
Framework for the Internet of Kao, Odej
Things
Asadi, Shahla
Nilashi,
Customers perspectives on Mehrbakhsh
EPE58 adoption of cloud computing in 2016 SprigerLinks Husin, Abd Razak C6
banking sector Che
Yadegaridehkordi,
Elaheh
Sangupamba
Design science research
Science Mwilu, Odette
contribution to business
EPE59 2016 Direct Comyn-Wattiau, C6
intelligence in the cloud — A
Elsevier Isabelle
systematic literature review
Prat, Nicolas
Osanaiye,
Distributed denial of service
Science Opeyemi; Choo,
(DDoS) resilience in cloud:
EPE60 2016 Direct Kim-Kwang C6
Review and conceptual cloud
Elsevier Raymond; Dlodlo,
DDoS mitigation framework
Mqhele
Do Cloud Computing Tools
Ruaro, Andre F
EPE61 Support the Needs of Virtual 2016 SprigerLinks C12
Rabelo, Ricardo J
Enterprises?
Xing, Ke
DuctAir—Service Innovation for
EPE62 2016 SprigerLinks Belusko, Martin C12
Value Add
Min, Gunwoo
Missbach, Michael
Staerk, Thorsten
Gardiner,
Economic and Legal Aspects of Cameron
EPE63 2016 SprigerLinks C12
Cloud Computing McCloud, Joshua
Madl, Robert
Tempes, Mark
Anderson, George
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
113

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Nuñez, David;
Science
Eliciting metrics for Fernández-Gago,
EPE64 2016 Direct C6
accountability of cloud systems Carmen; Luna,
Elsevier
Jesús
Akter, Shahriar;
Enabling a transformative Science
Wamba, Samuel
EPE65 service system by modeling 2016 Direct C10
Fosso; D’Ambra,
quality dynamics Elsevier
John
Khalid, Madiha
Yousaf,
Establishing the State of the Art
Muhammad
EPE66 Knowledge Domain of Cloud 2016 SprigerLinks C6
Murtaza
Computing
Iftikhar, Yousra
Fatima, Noreen
Evidence-Based Security and
Formoso, Saul
EPE67 Privacy Assurance in Cloud 2016 SprigerLinks C12
Felici, Massimo
Ecosystems
From concept to implementation:
Science Yu, Jiang
The development of the
EPE68 2016 Direct Xiao, Xiao C6
emerging cloud computing
Elsevier Zhang, Yue
industry in China
Förster, Tim
High Availability of Big-Geo-Data
EPE69 2016 SprigerLinks Thum, Simon C6
as a Platform as a Service
Kuijper, Arjan
Science Yang, Xichen
Image quality assessment via
EPE70 2016 Direct Sun, Quansen C5
spatial structural analysis
Elsevier Wang, Tianshu
Gugnani, Gunjan
Implementing DNA Encryption Ghrera, S P
EPE71 Technique in Web Services to 2016 SprigerLinks Gupta, P K C12
Embed Confidentiality in Cloud Malekian, Reza
Maharaj, B T J
Incorporating service and user Karim, Raed
information and latent features Ding, Chen
EPE72 to predict QoS for selecting and 2016 SprigerLinks Miri, Ali C6
recommending cloud service Rahman, Md
compositions Shahinur
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
114

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Multi-objective switching Science Saikrishna, P S
EPE73 controller for cloud computing 2016 Direct Pasumarthy, C6
systems Elsevier Ramkrishna
Panetto, Hervé
Zdravkovic, Milan
New perspectives for the future Science Jardim-Goncalves,
EPE74 interoperable enterprise 2016 Direct Ricardo C6
systems Elsevier Romero, David
Cecil, J
Mezgár, István
Del Mar López
Privacy Risks in Cloud
EPE75 2016 SprigerLinks Ruiz, Maria C6
Computing
Pedraza, Juanita
Ghime\cs,
Proposed Scheme for Data
Ana-Maria
EPE76 Confidentiality and Access 2016 SprigerLinks C12
Patriciu, Victor
Control in Cloud Computing
Valeriu
Mourtzis, Dimitris;
Fotia, Sophia;
PSS Design Considering Gamito, Marta;
Science
Feedback from the Entire Neves-Silva, Rui;
EPE77 2016 Direct C6
Product-service Lifecycle and Correia, Ana;
Elsevier
Social Media Spindler, Philipp;
Pezzotta, Giuditta;
Rossi, Monica
Publications on the use of cloud Stukalova, A A
EPE78 2016 SprigerLinks C6
technologies at libraries Guskov, A E
Vierhauser,
Science
Requirements monitoring Michael;
EPE79 2016 Direct C6
frameworks: A systematic review Rabiser, Rick;
Elsevier
Grünbacher, Paul
Scheduling for Distributed
Bheda, Hitesh A
EPE80 Applications in Mobile Cloud 2016 SprigerLinks C12
Thaker, Chirag S
Computing
Ramesh,
Secure Data Storage in Cloud:
Dharavath
An e-Stream Cipher-Based
EPE81 2016 SprigerLinks Mishra, Rahul C6
Secure and Dynamic Updation
Edla, Damodar
Policy
Reddy
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
115

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Service Innovation Based on
EPE82 2016 SprigerLinks Zhou, Zhenhua C12
Informatization
Service Quality Assurance in
EPE83 2016 SprigerLinks Petcu, Dana C12
Multi-clouds
seTPM: Towards Flexible ACM Guide
Proskurin, Sergej
Trusted Computing on Mobile to
EPE84 2016 Weiβ, Michael C12
Devices Based on Computing
Sigl, Georg
GlobalPlatform Secure Elements Literature
Shop-floor resource Morariu, Octavian
EPE85 virtualization layer with private 2016 SprigerLinks Morariu, Cristina C6
cloud support Borangiu, Theodor
SLA Based e-Learning Service Paul, Mridul
EPE86 2016 SprigerLinks C12
Provisioning in Cloud Das, Ajanta
Bruque-Cámara,
Sebastián;
Supply chain integration through Science
Moyano-Fuentes,
EPE87 community cloud: Effects on 2016 Direct C6
José;
operational performance Elsevier
Maqueira-Marín,
Juan Manuel
The cloud computing standard de Hert, Paul;
Science
ISO/IEC 27018 through the lens Papakonstantinou,
EPE88 2016 Direct C6
of the EU legislation on data Vagelis; Kamara,
Elsevier
protection Irene
The San Francisco Travel Carrel, Andre
EPE89 Quality Study: tracking trials and 2016 SprigerLinks Sengupta, Raja C10
tribulations of a transit taker Walker, Joan L
Ed-Daibouni,
Toward a New Extension of the Maryam
EPE90 Access Control Model ABAC for 2016 SprigerLinks Lebbat, Adil C12
Cloud Computing Tallal, Saida
Medromi, Hicham
Towards performance evaluation Science Ramachandran,
EPE91 of cloud service providers for 2016 Direct Muthu C6
cloud data security Elsevier Chang, Victor
Transforming to SAP Enterprise Kalaimani,
EPE92 2016 SprigerLinks C12
Cloud Jayaraman
When traditional information Wang, Chen;
technology project managers Science Wood, Lincoln C;
EPE93 encounter the cloud: 2016 Direct Abdul-Rahman, C6
Opportunities and dilemmas in Elsevier Hamzah;
the transition to cloud services Lee, Yit Teng
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
116

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Kiennert,
Christophe;
5 - Digital Identity in Cloud Science
Bouzefrane,
EPE94 Computing BT - Digital Identity 2015 Direct C12
Samia; Benkara
Management Elsevier
Mostefa, Amira
Faiza
ACM Guide Alqahtany, Saad
A Forensic Acquisition and to Clarke, Nathan
EPE95 2015 C6
Analysis System for IaaS Computing Furnell, Steven
Literature Reich, Christoph
A Latency Reduction ACM Guide Sharma, Rahul
Mechanism for Virtual Machine to Kumar
EPE96 2015 C6
Resource Allocation in Delay Computing Kamal, Pragya
Sensitive Cloud Service Literature Singh, Sarv Pal
Olatunji, Ezekiel K
A Multi-Level Privacy Scheme
Adigun, Matthew
EPE97 for Securing Data in a Cloud 2015 SprigerLinks C12
O
Environment
Tarwireyi, Paul
A new online anomaly learning Wang, JunPing
EPE98 and detection for large-scale 2015 SprigerLinks Kuang, Qiuming C6
service of Internet of Thing Duan, ShiHui
Liu, Ran; Yuan,
Xiaoqun; Xu, Jie;
A novel server selection Science Chen, Jianguo;
EPE99 approach for mobile cloud 2015 Direct Zeng, Yuanxiang; C6
streaming service Elsevier Cao, Meng; Liu,
Jinhong; Xu,
Lifang; Fang, Qing
He, Wu; Wu,
A novel social media competitive Science Harris; Yan,
EPE100 analytics framework with 2015 Direct Gongjun; Akula, C10
sentiment benchmarks Elsevier Vasudeva; Shen,
Jiancheng
Griebel, Lena
Prokosch,
Hans-Ulrich
Köpcke, Felix
A scoping review of cloud Toddenroth,
EPE101 2015 SprigerLinks C6
computing in healthcare Dennis
Christoph, Jan
Leb, Ines
Engel, Igor
Sedlmayr, Martin
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
117

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Hanczewski,
Sławomir
A Simulator Concept for Cloud K\kedzierska,
EPE102 2015 SprigerLinks C12
Computing Infrastructure Marta
Piechowiak,
Maciej
A Software Development Hacaloglu, Tuna
Process Model for Cloud by Eren, P Erhan
EPE103 2015 SprigerLinks C12
Combining Traditional Mishra, Deepti
Approaches Mishra, Alok
Aluvalu,
A Survey on Access Control RajaniKanth
EPE104 2015 SprigerLinks C6
Models in Cloud Computing Muddana,
Lakshmi
Active Accounting and Charging Lee, Brian
EPE105 for Programmable Wireless 2015 SprigerLinks Murray, Niall C10
Networks Qiao, Yuansong
Wang, Meisong
Jayaraman, Prem
Prakash
Ranjan, Rajiv
An Overview of Cloud Based Mitra, Karan
Content Delivery Networks: Zhang, Miranda
EPE106 2015 SprigerLinks C12
Research Dimensions and Li, Eddie
State-of-the-Art Khan, Samee
Pathan,
Mukkaddim
Georgeakopoulos,
Dimitrios
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
118

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Kostoska,
Magdalena
EPE107 An Overview of Cloud Portability 2015 SprigerLinks C12
Gusev, Marjan
Ristov, Sasko
An SEM-artificial-neural-network
ACM Guide Leong, Lai-Ying
Analysis of the Relationships
to Hew, Teck-Soon
EPE108 Between SERVPERF, Customer 2015 C10
Computing Lee, Voon-Hsien
Satisfaction and Loyalty Among
Literature Ooi, Keng-Boon
Low-cost and Full-service Airline
Horalek, Josef
Analysis of the Use of Cloud
Karamazov,
Services and Their Effects on
EPE109 2015 SprigerLinks Simeon C12
the Efficient Functioning of a
Holik, Filip
Company
Svoboda, Tomas
AutoCSD: Automatic Cloud
Xie, Tao
EPE110 System Deployment in Data 2015 SprigerLinks C12
Chen, Haibao
Centers
Balancing throughput and
Pacini, Elina;
response time in online scientific Science
Mateos, Cristian;
EPE111 Clouds via Ant Colony 2015 Direct C6
García Garino,
Optimization Elsevier
Carlos
(SP2013/2013/00006)
Sangeetha, K S
EPE112 Big Data and Cloud: A Survey 2015 SprigerLinks C12
Prakash, P
Nativi, Stefano;
Mazzetti, Paolo;
Big Data challenges in building Science
Santoro, Mattia;
EPE113 the Global Earth Observation 2015 Direct C6
Papeschi, Fabrizio;
System of Systems Elsevier
Craglia, Max;
Ochiai, Osamu
Mohanty,
EPE114 Big Data Service Agreement 2015 SprigerLinks Hrushikesha C12
Vaddi, Supriya
Dingli, Alexei
EPE115 Blended Realities 2015 SprigerLinks C12
Seychell, Dylan
Zahoor, Babar
Central Management of
EPE116 2015 SprigerLinks Qamar, Bibrak C12
Datacenters
ur Rasool, Raihan
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
119

