Você está na página 1de 2

O Amor Fino

O amor fino no busca causa nem fruto. Se amo, porque me amam,


tem o amor causa; se amo, para que me amem, tem fruto: e amor fino
no h-de ter porqu nem para qu. Se amo, porque me amam,
obrigao, fao o que devo: se amo, para que me amem, negociao,
busco o que desejo. Pois como h-de amar o amor para ser fino? Amo,
quia amo; amo, ut amem: amo, porque amo, e amo para amar. Quem
ama porque o amam agradecido. quem ama, para que o amem,
interesseiro: quem ama, no porque o amam, nem para que o amem,
s esse fino.
Padre Antnio Vieira, in "Sermes"

Todo o Amor Imaginrio

Os homens no amam aquilo que cuidam que amam. Por qu? Ou


porque o que amam no o que cuidam; ou porque amam o que
verdadeiramente no h. Quem estima vidros, cuidando que so
diamantes, diamantes estima e no vidros; quem ama defeitos,
cuidando que so perfeies, perfeies ama, e no defeitos. Cuidais
que amais diamantes de firmeza, e amais vidros de fragilidade: cuidais
que amais perfeies Anglicas, e amais imperfeies humanas. Logo
os homens no amam o que cuidam que amam. Donde tambm se
segue, que amam o que verdadeiramente no h; porque amam as
coisas, no como so, seno como as imaginam, e o que se imagina, e
no , no o h no mundo.

Padre Antnio Vieira, in "Sermes"