Você está na página 1de 55

ANO IX Nº 1506 | Campo Grande-MS | segunda-feira, 13 de março de 2017 55 páginas

SUMÁRIO

SUMÁRIO ATOS DO PRESIDENTE Portaria DIRETORIA GERAL Cartório Decisão Singular MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS Portaria

1

1

1

2

2

2

55

55

ATOS DO PRESIDENTE

Portaria

PORTARIA TC/MS Nº 11/2017

O CONSELHEIRO WALDIR NEVES BARBOSA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE

CONTAS DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de suas atribuições legais conferidas pelo artigo 9º, VIII, “’b”, da Lei Complementar n°. 160/2012, c.c os artigos 19, XV, “e” e 75 da Resolução Normativa TC/MS n°. 76/2013,

RESOLVE:

Art. 1º Alterar a composição da Comissão Especial para levantamento de dados necessários à análise das Contas do Governo do Estado do Mato Grosso do Sul para o exercício financeiro de 2016, instituída pela Portaria 14/2016, publicada no DOETC/MS nº 1367, de 14 de julho de 2016, substituindo os servidores José Benedito do Prado Filho e Ana Carolina Medci Lemos, respectivamente, pelos servidores Américo José de Moura, Auditor Estadual de Controle Externo, e Lazaro Maxwel Borges, Auditor Estadual de Controle Externo.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, com efeitos contados a partir de 1º de março de 2017.

PUBLIQUE-SE, REGISTRE-SE E CUMPRA-SE.

Gabinete da Presidência, 09 de março de 2017.

Conselheiro Waldir Neves Barbosa Presidente

PORTARIA ¨P¨ TC/MS 051/2017

O CONSELHEIRO WALDIR NEVES BARBOSA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE

CONTAS DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de suas atribuições legais prevista no artigo 9º, inciso IV da Lei Complementar nº

160 de 02 de janeiro de 2012 c/c o artigo 19, inciso XVI, alínea “b” da Resolução Normativa nº 76 de 11 de dezembro de 2013;

RESOLVE:

Conceder prorrogação de Licença para tratamento de saúde aos servidores relacionados no quadro abaixo com fulcro no artigo 131, § único e artigo 132, §§ 1º e 2º, todos da Lei n° 1.102, de 10 de outubro de 1990.

Mat

Nome

Código

Período

Dias

Processo

909

Maristela

Duarte

TCAD-

27/01/2017

a

60

1877/2016

Mendonca

700

27/03/2017

dias

1070

Neuza Maria de Oliveira Santos

TCAD-

01/02/2017

a

90

11586/2016

700

01/05/2017

dias

Registre-se e cumpra-se Tribunal de Contas MS

Campo Grande, 08 de março de 2017.

Cons. Waldir Neves Barbosa Presidente

PORTARIA ¨P¨ TC/MS 052/2017

O CONSELHEIRO WALDIR NEVES BARBOSA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE

CONTAS DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de suas atribuições legais previstas no artigo 9º, inciso IV da Lei Complementar nº

160 de 02 de janeiro de 2012 c/c o artigo 19, inciso XVI, alínea “b” da

Resolução Normativa nº 76 de 11 de dezembro de 2013;

RESOLVE:

Conceder Abono de Permanência em favor do servidor FARAÓ VIEIRA DE MATOS, ocupante do cargo de Auditor Estadual de Controle Externo, símbolo TCCE-400, fundamentado no § 5º do artigo 2º da Emenda Constitucional nº 41/2003, c/c os incisos I, II e III do artigo 73 e caput do artigo 75, ambos da Lei Estadual nº 3.150/2005, com validade a contar de 15 de dezembro de 2016. (Processo TC/30353/2016)

Registre-se e cumpra-se Tribunal de Contas MS

Campo Grande, 08 de março de 2017.

Cons. Waldir Neves Barbosa Presidente

PORTARIA ¨P¨ TC/MS 053/2017

O CONSELHEIRO WALDIR NEVES BARBOSA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE

CONTAS DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de suas

atribuições legais previstas no artigo 9º, inciso IV da Lei Complementar nº

160 de 02 de janeiro de 2012 c/c o artigo 19, inciso XVI, alínea “b” da

Resolução Normativa nº 76 de 11 de dezembro de 2013;

RESOLVE:

Conceder Abono de Permanência em favor do servidor ARISVALDO BARRETO DE QUEIROZ, ocupante do cargo de Auditor Estadual de Controle Externo, símbolo TCCE-400, fundamentado no artigo 40, § 1º, inciso III, alínea “a” e § 19 da Constituição Federal, c/c o artigo 41, incisos I, II, e III e o caput do artigo 75, ambos da Lei Estadual nº 3.150/2005, com validade a contar de 13 de fevereiro de 2017. (Processo TC/818/2017)

Registre-se e cumpra-se Tribunal de Contas MS

Mat

Nome

Código

Período

Dias

Processo

701

Regina Beatriz Ocampos V. de Almeida

TCAD-700

06/02/2017

à

05

926/2017

10/02/2017

dias

2674

Claudia

Martins

da

Silva

TCCE-400

01/02/2017

à

04

362/2017

Marcolino

04/02/2017

dias

Campo Grande, 08 de março de 2017.

Cons. Waldir Neves Barbosa Presidente

Conselho Deliberativo:

Presidente Waldir Neves Barbosa Vice-Presidente Ronaldo Chadid

Corregedor-Geral Iran Coelho das Neves Conselheiros:

José Ricardo Pereira Cabral Marisa Joaquina Monteiro Serrano (Diretora da Escoex) Osmar Domingues Jeronymo (Ouvidor) Jerson Domingos

Auditoria:

Auditora - Patrícia Sarmento dos Santos Coordenadora da Auditoria Auditor Leandro Lobo Ribeiro Pimentel Subcoordenador da Auditoria Auditor Célio Lima de Oliveira

Ministério Público de Contas:

Procurador-Geral de Contas João Antônio de Oliveira Martins Júnior

Procurador-Geral-Adjunto de ContasJosé Aêdo Camilo

Diário Oficial Eletrônico Coord. Assessoria de Comunicação Social Parque dos Poderes Bloco 29 CEP 79031-902 Campo Grande MS Brasil Telefone (67) 3317-1536 e-mail: doe@tce.ms.gov.br http://www.tce.ms.gov.br

 
 

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

PORTARIA ¨P¨ TC/MS 054/2017

O CONSELHEIRO WALDIR NEVES BARBOSA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE

CONTAS DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de suas

atribuições legais previstas no artigo 9º, inciso IV da Lei Complementar nº

160 de 02 de janeiro de 2012 c/c o artigo 19, inciso XVI, alínea “b” da

Resolução Normativa nº 76 de 11 de dezembro de 2013;

RESOLVE:

Exonerar, a pedido, JOSÉ BENEDITO DO PRADO FILHO, do cargo efetivo de Auditor Estadual de Controle Externo, símbolo TCCE-400, Classe A, Padrão II, do Quadro de Pessoal do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul, com validade a contar de 08 de março de 2017.

Registre-se e cumpra-se Tribunal de Contas MS

Campo Grande, 08 de março de 2017.

Cons. Waldir Neves Barbosa Presidente

PORTARIA ¨P¨ TC/MS 055/2017

O CONSELHEIRO WALDIR NEVES BARBOSA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE

CONTAS DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de suas

atribuições legais previstas no artigo 9º, inciso IV da Lei Complementar nº

160 de 02 de janeiro de 2012 c/c o artigo 19, inciso XVI, alínea “b” da

Resolução Normativa nº 76 de 11 de dezembro de 2013;

RESOLVE:

Excluir por falecimento, WILSON COUTINHO, do quadro de inativos do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul, com validade a contar de 21 de janeiro de 2017.

Registre-se e cumpra-se Tribunal de Contas MS

Campo Grande, 09 de março de 2017.

Cons. Waldir Neves Barbosa Presidente

PORTARIA ¨P¨ TC/MS 056/2017

O CONSELHEIRO WALDIR NEVES BARBOSA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE

CONTAS DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de suas atribuições legais previstas no artigo 9º, inciso IV da Lei Complementar nº

160 de 02 de janeiro de 2012 c/c o artigo 19, inciso XVI, alínea “b” da

Resolução Normativa nº 76 de 11 de dezembro de 2013;

RESOLVE:

Conceder Licença para tratamento de saúde aos servidores relacionados no quadro abaixo com fulcro nos artigo 136, § 1º, 137, 144 e 146, todos da Lei n° 1.102 de 10 de outubro de 1990.

Registre-se e cumpra-se Tribunal de Contas MS

Campo Grande, 10 de março de 2017.

Cons. Waldir Neves Barbosa Presidente

PORTARIA ¨P¨ TC/MS 057/2017

O CONSELHEIRO WALDIR NEVES BARBOSA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE

CONTAS DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de suas atribuições legais prevista no artigo 9º, inciso IV da Lei Complementar nº

160 de 02 de janeiro de 2012 c/c o artigo 19, inciso XVI, alínea

Resolução Normativa nº 76 de 11 de dezembro de 2013;

RESOLVE:

Pág.2

“b” da

Conceder prorrogação de Licença para tratamento de saúde aos servidores relacionados no quadro abaixo com fulcro no artigo 131, § único e artigo 132, §§ 1º e 2º, todos da Lei n° 1.102, de 10 de outubro de 1990.

Mat

Nome

Código

Período

Dias

Process

o

701

Regina Beatriz Ocampos V. de Almeida

TCAD-700

10/02/2017

à

04

926/201

13/02/2017

dias

7

701

Regina Beatriz Ocampos V. de Almeida

TCAD-700

14/02/2017

à

15

926/201

28/02/2017

dias

7

218

Marcia Cristina Barros Lima

TCCE-600

01/02/2017

à

60

18544/2

01/04/2017

dias

016

Registre-se e cumpra-se Tribunal de Contas MS

Campo Grande, 10 de março de 2017.

Cons. Waldir Neves Barbosa Presidente

PORTARIA ¨P¨ TC/MS 058/2017

O CONSELHEIRO WALDIR NEVES BARBOSA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE

CONTAS DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, no uso de suas atribuições legais previstas no artigo 9º, inciso IV da Lei Complementar nº

160 de 02 de janeiro de 2012 c/c o artigo 19, inciso XVI, alínea “b” da

Resolução Normativa nº 76 de 11 de dezembro de 2013;

RESOLVE:

Conceder Aposentadoria Voluntária à servidora REGINA BEATRIZ OCAMPOS VEIGA DE ALMEIDA, ocupante do cargo de Técnico de Apoio Institucional, símbolo TCAD-700, classe “Especial”, padrão “III”, do Quadro de Pessoal do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul, com paridade total e proventos integrais, fundamentado no artigo 73 da Lei nº 3.150/2005 e reajustes de acordo com o estabelecido no artigo 7º da Emenda Constitucional nº 41/2003. (Processo TC/307/2017)

Registre-se e cumpra-se Tribunal de Contas MS

Campo Grande, 10 de março de 2017.

Cons. Waldir Neves Barbosa Presidente

DIRETORIA GERAL

Cartório

Decisão Singular

DECISÃO SINGULAR DSG - G.ICN - 927/2017

PROCESSO TC/MS: TC/9742/2015 PROTOCOLO: 1598484 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE JAPORÃ – MS JURISDICIONADO: VANDERLEY BISPO DE OLIVEIRA CARGO DO JURISDICIONADO: PREFEITO MUNICIPAL TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N.º 003/2015 PROCEDIMENTO LICITATÓRIO: PREGÃO PRESENCIAL N.º 009/2015 OBJETO DA ATA: AQUISIÇÃO DE PEÇAS PARA MANUTENÇÃO DA FROTA DE ÔNIBUS DO MUNICÍPIO COMPROMITENTES: ANGÉLICA DOMINGOS DE LIMA – ME E OUTROS VALOR ESTIMADO: R$ 191.994,00

DE ÔNIBUS DO MUNICÍPIO COMPROMITENTES: ANGÉLICA DOMINGOS DE LIMA – ME E OUTROS VALOR ESTIMADO: R$

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

ÓRGÃO JULGADOR: JUÍZO SINGULAR RELATOR: Cons. IRAN COELHO DAS NEVES

EMENTA

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS – 1ª FASE – LICITAÇÃO –PREGÃO PRESENCIAL – FORMALIZAÇÃO REGULAR – PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS – AQUISIÇÃO DE PEÇAS PARA MANUTENÇÃO DA FROTA DE ÔNIBUS DO MUNICÍPIO – INSTRUMENTO REGULARMENTE FORMALIZADO – ATOS REGULARES E LEGAIS - PROSSEGUIMENTO.

Versam os presentes autos sobre o exame do procedimento licitatório desenvolvido na modalidade Pregão Presencial nº 009/2015 - (fls. 159-196)

e da formalização da Ata de Registro de Preços n.º 003/2015 – (fls. 145-

154).

O presente procedimento licitatório desenvolvido na modalidade Pregão

Presencial n.º 009/2015 encontra guarida nas disposições contidas na Lei Federal nº 10.520/02, subsidiada pela Lei Federal nº 8.666/93 e demais

legislações aplicáveis.

O objeto desta licitação pública é o de estabelecer o registro formal de

Pág.3

“Diante do exposto, concluímos pela regularidade e legalidade do procedimento licitatório Pregão Presencial nº 9/2015 realizado pelo Município de Japorã e da formalização da Ata de Registro de Preços nº 3/2015 assinada pelos promitentes contratantes: Município de Japorã (CNPJ Nº 15.905.342/0001-28) e as empresas Angélica de Lima Domingos - me (CNPJ Nº 08.632.048/0001-24), Carlos Nelson Desbesell - me (CNPJ Nº 15.914.963/0001-78) e Hoffman & cia Ltda (CNPJ Nº 07.832.374/0001-12), nos termos do inciso I do art. 59 da Lei Complementar nº 160/2012, cc. o inciso II do art. 122 do Regimento Interno, tendo em vista a observância dos preceitos legais que regem a matéria analisada”.

O douto Ministério Público de Contas pugna pela regularidade e legalidade

do procedimento licitatório e da formalização da Ata de Registro de Preços

em apreço, mediante a seguinte dicção - (fls. 289), in verbis:

“Pelo que dos autos consta, e de acordo com a manifestação do corpo técnico, este Ministério Público de Contas conclui pela regularidade do procedimento licitatório e da formalização Ata de Registro de Preços em destaque, nos termos do art. 120, I, combinado com 122, II, ambos do Regimento Interno aprovado pela Resolução Normativa nº 76, de 11 de dezembro de 2013”.

preços da Administração Pública Municipal para a aquisição de peças para manutenção da frota do ônibus do município, conforme fls. 145.

Assiste razão ao eminente Procurador de Contas porquanto, de fato, o procedimento licitatório desenvolvido na modalidade Pregão Presencial nº 009/2015 se mostra adequado às normas legais vigentes, estando, pois,

dotação orçamentária garantidora dos dispêndios está consignada no Edital, item 17 - (fls. 173).

A

apto a dar sustentação aos contratos derivados da Ata de Registro de Preços nº 003/2015 nele fundamentada.

O

prazo de vigência estabelecido na presente Ata de Registro de Preços é de

Mediante o exposto e, acolhendo a manifestação do Corpo Técnico e o r.

12 (doze) meses, conforme Cláusula Terceira - (fls. 146).

Parecer exarado pelo douto Ministério Público de Contas, aprecio com fundamento no art. 10, inciso II, § 3º, V, c/c o art. 70 do Regimento Interno

A

Unidade de Instrução procedeu à análise dos atos praticados nesta

deste Tribunal de Contas aprovado pela Resolução Normativa TC/MS nº

primeira fase opinando pela regularidade e legalidade dos mesmos, consoante Análise Conclusiva ANA-2ª ICE-22525/2015 - (fls. 283-288).

76/2013,

DECIDO:

O douto Ministério Público de Contas, comungando do mesmo

entendimento, exara o r. Parecer PAR - MPC - GAB.5 DR.JOAOMJR - 11682/2016

- (fls. 289) opinando pela legalidade e regularidade de todo o processado.

A análise desta primeira fase recai sobre o exame do procedimento

licitatório e da formalização da Ata de Registro de Preços, conforme o previsto no artigo 120, I, “a” do Regimento Interno aprovado pela Resolução Normativa TC/MS nº 76/2013.

É o que cabe relatar.

Verifico que foram observadas as disposições regimentais no curso da instrução processual, nos termos do art. 112, parágrafo único, II, “b” do Regimento Interno aprovado pela Resolução Normativa TC/MS 76/2013, razão pela qual passo ao exame do mérito.

O procedimento licitatório realizado na modalidade Pregão Presencial nº

009/2015 foi instaurado em consonância com as disposições da Lei Federal

n.º 10.520/02 e do Estatuto das Licitações e Contratos, sendo acompanhado

da dotação orçamentária garantidora dos dispêndios, da aprovação pela

assessoria jurídica, das atas e deliberações da comissão e dos atos de

adjudicação, homologação e publicação do resultado.