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Chapter 1 - Cloud Computing,
Science Samani, Raj
What is it and What’s the Big
EPE117 2015 Direct Honan, Brian C12
Deal? BT - CSA Guide to Cloud
Elsevier Reavis, Jim
Computing
Chapter 1 - Cloud security Science Ko, Ryan K L;
EPE118 ecosystem BT - The Cloud 2015 Direct Choo, Kim-Kwang C12
Security Ecosystem Elsevier Raymond
Science
Chapter 1 - Data in the Cloud Wheeler, Aaron;
EPE119 2015 Direct C12
BT - Cloud Storage Security Winburn, Michael
Elsevier
Chapter 18 - Cloud security and
Science Vidal, Chaz;
forensic readiness: The current
EPE120 2015 Direct Choo, Kim-Kwang C12
state of an IaaS provider BT -
Elsevier Raymond
The Cloud Security Ecosystem
Chapter 2 - Internal and Science
Gonzalez,
EPE121 External Risks BT - Managing 2015 Direct C12
Deborah
Online Risk Elsevier
Mamun,
Khondaker
Cloud based framework for
Science Abdullah Al;
Parkinson’s disease diagnosis
EPE122 2015 Direct Alhussein, C6
and monitoring system for
Elsevier Musaed; Sailunaz,
remote healthcare applications
Kashfia; Islam,
Mohammad Saiful
Sundharakumar, K
Science B;
Cloud Based Fuzzy Healthcare
EPE123 2015 Direct Dhivya, S; C6
System
Elsevier Mohanavalli, S;
Chander, R Vinob;
Cloud Computing and Related Kizza, Joseph
EPE124 2015 SprigerLinks C6
Security Issues Migga
McKelvey, Nigel
Curran, Kevin
Cloud Computing and Security
EPE125 2015 SprigerLinks Gordon, Benny C12
in the Future
Devlin, Edward
Johnston, Kenneth
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
120

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Yu, Huiming
Cloud Computing Threats and
EPE126 2015 SprigerLinks Williams, Ken C12
Provider Security Assessment
Yuan, Xiaohong
Cloud computing: The beliefs Science Lim, Nena;
EPE127 and perceptions of Swedish 2015 Direct Grönlund, Åke; C6
school principals Elsevier Andersson, Annika
Chao, Kuo-Ming;
James, Anne E;
Nanos, Antonios
G;Chen,
Jen-Hsiang; Stan,
Sergiu-Dan;
Muntean,
Science
Cloud E-learning for Ionut;Figliolini,
EPE128 2015 Direct C6
Mechatronics: CLEM Giorgio; Rea,
Elsevier
Pierluigi;
Bouzgarrou,
Chedli B;
Vitliemov, Pave;
Cooper, Joshua;
van Capelle,
Jürgen
Alqahtany, S
Cloud Forensics: A Review of
Scopus Clarke, N
EPE129 Challenges, Solutions and Open 2015 C6
Elsevier Furnell, S
Problems
Reich, C
Cloud forensics: Technical Science Pichan, Ameer
EPE130 challenges, solutions and 2015 Direct Lazarescu, Mihai C6
comparative analysis Elsevier Soh, Sie Teng
Cloud migration: Planning Chang, S E
Scopus
EPE131 guidelines and execution 2015 Chiu, K.-M. C6
Elsevier
framework Chiao, Y.-C.
Cloud Security Risk Scopus Damenu, T K
EPE132 2015 C6
Management: A Critical Review Elsevier Balakrishna, C
Selimi, Mennan;
Khan, Amin M;
Science Dimogerontakis,
Cloud services in the Guifi.net
EPE133 2015 Direct Emmanouil; C6
community network
Elsevier Freitag, Felix;
Centelles, Roger
Pueyo
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
121

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Schneider,
CloudLive: a life cycle
EPE134 2015 SprigerLinks Stephan C6
framework for cloud services
Sunyaev, Ali
Components of service value in Padilla, Roland S
EPE135 business-to-business Cloud 2015 SprigerLinks Milton, Simon K C7
Computing Johnson, Lester W

EPE136 Computing Paradigms 2015 SprigerLinks Cao, Longbing C12
Context and Data Management
for Multitenant Enterprise Liao, Chun-Feng
EPE137 Applications in SaaS 2015 SprigerLinks Chen, Kung C12
Environments: A Middleware Chen, Jiu-Jye
Approach
Critical factors for cloud based Science
EPE138 e-invoice service adoption in 2015 Direct Lian, Jiunn-Woei C6
Taiwan: An empirical study Elsevier
Ross, David
EPE139 Customer Management 2015 SprigerLinks C12
Frederick
Carlin, Andrew;
Defence for Distributed Denial of Science
Hammoudeh,
EPE140 Service Attacks in Cloud 2015 Direct C6
Mohammad;
Computing Elsevier
Aldabbas, Omar
Design and application of
augmented reality Science
Lin, Hui-Fei; Chen,
EPE141 query-answering system in 2015 Direct C6
Chi-Hua
mobile phone information Elsevier
navigation
Distributed CloudIMS:
Future-Generation Network with Allouch, Hamid
EPE142 2015 SprigerLinks C12
Internet of Thing Based on Belkasmi, Mostafa
Distributed Cloud Computing
Dynamic Combination of ACM Guide
Ghumman, Navtej
Improved Max-min and Ant to
EPE143 2015 Singh C6
Colony Algorithm for Load Computing
Kaur, Rajwinder
Balancing in Cloud System Literature
Hussey, Pamela
EPE144 E-Health a Global Priority 2015 SprigerLinks Kennedy, C12
Margaret Ann
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
122

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Gebauer, Lysann
Gierczak, Michael
Einflussfaktoren auf die Nutzung Marcin
EPE145 2015 SprigerLinks C8
von Cloud-Speicherdiensten Söllner, Matthias
Leimeister, Jan
Marco
Cardoso, Jorge
EPE146 Electronic Services 2015 SprigerLinks C12
Fromm, Hansjörg
Establishing A Personal
Wu, Huijun
On-Demand Execution
EPE147 2015 SprigerLinks Huang, Dijiang C6
Environment for Mobile Cloud
Zhu, Yan
Applications
Evangelinou,
Athanasia
Galante, Nunzio
Andrea
Kousiouris,
George
Giammatteo,
Gabriele
Kevani, Elton
Stampoltas,
Christoforos
Experimenting with Menychtas,
Application-Based Benchmarks Andreas
EPE148 on Different Cloud Providers via 2015 SprigerLinks Kopaneli, Aliki C12
a Multi-cloud Execution and Ramasamy Balraj,
Modeling Framework Kanchanna
Kyriazis,
Dimosthenis
Varvarigou,
Theodora
Stuer, Peter
Orue-Echevarria
Arrieta, Leire
Echevarria Velez,
Gorka Mikel
Bergmayr,
Alexander
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
123

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão

EPE149 Foundations 2015 SprigerLinks Loske, André C12
Stanton, Brian
EPE150 Framework for Cloud Usability 2015 SprigerLinks Theofanos, Mary C12
Joshi, Karuna P
Vijaya, Aparna
Framework for Supporting
Neelanarayanan,
EPE151 Heterogenous Clouds Using 2015 SprigerLinks C12
V
Model Driven Approach
Vijayakumar, V
ACM Guide
Fuzzy Linguistic Approach to Celotto, Antonio
to
EPE152 Quality Assessment Model for 2015 Loia, Vincenzo C10
Computing
Electricity Network Infrastructure Senatore, Sabrina
Literature
Hybrid Cloud Deployment of an
Cheung, Simon K
EPE153 ERP-Based Student 2015 SprigerLinks C12
S
Administration System
Implementation and Theoretical
Analysis of Virtualized Resource Li, Yong
EPE154 2015 SprigerLinks C12
Management System Based on Xu, Qi
Cloud Computing
Implementing Elastic Capacity in Zuccato, Alberto
EPE155 2015 SprigerLinks C12
a Service-Oriented PaaS Vardanega, Tullio
Implementing Large-Scale
EPE156 Mobile Device Initiatives in 2015 SprigerLinks Lin, Hong C12
Schools and Institutions
Langmann,
Industrial Cloud: Status and
EPE157 2015 SprigerLinks Reinhard C9
Outlook
Stiller, Michael
Knowledge assets in services Science
Erickson, G Scott;
EPE158 across industries and across 2015 Direct C10
Rothberg, Helen N
time Elsevier
Dziminski, Brian
Legal Aspects of Cloud
EPE159 2015 SprigerLinks Gleeson, Niamh C12
Accountability
Christina
Govindasamy,
Metric Suite for Measuring
ACM Guide Shanmugasunda-
Service Discoverability:
to ram
EPE160 Modeling and Design of Metric 2015 C12
Computing Venkatasamy,
Suite for Measuring Service
Literature Prasanna
Discoverability
Venkatesan
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
124

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
ACM Guide
Huang, Eugenia Y
M-S-QUAL: Mobile service to
EPE161 2015 Lin, Sheng-Wei C5
quality measurement Computing
Fan, Ya-Chu
Literature
Awad, Mariette
EPE162 Multiobjective Optimization 2015 SprigerLinks C12
Khanna, Rahul
Serban, Alexandru
Crisan-Vida,
New IT Tools and Methods Mihaela
EPE163 Improving Lifestyle of Young 2015 SprigerLinks Serban, C12
People Maria-Corina
Stoicu-Tivadar,
Lacramioara
Kwon, Taesoo
Next-generation sequencing Yoo, Won Gi
EPE164 data analysis on cloud 2015 SprigerLinks Lee, Won-Ja C6
computing Kim, Won
Kim, Dae-Won
Agustí-Torra,
Anna; Raspall,
Science
On the feasibility of collaborative Frederic;
EPE165 2015 Direct C6
green data center ecosystems Remondo, David;
Elsevier
Rincón, David;
Giuliani, Giovanni
Lu, Li
OpenStack Vulnerability
EPE166 2015 SprigerLinks Han, Zhen C12
Detection and Analysis
Chen, Zhi
Orchestration framework for
Scopus Deyab, H H
EPE167 automated Ajax-based web 2015 C10
Elsevier Atan, R B
application testing
Wong, Allan K Y
Wong, Jackei H K
Recapitulation and Future Lin, Wilfred W K
EPE168 2015 SprigerLinks C12
Directions Dillon, Tharam S
Chang, Elizabeth
J
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
125

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Xu, Jun
Research and Development of
Xu, Feng
EPE169 Trust Mechanism in Cloud 2015 SprigerLinks C12
Chang, Wenna
Computing
Lai, Haiguang
Jahankhani,
Risk and Privacy Issues of Hamid
EPE170 2015 SprigerLinks C12
Digital Oil Fields in the Cloud Altawell, Najib
Hessami, Ali G
Nawaz, Falak
Rule-Based Multi-criteria Mohsin, Ahmad
EPE171 Framework for SaaS Application 2015 SprigerLinks Fatima, Syda C12
Architecture Selection Janjua, Naeem
Khalid
Scalability, elasticity, and
Lehrig, S
efficiency in cloud computing: A
EPE172 2015 IEEE Eikerling, H C6
systematic literature review of
Becker, S
definitions and metrics
Secure sharing of personal
Scopus
EPE173 health records on cloud using 2015 Solapurkar, P C6
Elsevier
key-aggregate cryptosystem
Ali, Mazhar; Khan,
Science
Security in cloud computing: Samee U;
EPE174 2015 Direct C6
Opportunities and challenges Vasilakos,
Elsevier
Athanasios V
El-Kafrawy,
Science
Security Issues Over Some Passent M; Abdo,
EPE175 2015 Direct C6
Cloud Models Azza A; Shawish,
Elsevier
Amr. F
Bischhoffshausen,
Johannes Kunze
EPE176 Service Co-creation 2015 SprigerLinks von C12
Hottum, Peter
Straub, Tim
Kemp, Gavin
Vargas-Solar,
Genoveva
Service Oriented Big Data
EPE177 2015 SprigerLinks Da Silva, Catarina C12
Management for Transport
Ferreira
Ghodous, Parisa
Collet, Christine
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
126

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Cardoso, Jorge
EPE178 Service Research 2015 SprigerLinks Schmitz, Björn C12
Kieninger, Axel
Moreira, Fernando
The Influence of the Use of Cota, Manuel
EPE179 Mobile Devices and the Cloud 2015 SprigerLinks Pérez C12
Computing in Organizations Goncalves,
Ramiro
The Learning Effect of Students’
Yeh, Ching-Hung
EPE180 Cognitive Styles in Using Cloud 2015 SprigerLinks C12
Hsu, Chia-Cheng
Technology
The Role of Cloud Computing Bahrami, Mehdi
EPE181 2015 SprigerLinks C6
Architecture in Big Data Singhal, Mukesh
Fernandez-Gago,
Carmen
Tountopoulos,
Vasilis
Fischer-Hübner,
Tools for Cloud Accountability:
EPE182 2015 SprigerLinks Simone C12
A4Cloud Tutorial
Alnemr, Rehab
Nuñez, David
Angulo, Julio
Pulls, Tobias
Koulouris, Theo
Toward a Framework for Science Abbes, Wissem;
EPE183 Improving the Execution of the 2015 Direct Kechaou, Zied; C6
Big Data Applications Elsevier Alimi, Adel M
Towards a System for Cloud Guerfel, Rawand
EPE184 Service Discovery and 2015 SprigerLinks Sbaï, Zohra C12
Composition Based on Ontology Ayed, Rahma Ben
Towards an Offloading
Science Kchaou, Hamdi;
Framework based on Big Data
EPE185 2015 Direct Kechaou, Zied; C6
Analytics in Mobile Cloud
Elsevier Alimi, Adel M
Computing Environments
ACM Guide
Towards Cloud-Aware to Torkura, K A
EPE186 2015 C6
Vulnerability Assessments Computing Meinel, C
Literature
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
127

