Você está na página 1de 2
 

Providências prévias à utilização do regime (Brasil)

 

Compra das mercadorias em vendedor habilitado (Paraguai)

 

Procedimentos na Aduana do Paraguai

 

Procedimentos na Aduana do Brasil

         

Estacionamento do veículo em local destinado ao RTU e comunicação da chegada do veículo à Aduana, pelo representante credenciado

 

Habilitação de responsável e representante(s) da empresa microimportadora (na unidade da RFB com jurisdição sobre a empresa)

   

Emissão eletrônica da Fatura no sistema RTU (FRTU) e impressão das etiquetas a serem apostas nos volumes, pelo vendedor

   

Solicitação de transporte no sistema RTU pelo representante credenciado da empresa microimportadora

 
   

Passo a passo

Cadastro de veículos transportadores e seus condutores (na unidade da RFB com jurisdição sobre a empresa, ou, no caso de táxi, na DRF/Foz do Iguaçu)

Aposição de etiquetas e lacração dos volumes, a serem efetuadas pelo vendedor

 

Ciência do transporte, no sistema RTU, pelo condutor do veículo cadastrado

   

Conclusão da operação de transporte pela Aduana, no sistema RTU

Registro da DRTU pelo representante credenciado, no sistema RTU

   
       
 

Carga dos volumes em veículo cadastrado, pelo representante credenciado

 

Leitura dos códigos de barra das etiquetas e início da operação de transporte pela Aduana

Impressão de DARF e pagamento dos tributos federais pelo representante credenciado

Inclusão de representantes e condutores no sistema RTU, pelo responsável habilitado

     
     

Conferência das DRTU selecionadas (RFB)

 

Desembaraço da DRTU, no sistema RTU

Confirmação do pagamento de ICMS e entrega da mercadoria

 

- Antes

de

ir

ao

Paraguai, para

fazer as

compras,

- Ao efetuar a compra, solicitar a emissão de faturas separadas:

- Em caso de veículo de propriedade do Microimportador ou de pessoa física constante de seu quadro societário, somente será possível atuar como condutores pessoas físicas cadastradas no sistema RTU como responsável ou representante legais da referida empresa.

-

Ao chegar à Aduana do Brasil, o veículo será

verificar:

 

estacionado em área destinada ao RTU, devendo o representante credenciado dirigir-se à sala de controle do regime, para comunicar a chegada do veículo.

a)

se as senhas de acesso ao sistema RTU das pessoas

a)

para mercadorias que estejam sujeitas a tratamento

que atuarão na operação estão ativas (falta de acesso por

administrativo específico, caso sejam de importação

45 dias ocasiona a inatividade);

 

permitida no regime;

 

-

A Aduana disponibilizará computadores no local

b)

quais os procedimentos para pagamento do ICMS no

b)

caso o veículo transportador não tenha capacidade

destinado ao RTU para que o representante do microimportador confirme sua importação, utilizando automaticamente os dados da fatura para registrar a declaração ao amparo do regime (DRTU). - Registrada a DRTU, o representante do microimportador imprimirá o DARF para pagamento dos tributos federais devidos na importação e efetuará o recolhimento junto à rede bancária.

Estado de domicílio da empresa microimportadora (enquanto não implantada a cobrança unificada no

RTU); e c)se as mercadorias a serem adquiridas estão sujeitas a tratamento administrativo específico (Licença de Importação – LI). Consultar as tabelas periodicamente

A solicitação de transporte pode ser efetuada pela internet antes da chegada à Aduana do Paraguai.

O representante credenciado deverá acompanhar o

-

-

Recomendações

para transportar a totalidade da mercadoria (as mercadorias constantes de uma fatura não podem ser transportadas em mais de um veículo).

- Caso a fatura seja emitida em reais (R$), o representante credenciado já pode providenciar o recolhimento do ICMS, para agilizar os trâmites de liberação no Brasil.

transporte desde seu início, na Aduana do Paraguai, até a

sua conclusão, no Brasil.

 

divulgadas pela

RFB,

no

sítio

 
 

-

No veículo transportador somente poderão ser trazidas

 

http://www.receita.fazenda.gov.br/Aduana/rtu, e atualizações no sítio http://www.receita.fazenda.gov.br

/Aplicacoes/ATRJO/SimuladorImportacao. Caso positivo, será necessária habilitação específica para operar no SISCOMEX, obtida junto à unidade de jurisdição da empresa. Ao solicitar a habilitação para operar no sistema RTU, sugere-se que a empresa já solicite a habilitação para operar no Siscomex, caso pretenda importar no RTU mercadorias sujeitas a licenciamento não automático. Em alguns casos a obtenção da LI no Siscomex poderá ser exigida pelo órgão anuente previamente à compra no Paraguai. - Para que o responsável habilitado possa atuar em uma operação de importação ao amparo do RTU, ele deverá incluir a si mesmo como representante no Sistema RTU, caso a unidade.

 

-

As DRTU serão desembaraçadas automaticamente ou,

- Não é permitido transportar simultaneamente, em um mesmo veículo, mercadorias adquiridas por diferentes micromportadores.

mercadorias acobertadas por faturas emitidas ao amparo do RTU.

Fica dispensada a ciência do transporte, no Sistema RTU, se o próprio representante credenciado for o condutor do veículo.

-

se selecionadas para análise, após conclusão da conferência pela autoridade aduaneira e a confirmação do pagamento dos tributos federais, nos sistema RTU.

-

Após o desembaraço e a comprovação do recolhimento

ou exoneração do ICMS, a Aduana emitirá extrato da

A ciência do transporte, a leitura dos códigos de barra das etiquetas dos volumes e o registro do início da operação de transporte serão efetuados nas dependências da Aduana do Paraguai, em local especificamente reservado ao RTU.

-

DRTU, autorizando a entrega da mercadoria ao representante credenciado.

 

-

As mercadorias adquiridas ao amparo do RTU somente

podem ser vendidas diretamente a consumidor final. - As mercadorias deverão ser transportadas ao estabelecimento do microimportador acompanhadas por Nota Fiscal de Entrada contendo a descrição, a quantidade e o preço dos produtos efetivamente desembaraçados.