Como objeto, a licitação visa à aquisição de peças para manutenção da frota

1 – pela legalidade e regularidade do procedimento licitatório desenvolvido

na modalidade Pregão Presencial nº 009/2015 e da formalização da Ata de Registro de Preços nº 003/2015 firmada entre o Município de Japorã/MS, CNPJ/MF nº 15.905.342/0001-28, por seu Prefeito Municipal, Senhor Vanderley Bispo de Oliveira, CPF/MF nº 356.506.721-72, como compromissário, e, de outro lado, os compromitentes nela consignados, por atenderem às disposições legais vigentes, nos termos do art. 59, I, da Lei Complementar nº 160/2012 c/c o art. 171, do Regimento Interno aprovado pela Resolução Normativa TC/MS nº 76/2013;

2 – pelo retorno destes autos à 2ª Inspetoria de Controle Externo para

acompanhamento das contratações dela derivadas, nos termos regimentais;

3 – Publique-se, nos termos do art. 50, I, da Lei Complementar nº 160/2012 c/c o art. 70, § 2º, do Regimento Interno aprovado pela Resolução Normativa TC/MS nº 76/2013.

É a decisão.

Campo Grande/MS, 22 de fevereiro de 2017.

Cons. Iran Coelho das Neves Relator

do

ônibus do município, conforme fls. 145.

Em

decorrência do Pregão Presencial n.º 009/2015 foi formalizada a Ata de

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 1071/2017

Registro de Preços nº 003/2015 – (fls. 145-154), também em conformidade

com as disposições legais vigentes, devidamente assinada pelo representante da administração e pelos fornecedores mais bem classificados no certame.

O Corpo Técnico, após análise dos atos praticados, entende estarem em

estrita obediência às formalidades exigidas para a seleção da melhor proposta, estando, pois, revestidos dos aspectos atinentes à legalidade e regularidade no seu processamento, nos seguintes termos - (fls. 288), in

verbis:

PROCESSO TC/MS: TC/19138/2016 PROTOCOLO: 1733585 ÓRGÃO: INSTITUTO DE MEIO AMBIENTE DE MATO GROSSO DO SUL INTERESSADO (A)/CARGO: JAIME ELIAS VERRUCK - DIRETOR PRESIDENTE TIPO DE PROCESSO: PREGÃO PRESENCIAL N. 3, DE 2016 - CONTRATO ADMINISTRATIVO N. 6, DE 2016 - TERMO ADITIVO N. 1, DE 2016 CONTRATADO: TEC MAC LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS EIRELI - EPP VALOR INICIAL: R$ 339.537,60 RELATOR: Cons. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

MAC LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS EIRELI - EPP VALOR INICIAL: R$ 339.537,60 RELATOR: Cons. JOSÉ RICARDO PEREIRA

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

RELATÓRIO

A prestação de contas em verificação refere-se ao Contrato Administrativo

Pág.4

O objeto da presente ata é a formação de registro de preços para eventual

aquisição de pneus, câmara de ar, protetor e bico de pneus para atender os veículos da frota municipal.

n. 6, de 2016, celebrado entre o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (IMASUL) e a empresa Tec Mac Locação de Equipamentos - EIRELI - ME, tendo por objeto a locação de multifuncionais e impressoras com o fornecimento de material (peça n. 15, fl. 296). Neste momento, examinam-se os atos relativos a:

A

3ª Inspetoria de Controle Externo, através da Análise ANA-3ICE-

21566/2016, manifestou-se pela regularidade do procedimento licitatório e

da

formalização da Ata de Registro de Preços.

 

O

Ministério Público de Contas prolatou o Parecer PAR-MPC -23356/2016,

a) licitação (primeira fase), realizada por meio do Pregão Presencial n. 3, de

2016;

b) formalização do contrato (segunda fase peça 15, fls. 296-302);

na mesma linha de entendimento, opinando pela regularidade do procedimento licitatório e da formalização da Ata de Registro de Preços.

É o relatório.

c) termo aditivo à contratação (TA n. 1,de 2016 peça 20, fls. 312-313).

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de

Por meio da documentação apresentada e diante da análise da equipe técnica da 3ª ICE e do parecer do Ministério Público de Contas, verifica-se o procedimento licitatório Pregão Presencial nº 026/2016 e a Ata de Registro

Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público de Contas

de

Preços nº 018/2016 estão em conformidade com as disposições nas Leis

(MPC). Ambos concluíram pela regularidade da licitação e do contrato,

10.520/2002 e 8.666/93 e alterações e demais normas desta Corte de

conforme se observa na ANA 1ª ICE 25.859/2016 (peça n. 27, fls. 348- 353) e no PAR-4ªPRC-333/2017 (peça n. 28, fls. 355-356).

Contas, com a publicação tempestiva e a remessa de documentos a esta Corte de Contas dentro do prazo exigido pela Instrução Normativa TC/MS

É o relatório.

DECISÃO

Do exame dos elementos que integram a prestação de contas em julgamento, constato que estão em conformidade com os dispositivos legais pertinentes. Diante disso, concordo com a análise da 1ª ICE, acolho o parecer do representante do MPC e, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, decido declarar a regularidade:

I da licitação (primeira fase), realizada pelo Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (IMASUL) por meio do Pregão Presencial n. 3, de 2016;

II do Contrato Administrativo n. 6, de 2016 (segunda fase), celebrado

entre o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (IMASUL) e a empresa Tec Mac Locação de Equipamentos - EIRELI ME;

III do Primeiro Termo Aditivo ao Contrato Administrativo n. 6, de 2016

(peça n. 20, fls. 310-319) Depois de publicada esta Decisão, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, para o exame dos documentos relativos à execução financeira da contratação.

É a decisão.

Campo Grande, 24 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JD - 1341/2017

PROCESSO TC/MS: TC/13545/2016 PROTOCOLO: 1702061 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE APARECIDA DO TABOADO

ORDENADOR DE DESPESAS: JOSÉ ROBSON SAMARA RODRIGUES DE

ALMEIDA

CARGO: PREFEITO MUNICIPAL TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇO 018/2016 VALOR: R$ 925.999,46 RELATOR (A): CONS. JERSON DOMINGOS

Em exame o Procedimento Licitatório na modalidade Pregão Presencial nº 026/2016, que originou a Ata de Registro de Preços nº 018/2016, celebrado entre o município Aparecida do Taboado e a empresa NBL Dos Santos Souza Pneus ME, com valor total de contratação estimado em R$ 925.999,46.

nº 035/2011.

Ante o exposto, subsidiado pela análise técnica da 3ª Inspetoria de Controle Externo e pelo parecer do Ministério Público de Contas, DECIDO:

I Pela REGULARIDADE do Procedimento Licitatório Pregão Presencial nº 026/2016, celebrado entre o município de Aparecida do Taboado e a empresa NBL Dos Santos Souza Pneus ME e da formalização da Ata de Registro de Preços nº 018/2016, nos termos do art. 59, I, da Lei Complementar nº 160/2012 c/c o art. 120, I, “a” da Resolução Normativa TC/MS nº 76/2013;

acompanhamento das fases posteriores, nos termos regimentais;

II

pela

REMESSA

dos

autos

à

Inspetoria

Competente

para

o

III - pela COMUNICAÇÃO do resultado do julgamento aos interessados, nos

termos do art. 50 da Lei Complementar nº 160/2012 c/c o art. 70, §2º, do Regimento Interno, aprovado pela Resolução Normativa TC/MS nº 76/2013.

Campo Grande, MS, 06 de março de 2017.

Jerson Domingos

Conselheiro Relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 868/2017

PROCESSO TC/MS: TC/8877/2016 PROTOCOLO: 1677007 ÓRGÃO: FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE DOURADOS JURISDICIONADO (A): SEBASTIÃO NOGUEIRA FARIA CARGO: SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N. 3/2016 RELATOR: CONS. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente à Ata de Registro de

Preços n. 3/2016, formalizada pelo Município de Dourados, por intermédio

do Fundo Municipal de Saúde, com vistas ao registro de preços para a

aquisição de medicamentos oncológicos. Neste momento, examina-se a regularidade da licitação, realizada por meio do Pregão Presencial n. 95/2015, e da formalização da ata de registro de preços.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de

Controle Externo (1ª ICE), que concluiu pela regularidade da licitação e da

formalização da referida ata, conforme se observa na Análise n. 14898/2016 (peça n. 20, fls. 904-908). A 1ª ICE apontou ainda que, embora a prestação

de contas esteja regular, houve remessa intempestiva a este Tribunal da

cópia da ata de registro de preços.

prestação de contas esteja regular, houve remessa intempestiva a este Tribunal da cópia da ata de

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

Ao apreciar a matéria, o Procurador do Ministério Público de Contas (MPC) manifestou-se por meio do Parecer n. 18798/2016 (peça n. 21, fls. 909- 910), no qual opinou da seguinte maneira:

1. pela legalidade e regularidade, com ressalva, da formalização do

procedimento licitatório Pregão Presencial nº 95/2015 (Ata de Registro de Preços nº 3/2016) (1ª Fase), nos termos do art. 59, inciso I, da Lei Complementar nº 160/2012, c/c os art.120, inciso II, e 122, inciso III, “a”, ambos da Resolução Normativa n.076/2013, ressalvando a remessa intempestiva da documentação

2. pela aplicação de multa ao ordenador(a) de despesas, nos termos do

artigo 46 da Lei Complementar nº 160/2012 cc. art. 170, §1º, inciso I do

Regimento Interno, e infringência da Instrução Normativa nº 35/2011 Seção I, Capítulo II, 1.1.1 Letra A, pela remessa intempestiva da documentação ( );

É o relatório.

DECISÃO

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos relativos à licitação e à formalização da ata de registro de preços estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes. Verifico ainda que assiste razão à 1ª ICE e ao MPC quanto à intempestividade da remessa de documentos a este Tribunal. Entendo, porém, que a remessa intempestiva de documentos, embora enseje multa

Pág.5

ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVO HORIZONTE DO SUL JURISDICIONADO: NILZA RAMOS FERREIRA MARQUES CARGO DO JURISDICIONADO: PREFEITA ASSUNTO DO PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 020/2016 PROCEDIMENTO LICITATÓRIO: PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2016 OBJETO: FORNECIMENTO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO PARA TRATORES. CONTRATADA: KAISER PEÇAS E SERVIÇOS LTDA - EPP VALOR INICIAL: R$ 89.958,55 ÓRGÃO JULGADOR: JUÍZO SINGULAR RELATOR: CONS. IRAN COELHO DAS NEVES

EMENTA. CONTRATAÇÃO PÚBLICA. 1ª E 2ª FASES. FORNECIMENTO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO PARA TRATORES. REGULARIDADE E LEGALIDADE DO PROCEDIMENTO LICITATÓRIO REALIZADO NA MODALIDADE DE PREGÃO PRESENCIAL E FORMALIZAÇÃO DO CONTRATO ADMINISTRATIVO. PROSSEGUIMENTO.

O processo em epígrafe se refere à análise do procedimento licitatório

realizado na modalidade de Pregão Presencial nº 006/2016 (f. 50-79) e formalização do Contrato Administrativo nº 020/2016 (f. 178-181), firmado entre o Município de Novo Horizonte do Sul - MS, CNPJ/MF nº 37.226.644/0001-02, representado pela Prefeita, Srª. Nilza Ramos Ferreira Marques, CPF/MF nº 312.512.261-91, como contratante, e de outro lado a empresa Kaiser Peças e Serviços Ltda - Epp, CNPJ/MF nº 01.558.747/0001- 22, representada pelo Sr . Ernesto Kaiser Filho, CPF/MF nº 450.694.689-87, como contratada.

ao

jurisdicionado, não tem o condão de contaminar a regularidade dos atos

O

objeto do presente contrato é o fornecimento de peças de reposição para

praticados.

tratores, conforme detalhamento contido na cláusula primeira, no valor de

Tudo considerado, acompanho o posicionamento da 1ª ICE, acolho parcialmente o parecer do representante do MPC e decido nos sentidos de:

I declarar, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, a regularidade:

a) da licitação, realizada pela Administração Municipal de Dourados por

meio do Pregão Presencial n. 95/2015;

R$ 89.958,55 (oitenta e nove mil, novecentos e cinquenta e oito reais e cinquenta e cinco centavos).

A 2ª Inspetoria de Controle Externo, através da análise ANA - 2ICE -

22930/2016 (f. 219-224) se manifestou pela regularidade e legalidade do procedimento licitatório realizado na modalidade de Pregão Presencial nº

006/2016 e formalização do Contrato Administrativo n° 020/2016.

O Ministério Público de Contas analisou os documentos acostados nos

b)

da formalização da Ata de Registro de Preços n. 3/2016;

autos e por meio do parecer PAR - MPC - GAB.7 DR.JAC - 23973/2016 (f. 225) opinou pela regularidade do procedimento licitatório e da

aplicar multa no valor equivalente a 14 (catorze) UFERMS ao senhor

Sebastião Nogueira Faria, CPF 051.407.811-15, Secretário Municipal de Saúde na época dos fatos, com base nas disposições dos arts. 21, X, 42, IX, 44, I, e 46 da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, pela infração

II

formalização do contrato em apreço, nos termos do artigo 59, I, da Lei Complementar Estadual nº 160/2012, combinado com o artigo 120, I e II, do Regimento Interno aprovado pela Resolução Normativa nº 76, de 11 de dezembro de 2013.

decorrente da remessa intempestiva a este Tribunal da cópia da Ata de Registro de Preços n. 3/2016;

É

o relatório.

III fixar o prazo de 60 (sessenta) dias, contados da data da publicação

desta Decisão no Diário Oficial (eletrônico) deste Tribunal (DOTCE/MS), para

o apenado pagar o valor da multa que lhe foi infligida e assinalar que o

pagamento deverá ser feito em favor do Fundo Especial de Modernização e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas-FUNTC, conforme as disposições do art. 50, I, e do art. 83, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, e do art. 172, §1º, I e II, do Regimento Interno.

Depois de tomadas as providências previstas no art. 70, § 2º, do Regimento Interno, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, consoante o disposto no parágrafo único do art. 4º da Orientação Técnica Interna n. 3, de 22 de setembro de 2010.

É a decisão.

Campo Grande, 21 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.ICN - 1262/2017

PROCESSO TC/MS: TC/8869/2016 PROTOCOLO: 1686411

Cumpridos os pressupostos processuais e instruídos regularmente os autos, passo ao exame do mérito, nos termos do artigo 112, parágrafo único, II, “b”, da Resolução Normativa TC/MS nº 76/2013.

O mérito da questão repousa na análise do procedimento licitatório

realizado na modalidade de Pregão Presencial nº 006/2016 e na

formalização do Contrato Administrativo nº 020/2016.

No que tange ao procedimento licitatório, este seguiu os ditames da Lei Federal nº 10.520, de 17 de julho de 2002 e subsidiariamente o disposto na Lei Federal n° 8.666, de 21 de junho de 1993, acompanhado da dotação orçamentária garantidora dos dispêndios, da aprovação pela assessoria jurídica, da habilitação dos licitantes, das atas e deliberações, do parecer jurídico e dos atos de adjudicação e homologação do resultado.

O instrumento de contrato foi formalizado de acordo com as determinações

do capítulo III da Lei Federal nº 8.666/93 e estabelece com clareza e precisão as condições para a sua execução.

O contrato foi firmado em 7/3/2016 e a publicação de seu extrato ocorreu

em 1/4/2016 (f. 186), em conformidade com o prazo estabelecido pelo parágrafo único do artigo 61 da Lei Federal n° 8.666/93.

Desta forma, acolho o posicionamento adotado pelo eminente Procurador

de Contas porquanto, de fato, o procedimento licitatório e a formalização

adotado pelo eminente Procurador de Contas porquanto, de fato, o procedimento licitatório e a formalização

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

do

vigentes.

contrato

administrativo

se

mostram

adequados

às

normas

legais

Ante o exposto, com fundamento legal no artigo 21, II e artigo 59, I, ambos da Lei Complementar Estadual nº 160/2012, combinado com os artigos 9º e 10, II, artigo 120, I e II e artigo 171, da Resolução Normativa TC/MS n° 76, de 11 de dezembro de 2013, acolho o parecer ministerial e decido:

1 Pela regularidade e legalidade do procedimento licitatório realizado na

modalidade de Pregão Presencial nº 006/2016 e formalização do Contrato Administrativo nº 020/2016, firmado entre o Município de Novo Horizonte do Sul - MS, CNPJ/MF nº 37.226.644/0001-02, representado pela Prefeita, Srª. Nilza Ramos Ferreira Marques, CPF/MF nº 312.512.261-91, como contratante, e de outro lado a empresa Kaiser Peças e Serviços Ltda - Epp, CNPJ/MF nº 01.558.747/0001-22, representada pelo Sr . Ernesto Kaiser Filho, CPF/MF nº 450.694.689-87, como contratada;

2 Pelo retorno destes autos à 2ª ICE para que aguarde a total execução

financeira do contrato, nos termos do artigo 84, parágrafo único, II, “a”

combinado com o artigo 120, § 2º do Regimento Interno aprovado pela Resolução Normativa TC/MS nº 76/2013;

3 - Pela intimação dos interessados acerca do resultado deste julgamento,

em conformidade com o artigo 50, I, da Lei Complementar nº 160, de 02 de Janeiro de 2012, combinado com o artigo 70, § 2º e artigo 99, da Resolução Normativa TC/MS n° 76, de 11 de dezembro de 2013.