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Towards Cloud-Aware Torkura, K A
EPE187 2015 IEEE C6
Vulnerability Assessments Meinel, C
Martins, João
Camarinha-Matos,
Towards Cloud-Based
EPE188 2015 SprigerLinks Luis M C12
Engineering Systems
Goes, João
Gomes, Luis
Nawroth,
Christian;
Schmedding,
Towards Cloud-Based Science
Matthäus; Brocks,
EPE189 Knowledge Capturing Based on 2015 Direct C6
Holger; Kaufmann,
Natural Language Processing Elsevier
Michael; Fuchs,
Michael; Hemmje,
Matthias
User Perceptions of the Yadegaridehkordi,
Technology Characteristics in a Elaheh
Scopus
EPE190 Cloud-based Collaborative 2015 Iahad, C6
Elsevier
Learning Environment: A Noorminshah A
Qualitative Study Ahmad, Norasnita
Liao, Lingxia
Virtualizing IMS Core and Its
EPE191 2015 SprigerLinks Leung, Victor C M C12
Performance Analysis
Chen, Min
VM scaling based on Hurst Science Lu, Chien-Tung;
EPE192 exponent and Markov transition 2015 Direct Chang, Chia-Wei; C6
with empirical cloud data Elsevier Li, Jung-Shian
Wilson, Duane C
“To Share or not to Share‘’ in
EPE193 2014 SprigerLinks Ateniese, C12
Client-Side Encrypted Clouds
Giuseppe
ACM Guide Kazemi, Ali
A Conceptual Cohesion Metric to Rostampour, Ali
EPE194 2014 C8
for Service Oriented Systems Computing Haghighi, Hassan
Literature Abbasi, Sahel
A distributed data collection and Science Vasenev, A;
EPE195 management framework for 2014 Direct Hartmann, T; C6
tracking construction operations Elsevier Dorée, A G
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
128

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
A distributed speed scaling and Science Ko, Young
EPE196 load balancing algorithm for 2014 Direct Myoung; Cho, C6
energy efficient data centers Elsevier Yongkyu
Babu, Samitha R
A Generic Agent Based Cloud
Kulkarni, Krutika G
EPE197 Computing Architecture for 2014 SprigerLinks C6
Sekaran, K
E-Learning
Chandra
A Heuristic Model for Performing
Povar, Digambar
EPE198 Digital Forensics in Cloud 2014 SprigerLinks C6
Geethakumari, G
Computing Environment
A Literature Review on Cloud
El-Gazzar, Rania
EPE199 Computing Adoption Issues in 2014 SprigerLinks C6
Fahim
Enterprises
Yang, Chao-Tung
A method for managing green Science Liu, Jung-Chun
EPE200 power of a virtual machine 2014 Direct Huang, C6
cluster in cloud Elsevier Kuan-Lung
Jiang, Fuu-Cheng
A Novel Mechanism for Dynamic Kapoor, Lohit
EPE201 Optimization of Intercloud 2014 SprigerLinks Bawa, Seema C12
Services Gupta, Ankur
Sookhak, Mehdi;
Talebian, Hamid;
A review on remote data Science
Ahmed, Ejaz;
EPE202 auditing in single cloud server: 2014 Direct C6
Gani, Abdullah;
Taxonomy and open issues Elsevier
Khan, Muhammad
Khurram
Fatema, Kaniz;
Emeakaroha,
A survey of Cloud monitoring Science
Vincent C; Healy,
EPE203 tools: Taxonomy, capabilities 2014 Direct C6
Philip D; Morrison,
and objectives Elsevier
John P; Lynn,
Theo
Science Jang-Jaccard,
A survey of emerging threats in
EPE204 2014 Direct Julian; Nepal, C5
cybersecurity
Elsevier Surya
Shibli, Muhammad
Awais
Access Control As a Service in Masood, Rahat
EPE205 Cloud: Challenges, Impact and 2014 SprigerLinks Habiba, Umme C7
Strategies Kanwal, Ayesha
Ghazi, Yumna
Mumtaz, Rafia
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
129

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Ünsal, Arda
Ahmet
Adaptive Domain-Specific
EPE206 2014 SprigerLinks Sazara, Görkem C12
Service Monitoring
Aktemur, Bar\i\cs
Sözer, Hasan
Adoption of Digital Preservation
Science
Methods for Theses in Nigerian
EPE207 2014 Direct Ifijeh, Goodluck C6
Academic Libraries: Applications
Elsevier
and Implications
Fletcher, Kenneth
ACM Guide
K
Aggregating Ranked Services to
EPE208 2014 Liu, Xiaoqing C5
for Selection Computing
(Frank)
Literature
Cheng, Maggie X
Rahulamathavan,
Y
ACM Guide
Analysing Security Pawar, P S
to
EPE209 Requirements in Cloud-based 2014 Burnap, Pete C6
Computing
Service Level Agreements Rajarajan, M
Literature
Rana, Omer F
Spanoudakis, G
Shafieian, Saeed
Attacks in Public Clouds: Can
Zulkernine,
EPE210 They Hinder the Rise of the 2014 SprigerLinks C12
Mohammad
Cloud?
Haque, Anwar
ACM Guide
Automated Model-Based Zhou, Junzan
to
EPE211 Performance Testing for PaaS 2014 Zhou, Bo C6
Computing
Cloud Services Li, Shanping
Literature
Noor, Talal H
Sheng, Quan Z
EPE212 Background 2014 SprigerLinks C12
Bouguettaya,
Athman
Big data as the new enabler in
EPE213 2014 SprigerLinks Vossen, Gottfried C10
business and other intelligence
Karim, Ahmad
Salleh, Rosli Bin
Shiraz,
Botnet detection techniques: Muhammad
EPE214 2014 SprigerLinks C5
review, future trends, and issues Shah, Syed Adeel
Ali
Awan, Irfan
Anuar, Nor Badrul
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
130

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Chapter 1 - Introduction to the Science
Rountree, Derrick
EPE215 Cloud BT - The Basics of Cloud 2014 Direct C12
Castrillo, Ileana
Computing Elsevier
Höller, Jan;
Tsiatsis, Vlasios;
Chapter 5 - M2M and IoT Mulligan,
Science
Technology Fundamentals BT - Catherine;
EPE216 2014 Direct C12
From Machine-To-Machine to Karnouskos,
Elsevier
the Internet of Things Stamatis;
Avesand, Stefan;
Boyle, David
Chapter Thirteen - Cloud
Science
Computing: On-Demand
EPE217 2014 Direct McKnight, William C12
Elasticity BT - Information
Elsevier
Management
Characteristics of Cloud ACM Guide
Computing in the Business to Stieninger, Mark
EPE218 2014 C6
Context: A Systematic Literature Computing Nedbal, Dietmar
Review Literature
Characteristics of Cloud
Computing in the Business Stieninger, Mark
EPE219 2014 SprigerLinks C6
Context: A Systematic Literature Nedbal, Dietmar
Review
Zhao, Liang
ACM Guide
Sakr, Sherif
to
EPE220 Cloud Computing 2014 Liu, Anna C12
Computing
Bouguettaya,
Literature
Athman
Zhao, Liang
Sakr, Sherif
EPE221 Cloud Computing 2014 SprigerLinks Liu, Anna C6
Bouguettaya,
Athman
Yeluri, Raghu
EPE222 Cloud Computing Basics 2014 SprigerLinks Castro-Leon, C12
Enrique
Li, Ze-Nian
Cloud Computing for Multimedia
EPE223 2014 SprigerLinks Drew, Mark S C6
Services
Liu, Jiangchuan
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
131

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Fehling, Christoph
Leymann, Frank
EPE224 Cloud Computing Fundamentals 2014 SprigerLinks Retter, Ralph C12
Schupeck, Walter
Arbitter, Peter
Yang, Xiaoyu
Wallom, David
Waddington,
Simon
Wang, Jianwu
Shaon, Arif
ACM Guide
Cloud computing in e-Science: Matthews, Brian
to
EPE225 research challenges and 2014 Wilson, Michael C6
Computing
opportunities Guo, Yike
Literature
Guo, Li
Blower, Jon D
Vasilakos,
Athanasios V
Liu, Kecheng
Kershaw, Philip
Yang, Xiaoyu
Wallom, David
Waddington,
Simon
Wang, Jianwu
Shaon, Arif
Cloud computing in e-Science: Matthews, Brian
EPE226 research challenges and 2014 SprigerLinks Wilson, Michael C6
opportunities Guo, Yike
Guo, Li
Blower, Jon D
Vasilakos,
Athanasios V
Liu, Kecheng
Kershaw, Philip
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
132

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão

EPE227 Cloud Computing Providers 2014 SprigerLinks Srinivasan, S C12
Latif, Rabia
Cloud Computing Risk
Abbas, Haider
EPE228 Assessment: A Systematic 2014 SprigerLinks C12
Assar, Saïd
Literature Review
Ali, Qasim
Jula, Amin;
Cloud computing service Science
Sundararajan,
EPE229 composition: A systematic 2014 Direct C6
Elankovan;
literature review Elsevier
Othman, Zalinda
ACM Guide
Sendi, Alireza
Cloud Computing: A Risk to
EPE230 2014 Shameli C6
Assessment Model Computing
Cheriet, Mohamed
Literature
Cloud computing: A risk Scopus Shameli-Sendi, A
EPE231 2014 C6
assessment model Elsevier Cheriet, M
Cloud Computing: Paradigms Shawish, Ahmed
EPE232 2014 SprigerLinks C7
and Technologies Salama, Maria
Pireva, Krenare
Kefalas, Petros
Cloud e-Learning: A New
Dranidis, Dimitris
EPE233 Challenge for Multi-Agent 2014 SprigerLinks C12
Hatziapostolou,
Systems
Thanos
Cowling, Anthony
Simou, Stavros
Kalloniatis,
Cloud Forensics: Identifying the
EPE234 2014 SprigerLinks Christos C12
Major Issues and Challenges
Kavakli, Evangelia
Gritzalis, Stefanos

EPE235 Cloud Labor Services 2014 SprigerLinks Kern, Robert C12
Soares, Liliana F
B
Fernandes, Diogo
EPE236 Cloud Security: State of the Art 2014 SprigerLinks AB C12
Gomes, João V
Freire, Mário M
Inácio, Pedro R M
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
133

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Boukerche,
Azzedine
Loureiro, Antonio
AF
Cloud-assisted Computing for Nakamura,
EPE237 2014 SprigerLinks C6
Event-driven Mobile Services Eduardo F
Oliveira, Horacio A
BF
Ramos, Heitor S
Villas, Leandro A
Nguyen, Thanh D
Cloud-Based ERP Solution for Nguyen, Thanh T
EPE238 2014 SprigerLinks C12
Modern Education in Vietnam T
Misra, Sanjay
Cocreation and Implementing
EPE239 ITIL Service Management in the 2014 SprigerLinks Stanley, Ronald C12
Cloud: A Case Study

EPE240 Concurrency 2014 SprigerLinks Mauro, Jacopo C12
Cooperation Between ACM Guide
Erich, Floris
Information System to
EPE241 2014 Amrit, Chintan C5
Development and Operations: A Computing
Daneva, Maya
Literature Review Literature
Chandramouli,
Cryptographic Key Management Ramaswamy
EPE242 Issues and Challenges in Cloud 2014 SprigerLinks Iorga, Michaela C6
Services Chokhani,
Santosh
Cyber-Democracy and
EPE243 Cybercrime: Two Sides of the 2014 SprigerLinks Mitterlehner, Birgit C12
Same Coin
Barnwal, Rajesh P
Data and Application Security in
EPE244 2014 SprigerLinks Ghosh, Nirnay C12
Cloud
Ghosh, Soumya K
Disruptive Innovation in
EPE245 2014 SprigerLinks Brooks, A L C12
Healthcare and Rehabilitation
Energy-Aware Virtual Machine Ferdaus, Md
EPE246 Consolidation in IaaS Cloud 2014 SprigerLinks Hasanul C12
Computing Murshed, Manzur
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
134

