Você está na página 1de 2

Gay na terceira idade

Nos Estados Unidos, manter a auto-suficiência e a liberdade é importante,


independente da idade que você tenha. Mesmo estando em idade avançada e
necessitando de cuidados, morar com os filhos ou a família não é a solução
mais comum por aqui. Quando já não podem mais levar uma vida independente,
a família, ou o próprio idoso, contrata uma pessoa para cuidar deles ou eles
decidem ir morar em centros que cuidam de pessoas idosas.

Muitos americanos optam por morar nestes centros especializados


porque eles são, em geral, confortáveis e oferecem assistência médica
necessária aos moradores. Longe de serem comparados aos azilos no Brasil,
estes centros podem estar em prédios, onde cada morador ou casal tem o seu
próprio apartamento, ou pode estar em um condomínio de casas, onde eles têm
casas separadas. Nestes centros, os idosos cultivam suas amizades, recebem
visitas de familiares e amigos e também os cuidados médicos necessários.

Nos últimos anos, uma situação nova tem surgido nos Estados Unidos: os
gays na terceira idade. Como a maioria dos americanos, eles também têm se
mudado para estes centros. E alguns problemas têm surgido.

De acordo com o relato de alguns idosos, tudo vai bem até o dia em que
eles resolvem contar para seus amigos do centro que eles são homossexuais ou
lésbicas. Aí, a atitude dos amigos mudam. As pessoas olham horrorizadas, não
os incluem mais nas conversas e literalmente os isolam. Muitos, então, entram
em depressão.

De acordo com um artigo sobre o assunto publicado no New York Times


de outubro de 2007, não só os moradores destes centros demonstram
desrespeito, mas também os enfermeiros e assistentes que trabalham lá. Às
vezes, a depressão é tão grande que pode levar a tentativas de suicídio. Para
evitar situações como esta, as pessoas gays evitam tudo que possa identificá-
las como gays; por exemplo, não recebem seus amigos gays para visitas e
identificam o parceiro como ‘um irmão’.

Muitos idosos e idosas não querem mais esconder sua orientação sexual.
Muitos tiveram que viver na invisibilidade a maioria de suas vidas, numa época
em que homossexualidade ainda era considerada um crime ou uma doença.
Embora ainda exista discriminação contra a comunidade gay nos Estados
Unidos, a situação é muito diferente agora. Em alguns estados americanos, o
casamento gay e adoção de crianças por casais gays são direitos garantidos
pela lei. A comunidade gay quer ser respeitada. E os mais velhos não querem
voltar a viver situações de discriminação que viveram no passado.

A homofobia contra as pessoas gays da terceira idade ainda é um tema


muito novo por aqui. No Brasil, este assunto praticamente não existe.

Todos os anos em junho, há a ‘Parada do Orgulho Gay’ na famosa Quinta


Avenida de Nova York. É impressionante a quantidade de pessoas da terceira
idade que participam do desfile. Muitas vezes, eles estão acompanhados dos
familiares que os apóiam. É uma pena que a vida não seja um eterno desfile! .

Denise M. Osborne é mestranda em Lingüística Aplicada no Teachers


College Columbia University (Nova York) e professora de português como
língua estrangeira. dmdcame@yahoo.com

Artigo originalmente publicado pelo Jornal Clarim (Minas Gerais, Brasil):

Osborne, D. (2008, October 24). Gay na terceira idade. Clarim, Ano 13, n. 641,
p. A2.

Você também pode gostar