Campo Grande - MS, 3 de março de 2017.

CONS. IRAN COELHO DAS NEVES Relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 684/2017

PROCESSO TC/MS: TC/6087/2016 PROTOCOLO: 1681816 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GLÓRIA DE DOURADOS JURISDICIONADO (A): ARCENO ATHAS JUNIOR CARGO: PREFEITO MUNICIPAL INTERESSADO (A): DEIVID V. D. BRESSANTE – ME TIPO DE PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO N. 4/2016 RELATOR: CONS. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente ao Contrato Administrativo n. 4/2016, celebrado entre o Município de Glória de Dourados e a empresa Deivid V. D. Bressante ME, tendo por objeto a aquisição de materiais para atender as necessidades das escolas municipais. Neste momento, examina-se a regularidade da licitação (primeira fase), realizada por meio do Convite n. 3/2016, e do contrato (segunda fase).

Pág.6

economicidade, uma vez que o valor da multa no caso em tela seria insignificante.

Diante disso, concordo com a análise da 1ª ICE e com o parecer do representante do MPC e, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, decido declarar a regularidade:

I

Dourados por meio do Convite n. 3/2016;

da

licitação,

realizada

pela

Administração Municipal de Glória

de

II do Contrato Administrativo n. 4/2016, celebrado entre o Município de Glória de Dourados e a empresa Deivid V. D. Bressante ME.

Depois de publicada esta Decisão, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, para o exame dos documentos relativos à execução financeira da contratação.

É a decisão.

Campo Grande, 17 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 998/2017

PROCESSO TC/MS: TC/4191/2016 PROTOCOLO: 1656150 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FÁTIMA DO SUL JURISDICIONADO (A): ERONIVALDO DA SILVA VASCONCELOS JUNIOR CARGO: PREFEITO MUNICIPAL TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N. 27/2015 RELATOR (A): CONS. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente à Ata de Registro de Preços n. 27/2015, formalizada pelo Município de Fátima do Sul com vistas ao registro de preços para o fornecimento de peças de manutenção para veículos pesados. Neste momento, examina-se a regularidade da licitação, realizada por meio do Pregão Presencial n. 49/2015, e da formalização da ata de registro de preços.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público de Contas (MPC). Ambos concluíram pela regularidade da licitação e da formalização da referida ata, conforme se observa na Análise n. 6041/2016 (peça n. 20, fls. 313-317) e no Parecer n. 22163/2016 (peça n. 21, fl. 318). A 1ª ICE e o MPC também apontaram que a cópia da ata de registro de preços foi remetida a este Tribunal intempestivamente.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pelo corpo técnico da 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério

É o relatório.

É

o relatório.

Público de Contas (MPC). Ambos concluíram pela regularidade da licitação e do contrato, conforme se observa na Análise n. 19476/2016 (peça n. 27, fls.

DECISÃO

161-166) e no Parecer n. 19076/2016 (peça n. 28, fl. 167). A 1ª ICE apontou ainda que houve remessa intempestiva a este Tribunal da cópia do contrato.

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos relativos à licitação e à formalização da ata de registro de preços estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes. Verifico ainda que assiste razão à 1ª ICE e ao MPC quanto à

DECISÃO

intempestividade na remessa de documentos a este Tribunal.

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos relativos à licitação e ao contrato estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes.

Quanto à remessa intempestiva de documentos, considerando que o atraso foi de 1 (um) dia, parece-me razoável deixar de aplicar multa ao jurisdicionado, em atendimento aos princípios da razoabilidade e da

Diante disso, acompanho o posicionamento da 1ª ICE e do representante do MPC e decido:

I declarar, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, a regularidade:

a) da licitação, realizada pela Administração Municipal de Fátima do Sul

por meio do Pregão Presencial n. 49/2015;

: a) da licitação, realizada pela Administração Municipal de Fátima do Sul por meio do Pregão

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

Pág.7

b)

da formalização da Ata de Registro de Preços n. 27/2015;

(

)

II

aplicar multa no valor equivalente a 30 (trinta) UFERMS ao senhor

É

o relatório.

Eronivaldo da Silva Vasconcelos Junior, CPF 692.230.091-20, Prefeito Municipal de Fátima do Sul na época dos fatos, com base nas disposições dos arts. 21, X, 42, IX, 44, I, e 46 da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, pela infração decorrente da remessa intempestiva a este Tribunal da cópia da Ata de Registro de Preços n. 27/2015;

III fixar o prazo de 60 (sessenta) dias, contados da data da publicação

desta Decisão no Diário Oficial (eletrônico) deste Tribunal (DOTCE/MS), para

o apenado pagar o valor da multa que lhe foi infligida e assinalar que o

pagamento deverá ser feito em favor do Fundo Especial de Modernização e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas-FUNTC, conforme as disposições do art. 50, I, e do art. 83, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, e do art. 172, §1º, I e II, do Regimento Interno.

Depois de tomadas as providências previstas no art. 70, § 2º, do Regimento Interno, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, consoante o disposto no parágrafo único do art. 4º da Orientação Técnica Interna n. 3, de 22 de setembro de 2010.

É a decisão.

DECISÃO

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos relativos à licitação e à formalização da ata de registro de preços estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes. Verifico ainda que assiste razão à 1ª ICE e ao MPC quanto à intempestividade da remessa de documentos a este Tribunal. Entendo, porém, que a intempestividade da remessa dos documentos ao Tribunal, embora enseje multa ao jurisdicionado, não tem o condão de contaminar a regularidade dos atos já praticados.

Diante disso, acompanho o posicionamento da 1ª ICE, acolho parcialmente

o Parecer do representante do MPC e decido:

I declarar, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, a regularidade:

a) da licitação, realizada pela Administração Municipal de Dourados por

meio do Pregão Presencial n. 54/2015;

Campo Grande, 22 de fevereiro de 2017.

b)

da formalização da Ata de Registro de Preços n. 18/2015;

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

II

aplicar multa no valor equivalente a 30 (trinta) UFERMS à senhora Ledi

Conselheiro relator

Ferla, CPF 597.332.099-53, Secretária Municipal de Assistência Social na época dos fatos, com base nas disposições dos arts. 21, X, 42, IX, 44, I, e 46

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 963/2017

PROCESSO TC/MS: TC/4127/2016 PROTOCOLO: 1664358 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS JURISDICIONADO (A): LEDI FERLA CARGO: SECRETÁRIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N. 18/2015 RELATOR: CONS. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente à Ata de Registro de Preços n. 18/2015, formalizada pelo Município de Dourados, por intermédio da Secretaria Municipal de Assistência Social, com vistas ao registro de preços para a prestação de serviços gráficos e de serigrafia. Neste momento, examina-se a regularidade da licitação, realizada por meio do Pregão Presencial n. 54/2015, e da formalização da ata de registro de preços.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE), que concluiu pela regularidade da licitação e da formalização da referida ata, conforme se observa na Análise n. 13275/2016 (peça n. 21, fls. 471-475). A 1ª ICE apontou ainda que, embora a prestação de contas esteja regular, a cópia da ata foi remetida a este Tribunal intempestivamente.

Ao apreciar a matéria, o Procurador do Ministério Público de Contas (MPC) manifestou-se por meio do Parecer n. 17063/2016 (peça n. 22, fls. 476- 477), no qual opinou da seguinte maneira:

1. pela legalidade e regularidade, com ressalva, da formalização do

procedimento licitatório Pregão Presencial nº 54/2015 (Ata de Registro de Preços nº 18/2015) (1ª Fase), nos termos do art. 59, inciso I, da Lei Complementar nº 160/2012, c/c os art.120, inciso II, e 122, inciso III, “a”, ambos da Resolução Normativa n.076/2013, ressalvando a remessa intempestiva da documentação;

2. pela aplicação de multa ao ordenador(a) de despesas, nos termos do

artigo 46 da Lei Complementar nº 160/2012 cc. art. 170, §1º, inciso I do

Regimento Interno, e infringência da Instrução Normativa nº 35/2011 Seção I, Capítulo II, 1.1.1 Letra A, pela remessa intempestiva da documentação ( );

da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, pela infração decorrente da remessa intempestiva a este Tribunal da cópia da Ata de Registro de Preços n. 18/2015;

III fixar o prazo de 60 (sessenta) dias, contados da data da publicação

desta Decisão no Diário Oficial (eletrônico) deste Tribunal (DOTCE/MS), para

a apenada pagar o valor da multa que lhe foi infligida e assinalar que o

pagamento deverá ser feito em favor do Fundo Especial de Modernização e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas-FUNTC, conforme as disposições do art. 50, I, e do art. 83, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, e do art. 172, §1º, I e II, do Regimento Interno.

Depois de tomadas as providências previstas no art. 70, § 2º, do Regimento Interno, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, consoante o disposto no parágrafo único do art. 4º da Orientação Técnica Interna n. 3, de 22 de setembro de 2010.

É a decisão.

Campo Grande, 22 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 997/2017

PROCESSO TC/MS: TC/20936/2015 PROTOCOLO: 1652248 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FÁTIMA DO SUL JURISDICIONADO (A): ERONIVALDO DA SILVA VASCONCELOS JUNIOR CARGO: PREFEITO MUNICIPAL TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N. 21/2015 RELATOR (A): CONS. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente à Ata de Registro de

Preços n. 21/2015, formalizada pelo Município de Fátima do Sul com vistas

ao registro de preços para a aquisição de material de consumo laboratorial.

Neste momento, examina-se a regularidade da licitação, realizada por meio

do Pregão Presencial n. 39/2015, e da formalização da ata de registro de preços.

licitação , realizada por meio do Pregão Presencial n. 39/2015, e da formalização da ata de

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público de Contas (MPC). Ambos concluíram pela regularidade da licitação e da formalização da referida ata, conforme se observa na Análise n. 3297/2016 (peça n. 21, fls. 343-347) e no Parecer n. 22153/2016 (peça n. 22, fl. 348). A 1ª ICE e o MPC também apontaram que a cópia da ata de registro de preços foi remetida a este Tribunal intempestivamente.

É o relatório.

DECISÃO

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos relativos à licitação e à formalização da ata de registro de preços estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes. Verifico ainda que assiste razão à 1ª ICE e ao MPC quanto à intempestividade na remessa de documentos a este Tribunal.

Diante disso, acompanho o posicionamento da 1ª ICE e do representante do MPC e decido:

I declarar, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, a regularidade:

a) da licitação, realizada pela Administração Municipal de Fátima do Sul

por meio do Pregão Presencial n. 39/2015;

Pág.8

do Pregão Presencial n. 16/2015, e da formalização da ata de registro de preços.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público de Contas (MPC). Ambos concluíram pela regularidade da licitação e da formalização da referida ata, conforme se observa na Análise n. 3259/2016 (peça n. 18, fls. 182-186) e no Parecer n. 22150/2016 (peça n. 19, fl. 187). A 1ª ICE e o MPC também apontaram que a cópia da ata de registro de preços foi remetida a este Tribunal intempestivamente.

É o relatório.

DECISÃO

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos relativos à licitação e à formalização da ata de registro de preços estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes. Verifico ainda que assiste razão à 1ª ICE e ao MPC quanto à intempestividade na remessa de documentos a este Tribunal.

Diante disso, acompanho o posicionamento da 1ª ICE e do representante do MPC e decido:

I declarar, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, a regularidade:

b)

da formalização da Ata de Registro de Preços n. 21/2015;

a)

da licitação, realizada pela Administração Municipal de Fátima do Sul

 

por meio do Pregão Presencial n. 16/2015;

II

aplicar multa no valor equivalente a 30 (trinta) UFERMS ao senhor

Eronivaldo da Silva Vasconcelos Junior, CPF 692.230.091-20, Prefeito

b)

da formalização da Ata de Registro de Preços n. 8/2015;

Municipal de Fátima do Sul na época dos fatos, com base nas disposições dos arts. 21, X, 42, IX, 44, I, e 46 da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, pela infração decorrente da remessa intempestiva a este Tribunal da cópia da Ata de Registro de Preços n. 21/2015;

aplicar multa no valor equivalente a 30 (trinta) UFERMS ao senhor

Eronivaldo da Silva Vasconcelos Junior, CPF 692.230.091-20, Prefeito Municipal de Fátima do Sul na época dos fatos, com base nas disposições dos arts. 21, X, 42, IX, 44, I, e 46 da Lei Complementar (estadual) n. 160, de

II

III

fixar o prazo de 60 (sessenta) dias, contados da data da publicação

2012, pela infração decorrente da remessa intempestiva a este Tribunal da

desta Decisão no Diário Oficial (eletrônico) deste Tribunal (DOTCE/MS), para

o apenado pagar o valor da multa que lhe foi infligida e assinalar que o

pagamento deverá ser feito em favor do Fundo Especial de Modernização e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas-FUNTC, conforme as disposições do art. 50, I, e do art. 83, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, e do art. 172, §1º, I e II, do Regimento Interno.

Depois de tomadas as providências previstas no art. 70, § 2º, do Regimento Interno, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, consoante o disposto no parágrafo único do art. 4º da Orientação Técnica Interna n. 3, de 22 de setembro de 2010.

É a decisão.

Campo Grande, 22 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 992/2017

PROCESSO TC/MS: TC/20697/2015 PROTOCOLO: 1650595 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FÁTIMA DO SUL JURISDICIONADO (A): ERONIVALDO DA SILVA VASCONCELOS JUNIOR CARGO: PREFEITO MUNICIPAL TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N. 8/2015 RELATOR (A): CONS. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente à Ata de Registro de Preços n. 8/2015, formalizada pelo Município de Fátima do Sul com vistas ao registro de preços para a aquisição de materiais de iluminação pública. Neste momento, examina-se a regularidade da licitação, realizada por meio

cópia da Ata de Registro de Preços n. 8/2015;

III fixar o prazo de 60 (sessenta) dias, contados da data da publicação

desta Decisão no Diário Oficial (eletrônico) deste Tribunal (DOTCE/MS), para

o apenado pagar o valor da multa que lhe foi infligida e assinalar que o

pagamento deverá ser feito em favor do Fundo Especial de Modernização e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas-FUNTC, conforme as disposições do art. 50, I, e do art. 83, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, e do art. 172, §1º, I e II, do Regimento Interno.

Depois de tomadas as providências previstas no art. 70, § 2º, do Regimento Interno, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, consoante o disposto no parágrafo único do art. 4º da Orientação Técnica Interna n. 3, de 22 de setembro de 2010.

É a decisão.

Campo Grande, 22 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.ICN - 1182/2017

PROCESSO TC/MS: TC/15859/2015 PROTOCOLO: 1630534 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE NAVIRAÍ/MS ORDENADORA DE DESPESAS: ANELIZE ANDRADE COELHO CARGO DA ORDENADORA: GERENTE MUNICIPAL DE SAÚDE ASSUNTO DO PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO N° 181/2015 ÓRGÃO JULGADOR : JUÍZO SINGULAR RELATOR: CONS. IRAN COELHO DAS NEVES CONTRATADA: ONCO PROD. DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS HOSPITALARES E ONCOLÓGICOS S/A. PROCEDIMENTO LICITATÓRIO: PREGÃO PRESENCIAL N° 005/2015

DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS HOSPITALARES E ONCOLÓGICOS S/A. PROCEDIMENTO LICITATÓRIO: PREGÃO PRESENCIAL N° 005/2015

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

OBJETO DA CONTRATAÇÃO: AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTO CETUXIMABE 900MG (INJETÁVEL), PARA ATENDIMENTO DE DEMANDA JUDICIAL. VALOR INICIAL DA CONTRATAÇÃO: R$ 39.142,24

EMENTA: CONTRATO ADMINISTRATIVO. 2ª E 3ª FASES. AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTO CETUXIMABE 900MG (INJETÁVEL), PARA ATENDIMENTO DE DEMANDA JUDICIAL. FORMALIZAÇÃO CONTRATUAL. EXECUÇÃO FINANCEIRA. CUMPRIMENTO DOS REQUISITOS NORMATIVOS EXIGIDOS. PROCESSO REGULAR E LEGAL. QUITAÇÃO A RESPONSÁVEL.