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Rüdiger,
Gesch{ä}ftsmodelle im Cloud
EPE247 2014 SprigerLinks Zarnekow C12
Computing
Stine, Labes
Chen,
ICISLM: Design of an Integrated
Shang-Liang
Cloud Information System for
EPE248 2014 SprigerLinks Chen, Yun-Yao C12
Logistic Management Based on
Wang, Hsuan-Pei
Web Server Virtualization
Hsu, Chiang
Ali, Omar
Impact of Cloud Computing
EPE249 2014 SprigerLinks Soar, Jeffrey C6
Technology on E-Government
Yong, Jianming
Yang, Chao-Tung
Implementation of GPU
Liu, Jung-Chun
EPE250 virtualization using PCI 2014 SprigerLinks C6
Wang, Hsien-Yi
pass-through mechanism
Hsu, Ching-Hsien
Importance of Some Topics of
Joszczuk-
Data Management in
EPE251 2014 SprigerLinks Januszewska, C12
Cloud-Based Maritime Fleet
Jolanta
Management Software
Liu, B
Chen, Y
Information fusion in a cloud Hadiks, A
Scopus
EPE252 computing era: A systems-level 2014 Blasch, E C6
Elsevier
perspective Aved, A
Shen, D
Chen, G
Fehling, Christoph
Leymann, Frank
EPE253 Introduction 2014 SprigerLinks Retter, Ralph C12
Schupeck, Walter
Arbitter, Peter
Kulkarni, Santosh
EPE254 Introduction 2014 SprigerLinks C12
Agrawal, Prathima
Introduction to R for Cloud
EPE255 2014 SprigerLinks Ohri, A C12
Computing
Fehling, Christoph
INTRODUTION [Cloud
Leymann, Frank
Computing Patterns:
EPE256 2014 SprigerLinks Retter, Ralph C12
Fundamentals to Design, Build,
Schupeck, Walter
and Manage Cloud Applications]
Arbitter, Peter
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
135

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Issues in the Study of Science
Herrera, Andrea;
EPE257 Organisational Resilience in 2014 Direct C6
Janczewski, Lech
Cloud Computing Environments Elsevier
Lockbox: mobility, privacy and Stark, Luke
EPE258 2014 SprigerLinks C6
values in cloud storage Tierney, Matt
Make or Buy? Factors that Gonzenbach, Ivo
EPE259 Impact the Adoption of Cloud 2014 SprigerLinks Russ, Christian C6
Computing on the Content Level vom Brocke, Jan
Erek, Koray
Managing Cloud Services with
Proehl, Thorsten
EPE260 IT Service Management 2014 SprigerLinks C12
Zarnekow,
Practices
Ruediger
ACM Guide
Measuring Service Productivity:
to
EPE261 The Case of a German Mobile 2014 Rauer, Hans Peter C10
Computing
Service Provider
Literature
Mitigating Rural E-Learning Odunaike, S A
EPE262 Sustainability Challenges Using 2014 SprigerLinks Olugbara, O O C12
Cloud Computing Technology Ojo, S O
Colombo-
Mendoza, Luis
Omar
Alor-Hernández,
MobiCloUP!: a PaaS for cloud
Giner
EPE263 services-based mobile 2014 SprigerLinks C6
Rodríguez-
applications
gonzález,
Alejandro
Valencia-garcía,
Rafael
Network and Storage Latency Ardagna, Claudio
EPE264 Attacks to Online Trading 2014 SprigerLinks A C12
Protocols in the Cloud Damiani, Ernesto
Faught, I Charie
New Means of Data Collection
EPE265 2014 SprigerLinks Aspevig, James C12
and Accessibility
Spear, Rita
Huqqani, Altaf
Novel Concepts for Realizing Science
Ahmad; Mann,
EPE266 Neural Networks as Services in 2014 Direct C6
Erwin; Schikuta,
the Sky Elsevier
Erich
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
136

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Observing the clouds: a survey Ward, Jonathan
EPE267 and taxonomy of cloud 2014 SprigerLinks Stuart C6
monitoring Barker, Adam
Organizational cloud service
Haag, Steffi
EPE268 adoption: a scientometric and 2014 SprigerLinks C6
Eckhardt, Andreas
content-based literature analysis
Parallel map projection of
Science
vector-based big spatial data: Tang, Wenwu
EPE269 2014 Direct C6
Coupling cloud computing with Feng, Wenpeng
Elsevier
graphics processing units
Peers Feedback and
Compliance Based Trust Sidhu, Jagpreet
EPE270 2014 SprigerLinks C6
Computation for Cloud Singh, Sarbjeet
Computing
Performance Comparison of Scopus Reddy, P V V
EPE271 2014 C6
Hypervisors in the Private Cloud Elsevier Rajamani, L
Zhang, Xuyun
Liu, Chang
Privacy Preservation over Big
EPE272 2014 SprigerLinks Nepal, Surya C12
Data in Cloud Systems
Yang, Chi
Chen, Jinjun
Quality Analysis Approaches for ACM Guide
Cloud Services - Towards a to Wollersheim, Jan
EPE273 2014 C12
Framework along the Computing Krcmar, Helmut
Customer‘s Activity Cycle Literature
Quality Analysis Approaches for
Cloud Services - Towards a Wollersheim, Jan
EPE274 2014 SprigerLinks C6
Framework along the Krcmar, Helmut
Customer’s Activity Cycle
Quality Analysis Approaches for
Cloud Services - Towards a Wollersheim, Jan
EPE275 2014 SprigerLinks C7
Framework along the Krcmar, Helmut
Customer‘s Activity Cycle
Quality evaluation and best
service choice for cloud
computing based on user Choi, Cheol-Rim
EPE276 2014 SprigerLinks C6
preference and weights of Jeong, Hwa-Young
attributes using the analytic
network process
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
137

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Malvey, Donna
Research Evidence and Other
EPE277 2014 SprigerLinks Slovensky, Donna C12
Information Sources
J
Research of Instrument to ACM Guide
Measure Customer Perceived to
EPE278 2014 Su, Qian C10
Service Quality of Mobile Data Computing
Services Literature
Securing Cloud: Elastic Key
Koehler,
EPE279 Management and Homomorphic 2014 SprigerLinks C12
Alexander W
Encryption
Security and compliance Bachlechner,
Science
challenges in complex IT Daniel; Thalmann,
EPE280 2014 Direct C6
outsourcing arrangements: A Stefan; Maier,
Elsevier
multi-stakeholder perspective Ronald
Fernandes, Diogo
AB
Soares, Liliana F
Security issues in cloud
EPE281 2014 SprigerLinks B C6
environments: a survey
Gomes, João V
Freire, Mário M
Inácio, Pedro R M
Zawawi, Nour
El-Eliemy,
Security Issues on Cloud Data
EPE282 2014 SprigerLinks Mohamed Hamdy C12
Services
El-Gohary, Rania
Tolba, Mohamed F
Kourtesis,
Semantic-based QoS
Science Dimitrios; Alvarez-
management in cloud systems:
EPE283 2014 Direct Rodríguez, Jose C6
Current status and future
Elsevier María; Paraskakis,
challenges
Iraklis
Science
Smart City Logistics on Cloud Nowicka,
EPE284 2014 Direct C6
Computing Model Katarzyna
Elsevier
Chourasia, Amrish
State of the science on the
Nordstrom, Dan
EPE285 Cloud, accessibility, and the 2014 SprigerLinks C6
Vanderheiden,
future
Gregg
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
138

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
State-of-the-art Survey on Cloud Science
EPE286 Computing Security Challenges, 2014 Direct Shahzad, Farrukh C6
Approaches and Solutions Elsevier
Technology Foundation and
EPE287 Talent Management for Digital 2014 SprigerLinks Xu, Jun C12
Enterprise
The challenge of networked Science Mezgár, István;
EPE288 enterprises for cloud computing 2014 Direct Rauschecker, C6
interoperability Elsevier Ursula
The Need for TMS: Challenges, Daithankar, Jayant
EPE289 2014 SprigerLinks C12
IT Landscape Pandit, Tejkumar
Willcocks, Leslie
EPE290 The Technology Trajectory 2014 SprigerLinks Venters, Will C12
Whitley, Edgar A
Radu, Ciprian
Cândea, Ciprian
Towards a Cloud-Based Group
EPE291 2014 SprigerLinks Cândea, Gabriela C12
Decision Support System
Zamfirescu,
Constantin B
Alfazi, Abdullah
Towards Ontology-Enhanced Noor, Talal H
EPE292 2014 SprigerLinks C12
Cloud Services Discovery Sheng, Quan Z
Xu, Yong
Wang, Yan
ACM Guide Yang, Jie
Tracking Human Queues Using to Chen, Yingying
EPE293 2014 C10
Single-point Signal Monitoring Computing Liu, Hongbo
Literature Gruteser, Marco
Martin, Richard P
Shi, Yinghui
Yang, Harrison
Trends of Cloud Computing in
EPE294 2014 SprigerLinks Hao C12
Education
Yang, Zongkai
Wu, Di
Trust-Based Access Control for Ray, Indrajit
EPE295 2014 SprigerLinks C6
Secure Cloud Computing Ray, Indrakshi
Morariu, Octavian;
Science
vMES: Virtualization aware Borangiu,
EPE296 2014 Direct C6
manufacturing execution system Theodor;
Elsevier
Raileanu, Silviu
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
139

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Web Service-Based Trust
Noor, Talal H
EPE297 Management in Cloud 2014 SprigerLinks C12
Sheng, Quan Z
Environments
Wie Cloud Services das
Andenmatten,
EPE298 Betriebsmodell in Unternehmen 2014 SprigerLinks C9
Martin
ver{ä}ndert
6 - Three components of eBooks
Science
BT - Optimizing Academic
EPE299 2013 Direct Ryan, Brendan C12
Library Services in the Digital
Elsevier
Milieu
Christoforou,
A Cloud Adoption Decision
Andreas
EPE300 Support Model Based on Fuzzy 2013 SprigerLinks C12
Andreou, Andreas
Cognitive Maps
S
Christoforou,
A Cloud Adoption Decision
Andreas
EPE301 Support Model Using Influence 2013 SprigerLinks C12
Andreou, Andreas
Diagrams
S
A cloud-based synthetic
Chen, Po
seismogram generator
EPE302 2013 SprigerLinks Lee, En-Jui C6
implemented using Windows
Wang, Liqiang
Azure
ACM Guide Tancock, David
A Privacy Impact Assessment to Pearson, Siani
EPE303 2013 C12
Tool for Cloud Computing Computing Charlesworth,
Literature Andrew
A Service Quality Framework for
Higher Education from the Zulkefli, Najwa
EPE304 2013 SprigerLinks C12
Perspective of Service Dominant Uden, Lorna
Logic
Missbach, Michael
Stelzel, Josef
A Short History of Cloud Gardiner,
EPE305 2013 SprigerLinks C6
Computing Cameron
Anderson, George
Tempes, Mark
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
140

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Gong, Yadong
EPE306 A Survey of Cloud Computing 2013 SprigerLinks Ying, Zongquan C12
Lin, Meihong
Binu, Sumitra
A Survey of Traditional and
EPE307 2013 SprigerLinks Misbahuddin, C6
Cloud Specific Security Issues
Mohammed
Science
A survey on reliability in Ahmed, Waseem;
EPE308 2013 Direct C6
distributed systems Wu, Yong Wei
Elsevier
A User Preference and Service Hu, Dandan;
Science
Time Mix-aware Resource Chen, Ningjiang;
EPE309 2013 Direct C6
Provisioning Strategy for Dong, Shilong;
Elsevier
Multi-tier Cloud Services Wan, Yimin
Agreement and Relational
Justice: A Perspective from Casanovas,
EPE310 2013 SprigerLinks C12
Philosophy and Sociology of Pompeu
Law
An exploratory study to
understand the critical factors Science Lian, Jiunn-Woei;
EPE311 affecting the decision to adopt 2013 Direct Yen, David C; C6
cloud computing in Taiwan Elsevier Wang, Yen-Ting
hospital
An Overview of the NIST Cloud
Simmon, Eric
EPE312 Computing Program and 2013 SprigerLinks C12
Bohn, Robert
Reference Architecture
An Overview on the Structure Fernández, A
and Applications for Business del Río, S
EPE313 2013 SprigerLinks C12
Intelligence and Data Mining in Herrera, F
Cloud Computing Benítez, J M
Analysis of suitability and
prospect of the application of Scopus Luo, X
EPE314 2013 C6
cloud computing in agricultural Elsevier He, F
economy in China
Analysis of Temporal Latency ACM Guide
Yamamoto, Hiroshi
Variation on Network Coordinate to
EPE315 2013 Yamazaki, C6
System for Host Selection in Computing
Katsuyuki
Large-Scale Distributed Network Literature
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
141

