Você está na página 1de 2

1.

Poema: No h vagas
O preo do feijo em arquivos.
no cabe no poema. Como no cabe no poema
O preo o operrio
do arroz que esmerila seu dia de ao
no cabe no poema. e carvo
No cabem no poema o gs nas oficinas escuras
a luz o telefone porque o poema, senhores,
a sonegao est fechado:
do leite no h vagas
da carne S cabe no poema
do acar o homem sem estmago
do po a mulher de nuvens
O funcionrio pblico a fruta sem preo
no cabe no poema O poema, senhores,
com seu salrio de fome no fede
sua vida fechada nem cheira.

2. Poema: Traduzir-se
Uma parte de mim outra parte Uma parte de mim
todo mundo: delira. s vertigem:
outra parte ningum: Uma parte de mim outra parte,
fundo sem fundo. almoa e janta: linguagem.
Uma parte de mim outra parte Traduzir-se uma parte
multido: se espanta. na outra parte
outra parte estranheza Uma parte de mim que uma questo
e solido. permanente: de vida ou morte
Uma parte de mim outra parte ser arte?
pesa, pondera: se sabe de repente.

3. Poema: No corpo
De que vale tentar reconstruir com palavras o apelo da noite
O que o vero levou Agora so apenas esta
Entre nuvens e risos contrao (este claro)
Junto com o jornal velho pelos ares do maxilar dentro do rosto.
O sonho na boca, o incndio na cama, A poesia o presente.

4. Poema: Poemas Neoconcretos I

mar azul
mar azul marco azul
mar azul marco azul barco azul
mar azul marco azul barco azul arco azul
mar azul marco azul barco azul arco azul ar azul
(Os concretistas paulistas acreditavam que a forma era o principal elemento da arte, em
detrimento do contedo, visto como mais importante pelos artistas neoconcretos.)

5. Poema: Meu povo, meu poema


Meu povo e meu poema crescem juntos como o sol
como cresce no fruto na garganta do futuro
a rvore nova Meu povo em meu poema
No povo meu poema vai nascendo se reflete
como no canavial como a espiga se funde em terra frtil
nasce verde o acar Ao povo seu poema aqui devolvo
No povo meu poema est maduro menos como quem canta
do que planta

POEMA BRASILEIRO

No Piau de cada 100 crianas que nascem


78 morrem antes de completar 8 anos de idade

No Piau
de cada 100 crianas que nascem
78 morrem antes de completar 8 anos de idade

No Piau
de cada 100 crianas
que nascem
78 morrem
antes
de completar
8 anos de idade

antes de completar 8 anos de idade


antes de completar 8 anos de idade
antes de completar 8 anos de idade
antes de completar 8 anos de idade

Fontes: http://escolaeducacao.com.br/melhores-poemas-de-ferreira-gullar/
http://www.avozdapoesia.com.br/obras_ler.php?obra_id=11010

Você também pode gostar