I – RELATÓRIO:

181/2015.

Pág.9

A Nota de Empenho, acima mencionada, atendeu as determinações da Lei

Federal nº 4.320/64, assim como as estabelecidas na Instrução Normativa TC/MS nº 54, de dezembro de 2016.

Deve ser ressaltado, que a publicação do extrato do contrato na data já destacada, obedeceu integralmente ao prazo estabelecido pelo Parágrafo único do artigo 61 da Lei Federal nº 8.666/93, bem como, o encaminhamento dos documentos que instruem o processo a esta Corte de Contas, que observou o prazo quinzenal previsto na Instrução Normativa TC/MS nº 54/2016.

O

processo em epígrafe se refere ao Contrato Administrativo nº 181/2015

(peça 2), oriundo do procedimento licitatório na modalidade Pregão Presencial nº 005/2015, estando sob análise à formalização contratual e a execução financeira, firmado entre o MUNICÍPIO DE NAVIRAÍ/MS, CNPJ/MF n° 03.155.934/0001-90, como Contratante, neste ato representado pela Gerente Municipal de Saúde, Sra. Analize Andrade Coelho, CPF nº

No mais, o contrato respeitou os demais parâmetros legais estabelecidos pelo pacto firmado e dessa forma encontra respaldo na legislação que o estabeleceu, ou seja, as redações dos artigos 61 a 64 da Lei n° 8.666/93, caracterizando com clareza e precisão as condições para a sua formalização.

608.307.941-15 e a empresa ONCO PROD. DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS

A

Execução Financeira restou devidamente comprovada através da juntada

HOSPITALARES E ONCOLÓGICOS S/A, CNPJ/MF nº 04.307.650/0001-35, representada neste ato pela Sra. Cristiane Rolon, CPF nº 655.367.111-72, como Contratada, conforme competência estabelecida pelo artigo 77, II, da Constituição do Estado de Mato Grosso do Sul, artigo 21, II, da Lei

da Nota de Empenho (peça 4-pág. 2, no valor de R$ R$ 39.142,24), Ordem de Pagamento (peça 10-pág. 8, no valor de R$ 39.142,24) e Nota Fiscal (peça 10-pág. 10, no valor de R$ 39.142,24), que ilustrou o equilíbrio apresentado na presente fase.

Complementar Estadual nº 160/2012, e artigos 9º, 10, II, c/c os artigos 120, II e III, e 122, IV, “a”, todos do Regimento Interno TC/MS.

Resumo da Execução:

Como objeto, a presente obrigação visa à aquisição de medicamento

Valor Contratual Inicial

- R$ 39.142,24

Cetuximabe 900 mg (injetável), para atendimento de demanda judicial, com

Valor Contratual Final

– R$ 39.142,24

o

contrato no valor de R$ 39.142,24 (trinta e nove mil, cento e quarenta e

Nota de Empenho

- R$ 39.142,24

dois reais e vinte e quatro centavos) e prazo de vigência de 90 (noventa) dias, contados da assinatura deste instrumento, até o dia 28/10/2015, podendo ser prorrogado mediante acordo entre as partes e nos termos da

Ordem de Pagamento Nota Fiscal

- R$ 39.142,24 - R$ 39.142,24

Lei Federal nº 8.666/93.

A Nota de Empenho nº 4285/2105, foi juntada aos autos à peça 4-pág. 2, no

valor de R$ 39.142,24 (trinta e nove mil, cento e quarenta e dois reais e vinte e quatro centavos).

Ocorreu à publicação do Extrato do Contrato em 27/08/2015 (peça 3) e a remessa dos documentos que constituem o processo se deu em 14/09/2015 (peça 1-pág. 1).

Os presentes autos, já foram objeto de julgamento, através da decisão singular – DSG-G.ICN-2540/2016, proferida nos autos do Processo TC/4377/2015, publicada no DOE-TCE/MS nº 1307, de 14/04/2016, que julgou regular e legal o procedimento licitatório na modalidade Pregão Presencial nº 5/2015 e a formalização da Ata de Registro de Preços nº

8/2015.

Em 25/11/2015, foi firmado o Termo de Encerramento do Contrato, anexado aos autos à peça 10-pág. 5, dessa forma, pondo fim às obrigações contratadas.

Quanto aos documentos correspondentes à fase de execução do presente feito, estes foram remetidos a este Tribunal de forma tempestiva, ou seja, observando o prazo legal estipulado pela Instrução Normativa TC/MS nº

54/2016.

Ante o exposto, com fundamento legal no artigo 77, II, da Constituição do Estado de Mato Grosso do Sul, artigo 59, I, da Lei Complementar Estadual nº 160/2012 e artigo 171 do Regimento Interno TC/MS, acolho o parecer ministerial e passo a decidir.

III – DECIDO:

 

1

– Pela REGULARIDADE e LEGALIDADE da Formalização do Contrato

Em sua análise-ANA–2ICE–18738/2016 (peça 11), à 2ª Inspetoria de Controle Externo, se manifestou pela regularidade e legalidade da formalização e da execução financeira do Contrato Administrativo nº 181/2015, nos termos do artigo 59, I, da Lei Complementar nº 160/2012, c/c o artigo 122, IV, “a”, do Regimento Interno deste Tribunal.

Administrativo nº 181/2015, firmado entre o MUNICÍPIO DE NAVIRAÍ/MS, CNPJ/MF n° 03.155.934/0001-90, como Contratante, neste ato representado pela Gerente Municipal de Saúde, Sra. Analize Andrade Coelho, CPF nº 608.307.941-15 e a empresa ONCO PROD. DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS HOSPITALARES E ONCOLÓGICOS S/A, CNPJ/MF nº 04.307.650/0001-35, representada neste ato pela Sra. Cristiane Rolon, CPF nº 655.367.111-72,

O

Ministério Público de Contas analisou os documentos acostados nos autos

como Contratada;

e

por meio do parecer PAR–MPC – GAB.5 DR.JOAOMJR – 22539/2016 (peça

12), opinou pela legalidade e regularidade da formalização contratual e da

execução financeira do Contrato Administrativo nº 181/2015, nos termos do artigo 120, II e III, da Resolução Normativa nº 76, de 11 de dezembro de 2013, c/c o artigo 59, I, da Lei Complementar nº 160/2012.

Esta é a síntese dos fatos e documentos que constituem o processo.

Cumpridos os pressupostos processuais, estando regularmente instruído, passo ao exame do mérito, nos termos do artigo 112, Parágrafo único, II, “b” do Regimento Interno, aprovado pela Resolução Normativa nº 76/2013.

II - DO MÉRITO:

Com relação ao mérito, a questão repousa na apreciação da formalização contratual e da execução financeira do Contrato Administrativo nº

2 - Pela REGULARIDADE e LEGALIDADE da Execução Financeira do Contrato Administrativo nº 181/2015, firmado entre o MUNICÍPIO DE NAVIRAÍ/MS, CNPJ/MF n° 03.155.934/0001-90, como Contratante, neste ato representado pela Gerente Municipal de Saúde, Sra. Analize Andrade Coelho, CPF nº 608.307.941-15 e a empresa ONCO PROD. DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS HOSPITALARES E ONCOLÓGICOS S/A, CNPJ/MF nº 04.307.650/0001-35, representada neste ato pela Sra. Cristiane Rolon, CPF nº 655.367.111-72, como Contratada;

3 - Pela quitação a responsável, Sra. Analize Andrade Coelho, CPF nº

608.307.941-15, Gerente Municipal de Saúde, tendo em vista o cumprimento do objeto, a exatidão de seus valores e regular execução das

obrigações, nos moldes do artigo 60 da Lei Complementar Estadual nº 160/2012, c/c o artigo 171 da Resolução Normativa TC/MS nº 76, de 11 de dezembro de 2013;

Lei Complementar Estadual nº 160/2012, c/c o artigo 171 da Resolução Normativa TC/MS nº 76, de

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

4 - Pela intimação do resultado deste julgamento aos interessados, em conformidade com o artigo 50, I, da Lei Complementar nº 160/2012, c/c o artigo 94 do Regimento Interno TC/MS.

É a decisão.

Publique-se o julgamento na forma do artigo 65 da Lei Complementar nº 160/2012, c/c o artigo 70, § 2º, do Regimento Interno TC/MS.

nos termos da Lei Federal nº 8.666/93.

Pág.10

A Nota de Empenho nº 4312/2015, foi juntada aos autos à peça 12, no valor

de R$ 49.150,00 (quarenta e nove mil e cento e cinquenta reais).

Ocorreu à publicação do Extrato do Contrato em 27/08/2015 (peça 11-pág. 1-2) e a remessa dos documentos que constituem o processo se deu em 03/09/2015 (peça 1-pág. 1).

Campo Grande/MS, 03 de março de 2017.

IRAN COELHO DAS NEVES Conselheiro-Relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.ICN - 873/2017

PROCESSO TC/MS: TC/15435/2015 PROTOCOLO: 1627830 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE NAVIRAÍ/MS ORDENADORA DE DESPESAS: ANELIZE ANDRADE COELHO CARGO DA ORDENADORA: GERENTE MUNICIPAL DE SAÚDE ASSUNTO DO PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 218/2015 ÓRGÃO JULGADOR: JUÍZO SINGULAR RELATOR: CONS. IRAN COELHO DAS NEVES CONTRATADA: CENTRO DE CARDIOLOGIA NOROESTE DO PARANÁ LTDA. PROCEDIMENTO LICITATÓRIO: DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 104/2015 OBJETO DA CONTRATAÇÃO: REALIZAÇÃO DE EXAMES PRÉ-OPERATÓRIOS DE RISCO CIRÚRGICO (ANGIOGRAFIA CEREBRAL DIGITALIZADA E ARTROGRAFIA TORÁCICA) E PROCEDIMENTO CIRÚRGICO DE ANGIOPLASTIA DE CARÓTIDAS, COM IMPLANTE DE STENT, AO PACIENTE NORBERTO ANANIAS CONFORME DETERMINAÇÃO JUDICIAL, PARA ATENDER A GERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE NAVIRAÍ/MS. VALOR INICIAL DA CONTRATAÇÃO: R$ 49.150,00 EMENTA: CONTRATO ADMINISTRATIVO. TODAS AS FASES. REALIZAÇÃO DE EXAMES PRÉ-OPERATÓRIOS DE RISCO CIRÚRGICO (ANGIOGRAFIA CEREBRAL DIGITALIZADA E ARTROGRAFIA TORÁCICA) E PROCEDIMENTO CIRÚRGICO DE ANGIOPLASTIA DE CARÓTIDAS, COM IMPLANTE DE STENT, AO PACIENTE NORBERTO ANANIAS CONFORME DETERMINAÇÃO JUDICIAL, PARA ATENDER

DE CARÓTIDAS, COM IMPLANTE DE STENT, AO PACIENTE NORBERTO ANANIAS CONFORME DETERMINAÇÃO JUDICIAL, PARA ATENDER
DE CARÓTIDAS, COM IMPLANTE DE STENT, AO PACIENTE NORBERTO ANANIAS CONFORME DETERMINAÇÃO JUDICIAL, PARA ATENDER
DE CARÓTIDAS, COM IMPLANTE DE STENT, AO PACIENTE NORBERTO ANANIAS CONFORME DETERMINAÇÃO JUDICIAL, PARA ATENDER
DE CARÓTIDAS, COM IMPLANTE DE STENT, AO PACIENTE NORBERTO ANANIAS CONFORME DETERMINAÇÃO JUDICIAL, PARA ATENDER
DE CARÓTIDAS, COM IMPLANTE DE STENT, AO PACIENTE NORBERTO ANANIAS CONFORME DETERMINAÇÃO JUDICIAL, PARA ATENDER
DE CARÓTIDAS, COM IMPLANTE DE STENT, AO PACIENTE NORBERTO ANANIAS CONFORME DETERMINAÇÃO JUDICIAL, PARA ATENDER
DE CARÓTIDAS, COM IMPLANTE DE STENT, AO PACIENTE NORBERTO ANANIAS CONFORME DETERMINAÇÃO JUDICIAL, PARA ATENDER

Em sua análise-ANA–2ICE–22894/2016 (peça 26), à 2ª Inspetoria de Controle Externo, se manifestou pela regularidade e legalidade da contratação pública direta iniciada por Dispensa de Licitação nº 104/2015, da formalização contratual e da execução financeira do Contrato Administrativo nº 218/2015, nos termos do artigo 59, I, da Lei Complementar nº 160, de 02 de janeiro de 2012, c/c o artigo 121, II, “a”, e IV, todos do Regimento Interno, tendo em vista a observância dos preceitos legais que regem a matéria analisada.

e IV, todos do Regimento Interno, tendo em vista a observância dos preceitos legais que regem
e IV, todos do Regimento Interno, tendo em vista a observância dos preceitos legais que regem
e IV, todos do Regimento Interno, tendo em vista a observância dos preceitos legais que regem

O

e

Ministério Público de Contas analisou os documentos acostados nos autos

por meio do parecer PAR–MPC – GAB.5 DR.JOAOMJR - 21423/2016 (peça

27), opinou pela legalidade e regularidade da Dispensa de Licitação nº 104/2015 (1ª Fase), da

27), opinou pela legalidade e regularidade da Dispensa de Licitação nº 104/2015 (1ª Fase), da formalização do Contrato Administrativo nº 218/2015 (2ª Fase) e de sua execução financeira (3ª Fase), nos termos do 120, I e II, da Resolução Normativa TC/MS nº 76/2013, c/c o artigo 59, I da Lei Complementar nº 160/2012.

Esta é a síntese dos fatos e documentos que constituem o processo.

Esta é a síntese dos fatos e documentos que constituem o processo.

Cumpridos os pressupostos processuais, estando regularmente instruído, passo ao exame do mérito, nos termos do

Cumpridos os pressupostos processuais, estando regularmente instruído, passo ao exame do mérito, nos termos do artigo 112, Parágrafo único, II, “b” do Regimento Interno, aprovado pela Resolução Normativa nº 76/2013.

II - DO MÉRITO:

II - DO MÉRITO:

Com relação ao mérito, a questão repousa na apreciação da dispensa do procedimento licitatório nº

Com relação ao mérito, a questão repousa na apreciação da dispensa do procedimento licitatório nº 104/2015, da formalização contratual e da execução financeira do Contrato Administrativo nº 218/2015.

A GERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE NAVIRAÍ/MS. DISPENSA DO

PROCEDIMENTO LICITATÓRIO. FORMALIZAÇÃO CONTRATUAL. EXECUÇÃO FINANCEIRA. PROCESSO REGULAR E LEGAL. REMESSA INTEMPESTIVA. INOBSERVÂNCIA PARCIAL DOS REQUISITOS NORMATIVOS EXIGIDOS. RESSALVA. RECOMENDAÇÃO. QUITAÇÃO A RESPONSÁVEL.

I – RELATÓRIO:

O processo em epígrafe se refere ao Contrato Administrativo nº 218/2015

(peça 10), oriundo da dispensa do procedimento licitatório nº 104/2015,

estando esta sob análise, conjuntamente com a formalização contratual e a execução financeira, firmado entre o MUNICÍPIO DE NAVIRAÍ/MS, CNPJ/MF

n° 03.155.934/0001-90, como Contratante, neste ato representado pela

Gerente Municipal de Saúde, Sra. Analize Andrade Coelho, CPF nº 608.307.941-15 e a empresa CENTRO DE CARDIOLOGIA NOROESTE DO PARANÁ LTDA., CNPJ/MF nº 17.737.320/0001-21, representada neste ato pelo Sr. Cirineu Fajardo, CPF nº 175.137.829-20 e pelo Sr. Evandro Luis Queiroz Flores, CPF nº 449.070.360-00, como Contratada, conforme competência estabelecida pelo artigo 77, II, da Constituição do Estado de Mato Grosso do Sul, artigo 21, II, da Lei Complementar Estadual nº

160/2012, e artigos 9º, 10, II, c/c os artigos 120, I, “b”, II e III, e 121, I, “a”, II,

III e IV, “a”, todos do Regimento Interno TC/MS.

Como objeto, a presente obrigação visa à realização de exames pré- operatórios de risco cirúrgico (angiografia cerebral digitalizada e artrografia torácica) e procedimento cirúrgico de angioplastia de carótidas, com implante de stent, ao paciente Norberto Ananias conforme determinação judicial, referente aos autos de Ação Civil Pública nº 0801694- 49.2015.8.12.0029, Mandado nº 029.2015/006191-1 do Poder Judiciário, Segunda Vara Cível da Comarca de Naviraí/MS, para atender a Gerência Municipal de Saúde de Naviraí/MS, com o contrato no valor de R$ 49.150,00 (quarenta e nove mil e cento e cinquenta reais) e prazo de vigência de 90 (noventa) dias, contados da assinatura deste instrumento, até o dia 21/11/2015, podendo ser prorrogado mediante acordo entre as partes e

A Nota de Empenho, acima mencionada, atendeu as determinações da Lei

Federal nº 4.320/64, assim como as estabelecidas na Instrução Normativa

TC/MS nº 54, de 14 de dezembro de 2016.