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Analyzing, modeling and Sun, Dawei
evaluating dynamic adaptive Chang, Guiran
EPE316 2013 SprigerLinks C6
fault tolerance strategies in Miao, Changsheng
cloud computing environments Wang, Xingwei
Clark, Kassidy
Automated Non-repudiable Warnier, Martijn
EPE317 2013 SprigerLinks C12
Cloud Resource Allocation Brazier, Frances M
T
Cong, Xu
ACM Guide
Building Facade Measurement Heng, Lin
to
EPE318 Service Based on Digital 2013 Yun, Bai C5
Computing
Measurable Image Cheng, Jing
Literature
Zhenfeng, Shao
Sotelo, German A
Diaz, Cesar O
Building Platform as a Service
Villamizar, Mario
for High Performance
EPE319 2013 SprigerLinks Castro, Harold C12
Computing over an
Pecero, Johnatan
Opportunistic Cloud Computing
E
Bouvry, Pascal
Mehrotra, Vijay
Grossman,
EPE320 Call and Contact Centers 2013 SprigerLinks Thomas A C12
Samuelson,
Douglas A
Science Chuvakin, Anton;
Chapter 21 - Cloud Logging BT -
EPE321 2013 Direct Schmidt, Kevin; C12
Logging and Log Management
Elsevier Phillips, Chris
Buyya, Rajkumar;
Chapter 4 - Cloud Computing Science
Vecchiola,
EPE322 Architecture BT - Mastering 2013 Direct C12
Christian; Selvi, S
Cloud Computing Elsevier
Thamarai
Chapter 7 - IT Infrastructure BT - Science
Watson, David;
EPE323 Digital Forensics Processing 2013 Direct C12
Jones, Andrew
and Procedures Elsevier
Chapter 9 - The Changing
Science
Landscape: Cloud and
EPE324 2013 Direct Cole, Eric C12
Mobilization BT - Advanced
Elsevier
Persistent Threat
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
142

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Ruiz-Zafra, Angel
Noguera, Manuel
Cloud and Web Services Benghazi, Kawtar
EPE325 Integration for mHealth 2013 SprigerLinks Garrido, José Luis C12
Telerehabilitation Support Urbano, Gustavo
Cuberos
Caracuel, Alfonso
Rübsamen,
EPE326 Cloud Audits and Privacy Risks 2013 SprigerLinks Thomas C12
Reich, Christoph

EPE327 Cloud Computing 2013 SprigerLinks Nicoletti, Bernardo C12
Cloud Computing and Related Kizza, Joseph
EPE328 2013 SprigerLinks C6
Security Issues Migga
Doddavula,
Cloud Computing Solution
Shyam Kumar
EPE329 Patterns: Infrastructural 2013 SprigerLinks C12
Agrawal, Ira
Solutions
Saxena, Vikas
Cloud ERP Query Flow Control
Romanov, Victor
Simulation with Quality
EPE330 2013 SprigerLinks Varfolomeeva, C12
Restrictions and Profit Gaining
Alexandra
Criteria
Pot’vin, Kellyn
Akela, Anand
Atil, Gokhan
Curtis, Bobby
EPE331 Cloud Lifecycle Management 2013 SprigerLinks C12
Gorbachev, Alex
Litchfield, Niall
Nelson, Leighton
Sharman, Pete
Aceto, Giuseppe;
Science
Botta, Alessio; de
EPE332 Cloud monitoring: A survey 2013 Direct C7
Donato, Walter;
Elsevier
Pescapè, Antonio
Balasubra-
Cloud-Based Development
EPE333 2013 SprigerLinks manyam, Suchitra C12
Using Classic Life Cycle Model
Ravi
Science
EPE334 Conflict of laws and the cloud 2013 Direct Gray, Anthony C6
Elsevier
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
143

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Creating a More Secure Futral, William
EPE335 2013 SprigerLinks C12
Datacenter and Cloud Greene, James
Grolinger, Katarina
Higashino, Wilson
Data management in cloud
A
EPE336 environments: NoSQL and 2013 SprigerLinks C6
Tiwari, Abhinav
NewSQL data stores
Capretz, Miriam A
M
Fromm, Alexander
Data Protection in a Kelbert, Florian
EPE337 2013 SprigerLinks C12
Cloud-Enabled Smart Grid Pretschner,
Alexander
Copie, Adrian
Data Security Perspectives in Forti\cs,
EPE338 the Framework of Cloud 2013 SprigerLinks Teodor-Florin C12
Governance Munteanu, Victor
Ion
Strouse, Michael
Do Good, Take Data, Get a Life, C
and Make a Meaningful Sherman, James
EPE339 2013 SprigerLinks C12
Difference in Providing A
Residential Services! Sheldon, Jan
Bowen
Missbach, Michael
Stelzel, Josef
Economic and Legal Aspects of Gardiner,
EPE340 2013 SprigerLinks C12
Cloud Computing Cameron
Anderson, George
Tempes, Mark
Leguías Ayala,
Emerging Threats, Risk and Isabel Del C
EPE341 Attacks in Distributed Systems: 2013 SprigerLinks Vega, Manuel C12
Cloud Computing Vargas-Lombardo,
Miguel
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
144

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Evaluating Cloud Services Using Harnisch, Stefan
EPE342 2013 SprigerLinks C12
Methods of Supplier Selection Buxmann, Peter
Ackermann,
EPE343 Foundations 2013 SprigerLinks C12
Tobias
Framework and Architecture for Elamir, Amir
Science
Programming Education Mohamed; Jailani,
EPE344 2013 Direct C6
Environment as a Cloud Norleyza; Bakar,
Elsevier
Computing Service Marini Abu
ACM Guide
High Accuracy, Lightweight
to Gangam,
EPE345 Methods for Network 2013 C5
Computing Sriharsha
Measurement Services
Literature
ACM Guide
IaaS Cloud Benchmarking:
to
EPE346 Approaches, Challenges, and 2013 Iosup, Alexandru C6
Computing
Experience
Literature
Lonea, Alina
M\uad\ualina
Identity Management for Cloud
EPE347 2013 SprigerLinks Tianfield, Huaglory C6
Computing
Popescu, Daniela
Elena
Importance of Cloud-Based Joszczuk–
EPE348 Maritime Fleet Management 2013 SprigerLinks Januszewska, C12
Software Jolanta
ACM Guide Theoharidou,
In Cloud We Trust: to Marianthi
EPE349 2013 C12
Risk-Assessment-as-a-Service Computing Tsalis, Nikolaos
Literature Gritzalis, Dimitris
Theoharidou,
In Cloud We Trust: Marianthi
EPE350 2013 SprigerLinks C6
Risk-Assessment-as-a-Service Tsalis, Nikolaos
Gritzalis, Dimitris
Creese, Sadie
Inadequacies of Current Risk Goldsmith,
EPE351 2013 SprigerLinks C12
Controls for the Cloud Michael
Hopkins, Paul
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
145

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Hill, Richard
Hirsch, Laurie
EPE352 Introducing Cloud Computing 2013 SprigerLinks C6
Lake, Peter
Moshiri, Siavash
Liue, Zhiliang
ITSQM: A Conceptual Model of
EPE353 2013 SprigerLinks Zhang, Jinlong C12
IT Service Quality
Zou, Lingfei
Large-Scale and
EPE354 2013 SprigerLinks Cannataro, Mario C12
High-Performance Computing
Pramod, N
Limitations and Challenges in
Muppalla, Anil
EPE355 Cloud-Based Applications 2013 SprigerLinks C12
Kumar
Development
Srinivasa, K G
Xu, Jun
Managing Infrastructure for
EPE356 2013 SprigerLinks Quaddus, C12
Information Systems
Mohammed
Manufacturing Paradigm Shift
Towards Better Cloud
Computing in the Military Tutino, Michele
EPE357 2013 SprigerLinks C12
Environment: A New Model for Mehnen, Jörn
Collaboration in the Operational
Information Exchange Networks
Migrating To The Cloud: Science Azeemi, Imran
EPE358 Lessons And Limitations Of 2013 Direct Khan; Lewis, Mike; C6
‘Traditional’ IS Success Models Elsevier Tryfonas, Theo
Mann, Andi
EPE359 Opportunities to Innovate Today 2013 SprigerLinks Watt, George C12
Matthews, Peter
Johnson, Pontus
P2AMF: Predictive, Probabilistic Ullberg, Johan
EPE360 Architecture Modeling 2013 SprigerLinks Buschle, Markus C12
Framework Franke, Ulrik
Shahzad, Khurram
Performance implications of
multi-tier application Lloyd, W;
Science
deployments on Pallickara, S;
EPE361 2013 Direct C6
Infrastructure-as-a-Service David, O; Lyon, J;
Elsevier
clouds: Towards performance Arabi, M; Rojas, K
modeling
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
146

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Schulte, Stefan
Hoenisch, Philipp
Realizing Elastic Processes with Venugopal,
EPE362 2013 SprigerLinks C12
ViePEP Srikumar
Dustdar,
Schahram
Risikomanagement bei Nutzung Königs,
EPE363 2013 SprigerLinks C12
und Angebot Cloud-Computing Hans-Peter
Risk perception and risk
Science
management in cloud Brender, Nathalie;
EPE364 2013 Direct C6
computing: Results from a case Markov, Iliya
Elsevier
study of Swiss companies
Terminology Entries
EPE365 2013 SprigerLinks Richey, Rita C C12
(Alphabetical Presentation)
Testing Perspectives for Chana, Inderveer
EPE366 2013 SprigerLinks C12
Cloud-Based Applications Chawla, Priyanka
Casola, Valentina;
The CloudGrid approach: Science
Cuomo, Antonio;
EPE367 Security analysis and 2013 Direct C6
Rak, Massimiliano;
performance evaluation Elsevier
Villano, Umberto
The development that leads to Science Chang, Victor;
EPE368 the Cloud Computing Business 2013 Direct Walters, Robert C6
Framework Elsevier John; Wills, Gary
Ebejer, Jean-Paul;
The emerging role of cloud Science
Fulle, Simone;
EPE369 computing in molecular 2013 Direct C6
Morris, Garrett M;
modelling Elsevier
Finn, Paul W
The Evaluation System for
Hu, Hao
EPE370 Cloud Service Quality Based on 2013 SprigerLinks C12
Zhang, Jianlin
SERVQUAL
The Future of Trusted Futral, William
EPE371 2013 SprigerLinks C12
Computing Greene, James
The Impact of Emerging
Computing Models on
EPE372 2013 SprigerLinks Ivanov, Ivan I C12
Organizational Socio-technical
System
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
147

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Owusu, Gilbert
The Role of Service Quality in
EPE373 2013 SprigerLinks O‘Brien, Paul C12
Transforming Operations
Shakya, Sid
Transparency in Cloud Business:
Repschlaeger,
EPE374 Cluster Analysis of Software as 2013 SprigerLinks C12
Jonas
a Service Characteristics
Pawar, Pramod S
Rajarajan,
Trust Model for Cloud Based on
EPE375 2013 SprigerLinks Muttukrishnan C12
Cloud Characteristics
Dimitrakos, Theo
Zisman, Andrea
Minerva, Roberto
Moiso, Corrado
EPE376 Virtualizing Platforms 2013 SprigerLinks C12
Manzalini, Antonio
Crespi, Noel
Somasundaram,
A Broker Based Architecture for
Thamarai Selvi
Adaptive Load Balancing and
Govindarajan,
Elastic Resource Provisioning
EPE377 2012 SprigerLinks Kannan C12
and Deprovisioning in
Rajagopalan, M R
Multi-tenant Based Cloud
Madhusudhana
Environments
Rao, S
A Collaborative Intrusion Man, Nguyen
EPE378 Detection System Framework for 2012 SprigerLinks Doan C12
Cloud Computing Huh, Eui-Nam
A Conceptual Model for Prabowo, Anisah
Assessing the Benefits of Herdiyanti
EPE379 2012 SprigerLinks C12
Software as a Service from Janssen, Marijn
Different Perspectives Barjis, Joseph
ACM Guide Cho, Dong Won
A Framework for Measuring the
to Lee, Young Hae
EPE380 Performance of Service Supply 2012 C5
Computing Ahn, Sung Hwa
Chain Management
Literature Hwang, Min Kyu
A Linguistic Multicriteria
ACM Guide Carrasco, R A
Decision-making Model Applied
to Villar, P
EPE381 to Hotel Service Quality 2012 C5
Computing Hornos, M J
Evaluation from Web Data
Literature Herrera-Viedma, E
Sources
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
148

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
ACM Guide
A Study of Measuring Service
to Fei, Chen Yi
EPE382 Quality in Engineering Cost 2012 C1
Computing Yumei, Fan
Consultation Services
Literature
Tavizi, Tina
A Usage Control Based
Scopus Shajari, Mehdi
EPE383 Architecture for Cloud 2012 C6
Elsevier Dodangeh,
Environments
Peyman
A Virtualization Security
EPE384 Framework for Public Cloud 2012 SprigerLinks Park, Jong Hyuk C6
Computing

