Você está na página 1de 17

HISTÓRIA DA

LUBRIFICAÇÃO POR NÉVOA

Desenvolvida na Europa Em 1948 foi introduzida


em 1930 por um nos Estados Unidos na
fabricante de industria do aço e desde
rolamentos. os anos 70 ate hoje tem
sido utilizada de forma
intensiva nas plantas de
refinação e petroquímica
Utilizada para de classe mundial.
rolamentos anti-fricção
de alta velocidade.

1
Vantagens que apresenta um sistema de lubrificacao por
nevoa
Justificativa Economica
Maior disponibilidade.

Reduz o coeficiente de fricção 25% e reduz o consumo de


energia elétrica em ate 5%.
Reduz a temperatura da caixa de rolamentos em media 12°C e
diminui o consumo de água de refrigeração.

Aumenta a vida útil dos rolamentos.

Economia no controle e manuseio dos lubrificantes.

Moderniza (automatiza) a lubrificação manual evitando o erro


humano aumentando a segurança industrial.

2
Gerador de nevoa VORTEX
AR

AR SECO, FILTRADO E PRE-AQUECIDO AR AR

NEVOA
AR
DE AR
OLEO CAMARA
VORTEX
AR AR
DEFLETOR

NIVEL DE OLEO

NEVOA
DE OLEO

• O principio “vortex”, é o sistema mais confiável para a


geração de névoa lubrificante.
• Sem partes móveis, livre de manutenção.
• Mistura limpa de óleo e ar comprimido.
• A velocidade da névoa no vortex é supersônica.
3
CARACTERISTICAS DA
NEVOA VORTEX NEVOA
UMIDA
1 Parte de Oleo para PARA
cada 200,000 partes LUBRIFICAR
de ar.
Mistura limpa
3 Micra
Nao inflamavel
Pode ser
transportada até 180 NEVOA
mts. SECA
PARA SER
TRANSPORTADA
LUBRIFICACAO CONVENCIONAL

O nível constante chega


no máximo dois terços
do diâmetro do
rolamento inferior.
Alta contaminação,
aumenta o coeficiente de
fricção e temperatura.
RECLASSIFICADOR

APLICAÇÃO TUBING

MANIFOLD
DE

NEVOA PURA

EM

BOMBAS

COLETOR
ECOLOGICO
Normas
A Norma American
Petroleum Institute API-
610 em sua 7a. e 8a
edicao de 1998, marca as
diretrizes que os
fabricantes de bombas
devem tomar em conta na
construção de seus
equipamentos para poder
receber a lubrificação por
névoa.
A norma API-686 RP
recomenda a névoa como
preservação de
7
equipamentos.
APLICACAO RECLASSIFICADOR
DE
NEVOA PURA TUBING ACO
INOXIDAVEL
EM BOMBAS
DISTRIBUIDOR

SEGUNDO NORMA
API 610, 8ª EDICAO

ENTRADA
DE
NEVOA

NEVOA COLETOR
VENT/DRENO ECOLÓGICO

8
DERIVACAO
DA
NEVOA
ATE OS TUBO DE 3/4”
EQUIPAMENTOS
• TUBO GALVANIZADO
DE 3/4”
3/4”
CABEZAL DE 2”
• UMA SSÓÓ DERIVAÇ ÃO
DERIVAÇÃO
PARA CADA EQUIP.
• TERMINA COM UM RECLASIFICADORES
DISTRIBUIDOR
(MANIFOLD) DISTRIBUIDOR
(MANIFOLD)

9
RECLASSIFICADORES
SPRAY NEVOA CONDENSADO
Coletor Ecológico

11
Bomba Balanceada

12
Instalação de
Reclassificadores Direcionais

13
NEVOA PURGA
(PRESERVACAO)
MANTEM-SE O NIVEL
CONSTANTE DE
LUBRIFICANTE.

A ENTRADA DA NEVOA É NA
PARTE SUPERIOR.

PRESSURIZA E MANTEM LIVRE


DE CONTAMINANTES.

REDUZ A TEMPERATURA DE
OPERACAO E RESFRIA A
CAIXA DE ROLAMENTOS.

14
Visor de
Nível

15
Tribosistemas para Lubrificacao por Nevoa LubriMistTM

MODELO “IVT” MODELO “SSV” MODELO “CH-100”


16
TORRES DE RESFRIAMENTO

17