Deve ser ressaltado, que a publicação do extrato do contrato na data já destacada, obedeceu integralmente ao prazo estabelecido pelo Parágrafo único do artigo 61 da Lei Federal nº 8.666/93, bem como, o encaminhamento dos documentos que instruem o processo a esta Corte de Contas, que observou o prazo quinzenal previsto na Instrução Normativa TC/MS nº 54/2016.

Quanto à dispensa do procedimento licitatório, este seguiu rigorosamente os ditames da Lei Federal n° 8.666/93 e suas posteriores alterações, respeitando a redação do artigo 24 “caput”, IV, que legisla sobre a dispensa de licitação nos casos de emergência ou de calamidade pública, quando caracterizada urgência de atendimento de situação que possa ocasionar prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços, equipamentos e outros bens, públicos ou particulares, e somente para os bens necessários ao atendimento da situação emergencial ou calamitosa, senão vejamos:

“Art. 24. É dispensável a licitação:

IV - nos casos de emergência ou de calamidade pública, quando caracterizada urgência de atendimento de situação que possa ocasionar prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços, equipamentos e outros bens, públicos ou particulares, e somente para os bens necessários ao atendimento da situação emergencial ou calamitosa e para as parcelas de obras e serviços que possam ser concluídas no prazo máximo de 180 (cento e oitenta) dias consecutivos e ininterruptos, contados da ocorrência da emergência ou calamidade, vedada a prorrogação dos respectivos contratos;”

Neste sentido, as lições do renomado Desembargador do Estado do Rio De Janeiro Jessé Torres Pereira Júnior:

Neste sentido, as lições do renomado Desembargador do Estado do Rio De Janeiro Jessé Torres Pereira

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

“As hipóteses de dispensabilidade do art. 24 constituem rol taxativo, isto é, a Administração somente poderá dispensar-se de realizar a competição se ocorrente uma das situações previstas na Lei federal, Lei estadual, municipal ou distrital, bem assim regulamento interno da entidade vinculada não poderá criar hipótese de dispensabilidade. Além disso, ressalte-se que, nestes casos relacionados pela legislação, há a discricionariedade da Administração na escolha da dispensa ou não do certame, devendo sempre levar em conta o interesse público. Muitas vezes, o administrador opta pela dispensa, posto que, como afirma o ilustre jurista Marçal Justen Filho, “os custos necessários à licitação ultrapassarão benefícios que dela poderão advir”.

Assim, tem-se como adequada a modalidade selecionada, sendo esta apropriada para a solicitação da contratação realizada, em respeito à legislação que disciplina tal procedimento.

Da mesma forma, o contrato respeitou os parâmetros legais estabelecidos pelo pacto firmado e encontra respaldo na legislação que o estabeleceu, ou seja, as redações dos artigos 60 a 64 da mesma lei, caracterizando com clareza e precisão as condições para a sua formalização.

A Execução Financeira restou devidamente comprovada através da juntada das Notas de Empenho (peça 15-pág. 9, no valor de R$ R$ 49.150,00), Ordem de Pagamento (peça 15-pág. 8, no valor de R$ 49.150,00) e Nota Fiscal (peça 15-pág. 9-11, no valor de R$ 49.150,00), que ilustraram o equilíbrio apresentado na presente fase.

Resumo da Execução:

Valor Contratual Inicial Valor Contratual Final Nota de Empenho Ordem de Pagamento Nota Fiscal

- R$ 49.150,00 R$ 49.150,00 - R$ 49.150,00 - R$ 49.150,00 - R$ 49.150,00

Quanto aos documentos correspondentes à fase de execução do presente feito, estes foram remetidos a este Tribunal de forma intempestiva, ou seja, não observando o prazo legal estipulado pela Instrução Normativa TC/MS nº 54/2016, ocasionando um lapso de ordem formal, que não determinou prejuízo ao erário, à análise e ao andamento da fase processual, onde mesmo com o atraso temporal na remessa dos documentos obrigatórios a esta Corte de Contas, não deixou de ser realizada, de modo a permitir de forma plena a análise, com isso, data vênia, inapto a gerar uma decisão irregular ao feito, ocasionando uma ressalva em seu julgamento.

Ante o exposto, com fundamento legal no artigo 77, II, da Constituição do Estado de Mato Grosso do Sul, artigo 59, I e II, da Lei Complementar Estadual nº 160/2012 e artigo 171 do Regimento Interno TC/MS, acolho o parecer ministerial e passo a decidir.

III DECIDO:

1 Pela REGULARIDADE e LEGALIDADE da Dispensa do Procedimento Licitatório nº 104/2015 e da Formalização do Contrato Administrativo nº 218/2015, firmado entre o MUNICÍPIO DE NAVIRAÍ/MS, CNPJ/MF n° 03.155.934/0001-90, como Contratante, neste ato representado pela Gerente Municipal de Saúde, Sra. Analize Andrade Coelho, CPF nº 608.307.941-15 e a empresa CENTRO DE CARDIOLOGIA NOROESTE DO PARANÁ LTDA., CNPJ/MF nº 17.737.320/0001-21, representada neste ato pelo Sr. Cirineu Fajardo, CPF nº 175.137.829-20 e pelo Sr. Evandro Luis Queiroz Flores, CPF nº 449.070.360-00, como Contratada;

2 - Pela REGULARIDADE e LEGALIDADE COM RESSALVA da Execução Financeira do Contrato Administrativo nº 218/2015, firmado entre o MUNICÍPIO DE NAVIRAÍ/MS, CNPJ/MF n° 03.155.934/0001-90, como Contratante, neste ato representado pela Gerente Municipal de Saúde, Sra. Analize Andrade Coelho, CPF nº 608.307.941-15 e a empresa CENTRO DE CARDIOLOGIA NOROESTE DO PARANÁ LTDA., CNPJ/MF nº 17.737.320/0001-21, representada neste ato pelo Sr. Cirineu Fajardo, CPF nº 175.137.829-20 e pelo Sr. Evandro Luis Queiroz Flores, CPF nº 449.070.360-00, como Contratada, ressalvando a remessa intempestiva dos documentos da presente fase a esta Corte de Contas;

Pág.11

3 - Pela recomendação ao atual responsável, Sr. Fábio Augusto Bonicontro, CPF nº 338.592.801-04, Gerente Municipal de Saúde, da adoção de medida necessária para a correção da impropriedade identificada, de modo a prevenir a ocorrência de novas inadequações equivalentes ou assemelhadas, com fundamento no artigo 59, II, c/c § 1º, II, da Lei Complementar Estadual nº 160/2012;

4 - Pela quitação a responsável a época, Sra. Analize Andrade Coelho, CPF

nº 608.307.941-15, Gerente Municipal de Saúde, tendo em vista o cumprimento do objeto, a exatidão de seus valores e regular execução das obrigações, nos moldes do artigo 60 da Lei Complementar Estadual nº 160/2012, c/c o artigo 171 da Resolução Normativa TC/MS nº 76, de 11 de dezembro de 2013;

5 - Pela intimação do resultado deste julgamento aos interessados, em

conformidade com o artigo 50, I, da Lei Complementar nº 160/2012, c/c o

artigo 94 do Regimento Interno TC/MS.

É a decisão.

Publique-se o julgamento na forma do artigo 65 da Lei Complementar nº 160/2012, c/c o artigo 70, § 2º, do Regimento Interno TC/MS.

Campo Grande/MS, 03 de março de 2017.

IRAN COELHO DAS NEVES Conselheiro-Relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 989/2017

PROCESSO TC/MS: TC/15230/2015 PROTOCOLO: 1627593 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FÁTIMA DO SUL JURISDICIONADO (A): ERONIVALDO DA SILVA VASCONCELOS JUNIOR CARGO: PREFEITO MUNICIPAL TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N. 15/2015 RELATOR (A): CONS. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente à Ata de Registro de Preços n. 15/2015, formalizada pelo Município de Fátima do Sul com vistas ao registro de preços para a aquisição de medicamentos. Neste momento, examina-se a regularidade da licitação, realizada por meio do Pregão Presencial n. 30/2015, e da formalização da ata de registro de preços.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público de Contas (MPC). Ambos concluíram pela regularidade da licitação e da formalização da referida ata, conforme se observa na Análise n. 27971/2015 (peça n. 23,

fls. 331-336) e no Parecer n. 22139/2016 (peça n. 24, fl. 337). A 1ª ICE e o MPC apontaram ainda que a cópia da ata de registro de preços foi remetida

a este Tribunal intempestivamente.

É o relatório.

DECISÃO

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos relativos à licitação e à formalização da ata de registro de preços estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes. Verifico ainda que assiste razão à 1ª ICE e ao MPC quanto à intempestividade na remessa de documentos a este Tribunal.

Diante disso, acompanho o posicionamento da 1ª ICE e do representante do MPC e decido:

I declarar, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, a regularidade:

a) da licitação, realizada pela Administração Municipal de Fátima do Sul

por meio do Pregão Presencial n. 30/2015;

: a) da licitação, realizada pela Administração Municipal de Fátima do Sul por meio do Pregão

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

Pág.12

b)

da formalização da Ata de Registro de Preços n. 15/2015;

a)

da licitação, realizada pela Administração Municipal de Fátima do Sul

 

por meio do Pregão Presencial n. 45/2015;

II

aplicar multa no valor equivalente a 30 (trinta) UFERMS ao senhor

Eronivaldo da Silva Vasconcelos Junior, CPF 692.230.091-20, Prefeito

b)

da formalização da Ata de Registro de Preços n. 25/2015;

Municipal de Fátima do Sul na época dos fatos, com base nas disposições dos arts. 21, X, 42, IX, 44, I, e 46 da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, pela infração decorrente da remessa intempestiva a este Tribunal da cópia da Ata de Registro de Preços n. 15/2015;

aplicar multa no valor equivalente a 30 (trinta) UFERMS ao senhor

Eronivaldo da Silva Vasconcelos Junior, CPF 692.230.091-20, Prefeito Municipal de Fátima do Sul na época dos fatos, com base nas disposições dos arts. 21, X, 42, IX, 44, I, e 46 da Lei Complementar (estadual) n. 160, de

II

III

fixar o prazo de 60 (sessenta) dias, contados da data da publicação

2012, pela infração decorrente da remessa intempestiva a este Tribunal da

desta Decisão no Diário Oficial (eletrônico) deste Tribunal (DOTCE/MS), para

cópia da Ata de Registro de Preços n. 25/2015;

o

apenado pagar o valor da multa que lhe foi infligida e assinalar que o

pagamento deverá ser feito em favor do Fundo Especial de Modernização e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas-FUNTC, conforme as disposições do art. 50, I, e do art. 83, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, e do art. 172, §1º, I e II, do Regimento Interno.

Depois de tomadas as providências previstas no art. 70, § 2º, do Regimento Interno, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, consoante o disposto no parágrafo único do art. 4º da Orientação Técnica Interna n. 3, de 22 de setembro de 2010.

É a decisão.

Campo Grande, 22 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 987/2017

PROCESSO TC/MS: TC/15227/2015 PROTOCOLO: 1627592 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FÁTIMA DO SUL JURISDICIONADO (A): ERONIVALDO DA SILVA VASCONCELOS JUNIOR CARGO: PREFEITO MUNICIPAL TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N. 25/2015 RELATOR (A): CONS. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente à Ata de Registro de Preços n. 25/2015, formalizada pelo Município de Fátima do Sul com vistas ao registro de preços para a contratação de empresa especializada em confecções de abrigo. Neste momento, examina-se a regularidade da licitação, realizada por meio do Pregão Presencial n. 45/2015, e da formalização da ata de registro de preços.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público de Contas (MPC). Ambos concluíram pela regularidade da licitação e da formalização da referida ata, conforme se observa na Análise n. 5443/2016 (peça n. 22,

fls. 149-153) e no Parecer n. 22157/2016 (peça n. 23, fl. 154). A 1ª ICE e o MPC apontaram ainda que a cópia da ata de registro de preços foi remetida

a este Tribunal intempestivamente.

É o relatório.

DECISÃO

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos relativos à licitação e à formalização da ata de registro de preços estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes. Verifico ainda que assiste razão à 1ª ICE e ao MPC quanto à intempestividade na remessa de documentos a este Tribunal.

Diante disso, acompanho o posicionamento da 1ª ICE e do representante do MPC e decido:

I declarar, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, a regularidade:

III fixar o prazo de 60 (sessenta) dias, contados da data da publicação

desta Decisão no Diário Oficial (eletrônico) deste Tribunal (DOTCE/MS), para

o apenado pagar o valor da multa que lhe foi infligida e assinalar que o

pagamento deverá ser feito em favor do Fundo Especial de Modernização e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas-FUNTC, conforme as disposições do art. 50, I, e do art. 83, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2012, e do art. 172, §1º, I e II, do Regimento Interno.

Depois de tomadas as providências previstas no art. 70, § 2º, do Regimento Interno, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, consoante o disposto no parágrafo único do art. 4º da Orientação Técnica Interna n. 3, de 22 de setembro de 2010.

É a decisão.

Campo Grande, 22 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.ICN - 1108/2017

PROCESSO TC/MS: TC/14872/2015 PROTOCOLO: 1623642 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ANDRADINA/MS ORDENADOR DE DESPESAS: UMBERTO CANESQUE FILHO CARGO DO ORDENADOR: SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SERVIÇOS PÚBLICOS ASSUNTO DO PROCESSO: EMPENHO Nº 537/2014 ÓRGÃO JULGADOR: JUÍZO SINGULAR RELATOR: CONS. IRAN COELHO DAS NEVES CONTRATADA: LINDOMAR FONSECA DO NASCIMENTO PROCEDIMENTO LICITATÓRIO: PREGÃO PRESENCIAL N° 261/2013 OBJETO DA CONTRATAÇÃO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM PODAS DE ÁRVORES, ROÇADAS DE GRAMAS, PINTURA DE MEIO FIO E LIMPEZA GERAL NAS PRAÇAS PÚBLICAS E CEMITÉRIO MUNICIPAL DE NOVA ANDRADINA/MS. VALOR INICIAL DA CONTRATAÇÃO: R$ 32.828,36

EMENTA: CONTRATAÇÃO PÚBLICA. NOTA DE EMPENHO. 2ª E 3ª FASES. CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM PODAS DE ÁRVORES, ROÇADAS DE GRAMAS, PINTURA DE MEIO FIO E LIMPEZA GERAL NAS PRAÇAS PÚBLICAS E CEMITÉRIO MUNICIPAL DE NOVA ANDRADINA/MS. FORMALIZAÇÃO. REMESSA INTEMPESTIVA APONTADA. EXECUÇÃO FINANCEIRA. INOBSERVÂNCIA PARCIAL DOS DISPOSITIVOS NORMATIVOS EXIGIDOS. PROCESSO REGULAR E LEGAL. RESSALVA. RECOMENDAÇÃO. QUITAÇÃO AO RESPONSÁVEL.

I - RELATÓRIO:

O processo em epígrafe se refere à análise da formalização e da execução

financeira do Empenho nº 537/2014 (peça 2-pág. 1), emitido pela PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ANDRADINA/MS, CNPJ/MF nº 03.173.317/0001-18, neste ato representada pelo Secretário Municipal de Serviços Públicos, Sr. Umberto Canesque Filho, CPF nº 495.768.448-00, em favor da empresa LINDOMAR FONSECA DO NASCIMENTO, CNPJ/MF nº 11.733.824/0001-00, conforme competência estabelecida pelo artigo 77, II, da Constituição do Estado de Mato Grosso do Sul e artigo 21, II, da Lei Complementar Estadual nº 160/2012, e artigos 9º, 10, II, c/c os artigos 120, II e III, “b”, e 122, III, “a” e “b”, e IV, “a”, todos da Resolução Normativa nº

76, de 11 de dezembro de 2013.

“b”, e 122, III, “a” e “b”, e IV, “a”, todos da Resolução Normativa nº 76,

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

Como objeto, visa à contratação de empresa especializada em podas de árvores, roçadas de gramas, pintura de meio foi e limpeza geral nas praças públicas e cemitério Municipal de Nova Andradina/MS, no valor de R$ 32.828,36 (trinta e dois mil, oitocentos e vinte e oito reais e trinta e seis centavos).

A Nota de Empenho nº 537/2014, foi juntada aos autos à peça 2-pág. 1, no

valor de R$ 32.828,36 (trinta e dois mil, oitocentos e vinte e oito reais e

trinta seis centavos).