EPE385 Abstracts 2012 SprigerLinks C8
Science
EPE386 Advances in Computers 2012 Direct Yovitz, Marshall C. C12
Elsevier
An Empirical Study of Privacy ACM Guide
Risk Assessment Methodologies to Pauley Jr., Wayne
EPE387 2012 C8
in Cloud Computing Computing A
Environments Literature
Fernández, A
An Overview of E-Learning in Peralta, D
EPE388 2012 SprigerLinks C6
Cloud Computing Herrera, F
Benítez, J M
Kim, Mihye
Analysis of the Adoption Status
EPE389 2012 SprigerLinks Kim, Jong-Seok C12
of Cloud Computing by Country
Lee, Hyeong-Ok
Applying security policies and
Science
service level agreement to IaaS
EPE390 2012 Direct Karadsheh, Louay C6
service model to enhance
Elsevier
security and transition
Uslar, Mathias
Specht, Michael
Rohjans,
Sebastian
EPE391 Basic Technologies 2012 SprigerLinks C12
Trefke, Jörn
Vasquez
González, José
Manuel
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
149

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Romanov, Victor
Branching Processes Theory
Varfolomeeva,
Application for Cloud Computing
EPE392 2012 SprigerLinks Aleksandra C12
Demand Modeling Based on
Koryakovskiy,
Traffic Prediction
Andrey
ACM Guide
Zhu, Dauw-Song
Causes and Effects of E-service to
EPE393 2012 Lin, Thomson C10
Quality for Online Banking Computing
Chih-Te
Literature
Science Sitaram, Dinkar;
Chapter 1 - Introduction BT -
EPE394 2012 Direct Manjunath, C12
Moving To The Cloud
Elsevier Geetha
Chapter 15 - Data Security in
Cloud Computing BT - Science Yu, Shucheng
EPE395 Handbook on Securing 2012 Direct Lou, Wenjing C12
Cyber-Physical Critical Elsevier Ren, Kui
Infrastructure
Science Sitaram, Dinkar;
Chapter 8 - Managing the Cloud
EPE396 2012 Direct Manjunath, C12
BT - Moving To The Cloud
Elsevier Geetha
Cirrus: A Disruption-Tolerant
EPE397 2012 SprigerLinks Katsiri, Eleftheria C12
Cloud
Cloud Blueprints for Integrating
Papazoglou,
EPE398 and Managing Cloud 2012 SprigerLinks C12
Michael P
Federations
Bräuninger,
Cloud Computing als Instrument
Michael
f{ü}r effiziente IT-L{ö}sungen:
Haucap, Justus
EPE399 Betriebs- und 2012 SprigerLinks C9
Stepping,
volkswirtschaftliche Potenziale
Katharina
und Hemmnisse
Stühmeier, Torben
Seruga, Jan
EPE400 Cloud Computing for Business 2012 SprigerLinks C12
Hwang, Ha Jin
Cloud Computing Science
Ferreira, Osvaldo;
EPE401 Implementation Level in 2012 Direct C6
Moreira, Fernando
Portuguese Companies Elsevier
Cloud Computing in Education:
EPE402 The Intersection of Challenges 2012 SprigerLinks Ivanov, Ivan I C12
and Opportunities
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
150

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Science Hamdaqa,
Cloud Computing Uncovered: A
EPE403 2012 Direct Mohammad; C12
Research Landscape
Elsevier Tahvildari, Ladan
Cloud computing: Its history of
EPE404 development, modern state, and 2012 SprigerLinks Arutyunov, V V C6
future considerations
Carbone, A
Ajmone-Marsan,
M
EPE405 Complexity aided design 2012 SprigerLinks Axhausen, K W C5
Batty, M
Masera, M
Rome, E
Cascella, Roberto
ACM Guide
G
Contrail: A Reliable and to
EPE406 2012 Morin, Christine C6
Trustworthy Cloud Platform Computing
Harsh, Piyush
Literature
Jegou, Yvon
ACM Guide
Enterprise Service Bus Psiuk, Marek
to
EPE407 Monitoring Framework for SOA 2012 Bujok, Tomasz C10
Computing
Systems Zielinski, Krzysztof
Literature
Evaluating Cloud Computing
Huang, Chi-Yo
Based Telecommunications
Hsu, Pei-Chu
EPE408 Service Quality Enhancement by 2012 SprigerLinks C6
Tzeng,
Using a New Hybrid MCDM
Gwo-Hshiung
Model
ACM Guide
Evaluating IT Service Quality to El-Bayoumi,
EPE409 2012 C5
Using SERVQUAL Computing Janice G
Literature
ACM Guide
Evaluation Models for Service Cheng,
to
EPE410 Oriented Process in Spare Parts 2012 Chen-Yang C5
Computing
Management Prabhu, Vittal
Literature
Bodei, Chiara
Degano, Pierpaolo
Formalising Security in
EPE411 2012 SprigerLinks Ferrari, Gian-Luigi C12
Ubiquitous and Cloud Scenarios
Galletta, Letterio
Mezzetti, Gianluca
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
151

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Introduction of a web service for Bürger, Claudius
Science
cloud computing with the M; Kollet, Stefan;
EPE412 2012 Direct C6
integrated hydrologic simulation Schumacher,
Elsevier
platform ParFlow Jens; Bösel, Detlef
Pröhl, Thorsten
Repschläger,
IT-Servicemanagement im Jonas
EPE413 2012 SprigerLinks C9
Cloud Computing Erek, Koray
Zarnekow,
Rüdiger
Measuring Service Solution ACM Guide
Quality in Services Outsourcing to Akkiraju, Rama
EPE414 2012 C5
Projects Using Value Driver Tree Computing Zhou, Ruoyi
Approach Literature
Methodologies for Computerised
EPE415 Information Systems Support in 2012 SprigerLinks Krogstie, John C12
Organisations
Costa, Paulo
Science
Migration to Windows Azure – Jorge Passos da;
EPE416 2012 Direct C6
Analysis and Comparison Cruz, António
Elsevier
Miguel Rosado da
Sun, Da-Wei
Modeling a Dynamic Data
Chang, Gui-Ran
Replication Strategy to Increase
EPE417 2012 SprigerLinks Gao, Shang C6
System Availability in Cloud
Jin, Li-Zhong
Computing Environments
Wang, Xing-Wei
Gember, Aaron
ACM Guide Akella, Aditya
Obtaining In-context
to Pang, Jeffrey
EPE418 Measurements of Cellular 2012 C5
Computing Varshavsky,
Network Performance
Literature Alexander
Caceres, Ramon
On understanding the
Suleiman, Basem
economics and elasticity
Sakr, Sherif
EPE419 challenges of deploying 2012 SprigerLinks C6
Jeffery, Ross
business applications on public
Liu, Anna
cloud infrastructure
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
152

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Mu, Mu
Ishmael,
ACM Guide Johnathan
P2P-Based IPTV Services:
to Knowles, William
EPE420 Design, Deployment, and QoE 2012 C10
Computing Rouncefield, Mark
Measurement
Literature Race, Nicholas
Stuart, Mark
Wright, George
Basu, Anirban
Privacy preserving collaborative Vaidya, Jaideep
EPE421 filtering for SaaS enabling PaaS 2012 SprigerLinks Kikuchi, Hiroaki C6
clouds Dimitrakos, Theo
Nair, Srijith K
van der Aalst, Wil
Adriansyah, Arya
de Medeiros, Ana
Karla Alves
Arcieri, Franco
Baier, Thomas
Blickle, Tobias
Bose, Jagadeesh
Chandra
van den Brand,
Peter
Brandtjen, Ronald
Buijs, Joos
Burattin, Andrea
Carmona, Josep
Castellanos, Malu
Claes, Jan
Cook, Jonathan
Costantini, Nicola
Curbera,
Francisco
Damiani, Ernesto
de Leoni,
Massimiliano
Delias, Pavlos
van Dongen,
Boudewijn F
Dumas, Marlon
Dustdar,
Schahram
Fahland, Dirk
Ferreira, Diogo R
Gaaloul, Walid
van Geffen, Frank
Goel, Sukriti
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
153

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Stegaru,
Georgiana
Danila, Cristian
Quality Driven Web Service
Sacala, Ioan
EPE423 Composition Modeling 2012 SprigerLinks C12
Stefan
Framework
Moisescu, Mihnea
Stanescu,
Aurelian Mihai
ACM Guide
Reliability and Availability of to Bauer, Eric
EPE424 2012 C12
Cloud Computing Computing Adams, Randee
Literature
Nie, Guihua
Research on Service Level
EPE425 2012 SprigerLinks E., Xueni C12
Agreement in Cloud Computing
Chen, Donglin
PENG, Yong
ZHAO, Wei
Science
Secure cloud storage based on XIE, Feng
EPE426 2012 Direct C6
cryptographic techniques DAI, Zhong-hua
Elsevier
GAO, Yang
CHEN, Dong-qing
Carroll, Mariana
Securing Virtual and Cloud Kotzé, Paula
EPE427 2012 SprigerLinks C12
Environments van der Merwe,
Alta
Anisetti, Marco
ACM Guide
Ardagna, Claudio
Security Certification-aware to
EPE428 2012 A C5
Service Discovery and Selection Computing
Damiani, Ernesto
Literature
Maggesi, Jonatan
Service innovation in Science Santamaría, Lluís
EPE429 manufacturing firms: Evidence 2012 Direct Jesús Nieto, María C5
from Spain Elsevier Miles, Ian
Service-Oriented Business Abelló, Alberto
EPE430 2012 SprigerLinks C6
Intelligence Romero, Oscar
Pernici, Barbara
Cappiello, Cinzia
Fugini, Maria
Grazia
Plebani, Pierluigi
Vitali, Monica
Salomie, Ioan
Cioara, Tudor
Anghel, Ionut
Henis, Ealan
Kat, Ronen
Setting Energy Efficiency Goals
Chen, Doron
EPE431 in Data Centers: The GAMES 2012 SprigerLinks C12
Goldberg, George
Approach
vor dem Berge,
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
154

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Willcocks, Leslie P
Shifting to Cloud Services:
Venters, Will
EPE432 Current Challenges and Future 2012 SprigerLinks C6
Whitley, Edgar
Opportunities
Hindle, John
The Benefits of Cloud Joszczuk–
EPE433 Computing in the Maritime 2012 SprigerLinks Januszewska, C6
Transport Jolanta
The Relationship Studies of
ACM Guide
Internet Banking Information
to Ting, Lei
EPE434 Security Product Service Quality, 2012 C10
Computing Yue-Lin, Gao
Customer Satisfaction and
Literature
Customer Loyalty
Lu, Hu
The Research on Navigation
Shen, Shuwei
EPE435 and Position Augmentation 2012 SprigerLinks C12
Ji, Zhengzhou
System Based Cloud Computing
Wang, Congmin
Mladenow,
Towards cloud-centric service Andreas
EPE436 2012 SprigerLinks C6
environments Kryvinska, Natalia
Strauss, Christine
Bramantoro, Arif
ACM Guide
Kamada, Toru
Towards Service Atomization for to
EPE437 2012 Tanaka, Masahiro C5
Analyzing Information Computing
Murakami, Yohei
Literature
Zettsu, Koji
TPC-H Benchmark Analytics
EPE438 Scenarios and Performances on 2012 SprigerLinks Moussa, Rim C12
Hadoop Data Clouds
Walterbusch, Marc
EPE439 Vertrauen im Cloud Computing 2012 SprigerLinks C9
Teuteberg, Frank
ACM Guide
A Service Quality Model for Chiabai, Aline
to
EPE440 Web-services Evaluation in 2011 Rocca, Lorena C1
Computing
Cultural Heritage Management Chiarullo, Livio
Literature
Tung, Li-Ping
Chien,
ACM Guide
Tsung-Hsun
A Study of Comfort Measuring to
EPE441 2011 Wang, Ting-An C10
System Using Taxi Trajectories Computing
Lin, Cheng-Yu
Literature
Jeng, Shyh-Kang
Chen, Ling-Jyh
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
155

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
A survey on security issues in Science
Subashini, S
EPE442 service delivery models of cloud 2011 Direct C6
Kavitha, V
computing Elsevier
Kazemi, Ali
ACM Guide Rostampour, Ali
An Information Retrieval Based
to Zamiri, Amin
EPE443 Approach for Measuring Service 2011 C5
Computing Jamshidi, Pooyan
Conceptual Cohesion
Literature Haghighi, Hassan
Shams, Fereidoon
Rimal, Bhaskar
Prasad
Architectural Requirements for
Jukan, Admela
EPE444 Cloud Computing Systems: An 2011 SprigerLinks C7
Katsaros,
Enterprise Cloud Approach
Dimitrios
Goeleven, Yves
ACM Guide
Assessment of Resource Quality
to
EPE445 for Service Level Agreements in 2011 Kálmán, Tibor C5
Computing
Life Science Grids
Literature
Chapter 2 - Cloud Computing Science
EPE446 Architecture BT - Securing the 2011 Direct Winkler, Vic (J.R.) C12
Cloud Elsevier
Chapter 7 - Security Criteria: Science
EPE447 Building an Internal Cloud BT - 2011 Direct Winkler, Vic (J.R.) C12
Securing the Cloud Elsevier
Cloud Computing Security
Verma, Amandeep
EPE448 Issues and Challenges: A 2011 SprigerLinks C12
Kaushal, Sakshi
Survey
Science
Cloud Computing Technology for
EPE449 2011 Direct Mezgár, István C6
Networked Enterprises
Elsevier
Cloud Computing: An Enabler in
Rao, N
EPE450 Developing Business Models for 2011 SprigerLinks C8
Raghavendra
Global Enterprises
Poullet, Yves
Van Gyseghem,
Jean-Marc
EPE451 Data Protection in the Clouds 2011 SprigerLinks Moiny, C8
Jean-Philippe
Gérard, Jacques
Gayrel, Claire
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
156