Pág.13

a redação do artigo 62, “caput”, § 4º, da Lei n° 8.666/93, caracterizando com clareza e precisão as condições para a sua formalização.

A Execução Financeira restou devidamente comprovada através da juntada

da Nota de Empenho (peça 2-pág. 3, no valor de R$ 32.826,36), Ordens de Pagamento (peça 5, no valor de R$ 32.828,36) e Notas Fiscais (peça 3-pág.

14, 17-18, 20, 22, 24, 26, 28, 30 e 32, no valor de R$ 32.828,36), que ilustraram o equilíbrio apresentado na presente fase.

 

Resumo da Execução:

Ocorreu à publicação do Extrato do Empenho em 17/03/2015 (peça 2-pág. 3) e a remessa dos documentos que constituem o processo se deu em 07/08/2015 (peça 1-pág. 1).

Valor Contratual Inicial Valor Contratual Final

- R$ 32.828,36 R$ 32.828,36

Os presentes autos, já foram objeto de julgamento, através da Decisão Singular nº 2728/20914, proferida nos autos do Processo TC/17945/2013,

Nota de Empenho Ordens de Pagamento Notas Fiscais

- R$ 32.828,36 - R$ 32.828,36 - R$ 32.828,36

publicada no DOE-TCE/MS nº 917, de 09/07/2014, que julgou regular e legal

o procedimento licitatório na modalidade Pregão Presencial nº 261/2013 e

a formalização da Ata de Registro de Preços nº 70/2013.

Em sua análise - ANAIEAMA11431/2016 (peça 7), à Inspetoria de

Engenharia, Arquitetura e Meio Ambiente, se manifestou pela regularidade

do presente processo, no que se refere à formalização do empenho e sua

execução, de acordo com o artigo 120, II e III, do Regimento Interno,

embora não tenha atendido o prazo estabelecido no Subitem 1.1.1 da Seção I, Capítulo III do Anexo I da Instrução Normativa nº 35/2011.

O Ministério Público de Contas analisou os documentos acostados nos

autos e por meio do parecer PAR MPC GAB.3 DR.JAC/SUBSTITUTO - 21962/2016 (peça 8), opinou pela legalidade e regularidade com ressalva da formalização do Empenho nº 537/2014, nos termos do artigo 59, II, da Lei Complementar nº 160/2012, c/c o artigo 120, II, artigo 122, III, “a”, ambos

da Resolução Normativa TC/MS nº 76, de 11 de dezembro de 2013, pela

infringência a Instrução Normativa nº 035/2011 - Seção I, Capítulo III, 1.1.1 -

Letra A, pela legalidade e regularidade da prestação de contas da execução financeira do empenho, nos termos do artigo 59, inciso I, da Lei Complementar nº 160/2012, c/c o artigo 120, III, e artigo 122, III, “b”, ambos da Resolução Normativa TC/MS nº 76, de 11 de dezembro de 2013 e multa ao Jurisdicionado, com fulcro no artigo 46, da Lei Complementar nº 160/2012, pela infringência a Instrução Normativa nº 035/2011 - Seção I, Capítulo III, 1.1.1 - Letra A.

Esta é a síntese dos fatos e documentos que constituem o processo.

Cumpridos os pressupostos processuais, estando regularmente instruído, passo ao exame do mérito, nos termos do artigo 112, Parágrafo único, II, “b” do Regimento Interno, aprovado pela Resolução Normativa nº 76/2013.

II DO MÉRITO:

O mérito da questão repousa na apreciação da formalização e execução

financeira do Empenho nº 537/2014.

A Nota de Empenho, acima mencionada, atendeu as determinações da Lei

Federal nº 4.320/64, assim como as estabelecidas na Instrução Normativa TC/MS nº 54, de 14 de dezembro de 2016.

Deve ser ressaltado, que a publicação do extrato do empenho na data já destacada, obedeceu integralmente o prazo estabelecido pelo Parágrafo único do artigo 61 da Lei Federal nº 8.666/93, porém, o encaminhamento dos documentos que instruem o processo a esta Corte de Contas, não observou o prazo quinzenal previsto na Instrução Normativa TC/MS nº 54/2016, caracterizando um lapso de ordem formal, que não determinou prejuízo ao erário, à análise e ao andamento da fase processual, onde mesmo com o atraso temporal na remessa dos documentos obrigatórios a esta Corte de Contas, não deixou de ser realizada, de modo a permitir de forma plena sua apreciação, com isso, data vênia, inapto a gerar uma decisão irregular ao feito, tão pouco, multa ao responsável pela contratação, porém, ocasionando uma ressalva em seu julgamento.

No mais, o empenho respeitou os demais parâmetros legais estabelecidos, dessa forma, encontrando respaldo na legislação que o estabelece, ou seja,

Ante o exposto, com fundamento legal no artigo 77, II, da Constituição do Estado de Mato Grosso do Sul, artigo 59, I e II, da Lei Complementar nº 160/2012 e artigo 171 da Resolução Normativa nº 76/2013, acolho em parte o parecer ministerial e passo a decidir.

III DECIDO:

1 - Pela REGULARIDADE e LEGALIDADE COM RESSALVA da Formalização do

EMPENHO nº 537/2014, emitido pela PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ANDRADINA/MS, CNPJ/MF nº 03.173.317/0001-18, neste ato representada pelo Secretário Municipal de Serviços Públicos, Sr. Umberto Canesque Filho, CPF nº 495.768.448-00, em favor da empresa LINDOMAR FONSECA DO

NASCIMENTO, CNPJ/MF nº 11.733.824/0001-00, ressalvando a remessa intempestiva dos documentos obrigatórios da presente fase processual a esta Corte de Contas;

2 - Pela REGULARIDADE e LEGALIDADE da Execução Financeira do EMPENHO nº 537/2014, emitido pela PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ANDRADINA/MS, CNPJ/MF nº 03.173.317/0001-18, neste ato representada pelo Secretário Municipal de Serviços Públicos, Sr. Umberto Canesque Filho, CPF nº 495.768.448-00, em favor da empresa LINDOMAR FONSECA DO NASCIMENTO, CNPJ/MF nº 11.733.824/0001-00;

3 Pela recomendação ao atual responsável, Sr. Roberto Ginel, CPF nº

979.651.381-15, Secretário Municipal de Serviços Públicos, da adoção de

medidas necessárias para a correção da impropriedade identificada, de modo a prevenir a ocorrência de novas inadequações semelhantes ou assemelhadas, com fundamento no artigo 59, II, c/c o § 1º, II, da Lei Complementar Estadual nº 160/2012;

4 Pela quitação ao responsável a época, Sr. Umberto Canesque Filho, CPF nº 495.768.448-00, Secretário Municipal de Obras e Serviços, tendo em vista o cumprimento do objeto, a exatidão de seus valores e regular execução das obrigações, nos moldes do artigo 60 da Lei Complementar Estadual nº 160/2012, c/c o artigo 171 da Resolução Normativa TC/MS nº 76, de 11 de dezembro de 2013;

5 Pela intimação do resultado deste julgamento, em conformidade com o

artigo 50, I, da Lei Complementar nº 160/2012, c/c o artigo 94 da Resolução

Normativa nº 76/2013.

É a decisão.

Publique-se na forma do artigo 65 da Lei Complementar nº 160, de 02 de janeiro de 2012, c/c o artigo 70, § 2º, do Regimento Interno TC/MS.

Campo Grande/MS, 06 de março de 2017.

IRAN COELHO DAS NEVES Conselheiro-Relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 1158/2017

PROCESSO TC/MS: TC/13521/2015 PROTOCOLO: 1614179

NEVES Conselheiro-Relator DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 1158/2017 PROCESSO TC/MS: TC/13521/2015 PROTOCOLO: 1614179

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SIDROLÂNDIA JURISDICIONADO (A): MARCELO DE ARAÚJO ASCOLE CARGO: PREFEITO MUNICIPAL (EM SUBSTITUIÇÃO) TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N. 33/2015 RELATOR (A): CONS. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente à Ata de Registro de Preços n. 33/2015, formalizada pelo Município de Sidrolândia com vistas ao registro de preços para a aquisição de material de consumo. Neste momento, examina-se a regularidade da licitação, realizada por meio do Pregão Presencial n. 53/2015, e da formalização da ata de registro de preços.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público de Contas (MPC). Ambos concluíram pela regularidade da licitação e da formalização da referida ata, conforme se observa na Análise n. 27141/2015 (peça n. 18,

fls. 396-401) e no Parecer n. 17478/2016 (peça n. 19, fls. 402-403). A 1ª ICE apontou ainda que, embora a prestação de contas esteja regular, houve remessa intempestiva a este Tribunal da cópia da ata de registro de preços.

É o relatório.

DECISÃO

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos relativos à licitação e à formalização da ata de registro de preços estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes. Verifico ainda que assiste razão à 1ª ICE quanto à intempestividade da remessa de documentos a este Tribunal. Contudo, considerando que o atraso foi de 4 (quatro) dias, parece-me razoável deixar de aplicar multa ao jurisdicionado, em atendimento aos princípios da razoabilidade e da economicidade, uma vez que o valor da multa no caso em tela seria insignificante.

Diante disso, concordo com a análise da 1ª ICE, acolho o parecer do representante do MPC e, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, decido declarar a regularidade:

I da licitação (primeira fase), realizada pela Administração Municipal de Sidrolândia por meio do Pregão Presencial n. 53/2015;

II da formalização da Ata de Registro de Preços n. 33/2015.

Depois de tomadas as providências previstas no art. 70, § 2º, do Regimento Interno, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, consoante o disposto no parágrafo único do art. 4º da Orientação Técnica Interna n. 3, de 22 de setembro de 2010.

É a decisão.

Campo Grande, 2 de março de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 1157/2017

PROCESSO TC/MS: TC/13516/2015 PROTOCOLO: 1614164 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SIDROLÂNDIA JURISDICIONADO (A): MARCELO ARAÚJO ASCOLE CARGO: PREFEITO MUNICIPAL (EM SUBSTITUIÇÃO) TIPO DE PROCESSO: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N. 35/2015 RELATOR (A): CONS. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente à Ata de Registro de Preços n. 35/2015, formalizada pelo Município de Sidrolândia com vistas ao

Pág.14

registro de preços para a aquisição de material de consumo. Neste momento, examina-se a regularidade da licitação, realizada por meio do Pregão Presencial n. 57/2015, e da formalização da ata de registro de preços.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público de Contas (MPC). Ambos concluíram pela regularidade da licitação e da formalização da referida ata, conforme se observa na Análise n. 27123/2015 (peça n. 20, fls. 202-206) e no Parecer n. 17483/2016 (peça n. 21, fls. 207-208). A 1ª ICE apontou ainda que, embora a prestação de contas esteja regular, houve remessa intempestiva a este Tribunal da cópia da ata de registro de preços.

É o relatório.

DECISÃO

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos relativos à licitação e à formalização da ata de registro de preços estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes. Verifico ainda que assiste razão à 1ª ICE quanto à intempestividade da remessa de documentos a este Tribunal. Contudo, considerando que o atraso foi de 7 (sete) dias, parece-me razoável deixar de aplicar multa ao jurisdicionado, em atendimento aos princípios da razoabilidade e da economicidade, uma vez que o valor da multa no caso em tela seria insignificante.

Diante disso, concordo com a análise da 1ª ICE, acolho o parecer do representante do MPC e, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, decido declarar a regularidade:

I da licitação (primeira fase), realizada pela Administração Municipal de Sidrolândia por meio do Pregão Presencial n. 57/2015;

II da formalização da Ata de Registro de Preços n. 35/2015.

Depois de tomadas as providências previstas no art. 70, § 2º, do Regimento Interno, os autos devem ser encaminhados à 1ª ICE, consoante o disposto no parágrafo único do art. 4º da Orientação Técnica Interna n. 3, de 22 de setembro de 2010.

É a decisão.

Campo Grande, 2 de março de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 923/2017

PROCESSO TC/MS: TC/12210/2015 PROTOCOLO: 1611377 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACAJU INTERESSADO (A)/CARGO: MAURÍLIO FERREIRA AZAMBUJA PREFEITO MUNICIPAL TIPO DE PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO N. 81, DE 2015 CONTRATADO: R. C. PLAC COMÉRCIO DE FORROS E DIVISÓRIA LTDA - EPP VALOR: R$ 60.741,09 RELATOR: Cons. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

A prestação de contas em exame refere-se ao Contrato Administrativo n. 81, de 2015, celebrado entre o Município de Maracaju e a empresa R. C. PLAC Comércio de Forros e Divisórias Ltda. EPP, tendo por objeto a prestação de serviços de colocação de forros e divisórias de pvc (peça n.18 fls. 175). Neste momento, examina-se a regularidade da execução financeira (terceira fase) da contratação.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Ministério Público de Contas (MPC). Ambos

foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Ministério Público de Contas

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

concluíram pela regularidade da execução do contrato, conforme se observa na ANA-1ª ICE 24.899/2016 (peça n. 29, fls. 226-229) e no PAR- MPC-GAB.5 DR. JOAOMJR 23.243/2016 (peça n. 30, fl. 231).

É o relatório.

DECISÃO

Verifico que os documentos da prestação de contas do contrato em exame estão em conformidade com os dispositivos legais pertinentes no tocante à execução contratual.

Diante disso, acompanho o posicionamento da 1ª ICE e do representante do MPC e, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, decido declarar a regularidade da execução financeira do Contrato Administrativo n. 81, de 2015, celebrado entre o Município de Maracaju e a empresa R. C. PLAC Comércio de Forros e Divisórias Ltda. EPP.

É a decisão.

Campo Grande, 22 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 1100/2017

PROCESSO TC/MS: TC/10990/2015 PROTOCOLO: 1603606 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPORÃ INTERESSADO (A)/CARGO: WALLAS GONÇALVES MILFONT - EX-PREFEITO MUNICIPAL TIPO DE PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO N. 95, DE 2015 – TERMO ADITIVO N. 1, DE 2015 ONTRATADO: ELAINE DE CASTRO FIEL - EIRELI - EPP VALOR: R$ 62.792,00 RELATOR: Cons. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente ao Contrato Administrativo n. 95, de 2015, celebrado entre o Município de Itaporã e a empresa Elaine de Castro Fiel EIRELI - EPP., tendo por objeto a aquisição de papel sulfite (peça n. 18, fl. 203). Neste momento, verifica-se a execução financeira (terceira fase) da contratação.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pela Procuradoria de Contas (MPC). Ambos concluíram pela regularidade do Contrato e da execução financeira da contratação, conforme se observa na Análise n. 26.796/2016 (peça n. 43, fls. 413-416) e no Parecer n. 23.524/2016 (peça n. 44, fls. 418-419).

É o relatório.

DECISÃO

Do exame da prestação de contas em julgamento, constato que os documentos estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes.

Diante disso, concordo com a análise da 1ª ICE, acolho o parecer do representante do MPC e, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, decido declarar a regularidade da execução financeira do Contrato Administrativo n. 95, de 2015, celebrado entre o Município de Itaporã e a empresa Elaine de Castro Fiel - EIRELI- EPP (terceira fase).

É a decisão.

Campo Grande, 24 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

Pág.15

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 979/2017

PROCESSO TC/MS: TC/10348/2015 PROTOCOLO: 1604046 ÓRGÃO: CÂMARA MUNICIPAL DE DOURADOS INTERESSADO (A)/ CARGO: IDENOR MACHADO - EX-PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL TIPO DE PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO N. 9, DE 2015 CONTRATADO: A.V. BRAGA E CIA LTDA - EPP VALOR: R$ 34.659,40 RELATOR: Cons. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Tratam os autos da prestação de contas referente ao Contrato Administrativo n. 9, de 2015, celebrado entre a Câmara Municipal de Dourados e a empresa A. V. Braga e Cia Ltda. - EPP, tendo por objeto a aquisição material de expediente. Neste momento, examina-se a regularidade da execução financeira (terceira fase) da contratação.

As peças que compõem os presentes nos autos foram analisadas pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público de Contas (MPC). Ambos concluíram pela regularidade da execução do contrato, conforme se observa na Análise 22.255/2016 (peça n. 31, fls. 284-286) e no Parecer 21.968/2016 (peça n. 34, fl. 288).

É o relatório.

DECISÃO

Do exame dos documentos que integram a prestação de contas em julgamento, constato que estão em conformidade com os dispositivos legais pertinentes.

Diante disso, acompanho o posicionamento da 1ª ICE e do representante do MPC e, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, decido declarar a regularidade da execução financeira Contrato Administrativo n. 9, de 2015, celebrado entre a Câmara Municipal de Dourados e a empresa A. V. Braga e Cia Ltda. - EPP.

É a decisão.