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Lai, Yenting
Design and Implementation of
Yang,
Mobile Forensic Tool for Android
EPE452 2011 SprigerLinks Chunghuang C6
Smart Phone through Cloud
Lin, Chihhung
Computing
Ahn, TaeNam
Science
Developing an explorative model
EPE453 2011 Direct Wu, Wei-Wen C6
for SaaS adoption
Elsevier
Panzieri, Fabio
Distributed Computing in the Babaoglu, Ozalp
EPE454 21st Century: Some Aspects of 2011 SprigerLinks Ferretti, Stefano C12
Cloud Computing Ghini, Vittorio
Marzolla, Moreno
Evaluation of Korean information
Science
infrastructure policy 2000–2010: Shin, Dong-Hee;
EPE455 2011 Direct C5
Focusing on broadband Kweon, Sang Hee
Elsevier
ecosystem change
ACM Guide Mao, Jianbiao
FSArch: Enables FPGA-Based
to Xu, Qingjie
EPE456 Platforms to Provide Network 2011 C10
Computing Sun, Zhigang
Services
Literature Lu, Xicheng
Looking at clouds from both Coles-Kemp,
Science
sides: The advantages and Lizzie; Reddington,
EPE457 2011 Direct C6
disadvantages of placing Joseph; Williams,
Elsevier
personal narratives in the cloud Patricia A H
Khoshkbarfo-
ACM Guide roushha,
Metrics for BPEL Process to Alireza
EPE458 2011 C5
Context-independency Analysis Computing Jamshidi, Pooyan
Literature Nikravesh, Ali
Shams, Fereidoon
Mining significant factors Science
EPE459 affecting the adoption of SaaS 2011 Direct Wu, Wei-Wen C6
using the rough set approach Elsevier
ACM Guide
Gangam,
Mitigating Interference in a to
EPE460 2011 Sriharsha C5
Network Measurement Service Computing
Fahmy, Sonia
Literature
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
157

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
ACM Guide
Moving To The Cloud: Sitaram, Dinkar
to
EPE461 Developing Apps in the New 2011 Manjunath, C12
Computing
World of Cloud Computing Geetha
Literature
Blanton, Ethan
ACM Guide Fahmy, Sonia
On the Cost of Network to Frederickson,
EPE462 2011 C5
Inference Mechanisms Computing Greg N
Literature Gangam,
Sriharsha
Reset for Regulation and Science Jamison, Mark A;
EPE463 Utilities: Leadership for a Time 2011 Direct Castaneda, C10
of Constant Change Elsevier Araceli
Semantic Service in Cloud Yu, Wei
EPE464 2011 SprigerLinks C12
Computing Chen, Junpeng
Semantics-Enabled Policies for Hu, Yuh-Jong
EPE465 Information Sharing and 2011 SprigerLinks Wu, Win-Nan C12
Protection in the Cloud Yang, Jiun-Jan
Ahmad, Masitah
Service Quality Assessment in
EPE466 2011 SprigerLinks Abawajy, Jemal C12
Provision of Library Services
Kim, Tai-hoon
ACM Guide
Demirkan, Haluk
Service Systems to
EPE467 2011 Spohrer, James C C12
Implementation Computing
Krishna, Vikas
Literature
Service Thinking in Design of Wood, L A
EPE468 2011 SprigerLinks C12
Complex Sustainment Solutions Tasker, P H
SMCC: Social Media Cloud
Kim, Myoungjin
EPE469 Computing Model for Developing 2011 SprigerLinks C6
Lee, Hanku
SNS Based on Social Media
ACM Guide
SP 800-145. The NIST to Mell, Peter M
EPE470 2011 C12
Definition of Cloud Computing Computing Grance, Timothy
Literature
ACM Guide Büyüközkan,
Strategic Analysis of Healthcare
to Gülçin
EPE471 Service Quality Using Fuzzy 2011 C5
Computing Çifçi, Gizem
AHP Methodology
Literature Güleryüz, Sezin
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
158

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
Che, Jianhua;
Study on the Security Models Science
Duan, Yamin;
EPE472 and Strategies of Cloud 2011 Direct C6
Zhang, Tao; Fan,
Computing Elsevier
Jie
The Advantages of the Use of Joszczuk–
EPE473 Cloud Computing in Intelligent 2011 SprigerLinks Januszewska, C12
Transport Systems Jolanta
Science
The playground of cloud Deniz Helvacioglu
EPE474 2011 Direct C6
computing in Turkey Kuyucu, Aslı
Elsevier
ACM Guide
TLS and Energy Consumption Miranda, P
to
EPE475 on a Mobile Device: A 2011 Siekkinen, M C10
Computing
Measurement Study Waris, H
Literature
ACM Guide
May, Norman
Towards an Automated Gap to
EPE476 2011 Scholten, Ulrich C10
Analysis for E-Service Portfolios Computing
Fischer, Robin
Literature
ACM Guide
Towards an Efficient e-Learning Aljenaa, E
to
EPE477 System Based on Cloud 2011 Al-Anzi, F S C6
Computing
Computing Alshayeji, M
Literature
Towards an Efficient e-Learning Aljenaa, E
Scopus
EPE478 System Based on Cloud 2011 Al-Anzi, F S C6
Elsevier
Computing Alshayeji, M
Xu, Guangwei
Chen, Chunlin
Two-Level Verification of Data
Wang, Hongya
EPE479 Integrity for Data Storage in 2011 SprigerLinks C6
Zang, Zhuping
Cloud Computing
Pang, Mugen
Jiang, Ping
Using Music Notation As a ACM Guide Ribak, Amnon
Graphic Language for Designing, to Lin, Raymund J
EPE480 2011 C10
Prescribing and Measuring Computing Rubin, Yoav
Service Experience Literature Spraragen, Susan
A systemic framework for Science
EPE481 supporting cross-disciplinary 2010 Direct Wild, Peter J C5
efforts in services research Elsevier
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
159

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
ACM Guide
An Instrument for Measuring
to
EPE482 Service Quality in the 2010 Hu, Yangcheng C5
Computing
E-Commerce Environment
Literature
Frischbier,
Aspects of Data-Intensive Cloud
EPE483 2010 SprigerLinks Sebastian C6
Computing
Petrov, Ilia
Context Aware Management
Plateform to Invoke Remote or
Monfort, Valérie
EPE484 Local e Learning Services: 2010 SprigerLinks C12
Felhi, Fayssal
Application to Navigation and
Fishing Simulator
ACM Guide
Evaluation of E-Commerce
to
EPE485 Service Quality Using the 2010 Yu, Yanggang C10
Computing
Analytic Hierarchy Process
Literature
Identifying the security risks Science Paquette, Scott
EPE486 associated with governmental 2010 Direct Jaeger, Paul T C6
use of cloud computing Elsevier Wilson, Susan C
Chang, William Y
Abu-Amara,
Introduction to Enterprise
EPE487 2010 SprigerLinks Hosame C6
Services and Cloud Resources1
Sanford, Jessica
Feng
Chang, William Y
Abu-Amara,
Networked Service
EPE488 2010 SprigerLinks Hosame C6
Management2
Sanford, Jessica
Feng
Rodriguez-
Open Source Cloud Computing Martinez,
EPE489 Tools: A Case Study with a 2010 IEEE M C6
Weather Application Seguel, J
Greer, M
ACM Guide
Bruneo, Dario
Performance Evaluation of gLite to
EPE490 2010 Scarpa, Marco C5
Grids Through GSPNs Computing
Puliafito, Antonio
Literature
APÊNDICE D. Estudos Primários Excluídos na Primeira Fase do Mapeamento Sistemático da Literatura
160

Critério
Có-
Título Ano Origem Autores de Ex-
digo
clusão
ACM Guide
Research on EVA Based
to Wang, Weiran
EPE491 Performance Measurement in 2010 C10
Computing Fan, Yushun
Service Oriented Enterprise
Literature
Security and performance in Science Zo, Hangjung
EPE492 service-oriented applications: 2010 Direct Nazareth, Derek L C6
Trading off competing objectives Elsevier Jain, Hemant K
Semantic Similarity Model for Hussain, Omar
EPE493 Risk Assessment in Forming 2010 SprigerLinks Dong, Hai C12
Cloud Computing SLAs Singh, Jaipal
ACM Guide Nickelsen, Anders
Service Migration Protocol for to Martin, Miquel
EPE494 2010 C12
NFC Links Computing Schwefel,
Literature Hans-Peter

EPE495 Service-Oriented Architecture 2010 SprigerLinks Draheim, Dirk C12
Ul Haq, Irfan
SLA Validation in Layered Cloud
EPE496 2010 SprigerLinks Brandic, Ivona C12
Infrastructures
Schikuta, Erich
The Cambridge-IBM Spohrer, James C
EPE497 SSMESSME White Paper 2010 SprigerLinks Gregory, Mike C12
Revisited Ren, Guangjie
Kwon, Arum
Kang,
Joon-Myung
The Design of a Quality of ACM Guide
Seo, Sin-Seok
Experience Model for Providing to
EPE498 2010 Kim, Sung-Su C8
High Quality Multimedia Computing
Chung, Jae Yoon
Services Literature
Strassner, John
Hong, James
Won-Ki
ACM Guide
Web Services Discovery and Hao, Yanan
to
EPE499 Rank: An Information Retrieval 2010 Zhang, Yanchun C5
Computing
Approach Cao, Jinli
Literature
Anexos
162

ANEXO A – Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de
Mapeamento Sistemático da Literatura

Relação de estudos aprovados, classificados conforme área de atuação e
dispostos com maior riqueza de detalhes quanto aos seus própositos de aplicação.

Tabela 12 – Síntese dos Estudos Classificados
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura163

Có-
digo
Área de Questão de Solução
do Ano Técnicas Utilizadas Resultado
Atuação Pesquisa Proposta
Es-
tudo
CloudSim (Um dos
primeiros e mais
populares
simuladores de
computação em
nuvem); CloudExp
(Ambiente de
modelagem e
simulação para
Um dos computação em
principais nuvem baseado no
desafios CloudSim); Rain
enfrentados (Gerador de carga
pelos pesqui- Este artigo de trabalho que Este artigo
sadores de apresenta emula cargas de apresentou
computação CloudExp, trabalho reais em CloudExp, um
em nuvem é um ambiente ambientes de abrangente,
Modela-
a falta de de nuvem); fácil de usar e
gem e EFFS8 2014 uma modelagem MapReduce (É eficiente cloud
Teste
ferramenta e simulação amplamente computing
computacio- para utilizado como um modelagem e
nal de computação modelo de simulação
computação em nuvem processamento de toolkit.
em nuvem dados paralelo
abrangente poderoso, tem
para usar em resolvido problemas
seus estudos de grandes
conjuntos de dados
usando grandes
grupos de
máquinas, presente
em ambientes como
da Amazon EC2,
Microsoft Azure e
Google); Mobile
Cloud Computing.
É apresentado
um quadro de
medição
multi-Cloud
com o objetivo
investigar estas
O objetivo
questões de
Após o uso deste
desempenho
considerá- trabalho é
das ofertas
veis de apresentar
virtualizadas. A
computação um
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura164

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
Embora a
computação
em nuvem
seja a
tecnologia do
momento,
parece que
existem
poucas
evidências
na literatura
de que ela é
mais
econômica
do que as
Este artigo
clássicas Propoem,
apresenta
abordagens utilizar a
considera-
de data requiza de
ções sobre
centers. detalhes dos
como
Devido a dados da fatura
estimar
uma análise de gastos,
custos de
qualitativa consumo de
sistemas
realizada recuros dos
baseados
sobre COBIT, servidores de
em nuvem
TOGAF e nuvem. Para
antes de
ITIL, este calcular as
entrarem em Utilizar a
Revisão artigo custas com a
sua fase transparência da
Sist. Lit. postula que hospedagem
EFFS12 2012 as operacional. fatura dos
Custo de sistemas a
Isso é servidores de
Adoção abordagens serem
necessário nuvem.
baseadas na adotados ou
para tornar
nuvem são construídos
mais
susceptíveis para tilização
objetivas as
de em nuvem por
decisões
proporcionar meio da
econômicas
mais observação do
de
benefícios do consumo de
investimento
que o sistemas
em TI para
contrário ao correlatos já
ou contra a
gerencia- implantados
computação
mento de TI. em nuvem.
em nuvem.
No entanto,
uma questão
surpreen-
dente é a
intransparên-
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura165