Campo Grande, 23 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.JRPC - 978/2017

PROCESSO TC/MS: TC/10183/2015 PROTOCOLO: 1599940 ÓRGÃO: FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE DOURADOS INTERESSADO (A)/CARGO: SEBASTIÃO NOGUEIRA FARIA - EX-SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE TIPO DE PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO n. 66/2015/DL/PMD CONTRATADO: BRUNO ROQUE DE VASCONCELOS - ME VALOR: R$ 70.495,25 RELATOR: Cons. JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL

RELATÓRIO

Os autos em verificação tratam da prestação de contas referente ao Contrato Administrativo n. 66/2015/DL/PMD, celebrado entre a Administração Municipal de Dourados (por meio do Fundo Municipal de Saúde) e a empresa Bruno Roque de Vasconcelos - ME, tendo por objeto a aquisição de gêneros alimentícios (peça n. 4, fl. 20). Neste momento, examina-se a regularidade do contrato (segunda fase) e da execução financeira (terceira fase) da contratação.

Os documentos presentes nos autos foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público de Contas

foram analisados pela 1ª Inspetoria de Controle Externo (1ª ICE) e pelo Procurador do Ministério Público

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

(MPC). Ambos concluíram pela regularidade do Contrato e da execução financeira da contratação, conforme se observa na Análise n. 15.187/2016 (peça n. 15, fls. 271-275) e no Parecer n. 22.103/2016 (peça n. 16, fls. 277-

278).

É o relatório.

DECISÃO

Examinando a prestação de contas em julgamento, verifico que os documentos estão em consonância com os dispositivos legais pertinentes.

Diante disso, concordo com a análise da 1ª ICE, acolho o parecer do representante do MPC e, com fundamento na regra do art. 59, I, da Lei Complementar (estadual) n. 160, de 2 de janeiro de 2012, decido declarar a regularidade:

I do Contrato Administrativo n. 66/2015/DL/PMD (segunda fase),

celebrado entre a Administração Municipal de Dourados e a empresa Bruno

Roque de Vasconcelos - ME;

II da execução financeira (terceira fase) da contratação.

É a decisão.

Campo Grande, 23 de fevereiro de 2017.

JOSÉ RICARDO PEREIRA CABRAL Conselheiro relator

DECISÃO SINGULAR DSG - G.MJMS - 23/2017

Pág.16

Encaminhado ao Ministério Público de Contas, em Parecer PAR-MPC-GAB.1- DR.JAC/PROCURADOR GERAL-22961/2016, pronunciou-se pelo REGISTRO da aposentadoria voluntária, peça nº 03.

Vieram os autos a esta relatoria para decisão.

É o relatório.

Passo a decidir.

Examinado os autos, constato que a APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA por idade e por tempo de contribuição encontra-se formalizada conforme os ditames legais, uma vez que foram apresentados os documentos pertinentes.

O direito que ampara a Aposentadoria em apreço está previsto no artigo 3º,

da Emenda Constitucional nº 47/2005 e no art. 73 da Lei nº 3.150, de 22 de dezembro de 2005, tendo sido concedida por meio da Portaria nº 773/2015, de 25 de maio de 2015, publicada no Diário da Justiça nº 3.350, de 25 de maio de 2015 pç. 1, fl. 31 e retificada por meio da republicação por imprecisão de 26 de maio de 2015, no Diário da Justiça nº 3.351, de 26 de maio de 2015 pç. 1, fl. 32.

Diante do exposto, acolhendo a Análise Técnica e o Parecer do Ministério Público de Contas, DECIDO:

I Pelo REGISTRO da concessão de APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA por

idade e por tempo de contribuição da servidora Sra. Eunice Francisca da Silva, ocupante do cargo de Analista Judiciário, lotada no Tribunal de Justiça

de Mato Grosso do Sul, com fulcro no artigo 34, inciso II da Lei Complementar Estadual nº 160/2012, c/c artigo 10, inciso I do Regimento Interno desta Corte de Contas.

PROCESSO TC/MS: TC/9814/2015 PROTOCOLO: 1607558

II

Pela comunicação do resultado desta Decisão aos interessados, em

ÓRGÃO: TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL RESPONSÁVEL: JOÃO MARIA LÓS

obediência ao artigo nº 50 da Lei Complementar Estadual nº 160/2012.

CARGO DO RESPONSÁVEL: DIRETOR PRESIDENTE ASSUNTO DO PROCESSO: CONCESSÃO - APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA

É

a Decisão.

BENEFICIÁRIA: EUNICE FRANCISCA DA SILVA

Determino

a

remessa

dos

autos

ao

Cartório

para

as

providências

RELATORA: CONS. MARISA JOAQUINA MONTEIRO SERRANO

regimentais.

 

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA CUMPRIMENTO DAS NORMAS REGIMENTAIS E LEGAIS PROVENTOS INTEGRAIS TEMPESTIVIDADE REGISTRO.

Campo Grande/MS, 01 de fevereiro de 2017.

Cons. MARISA SERRANO Relatora

Trata-se o processo da concessão de APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA por idade e por tempo de contribuição, pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, a servidora Sra. Eunice Francisca da Silva, ocupante do cargo de Analista Judiciário, lotada no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

lotada no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. DECISÃO SINGULAR DSG - G.MJMS -

DECISÃO SINGULAR DSG - G.MJMS - 12656/2016

Foram demonstrados nos autos a tempestividade da remessa a esta Corte de Contas, estabelecido como

Foram demonstrados nos autos a tempestividade da remessa a esta Corte de Contas, estabelecido como 15 (quinze) dias da data da publicação, atendendo assim o constante no Anexo I, Capítulo II, Seção II, da Instrução Normativa TC/MS n.º 35 de 14.12.2011, alterada pela Instrução Normativa n. 38, de 28.11.12.

PROCESSO TC/MS: TC/13480/2015 PROTOCOLO: 1614280 ÓRGÃO: FUNDAÇÃO DE CULTURA DE CORUMBÁ ORDEN. DE DESPESAS: MÁRCIA RAQUEL ROLON CARGO DA ORDENADORA: ORDENADORA DE DESPESAS ASSUNTO DO PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO N.º 17/2015

ESPECIFICAÇÃO Publicação Prazo de Entrega Remessa (postagem/protocolo)

ESPECIFICAÇÃO Publicação Prazo de Entrega Remessa (postagem/protocolo)
ESPECIFICAÇÃO Publicação Prazo de Entrega Remessa (postagem/protocolo)
ESPECIFICAÇÃO Publicação Prazo de Entrega Remessa (postagem/protocolo)

DATA

26/05/2015

10/06/2015

09/06/2015

RELATORA: CONS. MARISA JOAQUINA MONTEIRO SERRANO CONTRATADA: T. O. KASSAR - EPP. PROCED. LICITATÓRIO: PREGÃO PRESENCIAL N.º 27/2015 OBJETO DA CONTRATAÇÃO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO, PARA ATENDER A FUNDAÇÃO DE CULTURA DE CORUMBÁ. VALOR DA CONTRATAÇÃO: R$ 66.200,00

EM FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO, PARA ATENDER A FUNDAÇÃO DE CULTURA DE CORUMBÁ. VALOR DA CONTRATAÇÃO: R$
EM FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO, PARA ATENDER A FUNDAÇÃO DE CULTURA DE CORUMBÁ. VALOR DA CONTRATAÇÃO: R$
EM FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO, PARA ATENDER A FUNDAÇÃO DE CULTURA DE CORUMBÁ. VALOR DA CONTRATAÇÃO: R$

Consta ainda na Certidão de Tempo de Contribuição a comprovação do cômputo de proventos integrais conforme preceitos legais e constitucionais, peça nº 1 fls. 11/13, abaixo demonstrado:

QUANTIDADE DE ANOS 30 (trinta) anos e 18 (dezoito) dias

QUANTIDADE DE DIAS 10.968 (dez mil novecentos e sessenta e oito) dias

A equipe técnica da Inspetoria de Controle de Atos de Pessoal, conforme

análise ANA-ICEAP-18745/2016, peça nº 02, concluiu a instrução processual sugerindo o REGISTRO da presente aposentadoria voluntária.

CONTRATAÇÃO PÚBLICA. CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO, PARA ATENDER A FUNDAÇÃO DE CULTURA DE CORUMBÁ. PROCEDIMENTO LICITATÓRIO. FORMALIZAÇÃO CONTRATUAL. REGULARIDADE.

Versam os presentes autos sobre o Contrato Administrativo n.º 17/2015, formalizado entre a Fundação de Cultura de Corumbá e T. O. Kassar - EPP, objetivando a contratação de empresa especializada em fornecimento de alimentação, para atender a Fundação de Cultura de Corumbá, com valor

de empresa especializada em fornecimento de alimentação, para atender a Fundação de Cultura de Corumbá, com

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

contratual no montante de R$ 66.200,00 (sessenta e seis mil e duzentos reais).

Para tanto, a modalidade licitatória adotada foi o Pregão Presencial n.º

27/2015.

Nesta fase processual objetiva-se analisar a legalidade e regularidade do procedimento licitatório e da formalização do contrato (1ª e 2ª fases).

Em razão da análise de toda documentação acostada, a Equipe Técnica da 6ª Inspetoria emitiu às pp. 252/255 sua Análise ANA 6ICE 19967/2015, opinando pela regularidade e legalidade do pregão presencial e da formalização do contrato administrativo.

Por sua vez, o ilustre representante Ministerial, em seu Parecer PAR-MPC GAB.5 DR.JOAOMJR 15519/2016, concluiu pela legalidade e regularidade das reportadas fases da contratação pública.

Vieram os autos a esta Relatoria para Decisão.

É O RELATÓRIO.

Impende inicialmente destacar, conforme consta dos autos, que a presente análise recai sobre a regularidade tanto do procedimento licitatório quanto da formalização do contrato (1ª e 2ª fases).

Constata-se assim, por meio da documentação juntada, que os requisitos legais vigentes foram devidamente cumpridos quanto à regularidade da matéria relativa ao procedimento de licitação, mediante Pregão Presencial n.º 27/2015, e também quanto à formalização do Contrato Administrativo n.º 17/2015.

Mediante o exposto, no exercício do juízo singular conferido pelo artigo 10, inciso IV, do Regimento Interno do Tribunal de Contas/MS, e acompanhando o entendimento da Equipe Técnica da 6ª Inspetoria e do Ministério Público de Contas, DECIDO no sentido de:

1) Declarar a regularidade do procedimento licitatório Pregão Presencial n.º 27/2015 (1ª fase), nos termos do art. 120, inciso I, da Resolução Normativa n.º 76 (Regimento Interno do TC/MS) c/c artigo 59, I, da Lei Complementar n.º 160/12;

2) Declarar a regularidade da formalização do Contrato Administrativo n.º 017/2015 (2ª fase), nos termos do art. 120, inciso II, da Resolução Normativa n.º 76 (Regimento Interno do TC/MS) c/c artigo 59, I, da Lei Complementar n.º 160/12;

3) Comunicar o resultado do julgamento às autoridades administrativas competentes, com base no artigo 50 da Lei Complementar n.º 160/2012.

É a Decisão.

Nos termos do artigo 70, §2º, do Regimento Interno, determino a remessa destes autos ao Cartório para providências regimentais, observando-se que, após, devem os autos ser encaminhados à inspetoria competente para análise da execução contratual (3ª fase).

Campo Grande/MS, 06 de fevereiro de 2017.

Cons. MARISA SERRANO RELATORA

DECISÃO SINGULAR DSG - G.MJMS - 12300/2016

PROCESSO TC/MS: TC/13174/2015 PROTOCOLO: 1612168 ÓRGÃO: FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE BODOQUENA ORDEN. DE DESPESAS: JUN ITI HADA CARGO DO ORDENADOR: PREFEITO ASSUNTO DO PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO N.º 150/2015 RELATORA: CONS. MARISA JOAQUINA MONTEIRO SERRANO CONTRATADA: DEMAPE PNEUS LTDA.

Pág.17

PROCED. LICITATÓRIO: PREGÃO PRESENCIAL N.º 53/2015 OBJETO DA CONTRATAÇÃO: AQUISIÇÃO DE PNEUS, CÂMARAS E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE BORRACHARIA, ALINHAMENTO, BALANCEAMENTO, MONTAGEM E DESMONTAGEM PARA ATENDER A SECRETARIA DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE BODOQUENA/MS. VALOR DA CONTRATAÇÃO: R$ 39.956,00

CONTRATAÇÃO PÚBLICA. AQUISIÇÃO DE PNEUS, CÂMARAS E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE BORRACHARIA, ALINHAMENTO, BALANCEAMENTO, MONTAGEM E DESMONTAGEM PARA ATENDER A SECRETARIA DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE BODOQUENA/MS. EXECUÇÃO FINANCEIRA. REGULARIDADE.

Versam os presentes autos sobre o Contrato Administrativo n.º 150/2015, formalizado pelo Fundo Municipal de Saúde de Bodoquena e Demape Pneus LTDA., objetivando a aquisição de pneus, câmaras e prestação de serviços de borracharia, alinhamento, balanceamento, montagem e desmontagem para atender a Secretaria de Saúde do município de Bodoquena/MS, com valor contratual no montante de R$ 39.956,00 (trinta

e nove mil novecentos e cinquenta e seis reais).

Insta salientar que o procedimento licitatório e a formalização do Contrato Administrativo foram julgados como regulares e legais, conforme Decisão Singular DSG- G.MJMS 7163/2015 (pp. 230/232).

Nesta fase processual objetiva-se analisar a regularidade da execução financeira da reportada contratação pública (3ª fase).

Em razão da análise de toda documentação acostada, a Equipe Técnica da 6ª Inspetoria emitiu às pp. 401/405 sua Análise, ANA 6ICE 12909/2016, opinando pela regularidade e legalidade da execução financeira.

Por sua vez, o ilustre representante Ministerial, em seu Parecer PAR-MPC GAB.6 DR.JAC 12383/2016, concluiu pela legalidade e regularidade da execução financeira e prestação de contas.

Vieram os autos a esta Relatoria para Decisão.

É O RELATÓRIO.

Conforme se depreende, a presente decisão recai sobre a regularidade da execução financeira do Contrato Administrativo n.º 150/2015 (3ª fase).

Constata-se assim, por meio da documentação juntada, que os requisitos legais vigentes foram devidamente cumpridos quanto à regularidade da matéria relativa à execução financeira.

De fato, a liquidação da despesa, cujo resumo segue abaixo, exibe com clareza a similitude do total de notas de empenho válidas e total de pagamentos, demonstrando, assim, sua regularidade:

total de pagamentos, demonstrando, assim, sua regularidade: Ante o exposto, no exercício do juízo singular conferido

Ante o exposto, no exercício do juízo singular conferido pelo artigo 10,

inciso II, do Regimento Interno do Tribunal de Contas/MS, e acompanhando

o entendimento da Equipe Técnica da 6ª Inspetoria e do Ministério Público de Contas, DECIDO no sentido de:

1. Declarar a regularidade da execução financeira do Contrato

Administrativo n.º 150/2015 (3ª fase), nos termos do art. 120, inciso III, também da Resolução Normativa n.º 76, de 11/12/2013 (Regimento Interno do TC/MS) c/c artigo 59, I, da Lei Complementar n.º 160/12;

2. Comunicar o resultado do julgamento às autoridades administrativas

competentes, com base no artigo 50 da Lei Complementar n.º 160/2012.

do julgamento às autoridades administrativas competentes, com base no artigo 50 da Lei Complementar n.º 160/2012.

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

É a Decisão.

Nos termos do artigo 70, §2º, do Regimento Interno, determino a remessa destes autos ao Cartório para providências regimentais.

Campo Grande/MS, 06 de fevereiro de 2017.

Cons. MARISA SERRANO RELATORA

DECISÃO SINGULAR DSG - G.MJMS - 12551/2016

PROCESSO TC/MS: TC/13157/2015 PROTOCOLO: 1612167 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE BODOQUENA ORDEN. DE DESPESAS: JUN ITI HADA CARGO DO ORDENADOR: PREFEITO ASSUNTO DO PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO N.º 137/2015 RELATORA: CONS. MARISA JOAQUINA MONTEIRO SERRANO CONTRATADA: JAIR TETILHA ME. PROCED. LICITATÓRIO: PREGÃO PRESENCIAL N.º 062/2015 OBJETO DA CONTRATAÇÃO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE ESCOLAR NO MUNICÍPIO DE BODOQUENA . VALOR DA CONTRATAÇÃO: R$ 32.821,36

CONTRATAÇÃO PÚBLICA. CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE ESCOLAR NO MUNICÍPIO DE BODOQUENA. TERMOS ADITIVOS. EXECUÇÃO FINANCEIRA. REGULARIDADE.

Versam os presentes autos sobre o Contrato Administrativo n.º 137/2015, avençado pela Prefeitura Municipal de Bodoquena e Jair Tetilha - ME., objetivando a contratação de empresa especializada para prestação de serviços de transporte escolar no município de Bodoquena, com valor contratual no montante de R$ 32.821,36 (trinta e dois mil oitocentos e vinte e um reais e trinta e seis centavos).

Insta salientar que o procedimento licitatório pregão presencial n.º 062/2015 e a formalização do Contrato Administrativo n.º 137/2015, foram julgados como regulares e legais, conforme Decisão Singular DSG-G.MJMS- 7925/2015 (pp. 151/153).

Nesta fase processual objetiva-se analisar a regularidade do 1º e 2º Termos Aditivos ao contrato, bem como a integralidade da prestação de contas da reportada contratação pública (3ª fase).

Em razão da análise de toda documentação acostada, a Equipe Técnica da 6ª Inspetoria emitiu às pp. 273/277 sua Análise, ANA 6ICE 16084/2016, opinando pela regularidade e legalidade do 1º e 2º Termos Aditivos e da execução do Contrato Administrativo n.º 137/2015.

Por sua vez, o ilustre representante Ministerial, em seu Parecer PAR-MPC GAB.6 DR.JAC 15003/2016, concluiu pela legalidade e regularidade da execução financeira e prestação de contas.

Vieram os autos a esta Relatoria para Decisão.

É O RELATÓRIO.

Depreende-se da leitura dos autos que a Equipe Técnica e o Ministério Público de Contas corroboraram seus entendimentos pela regularidade e legalidade dos Termos Aditivos ao contrato em comento (3ª fase).

Nesse diapasão, faz-se necessário trazer à baila as alterações contratuais promovidas pelo Termo Aditivo de n.º 01 e 02:

Pág.18

promovidas pelo Termo Aditivo de n.º 01 e 02: Pág.18 Compactuo com tais entendimentos, acompanhando as

Compactuo com tais entendimentos, acompanhando as manifestações dos Órgãos Técnicos em declarar os Termos Aditivos regulares e legais, pois os mesmos encontram-se formalizados e atendem a legislação vigente.

Outrossim, constata-se, por meio da documentação juntada, que os requisitos legais vigentes foram devidamente cumpridos quanto à regularidade da matéria relativa à execução financeira e prestação de contas.

De fato, a liquidação da despesa, cujo resumo segue abaixo, exibe com clareza a similitude do total de notas de empenho válidas e total de pagamentos, demonstrando, assim, sua regularidade:

total de pagamentos, demonstrando, assim, sua regularidade: Ante o exposto, no exercício do juízo singular conferido

Ante o exposto, no exercício do juízo singular conferido pelo artigo 10, inciso II, do Regimento Interno do Tribunal de Contas/MS, e acompanhando o entendimento da Equipe Técnica da 6ª Inspetoria e do Ministério Público de Contas, DECIDO no sentido de:

1. Pela regularidade do 1º e 2º Termos Aditivos ao Contrato

Administrativo n.º 137/2015 (3ª fase) nos termos do Artigo 59, inciso I, da

Lei Complementar n.º 160/2012, c/c Artigo 120, inciso III, da Resolução Normativa 76/2013;

2. Declarar a regularidade da execução financeira do Contrato

Administrativo n.º 137/2015 (3ª fase), nos termos do art. 120, inciso III, também da Resolução Normativa nº 76, de 11/12/2013 (Regimento Interno

do TC/MS) c/c artigo 59, I, da Lei Complementar n.º 160/12; e

3. Comunicar o resultado do julgamento às autoridades administrativas

competentes, com base no artigo 50 da Lei Complementar n.º 160/2012.

É a Decisão.

Nos termos do artigo 70, §2º, do Regimento Interno, determino a remessa destes autos ao Cartório para providências regimentais.

Campo Grande/MS, 03 de fevereiro de 2017.

Cons. MARISA SERRANO RELATORA

DECISÃO SINGULAR DSG - G.MJMS - 49/2017

PROCESSO TC/MS: TC/12881/2015 PROTOCOLO: 1618003 ÓRGÃO: TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL RESPONSÁVEL: JOÃO MARIA LÓS CARGO DO RESPONSÁVEL: DIRETOR PRESIDENTE ASSUNTO DO PROCESSO: CONCESSÃO - APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA

JOÃO MARIA LÓS CARGO DO RESPONSÁVEL: DIRETOR PRESIDENTE ASSUNTO DO PROCESSO: CONCESSÃO - APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

BENEFICIÁRIA: MARIA LOURDES BORTOLIN DE MATOS RELATORA: CONS. MARISA JOAQUINA MONTEIRO SERRANO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA CUMPRIMENTO DAS NORMAS REGIMENTAIS E LEGAIS PROVENTOS INTEGRAIS TEMPESTIVIDADE REGISTRO.

Trata-se o processo da concessão de APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA por idade e por tempo de contribuição, pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, a servidora Sra. Maria Lourdes Bortolin de Matos, ocupante do cargo de Analista Judiciário, lotada no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Foram demonstrados nos autos a tempestividade da remessa a esta Corte de Contas, estabelecido como 15 (quinze) dias da data da publicação, atendendo assim o constante no Anexo I, Capítulo II, Seção II, da Instrução Normativa TC/MS n.º 35 de 14.12.2011, alterada pela Instrução Normativa n. 38, de 28.11.12.

ESPECIFICAÇÃO

DATA

Publicação

09/07/2015

Prazo de Entrega

24/07/2015

Remessa (postagem/protocolo)

22/07/2015

Consta ainda na Certidão de Tempo de Contribuição a comprovação do cômputo de proventos integrais conforme preceitos legais e constitucionais, peça nº 1 fls. 10/12, abaixo demonstrado:

QUANTIDADE DE ANOS 32 (trinta e dois) anos, 06 (seis) meses e 05 (cinco) dias

QUANTIDADE DE DIAS 11.865 (onze mil oitocentos e sessenta e cinco) dias

A equipe técnica da Inspetoria de Controle de Atos de Pessoal, conforme

análise ANA-ICEAP-18229/2016, peça nº 02, concluiu a instrução processual

sugerindo o REGISTRO da presente aposentadoria voluntária.

Encaminhado ao Ministério Público de Contas, em Parecer PAR-MPC-GAB.1- DR.JAC/PROCURADOR GERAL-23506/2016, pronunciou-se pelo REGISTRO da aposentadoria voluntária, peça nº 03.

Vieram os autos a esta relatoria para decisão.

É o relatório.

Passo a decidir.

Pág.19

Campo Grande/MS, 01 de fevereiro de 2017.

Cons. MARISA SERRANO Relatora

DECISÃO SINGULAR DSG - G.MJMS - 46/2017

PROCESSO TC/MS: TC/12522/2015 PROTOCOLO: 1615074 ÓRGÃO: TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL RESPONSÁVEL: JOÃO MARIA LÓS CARGO DO RESPONSÁVEL: DIRETOR PRESIDENTE ASSUNTO DO PROCESSO: CONCESSÃO - APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA BENEFICIÁRIO: EDSON PEREIRA RELATORA: CONS. MARISA JOAQUINA MONTEIRO SERRANO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA CUMPRIMENTO DAS NORMAS REGIMENTAIS E LEGAIS PROVENTOS INTEGRAIS TEMPESTIVIDADE REGISTRO.

Trata-se o processo da concessão de APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA por idade e por tempo de contribuição, pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, ao servidor Sr. Edson Pereira, ocupante do cargo de Analista Judiciário, lotado no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Foram demonstrados nos autos a tempestividade da remessa a esta Corte de Contas, estabelecido como 15 (quinze) dias da data da publicação, atendendo assim o constante no Anexo I, Capítulo II, Seção II, da Instrução Normativa TC/MS n.º 35 de 14.12.2011, alterada pela Instrução Normativa n. 38, de 28.11.12.

ESPECIFICAÇÃO

DATA

Publicação

01/07/2015

Prazo de Entrega

16/07/2015

Remessa (postagem/protocolo)

13/07/2015

Consta ainda na Certidão de Tempo de Contribuição a comprovação do cômputo de proventos integrais conforme preceitos legais e constitucionais, peça nº 1 fls. 08/10, abaixo demonstrado:

QUANTIDADE DE ANOS 33 (trinta e três) anos, 04 (quatro) meses e 21 (vinte e um) dias

QUANTIDADE DE DIAS 12.186 (doze mil cento e oitenta e seis) dias

A equipe técnica da Inspetoria de Controle de Atos de Pessoal, conforme

Examinado os autos, constato que a APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA por

análise ANA-ICEAP-19045/2016, peça nº 02, concluiu a instrução processual

idade e por tempo de contribuição encontra-se formalizada conforme os ditames legais, uma vez que foram apresentados os documentos pertinentes.

sugerindo o REGISTRO da presente aposentadoria voluntária.

Encaminhado ao Ministério Público de Contas, em Parecer PAR-MPC-GAB.1- DR.JAC/PROCURADOR GERAL-22967/2016, pronunciou-se pelo REGISTRO

O

direito que ampara a Aposentadoria em apreço está previsto no art. 3º,

da aposentadoria voluntária, peça nº 03.

da Emenda Constitucional nº 47/2005 e no art. 73 da Lei nº 3.150, de 22 de dezembro de 2005, tendo sido concedida por meio da Portaria nº 965/2015,

Vieram os autos a esta relatoria para decisão.

de 07 de julho de 2015, publicado no Diário da Justiça nº 3381, de 09 de julho de 2015 fls. 29.

É o relatório.

Passo a decidir.

Diante do exposto, acolhendo a Análise Técnica e o Parecer do Ministério Público de Contas, DECIDO:

I Pelo REGISTRO da concessão de APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA por idade e por tempo de contribuição da servidora Sra. Maria Lourdes Bortolin de Matos, ocupante do cargo de Analista Judiciário, lotada no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, com fulcro no artigo 34, inciso II da Lei Complementar Estadual nº 160/2012, c/c artigo 10, inciso I do Regimento Interno desta Corte de Contas.

II Pela comunicação do resultado desta Decisão aos interessados, em

obediência ao artigo nº 50 da Lei Complementar Estadual nº 160/2012.

É a Decisão.

Examinado os autos, constato que a APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA por idade e por tempo de contribuição encontra-se formalizada conforme os ditames legais, uma vez que foram apresentados os documentos pertinentes.

O direito que ampara a Aposentadoria está previsto no artigo 40, § 1º,

inciso I, da Constituição Federal, do artigo 35 da Lei nº 3.150/2005 e nos artigos 6º-A, paragrafo único e 7º da Emenda Constitucional nº 41/2003, tendo sido concedida por meio da Portaria nº 887/2015, de 23 de junho de 2015, publicada no Diário da Justiça nº 3375, de 01 de julho de 2015 fl. 28.

Diante do exposto, acolhendo a Análise Técnica e o Parecer do Ministério Público de Contas, DECIDO:

Determino

a

remessa

dos

autos

ao

Cartório

para

as

providências

I Pelo REGISTRO da concessão de APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA por

regimentais.

idade e por tempo de contribuição do servidor Sr. Edson Pereira, ocupante

VOLUNTÁRIA por regimentais. idade e por tempo de contribuição do servidor Sr. Edson Pereira, ocupante

| Nº 1506 SEGUNDA-FEIRA, 13 DE MARÇO DE 2017

do cargo de Analista Judiciário, lotado no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, com fulcro no artigo 34, inciso II da Lei Complementar Estadual nº 160/2012, c/c artigo 10, inciso I do Regimento Interno desta Corte de Contas.

II Pela comunicação do resultado desta Decisão aos interessados, em

obediência ao artigo nº 50 da Lei Complementar Estadual nº 160/2012.

É a Decisão.

Determino

regimentais.

a

remessa

dos

autos

ao

Cartório

para

as

providências

Campo Grande/MS, 01 de fevereiro de 2017.

Cons. MARISA SERRANO Relatora

DECISÃO SINGULAR DSG - G.MJMS - 13068/2016

PROCESSO TC/MS: TC/12488/2015 PROTOCOLO: 1619042

ÓRGÃO: SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO E

DESBUROCRATIZAÇÃO

RESPONSÁVEL: CARLOS ALBERTO DE ASSIS CARGO DO RESPONSÁVEL: SECRETÁRIO DE ESTADO ASSUNTO DO PROCESSO: CONCESSÃO REFIXAÇÃO PROVENTOS BENEFICIÁRIO: ALBERTO JORGE COUTINHO GOUVEA RELATORA: CONS. MARISA JOAQUINA MONTEIRO SERRANO

REFIXAÇÃO DE PROVENTOS CORREÇÃO DO FUNDAMENTO CUMPRIMENTO DAS NORMAS REGIMENTAIS E LEGAIS PROVENTOS INTEGRAIS TEMPESTIVIDADE REGISTRO.

Trata-se do processo de REFIXAÇÃO DE PROVENTOS em função da correção do fundamento legal do ato de concessão do servidor Sr. Alberto Jorge Coutinho Gouvea, ocupante do cargo de Agente Tributário Estadual, lotado na Secretaria de Estado de Fazenda de Mato Grosso do Sul.

Conforme consta dos autos a sua remessa foi tempestiva a esta Corte de Contas, de acordo com o Anexo I, Capítulo II, Seção II, da Instrução Normativa TC/MS n.35 de 14/12/2011, alterada pela Instrução Normativa TC/MS nº 38 de 28/11/2012 e art. 190 do RI/TC/MS.

os

pertinentes.

ditames

legais,

uma

vez

que

foram

apresentados

os

Pág.20

documentos

Diante do exposto, acolhendo a Análise Técnica e o Parecer do Ministério Público de Contas, DECIDO:

I Pelo REGISTRO da concessão de Refixação de Proventos em função da correção do fundamento legal do ato de concessão do servidor Sr. Alberto Jorge Coutinho Gouvea, ocupante do cargo de Agente Tributário Estadual, lotado na Secretaria de Estado de Fazenda de Mato Grosso do Sul, com fulcro no artigo 34, inciso II da Lei Complementar Estadual nº 160/2012, c/c artigo 10, inciso I do Regimento Interno desta Corte de Contas.

II Pela comunicação do resultado desta Decisão aos interessados, em

obediência ao artigo nº 50 da Lei Complementar Estadual nº 160/2012.

III Pela remessa dos autos ao Cartório para as providências regimentais.

É a Decisão.

Campo Grande/MS, 16 de dezembro de 2016.

Cons. MARISA SERRANO Relatora

DECISÃO SINGULAR DSG - G.MJMS - 1087/2017

PROCESSO TC/MS: TC/11867/2015 PROTOCOLO: 1609685 ÓRGÃO: PREFEITURA MUNICIPAL DE MIRANDA ORDENADOR DE DESPESAS: JULIANA PEREIRA ALMEIDA DE ALMEIDA CARGO DO ORDENADOR: PREFEITA ASSUNTO DO PROCESSO: CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 023/2015 PROCED. LICITATÓRIO: CONVITE Nº 011/2015 CONTRATADA: GESIEL FARIA DE SOUZA - ME OBJETO: AQUISIÇÃO DE ÁGUA MINERAL COM FORNECIMENTO PARCELADO PARA ATENDIMENTO A PREFEITURA E SUAS RESPECTIVAS SECRETARIAS. VALOR INICIAL: R$ 50.000,00 RELATORA: CONS. MARISA JOAQUINA MONTEIRO SERRANO

EXECUÇÃO

LEGAIS. REGULARIDADE.

FINANCEIRA.

FASE.

CUMPRIMENTO

DOS

REQUISITOS

ESPECIFICAÇÃO

DATA

Cuida-se de Contratação Pública nº 023/2015, pela modalidade Convite nº 011/2015, celebrada entre a Prefeitura Municipal de Miranda/MS e a

Publicação

21/07/2015

empresa Gesiel Faria de Souza ME., cujo objeto é a aquisição de água

Prazo de Entrega

05/08/2015

mineral com fornecimento parcelado para atendimento a prefeitura e suas

Remessa (postagem/protocolo)

28/07/2015

respectivas secretarias, com valor contratual no montante de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais).

- Da Legalidade

:

O direito que ampara a Aposentadoria está previsto no art. 73 e art. 78 da

Lei 3.150, de 22.12.2005, conforme Decreto “P” nº 3.385, publicado no

Diário nº 8.966, de 21.7.2015, pág. 141.

Ressalte-se que nesta situação houve apenas uma mudança na fundamentação do ato de concessão, não alterando o valor dos proventos a receber, conforme demonstrativo de pagamento, constante na pág. 133.

A equipe técnica da Inspetoria de Controle de Atos de Pessoal, conforme

análise ANA-ICEAP-23855/2016, peça nº 2, concluiu a instrução processual

sugerindo o REGISTRO da presente refixação.

Encaminhado ao Ministério Público de Contas, em Parecer PAR-MPC-GAB.4- DR.JOAOMJR/SUBSTITUTO-21784/2016, pronunciou-se pelo REGISTRO do ato de pessoal, peça nº 3.

É o relatório.