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
Como
compor um
conjunto de
serviços
É proposot
independen-
um método
tes,
de programa-
agregando
ção linear
serviços a
multi-
nuvem, afim
objetivo
de satisfazer
(Molp) que
exigências Simulador
avalia na
complexas Programação dedicado à
Aval. composição
EFFS1 2016 conside- Linear; Avaliação composição de
Multi- do serviço
rando custo Multi-área serviços na
critério além do QoS
otimizado de nuvem
Serv. questões
serviço, confi-
Re- quanto a
abilidade e
des segurança,
escalabili-
Fed. ambiente de
dade
rede e arma-
garantindo
zenamento
os acordos
em nuvem.
de nível de
serviço esta-
belecidos ao
usuário?
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura166

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
Um modelo
híbrido de
tomada de
decisão
multicritério
para um
Escolher,
problema de
dentre os
seleção de
vários Modelo de
serviços em
ofertantes, resolução de
nuvem
um serviço Balanced Scorecard problemas de
voltado para
em nuvem (BSC); Método decisão
IaaS
adequado Delphi fuzzy (FDM); multi-critério
EFFS2 2016 que atenda a tomando
Processo de (MCDM) para
como
todas as Hierarquia Analítica seleção de
perspectiva
estratégias fuzzy (FAHP) serviços em
caracterísi-
de negócios nuvem voltada
cas como:
e os para IaaS
financeiro,
objetivos das
cliente,
empresas.
processo
interno de
negócio e
aprendiza-
gem e
crescimento.
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura167

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
Explicitar
para
classificar os
serviços de
nuvem com
base no ge-
renciamento
de confiança,
por meio de
análise
multi-critério Propõe-se
dos serviços um modelo
dos de confiança Um modelo de
provedores. baseado em confiança
Essa evidências baseado em
necessidade dinâmicas evidências
Lógica fuzzy;
EFFS3 2016 se dá devido para verificar
Operador IOWA
dinâmicas que
as interações a confiabili- avalia a
de serviços dade confiabilidade
na dinâmica dos dos serviços na
computação serviços no nuvem
em nuvem ambiente de
geralmente nuvem.
ocorrem em
um ambiente
anônimo. E
os sistemas
de gerencia-
mento de
confiança
estáticos
serem
ineficientes.
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura168

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
Identificar
entre os
serviços de
rede
associandos
os melhores
provedores
quanto ao
subsídio de
recursos
para
aplicações
de gravação
contínua
(CWAs) Foi projetada
como uma arquitetura
sistemas de nova de um
vigilância ambiente de
on-line, que A construção Cloud-of-
Algoritmo
demandam de dois Clouds. Com
round-robin;
recursos algoritmos base nessa
Algoritmo de
como a de custo- arquitetura
aprovisionamento
escrita e pro- conscientização foram
Aval. de recursos óptimo
EFFS5 2016 cessamento operacional desenvolvidos
Multi- vizinho (NORPA);
de dados para realizar dois algoritmos
critério algoritmo global de
contínuos e o provisiona- de custo-
Serv. aprovisionamento
de alto nível mento de conscientização
Re- ótimo de recursos
de disponibili- recursos operacional
des (GORPA)
dade de para CWAs. para realizar o
Fed. dados, provisiona-
usando no mento de
processo de recursos para
escolha CWAs.
modelos
sofisticados
para
provisionar
recursos
para atender
às demandas
da CWAs
enquanto
minimiza o
custo
operacional
da infra-
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura169

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
Alguns
provedores
de serviço de
nuvem em
redes
federadas
oferecem
seus
serviços
estrategica-
Analisa
mente por
caracterisitcas
meio de
Este trabalho inerentes ao
leilões. Esse
propõe um mercado de SPOT É proposto um
mercado
leilão duplo para computação Modelo de
baseado na
combinatório em nuvem; Extende Leilão
estratégia de
multi-atributo o trabalho CDARA Combinado
alocação de
para a que utiliza um duplo Duplo
recursos,
alocação de leque combinatório Multi-atributo
tem recebido
recursos e onsidera uma Fair
a atenção
EFFS6 2015 entre os pes- Cloud, que série de atributos denominado
não só como equidade, como
quisadores
considera o reputação, etc e FMCDAM para
da área re-
preço, mas ainda introduz o a alocação dos
centemente.
também conceito de pena recursos e sua
O principal
outros imposição sobre os precificação
modelo de
parâmetros prestadores que em Cloud
leilão da
de qualidade lançarem falsas computing.
alocação de
de serviço QoS como garantia,
recursos é
a fim de ganhar o
baseado na
leilão.
demanda e
oferta. É
inteção
desse estudo
abranger as
característi-
cas a serem
analisadas
no processo
de leilão.
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura170

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
Recursos
dispostos na
computação
em grade e
nuvem con-
vencionais às
vezes não
oferecem um
ambiente de
execução de
aplicativo
CRB (Um Broker de
dinâmico e
Recursos da CARE
isso aumenta
(CRB) é um
a taxa em
meta-programador
que as
de grade ou corretor
solicitações Este trabalho
de recursos que é
de trabalho de pesquisa
implantado sobre o O trabalho
dos usuários propõe um
Middleware Globus proposto é
são corretor de
Toolkit 4 (GT4) para integrado a um
rejeitadas. A recursos
gerenciar grid e mecanismo de
integração CARE
recursos de grade negociação
de (SeCRB) que
habilitados para baseado em
tecnologias fornece uma
virtualização; QBRS SLA que
emergentes estrutura
(Algoritmo aplicado negocia as
de comum para
a selecão de solicitações de
virtualização descrever
recursos de uma trabalho do
na recursos de
forma quase ótima usuário para
Aval. computação grade e
EFFS9 2014 em grade e que satisfaz a QoS satisfazer os
Multi- nuvem e
desejada pelo requisitos de
critério em nuvem descobri-los
usuário); SeCRB QoS do usuário.
Serv. facilita o de uma
(Extensão do CRB O mecanismo
Re- fornecimento maneira
convencional a um QBRS
des de recursos inteligente,
CRB Semântico); implementado
Fed. virtuais conside-
Bio-Informática em SeCRB
dinâmicos no rando
(Aplicada a seleciona os
ambiente de requisitos de
processamento de recursos de
execução software,
imagens de forma grade e nuvem
necessário. hardware e
aleatória); de forma quase
Os qualidade de
GROMACS (É uma ótima
corretores de serviço
caixa de
recursos de- (QoS).
ferramentas muito
sempenham
poderosa na
um papel
modelagem
significativo
molecular
no gerencia-
moderna).
mento de
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura171

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
Cloud
Computing é
a tecnologia
mais
ascendente
para fazer
investigação
e explorar
novos
horizontes
das próximas
gerações de
Ciência da
Computação.
Existem
vários
provedores
de serviços
em nuvem
(Amazon
EC2),
Rackspace
Entregar a
Cloud,
SLA
Terremark e
proposta é
Google
um desáfio,
Compute
bem como a
Engine), mas
nova
ainda
metodologia
empresas e
proposta de
usuários
“SLA
comuns têm
(Service
uma série de
Level
preocupa- Introduz o conceito
Agreement)
ções sobre de Orquestração
Driven Or- A nova
os (Orquestração trata
chestration metodologia
prestadores de descrever como
Based New proposta
de serviços um número de
Methodology pretende elevar
em nuvem. serviços entre, dois
EFFS11 2013 Ainda há for Cloud o valor de
ou mais domínios,
Computing mercado e a
uma grande devem cooperar e
Services”. reputação dos
fragilidade, comunicar com o
Trata-se da prestadores de
desafios e objetivo de alcançar
tentativa de serviços.
problemas um propósito
criar uma
que são comum.) à SLA.
nova
barreiras
abordagem
para
fornecendo e
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura172

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
Enfrentar a
É proposto e
dificuldade
apresentado
em definir Ambiente de
novo
topologias de simulação de
algoritmo
rede entre nuvem CloudSim;
para
máquinas RalloCloud
executar a
virtuais que extensão do Um algoritmo
Transf. operação de
são CloudSim para de
Cluster mapea-
requisitadas, simular redes incorporação
VM EFFS4 2016 mapeamento mento que
federadas; de cluster de
Redes trabalha para
de clusters Algoritmo TBM que VM em Redes
Fed. minimizar a
de VMs, procura resolver o Federadas.
latência da
além dos problema de
rede e
problemas incorporação de
otimizar a
convencio- clusters de VM
utilização da
nais de (VMCE) .
largura de
alocação de
banda.
recursos
Um modelo
contábil é dito
ser fraco
centrado no
consumidor se
todos os dados
que o modelo
requer para o
cálculo de
Um serviço
encargos de
em nuvem
faturamento
onde se O artigo
podem ser
paga pelo propõe a
consultados
que noção de
programatica-
consome. modelo de
mente a partir
deve ser dis- contabili-
do provedor.
ponibilizado dade de
Diz-se que um
aos consumi- recursos
modelo
dores com centrada no
contábil é
um modelo consumidor
Modelo de fortemente
de contabili- de tal forma
Custos Contabilidade de centrado no
Adoção EFFS14 2010 dade de que os con-
Recurso centrado consumidor se
recursos sumidores
no Consumidor todos os dados
inequívoco podem
que o modelo
que descreve calcular, de
requer para
com precisão forma progra-
calcular os
todos os mática, as
encargos de
fatores que taxas de
cobrança
são levados consumo de
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura173

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
A maioria
dos
provedores
IaaS atuais
adota a
abordagem
de
mapeamento
direto de
recursos do
usuário para
seus
Neste artigo
negócios, em
é proposto a
que os
implementa-
usuários Introduz uma
ção de uma
individuais camada
estrutura
são o único adicional
descentrali-
tipo de denominada
zada
consumidor domínio para
baseada em
de serviços evitar a
domínio para
que pode abordagem
provisionar e
solicitar e direta entre
gerenciar dCloud (Uma
usar usuário e
usuários e estrutura baseada
recursos recursos
recursos em domínio para
virtualizados utilizada pela
virtualizados gerenciar usuários e
desde que maioria dos
no IaaS. recursos
paguem pelo provedores de
Especifica- virtualizados);
uso. Portanto, serviços de
mente, uma RBAC (Controle de
Gestão nesta infraestrutura
EFFS13 2011 abordagem, camada acesso baseado em
IaaS existentes
adicional funções);
os usuários e como serviço
chamada Eucalyptus
recursos (IaaS), a fim de
domínio é (Plataforma IaaS de
virtuais são oferecer
introduzida código aberto
gerenciados suporte a
no esquema disponível para a
de forma políticas
de mapea- condução de
centralizada baseadas em
mento direto testes);
nos organização,
do recurso
provedores gerenciamento
do usuário,
IaaS. No de autorização
pelo que a
entanto, isso flexível e
descentrali-
também preços
zação do
resulta na melhores para
usuário e do
falta de usuários
gerencia-
suporte para empresariais.
mento de
gerencia-
recursos é
mento de
facilitada.
ANEXO A. Síntese dos Estudos Aprovados no Processo de Mapeamento Sistemático da Literatura174

Có-
Área de digo Questão
Solução Técnicas
Atua- do Ano de Resultado
Proposta Utilizadas
ção Es- Pesquisa
tudo
O uso de
nuvens
híbridas
introduz a
necessidade
de
determinar
quais cargas
de trabalho
devem ser
terceirizadas
e para qual
Este trabalho
provedor de
propoem um
nuvem.
conjunto de
Essas
algoritmos
decisões
para agendar
devem
de forma
minimizar o Este artigo
econômica
custo de apresenta
as
execução de algoritmos de
aplicações
uma partição escalonamento
de pacotes
da carga de para lidar com
de tarefas
trabalho total o problema de
limitados a
em um ou otimização
serem
vários para aplicações
executados
provedores Políticas de de tipo pacotes
em
de nuvem classificação de fila: de tarefas com
Lotes provedores
pública, First-Come restrição de
Dados de nuvem
EFFS10 2013 levando em First-Served (FCFS) prazo, levando
Redes pública e
considera- e Early First em
Híbridas infra-
ção os Deadline First consideração
estrutura
requisitos do (EDF). restrições de
privada. Os
aplicativo, dados,
algoritmos
como localidade de
levam em
restrições de dados e
conta tanto
prazo e imprecisões
os custos
requisitos de nas estimativas
computacio-
dados. A de tempo de
nais e de
variedade de execução de
transferência
fatores de tarefas
de dados
custo,
quanto as
modelos de
restrições de
preços e
largura de
oferta de
banda da
provedores
rede.
de nuvem a